P.º n.º R.P. 102/2011 SJC-CT Testamento. Interpretação. Lapso quanto à identificação do objecto legado. Título para registo.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "P.º n.º R.P. 102/2011 SJC-CT Testamento. Interpretação. Lapso quanto à identificação do objecto legado. Título para registo."

Transcrição

1 1 P.º n.º R.P. 102/2011 SJC-CT Testamento. Interpretação. Lapso quanto à identificação do objecto legado. Título para registo. PARECER 1. A coberto da ap...., de / /, foi pedido o registo de aquisição do prédio n.º, freguesia e concelho de..., a favor de...,, e (1/4 sem determinação de parte ou direito, em representação do legatário..., falecido em 4 de Agosto de 2008), e de... (1/4),... (1/4) e... (1/4), por legado Para prova do facto aquisitivo foi junta certidão do testamento cerrado de..., titular inscrito do prédio objecto mediato do registo, de que se extrai, com relevância para a qualificação, que a...,, e... é deixado «o prédio urbano sito na Rua...,, no..., da freguesia de..., Concelho de..., inscrito na matriz sob o artigo...» Mais se retira, da aludida certidão, que o testador faleceu em 5 de Dezembro de 2010, no estado de viúvo de..., e que o seu testamento foi aprovado por instrumento notarial e apresentado para abertura no dia 10 de Dezembro de 2010, lavrando-se o competente acto notarial Junto ao pedido de registo constam ainda prova do cumprimento das obrigações fiscais, certificado notarial relativo ao nome de..., por que também é conhecido o legatário..., e a habilitação de herdeiros de Em declarações complementares, além da identificação completa dos legatários, é salientado o lapso quanto à situação matricial do prédio, dizendo-se que a este corresponde o n.º... da matriz urbana e não o n.º... referido no testamento, que respeita a prédio com outra localização e que não pertence, nem nunca pertenceu, ao testador. 2. No despacho de qualificação, a cargo da notária afectada ao serviço de registo, é consignada a recusa do registo ao abrigo do artigo 69.º/1/b) do Código do Registo

2 2 Predial (CRP), aduzindo-se como fundamento a divergência entre o número de matriz que consta do documento apresentado e o que é indicado no pedido. 3. Tempestivamente, vem o apresentante interpor recurso hierárquico, alegando, em síntese, que ao prédio legado corresponde efectivamente o artigo matricial n.º...; que só por lapso de escrita ficou a constar do testamento um número de matriz diferente, o qual se comprova corresponder a prédio com outra localização e com outro titular; e que do artigo 2187.º/2 do CC se infere a admissibilidade de prova complementar no âmbito da interpretação do testamento A sustentação da recusa surge sob a forma de ofício dirigido à entidade ad quem, em vez de se apresentar, como devia, como despacho a notificar ao recorrente, nos termos do artigo 142.º-A/1 do Código do Registo Predial (CRP), mas não deixa de consistir no desenvolvimento dos fundamentos do despacho inicial tendo em conta os argumentos expendidos pelo recorrente, acentuando-se essencialmente que não compete à Conservatória, mas ao tribunal, fazer a interpretação dos testamentos ou indagar a vontade dos testadores. *** Vistas sumariamente as posições em confronto, não havendo questões prejudiciais que obstem à apreciação do presente recurso, cumpre emitir parecer. Fundamentação 1 Ao requerimento são juntos documentos que, naturalmente, não serão atendidos em sede de apreciação do recurso, por um lado, porque o que directamente está em causa é a decisão tomada no serviço de registo perante um determinado pedido e não a reponderação do pedido de registo (ainda que, por força do disposto no artigo 148.º/4 do CRP, deva ser a decisão de procedência do recurso a suportar a feitura do registo), e, por outro lado, porque os documentos que alicerçam o registo devem estar cobertos pela apresentação respectiva ou integrar o processo de registo (artigo 73.º do CRP), pois só assim se respeita a prioridade, princípio enformador fundamental do sistema de registo (artigo 6.º do CRP) que supõe a existência de terceiros e actua no sentido da exclusão dos direitos incompatíveis posteriormente registados ou da graduação dos direitos instrumentais, garantindo a preferência do direito primeiramente registado.

3 3 1. Tendo em conta os termos da disposição testamentária em causa, começamos por dizer que, para nós, é clara e inequívoca a vontade do testador no sentido de deixar a...,, e... o prédio situado na Rua..., n.º, no..., freguesia e concelho de, e que parece inegável ser este prédio, onde o testador residia à data da feitura e da aprovação do testamento, e não outro, o objecto da deixa testamentária Donde se afigura que a indicação do número de matriz aposta no testamento não constitui o elemento distintivo da coisa legada, senão mais uma menção tendente à sua fixação, podendo acontecer que exista lapso ou inexactidão quanto a este elemento sem que daí resultem dúvidas acerca do objecto do chamamento sucessório No caso em apreço, o prédio legado foi identificado como estando inscrito na matriz sob o artigo, contudo, comprova-se, em face do registo e da matriz, que este artigo corresponde a parte do prédio urbano situado na Rua..., nºs..., e, descrito sob o n.º...e registado a favor de pessoa diversa do testador Logo, porque o prédio legado se situa noutra rua e tem outro número de polícia, com relativa facilidade se reconhece um erro na declaração que não é de molde a pôr em dúvida o conteúdo negocial e que apenas exige ser corrigido mediante prova do artigo matricial que efectivamente pertence ao prédio situado na Rua..., n.º 1.4. Ponto é que se apure a exacta situação matricial do prédio legado e, desse modo, se chegue ao prédio descrito sob o n.º, indicado no pedido, carreando para o processo de registo prova complementar que permita fazer essa 2 Naturalmente, o que se afirma no texto é já compreensão do sentido e alcance da vontade do testador, por isso, é já o resultado de uma actividade imprescindível à determinação do conteúdo do acto; de uma operação intelectual sujeita a determinadas regras que o conservador não pode declinar, a pretexto de que deve ser outro o intérprete (o tribunal), como parece pretender a recorrida. Verificar a legalidade do acto (artigo 68.º do CRP) é, antes de mais, conhecer o conteúdo negocial e apurar a vontade das partes, ainda que a última palavra, em sede de interpretação negocial, caiba ao juiz e que, por via disso, o acertamento jurídico feito em sede de qualificação registal possa vir a ceder em face de uma decisão transitada em julgado que dê outro sentido e alcance ao facto registado.

