CARCINOMA DUCTAL INVASOR INICIAL DA BIDIMENSIONAL VERSUS TRIDIMENSIONAL NÍVEIS I E II

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CARCINOMA DUCTAL INVASOR INICIAL DA BIDIMENSIONAL VERSUS TRIDIMENSIONAL NÍVEIS I E II"

Transcrição

1 CARCINOMA DUCTAL INVASOR INICIAL DA MAMA D: A RADIOTERAPIA BIDIMENSIONAL VERSUS TRIDIMENSIONAL É INFERIOR NA ABRANGÊNCIA MAMÁRIA E NÍVEIS I E II Da Costa AB, Diaz OC, Carvalho MCR, Dias TM, Alves MS, Duarte LO, Schneider GA, Ferreira PR. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - Porto Alegre, Rio Grande Do Sul I Encontro Nacional de Médicos Residentes em Radioterapia Royal Palm Plaza, Campinas, 20 de Outubro de 2010

2 Justificativa O tratamento padrão para carcinoma de mama inicial é cirurgia conservadora associada à RT mamária ou mastectomia radical modificada, com avaliação axilar por linfonodo sentinela ou linfadenectomia. Sugere-se que o controle loco-regional pode ser decorrente de irradiação eletiva de doença microscópica axilar (níveis I e II). A radioterapia tridimensional (3D) tem potencial benefício de conformação de alvo e tecidos de risco.

3 Objetivo Comparar a inclusão do tecido mamário, ái dos níveis axilares (I e II) eo volume do pulmão direito no planejamento 2D versus 3D.

4 Material e Métodos Delineamento: Retrospectivo N = 10. Tratadas por setorectomia e avaliação axilar por linfonodo sentinela, de Julho/2009 a Junho/2010 Estádio precoce Tomografia de planejamento (cortes de 3 mm, sem infusão de contraste) Simultaneamente planejadas em 2D e 3D com uso da tomografia CTV: níveis axilares I / II e mama (consenso Radiation Therapy Oncology Group contouring breast cancer atlas). Órgão de risco: pulmão D

5 Material e Métodos Técnica isocêntrica, SAD, margem MLC 0.8 cm; Dose prescrita: 50 Gy (25 X 2 Gy, 5 semanas); Abrangência para CTV mamário e CTV linfonodal (níveis I e II, separadamente) considerou: 50 Gy (100 %), 47,5 Gy (95 %) e 45 Gy (90 %); médias das doses máximas e mínimas. Comparações a partir de histogramas dose-volume (HDV) para campos tangentes (interna e externa)

6 Material e Métodos Planejamento 2D: Limites clínicos mamários. Permitido uso de filtros. Planejamento 3D: Limites clínicos. Permitido uso de filtros, alterações em ângulo de cabeçote, extensão AP do campo e das multilâminas (MLC). Proteção pulmonar, se necessária. Sistema de planejamento: Varian Eclipse v. 8.6

7 RTOG Atlas Nodal Delineation *Disponível em

8 Planejamento 2D

9 Planejamento 3D

10 Resultados - Mama MAMA Cobertura Dosimétrica Paciente 100% (50 Gy) 95% (47,5 Gy) 90% (45 Gy) 2D 3D 2D 3D 2D 3D 1 70,9% 70,1% 83,0% 89,7% 87,5% 96,4% 2 78,0% 89,0% 85,3% 93,8% 88,5% 96,2% 3 64,8% 80,8% 81,5% 91,3% 87,1% 94,7% 4 70,6% 74,5% 83,9% 89,1% 87,6% 93,3% 5 85,4% 85,9% 91,1% 94,1% 93,1% 96,3% 6 55,8% 66,0% 68,3% 82,4% 75,0% 88,9% 7 75,0% 81,1% 87,6% 90,8% 91,5% 94,1% 8 77,9% 76,7% 90,7% 90,7% 94,3% 94,7% 9 74,3% 80,9% 88,8% 92,1% 91,8% 94,7% 10 76,8% 79,0% 91,6% 90,9% 9% 94,5% 94,0% MÉDIA TESTE p 0,022 0,011 0,009

11 Resultados Nível Axilar I Nível Axilar I Cobertura Dosimétrica Paciente 100% (50 Gy) 95% (47,5 Gy) 90% (45 Gy) 2D 3D 2D 3D 2D 3D 1 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 1,9% 4,6% 2 4,8% 44,7% 45,9% 94,2% 60,8% 100,0% 3 0,0% 3,4% 6,8% 94,4% 42,9% 100,0% 4 0,0% 49,7% 13,9% 98,5% 31,0% 100,0% 5 12,7% 24,6% 70,5% 100,0% 80,3% 100,0% 6 0,0% 0,0% 6,1% 76,2% 12,6% 100,0% 7 0,0% 12,1% 18,2% 95,6% 33,3% 100,0% 8 0,0% 0,0% 23,4% 38,3% 68,0% 89,0% 9 0,0% 29,3% 76,2% 100,0% 88,5% 100,0% 10 21% 2,1% 24,7% 100,0% 0% 100,0% 0% 100,0% 0% 100,0% 0% MÉDIA TESTE p 0,018 0,012 0,008

12 Resultados Nível Axilar II Nível Axilar II Cobertura Dosimétrica Paciente 100% (50 Gy) 95% (47,5 Gy) 90% (45 Gy) 2D 3D 2D 3D 2D 3D 1 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 2 0,0% 0,0% 0,0% 0,7% 0,0% 32,5% 3 0,0% 0,0% 0,0% 22,6% 0,0% 38,9% 4 0,0% 0,0% 0,0% 20,9% 0,0% 59,7% 5 0,0% 0,0% 2,2% 19,6% 6,2% 27,5% 6 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 23,6% 7 0,0% 0,0% 0,0% 5,6% 0,0% 48,9% 8 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 9 0,0% 0,0% 0,0% 16,5% 0,0% 38,6% 10 00% 0,0% 00% 0,0% 22,5% 33,5% 59,2% 47,3% MÉDIA TESTE p 1,000 0,018 0,017

13 Resultados - Pulmão PULMÃO Doses Absolutas Paciente Dose Máxima Dose Mínima Volume 20Gy 2D 3D 2D 3D 2D 3D , ,2 0 58,5 7,3% 30,4% , , ,3 6,6% 20,8% , , ,8 8,9% 29,3% , , ,4 7,0% 28,2% , , ,9 12,2% 33,2% , ,1 0 86,9 10,3% 36,2% , ,9 0 90,9 8,4% 24,7% , , ,4 13,5% 32,0% , ,5 0 84,7 9,4% 26,0% , ,8 117,6 146,8 13,2% 26,2% 2% MÉDIA 5.198, ,2 15,0 104,3 TESTE p 0,005

14 Discussão Gerou-se o V20 considerando d apenas pulmão D. QUANTEC sugere 30% para único órgão. Das 10 pacientes, 4 apresentaram mais de 30% do V20 para o pulmão no3d. Não se analisou tumores da mama E Potencial viés devido à proteção cardíaca. Devido às propriedades físicas da radiação, não é possível incluir os volumes-alvo na dose prescrita no 3D. Tratamento axilar eletivo exige 50 Gy?

