DELIBERAÇÃO. Relatório

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DELIBERAÇÃO. Relatório"

Transcrição

1 Pº R. P. 200/2008 SJC-CT- Registo de penhora executado separado de pessoas e bens - registo de aquisição a favor do executado casado no regime da comunhão geral - provisoriedade por natureza (artigo 92.º, n.º2, alínea a), do Código do Registo Predial) DELIBERAÇÃO Relatório 1. Ana., solicitadora de execução, requereu, na Conservatória do Registo Predial de., o registo de penhora do direito e acção na herança que integra 1/5 das fracções autónomas A, B, E, F, G, H e I do prédio n.º 558/ , da freguesia de, (ap.39/ ), bem como o registo de penhora de 4/30 das ditas fracções autónomas (ap.40/ ), indicando como executado Manuel, separado de pessoas e bens de Maria, e juntando para o efeito prova matricial, comprovativo de aceitação das funções de agente de execução no processo executivo em causa e fotocópia certificada do requerimento executivo. 2. As apresentações foram objecto de cumulação e o registo de penhora, tendo por objecto o direito e acção a herança indivisa, de que faz parte 1/5 das fracções autónomas registadas, e 4/30 das mesmas fracções autónomas, foi efectuado como provisório por natureza (artigo 92.º, n.º2, alínea a), do Código do Registo Predial 1 ), com a indicação, no extracto da inscrição e do averbamento respectivos, de que é titular inscrito o executado Manuel.casado com Maria., na comunhão geral 2. 1 Salvo ressalva da relatora, todos os preceitos legais do Código do Registo Predial indicados e a indicar se reportam à redacção anterior ao Decreto-Lei n.º116/2008, de 4 de Julho, por ser a que se encontrava em vigor à data dos pedidos de registo em tabela. 2 Das fichas de registo juntas aos autos resulta que as fracções autónomas, objecto mediato do registo, integram, quanto a 1/5, a herança aberta por óbito de Manuel da Silva, na qual são actuais interessados Maria Emília., Natividade, Lúcia, Manuel casado com Maria na comunhão geral, actualmente separado judicialmente de bens, e Isabel (insc. G - ap. 80 de 1980/10/27), e, quanto a 4/30, a herança aberta por óbito de Natividade (insc. G- ap. 4 de 2001/04/26), pertencendo os restantes 20/30 aos referidos Maria Emília., Natividade, Lúcia, Manuel Alves Barreiros casado com Maria na comunhão geral, actualmente separado judicialmente de bens, e Isabel, na proporção de 4/30 para cada um (insc. G- ap. 87 de 1980/10/27). 1

2 3. Na sequência da feitura do registo, foram enviadas à apresentante fotocópias não certificadas dos actos lavrados (artigo 115.º do CRP), dando-se cumprimento ao disposto no artigo 71.º, n.º2, do CRP após instância da interessada, seguida de impugnação da omissão do acto em recurso hierárquico julgado procedente, por ofício que recebeu aceitação postal em Todavia, antes de realizada a notificação da qualificação do registo nos termos do artigo 71.º, n.º2, do CRP, foi desencadeado o mecanismo de suprimento previsto no artigo 119.º do CRP, considerando-se para o efeito a feitura do registo da penhora como provisório por natureza (artigo 92.º, n.º2, alínea a), do CRP), patenteada no extracto do averbamento e da inscrição efectuados e nas fotocópias emitidas ao abrigo do artigo 115.º do CRP, do qual resultaram a citação do cônjuge do executado a referida Maria, a declaração da citada no sentido de que os direitos lhe pertencem, a notificação desta declaração ao exequente e a anotação a que se refere o n.º4 daquele artigo 119.º, sem que, no prazo legal de 30 dias artigo 92.º, n.º5, do CRP, tivesse sido registada a acção declarativa. 5. Após a notificação da qualificação atrás referida e apesar do desencadeamento daquele mecanismo de suprimento, vem a apresentante 3 Constata-se que, não obstante tudo quanto no P.º RP 95/2008 SJC-CT se deixou dito a propósito da notificação da qualificação, designadamente sobre o prazo, a forma, o conteúdo e o direito material aplicável, se deu cumprimento ao disposto no artigo 71.º, n.º2, do CRP mediante carta registada com aviso de recepção, em vez de correio registado simples, e se anotou na ficha, como data da notificação, o dia quando, à luz do disposto no artigo 254.º, n.º3, do CPC, a notificação se presume efectuada em (cfr. o P.º R.P. 319/2002 DSJ-CT, publicado no BRN 1/2004, II caderno, e o P.º R.P.11/2005 DSJ-CT, disponível na Intranet), não sendo sequer de cogitar a possibilidade de se ter pretendido aplicar o Código do Procedimento Administrativo, atentos o disposto no artigo 147.º-B do CRP e a data em que foi efectuada a notificação, porquanto, também no procedimento administrativo, a notificação postal se deve fazer sob a forma de registo postal simples (cfr. Mário Esteves de Oliveira, Pedro Costa Gonçalves e J. Pacheco de Amorim, Código do Procedimento Administrativo comentado, 2ª edição, pág. 361). Sublinha-se, por isso, mais uma vez, que, na notificação da decisão do conservador que recuse a prática do acto nos termos requeridos, são de observar as disposições contidas nos artigos 253.º, 254.º, 255.º e 259.º, do Código do Processo Civil, subsidiariamente aplicável ao processo de registo predial, e faz-se notar que o disposto no artigo 147.º-B do CRP, na redacção introduzida pelo Decreto-Lei n.º116/2008, não é de molde a alterar este entendimento porquanto a previsão da norma integra o recurso hierárquico, mas não o processo de registo (cfr. o parecer proferido no P.º R. Co. 32/2006 DSJ-CT). 2

3 interpor recurso hierárquico 4 no qual invoca o parecer da Direcção-Geral dos Registos e do Notariado proferido no P.º n.º42/1991 e aduz, em síntese, que o que se requereu foi «o registo de penhora do direito e acção de 1/5 e de 4/30, pertencentes ao Executado», e que o facto do executado se encontrar separado judicialmente de bens, conforme os averbamentos de actualização das inscrições de aquisição a que se referem as apresentações 21,22 e 24 de 26/02/2004, não obsta à feitura do registo como definitivo. 6. No despacho de sustentação, que aqui se dá por reproduzido, contrapõe-se, no essencial, que à separação de pessoas e bens deve seguir-se a partilha do património conjugal e, como tal, à falta de inscrição de aquisição com essa causa, os bens continuam inscritos a favor de ambos os cônjuges. *** Considerando como questão prévia a perda do direito de recorrer, a posição do Conselho vai expressa na seguinte DELIBERAÇÃO O mecanismo de suprimento previsto no artigo 119.º do Código do Registo Predial constitui um instrumento expedito de obtenção da conversão do registo efectuado como provisório por natureza (artigo 92.º, n.º2, alínea a), do Código do Registo Predial) 5 cujo 4 Convém alertar, mais uma vez, para o facto da notificação a que alude o artigo 71.º, n.º2, do CRP não demandar a prévia elaboração de despacho (cfr. a conclusão I do parecer proferido no P.º R.P. 95/2008 SJC-CT), e fazer notar que as irregularidades que a recorrente aponta à notificação evidenciam lapsos que, a nosso ver, não são de molde a prejudicar a destinatária, porquanto se comprova que recebeu a carta que lhe era dirigida e teve oportunidade de compreender o seu conteúdo. 5 Como se sabe, o mecanismo previsto no artigo 119.º do CRP tem em vista conciliar os interesses legítimos dos credores e os interesses do titular registral não executado, permitindo àqueles executar os bens dos seus devedores sem necessidade de previamente actualizar o registo e a este um meio barato e expedito de reagir, para além dos tradicionais embargos de terceiro e da tradicional acção de reivindicação (cfr., sobre o 3

