Matemática. Resolução das atividades complementares. M1 Trigonometria no ciclo. 1 Expresse: p 4 rad. rad em graus. 4 rad 12 p b) 330 em radianos.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Matemática. Resolução das atividades complementares. M1 Trigonometria no ciclo. 1 Expresse: p 4 rad. rad em graus. 4 rad 12 p b) 330 em radianos."

Transcrição

1 Resolução das atividades comlementares Matemática M Trigonometria no ciclo. 7 Eresse: a) em radianos c) em radianos e) rad em graus rad rad b) 0 em radianos d) rad em graus f) rad 0 rad em graus a) 80 rad 80? 80 rad 7 0 b) 80 rad ? 0 80 rad c) 80 rad 80? 80 rad d) 80 rad rad 80 80? 0 e) 80 rad rad 80 80? f) 80 rad rad 80 80? 7, 7 0

2 (Mackenzie-SP) O onteiro dos minutos de um relógio mede cm. Suondo, a distância, em centímetros, que a etremidade desse onteiro ercorre em minutos é: a) c) 0 e) 0 b) d) Em 0 minutos o onteiro dá uma volta, que é o comrimento da circunferência C r, em que e r. 0 r r???? cm Um arco de circunferência mede 0 e seu comrimento é km. Qual a medida do raio em metros? Use,. aroimadamente m a rad, r, km 000 m 80 rad 0 0? 7 80 rad r? 000 r 7,9 A medida do raio é, aroimadamente, metros. Determine o comrimento de um arco de ângulo central 8, cujo raio da circunferência é cm. Use,. aroimadamente 7, cm a rad, r r cm 80 rad 8 8? 7 80 rad 7,? 7, 7, O comrimento do arco é, aroimadamente, 7, cm.

3 Ao meio-dia, o onteiro dos minutos de um relógio coincide com o onteiro das horas. A que horas acontece a róima coincidência? h min 7s Em 00, o onteiro das horas ercorre 0, e o dos minutos, 0. onteiro das horas: 00 0 a a 0 (I) onteiro dos minutos: a 00? ( 0 a) 0 0? ( 0 a) (II) Substituindo (I) em (II), temos: 0? 00 0 ( ) h 7 Portanto, a róima coincidência acontecerá às h min 7s. Um circuito de kart tem uma ista circular de raio 00 m. Um iloto, ara testar a ista e o kart, desenvolve uma velocidade constante de 80 km/h. Determine o número de voltas que ele deu na ista, aós minutos., voltas C r?,? 00 C 0 m Como a velocidade é 80 km/h, em minutos ele andou 80 0 km 0000 m número de voltas, 0 Aós minutos, o iloto deu, voltas na ista. 7 Ana retende colocar renda em todo o erímetro de uma toalha circular de raio m. Quantos metros de renda ela deve comrar?,0 m C r?,? C,8 m Ela deve comrar,0 metros de renda.

4 8 Considerando o raio da Terra igual a 70 km, qual a medida do comrimento da linha do equador? aroimadamente 000, km C r?,? 70 C 000, km A linha do equador tem, aroimadamente, 000, km. 9 (Unes-SP) Em um jogo eletrônico, o monstro tem a forma de um setor circular de raio cm, como mostra a figura. A arte que falta no círculo é a boca do monstro, e o ângulo de abertura mede rad. O erímetro do monstro, em centímetros, é: a) c) e) b) d) A cm O rad rad ( cm) B O comrimento do arco menor AB é cm. O erímetro do monstro é r.

5 0 Calcule o menor ângulo formado elos onteiros de um relógio que está assinalando: a) h 0 b) h min 0 c) h 0min a) h Em 0 o onteiro dos minutos ercorre 0, e o onteiro das horas, 0. Então, às horas, o menor ângulo formado é? 0 0. b) h min Em 0 o onteiro das horas ercorre 0 ; em, ercorrerá: 0 0 a? 0 a a a c) h 0min Em 0 o onteiro das horas ercorre 0 ; em 0, ercorrerá: a a 0? 0 0 a 0 a 0

6 Na figura abaio, os arcos AMB, ADC e CEB têm, resectivamente, raios 0 cm, 0 cm e 0 cm. Determine os comrimentos desses arcos. O que odemos concluir? AMB 9, cm; ADC, cm e CEB,8 cm arco AMB r?,? 0 9, cm arco ADC r,?? 0, cm arco CEB r?,? 0,8 cm Podemos concluir que AMB ADC CEB. Um grado ( gr) é um ângulo central que determina na circunferência um arco de comrimento igual a da circunferência. Quantos radianos tem um ângulo de 0 gr? 00 rad rad 00 gr 0 gr 0? 00 rad Um ciclista leva minutos ara dar uma volta numa ista circular de raio 0 m. Qual o comrimento da ista e qual a velocidade do ciclista em metros or minuto? 9 m e v 0 m/min C r?,? 0 C 9 m v s? 0 v 0 m/min t

7 . 0 Determine as medidas de, em graus, associadas ao arco e a, nas quatro rimeiras voltas ositivas., 0, 7, Determine as medidas de, em radianos, associadas ao arco de 8 negativas. 8, 7 8, nas três rimeiras voltas Construa um ciclo trigonométrico e marque os ontos corresondentes a: 0; ; ; ; ; ;. a) Qual é o simétrico de em relação à origem? b) Qual é o simétrico de em relação ao eio das ordenadas? π C B π π D A 0 m π π E F π a) O simétrico de em relação à origem é. b) O simétrico de em relação ao eio das ordenadas é.

8 7 Seja o arco de eressão geral: a k, k B. a) Qual o valor da eressão ara k 0? a b) Qual o valor da eressão ara k 7? a 7 a k, k Z a) k 0 a b) k 7 a? 7? 7 8 a) Escreva em graus a eressão geral dos arcos de 0. b) Qual é a imagem do arco se k? a 700 a) a 0 0 k, k B b) a 0 0? () 700 a 0 0 k, k B 9 Em que quadrante se encontra a etremidade dos arcos de: a) 90 o quadrante b) 90 o quadrante c) 8 o quadrante a) 90 ()? 0 0 a rimeira determinação é igual a 0, que se encontra no o quadrante. b) 90 ()? 0 0 a rimeira determinação é igual a 0, que se encontra no o quadrante. c) 8 (0)? a rimeira determinação é, que se encontra no o quadrante. 8 8

9 0 Descubra a rimeira determinação ositiva e escreva a eressão geral dos arcos congruentes ao arco de 0. a 0 e a 0 0 k, k B ()? 0 0 A rimeira determinação é 0. a 0 0 k, k B Determine o raio do círculo ercorrido or um onto, sabendo que em uma volta e meia ercorreu uma distância de 9,0 km. km uma volta e meia r r r r r 000 m km?, Determine a medida dos arcos AB e AC, em radianos, sabendo que estão orientados no sentido horário. med (AB) e med (AC) rad rad Observando o sentido horário dos arcos, temos: med (AB) med (AC)

10 . Nas figuras a seguir, determine em graus os arcos AB, AC, AD e AE. a) med (AB) 8 med (AC) med (AD ) 8 med (AE) b) med (AB) med (AC) 8 med (AD) 0 med (AE) 8 a) med (AB) 8 med (AC) 80 8 med (AD ) med (AE) 0 8 b) med (AB) 0 80 med (AC ) 80 8 med (AD ) 80 0 med (AE) 0 8 0

11 Os olígonos a seguir são quadrados. Determine em radianos os arcos corresondentes aos vértices. a) med (AB) med (AC) med (AD) b) med (AB) med (AC) med (AD) med ( AE) 7 a) AB é um arco de 90, equivalente a rad; então: med (AB) med (AC) med (AD) b) BD e CE são diagonais do quadrado; ortanto, o arco AB mede e os arcos BC, CD e DE são arcos de 90 ou rad. Assim: med (AB) med (AC) med (AD) med (AE)? 7

12 . Associe os valores da segunda coluna aos valores dos senos da rimeira coluna: a) sen a:, b:, c:, d:, e:, f: b) cos. c) cos d) sen 7.. e) sen. f) cos. Observando o ciclo trigonométrico abaio com os ângulos e seus resectivos senos e cossenos, temos: a) sen 70 () c) cos () e) sen 0 ( ) b) cos () d) sen 7 () f) cos cos ()

13 Determine os valores de: a) sen 9 d) sen 0 g) cos 0 b) sen 7 e) cos h) cos 000 c) sen 0 f) cos 0 a) 9 sen 9 sen b) 7 0 sen 7 sen c) sen sen 0 d) sen 0 e) cos f) 0 ()? 0 cos 0 cos g) cos 0 h) 000 (00)? cos 000 cos ( ) ( ) 7 Determine o valor da eressão: A cos 0 sen sen 0 ()? cos 0 cos ()? sen sen sen ( ) sen ( ) sen ( ) A cos 0 sen ( )

14 8 Calcule sen (0 ) e cos ( ). sen ( 0 ) e cos ( ) sen (a) sen a sen (0 ) sen 0 cos (a) cos a cos ( ) cos s en ( 0 ) e cos ( ) 9 Simlifique: A sen ( ) cos (7 ), ara ()? ; 7 ()? ;. A ( ) ( ) A A sen cos sen cos A 0 Se a b 70 e a b 0, determine o valor de cos a cos b. a b 70 a b 0 a 80 a 0 Substituindo a, temos: a b 70 0 b 70 b 0 Então: cos 0 cos 0.

