V. Características, recursos e potencialidades da Internet nos negócios

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "V. Características, recursos e potencialidades da Internet nos negócios"

Transcrição

1 V. Características, recursos e potencialidades da Internet nos negócios Fonte: DEITEL, DEITEL e STEINBUHLER (2004) ALBERTIN (2004) TURBAN e KING (2004) O BRIEN (2004)

2 Características e potencialidades do uso da Internet nos negócios Não existe horário comercial e nem fuso horário Clientes podem ser atendidos sempre que têm necessidade Não existem barreiras geográficas Há uma variedade de produtos que podem ser transmitidos na hora, digitalmente A Internet é um canal bidirecional (interativo)

3 O impacto da Internet sobre os negócios Notícia ruim O concorrente pode vir de qualquer lugar do mundo! Notícia boa O cliente pode estar em qualquer lugar do mundo!!! Os fornecedores podem estar em qualquer lugar do mundo!!!

4 VI. O e-business

5 e-business Combinação de tecnologias e ferramentas que servem para auxiliar a empresa em suas relações com seus fornecedores, clientes, funcionários e quaisquer outros públicos, visando a ampliação dos negócios existentes ou a criação de novos negócios Uma forma segura, flexível e integrada de fornecer um valor diferenciado na gestão administrativa pela combinação de sistemas e processos para a administração e funcionamento de operações centrais, de forma simples e eficientes, alavancada pela aplicação de tecnologia da Internet» (IBM apud DEITEL, DEITEL e STEINBUHLER, 2004)

6 e-business ERP SCM Produção / Operação Gestão de Pessoal Marketing / Vendas CRM Compras Distribuição Finanças Como resultado, o e-business passa a abranger todo o conjunto de sistemas de uma empresa interligado aos sistemas de diversas outras empresas, interagindo para que o e-commerce aconteça

7 Tecnologias da informação utilizadas na integração da cadeia de suprimentos Integração e maior controle das atividades relacionadas à operação central da organização e-erp WMS Sistemas aplicados à administração de transportes Integração e maior controle na cadeia e-procurement e-commerce e-crm

8 VII. e-erp MRP Fonte: DEITEL, DEITEL e STEINBUHLER (2004) O BRIEN (2004) FRANCO JR. (2003) BERTAGLIA (2003) MRP II ERP e-erp

9 MRP Material Resources Planning Previsão de Vendas Explosão 10 automóveis Receita do veículo 4 portas 1 direção 1 câmbio 5 rodas 1 ap. de ar condicionado etc.

10 MRP II Manufacturing Resources Planning Capacidade produtiva PCP Previsão de Vendas Explosão 10 automóveis Receita do veículo 4 portas 1 direção 1 câmbio, 5 rodas 1 ap. de ar condicionado etc.

11 ERP Enterprise Resources Planning (Sistemas de Gestão Empresarial) Finanças Contabili dade M R P II + RH Vendas Logística SAC CRM

12 e-erp Fabricação do Celta em Gravataí estruturada com base no conceito de consórcio modular

13 VIII. WMS Warehouse Management System: Sistema de Gestão de Armazéns Gerencia as operações de movimentação e armazenagem integrando todas as plantas e áreas de armazenagem As operações são controladas através de leitura de código de barras em coletores por radiofreqüência, garantindo as informações em tempo real e a total rastreabilidade das movimentações nos armazéns Ganha nova dimensão com o uso de etiquetas inteligentes

14 Funções do WMS Agendamento dos transportes Elaboração dos planos de armazenagem Recebimento das mercadorias Separação e endereçamento dinâmico até os processos de expedição Atualização do estoque físico e do fiscal/contábil Registro das movimentações de compras Registro das transferências entre plantas e locais Abastecimento de linhas de produção Registro das vendas Controle de mercadorias de terceiros remessa e retorno de armazém

15 Benefícios que o WMS proporciona Armazém totalmente mapeado Otimização do armazém Controle eficaz do estoque Planejamento total do fluxo Gerenciamento eficaz e eficiente dos recursos Gerenciamento de cross-docking Controle da rotatividade do inventário Registro do histórico de todas as movimentações Tracking de todas as atividades

16 IX. Sistemas aplicados à administração de transportes Roteirizador Rastreamento de frota EDI com transportadoras» BERTAGLIA (2003)

17 X. e-procurement São compras corporativas realizadas por meio de mediação eletrônica, incorporando a utilização da web como dimensão de contato, automatização e redução de custos potenciais de transações, assim como expansão de acesso e reconhecimento de alternativas de escolha e seleção dos clientes, diminuindo assimetrias de informação e custos operacionais aos envolvidos» Fonte: DEITEL, DEITEL e STEINBUHLER (2004)» LAUDON e LAUDON (2004)» TURBAN e KING (2004)» O BRIEN (2004)» FRANCO JR.(2003)

18 As metas do e-procurement Aumentar a produtividade do agente de compras Reduzir os preços de compras dos produtos Aperfeiçoar o fluxo e o gerenciamento de informações Minimizar as compras não programadas Melhorar o processo de pagamento Dinamizar o processo de compra, tornando-o mais simples e rápido Reduzir o custo administrativo de processamento por pedido Descobrir fornecedores que ofereçam bens e serviços mais rapidamente ou mais baratos Integrar o processo de compra empresarial com o controle orçamentário de modo eficiente e eficaz Minimizar erros humanos nos processos de compra e expedição

19 Métodos de procurement Comprar de fabricantes, atacadistas ou varejistas em suas lojas, por catálogos ou por negociação Comprar por catálogo de um intermediário Comprar por um catálogo de compras interno Realizar uma concorrência ou um sistema de licitação Comprar em sites de leilão privados ou públicos Juntar-se a um sistema de compra em grupo

20 Leilão reverso: preço decrescente

21 Compra em grupo Compra em grupo agrega vários compradores para que comprem em maior volume, para que se possa negociar preços melhores Agregação interna Economia de escala Custos reduzidos de processamento de transação Agregação externa Agrega a demanda on-line Reúne pedidos de vários compradores para conseguir volumes maiores/custos menores