4 desencadeamento representa uma aceitação tácita da qualificação do pedido de registo e uma actuação incompatível com a vontade de recorrer (artigos 53.º, n.º4, e 160.º, n.º2, do CPA ex vi do artigo 147.º-B do CRP, na redacção dada pelo Decreto-Lei n.º116/2008, de 4 de Julho) 6. Em conformidade, entendemos que o recurso deve ser rejeitado nos termos das disposições conjugadas dos artigos 53.º, n.º4, 160.º, n.º2, e 173.º, alínea c), todos do CPA ex vi do artigo 147.º-B do CRP, na redacção dada pelo Decreto-Lei n.º116/2008, de 4 de Julho. fundamento do artigo 119.º do CRP, Mónica Jardim, anotação ao Ac. do STJ de , Cadernos de Direito Privado 9, págs. 23 e seguintes). 6 Como já se tinha referido no P.º R.P. 95/2008 SJC-CT, o desencadeamento do procedimento previsto no artigo 119.º do CRP, na sequência do envio das fotocópias do registo de penhora lavrado como provisório por natureza (92.º, n.º2, alínea a), do CRP), só pode, a nosso ver, ser encarado como o exercício do direito à conversão, antes da notificação formal da qualificação e através de um instrumento expedito de suprimento do registo em falta, que, quer culmine efectivamente na conversão do registo, quer não, não deixa de representar um acatamento da qualificação do pedido de registo e, portanto, uma actuação incompatível com a vontade de recorrer. Com efeito, não se concebe que o interessado, portador do conhecimento «informal» sobre a decisão do conservador de efectuar o registo de penhora requerido como provisório por natureza (artigo 92.º, n.º2, alínea a), do CRP) diligencie ou intervenha no processo expedito de suprimento do registo em falta a que se refere o artigo 119.º do CRP e, depois, a pretexto da falta de notificação formal da qualificação e uma vez dirimida a omissão, venha exercer novamente o direito à conversão, mas agora no processo de impugnação das decisões do conservador. É que, à qualificação do registo como provisório pode o interessado «responder», mediante a remoção da razão da provisoriedade e o correspondente pedido de conversão em definitivo, ou «reagir», impugnando a decisão do conservador na sede própria, ou seja, no processo de impugnação previsto nos artigos 140.º e seguintes do CRP, o que não pode é utilizar as duas vias e, nomeadamente, interpor recurso hierárquico depois de ter praticado actos que apontam concludentemente no sentido da aceitação tácita da decisão de qualificação. Como referem Mário Esteves de Oliveira, Pedro Costa Gonçalves e J. Pacheco de Amorim, ob. cit., pág. 287, a impugnação da decisão, pondo em causa a sua consistência, depois de a ter aceitado expressa ou tacitamente constituiria uma espécie de venire contra factum proprium que a lei não poderia admitir, e, por isso, preclude, ditando, num caso e noutro, a ilegitimidade do recorrente e a consequente rejeição do recurso. 4

5 *** Sem embargo, formulamos, quanto ao mérito, as seguintes CONCLUSÕES I- Deve ser efectuado como provisório por natureza (artigo 92.º, n.º2, alínea a), do Código do Registo Predial) o registo de penhora que incida sobre bens ou direitos inscritos a favor de pessoa diversa do executado; II - Está nessas condições a penhora que tenha por executado uma pessoa separada judicialmente de bens ou separada de pessoas e bens e que incida sobre bens ou direitos que ainda se encontrem registados como fazendo parte da comunhão conjugal, salvo quando expressamente se declare, no título para registo, que os bens ou direitos ainda não foram partilhados e que os mesmos são penhorados como bens comuns do casal 7. 7 No caso dos autos, independentemente de se saber se houve separação de pessoas e bens, como se declara no pedido de registo, ou simples separação judicial de bens, como consta dos averbamentos de actualização das inscrições de aquisição (que, a serem inexactos no seu conteúdo, devem ser prontamente rectificados, atenta a divergência quanto ao regime de bens, que, após a separação judicial de bens, passa a ser o da separação de bens nos termos do artigo 1770.º do CC, e que, com a separação de pessoas e bens deixa mesmo de existir, tudo se passando como se tivesse havido dissolução do casamento), importa ter presente que, num caso e noutro, se deve proceder à partilha do património comum como se o casamento tivesse sido dissolvido artigos 1688.º, 1689.º, 1770.º e 1795.º-A, todos do Código Civil. Donde, no processo de execução que, depois da partilha, seja movido contra um dos cônjuges separado judicialmente de bens, ou separado de pessoas e bens, não se coloca já a questão da penhorabilidade dos bens comuns do casal, qualificação que pressupõe a vigência de um regime de comunhão de bens ou, pelo menos, de um património comum, nem o disposto no artigo 825.º do CPC, pelo que só é possível perspectivar o registo definitivo da penhora sobre bens que pertenceram ao casal depois do registo de aquisição a favor do executado tendo por base aquela partilha, ou no âmbito de funcionamento do mecanismo de suprimento previsto no artigo 119.º do CRP. Quando os cônjuges se encontrem separados judicialmente de bens ou separados de pessoas e bens mas não tenham procedido ainda à partilha dos bens comuns do casal, a comunicação do agente de execução a que se referem o artigo 48.º do CRP e o artigo 838.º do CPC deve conter a indicação precisa de que não houve lugar à partilha e de que, portanto, o bem ou direito é penhorado como bem comum do casal, seguindo-se o 5

6 disposto no artigo 825.º do CPC, através do qual se assegura a intervenção do cônjuge, titular inscrito, nomeadamente para efeitos do disposto no artigo 34º do CRP. (Cfr., sobre a aplicação do disposto no artigo 825.º do CPC em caso de divórcio do devedor ou executado, os acórdãos do Tribunal da Relação de Lisboa, P.º n.º 528/2004-2, e P.º n.º 9533/2007-2, e do Tribunal da Relação de Coimbra, P.º n.º 133-B/1999.C1, P.º n.º 2680/05, e P.º n.º 2383/05, todos disponíveis em e, sobre o controlo exclusivamente judicial do cumprimento do disposto no artigo 825.º do CPC, o Pº nº 25/93 R.P. 4, publicado no BRN 7/2001, e as conclusões extraídas do Pº 1/66 RP. 94 e publicadas no BRN 5/95). Antes da partilha, outra possibilidade é realizar a penhora com referência à meação no património colectivo dissolvido, tudo se passando nos termos do artigo 826.º do CC, ainda que, no dizer de Remédio Marques, Curso de Processo Executivo Comum, pág. 215, nota 592, tal se mostre provido de pouco interesse prático, uma vez ser viável penhorar-se imediatamente (mas subsidiariamente) bens comuns do casal, concretos e determinados. 6

