P.º n.º R.P. 169/2011 SJC-CT Conversão do arresto em penhora. DELIBERAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "P.º n.º R.P. 169/2011 SJC-CT Conversão do arresto em penhora. DELIBERAÇÃO"

Transcrição

1 P.º n.º R.P. 169/2011 SJC-CT Conversão do arresto em penhora. DELIBERAÇÃO Sobre o prédio da ficha nº, da freguesia de..., da Conservatória do Registo Predial de prédio urbano situado na Rua...,, inscrito na respectiva matriz sob o artigo -, aliás aberta para registar o facto, foi registado arresto ordenado no Proc. do Tribunal de Família e de Menores e da Comarca de, em que foi requerente..., Ldª e requeridos e, de cuja inscrição figura a quantia de ,00 euros (ap.... de 2010/03/11, efectuada pela Conservatória do Registo Predial de ). Pela ap. de 2011/05/23 na Conservatória ora recorrida foi averbado ao registo de arresto que por despacho de (proferido pelo Mmo Juiz daquela providência cautelar) foi rectificado no sentido de passar a constar que o montante do crédito a garantir é de ,07 Euros. Na data deste averbamento de rectificação já estava registada na ficha (pela Conservatória do Registo Predial ap. de 2010/12/30) penhora a favor do Banco, de cuja inscrição consta a quantia exequenda de ,16 euros. Pela ap. de 2011/06/06 o ora recorrente requisitou presencialmente na Conservatória recorrida a conversão em penhora do arresto objecto da citada inscrição lavrada pela ap. de 2010/03/11 no prédio da ficha nº, da freguesia de, da Conservatória do Registo Predial de, ( ) para garantia do pagamento da dívida exequenda de ,62 Euros e despesas previsíveis da execução de 6 298,13 ( ), juntando, para além de certidão matricial, o comprovativo da identificação do agente de execução, o duplicado do requerimento executivo que deu origem ao Proc. do Tribunal de Família e de Menores e da Comarca de, e despacho proferido neste processo pela M.ma Juíza em , segundo o qual «O Sr. Agente de Execução deverá proceder à conversão do arresto em penhora relativamente ao bem imóvel melhor identificado nos autos de Procedimento Cautelar Apenso, nos termos e para os efeitos do disposto no art. 846º do Código de Processo Civil». Inicialmente foi averbada a conversão em penhora quanto à quantia exequenda de ,00 Euros, mencionando-se que a inscrição averbada era a que havia sido efectuada pela ap. de 2010/12/30. 1

2 Porém, em 2011/06/14, oficiosamente foi averbado que a inscrição convertida foi registada a coberto da apresentação nº de 11 de Março de 2010 (por lapso escreveuse 2011). Na mesma data ( ) a Senhora Conservadora ora recorrida exarou despacho de qualificação do seguinte teor: A conversão do arresto em penhora apenas se defere quanto à quantia inicial de registo de arresto pelas seguintes razões: A conversão em penhora da inscrição de arresto faz reportar os efeitos ao registo desta. Após o registo de arresto ingressou um registo de penhora. Ora, no caso concreto, foi registada, já em 2011 [por lapso escreveu-se 2001], uma rectificação à referida inscrição de arresto, quanto à quantia pelo qual o arresto foi promovido, que malgrado a sua natureza rectificativa, consistiu afinal numa ampliação do mesmo. Assim, devido ao princípio da prioridade e à protecção dos terceiros com direitos inscritos, não [é] possível a conversão pura e simples do arresto. Terá de ser lavrada uma nova inscrição de penhora quanto à restante quantia exequenda. Este despacho foi notificado ao «apresentante» em Em 13 de Julho de 2011 (ap. ) foi interposto o presente recurso hierárquico, cujos termos aqui se dão por integralmente reproduzidos. Em 20 de Julho de 2011 a Senhora Conservadora recorrida exarou despacho de sustentação, cujos termos também aqui se dão por integralmente reproduzidos. Saneamento: O processo é o próprio, as partes legítimas, o recurso tempestivo, e inexistem questões prévias ou prejudiciais que obstem ao conhecimento do mérito. Pronúncia: A posição deste Conselho vai expressa na seguinte Deliberação 2

3 1- Deferindo-se o pedido de registo apenas em parte, sobre a parte do pedido não deferida deve recair despacho de qualificação com notificação ao «apresentante» e deve ainda a mesma ser anotada na respectiva ficha (cfr. art.s 69º, nº 3, e 71º, nº 1, do C.R.P.) Tendo sido rectificado registo de arresto quanto à quantia por que o mesmo se promove (aumentando no registo essa quantia), ainda que à data do pedido de rectificação já se encontre em vigor sobre o prédio arrestado registo de penhora efectuado posteriormente àquele registo de arresto, o averbamento de conversão do arresto em penhora não pode ser recusado quanto à quantia objecto da rectificação, com o pretexto de que se trata de ampliação da substância da inscrição Não está neste momento em tabela a requalificação (o mérito) do pedido de registo formulado através da ap.... de 2011/06/06. O ponto que agora pretendemos realçar é que, a nosso ver e salvo o devido respeito, a Senhora Conservadora não procedeu na qualificação (no procedimento) do pedido de registo de acordo com as normas legais pertinentes. Não negamos, em tese, que o pedido de registo poderá ser deferido só em parte (já Catarino Nunes, in Código do Registo Predial anotado, 1968, pág. 491, se pronunciou sobre o ponto em sentido afirmativo). O que contestamos é que sobre a parte do pedido não deferida não só não tenha incidido oportunamente despacho de qualificação como também não tenha a recusa parcial sido anotada na respectiva ficha, logo após a feitura do averbamento de conversão parcial do arresto em penhora. A falha da emissão de despacho de qualificação com notificação ao «apresentante» foi colmatada passado algum tempo. Mas a ficha de registo ainda é omissa quanto à anotação da recusa parcial da conversão do arresto em penhora e à anotação da data da notificação ao «apresentante» desta recusa parcial, o que torna a anotação da interposição do presente recurso hierárquico (cfr. art. 148º, nº 1, do C.R.P.) algo incompreensível face aos «registos anteriores» (cfr. art. 68º do C.R.P.), porquanto da ficha de registo, maxime do averbamento lançado através da ap. de 2011/06/06, não se pode retirar a conclusão de que foi em parte recusado o pedido de registo de conversão do arresto em penhora. Sendo certo que só são impugnáveis as decisões do conservador de «recusa da prática do acto de registo nos termos requeridos» (cfr. art. 140º, nº 1, do C.R.P.). Justifica-se, assim, a bem da transparência jurídico-tabular, que as apontadas omissões sejam, ainda que a destempo, colmatadas na ficha de registo. 2 - a. Importa desde já proceder à delimitação do objecto do presente recurso hierárquico. Como resulta linearmente do relatório, o recurso hierárquico tem por objecto a decisão, aliás tardiamente formalizada em despacho (de ), que, ainda que por forma tabularmente inexpressiva, recusou a conversão do arresto em penhora na parte excedente à quantia (de ,00 ) inicialmente inscrita. Por outro lado, importa acentuar que o recorrente, no último artigo (36º) da sua douta e extensa petição de recurso, afirmou o seguinte: «Pelo que salvo melhor entendimento o registo de conversão do arresto em penhora deverá ser lavrado sem qualquer outra menção senão a de convertido [o arresto] em penhora Processo nº Tribunal de Família e de Menores e Comarca de». 3

