LIGA NORTE-RIOGRANDENSE CONTRA O CÂNCER SERVIÇO DE RADIOTERAPIA DEPARTAMENTO DE ENSINO E PESQUISA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LIGA NORTE-RIOGRANDENSE CONTRA O CÂNCER SERVIÇO DE RADIOTERAPIA DEPARTAMENTO DE ENSINO E PESQUISA"

Transcrição

1 LIGA NORTE-RIOGRANDENSE CONTRA O CÂNCER SERVIÇO DE RADIOTERAPIA DEPARTAMENTO DE ENSINO E PESQUISA Revisão da anatomia e definição dos volumes de tratamento: Câncer de reto e canal anal. Alfrêdo Walburgo FORTALEZA/ CE 2013

2 Anatomia

3 Anatomia Fig. 01: Anatomia do reto Fonte: Netter, Frank H., Atlas de Anatomia humana, 2ed, Porto Alegre: Artmed, 2000.

4 Drenagem

5 Drenagem Vascular Fig. 02: Anatomia da drenagem vascular Fonte: Netter, Frank H., Atlas de Anatomia humana, 2ed, Porto Alegre: Artmed, 2000.

6 Drenagem Linfonodal Fig. 03: Drenagem linfonodal do reto Fonte: Decision Making Radiation Oncology, vol. 2, ed. Springer, 2011.

7 Drenagem Linfonodal Fig. 03: Drenagem linfonodal do reto Fonte: Decision Making Radiation Oncology, vol. 2, ed. Springer, 2011.

8 Drenagem Linfonodal Fig. 04: Drenagem linfonodal do canal anal Fonte: Decision Making Radiation Oncology, vol. 2, ed. Springer, 2011.

9 Drenagem Linfonodal Fig. 04: Drenagem linfonodal do canal anal Fonte: Decision Making Radiation Oncology, vol. 2, ed. Springer, 2011.

10 Drenagem Linfonodal Fig. 04: Drenagem linfonodal do canal anal Fonte: Decision Making Radiation Oncology, vol. 2, ed. Springer, 2011.

11 Delineamento

12 Fonte: Pelvic Normal Tissue Contouring Guidelines for Radiation Therapy: A Radiation Therapy Oncology Group Consensus Panel Atlas, Int J Radiation Oncol Biol Phys, Vol. 83, No. 3, pp. e353ee362, 2012.

13 Fig. 05: Radiation Therapy Oncology Group (RTOG) atlas de tecido normal de pelve masculina Fonte: Pelvic Normal Tissue Contouring Guidelines for Radiation Therapy: A Radiation Therapy Oncology Group Consensus Panel Atlas, Int J Radiation Oncol Biol Phys, Vol. 83, No. 3, pp. e353ee362, 2012.

14 Fig. 06: Radiation Therapy Oncology Group (RTOG) atlas de tecido normal de pelve feminina Fonte: Pelvic Normal Tissue Contouring Guidelines for Radiation Therapy: A Radiation Therapy Oncology Group Consensus Panel Atlas, Int J Radiation Oncol Biol Phys, Vol. 83, No. 3, pp. e353ee362, 2012.

15 Fig. 07: Radiation Therapy Oncology Group (RTOG) atlas de tecido normal de pelve feminina Fonte: Pelvic Normal Tissue Contouring Guidelines for Radiation Therapy: A Radiation Therapy Oncology Group Consensus Panel Atlas, Int J Radiation Oncol Biol Phys, Vol. 83, No. 3, pp. e353ee362, 2012.

16 Delineamento de Linfonodos Pélvicos Fig. 08 Linfonodos ilíacos comum Fonte: A guide for delineation of lymph clínical target volume in radiation oncology, ed. Springer, 2006.

17 Delineamento de Linfonodos Pélvicos Fig. 09 Linfonodos Ilíacos interno, externo e pré-sacrais Fonte: A guide for delineation of lymph clínical target volume in radiation oncology, ed. Springer, 2006.

18 Delineamento de Linfonodos Pélvicos Fig. 10 Linfonodos Ilíacos interno, externo, obturadores e pré-sacrais Fonte: A guide for delineation of lymph clínical target volume in radiation oncology, ed. Springer, 2006.

19 Delineamento de Linfonodos Pélvicos Fig. 11 Linfonodos obturadores e inguinais. Fonte: A guide for delineation of lymph clínical target volume in radiation oncology, ed. Springer, 2006.

20 Fonte: Mapping Pelvic Lymph Nodes: Guidelines For Elineation In Intensity-modulated Radiotherapy, Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 63, No. 5, pp , 2005

21 Resultados Foram avaliados contornos nodais. A cobertura nodal foi de 56%, 76%, 88%, 94% e 99%usandoasmargensdosvasosde3,5,7,10e 15 milímetros, respectivamente. Menor modificação da margem de 7 mm assegura 99% de cobertura dos gânglios pélvicos. Conclusão: Os vasos sanguíneos, com uma margem modificada de 7 mm oferece um bom alvo para linfonodos pélvicos. Fonte: Mapping Pelvic Lymph Nodes: Guidelines For Elineation In Intensity-modulated Radiotherapy, Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 63, No. 5, pp , 2005

22 Fig. 12 delineamento linfonodal, 7 mm de margem. Fonte: Mapping Pelvic Lymph Nodes: Guidelines For Elineation In Intensity-modulated Radiotherapy, Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 63, No. 5, pp , 2005

23 Planejamento 3D

24 Planejamento 3D NEOPALSIA DE RETO NEO. DE CANAL ANAL GTV Tumor grosseiro Tumor grosseiro CTV (Loja Tumoral/tumor + Tecidos periretais + Região pré-sacral + mesorreto + Linfonodos Ilíacos internos) *margem de 2 cm no tumor Linfonodos obturadores se <10 da margem anal Linfonodos inguinais se invade 1/3 inferior da vagina (Loja tumoral + linfonodos pélvicos+ Linfonodos ilíacos internos+ linfondos ilíacos externo + linfonodos inguinais + tecido perianal) + 1 2cm de margem PTV CTV + 1-1,5cm de margem CTV + 1,5cm de margem Fonte: Practical Radiotherapy Planning, Fourth Edition, Ed. Hodder Arnold, Decision Making Radiation Oncology, vol. 2, ed. Springer, 2011.