15 Se a 80, determine o valor de sen a? cos a. 80 ()? 0 00 sen 00? cos 00? sen a? cos a Calcule o valor da eressão: A sen cos 0 A sen 9 sen 0 cos 00 A sen 70 sen cos 0, ara 0. sen 9 sen? 0 cos 0? 0 sen 9? 0 A Se sen a, qual o sinal de a? Qual o valor do sen em função de a? ? Portanto, é um ângulo do rimeiro quadrante e seu seno é ositivo. Se e sen sen ( ), então: 8 8 sen sen sen a 8 ( 8 ) 8 Então, a é ositivo e sen a. 8 a é ositivo e sen a. 8

16 Se sen, determine: a) sen ( ) c) sen ( ) b) sen ( ) d) sen ( ) Observando o ciclo trigonométrico abaio, temos: (π ) N M () π (π ) P Q (π ) a) sen ( ) b) sen ( ) c) sen ( ) d) sen ( ) (Unes-SP modificado) Do solo, você observa um amigo numa roda-gigante. A altura em metros de seu amigo em relação ao solo é dada ela eressão: h(t), 0 sen t ( ), em que o temo é dado em segundos e a medida angular em radianos. A que altura seu amigo se encontrava do solo quando a roda começou a girar (t 0)?, m h(t), 0 sen? (t ) h(0), 0 sen? ( 0 ) h(0), 0 sen h(0), 0 sen,, m

17 Para que valores de temos sen, se 0 <, 0? e Pelo ciclo trigonométrico, odemos concluir que sen, ara e ara. 7 O fenômeno da maré em determinado onto da costa brasileira ode ser obtido ela eressão: P(t) cos? t ( ), em que t é o temo decorrido aós o início da oeração (t 0), e P(t) é a rofundidade da água no instante t. Qual é a rofundidade da água no início da oeração? 9 m P(t)? cos P(0) cos t?? P(0)? cos? ( ) 0 ( ) ( ) ( ) P(0) 9,0 A rofundidade da água no início da oeração é 9 metros. 7

18 . 8 Construa o gráfico das funções a seguir, dando o domínio, a imagem e o eríodo. a) y b) y cos ( ) c) y ( ) a) y Fazendo a tabela com os valores rinciais da rimeira determinação ositiva, temos: o quadrante crescente o quadrante crescente o quadrante decrescente o quadrante decrescente Esboçando o gráfico da função, temos: D V Im(f) [, ] P ( ) b) y Fazendo a tabela com os valores rinciais da rimeira determinação ositiva, temos: ( ) cos ( )

19 Esboçando o gráfico da função, temos: y,π π,π π 0,π 0 0 π π π π 7π D V Im(f) [, ] P 7 ( ) c) y Fazendo a tabela com os valores rinciais da rimeira determinação ositiva, temos: ( ) cos ( ) cos ( ) y 0,π π,π π 0,π 0 0,π π,π π,π D V Im(f) [0, ] P 9

20 9 Determine o eríodo da função: f() sen ( ). f() sen ( ) ( ) 0 Seja a função real f() cos a. Qual o valor de a ara que o eríodo dessa função seja? f() cos a 0 a 0 a 0 a a a a a (FGV-SP) Para que valores de m, a equação na incógnita, sen m, admite solução? m sen m m sen Como < sen <, então: m m m m 0

21 Seja a função f: V V definida or y sen 0 sen { } Então, D(f) IR. sen. Qual é o domínio da função no intervalo [0, ]? D IR { } ( ) Qual é a imagem da função f() ( ) ( ) cos ( ) ( ) Im(f) { V < y < } [, ]? Im [, ] Seja a função f: V V definida or f(). Considere as afirmações: I. f() é uma função ar. II. f() é uma função eriódica de eríodo. III. A imagem de f() [, ]. Podemos afirmar que: a) I e II são verdadeiras, e III é falsa. d) todas são verdadeiras. b) I é falsa, e II e III são verdadeiras. e) todas são falsas. c) I e III são verdadeiras, e II é falsa. I. (Verdadeira) cos (); ortanto, a função é ar. II. (Verdadeira) cos ( k); então,. III. (Falsa) < < < < Im(f) [, ]

22 O custo de dezenas de certo roduto é dado ela função: C( ) sen ( ) em milhares de reais. Qual é o valor do custo mínimo desses rodutos? Quantas dezenas odem ser fabricadas or esse custo? 000 reais;, dezena sen ( ) Portanto, o valor máimo de sen ( ) C() sen ( ) é, e o custo só será mínimo quando sen ( ) C() o valor do custo mínimo é 000 reais. ( ) ( ) ( ) sen sen sen sen for máimo., O custo mínimo desses rodutos é R$ 000,00 e ode ser fabricada, dezena or esse custo. Se sen sen y, 0 e ainda 0, odemos afirmar que: a) y c) sen 0 e), sen y 0 b) y d) cos y sen y cos No ciclo acima verificamos que se sen. sen y, então:. y e cos y..

23 7 A função f: V V dada or f() é: a) decrescente ara 0 c) decrescente ara 0 e) crescente ara b) crescente ara 0 d) crescente ara 0 Fazendo a tabela com os valores rinciais da rimeira determinação ositiva, temos: Esboçando o gráfico da função, temos: y 0 π π π π π 0 π π π π π Portanto, a resosta certa é a alternativa a, ois a função é decrescente ara 0 < <.

24 8 O valor máimo da função f() sen é: a) c) e) 0 b) d) sen sen Portanto, o valor máimo é. 9 A figura a seguir reresenta o gráfico da função y a cos b. Os valores de a e b são, resectivamente: a) e c) e e) b) e d) e Observando o gráfico, temos: Se b 0 0 Se b b 0 b b b Como a imagem da função é [, ], então a. e

25 0 (ITA-SP) Sejam f e g duas funções definidas or: sen sen f() e g() ( ) (, R ) I A soma do valor mínimo de f com o valor mínimo de g é igual a: a) 0 c) e) b) d) sen ( ) ( ) sen f() ; g() f será mínimo se sen, e g será mínimo se sen. fmin ( ) gmin ( ) fmin gmin (FGV-SP) Considere a função f() resectivamente:. Os valores máimo e mínimo de f() são, a) e c) e e) e b) e 0 d) e 0 f() cos cos Portanto, o valor máimo é, e o valor mínimo é.

26 . 8 Determine os valores de: a) tg (0 ) c) tg 000 e) tg 0 não eiste b) tg 0 d) tg a) tg (0 ) tg (0 ) tg 0 tg (0 ) b) tg 0 tg 0 tg 0 c) tg 000 tg tg d) tg 700 tg tg e) tg tg tg (não eiste) Dê o sinal dos números: a) tg c) tg e) tg 7 ositivo negativo negativo b) tg d) tg ositivo ositivo Observe, no ciclo, os valores das tangentes dos referidos arcos: π π π 7π π Então: a) tg 0 sinal ositivo b) tg 0 sinal ositivo c) tg, 0 sinal negativo d) tg 0 sinal ositivo e) tg 7, 0 sinal negativo

27 ( )? Qual é o domínio da função y tg ( ) D(f) IR k {, k Z 8 } y tg k k k k, k Z 8 D(f) IR k {, k Z 8 } ( ). Esboce o gráfico e dê o domínio, a imagem e o eríodo da função y tg Fazendo uma tabela com os valores rinciais da rimeira determinação ositiva, temos: tg ( ) 0 0 não eiste 0 7 não eiste 9 0 Esboçando o gráfico da função, temos: y,π π,π 0 π 0,π 0 0,π π,π π,π k k D(f) IR k, k Z Im(f) IR { } 7

28 m Se tg, ara que valores de m eiste essa função? m m A única restrição ara m, neste caso, é que o denominador seja diferente de zero; ortanto, m. 7 Determine A sen ( )? cos ( ) tg ( )? tg ( ), ara A sen ( )? cos ( ) tg ( )? tg ( ); sen ( ) sen cos ( ) tg ( ) tg tg ( ) tg Então: A sen? cos tg? tg ( ) ( ) ( ) A? ( ) () A A ( )?. 8 Resolva as eressões: a) A tg tg b) B tg tg a) tg A tg tg A? 0 A 0 b) tg ; tg B tg tg ( ) ( ) B B B 9 0 8

29 9 Se f() tg, ara que valores de, [0, ], temos f()? Para [ 0, ], tg ; ara ou. ou ( )? 0 Qual o eríodo da função real y tg A função tg tem eríodo, então: 0 e ( ) Localize os arcos no ciclo trigonométrico e coloque-os em ordem crescente: tg 0, tg, tg 0 e tg 0. tg tg 0 tg 0 tg 0 Com os dados, temos: tg 0 0 tg 0 0 tg 0 0 tg Então, tg, tg 0, tg 0, tg 0. 9

