P.º R. P. 240/2008 SJC-CT-

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "P.º R. P. 240/2008 SJC-CT-"

Transcrição

1 P.º R. P. 240/2008 SJC-CT- Escritura de partilha. Cumulação dos bens de heranças distintas. Qualificação do pedido de registo respeitante aos imóveis partilhados. DELIBERAÇÃO Relatório 1 Em 12 de Setembro de 2008, sob a ap.13, deu entrada na Conservatória do Registo Predial de o pedido de registo de aquisição de diversos prédios (sete omissos e um descrito o n.º 1433) a favor de José. Para instruir o aludido pedido foram apresentadas as certidões de duas escrituras de habilitação de herdeiros e uma de partilha dos bens da herança de Lino e mulher Maria dos Prazeres, e da herança de Guilhermina, todas celebradas no mesmo dia. O registo veio a ser recusado por razões de carácter substantivo (nulidade do título) e processual (atinente à forma do pedido), dando origem à abertura das descrições prediais n.ºs 3075 a 3081, da freguesia de, para efeitos da anotação prevista no n.º 3 do artigo 69.º do Código do Registo Predial (doravante, CRP). 1.1 Em 24 de Setembro o apresentante vem declarar junto da Conservatória que prescinde do prazo para a interposição do recurso hierárquico e pede que a devolução dos documentos seja feita ao senhor notário do Cartório Notarial de, que tinha procedido à celebração das referidas escrituras. No dia imediatamente a seguir, a coberto da ap. 1, e com base nos mesmos documentos, foi novamente requerido o registo de aquisição mas, desta feita, relacionando-se na respectiva requisição, subscrita pelo referido notário 1, apenas as verbas correspondentes à herança do referido Lino e mulher. 1 O senhor notário fez constar da escritura a advertência de que os interessados devem requerer o registo dos bens partilhados no prazo de 30 dias, em face do prescrito no artigo 8.º do CRP. Ora, como é sabido, este preceito respeita à impugnação dos factos registados, pelo que presumimos que o senhor notário quisesse mencionar os artigos 8.º-A e 8.º-C ambos do citado Código que respeitam, estes sim, à obrigatoriedade do registo e ao prazo para a sua promoção. Na sequência da recusa do primeiro pedido de registo (ap. 13/ ), o senhor notário assumiu, ao abrigo do prescrito na alínea b) do n.º 2 do artigo 39.º do CRP, o impulso registral o que lhe confere agora legitimidade para a interposição do presente recurso hierárquico. 1

2 A Conservatória procedeu à inutilização das descrições anteriormente abertas na sequência da ap. 13, de 12 de Setembro de 2008, e à abertura de novas descrições, que vieram a ser numeradas de 3091 a 3096, correspondentes às verbas n.ºs 2, 6, 7, 8, 5 e 9, respectivamente. 1.2 No mesmo dia, sob o n.º 6, foi anotada outra apresentação de pedido de registo de aquisição a favor do dito José, relativamente aos prédios descritos sob os n.ºs 3095, 3096 e 3097 (1/2 das verbas n.ºs 5 e 9, e a verba n.º 3, relacionadas como pertencentes à herança da Guilhermina), com base nos documentos que anteriormente instruíram as apresentações atrás mencionadas. A inscrição incidente sobre os dois prédios indicados em primeiro lugar foi efectuada como provisória por natureza 2 nos termos do disposto no artigo 92.º, n.º 2, alínea d), do CRP, enquanto que a respeitante ao prédio restante revestiu natureza definitiva. 2 O registo peticionado a coberto da ap.1 foi recusado pelas razões já invocadas a propósito do primeiro pedido, consistindo essencialmente no facto de se ter procedido à partilha unitária de prédios pertencentes a heranças distintas, sendo manifesta a nulidade da mesma. Mas, ainda que assim não se entendesse, acrescenta o senhor conservador, como foi pedido um único acto de registo e efectuada apenas uma apresentação, não é legal a cumulação da aquisição de prédios pertencentes a patrimónios autónomos diversos (heranças). Para a fundamentação de direito encontrou apoio no disposto nos artigos 1.º, 91.º, n.º1, 41.º, 99.º, 68.º e 69.º, n.º 1, alínea d), e n.º 2, todos do CRP. 3 Inconformado com a qualificação que recaiu sobre o aludido pedido, o requerente interpõe o presente recurso hierárquico nos termos e com os fundamentos que aqui se dão por integralmente reproduzidos. 3.1 Para além de alegar que o despacho proferido é nulo porque omisso quanto à indicação da disposição legal (que tem de revestir carácter imperativo, pois só este acarreta a nulidade) que impede a cumulação de partilhas, salienta que os herdeiros, assim como os bens chamados, são sempre os mesmos, embora num caso se trate de vocação legal enquanto no outro seja por vocação testamentária. 2 No entanto, resulta das tábuas que a tais inscrições se encontra averbada a pendência de rectificação ap. 11/

3 Chama ainda a atenção para a contradição do recorrido que inicialmente recusou o pedido invocando, inter alia, que foi pedido um só acto de registo e, em consequência de tal, foi efectuada uma só apresentação mas que, posteriormente, o interessado efectuou dois pedidos, em duas requisições autónomas, e continua a manter a recusa quanto à ap. 1, pelo mesmo motivo. No entanto, de seguida, efectuou o registo definitivo de aquisição do prédio urbano descrito sob o n.º 3097, e como provisórios os respeitantes aos prédios 3095 e 3096, a favor do referido José, tendo como causa a partilha da herança da Guilhermina, titulada pela mesma escritura (ap.6). Ora, tal diversidade de critérios perante a mesma situação concreta desconcerta os interessados que não sabem como devem, afinal, formular os pedidos para obterem os seus registos. Finaliza, requerendo que seja determinado ao recorrido que proceda à realização dos registos nos termos peticionados. 4 Os argumentos expendidos pelo recorrente não foram de molde a convencer o Senhor Conservador a alterar o despacho exarado, pelo que sustenta a decisão proferida com base nos argumentos que aqui se dão por integralmente reproduzidos. 4.1 Salienta-se, de qualquer modo, que o principal obstáculo suscitado ao ingresso nas tábuas do registo peticionado reside no facto de se ter procedido a uma só partilha dos bens integrados em heranças diversas e que sendo a herança um património autónomo como tal tem de ser tratada também na sua liquidação. 4.2 O recorrido, apesar da discriminação dos prédios agora feita nas requisições em função das heranças, continua a manter que foi pedido um só acto de registo e, consequentemente, efectuada uma única apresentação, não sendo legal a cumulação, numa só inscrição, da aquisição de prédios pertencentes a patrimónios autónomos diversos. 4.3 Relativamente ao registo definitivo efectuado sobre o prédio 3097 na sequência da ap. 6, acrescenta, ainda, que vai encetar o processo de rectificação, para cancelamento, se vier a entender-se que o mesmo é nulo. 5 Relatada a matéria de facto pertinente e sumariadas as posições em confronto, atento que o processo é o próprio, as partes têm legitimidade, o recurso é tempestivo e 3