15 Conclusão A Radioterapia por campos tangentes em 2D não trata adequadamente os níveis axilares I, especialmente o II, e tecido mamário. O planejamento conformal apresentou melhor cobertura de tecido mamário, níveis axilares, principalmente p nível I,, porém às custas de mais pulmão irradiado. Se V20 maior que sugerido, técnica 3D permite replanejar e adequar volume. Sugerimos uso de técnica 3D para o tratamento, se disponivel.

16 Referências Smitt M.C., Goffinet D.R. Utility of three-dimensional planning for axillary Node coverage with breast conserving radiation therapy: Early experience. Radiology, 210 : , Krasin M., McCall A, et al. Evaluation of a standard breast tangent technique: A dose volume analysis of tangential irradiation using three-dimensional tools. IJROBP, 47 (2): , Goodman R.L., Grann A., et al. The relationship between radiation fields and regional lymph nodes in carcinoma of the breast. IJROBP, 50 (1): , 2001.

LIGA NORTE-RIOGRANDENSE CONTRA O CÂNCER SERVIÇO DE RADIOTERAPIA DEPARTAMENTO DE ENSINO E PESQUISA

LIGA NORTE-RIOGRANDENSE CONTRA O CÂNCER SERVIÇO DE RADIOTERAPIA DEPARTAMENTO DE ENSINO E PESQUISA LIGA NORTE-RIOGRANDENSE CONTRA O CÂNCER SERVIÇO DE RADIOTERAPIA DEPARTAMENTO DE ENSINO E PESQUISA Revisão da anatomia e definição dos volumes de tratamento: Câncer de reto e canal anal. Alfrêdo Walburgo

Leia mais

CONJUGAÇÃO DO EXAME DE PET/CT COM IMRT NO DELINEAMENTO E PLANEJAMENTO EM TUMORES DE CANAL ANAL. Lílian d Antonino Faroni Rio de Janeiro 2012

CONJUGAÇÃO DO EXAME DE PET/CT COM IMRT NO DELINEAMENTO E PLANEJAMENTO EM TUMORES DE CANAL ANAL. Lílian d Antonino Faroni Rio de Janeiro 2012 CONJUGAÇÃO DO EXAME DE PET/CT COM IMRT NO DELINEAMENTO E PLANEJAMENTO EM TUMORES DE CANAL ANAL Lílian d Antonino Faroni Rio de Janeiro 2012 Introdução 2 % dos tumores malignos do intestino grosso e 4%

Leia mais

A imagem não pode ser exibida. Talvez o computador nã

A imagem não pode ser exibida. Talvez o computador nã Diretrizes de contorno para planejamento: pulmão e mediastino Michael Jenwei Chen Serviço de Radioterapia Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo SP 39ª Jornada Paulista de Radiologia 30 de abril

Leia mais

O estado da arte da braquiterapia de mama. Camila Zerbini Residente 3º ano

O estado da arte da braquiterapia de mama. Camila Zerbini Residente 3º ano O estado da arte da braquiterapia de mama Camila Zerbini Residente 3º ano Histórico Tumores iniciais de mama Cirurgia conservadora Irradiação de toda a mama (ITM) Early Breast Cancer Trialists Collaborative

Leia mais

Podemos considerar RT hipofracionada da mama para todas as pacientes como padrão? SIM. Erlon Gil 21/06/13

Podemos considerar RT hipofracionada da mama para todas as pacientes como padrão? SIM. Erlon Gil 21/06/13 Podemos considerar RT hipofracionada da mama para todas as pacientes como padrão? SIM Erlon Gil 21/06/13 RT adjuvante EBCTCG Lancet 2005;366: 2087-2106 Contextualização 20-30% das mulheres não recebem

Leia mais

Hipofracionamento da mama, aplicar sempre? Ernane Bronzatt

Hipofracionamento da mama, aplicar sempre? Ernane Bronzatt Hipofracionamento da mama, aplicar sempre? Ernane Bronzatt Cenário Busca pela diminuição do tempo da Radioterapia adjuvante Aumento da conveniência do tratamento Sem comprometimento dos resultados clínicos

Leia mais

Alerson Molotievschi Residente 2º ano - Radioterapia

Alerson Molotievschi Residente 2º ano - Radioterapia Alerson Molotievschi Residente 2º ano - Radioterapia amolotievschi@hsl.org.br Tratamento Simultâneo de Linfonodos na Pelve com Diferentes Doses por Fração: Radioterapia Simultânea Modulada e Acelerada

Leia mais

Doença Localizada. Radioterapia exclusiva em estádios iniciais: quando indicar? Robson Ferrigno

Doença Localizada. Radioterapia exclusiva em estádios iniciais: quando indicar? Robson Ferrigno Doença Localizada Radioterapia exclusiva em estádios iniciais: quando indicar? Robson Ferrigno Esta apresentação não tem qualquer conflito Esta apresentação não tem qualquer conflito de interesse Câncer

Leia mais

O estado da arte da radioterapia em pacientes idosas com tumores de mama iniciais

O estado da arte da radioterapia em pacientes idosas com tumores de mama iniciais XVII CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE RADIOTERAPIA Encontro de Residentes em Radioterapia da SBRT O estado da arte da radioterapia em pacientes idosas com tumores de mama iniciais Arthur Bom Queiroz

Leia mais

Encontro Pós ASTRO 2011

Encontro Pós ASTRO 2011 Encontro Pós ASTRO 2011 Principais trabalhos apresentados em CÂNCER DE BEXIGA Arnoldo Mafra Belo Horizonte / MG Trabalhos em câncer de bexiga Poucos trabalhos: 6 trabalhos com apresentação oral (139 a

Leia mais

Revisão da Anatomia e definição dos volumes de tratamento: câncer de próstata

Revisão da Anatomia e definição dos volumes de tratamento: câncer de próstata FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS UNIVERSIDADE DE CAMPINAS Revisão da Anatomia e definição dos volumes de tratamento: câncer de próstata JUMARA MARTINS R3 RADIOTERAPIA/ 2013 FCM- UNICAMP Anatomia Classificação

Leia mais

Os cinco trabalhos mais relevantes dos anos de na área de câncer de pulmão:radioterapia

Os cinco trabalhos mais relevantes dos anos de na área de câncer de pulmão:radioterapia Os cinco trabalhos mais relevantes dos anos de 2009-2011 na área de câncer de pulmão:radioterapia Rodrigo de Morais Hanriot Radioterapeuta HIAE e HAOC Índice Carcinoma de pulmão não pequenas células Carcinoma

Leia mais

Indicações e passo-a-passo para realização de SBRT

Indicações e passo-a-passo para realização de SBRT Indicações e passo-a-passo para realização de SBRT Heloisa de Andrade Carvalho heloisa.carvalho@hc.fm.usp.br heloisa.carvalho@hsl.org.br SBRT O que é? Porquê? Para quê? Passo-a-passo SBRT O que é? Stereotactic