30 . Resolva as equações no intervalo 0. a) sen S c) tg S e) tg 0 { b) 0 } d) sen {, } S, { } S 7, { } a) sen sen sen S { } b) 0 cos ou cos cos S, ( ) { } c) tg tg tg ou tg tg S, ( ) { } d) sen sen sen 7 7 ou sen sen sen S 7, ( ) { } e) tg 0 tg tg 0 0 ou tg tg S {0, } S {0, } 0

31 Resolva as equações reais. a) b) tg c) sen d) sen S { } { } S IR k ou k, k Z S IR { k, k Z } S IR k ou k, k Z { } e) S { } a) k cos k ou k k S IR k ou { k, k Z } b) tg tg tg k S IR k, k Z { } c) sen k sen sen ou k S k ou { IR k, k Z } d) sen ; não eiste tal que sen, ois < sen <. S { } e) ; não eiste tal que, ois < <. S { } ( k Z ) ( k Z )

32 Resolva a equação em V: { } S IR k ou 7 k, k Z. cos k k ou 7 k, k Z S IR k ou 7 { k, k Z } Determine o conjunto verdade da equação sen, ara 0. sen ; 0, sen sen Se sen sen sen ou Se sen sen sen ou 7 S,,, 7 { } { } S,,, 7 Determine a soma das raízes da equação tg no intervalo 0. tg ; 0, tg tg Se tg tg tg ou Se tg tg tg ou soma

33 { } S IR 7 k ou k, k Z 7 Resolva a equação sen no conjunto dos números reais. sen sen sen sen 7 7 k 7 k ou k k S 7 k ou { IR k, k Z } 8 Resolva a equação, no intervalo 0. S ; 0 S, { } cos {, } k k k k k k

34 9 Resolva a equação, no intervalo 0. ; 0, k k k k { } S 0,,,,, k 0 0 k k (não convém) k k { } S 0,,,,, k k 0 0 k k k k k k (não convém) 70 Resolva a equação trigonométrica ( sen )? ( ) 0, no intervalo 0. S,,,,, 7 { } ; 0 <, ( sen )? ( ) 0, temos: sen 0 ou 0. Se sen 0 sen, e sen ; ; ou 7 Se 0 ; ou. S,,,,, 7 { }.

35 7 Resolva a equação sen? sen 0 em V. S IR k ou k, k Z sen? sen 0 sen? ( ) ( ) 0 (sen )? ( ) 0 sen 0 ou 0 Se sen 0 sen k Se 0 k S IR { k ou k, k Z } { } 7 Determine V tal que sen 7 sen sen 0. S IR k ou k ou k, k Z { } sen 7 sen sen 0 sen 0 sen? ( sen 7 sen ) 0 ou sen 7 sen 0 Se sen 0 k sen (não convé Se sen 7 sen sen m) ou sen sen sen sen k ou ( k ) S IR k ou k ou { k, k Z }

36 7 Calcule a soma das raízes da equação tg ( ) ( )? (sen ) 0 no intervalo 0. tg? (sen ) 0; 0, tg? (sen ) 0 tg ( 0 ou sen ) 0 Se tg 0 tg k ou k Se sen 0 sen k Então, as raízes são:, 7,, ou. soma Resolva o sistema ( ) y y. {( )}, cos ( y) cos ( y) cos y y Substituindo, temos: y y y S, {( )} y y

37 7 (Unes-SP) Uma equie de mergulhadores, dentre eles um estudante de Ciências Eatas, observou o fenômeno das marés em determinado onto da costa brasileira e concluiu que era eriódico e odia ser aroimado ela eressão: P(t) cos t ( ), em que t é o temo (em horas) decorrido aós o início da observação (t 0) e P(t) é a rofundidade da água (em metros) no instante t. Resolva a equação cos t (, ) ara t 0. S t IR t 9 { k, k IN } cos t ( ; t ) 0 cos t ( ) cos t k t t? ( k) k t 9 k t t 9 k S t IR t 9 { k, k IN } k. 7 7 Calcule cotg, sec e cossec ara: a),, b) 0 a) cotg cotg tg sec sec cos cossec cossec sen b) 0 cotg 0 cotg 0 tg 0 sec 0 sec 0 cos 0 cossec 0 cossec 0 sen 0 7,,

38 sen sen 77 Seja. Determine os valores de: a) sen c) tg b) cos cos e) sec b) sen d) cotg f) cossec c) tg tg cos a) d) cotg cotg tg sen sen e) sec sec b) cos cos sen c) tg tg f) cossec cossec sen cos d) cotg cotg tg e) sec sec cos 78 Determine f) cossec o domínio da função real: cossec y cotg sen ( ) y cotg k k 8 D(f) k { IR, k Z 8 } ( ). k, k Z D(f) IR k {, k Z 8 } ( ) 79 Para que valores de eiste a função y sec? ( ) y sec k k ( k), k Z ( k) A função eiste ara, k Z. 8

39 80 Determine m ara que a função y cotg ( m ) tenha eríodo. m 0 m m m m m m ( ) m 8 Determine m ara que a função y sec m m 0 m m m m m m ( ) tenha eríodo. m 8 Calcule m de modo que cossec a m 7 e a, Entre e, a cossecante é menor ou igual a, então: m 7 m. m 9

40 8 Qual o sinal de f() sen? (sec ) no intervalo,? ositivo f() sen? ( sec );, f() sen? ( tg ) A função tangente no intervalo, é negativa; então, f() é ositiva. 8 Determine o sinal do roduto: A tg? sec? cossec 7. tg, 0 sec, 0 cos cossec 7. 0 A tg? sec? cossec 7. 0 Então, o sinal do roduto é ositivo. ositivo 8 Resolva a eressão: A cossec 7 cotg? sec 0? cotg. A cossec 7? cotg sec 0? cotg cossec 7 cossec cossec 7 sen cotg cotg sec 0 sec cos cotg cotg A???? 0 A 0

41 S, 0, 8 Considere a função f() cossec a. Resolva a equação f() 0, ara a. f() cossec a cossec 0 cossec 0 0 ou ( 0 ) S, 0, 87 Resolva a equação em V: cotg. { } S IR k, k Z cotg tg tg tg tg k, k S IR { k, k Z } Z 88 Resolva a equação cossec no intervalo [0, ]. S { } cossec sen sen S { } (não eiste que satisfaça essa condição)

42 89 Resolva a equação sec sec sec 0 sec sec sec ou 7 S, 7 { } sec 0 no intervalo [0, ]. 0 sec 0 (não eiste) ou { } S, 7 cos Se sen sen e,,, determine as demais funções trigonométricas., tg, cotg, sec ertence ao segundo quadrante., cossec sen no segundo quadrante, é negativo. tg sen tg cotg cotg tg sec sec cossec cossec sen

43 9 Sabendo que sen, determine A sen?. A sen elevando ao quadrado os dois membros, temos: (sen ) sen sen? ( ) sen? sen? A sen? A 9 Se tg, determine y y. sen Como tg, tg. Então: tg 7 y 7 y 7 tg 9 Determine o valor da eressão: A (sen ) (sen ). A (sen ) (sen ) A sen sen? cos sen sen? cos Como sen cos, temos: A. A

44 9 Determine o valor numérico da eressão y tg? y tg? cos se n? sen cossec cotg ( ) tg? ara cotg 7 e,,. tg? cotg? cossec tg?? cossec tg cossec cossec no terceiro quadrante, a cossecante é ositiva; logo, y. y 9 Dado sec 8, determine o valor da eressão y sen? tg. y 0 y sen? tg y sen? sen sen sen y sec 8 y 0

45 9 (Fuvest-SP) A soma das raízes da equação sen cos 0 que estão no intervalo [0, ] é: a) c) e) 7 b) d) sen cos 0 cos cos 0 Fazendo cos y, temos: y y 0. y y 8 ou y Se,, ou 7 Se não eiste soma 7 97 Resolva a equação cos sen no intervalo [, [. S { 7, } sen sen sen sen sen Se sen ou ; então, não ertencem ao intervalo [, [. Se sen 7 ou ; então, ertencem ao intervalo [, [. Logo, S 7, { }.

