Pº R.P. 71/2008 SJC-CT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pº R.P. 71/2008 SJC-CT"

Transcrição

1 Pº R.P. 71/2008 SJC-CT Aditamento a alvará de loteamento Ampliação de área de lote por redução da área do domínio público municipal Título para registo. DELIBERAÇÃO Relatório: O Município de. requisitou na 2ª Conservatória deste Concelho a alteração ao alvará de loteamento nº 1057, que havia sido emitido em 6 de Outubro de A alteração cujo registo é peticionado está titulada no Aditamento àquele alvará, emitido em 15 de Outubro de 200 pela Câmara Municipal de, e dele consta que, nos termos do nº 7 do art. 27º do D.L. nº 555/99, de 16 de Dezembro, com a redacção dada pelo D.L. nº 177/01, de 4 de Junho, o Aditamento foi emitido em nome da Câmara Municipal de.e diz respeito à alteração do uso e área do lote 19 que, mantendo as componentes de comércio e serviços, passa a incorporar também habitação e equipamento, acrescendo ao referido lote 349,54m2 retirados à área cedida para o domínio público (arruamentos e passeios). O referido lote 19 está descrito na ficha nº 3004., com aquisição registada em nome do Município de (Ap. 27/981009) aliás, este lote foi cedido ao Município pelo loteador, no âmbito do processo do loteamento -, com a área de 4478m2, pelo que, em decorrência da alteração, o lote passou a ter a área de 4827,54m2. Por outro lado, os m2 que haviam sido cedidos para domínio público para arruamentos, estacionamentos, passeios e canteiros ajardinados (cfr. ficha nº 11., respeitante ao prédio objecto do loteamento, maxime a insc. F-1/Ap. 01/041198) foram reduzidos, também em consequência do acréscimo da área do lote 19, para ,46m2. A alteração descrita foi aprovada por deliberação camarária de 1 de Outubro de 2007, e consta expressamente do Aditamento que foi cumprido 1

2 o disposto no nº 1 do art. 22º do RJUE não tendo sido apresentadas quaisquer reclamações, observações ou sugestões. O registo mereceu a qualificação de provisório por dúvidas, porque a alteração ao alvará de loteamento, apesar de necessária, não é título suficiente para se proceder à desafectação do domínio público da área de 349,54m2 cedidos para integrar o lote 19. Terá que ser apresentado um documento que titule essa desafectação do domínio público para o domínio privado. Do despacho de qualificação vem agora interposto o presente recurso hierárquico, cujos termos aqui se dão por integralmente reproduzidos. A Senhora Conservadora sustentou a qualificação minguante do registo peticionado, em despacho cujos termos também aqui se dão por integralmente reproduzidos. O processo é o próprio, as partes legítimas, o recurso tempestivo, a recorrente está devidamente representada, e inexistem questões prévias ou prejudiciais que obstem ao conhecimento do mérito. A posição deste Conselho vai expressa na seguinte Deliberação O Aditamento a alvará de loteamento que licenciou a alteração da operação de loteamento, que se traduziu na ampliação da área de um lote pertencente ao Município através da correspondente redução da área do domínio público municipal que tinha resultado do licenciamento inicial, é título bastante para o registo predial do facto A controvérsia dos autos assenta na parcela de terreno com 349,54m2, que passou a domínio público municipal com o licenciamento da operação de loteamento e que, com o licenciamento da alteração, passaria a integrar o lote 19, de que é titular o Município. Se bem interpretamos o pensamento da Senhora Conservadora recorrida, expresso nos despachos de qualificação e de sustentação, o Aditamento ao alvará de loteamento não é suficiente para o registo do facto. Será ainda necessário que o Município proceda à prévia 2

3 desafectação dessa parcela do domínio público, que fará reingressar essa mesma parcela de terreno na titularidade do loteador, e ulteriormente o loteador terá que ceder por escritura pública o direito de propriedade sobre a parcela de terreno em causa ao Município, para o seu domínio privado, só então sendo viável executar o licenciamento da alteração com a ampliação da área do lote 19 e a redução correspondente da área do domínio público municipal. A recorrida invoca a seu favor os pareceres deste Conselho emitidos nos Pºs R.P. 160/2003 DSJ-CT, in BRN nº 2/2005, e R.P. 231/2004 DSJ-CT, in BRN nº 11/2004. Por seu lado, o recorrente entende que a alteração ao alvará é o título apresentado a registo e o que dele consta a tal respeito não deve ser objecto de dúvida, estando a recomposição dos lotes de terreno e rearranjo dos espaços públicos suficientemente documentados pela citada alteração ao alvará apresentada com o pedido de registo. Apoia-se o recorrente no parecer deste Conselho emitido no Pº 1/61 R.P. 95. É sobre esta controvérsia que teremos que nos pronunciar, ainda que perfunctoriamente. 2 - Como ensina Ana Raquel Gonçalves Moniz, in O Domínio Público, O Critério e o Regime Jurídico da Dominialidade, 2005, pág. 126 e nota 69 e pág. 393 e nota 232, apesar do que dispõe o nº 2 do art. 84º da nossa Constituição, relativamente ao domínio público autárquico não existe qualquer acto legislativo que individualize um conjunto de bens qualificados como dominiais. A própria Lei nº 169/99, de 18 de Setembro, alterada pela Lei nº 5-A/2002, de 11 de Janeiro, determina que compete à assembleia municipal, sobre proposta da câmara municipal, deliberar sobre a afectação (acto administrativo que coloca a coisa pública a desempenhar a função que justificou a sua sujeição pelo legislador a um regime específico de direito público, o regime jurídico-administrativo da dominialidade pública Autora e ob. citados, págs. 138/139), ou sobre a desafectação (acto administrativo através do qual a entidade administrativa, por imperativo de interesse público, desvincula o bem do destino a que o mesmo se encontrava adstrito por força da afectação Autora e ob. citados, pág. 155) de bens do domínio público municipal, nos termos da lei (cfr. Art. 53º, nº 4). Porém, como refere a Autora, «não encontramos qualquer acto legislativo que identifique os bens do domínio público municipal e estabeleça a respectiva regulamentação, no seguimento, aliás, do estabelecido pelo nº 2 do artigo 84º da Constituição» (cfr. citada nota 69). No que em especial tange às parcelas de terreno integradas no domínio público municipal por cedências, ao abrigo da lei, no âmbito dos loteamentos urbanos, cremos que, no ponto que ora afloramos, são pertinentes os comentários que integram a anotação de Fernanda Paula Oliveira ao Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo de , in Cadernos de Justiça Administrativa nº 21, Maio/Junho 2000, págs. 47 e segs. (no âmbito do D.L. nº 448/91, de 29.11, mas que a Autora reconhece serem aplicáveis ao RJUE do D.L. nº 555/99, de 16.12). Basicamente, defende que «a cedência de parcelas de terrenos para o domínio público depende, necessariamente, da concreta operação de loteamento que se pretende levar a cabo, ou seja, do arranjo urbanístico que ela propõe para a zona», do que resulta que «sempre que se altere o arranjo urbanístico que resulta do licenciamento da operação de loteamento, pode deixar de se justificar o regime de protecção jurídica especial do domínio público para aquelas parcelas de terreno». Assim 3