4 Portanto, decorre do exposto que o nosso dever consiste em proceder à requalificação do pedido de registo a que se refere a ap. de 2011/06/06, pedido este cuja satisfação ao nível da ficha de registo, de acordo com o próprio recorrente, se deve limitar à menção da conversão do arresto em penhora e à identificação do processo onde ocorreu tal conversão. Não está, assim, em tabela no presente recurso nem a requalificação do pedido de registo do arresto, efectuado pela ap. de 2010/03/11, nem a apreciação da rectificação deste registo efectuada a coberto da ap. de 2011/05/23, nem a valorização da declaração do «apresentante» ora recorrente prestada na requisição de registo de que a penhora garantia o pagamento da dívida exequenda de ,62 e despesas previsíveis da execução de 6 298,13 -, a qual, perante o afirmado na p.r., não pode ter o sentido de pretensão de que no averbamento de conversão do arresto em penhora constem estes montantes. b. Prestados os esclarecimentos que antecedem, haverá agora que reflectir sobre a resposta adequada ao pedido de registo. Vejamos. b.1. O arresto vem inserido no nosso Código Civil como meio de conservação da garantia patrimonial. Quanto aos efeitos que produz, o nº 1 do art. 622º do C.C. diz-nos que «Os actos de disposição dos bens arrestados são ineficazes em relação ao requerente do arresto, de acordo com as regras próprias da penhora» (cfr. art. 819º do C.C.). E segundo o nº 2 do mesmo art. 622º «Ao arresto são extensivos, na parte aplicável, os demais efeitos da penhora». Sobre este nº 2 do art. 622º do C.C., concretamente sobre a questão de saber se o arresto, enquanto não convertido em penhora, constitui ou não garantia real sobre os bens apreendidos de que é titular o requerente do arresto, a doutrina encontra-se dividida mas a jurisprudência tem entendido que o arresto não convertido em penhora não goza da preferência que o nº 1 do art. 822º do C.C. atribui à penhora (sobre o estado da jurisprudência e da doutrina nesta matéria, consulte-se o recente Acórdão do Tribunal da Relação de Coimbra de 2011/09/20 proferido no Proc. nº 260/10.9TBNLS.C1, disponível em Não temos que nos pronunciar sobre esta questão. Apenas diremos que, para quem defenda a tese da não preferência derivada do arresto não convertido em penhora, a preferência resultará da penhora, cuja anterioridade se reporta à data do arresto (cfr. o nº 2 do art. 822º do C.C.). Sobre a génese do nº 2 do art. 622º e sobre a interpretação do nº 2 do art. 822º, ambos do C.C., consulte-se o Acórdão do S.T.J. de 2007/05/03, ponto IX, proferido no Proc. nº 07B747, disponível em b.2. O arresto dos autos foi registado por inscrição e dele consta a quantia de ,00. Afigura-se-nos líquido que esta deve ser considerada a quantia por que se promoveu o arresto, menção que o art. 95º, nº 1, l), do C.R.P. exige que figure no extracto da inscrição. E esta expressão quantia por que se promove o arresto tem o mesmo significado que a expressão montante do crédito que se pretende garantir, utilizada no Código de Processo Civil de há longa data [cfr. art. 313º, nº 3, e), do Código actual, e art. 323º, a), do Código de 1939 aprovado pelo Decreto-Lei nº 29:637 de 28 de Maio de 1939). b.3. Em 2011/05/23 (ap. ) foi averbado à inscrição do arresto: Rectificado por despacho de no sentido de passar a constar que o montante do crédito a garantir é de ,07 Euros. Qual o significado deste averbamento? A nosso ver, o alcance deste averbamento só pode ser o de rectificar a menção da quantia por que se promove o arresto (ou, o que vale o mesmo, o montante do crédito que se pretende garantir), de ,00 para ,07. 4

5 provimento. Nos termos expostos, é entendimento deste Conselho que o recurso merece Este averbamento é definitivo, pelo que não podia ser posto em causa em sede de qualificação do pedido de registo de conversão do arresto em penhora e não pode agora ser posto em causa em sede de requalificação deste mesmo pedido (cfr. art.s 17º, nº 1, e 126º, nº 3, a contrario, ambos do C.R.P.). Irrelevante e despropositado se nos afigura, pois, suscitar nesta sede a questão de saber se com este averbamento foi ou não ampliada a substância da inscrição de arresto lavrada pela ap. de 2010/03/11, e a sub-questão de saber se o titular da inscrição de penhora efectuada pela ap. de 2010/12/30 deve ou não ser prejudicado (na verificação e graduação dos créditos cfr. art.s 865º, nº 5, 868º e 871º, todos do C.P.C.) com a rectificação. b.4. Sem embargo do anteriormente exposto, um ponto importa esclarecer. Trata-se de saber se a rectificação de registo que implique ampliação da substância da inscrição pode/deve ser efectuada por averbamento. Diz-nos o nº 2 do art. 100º do C.R.P.: «Salvo disposição em contrário, o facto que amplie o objecto ou os direitos e os ónus ou encargos, definidos na inscrição, apenas poderá ser registado mediante nova inscrição». Se o registo é inexacto, porque se mostra desconforme com o título que lhe serviu de base ou enferma de deficiências provenientes desse título que não sejam causa de nulidade (cfr. art. 18º, nº 1, do C.R.P.), a rectificação deste registo implica o ingresso tabular de um facto que pode ou não ampliar o objecto ou os direitos e os ónus ou encargos já inscritos à data da rectificação. Claro está que, tratando-se de rectificação, o ingresso tabular do facto em que a mesma (rectificação) se traduz tem a data do registo rectificado (e não a data da rectificação). Em face do exposto, bem se compreende que a rectificação do registo seja feita, em regra, por averbamento (cfr. art. 121º, nº 3, do C.R.P.), ainda que implique ampliação da substância da inscrição rectificada, por isso mesmo se justificando a norma do art. 122º do C.R.P., sobre os efeitos da rectificação. E também se compreende que a citada norma do nº 2 do art. 100º do C.R.P. comece pela expressão Salvo disposição em contrário, que direcciona o intérprete exactamente para aquela, também citada, norma do nº 3 do art. 121º do C.R.P. (tal como Catarino Nunes, ob. cit., pág. 440, a propósito do nº 2 do art. 193º do Código do Registo Predial de 1967, também não conhecemos outra norma que preencha aquela expressão). Não podemos, assim, concordar com a tese do recorrente, a qual, se bem ajuizamos, assenta no pressuposto de que o averbamento à inscrição nunca envolve ampliação da substância da inscrição rectificada. b.5. Aqui chegados, de acordo com a fundamentação que alinhámos, não hesitamos em requalificar o pedido de registo de conversão do arresto em penhora como totalmente procedente. E confessamos não entender a fundamentação da Senhora Conservadora recorrida, sobretudo se atentarmos em que a rectificação do registo de arresto também foi por si efectuada. Não alcançamos o fundamento da sua tese, segundo a qual, se bem interpretamos o seu pensamento, a rectificação do registo de arresto não prejudica o titular inscrito do registo da penhora mas já prejudica este titular inscrito o registo (averbamento) de conversão do arresto em penhora. 5

