Pº R. Bm. 9/2008 SJC-CT Recorrente: Ana, advogada. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pº R. Bm. 9/2008 SJC-CT Recorrente: Ana, advogada. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de."

Transcrição

1 Pº R. Bm. 9/2008 SJC-CT Recorrente: Ana, advogada. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Relatório 1. Com data de 13 de Outubro de 2008 ( cuja apresentação só foi anotada no Diário no dia , sob o nº 1) foi efectuado provisoriamente por dúvidas, pela inscrição nº 10550, fls.78 do Livro E-25 1, registo de providência cautelar não especificada sobre as embarcações matriculadas na Conservatória do Registo Comercial de sob os nºs 147, 149, 150, 206, 218, 226 e 256 do Livro D-2. O título que baseou o registo foi uma cópia do requerimento entregue no Tribunal Judicial de em 13 de Outubro de 2008 por via electrónica, acompanhado de cópia do comprovativo da entrega. A providência foi requerida por Transportes Fluviais, S.A. e Caixa de Crédito Agrícola Mútuo, C.R.L. contra APSS,S.A.. Como motivo da qualificação desfavorável comum a todas as embarcações fora invocado o facto de não se fazer prova do deferimento da providência requerida e o seu subsequente trânsito e o disposto nos artigos 387º e 387º-A do C.P.C. e 49º do Código do Registo Comercial. Quanto à embarcação matriculada sob o nº 206 fora ainda invocado o facto de não ter sido junto título de propriedade ou a certidão do seu registo, e o disposto nos artigos 88º do D.L , de 14 de Novembro de 1959 e 49º do Código do Registo Comercial. 2. No dia 10 de Novembro de 2008 ( cuja apresentação só foi anotada no Diário no dia , sob o nº 2) foi pedida a remoção das dúvidas do dito registo de providência cautelar não especificada, tendo sido apresentada uma certidão emitida no mesmo dia pelo tribunal supra indicado, da qual consta a identificação das partes e respectivos mandatários e que corre termos nesta Vara 1 Que se mostra assinado por ajudante, sem menção do fundamento da competência para o efeito, omissão que importa sanar

2 de Competência Mista um Procedimento Cautelar com o n. 6512/08.OTBSTB, e uma certidão do título de propriedade da embarcação matriculada sob o nº 206. A remoção de dúvidas foi recusada com fundamento no disposto no artigo 48º, nº 1, e ) do Código do Registo Comercial, pelo facto de as dúvidas não se mostrarem removidas. 4. Inconformado com a qualificação, interpôs a apresentante o presente recurso hierárquico, cujos termos aqui se dão por integralmente reproduzidos, alegando-se em síntese que : a) A providência cautelar em questão está sujeita a registo, obrigatório, nos termos dos artigos 9º, f) e g) e 15º, nº 5 do Código do Registo Comercial; b) Para remover as dúvidas apresentou os documentos referidos no despacho de qualificação do registo como provisório por dúvidas; c) A disposição legal invocada (alínea e) do art. 48º do Código do Registo Comercial) não é aplicável ao caso de recusa de remoção de dúvidas; d) A qualificação do registo como provisório por dúvidas contrariou o disposto nos ditos artigos 15º, nº 5 e 9º, f) e g), pois o registo devia ter sido efectuado provisoriamente por natureza, por se tratar de uma acção nos termos do disposto na alínea n) do nº 1 do art. 64º, não estando por isso sujeita a qualquer prazo de caducidade, nos termos do disposto no nº 3 do artigo 65º. 5. No despacho de sustentação, cujos termos também se dão aqui por integralmente reproduzidos, a recorrida limita-se a explicitar o que não havia explicitado no despacho de recusa, afirmando que a certidão judicial apresentada nada acrescenta quanto à questão levantada no despacho inicial, o qual foi claro no sentido de dizer que o que inquinava o registo era a falta de prova do deferimento da providência requerida. Quanto ao motivo privativo da embarcação 206 ( cfr. ponto 1. do relatório), a recorrida nada diz, o que permite presumir que o deu por removido pela certidão do título de propriedade que foi apresentado, ou seja, que a recusa afinal foi por não estarem totalmente removidos os motivos das dúvidas

3 6. O processo é o próprio e as partes legítimas, o recurso tempestivo e não existem questões prévias ou prejudiciais que obstem ao conhecimento do mérito. A posição deste Conselho vai expressa na seguinte Deliberação 2 1 As disposições do Decreto Lei nº e do Decreto nº 42645, ambos de 14 de Novembro de 1959, referentes a navios, mantêm-se em vigor, dada a falta de publicação da nova legislação prevista no art. 5º, nº 2 do D.L. nº 403/86, de 3 de Dezembro, que aprovou o Código de Registo Comercial em vigor 3. 2 Vamos acompanhar o nome atribuído à providência em vários locais do processo providência cautelar não especificada - apenas por facilidade de exposição, já que ele não é hoje rigoroso, com o desaparecimento no Código do Processo Civil do procedimento das providências cautelares não especificadas. O Código de Processo Civil refere-se actualmente a procedimento cautelar comum (art. 381º e seguintes ) embora, considerando o título dado à Secção II do Capítulo IV Procedimentos Cautelares Especificados - não se mostre completamente descabida a expressão que, por contraponto, reflecte a ausência de especificação ou nominação. O que é certo é que são as providências que não têm nome, a que D.L e o Código do Registo Predial, nas disposições mais à frente indicadas, chamam de quaisquer outras providências que afectem a livre disposição dos bens. 3 A manutenção em vigor dessas disposições constituiu excepção à revogação expressa de todas as restantes, como também consta do nº 1 do indicado art. 5º do D.L. nº 403/86. As providências cautelares não especificadas e o arrolamento das quotas das sociedades por quotas não constavam mencionados como factos sujeitos a registo no regime revogado, ao contrário do que acontecia e continua a acontecer, dada a manutenção em vigor - no caso de respeitarem a navios, pois constam indicados no art. 4º, f) como factos sujeitos a registo e do art. 68º, j) como factos a registados provisoriamente por natureza se pedidos antes de transitar em julgado o despacho que os decretou. O novo Código do Registo Comercial aprovado pelo indicado D.L. nº 403/86, não só incluiu esses factos entre os que estão sujeitos a registo ( art. 3º, nº1, f)) efectuado igualmente provisoriamente por natureza com o mesmo fundamento( art. 64º, nº 1, m) - como lhe atribuiu carácter obrigatório( art. 15º, nº 1)