4 sendo, entende a Autora que no procedimento de alteração a um alvará de loteamento, porque está em causa um novo arranjo urbanístico, «a aprovação da alteração ao alvará tem, num caso destes, como efeito a desanexação daquela parcela do domínio público». Cremos ter demonstrado, nos termos sobreditos, que, no caso dos autos, o Aditamento ao alvará de loteamento comprova a desafectação do domínio público da falada parcela de terreno com 349,54m2. Quais, então, os efeitos jurídicos que a desafectação provoca no estatuto jurídico da coisa, a concreta parcela de terreno com 349,54m2? Citamos a propósito Marcelo Caetano, in Manual de Direito Administrativo, Vol. II, 1994, pág. 896: «A noção de propriedade pública, acentuando que a coisa dominial pertence ao seu dono, embora sujeita a um regime de direito público, tem ainda a vantagem de permitir compreender como, intervindo uma desafectação ou desclassificação, essa coisa continua a pertencer em propriedade ao mesmo sujeito, agora noutro regime jurídico o do domínio privado». Precisamente com base neste entendimento, ensina o Mestre Seabra Magalhães: «Estamos, pois, perante um acto eminentemente declarativo que nem mesmo por ficção pode configurar qualquer relação transmissória e não supõe, por conseguinte, a pessoa do transmitente» (cfr. Formulário do Registo Predial, 1972, pág. 94). Não descortinamos, assim, como seja possível sustentar que a desafectação do domínio público da parcela de terreno em causa através do Aditamento ao alvará de loteamento tem como efeito o reingresso dessa parcela na esfera jurídica do loteador. Ainda que se defenda que ao acto administrativo de desafectação pode ser atribuída eficácia retroactiva [cfr. art. 128º, nº 2, a), do C.P.A.), ou que «o pedido de alteração de alvará de loteamento dá lugar a uma nova apreciação e reponderação de toda a solução urbanística, de modo que a aprovação deste novo loteamento não é um acto sobre acto, mas um acto sucessivo, que veio tomar o lugar do primeiro» (cfr. Acórdão do S.T.J. de 9/7/96, citado no também já citado Acórdão do mesmo Tribunal de ), daí não é possível partir para chegar à conclusão de que o licenciamento de alteração de operação de loteamento por si só tem como efeito a transferência do direito de propriedade (ou de quaisquer outros direitos reais) sobre as coisas (lotes ou parcelas, do domínio privado ou do domínio público) objecto de disciplina urbanística unitária (cfr., a título exemplificativo, o parecer emitido no Pº R.P. 267/2004 DSJ-CT). Assentemos, nos termos expostos, que a desafectação do domínio público da referida parcela de terreno produziu o efeito da mudança de estatuto jurídico da coisa, que passou a integrar o domínio privado do mesmo sujeito, o Município de. Assim sendo, não tendo havido mudança de titularidade, não descortinamos qualquer obstáculo a que o Aditamento ao alvará de loteamento produza por si só o efeito da deslocação da parcela de terreno para o lote 19, também do domínio privado do Município, sendo, por isso, título bastante para o registo do facto. Ainda que se viesse a sustentar a nosso ver, ao arrepio do regime jurídico da reversão estabelecido no art. 45º do RJUE (cfr. Fernanda Paula Oliveira, op. cit., pág. 49, nota 13, no âmbito do D.L. nº 448/91), que não se aplicará quando a mudança de afectação das parcelas cedidas decorra do procedimento de licenciamento de alteração ao alvará de loteamento - que o cedente tinha direito de reversão da parcela de terreno desafectada do domínio público 4

5 Nos termos expostos, é entendimento deste Conselho que o recurso merece provimento. Deliberação aprovada em sessão do Conselho Técnico de 18 de Dezembro de João Guimarães Gomes de Bastos, relator. Esta deliberação foi homologada pelo Exmo. Senhor Presidente em através do Aditamento ao alvará de loteamento, nem por isso, a nosso ver, o registo do facto poderia ser inviabilizado pelo conservador, dada a natureza potestativa do direito de reversão. Nesta conformidade, deve o conservador, na dependência do registo da alteração (que a recorrida decidiu lavrar por inscrição, ao arrepio do entendimento firmado no citado parecer emitido no Pº R.P. 267/2004, o que eventualmente configurará um simples erro na forma do registo), averbar à descrição do lote 19 a nova área (ampliada), sem necessidade sequer de qualquer averbamento de desanexação do prédio objecto do loteamento (cfr. parecer emitido no Pº R.P. 13/2000 DSJ-CT, in BRN nº 7/2000, pág. 43). 5

DELIBERAÇÃO. Relatório:

DELIBERAÇÃO. Relatório: Pº R.P. 274/2007 DSJ-CT- Modificação do conteúdo do direito de propriedade horizontal Alteração do regime de uso de certa parte comum de edifício destinado a parqueamento automóvel Suficiência da verificação,

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Do despacho de recusa foi interposto recurso hierárquico, cujos termos aqui se dão por integralmente reproduzidos.

DELIBERAÇÃO. Do despacho de recusa foi interposto recurso hierárquico, cujos termos aqui se dão por integralmente reproduzidos. Pº R.P. 16/2008 SJC-CT- Registo de hipoteca legal nos termos do artº 195º do CPPT Título Suficiência Despacho do Chefe de Serviço de Finanças competente que a requerimento do executado autorize a substituição

Leia mais

formalizada por escritura pública de compra e venda, de 28 de Novembro de, entre a 1.ª Ré e os 2ºs Réus;

formalizada por escritura pública de compra e venda, de 28 de Novembro de, entre a 1.ª Ré e os 2ºs Réus; 1 Pº R. P. 170/2008 SJC-CT: Registo de acção de preferência pedido de cancelamento do registo de aquisição a favor do comprador e do registo de aquisição a favor de terceiro adquirente. DELIBERAÇÃO 1.

Leia mais

Pº R. Co. 39/2005 DSJ-CT- Averbamento de mudança de sede para concelho limítrofe Título. DELIBERAÇÃO

Pº R. Co. 39/2005 DSJ-CT- Averbamento de mudança de sede para concelho limítrofe Título. DELIBERAÇÃO Pº R. Co. 39/2005 DSJ-CT- Averbamento de mudança de sede para concelho limítrofe Título. Recorrente:, Ldª. DELIBERAÇÃO Recorrida: Conservatória do Registo Comercial Registo a qualificar: Averbamento à

Leia mais

Pº R.P. 154/2004 DSJ-CT.- Inscrição de servidão de gás Menções Efeitos Título para registo Trato sucessivo.