22 Processo de compra em grupo

23 XI. e-commerce

24 e-commerce Também conhecido como comércio eletrônico Consiste na realização de negócios por meios eletrônicos (Internet, ATMs etc) Bens e serviços baseados em informação podem ser entregues on line Bens físicos necessitam de um processo de entrega» DEITEL, DEITEL e STEINBUHLER (2004)» LAUDON e LAUDON (2004)» TURBAN e KING (2004)» ALBERTIN (2004)» O BRIEN (2004)

25 Tipos de e-commerce de acordo com os participantes B2C Business-To-Consumer: CE entre empresas e consumidores B2B Business-To-Businnes: CE entre empresas B2G Business-To-Government: CE entre empresas e o Governo C2C Consumer-To-Consumer: CE entre consumidores G2C Government-To-Consumer: CE entre o governo e as pessoas

26 Razões para se implementar o e-commerce Expandir o alcance do mercado e gerar visibilidade Fortalecer o relacionamento nos negócios Oferecer novos serviços Reduzir custos Fornecer testes gratuitos na Web, de forma fácil, rápida e barata Reduzir o nº de mudanças de meio necessárias para transportar a informação Redução no tempo para comercialização e para resposta às mudanças na demanda de mercado Aumentar a lealdade dos clientes através do aperfeiçoamento do relacionamento

27 A. Opções para se vender na internet A.1. Estabelecendo um portal independente A.1.1 Loja virtual A.1.2 Sistemas integrados interfuncionais A.2 Participando de um portal já existente A.2.1 Marketplace A.2.2 Leilão inglês

28 A.1 Estabelecendo um portal independente

29 A.1.1 Loja virtual

30 Como desenvolver uma boa loja virtual? Organizar o site intuitivamente de acordo com a lógica do cliente: Proporcionar melhores resultados de pesquisas Facilitar comparações inteligentes entre produtos Fazer recomendações de compras Personalizar a experiência do cliente Evitar falhas nos sites

31 Formas de aumentar a visibilidade Propaganda no mundo real Propaganda convencional no mundo virtual através de banners, bottons etc. Desenvolver ações para ser listado nas primeiras posições nos resultados dos programas de busca da Web Propaganda por palavra-chave

32 A.1.2 Sistemas integrados interfuncionais

33 A Tomada de pedido Sistema de captação de pedidos Pedido Sistema de compras Sistema de faturamento Cópia da NF Sistema de expedição Agendamento NF + produtos Sistema de inspeção e recebimento

34 Benefícios Fortalecimento do relacionamento entre os envolvidos Redução de erros Redução de custos administrativos

35 A RMI Retail Managed Inventory Reposição contínua gerenciada pelo varejo Sistema de captação de pedidos Pedido automático Sistema de compras Sistema de faturamento Cópia da NF Estoque é gerenciado pelo cliente (varejo) Pedidos são emitidos com base nos estoques mínimo e de segurança e no lote econômico Sistema de expedição Agendamento NF + produtos Sistema de inspeção e recebimento

36 Benefícios Fortalecimento do relacionamento entre os envolvidos Redução de erros Redução de custos administrativos + Redução das despesas comerciais (visita e negociação) Melhoria no nível de atendimento dos pedidos Estabilização dos períodos de emissão de ordens de compra

37 A VMI (Vendor Managed Inventory) Reposição contínua gerenciada pelo fornecedor Sistema de captação de pedidos Posição do estoque Sistema de compras Sistema de faturamento Cópia da NF Sistema de expedição Fornecedor gerencia o estoque com base em posição diária recebida do cliente Fornecedor decide a quantidade a ser enviada, o que lhe permite otimizar a composição de carga Agendamento NF + produtos Sistema de inspeção e recebimento

38 Benefícios Fortalecimento do relacionamento entre os envolvidos Redução de erros Redução de custos administrativos Redução das despesas comerciais (visita e negociação) Melhoria no nível de atendimento dos pedidos Estabilização dos períodos de emissão de ordens de compra + Uso adequado de espaço Redução do out of stock Maior comprometimento da indústria com o giro do estoque Redução dos custos com transporte

39 A. Opções para participar da internet A.1. Estabelecendo um portal independente A.1.1 Loja virtual A.1.2 Sistemas integrados interfuncionais A.2 Participando de um portal já existente A.2.1 Marketplace A.2.2 Leilão inglês

40 A.2.1 Marketplace

41 Marketplace Website especializado que contém catálogos, formulários de pedidos e outras informações úteis providas por fornecedores de produtos Semelhante a um mercado real, é um lugar para comprar, barganhar preços e fazer permutas entre mercadorias e serviços Os pequenos fornecedores podem se beneficiar ao se associarem a grupos comerciais, mas devem manter as listas de produtos atualizadas

42 Marketplace Cada comprador vê o equivalente a uma biblioteca privada de catálogos e folhetos de produtos de diferentes empresas combinadas com um quadro de avisos eletrônicos para se deixar mensagens, um sistema leilão, sistemas de pedidos e sistemas de entregas Os fornecedores dispõem seus catálogos e folhetos de produtos no marketplace como uma série de arquivos Os vendedores recebem os pedidos por , fax ou por troca eletrônica de documentos, e liquidam as contas via links eletrônicos com bancos ou via boletos bancários

43 A.2.2 Leilão inglês: preço crescente

44 Considerações sobre os leilões eletrônicos Possibilidade de fraude: Produtos com defeito Cliente não pagar Falta de segurança leilões C2C às vezes não são feitos em ambiente criptografado

45 B. Varejo eletrônico e-tailing ou e-retail Fonte: DEITEL, DEITEL e STEINBUHLER (2004); LAUDON e LAUDON (2004); TURBAN e KING (2004); ALBERTIN (2004); O BRIEN (2004)

46 O que é varejo eletrônico? Varejo de mercadorias

47 O que é varejo eletrônico? Varejo de serviços

48 Canal Direto O fabricante atuando como varejista Canal direto: Quando o fabricante atende ao cliente final Está ganhando popularidade devido à customização que pode ser oferecida na fabricação sob encomenda Se não for bem administrado, sua implementação pode levar a conflitos de canal e à desintermediação indesejável Desintermediação: Eliminação de níveis nos canais de distribuição da indústria Customização em massa

49 Papéis dos intermediários na nova economia Auxiliar clientes na compra comparada de várias fontes Proporcionar soluções completas combinando serviços de vários fornecedores Proporcionar certificação e controle da confiabilidade de terceiros e sistemas de avaliação