46 V V 98 (Unemat-MT) Na eressão. O numerador é igual a sen? tg.. O denominador é igual a? cotg. F. Podemos dizer que sec? cotg? sen, odemos afirmar: cossec? sen sec? cotg cotg? sec? cotg? sen cossec? sen sec? cotg cotg? tg. F. Se considerarmos sec? cotg cotg? isoladamente, então oderemos substituí-la or sen. F. O numerador é igual ao denominador, ortanto a eressão é igual a (um). cossec sec? cotg? sen? sen sec? cotg cotg? sen. (Verdadeira). (Verdadeira). (Falsa); sen cotg?? cotg? tg sen sen sen cotg?? tg sen tg. (Falsa); sec? cotg cotg? cotg. (Falsa)?? sen sen? sen?? sen sen sen sen s en ( ) sen ( ) sen 99 Para que valores de m sen m m e? m Se, sen 0; então, m m 0 m m 0 (m ) 0 m

47 00 (Fuvest-SP) Se a está no intervalo 0, de a é: a) c) e) 7 b) d) sen a cos a 7 e satisfaz sen a cos a, então o valor da tangente ( sen a cos a )? (sen a cos a) cos cos a a cos a cos a cos a 8 cosseno ositivo, ois ertence ao rimeiro quadrante. sen a cos a sen a 0 seno também ositivo. tg a (UFAM) Associe as eressões equivalentes das duas colunas e assinale a alternativa corresondente à associação correta. sen (A) () (B) sec () tg (C) sec () (D) cossec cotg () tg a) A, B, C, D c) A, B, C, D e) A, B, C, D b) A, B, C, D d) A, B, C, D () sen sec (B) () tg sen sen cos () cossec cotg sen (A) sen (D) sen sen () sec sen tg (C) 7

Matemática. Resolução das atividades complementares. M1 Trigonometria no ciclo. 1 Expresse: p 4 rad. rad em graus. 4 rad 12 p b) 330 em radianos.

Matemática. Resolução das atividades complementares. M1 Trigonometria no ciclo. 1 Expresse: p 4 rad. rad em graus. 4 rad 12 p b) 330 em radianos. Resolução das atividades comlementares Matemática M Trigonometria no ciclo. 7 Exresse: a) em radianos c) em radianos e) rad em graus rad rad b) 0 em radianos d) rad em graus f) rad 0 rad em graus a) 80

Leia mais

r 5 200 m b) 1 min 5 60 s s t a 5

r 5 200 m b) 1 min 5 60 s s t a 5 Resolução das atividades comlementares Matemática M Trigonometria no ciclo. 0 Um atleta desloca-se à velocidade constante de 7,8 m/s numa ista circular de raio 00 m. Determine as medidas, em radianos e

Leia mais

Lista de exercícios Trigonometria Problemas Gerais. Parte 1 : Tangente da soma e da diferença de arcos e tangente do dobro de um arco

Lista de exercícios Trigonometria Problemas Gerais. Parte 1 : Tangente da soma e da diferença de arcos e tangente do dobro de um arco Lista de eercícios Trigonometria Problemas Gerais Prof ºFernandinho Parte 1 : Tangente da soma e da diferença de arcos e tangente do dobro de um arco 01.(Fuvest) Se é um ângulo tal que 0 < < 90 e sen =,

Leia mais

MÓDULO 29. Trigonometria I. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA. Fórmulas do arco duplo: 1) sen (2a) = 2) cos (2a) =

MÓDULO 29. Trigonometria I. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA. Fórmulas do arco duplo: 1) sen (2a) = 2) cos (2a) = Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA MÓDULO 9 Trigonometria I Resumo das principais fórmulas da trigonometria Arcos Notáveis: Fórmulas do arco duplo: ) sen (a) = ) cos (a) = 3)

Leia mais

2. Função polinomial do 2 o grau

2. Função polinomial do 2 o grau 2. Função polinomial do 2 o grau Uma função f: IR IR que associa a cada IR o número y=f()=a 2 +b+c com a,b,c IR e a0 é denominada função polinomial do 2 o grau ou função quadrática. Forma fatorada: a(-r

Leia mais

Potenciação no Conjunto dos Números Inteiros - Z

Potenciação no Conjunto dos Números Inteiros - Z Rua Oto de Alencar nº 5-9, Maracanã/RJ - tel. 04-98/4-98 Potenciação no Conjunto dos Números Inteiros - Z Podemos epressar o produto de quatro fatores iguais a.... por meio de uma potência de base e epoente

Leia mais

C Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 9

C Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 9 RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 9 TRIGONOMETRIA TRIÂNGULO RETÂNGULO Considere um triângulo ABC, retângulo em  ( = 90 ), onde a é a medida da hipotenusa, b e c, são as medidas dos catetos e a, β são os ângulos

Leia mais

Assunto: Razões Trigonométricas no Triângulo Retângulo. 1) Calcule o seno, o co-seno e a tangente dos ângulos indicados nas figuras:

Assunto: Razões Trigonométricas no Triângulo Retângulo. 1) Calcule o seno, o co-seno e a tangente dos ângulos indicados nas figuras: Assunto: Razões Trigonométricas no Triângulo Retângulo 1) Calcule o seno, o co-seno e a tangente dos ângulos indicados nas figuras: b) 15 5 α α 1 resp: sen α =/5 cos α = /5 tgα=/ resp: sen α = 17 cos α

Leia mais

3)Seno de alguns arcos importantes

3)Seno de alguns arcos importantes Aula 4-A -Funções trigonométricas no ciclo trigonométrico ) Função seno (definição) )Gráfico da função seno )Seno de alguns arcos imortantes 4) Equações e inequações 5) Resolução de exercícios ) Função

Leia mais

Resolução dos Exercícios sobre Derivadas

Resolução dos Exercícios sobre Derivadas Resolução dos Eercícios sobre Derivadas Eercício Utilizando a idéia do eemplo anterior, encontre a reta tangente à curva nos pontos onde e Vamos determinar a reta tangente à curva nos pontos de abscissas

Leia mais

3.1 Cálculo de Limites

3.1 Cálculo de Limites 3. Cálculo de Limites EXERCÍCIOS & COMPLEMENTOS 3. FORMAS INDETERMINADAS 0 0 0 0 OPERAÇÕES COM OS SÍMBOLOS + = = ( ) = k = ; se k > 0 k = ; se k < 0 ( ) ( ) = k = ; se k > 0 = ; se > 0 = 0; se < 0 k =

Leia mais

MATEMÁTICA CADERNO 3 CURSO E. FRENTE 1 Álgebra. n Módulo 11 Módulo de um Número Real. 5) I) x + 1 = 0 x = 1 II) 2x 7 + x + 1 0

MATEMÁTICA CADERNO 3 CURSO E. FRENTE 1 Álgebra. n Módulo 11 Módulo de um Número Real. 5) I) x + 1 = 0 x = 1 II) 2x 7 + x + 1 0 MATEMÁTICA CADERNO CURSO E ) I) + 0 II) 7 + + 0 FRENTE Álgebra n Módulo Módulo de um Número Real ) 6 + < não tem solução, pois a 0, a ) A igualdade +, com + 0, é verificada para: ọ ) + 0 ou ọ ) + + + +

Leia mais

Função Logarítmica Função Exponencial

Função Logarítmica Função Exponencial ROTEIRO DE ESTUDO MATEMÁTICA 2014 Aluno (a): nº 1ª Série Turma: Data: /10/2014. 3ª Etapa Professor: WELLINGTON SCHÜHLI DE CARVALHO Caro aluno, O objetivo desse roteiro é orientá-lo em relação aos conteúdos

Leia mais

Arcos na Circunferência

Arcos na Circunferência Arcos na Circunferência 1. (Fuvest 013) Uma das primeiras estimativas do raio da Terra é atribuída a Eratóstenes, estudioso grego que viveu, aproximadamente, entre 75 a.c. e 195 a.c. Sabendo que em Assuã,

Leia mais

Sistema Internacional de unidades (SI). 22/06/1799 sistema métrico na França

Sistema Internacional de unidades (SI). 22/06/1799 sistema métrico na França CURSO DE ENGENHARIA CARTOGRÁFICA Carlos Aurélio Nadal Doutor em Ciências Geodésicas Professor Titular do Departamento de Geomática - Setor de Ciências da Terra Sistema Internacional de unidades (SI). 22/06/1799

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M20 Geometria Analítica: Circunferência

Matemática. Resolução das atividades complementares. M20 Geometria Analítica: Circunferência Resolução das atividades complementares Matemática M Geometria Analítica: ircunferência p. (Uneb-A) A condição para que a equação 6 m 9 represente uma circunferência é: a), m, ou, m, c) < m < e), m, ou,

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PFV - GABARITO

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PFV - GABARITO COLÉGIO PEDRO II - CAMPUS SÃO CRISTÓVÃO III 1ª SÉRIE MATEMÁTICA I PROF MARCOS EXERCÍCIOS DE REVISÃO PFV - GABARITO 1 wwwprofessorwaltertadeumatbr 1) Seja f uma função de N em N definida por f(n) 10 n Escreva

Leia mais

TIPO DE PROVA: A. Questão 4. Questão 1. Questão 2. Questão 5. Questão 3. Questão 6. alternativa D. alternativa C. alternativa D.

TIPO DE PROVA: A. Questão 4. Questão 1. Questão 2. Questão 5. Questão 3. Questão 6. alternativa D. alternativa C. alternativa D. Questão TIPO DE PROVA: A Um pintor pintou 0% de um muro e outro pintou 60% do que sobrou. A porcentagem do muro que falta pintar é: a) 0% b) % c) % d) 8% e) % O primeiro pintou 0% do muro, logo restou

Leia mais

α rad, assinale a alternativa falsa.