4 4 correspondência, já que nem a matriz, nem a descrição, referem o número de polícia atribuído ao prédio A nosso ver, o problema dos autos não radica em compreender a vontade real e contemporânea do testador, pois, como já dissemos, parece-nos que a cláusula testamentária em causa se insere no grupo das cláusulas com um sentido inequívoco e manifesto, face à letra e ao contexto do testamento; 1.6. O que está em causa é antes uma divergência não intencional entre a vontade e a declaração, aqui consubstanciada em erro de escrita que pode ser revelado por via de prova complementar e correctivamente superado em benefício da vontade testatória real (artigo 2203.º do CC) No entanto, não bastará dizer, em declarações complementares, que o artigo de matriz correcto é o 4 ; importará, sim, demonstrar que este artigo respeita ao prédio da Rua..., com o n.º... de polícia, anteriormente designado por lote... (como consta da matriz), designadamente, através de certidão camarária que estabeleça a relação entre este lote e aquele número de polícia 5. 3 Castro Mendes, Interpretação de testamento: prova complementar; competência do Supremo Tribunal de Justiça, em RDES, Janeiro/Setembro de 1977, apud Paulo Sobral Soares do Nascimento, anotação ao Ac. do STJ de , Cadernos de Direito Privado, 19, p A prova complementar a que alude o artigo 2187.º/2 do CC não pode confundir-se, aqui, com a mera declaração dos beneficiários da liberalidade (normalmente admitida para completa identificação dos sujeitos, para menção dos elementos que integrem a descrição ou para esclarecimento de alterações supervenientes, mas não para «correcção» do título), até porque ninguém pode fazer prova a seu próprio favor (neste sentido, processo R.P. 112/97 DSJ-CT, BRN 3/98), nem parece compaginar-se com o disposto no artigo 46.º/2 do CRP, fazendo intervir os herdeiros, quando existam, dado que só através da interpretação do testamento (apuramento da vontade do testador, conforme o contexto do testamento, e recurso a prova complementar) se consente a superação correctiva do erro-obstáculo do testador (artigo 2203.º do CC). Com efeito, uma intervenção dos legatários e dos herdeiros, a confirmar a identificação do objecto legado, permite garantir a ausência de conflito quanto ao sentido e alcance do testamento e, dessa forma, estabilizar a interpretação do negócio jurídico trazido a registo, mas, por si só, não permite fixar a real intenção do testador. 5 Importa notar, em face do que dispõe o artigo 43.º do CRP, que a prova complementar admitida para efeitos de registo só pode ser documental e que, portanto, se o subsídio complementar necessário à

5 Enquanto isso, o registo poderá ser feito como provisório por dúvidas, quanto a ¾, dado que alguma correspondência se encontra, ainda que imperfeitamente expressa, entre o que consta do testamento e a descrição n.º, no que concerne à natureza e à situação do prédio. 2. Cremos, todavia, que relativamente a parte do pedido (1/4 a favor de...,, e..., em comum e sem determinação de parte ou direito) cabe efectivamente a recusa, não por causa da desconformidade entre o título e o registo quanto ao artigo matricial, que já vimos não ser de molde a suscitar incerteza ou total indeterminação do objecto, mas porque a aquisição pretendida não está, realmente, titulada nos documentos apresentados (artigo 69.º/1/b) do CRP) É que, na falta de disposição testamentária em contrário, à posição de..., falecido antes do testador, apenas são chamados os seus descendentes, ou seja, os seus três filhos,..., e Isto por via do direito de representação a que alude o artigo 2039.º do CC e que, no caso da sucessão testamentária, expressamente se prevê para os descendentes daquele que faleceu antes do testador, se não houver outra causa de caducidade da vocação sucessória ou disposição legal ou testamentária em contrário (artigo 2041.º do CC) Ao contrário da transmissão do direito de suceder (artigo 2058.º do CC), em que há uma vocação efectiva antes do falecimento do chamado, e com a sucessão já aberta, que se transmite aos seus sucessores, quaisquer que eles sejam, e existem duas transmissões (o transmissário, para receber o direito de suceder, tem de preencher os pressupostos da vocação quanto ao transmitente e de aceitar a sucessão deste), o direito de representação consubstancia uma vocação indirecta, em que o representante não tem de aceitar a sucessão do representado, porquanto ele sucede é ao autor da sucessão de que o representado era sucessível e é em relação àquele que devem verificar-se os requisitos da vocação 6-7. interpretação do testamento for de outra natureza, designadamente testemunhal, aí sim, só por via de uma decisão judicial que fixe o sentido e alcance do testamento se logrará obter a inscrição no registo. 6 Carvalho Fernandes, Lições de Direito das Sucessões, 2.ª edição, pp. 196/197.

6 Acresce que o chamamento simultâneo dos descendentes do sucessível que não pôde ou não quis aceitar o legado não modifica a espécie dos sucessores: os descendentes são também legatários, recebendo bens determinados directamente do de cuius (neste caso, em compropriedade com os demais legatários instituídos em relação ao mesmo prédio), embora à estirpe caiba aquilo em que sucederia o ascendente respectivo (artigo 2044.º do CC), aqui, ¼ do prédio a dividir per capita Daí a falta de título, quer para demonstrar que o cônjuge do sucessível falecido antes do testador é também legatário, quer para permitir a feitura do registo de aquisição de ¼ sem determinação de parte ou direito (comunhão hereditária), a tornar inevitável a recusa da inscrição quanto a esta parte do pedido Consideramos, assim, que o registo deve ser recusado quanto à aquisição de ¼, em comum e sem determinação de parte ou direito, e efectuado como provisório por dúvidas quanto à aquisição de ¾ 9, atenta a divisibilidade do pedido respectivo (artigo 99.º/1/a) a contrario do CRP). 7 O direito de transmissão pressupõe, assim, que o sucessível tenha falecido e que este falecimento se dê após a abertura da sucessão do de cuius sem que o chamado tenha exercido o seu direito de aceitar ou repudiar a sucessão, ao invés do direito de representação, que postula estar o sucessível impossibilitado de aceitar a sucessão ou tê-la repudiado (Capelo de Sousa, Lições de Direito das Sucessões, vol. I, p. 316). 8 Em regra, não cabe no âmbito do recurso criar decisões sobre matéria nova ou tornar pior a posição do recorrente, contudo, tem-se dito que este princípio deve ceder sempre que a omissão de pronúncia sobre questões não suscitadas possa conduzir à realização de registos nulos» (Conclusão I do parecer proferido no processo n.º2/96 RP 4, publicado no BRN 5/96), como seria o registo em apreço (artigo 16.º/b) do CRP) se tivéssemos de ignorar este novo fundamento de recusa. 9 Cumpre notar que à fixação do estatuto de titularidade dos bens adquiridos por legado e sua publicitação importa o estado civil do sujeito activo (legatário), designadamente de forma a saber se no momento da aquisição existe, ou não, alguma comunhão conjugal a que deva pertencer o bem recebido, e que, para efeitos de aquisição por sucessão, releva o estado civil do herdeiro ou legatário à data da abertura da sucessão e não o que existe aquando do testamento, pois, uma vez aceita a herança ou o legado, é naquele momento que se verifica a transferência do domínio dos bens para a titularidade do sucessível chamado (artigos 2050.º e 2249.º do CC). Logo, o registo de aquisição que apenas tenha por base o testamento (cfr. artigo 88.º do Código do Notariado) não tem como dispensar a competente prova do registo civil quanto ao estado civil do legatário à data da abertura da sucessão (artigo

7 7 *** Em conformidade, propomos o provimento parcial do recurso e formulamos as seguintes CONCLUSÕES I- Em face do disposto no artigo 68.º do Código do Registo Predial, a apreciação da viabilidade do pedido de registo envolve a verificação da validade dos actos contidos nos títulos apresentados e, por isso, também o apuramento do sentido e alcance das declarações neles vertidas. II Assim, a qualificação do pedido de registo com base em testamento implica a aplicação do regime de interpretação a que se refere o artigo 2187.º do Código Civil e o conhecimento de prova complementar que resulte de documento (artigo 43.º do Código do Registo Predial) e que permita determinar um sentido ajustado à vontade do testador, que tenha, no contexto do testamento, um mínimo de correspondência, ainda que imperfeitamente expressa, ou corrigir o erro na declaração previsto no artigo 2203.º do Código Civil. 46.º/1/a), in fine, do CRP e artigos 3.º e 4.º do Código do Registo Civil), ou, quando possível, a verificação deste elemento de identificação através de acesso oficioso à base de dados do registo civil (artigo 73.º/1 do CRP). No caso em apreço, apesar de não ter sido apresentada qualquer prova do registo civil atinente à identificação (estado civil) dos sujeitos activos do facto, o acesso oficioso à base de dados do registo civil permite confirmar os dados indicados pelo apresentante, superando-se, assim, estoutra deficiência do processo (artigo 73.º/1 do CRP).