50 Outros modelos de negócios no varejo eletrônico Shopping-centers eletrônicos Corretores de transações Portais de informação Criadores de conteúdo Criadores de mercado Provedores de serviços: acesso à Internet, verificação de confiabilidade etc. Shopbots e agentes: ferramentas que exploram a Web segundo critérios de busca específicos solicitados por consumidores

51 Decisões no varejo eletrônico 1. Público-alvo e abrangência de mercado 2. Sortimento (variedade) de produtos 3. Uso de marca própria 4. Definição dos fornecedores 5. Preço 6. A loja virtual 7. Localização do(s) Depósito(s) ou CD(s) 8. Serviços oferecidos 9. Gestão do Relacionamento com os clientes 10. Comunicação 11. A operação para atendimento dos pedidos Gestão de estoques Processamento de pedidos Tratamento das devoluções

52 C. Dificuldades para se implementar o e-commerce Insegurança em relação aos seus resultados e benefícios Forte impacto no modelo de negócios: mudanças nas relações entre os membros da cadeia, nos custos, e nas fontes de receita Conflito de canal decorrente da possibilidade de desintermediação Empregados:... Medo de perder o emprego por achar que não estão preparados Medo de mudanças e adaptações

53 Dificuldades para se implementar o e-commerce Aceitação do cliente Ausência de contato pessoal pode impactar negativamente na lealdade pela sua impessoalidade Commoditização: é fácil comparar ofertas de diferentes empresas, o que intensifica a competição por preços Dificuldade de se preservar os direitos autorais é fácil copiar informação publicada na Internet Aspectos legais não existe uma estrutura legal mundial Segurança e privacidade dos dados e transações

54 D. Desenvolvendo projetos de e-commerce Fonte: DEITEL, DEITEL e STEINBUHLER (2004) TURBAN e KING (2004) LIMEIRA (2003) O BRIEN (2004)

55 Roteiro para o desenvolvimento de projetos de e- commerce Análise do ambiente externo e interno considerando o impacto da iniciativa Análise dos pontos fortes e pontos fracos da empresa no que se refere ao projeto de e-commerce a ser desenvolvido Identificação de oportunidades e riscos relacionados ao desenvolvimento do projeto Definição do modelo de negócio Estabelecimento dos objetivos Definição das ações de marketing Definição dos investimentos, orçamento e cronogramas Desenvolvimento do projeto Testes e implantação Acompanhamento

56 Componentes do ambiente externo e interno da empresa Análise do ambiente externo ambiente econômico ambiente político e legal ambiente social ambiente natural ambiente tecnológico ambiente competitivo Análise do ambiente interno Recursos financeiros Recursos Humanos Recursos produtivos Recursos tecnológicos Recursos de marketing

57 Fatores críticos para o sucesso de projetos de e- commerce Focar o negócio Contar com liderança Obter e manter apoio e patrocínio Gerenciar as resistências internas Envolver todas as áreas desde o início Assegurar a adesão dos parceiros Adquirir novos conhecimentos Efetuar o alinhamento dos dados Monitoramento constante até a implementação

58 XII CRM Fonte: DEITEL, DEITEL e STEINBUHLER (2004) FRANCO JR. (2004) O BRIEN (2004)

59 O que é CRM? CRM Customer Relationship Management Gestão do Relacionamento com o cliente Filosofia: desenvolver relações de longo prazo (fidelização) Estratégia: tratar os clientes de forma diferenciada a fim de se fidelizar os melhores clientes Processos + Pessoas + Tecnologia: tem que ser pensados objetivando a rentabilização do negócio e a entrega de valor para o cliente» (GU CRM da Sucesu SP, 2000)

60 Mas será que temos o conhecimento completo sobre o cliente? Sistema de Vendas Sistema de Call Center Sistema de Distribuição Sistema de Cobrança contato se dá através de diversos pontos: callcenter, web, vendedor, cobrança, logística etc. os sistemas, muitas vezes, não se conversam falta uma visão integrada

61 Mas o que tem que ser feito? Sistema de Vendas Sistema de Call Center Sistema de Distribuição Sistema de Cobrança Deve-se criar uma visão única e integrada do cliente, o que pode implicar na construção de um sistema de CRM para consolidar todos os dados

62 Principais tecnologias que compõe o CRM Internet: web, chat, Atendimento ao cliente no que se refere a vendas e serviço ao cliente Planejamento das ações de marketing: campanhas, novos produtos etc. BI Call center AFV Automação da força de vendas CRM operacional CRM analítico Data Warehouse ou Data-Mart Workflow E GED Data mining

63 Principais tecnologias que compõe o CRM Focando o CRM operacional Internet: web, chat, Call center Atendimento ao cliente no que se refere a vendas e serviço ao cliente AFV Automação da força de vendas CRM operacional Workflow E GED

64 O call center Central de atendimento em que as chamadas são processadas em alto-volume Sua importância depende da característica do mercado em que a Empresa atua. Pode ser interno ou terceirizado, possuindo um ou mais níveis de atendimento. Script: programa que contém as instruções para que o agente efetue o atendimento Gerenciador de Documentos: dispositivo que efetua o armazenamento e recuperação de documentos digitalizados

65 O call center CALL CENTER Scripts de atendimento para: SAC Telemarketing Help-Desk Assistência técnica Pesquisas de satisfação Pesquisas de mercado

66 Descrição dos componentes de telefonia computadorizada DAC - Distribuidor automático de chamadas: Sistema que atende às chamadas, enfileirando-as e direcionando-as para as agentes URA - Unidade de Resposta Audível: também conhecida por IVR, Interactive Voice Response. Sistema de autoatendimento que permite a entrada de dados através do teclado ou da fala humana efetuando a interface telefônica para um Sistema de Computador CTI - Computer and Telephone Integration: Conexão de um computador a uma central de comutação telefônica na qual o computador usa os comandos da central para administrar as chamadas

67 A URA pode ser usada para o bem ou para o mal... SE VIU UM ROUBO...tecle 1 SE FOI ROUBADO...tecle 2 SE HOUVE TIROTEIO...tecle 3 SE FOI BALEADO UMA VEZ...tecle 4 SE FOI BALEADO MAIS VEZES...tecle 5 SE ESTÁ MORRENDO...não tecle nada!