25 Fig. 13 planejamento 3D, corte axial. Planejamento 3D

26 Planejamento 3D Fig. 14 planejamento 3D, corte coronal.

27 Fig. 15 planejamento 3D, corte sargital. Planejamento 3D

28 Definição de volumes para IMRT

29 Fonte: RTOG 0529

30 Fonte: RTOG 0529 Fig. 16: Delineamento CTVA

31 Fonte: RTOG 0529 Fig. 17: Delineamento CTVA + CTV C + OAR

32 Fonte: RTOG 0529 Fig. 18: Delineamento CTVA + CTV B + OAR

33 Fonte: RTOG 0529 Fig. 19: Delineamento CTVA + OAR

34 Fonte: Elective Clinical Target Volumes For Conformal Therapy In Anorectal Cancer: A Radiation Therapy Oncology Group Consensus Panel Contouring Atlas, Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 74, No. 3, pp , 2009

35 Fig. 20: Consenso do contorno linfonodal para neoplasia anorretal Fonte: Elective Clinical Target Volumes For Conformal Therapy In Anorectal Cancer: A Radiation Therapy Oncology Group Consensus Panel Contouring Atlas, Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 74, No. 3, pp , 2009

36 Fig. 21: Consenso do contorno linfonodal para neoplasia anorretal - CTV Fonte: Elective Clinical Target Volumes For Conformal Therapy In Anorectal Cancer: A Radiation Therapy Oncology Group Consensus Panel Contouring Atlas, Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 74, No. 3, pp , 2009

37 Fig. 22: Consenso do contorno linfonodal para neoplasia anorretal CTV A + CTV B Fonte: Elective Clinical Target Volumes For Conformal Therapy In Anorectal Cancer: A Radiation Therapy Oncology Group Consensus Panel Contouring Atlas, Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 74, No. 3, pp , 2009

38 Fig. 23: Consenso do contorno linfonodal para neoplasia anorretal CTV A + CTV C Fonte: Elective Clinical Target Volumes For Conformal Therapy In Anorectal Cancer: A Radiation Therapy Oncology Group Consensus Panel Contouring Atlas, Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 74, No. 3, pp , 2009

39 Margem ao redor dos vasos sanguíneos. 7-8 mm de margem em torno dos vasos. Boost CTV Não há uma recomendação de consenso e o volume deve ser analisado individualmente. PTV Margem de 0,7-1,0 cm, exceto na pele, que deve ser 2-5 mm dentro da superfície da pele. Fonte: Elective Clinical Target Volumes For Conformal Therapy In Anorectal Cancer: A Radiation Therapy Oncology Group Consensus Panel Contouring Atlas, Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 74, No. 3, pp , 2009

40 Fonte: RTOG 0822

41 Fonte: Australasian Gastrointestinal Trials Group (AGITG) Contouring Atlas and Planning Guidelines for Intensity-Modulated Radiotherapy in Anal Cancer, Int J Radiation Oncol Biol Phys, Vol. 83, No. 5, pp. 1455e1462, 2012.

42 Fig. 24: Atlas de delineamento: LFN ilíaco interno, externo e présacral Fonte: Australasian Gastrointestinal Trials Group (AGITG) Contouring Atlas and Planning Guidelines for Intensity-Modulated Radiotherapy in Anal Cancer, Int J Radiation Oncol Biol Phys, Vol. 83, No. 5, pp. 1455e1462, 2012.

43 Fig. 25: Atlas de delineamento: LFN ilíaco interno, externo, pré-sacral e mesorreto. Fonte: Australasian Gastrointestinal Trials Group (AGITG) Contouring Atlas and Planning Guidelines for Intensity-Modulated Radiotherapy in Anal Cancer, Int J Radiation Oncol Biol Phys, Vol. 83, No. 5, pp. 1455e1462, 2012.

44 Fig. 26: Atlas de delineamento: LFN ilíaco interno, pré-sacral, inguinal, obturador e mesorreto. Fonte: Australasian Gastrointestinal Trials Group (AGITG) Contouring Atlas and Planning Guidelines for Intensity-Modulated Radiotherapy in Anal Cancer, Int J Radiation Oncol Biol Phys, Vol. 83, No. 5, pp. 1455e1462, 2012.

45 Fig. 27: Atlas de delineamento: LFN inguinal, mesorreto e isquiorretal. Fonte: Australasian Gastrointestinal Trials Group (AGITG) Contouring Atlas and Planning Guidelines for Intensity-Modulated Radiotherapy in Anal Cancer, Int J Radiation Oncol Biol Phys, Vol. 83, No. 5, pp. 1455e1462, 2012.

46

47 v Obrigado! São Luís -MA

Revisão da Anatomia e definição dos volumes de tratamento: câncer de próstata

Revisão da Anatomia e definição dos volumes de tratamento: câncer de próstata FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS UNIVERSIDADE DE CAMPINAS Revisão da Anatomia e definição dos volumes de tratamento: câncer de próstata JUMARA MARTINS R3 RADIOTERAPIA/ 2013 FCM- UNICAMP Anatomia Classificação

Leia mais

Radioterapia em neoplasia de vagina: comparação entre técnicas convencional, conformacional, IMRT e RAPID ARC

Radioterapia em neoplasia de vagina: comparação entre técnicas convencional, conformacional, IMRT e RAPID ARC Radioterapia em neoplasia de vagina: comparação entre técnicas convencional, conformacional, IMRT e RAPID ARC Anna Myrian Lannes Vieira, Guilherme Bittencourt, Rosamaria Cugula Ventura, Rafael Daher Carvalho,

Leia mais

Revisão da anatomia e definição dos volumes de tratamento: Câncer de estômago. Mariana Morsch Beier R2 Radioterapia - Hospital Santa Rita

Revisão da anatomia e definição dos volumes de tratamento: Câncer de estômago. Mariana Morsch Beier R2 Radioterapia - Hospital Santa Rita Revisão da anatomia e definição dos volumes de tratamento: Câncer de estômago. Mariana Morsch Beier R2 Radioterapia - Hospital Santa Rita EPIDEMIOLOGIA A estimativa do biênio 2012-2013 para o Brasil é

Leia mais

O estado da arte da Radioterapia na abordagem de Tumores de Bexiga. Dr. Baltasar Melo Neto R3 - UNIFESP

O estado da arte da Radioterapia na abordagem de Tumores de Bexiga. Dr. Baltasar Melo Neto R3 - UNIFESP O estado da arte da Radioterapia na abordagem de Tumores de Bexiga Dr. Baltasar Melo Neto R3 - UNIFESP Introdução EUA (2014): 6º mais comum 75.000 casos novos; 15.600 mortes. Brasil (2014): 9940 casos

Leia mais

Braquiterapia Ginecológica

Braquiterapia Ginecológica Braquiterapia Ginecológica Indicações e recomendações clínicas American Brachytherapy Society (ABS) European Society for Radiotherapy & Oncology (GEC-ESTRO) Rejane Carolina Franco Hospital Erasto Gaertner-

Leia mais

Hipofracionamento da mama, aplicar sempre? Ernane Bronzatt

Hipofracionamento da mama, aplicar sempre? Ernane Bronzatt Hipofracionamento da mama, aplicar sempre? Ernane Bronzatt Cenário Busca pela diminuição do tempo da Radioterapia adjuvante Aumento da conveniência do tratamento Sem comprometimento dos resultados clínicos