Leia mais

RT APÓS TRATAMENTO NEOADJUVANTE SEGUIDO DE MASTECTOMIA: QUANDO NÃO PRECISAMOS JUNHO 2013

RT APÓS TRATAMENTO NEOADJUVANTE SEGUIDO DE MASTECTOMIA: QUANDO NÃO PRECISAMOS JUNHO 2013 PAULO LÁZARO DE MORAES RT APÓS TRATAMENTO NEOADJUVANTE SEGUIDO DE MASTECTOMIA: QUANDO NÃO PRECISAMOS INDICAR? JUNHO 2013 INDICAÇÕES CLÁSSICAS: INTRODUÇÃO CONSIDERAÇÕES T>5CM LINFONODO CLINICAMENTE POSITIVO

Leia mais

O Papel da Radioterapia no Contexto da Quimioterapia Neoadjuvante do Câncer de Mama. Osmar Barbosa Neto

O Papel da Radioterapia no Contexto da Quimioterapia Neoadjuvante do Câncer de Mama. Osmar Barbosa Neto O Papel da Radioterapia no Contexto da Quimioterapia Neoadjuvante do Câncer de Mama Osmar Barbosa Neto Objetivos do Tratamento Controle da Doença Locorregional + rradicação de Metástases Sistêmicas Oculta

Leia mais

CÂNCER DE COLO DE ÚTERO OPERADO RADIOTERAPIA COMPLEMENTAR: INDICAÇÕES E RESULTADOS

CÂNCER DE COLO DE ÚTERO OPERADO RADIOTERAPIA COMPLEMENTAR: INDICAÇÕES E RESULTADOS CÂNCER DE COLO DE ÚTERO OPERADO RADIOTERAPIA COMPLEMENTAR: INDICAÇÕES E RESULTADOS Hospital Erasto Gaertner Serviço de Radioterapia Sílvia Pecoits Câncer de Colo Uterino 500.000 casos novos no mundo com

Leia mais

Hipofracionamento em câncer de mama:

Hipofracionamento em câncer de mama: Hipofracionamento em câncer de mama: resultados de um estudo piloto BORGES, Allisson B. B. ANGOTTI, Clarissa C. R. ALMEIDA, Cristiane M AGUILAR, P. B. STUART, Silvia R. CARVALHO, Heloisa A. Instituto de

Leia mais

RADIOTERAPIA ADAPTATIVA

RADIOTERAPIA ADAPTATIVA RADIOTERAPIA ADAPTATIVA Físico Médico Anderson Martins Pássaro Princípios de Radioterapia Variações Anatômicas Radioterapia Guiada por Imagem (IGRT) Registro (Fusão) de Imagens Radioterapia Adaptativa

Leia mais

Planejamento do tratamento em radioterapia

Planejamento do tratamento em radioterapia Planejamento do tratamento em radioterapia Introdução Radioterapia é feita geralmente com mais de um campo de tratamento para entregar uma dose uniforme de radiação ao volume alvo e poupar ao máximo o

Leia mais

Reirradiação após recidiva de tumor em cabeça e pescoço : Indicações e Resultados. Priscila Guimarães Cardoso R3 - Radioterapia

Reirradiação após recidiva de tumor em cabeça e pescoço : Indicações e Resultados. Priscila Guimarães Cardoso R3 - Radioterapia Reirradiação após recidiva de tumor em cabeça e pescoço : Indicações e Resultados Priscila Guimarães Cardoso R3 - Radioterapia Introdução 30 a 50% Recorrência Locorregional (LCR) Risco de 2 primário de

Leia mais

Luciano Moreira MR3 Radioterapia Liga Norte Riograndense Contra o Cancer, Natal-RN

Luciano Moreira MR3 Radioterapia Liga Norte Riograndense Contra o Cancer, Natal-RN Luciano Moreira MR3 Radioterapia Liga Norte Riograndense Contra o Cancer, Natal-RN Neoplasia Gástrica INCIDÊNCIA Brasil,2012 Homens 12.670 novos casos Mulheres 7.420 novos casos Neoplasia Gástrica TRATAMENTO

Leia mais

Joint SFBO-SBR-ALATRO Consensus Meeting Controversies on Radiotherapy Treatment. Breast Cancer

Joint SFBO-SBR-ALATRO Consensus Meeting Controversies on Radiotherapy Treatment. Breast Cancer Joint SFBO-SBR-ALATRO Consensus Meeting Controversies on Radiotherapy Treatment Breast Cancer Dra. Ana Carolina de Rezende ana.rezende@einstein.br Internal Mammary Nodal Chain Irradiation Dra. Ana Carolina

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PLANEJAMENTO TÉCNICO DO BOOST PARAMETRIAL NO CÂNCER DO COLO UTERINO

AVALIAÇÃO DO PLANEJAMENTO TÉCNICO DO BOOST PARAMETRIAL NO CÂNCER DO COLO UTERINO AVALIAÇÃO DO PLANEJAMENTO TÉCNICO DO BOOST PARAMETRIAL NO CÂNCER DO COLO UTERINO Autores: FLÁVIO NAPOLEÃO B. B. FERRO COSTA, PAULO DE TARSO NOGUEIRA FILHO, LEANDRO FAIRBANKS E PAULO PIMENTEL DE ASSUMPÇÃO

Leia mais

Radiobiologia: O protocolo de dose e a tecnologia. Dra Rosana Andrade Radioterapia Clínicas COI

Radiobiologia: O protocolo de dose e a tecnologia. Dra Rosana Andrade Radioterapia Clínicas COI Radiobiologia: O protocolo de dose e a tecnologia Dra Rosana Andrade Radioterapia Clínicas COI rosanaandrade@grupocoi.com.br Radiobologia: Estudo dos efeitos biológicos causados pela radiação. Os 4 R s

Leia mais

ADENOMASTECTOMIA (mastectomia preservadora de pele e CAM) SEM RADIOTERAPIA adjuvante é de fato uma boa cirurgia oncológica?

ADENOMASTECTOMIA (mastectomia preservadora de pele e CAM) SEM RADIOTERAPIA adjuvante é de fato uma boa cirurgia oncológica? ADENOMASTECTOMIA (mastectomia preservadora de pele e CAM) SEM RADIOTERAPIA adjuvante é de fato uma boa cirurgia oncológica? Antonio Frasson São Paulo, 13 de julho de 2012. ESTUDOS RANDOMIZADOS Recidiva

Leia mais

Introdução à Radioterapia: Técnicas e planejamentos.