6 Deliberação aprovada em sessão do Conselho Técnico de 14 de Dezembro de João Guimarães Gomes de Bastos, relator. Esta deliberação foi homologada pelo Exmo. Senhor Presidente em

Pº R.P. 241/2008 SJC-CT-

Pº R.P. 241/2008 SJC-CT- Pº R.P. 241/2008 SJC-CT- Acção proposta no âmbito do artº 205º CPEREF- Ordem de separação de determinado prédio da massa falida Cancelamento de hipotecas e penhoras Insuficiência do título. DELIBERAÇÃO

Leia mais

P.º n.º R.P. 212/2010 SJC-CT Penhora. Registo de aquisição de imóvel penhorado. Averbamento à descrição. Recusa. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 212/2010 SJC-CT Penhora. Registo de aquisição de imóvel penhorado. Averbamento à descrição. Recusa. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 212/2010 SJC-CT Penhora. Registo de aquisição de imóvel penhorado. Averbamento à descrição. Recusa. DELIBERAÇÃO A ficha... descreve um terreno para construção com a área de 2 080m2, inscrito

Leia mais

P.º R. P. 184/2009 SJC-CT

P.º R. P. 184/2009 SJC-CT P.º R. P. 184/2009 SJC-CT Transferência de património, ao abrigo do D. L. n.º 112/2004 de 13 de Maio, entre dois organismos integrantes do sistema de segurança social, o Instituto da... e o Instituto Recusa

Leia mais

P.º n.º R.P. 192/2011 SJC-CT Declaração de nulidade da venda por sentença. Cancelamento do registo de aquisição. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 192/2011 SJC-CT Declaração de nulidade da venda por sentença. Cancelamento do registo de aquisição. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 192/2011 SJC-CT Declaração de nulidade da venda por sentença. Cancelamento do registo de aquisição. DELIBERAÇÃO A. A ficha informática da freguesia de, do concelho da que descreve o 1º andar

Leia mais

Pº R. Co. 25/2006 DSJ-CT. Recorrente: Caixa de Crédito Agrícola Mútuo. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de.

Pº R. Co. 25/2006 DSJ-CT. Recorrente: Caixa de Crédito Agrícola Mútuo. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Pº R. Co. 25/2006 DSJ-CT. Recorrente: Caixa de Crédito Agrícola Mútuo. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Registo a qualificar: Transmissão de dívida com hipoteca a favor de P Sociedade

Leia mais

P.º n.º R.P. 43/2010 SJC-CT Transmissão de locação financeira. Recusa. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 43/2010 SJC-CT Transmissão de locação financeira. Recusa. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 43/2010 SJC-CT Transmissão de locação financeira. Recusa. DELIBERAÇÃO 1., advogado, apresentou na Conservatória do Registo Predial de, no dia de de ( Ap. ), um pedido de registo a que chamou

Leia mais

P.º n.º R.P. 242/2010 SJC-CT

P.º n.º R.P. 242/2010 SJC-CT P.º n.º R.P. 242/2010 SJC-CT Prédio inscrito a favor dos autores da herança. Pagamento das dívidas destes. Penhora. Habilitação dos herdeiros. Identificação dos sujeitos. Documento bastante. DELIBERAÇÃO

Leia mais

P.º R. P. 113/2005 DSJ-CT:

P.º R. P. 113/2005 DSJ-CT: P.º R. P. 113/2005 DSJ-CT: Renovação de registo provisório de aquisição lavrado com base em contrato-promessa de alienação. Documento comprovativo do consentimento das partes. Declarações complementares

Leia mais

Pº R.P. 132/2008 SJC-CT

Pº R.P. 132/2008 SJC-CT Pº R.P. 132/2008 SJC-CT - Impugnação de decisão de recusa, consoante respeite a acto de registo nos termos requeridos ou rectificação de registos ( nºs 1 e 2, respectivamente, do art. 140º do C.R.P.) Interpretação

Leia mais

P.º R. P. 191/2008 SJC-CT- Aquisição em processo de execução rejeição da apresentação - gratuitidade do registo. DELIBERAÇÃO Relatório

P.º R. P. 191/2008 SJC-CT- Aquisição em processo de execução rejeição da apresentação - gratuitidade do registo. DELIBERAÇÃO Relatório P.º R. P. 191/2008 SJC-CT- Aquisição em processo de execução rejeição da apresentação - gratuitidade do registo. DELIBERAÇÃO Relatório 1. Em 01/09/2008 foi apresentado, na Conservatória do Registo Predial

Leia mais

Pº R.P. 12/2009 SJC-CT-

Pº R.P. 12/2009 SJC-CT- Pº R.P. 12/2009 SJC-CT- Recusa do pedido de registo com base em culpa leve do serviço de registo Restituição do emolumento - descrição do caso em especial. Relatório: DELIBERAÇÃO Pela Ap. 45, de 11 de

Leia mais

P.º n.º R.P. 123/2009 SJC-CT

P.º n.º R.P. 123/2009 SJC-CT P.º n.º R.P. 123/2009 SJC-CT - Aquisição. Usucapião. Justificação notarial para reatamento do trato sucessivo. Imposto de selo. Decreto-Lei n.º 116/2008, de 4 de Julho. Doação. Caducidade do ónus de eventual

Leia mais

N/Referência: PºR.P.95/2016 STJ-CC Data de homologação:

N/Referência: PºR.P.95/2016 STJ-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 59/ CC /2016 N/Referência: PºR.P.95/2016 STJ-CC Data de homologação: 23-10-2016 Recorrente: Município de P... Recorrido: Conservatória do Registo Predial

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório:

DELIBERAÇÃO. Relatório: Pº R.P. 217/2006 DSJ-CT- Cancelamento de registo de hipoteca Título para registo Requerimento dirigido ao conservador, invocativo da prescrição Recusa. Relatório: DELIBERAÇÃO Do prédio urbano descrito

Leia mais

Registo a qualificar: Transformação da sociedade recorrente, requisitado pela Ap. 4 de e efectuado pela Ap. 38 de

Registo a qualificar: Transformação da sociedade recorrente, requisitado pela Ap. 4 de e efectuado pela Ap. 38 de Pº R.Co. 9/2010 SJC-CT. Recorrente: Agro-, S.A. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Registo a qualificar: Transformação da sociedade recorrente, requisitado pela Ap. 4 de 13.02.2010 e efectuado

Leia mais

Pº R.Bm.1/2013 SJC-CT

Pº R.Bm.1/2013 SJC-CT Pº R.Bm.1/2013 SJC-CT Recorrente:. Banque Sucursal Portugal. Sumário: Registo de penhora de veículo provisório por natureza (art. 92º/2/a) do Código do Registo Predial) Certificação pelo Tribunal de que

Leia mais

P.º n.º R.P. 193/2010 SJC-CT Transmissão da posição contratual. Averbamento à inscrição de aquisição do direito de superfície.