8 8 III Deve ser recusado, por falta de título, o registo de aquisição a favor dos herdeiros do sucessível que faleceu antes do testador, dado que, se não houver outra causa de caducidade da vocação sucessória ou não ocorrer uma das situações previstas no artigo 2041.º/2 do Código Civil, à posição daquele que, por pré-falecimento, não pôde aceitar o legado apenas são chamados os seus descendentes (artigos 2039.º e 2041.º do Código Civil). Parecer aprovado em sessão do Conselho Técnico de Maria Madalena Rodrigues Teixeira, relatora, Luís Manuel Nunes Martins, Isabel Ferreira Quelhas Geraldes, António Manuel Fernandes Lopes, João Guimarães Gomes Bastos. Este parecer foi homologado pelo Exmo. Senhor Presidente em

9 9 FICHA P.º R.P. 102/2011 SJC-CT SÚMULA DAS QUESTÕES TRATADAS 1. Interpretação do testamento Âmbito da qualificação registal 2. Erro na identificação do objecto legado Sua superação 3. Direito de representação na sucessão testamentária Recusa do registo a favor dos herdeiros do sucessível que não pôde aceitar o legado em virtude de pré-falecimento. 4. Identificação completa dos legatários certos e determinados Acesso à base de dados do registo civil

N/Referência: P.º R.P. 117/2016 STJSR-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º R.P. 117/2016 STJSR-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 66/ CC /2016 N/Referência: P.º R.P. 117/2016 STJSR-CC Data de homologação: 16-12-2016 Recorrente:..-ALUGUER DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO, LDA Recorrido: Conservatória

Leia mais

P.º n.º R.P. 10/2012 SJC-CT Repúdio da herança. Legitimidade Caducidade do direito de aceitação. Eficácia do repúdio. PARECER

P.º n.º R.P. 10/2012 SJC-CT Repúdio da herança. Legitimidade Caducidade do direito de aceitação. Eficácia do repúdio. PARECER P.º n.º R.P. 10/2012 SJC-CT Repúdio da herança. Legitimidade Caducidade do direito de aceitação. Eficácia do repúdio. ativa. PARECER 1. Pela ap., de 2011/11/14, foi pedido na conservatória do registo predial

Leia mais

P.º R. P. 113/2005 DSJ-CT:

P.º R. P. 113/2005 DSJ-CT: P.º R. P. 113/2005 DSJ-CT: Renovação de registo provisório de aquisição lavrado com base em contrato-promessa de alienação. Documento comprovativo do consentimento das partes. Declarações complementares

Leia mais

P.º n.º R.P. 242/2010 SJC-CT

P.º n.º R.P. 242/2010 SJC-CT P.º n.º R.P. 242/2010 SJC-CT Prédio inscrito a favor dos autores da herança. Pagamento das dívidas destes. Penhora. Habilitação dos herdeiros. Identificação dos sujeitos. Documento bastante. DELIBERAÇÃO

Leia mais

Pº R.P. 241/2008 SJC-CT-

Pº R.P. 241/2008 SJC-CT- Pº R.P. 241/2008 SJC-CT- Acção proposta no âmbito do artº 205º CPEREF- Ordem de separação de determinado prédio da massa falida Cancelamento de hipotecas e penhoras Insuficiência do título. DELIBERAÇÃO

Leia mais

P.º n.º R.P. 43/2010 SJC-CT Transmissão de locação financeira. Recusa. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 43/2010 SJC-CT Transmissão de locação financeira. Recusa. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 43/2010 SJC-CT Transmissão de locação financeira. Recusa. DELIBERAÇÃO 1., advogado, apresentou na Conservatória do Registo Predial de, no dia de de ( Ap. ), um pedido de registo a que chamou

Leia mais

N/Referência: P.º R.P. 118/2016 STJSR-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º R.P. 118/2016 STJSR-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 1/ CC /2017 N/Referência: P.º R.P. 118/2016 STJSR-CC Data de homologação: 20-01-2017 Recorrente: Francisco J.., representado por Constantino.., advogado.

Leia mais

N/Referência: P.º C.P. 41/2016 STJ-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º C.P. 41/2016 STJ-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 10/ CC /2017 N/Referência: P.º C.P. 41/2016 STJ-CC Data de homologação: 20-01-2017 Consulente: Setor Técnico-Jurídico dos Serviços de Registo (STJSR). Assunto:

Leia mais

P.º R. P. 231/2007 DSJ-CT

P.º R. P. 231/2007 DSJ-CT P.º R. P. 231/2007 DSJ-CT -Transacção judicial Registo de aquisição Título Reconhecimento do direito de propriedade Trato sucessivo Obrigações fiscais. DELIBERAÇÃO Vem o presente recurso hierárquico interposto

Leia mais

CONCURSO DE PROVAS PÚBLICAS PARA ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE NOTÁRIO 01/07/2017. «Grelha» de correção da prova de Direito Privado e Direito Registal

CONCURSO DE PROVAS PÚBLICAS PARA ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE NOTÁRIO 01/07/2017. «Grelha» de correção da prova de Direito Privado e Direito Registal CONCURSO DE PROVAS PÚBLICAS PARA ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE NOTÁRIO 01/07/2017 «Grelha» de correção da prova de Direito Privado e Direito Registal A) Direito Privado I (6 v.) a) (1 valor) A cláusula é válida,

Leia mais

Pº R.P. 12/2009 SJC-CT-

Pº R.P. 12/2009 SJC-CT- Pº R.P. 12/2009 SJC-CT- Recusa do pedido de registo com base em culpa leve do serviço de registo Restituição do emolumento - descrição do caso em especial. Relatório: DELIBERAÇÃO Pela Ap. 45, de 11 de

Leia mais

P.º R. P. 184/2009 SJC-CT

P.º R. P. 184/2009 SJC-CT P.º R. P. 184/2009 SJC-CT Transferência de património, ao abrigo do D. L. n.º 112/2004 de 13 de Maio, entre dois organismos integrantes do sistema de segurança social, o Instituto da... e o Instituto Recusa

Leia mais

P.º R. P. 191/2008 SJC-CT- Aquisição em processo de execução rejeição da apresentação - gratuitidade do registo. DELIBERAÇÃO Relatório

P.º R. P. 191/2008 SJC-CT- Aquisição em processo de execução rejeição da apresentação - gratuitidade do registo. DELIBERAÇÃO Relatório P.º R. P. 191/2008 SJC-CT- Aquisição em processo de execução rejeição da apresentação - gratuitidade do registo. DELIBERAÇÃO Relatório 1. Em 01/09/2008 foi apresentado, na Conservatória do Registo Predial

Leia mais

R. P. 5/2009 SJC-CT- Doação - obrigação de registar: sujeito e prazo. PARECER. Relatório

R. P. 5/2009 SJC-CT- Doação - obrigação de registar: sujeito e prazo. PARECER. Relatório 1 R. P. 5/2009 SJC-CT- Doação - obrigação de registar: sujeito e prazo. PARECER Relatório 1. Maria.vem apresentar recurso hierárquico da decisão de rejeição das aps. 30, 31 e 32 de / /24 relativas aos