7 Deliberação aprovada em sessão do Conselho Técnico de 18 de Dezembro de Maria Madalena Rodrigues Teixeira, relatora. Esta deliberação foi homologada pelo Exmo. Senhor Presidente em Considerando o caso dos autos à luz do que atrás se deixou dito, temos que, do pedido de registo, tal como se acha formulado, não é possível retirar a intenção de realizar a penhora sobre o direito e acção ao património colectivo dissolvido pela separação judicial de bens ou pela separação de pessoas e bens e que integra 3/40 das fracções autónomas registadas e o quinhão hereditário na herança de que faz parte 1/5 das mesmas fracções autónomas (artigo 826.º do CPC), nem é possível extrair a intenção de penhorar os mesmos 3/40 das fracções autónomas e o dito quinhão hereditário como bens comuns do casal (artigo 825.º do CPC), antes nos parece que os termos do pedido apontam claramente para a penhora do bem e do direito como pertencentes ao executado, demandando, face à situação tabular, a provisoriedade por natureza (artigo 92.º, n.º2, alínea a), do CRP) definida em sede de qualificação. 7

P.º R. P. 191/2008 SJC-CT- Aquisição em processo de execução rejeição da apresentação - gratuitidade do registo. DELIBERAÇÃO Relatório

P.º R. P. 191/2008 SJC-CT- Aquisição em processo de execução rejeição da apresentação - gratuitidade do registo. DELIBERAÇÃO Relatório P.º R. P. 191/2008 SJC-CT- Aquisição em processo de execução rejeição da apresentação - gratuitidade do registo. DELIBERAÇÃO Relatório 1. Em 01/09/2008 foi apresentado, na Conservatória do Registo Predial

Leia mais

P.º n.º R.P. 169/2011 SJC-CT Conversão do arresto em penhora. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 169/2011 SJC-CT Conversão do arresto em penhora. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 169/2011 SJC-CT Conversão do arresto em penhora. DELIBERAÇÃO Sobre o prédio da ficha nº, da freguesia de..., da Conservatória do Registo Predial de prédio urbano situado na Rua...,, inscrito

Leia mais

P.º n.º R.P. 242/2010 SJC-CT

P.º n.º R.P. 242/2010 SJC-CT P.º n.º R.P. 242/2010 SJC-CT Prédio inscrito a favor dos autores da herança. Pagamento das dívidas destes. Penhora. Habilitação dos herdeiros. Identificação dos sujeitos. Documento bastante. DELIBERAÇÃO

Leia mais

Pº R.P. 241/2008 SJC-CT-

Pº R.P. 241/2008 SJC-CT- Pº R.P. 241/2008 SJC-CT- Acção proposta no âmbito do artº 205º CPEREF- Ordem de separação de determinado prédio da massa falida Cancelamento de hipotecas e penhoras Insuficiência do título. DELIBERAÇÃO

Leia mais

Acordam no Tribunal da Relação do Porto

Acordam no Tribunal da Relação do Porto PN 1092.01 1 ; Ag: TC Santo Tirso; Age 2 : José Julião João, Rua Senhora da Conceição 25/27 Peniche; Aga 3 : Ivone da Conceição Antunes Romão, Rua Senhora da Conceição 25 Peniche. Acordam no Tribunal da

Leia mais

P.º n.º R.P. 212/2010 SJC-CT Penhora. Registo de aquisição de imóvel penhorado. Averbamento à descrição. Recusa. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 212/2010 SJC-CT Penhora. Registo de aquisição de imóvel penhorado. Averbamento à descrição. Recusa. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 212/2010 SJC-CT Penhora. Registo de aquisição de imóvel penhorado. Averbamento à descrição. Recusa. DELIBERAÇÃO A ficha... descreve um terreno para construção com a área de 2 080m2, inscrito

Leia mais

XIX ENCONTRO NACIONAL DA APAJ. Porto, 20 e 21 de janeiro de 2017

XIX ENCONTRO NACIONAL DA APAJ. Porto, 20 e 21 de janeiro de 2017 XIX ENCONTRO NACIONAL DA APAJ Porto, 20 e 21 de janeiro de 2017 Foi solicitado à ASCR pelo Dr. Inácio Peres uma breve exposição sobre algumas questões notariais e registrais no âmbito da insolvência. Como

Leia mais

Proc. R.C. 3/2008 SJC CT. Parecer

Proc. R.C. 3/2008 SJC CT. Parecer Proc. R.C. 3/2008 SJC CT Parecer Recurso hierárquico. Aquisição da nacionalidade portuguesa por efeito de adopção por decisão transitada em julgado antes da entrada em vigor da Lei n.º 37/81, de 3 de Outubro.

Leia mais

P.º n.º R.P. 10/2012 SJC-CT Repúdio da herança. Legitimidade Caducidade do direito de aceitação. Eficácia do repúdio. PARECER

P.º n.º R.P. 10/2012 SJC-CT Repúdio da herança. Legitimidade Caducidade do direito de aceitação. Eficácia do repúdio. PARECER P.º n.º R.P. 10/2012 SJC-CT Repúdio da herança. Legitimidade Caducidade do direito de aceitação. Eficácia do repúdio. ativa. PARECER 1. Pela ap., de 2011/11/14, foi pedido na conservatória do registo predial

Leia mais

P.º R. P. 231/2007 DSJ-CT

P.º R. P. 231/2007 DSJ-CT P.º R. P. 231/2007 DSJ-CT -Transacção judicial Registo de aquisição Título Reconhecimento do direito de propriedade Trato sucessivo Obrigações fiscais. DELIBERAÇÃO Vem o presente recurso hierárquico interposto

Leia mais

Pº R.Bm.1/2013 SJC-CT

Pº R.Bm.1/2013 SJC-CT Pº R.Bm.1/2013 SJC-CT Recorrente:. Banque Sucursal Portugal. Sumário: Registo de penhora de veículo provisório por natureza (art. 92º/2/a) do Código do Registo Predial) Certificação pelo Tribunal de que

Leia mais

P.º n.º R.P. 192/2011 SJC-CT Declaração de nulidade da venda por sentença. Cancelamento do registo de aquisição. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 192/2011 SJC-CT Declaração de nulidade da venda por sentença. Cancelamento do registo de aquisição. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 192/2011 SJC-CT Declaração de nulidade da venda por sentença. Cancelamento do registo de aquisição. DELIBERAÇÃO A. A ficha informática da freguesia de, do concelho da que descreve o 1º andar

Leia mais

Processo nº 45740/2006 Acórdão de:

Processo nº 45740/2006 Acórdão de: Processo nº 45740/2006 Acórdão de: 05-03-2015 Acordam no Supremo Tribunal de Justiça: No 1º Juízo de Execução de Lisboa, AA deduziu os presentes embargos de terceiro por apenso a execução que BB moveu

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Diário da República, 1.ª série N.º 163 25 de Agosto de 2008 5889 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Centro Jurídico Declaração de Rectificação n.º 46/2008 Ao abrigo da alínea h) do n.º 1 e do n.º 2 do

Leia mais

Pº R.P. 132/2008 SJC-CT

Pº R.P. 132/2008 SJC-CT Pº R.P. 132/2008 SJC-CT - Impugnação de decisão de recusa, consoante respeite a acto de registo nos termos requeridos ou rectificação de registos ( nºs 1 e 2, respectivamente, do art. 140º do C.R.P.) Interpretação