Pº R.P. 154/2004 DSJ-CT.- Inscrição de servidão de gás Menções Efeitos Título para registo Trato sucessivo. Pº R.P. 154/2004 DSJ-CT.- Inscrição de servidão de gás Menções Efeitos Título para registo Trato sucessivo. PARECER Recorrente:, S.A. Recorrida: 2ª Conservatória do Registo Predial de. Registo a qualificar:

Leia mais

A posição deste Conselho vai expressa na seguinte. Deliberação

A posição deste Conselho vai expressa na seguinte. Deliberação P.º n.º C.P. 72/2010 SJC-CT Pedidos de registo dependentes formulados por via electrónica. Apresentação em diferentes Conservatórias. Inversão da ordem de anotação no Diário. Artigo 75.º, n.º 4 do Código

Leia mais

1. Sobre um determinado prédio pertencente ao município consulente foi

1. Sobre um determinado prédio pertencente ao município consulente foi Pº C.P.59/2013 STJ-CC Consulente: Município de.. Sumário: propriedade horizontal em direito de superfície Extinção do direito de superfície causada pela reunião do direito de propriedade do solo e dos

Leia mais

Pº R.P. 129/2009 SJC-CT- AUGI-

Pº R.P. 129/2009 SJC-CT- AUGI- Pº R.P. 129/2009 SJC-CT- AUGI- Parcelas cedidas para o domínio público - Direito de propriedade pública sobre as parcelas de terreno, a favor do Município - Desafectação do domínio público - Registo de

Leia mais

P.º n.º R.P. 75/2011 SJC-CT Depósito electrónico de documento particular autenticado. Artigo 7.º da Portaria n.º 1535/2008 de 30 de Dezembro.

P.º n.º R.P. 75/2011 SJC-CT Depósito electrónico de documento particular autenticado. Artigo 7.º da Portaria n.º 1535/2008 de 30 de Dezembro. P.º n.º R.P. 75/2011 SJC-CT Depósito electrónico de documento particular autenticado. Artigo 7.º da Portaria n.º 1535/2008 de 30 de Dezembro. DELIBERAÇÃO A. O prédio da ficha nº...... prédio rústico inscrito

Leia mais

P.º R. P. 189/2009 SJC-CT-

P.º R. P. 189/2009 SJC-CT- P.º R. P. 189/2009 SJC-CT- Pedido de rectificação de averbamento à descrição, ao abrigo do disposto no artigo 121.º do Código do Registo Predial Recusa Impugnação hierárquica Legitimidade da entidade ad

Leia mais

Deliberação. 1 Em especial, no âmbito dos P.ºs CP 83/2008 SJC-CT e R.P. 227/2009 SJC-CT.

Deliberação. 1 Em especial, no âmbito dos P.ºs CP 83/2008 SJC-CT e R.P. 227/2009 SJC-CT. P.º n.º R.P. 60/2010 SJC-CT Penhora. Cancelamento não oficioso. Eventual conexão com o registo de aquisição, conjuntamente requerido. Tributação emolumentar DELIBERAÇÃO 1 Os presentes autos respeitam à

Leia mais

Pº R.P. 7/2010 SJC-CT

Pº R.P. 7/2010 SJC-CT Pº R.P. 7/2010 SJC-CT Coisas que se encontram no domínio público (fora do comércio jurídico). Insusceptibilidade da sua aquisição por usucapião. Recusa. Imposto de selo. DELIBERAÇÃO 1., advogado, apresentou

Leia mais

Pº C.Bm. 24/2009 SJC-CT.

Pº C.Bm. 24/2009 SJC-CT. Pº C.Bm. 24/2009 SJC-CT. Objecto da consulta: Pedido de registo automóvel online por comprador autenticado electronicamente com cartão de cidadão, com digitalização da declaração de compra e venda. Relatório:

Leia mais

P.º R. Co. 5/2008 DSJ-CT

P.º R. Co. 5/2008 DSJ-CT P.º R. Co. 5/2008 DSJ-CT Sumário: Deliberação sociais. Reflexos de eventuais vícios nos registos. Poderes de qualificação do conservador. Alteração do contrato social. Título para registo. Relatório: 1

Leia mais

P.º R.P. 204/2007 DSJ-CT-

P.º R.P. 204/2007 DSJ-CT- P.º R.P. 204/2007 DSJ-CT- Anexação de dois prédios urbanos, sendo um deles um terreno para construção urbana, destinado, por vontade do titular inscrito de ambos, a logradouro do outro (edifício de r/c,

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório:

DELIBERAÇÃO. Relatório: P.º n.º R. P. 234/2007DSJ-CT:Contrato de arrendamento comercial incidente sobre parte de prédio urbano, com duração superior a seis anos - Sua registabilidade. DELIBERAÇÃO Relatório: 1 Em 28 de Setembro

Leia mais

PARECERES DO CONSELHO TÉCNICO

PARECERES DO CONSELHO TÉCNICO PARECERES DO CONSELHO TÉCNICO Proc. nº 32/96 - R.P.4 - Certidão negativa que instruiu escritura de justificação possível divergência entre o seu conteúdo e a realidade tabular. 1 - Isabel Maria Oliveira

Leia mais

Pº C.Co.36/2012 SJC-CT

Pº C.Co.36/2012 SJC-CT Pº C.Co.36/2012 SJC-CT Consulente: Registo Nacional de Pessoas Coletivas. Sumário: Publicação das alterações de estatutos das fundações com natureza de Instituições Particulares de Solidariedade Social(IPSS)

Leia mais

P.º R. P. 22/2009 SJC-CT-

P.º R. P. 22/2009 SJC-CT- P.º R. P. 22/2009 SJC-CT- Averbamento de rectificação da descrição quanto à área, fundado em erro de medição. Enquadramento do respectivo pedido na previsão legal do artigo 28.º-C do CRP ou no processo

Leia mais

Sumário: Registo da propriedade de veículos ao abrigo do regime transitório especial consagrado no Decreto-Lei n.º 20/2008, de 31 de Janeiro.

Sumário: Registo da propriedade de veículos ao abrigo do regime transitório especial consagrado no Decreto-Lei n.º 20/2008, de 31 de Janeiro. P.º R. Bm. 4/2008 SJC-CT Sumário: Registo da propriedade de veículos ao abrigo do regime transitório especial consagrado no Decreto-Lei n.º 20/2008, de 31 de Janeiro. Recorrente: Manuel. Recorrida: Conservatória

Leia mais

Principais questões jurídicas: SUMÁRIO

Principais questões jurídicas: SUMÁRIO Processo n.º 7 / 2010 Recurso de Decisão Jurisdicional em Matéria Administrativa Data da conferência: 18 de Junho de 2010 Recorrente: Secretário para a Segurança Recorrido: A Principais questões jurídicas:

Leia mais

Pº R.P.16/2005 DSJ-CT Usufruto Alienação conjunta, gratuita ou onerosa, por nu proprietário e usufrutuário Eficácia real Efeitos tabulares.

