PROBABILIDADE. 3) Jogando-se dois dados, qual a probabilidade de que a soma dos pontos obtidos seja menor que 4?

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROBABILIDADE. 3) Jogando-se dois dados, qual a probabilidade de que a soma dos pontos obtidos seja menor que 4?"

Transcrição

1 Segmento: ENSINO MÉDIO Dscplna: MATEMÁTICA Tpo de Atvdade: LISTA DE EXERCÍCIOS Prof. Marcelo 06/2016 Turma: 3 A PROBABILIDADE 1) No lançamento de um dado, determnar a probabldade de se obter: a) o número 1 b) um número prmo c) um número dvsível por 2 d) um número menor que 5 e) um número maor que 6 2) No lançamento smultâneo de dos dados, um branco e um vermelho, determne a probabldade dos seguntes eventos: a) os números são guas b) a soma dos números é gual a 9 3) Jogando-se dos dados, qual a probabldade de que a soma dos pontos obtdos seja menor que 4? 4) Lançando-se dos dados com faces numeradas de 1 a 6, qual a probabldade de que a soma obtda seja 10? 5) De um baralho de 52 cartas tra-se ao acaso uma das cartas. Determne a probabldade de que a carta seja: a) uma dama b) uma dama de paus c) uma carta de ouros 6) Unndo aleatoramente dos vértces quasquer de um hexágono, qual é a probabldade de que o segmento seja uma dagonal? 7) No lançamento de dos dados guas, qual a probabldade de a soma dos pontos ser 8 e um dos dados apresentar 6 pontos? 8) No lançamento de cnco moedas, qual é a probabldade de se obterem três caras e duas coroas? 9) Consdere o lançamento de dos dados. Determne: a) a probabldade de se obter um total de 7 pontos. b) A probabldade de não se obter um total de 7 pontos. 10) No lançamento de um dado honesto, qual a probabldade de não sar múltplo de 3? 11) Retrando-se uma carta de um baralho de 52 cartas, qual a probabldade de ocorrer um re ou uma carta de espadas? 12) Uma urna contém 30 bolas, numeradas de 1 a 30. Retrando-se uma bola ao acaso, qual a probabldade de que seu número seja: a) par b) ímpar c) par e menor que 15 d) múltplo de 4 ou 5 13) Numa caxa estão 8 peças com pequenos defetos, 12 com grandes defetos e 15 perfetas. Uma peça é retrada ao acaso. Qual a probabldade de que esta peça seja perfeta ou tenha pequenos defetos?

2 14) Numa escola funconam dos cursos, um de desenho publctáro e outro de desenho artístco, ferfazento um total de 90 vagas. No fnal da nscrção, hava 60 alunos nscrtos para desenho publctáro e 50 para desenho artístco, sendo que alguns optaram pelos 2 cursos. Determne, escolhendo ao acaso um aluno do curso, qual a probabldade de ele ser: a) aluno de desenho publctáro. b) aluno de desenho artístco. c) aluno somente de desenho publctáro d) aluno de desenho artístco ou desenho publctáro. e) aluno de desenho artístco e desenho publctáro. 15) Para deslgar-se um sstema de segurança, devem ser aconados smultaneamente 3 determnados botões de um panel que possu 5 botões. Qual a probabldade de deslgar-se o sstema, escolhendo-se aleatoramente os 3 botões? 16) As cartas de um baralho são amontoadas aleatoramente. Qual é a probabldade de a carta de cma ser de copas e a de baxo também? (o baralho é formado por 52 cartas de 4 napes dferentes 13 de cada) 17) Um casal planeja ter 4 flhos. Supondo gual a chance de um flho nascer do sexo masculno ou do sexo femnno, qual a probabldade de o casal vr a ter, no mínmo, dos flhos do sexo masculno? 18) Na pratelera de um supermercado há 20 latas de achocolatado, das quas 5 estão além do prazo de valdade. Uma senhora passa e apanha uma delas ao acaso; logo em seguda, um jovem apanha outra lata ao acaso. Qual a probabldade de que: a) ambos tenham comprado achocolatados com prazo dentro da valdade? b) ambos tenham comprado achocolatados vencdos? c) a mulher tenha comprado o produto com prazo dentro da valdade, mas o rapaz não? 19) Cada uma das 28 peças do jogo de domnó convenconal, lustradas abaxo, contêm dos números, de zero a ses, ndcados por pequenos círculos ou, no caso do zero, por sua ausênca. Admta um novo tpo de domnó, semelhante ao convenconal, no qual os dos números de cada peça varem de zero a dez. Observe o desenho de uma dessas peças: Consdere que uma peça seja retrada ao acaso do novo domnó. Calcule a probabldade de essa peça apresentar um número ses ou um número nove. 20) Uma loja de departamentos fez uma pesqusa de opnão com consumdores, para montorar a qualdade de atendmento de seus servços. Um dos consumdores que opnaram fo sorteado para receber um prêmo pela partcpação na pesqusa. A tabela mostra os resultados percentuas regstrados na pesqusa, de acordo com as dferentes categoras tabuladas.

3 categoras percentuas ótmo 25 regular 43 péssmo 17 não opnaram 15 Se cada consumdor votou uma únca vez, a probabldade de o consumdor sorteado estar entre os que opnaram e ter votado na categora péssmo é, aproxmadamente, a) 20%. b) 30%. c) 26%. d) 29%. e) 23%. PROBABILIDADE 1) a) 1/6 B) ½ C)1/2 D)2/3 E)0 2) a) 1/6 b) 1/9 3) 1/12 4) 1/12 5) a) 1/13 b) 1/52 c) ¼ 6) 9/15 7) 1/18 8) 5/16 9)a) 1/6 b) 5/6 10) 2/3 11) 4/13 12)a)1/2 b)1/2 c)7/30 d)2/5 13) 23/35 14) a) 2/3 b)5/9 c)4/9 d)1 e)2/9 15) 1/10 16) 1/17 17) 68,75% 18) a) 21/38 b) 3/19 c) 15/76 19) 7/22 20) A NÚMEROS COMPLEXOS 1) Resolva, em C as equações: a) x = 0 b) x = 0 c) x = 0 d) x 2 6x + 13 = 0 e) x 2 + 2x + 2 = 0 f) x 2 2x + 4 = 0 g) 4x 2 4x + 5 = 0 2) Determne k de modo que o número complexo z = (k + 5) 4 seja magnáro puro. 3) Determne m para que o número complexo z = 1 + (m 2 81) seja real. 4) Obter x e y para que o número z = (x + 6) (y 2 16 ) seja: a) um número real. b) um número magnáro puro. 5) Determne a e b de modo que 2a b + (3a + 2b) = ) Determne x e y de modo que: a) 2x y + (x + y) = b) x (y + 2x) = ) Determne x e y para que se tenha (x 2 1) + (4 y) = ) Calcule: a) (6 + 5) + (2 ) b) (6 ) + (4 + 2) (5 3) c) (5 + )(2 ) d) ( 3 + 4)(5 2) e) (3 + 4) 2