P.º n.º R.P. 193/2010 SJC-CT Transmissão da posição contratual. Averbamento à inscrição de aquisição do direito de superfície. P.º n.º R.P. 193/2010 SJC-CT Transmissão da posição contratual. Averbamento à inscrição de aquisição do direito de superfície. DELIBERAÇÃO 1. O prédio descrito sob nº... da freguesia de foi, na dependência

Leia mais

R.P. 140, /2006 DSJ-CT-

R.P. 140, /2006 DSJ-CT- P.ºs R.P. 140, 141 e 142/2006 DSJ-CT- Averbamento de alteração da inscrição de aquisição Modificação subjectiva Alteração da firma ou denominação de sociedade estrangeira (no âmbito de transferência de

Leia mais

P.º R. P. 231/2007 DSJ-CT

P.º R. P. 231/2007 DSJ-CT P.º R. P. 231/2007 DSJ-CT -Transacção judicial Registo de aquisição Título Reconhecimento do direito de propriedade Trato sucessivo Obrigações fiscais. DELIBERAÇÃO Vem o presente recurso hierárquico interposto

Leia mais

N/Referência: Pº R.P.5/2015 STJ-CC Data de homologação:

N/Referência: Pº R.P.5/2015 STJ-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 52/ CC /2015 N/Referência: Pº R.P.5/2015 STJ-CC Data de homologação: 26-03-2015. Banco, S.A.. Conservatória do Registo Predial de. Assunto: Descrição aberta

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório

DELIBERAÇÃO. Relatório P.º n.º R. P. 188/2008 SJC-CT- Escritura de revogação de justificação notarial. Cancelamento do registo de aquisição titulado por escritura de justificação. Direitos inscritos a favor de terceiros. DELIBERAÇÃO

Leia mais

- 1 - Pº R.Co.27/2009 SJC-CT

- 1 - Pº R.Co.27/2009 SJC-CT - 1 - Pº R.Co.27/2009 SJC-CT Recorrente: Joaquim. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial do. Acto impugnado: Indeferimento liminar de pedidos de rectificação das inscrições 3 e 4 relativas à sociedade

Leia mais

Proc. R.C. 3/2008 SJC CT. Parecer

Proc. R.C. 3/2008 SJC CT. Parecer Proc. R.C. 3/2008 SJC CT Parecer Recurso hierárquico. Aquisição da nacionalidade portuguesa por efeito de adopção por decisão transitada em julgado antes da entrada em vigor da Lei n.º 37/81, de 3 de Outubro.

Leia mais

N/Referência: P.º R.P. 118/2016 STJSR-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º R.P. 118/2016 STJSR-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 1/ CC /2017 N/Referência: P.º R.P. 118/2016 STJSR-CC Data de homologação: 20-01-2017 Recorrente: Francisco J.., representado por Constantino.., advogado.

Leia mais

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES O Estatuto da Câmara dos Solicitadores, aprovado pelo Decreto-Lei 88/2003, de 26 de Abril, no seu artigo 102º, prevê que os solicitadores podem

Leia mais

P.º n.º R.P. 92/2011 SJC-CT Procedimento especial de transmissão, oneração e registo imediato de imóveis (Casa Pronta) DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 92/2011 SJC-CT Procedimento especial de transmissão, oneração e registo imediato de imóveis (Casa Pronta) DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 92/2011 SJC-CT Procedimento especial de transmissão, oneração e registo imediato de imóveis (Casa Pronta) DELIBERAÇÃO 1. No âmbito de procedimento casa pronta 1, a Senhora Notária Afecta à

Leia mais

N/Referência: PROC.: C. Bm. 48/2014 STJ-CC Data de homologação: PARECER

N/Referência: PROC.: C. Bm. 48/2014 STJ-CC Data de homologação: PARECER N.º 28/ CC /2014 N/Referência: PROC.: C. Bm. 48/2014 STJ-CC Data de homologação: 17-12-2014 Consulente: Conservatória do Registo Comercial e de Automóveis de.... Assunto: Palavras-chave: Registos de apreensão,

Leia mais

P.º n.º R.P. 92/2010 SJC-CT Aquisição. Contrato promessa. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 92/2010 SJC-CT Aquisição. Contrato promessa. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 92/2010 SJC-CT Aquisição. Contrato promessa. DELIBERAÇÃO 1. Indicando como objecto mediato o prédio descrito sob o nº... da freguesia de..., o recorrente apresentou na Conservatória do Registo

Leia mais

PARECER. Para a fundamentação de direito são invocados os artigos 68.º e 70.º do Código do Registo Predial.

PARECER. Para a fundamentação de direito são invocados os artigos 68.º e 70.º do Código do Registo Predial. P.º n.º R.P. 17/2013 STJ-CC Registo de incidente deduzido em processo de execução fiscal. Princípio do trato sucessivo. Despacho de provisoriedade por dúvidas. PARECER 1 O presente recurso hierárquico

Leia mais

N/Referência: P.º R.P. 117/2016 STJSR-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º R.P. 117/2016 STJSR-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 66/ CC /2016 N/Referência: P.º R.P. 117/2016 STJSR-CC Data de homologação: 16-12-2016 Recorrente:..-ALUGUER DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO, LDA Recorrido: Conservatória

Leia mais

Pº R. Bm. 9/2008 SJC-CT Recorrente: Ana, advogada. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de.

Pº R. Bm. 9/2008 SJC-CT Recorrente: Ana, advogada. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Pº R. Bm. 9/2008 SJC-CT Recorrente: Ana, advogada. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Relatório 1. Com data de 13 de Outubro de 2008 ( cuja apresentação só foi anotada no Diário no dia 20090624,

Leia mais

P.º R. P. 240/2008 SJC-CT-

P.º R. P. 240/2008 SJC-CT- P.º R. P. 240/2008 SJC-CT- Escritura de partilha. Cumulação dos bens de heranças distintas. Qualificação do pedido de registo respeitante aos imóveis partilhados. DELIBERAÇÃO Relatório 1 Em 12 de Setembro

Leia mais

Pº R. P. 180/2008 SJC-CT

Pº R. P. 180/2008 SJC-CT Pº R. P. 180/2008 SJC-CT - Inscrição de aquisição em comum e sem determinação de parte ou direito Prédio urbano constituído por várias moradias a que correspondem diferentes artigos matriciais Divergência

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Diário da República, 1.ª série N.º 163 25 de Agosto de 2008 5889 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Centro Jurídico Declaração de Rectificação n.º 46/2008 Ao abrigo da alínea h) do n.º 1 e do n.º 2 do

Leia mais

Comercial de M. d e Can aveses, frente à pretensão da A. no sentido de r ectificar o

Comercial de M. d e Can aveses, frente à pretensão da A. no sentido de r ectificar o PN 254.06-5; Ag: TC M. Canaveses 2º J. ( Ag.e: Ag.a: Em Conferência, no Tribunal da Relação do Porto. I. INTRODUÇÃO: (a) A recorrente não se conformou com a decisão de 1ª instância, que manteve o despacho

Leia mais

Tribunal de Contas. Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário

Tribunal de Contas. Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário 1. São duas as questões suscitadas pelo Demandado: - uma que respeita a competência do relator para a decisão tomada e a eventual nulidade

Leia mais

Pº R. Co. 22/2009 SJC-CT. Recorrente: Clube de Futebol. Recorrida: Conservatória do Registo Predial/Comercial de..