α rad, assinale a alternativa falsa. Nome: ºANO / CURSO TURMA: DATA: 0 / 09 / 0 Professor: Paulo (G - ifce 0) Considere um relógio analógico de doze horas O ângulo obtuso formado entre os ponteiros que indicam a hora e o minuto, quando o

Leia mais

SIMULADO. Matemática 2 (PUC-RS) 1 (Unimontes-MG)

SIMULADO. Matemática 2 (PUC-RS) 1 (Unimontes-MG) (Unimontes-MG) (PUC-RS) Quando um relógio está marcando horas e minutos, o menor ângulo formado pelos seus ponteiros é de: Considere o relógio localizado na entrada do MCT. a) º0 b) º0 c) 7º d) º Considerando

Leia mais

MATEMÁTICA - 1 o ANO MÓDULO 42 TRIGONOMETRIA: CÍRCULOS E LINHAS TRIGONOMÉTRICAS

MATEMÁTICA - 1 o ANO MÓDULO 42 TRIGONOMETRIA: CÍRCULOS E LINHAS TRIGONOMÉTRICAS MATEMÁTICA - 1 o ANO MÓDULO 42 TRIGONOMETRIA: CÍRCULOS E LINHAS TRIGONOMÉTRICAS O R I y 90º 180º II Q I Q + 0º/360º III Q IV Q - 270º 1290º 210 360º 3 Como pode cair no enem (ENEM) As cidades de Quito

Leia mais

Lista 1. Sistema cartesiano ortogonal. 1. Observe a figura e determine os pontos, ou seja, dê suas coordenadas: a) A b) B c) C d) D e) E

Lista 1. Sistema cartesiano ortogonal. 1. Observe a figura e determine os pontos, ou seja, dê suas coordenadas: a) A b) B c) C d) D e) E Sistema cartesiano ortogonal Lista. Observe a figura e determine os pontos, ou seja, dê suas coordenadas: a) A b) B c) C d) D e) E. Marque num sistema de coordenadas cartesianas ortogonais os pontos: a)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA Quarta lista de Eercícios de Cálculo Diferencial e Integral I - MTM 1 1. Nos eercícios a seguir admita

Leia mais

Relações Métricas nos. Dimas Crescencio. Triângulos

Relações Métricas nos. Dimas Crescencio. Triângulos Relações Métricas nos Dimas Crescencio Triângulos Trigonometria A palavra trigonometria é de origem grega, onde: Trigonos = Triângulo Metrein = Mensuração - Relação entre ângulos e distâncias; - Origem

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DO VESTIBULAR 2014 DA FUVEST-FASE 1. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DO VESTIBULAR 2014 DA FUVEST-FASE 1. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DO VESTIBULAR 014 DA FUVEST-FASE 1. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA Q ) Um apostador ganhou um premio de R$ 1.000.000,00 na loteria e decidiu investir parte do valor

Leia mais

21. Um professor propôs aos seus alunos o seguinte exercício: "Dada a função

21. Um professor propôs aos seus alunos o seguinte exercício: Dada a função 0. Estima-se que 150 m de terra sejam necessários para fornecer alimento para uma pessoa. Admite-se, também, que há 0 x 150 bilhões de m de terra arável no mundo e que, portanto, uma população máxima de

Leia mais

ESCOLA DR. ALFREDO JOSÉ BALBI UNITAU APOSTILA PROF. CARLINHOS NOME: N O :

ESCOLA DR. ALFREDO JOSÉ BALBI UNITAU APOSTILA PROF. CARLINHOS NOME: N O : ESCOLA DR. ALFREDO JOSÉ BALBI UNITAU APOSTILA FUNÇÃO DO 1º GRAU PROF. CARLINHOS NOME: N O : 1 FUNÇÃO DO 1º GRAU DEFINIÇÃO Chama-se função do 1. grau toda função definida de por f() = a b com a, b e a 0.

Leia mais

Vestibular 2ª Fase Resolução das Questões Discursivas

Vestibular 2ª Fase Resolução das Questões Discursivas COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 010 Prova de Matemática Vestibular ª Fase Resolução das Questões Discursivas São apresentadas abaixo possíveis

Leia mais

MATEMÁTICA. 01. Considere a função f, com domínio e contradomínio o conjunto dos números

MATEMÁTICA. 01. Considere a função f, com domínio e contradomínio o conjunto dos números MATEMÁTICA 01. Considere a função f, com domínio e contradomínio o conjunto dos números reais, dada por f(x) = 3 cos x sen x, que tem parte de seu gráfico esboçado a seguir. Analise a veracidade das afirmações

Leia mais

(c) 30% (d) 25% aprovados. é a quantidade de: Em uma indústria é fabricado um produto ao custo de

(c) 30% (d) 25% aprovados. é a quantidade de: Em uma indústria é fabricado um produto ao custo de QUESTÃO - EFOMM 0 QUESTÃO - EFOMM 0 Se tgx sec x, o valor de senx cos x vale: ( 7 ( ( ( ( O lucro obtido pela venda de cada peça de roupa é de, sendo o preço da venda e 0 o preço do custo quantidade vendida

Leia mais

Proposta para Abordagem da Trigonometria da Primeira Volta Utilizando o Software Sintesoft Trigonometria 2.0

Proposta para Abordagem da Trigonometria da Primeira Volta Utilizando o Software Sintesoft Trigonometria 2.0 Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas, Curso de Licenciatura em Ciências Exatas, com habilitação integrada em Física, Química e Matemática Atividades desenvolvidas na pesquisa Inserção

Leia mais

Conjuntos numéricos. Notasdeaula. Fonte: Leithold 1 e Cálculo A - Flemming. Dr. Régis Quadros

Conjuntos numéricos. Notasdeaula. Fonte: Leithold 1 e Cálculo A - Flemming. Dr. Régis Quadros Conjuntos numéricos Notasdeaula Fonte: Leithold 1 e Cálculo A - Flemming Dr. Régis Quadros Conjuntos numéricos Os primeiros conjuntos numéricos conhecidos pela humanidade são os chamados inteiros positivos

Leia mais

Triângulo Retângulo. Exemplo: O ângulo do vértice em. é a hipotenusa. Os lados e são os catetos. O lado é oposto ao ângulo, e é adjacente ao ângulo.

Triângulo Retângulo. Exemplo: O ângulo do vértice em. é a hipotenusa. Os lados e são os catetos. O lado é oposto ao ângulo, e é adjacente ao ângulo. Triângulo Retângulo São triângulos nos quais algum dos ângulos internos é reto. O maior dos lados de um triângulo retângulo é oposto ao vértice onde se encontra o ângulo reto e á chamado de hipotenusa.

Leia mais

TIPO DE PROVA: A. Questão 1. Questão 4. Questão 2. Questão 3. alternativa D. alternativa A. alternativa D. alternativa C

TIPO DE PROVA: A. Questão 1. Questão 4. Questão 2. Questão 3. alternativa D. alternativa A. alternativa D. alternativa C Questão TIPO DE PROVA: A Se a circunferência de um círculo tiver o seu comprimento aumentado de 00%, a área do círculo ficará aumentada de: a) 00% d) 00% b) 400% e) 00% c) 50% Aumentando o comprimento

Leia mais

Funções. Funções. Você, ao longo do curso, quando apresentado às disciplinas de Economia, terá oportunidade de fazer aplicações nos cálculos

Funções. Funções. Você, ao longo do curso, quando apresentado às disciplinas de Economia, terá oportunidade de fazer aplicações nos cálculos Funções Funções Um dos conceitos mais importantes da matemática é o conceito de função. Em muitas situações práticas, o valor de uma quantidade pode depender do valor de uma segunda. A procura de carne

Leia mais

MA.01. 4. Sejam a e b esses números naturais: (a + b) 3 (a 3 + b 3 ) = a 3 + 3a 2 b + 3ab 2 + b 3 a 3 b 3 = = 3a 2 b + 3ab 2 = 3ab (a + b)

MA.01. 4. Sejam a e b esses números naturais: (a + b) 3 (a 3 + b 3 ) = a 3 + 3a 2 b + 3ab 2 + b 3 a 3 b 3 = = 3a 2 b + 3ab 2 = 3ab (a + b) Reformulação Pré-Vestibular matemática Cad. 1 Mega OP 1 OP MA.01 1.. 3. 4. Sejam a e b esses números naturais: (a + b) 3 (a 3 + b 3 ) a 3 + 3a b + 3ab + b 3 a 3 b 3 3a b + 3ab 3ab (a + b) Reformulação

Leia mais

2. Noções de Matemática Elementar

2. Noções de Matemática Elementar 2. Noções de Matemática Elementar 1 Notação cientíca Para escrever números muito grandes ou muito pequenos é mais cómodo usar a notação cientíca, que consiste em escrever um número na forma n é o expoente

Leia mais

CAPITULO VI. LIMITES E CONTINUIDADE DE FUNÇÕES EM R n

CAPITULO VI. LIMITES E CONTINUIDADE DE FUNÇÕES EM R n CAPITULO VI LIMITES E CONTINUIDADE DE FUNÇÕES EM R n. Generalidades O conceito geral de função e outros associados foram já estudados quando se tratou da teoria dos conjuntos. Foi igualmente estudado com

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA DA UEFS VESTIBULAR 2012 2. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia.