Leia mais

P.º n.º R.P. 212/2010 SJC-CT Penhora. Registo de aquisição de imóvel penhorado. Averbamento à descrição. Recusa. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 212/2010 SJC-CT Penhora. Registo de aquisição de imóvel penhorado. Averbamento à descrição. Recusa. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 212/2010 SJC-CT Penhora. Registo de aquisição de imóvel penhorado. Averbamento à descrição. Recusa. DELIBERAÇÃO A ficha... descreve um terreno para construção com a área de 2 080m2, inscrito

Leia mais

P.º n.º R.P. 92/2010 SJC-CT Aquisição. Contrato promessa. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 92/2010 SJC-CT Aquisição. Contrato promessa. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 92/2010 SJC-CT Aquisição. Contrato promessa. DELIBERAÇÃO 1. Indicando como objecto mediato o prédio descrito sob o nº... da freguesia de..., o recorrente apresentou na Conservatória do Registo

Leia mais

P.º n.º R.P. 123/2009 SJC-CT

P.º n.º R.P. 123/2009 SJC-CT P.º n.º R.P. 123/2009 SJC-CT - Aquisição. Usucapião. Justificação notarial para reatamento do trato sucessivo. Imposto de selo. Decreto-Lei n.º 116/2008, de 4 de Julho. Doação. Caducidade do ónus de eventual

Leia mais

P.º n.º R.P. 193/2010 SJC-CT Transmissão da posição contratual. Averbamento à inscrição de aquisição do direito de superfície.

P.º n.º R.P. 193/2010 SJC-CT Transmissão da posição contratual. Averbamento à inscrição de aquisição do direito de superfície. P.º n.º R.P. 193/2010 SJC-CT Transmissão da posição contratual. Averbamento à inscrição de aquisição do direito de superfície. DELIBERAÇÃO 1. O prédio descrito sob nº... da freguesia de foi, na dependência

Leia mais

P.º n.º R.P. 169/2011 SJC-CT Conversão do arresto em penhora. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 169/2011 SJC-CT Conversão do arresto em penhora. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 169/2011 SJC-CT Conversão do arresto em penhora. DELIBERAÇÃO Sobre o prédio da ficha nº, da freguesia de..., da Conservatória do Registo Predial de prédio urbano situado na Rua...,, inscrito

Leia mais

Parecer. Relatório DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 14/ CC /2017

Parecer. Relatório DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 14/ CC /2017 DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 14/ CC /2017 N/Referência: P.º R.P. 12/2017 STJSR-CC Data de homologação: 28-04-2017 Recorrente: Joana F., advogada Recorrido: Conservatória do Registo

Leia mais

P.ºR.P. 106/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em acordo de partilha em processo de inventário Obrigação de registar: prazo.

P.ºR.P. 106/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em acordo de partilha em processo de inventário Obrigação de registar: prazo. P.ºR.P. 106/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em acordo de partilha em processo de inventário Obrigação de registar: prazo. PARECER Relatório 1. Maria vem apresentar reclamação da conta do acto

Leia mais

R.P. 140, /2006 DSJ-CT-

R.P. 140, /2006 DSJ-CT- P.ºs R.P. 140, 141 e 142/2006 DSJ-CT- Averbamento de alteração da inscrição de aquisição Modificação subjectiva Alteração da firma ou denominação de sociedade estrangeira (no âmbito de transferência de

Leia mais

P. n.º CP 163/2009 SJC-CT Hipoteca voluntária. Identificação dos sujeitos passivos. PARECER

P. n.º CP 163/2009 SJC-CT Hipoteca voluntária. Identificação dos sujeitos passivos. PARECER P. n.º CP 163/2009 SJC-CT Hipoteca voluntária. Identificação dos sujeitos passivos. PARECER 1. A propósito de um concreto acto de registo promovido por notário, na qualidade de entidade tituladora e em

Leia mais

Apreciação. câmaras municipais acaba por se perder perante a dúvida que a informação entretanto reunida no processo

Apreciação. câmaras municipais acaba por se perder perante a dúvida que a informação entretanto reunida no processo P.º n.º R.P. 189/2010 SJC-CT Escritura pública realizada por notário privativo de câmara municipal. Lei n.º 12-A/2008 de 27 de Fevereiro. Valor probatório do documento. PARECER 1. A coberto da ap., de

Leia mais

P.ºR.P. 264/2008 SJC-CT - Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo. PARECER Relatório

P.ºR.P. 264/2008 SJC-CT - Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo. PARECER Relatório P.ºR.P. 264/2008 SJC-CT - Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo. PARECER Relatório 1. Adelino vem apresentar recurso hierárquico da decisão de rejeição da ap.9 de 2008/

Leia mais

P.º n.º R.P. 81/2010 SJC-CT Sociedade irregular. Trato sucessivo. PARECER

P.º n.º R.P. 81/2010 SJC-CT Sociedade irregular. Trato sucessivo. PARECER 1 P.º n.º R.P. 81/2010 SJC-CT Sociedade irregular. Trato sucessivo. PARECER 1.... vem interpor recurso hierárquico da decisão de recusa de conversão da inscrição de aquisição apresentada sob o n.º...,

Leia mais

do CRP, ou seja, 30 dias a contar da data da titulação dos factos ou da data do pagamento das obrigações fiscais, quando haja lugar às mesmas.

do CRP, ou seja, 30 dias a contar da data da titulação dos factos ou da data do pagamento das obrigações fiscais, quando haja lugar às mesmas. P.º n.º RP 169/2010 SJC-CT Obrigação de registar. Prédio indevidamente identificado no pedido de registo. Artigo 73.º, n.º 7 do Código do Registo Predial. PARECER 1. Em / /, foi pedido por via electrónica

Leia mais

P.º R. P. 132/2006 DSJ-CT-

P.º R. P. 132/2006 DSJ-CT- P.º R. P. 132/2006 DSJ-CT- Sucessão testamentária. Aquisição por partilha extrajudicial, com base em escritura de habilitação de herdeiros e testamento público. Determinação do sentido e alcance da deixa

Leia mais

N/Referência: PROC.: C. Bm. 18/2014 STJ-CC Data de homologação: 19-09-2014. Relatório

N/Referência: PROC.: C. Bm. 18/2014 STJ-CC Data de homologação: 19-09-2014. Relatório N.º 49/ CC /2014 N/Referência: PROC.: C. Bm. 18/2014 STJ-CC Data de homologação: 19-09-2014 Consulente: Conservatória do Registo Automóvel de. Recorrido: Assunto: Registo de propriedade adquirida por via

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES 2.º Ano Turma A (Dia) Exame de Recurso Professor Doutor Luís Menezes Leitão 21 de julho de 2015 Duração da prova: 90 minutos

DIREITO DAS SUCESSÕES 2.º Ano Turma A (Dia) Exame de Recurso Professor Doutor Luís Menezes Leitão 21 de julho de 2015 Duração da prova: 90 minutos DIREITO DAS SUCESSÕES 2.º Ano Turma A (Dia) Exame de Recurso Professor Doutor Luís Menezes Leitão 21 de julho de 2015 Duração da prova: 90 minutos GRELHA DE CORREÇÃO A morte de A desencadeia a abertura

Leia mais

N/Referência: C. Co. 15/2016 STJSR-CC Data de homologação: Relatório. Pronúncia

N/Referência: C. Co. 15/2016 STJSR-CC Data de homologação: Relatório. Pronúncia DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 32/ CC /2016 N/Referência: C. Co. 15/2016 STJSR-CC Data de homologação: 29-07-2016 Consulente: Serviços Jurídicos. Assunto: Palavras-chave: Regime especial

Leia mais

P.º R.P. 159/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo

P.º R.P. 159/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo P.º R.P. 159/2009 SJC-CT- Registo de aquisição com base em partilha Obrigação de registar: prazo PARECER Relatório 1. Adelino vem apresentar reclamação da conta do acto de registo pedido a coberto da ap.27

Leia mais

PARECER. Para a fundamentação de direito são invocados os artigos 68.º e 70.º do Código do Registo Predial.