Leia mais

N/Referência: P.º C.P. 41/2016 STJ-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º C.P. 41/2016 STJ-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 10/ CC /2017 N/Referência: P.º C.P. 41/2016 STJ-CC Data de homologação: 20-01-2017 Consulente: Setor Técnico-Jurídico dos Serviços de Registo (STJSR). Assunto:

Leia mais

- 1 - Pº R.Co.27/2009 SJC-CT

- 1 - Pº R.Co.27/2009 SJC-CT - 1 - Pº R.Co.27/2009 SJC-CT Recorrente: Joaquim. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial do. Acto impugnado: Indeferimento liminar de pedidos de rectificação das inscrições 3 e 4 relativas à sociedade

Leia mais

P.º n.º R.P. 123/2009 SJC-CT

P.º n.º R.P. 123/2009 SJC-CT P.º n.º R.P. 123/2009 SJC-CT - Aquisição. Usucapião. Justificação notarial para reatamento do trato sucessivo. Imposto de selo. Decreto-Lei n.º 116/2008, de 4 de Julho. Doação. Caducidade do ónus de eventual

Leia mais

P.º R.P. 159/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo

P.º R.P. 159/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo P.º R.P. 159/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo PARECER Relatório 1. Adelino vem apresentar reclamação da conta do acto de registo pedido a coberto da ap.27

Leia mais

Pº R. P. 180/2008 SJC-CT

Pº R. P. 180/2008 SJC-CT Pº R. P. 180/2008 SJC-CT - Inscrição de aquisição em comum e sem determinação de parte ou direito Prédio urbano constituído por várias moradias a que correspondem diferentes artigos matriciais Divergência

Leia mais

Direito Processual Civil Executivo. Programa

Direito Processual Civil Executivo. Programa Direito Processual Civil Executivo Programa Rui Pinto Duarte 2010/2011 I Aspectos Gerais 1. Noção de acção executiva 2. O princípio do dispositivo na acção executiva (3.º, 810 e 675-A) 3. Execução individual

Leia mais

N/Referência: P.º R.P. 117/2016 STJSR-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º R.P. 117/2016 STJSR-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 66/ CC /2016 N/Referência: P.º R.P. 117/2016 STJSR-CC Data de homologação: 16-12-2016 Recorrente:..-ALUGUER DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO, LDA Recorrido: Conservatória

Leia mais

P.ºR.P. 106/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em acordo de partilha em processo de inventário Obrigação de registar: prazo.

P.ºR.P. 106/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em acordo de partilha em processo de inventário Obrigação de registar: prazo. P.ºR.P. 106/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em acordo de partilha em processo de inventário Obrigação de registar: prazo. PARECER Relatório 1. Maria vem apresentar reclamação da conta do acto

Leia mais

R.P. 140, /2006 DSJ-CT-

R.P. 140, /2006 DSJ-CT- P.ºs R.P. 140, 141 e 142/2006 DSJ-CT- Averbamento de alteração da inscrição de aquisição Modificação subjectiva Alteração da firma ou denominação de sociedade estrangeira (no âmbito de transferência de

Leia mais

P.º R. P. 99/2010 SJC-CT

P.º R. P. 99/2010 SJC-CT P.º R. P. 99/2010 SJC-CT Conversão da inscrição de penhora, provisória por natureza (alínea a) do n.º 2 do artigo 92.º do Código do Registo Predial), com fundamento em decisão judicial transitada em julgado

Leia mais

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES O Estatuto da Câmara dos Solicitadores, aprovado pelo Decreto-Lei 88/2003, de 26 de Abril, no seu artigo 102º, prevê que os solicitadores podem

Leia mais

P.º n.º R.P. 81/2010 SJC-CT Sociedade irregular. Trato sucessivo. PARECER

P.º n.º R.P. 81/2010 SJC-CT Sociedade irregular. Trato sucessivo. PARECER 1 P.º n.º R.P. 81/2010 SJC-CT Sociedade irregular. Trato sucessivo. PARECER 1.... vem interpor recurso hierárquico da decisão de recusa de conversão da inscrição de aquisição apresentada sob o n.º...,

Leia mais

PARECER. Para a fundamentação de direito são invocados os artigos 68.º e 70.º do Código do Registo Predial.

PARECER. Para a fundamentação de direito são invocados os artigos 68.º e 70.º do Código do Registo Predial. P.º n.º R.P. 17/2013 STJ-CC Registo de incidente deduzido em processo de execução fiscal. Princípio do trato sucessivo. Despacho de provisoriedade por dúvidas. PARECER 1 O presente recurso hierárquico

Leia mais

ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E PROCESSO DO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL Lei n.o 28/82, (*) de 15 de Novembro (Excertos)

ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E PROCESSO DO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL Lei n.o 28/82, (*) de 15 de Novembro (Excertos) ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E PROCESSO DO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL Lei n.o 28/82, (*) de 15 de Novembro (Excertos) A Assembleia da República decreta, nos termos do artigo 244.o da Lei Constitucional n.o

Leia mais

Pronúncia. A posição deste Conselho vai expressa na seguinte. Deliberação

Pronúncia. A posição deste Conselho vai expressa na seguinte. Deliberação Pº C.Co. 34/2011 SJC-CT Relatório Em relatório elaborado no âmbito de auditoria levada a cabo à actuação de um conjunto de conservatórias, quanto ao dever de fiscalizar o cumprimento da obrigação de promover

Leia mais

P.º n.º R.P. 168/2011 SJC-CT Cancelamento do registo de usufruto com base em renúncia. Existência de registo anterior de penhora.

P.º n.º R.P. 168/2011 SJC-CT Cancelamento do registo de usufruto com base em renúncia. Existência de registo anterior de penhora. 1 P.º n.º R.P. 168/2011 SJC-CT Cancelamento do registo de usufruto com base em renúncia. Existência de registo anterior de penhora. PARECER 1. Em..., foi pedido, na Conservatória do Registo Predial de...,

Leia mais

Pº R.P. 182/2008 SJC-CT

Pº R.P. 182/2008 SJC-CT Pº R.P. 182/2008 SJC-CT- (i)legalidade de recusa de registo de aquisição pedido com base em inventário, com fundamento na sua manifesta nulidade, mediante invocação de que o prédio partilhado é alheio

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório:

DELIBERAÇÃO. Relatório: Pº R.P. 217/2006 DSJ-CT- Cancelamento de registo de hipoteca Título para registo Requerimento dirigido ao conservador, invocativo da prescrição Recusa. Relatório: DELIBERAÇÃO Do prédio urbano descrito

Leia mais

Diploma DRE. Secção I. Procedimentos simplificados de sucessão hereditária. Artigo 1.º. Atendimento prévio

Diploma DRE. Secção I. Procedimentos simplificados de sucessão hereditária. Artigo 1.º. Atendimento prévio Diploma Regulamenta os termos da prestação do serviço no «Balcão das Heranças» e no balcão «Divórcio com Partilha», no âmbito dos procedimentos simplificados de sucessão hereditária, e de partilha do património

Leia mais

P.º R. P. 163/2008 SJC-CT -Hipoteca legal obrigação de alimentos a menor título legitimidade para requerer o registo DELIBERAÇÃO.