Introdução à Radioterapia: Técnicas e planejamentos. Introdução à Radioterapia: Técnicas e planejamentos. 2 Radioterapia Clássica x Moderna Clássica : Baseada no cálculo de dose manual Paciente representado pelo contorno externo Margens grandes no volume

Leia mais

RADIOTERAPIA ESTEREOTÁXICA CORPÓREA

RADIOTERAPIA ESTEREOTÁXICA CORPÓREA RADIOTERAPIA ESTEREOTÁXICA CORPÓREA Bases da Radioterapia Tipos de Radioterapia Efeitos Colaterais Enf. Alexandre Barros Departamento de Radioterapia Hospital Israelita Albert Einstein - SP Paciente :

Leia mais

15º - AUDHOSP. Radioterapia: técnicas e conceitos. Prof. Dr. Harley Francisco de Oliveira

15º - AUDHOSP. Radioterapia: técnicas e conceitos. Prof. Dr. Harley Francisco de Oliveira 15º - AUDHOSP Radioterapia: técnicas e conceitos Prof. Dr. Harley Francisco de Oliveira ANO 2016 Estimativa de câncer no Brasil, 2016 Causa de Morte no Brasil, 2010 Melhor atendimento x Maior Cura Terapia

Leia mais

FATORES PREDITIVOS PARA FALHA BIOQUÍMICA APÓS RADIOTERAPIA DE RESGATE EM CÂNCER DE PRÓSTATA, PÓS- PROSTATECTOMIA RADICAL

FATORES PREDITIVOS PARA FALHA BIOQUÍMICA APÓS RADIOTERAPIA DE RESGATE EM CÂNCER DE PRÓSTATA, PÓS- PROSTATECTOMIA RADICAL FATORES PREDITIVOS PARA FALHA BIOQUÍMICA APÓS RADIOTERAPIA DE RESGATE EM CÂNCER DE PRÓSTATA, PÓS- PROSTATECTOMIA RADICAL Marco Antonio Costa Campos de SANTANA 1,2 ; Carlos Bo ChurHONG 1,2 ; Mariana Vilela

Leia mais

QUIMIOTERAPIA ADJUVANTE NO CÂNCER DE ENDOMÉTRIO. QUANDO HÁ EVIDÊNCIAS E QUANDO COMBINÁ-LA COM A RADIOTERAPIA

QUIMIOTERAPIA ADJUVANTE NO CÂNCER DE ENDOMÉTRIO. QUANDO HÁ EVIDÊNCIAS E QUANDO COMBINÁ-LA COM A RADIOTERAPIA QUIMIOTERAPIA ADJUVANTE NO CÂNCER DE ENDOMÉTRIO. QUANDO HÁ EVIDÊNCIAS E QUANDO COMBINÁ-LA COM A RADIOTERAPIA Dr. Markus Gifoni Oncologista Clínico Instituto do Câncer do Ceará Fortaleza 01/06/2013 Informações

Leia mais

A review of methods of analysis in contouring studies for radiation oncology

A review of methods of analysis in contouring studies for radiation oncology Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto A review of methods of analysis in contouring studies for radiation oncology Carolina Chiericato Ribeiro Heloisa Ferreira Spagnoli Ingrid Silva Ávila Introdução

Leia mais

SIMULAÇÃO DO TRATAMENTO DE CÂNCER DE PULMÃO

SIMULAÇÃO DO TRATAMENTO DE CÂNCER DE PULMÃO SIMULAÇÃO DO TRATAMENTO DE CÂNCER DE PULMÃO Thalhofer, J.L 1., Silva, A.X 1., Rebello, W.F.J 2., Correa, S.C.A 3 ; Reis, J.P 1., Souza, E.M 4., Batista, D.V.S. 5 1 Programa de Engenharia Nuclear UFRJ.

Leia mais

Radioterapia em neoplasia de vagina: comparação entre técnicas convencional, conformacional, IMRT e RAPID ARC

Radioterapia em neoplasia de vagina: comparação entre técnicas convencional, conformacional, IMRT e RAPID ARC Radioterapia em neoplasia de vagina: comparação entre técnicas convencional, conformacional, IMRT e RAPID ARC Anna Myrian Lannes Vieira, Guilherme Bittencourt, Rosamaria Cugula Ventura, Rafael Daher Carvalho,

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE TÉCNICAS DE PLANEJAMENTO DE MAMA CONFORMACIONAL 3D, FORWARD IMRT, IMRT HÍBRIDO DE CAMPOS TANGENTES E IMRT INVERSO

COMPARAÇÃO ENTRE TÉCNICAS DE PLANEJAMENTO DE MAMA CONFORMACIONAL 3D, FORWARD IMRT, IMRT HÍBRIDO DE CAMPOS TANGENTES E IMRT INVERSO PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS FUNDAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ADMINISTRATIVO - FUNDAP COMPARAÇÃO ENTRE TÉCNICAS DE PLANEJAMENTO DE MAMA

Leia mais

Apresentador JOSÉ EDUARDO CHICARELLI MARTIN

Apresentador JOSÉ EDUARDO CHICARELLI MARTIN Apresentador JOSÉ EDUARDO CHICARELLI MARTIN Acadêmico do 4º ano de Medicina Orientador Dr. Gustavo Viani Arruda Médico Radioncologista FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA/SP O presente trabalho foi submetido

Leia mais

Tecidos Normais X Neoplasia. Efeitos Tardios

Tecidos Normais X Neoplasia. Efeitos Tardios Radioterapia Intra-operatória Eduardo Weltman Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Hospital Israelita Albert Einstein Radiobiologia Radiossensibilidade Radiocurabilidade Radiossensibilidade

Leia mais

Explorando o escalonamento de dose em radioterapia

Explorando o escalonamento de dose em radioterapia XI Encontro de técnicos em radioterapia Explorando o escalonamento de dose em radioterapia Rafael Gadia Conceitode escalonamentode dose Tratamentos com dose de radiação maior do que a dose padrão com intuito

Leia mais

ANÁLISE DE PROCEDIMENTOS RADIOTERÁPICOS REALIZADOS EM HOSPITAIS PÚBLICOS - COMPARAÇÃO DE TÉCNICAS APLICADAS E EQUIPAMENTOS UTILIZADOS

ANÁLISE DE PROCEDIMENTOS RADIOTERÁPICOS REALIZADOS EM HOSPITAIS PÚBLICOS - COMPARAÇÃO DE TÉCNICAS APLICADAS E EQUIPAMENTOS UTILIZADOS ANÁLISE DE PROCEDIMENTOS RADIOTERÁPICOS REALIZADOS EM HOSPITAIS PÚBLICOS - COMPARAÇÃO DE TÉCNICAS APLICADAS E EQUIPAMENTOS UTILIZADOS Rosineide Antonio dos Santos 1, Marco Antônio Rodrigues Fernandes 2

Leia mais

Benefício da radioterapia neoadjuvante na sobrevida de pacientes com câncer de mama localmente avançado

Benefício da radioterapia neoadjuvante na sobrevida de pacientes com câncer de mama localmente avançado Benefício da radioterapia neoadjuvante na sobrevida de pacientes com câncer de mama localmente avançado Igor Martinez Bruna Villani Daniel Przybysz Marlison Caldas Celia Viegas Carlos Manoel Lilian Faroni

Leia mais

O DESAFIO DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA ASSOCIADO A GESTAÇÃO: ENSAIO PICTÓRICO

O DESAFIO DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA ASSOCIADO A GESTAÇÃO: ENSAIO PICTÓRICO O DESAFIO DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA ASSOCIADO A GESTAÇÃO: ENSAIO PICTÓRICO DRA MARINA PORTIOLLI HOFFMANN DRA MARIA HELENA LOUVEIRA DR GUILBERTO MINGUETTI INTRODUÇÃO: O câncer de mama associado a gestação

Leia mais

Braquiterapia Ginecológica

Braquiterapia Ginecológica Braquiterapia Ginecológica Indicações e recomendações clínicas American Brachytherapy Society (ABS) European Society for Radiotherapy & Oncology (GEC-ESTRO) Rejane Carolina Franco Hospital Erasto Gaertner-

Leia mais

MOREIRA, LLR; MENDES, MCR; NAJAS, RMXF; SANTOS, EM; AZEVEDO, DB; BEZERRA, AP; LIGUORI, AAL. Liga Norte Riograndense Contra o Câncer.