4 2. Uma dessas disposições é o nº 1 do art. 19º do dito Decreto-Lei nº 42644, cuja redacção teve ter-se por tacitamente actualizada no sentido de que são subsidiariamente aplicáveis ao registo de navios as disposições legais relativas ao registo predial 4. O D.L. nº 31/93, de 12 de Fevereiro veio a traduzir um passo em frente nesta matéria (considerando o sentido da muito recente reforma do registo predial, como veremos mais à frente), pois incluiu alguns procedimentos cautelares e providências cautelares no art. 9º, sujeitas a um regime especial de obrigatoriedade (art. 15º, nºs 4 e 5) e registadas como as acções: provisoriamente por natureza nos termos da alínea n), do nº do art. 64º e sujeitas (ainda) a prazo de caducidade (art. 65º, nº 2). Para as não abrangidas no art. 9º manteve-se o regime anterior. O D.L. nº 76-A/2006, de 29 de Março, introduziu alterações profundas no Registo Comercial, como foi o caso da instituição de dois regimes distintos de registo, o do depósito e o da transcrição. As providências cautelares não especificadas e o arrolamento referentes a quotas ( art. 3º, nº 1, f)) passaram a ser registados por depósito e os procedimentos e providências incluídas no art. 9º passaram a ser efectuadas por depósito ou por transcrição, consoante respeitem a factos sujeitos a registo por depósito ou por transcrição( art. 53º-A, nºs 1 e 5). 4 A recorrente invoca, sem mais, disposições do Código do Registo Comercial ( cfr. relatório supra, no texto) como fundamento de direito da sua impugnação, ficando assim por saber se essa invocação assenta na consideração de que são de aplicação directa ou de aplicação subsidiária. Parece-nos que quer uma, como vimos anteriormente, quer outra, como agora tratamos de saber, estão radicalmente afastadas, sem embargo de não poder considerar-se desprovido de interesse ter presente o regime do registo comercial - como procurámos fazer na nota anterior, de forma breve não só porque no passado o registo comercial abrangia os navios, mas também porque algum sentido pode vir a ser possível retirar, para efeito de indagar da (in)existência de uma unidade do sistema jurídico quanto ao(s) facto(s) jurídico(s) em tabela. Parece-nos que a subsidiariedade do registo predial, em abstracto, não oferece dúvidas, dado poder dar-se por assente que o indicado nº 1 do art. 19º se encontra em vigor quanto aos navios. Aliás, ainda que tal se não verificasse porque a lei expressamente tivesse determinado a subsidiariedade das disposições do Código do Registo Comercial -, o registo predial continuaria a ser indirectamente subsidiário, já que ele o continua directamente a ser do registo comercial, conforme disposto no art. 115º do C.R.Com.. Está subentendido na decisão inicial e na de recusa de remoção das dúvidas ( esta última indevidamente fundamentada na alínea e) do art. 48º do Código do Registo Comercial, porque estamos perante pedido de remoção de dúvidas, como invocou a recorrente, e por ser subsidiário o art. 69º do Código do Registo Predial) que a recorrida tem um entendimento diverso, já que invoca - 4 -

5 3. Deve entender-se que a aplicação subsidiária do disposto nos artigos 3º, nº 1, d) e e), 53º, 92º, nº 1, a) e nº 11 e 101º, nº 2, a) do C.R.P. não está concretamente impedida pelo facto de existir previsão legal sobre matéria nelas abrangida, para mais de sentido divergente, nos diplomas legais directamente aplicáveis ( apenas a providência está sujeita a registo - não também o procedimento - que é efectuado provisoriamente por natureza, sujeito a prazo de caducidade ), pois que as alterações introduzidas ao C.R.P. pelo D.L. nº 116/2008, de 4 de Julho se situam num plano que não permite atribuir-lhes uma natureza especial 5. exclusivamente o disposto nos referidos D.L e 42645, sem convocar qualquer aplicação subsidiária de outras normas. Há que referir que coerentemente com tal entendimento, a recorrida deveria ter inicialmente recusado o registo, por falta de título, já que está em falta a prova de que foi decretada a providência cautelar. 5 Dizendo o nº 1 do dito art. 19º que a aplicação das disposições legais relativas ao registo predial são aplicáveis com as necessárias adaptações e que só são aplicáveis aquelas que não forem contrárias à natureza daquele e às disposições especiais do presente diploma ou do respectivo regulamento, importa ponderar se, concretamente quanto ao registo das providências cautelares não especificadas, existe impedimento como parece à primeira vista, pelo simples facto de não nos encontrar-mos perante um vazio de previsão legal, que demande a convocação da previsão subsidiária - e, não existindo, se há que proceder a alguma adaptação. Em primeiro lugar importa salientar que o disposto nos referidos art. 4º, f) do D.L e art. 68º, j) do Decreto já ao tempo não traduziam qualquer especialidade em relação ao regime do registo predial, que era coincidente na forma como sujeitava tais factos a registo e na forma como previa que o registo fosse efectuado( cfr. art. 2º, nº 1, j) e art. 176º, nº 1, K) do Código de Registo Predial publicado pouco tempo antes D.L , de 8 de Outubro de 1959). Se existia, ao tempo, especialidade era, nos termos vistos supra, em relação às dessas providências que tivessem por objecto quotas das sociedades por quotas, especialidade essa que, como também vimos, veio posteriormente a desaparecer para, mais tarde ainda, vir parcialmente a renascer. A sujeição a registo das providências cautelares não especificadas e o registo provisório por natureza com fundamento na falta de trânsito em julgado do despacho que as tivesse decretado manteve-se no Código do Registo Predial até à reforma levada a cabo pelo D.L. nº 116/2008, de 4 de Julho. Em segundo lugar, entendemos que o sentido e o alcance das alterações introduzidas ao Código do Registo Predial não conferem à previsão legal no âmbito do registo predial, qualquer natureza especial, o que significa dizer, vendo as coisas do lado dos navios, que os ditos art. 4º, f) e 68º, j), que não - 5 -

6 4. Assim, pedido registo de providência cautelar não especificada com base no respectivo articulado, acompanhado de prova da sua recepção em juízo, deve o mesmo ser efectuado enquanto procedimento cautelar 6 - provisoriamente por natureza nos termos da alínea a) do art. 92º, nº 1, a) do C.R.P., não estando o mesmo sujeito a prazo de caducidade. constituíam qualquer especialidade, também a não passaram ter em resultado do conteúdo das novas disposições do C.R.P.. A essência das alterações - que, como vimos, já havia ocorrido no Código de Registo Comercial, embora não de forma universal - reside em permitir a antecipação da protecção tabular( com a correspondente salvaguarda da prioridade) da providência cautelar a momento anterior à data da decisão sobre o pedido do seu decretamento e ainda, como acontece com o registo das acções, na instituição de uma provisoriedade por natureza não sujeita a prazo de caducidade. Isto é, são alterações para cuja racionalidade é completamente alheia a natureza do objecto( prédio, navio, automóvel ) situando-se mais fundo, no plano da substância da finalidade e dos efeitos do registo, o que lhes retira especialidade. Digamos que daí decorre a sua aplicação subsidiária, que podemos chamar de actualista, no sentido de que o sentido e alcance do novo regime permitem dar por manifesto que o anterior só é divergente por estar desactualizado. É evidente que a interpretação que permite dar por aplicáveis subsidiariamente as indicadas disposições do C.R.P. inclui ainda, necessariamente, um outro resultado, que é o de considerar revogada a alínea j) do art. 68º do dito Decreto A aplicação subsidiária defendida obviamente que não abrange o disposto no art. 8º-A do C.R.P. quanto à obrigatoriedade de promoção do registo. 6 Não vemos que haja sequer que acrescentar um acto de convolação, dada a relação existente entre o procedimento e a decisão respectiva (a providência cautelar), como acontece com a acção e a decisão final. Essa relação, reflectida na forma como a lei as sujeita a registo, permitem que o respeito pelo princípio da instância mereça aqui um sentido prevalentemente não formal. É como se procedimento e providência sejam, em certo sentido, o mesmo facto. É que o registo da acção e o do procedimento cautelar visam antecipar, à data da apresentação, a oponibilidade das respectivas decisão final e providência cautelar. Cfr. sobre esta matéria, embora concretamente na relação entre registo de acção e registo da decisão, o Pº R.Co. 41/2000 DSJ-CT, in BRN nº 1/2001(II caderno), onde nomeadamente se louvou a prática da apresentante de pedir o registo de acção e não de decisão final, apesar de já existir sentença não transitada em julgado