PARECER. Para a fundamentação de direito são invocados os artigos 68.º e 70.º do Código do Registo Predial. P.º n.º R.P. 17/2013 STJ-CC Registo de incidente deduzido em processo de execução fiscal. Princípio do trato sucessivo. Despacho de provisoriedade por dúvidas. PARECER 1 O presente recurso hierárquico

Leia mais

Pº R.P. 132/2008 SJC-CT

Pº R.P. 132/2008 SJC-CT Pº R.P. 132/2008 SJC-CT - Impugnação de decisão de recusa, consoante respeite a acto de registo nos termos requeridos ou rectificação de registos ( nºs 1 e 2, respectivamente, do art. 140º do C.R.P.) Interpretação

Leia mais

Pº R. Co. 25/2006 DSJ-CT. Recorrente: Caixa de Crédito Agrícola Mútuo. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de.

Pº R. Co. 25/2006 DSJ-CT. Recorrente: Caixa de Crédito Agrícola Mútuo. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Pº R. Co. 25/2006 DSJ-CT. Recorrente: Caixa de Crédito Agrícola Mútuo. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Registo a qualificar: Transmissão de dívida com hipoteca a favor de P Sociedade

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Diário da República, 1.ª série N.º 163 25 de Agosto de 2008 5889 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Centro Jurídico Declaração de Rectificação n.º 46/2008 Ao abrigo da alínea h) do n.º 1 e do n.º 2 do

Leia mais

CONCURSO DE PROVAS PÚBLICAS PARA ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE NOTÁRIO 07/05/2016. Direito Privado e Registal. A) Direito Privado

CONCURSO DE PROVAS PÚBLICAS PARA ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE NOTÁRIO 07/05/2016. Direito Privado e Registal. A) Direito Privado CONCURSO DE PROVAS PÚBLICAS PARA ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE NOTÁRIO 07/05/2016 Direito Privado e Registal A) Direito Privado I António, casado com Beatriz, desde Janeiro 1990, no regime de bens supletivo,

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Conselho Constitucional. Acórdão nº 07/CC/2009 de 24 de Junho. Acordam os Juízes Conselheiros do Conselho Constitucional:

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Conselho Constitucional. Acórdão nº 07/CC/2009 de 24 de Junho. Acordam os Juízes Conselheiros do Conselho Constitucional: REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Conselho Constitucional Acórdão nº 07/CC/2009 de 24 de Junho Processo nº 04 /CC/2009 Acordam os Juízes Conselheiros do Conselho Constitucional: I Relatório O Tribunal Administrativo,

Leia mais

Pº R. P. 180/2008 SJC-CT

Pº R. P. 180/2008 SJC-CT Pº R. P. 180/2008 SJC-CT - Inscrição de aquisição em comum e sem determinação de parte ou direito Prédio urbano constituído por várias moradias a que correspondem diferentes artigos matriciais Divergência

Leia mais

autónoma; e que o prazo último e final para a outorga da escritura termina em 31 de Dezembro de 2011.

autónoma; e que o prazo último e final para a outorga da escritura termina em 31 de Dezembro de 2011. 1 P.º n.º R.P. 19/2011 SJC-CT Contrato-promessa. Aquisição. Registo provisório. Celebração do contrato prometido. Prazo. Interpretação dos artigos 47.º, n.º 4 e 92.º, n.º 4 do Código do Registo Predial.

Leia mais

N/Referência: P.º R.P. 39/2016 STJSR-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º R.P. 39/2016 STJSR-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 36/ CC /2016 N/Referência: P.º R.P. 39/2016 STJSR-CC Data de homologação: 19-05-2016 Recorrente: Regina P Recorrido: Conservatória do Registo Predial de.

Leia mais

Pronúncia. A posição deste Conselho vai expressa na seguinte. Deliberação

Pronúncia. A posição deste Conselho vai expressa na seguinte. Deliberação Pº C.Co. 34/2011 SJC-CT Relatório Em relatório elaborado no âmbito de auditoria levada a cabo à actuação de um conjunto de conservatórias, quanto ao dever de fiscalizar o cumprimento da obrigação de promover

Leia mais

P.º n.º R.P. 192/2011 SJC-CT Declaração de nulidade da venda por sentença. Cancelamento do registo de aquisição. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 192/2011 SJC-CT Declaração de nulidade da venda por sentença. Cancelamento do registo de aquisição. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 192/2011 SJC-CT Declaração de nulidade da venda por sentença. Cancelamento do registo de aquisição. DELIBERAÇÃO A. A ficha informática da freguesia de, do concelho da que descreve o 1º andar

Leia mais

PARECER. aquisição respectivo não ficou a constar qualquer menção atinente à oneração do direito que nasce ex

PARECER. aquisição respectivo não ficou a constar qualquer menção atinente à oneração do direito que nasce ex P.º n.º R.P. 39/2011 SJC-CT Justificação notarial. Bem adquirido por usucapião. Posse fundada em doação verbal feita ao cônjuge marido na constância do casamento. Bem próprio ou bem comum. PARECER 1. Através

Leia mais

3.º CONCURSO DE PROVAS PÚBLICAS PARA ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE NOTÁRIO PROVA ESCRITA DE DIREITO PRIVADO E REGISTAL (02/05/2015) I (7 valores)

3.º CONCURSO DE PROVAS PÚBLICAS PARA ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE NOTÁRIO PROVA ESCRITA DE DIREITO PRIVADO E REGISTAL (02/05/2015) I (7 valores) 3.º CONCURSO DE PROVAS PÚBLICAS PARA ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE NOTÁRIO PROVA ESCRITA DE DIREITO PRIVADO E REGISTAL (02/05/2015) A duração da prova é de três horas A) DIREITO PRIVADO I (7 valores) A, Sociedade

Leia mais

N/Referência: PROC.: C. Bm. 48/2014 STJ-CC Data de homologação: PARECER

N/Referência: PROC.: C. Bm. 48/2014 STJ-CC Data de homologação: PARECER N.º 28/ CC /2014 N/Referência: PROC.: C. Bm. 48/2014 STJ-CC Data de homologação: 17-12-2014 Consulente: Conservatória do Registo Comercial e de Automóveis de.... Assunto: Palavras-chave: Registos de apreensão,

Leia mais

Direito das Sucessões

Direito das Sucessões Direito das Sucessões OBJETIVO Conhecer o instituto da Sucessão legítima. ROTEIRO! Introdução! Ordem de vocação hereditária! Herdeiros necessários! Sucessão por cabeça e por estirpe! Direito de transmissão