Pº R.P.16/2005 DSJ-CT Usufruto Alienação conjunta, gratuita ou onerosa, por nu proprietário e usufrutuário Eficácia real Efeitos tabulares. Pº R.P.16/2005 DSJ-CT Usufruto Alienação conjunta, gratuita ou onerosa, por nu proprietário e usufrutuário Eficácia real Efeitos tabulares. PARECER Registo a qualificar: Aquisição da fracção autónoma U1

Leia mais

P.ºn.º R.P. 89/2010 SJC-CT Anexação. Hipoteca. Indivisibilidade. Cancelamento. Arredondamento de estremas de prédio confinante.

P.ºn.º R.P. 89/2010 SJC-CT Anexação. Hipoteca. Indivisibilidade. Cancelamento. Arredondamento de estremas de prédio confinante. P.ºn.º R.P. 89/2010 SJC-CT Anexação. Hipoteca. Indivisibilidade. Cancelamento. Arredondamento de estremas de prédio confinante. DELIBERAÇÃO 1. É a seguinte a situação registral dos dois prédios abrangidos

Leia mais

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Acórdãos STA Processo: 0891/09 Data do Acordão: 18-11-2009 Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Tribunal: Relator: Descritores: Sumário: 2 SECÇÃO VALENTE TORRÃO SISA AQUISIÇÃO DE PREDIO PARA REVENDA

Leia mais

Pº R.P.135 136 /2009 SJC-CT-

Pº R.P.135 136 /2009 SJC-CT- Pº R.P.135 e 136 /2009 SJC-CT- (Im)possibilidade legal de incluir a cláusula de reversão dos bens doados em contrato de partilha em vida. DELIBERAçÃO Relatório 1. Os presentes recursos hierárquicos vêm

Leia mais

P.º R. P. 301/04 DSJ-CT

P.º R. P. 301/04 DSJ-CT P.º R. P. 301/04 DSJ-CT - Registo de hipoteca legal por dívidas à Segurança Social sobre bens dos gerentes da sociedade devedora. Documentos instrutórios : certidão comprovativa da dívida e cópia autenticada

Leia mais

P.º R. P. 18/2010 SJC-CT Expropriação por utilidade pública. Integração do bem expropriado no domínio público. Reflexo a nível tabular.

P.º R. P. 18/2010 SJC-CT Expropriação por utilidade pública. Integração do bem expropriado no domínio público. Reflexo a nível tabular. P.º R. P. 18/2010 SJC-CT Expropriação por utilidade pública. Integração do bem expropriado no domínio público. Reflexo a nível tabular. PARECER 1 Os presentes autos respeitam ao pedido de averbamento ao

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório

DELIBERAÇÃO. Relatório Pº R.P. 241/2007 DSJ-CT- Consentimento do credor como título para cancelamento de hipoteca (artigo 56º do C.R.P.) Forma legal Reconhecimento de assinatura por advogado ou solicitador - Registo informático

Leia mais

- 1 - P.º n.º R.P. 22/2012 SJC-CT Registo de ação. Recusa. PARECER

- 1 - P.º n.º R.P. 22/2012 SJC-CT Registo de ação. Recusa. PARECER P.º n.º R.P. 22/2012 SJC-CT Registo de ação. Recusa. PARECER 1. Em ação de execução específica intentada contra C, Lda - titular inscrita do prédio descrito sob o nº da freguesia de, concelho de - J e

Leia mais

Deliberação n.º 513/2010, de 24 de Fevereiro (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010)

Deliberação n.º 513/2010, de 24 de Fevereiro (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010) (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010) Define os requisitos de funcionamento dos postos farmacêuticos móveis (Revoga tacitamente o Anexo II, da Deliberação n.º 2473/2010, de 28 de Novembro) O

Leia mais

Assunto: Acção de divisão de coisa comum. Direito de preferência. Comproprietário.

Assunto: Acção de divisão de coisa comum. Direito de preferência. Comproprietário. Processo n.º 14/2012. Recurso jurisdicional em matéria cível. Recorrente: B. Recorrido: A. Assunto: Acção de divisão de coisa comum. Direito de preferência. Comproprietário. Coisa. Venda. Dação em cumprimento.

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Relatório. 1. Na Conservatória do Registo Predial de, encontram-se descritos os seguintes prédios:

DELIBERAÇÃO. Relatório. 1. Na Conservatória do Registo Predial de, encontram-se descritos os seguintes prédios: Pº R. P. 255/2007 DSJ-CT- Declaração judicial de nulidade de transacção homologada por sentença transitada em julgado cancelamento de registos. Caso julgado decisão e fundamentos. Baldios. DELIBERAÇÃO

Leia mais

1372-(6) Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008

1372-(6) Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008 1372-(6) Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008 inferior a 0,8 m 1,2 m, ou, caso se trate de operação urbanística em fracção já existente, confinante com arruamento ou espaço de circulação

Leia mais

JUSTIFICAÇÃO- RECURSO CONTENCIOSO - DECISÃO JUDICIAL. Tribunal Judicial da Comarca de Setúbal

JUSTIFICAÇÃO- RECURSO CONTENCIOSO - DECISÃO JUDICIAL. Tribunal Judicial da Comarca de Setúbal JUSTIFICAÇÃO- RECURSO CONTENCIOSO - DECISÃO JUDICIAL I RELATÓRIO Tribunal Judicial da Comarca de Setúbal Maria ( ) interpôs recurso da decisão proferida pelo Conservador da 1.ª Conservatória do Registo

Leia mais

R EVISTA DE D IREITO P ÚBLICO E R EGULAÇÃO

R EVISTA DE D IREITO P ÚBLICO E R EGULAÇÃO A C T U A L I D A D E Cedências de terrenos para espaços verdes, equipamentos e infra estruturas João Pereira Reis Rui Ribeiro Lima 1 Enquadramento O instituto da cedência de terrenos no âmbito das operações

Leia mais

Tribunal Administrativo da Região Administrativa Especial de Macau Processo de Suspensão de Eficácia n.º 91/14-SE SENTENÇA

Tribunal Administrativo da Região Administrativa Especial de Macau Processo de Suspensão de Eficácia n.º 91/14-SE SENTENÇA Tribunal Administrativo da Região Administrativa Especial de Macau Processo de Suspensão de Eficácia n.º 91/14-SE Processo n.º:91/14-se SENTENÇA A, ora requerente, melhor identificada nos autos, vem intentar

Leia mais

N/Referência: PROC.: R. P. 10/2014 STJ-CC Data de homologação: 14-04-2014 DELIBERAÇÃO

N/Referência: PROC.: R. P. 10/2014 STJ-CC Data de homologação: 14-04-2014 DELIBERAÇÃO N.º 24/ CC /2014 N/Referência: PROC.: R. P. 10/2014 STJ-CC Data de homologação: 14-04-2014 Recorrente: P. Proença V.., solicitadora. Recorrido: Conservatória do Registo Predial de Assunto: Documento particular