4 f) g) h) ) j) k) l) ) Determne o número complexo z tal que: a) 3z 2z 10 5 b) z 5z 2z 10) Determne o nverso de cada um dos seguntes números complexos: a) z1 = b) z2 = 1 11) O determnante defne um número complexo. Determne o conjugado desse complexo. RESPOSTAS: 1) a) 3 b) 7 c) 11 d) 3 2 e) 1 f) 3 g) 2) k=-5 3) m= 9 4) a) y= 4 b) x=-6 e y 4 5) a = -1 e b = 6 6) a) x = 5 e y = 3 b) x = 3 e y = 5 ou x = -3 e y = 17 7) x = 2 e y=14 8) a) b) c) 11 3 d) e) f) ) a) z = b) z = 0 10) a) 2 3 b) ) g) 7 5 h) 2 ) j) 1 k) 1 l) 1+

5 NÚMEROS COMPLEXOS (FORMA TRIGONOMÉTRICA) 1) b 2) b 3) a) 2 b) 3 c) 1 d) 1 4) e )

6 Resposta do ex. 6 5) d 6) 7) 9) Calcule e apresente a resposta na forma algébrca: a) (1 ) b) (1 + 3 ) ) Calcule as raízes cúbcas de ) Obtenha as raízes cúbcas de 81. a 8) e

Lista de Exercícios. 2 Considere o número de aparelhos com defeito na empresa Garra durante 50 dias.

Lista de Exercícios. 2 Considere o número de aparelhos com defeito na empresa Garra durante 50 dias. Classque as varáves: Faculdade Ptágoras / Dvnópols-MG Curso: Pscologa Dscplna: Estatístca Aplcada à Pscologa Lsta de Eercícos a) número de peças produzdas por hora; b) dâmetro eterno da peça; c) número

Leia mais

M mn (R) : conjunto das matrizes reais m n AnB = fx; x 2 A e x =2 Bg det A : determinante da matriz A

M mn (R) : conjunto das matrizes reais m n AnB = fx; x 2 A e x =2 Bg det A : determinante da matriz A NOTAÇÕES N = f1; ; ; g C conjunto dos números comlexos R conjunto dos números reas undade magnára = 1 [a; b] = fx R; a x bg jzj módulo do número z C [a; b[ = fx R; a x < bg z conjugado do número z C ]a;

Leia mais

PROVA DE ESTATÍSTICA & PROBABILIDADES SELEÇÃO MESTRADO/UFMG 2010/2011

PROVA DE ESTATÍSTICA & PROBABILIDADES SELEÇÃO MESTRADO/UFMG 2010/2011 Instruções: PROVA DE ESTATÍSTICA & PROBABILIDADES SELEÇÃO MESTRADO/UFMG 00/0 Cada uestão respondda corretamente vale (um) ponto. Cada uestão respondda ncorretamente vale - (menos um) ponto. Cada uestão

Leia mais

EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA Prof. Mário

EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA Prof. Mário EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA Prof. Máro e-mal: maroffer@yahoo.com.br 0 Conjuntos dos Números Complexos 0. Undade magnára º) Determne as raíes magnáras da equação x + 75 = 0 º) Encontre as raíes magnáras da

Leia mais

BANCO DE QUESTÕES TURMA PM-PE PROBABILIDADE

BANCO DE QUESTÕES TURMA PM-PE PROBABILIDADE 01. (UNICAMP 016) Uma moeda balanceada é lançada quatro vezes, obtendo-se cara exatamente três vezes. A probabilidade de que as caras tenham saído consecutivamente é igual a A) 1. B). 8 C) 1. D). 0. (UNESP

Leia mais

Se A =, o evento é impossível, por exemplo, obter 7 no lançamento de um dado.

Se A =, o evento é impossível, por exemplo, obter 7 no lançamento de um dado. PROBABILIDADE Espaço amostral Espaço amostral é o conjunto universo U de todos os resultados possíveis de um experimento aleatório. O número de elementos desse conjunto é indicado por n(u). Exemplos: No

Leia mais

MATEMÁTICA LISTA DE EXERCÍCIOS NÚMEROS COMPLEXOS

MATEMÁTICA LISTA DE EXERCÍCIOS NÚMEROS COMPLEXOS MATEMÁTICA LISTA DE EXERCÍCIOS NÚMEROS COMPLEXOS PROF: Claudo Saldan CONTATO: saldan.mat@gmal.com PARTE 0 -(MACK SP/00/Janero) Se y = x, sendo x= e =, o valor de (xy) é a) 9 9 9 9 e) 9 0 -(FGV/00/Janero)

Leia mais

T o e r o ia a da P oba ba i b lida d de

T o e r o ia a da P oba ba i b lida d de Teoria da Probabilidade Prof. Joni Fusinato Teoria da Probabilidade Consiste em utilizar a intuição humana para estudar os fenômenos do nosso cotidiano. Usa o princípio básico do aprendizado humano que

Leia mais

Escola Secundária Dr. Ângelo Augusto da Silva Matemática 12.º ano Números Complexos - Exercícios saídos em (Exames Nacionais 2000)

Escola Secundária Dr. Ângelo Augusto da Silva Matemática 12.º ano Números Complexos - Exercícios saídos em (Exames Nacionais 2000) Internet: http://rolvera.pt.to ou http://sm.page.vu Escola Secundára Dr. Ângelo Augusto da Slva Matemátca.º ano Números Complexos - Exercícos saídos em (Exames Naconas 000). Seja C o conjunto dos números

Leia mais

PROBABILIDADE PROPRIEDADES E AXIOMAS

PROBABILIDADE PROPRIEDADES E AXIOMAS PROBABILIDADE ESPAÇO AMOSTRAL É o conjunto de todos os possíveis resultados de um experimento aleatório. A este conjunto de elementos denominamos de espaço amostral ou conjunto universo, simbolizado por

Leia mais

PROBABILIDADE. Numero de Resultados Desejado Numero de Resultados Possiveis EXERCÍCIOS DE AULA

PROBABILIDADE. Numero de Resultados Desejado Numero de Resultados Possiveis EXERCÍCIOS DE AULA PROBABILIDADE São duas as questões pertinentes na resolução de um problema envolvendo probabilidades. Primeiro, é preciso quantificar o conjunto de todos os resultados possíveis, que será chamado de espaço

Leia mais

5) Qual a probabilidade de sair um ás de ouros quando retiramos uma carta de um baralho de 52 cartas?