4 inexistem questões prévias ou prejudiciais que obstem ao conhecimento do mérito, passamos à sua apreciação que vai consubstanciada na seguinte Deliberação 1 O artigo 2024.º do Código Civil retrata a sucessão mortis causa como o chamamento dos sucessores à titularidade das relações jurídicas patrimoniais do de cujus e a consequente devolução dos bens que a este pertenciam 3. 2 A subsequente partilha extrajudicial dos bens da herança deve obedecer, em regra, às operações de descrição dos bens e à fixação dos valores atribuídos à massa hereditária, por acordo unânime dos interessados, bem como à determinação da fracção a que cada herdeiro tem direito, tendo em conta o título da vocação sucessória 4, e ao preenchimento das quotas dos 3 As relações jurídicas, após a morte do seu titular, continuam a ser as mesmas, quer a lei dizer no seu retrato ontológico do fenómeno; o que muda é o sujeito e apenas o sujeito delas. Nesta asserção doutrinária da lei estão contidas várias ideias. Como sublinha ANTUNES VARELA E PIRES DE LIMA, in Código Civil Anotado, Volume VI, 1998, pág. 5, a primeira é a de que a pessoa concreta do sujeito não deve doutrinariamente ser considerada como um elemento de identificação do direito subjectivo ou do dever correlativo. Em segundo lugar, para que haja verdadeira sucessão na titularidade das relações jurídicas patrimoniais da pessoa falecida é necessário que essas relações já existissem na esfera jurídica do de cuius à data da sua morte. Em terceiro lugar, para que haja a sucessão referida no artigo 2024.º, é necessário que a própria lei, ao definir o objecto e o conteúdo do direito do sucessor, na sequência da morte do antigo titular, procure deliberadamente reproduzir o objecto e o conteúdo da relação jurídica encabeçada no finado. 4 Sobre o ponto, INOCÊNCIO GALVÃO TELLES, in Direito das Sucessões, 1978, pág. 89 e segs., ensina que são dois os títulos ou fontes da vocação sucessória: a lei e a vontade. Por vontade entendemos a do de cuius. A designação dos beneficiários da devolução ou é feita pelo legislador ou pelo auctor successionis no exercício da autonomia que o primeiro lhe reconhece. Tal designação contém-se portanto ou na lei ou num acto jurídico para esse fim celebrado pelo de cuius. De harmonia com esta dualidade de fontes ou títulos da vocação sucessória, assim se devem caracterizar e distinguir duas espécies fundamentais de sucessão: a sucessão legal e a sucessão voluntária. A primeira produz-se ex lege, a segunda ex voluntate. 4

5 partilhantes em bens concretos da herança ou em bens e tornas ou só em tornas 5. 3 Apesar de na escritura em apreço se ter procedido à partilha de bens pertencentes a duas heranças sem que se observassem todas as operações referidas no número anterior em relação a cada uma das heranças, afigura-senos que a partilha não está ferida de nulidade, tendo em conta as especificidades próprias deste caso, designadamente pelo facto dos bens e os herdeiros chamados serem os mesmos e o resultado final pretendido pelos 5 A escritura em apreço respeita à partilha dos bens da herança do Lino e mulher Maria dos Prazeres, e dos bens da herança da Guilhermina, que instituiu como único e universal herdeiro o seu irmão Lino, que veio a falecer antes da testadora. Aquela sucederam, em direito de representação (artigos 2039.º, 2040.º e 2041.º do Código Civil), os filhos do pré-falecido Lino a Ana Maria e o José, o que equivale a dizer que os herdeiros são os mesmos nos dois casos não obstante os títulos da vocação sucessória sejam diversos Vd., adrede, o disposto nos artigos 2026.º a 2028.º do citado Código. Nas operações preliminares da partilha os bens pertencentes a cada uma das heranças foram relacionados de forma autónoma e clara. Podemos assim constatar com segurança que do acervo patrimonial da herança do Lino e mulher fazem parte as verbas números um, dois, quatro, seis, sete, oito e metade das verbas 5 e 9 e do acervo patrimonial da herança da Guilhermina fazem parte metade das verbas números 5 e 9, e a verba número 3. Contudo, para a fixação dos valores atribuídos aos bens já não se teve em conta a individualidade das heranças atribuindo-se o valor à totalidade dos bens pertencentes às duas heranças. Na prossecução da partilha (com base no referido cálculo global do valor das massas hereditárias) procedeu-se à determinação, naquela universalidade, das fracções a que cada herdeiro tinha direito fixando-se o montante de cada quota hereditária em abstracto e, de seguida, ao preenchimento das quotas dos partilhantes em bens concretos da herança (no que respeita à herdeira Ana Maria) e, no caso do herdeiro José, em bens concretos e em tornas. Apesar do flagrante desvio das boas práticas notariais, que determinam que os bens de cada herança sejam considerados autonomamente, não nos parece que a escritura em causa, atentas as especificidades deste caso, esteja ferida de nulidade tendo em conta o prescrito no artigo 294.º do Código Civil. Em consequência de tal, parece-nos que o registo peticionado deve ser efectuado com carácter definitivo. 5

6 interessados ter sido alcançado e, sobretudo, por não ter sido preterida qualquer norma de cariz imperativo 6. 4 Assim, por não enfermar de nulidade manifesta o título subjacente ao pedido de registo de aquisição, não legitima a recusa do mesmo nos termos do prescrito no artigo 69.º, n.º 1, alínea d), do Código do Registo Predial 7. Em face do exposto, é entendimento deste Conselho que o presente recurso hierárquico merece provimento, devendo proceder-se à elaboração dos registos pedidos em termos definitivos. Deliberação aprovada em sessão do Conselho Técnico de 26 de Fevereiro de Isabel Ferreira Quelhas Geraldes, relatora. Esta deliberação foi homologada pelo Exmo. Senhor Presidente em A partilha extrajudicial só é impugnável nos casos em que o sejam os contratos, como decorre do disposto no artigo 2121.º do Código Civil. Assim, sem pretendermos entrar na querela relativa aos efeitos e à natureza da partilha visto ser dispensável na economia da deliberação, sempre diremos que a partilha extrajudicial pode ser globalmente declarada inexistente, nula, ou anulada por virtude de uma falta ou irregularidade dos elementos internos, essenciais e formativos do negócio jurídico cfr. RABINDRANATH CAPELO DE SOUSA, in Lições de Direito das Sucessões, II volume, 1980/1982, págs. 365 e segs. Como ensina ANTUNES VARELA E PIRES DE LIMA, in Código Civil Anotado, VI Volume, 1998, pág. 198, a remissão feita no citado artigo 2121.º significa que à impugnação da partilha extrajudicial são aplicáveis não só as disposições gerais aplicáveis aos contratos em geral, mas também as disposições sobre a impugnação dos negócios jurídicos em geral. Assim, são-lhe aplicáveis, em princípio, as normas relativas à anulabilidade, nulidade e inexistência do negócio jurídico todas cobertas pelo conceito de impugnação lato sensu. No entanto, a irregularidade de que enferma a escritura de partilha em apreço, pese embora a inobservância das boas práticas notariais já invocadas, não se traduz em nulidade e sendo assim não demanda a qualificação negativa do correspondente pedido de registo. 7 Consabidamente, esta norma não se satisfaz com uma possível nulidade, exige que ela seja manifesta, ostensiva cfr., neste sentido, MOUTEIRA GUERREIRO, in Noções de Direito Registral, 1993, pág