Leia mais

6. Em despacho proferido ao abrigo do disposto no art. 142º-A do C.R.P. foi sustentada a qualificação.

6. Em despacho proferido ao abrigo do disposto no art. 142º-A do C.R.P. foi sustentada a qualificação. P.º n.º R.P. 212/2011 SJC-CT Aquisição em comum e sem determinação de parte ou direito. Averbamento de transmissão de posição. Provisoriedade por dúvidas. DELIBERAÇÃO 1. Por escritura de 2011/07/22, denominada

Leia mais

RECOMENDAÇÃO N.º 5/A/2014

RECOMENDAÇÃO N.º 5/A/2014 Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Cascais Largo 5 de outubro 2754-501 Cascais V.ª Ref.ª SAJA Of. 45465 V.ª Comunicação 11/12/2013 Nossa Ref.ª Proc. Q-169/13 (UT 1) RECOMENDAÇÃO N.º 5/A/2014

Leia mais

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Acórdãos STA Processo: 0347/13 Data do Acordão: 03-07-2013 Tribunal: 2 SECÇÃO Relator: FERNANDA MAÇÃS Descritores: GRADUAÇÃO DE CRÉDITOS Sumário: Nº Convencional: JSTA000P16033 Nº do Documento: SA2201307030347

Leia mais

- 1 - Pº C. Bm. 47/2008 SJC-CT

- 1 - Pº C. Bm. 47/2008 SJC-CT Pº C. Bm. 47/2008 SJC-CT Consulente: Conservatória do Registo Predial, Comercial e Automóvel de... Objecto da Consulta: Termo final do contrato de locação financeira/vigência do registo. Relatório 1. Por

Leia mais

Pº R.P. 17/2010 SJC-CT

Pº R.P. 17/2010 SJC-CT Pº R.P. 17/2010 SJC-CT Aquisição. Registo requerido online. Recusa. Falta de pagamento, no prazo legalmente previsto, do emolumento devido pelo processo de recurso. Rejeição do recurso nos termos do disposto

Leia mais

JUSTIFICAÇÃO PARA A NÃO SUJEIÇÃO DO PLANO DE PORMENOR DE REABILITAÇÃO URBANA DE SANTA CATARINA A AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA

JUSTIFICAÇÃO PARA A NÃO SUJEIÇÃO DO PLANO DE PORMENOR DE REABILITAÇÃO URBANA DE SANTA CATARINA A AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA JUSTIFICAÇÃO PARA A NÃO SUJEIÇÃO DO PLANO DE PORMENOR DE REABILITAÇÃO URBANA DE SANTA CATARINA A AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA CÂMARA MUNICIPAL DE SINES DEPARTAMENTO DE GESTÃO TERRITORIAL DIVISÃO DE

Leia mais

Assunto: Enfiteuse. Domínio útil. Aforamento pelo Território de Macau. Artigo 7.º da

Assunto: Enfiteuse. Domínio útil. Aforamento pelo Território de Macau. Artigo 7.º da . Recurso jurisdicional em matéria cível. Recorrentes: A e B. Recorrido: Ministério Público. Assunto: Enfiteuse. Domínio útil. Aforamento pelo Território de Macau. Artigo 7.º da Lei Básica. Data do Acórdão:

Leia mais

P.º R.P. 67/2009 SJC-CT

P.º R.P. 67/2009 SJC-CT P.º R.P. 67/2009 SJC-CT Escritura pública versus documento particular autenticado e depositado electronicamente Compra e venda Documento particular outorgado e assinado pelas partes e por solicitador Recusa

Leia mais

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Acórdãos STA Processo: 0831/11 Data do Acordão: 16-11-2011 Tribunal: 2 SECÇÃO Relator: PEDRO DELGADO Descritores: Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo GRADUAÇÃO DE CRÉDITOS IRS IRC HIPOTECA PRIVILÉGIO

Leia mais

APROVA OS MODELOS DE ALVARÁS DE LICENCIAMENTO OU AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS

APROVA OS MODELOS DE ALVARÁS DE LICENCIAMENTO OU AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS APROVA OS MODELOS DE ALVARÁS DE LICENCIAMENTO OU AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS (Portaria n.º 1107/2001, de 18 de Setembro) O Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, que aprovou o novo regime

Leia mais

EMISSÃO DE CERTIDÃO DE PLANO DE PORMENOR PARA EFEITOS DE REGISTO PREDIAL

EMISSÃO DE CERTIDÃO DE PLANO DE PORMENOR PARA EFEITOS DE REGISTO PREDIAL Registo n.º Data / / O Funcionário Exmº. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Cascais EMISSÃO DE CERTIDÃO DE PLANO DE IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE (Preencher com letra maiúscula) Nome/Designação/Representantes

Leia mais

CIRE Código de Insolvência e Recuperação de Empresas

CIRE Código de Insolvência e Recuperação de Empresas CIRE Código de Insolvência e Recuperação de Empresas Decreto-Lei n.º 53/2004 de 18 de Março Processo n.º 195/12.0TBPNF Tribunal Judicial de Penafiel 3º Juízo Relatório do (Artigo 155º do CIRE) de Santos

Leia mais

P. n.º CP 5/2010 SJC-CT Direito real de habitação periódica. Duração mensal. Deliberação

P. n.º CP 5/2010 SJC-CT Direito real de habitação periódica. Duração mensal. Deliberação P. n.º CP 5/2010 SJC-CT Direito real de habitação periódica. Duração mensal. Deliberação 1. Considerando os constrangimentos de ordem informática identificados pela Conservatória do Registo Predial de

Leia mais

P.º R.P. 161/2006 DSJ-CT-

P.º R.P. 161/2006 DSJ-CT- P.º R.P. 161/2006 DSJ-CT- Compatibilização do regime legalmente previsto (D. L. n.º 68/04, de 25/03) que exige a certificação pelo notário na celebração de qualquer escritura pública que envolva a aquisição

Leia mais

DELIBERAÇÃO. A situação registral respeitante às referidas fracções é actualmente a seguinte:

DELIBERAÇÃO. A situação registral respeitante às referidas fracções é actualmente a seguinte: P.º R. P. 5/2007 DSJ-CT- Aceitação da herança forma expressa ou tácita. Registo dos bens da herança. Decisão arbitral repúdio da herança e direito de representação. Extinção do direito de superfície. DELIBERAÇÃO

Leia mais

NOTA JURÍDICA. corresponde a 343,28. Consequentemente, o valor referido no artigo em apreço equivale a mil vezes o dito índice 100, ou seja, 343.280.