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar CP Operado

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar CP Operado Diretrizes Assistenciais Protocolo Conduta da Assistência Médico- Hospitalar CP Operado Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: - manuseio

Leia mais

CÂNCER DE BEXIGA. Revisão da Anatomia e Definição dos Volumes de Tratamento. Karine Campagnolo

CÂNCER DE BEXIGA. Revisão da Anatomia e Definição dos Volumes de Tratamento. Karine Campagnolo CÂNCER DE BEXIGA Revisão da Anatomia e Definição dos Volumes de Tratamento Karine Campagnolo R3 -Unidade de Radioterapia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre Roteiro da Apresentação Revisão da Anatomia

Leia mais

Os cinco trabalhos mais relevantes dos anos de na área de câncer de pulmão:radioterapia

Os cinco trabalhos mais relevantes dos anos de na área de câncer de pulmão:radioterapia Os cinco trabalhos mais relevantes dos anos de 2009-2011 na área de câncer de pulmão:radioterapia Rodrigo de Morais Hanriot Radioterapeuta HIAE e HAOC Índice Carcinoma de pulmão não pequenas células Carcinoma

Leia mais

Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT) no Tratamento do. Câncer de Cabeça e Pescoço. Contexto da Medicina Baseada em Evidências

Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT) no Tratamento do. Câncer de Cabeça e Pescoço. Contexto da Medicina Baseada em Evidências CONGRESSO DE AUDITORIA - NATAL - 2015 Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT) no Tratamento do Câncer de Cabeça e Pescoço Contexto da Medicina Baseada em Evidências Tratamento do Câncer de Cabeça e

Leia mais

O estado da arte da braquiterapia de mama. Camila Zerbini Residente 3º ano

O estado da arte da braquiterapia de mama. Camila Zerbini Residente 3º ano O estado da arte da braquiterapia de mama Camila Zerbini Residente 3º ano Histórico Tumores iniciais de mama Cirurgia conservadora Irradiação de toda a mama (ITM) Early Breast Cancer Trialists Collaborative

Leia mais

RADIOTERAPIA HIPOFRACIONADA EM MAMA: INDICAÇÕES E RESULTADOS

RADIOTERAPIA HIPOFRACIONADA EM MAMA: INDICAÇÕES E RESULTADOS III ENCONTRO DE RESIDENTES DA SBRT 2012 RADIOTERAPIA HIPOFRACIONADA EM MAMA: INDICAÇÕES E RESULTADOS VINICIUS T. MOSCHINI DA SILVA Residente de Radioterapia HSPE/IAMSPE -SP Introdução O câncer de mama:

Leia mais

QUIMIOTERAPIA ADJUVANTE NO CÂNCER DE ENDOMÉTRIO. QUANDO HÁ EVIDÊNCIAS E QUANDO COMBINÁ-LA COM A RADIOTERAPIA

QUIMIOTERAPIA ADJUVANTE NO CÂNCER DE ENDOMÉTRIO. QUANDO HÁ EVIDÊNCIAS E QUANDO COMBINÁ-LA COM A RADIOTERAPIA QUIMIOTERAPIA ADJUVANTE NO CÂNCER DE ENDOMÉTRIO. QUANDO HÁ EVIDÊNCIAS E QUANDO COMBINÁ-LA COM A RADIOTERAPIA Dr. Markus Gifoni Oncologista Clínico Instituto do Câncer do Ceará Fortaleza 01/06/2013 Informações

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Vulva

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Vulva Diretrizes Assistenciais Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Vulva Versão eletrônica atualizada em Julho de 2012 Protocolo de Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: -

Leia mais

Podemos considerar RT hipofracionada da mama para todas as pacientes como padrão? SIM. Erlon Gil 21/06/13

Podemos considerar RT hipofracionada da mama para todas as pacientes como padrão? SIM. Erlon Gil 21/06/13 Podemos considerar RT hipofracionada da mama para todas as pacientes como padrão? SIM Erlon Gil 21/06/13 RT adjuvante EBCTCG Lancet 2005;366: 2087-2106 Contextualização 20-30% das mulheres não recebem

Leia mais

AUDITORIA EM RADIOTERAPIA. Dr Marcos Santos

AUDITORIA EM RADIOTERAPIA. Dr Marcos Santos Dr Marcos Santos marcosrxt@gmail.com CONFLITOS DE INTERESSE Não tenho conflitos de interesse a declarar 60% dos pacientes com câncer farão RT (1) RT: 5% dos custos do tratamento oncológico

Leia mais

MOREIRA, LLR; MENDES, MCR; NAJAS, RMXF; SANTOS, EM; AZEVEDO, DB; BEZERRA, AP; LIGUORI, AAL. Liga Norte Riograndense Contra o Câncer.

MOREIRA, LLR; MENDES, MCR; NAJAS, RMXF; SANTOS, EM; AZEVEDO, DB; BEZERRA, AP; LIGUORI, AAL. Liga Norte Riograndense Contra o Câncer. MOREIRA, LLR; MENDES, MCR; NAJAS, RMXF; SANTOS, EM; AZEVEDO, DB; BEZERRA, AP; LIGUORI, AAL. Liga Norte Riograndense Contra o Câncer. INTRODUÇÃO 2ª neoplasia mulheres brasileiras 15.540 novos casos(2012)

Leia mais

Verificação de planejamentos de RapidArc TM com algoritmo AAA usando um fantoma heterogêneo 3D

Verificação de planejamentos de RapidArc TM com algoritmo AAA usando um fantoma heterogêneo 3D Artigo Original Revista Brasileira de Física Médica.3;7(3):3-. Verificação de planejamentos de RapidArc TM com algoritmo AAA usando um fantoma heterogêneo 3D Verification of RapidArc TM planning with AAA

Leia mais

de próstata: experiência do Instituto do Radium de Campinas com 285 pacientes*

de próstata: experiência do Instituto do Radium de Campinas com 285 pacientes* Artigo Original Original ArticleRadioterapia externa conformada D para o carcinoma de próstata Radioterapia externa conformada D para o carcinoma de próstata: experiência do Instituto do Radium de Campinas

Leia mais

MARIA LETÍCIA GOBO SILVA

MARIA LETÍCIA GOBO SILVA ANÁLISE COMPARATIVA DO PLANEJAMENTO CONVENCIONAL VERSUS TRIDIMENSIONAL BASEADO EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA NA RADIOTERAPIA DOS TUMORES DE COLO UTERINO MARIA LETÍCIA GOBO SILVA Dissertação apresentada

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama Diretrizes Assistenciais Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo de Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: - manuseio

Leia mais

Como eu faço. Aspectos práticos da braquiterapia de próstata com baixa taxa de dose. HSL - Jun/98 a Março/ casos. Paula P. Rodrigues Ferreira