P.º R. P. 163/2008 SJC-CT -Hipoteca legal obrigação de alimentos a menor título legitimidade para requerer o registo DELIBERAÇÃO. P.º R. P. 163/2008 SJC-CT -Hipoteca legal obrigação de alimentos a menor título legitimidade para requerer o registo DELIBERAÇÃO Relatório 1. A coberto da ap.36 de 13 de Maio de 2008, foi requerido, na

Leia mais

PARECER. fundado na posse e no direito de propriedade, adquiridos por via da dação em cumprimento feita pelo executado, José, à embargante;

PARECER. fundado na posse e no direito de propriedade, adquiridos por via da dação em cumprimento feita pelo executado, José, à embargante; P.º n.º R.P. 80/2012 SJC-CT Registo de penhora. Sujeito passivo. Interpretação do pedido de registo. Bem registado a favor de pessoa diversa. Embargos de terceiro. Desistência do pedido. Efeitos. Trato

Leia mais

Deliberação. Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nubente estrangeiro. Declaração de inexistência de impedimentos.

Deliberação. Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nubente estrangeiro. Declaração de inexistência de impedimentos. Proc. C.C. 109/2010 SJC CT Deliberação Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nubente estrangeiro. Declaração de inexistência de impedimentos. O Consulado de Portugal em B., Brasil, atento o despacho n.º

Leia mais

Instruções para os trabalhadores a recibo verde da. Câmara Municipal de Lisboa

Instruções para os trabalhadores a recibo verde da. Câmara Municipal de Lisboa Instruções para os trabalhadores a recibo verde da Câmara Municipal de Lisboa Os trabalhadores a recibo verde que configuram verdadeiros contratos de trabalho deverão proceder da seguinte forma: 1- Elaborar

Leia mais

P.º R.P.11/2005 DSJ-CT: Penhora do direito à meação

P.º R.P.11/2005 DSJ-CT: Penhora do direito à meação P.º R.P.11/2005 DSJ-CT: Penhora do direito à meação Registo a qualificar: Penhora do direito à meação de I, relativamente aos prédios descritos sob o nºs02325/940112, 02326/940112 e 02327/940112, da freguesia

Leia mais

Acordam no Supremo Tribunal de Justiça:

Acordam no Supremo Tribunal de Justiça: Acórdãos STJ Acórdão do Supremo Tribunal de Justiça Processo: 45740/06.6YYLSB-A.L1-A.S1 Nº Convencional: 2ª SECÇÃO Relator: OLIVEIRA VASCONCELOS Descritores: PENHORA BENS COMUNS DO CASAL SEPARAÇÃO DE BENS

Leia mais

Ex. m.ºs Senhores Subdirectores- Gerais Directores de Serviços Directores de Finanças Representantes da Fazenda Pública. Assunto:

Ex. m.ºs Senhores Subdirectores- Gerais Directores de Serviços Directores de Finanças Representantes da Fazenda Pública. Assunto: Classificação: 000.01.09 DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DO IMPOSTO SOBRE O RENDIMENTO DAS PESSOAS COLECTIVAS Ofício n.º: Processo: Entrada Geral: N.º Identificação Fiscal (NIF): Sua Ref.ª: Técnico: João Sousa Cód.

Leia mais

P.º n.º R.P. 92/2010 SJC-CT Aquisição. Contrato promessa. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 92/2010 SJC-CT Aquisição. Contrato promessa. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 92/2010 SJC-CT Aquisição. Contrato promessa. DELIBERAÇÃO 1. Indicando como objecto mediato o prédio descrito sob o nº... da freguesia de..., o recorrente apresentou na Conservatória do Registo

Leia mais

N/Referência: Pº R.P.5/2015 STJ-CC Data de homologação:

N/Referência: Pº R.P.5/2015 STJ-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 52/ CC /2015 N/Referência: Pº R.P.5/2015 STJ-CC Data de homologação: 26-03-2015. Banco, S.A.. Conservatória do Registo Predial de. Assunto: Descrição aberta

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Registo a qualificar: Penhora do prédio descrito sob o nº 00862/, da freguesia de, requisitado pela Ap.01/

DELIBERAÇÃO. Registo a qualificar: Penhora do prédio descrito sob o nº 00862/, da freguesia de, requisitado pela Ap.01/ Pº R.P.295/2004 DSJ-CT- Região Autónoma da Madeira Competência para apreciação e decisão de recursos hierárquicos Penhora Apresentação Título Requerimento executivo Elementos em falta na declaração Identificação

Leia mais

P.º n.º R.P. 92/2011 SJC-CT Procedimento especial de transmissão, oneração e registo imediato de imóveis (Casa Pronta) DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 92/2011 SJC-CT Procedimento especial de transmissão, oneração e registo imediato de imóveis (Casa Pronta) DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 92/2011 SJC-CT Procedimento especial de transmissão, oneração e registo imediato de imóveis (Casa Pronta) DELIBERAÇÃO 1. No âmbito de procedimento casa pronta 1, a Senhora Notária Afecta à

Leia mais

P.º C. Co. 63/2006 DSJ-CT - Competência do Adjunto do Conservador. Processos de contra-ordenação.

P.º C. Co. 63/2006 DSJ-CT - Competência do Adjunto do Conservador. Processos de contra-ordenação. P.º C. Co. 63/2006 DSJ-CT - Competência do Adjunto do Conservador. Processos de contra-ordenação. 1 O consulente 1 pretende, em síntese, ser informado se o Adjunto do Conservador com delegação de todas

Leia mais

EXMO. SENHOR DR. JUIZ DE DIREITO DO

EXMO. SENHOR DR. JUIZ DE DIREITO DO EXMO. SENHOR DR. JUIZ DE DIREITO DO TRIBUNAL ADMINISTRATIVO E FISCAL DE [ ] Processo n.º [ ] reversão e apensos [ ], residente na [ ], contribuinte n.º [ ], executado por reversão, tendo sido citado para

Leia mais

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA Registo de entrada RE SERVADO AOS SERVIÇOS PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA (Art.º 63 do D.L. 555/99 de 16 de Dezembro, com a redacção conferida pelo D.L. 177/2001

Leia mais

DELIBERAÇÃO. 3 O registo foi efectuado como provisório por dúvidas com base nos motivos que a seguir se transcrevem:

DELIBERAÇÃO. 3 O registo foi efectuado como provisório por dúvidas com base nos motivos que a seguir se transcrevem: P.º n.º R.P. 175/2010 SJC-CT Partilha extrajudicial. Composição do património comum do dissolvido casal activo e passivo. Assunção das dívidas comuns pela adjudicatária sem liquidação do património comum.

Leia mais

P. n.º CP 163/2009 SJC-CT Hipoteca voluntária. Identificação dos sujeitos passivos. PARECER

P. n.º CP 163/2009 SJC-CT Hipoteca voluntária. Identificação dos sujeitos passivos. PARECER P. n.º CP 163/2009 SJC-CT Hipoteca voluntária. Identificação dos sujeitos passivos. PARECER 1. A propósito de um concreto acto de registo promovido por notário, na qualidade de entidade tituladora e em

Leia mais

PARECER. 4- A sustentação do despacho de recusa justificou a subida do processo para decisão superior.