MOREIRA, LLR; MENDES, MCR; NAJAS, RMXF; SANTOS, EM; AZEVEDO, DB; BEZERRA, AP; LIGUORI, AAL. Liga Norte Riograndense Contra o Câncer. MOREIRA, LLR; MENDES, MCR; NAJAS, RMXF; SANTOS, EM; AZEVEDO, DB; BEZERRA, AP; LIGUORI, AAL. Liga Norte Riograndense Contra o Câncer. INTRODUÇÃO 2ª neoplasia mulheres brasileiras 15.540 novos casos(2012)

Leia mais

Radioterapia baseada em evidência no tratamento adjuvante do Câncer de Endométrio: RT externa e/ou braquiterapia de fundo vaginal

Radioterapia baseada em evidência no tratamento adjuvante do Câncer de Endométrio: RT externa e/ou braquiterapia de fundo vaginal Radioterapia baseada em evidência no tratamento adjuvante do Câncer de Endométrio: RT externa e/ou braquiterapia de fundo vaginal Paulo Eduardo Novaes, MD, PhD Departamento de Radioterapia Hospital AC

Leia mais

Revisão da anatomia e definição dos volumes de tratamento: Câncer de estômago. Mariana Morsch Beier R2 Radioterapia - Hospital Santa Rita

Revisão da anatomia e definição dos volumes de tratamento: Câncer de estômago. Mariana Morsch Beier R2 Radioterapia - Hospital Santa Rita Revisão da anatomia e definição dos volumes de tratamento: Câncer de estômago. Mariana Morsch Beier R2 Radioterapia - Hospital Santa Rita EPIDEMIOLOGIA A estimativa do biênio 2012-2013 para o Brasil é

Leia mais

Calculo de dose para feixes externos: Teleterapia (24 ª /25 a aula)

Calculo de dose para feixes externos: Teleterapia (24 ª /25 a aula) Calculo de dose para feixes externos: Teleterapia (24 ª /25 a aula) Introdução Parâmetros de cálculo Cálculo de dose Curvas de isodose Cálculo de dose para campos irregulares Calculo de dose em off-axis

Leia mais

III Tema: Exames de imuno-histoquimica em doenças de mama

III Tema: Exames de imuno-histoquimica em doenças de mama Parecer do Grupo Técnico de Auditoria em Saúde 0005/02 Tema: Imuno-histoquímica para doenças de mama I Data: 26/08/2002. II Grupo de Estudo: Dr.Adolfo Orsi Parenzi Dra. Clemilda Alvarenga Coelho Dra. Lélia

Leia mais

Revista Portuguesa de

Revista Portuguesa de Revista Portuguesa de Cirurgia II Série N. 6 Setembro 2008 Revista Portuguesa de i r u r g i a II Série N. 6 Setembro 2008 ISSN 1646-6918 Órgão Oficial da Sociedade Portuguesa de Cirurgia ARTIGO ORIGINAL

Leia mais

MARCELO LUVIZOTTO ALCÂNTARA DE PÁDUA

MARCELO LUVIZOTTO ALCÂNTARA DE PÁDUA PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS FUNDAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ADMINISTRATIVO - FUNDAP MARCELO LUVIZOTTO ALCÂNTARA DE PÁDUA AVALIAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ALCIDES CARNEIRO DIA - 20/12/2009 CARGO: MASTOLOGISTA C O N C U R S O P Ú B L I C O - H U A C / 2 0 0 9 Comissão de Processos

Leia mais

A AMAMENTAÇÃO COMO FATOR DE PROTEÇÃO DO CÂNCER DE MAMA. Evidências em Saúde Pública HSM 0122 Novembro/2015

A AMAMENTAÇÃO COMO FATOR DE PROTEÇÃO DO CÂNCER DE MAMA. Evidências em Saúde Pública HSM 0122 Novembro/2015 A AMAMENTAÇÃO COMO FATOR DE PROTEÇÃO DO CÂNCER DE MAMA Evidências em Saúde Pública HSM 0122 Novembro/2015 INTRODUÇÃO Câncer de mama: resultante de proliferação incontrolável de células anormais. Origem:

Leia mais

Tratamento da doença localizada

Tratamento da doença localizada Tratamento da doença localizada Marco A. Arap, MD. PhD. Hospital das Clínicas - Universidade de São Paulo Uro-oncology Fellow M.D.Anderson Cancer Center Núcleo de Urologia do Hospital Sírio Libanês Disclosures

Leia mais

Equipamentos geradores de radiação para radioterapia

Equipamentos geradores de radiação para radioterapia Equipamentos geradores de radiação para radioterapia Produção de Raios-X de Quilovoltagem: Tubos de raios-x Ânodo Cátodo Apenas 1% da energia dos elétrons é convertida em raios-x, enquanto 99% é convertida

Leia mais

Radioterapia e SBRT para doença oligometastática. Rodrigo Hanriot Radio-oncologista Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Radioterapia e SBRT para doença oligometastática. Rodrigo Hanriot Radio-oncologista Hospital Alemão Oswaldo Cruz Radioterapia e SBRT para doença oligometastática Rodrigo Hanriot Radio-oncologista Hospital Alemão Oswaldo Cruz Ca Cancer J Clin 2016;66(1)7 30 Incidência de câncer por sexo Ca Cancer J Clin 2016;66(1)7

Leia mais

Qual a melhor combinação de quimioterapia quando associada à radioterapia para tumores localmente avançados (pulmão)?

Qual a melhor combinação de quimioterapia quando associada à radioterapia para tumores localmente avançados (pulmão)? Qual a melhor combinação de quimioterapia quando associada à radioterapia para tumores localmente avançados (pulmão)? Dr. Ormando Campos Jr. Oncologista Clínico Conflito de Interesses Quimioterapia + Radioterapia.

Leia mais

30/05/2016. Resposta parcial após neoadjuvância: há espaço para quimioterapia adjuvante?