68 SFA Sales Force Automation AFV Automação da força de vendas Sistema que roda em equipamento de computação móvel e apóia a força de vendas em seu trabalho de campo

69 SFA Sales Force Automation AFV Automação da força de vendas Automação de Força de Vendas Cadastro dos clientes Roteiro de visitas e agendamento Captação de pedidos Status de reclamações e pedidos Apontamento de dados sobre os concorrentes etc.

70 Entendendo o workflow - processo anterior Call Center Jurídico Vendas Cliente Cobranca Administração de vendas na filial Vendedor Logística

71 Processo gerenciado pelo workflow Call Center Jurídico Vendas Cliente Cobranca 2 dias para visitar 3 dias para analisar 3 dias para analisar 3 dias para analisar Vendedor 2 dias para agendar visita 3 dias para envio da documentação 3 dias para analisar Administração de vendas na filial digitaliza documentos (GED) Logística

72 Mas basta implantar o workflow para que o tempo de efetivação do cadastro se reduza?

73 Benefícios que podem ser obtidos com o uso de workflows Redução dos custos e tempo para execução das atividades: Melhor controle sobre as operações Melhor circulação de documentos graças ao GED (gerenciamento eletrônico de documentos) Padronização dos processos Melhoria do atendimento ao cliente

74 Principais tecnologias que compõe o CRM Focando o CRM analítico Planejamento das ações de marketing: campanhas, novos produtos etc. BI CRM analítico Data Warehouse ou Data-Mart Data mining

75 BI Business Intelligence : A Tesco é o maior varejista do Reino Unido...

76 ... e também a maior agência de viagens naquela região

77 Data Mining Cliente 1 Cliente 2 Livro 1 CD 1 Livro 2 CD 2 Livro 2 CD 2 CD 1 Oferta especial no Livro 1

78 XIII. BI Business Intelligence

79 Exemplos de decisões gerenciais complexas caso Nestlé Possui 600 produtos em linha por ano e a cada ano lança novos 100 e retira 100 Que produtos manter em linha para o próximo ano? Resposta demanda informações sobre: O histórico das vendas (Sistema de faturamento) O custo de fabricação (Sistema de Custo Industrial) O custo de atender ao cliente (SAC) O custo comercial (despesas com visitas, captação de pedidos que vem do Sistema Comercial) O custo de entrega (Sistema Logístico) A margem bruta O impacto da venda do produto sobre outros produtos: iogurte natural e cereais matinais Todas estas análises devem ser feitas tanto no nível nacional como no das filiais

80 Exemplos de decisões gerenciais complexas na área financeira Decisões sobre a composição da carteira de investimentos dos fundos Requerem dados: macro-econômicos (taxa de juros interna e no exterior, câmbio, inflação, nível de desemprego, PIB etc.) atuais e projetados análise de rentabilidade das empresas etc.

81 Os Sistemas convencionais são adequados para apoiar a gerência neste tipo de decisão? Problemas existentes: Dificuldade em agrupar resultados de diversas fontes: Muito tempo gasto na obtenção e digitação dos dados Decisões gerenciais demandam maior flexibilidade Necessidade de recursos de simulação

82 BI Nos Sistemas de BI os dados são organizados em: Dimensões: os eixos sobre os quais é construído o cubo Valores: os dados que preenchem o cubo Exemplo: Dados de vendas por vendedor, produto e cidade Vendedor Cliente

83 Análise multidimensional Rentabilidade desejada > 3% Vendedor Produto Cliente Valor Rentabilidade % João Banana CTB 3.000,00 10,01% DMK 1.000,00 1,5% Laranja CTB 4.000,00 8,23% DMK 8.000,00 4,34% Vanderlei Banana CTB 6.000,00 5,7% LMX 6.000,00 7,74% Laranja CTB 3.000,00 4,98% DMK 1.000,00 3,45%

84 Características dos Sistemas de BI Facilitam o detalhamento das informações São de uso fácil e intuitivo Apresentam os relatórios tanto em gráficos quanto em tabelas Possibilitam a recuperação seletiva de informações (Filtros) Permitem pesquisas não previstas (ad hoc) Possibilitam a definição de indicadores e alertas

85 XIV. Ferramentas para a colaboração empresarial Sistema de Colaboração Empresarial Ferramentas de Comunicações Eletrônicas Correio de voz Fax Publicação na Rede Telefone na Internet, etc. Ferramentas para Conferência Eletrônica Conferência de voz Videoconferência Fóruns de discussão Reuniões eletrônicas Ferramentas de Controle do Trabalho Colaborativo Agendamento Controle de tarefas Gestão de projetos Work-flows Gerenciamento do conhecimento Compartilhamento de Documentos

86 XV. O Planejamento os recursos dos Sistemas de Informação e da TI

87 Como escolher com a melhor chave de fenda?

88 Cuidados quando se escolhe uma ferramenta Para quem só tem um martelo na mão, tudo na vida é prego

89 Problemas de implementação e de planejamento dos Sistemas de Informação integração entre as bases de dados

90 Problemas de implementação e de planejamento dos Sistemas de Informação Finalização dos projetos de acordo com as especificações no tempo estabelecido e de acordo com o orçamento

91 Problemas de implementação e de planejamento dos Sistemas de Informação Desenvolvimento dos sistemas de informação Manter as aplicações cotidianas em funcionamento

92 Problemas de implementação e de planejamento dos Sistemas de Informação Planos de sistema de informação e tecnologia da informação Plano organizacionais, das unidades de negócio e das áreas funcionais

93 Planejando de forma integrada Plano Estratégico Produção Marketing e vendas Logística Finanças RH Jurídico Plano Diretor de Informática SI TI RH

94 Como devem ser tomadas as decisões relacionadas aos sistemas de informação e à TI? tecnologia devem ser pensada para suportar a operação da Empresa buscando-se o mix de componentes adequado para ela deve estar alinhada com as estratégias, política e processos de negócio definidos tecnologia deve ser aplicada com uma visão integrada tecnologia é um meio, não um fim

95 Governança em TI A governança de TI eficaz deve tratar de três questões: 1. Quais decisões devem ser tomadas para garantir a gestão e o uso eficaz de TI? 2. Quem deve tomar essas decisões? 3. Como essas decisões serão tomadas e monitoradas? Fonte: IBGC Instituto Brasieliro de Governança Corporativa