Leia mais

XIX ENCONTRO NACIONAL DA APAJ. Porto, 20 e 21 de janeiro de 2017

XIX ENCONTRO NACIONAL DA APAJ. Porto, 20 e 21 de janeiro de 2017 XIX ENCONTRO NACIONAL DA APAJ Porto, 20 e 21 de janeiro de 2017 Foi solicitado à ASCR pelo Dr. Inácio Peres uma breve exposição sobre algumas questões notariais e registrais no âmbito da insolvência. Como

Leia mais

N/Referência: PºR.P.95/2016 STJ-CC Data de homologação:

N/Referência: PºR.P.95/2016 STJ-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 59/ CC /2016 N/Referência: PºR.P.95/2016 STJ-CC Data de homologação: 23-10-2016 Recorrente: Município de P... Recorrido: Conservatória do Registo Predial

Leia mais

Pº R.P. 252/2009 SJC-CT

Pº R.P. 252/2009 SJC-CT Pº R.P. 252/2009 SJC-CT Aquisição. Testamento celebrado por cidadão estrangeiro. Interpretação do testamento. Direito internacional privado. Isenção subjectiva de imposto de selo das transmissões gratuitas

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório:

DELIBERAÇÃO. Relatório: Pº R.P. 217/2006 DSJ-CT- Cancelamento de registo de hipoteca Título para registo Requerimento dirigido ao conservador, invocativo da prescrição Recusa. Relatório: DELIBERAÇÃO Do prédio urbano descrito

Leia mais

Pº R.Bm.1/2013 SJC-CT

Pº R.Bm.1/2013 SJC-CT Pº R.Bm.1/2013 SJC-CT Recorrente:. Banque Sucursal Portugal. Sumário: Registo de penhora de veículo provisório por natureza (art. 92º/2/a) do Código do Registo Predial) Certificação pelo Tribunal de que

Leia mais

Prazo para promover o registo Aquisição Bens futuros Plano de Pormenor Loteamento. PARECER. Relatório

Prazo para promover o registo Aquisição Bens futuros Plano de Pormenor Loteamento. PARECER. Relatório N.º 54/ CC /2014 N/Referência: PROC.: C. P. 63/2013 STJ-CC Data de homologação: 20-10-2014 Consulente: Conservatória do Registo Predial de. Assunto: Termo inicial do prazo para promover o registo de aquisição

Leia mais

P.º R.P. 147/2007 DSJ-CT-

P.º R.P. 147/2007 DSJ-CT- P.º R.P. 147/2007 DSJ-CT- Fixação do sentido e alcance da norma contida no n.º 5 do artigo 31.º do D. L. 287/2003, de 12/11 Reconhecimento ao interessado da possibilidade de requerer hoje a liquidação

Leia mais

P.º n.º R.P. 234/2011 SJC-CT Aquisição. Decisão judicial. Falta de título. PARECER

P.º n.º R.P. 234/2011 SJC-CT Aquisição. Decisão judicial. Falta de título. PARECER P.º n.º R.P. 234/2011 SJC-CT Aquisição. Decisão judicial. Falta de título. PARECER 1. Na ficha n.º..., freguesia de...,, a titularidade está inscrita nos seguintes termos: Ap.... de 1976/04/27 - Aquisição

Leia mais

P.º C.P. 152/2009 SJC-CT- artigo 73.º/7 do Código do Registo Predial interpretação. PARECER. Relatório

P.º C.P. 152/2009 SJC-CT- artigo 73.º/7 do Código do Registo Predial interpretação. PARECER. Relatório P.º C.P. 152/2009 SJC-CT- artigo 73.º/7 do Código do Registo Predial interpretação. PARECER Relatório 1. A propósito do disposto no n.º 7 do artigo 73.º do Código do Registo Predial (CRP), na redacção

Leia mais

- Dispensa de Segredo Profissional nº 47/SP/2009-P

- Dispensa de Segredo Profissional nº 47/SP/2009-P - Dispensa de Segredo Profissional nº 47/SP/2009-P Através de comunicação escrita, registada com o nº ( ), recebida a 26/02/2010 pela Secretaria do Conselho Distrital do Porto da Ordem dos Advogados, o

Leia mais

- 1 - Pº R.Co.27/2009 SJC-CT

- 1 - Pº R.Co.27/2009 SJC-CT - 1 - Pº R.Co.27/2009 SJC-CT Recorrente: Joaquim. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial do. Acto impugnado: Indeferimento liminar de pedidos de rectificação das inscrições 3 e 4 relativas à sociedade

Leia mais

Direito Civil. Sucessão em Geral. Professora Alessandra Vieira.

Direito Civil. Sucessão em Geral. Professora Alessandra Vieira. Direito Civil Sucessão em Geral Professora Alessandra Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Aula Civil XX DO DIREITO SUCESSÓRIO Considerações Gerais: A abertura da sucessão se dá no exato instante

Leia mais

Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Registos e Notariado ª Edição. Actualização nº 2

Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Registos e Notariado ª Edição. Actualização nº 2 Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Registos e Notariado 2011 13ª Edição Actualização nº 2 1 [1] Código do Trabalho REGISTOS E NOTARIADO Actualização nº 2 ORGANIZAÇÃO BDJUR BASE DE DADOS JURÍDICA EDITOR

Leia mais

Parecer. indicados sem indicação do diploma a que pertencem deve entender-se que se referem ao Regulamento

Parecer. indicados sem indicação do diploma a que pertencem deve entender-se que se referem ao Regulamento Parecer P.º C. C. 73/2012 SJC-CT (Anexo IV) ASSUNTO: Dúvidas Emolumentares decorrentes das alterações introduzidas ao Regulamento Emolumentar dos Registos e do Notariado pelo Decreto-Lei n.º 209/2012,

Leia mais

P.º n.º R.P. 92/2011 SJC-CT Procedimento especial de transmissão, oneração e registo imediato de imóveis (Casa Pronta) DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 92/2011 SJC-CT Procedimento especial de transmissão, oneração e registo imediato de imóveis (Casa Pronta) DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 92/2011 SJC-CT Procedimento especial de transmissão, oneração e registo imediato de imóveis (Casa Pronta) DELIBERAÇÃO 1. No âmbito de procedimento casa pronta 1, a Senhora Notária Afecta à

Leia mais

Registos e Notariado. Ficha Técnica. Código do Notariado. TÍTULO I - Da organização dos serviços notariais. CAPÍTULO I - Disposições gerais

Registos e Notariado. Ficha Técnica. Código do Notariado. TÍTULO I - Da organização dos serviços notariais. CAPÍTULO I - Disposições gerais Registos e Notariado Ficha Técnica Código do Notariado TÍTULO I - Da organização dos serviços notariais CAPÍTULO I - Disposições gerais CAPÍTULO II - Competência funcional SECÇÃO I - Atribuições dos notários

Leia mais

PARECER Nº 68/PP/2013-P CONCLUSÕES:

PARECER Nº 68/PP/2013-P CONCLUSÕES: 1 PARECER Nº 68/PP/2013-P CONCLUSÕES: 1. Um Advogado que tenha sido nomeado patrono oficioso de um menor num processo judicial de promoção e protecção de crianças e jovens em perigo, requerido pelo Ministério

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório

DELIBERAÇÃO. Relatório Pº R.P.90/2007 DSJ-CT: Anexação de prédios descritos -recusa. Divergência entre a soma das áreas dos prédios a anexar e a área do prédio resultante da anexação invocação de erro de medição. Operação de

Leia mais

P.º n.º R.P. 168/2011 SJC-CT Cancelamento do registo de usufruto com base em renúncia. Existência de registo anterior de penhora.