7 Em conformidade com o exposto, propõe-se a procedência da impugnação, que demandará que o averbamento traduza a requalificação da inscrição para provisória por natureza e a alteração do facto inscrito para procedimento cautelar Deliberação aprovada em sessão do Conselho Técnico de 29 de Julho de Luís Manuel Nunes Martins, relator. Esta deliberação foi homologada pelo Exmo. Senhor Presidente em

Pº R.P. 206/2009 SJC-CT

Pº R.P. 206/2009 SJC-CT Pº R.P. 206/2009 SJC-CT Extinção de usufruto causada pelo óbito do usufrutuário. Obrigatoriedade do registo. Sujeito da obrigação de promover o registo. Termo inicial da contagem do prazo de cumprimento

Leia mais

XIX ENCONTRO NACIONAL DA APAJ. Porto, 20 e 21 de janeiro de 2017

XIX ENCONTRO NACIONAL DA APAJ. Porto, 20 e 21 de janeiro de 2017 XIX ENCONTRO NACIONAL DA APAJ Porto, 20 e 21 de janeiro de 2017 Foi solicitado à ASCR pelo Dr. Inácio Peres uma breve exposição sobre algumas questões notariais e registrais no âmbito da insolvência. Como

Leia mais

P.º n.º R.P. 43/2010 SJC-CT Transmissão de locação financeira. Recusa. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 43/2010 SJC-CT Transmissão de locação financeira. Recusa. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 43/2010 SJC-CT Transmissão de locação financeira. Recusa. DELIBERAÇÃO 1., advogado, apresentou na Conservatória do Registo Predial de, no dia de de ( Ap. ), um pedido de registo a que chamou

Leia mais

Anotação no diário e na ficha Notificação e impugnação da decisão Sentido e

Anotação no diário e na ficha Notificação e impugnação da decisão Sentido e Pº R.Co. 22/2008 SJC-CT Pº C.P. 73/2008 SJC-CT Recorrente (Pº R.Co. 22/2008 SJC-CT):, Lda. Recorrida (mesmo processo): Conservatória do Registo Comercial de.. Consulente (Pº C.P. 73/2008 SJC-CT): Instituto

Leia mais

Pº R.P. 241/2008 SJC-CT-

Pº R.P. 241/2008 SJC-CT- Pº R.P. 241/2008 SJC-CT- Acção proposta no âmbito do artº 205º CPEREF- Ordem de separação de determinado prédio da massa falida Cancelamento de hipotecas e penhoras Insuficiência do título. DELIBERAÇÃO

Leia mais

- 1 - Pº R.Co.27/2009 SJC-CT

- 1 - Pº R.Co.27/2009 SJC-CT - 1 - Pº R.Co.27/2009 SJC-CT Recorrente: Joaquim. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial do. Acto impugnado: Indeferimento liminar de pedidos de rectificação das inscrições 3 e 4 relativas à sociedade

Leia mais

Relatório. Pº R. Bm. 4/2009 SJC-CT

Relatório. Pº R. Bm. 4/2009 SJC-CT Pº R. Bm. 4/2009 SJC-CT Recorrente: Vítor. Recorrida: Conservatória do Registo de Automóveis de. Acto impugnado: Ap. de 23 de Abril de 2009 recusa de registo de propriedade com referência ao veículo automóvel

Leia mais

Pº R.P. 132/2008 SJC-CT

Pº R.P. 132/2008 SJC-CT Pº R.P. 132/2008 SJC-CT - Impugnação de decisão de recusa, consoante respeite a acto de registo nos termos requeridos ou rectificação de registos ( nºs 1 e 2, respectivamente, do art. 140º do C.R.P.) Interpretação

Leia mais

Pº R. Co. 25/2006 DSJ-CT. Recorrente: Caixa de Crédito Agrícola Mútuo. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de.

Pº R. Co. 25/2006 DSJ-CT. Recorrente: Caixa de Crédito Agrícola Mútuo. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Pº R. Co. 25/2006 DSJ-CT. Recorrente: Caixa de Crédito Agrícola Mútuo. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Registo a qualificar: Transmissão de dívida com hipoteca a favor de P Sociedade

Leia mais

P.º R. P. 191/2008 SJC-CT- Aquisição em processo de execução rejeição da apresentação - gratuitidade do registo. DELIBERAÇÃO Relatório

P.º R. P. 191/2008 SJC-CT- Aquisição em processo de execução rejeição da apresentação - gratuitidade do registo. DELIBERAÇÃO Relatório P.º R. P. 191/2008 SJC-CT- Aquisição em processo de execução rejeição da apresentação - gratuitidade do registo. DELIBERAÇÃO Relatório 1. Em 01/09/2008 foi apresentado, na Conservatória do Registo Predial

Leia mais

P.º n.º R.P. 212/2010 SJC-CT Penhora. Registo de aquisição de imóvel penhorado. Averbamento à descrição. Recusa. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 212/2010 SJC-CT Penhora. Registo de aquisição de imóvel penhorado. Averbamento à descrição. Recusa. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 212/2010 SJC-CT Penhora. Registo de aquisição de imóvel penhorado. Averbamento à descrição. Recusa. DELIBERAÇÃO A ficha... descreve um terreno para construção com a área de 2 080m2, inscrito

Leia mais

P.º n.º R.P. 224/2010 SJC-CT Prédio não descrito. Aquisição. Declaração a que se refere o artigo 42.º, n.º 6 do Código do Registo Predial.