PROVA DE MATEMÁTICA DA UEFS VESTIBULAR 2012 2. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. PROVA DE MATEMÁTICA DA UEFS VESTIBULAR 0 Profa. Maria Antônia Gouveia. Questão Em um grupo de 0 casas, sabe-se que 8 são brancas, 9 possuem jardim e possuem piscina. Considerando-se essa infomação e as

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M2 Trigonometria nos Triângulos

Matemática. Resolução das atividades complementares. M2 Trigonometria nos Triângulos Resolução das atividades complementares Matemática M Trigonometria nos Triângulos p. 1 Em cada caso, calcule o seno, o cosseno e a tangente do ângulo agudo assinalado. a) b) sen γ = cos γ = tg γ 1 sen

Leia mais

Exercícios Trigonometria

Exercícios Trigonometria Exercícios Trigonometria Temas Abordados: Funções Trigonométricas e Equações; Arcos na Circunferência; Redução ao Primeiro Quadrante; Razões Trigonométricas.. (Upe 0) Um relógio quebrou e está marcando

Leia mais

RESOLUÇÀO DA PROVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR DA FUVEST_2007_ 2A FASE. RESOLUÇÃO PELA PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA

RESOLUÇÀO DA PROVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR DA FUVEST_2007_ 2A FASE. RESOLUÇÃO PELA PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA RESOLUÇÀO DA PROVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR DA FUVEST_007_ A FASE RESOLUÇÃO PELA PROFA MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA Questão Se Amélia der R$3,00 a Lúcia, então ambas ficarão com a mesma quantia Se Maria

Leia mais

Matemática 8. Capítulo 1. 01. UFC-CE Na fi gura a seguir, o triângulo ABC é retângulo em B. O co-seno do ângulo BAC é:

Matemática 8. Capítulo 1. 01. UFC-CE Na fi gura a seguir, o triângulo ABC é retângulo em B. O co-seno do ângulo BAC é: Matemática 8 Trigonometria Caítulo 1 01. UFC-CE Na fi gura a seguir, o triângulo ABC é retângulo em B. O co-seno do ângulo BAC é: 0. UFAM Se um cateto e a hiotenusa de um triângulo retângulo medem a e

Leia mais

Exercícios Triângulos (1)

Exercícios Triângulos (1) Exercícios Triângulos (1) 1. Na figura dada, sabe-se que r // s. Calcule x. 2. Nas figuras abaixo, calcule o valor de x. 5. (PUC-SP) Na figura seguinte, as retas r e s são paralelas. Encontre os ângulos

Leia mais

FUVEST 2008 1 a Fase Matemática RESOLUÇÃO: Professora Maria Antônia Gouveia.

FUVEST 2008 1 a Fase Matemática RESOLUÇÃO: Professora Maria Antônia Gouveia. FUVEST 008 a Fase Matemática Professora Maria Antônia Gouveia..0. Sabendo que os anos bissextos são os múltiplos de 4 e que o primeiro dia de 007 foi segunda-feira, o próximo ano a começar também em uma

Leia mais

PROVA OBJETIVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia

PROVA OBJETIVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia PROVA OBJETIVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR 0 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Profa. Maria Antônia C. Gouveia. O PIB per capita de um país, em determinado ano, é o PIB daquele ano dividido pelo número de habitantes.

Leia mais

FUNÇÕES E SUAS PROPRIEDADES

FUNÇÕES E SUAS PROPRIEDADES FUNÇÕES E SUAS PROPRIEDADES Í N D I C E Funções Definição... Gráficos (Resumo): Domínio e Imagem... 5 Tipos de Funções... 7 Função Linear... 8 Função Linear Afim... 9 Coeficiente Angular e Linear... Função

Leia mais

01- Assunto: Matrizes. Dadas as matrizes A = e B =, calcule AB + A t.

01- Assunto: Matrizes. Dadas as matrizes A = e B =, calcule AB + A t. EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES - MATEMÁTICA - ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== - Assunto: Matrizes 5 Dadas as matrizes A

Leia mais

Matemática. Subtraindo a primeira equação da terceira obtemos x = 1. Substituindo x = 1 na primeira e na segunda equação obtém-se o sistema

Matemática. Subtraindo a primeira equação da terceira obtemos x = 1. Substituindo x = 1 na primeira e na segunda equação obtém-se o sistema Matemática 01. A ilustração a seguir é de um cubo com aresta medindo 6 cm. A, B, C e D são os vértices indicados do cubo, E é o centro da face contendo C e D, e F é o pé da perpendicular a BD traçada a

Leia mais

---------------------------------------------------------- 1 UCS Vestibular de Inverno 2004 Prova 2 A MATEMÁTICA

---------------------------------------------------------- 1 UCS Vestibular de Inverno 2004 Prova 2 A MATEMÁTICA MATEMÁTICA 49 A distância que um automóvel percorre após ser freado é proporcional ao quadrado de sua velocidade naquele instante Um automóvel, a 3 km/, é freado e pára depois de percorrer mais 8 metros

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Assunto: Revisão Matemática Prof. Ederaldo Azevedo Aula 2 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Metro é uma unidade básica para representação de medidas de comprimento no Sistema Internacional(SI). Prefixos

Leia mais

A Matemática no Vestibular do ITA. Material Complementar: Prova 2014. c 2014, Sergio Lima Netto sergioln@smt.ufrj.br

A Matemática no Vestibular do ITA. Material Complementar: Prova 2014. c 2014, Sergio Lima Netto sergioln@smt.ufrj.br A Matemática no Vestibular do ITA Material Complementar: Prova 01 c 01, Sergio Lima Netto sergioln@smtufrjbr 11 Vestibular 01 Questão 01: Das afirmações: I Se x, y R Q, com y x, então x + y R Q; II Se

Leia mais

1º LISTÃO QUINZENAL DE MATEMÁTICA MAIO/2011 1º ANO PARTE 1 ESTUDO DAS FUNÇÕES

1º LISTÃO QUINZENAL DE MATEMÁTICA MAIO/2011 1º ANO PARTE 1 ESTUDO DAS FUNÇÕES 1º LISTÃO QUINZENAL DE MATEMÁTICA MAIO/2011 1º ANO PARTE 1 ESTUDO DAS FUNÇÕES 01. Dadas as funções definidas por f(x) = 1 2 x 2 x + e g(x) = + 1 2 5, determine o valor de f(2) + g(5). 02. Dada a função

Leia mais

(b) (1,0 ponto) Reciprocamente, mostre que, se um número x R possui representação infinita em toda base β, então x é irracional.

(b) (1,0 ponto) Reciprocamente, mostre que, se um número x R possui representação infinita em toda base β, então x é irracional. Sociedade Brasileira de Matemática Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional MA11 Números e Funções Reais Avaliação 3 - GABARITO 06 de julho de 013 1. (1,5 pontos) Determine se as afirmações

Leia mais

1 C. Logo, A B = {c} e P(A B) = {Ø, {c}}

1 C. Logo, A B = {c} e P(A B) = {Ø, {c}} MATEMÁTICA NOTAÇÕES = {,,,,...} : conjunto dos números reais : conjunto dos números compleos [a, b] = { ; a b} (a, + ) = ]a, + [ = { ; a < < + } A\B = { A; B} A C : complementar do conjunto A i: unidade

Leia mais

Aula 12 Áreas de Superfícies Planas

Aula 12 Áreas de Superfícies Planas MODULO 1 - AULA 1 Aula 1 Áreas de Superfícies Planas Superfície de um polígono é a reunião do polígono com o seu interior. A figura mostra uma superfície retangular. Área de uma superfície é um número

Leia mais

( ) = = MATEMÁTICA. Prova: 28/07/13. Questão 17. Questão 18

( ) = = MATEMÁTICA. Prova: 28/07/13. Questão 17. Questão 18 Prova: 8/07/13 MATEMÁTICA Questão 17 A equação x 3 4 x + 5x + 3 = 0 possui as raízes m, p e q. O valor da expressão m + p + q é pq mq mp (A). (B) 3. (C). (D) 3. Gabarito: Letra A. A expressão é igual a:

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DO VESTIBULAR 2013 DA UNICAMP-FASE 2. RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DO VESTIBULAR 2013 DA UNICAMP-FASE 2. RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA RESOLUÇÃO D PROV DE MTEMÁTIC DO VESTIBULR 0 D UNICMP-FSE. PROF. MRI NTÔNI C. GOUVEI. Em de outubro de 0, Feli Baumgartner uebrou o recorde de velocidade em ueda livre. O salto foi monitorado oficialmente

Leia mais

94 (8,97%) 69 (6,58%) 104 (9,92%) 101 (9,64%) 22 (2,10%) 36 (3,44%) 115 (10,97%) 77 (7,35%) 39 (3,72%) 78 (7,44%) 103 (9,83%) Probabilidade 10 (0,95%)

94 (8,97%) 69 (6,58%) 104 (9,92%) 101 (9,64%) 22 (2,10%) 36 (3,44%) 115 (10,97%) 77 (7,35%) 39 (3,72%) 78 (7,44%) 103 (9,83%) Probabilidade 10 (0,95%) Distribuição das.08 Questões do I T A 9 (8,97%) 0 (9,9%) 69 (6,58%) Equações Irracionais 09 (0,86%) Equações Exponenciais (, 0 (9,6%) Geo. Analítica Conjuntos (,96%) Geo. Espacial Funções Binômio de Newton

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I 1) Considerações gerais sobre os conjuntos numéricos. Ao iniciar o estudo de qualquer tipo de matemática não podemos provar tudo. Cada vez que introduzimos um novo conceito precisamos defini-lo em termos

Leia mais

PROVAS DE MATEMÁTICA DA UFMG. VESTIBULAR 2013 2 a ETAPA. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia.