Pº R. Co. 22/2009 SJC-CT. Recorrente: Clube de Futebol. Recorrida: Conservatória do Registo Predial/Comercial de.. Pº R. Co. 22/2009 SJC-CT. Recorrente: Clube de Futebol. Recorrida: Conservatória do Registo Predial/Comercial de.. Registo a qualificar: Constituição da sociedade. Futebol SAD com designação dos membros

Leia mais

XIX ENCONTRO NACIONAL DA APAJ. Porto, 20 e 21 de janeiro de 2017

XIX ENCONTRO NACIONAL DA APAJ. Porto, 20 e 21 de janeiro de 2017 XIX ENCONTRO NACIONAL DA APAJ Porto, 20 e 21 de janeiro de 2017 Foi solicitado à ASCR pelo Dr. Inácio Peres uma breve exposição sobre algumas questões notariais e registrais no âmbito da insolvência. Como

Leia mais

Diploma. Aprova o Regulamento do Registo Comercial

Diploma. Aprova o Regulamento do Registo Comercial Diploma Aprova o Regulamento do Registo Comercial O Decreto-Lei n.º 76-A/2006, de 29 de Março, procedeu a uma profunda alteração do Código do Registo Comercial, designadamente, com a eliminação da competência

Leia mais

Consulta ao Registo Predial - Por Descrição Predial

Consulta ao Registo Predial - Por Descrição Predial Consulta ao Registo Predial - Por Descrição Predial - Agente de Execução - EMANUEL SILVA Data: 17-08-2017 10:53 Processo Interno: PE-102/2014 Conservatória: 000449 Processo Tribunal: 3559/13.9T2AGD Código

Leia mais

Certidão Permanente. Código de acesso: GP DESCRIÇÕES - AVERBAMENTOS - ANOTAÇÕES

Certidão Permanente. Código de acesso: GP DESCRIÇÕES - AVERBAMENTOS - ANOTAÇÕES Certidão Permanente Código de acesso: GP-1094-88962-010103-003679 DESCRIÇÕES - AVERBAMENTOS - ANOTAÇÕES URBANO SITUADO EM: Forcada ÁREA TOTAL: 694 M2 ÁREA COBERTA: 214 M2 ÁREA DESCOBERTA: 480 M2 VALOR

Leia mais

do CRP, ou seja, 30 dias a contar da data da titulação dos factos ou da data do pagamento das obrigações fiscais, quando haja lugar às mesmas.

do CRP, ou seja, 30 dias a contar da data da titulação dos factos ou da data do pagamento das obrigações fiscais, quando haja lugar às mesmas. P.º n.º RP 169/2010 SJC-CT Obrigação de registar. Prédio indevidamente identificado no pedido de registo. Artigo 73.º, n.º 7 do Código do Registo Predial. PARECER 1. Em / /, foi pedido por via electrónica

Leia mais

INFORMAÇÃO PREDIAL SIMPLIFICADA

INFORMAÇÃO PREDIAL SIMPLIFICADA INFORMAÇÃO PREDIAL SIMPLIFICADA Disponíveis ou a disponibilizar no site www.predialonline.mj.pt os seguintes serviços: Certidão permanente Anúncio para a manifestação do direito legal de preferência Pedidos

Leia mais

Recorrida: Conservatória do Registo Automóvel do

Recorrida: Conservatória do Registo Automóvel do R. Bm. 1/2007 DSJ-CT Recorrente: D Recorrida: Conservatória do Registo Automóvel do Sumário: Apreensão de veículo em processo de insolvência Título para Registo - Prova da qualidade de administrador de

Leia mais

Pº R.P. 182/2008 SJC-CT

Pº R.P. 182/2008 SJC-CT Pº R.P. 182/2008 SJC-CT- (i)legalidade de recusa de registo de aquisição pedido com base em inventário, com fundamento na sua manifesta nulidade, mediante invocação de que o prédio partilhado é alheio

Leia mais

R. P. 5/2009 SJC-CT- Doação - obrigação de registar: sujeito e prazo. PARECER. Relatório

R. P. 5/2009 SJC-CT- Doação - obrigação de registar: sujeito e prazo. PARECER. Relatório 1 R. P. 5/2009 SJC-CT- Doação - obrigação de registar: sujeito e prazo. PARECER Relatório 1. Maria.vem apresentar recurso hierárquico da decisão de rejeição das aps. 30, 31 e 32 de / /24 relativas aos

Leia mais

Consulta ao Registo Predial - Por Descrição Predial

Consulta ao Registo Predial - Por Descrição Predial Consulta ao Registo Predial - Por Descrição Predial - Agente de Execução - JOSÉ CASTELO BRANCO Data: 11-04-2017 12:25 Processo Interno: PE-222/2012 Conservatória: 000513 Processo Tribunal: 3297/12.0T2SNT

Leia mais

PARECER. 4- A sustentação do despacho de recusa justificou a subida do processo para decisão superior.

PARECER. 4- A sustentação do despacho de recusa justificou a subida do processo para decisão superior. 1 Pº R.P.129/2005 DSJ-CT - Registo de acção - Execução específica do contratopromessa de compra e venda - Incompatibilidade entre o registo provisório de acção e o anterior registo provisório de aquisição

Leia mais

N/Referência: PROC.: C. P. 88/2014 STJ-CC Data de homologação:

N/Referência: PROC.: C. P. 88/2014 STJ-CC Data de homologação: N.º 16/ CC /2014 N/Referência: PROC.: C. P. 88/2014 STJ-CC Data de homologação: 26-03-2015 Consulente: Conservatória do Registo Predial de... Assunto: Conversão da penhora em hipoteca. Requisitos especiais

Leia mais

Ao abrigo do disposto no n.º 2 do artigo 36.º do Decreto-Lei n.º 211/2004, de 20 de Agosto:

Ao abrigo do disposto no n.º 2 do artigo 36.º do Decreto-Lei n.º 211/2004, de 20 de Agosto: Legislação Portaria n.º 1327/2004, de 19 de Outubro Publicada no D.R. n.º 246, I Série-B, de 19 de Outubro de 2004 SUMÁRIO: Regulamenta os procedimentos administrativos previstos no Decreto-Lei n.º 211/2004,

Leia mais

CÓDIGO DO REGISTO PREDIAL

CÓDIGO DO REGISTO PREDIAL CÓDIGO DO REGISTO PREDIAL (14.ª Edição) Errata Código do Registo Predial 2 TÍTULO: AUTORES: CÓDIGO DO REGISTO PREDIAL Errata BDJUR EDITOR: EDIÇÕES ALMEDINA, SA Rua Fernandes Tomás, n.ºs 76, 78, 80 3000-167

Leia mais

DISTRITO: 01 - AVEIRO CONCELHO: 05 - AVEIRO FREGUESIA: 16 - REQUEIXO, NOSSA SENHORA DE FÁTIMA E NARIZ ARTIGO MATRICIAL: 2536 NIP:

DISTRITO: 01 - AVEIRO CONCELHO: 05 - AVEIRO FREGUESIA: 16 - REQUEIXO, NOSSA SENHORA DE FÁTIMA E NARIZ ARTIGO MATRICIAL: 2536 NIP: CADERNETA PREDIAL URBANA SERVIÇO DE FINANÇAS: 3417 - AVEIRO-2. IDENTIFICAÇÃO DO PRÉDIO DISTRITO: 01 - AVEIRO CONCELHO: 05 - AVEIRO FREGUESIA: 16 - REQUEIXO, NOSSA SENHORA DE FÁTIMA E NARIZ ARTIGO MATRICIAL:

Leia mais

Deliberação. Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nubente estrangeiro. Declaração de inexistência de impedimentos.