P.º R. P. 184/2009 SJC-CT

P.º R. P. 184/2009 SJC-CT P.º R. P. 184/2009 SJC-CT Transferência de património, ao abrigo do D. L. n.º 112/2004 de 13 de Maio, entre dois organismos integrantes do sistema de segurança social, o Instituto da... e o Instituto Recusa

Leia mais

P.º n.º R.P. 242/2010 SJC-CT

P.º n.º R.P. 242/2010 SJC-CT P.º n.º R.P. 242/2010 SJC-CT Prédio inscrito a favor dos autores da herança. Pagamento das dívidas destes. Penhora. Habilitação dos herdeiros. Identificação dos sujeitos. Documento bastante. DELIBERAÇÃO

Leia mais

Pº R.P. 241/2008 SJC-CT-

Pº R.P. 241/2008 SJC-CT- Pº R.P. 241/2008 SJC-CT- Acção proposta no âmbito do artº 205º CPEREF- Ordem de separação de determinado prédio da massa falida Cancelamento de hipotecas e penhoras Insuficiência do título. DELIBERAÇÃO

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório

DELIBERAÇÃO. Relatório P.º n.º R. P. 188/2008 SJC-CT- Escritura de revogação de justificação notarial. Cancelamento do registo de aquisição titulado por escritura de justificação. Direitos inscritos a favor de terceiros. DELIBERAÇÃO

Leia mais

DELIBERAÇÃO. 3 O registo foi efectuado como provisório por dúvidas com base nos motivos que a seguir se transcrevem:

DELIBERAÇÃO. 3 O registo foi efectuado como provisório por dúvidas com base nos motivos que a seguir se transcrevem: P.º n.º R.P. 175/2010 SJC-CT Partilha extrajudicial. Composição do património comum do dissolvido casal activo e passivo. Assunção das dívidas comuns pela adjudicatária sem liquidação do património comum.

Leia mais

Pº R.P. 12/2009 SJC-CT-

Pº R.P. 12/2009 SJC-CT- Pº R.P. 12/2009 SJC-CT- Recusa do pedido de registo com base em culpa leve do serviço de registo Restituição do emolumento - descrição do caso em especial. Relatório: DELIBERAÇÃO Pela Ap. 45, de 11 de

Leia mais

P.º n.º R.P. 43/2010 SJC-CT Transmissão de locação financeira. Recusa. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 43/2010 SJC-CT Transmissão de locação financeira. Recusa. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 43/2010 SJC-CT Transmissão de locação financeira. Recusa. DELIBERAÇÃO 1., advogado, apresentou na Conservatória do Registo Predial de, no dia de de ( Ap. ), um pedido de registo a que chamou

Leia mais

P.º n.º R.P. 169/2011 SJC-CT Conversão do arresto em penhora. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 169/2011 SJC-CT Conversão do arresto em penhora. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 169/2011 SJC-CT Conversão do arresto em penhora. DELIBERAÇÃO Sobre o prédio da ficha nº, da freguesia de..., da Conservatória do Registo Predial de prédio urbano situado na Rua...,, inscrito

Leia mais

P.º R. P. 113/2005 DSJ-CT:

P.º R. P. 113/2005 DSJ-CT: P.º R. P. 113/2005 DSJ-CT: Renovação de registo provisório de aquisição lavrado com base em contrato-promessa de alienação. Documento comprovativo do consentimento das partes. Declarações complementares

Leia mais

Parecer. indicados sem indicação do diploma a que pertencem deve entender-se que se referem ao Regulamento

Parecer. indicados sem indicação do diploma a que pertencem deve entender-se que se referem ao Regulamento Parecer P.º C. C. 73/2012 SJC-CT (Anexo IV) ASSUNTO: Dúvidas Emolumentares decorrentes das alterações introduzidas ao Regulamento Emolumentar dos Registos e do Notariado pelo Decreto-Lei n.º 209/2012,

Leia mais

Sumário: Alteração do contrato social. Título para registo.

Sumário: Alteração do contrato social. Título para registo. P.º R. Co. 16/2007DSJ-CT Sumário: Alteração do contrato social. Título para registo. Recorrente: Sociedade «G, Limitada», representada por M D..., advogada. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial

Leia mais

P.º n.º R.P. 123/2009 SJC-CT

P.º n.º R.P. 123/2009 SJC-CT P.º n.º R.P. 123/2009 SJC-CT - Aquisição. Usucapião. Justificação notarial para reatamento do trato sucessivo. Imposto de selo. Decreto-Lei n.º 116/2008, de 4 de Julho. Doação. Caducidade do ónus de eventual

Leia mais

R.P. 140, /2006 DSJ-CT-

R.P. 140, /2006 DSJ-CT- P.ºs R.P. 140, 141 e 142/2006 DSJ-CT- Averbamento de alteração da inscrição de aquisição Modificação subjectiva Alteração da firma ou denominação de sociedade estrangeira (no âmbito de transferência de

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Assim, não é aplicável in casu o disposto no n.º 2 do artigo 1714.º do Código Civil.

DELIBERAÇÃO. Assim, não é aplicável in casu o disposto no n.º 2 do artigo 1714.º do Código Civil. P.º n.º R. P. 181/2011 SJC-CT Imutabilidade do regime de bens. Contrato de compra e venda celebrado entre cônjuges. Qualificação do correspondente registo de aquisição. DELIBERAÇÃO 1 O presente recurso

Leia mais

Pº R.P. 132/2008 SJC-CT

Pº R.P. 132/2008 SJC-CT Pº R.P. 132/2008 SJC-CT - Impugnação de decisão de recusa, consoante respeite a acto de registo nos termos requeridos ou rectificação de registos ( nºs 1 e 2, respectivamente, do art. 140º do C.R.P.) Interpretação

Leia mais

- 1 - Pº R.Co.27/2009 SJC-CT

- 1 - Pº R.Co.27/2009 SJC-CT - 1 - Pº R.Co.27/2009 SJC-CT Recorrente: Joaquim. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial do. Acto impugnado: Indeferimento liminar de pedidos de rectificação das inscrições 3 e 4 relativas à sociedade

Leia mais

N/Referência: PºR.P.95/2016 STJ-CC Data de homologação:

N/Referência: PºR.P.95/2016 STJ-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 59/ CC /2016 N/Referência: PºR.P.95/2016 STJ-CC Data de homologação: 23-10-2016 Recorrente: Município de P... Recorrido: Conservatória do Registo Predial

Leia mais

N/Referência: P.º R.P. 118/2016 STJSR-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º R.P. 118/2016 STJSR-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 1/ CC /2017 N/Referência: P.º R.P. 118/2016 STJSR-CC Data de homologação: 20-01-2017 Recorrente: Francisco J.., representado por Constantino.., advogado.