PROVAS DE MATEMÁTICA DA UFMG. VESTIBULAR 2013 2 a ETAPA. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. PROVAS DE MATEMÁTICA DA UFMG VESTIBULAR 01 a ETAPA Profa. Maria Antônia Gouveia. PROVA DE MATEMÁTICA A - a Etapa o DIA QUESTÃO 01 Janaína comprou um eletrodoméstico financiado, com taxa de 10% ao mês,

Leia mais

9. Derivadas de ordem superior

9. Derivadas de ordem superior 9. Derivadas de ordem superior Se uma função f for derivável, então f é chamada a derivada primeira de f (ou de ordem 1). Se a derivada de f eistir, então ela será chamada derivada segunda de f (ou de

Leia mais

A seguir, uma demonstração do livro. Para adquirir a versão completa em papel, acesse: www.pagina10.com.br

A seguir, uma demonstração do livro. Para adquirir a versão completa em papel, acesse: www.pagina10.com.br A seguir, uma demonstração do livro. Para adquirir a versão completa em papel, acesse: www.pagina0.com.br Funções Reais CÁLCULO VOLUME ZERO - Neste capítulo, estudaremos as protagonistas do longa metragem

Leia mais

5) [log 5 (25 log 2 32)] 3 = [log 5 (5 2 log )] 3 = = [log 5 (5 2 5)] 3 = [log ] 3 = 3 3 = 27

5) [log 5 (25 log 2 32)] 3 = [log 5 (5 2 log )] 3 = = [log 5 (5 2 5)] 3 = [log ] 3 = 3 3 = 27 MATEMÁTICA CADERNO CURSO E ) [log ( log )] = [log ( log )] = = [log ( )] = [log ] = = 7 FRENTE ÁLGEBRA n Módulo 7 Logaritmos: Definição e Existência ) a) log 8 = = 8 = = b) log 8 = = 8 = = c) log = = (

Leia mais

3.1 Cálculo de Limites

3.1 Cálculo de Limites 3. Cálculo de Limites 3.A Em cada caso abaio calcule o ite de f (), quando! a (a) f () = 2 + 5; a = 7 (b) f () = 3 3 + + ; a = 0 (c) f () = 2 + 3 0 ; a = 5 (d) f () = 2 4 + 5 3 + 2 2 ; a = 2 (e) f () =

Leia mais

Uma função f de domínio A e contradomínio B é usualmente indicada por f : A B (leia: f de A em B).

Uma função f de domínio A e contradomínio B é usualmente indicada por f : A B (leia: f de A em B). Instituto de Ciências Exatas - Departamento de Matemática Cálculo I Profª Maria Julieta Ventura Carvalho de Araujo Capítulo : Funções.- Definições Sejam A e B dois conjuntos não vazios. Uma função f de

Leia mais

PROVAS DE MATEMÁTICA DO VESTIBULARES-2011 DA MACKENZIE RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. 13 / 12 / 2010

PROVAS DE MATEMÁTICA DO VESTIBULARES-2011 DA MACKENZIE RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. 13 / 12 / 2010 PROVAS DE MATEMÁTICA DO VESTIBULARES-0 DA MACKENZIE Profa. Maria Antônia Gouveia. / / 00 QUESTÃO N o 9 Dadas as funções reais definidas por f(x) x x e g(x) x x, considere I, II, III e IV abaixo. I) Ambas

Leia mais

3.400 17. ( ) 100 3400 6000, L x x. L x x x. (17) 34 60 Lx ( ) 17 34 17 60 L(17) 289 578 60 L(17) 289 638 L(17) 349 40 40 70.40 40 1.

3.400 17. ( ) 100 3400 6000, L x x. L x x x. (17) 34 60 Lx ( ) 17 34 17 60 L(17) 289 578 60 L(17) 289 638 L(17) 349 40 40 70.40 40 1. REDE ISAAC NEWTON ENSINO MÉDIO 3º ANO PROFESSOR(A):LUCIANO IEIRA DATA: / / TURMA: ALUNO(A): Nº: UNIDADE: ( ) Riacho Fundo ( ) Taguatinga Sul EXERCÍCIOS DE REISÃO - AALIAÇÃO ESPECÍFICA 3º TRIMESTRE 01 MATEMÁTICA

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M4 Funções

Matemática. Resolução das atividades complementares. M4 Funções Resolução das atividades complementares Matemática M Funções p. Responda às questões e, tomando por base o teto abaio: (Unama-PA) O ATAQUE DOS ALIENS Caramujos africanos, medindo centímetros de comprimento

Leia mais

Se ele optar pelo pagamento em duas vezes, pode aplicar o restante à taxa de 25% ao mês (30 dias), então. tem-se

Se ele optar pelo pagamento em duas vezes, pode aplicar o restante à taxa de 25% ao mês (30 dias), então. tem-se "Gigante pela própria natureza, És belo, és forte, impávido colosso, E o teu futuro espelha essa grandeza Terra adorada." 01. Um consumidor necessita comprar um determinado produto. Na loja, o vendedor

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ. 2 a Lista de Exercícios - Matemática Básica II Professor Márcio Nascimento

UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ. 2 a Lista de Exercícios - Matemática Básica II Professor Márcio Nascimento UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ Coordenação de Matemática a Lista de Exercícios - Matemática Básica II - 015.1 Professor Márcio Nascimento 1. Encontre a medida em radianos do ângulo θ, sendo θ o ângulo

Leia mais

Exercícios: Funções e Campos Vetoriais

Exercícios: Funções e Campos Vetoriais Eercícios: Funções e Campos Vetoriais. Faça a representação gráfica dos campos vetoriais gerados por: a) V [, y] b) V y i j c) V [, y ]. Determine o lugar no espaço onde os vetores, do eercício anterior,

Leia mais

APLICAÇÕES DA DERIVADA

APLICAÇÕES DA DERIVADA Notas de Aula: Aplicações das Derivadas APLICAÇÕES DA DERIVADA Vimos, na seção anterior, que a derivada de uma função pode ser interpretada como o coeficiente angular da reta tangente ao seu gráfico. Nesta,

Leia mais

Assinale as proposições verdadeiras, some os valores obtidos e marque os resultados na Folha de Respostas.

Assinale as proposições verdadeiras, some os valores obtidos e marque os resultados na Folha de Respostas. PROVA APLICADA ÀS TURMAS DO O ANO DO ENSINO MÉDIO DO COLÉGIO ANCHIETA EM MARÇO DE 009. ELABORAÇÃO: PROFESSORES OCTAMAR MARQUES E ADRIANO CARIBÉ. PROFESSORA MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA QUESTÕES DE 0 A 08.

Leia mais

Questão 1 (UFMG) Sendo A = 88 o 20', B = 31 o 40' e C = radianos, a expressão A + B - C é igual a: a) radianos b) 116 o 40' ;

Questão 1 (UFMG) Sendo A = 88 o 20', B = 31 o 40' e C = radianos, a expressão A + B - C é igual a: a) radianos b) 116 o 40' ; APOSTILAS (ENEM) VOLUME COMPLETO Exame Nacional de Ensino Médio (ENEM) 4 VOLUMES APOSTILAS IMPRESSAS E DIGITAIS Questão 1 (UFMG) Sendo A = 88 o 20', B = 31 o 40' e C = radianos, a expressão A + B - C é

Leia mais

Prova Escrita de MATEMÁTICA

Prova Escrita de MATEMÁTICA Prova Escrita de MATEMÁTICA Identi que claramente os grupos e as questões a que responde. As funções trigonométricas estão escritas no idioma anglo saxónico. Utilize apenas caneta ou esferográ ca de tinta

Leia mais

Atividade 01 Ponto, reta e segmento 01

Atividade 01 Ponto, reta e segmento 01 Atividade 01 Ponto, reta e segmento 01 1. Crie dois pontos livres. Movimente-os. 2. Construa uma reta passando por estes dois pontos. 3. Construa mais dois pontos livres em qualquer lugar da tela, e o

Leia mais

COLÉGIO SHALOM Ensino MÉDIO 2º ANO Profº:RONALDO VILAS BOAS COSTA Disciplina: MATEMÁTICA Aluno (a):. No.