30/05/2016. Resposta parcial após neoadjuvância: há espaço para quimioterapia adjuvante? Resposta parcial após neoadjuvância: há espaço para quimioterapia adjuvante? Resposta parcial após neoadjuvância: há espaço para quimioterapia adjuvante? Estamos num momento de quebra de paradigmas? José

Leia mais

Conferencista ALEX SANDRO DA COSTA AGUIAR

Conferencista ALEX SANDRO DA COSTA AGUIAR Quais são as principais diferenças entre as técnicas de tratamento Conformada, IMRT; SBRT e Arco Dinâmico? Conferencista ALEX SANDRO DA COSTA AGUIAR Contato: aguiarcancer@gmail.com Tel. 11 73060423 11

Leia mais

Simulação, Planejamento e Tratamento de Câncer de Cabeça e Pescoço

Simulação, Planejamento e Tratamento de Câncer de Cabeça e Pescoço Simulação, Planejamento e Tratamento de Câncer de Cabeça e Pescoço Adriana Santos ETAPAS DE TODO O PROCESSO Imobilização Pré-simulação Aquisição de imagens Contornos Margens e Restrição de doses Planejamento

Leia mais

Radioterapia de SNC no Câncer de Pulmão: Update Robson Ferrigno

Radioterapia de SNC no Câncer de Pulmão: Update Robson Ferrigno Situações especiais Radioterapia de SNC no Câncer de Pulmão: Update 2014 Robson Ferrigno Esta apresentação não tem qualquer Esta apresentação não tem qualquer conflito de interesse Metástases Cerebrais

Leia mais

CASO 1. Qual a próxima etapa? Qual o tratamento provável para essa paciente, se ela estiver preocupada com o aspecto estético e a preservação da mama?

CASO 1. Qual a próxima etapa? Qual o tratamento provável para essa paciente, se ela estiver preocupada com o aspecto estético e a preservação da mama? CASO 1 Uma mulher com 33 anos vai ao ambulatório em razão de uma massa mamária indolor que cresceu lentamente nos últimos três meses. Sua história médica nada tem de notável. Ela não tem antecedentes de

Leia mais

O estado da arte da Radioterapia na abordagem de Tumores de Bexiga. Dr. Baltasar Melo Neto R3 - UNIFESP

O estado da arte da Radioterapia na abordagem de Tumores de Bexiga. Dr. Baltasar Melo Neto R3 - UNIFESP O estado da arte da Radioterapia na abordagem de Tumores de Bexiga Dr. Baltasar Melo Neto R3 - UNIFESP Introdução EUA (2014): 6º mais comum 75.000 casos novos; 15.600 mortes. Brasil (2014): 9940 casos

Leia mais

SÍLVIA MOREIRA FEITOSA

SÍLVIA MOREIRA FEITOSA SÍLVIA MOREIRA FEITOSA ANÁLISE COMPARATIVA DOS HISTOGRAMAS DE DOSE E VOLUME ENTRE PLANEJAMENTOS CONFORMACIONADOS E NÃO CONFORMACIONADOS EM CÂNCER DE PRÓSTATA Tese apresentada à Universidade Federal de

Leia mais

É um nódulo pulmonar?

É um nódulo pulmonar? Avaliação dos Pequenos Nódulos Pulmonares Alexandre Dias Mançano Radiologia Anchieta Hospital Regional de Taguatinga DF É um nódulo pulmonar? Até 20% são imagens que mimetizam nódulos ao RX Fratura de

Leia mais

RADIOTERAPIA ADJUVANTE NO CÂNCER DO ENDOMÉTRIO

RADIOTERAPIA ADJUVANTE NO CÂNCER DO ENDOMÉTRIO XI Congresso Brasileiro de Radioterapia RADIOTERAPIA ADJUVANTE NO CÂNCER DO ENDOMÉTRIO FELIPE QUINTINO KUHNEN Hospital de Caridade Florianópolis, SC CEPON Florianópolis, SC Hospital São José Criciúma,

Leia mais

O PAPEL DA RM PRÉ-TERAPÊUTICA NA PREDIÇÃO DE RESPOSTA À TERAPÊUTICA NEOADJUVANTE EM DOENTES COM CANCRO DE MAMA

O PAPEL DA RM PRÉ-TERAPÊUTICA NA PREDIÇÃO DE RESPOSTA À TERAPÊUTICA NEOADJUVANTE EM DOENTES COM CANCRO DE MAMA O PAPEL DA RM PRÉ-TERAPÊUTICA NA PREDIÇÃO DE RESPOSTA À TERAPÊUTICA NEOADJUVANTE EM DOENTES COM CANCRO DE MAMA Rita Lucas 2, Luis Duarte Silva 3, Mónica Coutinho 1, José Carlos Marques 1 1 Serviço de Radiologia

Leia mais

Controle da Qualidade em Radioterapia. Roberto Salomon de Souza, D.Sc. Físico Médico PQRT Programa de Qualidade em Radioterapia

Controle da Qualidade em Radioterapia. Roberto Salomon de Souza, D.Sc. Físico Médico PQRT Programa de Qualidade em Radioterapia Controle da Qualidade em Radioterapia Roberto Salomon de Souza, D.Sc. Físico Médico PQRT Programa de Qualidade em Radioterapia CONTROLE DA QUALIDADE EM RADIOTERAPIA Avaliar... Por quê? Ou, para quê? O

Leia mais

Verificação dosimétrica de tratamentos de IMRT utilizando Dose Absoluta e Função Gama

Verificação dosimétrica de tratamentos de IMRT utilizando Dose Absoluta e Função Gama Verificação dosimétrica de tratamentos de IMRT utilizando Dose Absoluta e Função Gama Critérios de Aceitação ALVES, TMMT; SILVA, RG; NEVES-JUNIOR, WFP; MANCINI, A; PELOSI, EL; SILVA, JLF; HADDAD, CMK Tatiana

Leia mais

RADIOTERAPIA. Serviço de Física Médica em Radioterapia e Medicina Nuclear IRD / CNEN. Prof. Dr. Luiz Antonio R. da Rosa

RADIOTERAPIA. Serviço de Física Médica em Radioterapia e Medicina Nuclear IRD / CNEN. Prof. Dr. Luiz Antonio R. da Rosa Serviço de Física Médica em Radioterapia e Medicina Nuclear IRD / CNEN O que é radioterapia? A radioterapia, também conhecida como terapia radiológica, oncologia radiológica ou radiologia terapêutica,

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama Diretrizes Assistenciais Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo de Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: - manuseio

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO de alta tecnologia: EXPERIÊNCIA DO INCA XX congresso brasileiro de física médica

IMPLEMENTAÇÃO de alta tecnologia: EXPERIÊNCIA DO INCA XX congresso brasileiro de física médica IMPLEMENTAÇÃO de alta tecnologia: EXPERIÊNCIA DO INCA XX congresso brasileiro de física médica DSc LEONARDO PERES Doutor em Engenharia Nuclear COPPE/UFRJ Mestre em Radioproteção e Dosimetria-IRD/CNEN Físico

Leia mais

Benchmark: IMRT em Câncer de Canal Anal. Dr. Felipe Erlich Serviço de Radioterapia Inca 25/06/2011

Benchmark: IMRT em Câncer de Canal Anal. Dr. Felipe Erlich Serviço de Radioterapia Inca 25/06/2011 Benchmark: IMRT em Câncer de Canal Anal Dr. Felipe Erlich Serviço de Radioterapia Inca 25/06/2011 INCA INCA IMRT no INCa Aquisição de imagens - 4D PET / CT (tampo plano, laser externo) Planejamento - Eclipse

Leia mais

S. C. SILVA; ANTÔNIO A. G. JUNIOR; LUANE A. MARTINS; 01 DE MAIO DE 2014.

S. C. SILVA; ANTÔNIO A. G. JUNIOR; LUANE A. MARTINS; 01 DE MAIO DE 2014. 1 Braquiterapia de Alta Taxa de Dose em tumores de pele não melanoma: Experiência do setor de Radioterapia do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia. ROSEANE E. M SILVA; EURÍPEDES.