P.º n.º R.P. 168/2011 SJC-CT Cancelamento do registo de usufruto com base em renúncia. Existência de registo anterior de penhora. 1 P.º n.º R.P. 168/2011 SJC-CT Cancelamento do registo de usufruto com base em renúncia. Existência de registo anterior de penhora. PARECER 1. Em..., foi pedido, na Conservatória do Registo Predial de...,

Leia mais

sociedade; certificado de admissibilidade; menoridade; estrangeiro; norma de conflitos; DIP. Relatório

sociedade; certificado de admissibilidade; menoridade; estrangeiro; norma de conflitos; DIP. Relatório DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 2/ CC /2016 N/Referência: P.º R. Co. 15/2015 STJSR-CC Data de homologação: 07-01-2016 Recorrente: Joaquim M, notário Recorrido: Conservatória do Registo

Leia mais

Deliberação. Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nubente estrangeiro. Declaração de inexistência de impedimentos.

Deliberação. Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nubente estrangeiro. Declaração de inexistência de impedimentos. Proc. C.C. 109/2010 SJC CT Deliberação Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nubente estrangeiro. Declaração de inexistência de impedimentos. O Consulado de Portugal em B., Brasil, atento o despacho n.º

Leia mais

P.º n.º R.P. 110/2011 SJC-CT Anexação. DELIBERAÇÃO

P.º n.º R.P. 110/2011 SJC-CT Anexação. DELIBERAÇÃO P.º n.º R.P. 110/2011 SJC-CT Anexação. DELIBERAÇÃO Pelas aps.... e..., de 4 de Março de 2011,, na qualidade de gerente de..., Unipessoal Lda, requisitou no Serviço de Registo Predial de... os seguintes

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório

DELIBERAÇÃO. Relatório P.º n.º R. P. 188/2008 SJC-CT- Escritura de revogação de justificação notarial. Cancelamento do registo de aquisição titulado por escritura de justificação. Direitos inscritos a favor de terceiros. DELIBERAÇÃO

Leia mais

Reapreciação e Renovação da Prova na 2ªInstância. Março 2016

Reapreciação e Renovação da Prova na 2ªInstância. Março 2016 Reapreciação e Renovação da Prova na 2ªInstância Março 2016 Decreto-Lei nº 39/95, de 15 de Fevereiro Introduziu a possibilidade de registo da prova produzida em audiência de julgamento. Reforço dos poderes

Leia mais

Pº R.P. 182/2008 SJC-CT

Pº R.P. 182/2008 SJC-CT Pº R.P. 182/2008 SJC-CT- (i)legalidade de recusa de registo de aquisição pedido com base em inventário, com fundamento na sua manifesta nulidade, mediante invocação de que o prédio partilhado é alheio

Leia mais

Direito Civil. Direito das Sucessões. Prof. Marcio Pereira

Direito Civil. Direito das Sucessões. Prof. Marcio Pereira Direito Civil Direito das Sucessões Prof. Marcio Pereira Sucessões (art. 1.784 do CC) É a transmissão de bens, direitos e obrigações de uma pessoa para outra que se dá em razão de sua morte. Aberta a successão,

Leia mais

Pº R. Bm. 9/2008 SJC-CT Recorrente: Ana, advogada. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de.

Pº R. Bm. 9/2008 SJC-CT Recorrente: Ana, advogada. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Pº R. Bm. 9/2008 SJC-CT Recorrente: Ana, advogada. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial de. Relatório 1. Com data de 13 de Outubro de 2008 ( cuja apresentação só foi anotada no Diário no dia 20090624,

Leia mais

- 1 - Pº C.Co.93/2010 SJC-CT. Relatório

- 1 - Pº C.Co.93/2010 SJC-CT. Relatório Pº C.Co.93/2010 SJC-CT Relatório 1. A Senhora Adjunta de Conservador da Conservatória do Registo Predial de. solicitou esclarecimento sobre se o registo por depósito está sujeito ao pagamento de coima,

Leia mais

DA ADvoCACiA CoM o exercício De outra ACtiviDADe PúBliCA

DA ADvoCACiA CoM o exercício De outra ACtiviDADe PúBliCA incompatibilidade Do exercício DA ADvoCACiA CoM o exercício De outra ACtiviDADe PúBliCA Proc. n.º 4/PP/2012-G relator: Dr. Marcelino Pires Parecer o requerente vem pedir parecer sobre a eventual incompatibilidade

Leia mais

INFORMAÇÃO PREDIAL SIMPLIFICADA

INFORMAÇÃO PREDIAL SIMPLIFICADA INFORMAÇÃO PREDIAL SIMPLIFICADA Disponíveis ou a disponibilizar no site www.predialonline.mj.pt os seguintes serviços: Certidão permanente Anúncio para a manifestação do direito legal de preferência Pedidos

Leia mais

N/Referência: P.º R.P. 31/2015 STJSR-CC Data de homologação: Relatório

N/Referência: P.º R.P. 31/2015 STJSR-CC Data de homologação: Relatório DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 39/ CC / 2015 N/Referência: P.º R.P. 31/2015 STJSR-CC Data de homologação: 01-06-2015 Recorrente: Fernando T., advogado Recorrido: Conservatória do Registo

Leia mais

N/Referência: P.º R.P. 86/2016 STJSR-CC Data de homologação: Doação condição contrária à lei qualificação registal. Parecer.

N/Referência: P.º R.P. 86/2016 STJSR-CC Data de homologação: Doação condição contrária à lei qualificação registal. Parecer. DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 46/ CC /2016 N/Referência: P.º R.P. 86/2016 STJSR-CC Data de homologação: 03-10-2016 Recorrente: Arnaldo.., notário Recorrido: Conservatória do Registo

Leia mais

C. P. 110/2009 SJC-CT

C. P. 110/2009 SJC-CT Proc. n.º C. P. 110/2009 SJC-CT Escritura de partilha de herança. Prazo para a promoção do registo dos bens imóveis. Agravamento emolumentar no caso de cumprimento intempestivo da obrigação de registar.

Leia mais

Recorrente: «L Sociedade Unipessoal, Limitada». Recorrida: Conservatória do Registo Comercial da. Relatório:

Recorrente: «L Sociedade Unipessoal, Limitada». Recorrida: Conservatória do Registo Comercial da. Relatório: P.º R. Co. 4/2007DSJ-CT - Registo da constituição da sociedade e nomeação de gerentes. Título constitutivo omisso quanto à data do encerramento do exercício social e ao número de identificação fiscal da

Leia mais

Pº R.P. 200/2009 SJC-CT-

Pº R.P. 200/2009 SJC-CT- Pº R.P. 200/2009 SJC-CT- Cumulação de decisões impugnadas num só processo - Inscrição de penhora - Legitimidade do exequente para pedir os registos que viabilizem a inscrição do bem em nome do executado

Leia mais

2 II Fundamentação 1

2 II Fundamentação 1 P.º n.º C.P. 43/2012 SJC-CT Revogação do despacho de qualificação de ato de registo já executado na ficha informática. Tradução tabular da regressão no processo registral, devido à preterição de formalidades

Leia mais

P.º n.º R.P. 188/2010 SJC-CT Aquisição em comum e sem determinação de parte ou direito. Duplicação de descrições. PARECER

P.º n.º R.P. 188/2010 SJC-CT Aquisição em comum e sem determinação de parte ou direito. Duplicação de descrições. PARECER P.º n.º R.P. 188/2010 SJC-CT Aquisição em comum e sem determinação de parte ou direito. Duplicação de descrições. PARECER A. Destacamos dos autos o seguinte quadro factual: a. No Livro... da Conservatória