P.º n.º R.P. 224/2010 SJC-CT Prédio não descrito. Aquisição. Declaração a que se refere o artigo 42.º, n.º 6 do Código do Registo Predial. P.º n.º R.P. 224/2010 SJC-CT Prédio não descrito. Aquisição. Declaração a que se refere o artigo 42.º, n.º 6 do Código do Registo Predial. DELIBERAÇÃO 1. No dia 27 de Julho de 2010 foi celebrada perante

Leia mais

P.º R. P. 231/2007 DSJ-CT

P.º R. P. 231/2007 DSJ-CT P.º R. P. 231/2007 DSJ-CT -Transacção judicial Registo de aquisição Título Reconhecimento do direito de propriedade Trato sucessivo Obrigações fiscais. DELIBERAÇÃO Vem o presente recurso hierárquico interposto

Leia mais

Comercial de M. d e Can aveses, frente à pretensão da A. no sentido de r ectificar o

Comercial de M. d e Can aveses, frente à pretensão da A. no sentido de r ectificar o PN 254.06-5; Ag: TC M. Canaveses 2º J. ( Ag.e: Ag.a: Em Conferência, no Tribunal da Relação do Porto. I. INTRODUÇÃO: (a) A recorrente não se conformou com a decisão de 1ª instância, que manteve o despacho

Leia mais

A posição deste Conselho vai expressa na seguinte. Deliberação

A posição deste Conselho vai expressa na seguinte. Deliberação P.º n.º C.P. 68 e 69/2010 SJC-CT Certidão negativa. Informação acerca da omissão de prédio no registo. É indispensável a indicação do anterior artigo da matriz onde o prédio, seja da matriz rústica ou

Leia mais

Consulente: Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de.

Consulente: Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de. Pº C.Co.53/2010 SJC-CT Consulente: Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de. Consulta: Qual a data a considerar como sendo a da designação e da cessação de funções de membros dos órgãos

Leia mais

P.º R. P. 184/2009 SJC-CT

P.º R. P. 184/2009 SJC-CT P.º R. P. 184/2009 SJC-CT Transferência de património, ao abrigo do D. L. n.º 112/2004 de 13 de Maio, entre dois organismos integrantes do sistema de segurança social, o Instituto da... e o Instituto Recusa

Leia mais

P.º n.º R.P. 169/2011 SJC-CT Conversão do arresto em penhora. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 169/2011 SJC-CT Conversão do arresto em penhora. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 169/2011 SJC-CT Conversão do arresto em penhora. DELIBERAÇÃO Sobre o prédio da ficha nº, da freguesia de..., da Conservatória do Registo Predial de prédio urbano situado na Rua...,, inscrito

Leia mais

R.P. 140, /2006 DSJ-CT-

R.P. 140, /2006 DSJ-CT- P.ºs R.P. 140, 141 e 142/2006 DSJ-CT- Averbamento de alteração da inscrição de aquisição Modificação subjectiva Alteração da firma ou denominação de sociedade estrangeira (no âmbito de transferência de

Leia mais

P.º n.º R.P. 92/2010 SJC-CT Aquisição. Contrato promessa. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 92/2010 SJC-CT Aquisição. Contrato promessa. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 92/2010 SJC-CT Aquisição. Contrato promessa. DELIBERAÇÃO 1. Indicando como objecto mediato o prédio descrito sob o nº... da freguesia de..., o recorrente apresentou na Conservatória do Registo

Leia mais

- 1 - Pº R. Co. 2/2009 SJC-CT Recorrente : Paulo, notário. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de.

- 1 - Pº R. Co. 2/2009 SJC-CT Recorrente : Paulo, notário. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Pº R. Co. 2/2009 SJC-CT Recorrente : Paulo, notário. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Sumário: Âmbito da previsão do art. 26.3 da Tabela Geral do Imposto de Selo, em função das modalidades

Leia mais

Proc. R.C. 3/2008 SJC CT. Parecer

Proc. R.C. 3/2008 SJC CT. Parecer Proc. R.C. 3/2008 SJC CT Parecer Recurso hierárquico. Aquisição da nacionalidade portuguesa por efeito de adopção por decisão transitada em julgado antes da entrada em vigor da Lei n.º 37/81, de 3 de Outubro.

Leia mais

P.º n.º R.P. 193/2010 SJC-CT Transmissão da posição contratual. Averbamento à inscrição de aquisição do direito de superfície.

P.º n.º R.P. 193/2010 SJC-CT Transmissão da posição contratual. Averbamento à inscrição de aquisição do direito de superfície. P.º n.º R.P. 193/2010 SJC-CT Transmissão da posição contratual. Averbamento à inscrição de aquisição do direito de superfície. DELIBERAÇÃO 1. O prédio descrito sob nº... da freguesia de foi, na dependência

Leia mais

P.º n.º R.P. 242/2010 SJC-CT

P.º n.º R.P. 242/2010 SJC-CT P.º n.º R.P. 242/2010 SJC-CT Prédio inscrito a favor dos autores da herança. Pagamento das dívidas destes. Penhora. Habilitação dos herdeiros. Identificação dos sujeitos. Documento bastante. DELIBERAÇÃO

Leia mais

Pronúncia. A posição deste Conselho vai expressa na seguinte. Deliberação

Pronúncia. A posição deste Conselho vai expressa na seguinte. Deliberação Pº C.Co. 34/2011 SJC-CT Relatório Em relatório elaborado no âmbito de auditoria levada a cabo à actuação de um conjunto de conservatórias, quanto ao dever de fiscalizar o cumprimento da obrigação de promover

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório:

DELIBERAÇÃO. Relatório: Pº R.P. 217/2006 DSJ-CT- Cancelamento de registo de hipoteca Título para registo Requerimento dirigido ao conservador, invocativo da prescrição Recusa. Relatório: DELIBERAÇÃO Do prédio urbano descrito

Leia mais

N/Referência: PºR.P.95/2016 STJ-CC Data de homologação:

N/Referência: PºR.P.95/2016 STJ-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 59/ CC /2016 N/Referência: PºR.P.95/2016 STJ-CC Data de homologação: 23-10-2016 Recorrente: Município de P... Recorrido: Conservatória do Registo Predial

Leia mais

Pº C.P. 35/2009 SJC-CT-

Pº C.P. 35/2009 SJC-CT- Pº C.P. 35/2009 SJC-CT- Gratuitidade prevista no nº 3 do art. 33º do referido D.L. nº 116/2008 - Pedidos efectuados para lá dos prazos previstos para o cumprimento atempado da obrigação de registar Agravamento

Leia mais

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES O Estatuto da Câmara dos Solicitadores, aprovado pelo Decreto-Lei 88/2003, de 26 de Abril, no seu artigo 102º, prevê que os solicitadores podem

Leia mais

P.º R. P. 113/2005 DSJ-CT:

P.º R. P. 113/2005 DSJ-CT: P.º R. P. 113/2005 DSJ-CT: Renovação de registo provisório de aquisição lavrado com base em contrato-promessa de alienação. Documento comprovativo do consentimento das partes. Declarações complementares

Leia mais

Pº R.P. 182/2008 SJC-CT

Pº R.P. 182/2008 SJC-CT Pº R.P. 182/2008 SJC-CT- (i)legalidade de recusa de registo de aquisição pedido com base em inventário, com fundamento na sua manifesta nulidade, mediante invocação de que o prédio partilhado é alheio

Leia mais

Pº R.Bm.1/2013 SJC-CT

Pº R.Bm.1/2013 SJC-CT Pº R.Bm.1/2013 SJC-CT Recorrente:. Banque Sucursal Portugal. Sumário: Registo de penhora de veículo provisório por natureza (art. 92º/2/a) do Código do Registo Predial) Certificação pelo Tribunal de que

Leia mais

Sumário: Alteração do contrato social. Título para registo.