5) Qual a probabilidade de sair um ás de ouros quando retiramos uma carta de um baralho de 52 cartas? TERCEIRA LISTA DE EXERCÍCIOS DE PROBABILIDADE CURSO: MATEMÁTICA PROF. LUIZ CELONI 1) Dê um espaço amostral para cada experimento abaixo. a) Uma urna contém bolas vermelhas (V), bolas brancas (B) e bolas

Leia mais

O conceito de probabilidade

O conceito de probabilidade A UA UL LA O conceito de probabilidade Introdução Nesta aula daremos início ao estudo da probabilidades. Quando usamos probabilidades? Ouvimos falar desse assunto em situações como: a probabilidade de

Leia mais

01 - (UEM PR) um resultado "cara sobre casa preta" é (MACK SP)

01 - (UEM PR) um resultado cara sobre casa preta é (MACK SP) ALUNO(A): Nº TURMA: 2º ANO PROF: Claudio Saldan CONTATO: saldan.mat@gmail.com LISTA DE EXERCÍCIOS PROBABILIDADE 0 - (UEM PR) Considere a situação ideal na qual uma moeda não-viciada, ao ser lançada sobre

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES Matemática e suas Tecnologias CÓDIGO DA PROVA / SIMULADO Aluno(a): POMA - Matemática Questões Professores: Neydiwan PC 0-0 - 4 ª Série º Bimestre - N 0 / 06 / 06 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES Este caderno

Leia mais

X = 1, se ocorre : VB ou BV (vermelha e branca ou branca e vermelha)

X = 1, se ocorre : VB ou BV (vermelha e branca ou branca e vermelha) Estatístca p/ Admnstração II - Profª Ana Cláuda Melo Undade : Probabldade Aula: 3 Varável Aleatóra. Varáves Aleatóras Ao descrever um espaço amostral de um expermento, não especfcamos que um resultado

Leia mais

{ } Matemática Prof.: Joaquim Rodrigues 1 NÚMEROS COMPLEXOS. Questão 06 Para que valor de x o número complexo + 8i é imaginário puro?

{ } Matemática Prof.: Joaquim Rodrigues 1 NÚMEROS COMPLEXOS. Questão 06 Para que valor de x o número complexo + 8i é imaginário puro? Matemátca Prof.: Joaqum Rodrgues NÚMEROS COMPLEXOS INTRODUÇÃO Questão 0 Resolver as equações: a x = 0 + S = {, } + 6 S = {, } x + S = { +, } 6x + 0 S = { +, } b x = 0 c x = 0 d x = 0 e x x + = 0 f x 8x

Leia mais

Números Complexos na Forma Algébrica

Números Complexos na Forma Algébrica Colégo Adventsta Portão EIEFM MATEMÁTICA Números Complexos º Ano APROFUNDAMENTO/REFORÇO Professor: Hermes Jardm Dscplna: Matemátca Lsta º Bmestre Aluno(a): Número: Turma: Números Complexos na Forma Algébrca

Leia mais

Aula 16 - Erivaldo. Probabilidade

Aula 16 - Erivaldo. Probabilidade Aula 16 - Erivaldo Probabilidade Probabilidade Experimento aleatório Experimento em que não pode-se afirmar com certeza o resultado final, mas sabe-se todos os seus possíveis resultados. Exemplos: 1) Lançar

Leia mais

CAIXA ECONOMICA FEDERAL. Prof. Sérgio Altenfelder

CAIXA ECONOMICA FEDERAL. Prof. Sérgio Altenfelder 14.) (ICMS-MG/05) Um empréstimo contraído no início de abril, no valor de R$ 15.000,00 deve ser pago em dezoito prestações mensais iguais, a uma taxa de juros compostos de 2% ao mês, vencendo a primeira

Leia mais

2) Como há 6 tipos de peso, e estamos avaliando 2 peças, o espaço amostral será uma matriz 6 x 6:

2) Como há 6 tipos de peso, e estamos avaliando 2 peças, o espaço amostral será uma matriz 6 x 6: Lsta de Exercícos - Probabldade INE 700 GABARITO LISTA DE EXERÍIOS PROBABILIDADE ) Vamos medr o tempo de duração da lâmpada. Ao lgarmos a lâmpada ela pode não funconar, ou durar um tempo ndetermnado. a)

Leia mais

CAPÍTULO 3 PROBABILIDADE

CAPÍTULO 3 PROBABILIDADE CAPÍTULO 3 PROBABILIDADE 1. Conceitos 1.1 Experimento determinístico Um experimento se diz determinístico quando repetido em mesmas condições conduz a resultados idênticos. Exemplo 1: De uma urna que contém

Leia mais

ESTATÍSTICA I LISTA DE EXERCÍCIOS 2 GABARITO

ESTATÍSTICA I LISTA DE EXERCÍCIOS 2 GABARITO ESTATÍSTICA I LISTA DE EXERCÍCIOS 2 GABARITO 1. (Magalhães e Lima, pg 40) Para cada um dos casos abaixo, escreva o espaço amostral correspondente e conte seus elementos: (a) Uma moeda é lançada duas vezes

Leia mais

3. Probabilidade P(A) =

3. Probabilidade P(A) = 7 3. Probabilidade Probabilidade é uma medida numérica da plausibilidade de que um evento ocorrerá. Assim, as probabilidades podem ser usadas como medidas do grau de incerteza e podem ser expressas de

Leia mais

Números Complexos na Forma Algébrica

Números Complexos na Forma Algébrica Colégo Adventsta Portão EIEFM MATEMÁTICA Números Complexos º Ano APROFUNDAMENTO/REFORÇO Professor: Hermes Jardm Dscplna: Matemátca Lsta º Bmestre/0 Aluno(a): Número: Turma: Números Complexos na Forma Algébrca

Leia mais

AEP FISCAL ESTATÍSTICA

AEP FISCAL ESTATÍSTICA AEP FISCAL ESTATÍSTICA Módulo 11: Varáves Aleatóras (webercampos@gmal.com) VARIÁVEIS ALEATÓRIAS 1. Conceto de Varáves Aleatóras Exemplo: O expermento consste no lançamento de duas moedas: X: nº de caras

Leia mais

Disciplina de Estatística Prof. Msc Quintiliano Siqueira Schroden Nomelini LISTA DE PROBABILIDADES

Disciplina de Estatística Prof. Msc Quintiliano Siqueira Schroden Nomelini LISTA DE PROBABILIDADES Disciplina de Estatística Prof. Msc Quintiliano Siqueira Schroden Nomelini LISTA DE PROBABILIDADES 1) Determine a probabilidade de cada evento: a) Um nº par aparece no lançamento de um dado; b) Uma figura

Leia mais

Álgebra ( ) ( ) Números complexos.