96 Governança em TI Conceito de Governança de TI Perspectiva de Negócios Visa o alinhamento das decisões com a estratégia e os objetivos de negócio Perspectiva Normativa Visa conformidade com as regulamentações, provendo transparência nas responsabilidades Modelo de Governança de TI Descrição formal e verificável de como as decisões são tomadas visando o cumprimento de seus objetivos explícitos Fonte: IBGC Instituto Brasieliro de Governança Corporativa

97 Governança em TI Domínios (de decisões) Princípios Arquitetura Infra-estrutura Aplicações Priorização e Investimento Estilos Perspectivas Diferentes Subordinação às áreas de Negócio Subordinação a uma área de negócio Independência da área de TI Autoritarismo Anarquia Mecanismos de gestão Conselho Diretor Comitê de TI Comitê de Compras Comitê de Riscos Líderes de TI Gerentes de Relacionamentos Fonte: IBGC Instituto Brasieliro de Governança Corporativa

98 Dúvidas?

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Sistemas de Apoio Prof.: Luiz Mandelli Neto Sistemas de Apoio ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Mapa de TI da cadeia de suprimentos Estratégia Planejamento Operação

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 4.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 4.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 4.1 4 OBJETIVOS OBJETIVOS A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS Como a tecnologia de Internet mudou propostas de valor e modelos de negócios

Leia mais

APLICATIVOS CORPORATIVOS

APLICATIVOS CORPORATIVOS Sistema de Informação e Tecnologia FEQ 0411 Prof Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Capítulo 3 APLICATIVOS CORPORATIVOS PRADO, Edmir P.V.; SOUZA, Cesar A. de. (org). Fundamentos de Sistemas

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP Sistemas de Informação Sistemas Integrados de Gestão ERP Exercício 1 Um arame é cortado em duas partes. Com uma das partes é feito um quadrado. Com a outra parte é feito um círculo. Em que ponto deve ser

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS

A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS 1 OBJETIVOS 1. Como a tecnologia de Internet mudou propostas de valor e modelos de negócios? 2. O que é comércio eletrônico?? Como esse tipo de comércio

Leia mais

Identificar cada um dos sistemas de e-business interfuncionais abaixo e dar exemplos de como eles podem fornecer significativo valor para uma

Identificar cada um dos sistemas de e-business interfuncionais abaixo e dar exemplos de como eles podem fornecer significativo valor para uma 1 Identificar cada um dos sistemas de e-business interfuncionais abaixo e dar exemplos de como eles podem fornecer significativo valor para uma empresa, seus clientes e parceiros de negócios: de recursos

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

Varejo. A gestão definitiva para sua empresa

Varejo. A gestão definitiva para sua empresa Varejo A gestão definitiva para sua empresa Introdução Indicado para estabelecimentos comerciais, rede de lojas ou franquias, o sistema FENÍCIA AUTOMAÇÃO COMERCIAL traz uma série de tecnologias de alto

Leia mais

Sistemas de e-business. Objetivos do Capítulo

Sistemas de e-business. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Identificar cada um dos sistemas de e-business interfuncionais abaixo e dar exemplos de como eles podem fornecer significativo valor para uma empresa, seus clientes e parceiros de

Leia mais

CRM Customer Relationship Management

CRM Customer Relationship Management CRM Customer Relationship Management C R M : DEFINIÇÃO TEÓRICA NO PASSADO CONHECÍAMOS NOSSOS CLIENTES PELO NOME, ONDE VIVIAM, QUE TIPO DE PRODUTOS NECESSITAVAM, COMO SERIAM ENTREGUES, COMO QUERIAM PAGAR

Leia mais

Sistemas. ções Gerenciais

Sistemas. ções Gerenciais Sistemas Como elaborar seu currículo? de Informaçõ 04/2006 ções Gerenciais Um currículo bem feito não garante sua contratação mas um currículo mal elaborado elimina-o do processo seletivo. Novas Tecnologias...

Leia mais

Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda

Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda Tecnologia da Informação Aplicada à Logística Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda Como garantir

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

A empresa digital: comércio e negócios eletrônicos

A empresa digital: comércio e negócios eletrônicos Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 06 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém Bloco Suprimentos WMS Gerenciamento de Armazém Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo WMS, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas foram

Leia mais

Sistemas de Informações. SCM Supply Chain Management

Sistemas de Informações. SCM Supply Chain Management Sistemas de Informações SCM Supply Chain Management Fontes Bozarth, C.; Handfield, R.B. Introduction to Operations and Supply Chain Management. Prentice Hall. 2nd. Edition Objetivos Fluxos de Informação

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes?

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes? Escola Superior de Gestão e Tecnologia Comércio eletrônico Mercados digitais, mercadorias digitais Prof. Marcelo Mar3ns da Silva Objetivos de estudo Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as

Leia mais

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP Sistema de gestão ERP MÓDULOS E CLIENTES Os módulos podem ser adquiridos separadamente, conforme a sua necessidade. ÁREA COMERCIAL ÁREA ADMINISTRATIVA FINANCEIRA ÁREA PRODUÇÃO E SUPRIMENTOS ÁREA FISCAL

Leia mais

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP Sistema de gestão ERP Módulo MÓDULOS E CLIENTES Os módulos podem ser adquiridos separadamente, conforme a sua necessidade. COMERCIAL ADMINISTRATIVA FINANCEIRA PEDIDOS EXPORTAÇÃO CONTAS A RECEBER TELEMARKETING

Leia mais

CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação

CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação Janniele Aparecida Como uma empresa consegue administrar toda a informação presente nesses sistemas? Não fica caro manter tantos sistemas diferentes? Como os

Leia mais

e-business Os tipos básicos de ebusiness são (PEDREIRA, 2007):

e-business Os tipos básicos de ebusiness são (PEDREIRA, 2007): e-business (Extraído do Artigo ebusiness: A Atual Maneira de Efetuar Transações Ana Cristina Matos, Gabriela Villanova, Gianluca Nese, Juan Pablo, Maraiana Orrico e Antônio Cardoso) 1. Definição ebusiness,

Leia mais

WMS - Warehouse Management System

WMS - Warehouse Management System Sistema de Gestão Empresarial LUSANA SOUZA NATÁLIA BATUTA MARIA DAS GRAÇAS TATIANE ROCHA GTI V Matutino Prof.: Itair Pereira Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. WMS... 2 3. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 2 4. POLÍTICA