Como eu faço. Aspectos práticos da braquiterapia de próstata com baixa taxa de dose. HSL - Jun/98 a Março/ casos. Paula P. Rodrigues Ferreira Como eu faço Aspectos práticos da braquiterapia de próstata com baixa taxa de dose HSL - Jun/98 a Março/14 985 casos Paula P. Rodrigues Ferreira R3 Hospital Sírio-Libanês paulapratti@hotmail.com Por que

Leia mais

Posicionamento, Imobilização e. Técnica de Tratamento nos Tumores. do Pulmão

Posicionamento, Imobilização e. Técnica de Tratamento nos Tumores. do Pulmão Posicionamento, Imobilização e Técnica de Tratamento nos Tumores do Pulmão INTRODUÇÃO Tumores malignos que ocorrem no Tórax. Carcinoma de Esôfago, Timoma, Tumores de células germinativas, Doenças Metastáticas,

Leia mais

Terapia hormonal prévia e adjuvante à radioterapia externa no tratamento do câncer de próstata

Terapia hormonal prévia e adjuvante à radioterapia externa no tratamento do câncer de próstata Terapia hormonal prévia e adjuvante à radioterapia externa no tratamento do câncer de próstata N o 145 Março/2015 2015 Ministério da Saúde. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que

Leia mais

O Papel da Radioterapia no Contexto da Quimioterapia Neoadjuvante do Câncer de Mama. Osmar Barbosa Neto

O Papel da Radioterapia no Contexto da Quimioterapia Neoadjuvante do Câncer de Mama. Osmar Barbosa Neto O Papel da Radioterapia no Contexto da Quimioterapia Neoadjuvante do Câncer de Mama Osmar Barbosa Neto Objetivos do Tratamento Controle da Doença Locorregional + rradicação de Metástases Sistêmicas Oculta

Leia mais

Introdução à Radioterapia: Técnicas e planejamentos.

Introdução à Radioterapia: Técnicas e planejamentos. Introdução à Radioterapia: Técnicas e planejamentos. 2 Radioterapia Clássica x Moderna Clássica : Baseada no cálculo de dose manual Paciente representado pelo contorno externo Margens grandes no volume

Leia mais

Radioterapia no cancro da mama

Radioterapia no cancro da mama 39 Radioterapia no cancro da mama Paula Soares 1. INTRODUÇÃO A radioterapia tem um papel bem estabelecido e consolidado no cancro da mama. Diversos estudos têm comprovado a sua eficácia, tanto na terapêutica

Leia mais

IMRT E A PROTEÇÃO RADIOLÓGICA NO TRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA

IMRT E A PROTEÇÃO RADIOLÓGICA NO TRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA X Congreso Regional Latinoamericano IRPA de Protección y Seguridad Radiológica Radioprotección: Nuevos Desafíos para un Mundo en Evolución Buenos Aires, 12 al 17 de abril, 2015 SOCIEDAD ARGENTINA DE RADIOPROTECCIÓN

Leia mais

Benefício da radioterapia neoadjuvante na sobrevida de pacientes com câncer de mama localmente avançado

Benefício da radioterapia neoadjuvante na sobrevida de pacientes com câncer de mama localmente avançado Benefício da radioterapia neoadjuvante na sobrevida de pacientes com câncer de mama localmente avançado Igor Martinez Bruna Villani Daniel Przybysz Marlison Caldas Celia Viegas Carlos Manoel Lilian Faroni

Leia mais

DIFERENTES MODALIDADES DE IGRT. Bernardo Peres Salvajoli

DIFERENTES MODALIDADES DE IGRT. Bernardo Peres Salvajoli DIFERENTES MODALIDADES DE IGRT Bernardo Peres Salvajoli EVOLUÇÃO DA RT 2D 3D IMRT IGRT EVOLUÇÃO DEFINIÇÃO Radioterapia externa com a verificação de posição utilizando imagens antes de cada fração de tratamento

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Pulmão

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Pulmão Diretrizes Assistenciais Protocolo Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Pulmão Versão eletrônica atualizada em Julho - 2012 Protocolo Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: - manuseio

Leia mais

BRAQUITERAPIA DECABEÇA E PESCOÇO?

BRAQUITERAPIA DECABEÇA E PESCOÇO? HÁ ESPAÇO PARA HÁ ESPAÇO PARA BRAQUITERAPIA DE CABEÇA E PESCOÇO? BRAQUITERAPIA DECABEÇA E PESCOÇO? Dra. Anne Karina S. Kiister R3 - Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE-SP) Braquiterapia Da palavra

Leia mais

Radioterapia e SBRT para doença oligometastática. Rodrigo Hanriot Radio-oncologista Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Radioterapia e SBRT para doença oligometastática. Rodrigo Hanriot Radio-oncologista Hospital Alemão Oswaldo Cruz Radioterapia e SBRT para doença oligometastática Rodrigo Hanriot Radio-oncologista Hospital Alemão Oswaldo Cruz Ca Cancer J Clin 2016;66(1)7 30 Incidência de câncer por sexo Ca Cancer J Clin 2016;66(1)7

Leia mais

Indicações e passo-a-passo para realização de SBRT

Indicações e passo-a-passo para realização de SBRT Indicações e passo-a-passo para realização de SBRT Heloisa de Andrade Carvalho heloisa.carvalho@hc.fm.usp.br heloisa.carvalho@hsl.org.br SBRT O que é? Porquê? Para quê? Passo-a-passo SBRT O que é? Stereotactic

Leia mais

CURSO CARCINOMA DA PRÓSTATA O PAPEL DA PET: PET COM COLINA E PET COM PSMA

CURSO CARCINOMA DA PRÓSTATA O PAPEL DA PET: PET COM COLINA E PET COM PSMA CURSO CARCINOMA DA PRÓSTATA O PAPEL DA PET: PET COM COLINA E PET COM PSMA Paula Lapa Serviço de Medicina Nuclear Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra 14 de Novembro de 2015 IMAGEM MOLECULAR Tomografia

Leia mais

Joint SFBO-SBR-ALATRO Consensus Meeting Controversies on Radiotherapy Treatment. Breast Cancer

Joint SFBO-SBR-ALATRO Consensus Meeting Controversies on Radiotherapy Treatment. Breast Cancer Joint SFBO-SBR-ALATRO Consensus Meeting Controversies on Radiotherapy Treatment Breast Cancer Dra. Ana Carolina de Rezende ana.rezende@einstein.br Internal Mammary Nodal Chain Irradiation Dra. Ana Carolina

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Pâncreas

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Pâncreas Diretrizes Assistenciais Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Pâncreas Versão eletrônica atualizada em Julho - 2012 Protocolo de Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos:

Leia mais

Planeamento dosimétrico de tumores de pulmão VI Encontro Nacional das Ciências e Tecnologias da Saúde

Planeamento dosimétrico de tumores de pulmão VI Encontro Nacional das Ciências e Tecnologias da Saúde Planeamento dosimétrico de VI Encontro Nacional das Ciências e Tecnologias da Saúde Qual a técnica de irradiação a utilizar? RT Convencional 3DCRT IMRT SBRT Esta selecção depende muito dos equipamentos

Leia mais

S. C. SILVA; ANTÔNIO A. G. JUNIOR; LUANE A. MARTINS; 01 DE MAIO DE 2014.

S. C. SILVA; ANTÔNIO A. G. JUNIOR; LUANE A. MARTINS; 01 DE MAIO DE 2014. 1 Braquiterapia de Alta Taxa de Dose em tumores de pele não melanoma: Experiência do setor de Radioterapia do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia. ROSEANE E. M SILVA; EURÍPEDES.