Álgebra ( ) ( ) Números complexos. Números complexos Resolva as equações no campo dos a) x² 49 = 0 x² - x = 0 x² - x = 0 d) x² - x = 0 Dado = (4a ) - (a - ) determne o número real a tal que seja: a) magnáro puro real Sendo = (4m -) (n -),

Leia mais

Apostila de Estatística Curso de Matemática. Volume II 2008. Probabilidades, Distribuição Binomial, Distribuição Normal. Prof. Dr. Celso Eduardo Tuna

Apostila de Estatística Curso de Matemática. Volume II 2008. Probabilidades, Distribuição Binomial, Distribuição Normal. Prof. Dr. Celso Eduardo Tuna Apostla de Estatístca Curso de Matemátca Volume II 008 Probabldades, Dstrbução Bnomal, Dstrbução Normal. Prof. Dr. Celso Eduardo Tuna 1 Capítulo 8 - Probabldade 8.1 Conceto Intutvamente pode-se defnr probabldade

Leia mais

Bem Explicado Centro de Explicações Lda. Matemática 9º Ano Probabilidades

Bem Explicado Centro de Explicações Lda. Matemática 9º Ano Probabilidades Bem Explicado Centro de Explicações Lda. Matemática 9º Ano Probabilidades Nome: Data: / / 1. Das seguintes experiências diz, justificando, quais são as aleatórias: 1.1. Deitar um berlinde num copo de água

Leia mais

Notas Processos estocásticos. Nestor Caticha 23 de abril de 2012

Notas Processos estocásticos. Nestor Caticha 23 de abril de 2012 Notas Processos estocástcos Nestor Catcha 23 de abrl de 2012 notas processos estocástcos 2 O Teorema de Perron Frobenus para matrzes de Markov Consdere um processo estocástco representado por um conunto

Leia mais

3. A probabilidade do evento de números pares. 4. O evento formado por número menor que três. 5. A probabilidade do evento número menor que três.

3. A probabilidade do evento de números pares. 4. O evento formado por número menor que três. 5. A probabilidade do evento número menor que três. 1 a Lista de Exercício - Estatística (Probabilidade) Profa. Ms. Ulcilea A. Severino Leal Algumas considerações importantes sobre a resolução dos exercícios. (i) Normas da língua culta, sequência lógica

Leia mais

Exercícios. Utilizando um novo critério, essa banca avaliadora resolveu descartar a maior e a menor notas atribuídas ao professor.

Exercícios. Utilizando um novo critério, essa banca avaliadora resolveu descartar a maior e a menor notas atribuídas ao professor. Estatístca Exercícos 1. (Enem 013) Fo realzado um levantamento nos 00 hotés de uma cdade, no qual foram anotados os valores, em reas, das dáras para um quarto padrão de casal e a quantdade de hotés para

Leia mais

MATEMÁTICA MÓDULO 8 COMPLEXOS NA FORMA TRIGONOMÉTRICA 1. FORMA TRIGONOMÉTRICA DE COMPLEXOS PROBIZU

MATEMÁTICA MÓDULO 8 COMPLEXOS NA FORMA TRIGONOMÉTRICA 1. FORMA TRIGONOMÉTRICA DE COMPLEXOS PROBIZU COMPLEXOS NA FORMA TRIGONOMÉTRICA. FORMA TRIGONOMÉTRICA DE COMPLEXOS Seja z = (a, b) = a + b r a b módulo do complexo z. a b cos = ; sen = a rcos e b = rsen r r z r (cos sen ) r cs. Com [0, ], é o argumento

Leia mais

3 + i na forma trigonométrica. Um casal deseja ter quatro filhos. Qual a probabilidade de serem todos do mesmo sexo?

3 + i na forma trigonométrica. Um casal deseja ter quatro filhos. Qual a probabilidade de serem todos do mesmo sexo? EXERCÍCIO COMPLEMENTARES - MATEMÁTICA - ª SERIE - ENSINO MÉDIO - 3ª ETAPA ============================================================================================== 0- Assunto: Análise Combinatória

Leia mais

Adição de probabilidades. O número de elementos da união dos conjuntos A e B n(aub) = n(a B) Dividindo os dois membros por n(e):

Adição de probabilidades. O número de elementos da união dos conjuntos A e B n(aub) = n(a B) Dividindo os dois membros por n(e): Adição de probabilidades O número de elementos da união dos conjuntos A e B n(aub) = n(a B) Dividindo os dois membros por n(e): Dois eventos A e B são ditos mutuamente exclusivos se, e somente se, A B

Leia mais

Noções sobre Probabilidade

Noções sobre Probabilidade Noções sobre Probabilidade Introdução Vimos anteriormente como apresentar dados em tabelas e gráficos, e também como calcular medidas que descrevem características específicas destes dados. Mas além de

Leia mais

3. (Apostila 1 - ex.1.4) Defina um espaço amostral para cada um dos seguintes experimentos

3. (Apostila 1 - ex.1.4) Defina um espaço amostral para cada um dos seguintes experimentos Primeira Lista de Exercícios Introdução à probabilidade e à estatística Prof Patrícia Lusié Assunto: Probabilidade. 1. (Apostila 1 - ex.1.1) Lançam-se três moedas. Enumerar o espaço amostral e os eventos

Leia mais

TEORIA DAS PROBABILIDADES

TEORIA DAS PROBABILIDADES TEORIA DAS PROBABILIDADES 1.1 Introdução Ao estudarmos um fenômeno coletivo, verificamos a necessidade de descrever o próprio fenômeno e o modelo matemático associado ao mesmo, que permita explicá-lo da

Leia mais

PROBABILIDADE - CONCEITOS BÁSICOS

PROBABILIDADE - CONCEITOS BÁSICOS ROBBILIDD - CONCITOS BÁSICOS xpermento leatóro é um expermento no qual: todos os possíves resultados são conhecdos; resulta num valor desconhecdo, dentre todos os resultados possíves; pode ser repetdo

Leia mais

Exercícios de CPM e PERT Enunciados

Exercícios de CPM e PERT Enunciados Capítulo 7 Exercícos de CPM e PERT Enuncados Exercícos de CPM e PERT Enuncados 106 Problema 1 O banco TTM (Tostão a Tostão se faz um Mlhão) decdu transferr e amplar a sua sede e servços centras para a