Leia mais

P.º n.º R.P. 92/2010 SJC-CT Aquisição. Contrato promessa. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 92/2010 SJC-CT Aquisição. Contrato promessa. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 92/2010 SJC-CT Aquisição. Contrato promessa. DELIBERAÇÃO 1. Indicando como objecto mediato o prédio descrito sob o nº... da freguesia de..., o recorrente apresentou na Conservatória do Registo

Leia mais

P.º R. P. 191/2008 SJC-CT- Aquisição em processo de execução rejeição da apresentação - gratuitidade do registo. DELIBERAÇÃO Relatório

P.º R. P. 191/2008 SJC-CT- Aquisição em processo de execução rejeição da apresentação - gratuitidade do registo. DELIBERAÇÃO Relatório P.º R. P. 191/2008 SJC-CT- Aquisição em processo de execução rejeição da apresentação - gratuitidade do registo. DELIBERAÇÃO Relatório 1. Em 01/09/2008 foi apresentado, na Conservatória do Registo Predial

Leia mais

P.º n.º R.P. 212/2010 SJC-CT Penhora. Registo de aquisição de imóvel penhorado. Averbamento à descrição. Recusa. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 212/2010 SJC-CT Penhora. Registo de aquisição de imóvel penhorado. Averbamento à descrição. Recusa. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 212/2010 SJC-CT Penhora. Registo de aquisição de imóvel penhorado. Averbamento à descrição. Recusa. DELIBERAÇÃO A ficha... descreve um terreno para construção com a área de 2 080m2, inscrito

Leia mais

PARECER. 3 O despacho de provisoriedade por dúvidas tem por base a motivação que a seguir se sintetiza:

PARECER. 3 O despacho de provisoriedade por dúvidas tem por base a motivação que a seguir se sintetiza: P.º n.º R.P. 131/2012 SJC-CT Escritura pública de habilitação de herdeiros. Declarações inexatas. Retificação das mesmas por instrumento notarial. Averbamento à referida escritura. Qualificação do registo

Leia mais

Pº R. Co. 25/2006 DSJ-CT. Recorrente: Caixa de Crédito Agrícola Mútuo. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de.

Pº R. Co. 25/2006 DSJ-CT. Recorrente: Caixa de Crédito Agrícola Mútuo. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Pº R. Co. 25/2006 DSJ-CT. Recorrente: Caixa de Crédito Agrícola Mútuo. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Registo a qualificar: Transmissão de dívida com hipoteca a favor de P Sociedade

Leia mais

P.º R. P. 231/2007 DSJ-CT

P.º R. P. 231/2007 DSJ-CT P.º R. P. 231/2007 DSJ-CT -Transacção judicial Registo de aquisição Título Reconhecimento do direito de propriedade Trato sucessivo Obrigações fiscais. DELIBERAÇÃO Vem o presente recurso hierárquico interposto

Leia mais

Recorrente: «L Sociedade Unipessoal, Limitada». Recorrida: Conservatória do Registo Comercial da. Relatório:

Recorrente: «L Sociedade Unipessoal, Limitada». Recorrida: Conservatória do Registo Comercial da. Relatório: P.º R. Co. 4/2007DSJ-CT - Registo da constituição da sociedade e nomeação de gerentes. Título constitutivo omisso quanto à data do encerramento do exercício social e ao número de identificação fiscal da

Leia mais

P.º R. P. 132/2006 DSJ-CT-

P.º R. P. 132/2006 DSJ-CT- P.º R. P. 132/2006 DSJ-CT- Sucessão testamentária. Aquisição por partilha extrajudicial, com base em escritura de habilitação de herdeiros e testamento público. Determinação do sentido e alcance da deixa

Leia mais

N/Referência: P.º R.P. 117/2016 STJSR-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º R.P. 117/2016 STJSR-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 66/ CC /2016 N/Referência: P.º R.P. 117/2016 STJSR-CC Data de homologação: 16-12-2016 Recorrente:..-ALUGUER DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO, LDA Recorrido: Conservatória

Leia mais

C. P. 110/2009 SJC-CT

C. P. 110/2009 SJC-CT Proc. n.º C. P. 110/2009 SJC-CT Escritura de partilha de herança. Prazo para a promoção do registo dos bens imóveis. Agravamento emolumentar no caso de cumprimento intempestivo da obrigação de registar.

Leia mais

P.º n.º R.P. 92/2011 SJC-CT Procedimento especial de transmissão, oneração e registo imediato de imóveis (Casa Pronta) DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 92/2011 SJC-CT Procedimento especial de transmissão, oneração e registo imediato de imóveis (Casa Pronta) DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 92/2011 SJC-CT Procedimento especial de transmissão, oneração e registo imediato de imóveis (Casa Pronta) DELIBERAÇÃO 1. No âmbito de procedimento casa pronta 1, a Senhora Notária Afecta à

Leia mais

P.º n.º R.P. 193/2010 SJC-CT Transmissão da posição contratual. Averbamento à inscrição de aquisição do direito de superfície.

P.º n.º R.P. 193/2010 SJC-CT Transmissão da posição contratual. Averbamento à inscrição de aquisição do direito de superfície. P.º n.º R.P. 193/2010 SJC-CT Transmissão da posição contratual. Averbamento à inscrição de aquisição do direito de superfície. DELIBERAÇÃO 1. O prédio descrito sob nº... da freguesia de foi, na dependência

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório

DELIBERAÇÃO. Relatório P.º n.º C. P. 63/2008 SJC-CT- Alterações introduzidas pelo Decreto-Lei n.º 116/2008, de 4 de Julho, no Código do Registo Predial. Reflexos nos procedimentos simplificados do balcão das heranças e de divórcios

Leia mais

P.º n.º R.P. 102/2011 SJC-CT Testamento. Interpretação. Lapso quanto à identificação do objecto legado. Título para registo.

P.º n.º R.P. 102/2011 SJC-CT Testamento. Interpretação. Lapso quanto à identificação do objecto legado. Título para registo. 1 P.º n.º R.P. 102/2011 SJC-CT Testamento. Interpretação. Lapso quanto à identificação do objecto legado. Título para registo. PARECER 1. A coberto da ap...., de / /, foi pedido o registo de aquisição

Leia mais

Pº C. P. 147/2009 SJC-CT

Pº C. P. 147/2009 SJC-CT Pº C. P. 147/2009 SJC-CT - Pedido online de actos de registo predial. Erro do utilizador na formulação do pedido de registo. Inexistência de apresentação. Elaboração do registo. Nulidade. DELIBERAÇÃO 1

Leia mais

2 II Fundamentação 1

2 II Fundamentação 1 P.º n.º C.P. 43/2012 SJC-CT Revogação do despacho de qualificação de ato de registo já executado na ficha informática. Tradução tabular da regressão no processo registral, devido à preterição de formalidades

Leia mais

N/Referência: PROC.: C. Bm. 48/2014 STJ-CC Data de homologação: PARECER

N/Referência: PROC.: C. Bm. 48/2014 STJ-CC Data de homologação: PARECER N.º 28/ CC /2014 N/Referência: PROC.: C. Bm. 48/2014 STJ-CC Data de homologação: 17-12-2014 Consulente: Conservatória do Registo Comercial e de Automóveis de.... Assunto: Palavras-chave: Registos de apreensão,

Leia mais

N/Referência: P.º C.P. 41/2016 STJ-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º C.P. 41/2016 STJ-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 10/ CC /2017 N/Referência: P.º C.P. 41/2016 STJ-CC Data de homologação: 20-01-2017 Consulente: Setor Técnico-Jurídico dos Serviços de Registo (STJSR). Assunto:

Leia mais

P.º n.º R.P. 89/2011 SJC-CT Acção de divisão de coisa comum. Incerteza. quanto ao objecto. Violação do trato sucessivo. Qualificação minguante.