Leia mais

Parede abdominal Ântero-lateral. Anatomia Aplicada a Medicina IV Prof. Sérvulo Luiz Borges

Parede abdominal Ântero-lateral. Anatomia Aplicada a Medicina IV Prof. Sérvulo Luiz Borges Parede abdominal Ântero-lateral Anatomia Aplicada a Medicina IV Prof. Sérvulo Luiz Borges Abdome A parte do tronco entre o tórax e a pelve, possui paredes musculotendíneas, exceto posteriormente onde a

Leia mais

Radioterapia no Cancro da Próstata*

Radioterapia no Cancro da Próstata* Acta Urológica 2005, 22; 1: 17-25 17 Radioterapia no Cancro da Próstata* Coordenadores: Angelo Oliveira, Isabel Monteiro Grillo, Maria Emília Monteiro Pereira, Paula Soares 1 2 2 3 4 5 Participantes: Ana

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Meduloblastoma

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Meduloblastoma Diretrizes Assistenciais Protocolo Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Meduloblastoma Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos:

Leia mais

Câncer de Bexiga Musculo Invasivo. Guilherme de Almeida Prado Costa Médico Assistente do Serviço de Urologia Hospital Amaral Carvalho Jaú/ São Paulo

Câncer de Bexiga Musculo Invasivo. Guilherme de Almeida Prado Costa Médico Assistente do Serviço de Urologia Hospital Amaral Carvalho Jaú/ São Paulo Câncer de Bexiga Musculo Invasivo Guilherme de Almeida Prado Costa Médico Assistente do Serviço de Urologia Hospital Amaral Carvalho Jaú/ São Paulo Epidemiologia 9º câncer mais comum no mundo Média de

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Anatomia humana de estruturas reunidas em um mesmo território anatômico e suas representações em exames de imagem normais.

PLANO DE ENSINO. Anatomia humana de estruturas reunidas em um mesmo território anatômico e suas representações em exames de imagem normais. NOME: ANATOMIA TOPOGRÁFICA E IMAGEM Código: IMA002 Carga horária: 120 HORAS-AULA (30 HORAS TEÓRICAS E 90 HORAS PRÁTICAS) Créditos: 08 Período do curso: 4 PERÍODO Pré-requisitos: FIB040 EMENTA PLANO DE

Leia mais

Radioterapia no tumor de Wilms: indicações e resultados

Radioterapia no tumor de Wilms: indicações e resultados Radioterapia no tumor de Wilms: indicações e resultados Drª Paula Monteiro Amorim Residente do 3 ano de radio-oncologia Hospital Araújo Jorge Goiânia- GO Introdução 5-7% das neoplasias infantis 6-9 casos/milhão

Leia mais

Sociedade Brasileira de Radioterapia SBRT Filiada à Associação Médica Brasileira - AMB

Sociedade Brasileira de Radioterapia SBRT Filiada à Associação Médica Brasileira - AMB Tratamento de tumores de reto e canal anal com radioterapia de intensidade modulada Autoria: Sociedade Brasileira de Radioterapia Elaboração final: 02 de março de 2014 Participantes: Chen MJ, Maia MAC,

Leia mais

TROCANDO IDÉIAS XX. MICROCARCINOMA: Quando indicar histerectomia?

TROCANDO IDÉIAS XX. MICROCARCINOMA: Quando indicar histerectomia? TROCANDO IDÉIAS XX MICROCARCINOMA: Quando indicar histerectomia? Gutemberg Almeida ISSVD UFRJ ABPTGIC Carcinoma Microinvasor IA1 - Invasão do estroma < 3 mm em profundidade e < 7 mm em extensão IA2 - Invasão

Leia mais

FANTOMA COMPUTACIONAL DE VOXEL, ASSOCIADO A FANTOMA REAL ANTROPOMÓRFICO ANTROPOMÉTRICO, PARA DOSIMETRIA EM RADIOTERAPIA DE PELVE MASCULINA

FANTOMA COMPUTACIONAL DE VOXEL, ASSOCIADO A FANTOMA REAL ANTROPOMÓRFICO ANTROPOMÉTRICO, PARA DOSIMETRIA EM RADIOTERAPIA DE PELVE MASCULINA 2005 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2005 Santos, SP, Brazil, August 28 to September 2, 2005 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 85-99141-01-5 FANTOMA COMPUTACIONAL DE

Leia mais

RADIOTERAPIA ESTEREOTÁXICA CORPÓREA

RADIOTERAPIA ESTEREOTÁXICA CORPÓREA RADIOTERAPIA ESTEREOTÁXICA CORPÓREA Bases da Radioterapia Tipos de Radioterapia Efeitos Colaterais Enf. Alexandre Barros Departamento de Radioterapia Hospital Israelita Albert Einstein - SP Paciente :

Leia mais

Braquiterapia Guiada por Imagem: Ponto de vista do radioterapeuta

Braquiterapia Guiada por Imagem: Ponto de vista do radioterapeuta Braquiterapia Guiada por Imagem: Ponto de vista do radioterapeuta Heloisa de Andrade Carvalho heloisa.carvalho@hc.fm.usp.br heloisa.carvalho@hsl.org.br Tumores ginecológicos Colo Incidência câncer colo

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar SNC baixo grau

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar SNC baixo grau Diretrizes Assistenciais Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar SNC baixo grau Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo de Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos:

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar CP não-operado

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar CP não-operado Diretrizes Assistenciais Protocolo Conduta da Assistência Médico- Hospitalar CP não-operado Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: -

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Estômago

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Estômago Diretrizes Assistenciais Protocolo Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Estômago Versão eletrônica atualizada em Julho - 2012 Protocolo Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: - manuseio

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE TÉCNICAS DE PLANEJAMENTO DE MAMA CONFORMACIONAL 3D, FORWARD IMRT, IMRT HÍBRIDO DE CAMPOS TANGENTES E IMRT INVERSO