Leia mais

CONDUTAS FISIOTERAPEUTICAS NO TRATAMENTO DE LINFEDEMA EM MULHERES SUBMETIDAS À CIRURGIA DE CÂNCER DE MAMA.

CONDUTAS FISIOTERAPEUTICAS NO TRATAMENTO DE LINFEDEMA EM MULHERES SUBMETIDAS À CIRURGIA DE CÂNCER DE MAMA. CONDUTAS FISIOTERAPEUTICAS NO TRATAMENTO DE LINFEDEMA EM MULHERES SUBMETIDAS À CIRURGIA DE CÂNCER DE MAMA. AGERTT, Suelen Pereira 1 ; OLIVEIRA, Andrea Nunes 1 ; SPANEVELLO, Dianata 1 ; OLIVEIRA, Alisson

Leia mais

Radioterapia estereotática extracraniana (SBRT) nos tumores iniciais de pulmão: INDICAÇÕES E RESULTADOS

Radioterapia estereotática extracraniana (SBRT) nos tumores iniciais de pulmão: INDICAÇÕES E RESULTADOS Radioterapia estereotática extracraniana (SBRT) nos tumores iniciais de pulmão: INDICAÇÕES E RESULTADOS Gabriela S. Moreira de Siqueira gsmsmed@hotmail.com Curitiba, 2012 Mais de 27 mil novos casos em

Leia mais

Artigo Original TRATAMENTO DO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO NO IDOSO ACIMA DE 80 ANOS

Artigo Original TRATAMENTO DO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO NO IDOSO ACIMA DE 80 ANOS Artigo Original TRATAMENTO DO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO NO IDOSO ACIMA DE 80 ANOS HEAD AND NECK CANCER TREATMENT IN ELDERLY PATIENTS OVER 80 YEARS OLD 1,4,6 TERENCE PIRES DE FARIAS 5 GABRIEL MANFRO 1,2,3

Leia mais

Como eu faço. Aspectos práticos da braquiterapia de próstata com baixa taxa de dose. HSL - Jun/98 a Março/ casos. Paula P. Rodrigues Ferreira

Como eu faço. Aspectos práticos da braquiterapia de próstata com baixa taxa de dose. HSL - Jun/98 a Março/ casos. Paula P. Rodrigues Ferreira Como eu faço Aspectos práticos da braquiterapia de próstata com baixa taxa de dose HSL - Jun/98 a Março/14 985 casos Paula P. Rodrigues Ferreira R3 Hospital Sírio-Libanês paulapratti@hotmail.com Por que

Leia mais

NENHUM CONFLITO DE INTERESSE

NENHUM CONFLITO DE INTERESSE DECLARAÇÃO DO POTENCIAL CONFLITO DE INTERESSE Palestrante: DR. PAULO JOSÉ CECILIO Apresentação: Aspectos dosimétricos e controle de qualidade em IMRT/VMAT Filme radiográfico e radiocrômico NENHUM CONFLITO

Leia mais

Ensaio Clínico Randomizado: Prevenção de radiodermite em pacientes com câncer de mama utilizando o chá de camomila e extrato de brassica oleracea.

Ensaio Clínico Randomizado: Prevenção de radiodermite em pacientes com câncer de mama utilizando o chá de camomila e extrato de brassica oleracea. XVII Congresso da Sociedade Brasileira de Radioterapia Ensaio Clínico Randomizado: Prevenção de radiodermite em pacientes com câncer de mama utilizando o chá de camomila e extrato de brassica oleracea.

Leia mais

PLANEJAMENTO TRIDIMENSIONAL PARA RADIOTERAPIA DE TUMORES DE ESÔFAGO: COMPARAÇÃO DE TÉCNICAS DE TRATAMENTO E ANÁLISE DE PROBABILIDADE DE COMPLICAÇÕES*

PLANEJAMENTO TRIDIMENSIONAL PARA RADIOTERAPIA DE TUMORES DE ESÔFAGO: COMPARAÇÃO DE TÉCNICAS DE TRATAMENTO E ANÁLISE DE PROBABILIDADE DE COMPLICAÇÕES* Artigo Original Justino PB et al. PLANEJAMENTO TRIDIMENSIONAL PARA RADIOTERAPIA DE TUMORES DE ESÔFAGO: COMPARAÇÃO DE TÉCNICAS DE TRATAMENTO E ANÁLISE DE PROBABILIDADE DE COMPLICAÇÕES* Pitágoras Báskara

Leia mais

número 25- julho/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

número 25- julho/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS número 25- julho/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RADIOTERAPIA INTRAOPERATÓRIA PARA O TRATAMENTO DE ESTÁDIOS INICIAIS

Leia mais

Benefício. Complexidade e Custo

Benefício. Complexidade e Custo Custos x Benefícios da Alta Tecnologia Gisele Castro Pereira Física Médica Análise do Custo x Benefício Na Industria: Fator prognóstico p/ longevidade de um novo produto, processo ou serviço. Medicina:

Leia mais

Qual o real benefício da radioterapia com intensidade modulada de feixe (IMRT) para o tratamento dos pacientes com câncer de cabeça e pescoço?

Qual o real benefício da radioterapia com intensidade modulada de feixe (IMRT) para o tratamento dos pacientes com câncer de cabeça e pescoço? Instituto de Radiologia do Hospital das Clínicas Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Qual o real benefício da radioterapia com intensidade modulada

Leia mais

AUDITORIA EM RADIOTERAPIA. Dr Marcos Santos

AUDITORIA EM RADIOTERAPIA. Dr Marcos Santos Dr Marcos Santos marcosrxt@gmail.com CONFLITOS DE INTERESSE Não tenho conflitos de interesse a declarar 60% dos pacientes com câncer farão RT (1) RT: 5% dos custos do tratamento oncológico

Leia mais

Papel da Radioterapia nos Gliomas de Baixo Grau. Hospital Erasto Gaertner Serviço de Radioterapia Paulo Marcelo Rodrigues

Papel da Radioterapia nos Gliomas de Baixo Grau. Hospital Erasto Gaertner Serviço de Radioterapia Paulo Marcelo Rodrigues Papel da Radioterapia nos Gliomas de Baixo Grau Hospital Erasto Gaertner Serviço de Radioterapia Paulo Marcelo Rodrigues GLIOMA DE BAIXO GRAU 10% dos tumores intracranianos primários e 20% dos gliomas

Leia mais

Qual o melhor tratamento para o Câncer de Próstata de risco baixo ou intermediário?