PARECER. 4- A sustentação do despacho de recusa justificou a subida do processo para decisão superior. 1 Pº R.P.129/2005 DSJ-CT - Registo de acção - Execução específica do contratopromessa de compra e venda - Incompatibilidade entre o registo provisório de acção e o anterior registo provisório de aquisição

Leia mais

N/Referência: PROC.: C. Bm. 48/2014 STJ-CC Data de homologação: PARECER

N/Referência: PROC.: C. Bm. 48/2014 STJ-CC Data de homologação: PARECER N.º 28/ CC /2014 N/Referência: PROC.: C. Bm. 48/2014 STJ-CC Data de homologação: 17-12-2014 Consulente: Conservatória do Registo Comercial e de Automóveis de.... Assunto: Palavras-chave: Registos de apreensão,

Leia mais

Recorrente: «L Sociedade Unipessoal, Limitada». Recorrida: Conservatória do Registo Comercial da. Relatório:

Recorrente: «L Sociedade Unipessoal, Limitada». Recorrida: Conservatória do Registo Comercial da. Relatório: P.º R. Co. 4/2007DSJ-CT - Registo da constituição da sociedade e nomeação de gerentes. Título constitutivo omisso quanto à data do encerramento do exercício social e ao número de identificação fiscal da

Leia mais

Portaria n.º 621/2008, de 18 de julho na redação da Portaria n.º 283/2013, de 30 de agosto*

Portaria n.º 621/2008, de 18 de julho na redação da Portaria n.º 283/2013, de 30 de agosto* Portaria n.º 621/2008, de 18 de julho na redação da Portaria n.º 283/2013, de 30 de agosto* O Decreto-Lei n.º 116/2008, de 4 de julho, aprovou diversas medidas de simplificação, desmaterialização e desformalização

Leia mais

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica Despacho: Despacho: Despacho: Concordo. Remeta-se a presente Informação ao Sr. Director da DMFP, Dr. José Branco. Cristina Guimarães Chefe da Divisão de Estudos e Assessoria Jurídica 2010.03.01 N/Inf.:

Leia mais

formalizada por escritura pública de compra e venda, de 28 de Novembro de, entre a 1.ª Ré e os 2ºs Réus;

formalizada por escritura pública de compra e venda, de 28 de Novembro de, entre a 1.ª Ré e os 2ºs Réus; 1 Pº R. P. 170/2008 SJC-CT: Registo de acção de preferência pedido de cancelamento do registo de aquisição a favor do comprador e do registo de aquisição a favor de terceiro adquirente. DELIBERAÇÃO 1.

Leia mais

N/Referência: PºR.P.95/2016 STJ-CC Data de homologação:

N/Referência: PºR.P.95/2016 STJ-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 59/ CC /2016 N/Referência: PºR.P.95/2016 STJ-CC Data de homologação: 23-10-2016 Recorrente: Município de P... Recorrido: Conservatória do Registo Predial

Leia mais

Lei n.º 14/2006 de 26 de Abril

Lei n.º 14/2006 de 26 de Abril Lei n.º 14/2006 de 26 de Abril Altera o Código de Processo Civil, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 44129, de 28 de Dezembro de 1961, designadamente procedendo à introdução da regra de competência territorial

Leia mais

S. R. CONSELHO SUPERIOR DA MAGISTRATURA PARECER

S. R. CONSELHO SUPERIOR DA MAGISTRATURA PARECER PARECER 01. O Conselho Superior da Magistratura é um órgão de Estado com consagração constitucional (a artigos 217º e 218º da Lei Fundamental), ao qual incumbe a nomeação, a colocação, a transferência

Leia mais

Diploma. Aprova o Regulamento do Registo Comercial

Diploma. Aprova o Regulamento do Registo Comercial Diploma Aprova o Regulamento do Registo Comercial O Decreto-Lei n.º 76-A/2006, de 29 de Março, procedeu a uma profunda alteração do Código do Registo Comercial, designadamente, com a eliminação da competência

Leia mais

P.º R.P. 147/2007 DSJ-CT-

P.º R.P. 147/2007 DSJ-CT- P.º R.P. 147/2007 DSJ-CT- Fixação do sentido e alcance da norma contida no n.º 5 do artigo 31.º do D. L. 287/2003, de 12/11 Reconhecimento ao interessado da possibilidade de requerer hoje a liquidação

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Do despacho de recusa foi interposto recurso hierárquico, cujos termos aqui se dão por integralmente reproduzidos.

DELIBERAÇÃO. Do despacho de recusa foi interposto recurso hierárquico, cujos termos aqui se dão por integralmente reproduzidos. Pº R.P. 16/2008 SJC-CT- Registo de hipoteca legal nos termos do artº 195º do CPPT Título Suficiência Despacho do Chefe de Serviço de Finanças competente que a requerimento do executado autorize a substituição

Leia mais

ASPECTOS RELEVANTES DO PROCESSO DE INSOLVÊNCIA. 35 PERGUNTAS E RESPOSTAS

ASPECTOS RELEVANTES DO PROCESSO DE INSOLVÊNCIA. 35 PERGUNTAS E RESPOSTAS ASPECTOS RELEVANTES DO PROCESSO DE INSOLVÊNCIA. 35 PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. Como se processa a liquidação do património do devedor na insolvência? Através da venda do património do devedor; Outra forma,

Leia mais

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS EM SEDE DE PROCESSO DE EXECUÇÃO

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS EM SEDE DE PROCESSO DE EXECUÇÃO De boas MANUAL DE BOAS PRÁTICAS EM SEDE DE PROCESSO DE EXECUÇÃO INTRODUÇÃO A instalação deste Juízo e a reunião de todas as acções executivas pendentes na Ilha da Madeira, impôs a necessidade de articular

Leia mais

Pº R.P. 71/2008 SJC-CT

Pº R.P. 71/2008 SJC-CT Pº R.P. 71/2008 SJC-CT Aditamento a alvará de loteamento Ampliação de área de lote por redução da área do domínio público municipal Título para registo. DELIBERAÇÃO Relatório: O Município de. requisitou

Leia mais

Pº R. Co. 25/2006 DSJ-CT. Recorrente: Caixa de Crédito Agrícola Mútuo. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de.

Pº R. Co. 25/2006 DSJ-CT. Recorrente: Caixa de Crédito Agrícola Mútuo. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Pº R. Co. 25/2006 DSJ-CT. Recorrente: Caixa de Crédito Agrícola Mútuo. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Registo a qualificar: Transmissão de dívida com hipoteca a favor de P Sociedade

Leia mais

CÓDIGO CIVIL. Actualização N.º 3

CÓDIGO CIVIL. Actualização N.º 3 CÓDIGO CIVIL Actualização N.º 3 Código Civil 2 TÍTULO: AUTORES: CÓDIGO CIVIL Actualização N.º 3 BDJUR EDITOR: EDIÇÕES ALMEDINA, SA Avenida Fernão de Magalhães, n.º 584, 5º Andar 3000-174 Coimbra Tel.:

Leia mais

P.º R. P. 130/2005 DSJ-CT:

P.º R. P. 130/2005 DSJ-CT: P.º R. P. 130/2005 DSJ-CT: Cancelamento do registo de aquisição, por arrematação em execução fiscal. Sentido e alcance da decisão do Tribunal Tributário de 1ª instância que declara suspensa a execução

Leia mais

Decreto-Lei nº 201/2003, de 10 de Setembro

Decreto-Lei nº 201/2003, de 10 de Setembro Decreto-Lei nº 201/2003, de 10 de Setembro O novo regime jurídico da acção executiva, aprovado pelo Decreto-Lei nº 38/2003, de 8 de Março, tem como objectivo claro a simplificação e aperfeiçoamento do

Leia mais

CNEF SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL II (PROCESSO EXECUTIVO) O processo executivo será ministrado em 12 sessões de 2 horas.