P.º n.º R.P. 89/2011 SJC-CT Acção de divisão de coisa comum. Incerteza. quanto ao objecto. Violação do trato sucessivo. Qualificação minguante. P.º n.º R.P. 89/2011 SJC-CT Acção de divisão de coisa comum. Incerteza quanto ao objecto. Violação do trato sucessivo. Qualificação minguante. PARECER 1 O presente recurso hierárquico vem interposto contra

Leia mais

P.º n.º R.P. 10/2012 SJC-CT Repúdio da herança. Legitimidade Caducidade do direito de aceitação. Eficácia do repúdio. PARECER

P.º n.º R.P. 10/2012 SJC-CT Repúdio da herança. Legitimidade Caducidade do direito de aceitação. Eficácia do repúdio. PARECER P.º n.º R.P. 10/2012 SJC-CT Repúdio da herança. Legitimidade Caducidade do direito de aceitação. Eficácia do repúdio. ativa. PARECER 1. Pela ap., de 2011/11/14, foi pedido na conservatória do registo predial

Leia mais

Registo a qualificar: Transformação da sociedade recorrente, requisitado pela Ap. 4 de e efectuado pela Ap. 38 de

Registo a qualificar: Transformação da sociedade recorrente, requisitado pela Ap. 4 de e efectuado pela Ap. 38 de Pº R.Co. 9/2010 SJC-CT. Recorrente: Agro-, S.A. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Registo a qualificar: Transformação da sociedade recorrente, requisitado pela Ap. 4 de 13.02.2010 e efectuado

Leia mais

PARECER. Para a fundamentação de direito são invocados os artigos 68.º e 70.º do Código do Registo Predial.

PARECER. Para a fundamentação de direito são invocados os artigos 68.º e 70.º do Código do Registo Predial. P.º n.º R.P. 17/2013 STJ-CC Registo de incidente deduzido em processo de execução fiscal. Princípio do trato sucessivo. Despacho de provisoriedade por dúvidas. PARECER 1 O presente recurso hierárquico

Leia mais

Pº C.P. 35/2009 SJC-CT-

Pº C.P. 35/2009 SJC-CT- Pº C.P. 35/2009 SJC-CT- Gratuitidade prevista no nº 3 do art. 33º do referido D.L. nº 116/2008 - Pedidos efectuados para lá dos prazos previstos para o cumprimento atempado da obrigação de registar Agravamento

Leia mais

P.º n.º R.P. 192/2011 SJC-CT Declaração de nulidade da venda por sentença. Cancelamento do registo de aquisição. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 192/2011 SJC-CT Declaração de nulidade da venda por sentença. Cancelamento do registo de aquisição. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 192/2011 SJC-CT Declaração de nulidade da venda por sentença. Cancelamento do registo de aquisição. DELIBERAÇÃO A. A ficha informática da freguesia de, do concelho da que descreve o 1º andar

Leia mais

Pronúncia. A posição deste Conselho vai expressa na seguinte. Deliberação

Pronúncia. A posição deste Conselho vai expressa na seguinte. Deliberação Pº C.Co. 34/2011 SJC-CT Relatório Em relatório elaborado no âmbito de auditoria levada a cabo à actuação de um conjunto de conservatórias, quanto ao dever de fiscalizar o cumprimento da obrigação de promover

Leia mais

Deliberação. Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nubente estrangeiro. Declaração de inexistência de impedimentos.

Deliberação. Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nubente estrangeiro. Declaração de inexistência de impedimentos. Proc. C.C. 109/2010 SJC CT Deliberação Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nubente estrangeiro. Declaração de inexistência de impedimentos. O Consulado de Portugal em B., Brasil, atento o despacho n.º

Leia mais

Diploma DRE. Secção I. Procedimentos simplificados de sucessão hereditária. Artigo 1.º. Atendimento prévio

Diploma DRE. Secção I. Procedimentos simplificados de sucessão hereditária. Artigo 1.º. Atendimento prévio Diploma Regulamenta os termos da prestação do serviço no «Balcão das Heranças» e no balcão «Divórcio com Partilha», no âmbito dos procedimentos simplificados de sucessão hereditária, e de partilha do património

Leia mais

Pº R. P. 180/2008 SJC-CT

Pº R. P. 180/2008 SJC-CT Pº R. P. 180/2008 SJC-CT - Inscrição de aquisição em comum e sem determinação de parte ou direito Prédio urbano constituído por várias moradias a que correspondem diferentes artigos matriciais Divergência

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório:

DELIBERAÇÃO. Relatório: Pº R.P. 217/2006 DSJ-CT- Cancelamento de registo de hipoteca Título para registo Requerimento dirigido ao conservador, invocativo da prescrição Recusa. Relatório: DELIBERAÇÃO Do prédio urbano descrito

Leia mais

Recorrente: Manuel.., representado pelo advogado J. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de.

Recorrente: Manuel.., representado pelo advogado J. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Proc.º n.º R. Co. 25/2010 SJC-CT Sumário: Início oficioso do procedimento administrativo de dissolução de sociedade comercial por quotas. Despacho de suspensão. Inadmissibilidade de interposição de recurso

Leia mais

4. A senhora conservadora recorrida sustentou a qualificação impugnada em despacho que aqui se dá por integralmente reproduzido.

4. A senhora conservadora recorrida sustentou a qualificação impugnada em despacho que aqui se dá por integralmente reproduzido. P.º n.º R.P.122/2012.SJC-CT Dação em cumprimento acompanhada de declaração de renúncia à hipoteca e de declaração de manifestação de interesse na sua manutenção (artigo 871.º, n.º 4 do Código Civil). DELIBERAÇÃO

Leia mais

Pº R. Bm. 9/2008 SJC-CT Recorrente: Ana, advogada. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de.

Pº R. Bm. 9/2008 SJC-CT Recorrente: Ana, advogada. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Pº R. Bm. 9/2008 SJC-CT Recorrente: Ana, advogada. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Relatório 1. Com data de 13 de Outubro de 2008 ( cuja apresentação só foi anotada no Diário no dia 20090624,

Leia mais

III Pronúncia. Vejamos, pois.

III Pronúncia. Vejamos, pois. P.º n.º R.P. 112/2012 SJC-CT Registo de aquisição efetuado como provisório por dúvidas. Falta de consentimento dos credores. Caducidade do registo. Renovação do pedido em conservatória diversa. Recusa.