Sumário: Alteração do contrato social. Título para registo. P.º R. Co. 16/2007DSJ-CT Sumário: Alteração do contrato social. Título para registo. Recorrente: Sociedade «G, Limitada», representada por M D..., advogada. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial

Leia mais

Recorrida: Conservatória do Registo Automóvel do

Recorrida: Conservatória do Registo Automóvel do R. Bm. 1/2007 DSJ-CT Recorrente: D Recorrida: Conservatória do Registo Automóvel do Sumário: Apreensão de veículo em processo de insolvência Título para Registo - Prova da qualidade de administrador de

Leia mais

DELIBERAÇÃO Relatório

DELIBERAÇÃO Relatório Pº R.P.100/2008 SJC-CT- Acção administrativa especial cujo pedido é a declaração de nulidade de licenciamentos camarários para construção urbana( um inicial e outro respeitante a ampliação) Sua (ir)registabilidade.

Leia mais

RECURSOS JURISDICIONAIS

RECURSOS JURISDICIONAIS PRÁTICAS PROCESSUAIS ADMINISTRATIVAS RECURSOS JURISDICIONAIS Coimbra, 02.11.2010 José Pereira de Sousa - Advogado 1 Recursos Jurisdicionais Os recursos das decisões jurisdicionais proferidas pelos Tribunais

Leia mais

PARECER Nº 47/PP/2013-P CONCLUSÕES 1. O

PARECER Nº 47/PP/2013-P CONCLUSÕES 1. O 1 PARECER Nº 47/PP/2013-P CONCLUSÕES 1. O nº1 do artº 74º do E.O.A. dispõe que No exercício da sua profissão, o advogado tem o direito de solicitar em qualquer tribunal ou repartição pública o exame de

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório

DELIBERAÇÃO. Relatório Pº R. P. 200/2008 SJC-CT- Registo de penhora executado separado de pessoas e bens - registo de aquisição a favor do executado casado no regime da comunhão geral - provisoriedade por natureza (artigo 92.º,

Leia mais

N/Referência: P.º R.P. 118/2016 STJSR-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º R.P. 118/2016 STJSR-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 1/ CC /2017 N/Referência: P.º R.P. 118/2016 STJSR-CC Data de homologação: 20-01-2017 Recorrente: Francisco J.., representado por Constantino.., advogado.

Leia mais

PARECER Nº. 67/PP/2008-P CONCLUSÕES:

PARECER Nº. 67/PP/2008-P CONCLUSÕES: PARECER Nº. 67/PP/2008-P CONCLUSÕES: 1. O Decretos-lei n.º 28/2000, de 13 de Março, n.º 237/2001, de 30 de Agosto e n.º 76-A/2006, de 29 de Março atribuíram, nomeadamente, aos advogados e aos solicitadores,

Leia mais

P.º R.P. 147/2007 DSJ-CT-

P.º R.P. 147/2007 DSJ-CT- P.º R.P. 147/2007 DSJ-CT- Fixação do sentido e alcance da norma contida no n.º 5 do artigo 31.º do D. L. 287/2003, de 12/11 Reconhecimento ao interessado da possibilidade de requerer hoje a liquidação

Leia mais

Recorrente: «L Sociedade Unipessoal, Limitada». Recorrida: Conservatória do Registo Comercial da. Relatório:

Recorrente: «L Sociedade Unipessoal, Limitada». Recorrida: Conservatória do Registo Comercial da. Relatório: P.º R. Co. 4/2007DSJ-CT - Registo da constituição da sociedade e nomeação de gerentes. Título constitutivo omisso quanto à data do encerramento do exercício social e ao número de identificação fiscal da

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO Prática Processual Civil Programa I CONSULTA JURÍDICA 1.1 Consulta jurídica 1.2 Tentativa de resolução amigável 1.3 Gestão do cliente e seu processo II PATROCÍNIO

Leia mais

Tribunal de Contas. Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário

Tribunal de Contas. Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário 1. São duas as questões suscitadas pelo Demandado: - uma que respeita a competência do relator para a decisão tomada e a eventual nulidade

Leia mais

Averigue o Tribunal onde pende a ação de anulação referida e comunique ao referido processo a presente decisão.

Averigue o Tribunal onde pende a ação de anulação referida e comunique ao referido processo a presente decisão. P.º n.º R.P.126/2012 SJC-CT Registo de ação de impugnação pauliana, com inclusão do pedido de cancelamento do registo do facto impugnado, encontrando-se registada ação de divisão de coisa comum. Cancelamento

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório

DELIBERAÇÃO. Relatório Pº R.P. 70/2007 DSJ-CT- Divergência entre título e descrição quanto à composição do prédio, para efeito da aplicação do disposto no art.º 46º do C.R.P. Enquadramento alternativo da divergência na alínea

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório

DELIBERAÇÃO. Relatório 1 PºR. P. 95/2008 SJC-CT- Notificação de qualificação do registo de penhora como provisório por natureza (artigo 92º, nº2, alínea a) do Código do Registo Predial) consequências da sua omissão. DELIBERAÇÃO

Leia mais

RECURSO DA DELIBERAÇãO DO CONSELhO GERAL SOBRE RESTITUIÇãO DE IMPORTâNCIAS PAGAS AO CDL(*)

RECURSO DA DELIBERAÇãO DO CONSELhO GERAL SOBRE RESTITUIÇãO DE IMPORTâNCIAS PAGAS AO CDL(*) J u r i s p r u d ê n c i a d o s C o n s e l h o s RECURSO DA DELIBERAÇãO DO CONSELhO GERAL SOBRE RESTITUIÇãO DE IMPORTâNCIAS PAGAS AO CDL(*) Proc. n.º 267/2009-CS/R Relator: António A. Salazar Relatório

Leia mais

Deliberação. Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nubente estrangeiro. Declaração de inexistência de impedimentos.

Deliberação. Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nubente estrangeiro. Declaração de inexistência de impedimentos. Proc. C.C. 109/2010 SJC CT Deliberação Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nubente estrangeiro. Declaração de inexistência de impedimentos. O Consulado de Portugal em B., Brasil, atento o despacho n.º

Leia mais

Parecer nr. 52/PP/2008-PP CONCLUSÕES:

Parecer nr. 52/PP/2008-PP CONCLUSÕES: Parecer nr. 52/PP/2008-PP CONCLUSÕES: 1 - A decisão que venha a ser proferida no processo deve fixar a compensação que é devida ao patrono nomeado sempre que o beneficiário do apoio judiciário beneficie

Leia mais

P.º R. P. 99/2010 SJC-CT

P.º R. P. 99/2010 SJC-CT P.º R. P. 99/2010 SJC-CT Conversão da inscrição de penhora, provisória por natureza (alínea a) do n.º 2 do artigo 92.º do Código do Registo Predial), com fundamento em decisão judicial transitada em julgado