CNEF SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL II (PROCESSO EXECUTIVO) O processo executivo será ministrado em 12 sessões de 2 horas. CNEF SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL II (PROCESSO EXECUTIVO) O processo executivo será ministrado em 12 sessões de 2 horas. 1ª Sessão a) conceito e fim da execução; b) formas do precesso de execução:

Leia mais

Sentença nº 7/2010-3ª S/SS Processo nº: 5-A JRF/2003 3ª Secção em 1ª Instância 14/07/2010

Sentença nº 7/2010-3ª S/SS Processo nº: 5-A JRF/2003 3ª Secção em 1ª Instância 14/07/2010 Sentença nº 7/2010-3ª S/SS Processo nº: 5-A JRF/2003 3ª Secção em 1ª Instância 14/07/2010 HABILITAÇÃO DE HERDEIROS / PROCESSO PRINCIPAL PENDENTE / INSTÂNCIA SUSPENSA Sumário: 1. Nos termos do disposto

Leia mais

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO 20 MAIO Área de Prática Processual Civil (5,5 Valores) GRELHA DE CORREÇÃO

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO 20 MAIO Área de Prática Processual Civil (5,5 Valores) GRELHA DE CORREÇÃO PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO 20 MAIO 2016 Área de Prática Processual Civil (5,5 Valores) GRELHA DE CORREÇÃO Grupo I (4 Valores) Imagine que a sua Cliente, sedeado no Cacém,

Leia mais

do CRP, ou seja, 30 dias a contar da data da titulação dos factos ou da data do pagamento das obrigações fiscais, quando haja lugar às mesmas.

do CRP, ou seja, 30 dias a contar da data da titulação dos factos ou da data do pagamento das obrigações fiscais, quando haja lugar às mesmas. P.º n.º RP 169/2010 SJC-CT Obrigação de registar. Prédio indevidamente identificado no pedido de registo. Artigo 73.º, n.º 7 do Código do Registo Predial. PARECER 1. Em / /, foi pedido por via electrónica

Leia mais

Introdução de Referencias MB em notificações de penhora

Introdução de Referencias MB em notificações de penhora Introdução de Referencias MB em notificações de penhora Implementação de referências MB nas notificações para penhora de créditos, salário, etc. Modelos no SISAAE/GPESE Data: 20 de Setembro de 2011 V1.1

Leia mais

710/2007, de 11 de Junho que a republicou.

710/2007, de 11 de Junho que a republicou. P.º CC 57/2008SJC Processo de casamento organizado em consulado português. Casamento não urgente Fora do horário normal de funcionamento e fora da conservatória Emolumento Pessoal. DESCRIÇÃO E ANÁLISE

Leia mais

REGULA O REGISTO INFORMÁTICO DE EXECUÇÕES

REGULA O REGISTO INFORMÁTICO DE EXECUÇÕES 3/4/2014 :::DL n.º 201/2003, de 10 de DL n.º 201/2003, de 10 de (versão actualizada) REGULA O REGISTO INFORMÁTICO DE EXECUÇÕES [ Nº de artigos:20 ] Contém as seguintes alterações: - DL n.º 53/2004, de

Leia mais

DL 495/ Dez-30 CIRC - Sociedades Gestoras de Participações Sociais (SGPS) - HOLDINGS

DL 495/ Dez-30 CIRC - Sociedades Gestoras de Participações Sociais (SGPS) - HOLDINGS DL 495/88 1988-Dez-30 CIRC - Sociedades Gestoras de Participações Sociais (SGPS) - HOLDINGS SOCIEDADES HOLDING Artigo 1º (sociedades gestoras de participações sociais) 1 As sociedades gestoras de participações

Leia mais

REQUERIMENTO DE EXECUÇÃO DE DECISÃO JUDICIAL CONDENATÓRIA Aprovado pela Portaria n.º 282/2013, de 29 de agosto

REQUERIMENTO DE EXECUÇÃO DE DECISÃO JUDICIAL CONDENATÓRIA Aprovado pela Portaria n.º 282/2013, de 29 de agosto CAPA 01 01 CARACTERIZAÇÃO DO REQUERIMENTO Processo N.º: 02 Tribunal: 03 Fim da execução : 04 Forma do processo: 05 Data da decisão judicial condenatória : 06 NIP: 07 Valor da execução: 08 [Nas ações de

Leia mais

PARECER Nº 47/PP/2011-P CONCLUSÕES

PARECER Nº 47/PP/2011-P CONCLUSÕES PARECER Nº 47/PP/2011-P CONCLUSÕES a) Não está vedado ao advogado, genericamente e em abstracto, exercer o patrocínio contra anterior cliente, impondo-se apenas verificar se tal patrocínio configurará

Leia mais

REGULAMENTO DE TAXAS, LICENÇAS E SERVIÇOS DA JUNTA DE FREGUESIA DE SANTA MARIA DOS OLIVAIS. Preâmbulo

REGULAMENTO DE TAXAS, LICENÇAS E SERVIÇOS DA JUNTA DE FREGUESIA DE SANTA MARIA DOS OLIVAIS. Preâmbulo REGULAMENTO DE TAXAS, LICENÇAS E SERVIÇOS DA JUNTA DE FREGUESIA DE SANTA MARIA DOS OLIVAIS Preâmbulo A Tabela de Taxas de Atestados em vigor foi aprovada por deliberação de Junta em 23/11/99 e por deliberação

Leia mais

R. P. 5/2009 SJC-CT- Doação - obrigação de registar: sujeito e prazo. PARECER. Relatório

R. P. 5/2009 SJC-CT- Doação - obrigação de registar: sujeito e prazo. PARECER. Relatório 1 R. P. 5/2009 SJC-CT- Doação - obrigação de registar: sujeito e prazo. PARECER Relatório 1. Maria.vem apresentar recurso hierárquico da decisão de rejeição das aps. 30, 31 e 32 de / /24 relativas aos

Leia mais

RELATÓRIO. O presente RELATÓRIO é elaborado nos termos do disposto no artigo 155º do Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas CIRE.

RELATÓRIO. O presente RELATÓRIO é elaborado nos termos do disposto no artigo 155º do Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas CIRE. Procº de insolvência n.º 10.767/11.5 TBVNG 1º Juízo Cível Insolvente: ANA ALEXANDRA DE OLIVEIRA PAIVA Tribunal Judicial de Vila Nova de Gaia RELATÓRIO O presente RELATÓRIO é elaborado nos termos do disposto

Leia mais

Recorrente: Manuel.., representado pelo advogado J. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de.

Recorrente: Manuel.., representado pelo advogado J. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Proc.º n.º R. Co. 25/2010 SJC-CT Sumário: Início oficioso do procedimento administrativo de dissolução de sociedade comercial por quotas. Despacho de suspensão. Inadmissibilidade de interposição de recurso

Leia mais

1 Em suporte deste entendimento, havia já a recorrente invocado, no âmbito do processo de suprimento

1 Em suporte deste entendimento, havia já a recorrente invocado, no âmbito do processo de suprimento P.º n.º R. P. 204/2009 SJC-CT Divergência de áreas do prédio registando entre a que consta no título e a resultante do teor matricial. Interpretação dos artigos 28.º-A e 28.º-B do Código do Registo Predial.