Deliberação. Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nubente estrangeiro. Declaração de inexistência de impedimentos. Proc. C.C. 109/2010 SJC CT Deliberação Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nubente estrangeiro. Declaração de inexistência de impedimentos. O Consulado de Portugal em B., Brasil, atento o despacho n.º

Leia mais

Lei n.º 64/2014, de Crédito Bonificado Pessoa com deficiência Ónus de inalienabilidade. PARECER. Relatório

Lei n.º 64/2014, de Crédito Bonificado Pessoa com deficiência Ónus de inalienabilidade. PARECER. Relatório DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 8/ CC /2016 N/Referência: P.º C.P. 53/2015 STJ-CC Data de homologação: 07-01-2016 Consulente: Setor Técnico-Jurídico dos Serviços de Registo (STJSR). Assunto:

Leia mais

2 II Fundamentação 1

2 II Fundamentação 1 P.º n.º C.P. 43/2012 SJC-CT Revogação do despacho de qualificação de ato de registo já executado na ficha informática. Tradução tabular da regressão no processo registral, devido à preterição de formalidades

Leia mais

A Tutela Cautelar no Procedimento e no Processo Administrativo. Conselho Regional de Lisboa da Ordem dos Advogados Lisboa, 31/01/2016

A Tutela Cautelar no Procedimento e no Processo Administrativo. Conselho Regional de Lisboa da Ordem dos Advogados Lisboa, 31/01/2016 A Tutela Cautelar no Procedimento e no Processo Administrativo Conselho Regional de Lisboa da Ordem dos Advogados Lisboa, 31/01/2016 Código do Procedimento Administrativo Medidas Provisórias CPA 1991 Artigo

Leia mais

N/Referência: P.º R P 76/2016 STJ-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º R P 76/2016 STJ-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 44/ CC /2016 N/Referência: P.º R P 76/2016 STJ-CC Data de homologação: 12-09-2016 Recorrente: Z. Pereira. Recorrido: Conservatória do Registo Predial de..

Leia mais

P.ºR.P. 264/2008 SJC-CT - Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo. PARECER Relatório

P.ºR.P. 264/2008 SJC-CT - Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo. PARECER Relatório P.ºR.P. 264/2008 SJC-CT - Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo. PARECER Relatório 1. Adelino vem apresentar recurso hierárquico da decisão de rejeição da ap.9 de 2008/

Leia mais

Pº R.P. 200/2009 SJC-CT-

Pº R.P. 200/2009 SJC-CT- Pº R.P. 200/2009 SJC-CT- Cumulação de decisões impugnadas num só processo - Inscrição de penhora - Legitimidade do exequente para pedir os registos que viabilizem a inscrição do bem em nome do executado

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ PROPOSTA 22 João utiliza todos os dias, para retornar do trabalho para sua casa, no Rio de Janeiro, o ônibus da linha A, operado por Ômega Transportes Rodoviários Ltda. Certo dia, o ônibus em que João

Leia mais

DISTRITO: 01 - AVEIRO CONCELHO: 10 - ILHAVO FREGUESIA: 03 - GAFANHA DA NAZARE SECÇÃO: ARTIGO MATRICIAL Nº: 3117 ARV: NOME/LOCALIZAÇÃO PRÉDIO

DISTRITO: 01 - AVEIRO CONCELHO: 10 - ILHAVO FREGUESIA: 03 - GAFANHA DA NAZARE SECÇÃO: ARTIGO MATRICIAL Nº: 3117 ARV: NOME/LOCALIZAÇÃO PRÉDIO CADERNETA PREDIAL RÚSTICA Modelo A SERVIÇO DE FINANÇAS: 0108 - ILHAVO IDENTIFICAÇÃO DO PRÉDIO DISTRITO: 01 - AVEIRO CONCELHO: 10 - ILHAVO FREGUESIA: 03 - GAFANHA DA NAZARE SECÇÃO: ARTIGO MATRICIAL Nº:

Leia mais

P.º n.º R.P. 168/2011 SJC-CT Cancelamento do registo de usufruto com base em renúncia. Existência de registo anterior de penhora.

P.º n.º R.P. 168/2011 SJC-CT Cancelamento do registo de usufruto com base em renúncia. Existência de registo anterior de penhora. 1 P.º n.º R.P. 168/2011 SJC-CT Cancelamento do registo de usufruto com base em renúncia. Existência de registo anterior de penhora. PARECER 1. Em..., foi pedido, na Conservatória do Registo Predial de...,

Leia mais

N/Referência: P.º C.P. 41/2016 STJ-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º C.P. 41/2016 STJ-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 10/ CC /2017 N/Referência: P.º C.P. 41/2016 STJ-CC Data de homologação: 20-01-2017 Consulente: Setor Técnico-Jurídico dos Serviços de Registo (STJSR). Assunto:

Leia mais

P.º R.P. 147/2007 DSJ-CT-

P.º R.P. 147/2007 DSJ-CT- P.º R.P. 147/2007 DSJ-CT- Fixação do sentido e alcance da norma contida no n.º 5 do artigo 31.º do D. L. 287/2003, de 12/11 Reconhecimento ao interessado da possibilidade de requerer hoje a liquidação

Leia mais

Consulta ao Registo Predial - Por Descrição Predial

Consulta ao Registo Predial - Por Descrição Predial Consulta ao Registo Predial - Por Descrição Predial - Agente de Execução - JOSÉ CASTELO BRANCO Data: 02-01-2017 15:31 Processo Interno: PE-438/2012 Conservatória: 000513 Processo Tribunal: 8681/12.6T2SNT

Leia mais

Consulente: Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de.

Consulente: Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de. Pº C.Co.53/2010 SJC-CT Consulente: Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de. Consulta: Qual a data a considerar como sendo a da designação e da cessação de funções de membros dos órgãos

Leia mais

P.º R. P. 163/2008 SJC-CT -Hipoteca legal obrigação de alimentos a menor título legitimidade para requerer o registo DELIBERAÇÃO.