Leia mais

P.º n.º R.P. 92/2011 SJC-CT Procedimento especial de transmissão, oneração e registo imediato de imóveis (Casa Pronta) DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 92/2011 SJC-CT Procedimento especial de transmissão, oneração e registo imediato de imóveis (Casa Pronta) DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 92/2011 SJC-CT Procedimento especial de transmissão, oneração e registo imediato de imóveis (Casa Pronta) DELIBERAÇÃO 1. No âmbito de procedimento casa pronta 1, a Senhora Notária Afecta à

Leia mais

REGIME JURÍDICO DA ARBITRAGEM SOCIETÁRIA. Artigo 1.º. (Objeto)

REGIME JURÍDICO DA ARBITRAGEM SOCIETÁRIA. Artigo 1.º. (Objeto) REGIME JURÍDICO DA ARBITRAGEM SOCIETÁRIA Artigo 1.º (Objeto) 1 O presente diploma estabelece o regime aplicável à resolução de litígios em matéria societária com recurso à arbitragem. 2 Podem ser submetidos

Leia mais

A Tutela Cautelar no Procedimento e no Processo Administrativo. Conselho Regional de Lisboa da Ordem dos Advogados Lisboa, 31/01/2016

A Tutela Cautelar no Procedimento e no Processo Administrativo. Conselho Regional de Lisboa da Ordem dos Advogados Lisboa, 31/01/2016 A Tutela Cautelar no Procedimento e no Processo Administrativo Conselho Regional de Lisboa da Ordem dos Advogados Lisboa, 31/01/2016 Código do Procedimento Administrativo Medidas Provisórias CPA 1991 Artigo

Leia mais

P.º n.º R.P. 192/2011 SJC-CT Declaração de nulidade da venda por sentença. Cancelamento do registo de aquisição. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 192/2011 SJC-CT Declaração de nulidade da venda por sentença. Cancelamento do registo de aquisição. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 192/2011 SJC-CT Declaração de nulidade da venda por sentença. Cancelamento do registo de aquisição. DELIBERAÇÃO A. A ficha informática da freguesia de, do concelho da que descreve o 1º andar

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Diário da República, 1.ª série N.º 163 25 de Agosto de 2008 5889 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Centro Jurídico Declaração de Rectificação n.º 46/2008 Ao abrigo da alínea h) do n.º 1 e do n.º 2 do

Leia mais

P.º n.º R.P. 123/2009 SJC-CT

P.º n.º R.P. 123/2009 SJC-CT P.º n.º R.P. 123/2009 SJC-CT - Aquisição. Usucapião. Justificação notarial para reatamento do trato sucessivo. Imposto de selo. Decreto-Lei n.º 116/2008, de 4 de Julho. Doação. Caducidade do ónus de eventual

Leia mais

Acórdão nº 2/2011-3ª Secção. (Processo n.º 1-RO-E/2010)

Acórdão nº 2/2011-3ª Secção. (Processo n.º 1-RO-E/2010) SS DCP/NIJF 9.8.2011 Acórdão nº 2/2011-3ª Secção (Processo n.º 1-RO-E/2010) EXTINÇÃO DE ORGANISMOS / RECURSO / SOCIEDADE ANÓNIMA / ACÇÕES NOMINATIVAS / CONTA DE GERÊNCIA / VERIFICAÇÃO INTERNA DA CONTA

Leia mais

Decreto-Lei n.º 172/99 de 20 de Maio *

Decreto-Lei n.º 172/99 de 20 de Maio * Decreto-Lei n.º 172/99 de 20 de Maio * O presente decreto-lei estabelece o regime jurídico dos warrants autónomos, regulando a sua emissão no mercado nacional, prevendo a admissão à negociação em mercado

Leia mais

DELIBERAÇÃO. 2 Actualmente, a situação jurídica reflectida nas tábuas com pertinência para o caso é a seguinte:

DELIBERAÇÃO. 2 Actualmente, a situação jurídica reflectida nas tábuas com pertinência para o caso é a seguinte: Proc.º n.º R. P. 242/2009 SJC-CT Cancelamento da inscrição de aquisição com base em sentença judicial transitada em julgado. Cessação dos efeitos da referida inscrição mediante a sua transferência para

Leia mais

Acordam no Tribunal da Relação do Porto

Acordam no Tribunal da Relação do Porto PN 1092.01 1 ; Ag: TC Santo Tirso; Age 2 : José Julião João, Rua Senhora da Conceição 25/27 Peniche; Aga 3 : Ivone da Conceição Antunes Romão, Rua Senhora da Conceição 25 Peniche. Acordam no Tribunal da

Leia mais

Regulamento de Propinas

Regulamento de Propinas INSTITUTO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO Regulamento de Propinas Considerando o disposto no artigo 16º da Lei nº 37/2003, de 22 de Agosto; Aprovo o Regulamento de Propinas que se rege pelas normas seguintes:

Leia mais

Lei n.º 46/2011 de 24 de Junho

Lei n.º 46/2011 de 24 de Junho Não dispensa a consulta do diploma publicado em Diário da República. Lei n.º 46/2011 de 24 de Junho Cria o tribunal de competência especializada para propriedade intelectual e o tribunal de competência

Leia mais

N/Referência: P.º C.P. 41/2016 STJ-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º C.P. 41/2016 STJ-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 10/ CC /2017 N/Referência: P.º C.P. 41/2016 STJ-CC Data de homologação: 20-01-2017 Consulente: Setor Técnico-Jurídico dos Serviços de Registo (STJSR). Assunto:

Leia mais

Processo n.º 527/2007 Data do acórdão: S U M Á R I O

Processo n.º 527/2007 Data do acórdão: S U M Á R I O Processo n.º 527/2007 Data do acórdão: 2008-01-31 Assuntos: - art.º 1200.º do Código de Processo Civil - divórcio - conservatória do registo civil - revisão formal S U M Á R I O Caso no exame dos autos

Leia mais

P.º R. P. 142/2007 DSJ-CT

P.º R. P. 142/2007 DSJ-CT P.º R. P. 142/2007 DSJ-CT - Pedido de conversão de registo de aquisição provisória por natureza, ao abrigo do disposto na alínea b) do n.º 2 do artigo 92.º do Código do Registo Predial (pendente rectificação

Leia mais

Notificada a recorrente da participação apresentada, veio pronunciar-se por escrito nos termos que constam de fls. 11, dizendo o seguinte:

Notificada a recorrente da participação apresentada, veio pronunciar-se por escrito nos termos que constam de fls. 11, dizendo o seguinte: > Conselho Superior > Acórdão CS n.º R-09/2007, de 25 de Maio de 2007 Vem o presente recurso interposto de um acórdão do Conselho Distrital de, que em sessão plenária de 21 de Setembro de 2006, aprovou

Leia mais

Diploma. Aprova o Regulamento do Registo Comercial

Diploma. Aprova o Regulamento do Registo Comercial Diploma Aprova o Regulamento do Registo Comercial O Decreto-Lei n.º 76-A/2006, de 29 de Março, procedeu a uma profunda alteração do Código do Registo Comercial, designadamente, com a eliminação da competência