Leia mais

2 II Fundamentação 1

2 II Fundamentação 1 P.º n.º C.P. 43/2012 SJC-CT Revogação do despacho de qualificação de ato de registo já executado na ficha informática. Tradução tabular da regressão no processo registral, devido à preterição de formalidades

Leia mais

PºR. P. 30 e 31/2008 SJC-CT -Pedido de registo não efectuado em impresso de modelo aprovado. Arrendamento rural cancelamento do registo.

PºR. P. 30 e 31/2008 SJC-CT -Pedido de registo não efectuado em impresso de modelo aprovado. Arrendamento rural cancelamento do registo. PºR. P. 30 e 31/2008 SJC-CT -Pedido de registo não efectuado em impresso de modelo aprovado. Arrendamento rural cancelamento do registo. PARECER Relatório 1. Pela ap.84/20071211, foi pedido por Maria e

Leia mais

Certidão Permanente Código de acesso:

Certidão Permanente Código de acesso: Acesso à Certidão Permanente Certidão Permanente de Registos Voltar Sair Certidão Permanente Código de acesso: 3471 1145 1204 A entrega deste código a qualquer entidade pública ou privada dispensa a apresentação

Leia mais

P.º R.P. 84/2009 SJC-CT

P.º R.P. 84/2009 SJC-CT P.º R.P. 84/2009 SJC-CT -Registo predial online Erro na indicação do número da descrição do prédio. Documento particular autenticado Suporte e requisitos. PARECER 1. Através do sítio www.predialonline.pt,

Leia mais

RECOMENDAÇÃO N.º 3/A/2002 [art.º 20.º, n.º 1, alínea a), da Lei n.º 9/91, de 9 de Abril] I - ENUNCIADO -

RECOMENDAÇÃO N.º 3/A/2002 [art.º 20.º, n.º 1, alínea a), da Lei n.º 9/91, de 9 de Abril] I - ENUNCIADO - Número: 3/A/02 Data: 14.03.2002 Entidade Visada: Director-Geral dos Impostos Assunto: Queixa apresentada na Provedoria de Justiça pelo Senhor.... Venda de um imóvel no processo de execução fiscal n.º 100585.5/97

Leia mais

P.º n.º R.P. 193/2010 SJC-CT Transmissão da posição contratual. Averbamento à inscrição de aquisição do direito de superfície.

P.º n.º R.P. 193/2010 SJC-CT Transmissão da posição contratual. Averbamento à inscrição de aquisição do direito de superfície. P.º n.º R.P. 193/2010 SJC-CT Transmissão da posição contratual. Averbamento à inscrição de aquisição do direito de superfície. DELIBERAÇÃO 1. O prédio descrito sob nº... da freguesia de foi, na dependência

Leia mais

P.º n.º R.P. 102/2011 SJC-CT Testamento. Interpretação. Lapso quanto à identificação do objecto legado. Título para registo.

P.º n.º R.P. 102/2011 SJC-CT Testamento. Interpretação. Lapso quanto à identificação do objecto legado. Título para registo. 1 P.º n.º R.P. 102/2011 SJC-CT Testamento. Interpretação. Lapso quanto à identificação do objecto legado. Título para registo. PARECER 1. A coberto da ap...., de / /, foi pedido o registo de aquisição

Leia mais

- PORTARIA N.º 225/2013, de 10 de julho: alteração à Portaria n.º 331- B/2009, de 30 de março

- PORTARIA N.º 225/2013, de 10 de julho: alteração à Portaria n.º 331- B/2009, de 30 de março DIPLOMAS - LEI N.º 41/2013, de 26 de junho: aprova o CPC - PORTARIA N.º 225/2013, de 10 de julho: alteração à Portaria n.º 331- B/2009, de 30 de março - DECLARAÇÃO DE RETIFICAÇÃO N.º 36/2013, de 12 de

Leia mais

Consulente: Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de.

Consulente: Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de. Pº C.Co.53/2010 SJC-CT Consulente: Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de. Consulta: Qual a data a considerar como sendo a da designação e da cessação de funções de membros dos órgãos

Leia mais

N/Referência: C. Co. 15/2016 STJSR-CC Data de homologação: Relatório. Pronúncia

N/Referência: C. Co. 15/2016 STJSR-CC Data de homologação: Relatório. Pronúncia DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 32/ CC /2016 N/Referência: C. Co. 15/2016 STJSR-CC Data de homologação: 29-07-2016 Consulente: Serviços Jurídicos. Assunto: Palavras-chave: Regime especial

Leia mais

Pº R. 27/2006 DSJ-CT:

Pº R. 27/2006 DSJ-CT: Pº R. Co. 27/2006 DSJ-CT: Alteração parcial do contrato com aumento do capital - Inscrição de acção com pedido de anulação da transformação de uma sociedade por quotas numa sociedade anónima Parecer Registo

Leia mais

REGULAMENTO de ELEIÇÃO do DIRETOR da ESCOLA SUPERIOR de CIÊNCIAS EMPRESARIAIS do INSTITUTO POLITÉCNICO de SETÚBAL

REGULAMENTO de ELEIÇÃO do DIRETOR da ESCOLA SUPERIOR de CIÊNCIAS EMPRESARIAIS do INSTITUTO POLITÉCNICO de SETÚBAL REGULAMENTO de ELEIÇÃO do DIRETOR da ESCOLA SUPERIOR de CIÊNCIAS EMPRESARIAIS do INSTITUTO POLITÉCNICO de SETÚBAL Aprovado na 20ª Reunião do Conselho de Representantes da ESCE/IPS, em 18 de janeiro de

Leia mais

PROPRIEDADE HORIZONTAL Proposta de diploma. Luanda, Angola, Setembro de 2009 Elisa Alves

PROPRIEDADE HORIZONTAL Proposta de diploma. Luanda, Angola, Setembro de 2009 Elisa Alves PROPRIEDADE HORIZONTAL Proposta de diploma Luanda, Angola, Setembro de 2009 Elisa Alves II PARTE Proposta do Diploma Legal (a conceber) Decreto nº /2009 A crescente evolução económica e social e expansão

Leia mais

PARECERES DO CONSELHO TÉCNICO

PARECERES DO CONSELHO TÉCNICO PARECERES DO CONSELHO TÉCNICO Proc. nº R.P. 222/2000 DSJ-CT - Sentença de divórcio proferida por tribunal estrangeiro (que homologa acordo de partilha dos bens comuns do dissolvido casal) revista e confirmada

Leia mais

Relatório. 2. Efectuada a análise do pedido e dos documentos apresentados pelos requerentes, foram os interessados notificados para:

Relatório. 2. Efectuada a análise do pedido e dos documentos apresentados pelos requerentes, foram os interessados notificados para: Parecer proferido no P.º R.P. 123/2010 SJC-CT Recorrentes: ( ) e ( ) Serviço de Registo: Conservatória do Registo Civil de ( ) Sumário: Procedimento de partilha do património conjugal no âmbito do processo

Leia mais

A inconstitucionalidade do artigo 20.º do regime anexo ao Decreto-Lei n.º 269/98

A inconstitucionalidade do artigo 20.º do regime anexo ao Decreto-Lei n.º 269/98 A inconstitucionalidade do artigo 20.º do regime anexo ao Decreto-Lei n.º 269/98 Por Nuno Montez da Silveira* PALAVRAS-CHAVE: obrigações pecuniárias, taxa de justiça, notificação, AECOP Uma das questões

Leia mais