P.º R. P. 163/2008 SJC-CT -Hipoteca legal obrigação de alimentos a menor título legitimidade para requerer o registo DELIBERAÇÃO. P.º R. P. 163/2008 SJC-CT -Hipoteca legal obrigação de alimentos a menor título legitimidade para requerer o registo DELIBERAÇÃO Relatório 1. A coberto da ap.36 de 13 de Maio de 2008, foi requerido, na

Leia mais

(Sumário elaborado pela Relatora) Acordam os Juízes no Tribunal da Relação de Lisboa:

(Sumário elaborado pela Relatora) Acordam os Juízes no Tribunal da Relação de Lisboa: Acórdãos TRL Processo: 258/14.8TBPDL.L1 6 Relator: ANABELA CALAFATE Descritores: ADMINISTRADOR DE INSOLVÊNCIA REMUNERAÇÃO Nº do Documento: RL Data do Acordão: 02 07 2015 Votação: UNANIMIDADE Texto Integral:

Leia mais

Dados Básicos. Ementa

Dados Básicos. Ementa Dados Básicos Fonte: 20110110696808 Tipo: Acórdão TJDFT Data de Julgamento: 07/12/2011 Data de Aprovação Data não disponível Data de Publicação:16/12/2011 Estado: Distrito Federal Cidade: Relator: Lécio

Leia mais

Pº R.P. 71/2008 SJC-CT

Pº R.P. 71/2008 SJC-CT Pº R.P. 71/2008 SJC-CT Aditamento a alvará de loteamento Ampliação de área de lote por redução da área do domínio público municipal Título para registo. DELIBERAÇÃO Relatório: O Município de. requisitou

Leia mais

P.º R.P. 159/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo

P.º R.P. 159/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo P.º R.P. 159/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo PARECER Relatório 1. Adelino vem apresentar reclamação da conta do acto de registo pedido a coberto da ap.27

Leia mais

Recorrente: «L Sociedade Unipessoal, Limitada». Recorrida: Conservatória do Registo Comercial da. Relatório:

Recorrente: «L Sociedade Unipessoal, Limitada». Recorrida: Conservatória do Registo Comercial da. Relatório: P.º R. Co. 4/2007DSJ-CT - Registo da constituição da sociedade e nomeação de gerentes. Título constitutivo omisso quanto à data do encerramento do exercício social e ao número de identificação fiscal da

Leia mais

LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÃO DOS PROCESSOS EXECUTIVOS

LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÃO DOS PROCESSOS EXECUTIVOS LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÃO DOS PROCESSOS EXECUTIVOS DADOS GERAIS PROCESSO N.º TRIBUNAL: JUÍZO: SECÇÃO: DATA DE ENTRADA: _ TÍTULO EXECUTIVO: TIPO DE EXECUÇÃO: EXECUÇÃO INICIADA ANTES DE 15/09/2003: FORMA

Leia mais

Consulta ao Registo Predial - Por Descrição Predial

Consulta ao Registo Predial - Por Descrição Predial Consulta ao Registo Predial - Por Descrição Predial - Agente de Execução (Sol.) - MARIA EMÍLIA CATRAU Data: 30-05-2016 13:16 Processo Interno: PE-758/2015 Conservatória: 000360 Processo Tribunal: 2022/06.9TCSNT

Leia mais

Processo n.º 527/2007 Data do acórdão: S U M Á R I O

Processo n.º 527/2007 Data do acórdão: S U M Á R I O Processo n.º 527/2007 Data do acórdão: 2008-01-31 Assuntos: - art.º 1200.º do Código de Processo Civil - divórcio - conservatória do registo civil - revisão formal S U M Á R I O Caso no exame dos autos

Leia mais

C. P. 110/2009 SJC-CT

C. P. 110/2009 SJC-CT Proc. n.º C. P. 110/2009 SJC-CT Escritura de partilha de herança. Prazo para a promoção do registo dos bens imóveis. Agravamento emolumentar no caso de cumprimento intempestivo da obrigação de registar.

Leia mais

Acordam no Tribunal da Relação do Porto

Acordam no Tribunal da Relação do Porto PN 1092.01 1 ; Ag: TC Santo Tirso; Age 2 : José Julião João, Rua Senhora da Conceição 25/27 Peniche; Aga 3 : Ivone da Conceição Antunes Romão, Rua Senhora da Conceição 25 Peniche. Acordam no Tribunal da

Leia mais

Pronúncia. A posição deste Conselho vai expressa na seguinte. Deliberação

Pronúncia. A posição deste Conselho vai expressa na seguinte. Deliberação Pº C.Co. 34/2011 SJC-CT Relatório Em relatório elaborado no âmbito de auditoria levada a cabo à actuação de um conjunto de conservatórias, quanto ao dever de fiscalizar o cumprimento da obrigação de promover

Leia mais

RECURSO DA DELIBERAÇãO DO CONSELhO GERAL SOBRE RESTITUIÇãO DE IMPORTâNCIAS PAGAS AO CDL(*)

RECURSO DA DELIBERAÇãO DO CONSELhO GERAL SOBRE RESTITUIÇãO DE IMPORTâNCIAS PAGAS AO CDL(*) J u r i s p r u d ê n c i a d o s C o n s e l h o s RECURSO DA DELIBERAÇãO DO CONSELhO GERAL SOBRE RESTITUIÇãO DE IMPORTâNCIAS PAGAS AO CDL(*) Proc. n.º 267/2009-CS/R Relator: António A. Salazar Relatório

Leia mais

P.º n.º R.P. 110/2011 SJC-CT Anexação. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 110/2011 SJC-CT Anexação. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 110/2011 SJC-CT Anexação. DELIBERAÇÃO Pelas aps.... e..., de 4 de Março de 2011,, na qualidade de gerente de..., Unipessoal Lda, requisitou no Serviço de Registo Predial de... os seguintes

Leia mais

senhoria operou-se no fim do prazo estabelecido (caducidade do contrato); do estabelecimento comercial em causa outro se extinguiu;

senhoria operou-se no fim do prazo estabelecido (caducidade do contrato); do estabelecimento comercial em causa outro se extinguiu; PN. 1277.00; Ap.: TC Santarém, 1º J; Ap.e: Maria José Couto Pereira dos Santos, Rª António Vicente Júnior, 17º 2º Esq., Vale de Estacas; Ap.a: DIM Portugal, Importação e Comercialização Lda, Rª da Matinha,

Leia mais

AUTO DE PENHORA Portaria n.º 282/2013 de 29 de Agosto

AUTO DE PENHORA Portaria n.º 282/2013 de 29 de Agosto AUTO DE PENHORA Portaria n.º 282/2013 de 29 de Agosto PE/533/2013 1 Tribunal da execução Vila Franca de Xira - Fam. Menores e Comarca 3º Juízo Cível 2 Tribunal deprecado ---- 3 Processo n.º 1803/13.1TBVFX

Leia mais

Anotação no diário e na ficha Notificação e impugnação da decisão Sentido e

Anotação no diário e na ficha Notificação e impugnação da decisão Sentido e Pº R.Co. 22/2008 SJC-CT Pº C.P. 73/2008 SJC-CT Recorrente (Pº R.Co. 22/2008 SJC-CT):, Lda. Recorrida (mesmo processo): Conservatória do Registo Comercial de.. Consulente (Pº C.P. 73/2008 SJC-CT): Instituto

Leia mais

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica Despacho: Despacho: Manuela Gomes Directora do Departamento Jurídico e de Contencioso Despacho: Concordo inteiramente com a presente Informação e proponho o seu envio Sr. Director do DMGUF, Arq.º Aníbal

Leia mais

P.º n.º R.P. 10/2012 SJC-CT Repúdio da herança. Legitimidade Caducidade do direito de aceitação. Eficácia do repúdio. PARECER