Leia mais

FENICIA GESTÃO ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos da Empresa)

FENICIA GESTÃO ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos da Empresa) FENICIA GESTÃO ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos da Empresa) O FENÍCIA GESTÃO ERP é uma solução integrada, personalizável, de gerenciamento corporativo, que se destaca pela sua

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 11 Sistemas de E-business Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob licença Creative Commons

Leia mais

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser:

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser: CONCEITOS INICIAIS O tratamento da informação precisa ser visto como um recurso da empresa. Deve ser planejado, administrado e controlado de forma eficaz, desenvolvendo aplicações com base nos processos,

Leia mais

Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários

Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários Fonte: TAKAHASHI, 2000; VEJA ONLINE, 2006 Definições de comércio eletrônico/e-business E - BUSINESS, acrônimo do termo em

Leia mais

Observação: As caixas em vermelho representam módulos adicionais.

Observação: As caixas em vermelho representam módulos adicionais. Fenícia Gestão ERP Introdução O FENÍCIA GESTÃO ERP é uma solução integrada, personalizável, de gerenciamento corporativo, que se destaca pela sua robustez aliada ao alto grau de tecnologia e conhecimento

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP Sistema de gestão ERP MÓDULOS E CLIENTES Os módulos podem ser adquiridos separadamente, conforme a sua necessidade. ÁREA COMERCIAL ÁREA ADMINISTRATIVA FINANCEIRA ÁREA PRODUÇÃO E SUPRIMENTOS ÁREA FISCAL

Leia mais

E-commerce Fundamentos

E-commerce Fundamentos E-commerce Fundamentos Flávio Augusto Martins Wanderley Professor flavio@mwan.com.br 1 / 65 Conteúdo desta aula Conceitos. Evolução do comércio eletrônico. Modalidades. O que vem no futuro. 2 / 65 Conceito

Leia mais

O FUTURO DA SUA EMPRESA PASSA POR AQUI OMNES TECNOLOGIA

O FUTURO DA SUA EMPRESA PASSA POR AQUI OMNES TECNOLOGIA O FUTURO DA SUA EMPRESA PASSA POR AQUI OMNES TECNOLOGIA Como tudo começou GIDEONI SILVA CONSULTOR BI & CRM Analista de Sistemas e Green Belt Six Sigma Experiência de 15 anos em projetos executados de Business

Leia mais

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 FSI capítulo 2 Referências bibliográficas: Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010 Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 Porter M., Competitive

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas 2010 0 Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas É necessário o entendimento de como os produtos chegam

Leia mais

Sistema de gestão ERP. Sistema de Gestão GESTÃO RASTREABILIDADE RESULTADO

Sistema de gestão ERP. Sistema de Gestão GESTÃO RASTREABILIDADE RESULTADO Sistema de gestão ERP GESTÃO RASTREABILIDADE RESULTADO MÓDULOS E CLIENTES Os módulos podem ser adquiridos separadamente, conforme a sua necessidade. ÁREA COMERCIAL ÁREA ADMINISTRATIVA FINANCEIRA ÁREA

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Estudar os Sistemas de Processamento de Transação (SPT)

Estudar os Sistemas de Processamento de Transação (SPT) Estudar a Colaboração Empresarial. Objetivos do Capítulo Estudar os Sistemas de Processamento de Transação (SPT) Identificar o papel e alternativas de relatórios dos sistemas de informação gerencial. Estudar

Leia mais

II. Visão Geral do e-business

II. Visão Geral do e-business II. Visão Geral do e-business 1. e-commerce X e-business 2. Vantagens do e-business 3.Problemas na Internet 4. Tipos de e-business 5. Categorias de e-business 6. Ferramentas de Comércio Eletrônico 7. Dimensões

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA Capítulo 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Conceitos avançados da Logística com foco na TI 20/08/2011. O Efeito Chicote - (Bullwhip effect)

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Conceitos avançados da Logística com foco na TI 20/08/2011. O Efeito Chicote - (Bullwhip effect) Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Logística empresarial e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Conceitos avançados da Logística com foco na TI Disciplina: Tecnologia da Informação (TI) Aplicada à

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

IBM WebSphere Product Center

IBM WebSphere Product Center Soluções de gerenciamento de informação de produto para dar suporte aos seus objetivos de negócios IBM WebSphere Product Center Oferece uma solução abrangente de gerenciamento de informação de produto

Leia mais

Supply Chain Management. SCM e Ti aplicada à Logística Marco Aurelio Meda

Supply Chain Management. SCM e Ti aplicada à Logística Marco Aurelio Meda Supply Chain Management e TI aplicada à Logística 24 de Junho de 2004 SCM e Ti aplicada à Logística Cenário de Competição... Operações Globalizadas Operações Integradas Introdução LOGÍSTICA Tecnologia

Leia mais

MAIS RENTABILIDADE, SEGURANÇA E AGILIDADE NA GESTÃO DE SEUS CONTRATOS, PROJETOS E SERVIÇOS.

MAIS RENTABILIDADE, SEGURANÇA E AGILIDADE NA GESTÃO DE SEUS CONTRATOS, PROJETOS E SERVIÇOS. MAIS RENTABILIDADE, SEGURANÇA E AGILIDADE NA GESTÃO DE SEUS CONTRATOS, PROJETOS E SERVIÇOS. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 09 Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina

Leia mais

OCEL001 Comércio Eletrônico Módulo 04: Mecanismos

OCEL001 Comércio Eletrônico Módulo 04: Mecanismos OCEL001 Comércio Eletrônico Módulo 04: Mecanismos Prof. Charles Christian Miers e-mail: charles.miers@udesc.br Mercados eletrônicos Os mercados facilitam a troca de: Informações Bens Serviços Pagamentos

Leia mais

TAW Tópicos de Ambiente Web

TAW Tópicos de Ambiente Web TAW Tópicos de Ambiente Web Comércio Eletrônico rveras@unip.br Aula - 04 Agenda Comércio Eletrônico 2 Comércio Eletrônico Comércio Eletrônico 3 O que é o comércio eletrônico Evolução Transações convencionais