COMPARAÇÃO ENTRE TÉCNICAS DE PLANEJAMENTO DE MAMA CONFORMACIONAL 3D, FORWARD IMRT, IMRT HÍBRIDO DE CAMPOS TANGENTES E IMRT INVERSO PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS FUNDAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ADMINISTRATIVO - FUNDAP COMPARAÇÃO ENTRE TÉCNICAS DE PLANEJAMENTO DE MAMA

Leia mais

Procedimentos relativos ao envio de amostras biológicas para o Serviço de. Anatomia Patológica

Procedimentos relativos ao envio de amostras biológicas para o Serviço de. Anatomia Patológica Serviço de Anatomia Patológica 10.01.2014 Procedimentos relativos ao envio de amostras biológicas para o Serviço de Anatomia Patológica Margarida Ferreira Mariana Cruz INTRODUÇÃO A qualidade de um exame

Leia mais

Apresentador JOSÉ EDUARDO CHICARELLI MARTIN

Apresentador JOSÉ EDUARDO CHICARELLI MARTIN Apresentador JOSÉ EDUARDO CHICARELLI MARTIN Acadêmico do 4º ano de Medicina Orientador Dr. Gustavo Viani Arruda Médico Radioncologista FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA/SP O presente trabalho foi submetido

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico-Hospitalar CP não-operado

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico-Hospitalar CP não-operado Diretrizes Assistenciais Protocolo Conduta da Assistência Médico-Hospitalar CP não-operado Versão eletrônica atualizada em Julho 2012 Protocolo Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: - manuseio

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná / Programa de Pós Graduação em Engenharia Biomédica, Curitiba, Paraná, Brasil,

Universidade Tecnológica Federal do Paraná / Programa de Pós Graduação em Engenharia Biomédica, Curitiba, Paraná, Brasil, Nº 1, volume 11, artigo nº 1, Janeiro/Março 2016 D.O.I: http://dx.doi.org/10.6020/1679-9844/v11n1a1 AVALIAÇÃO DE PROTOCOLO DE PREPARO PARA TOMOGRAFIA DE PLANEJAMENTO PARA PACIENTES SUBMETIDOS À RADIOTERAPIA

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Pâncreas

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Pâncreas Diretrizes Assistenciais Protocolo Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Pâncreas Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: - manuseio

Leia mais

ONCOLOGIA. Aula I Profª.Enfª: Darlene Carvalho (www.darlenecarvalho.webnode.com.br)

ONCOLOGIA. Aula I Profª.Enfª: Darlene Carvalho (www.darlenecarvalho.webnode.com.br) ONCOLOGIA Aula I Profª.Enfª: Darlene Carvalho (www.darlenecarvalho.webnode.com.br) CLASSIFICAÇÃO DAS CÉLULAS Lábeis Estáveis Perenes CLASSIFICAÇÃO DAS CÉLULAS Células lábeis: São aquelas em constante renovação

Leia mais

CÂNCER LARINGE. UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ Hospital Walter Cantídio Residência em Cirurgia de Cabeça e Pescoço CÂNCER DE LARINGE

CÂNCER LARINGE. UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ Hospital Walter Cantídio Residência em Cirurgia de Cabeça e Pescoço CÂNCER DE LARINGE UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ Hospital Walter Cantídio Residência em Cirurgia de Cabeça e Pescoço CÂNCER DE LARINGE GEAMBERG MACÊDO ABRIL - 2006 INTRODUÇÃO Câncer de cabeça e pescoço : 6º lugar. 90% são

Leia mais

Doenças orificiais: Tratamento da doença hemorroidária.

Doenças orificiais: Tratamento da doença hemorroidária. Congresso Norte Nordeste de Coloproctologia 2017 21 de abril de 2017 - Sexta-feira 07:50 às 08:00 Pré-abertura 08:00 às 09:00 Doenças orificiais: Tratamento da doença hemorroidária. Se complica por que

Leia mais

Radioterapia em Câncer de Cabeça e Pescoço

Radioterapia em Câncer de Cabeça e Pescoço Radioterapia em Câncer de Cabeça e Pescoço Michael Jenwei Chen Hospital Israelita Albert Einstein SP Hospital A. C. Camargo SP IV Board Review Curso de Revisão em Oncologia Clínica 18 a 20 de junho de

Leia mais

Sistema Urogenital. Feminino

Sistema Urogenital. Feminino Sistema Urogenital Feminino Osvaldo Pelozo Jr. Silvio A. Garbelotti Jr. VÍSCERAS PÉLVICAS E PERÍNEO 1 VÍSCERAS PÉLVICAS VÍSCERAS PÉLVICAS E PERÍNEO 2 BEXIGA URINÁRIA URETRA 3 ÚTERO E ANEXOS ÚTERO E ANEXOS

Leia mais

Gaia, PORTUGAL. Porto, PORTUGAL RESUMO

Gaia, PORTUGAL. Porto, PORTUGAL RESUMO Comparação dos efeitos secundários agudos da Radioterapia por Intensidade Modulada com a Radioterapia Tridimensional Conformada no carcinoma de Próstata A V Pereira 1, D Fonte 2 and L Alves 3 1 Curso de

Leia mais

Sociedade Brasileira de Radioterapia SBRT Filiada à Associação Médica Brasileira - AMB

Sociedade Brasileira de Radioterapia SBRT Filiada à Associação Médica Brasileira - AMB Tratamento de câncer da próstata com radioterapia de intensidade modulada Autoria: Sociedade Brasileira de Radioterapia Elaboração final: 23 de março de 2013 Participantes: Novaes PERS, Motta RT, Lundgren

Leia mais

Anatomia do trato urinário e genital

Anatomia do trato urinário e genital Anatomia do trato urinário e genital Anatomia renal: aspectos gerais Cássio Ricce*o Disciplina de Urologia - UNICAMP Anatomia renal: aspectos gerais Anatomia renal: aspectos topográficos Anatomia renal:

Leia mais

15º - AUDHOSP. Radioterapia: técnicas e conceitos. Prof. Dr. Harley Francisco de Oliveira

15º - AUDHOSP. Radioterapia: técnicas e conceitos. Prof. Dr. Harley Francisco de Oliveira 15º - AUDHOSP Radioterapia: técnicas e conceitos Prof. Dr. Harley Francisco de Oliveira ANO 2016 Estimativa de câncer no Brasil, 2016 Causa de Morte no Brasil, 2010 Melhor atendimento x Maior Cura Terapia

Leia mais

Características endoscópicas dos tumores neuroendócrinos retais podem prever metástases linfonodais? - julho 2016

Características endoscópicas dos tumores neuroendócrinos retais podem prever metástases linfonodais? - julho 2016 A incidência de tumores neuroendócrinos (TNE) retais tem aumentado ao longo dos últimos 35 anos. A maioria dos TNEs retais são diagnosticados por acaso, provavelmente devido ao aumento do número de sigmoidoscopias

Leia mais

Sociedade Brasileira de Radioterapia SBRT Filiada à Associação Médica Brasileira - AMB

Sociedade Brasileira de Radioterapia SBRT Filiada à Associação Médica Brasileira - AMB Tratamento de tumores da cabeça e pescoço com radioterapia de intensidade modulada Autoria: Sociedade Brasileira de Radioterapia Elaboração final: 10 de fevereiro de 2014 Participantes: Marta GN, Hanna

Leia mais

Leksell L Acta Chir Scand 101: , 1951

Leksell L Acta Chir Scand 101: , 1951 39ª Jornada Paulista de Radiologia (JPR 2009) 30 de abril a 3 de maio de 2009 Aplicações Clínicas da Radioterapia Estereotática Corporal Eduardo Weltman Disciplina de Radioterapia da Faculdade de Medicina

Leia mais

Qual o papel da braquiterapia para os sarcomas de retroperitônio?