NOTA JURÍDICA. corresponde a 343,28. Consequentemente, o valor referido no artigo em apreço equivale a mil vezes o dito índice 100, ou seja, 343.280. NOTA JURÍDICA 1) A MULTICENCO ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS, S.A., ora CONSULENTE, solicitou esclarecimentos sobre a seguinte questão: a celebração, entre a CONSULENTE e o MUNICÍPIO DE SETÚBAL, de contrato

Leia mais

REGISTO COMERCIAL. Isabel Quinteiro. Adjunta da Conservadora na Conservatória do Registo Predial e Comercial de Montemor-o-Velho

REGISTO COMERCIAL. Isabel Quinteiro. Adjunta da Conservadora na Conservatória do Registo Predial e Comercial de Montemor-o-Velho REGISTO COMERCIAL Isabel Quinteiro Adjunta da Conservadora na Conservatória do Registo Predial e Comercial de Montemor-o-Velho Outubro de 2010 Introdução IRN, IP É um instituto público integrado na administração

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Assunto: Casamentos entre nubente português e nubente estrangeiro casamentos brancos procedimentos

DELIBERAÇÃO. Assunto: Casamentos entre nubente português e nubente estrangeiro casamentos brancos procedimentos DELIBERAÇÃO Pº CC 14/2011 SJC-CT Assunto: Casamentos entre nubente português e nubente estrangeiro casamentos brancos procedimentos As senhoras conservadoras de V e de A vêm solicitar tomada de posição

Leia mais

Parecer. Finaliza, formulando um único pedido, correspondente aos efeitos da impugnação pauliana, e que se traduz no seguinte:

Parecer. Finaliza, formulando um único pedido, correspondente aos efeitos da impugnação pauliana, e que se traduz no seguinte: P.º R. P. 150/2005 DSJ-CT: Registo de acção. Pedido constante da petição inicial respeitante apenas à impugnação pauliana, não obstante se invoque também na parte narrativa do articulado a nulidade do

Leia mais

Em Conferência no Tribunal da Relação do Porto I. INTRODUÇÃO:

Em Conferência no Tribunal da Relação do Porto I. INTRODUÇÃO: PN 4481.07-5; Ag: TC Matosinhos, 5º J (6183/06.9TBMTS) Ag.e: Totta Crédito Especializado, SA Instituição Financeira de Crédito, Rua Basílio Teles, 35, Lisboa 1 Agº: Ferseque, Sociedade de Construção e

Leia mais

Ministério da Administração do Território

Ministério da Administração do Território Ministério da Administração do Território A Lei Da Nacionalidade Lei N.º 01/05 De 01 de Julho Tornando se necessário proceder a alterações das principais regras sobre a atribuição, aquisição e perda da

Leia mais

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo. Acordam na Secção do Contencioso Tributário do Supremo Tribunal Administrativo

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo. Acordam na Secção do Contencioso Tributário do Supremo Tribunal Administrativo Acórdãos STA Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Processo: 0252/14 Data do Acordão: 23-04-2014 Tribunal: 2 SECÇÃO Relator: PEDRO DELGADO Descritores: Sumário: GRADUAÇÃO DE CRÉDITOS IRS HIPOTECA

Leia mais

ACORDAM NO TRIBUNAL DE ÚLTIMA INSTÂNCIA DA REGIÃO. A, casada no regime de comunhão geral de bens com B, requereu inventário

ACORDAM NO TRIBUNAL DE ÚLTIMA INSTÂNCIA DA REGIÃO. A, casada no regime de comunhão geral de bens com B, requereu inventário ACORDAM NO TRIBUNAL DE ÚLTIMA INSTÂNCIA DA REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU: I Relatório e factos provados A, casada no regime de comunhão geral de bens com B, requereu inventário facultativo por

Leia mais

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Acórdãos STA Processo: 0715/09 Data do Acordão: 18-11-2009 Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Tribunal: Relator: Descritores: Sumário: 2 SECÇÃO JORGE LINO PENHORA GARANTIA REAL REGISTO TERCEIRO

Leia mais

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE LICENÇA/AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE LICENÇA/AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS Registo de entrada RESERVADO AOS SERVIÇOS PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE LICENÇA/AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS (Art.º 76º do D.L. 555/99 de 16 de Dezembro, com a redacção conferida pelo D.L. 177/2001

Leia mais

P.º CP 100/2008 SJC-CT- Apresentação por telecópia extravio consequências. PARECER. Relatório

P.º CP 100/2008 SJC-CT- Apresentação por telecópia extravio consequências. PARECER. Relatório P.º CP 100/2008 SJC-CT- Apresentação por telecópia extravio consequências. PARECER Relatório 1.., solicitador, vem junto do Sector de Acção Inspectiva e Disciplinar do IRN, I.P. solicitar que na apresentação

Leia mais

Circular N/REFª: 29/2013 DATA: 04/03/2013. ASSUNTO: Taxas de Publicidade. Exmos. Senhores,

Circular N/REFª: 29/2013 DATA: 04/03/2013. ASSUNTO: Taxas de Publicidade. Exmos. Senhores, Circular N/REFª: 29/2013 DATA: 04/03/2013 ASSUNTO: Taxas de Publicidade Exmos. Senhores, No seguimento de anteriores comunicações sobre o assunto em epígrafe, junto se remete informação do nosso consultor

Leia mais

trata de lapsus calami : a hipoteca, não o termo de cancelamento da mesma, é que se manterá sobre a área remanescente.

trata de lapsus calami : a hipoteca, não o termo de cancelamento da mesma, é que se manterá sobre a área remanescente. Pº R. P. 237/2006 DSJ-CT- Possibilidade ou não de destaque de parcela, resultante de doação a município para integração no seu domínio privado, de prédio sobre o qual se encontra em vigor um registo de

Leia mais

RESPOSTA À RECLAMAÇÃO DA RESPOSTA À RECLAMAÇÃO DO PARECER N.º 196/CITE/2012

RESPOSTA À RECLAMAÇÃO DA RESPOSTA À RECLAMAÇÃO DO PARECER N.º 196/CITE/2012 RESPOSTA À RECLAMAÇÃO DA RESPOSTA À RECLAMAÇÃO DO PARECER N.º 196/CITE/2012 Assunto: Resposta a resposta à Reclamação do Parecer n.º 196/CITE/2012 Parecer prévio ao despedimento de trabalhadora lactante,

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPENSAÇÕES POR NÃO CEDÊNCIA DE TERRENOS PARA EQUIPAMENTOS E ESPAÇOS VERDES PÚBLICOS DECORRENTE DA APROVAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS

REGULAMENTO DE COMPENSAÇÕES POR NÃO CEDÊNCIA DE TERRENOS PARA EQUIPAMENTOS E ESPAÇOS VERDES PÚBLICOS DECORRENTE DA APROVAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS REGULAMENTO DE COMPENSAÇÕES POR NÃO CEDÊNCIA DE TERRENOS PARA EQUIPAMENTOS E ESPAÇOS VERDES PÚBLICOS DECORRENTE DA APROVAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS 1. O Regulamento referente à compensação pela não

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA REABILITA PRIMEIRO PAGA DEPOIS

NORMAS DO PROGRAMA REABILITA PRIMEIRO PAGA DEPOIS NORMAS DO PROGRAMA REABILITA PRIMEIRO PAGA DEPOIS 1.OBJETO O presente programa tem como objeto a alienação de prédios e/ou frações municipais para reabilitação 2. OBJECTIVOS O Programa Reabilita Primeiro

Leia mais

Nessa mesma escritura os justificantes declararam vender ao ora recorrente, e este declarou comprar àqueles, o mencionado imóvel.