Leia mais

Exercícios de exames e provas oficiais

Exercícios de exames e provas oficiais mata dstrbuções, normal, bnomal Eercícos de eames e provas ofcas. Um saco contém nove bolas numeradas de a 9, ndstnguíves ao tato. onsdere a segunte eperênca aleatóra: retram-se smultaneamente e ao acaso,

Leia mais

12.º Ano de Escolaridade

12.º Ano de Escolaridade gabinete de avaliação educacional T E S T E I N T E R M É D I O D E M A T E M Á T I C A 12.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 286/89, de 29 de Agosto) (Dec.-Lei n.º 286/89, de 29 de Agosto, para alunos

Leia mais

a) 3 c) 5 d) 6 b) i d) i

a) 3 c) 5 d) 6 b) i d) i Colégo Marsta Docesano de Uberaba ª Lsta de eercícos de Compleos Prof. Maluf Se é a undade magnára, para que a b seja um número real, a relação c d entre a, b, c e d deve satsfaer: 0 - (UNESP SP/00) a)

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA FACULDADE DE CIÊNCIAS NATURAIS E MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA Campus de Lhanguene, Av. de Moçambique, km 1, Tel: +258 21401078, Fax: +258 21401082, Maputo Cursos de Licenciatura em Ensino de Matemática

Leia mais

Contagem e Probabilidade Exercícios Adicionais. Paulo Cezar Pinto Carvalho

Contagem e Probabilidade Exercícios Adicionais. Paulo Cezar Pinto Carvalho Contagem e Probabilidade Exercícios Adicionais Paulo Cezar Pinto Carvalho Exercícios Adicionais Contagem e Probabilidade Para os alunos dos Grupos 1 e 2 1. Um grupo de 4 alunos (Alice, Bernardo, Carolina

Leia mais

ESTATÍSTICA Parte II

ESTATÍSTICA Parte II ESTATÍSTICA Parte II PARA OS CURSOS TÉCNICOS Material Didático Elaborado por: Alessandro da Silva Saadi MESTRE EM MATEMÁTICA 1 Capítulo 1 Escola Técnica Estadual Getúlio Vargas ESTATÍSTICA II Prof. Me.

Leia mais

BC0406 Introdução à Probabilidade e à Estatística Lista de Exercícios Suplementares 3 3 quadrimestre 2011

BC0406 Introdução à Probabilidade e à Estatística Lista de Exercícios Suplementares 3 3 quadrimestre 2011 BC0406 Introdução à Probabldade e à Estatístca Lsta de Eercícos Suplementares novembro 0 BC0406 Introdução à Probabldade e à Estatístca Lsta de Eercícos Suplementares quadrmestre 0 Além destes eercícos,

Leia mais

PROBABILIDADE. Curso: Logística e Transportes Disciplina: Estatística Profa. Eliane Cabariti

PROBABILIDADE. Curso: Logística e Transportes Disciplina: Estatística Profa. Eliane Cabariti Curso: Logística e Transportes Disciplina: Estatística Profa. Eliane Cabariti PROBABILIDADE Dizemos que a probabilidade é uma medida da quantidade de incerteza que existe em um determinado experimento.

Leia mais

CAPÍTULO 2 - Estatística Descritiva

CAPÍTULO 2 - Estatística Descritiva INF 16 Prof. Luz Alexandre Peternell CAPÍTULO - Estatístca Descrtva Exercícos Propostos 1) Consderando os dados amostras abaxo, calcular: méda artmétca, varânca, desvo padrão, erro padrão da méda e coefcente

Leia mais

3 NOÇÕES DE PROBABILIDADE

3 NOÇÕES DE PROBABILIDADE 3 NOÇÕES DE PROILIDDE 3.1 Conjuntos Um conjunto pode ser considerado como uma coleção de objetos chamados elementos do conjunto. Em geral denota-se conjunto por letras maiúsculas,, C,... e a sua representação

Leia mais

1- INTRODUÇÃO 2. CONCEITOS BÁSICOS

1- INTRODUÇÃO 2. CONCEITOS BÁSICOS 1 1- INTRODUÇÃO O termo probabilidade é usado de modo muito amplo na conversação diária para sugerir um certo grau de incerteza sobre o que ocorreu no passado, o que ocorrerá no futuro ou o que está ocorrendo

Leia mais

Matemática. Veículo A. Veículo B. Os gráficos das funções interceptam-se quando 50t = 80t

Matemática. Veículo A. Veículo B. Os gráficos das funções interceptam-se quando 50t = 80t Matemátca 0 Dos veículos, A e B, partem de um ponto de uma estrada, em sentdos opostos e com velocdades constantes de 50km/h e 70km/h, respectvamente Após uma hora, o veículo B retorna e, medatamente,

Leia mais

1) Calcular a probabilidade de se obter 2 prêmios ao abrirem-se 2 círculos de uma mesa com 25 círculos dos quais 5 são premiados.

1) Calcular a probabilidade de se obter 2 prêmios ao abrirem-se 2 círculos de uma mesa com 25 círculos dos quais 5 são premiados. COLÉGIO SANTA MARIA Matemática I / II - Professor: Flávio Verdugo Ferreira Lista de exercícios: Probabilidades 1) Calcular a probabilidade de se obter 2 prêmios ao abrirem-se 2 círculos de uma mesa com

Leia mais

Atividade extra. Exercício 1. Exercício 2. Exercício 3. Matemática e suas Tecnologias Matemática

Atividade extra. Exercício 1. Exercício 2. Exercício 3. Matemática e suas Tecnologias Matemática Atividade extra Exercício 1 Um teste de múltipla escolha e composto de 12 questões, com 5 alternativas de resposta, sendo que somente uma, é correta. Qual a probabilidade de uma pessoa, marcando aleatoriamente

Leia mais

Os experimentos que repetidos sob as mesmas condições produzem resultados geralmente diferentes serão chamados experimentos aleatórios.

Os experimentos que repetidos sob as mesmas condições produzem resultados geralmente diferentes serão chamados experimentos aleatórios. PROBABILIDADE Prof. Aurimenes A teoria das Probabilidades é o ramo da Matemática que cria, desenvolve e em geral pesquisa modelos que podem ser utilizados para estudar experimentos ou fenômenos aleatórios.