Qual o papel da braquiterapia para os sarcomas de retroperitônio? Qual o papel da braquiterapia para os sarcomas de retroperitônio? Dr. Matheus Hermes Leal matleal@hotmail.com R3 Serviço de Radioterapia Hospital de Clínicas de Porto Alegre 30/04/2014 Introdução Neoplasias

Leia mais

Tratamento com Radio e Quimioterapia do Carcinoma Epidermóide do Canal Anal: Experiência do Hospital Barão de Lucena

Tratamento com Radio e Quimioterapia do Carcinoma Epidermóide do Canal Anal: Experiência do Hospital Barão de Lucena Tratamento com Radio e Quimioterapia do Carcinoma Epidermóide do Radiochemotherapy for Squamous Cell Carcinoma of the Anal Canal: Barao de Lucena Hospital Experience MAURILIO TOSCANO DE LUCENA 2, ADAUTO

Leia mais

XVI Reunião Clínico - Radiológica. Dr. RosalinoDalasen.

XVI Reunião Clínico - Radiológica. Dr. RosalinoDalasen. XVI Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalasen www.digimaxdiagnostico.com.br CASO 1 Paciente: M. G. A., 38 anos, sexo feminino. Queixa: Infecção do trato urinário de repetição. Realizou ultrassonografia

Leia mais

Sociedade Brasileira de Radioterapia SBRT Filiada à Associação Médica Brasileira - AMB

Sociedade Brasileira de Radioterapia SBRT Filiada à Associação Médica Brasileira - AMB Tratamento do câncer de mama com radioterapia de intensidade modulada Autoria: Sociedade Brasileira de Radioterapia Elaboração final: 27 de fevereiro de 2014 Participantes: Hanna SA, Marta GN, Gadia R.

Leia mais

Declaro não haver nenhum conflito de interesse.

Declaro não haver nenhum conflito de interesse. Declaro não haver nenhum conflito de interesse. Faculdade de Medicina do ABC Disciplina de Ginecologia Serviço do Prof. Dr. César Eduardo Fernandes Setor de Mastologia IVO CARELLI FILHO Maior dilema da

Leia mais

AVANÇOS NO DESENVOLVIMENTO DE FANTOMA ANTROPOMÓRFICO E ANTROPOMÉTRICO DE CABEÇA E PESCOÇO INFANTO-JUVENIL PARA DOSIMETRIA

AVANÇOS NO DESENVOLVIMENTO DE FANTOMA ANTROPOMÓRFICO E ANTROPOMÉTRICO DE CABEÇA E PESCOÇO INFANTO-JUVENIL PARA DOSIMETRIA 2005 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2005 Santos, SP, Brazil, August 28 to September 2, 2005 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 85-99141-01-5 AVANÇOS NO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

TUMOR MALIGNO DA BAINHA NEURAL PERIFÉRICA COM DIFERENCIAÇÃO RABDOMIOBLÁSTICA (TUMOR DE TRITON MALIGNO) PÓS-RADIOTERAPIA

TUMOR MALIGNO DA BAINHA NEURAL PERIFÉRICA COM DIFERENCIAÇÃO RABDOMIOBLÁSTICA (TUMOR DE TRITON MALIGNO) PÓS-RADIOTERAPIA TUMOR DE TRITON MALIGNO 547 RELATO DE CASO TUMOR MALIGNO DA BAINHA NEURAL PERIFÉRICA COM DIFERENCIAÇÃO RABDOMIOBLÁSTICA (TUMOR DE TRITON MALIGNO) PÓS-RADIOTERAPIA MALIGNANT PERIPHERAL NERVE SHEATH TUMOR

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar SNC alto grau

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar SNC alto grau Diretrizes Assistenciais Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar SNC alto grau Versão eletrônica atualizada em Julho 2012 Protocolo de Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos:

Leia mais

CÂNCER DO CANAL ANAL

CÂNCER DO CANAL ANAL Colégio Brasileiro de Radiologia Critérios de Adequação do ACR CÂNCER DO CANAL ANAL Painel de Especialistas em Radioterapia Grupo de Trabalho Retal/Anal: Madhu J. John, Médico 1 ; Bruce D. Minsky, Médico

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina VET101 Anatomia Veterinária I

Programa Analítico de Disciplina VET101 Anatomia Veterinária I 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Veterinária - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Número de créditos: 8 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal 6 8

Leia mais

SEGUNDO O INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER

SEGUNDO O INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER radioterapia Radioterapia no tratamento do câncer de próstata avançado Divulgação Robson Ferrigno * Coordenador dos Serviços de Radioterapia da Beneficência Portuguesa de São Paulo e do Centro Oncológico

Leia mais

Microcarcinoma cervical-questões: Seguimento: igual ao da NIC III?

Microcarcinoma cervical-questões: Seguimento: igual ao da NIC III? Microcarcinoma cervical-questões: : igual ao da NIC III? Yara Furtado Professora assistente da UNIRIO Médica do Ambulatório de Patologia Cervical do Instituto de Ginecologia da UFRJ FIGO Committee on Ginecologic

Leia mais

04/06/2012 OBJETIVOS. Biópsia Aspirativa Transbrônquica por Agulha Guiada pela Ultrassongrafia Endobrônquica (EBUS-TBNA) ECOBRONCOSCOPIA

04/06/2012 OBJETIVOS. Biópsia Aspirativa Transbrônquica por Agulha Guiada pela Ultrassongrafia Endobrônquica (EBUS-TBNA) ECOBRONCOSCOPIA Biópsia Aspirativa Transbrônquica por Agulha Guiada pela Ultrassongrafia Endobrônquica (EBUS-TBNA) ECOBRONCOSCOPIA Mauro Zamboni, MD, FCCP, MSc Pneumologista, Coordenador do Grupo de Oncologia Torácica

Leia mais

CÂNCER DE PRÓSTATA LINFONODO POSITIVO

CÂNCER DE PRÓSTATA LINFONODO POSITIVO Colégio Brasileiro de Radiologia Critérios de Adequação do ACR CÂNCER DE PRÓSTATA LINFONODO POSITIVO Painel de Especialistas em Radioterapia Grupo de Trabalho de Próstata: W. Robert Lee, Médico 1 ; Alan

Leia mais

PET/CT no estadiamento do câncer de esôfago e gástrico. Quando indicar?