Leia mais

Pº R. Co. 22/2009 SJC-CT. Recorrente: Clube de Futebol. Recorrida: Conservatória do Registo Predial/Comercial de..

Pº R. Co. 22/2009 SJC-CT. Recorrente: Clube de Futebol. Recorrida: Conservatória do Registo Predial/Comercial de.. Pº R. Co. 22/2009 SJC-CT. Recorrente: Clube de Futebol. Recorrida: Conservatória do Registo Predial/Comercial de.. Registo a qualificar: Constituição da sociedade. Futebol SAD com designação dos membros

Leia mais

P.º n.º R. P. 309/2007DSJ-CT- Acção de reivindicação do direito de superfície. Sua registabilidade. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R. P. 309/2007DSJ-CT- Acção de reivindicação do direito de superfície. Sua registabilidade. DELIBERAÇÃO P.º n.º R. P. 309/2007DSJ-CT- Acção de reivindicação do direito de superfície. Sua registabilidade. DELIBERAÇÃO Relatório: 1 Em 17 de Outubro de 2007, a coberto da ap.14, deu entrada na Conservatória do

Leia mais

P.º R.P. 147/2007 DSJ-CT-

P.º R.P. 147/2007 DSJ-CT- P.º R.P. 147/2007 DSJ-CT- Fixação do sentido e alcance da norma contida no n.º 5 do artigo 31.º do D. L. 287/2003, de 12/11 Reconhecimento ao interessado da possibilidade de requerer hoje a liquidação

Leia mais

Pº R.Co.18/2012 SJC-CT

Pº R.Co.18/2012 SJC-CT Pº R.Co.18/2012 SJC-CT Recorrente: S Construções Lda. Sumário: Retificação de registo de encerramento de liquidação, lavrado no âmbito do disposto art. 24º/6 do Regime Jurídico dos Procedimentos Administrativos

Leia mais

- 1 - Pº C.Co.93/2010 SJC-CT. Relatório

- 1 - Pº C.Co.93/2010 SJC-CT. Relatório Pº C.Co.93/2010 SJC-CT Relatório 1. A Senhora Adjunta de Conservador da Conservatória do Registo Predial de. solicitou esclarecimento sobre se o registo por depósito está sujeito ao pagamento de coima,

Leia mais

P.º R.P. 159/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo

P.º R.P. 159/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo P.º R.P. 159/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo PARECER Relatório 1. Adelino vem apresentar reclamação da conta do acto de registo pedido a coberto da ap.27

Leia mais

PARECER. 2.1 O registo veio a ser recusado com base nos seguintes motivos:

PARECER. 2.1 O registo veio a ser recusado com base nos seguintes motivos: P.º n.º R.P. 129/2010 SJC-CT Aquisição. Justificação notarial. Notificação edital do titular inscrito ou dos seus herdeiros, sendo o caso. Utilização indevida desta modalidade de notificação. Consequência.

Leia mais

P.º C. Co. 63/2006 DSJ-CT - Competência do Adjunto do Conservador. Processos de contra-ordenação.

P.º C. Co. 63/2006 DSJ-CT - Competência do Adjunto do Conservador. Processos de contra-ordenação. P.º C. Co. 63/2006 DSJ-CT - Competência do Adjunto do Conservador. Processos de contra-ordenação. 1 O consulente 1 pretende, em síntese, ser informado se o Adjunto do Conservador com delegação de todas

Leia mais

Recorrida: Conservatória do Registo Automóvel do

Recorrida: Conservatória do Registo Automóvel do R. Bm. 1/2007 DSJ-CT Recorrente: D Recorrida: Conservatória do Registo Automóvel do Sumário: Apreensão de veículo em processo de insolvência Título para Registo - Prova da qualidade de administrador de

Leia mais

P.ºR.P. 264/2008 SJC-CT - Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo. PARECER Relatório

P.ºR.P. 264/2008 SJC-CT - Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo. PARECER Relatório P.ºR.P. 264/2008 SJC-CT - Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo. PARECER Relatório 1. Adelino vem apresentar recurso hierárquico da decisão de rejeição da ap.9 de 2008/

Leia mais

Relatório DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 37/ CC /2015. N/Referência: PºR.P.23/2015 STJ-CC Data de homologação:

Relatório DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 37/ CC /2015. N/Referência: PºR.P.23/2015 STJ-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 37/ CC /2015 N/Referência: PºR.P.23/2015 STJ-CC Data de homologação: 28-05-2015 Recorrente: Joana M, Notária. Recorrido: Conservatória do Registo Predial

Leia mais

P.º n.º R.P. 188/2010 SJC-CT Aquisição em comum e sem determinação de parte ou direito. Duplicação de descrições. PARECER

P.º n.º R.P. 188/2010 SJC-CT Aquisição em comum e sem determinação de parte ou direito. Duplicação de descrições. PARECER P.º n.º R.P. 188/2010 SJC-CT Aquisição em comum e sem determinação de parte ou direito. Duplicação de descrições. PARECER A. Destacamos dos autos o seguinte quadro factual: a. No Livro... da Conservatória

Leia mais

Pº R.P. 252/2009 SJC-CT

Pº R.P. 252/2009 SJC-CT Pº R.P. 252/2009 SJC-CT Aquisição. Testamento celebrado por cidadão estrangeiro. Interpretação do testamento. Direito internacional privado. Isenção subjectiva de imposto de selo das transmissões gratuitas

Leia mais

Por de 10 de Março de 2014, o SAIGS remeteu a informação proferida no âmbito do P.º RC SAIGS, para emissão de parecer, com urgência.

Por  de 10 de Março de 2014, o SAIGS remeteu a informação proferida no âmbito do P.º RC SAIGS, para emissão de parecer, com urgência. N.º 20 DGATJSR /2015 N/Referência: Assunto: Pº CC.23/2014 STJSR Data de despacho: 25-03-2014 Consulente: Consulta de SAIGS Transcrição de casamento Palavras-chave: Processo preliminar de casamento - Cidadã

Leia mais

CONCURSO DE PROVAS PÚBLICAS PARA ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE NOTÁRIO 01/07/2017. «Grelha» de correção da prova de Direito Privado e Direito Registal

CONCURSO DE PROVAS PÚBLICAS PARA ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE NOTÁRIO 01/07/2017. «Grelha» de correção da prova de Direito Privado e Direito Registal CONCURSO DE PROVAS PÚBLICAS PARA ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE NOTÁRIO 01/07/2017 «Grelha» de correção da prova de Direito Privado e Direito Registal A) Direito Privado I (6 v.) a) (1 valor) A cláusula é válida,

Leia mais

1 Em suporte deste entendimento, havia já a recorrente invocado, no âmbito do processo de suprimento

1 Em suporte deste entendimento, havia já a recorrente invocado, no âmbito do processo de suprimento P.º n.º R. P. 204/2009 SJC-CT Divergência de áreas do prédio registando entre a que consta no título e a resultante do teor matricial. Interpretação dos artigos 28.º-A e 28.º-B do Código do Registo Predial.