P.º n.º R.P. 10/2012 SJC-CT Repúdio da herança. Legitimidade Caducidade do direito de aceitação. Eficácia do repúdio. PARECER P.º n.º R.P. 10/2012 SJC-CT Repúdio da herança. Legitimidade Caducidade do direito de aceitação. Eficácia do repúdio. ativa. PARECER 1. Pela ap., de 2011/11/14, foi pedido na conservatória do registo predial

Leia mais

Consulta ao Registo Predial - Por Descrição Predial

Consulta ao Registo Predial - Por Descrição Predial Consulta ao Registo Predial - Por Descrição Predial - Agente de Execução (Sol.) - MARIA EMÍLIA CATRAU Data: 13-05-2016 12:22 Processo Interno: PE-76/2015 Conservatória: 000513 Processo Tribunal: 17973/12.3T2SNT

Leia mais

P.º R. P. 22/2009 SJC-CT-

P.º R. P. 22/2009 SJC-CT- P.º R. P. 22/2009 SJC-CT- Averbamento de rectificação da descrição quanto à área, fundado em erro de medição. Enquadramento do respectivo pedido na previsão legal do artigo 28.º-C do CRP ou no processo

Leia mais

[ESCLARECIMENTOS SOBRE A

[ESCLARECIMENTOS SOBRE A [ESCLARECIMENTOS SOBRE A ATRIBUIÇÃO DE BENEFÍCIOS FISCAIS NA ARU DA HORTA] ARU da Horta = Área de Reabilitação Urbana do centro Histórico da Cidade da Horta delimitada em sede de Assembleia Municipal do

Leia mais

P.º R. P. 99/2010 SJC-CT

P.º R. P. 99/2010 SJC-CT P.º R. P. 99/2010 SJC-CT Conversão da inscrição de penhora, provisória por natureza (alínea a) do n.º 2 do artigo 92.º do Código do Registo Predial), com fundamento em decisão judicial transitada em julgado

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Conselho Constitucional. Acórdão nº 07/CC/2009 de 24 de Junho. Acordam os Juízes Conselheiros do Conselho Constitucional:

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Conselho Constitucional. Acórdão nº 07/CC/2009 de 24 de Junho. Acordam os Juízes Conselheiros do Conselho Constitucional: REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Conselho Constitucional Acórdão nº 07/CC/2009 de 24 de Junho Processo nº 04 /CC/2009 Acordam os Juízes Conselheiros do Conselho Constitucional: I Relatório O Tribunal Administrativo,

Leia mais

Pº R.P 136/2008 SJC-CT-

Pº R.P 136/2008 SJC-CT- Pº R.P 136/2008 SJC-CT- incidente deduzido em processo executivo ao abrigo do disposto no artº 257º CPPT- articulação com o princípio do trato sucessivo na modalidade da continuidade das inscrições. PARECER

Leia mais

ACÓRDÃO N.º 458/2013. Acordam, na 3.ª Secção, do Tribunal Constitucional

ACÓRDÃO N.º 458/2013. Acordam, na 3.ª Secção, do Tribunal Constitucional Página 1 de 5 [ TC > Jurisprudência > Acordãos > Acórdão 458/2013 ] ACÓRDÃO N.º 458/2013 Processo n.º 420/13 3.ª Secção Relator: Conselheira Catarina Sarmento e Castro Acordam, na 3.ª Secção, do Tribunal

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Registo a qualificar: Penhora do prédio descrito sob o nº 00862/, da freguesia de, requisitado pela Ap.01/

DELIBERAÇÃO. Registo a qualificar: Penhora do prédio descrito sob o nº 00862/, da freguesia de, requisitado pela Ap.01/ Pº R.P.295/2004 DSJ-CT- Região Autónoma da Madeira Competência para apreciação e decisão de recursos hierárquicos Penhora Apresentação Título Requerimento executivo Elementos em falta na declaração Identificação

Leia mais

Registos e Notariado. Ficha Técnica. Código do Notariado. TÍTULO I - Da organização dos serviços notariais. CAPÍTULO I - Disposições gerais

Registos e Notariado. Ficha Técnica. Código do Notariado. TÍTULO I - Da organização dos serviços notariais. CAPÍTULO I - Disposições gerais Registos e Notariado Ficha Técnica Código do Notariado TÍTULO I - Da organização dos serviços notariais CAPÍTULO I - Disposições gerais CAPÍTULO II - Competência funcional SECÇÃO I - Atribuições dos notários

Leia mais

Certidão Permanente. Código de acesso: GP DESCRIÇÕES - AVERBAMENTOS - ANOTAÇÕES

Certidão Permanente. Código de acesso: GP DESCRIÇÕES - AVERBAMENTOS - ANOTAÇÕES Certidão Permanente Código de acesso: GP-1165-27277-010305-003401 DESCRIÇÕES - AVERBAMENTOS - ANOTAÇÕES URBANO SITUADO EM: Bouça ÁREA TOTAL: 3200 M2 ÁREA COBERTA: 388 M2 ÁREA DESCOBERTA: 2812 M2 MATRIZ

Leia mais

Tribunal Competente: Évora - Tribunal Judicial da Comarca de Évora. Nº Registo: 506 Morada: Rua de Aveiro, 198, Edifício Palácio, Sala 211

Tribunal Competente: Évora - Tribunal Judicial da Comarca de Évora. Nº Registo: 506 Morada: Rua de Aveiro, 198, Edifício Palácio, Sala 211 Peça Processual entregue por via electrónica na data e hora indicadas junto da assinatura electrónica do subscritor (cfr. última página), aposta nos termos previstos na Portaria n.º 280/2013, de 26 de

Leia mais

III Pronúncia. Vejamos, pois.

III Pronúncia. Vejamos, pois. P.º n.º R.P. 112/2012 SJC-CT Registo de aquisição efetuado como provisório por dúvidas. Falta de consentimento dos credores. Caducidade do registo. Renovação do pedido em conservatória diversa. Recusa.

Leia mais

澳門特別行政區 REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU 澳門特別行政區第 6/2012 號法律修改 商業登記法典. Lei n.

澳門特別行政區 REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU 澳門特別行政區第 6/2012 號法律修改 商業登記法典. Lei n. 406 17 2012 4 23 澳門特別行政區 REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU 澳門特別行政區第 6/2012 號法律修改 商業登記法典 56/99/M9/1999 5/2000... d... e REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU Lei n.º 6/2012 Alteração ao Código do

Leia mais

N/Referência: P.º R.P. 31/2015 STJSR-CC Data de homologação: Relatório

N/Referência: P.º R.P. 31/2015 STJSR-CC Data de homologação: Relatório DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 39/ CC / 2015 N/Referência: P.º R.P. 31/2015 STJSR-CC Data de homologação: 01-06-2015 Recorrente: Fernando T., advogado Recorrido: Conservatória do Registo

Leia mais

P.º n.º R.P. 81/2010 SJC-CT Sociedade irregular. Trato sucessivo. PARECER

P.º n.º R.P. 81/2010 SJC-CT Sociedade irregular. Trato sucessivo. PARECER 1 P.º n.º R.P. 81/2010 SJC-CT Sociedade irregular. Trato sucessivo. PARECER 1.... vem interpor recurso hierárquico da decisão de recusa de conversão da inscrição de aquisição apresentada sob o n.º...,

Leia mais