Qual o melhor tratamento para o Câncer de Próstata de risco baixo ou intermediário? Qual o melhor tratamento para o Câncer de Próstata de risco baixo ou intermediário? Radioterapia (externa/braquiterapia) Erlon Gil Radioterapia Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo Randomized

Leia mais

CQ dos sistemas de gerenciamento, verificação e transferência de dados

CQ dos sistemas de gerenciamento, verificação e transferência de dados CQ dos sistemas de gerenciamento, verificação e transferência de dados Camila Pessoa de Sales Física Médica Hospital das Clínicas e Hospital Beneficência Portuguesa Transferência de dados em RDT Aumento

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA RADIOTERAPIA

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA RADIOTERAPIA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA RADIOTERAPIA MARÇO DE 2017 2 INTRODUÇÃO Prezados(as) Doutores(as), Este é o primeiro conteúdo sobre Radioterapia desenvolvido pelo Programa de Educação Médica Continuada

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA AVALIAÇÃO DE UM ESQUEMA ALTERNATIVO DE APLICAÇÃO DA DOSE DE REFORÇO DE RADIOTERAPIA (BOOST) EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA VISANDO DIMINUIR O

Leia mais

AVALIAÇÃO DOSIMÉTRICA DE COBERTURAS UTILIZADAS PARA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE RADIODERMITES EM PACIENTES SUBMETIDOS A RADIOTERAPIA

AVALIAÇÃO DOSIMÉTRICA DE COBERTURAS UTILIZADAS PARA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE RADIODERMITES EM PACIENTES SUBMETIDOS A RADIOTERAPIA AVALIAÇÃO DOSIMÉTRICA DE COBERTURAS UTILIZADAS PARA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE RADIODERMITES EM PACIENTES SUBMETIDOS A RADIOTERAPIA Roselie Corcini Pinto Gabriela Werlang Schorn Samira Junges Leila Maria

Leia mais

Apresentação: Marcel Fang

Apresentação: Marcel Fang DEPENDÊNCIA DE SONDA PARA ALIMENTAÇÃO APÓS IMRT EM TUMORES DE CABEÇA E PESCOÇO: O QUE AVALIAR ALÉM DOS MÚSCULOS CONSTRITORES FARÍNGEOS? FANG M;BLAKAJ M.; D;GARGM;SHEN D.;GARG M.; J;SCRIPES J.; P. G;KALNICKI

Leia mais

Editorial EDITORIAL DO BOLETIM. Maria do Socorro Maciel Diretoria do Departamento de Mastologia do Hospital AC Camargo

Editorial EDITORIAL DO BOLETIM. Maria do Socorro Maciel Diretoria do Departamento de Mastologia do Hospital AC Camargo B o l e t i m d a 7220994390-DR/SPM Soc. Bras. de Mastologia FECHAMENTO AUTORIZADO PODE SER ABERTO PELA ECT A N O X V - N º 9 7 - J A N E I R O 2 0 1 2 Editorial EDITORIAL DO BOLETIM Maria do Socorro Maciel

Leia mais

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Departamento de Cirurgia Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Departamento de Cirurgia Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Departamento de Cirurgia Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço D I R E T R I Z E S 2 0 07 Antonio Jose Gonçalves A Disciplina de Cirurgia de

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA RADIOTERAPIA NO CÂNCER DE MAMA

A IMPORTÂNCIA DA RADIOTERAPIA NO CÂNCER DE MAMA A IMPORTÂNCIA DA RADIOTERAPIA NO CÂNCER DE MAMA Karen Karoline Yrigoen Graduanda em Tecnologia em Radiologia, Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Mariana Cotugno Felix Graduanda em Tecnologia

Leia mais

Braquiterapia Guiada por Imagem: Ponto de vista do radioterapeuta

Braquiterapia Guiada por Imagem: Ponto de vista do radioterapeuta Braquiterapia Guiada por Imagem: Ponto de vista do radioterapeuta Heloisa de Andrade Carvalho heloisa.carvalho@hc.fm.usp.br heloisa.carvalho@hsl.org.br Tumores ginecológicos Colo Incidência câncer colo

Leia mais

RADIOTERAPIA EM TUMORES DE CABEÇA E PESCOÇO LOCALMENTE AVANÇADOS E IRRESSECÁVEIS (IVB): QUANDO EVITAR TRATAMENTOS RADICAIS?

RADIOTERAPIA EM TUMORES DE CABEÇA E PESCOÇO LOCALMENTE AVANÇADOS E IRRESSECÁVEIS (IVB): QUANDO EVITAR TRATAMENTOS RADICAIS? RADIOTERAPIA EM TUMORES DE CABEÇA E PESCOÇO LOCALMENTE AVANÇADOS E IRRESSECÁVEIS (IVB): QUANDO EVITAR TRATAMENTOS RADICAIS? HENRIQUE FARIA BRAGA 1,2 ; HELOISA DE ANDRADE CARVALHO 1 ; ANDRE TSIN CHIH CHEN

Leia mais

Departamento de Radioncologia Instituto CUF Porto Hospital de Braga

Departamento de Radioncologia Instituto CUF Porto Hospital de Braga Sequenciação após QT de indução: Toxicidades tardias podem ser decisoras Departamento de Radioncologia Instituto CUF Porto Hospital de Braga Paulo S Costa Júlio Teixeira Radioncologia A combinação de Radioterapia

Leia mais

UNIVERSIDADEE DE SÃO PAULO

UNIVERSIDADEE DE SÃO PAULO Pneumoni ite Actínica Prof. Dr. Carlos R. R. Carvalho HOSPITAL DAS CLÍNICAS FACULDADE DE MEDICINA UNIVERSIDADEE DE SÃO PAULO Lesão Pulmonar Induzida pela Radiação Primeira descrição: Bergonie e Teiss sier

Leia mais

DIAGNÓSTICO POR IMAGEM. Profa Dra Sandra Zeitoun UNIP

DIAGNÓSTICO POR IMAGEM. Profa Dra Sandra Zeitoun UNIP DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Profa Dra Sandra Zeitoun UNIP TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA A neurociência teve que esperar mais de 70 anos, até que aparecesse um método de imagens por raios X que realmente fosse

Leia mais

USO ADEQUADO DA CATEGORIA 3 EM MAMOGRAFIA, ULTRASSONOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA EDWARD A. SICKLES

USO ADEQUADO DA CATEGORIA 3 EM MAMOGRAFIA, ULTRASSONOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA EDWARD A. SICKLES USO ADEQUADO DA CATEGORIA 3 EM MAMOGRAFIA, ULTRASSONOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA EDWARD A. SICKLES A CATEGORIA 3 FOI CRIADA PARA SITUAÇÕES ESPECÍFICAS DE LESÕES QUE APRESENTAM MENOS QUE 2% DE CHANCE

Leia mais

Artigo Original/Original Article

Artigo Original/Original Article Artigo Original/Original Article Tratamento conservador do cancro da mama invasivo avaliação de 11 anos Breast conserving therapy in invasive breast cancer 11 years of follow-up Sofia Custódio*, Sofia

Leia mais