Leia mais

Pº R.P. 12/2009 SJC-CT-

Pº R.P. 12/2009 SJC-CT- Pº R.P. 12/2009 SJC-CT- Recusa do pedido de registo com base em culpa leve do serviço de registo Restituição do emolumento - descrição do caso em especial. Relatório: DELIBERAÇÃO Pela Ap. 45, de 11 de

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 37/XI. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 37/XI. Exposição de Motivos Proposta de Lei n.º 37/XI Exposição de Motivos O programa do XVIII Governo estabelece como uma prioridade «combater todas as discriminações e, em particular, envidar todos os esforços no sentido de proporcionar

Leia mais

ECLI:PT:TRG:2016: T8VNF.D.G1

ECLI:PT:TRG:2016: T8VNF.D.G1 ECLI:PT:TRG:2016:1694.16.0T8VNF.D.G1 http://jurisprudencia.csm.org.pt/ecli/ecli:pt:trg:2016:1694.16.0t8vnf.d.g1 Relator Nº do Documento Conceição Bucho rg Apenso Data do Acordão 12/07/2016 Data de decisão

Leia mais

Consulente: Conservatória do Registo Comercial e de Automóveis de.

Consulente: Conservatória do Registo Comercial e de Automóveis de. Pº C.Co.71/2010 SJC-CT Consulente: Conservatória do Registo Comercial e de Automóveis de. Relatório 1. A sociedade E ESCOLA PROFISSIONAL, S.A., com sede no lugar, freguesia e concelho de S, matriculada

Leia mais

PN ; Ap.: Tc. Lamego, 1º J. ); Acordam no Tribunal da Relação do Porto. I. Introdução:

PN ; Ap.: Tc. Lamego, 1º J. ); Acordam no Tribunal da Relação do Porto. I. Introdução: PN 1926.04-5; Ap.: Tc. Lamego, 1º J. ); Ap.e1: Ap.o2: Acordam no Tribunal da Relação do Porto I. Introdução: (a) A Ap.e não se conforma com a sentença d e conversão em divór cio da separação de pessoas

Leia mais

Nova Ação Executiva. Sintese de Diplomas CFFJ Direção-geral da Administração da Justiça

Nova Ação Executiva. Sintese de Diplomas CFFJ Direção-geral da Administração da Justiça Nova Ação Executiva Sintese de Diplomas CFFJ - 2012 Direção-geral da Administração da Justiça Nova Ação Executiva Síntese dos Diplomas Decreto-Lei n.º 38/2003, de 8 de Março, que bem se pode apelidar de

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA, LISBOA 27 DE NOVEMBRO DE 2015 Ana Celeste Carvalho

UNIVERSIDADE CATÓLICA, LISBOA 27 DE NOVEMBRO DE 2015 Ana Celeste Carvalho UNIVERSIDADE CATÓLICA, LISBOA 27 DE NOVEMBRO DE 2015 Ana Celeste Carvalho O Artigo 45.º sofre alterações (exercício de clarificação): - pressuposto material da norma: que a pretensão do autor seja fundada

Leia mais

PARECER. Para a fundamentação de direito são invocados os artigos 68.º e 70.º do Código do Registo Predial.

PARECER. Para a fundamentação de direito são invocados os artigos 68.º e 70.º do Código do Registo Predial. P.º n.º R.P. 17/2013 STJ-CC Registo de incidente deduzido em processo de execução fiscal. Princípio do trato sucessivo. Despacho de provisoriedade por dúvidas. PARECER 1 O presente recurso hierárquico

Leia mais

Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Registos e Notariado ª Edição. Actualização nº 2

Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Registos e Notariado ª Edição. Actualização nº 2 Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Registos e Notariado 2011 13ª Edição Actualização nº 2 1 [1] Código do Trabalho REGISTOS E NOTARIADO Actualização nº 2 ORGANIZAÇÃO BDJUR BASE DE DADOS JURÍDICA EDITOR

Leia mais

Apoio Judiciário e o Deferimento Tácito Lisboa, 6 de Abril de 2016

Apoio Judiciário e o Deferimento Tácito Lisboa, 6 de Abril de 2016 Lisboa, 6 de Abril de 2016 Decisão Expressa Deferimento Decisão Expressa Indeferimento - Impugnação Artigo 27.º - Prazo: 15 dias a contar do conhecimento da decisão; - Entregue no serviço da Segurança

Leia mais

Prática Processual Civil. Programa

Prática Processual Civil. Programa ORDEM DOS ADVOGADOS COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO Prática Processual Civil Programa I - A CONSULTA JURÍDICA 1.1 - A consulta ao cliente 1.2 - Tentativa de resolução amigável 1.3 - A gestão do

Leia mais

A AUDIÇÃO DA CRIANÇA NOS PROCEDIMENTOS QUE CORREM NAS CONSERVATÓRIAS DO REGISTO CIVIL

A AUDIÇÃO DA CRIANÇA NOS PROCEDIMENTOS QUE CORREM NAS CONSERVATÓRIAS DO REGISTO CIVIL A AUDIÇÃO DA CRIANÇA NOS PROCEDIMENTOS QUE CORREM NAS CONSERVATÓRIAS DO REGISTO CIVIL A Lei n.º 5/2017, de 2 de Março, veio estabelecer o regime de regulação do exercício das responsabilidades parentais

Leia mais

P.ºs n.ºs 205 e 205-A/2009 SJC-CT Transmissão de créditos hipotecários. Imposto do selo. (in)aplicabilidade da verba 17.1 da TGIS.

P.ºs n.ºs 205 e 205-A/2009 SJC-CT Transmissão de créditos hipotecários. Imposto do selo. (in)aplicabilidade da verba 17.1 da TGIS. P.ºs n.ºs 205 e 205-A/2009 SJC-CT Transmissão de créditos hipotecários. Imposto do selo. (in)aplicabilidade da verba 17.1 da TGIS. DELIBERAÇÃO Do numeroso conjunto de créditos que por escritura de / /

Leia mais

Problemática da aplicabilidade das novas regras de custas aos processos tutelares de menores e de sua constitucionalidade em geral

Problemática da aplicabilidade das novas regras de custas aos processos tutelares de menores e de sua constitucionalidade em geral compilações doutrinais ESTUDO JURÍDICO Problemática da aplicabilidade das novas regras de custas aos processos tutelares de menores e de sua constitucionalidade em geral André Mouzinho ADVOGADO VERBOJURIDICO

Leia mais

Acórdão n.º 11/ ª Secção-PL P. N.º 3 ROM-SRM/2013 (PAM-N.º 26/1012-SRMTC)

Acórdão n.º 11/ ª Secção-PL P. N.º 3 ROM-SRM/2013 (PAM-N.º 26/1012-SRMTC) 1. Relatório. Transitado em julgado interposto recurso para o Tribunal Constitucional que decidiu não conhecer do objeto de recurso de constitucionalidade Acórdão n.º 11/2013-3.ª Secção-PL P. N.º 3 ROM-SRM/2013