Nessa mesma escritura os justificantes declararam vender ao ora recorrente, e este declarou comprar àqueles, o mencionado imóvel. Pº R.P. 143/2004 DSJ-CT. Leitos de curso de água navegáveis ou flutuáveis Domínio público Utilização privativa de bens dominiais Açude e pesqueira enquanto obra Irregistabilidade da sua transmissão. PARECER

Leia mais

Pº R.P. 177/2008 SJC-CT-

Pº R.P. 177/2008 SJC-CT- Pº R.P. 177/2008 SJC-CT- Conversão de prédio ou fracção autónoma para sistema informático na pendência de pedidos de conversão e renovação Apresentação de petição de recurso hierárquico pela via da telecópia

Leia mais

Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060

Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 REFERÊNCIA: 035 DESIGNAÇÃO: PRODAC Norte em movimento BIP/ZIP em que pretende intervir: 34. PRODAC ENTIDADES: Promotora: Associação de Moradores do Bairro da PRODAC Norte (1ª Fase) Parceiras: arqmob01

Leia mais

PARECER N.º 63/CITE/2009

PARECER N.º 63/CITE/2009 PARECER N.º 63/CITE/2009 Assunto: Parecer prévio nos termos do n.º 1 e da alínea c) do n.º 3 do artigo 63.º do Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro Processo n.º 376 DG-E/2009

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E CEDÊNCIA DE SALAS E SALÃO DA JUNTA DE FREGUESIA

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E CEDÊNCIA DE SALAS E SALÃO DA JUNTA DE FREGUESIA PREÂMBULO As instalações da Junta de Freguesia têm como fim a satisfação das necessidades da Autarquia e das suas populações. As salas não ocupadas permanentemente pelos Serviços da Junta, destinam-se

Leia mais

Recurso nº 795/2010 Data: 17 de Fevereiro de 2011. Assuntos: - Incerteza jurídica - Nome romanizado - Rectificação - Nova prova.

Recurso nº 795/2010 Data: 17 de Fevereiro de 2011. Assuntos: - Incerteza jurídica - Nome romanizado - Rectificação - Nova prova. Recurso nº 795/2010 Data: 17 de Fevereiro de 2011 Assuntos: - Incerteza jurídica - Nome romanizado - Rectificação - Nova prova Sumário 1. Quando o Tribunal estiver perante uma situação em que o arresto

Leia mais

PARECER. Assunto: Bilhete de Identidade Militar Sua validade como documento de identificação e admissibilidade para processamento de cartão de cidadão

PARECER. Assunto: Bilhete de Identidade Militar Sua validade como documento de identificação e admissibilidade para processamento de cartão de cidadão Pº C.C. 72/2011 SJC-CT PARECER Assunto: Bilhete de Identidade Militar Sua validade como documento de identificação e admissibilidade para processamento de cartão de cidadão Os presentes autos tiveram origem

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA ATRIBUIÇÃO DE UMA LICENÇA DE TÁXI PARA A FREGUESIA DE REGO DA MURTA, COM ESTACIONAMENTO FIXO EM VENDA DOS OLIVAIS

CONCURSO PÚBLICO PARA ATRIBUIÇÃO DE UMA LICENÇA DE TÁXI PARA A FREGUESIA DE REGO DA MURTA, COM ESTACIONAMENTO FIXO EM VENDA DOS OLIVAIS CONCURSO PÚBLICO PARA ATRIBUIÇÃO DE UMA LICENÇA DE TÁXI PARA A FREGUESIA DE REGO DA MURTA, COM ESTACIONAMENTO FIXO EM VENDA DOS OLIVAIS PROGRAMA DE CONCURSO Artigo 1.º OBJECTO E VALIDADE DO CONCURSO 1.

Leia mais

2. De acordo com o disposto no artigo 4º da lei 22/2012, o município de Paços de Ferreira é qualificado como um município de nível 2.

2. De acordo com o disposto no artigo 4º da lei 22/2012, o município de Paços de Ferreira é qualificado como um município de nível 2. Exmo. Presidente da Assembleia Municipal de Paços de Ferreira 1. A Assembleia Municipal de Paços de Ferreira apresentou proposta de pronúncia sobre a Reorganização Administrativa Territorial Autárquica,

Leia mais

newsletter Nº 78 JULHO / 2013

newsletter Nº 78 JULHO / 2013 newsletter Nº 78 JULHO / 2013 Assuntos em Destaque Resumo Fiscal/Legal Julho de 2013 2 O conceito de Indispensabilidade do Gasto para a Realização do Rendimento 3 Revisores e Auditores 6 LEGISLAÇÃO FISCAL/LEGAL

Leia mais

P.º n.º R.P. 171/2010 SJC-CT Hipoteca. Registo provisório. Conversão. PARECER

P.º n.º R.P. 171/2010 SJC-CT Hipoteca. Registo provisório. Conversão. PARECER P.º n.º R.P. 171/2010 SJC-CT Hipoteca. Registo provisório. Conversão. PARECER Pela Ap.... de / /, nas fichas nºs e, ambas da freguesia de, do concelho de, foi registada provisoriamente por natureza nos

Leia mais

Juízos Cíveis de Coimbra

Juízos Cíveis de Coimbra Juízos Cíveis de Coimbra AA.:António Francisco Domingues, portador do Cartão do Cidadão nº004897786 válido até 13/10/2013, contribuinte fiscal nº 100097898 e mulher Florbela Francica Santos Domingues portadora

Leia mais

Processo nº 80/2003 Data: 07.05.2003

Processo nº 80/2003 Data: 07.05.2003 Processo nº 80/2003 Data: 07.05.2003 Assuntos : Recurso judicial do despacho de recusa de registo de marca. Autorização do titular da firma que figura na marca. SUMÁRIO 1. A marca é um sinal que tem como

Leia mais

Pareceres Jurídicos CCDRAlentejo - http://www.ccdr-a.gov.pt

Pareceres Jurídicos CCDRAlentejo - http://www.ccdr-a.gov.pt Título: DOMÍNIO PÚBLICO MUNICIPAL. CONCESSÕES. Data: 24-11-2015 Parecer N.º: 50/2015 Informação N.º: 173-DSAL/2015 Sobre o assunto mencionado em título, solicitou o Município de... a esta Comissão de Coordenação

Leia mais

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo

Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Acórdãos STA Processo: 0892/08 Data do Acordão: 11-02-2009 Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Tribunal: Relator: Descritores: Sumário: 2 SECÇÃO MIRANDA DE PACHECO IRS MAIS VALIAS TRANSMISSÃO ONEROSA

Leia mais

dinheiro respeitante à parte restante do preço pago nada se esclarece, sendo de presumir que pertença a ambos.

dinheiro respeitante à parte restante do preço pago nada se esclarece, sendo de presumir que pertença a ambos. P.º n.º R. P. 38/2012 SJC-CT Registos de aquisição titulados por escritura de doação efetuada por cônjuges casados entre si no regime de separação de bens. Indefinição da natureza dos bens transmitidos.