Leia mais

I. Por comunicação escrita dirigida ao Bastonário da Ordem dos Advogados, datada de ( ), a Sra. Dra. ( ), Advogada, veio expor o que segue:

I. Por comunicação escrita dirigida ao Bastonário da Ordem dos Advogados, datada de ( ), a Sra. Dra. ( ), Advogada, veio expor o que segue: Processo de Parecer n.º 35/PP/2017-G Requerente: ( ) Relator: Dr. Pedro Costa Azevedo I. Por comunicação escrita dirigida ao Bastonário da Ordem dos Advogados, datada de ( ), a Sra. Dra. ( ), Advogada,

Leia mais

PARECER NR. 33/PP/2009-P CONCLUSÃO:

PARECER NR. 33/PP/2009-P CONCLUSÃO: PARECER NR. 33/PP/2009-P CONCLUSÃO: A Para o advogado, a matéria de conflito de interesses é uma questão de consciência, competindo-lhe ajuizar se a relação de confiança que estabeleceu com um seu antigo

Leia mais

N/Referência: PROC.: R. P. 2/2015 STJ-CC Data de homologação: 02-03-2015. Relatório

N/Referência: PROC.: R. P. 2/2015 STJ-CC Data de homologação: 02-03-2015. Relatório N.º 15/ CC /2014 N/Referência: PROC.: R. P. 2/2015 STJ-CC Data de homologação: 02-03-2015 Recorrente: Luís A., notário Recorrido: Conservatória do Registo Predial de. Assunto: Palavras-chave: Regime de

Leia mais

ÍNDICE GERAL. prefácio 5

ÍNDICE GERAL. prefácio 5 prefácio 5 LIÇÃO I HISTÓRIA E FUNDAMENTO DO FENÓMENO JURÍDICO SUCESSÓRIO 7 introdução 9 1. Evolução histórica do direito das sucessões 9 2. O fundamento da sucessão 11 2.1. O fundamento do fenómeno sucessório

Leia mais

P.º C. Co. 63/2006 DSJ-CT - Competência do Adjunto do Conservador. Processos de contra-ordenação.

P.º C. Co. 63/2006 DSJ-CT - Competência do Adjunto do Conservador. Processos de contra-ordenação. P.º C. Co. 63/2006 DSJ-CT - Competência do Adjunto do Conservador. Processos de contra-ordenação. 1 O consulente 1 pretende, em síntese, ser informado se o Adjunto do Conservador com delegação de todas

Leia mais

Lei nº 94/2009, de 1 de Setembro

Lei nº 94/2009, de 1 de Setembro Lei nº 94/2009, de 1 de Setembro Aprova medidas de derrogação do sigilo bancário, bem como a tributação a uma taxa especial dos acréscimos patrimoniais injustificados superiores a 100 000, procedendo a

Leia mais

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES O Estatuto da Câmara dos Solicitadores, aprovado pelo Decreto-Lei 88/2003, de 26 de Abril, no seu artigo 102º, prevê que os solicitadores podem

Leia mais

ao suporte documental que pode servir de base ao registo a efetuar no âmbito de um procedimento de habilitação de herdeiros com registos.

ao suporte documental que pode servir de base ao registo a efetuar no âmbito de um procedimento de habilitação de herdeiros com registos. P.º n.º C.P. 39/2012 SJC-CT Procedimento de habilitação de herdeiros com registo dos bens comuns do casal. Inscrição de aquisição sem determinação de parte ou direito atualizada. PARECER 1. Tendo em conta

Leia mais

Deliberação ERC/2017/72 (DR-I)

Deliberação ERC/2017/72 (DR-I) Deliberação ERC/2017/72 (DR-I) Recurso apresentado por DICTUM ET FACTUM ASSESSORIA EM ACTIVIDADES ECONÓMICAS E AMBIENTE, Lda., em alegada representação de CENTROLIVA- INDUSTRIA E ENERGIA, S.A., contra

Leia mais

P.º n.º C.P. 72/2012 SJC-CT Direito real de habitação periódica. Possibilidade de realização de partilha e registo no BHDP.

P.º n.º C.P. 72/2012 SJC-CT Direito real de habitação periódica. Possibilidade de realização de partilha e registo no BHDP. P.º n.º C.P. 72/2012 SJC-CT Direito real de habitação periódica. Possibilidade de realização de partilha e registo no BHDP. PARECER 1. Na sequência de um pedido de esclarecimento formulado por serviço

Leia mais

O presente RELATÓRIO, é elaborado nos termos do disposto no artigo 155.º do Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas CIRE.

O presente RELATÓRIO, é elaborado nos termos do disposto no artigo 155.º do Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas CIRE. Procº de insolvência n.º 4.003/12.4 TBVFR 2º Juízo Cível Insolvente: FERNANDO C. PEREIRA SOUSA, LIMITADA Tribunal Judicial de Santa Maria da Feira RELATÓRIO O presente RELATÓRIO, é elaborado nos termos

Leia mais

Registro: DECISÃO MONOCRÁTICA. Agravo de Instrumento Processo nº Relator(a): Fábio Podestá

Registro: DECISÃO MONOCRÁTICA. Agravo de Instrumento Processo nº Relator(a): Fábio Podestá fls. 93 Registro: 2016.0000116063 DECISÃO MONOCRÁTICA Agravo de Instrumento Processo nº 2027718-79.2016.8.26.0000 Relator(a): Fábio Podestá Órgão Julgador: 5ª Câmara de Direito Privado VOTO NÚMERO: 12060

Leia mais

PARECER Nº. 67/PP/2008-P CONCLUSÕES:

PARECER Nº. 67/PP/2008-P CONCLUSÕES: PARECER Nº. 67/PP/2008-P CONCLUSÕES: 1. O Decretos-lei n.º 28/2000, de 13 de Março, n.º 237/2001, de 30 de Agosto e n.º 76-A/2006, de 29 de Março atribuíram, nomeadamente, aos advogados e aos solicitadores,

Leia mais

N/Referência: P.º R.P. 78/2016 STJSR-CC Data de homologação:

N/Referência: P.º R.P. 78/2016 STJSR-CC Data de homologação: DIVULGAÇÃO DE PARECER DO CONSELHO CONSULTIVO N.º 68/ CC /2016 N/Referência: P.º R.P. 78/2016 STJSR-CC Data de homologação: 12-09-2016 Recorrente: António M, advogado, em representação de Armando A e Lurdes

Leia mais

Pº R. Co. 22/2009 SJC-CT. Recorrente: Clube de Futebol. Recorrida: Conservatória do Registo Predial/Comercial de..

Pº R. Co. 22/2009 SJC-CT. Recorrente: Clube de Futebol. Recorrida: Conservatória do Registo Predial/Comercial de.. Pº R. Co. 22/2009 SJC-CT. Recorrente: Clube de Futebol. Recorrida: Conservatória do Registo Predial/Comercial de.. Registo a qualificar: Constituição da sociedade. Futebol SAD com designação dos membros

Leia mais

Sumário: Alteração do contrato social. Título para registo.

Sumário: Alteração do contrato social. Título para registo. P.º R. Co. 16/2007DSJ-CT Sumário: Alteração do contrato social. Título para registo. Recorrente: Sociedade «G, Limitada», representada por M D..., advogada. Recorrida: Conservatória do Registo Comercial

Leia mais