Leia mais

Acordam nesta Secção do Contencioso Tributário do Supremo Tribunal Administrativo:

Acordam nesta Secção do Contencioso Tributário do Supremo Tribunal Administrativo: Acórdãos STA Processo: 036/17 Data do Acordão: 22 03 2017 Tribunal: 2 SECÇÃO Relator: ANA PAULA LOBO Descritores: CUMULAÇÃO DE IMPUGNAÇÕES Sumário: Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo I Há toda

Leia mais

S. R. TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE GUIMARÃES

S. R. TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE GUIMARÃES PROCº 64/03.5TBCBT-C.G1 F. veio reclamar do despacho do Sr. Juiz do Tribunal Judicial de Celorico de Basto, datado de 24.03.2011, que não lhe admitiu o recurso por si interposto, por falta de fundamento

Leia mais

Registos e Notariado. Ficha Técnica. Código do Notariado. TÍTULO I - Da organização dos serviços notariais. CAPÍTULO I - Disposições gerais

Registos e Notariado. Ficha Técnica. Código do Notariado. TÍTULO I - Da organização dos serviços notariais. CAPÍTULO I - Disposições gerais Registos e Notariado Ficha Técnica Código do Notariado TÍTULO I - Da organização dos serviços notariais CAPÍTULO I - Disposições gerais CAPÍTULO II - Competência funcional SECÇÃO I - Atribuições dos notários

Leia mais

CÓDIGO DO REGISTO CIVIL Decreto-Lei nº 131/95, de 6 de Junho 7 Decreto-Lei nº 324/2007, de 28 de Setembro 11

CÓDIGO DO REGISTO CIVIL Decreto-Lei nº 131/95, de 6 de Junho 7 Decreto-Lei nº 324/2007, de 28 de Setembro 11 CÓDIGO DO REGISTO CIVIL Decreto-Lei nº 131/95, de 6 de Junho 7 Decreto-Lei nº 324/2007, de 28 de Setembro 11 título i Disposições gerais 25 capítulo i Objecto e valor do registo civil 25 capítulo ii Órgãos

Leia mais

N/Referência: Pº R.P.5/2015 STJ-CC Data de homologação:

N/Referência: Pº R.P.5/2015 STJ-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 52/ CC /2015 N/Referência: Pº R.P.5/2015 STJ-CC Data de homologação: 26-03-2015. Banco, S.A.. Conservatória do Registo Predial de. Assunto: Descrição aberta

Leia mais

Ex.ma Senhora. Sua referência Sua comunicação Nossa referência Proc. R-4890/09 (A4)

Ex.ma Senhora. Sua referência Sua comunicação Nossa referência Proc. R-4890/09 (A4) Ex.ma Senhora Sua referência Sua comunicação Nossa referência Proc. R-4890/09 (A4) Assunto: Reclamação recebida na Provedoria de Justiça em 24.9.2009. Novo regime de vinculação, carreiras e remunerações

Leia mais

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Acórdãos STA Processo: 01583/15 Data do Acordão: 15 02 2017 Tribunal: 2 SECÇÃO Relator: ISABEL MARQUES DA SILVA Descritores: IMPUGNAÇÃO FUNDAMENTOS OPOSIÇÃO ERRO NA FORMA DE PROCESSO CONVOLAÇÃO Sumário:

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório

DELIBERAÇÃO. Relatório Pº R.P.90/2007 DSJ-CT: Anexação de prédios descritos -recusa. Divergência entre a soma das áreas dos prédios a anexar e a área do prédio resultante da anexação invocação de erro de medição. Operação de

Leia mais

DL 495/ Dez-30 CIRC - Sociedades Gestoras de Participações Sociais (SGPS) - HOLDINGS

DL 495/ Dez-30 CIRC - Sociedades Gestoras de Participações Sociais (SGPS) - HOLDINGS DL 495/88 1988-Dez-30 CIRC - Sociedades Gestoras de Participações Sociais (SGPS) - HOLDINGS SOCIEDADES HOLDING Artigo 1º (sociedades gestoras de participações sociais) 1 As sociedades gestoras de participações

Leia mais

Assunto. Aprova o Regulamento sobre a Actividade do Gestor de Navios. - Revoga toda a legislação que contrarie o disposto no presente Diploma.

Assunto. Aprova o Regulamento sobre a Actividade do Gestor de Navios. - Revoga toda a legislação que contrarie o disposto no presente Diploma. Assunto Aprova o Regulamento sobre a Actividade do Gestor de Navios. - Revoga toda a legislação que contrarie o disposto no presente Diploma. Índice Artigo 1.º (Aprovação) Artigo 2.º (Revogação) Artigo

Leia mais

N/Referência: P.º R.P. 117/2016 STJSR-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º R.P. 117/2016 STJSR-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 66/ CC /2016 N/Referência: P.º R.P. 117/2016 STJSR-CC Data de homologação: 16-12-2016 Recorrente:..-ALUGUER DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO, LDA Recorrido: Conservatória

Leia mais

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica Manuela Gomes Directora do Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Concordo inteiramente com a presente Informação e proponho o seu envio ao Sr. Director do DMGUF, Arq.º Aníbal Caldas. À consideração

Leia mais

Pº R. 27/2006 DSJ-CT:

Pº R. 27/2006 DSJ-CT: Pº R. Co. 27/2006 DSJ-CT: Alteração parcial do contrato com aumento do capital - Inscrição de acção com pedido de anulação da transformação de uma sociedade por quotas numa sociedade anónima Parecer Registo

Leia mais

Portaria 279/2013 de 26.08

Portaria 279/2013 de 26.08 Portaria 279/2013 de 26.08 Em destaque : Alterações aos procedimentos para inclusão na lista pública de execuções Artºs 2º, 3º e 4º Início do procedimento : Notificação/citação ( consoante o caso ), de

Leia mais

PARECER Nº 68/PP/2013-P CONCLUSÕES:

PARECER Nº 68/PP/2013-P CONCLUSÕES: 1 PARECER Nº 68/PP/2013-P CONCLUSÕES: 1. Um Advogado que tenha sido nomeado patrono oficioso de um menor num processo judicial de promoção e protecção de crianças e jovens em perigo, requerido pelo Ministério

Leia mais

Acordo quadro para o fornecimento e aluguer operacional de veículos automóveis e motociclos eléctricos

Acordo quadro para o fornecimento e aluguer operacional de veículos automóveis e motociclos eléctricos Acordo quadro para o fornecimento e aluguer operacional de veículos automóveis e motociclos eléctricos Acta da Reunião do Júri de Concurso de 27 de Abril de 2011 ANCP Abril de 2011 1 Acta Número Dois No

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DE ACIONISTAS CONVOCATÓRIA

ASSEMBLEIA GERAL DE ACIONISTAS CONVOCATÓRIA ASSEMBLEIA GERAL DE ACIONISTAS CONVOCATÓRIA Nos termos da lei e dos estatutos, são convocados os Senhores Accionistas e os Representantes Comuns dos Obrigacionistas da MOTA ENGIL, SGPS, S.A., Sociedade

Leia mais