Leia mais

tema. -... --------- A Câmara tem os esclarecimentos prestados através da documentação remetida aos Senhores deputados...

tema. -... --------- A Câmara tem os esclarecimentos prestados através da documentação remetida aos Senhores deputados... ---------Presidente da Mesa Tem, a Câmara, a palavra para proceder à respectiva apresentação do tema. -... --------- A Câmara tem os esclarecimentos prestados através da documentação remetida aos Senhores

Leia mais

P.º R. P. 80/2009 SJC-CT-

P.º R. P. 80/2009 SJC-CT- P.º R. P. 80/2009 SJC-CT- Obrigação de registar Determinação do momento relevante para efeitos do cumprimento da obrigação de registar relativamente a acto cujo registo é promovido por via electrónica,

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Logo nesse mesmo dia (1/6/2012), por via eletrónica, e a coberto da ap. n.º...,

DELIBERAÇÃO. Logo nesse mesmo dia (1/6/2012), por via eletrónica, e a coberto da ap. n.º..., 1 P.º n.º R.P. 87/2012 SJC-CT Hipoteca voluntária. Constituição de hipoteca para ampliação de anterior hipoteca registada a favor de sujeito diverso do novo credor. Trato sucessivo. DELIBERAÇÃO Sobre a

Leia mais

Fernanda Paula Oliveira

Fernanda Paula Oliveira 3 ARTICULAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS DE LICENCIAMENTO ZERO COM OS PROCEDIMENTOS URBANÍSTICOS 1. As operações urbanísticas O RJUE Operações de loteamento Obras de urbanização Obras de edificação: nova construção,

Leia mais

Recurso jurisdicional em matéria administrativa. Assunto: Apensação de recurso contencioso. Suspensão da eficácia do acto.

Recurso jurisdicional em matéria administrativa. Assunto: Apensação de recurso contencioso. Suspensão da eficácia do acto. Processo n.º 4/2016. Recurso jurisdicional em matéria administrativa. Recorrente: A Recorrido: Chefe do Executivo. Assunto: Apensação de recurso contencioso. Suspensão da eficácia do acto. Prejuízo de

Leia mais

ASSUNTO - Ocupação do terreno - Usucapião do terreno sem titularidade registada

ASSUNTO - Ocupação do terreno - Usucapião do terreno sem titularidade registada Processo nº 740/2010 (Autos de Recurso Contencioso) Data: 17 de Novembro de 2011 ASSUNTO - Ocupação do terreno - Usucapião do terreno sem titularidade registada SUMÁ RIO - Quer no âmbito do Diploma Legislativo

Leia mais

Acórdão nº 202 /05-6.Dez-1ªS/SS

Acórdão nº 202 /05-6.Dez-1ªS/SS Transitou em julgado em 09/01/06 Acórdão nº 202 /05-6.Dez-1ªS/SS Proc. nº 2 179/05 1. A Direcção-Geral de Informática e Apoio aos Serviços Tributários e Aduaneiros (DGITA) remeteu para fiscalização prévia

Leia mais

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE LOTES DA ZONA INDUSTRIAL LIGEIRA

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE LOTES DA ZONA INDUSTRIAL LIGEIRA NOTA JUSTIFICATIVA 1º-O presente Regulamento, tem como principal objectivo compilar as alterações a que a versão inicial foi sujeita e expurgá-lo de algumas dificuldades de leitura e interpretação que

Leia mais

Dados Básicos. Legislação. Ementa. Íntegra

Dados Básicos. Legislação. Ementa. Íntegra Dados Básicos Fonte: 1.0024.05.707278-7/001(1) Tipo: Acórdão TJMG Data de Julgamento: 27/04/2011 Data de Aprovação Data não disponível Data de Publicação:13/05/2011 Estado: Minas Gerais Cidade: Belo Horizonte

Leia mais

Processo nº 581/2012 Data: 11.10.2012 SUMÁ RIO. por um interveniente já admitido a intervir nos autos.

Processo nº 581/2012 Data: 11.10.2012 SUMÁ RIO. por um interveniente já admitido a intervir nos autos. Processo nº 581/2012 Data: 11.10.2012 (Autos de recurso penal) Assuntos : Omissão de pronúncia. Nulidade. Devolução dos autos. SUMÁ RIO 1. Incorre-se em nulidade, por omissão de pronúncia, se o Tribunal,

Leia mais

MPBA sociedade de advogados rl

MPBA sociedade de advogados rl Informação jurídica sobre o exercício da profissão de arquitecto em regime de subordinação I) Objecto da consulta Com a presente informação jurídica pretende-se clarificar se o exercício da profissão de

Leia mais

Proposta de Alteração Normas Municipais de Apoio Social para Melhorias Habitacionais

Proposta de Alteração Normas Municipais de Apoio Social para Melhorias Habitacionais Proposta de Alteração Normas Municipais de Apoio Social para Melhorias Habitacionais Preâmbulo Uma habitação condigna representa um dos vectores fundamentais para a qualidade de vida do ser humano, sendo,

Leia mais

DELIBERAÇÃO. identificação do título (n.º e data do alvará). Importa corrigir.

DELIBERAÇÃO. identificação do título (n.º e data do alvará). Importa corrigir. 1 P.º n.º R.P. 83/2011 SJC-CT Loteamento parcial. Tradução registal. Caducidade do acto de aprovação da operação de loteamento. Tradução registal. Novo acto de aprovação da operação cujo acto de aprovação

Leia mais

Supremo Tribunal Administrativo:

Supremo Tribunal Administrativo: Acórdãos STA Processo: 01241/09 Data do Acordão: 24-03-2010 Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo Tribunal: Relator: Descritores: Sumário: 2 SECÇÃO DULCE NETO IRS MAIS VALIAS REINVESTIMENTO EMPRÉSTIMO

Leia mais

Tribunal de Contas. ACÓRDÃO N.º 2/2003 1.ª S/PL de 28 de Janeiro de 2003. R.O. n.º 20/02 Processo n.º 1779/2002 SUMÁRIO:

Tribunal de Contas. ACÓRDÃO N.º 2/2003 1.ª S/PL de 28 de Janeiro de 2003. R.O. n.º 20/02 Processo n.º 1779/2002 SUMÁRIO: ACÓRDÃO N.º 2/2003 1.ª S/PL de 28 de Janeiro de 2003 R.O. n.º 20/02 Processo n.º 1779/2002 CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO / ENCARGO FINANCEIRO / ENDIVIDAMENTO MUNICIPAL / DÉFICE PÚBLICO / MUNICÍPIO /

Leia mais

P.º R. P. 98/2009 SJC-CT-

P.º R. P. 98/2009 SJC-CT- P.º R. P. 98/2009 SJC-CT- Aquisição com base em doação de quinhão hereditário Recusa do registo Prédios com inscrição de aquisição em compropriedade, por usucapião e não em comunhão hereditária Alegado

Leia mais