Leia mais

TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid

TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid Recebimento de NF-e e CT-e Emissão de NF-e, CT-e, MDF-e e NFS-e Integração nativa com o seu ERP Exija a solução que é o melhor investimento para a gestão

Leia mais

4. As novas tecnologias

4. As novas tecnologias 4. As novas tecnologias É evidente que estamos em uma nova fase do desenvolvimento humano, que deve ser chamada Era da Informação. Não porque nas eras anteriores a informação deixasse de desempenhar seu

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos 2010 0 O Processo pode ser entendido como a sequência de atividades que começa na percepção das necessidades explícitas

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA:

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: Prof. Jean Cavaleiro Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: PRODUÇÃO E COMÉRCIO Introdução Entender a integração logística. A relação produção e demanda. Distribuição e demanda. Desenvolver visão sistêmica para

Leia mais

Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior

Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior Conceitos Por que eu preciso deste curso? Não sou de TI Sou de TI conteúdo utilizado exclusivamente para fins didáticos 2 Não sou

Leia mais

SOBRE A SOFTLOG. APRESENTAÇÃO - SoftLog LOGuinho

SOBRE A SOFTLOG. APRESENTAÇÃO - SoftLog LOGuinho SOBRE A SOFTLOG A SoftLog Tecnologia é uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções tecnológicas para empresas e instituições de diversos modais de transporte. Dentre os diversos tipos de soluções

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS O PODER DA INFORMAÇÃO Tem PODER quem toma DECISÃO Toma DECISÃO correta quem tem SABEDORIA Tem SABEDORIA quem usa CONHECIMENTO Tem CONHECIMENTO quem possui INFORMAÇÃO (Sem

Leia mais

Fundamentos do Comércio Eletrônico

Fundamentos do Comércio Eletrônico Administração e Finanças Uniban Notas de Aula Comércio (e-commerce) Prof. Amorim Fundamentos do Comércio Comércio Mais do que a mera compra e venda de produtos on-line. Engloba o processo on-line inteiro:

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE UM COMÉRCIO ELETRÔNICO

CLASSIFICAÇÃO DE UM COMÉRCIO ELETRÔNICO CLASSIFICAÇÃO DE UM COMÉRCIO ELETRÔNICO Classificação dos Tipos de CE Consumidor Empresa Governo Consumidor Empresa Governo CLASSIFICAÇÃO DO CE Business-to-business (empresa-empresa - B2B): Modelo de CE

Leia mais

MBA em Gestão Logística

MBA em Gestão Logística Pág. 1/5 MBA em Gestão Logística Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados das 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas de R$ 380,00* * Valor

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE UM COMÉRCIO ELETRÔNICO

CLASSIFICAÇÃO DE UM COMÉRCIO ELETRÔNICO CLASSIFICAÇÃO DE UM COMÉRCIO ELETRÔNICO Classificação dos Tipos de CE Consumidor Empresa Governo Consumidor Empresa Governo CLASSIFICAÇÃO DO CE Business-to-business (empresa-empresa - B2B): Modelo de CE

Leia mais

E-Business global e colaboração

E-Business global e colaboração E-Business global e colaboração slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. 2.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Quais as principais

Leia mais

E-Business. Parte 2. Prof. Marcílio Oliveira marcilio.oliveira@gmail.com

E-Business. Parte 2. Prof. Marcílio Oliveira marcilio.oliveira@gmail.com Parte 2 Prof. Marcílio Oliveira marcilio.oliveira@gmail.com As dimensões do E-Commerce (Comércio Eletrônico). SCM - Supply Chain Management (Gerenciamento de Cadeia de Fornecimento) ERP - Enterprise Resourse

Leia mais

CRM. Customer Relationship Management

CRM. Customer Relationship Management CRM Customer Relationship Management CRM Uma estratégia de negócio para gerenciar e otimizar o relacionamento com o cliente a longo prazo Mercado CRM Uma ferramenta de CRM é um conjunto de processos e

Leia mais

A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E ELETRÔNICOS

A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E ELETRÔNICOS Capítulo 4 A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS 4.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Como a tecnologia de Internet mudou propostas de valor e modelos de negócios? O que é comércio eletrônico?

Leia mais

Objetivos. Universo. Transformação. Administração 10/10/2012. Entender as definições de e-business e e- commerce;

Objetivos. Universo. Transformação. Administração 10/10/2012. Entender as definições de e-business e e- commerce; Objetivos Administração Profª Natacha Pouget Módulo: Gestão de Inovação e Ativos Intangíveis Tema da Aula: E-Business e Tecnologia da Informação I Entender as definições de e-business e e- commerce; Conhecer

Leia mais

SISTEMAS PARA INTERNET

SISTEMAS PARA INTERNET Unidade II SISTEMAS PARA INTERNET E SOFTWARE LIVRE Prof. Emanuel Matos Sumário Unidade II Comércio Eletrônico Tecnologia de Comércio Eletrônico Categorias do Comércio Eletrônico M-commerce Comércio eletrônico

Leia mais

Comércio Eletrônico. Comércio Eletrônico. Grau de digitalização. Caracteriza-se Comércio eletrônico pelo grau de digitalização:

Comércio Eletrônico. Comércio Eletrônico. Grau de digitalização. Caracteriza-se Comércio eletrônico pelo grau de digitalização: Comércio Eletrônico FTS Faculdade Taboão da Serra Curso de Administração de Sistemas de Informações Disciplina: Comércio Eletrônico Comércio Eletrônico Caracteriza-se Comércio eletrônico pelo grau de digitalização:

Leia mais

Sistemas de Informações

Sistemas de Informações Sistemas de Informações Prof. Marco Pozam- mpozam@gmail.com A U L A 0 5 Ementa da disciplina Sistemas de Informações Gerenciais: Conceitos e Operacionalização. Suporte ao processo decisório. ERP Sistemas

Leia mais

Prof. Lucas Santiago

Prof. Lucas Santiago Classificação e Tipos de Sistemas de Informação Administração de Sistemas de Informação Prof. Lucas Santiago Classificação e Tipos de Sistemas de Informação Sistemas de Informação são classificados por

Leia mais

Sistemas de Informação: tipos e características

Sistemas de Informação: tipos e características Sistemas de Informação: tipos e características Tipos de sistemas de informação. Os quatro tipos principais de sistemas de informação. Sistemas do ponto de vista de pessoal Sistemas de processamento de