Leia mais

Proc. R.C. 3/2008 SJC CT. Parecer

Proc. R.C. 3/2008 SJC CT. Parecer Proc. R.C. 3/2008 SJC CT Parecer Recurso hierárquico. Aquisição da nacionalidade portuguesa por efeito de adopção por decisão transitada em julgado antes da entrada em vigor da Lei n.º 37/81, de 3 de Outubro.

Leia mais

I - REPRESENTAÇÃO, AUTENTICAÇÃO E RECONHECIMENTOS II CONTRATOS EM ESPECIAL (1)

I - REPRESENTAÇÃO, AUTENTICAÇÃO E RECONHECIMENTOS II CONTRATOS EM ESPECIAL (1) ACTOS NOTARIAIS - EM ESPECIAL: TITULAÇÃO E AUTENTICAÇÃO DE ACTOS POR ADVOGADOS. uma perspectiva prática que permite implementar métodos e procedimentos no escritório I - REPRESENTAÇÃO, AUTENTICAÇÃO E RECONHECIMENTOS

Leia mais

CONCURSO DE PROVAS PÚBLICAS PARA ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE NOTÁRIO 07/05/2016. Direito Privado e Registal. A) Direito Privado

CONCURSO DE PROVAS PÚBLICAS PARA ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE NOTÁRIO 07/05/2016. Direito Privado e Registal. A) Direito Privado CONCURSO DE PROVAS PÚBLICAS PARA ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE NOTÁRIO 07/05/2016 Direito Privado e Registal A) Direito Privado I António, casado com Beatriz, desde Janeiro 1990, no regime de bens supletivo,

Leia mais

N/Referência: PROC.: C. Bm. 18/2014 STJ-CC Data de homologação: 19-09-2014. Relatório

N/Referência: PROC.: C. Bm. 18/2014 STJ-CC Data de homologação: 19-09-2014. Relatório N.º 49/ CC /2014 N/Referência: PROC.: C. Bm. 18/2014 STJ-CC Data de homologação: 19-09-2014 Consulente: Conservatória do Registo Automóvel de. Recorrido: Assunto: Registo de propriedade adquirida por via

Leia mais

P.º R. P. 22/2009 SJC-CT-

P.º R. P. 22/2009 SJC-CT- P.º R. P. 22/2009 SJC-CT- Averbamento de rectificação da descrição quanto à área, fundado em erro de medição. Enquadramento do respectivo pedido na previsão legal do artigo 28.º-C do CRP ou no processo

Leia mais

P.ºs n.ºs 205 e 205-A/2009 SJC-CT Transmissão de créditos hipotecários. Imposto do selo. (in)aplicabilidade da verba 17.1 da TGIS.

P.ºs n.ºs 205 e 205-A/2009 SJC-CT Transmissão de créditos hipotecários. Imposto do selo. (in)aplicabilidade da verba 17.1 da TGIS. P.ºs n.ºs 205 e 205-A/2009 SJC-CT Transmissão de créditos hipotecários. Imposto do selo. (in)aplicabilidade da verba 17.1 da TGIS. DELIBERAÇÃO Do numeroso conjunto de créditos que por escritura de / /

Leia mais

I. SUCESSÃO POR CAUSA DA MORTE E PLANEAMENTO SUCESSÓRIO

I. SUCESSÃO POR CAUSA DA MORTE E PLANEAMENTO SUCESSÓRIO Índice 167 Abreviaturas e siglas 9 Introdução 11 I. SUCESSÃO POR CAUSA DA MORTE E PLANEAMENTO SUCESSÓRIO 17 1. O património e a sua transmissão por causa da morte 18 1.1. O problema sucessório 18 1.2 O

Leia mais

Pº R.P. 182/2008 SJC-CT

Pº R.P. 182/2008 SJC-CT Pº R.P. 182/2008 SJC-CT- (i)legalidade de recusa de registo de aquisição pedido com base em inventário, com fundamento na sua manifesta nulidade, mediante invocação de que o prédio partilhado é alheio

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório:

DELIBERAÇÃO. Relatório: P.º n.º R. P. 234/2007DSJ-CT:Contrato de arrendamento comercial incidente sobre parte de prédio urbano, com duração superior a seis anos - Sua registabilidade. DELIBERAÇÃO Relatório: 1 Em 28 de Setembro

Leia mais

Proc.º n.º C. Bm. 30/2010 SJC-CT

Proc.º n.º C. Bm. 30/2010 SJC-CT Proc.º n.º C. Bm. 30/2010 SJC-CT Sumário: Modelos de requerimento para atos de registo de veículos. Promoção de atos de registos via online. Extinção de reserva de propriedade. Documentos para o cancelamento

Leia mais

PARECER. Relatório. Instituto dos Registos e do Notariado. mod. 4

PARECER. Relatório. Instituto dos Registos e do Notariado. mod. 4 P.º R. P. 169/2008 SJC-CT- Justificação do direito de propriedade e compra e venda de fracção autónoma de prédio, objecto de fraccionamento e emparcelamento, divisão de coisa comum e constituição de propriedade

Leia mais

S. R. CONSELHO SUPERIOR DA MAGISTRATURA PARECER

S. R. CONSELHO SUPERIOR DA MAGISTRATURA PARECER PARECER 01. O Conselho Superior da Magistratura é um órgão de Estado com consagração constitucional (a artigos 217º e 218º da Lei Fundamental), ao qual incumbe a nomeação, a colocação, a transferência

Leia mais

R. P. 5/2009 SJC-CT- Doação - obrigação de registar: sujeito e prazo. PARECER. Relatório

R. P. 5/2009 SJC-CT- Doação - obrigação de registar: sujeito e prazo. PARECER. Relatório 1 R. P. 5/2009 SJC-CT- Doação - obrigação de registar: sujeito e prazo. PARECER Relatório 1. Maria.vem apresentar recurso hierárquico da decisão de rejeição das aps. 30, 31 e 32 de / /24 relativas aos

Leia mais

Pº R. 27/2006 DSJ-CT:

Pº R. 27/2006 DSJ-CT: Pº R. Co. 27/2006 DSJ-CT: Alteração parcial do contrato com aumento do capital - Inscrição de acção com pedido de anulação da transformação de uma sociedade por quotas numa sociedade anónima Parecer Registo

Leia mais

Finaliza pedindo que seja revogada a decisão recorrida e ordenada a elaboração do registo peticionado a favor da recorrente em termos definitivos.

Finaliza pedindo que seja revogada a decisão recorrida e ordenada a elaboração do registo peticionado a favor da recorrente em termos definitivos. Proc.º n.º R. P. 72/2010 SJC-CT Património das fundações. Afectação de bens de uma das instituidoras. Registo de aquisição de um imóvel a favor da Fundação Título bastante. Prova da ratificação da gestão

Leia mais

P.ºR.P. 106/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em acordo de partilha em processo de inventário Obrigação de registar: prazo.