PET/CT no estadiamento do câncer de esôfago e gástrico. Quando indicar? PET/CT no estadiamento do câncer de esôfago e gástrico. Quando indicar? ESÔFAGO ESÔFAGO - AVALIAÇÃO DO TUMOR PRIMÁRIO ULTRASSONOGRAFIA ENDOSCÓPICA É o método de escolha ESTADIAMENTO TUMORAL extensão do

Leia mais

OSSOS DO MEMBRO INFERIOR

OSSOS DO MEMBRO INFERIOR OSSOS DO MEMBRO INFERIOR ARTICULAÇÕES DO MEMBRO INFERIOR Articulação SacroiIíaca: Ligamento sacrotuberal Lig. sacroespinal Lig. Sacroilíacos post. e ant. Lig. Sacroilíacos interósseos Articulação

Leia mais

Radioterapia baseada em evidência no tratamento adjuvante do Câncer de Endométrio: RT externa e/ou braquiterapia de fundo vaginal

Radioterapia baseada em evidência no tratamento adjuvante do Câncer de Endométrio: RT externa e/ou braquiterapia de fundo vaginal Radioterapia baseada em evidência no tratamento adjuvante do Câncer de Endométrio: RT externa e/ou braquiterapia de fundo vaginal Paulo Eduardo Novaes, MD, PhD Departamento de Radioterapia Hospital AC

Leia mais

Radioterapia intraoperatória para o câncer de mama

Radioterapia intraoperatória para o câncer de mama Radioterapia intraoperatória para o câncer de mama Radioterapia Unidade Brasília Enfª Roberta Fiuza Nas últimas décadas têm ocorrido em todo o mundo aumento significativo da incidência do câncer de mama.

Leia mais

Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e os Registros de Câncer. Deborah Carvalho Malta CGDANT/DASIS/SVS/MS

Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e os Registros de Câncer. Deborah Carvalho Malta CGDANT/DASIS/SVS/MS Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e os Registros de Câncer Deborah Carvalho Malta CGDANT/DASIS/SVS/MS RCBP e Vigilância de DCNT Ferramenta para vigilância e monitoramento das neoplasias

Leia mais

Prevenção do Cancro do Ovário

Prevenção do Cancro do Ovário Área de Ginecologia/ Obstetrícia Serviço de Ginecologia Director de Área: Dr. Ricardo Mira Journal Club 15 de Maio 2015 Prevenção do Cancro do Ovário Raquel Lopes 7 de Abril de 2015 Cancro do Ovário 5ª

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA DO TRATAMENTO DO CÂNCER DE MAMA COM RADIOTERAPIA

MODELAGEM MATEMÁTICA DO TRATAMENTO DO CÂNCER DE MAMA COM RADIOTERAPIA MODELAGEM MATEMÁTICA DO TRATAMENTO DO CÂNCER DE MAMA COM RADIOTERAPIA TANISIA DE CARLI FOLETTO, GERSON FELDMANN 2, SUZI DARLI ZANCHETT WAHL 3 RESUMO Este artigo apresenta um modelo matemático não linear

Leia mais

Anatomia Geral. http://d-nb.info/1058614592. 1 Filogênese e Ontogênese Humanas. 5 Músculos. 6 Vasos. 2 Visão Geral do Corpo Humano

Anatomia Geral. http://d-nb.info/1058614592. 1 Filogênese e Ontogênese Humanas. 5 Músculos. 6 Vasos. 2 Visão Geral do Corpo Humano Anatomia Geral 1 Filogênese e Ontogênese Humanas 1.1 Filogênese Humana 2 1.2 Ontogênese Humana: Visão Geral, Fecundação e Estágios Iniciais do Desenvolvimento 4 1.3 Gastrulação, Neurulação e Formação dos

Leia mais

TÍTULO: ANÁLISE ANTROPOMÉTRICA DE SACROS DO SEXO MASCULINO E FEMININO DO ESTADO DE SÃO PAULO

TÍTULO: ANÁLISE ANTROPOMÉTRICA DE SACROS DO SEXO MASCULINO E FEMININO DO ESTADO DE SÃO PAULO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: ANÁLISE ANTROPOMÉTRICA DE SACROS DO SEXO MASCULINO E FEMININO DO ESTADO DE SÃO PAULO CATEGORIA:

Leia mais

- Papel da Quimioterapia Neo e

- Papel da Quimioterapia Neo e Carcinoma Urotelial de Bexiga: Tratamento Sistêmico na Doença Músculo-Invasiva - Papel da Quimioterapia Neo e Adjuvante Igor A. Protzner Morbeck, MD, MSc Prof. Medicina Interna Univ. Católica de Brasília

Leia mais

Sociedade Brasileira de Radioterapia SBRT Filiada à Associação Médica Brasileira - AMB

Sociedade Brasileira de Radioterapia SBRT Filiada à Associação Médica Brasileira - AMB Diretrizes para tratamento de tumores da cabeça e pescoço com radioterapia de intensidade modulada (do inglês Intensity Modulated Radiotherapy, IMRT) Autores Gustavo Nader Marta Samir Abdallah Hanna Marcus

Leia mais

Sociedade Brasileira de Radioterapia SBRT Filiada à Associação Médica Brasileira - AMB. Tratamento de tumores ginecológicos com radioterapia

Sociedade Brasileira de Radioterapia SBRT Filiada à Associação Médica Brasileira - AMB. Tratamento de tumores ginecológicos com radioterapia Tratamento de tumores ginecológicos com radioterapia Autoria: Sociedade Brasileira de Radioterapia Elaboração final: 28 de fevereiro de 2014. Participantes: Castilho M, Pimentel LFC, Ferrigno R. DESCRIÇÃO

Leia mais

XIV Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalazen.

XIV Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalazen. XIV Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalazen www.digimaxdiagnostico.com.br CASO CLÍNICO 1 Pcte do sexo feminino com queixa de dor abdominal difusa. Coronal Sagital Laudo Aspecto compatível

Leia mais

SÍLVIA MOREIRA FEITOSA

SÍLVIA MOREIRA FEITOSA SÍLVIA MOREIRA FEITOSA ANÁLISE COMPARATIVA DOS HISTOGRAMAS DE DOSE E VOLUME ENTRE PLANEJAMENTOS CONFORMACIONADOS E NÃO CONFORMACIONADOS EM CÂNCER DE PRÓSTATA Tese apresentada à Universidade Federal de

Leia mais