Leia mais

Wagner K. Arendt Coordenador de TI FCDL/SC

Wagner K. Arendt Coordenador de TI FCDL/SC Wagner K. Arendt Coordenador de TI FCDL/SC sua empresa na Internet A criação de um site é uma regra geral para empresas que querem sobreviver em um mercado cada vez mais agressivo e um mundo globalizado,

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações Empresa Digital

Tecnologia e Sistemas de Informações Empresa Digital Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações Empresa Digital Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 7 Desafios para a Administração Comercio eletrônico e negócios eletrônicos

Leia mais

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Sistemas web e comércio eletrônico Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Tópicos abordados Arquitetura do e-commerce Aspectos importantes do e-commerce Modelos de negócios Identificação do modelo

Leia mais

RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO WESLLEYMOURA@GMAIL.COM RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ANÁLISE DE SISTEMAS ERP (Enterprise Resource Planning) Em sua essência, ERP é um sistema de gestão empresarial. Imagine que você tenha

Leia mais

Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos

Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos 2 SISTEMA DE INFORMAÇÕES EM LOGÍSTICA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EM LOGÍSTICA RODA Sociedade de Sobrevivência (troca de mercadorias) Poder: Monopólio de Mercadorias

Leia mais

ERPGovernance é uma Suite de gestão de Negócios que abrange totalmente a necessidade

ERPGovernance é uma Suite de gestão de Negócios que abrange totalmente a necessidade ERPGovernance é uma Suite de gestão de Negócios que abrange totalmente a necessidade do cliente, dentre estas : Financeiro, Orçamento, Compras, Vendas, Contabilidade, CRM, Gestão de Projetos, Gestão de

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO: MERCADOS DIGITAIS, MERCADORIAS DIGITAIS. Capítulo 9 L&L Paulo C. Masiero 2º. Semestre 2011

COMÉRCIO ELETRÔNICO: MERCADOS DIGITAIS, MERCADORIAS DIGITAIS. Capítulo 9 L&L Paulo C. Masiero 2º. Semestre 2011 COMÉRCIO ELETRÔNICO: MERCADOS DIGITAIS, MERCADORIAS DIGITAIS Capítulo 9 L&L Paulo C. Masiero 2º. Semestre 2011 UM BANHO DE LOJA NOS SITES DA GAP Problema: Concorrência pesada, site difícil de usar (excesso

Leia mais

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Uma visão abrangente dos negócios Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Negócios sem barreiras O fenômeno da globalização tornou o mercado mais interconectado e rico em oportunidades.

Leia mais

Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais. slide 1

Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais. slide 1 Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais slide 1 Nexon Games: o comércio eletrônico torna-se social Problema: concorrência com outras empresas de jogos on-line e off-line; aumentar

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas de Informação Prof. Gerson gerson.prando@fatec.sp.gov.br Evolução dos SI OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO

Leia mais

Infor ERP SyteLine Visão Geral. Edgar Eler Arquiteto de Sistemas

Infor ERP SyteLine Visão Geral. Edgar Eler Arquiteto de Sistemas Infor ERP SyteLine Visão Geral Edgar Eler Arquiteto de Sistemas Sobre a Mag-W A Mag-W foi criada especialmente para trazer ao mercado o que há de melhor em soluções corporativas de Tecnologia da Informação

Leia mais

O que significa esta sigla?

O que significa esta sigla? CRM Para refletir... Só há duas fontes de vantagem competitiva. A capacidade de aprender mais sobre nossos clientes, mais rápido que o nosso concorrente e a capacidade de transformar este conhecimento

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP)

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP) Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP) Evolução da TI nas Organizações Estágios de Evolução da TI nas Organizações

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 Sistema de Informação SI baseado em computadores Organização, administração e estratégia Professora: Cintia Caetano INTRODUÇÃO Sistemas de Informação são parte

Leia mais

Case Baterias Moura. Liderança em Baterias. Previsão da demanda. Programação de produção. Insumos. MRP - Moura. Produtos em Processo.

Case Baterias Moura. Liderança em Baterias. Previsão da demanda. Programação de produção. Insumos. MRP - Moura. Produtos em Processo. Case Baterias Moura Liderança em Baterias Centro de Distribuição Planta de Reciclagem Planta de Baterias Porto Rico - USA Buenos Aires - Argentina Previsão da demanda Programação de produção VENDA DOS

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

MBA Executivo em Logística e Supply Chain Management

MBA Executivo em Logística e Supply Chain Management ISCTE BUSINESS SCHOOL INDEG_GRADUATE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Logística e Supply Chain Management www.strong.com.br/alphaville - www.strong.com.br/osasco - PABX:

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 11 Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina

Leia mais

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto CURRÍCULO DO PROFESSOR Administradora com mestrado e doutorado em engenharia de produção

Leia mais

10. Defina Sistemas Distribuídos: Um conjunto de computadores independentes que se apresenta a seus usuários como um sistema único e coerente

10. Defina Sistemas Distribuídos: Um conjunto de computadores independentes que se apresenta a seus usuários como um sistema único e coerente 1. Quais os componentes de um sistema cliente-servidor? Clientes e servidores 2. Na visão do hardware, defina o que é cliente e o que é servidor: Clientes. Qualquer computador conectado ao sistema via

Leia mais

FanturyF a n t u r y. Sistemas. 10 anos de experiência em sistemas de Gestão Empresarial ERP. Fantury Sistemas.

FanturyF a n t u r y. Sistemas. 10 anos de experiência em sistemas de Gestão Empresarial ERP. Fantury Sistemas. Fantury. A Fantury apresenta sistemas atualizados com modernos conceitos de tecnologia de informação, como: ERP - CRM - BI - MRP - B2B. Nós ajudamos nossos clientes a ter um melhor personalização de resultados,

Leia mais

Infor Supply Chain Execution Sistema de Gerenciamento de Armazéns. Edgar Eler Arquiteto de Sistemas

Infor Supply Chain Execution Sistema de Gerenciamento de Armazéns. Edgar Eler Arquiteto de Sistemas Infor Supply Chain Execution Sistema de de Armazéns Edgar Eler Arquiteto de Sistemas Sobre a Mag-W A Mag-W foi criada especialmente para trazer ao mercado o que há de melhor em soluções corporativas de

Leia mais