Leia mais

12.º Ano de Escolaridade

12.º Ano de Escolaridade gabinete de avaliação educacional T E S T E I N T E R M É D I O D E M A T E M Á T I C A 12.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 286/89, de 29 de Agosto) (Dec.-Lei n.º 286/89, de 29 de Agosto, para alunos

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA DO VESTIBULAR 2013 DA UNICAMP-FASE 1. RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA

PROVA DE MATEMÁTICA DO VESTIBULAR 2013 DA UNICAMP-FASE 1. RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA PROVA DE MATEMÁTICA DO VESTIBULAR 03 DA UNICAMP-FASE. PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA QUESTÃO 37 A fgura abaxo exbe, em porcentagem, a prevsão da oferta de energa no Brasl em 030, segundo o Plano Naconal

Leia mais

Os experimentos que repetidos sob as mesmas condições produzem resultados geralmente diferentes serão chamados experimentos aleatórios.

Os experimentos que repetidos sob as mesmas condições produzem resultados geralmente diferentes serão chamados experimentos aleatórios. PROBABILIDADE A teoria das Probabilidades é o ramo da Matemática que cria, desenvolve e em geral pesquisa modelos que podem ser utilizados para estudar experimentos ou fenômenos aleatórios. Os experimentos

Leia mais

Prof. Luiz Alexandre Peternelli

Prof. Luiz Alexandre Peternelli Exercícios propostos 1. Numa prova há 7 questões do tipo verdadeiro-falso ( V ou F ). Calcule a probabilidade de acertarmos todas as 7 questões se: a) Escolhermos aleatoriamente as 7 respostas. b) Escolhermos

Leia mais

Probabilidade material teórico

Probabilidade material teórico 1 A probabilidade serve para calcular a chance de algo acontecer. Seu estudo, assim como o da Análise Combinatória, teve origem nos jogos de azar, onde as pessoas queriam saber qual o melhor modo de jogar,

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M22 Números Complexos. 1 Resolva as equações no campo dos números complexos.

Matemática. Resolução das atividades complementares. M22 Números Complexos. 1 Resolva as equações no campo dos números complexos. Resolução das atvdades comlementares Matemátca M Números Comleos. Resolva as equações no camo dos números comleos. a 0 {, } b 8 0 a 0 D?? D 8 D Cálculo das raíes? S {, } b 8 0 D?? 8 Cálculo das raíes D

Leia mais

Matemática 9.º ano PROBABILIDADES + ESTATÍSTICA

Matemática 9.º ano PROBABILIDADES + ESTATÍSTICA Matemática 9.º ano PROBABILIDADES + ESTATÍSTICA 01. Num saco estão 10 bolas indistinguíveis ao tato, das quais 6 são azuis e 4 são verdes. Retiram-se, sucessivamente e sem reposição duas bolas. Determine

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CCSA - Centro de Ciências Sociais e Aplicadas Curso de Economia

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CCSA - Centro de Ciências Sociais e Aplicadas Curso de Economia CCSA - Centro de Cêncas Socas e Aplcadas Curso de Economa ECONOMIA REGIONAL E URBANA Prof. ladmr Fernandes Macel LISTA DE ESTUDO. Explque a lógca da teora da base econômca. A déa que sustenta a teora da

Leia mais

MATEMÁTICA A - 12o Ano Probabilidades - Noções gerais

MATEMÁTICA A - 12o Ano Probabilidades - Noções gerais MATEMÁTICA A - 12o Ano Probabilidades - Noções gerais Exercícios de exames e testes intermédios 1. Considere um dado cúbico, com as faces numeradas de 1 a 6, e um saco que contém cinco bolas, indistinguíveis

Leia mais

Probabilidade e Estatística Preparação para P1

Probabilidade e Estatística Preparação para P1 robabilidade e Estatística reparação para rof.: Duarte ) Uma TV que valia R$ 00,00, entrou em promoção e sofreu uma redução de 0% em seu preço. Qual é o novo preço da TV? ) Um produto foi vendido por R$

Leia mais

REDE ISAAC NEWTON ENSINO FUNDAMENTAL 2º ano PROFESSORA: LUCIANO VIEIRA / F LUCIANO ALUNO(A): Nº: MATEMÁTICA

REDE ISAAC NEWTON ENSINO FUNDAMENTAL 2º ano PROFESSORA: LUCIANO VIEIRA / F LUCIANO ALUNO(A): Nº: MATEMÁTICA REDE ISAAC NEWTON ENSINO FUNDAMENTAL 2º ano PROFESSORA: LUCIANO VIEIRA / F LUCIANO DATA: / / TURMA: ALUNO(A): Nº: UNIDADE: ( ) Riacho Fundo ( ) Taguatinga Sul MATEMÁTICA 0. (UFRGS - VESTIBULAR 205) Escolhe-se

Leia mais

Coordenadoria de Matemática. Apostila de Probabilidade

Coordenadoria de Matemática. Apostila de Probabilidade Coordenadoria de Matemática Apostila de Probabilidade Vitória ES 1. INTRODUÇÃO CAPÍTULO 03 Quando investigamos algum fenômeno, verificamos a necessidade de descrevê-lo por um modelo matemático que permite

Leia mais

a) 6,0% b) 6,4% c) 7,2% d) 7,8% e) 8,0% a) 7. d) 14. total de lançamentos c) 15

a) 6,0% b) 6,4% c) 7,2% d) 7,8% e) 8,0% a) 7. d) 14. total de lançamentos c) 15 . (Ufsm 204) A tabela mostra o resultado de uma pesquisa sobre tipos sanguíneos em que foram testadas 600 pessoas. Qual é a probabilidade de uma pessoa escolhida ao acaso ter sangue do tipo A + ou A? 4.

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 1 ESTATÍSTICA E PROBABILIDADES

LISTA DE EXERCÍCIOS 1 ESTATÍSTICA E PROBABILIDADES LISTA DE EXERCÍCIOS 1 ESTATÍSTICA E PROBABILIDADES 1- Ordene os dados indicando o 1º, 2º e 3º quartil 45, 56, 62, 67, 48, 51, 64, 71, 66, 52, 44, 58, 55, 61, 48, 50, 62, 51, 61, 55 2- Faça a análise da

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Instituto de Matemática e Estatística

Universidade Federal de Goiás Instituto de Matemática e Estatística Universidade Federal de Goiás Instituto de Matemática e Estatística Prova de Probabilidade Prof.: Fabiano F. T. dos Santos Goiânia, 31 de outubro de 014 Aluno: Nota: Descreva seu raciocínio e desenvolva

Leia mais

Sociedade Brasileira de Matemática Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional

Sociedade Brasileira de Matemática Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional Sociedade Brasileira de Matemática Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional MA12 Matemática Discreta Avaliação - GABARITO AV 3 - MA 12 13 de julho de 2013 1. (2,0) Seja (a n ) uma progressão