P.ºR.P. 106/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em acordo de partilha em processo de inventário Obrigação de registar: prazo. P.ºR.P. 106/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em acordo de partilha em processo de inventário Obrigação de registar: prazo. PARECER Relatório 1. Maria vem apresentar reclamação da conta do acto

Leia mais

PARECER. I - Medidas de descongestionamento dos tribunais:

PARECER. I - Medidas de descongestionamento dos tribunais: PARECER REGIME JURÍDICO DO PROCESSO DE INVENTÁRIO E ALTERAÇÃO DOS CÓDIGOS CIVIL, PROCESSO CIVIL, REGISTO PREDIAL E REGISTO CIVIL, E REGIME JURÍDICO NACIONAL DE PESSOAS COLECTIVAS. O Governo solicitou a

Leia mais

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica Manuela Gomes Directora do Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Concordo inteiramente com a presente Informação e proponho o seu envio ao Sr. Director da DMFP, Dr. José Branco. À consideração

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório

DELIBERAÇÃO. Relatório Pº R.P. 129/2007 DSJ-CT Eficácia jurídica retroactiva da personalidade jurídica de sociedade decorrente da natureza constitutiva do registo do contrato Formas de assunção do negócio celebrado entre o momento

Leia mais

P.º C. P. 67/2008 SJC-CT

P.º C. P. 67/2008 SJC-CT P.º C. P. 67/2008 SJC-CT- Aplicabilidade do regime de gratuitidade previsto no n.º 2 do artigo 33.º do Decreto-Lei n.º 116/2008 aos averbamentos de conversão de registos efectuados como provisórios por

Leia mais

ESTATUTOS DO GRUPO DESPORTIVO SANTANDER TOTTA. CAPÍTULO I SEÇÃO I CONSTITUIÇÃO ART.º 1.º (Denominação e Natureza)

ESTATUTOS DO GRUPO DESPORTIVO SANTANDER TOTTA. CAPÍTULO I SEÇÃO I CONSTITUIÇÃO ART.º 1.º (Denominação e Natureza) ESTATUTOS DO GRUPO DESPORTIVO SANTANDER TOTTA CAPÍTULO I SEÇÃO I CONSTITUIÇÃO ART.º 1.º (Denominação e Natureza) 1. O Grupo Desportivo Santander Totta, é uma Associação de direito privado, sem fins lucrativos,

Leia mais

PARECER Nº 48/PP/2014-P CONCLUSÕES

PARECER Nº 48/PP/2014-P CONCLUSÕES PARECER Nº 48/PP/2014-P CONCLUSÕES 1. Os actos praticados pelo advogado no uso da competência que lhe é atribuída pelo artº 38º do Dec-Lei nº 76-A/2006, bem como os documentos que os formalizam, porque

Leia mais

DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA E PARA EFEITOS IMEDIATOS

DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA E PARA EFEITOS IMEDIATOS DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA E PARA EFEITOS IMEDIATOS (Nos termos do nº3 do artº 92º do Decreto-Lei nº 169/99, de 18/09) --------- Reunião de 8 de Julho de 2008 --------- --- CANDIDATURA AO PROGRAMA

Leia mais

Ao abrigo do disposto no n.º 2 do artigo 36.º do Decreto-Lei n.º 211/2004, de 20 de Agosto:

Ao abrigo do disposto no n.º 2 do artigo 36.º do Decreto-Lei n.º 211/2004, de 20 de Agosto: Legislação Portaria n.º 1327/2004, de 19 de Outubro Publicada no D.R. n.º 246, I Série-B, de 19 de Outubro de 2004 SUMÁRIO: Regulamenta os procedimentos administrativos previstos no Decreto-Lei n.º 211/2004,

Leia mais

Consequentemente, deve conceder-se provimento ao recurso com as devidas consequências legais.

Consequentemente, deve conceder-se provimento ao recurso com as devidas consequências legais. P.º R. P. 146/2006 DSJ-CT-Divisão de prédio urbano. Titulação e qualificação do correspondente pedido de registo. Eventual violação do regime jurídico dos loteamentos urbanos. PARECER Relatório 1 Em 2

Leia mais

Tribunal de Contas. Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário

Tribunal de Contas. Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário 1. São duas as questões suscitadas pelo Demandado: - uma que respeita a competência do relator para a decisão tomada e a eventual nulidade

Leia mais

P.º n.º R.P. 81/2010 SJC-CT Sociedade irregular. Trato sucessivo. PARECER

P.º n.º R.P. 81/2010 SJC-CT Sociedade irregular. Trato sucessivo. PARECER 1 P.º n.º R.P. 81/2010 SJC-CT Sociedade irregular. Trato sucessivo. PARECER 1.... vem interpor recurso hierárquico da decisão de recusa de conversão da inscrição de aquisição apresentada sob o n.º...,

Leia mais

EXMO. SENHOR DR. JUIZ DE DIREITO DO

EXMO. SENHOR DR. JUIZ DE DIREITO DO EXMO. SENHOR DR. JUIZ DE DIREITO DO TRIBUNAL ADMINISTRATIVO E FISCAL DE [ ] Processo n.º [ ] reversão e apensos [ ], residente na [ ], contribuinte n.º [ ], executado por reversão, tendo sido citado para

Leia mais

Pº R.P. 200/2009 SJC-CT-

Pº R.P. 200/2009 SJC-CT- Pº R.P. 200/2009 SJC-CT- Cumulação de decisões impugnadas num só processo - Inscrição de penhora - Legitimidade do exequente para pedir os registos que viabilizem a inscrição do bem em nome do executado

Leia mais

P.º n.º C. P.43/2007 DSJ-CT: Extinção do direito de superfície pela sua reunião, na mesma pessoa, com o direito de propriedade. Tradução tabular.

P.º n.º C. P.43/2007 DSJ-CT: Extinção do direito de superfície pela sua reunião, na mesma pessoa, com o direito de propriedade. Tradução tabular. P.º n.º C. P.43/2007 DSJ-CT: Extinção do direito de superfície pela sua reunião, na mesma pessoa, com o direito de propriedade. Tradução tabular. DELIBERAÇÃO Consulta 1 A Senhora Conservadora do Registo

Leia mais

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO DIREITO PATRIMONIAL DA FAMÍLIA E DAS SUCESSÕES DISCIPLINA DO 4 ANO DA LICENCIATURA EM DIREITO EM LÍNGUA PORTUGUESA PLANO DE CURSO ANO LECTIVO DE 2017/2018 Professor:

Leia mais

P.º R. P. 266/2004 DSJ-CT

P.º R. P. 266/2004 DSJ-CT P.º R. P. 266/2004 DSJ-CT - Aquisição de prédio inscrito em comum e sem determinação de parte ou direito a favor dos promitentes vendedores, com a condição de não poder ser vendido ou de qualquer forma

Leia mais

P. n.º CP 163/2009 SJC-CT Hipoteca voluntária. Identificação dos sujeitos passivos. PARECER

P. n.º CP 163/2009 SJC-CT Hipoteca voluntária. Identificação dos sujeitos passivos. PARECER P. n.º CP 163/2009 SJC-CT Hipoteca voluntária. Identificação dos sujeitos passivos. PARECER 1. A propósito de um concreto acto de registo promovido por notário, na qualidade de entidade tituladora e em

Leia mais