Leia mais

TESTE DE PROBABILIDADES E COMBINATÓRIA 12.º ANO

TESTE DE PROBABILIDADES E COMBINATÓRIA 12.º ANO TESTE DE PROBABILIDADES E COMBINATÓRIA 2.º ANO NOME: N.º: TURMA: ANO LETIVO: / AVALIAÇÃO: PROFESSOR: ENC. EDUCAÇÃO: DURAÇÃO DO TESTE: 90 MINUTOS O teste é constituído por dois grupos. O Grupo I é constituído

Leia mais

Regressão e Correlação Linear

Regressão e Correlação Linear Probabldade e Estatístca I Antono Roque Aula 5 Regressão e Correlação Lnear Até o momento, vmos técncas estatístcas em que se estuda uma varável de cada vez, estabelecendo-se sua dstrbução de freqüêncas,

Leia mais

Matemática. Alex Amaral (Allan Pinho) Probabilidade

Matemática. Alex Amaral (Allan Pinho) Probabilidade Probabilidade Probabilidade 1. Observe a figura que mostra um desses baralhos, no qual as cartas representadas pelas letras A, J, Q e K são denominadas, respectivamente, ás, valete, dama e rei. Uma criança

Leia mais

Notas de Aula de Probabilidade A

Notas de Aula de Probabilidade A VII- VARIÁVEIS ALEATÓRIAS UNIDIMENSIONAIS. 7. CONCEITO DE VARIÁVEIS ALEATÓRIAS: Informalmente, uma varável aleatóra é um característco numérco do resultado de um epermento aleatóro. Defnção: Uma varável

Leia mais

Resolução das Questões Objetivas

Resolução das Questões Objetivas COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAD CONCURSO PISM III - TRIÊNIO 2008-2010 Prova de Matemátca Resolução das Questões Objetvas São apresentadas abaxo possíves soluções

Leia mais

O Ensino de Probabilidade. Paulo Cezar Pinto Carvalho IMPA

O Ensino de Probabilidade. Paulo Cezar Pinto Carvalho IMPA O Ensino de Probabilidade Paulo Cezar Pinto Carvalho IMPA Probabilidade na Escola Básica Tópico de grande importância em carreiras profissionais de todas as áreas (Engenharia, Medicina, Administração,...)

Leia mais

INTRODUÇÃO À PROBABILIDADE. A probabilidade é uma medida da incerteza dos fenômenos. Traduz-se por um número real compreendido de 0 ( zero) e 1 ( um).

INTRODUÇÃO À PROBABILIDADE. A probabilidade é uma medida da incerteza dos fenômenos. Traduz-se por um número real compreendido de 0 ( zero) e 1 ( um). INTRODUÇÃO À PROILIDDE teora das probabldade nada mas é do que o bom senso transformado em cálculo probabldade é o suporte para os estudos de estatístca e expermentação. Exemplos: O problema da concdênca

Leia mais

Curso de Farmácia Estatística Vital Aula 05 Comentários Adicionais. Prof. Hemílio Fernandes Depto. de Estatística - UFPB

Curso de Farmácia Estatística Vital Aula 05 Comentários Adicionais. Prof. Hemílio Fernandes Depto. de Estatística - UFPB Curso de Farmácia Estatística Vital Aula 05 Comentários Adicionais Prof. Hemílio Fernandes Depto. de Estatística - UFPB Um pouco de Probabilidade Experimento Aleatório: procedimento que, ao ser repetido

Leia mais

Matemática E Extensivo V. 5

Matemática E Extensivo V. 5 Extensivo V Exercícios 0) a) / b) / c) / a) N(E) N(A), logo P(A) b) N(E) N(A), logo P(A) c) N(E) N(A), logo P(A) 0) a) 0 b) / % c) 9/0 90% d) /0 % 0) E a) N(E) 0 + + + 0 b) N(E) 0 N(A), logo P(A) 0, %

Leia mais

( ) F 1 pode ser deslocado de. M = r F. Mecânica Geral II Notas de AULA 2 - Teoria Prof. Dr. Cláudio S. Sartori. MOMENTO DE UM BINÁRIO.

( ) F 1 pode ser deslocado de. M = r F. Mecânica Geral II Notas de AULA 2 - Teoria Prof. Dr. Cláudio S. Sartori. MOMENTO DE UM BINÁRIO. ecânca Geral II otas de UL - Teora Prof. Dr. láudo S. Sartor ET DE U IÁI. Duas forças, que tenham o mesmo módulo e lnha de ação paralelas e sentdos opostos formam um bnáro. Decomposção de uma força dada

Leia mais

RESUMO TEÓRICO AULA 03: NOÇÕES DE PROBABILIDADE 3.1. INTRODUÇÃO 3.2. ESPAÇO AMOSTRAL S DIAGRAMA DE ÁRVORE 3.3. EVENTO E. marcelorenato.

RESUMO TEÓRICO AULA 03: NOÇÕES DE PROBABILIDADE 3.1. INTRODUÇÃO 3.2. ESPAÇO AMOSTRAL S DIAGRAMA DE ÁRVORE 3.3. EVENTO E. marcelorenato. RESUMO TEÓRICO AULA 0: NOÇÕES DE ROBABILIDADE.. INTRODUÇÃO rofessor Marcelo Renato Há certos fenômenos ou experimentos que, emora sejam repetidos muitas vezes e so condições idênticas, não apresentam os

Leia mais

Exercícios Obrigatórios

Exercícios Obrigatórios Exercícios Obrigatórios ) (UFRGS/20) Observe a figura abaixo. Na figura, um triângulo equilátero está inscrito em um círculo, e um hexágono regular está circunscrito ao mesmo círculo. Quando se lança um

Leia mais

CAPÍTULO 2 DESCRIÇÃO DE DADOS ESTATÍSTICA DESCRITIVA

CAPÍTULO 2 DESCRIÇÃO DE DADOS ESTATÍSTICA DESCRITIVA CAPÍTULO DESCRIÇÃO DE DADOS ESTATÍSTICA DESCRITIVA. A MÉDIA ARITMÉTICA OU PROMÉDIO Defnção: é gual a soma dos valores do grupo de dados dvdda pelo número de valores. X x Soma dos valores de x número de

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA PROFESSORA ANDRÉIA

LISTA DE EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA PROFESSORA ANDRÉIA LISTA DE EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA PROFESSORA ANDRÉIA Conteúdo da P: Função do 1º grau e do º grau, Probabilidade e Situações Problemas de funções. Função de 1º Grau 1. Observe o quadro abaio e responda:

Leia mais

Probabilidade Condicional e Independência

Probabilidade Condicional e Independência Meyer, P. L., Probabilidade: aplicações à Estatística, 2ª edição, Livros Técnicos e Científicos Editora, Rio de Janeiro, 1983. 1. A urna 1 contém x bolas brancas e y bolas vermelhas. A urna 2 contém z

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES O Danel Slvera pedu para eu resolver mas questões do concurso da CEF. Vou usar como base a numeração do caderno foxtrot Vamos lá: 9) Se, ao descontar uma promssóra com valor de face de R$ 5.000,00, seu

Leia mais

Lista 3 - Introdução à Probabilidade e Estatística

Lista 3 - Introdução à Probabilidade e Estatística Lista - Introdução à Probabilidade e Estatística Probabilidade em Espaços Equiprováveis 1 Num evento científico temos 1 físicos e 11 matemáticos. Três deles serão escolhidos aleatoriamente para participar

Leia mais

ESCOLA DE APLICAÇÃO DR. ALFREDO JOSÉ BALBI UNITAU APOSTILA PROF. CARLINHOS MATRIZES NOME DO ALUNO: Nº TURMA: blog.portalpositivo.com.

ESCOLA DE APLICAÇÃO DR. ALFREDO JOSÉ BALBI UNITAU APOSTILA PROF. CARLINHOS MATRIZES NOME DO ALUNO: Nº TURMA: blog.portalpositivo.com. ESCOL DE PLICÇÃO DR. LFREDO JOSÉ BLBI UNITU POSTIL MTRIZES PROF. CRLINHOS NOME DO LUNO: Nº TURM: blog.portalpostvo.com.br/captcar MTRIZES Uma matrz de ordem m x n é qualquer conunto de m. n elementos dspostos

Leia mais

Nº de pedidos: (n = 26) 5 ; 7 ; 8 ; 7 ; 6 ; 7 ; 8 ; 10 ; 6 ; 8 ; 7 ; 8 ; 7 ; 7 ; 8 ; 5 ; 6 ; 8 ; 7 ; 6 ; 7 ; 5 ; 6 ; 8 ; 7 ; 6

Nº de pedidos: (n = 26) 5 ; 7 ; 8 ; 7 ; 6 ; 7 ; 8 ; 10 ; 6 ; 8 ; 7 ; 8 ; 7 ; 7 ; 8 ; 5 ; 6 ; 8 ; 7 ; 6 ; 7 ; 5 ; 6 ; 8 ; 7 ; 6 EXEMPLOS ADICIONAIS DA ENGENHARIA ELÉTRICA 1)Suponha que a probabldade de que um engenhero elétrco utlze estatístca em seu exercíco profssonal seja 0,20 Se durante a vda profssonal, um engenhero tver cnco

Leia mais

Despacho Econômico de. Sistemas Termoelétricos e. Hidrotérmicos

Despacho Econômico de. Sistemas Termoelétricos e. Hidrotérmicos Despacho Econômco de Sstemas Termoelétrcos e Hdrotérmcos Apresentação Introdução Despacho econômco de sstemas termoelétrcos Despacho econômco de sstemas hdrotérmcos Despacho do sstema braslero Conclusões

Leia mais

Análise Combinatória

Análise Combinatória Análise Combinatória PFC Princípio Fundamental da Contagem O princípio fundamental da contagem está diretamente ligado às situações que envolvem as possibilidades de um determinado evento ocorrer, por

Leia mais

Módulo de Introdução à Probabilidade. Ferramentas Básicas. 2 a série E.M.

Módulo de Introdução à Probabilidade. Ferramentas Básicas. 2 a série E.M. Módulo de Introdução à Probabilidade Ferramentas Básicas. a série E.M. Probabilidade Ferramentas Básicas Exercícios Introdutórios Exercício. Uma prova é composta por 5 questões de múltipla escolha com

Leia mais

Teste de Avaliação de MATEMÁTICA 12º ano

Teste de Avaliação de MATEMÁTICA 12º ano Teste de Avaliação de MATEMÁTICA º ano º Período de 0/ duração 90 min. Prof. Josué Baptista Turma: e º teste A 4 de Outubro Classificação: Nº Nome GRUPO I O Professor: As cinco questões deste grupo são

Leia mais

ANÁLISE COMBINATÓRIA

ANÁLISE COMBINATÓRIA ANÁLISE COMBINATÓRIA 1) (PUC) A soma das raízes da equação (x + 1)! = x 2 + x é (a) 0 (b) 1 (c) 2 (d) 3 (e) 4 2) (UFRGS) Um painel é formado por dois conjuntos de sete lâmpadas cada um, dispostos como

Leia mais

Curso de extensão, MMQ IFUSP, fevereiro/2014. Alguns exercício básicos

Curso de extensão, MMQ IFUSP, fevereiro/2014. Alguns exercício básicos Curso de extensão, MMQ IFUSP, feverero/4 Alguns exercíco báscos I Exercícos (MMQ) Uma grandeza cujo valor verdadero x é desconhecdo, fo medda três vezes, com procedmentos expermentas dêntcos e, portanto,

Leia mais

Universidade da Beira Interior Departamento de Matemática. Ficha de exercícios nº2: Distribuições Bidimensionais

Universidade da Beira Interior Departamento de Matemática. Ficha de exercícios nº2: Distribuições Bidimensionais Ano lectvo: 2006/2007 Unversdade da Bera Interor Departamento de Matemátca ESTATÍSTICA Fcha de exercícos nº2: Dstrbuções Bdmensonas Curso: Cêncas do Desporto 1. Consdere a segunte tabela de contngênca:

Leia mais

MATEMÁTICA A - 12o Ano Probabilidades - Teoremas e operações com conjuntos

MATEMÁTICA A - 12o Ano Probabilidades - Teoremas e operações com conjuntos MATEMÁTICA A - 12o Ano Probabilidades - Teoremas e operações com conjuntos Exercícios de exames e testes intermédios 1. Seja Ω, conjunto finito, o espaço de resultados associado a uma certa experiência

Leia mais

2010 The McGraw-Hill Companies, Inc. All rights reserved. Prof.: Anastácio Pinto Gonçalves Filho

2010 The McGraw-Hill Companies, Inc. All rights reserved. Prof.: Anastácio Pinto Gonçalves Filho rof.: nastáco nto Gonçalves lho Introdução Nem sempre é possível tratar um corpo como uma únca partícula. Em geral, o tamanho do corpo e os pontos de aplcação específcos de cada uma das forças que nele

Leia mais