COLÉGIO SHALOM Ensino MÉDIO 2º ANO Profº:RONALDO VILAS BOAS COSTA Disciplina: MATEMÁTICA Aluno (a):. No. COLÉGIO SHALOM Ensino MÉDIO º ANO Profº:RONALDO VILAS BOAS COSTA Disciplina: MATEMÁTICA Aluno (a): No TRABALHO DE RECUPERAÇÃO VALOR, INSTRUÇÕES: LEIA com atenção cada questão; PROCURE compreender o que

Leia mais

FICHA DE TRABALHO DERIVADAS I PARTE. 1. Uma função f tem derivadas finitas à direita e à esquerda de x = 0. Então:

FICHA DE TRABALHO DERIVADAS I PARTE. 1. Uma função f tem derivadas finitas à direita e à esquerda de x = 0. Então: FICHA DE TRABALHO DERIVADAS I PARTE. Uma função f tem derivadas finitas à direita e à esquerda de = 0. Então: (A) f tem necessariamente derivada finita em = 0; (B) f não tem com certeza derivada finita

Leia mais

(Exames Nacionais 2000)

(Exames Nacionais 2000) (Eames Nacionais 000) 1.a) Seja [ABC] um triângulo O ângulo, assinalado na figura, tem o seu vértice no centro isósceles em que BA = BC. Seja α da Terra; o seu lado origem passa no perigeu, o seu lado

Leia mais

Função Quadrática Função do 2º Grau

Função Quadrática Função do 2º Grau Colégio Adventista Portão EIEFM MATEMÁTICA Função Quadrática 1º Ano APROFUNDAMENTO/REFORÇO Professor: Hermes Jardim Disciplina: Matemática Lista 5 º Bimestre/13 Aluno(a): Número: Turma: Função Quadrática

Leia mais

Teste Intermédio Matemática. 9.º Ano de Escolaridade. Versão 1. Duração do Teste: 30 min (Caderno 1) + 60 min (Caderno 2) 21.03.

Teste Intermédio Matemática. 9.º Ano de Escolaridade. Versão 1. Duração do Teste: 30 min (Caderno 1) + 60 min (Caderno 2) 21.03. Teste Intermédio Matemática Versão 1 Duração do Teste: 30 min (Caderno 1) + 60 min (Caderno 2) 21.03.2014 9.º Ano de Escolaridade Indica de forma legível a versão do teste. O teste é constituído por dois

Leia mais

Matemática 2. 01. A estrutura abaixo é de uma casa de brinquedo e consiste de um. 02. Abaixo temos uma ilustração da Victoria Falls Bridge.

Matemática 2. 01. A estrutura abaixo é de uma casa de brinquedo e consiste de um. 02. Abaixo temos uma ilustração da Victoria Falls Bridge. Matemática 2 01. A estrutura abaixo é de uma casa de brinquedo e consiste de um paralelepípedo retângulo acoplado a um prisma triangular. 1,6m 1m 1,4m Calcule o volume da estrutura, em dm 3, e indique

Leia mais

Escola: ( ) Atividade ( ) Avaliação Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota:

Escola: ( ) Atividade ( ) Avaliação Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota: Escola: ( ) Atividade ( ) Avaliação Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota: Questão 1 (OBMEP RJ) Num triângulo retângulo, definimos o cosseno de seus ângulos agudos O triângulo retângulo da figura

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ECONOMIA RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia

PROVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ECONOMIA RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia PROVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR 0 - FGV CURSO DE ECONOMIA Profa. Maria Antônia C. Gouveia QUESTÃO 0 Laura caminha pelo menos km por dia. Rita também caminha todos os dias, e a soma das distâncias diárias

Leia mais

Trigonometria na circunferência

Trigonometria na circunferência Módulo 2 Unidade 20 Trigonometria na circunferência Para início de conversa... Figura 1: Reportagem do jornal O Globo da década de 1990 mostra o relógio da Central do Brasil, no Rio de Janeiro, sendo limpo

Leia mais

Prova Final de Matemática

Prova Final de Matemática PROVA FINAL DO 3.º CICLO do Ensino BÁSICO Decreto-Lei n.º 139/01, de 5 de julho Prova Final de Matemática 3.º Ciclo do Ensino Básico Prova 9/1.ª Chamada 8 Páginas Duração da Prova: 90 minutos. Tolerância:

Leia mais

Todos os exercícios sugeridos nesta apostila se referem ao volume 1. MATEMÁTICA I 1 FUNÇÃO DO 1º GRAU

Todos os exercícios sugeridos nesta apostila se referem ao volume 1. MATEMÁTICA I 1 FUNÇÃO DO 1º GRAU FUNÇÃO IDENTIDADE... FUNÇÃO LINEAR... FUNÇÃO AFIM... GRÁFICO DA FUNÇÃO DO º GRAU... IMAGEM... COEFICIENTES DA FUNÇÃO AFIM... ZERO DA FUNÇÃO AFIM... 8 FUNÇÕES CRESCENTES OU DECRESCENTES... 9 SINAL DE UMA

Leia mais

a = 6 m + = a + 6 3 3a + m = 18 3 a m 3a 2m = 0 = 2 3 = 18 a = 6 m = 36 3a 2m = 0 a = 24 m = 36

a = 6 m + = a + 6 3 3a + m = 18 3 a m 3a 2m = 0 = 2 3 = 18 a = 6 m = 36 3a 2m = 0 a = 24 m = 36 MATEMÁTICA Se Amélia der R$ 3,00 a Lúcia, então ambas ficarão com a mesma quantia. Se Maria der um terço do que tem a Lúcia, então esta ficará com R$ 6,00 a mais do que Amélia. Se Amélia perder a metade

Leia mais

Considere um triângulo eqüilátero T 1

Considere um triângulo eqüilátero T 1 Considere um triângulo eqüilátero T de área 6 cm. Unindo-se os pontos médios dos lados desse triângulo, obtém-se um segundo triângulo eqüilátero T, que tem os pontos médios dos lados de T como vértices.

Leia mais

Prof. Weber Campos webercampos@gmail.com. 2012 Copyri'ght. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Prof. Weber Campos webercampos@gmail.com. 2012 Copyri'ght. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. EP FISL Raciocínio Lógico - GEOMETRI ÁSI - TRIGONOMETRI webercampos@gmail.com 01 opyri'ght. urso gora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ÍNDIE Exercícios Resolvidos de GEOMETRI 0 Exercícios

Leia mais

Aula 15. Integrais inde nidas. 15.1 Antiderivadas. Sendo f(x) e F (x) de nidas em um intervalo I ½ R, dizemos que

Aula 15. Integrais inde nidas. 15.1 Antiderivadas. Sendo f(x) e F (x) de nidas em um intervalo I ½ R, dizemos que Aula 5 Integrais inde nidas 5. Antiderivadas Sendo f() e F () de nidas em um intervalo I ½, dizemos que F e umaantiderivada ou uma rimitiva de f, emi, sef 0 () =f() ara todo I. Ou seja, F e antiderivada

Leia mais

Plano de Ensino. Dados de Identificação. Clarice Fonseca Vivian

Plano de Ensino. Dados de Identificação. Clarice Fonseca Vivian CAMPUS CAÇAPAVA DO SUL CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS EXATAS PIBID MATEMÁTICA Plano de Ensino Escola Disciplina Bolsista Dados de Identificação Matemática Clarice Fonseca Vivian Conteúdos Funções trigonométricas:

Leia mais

x lim, sendo: 03. Considere as funções do exercício 01. Verifique se f é contínua em x = a. Justifique.

x lim, sendo: 03. Considere as funções do exercício 01. Verifique se f é contínua em x = a. Justifique. INSTITUTO DE MATEMÁTICA DA UFBA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA CÁLCULO A 008. A LISTA DE EXERCÍCIOS 0. Esboce o gráfico de f, determine f ( ), f ( ) e, caso eista, f ( ) : a a a, >, e a) f ( ) =, = (a = )

Leia mais

RODA DE BICICLETA, BAMBOLÊ OU CICLO TRIGONOMÉTRICO?

RODA DE BICICLETA, BAMBOLÊ OU CICLO TRIGONOMÉTRICO? RODA DE BICICLETA, BAMBOLÊ OU CICLO TRIGONOMÉTRICO? Lessandra Marcelly Sousa da Silva Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho lessandramarcelly@gmail.com Resumo: Este trabalho é um relato

Leia mais

Lista 02 - Matemática Básica II

Lista 02 - Matemática Básica II Lista 0 - Matemática Básica II - 016. 1. Encontre a medida em radianos do ângulo θ, sendo θ o ângulo central de um arco que mede s em um círculo de raio r. (a) r =, s = 9 (b) r = 1, s = π (c) r = 1 4,

Leia mais

1. (Unesp 2003) Cinco cidades, A, B, C, D e E, são interligadas por rodovias, conforme mostra

1. (Unesp 2003) Cinco cidades, A, B, C, D e E, são interligadas por rodovias, conforme mostra GEOMETRIA PLANA: SEMELHANÇA DE TRIÂNGULOS 2 1. (Unesp 2003) Cinco cidades, A, B, C, D e E, são interligadas por rodovias, conforme mostra a figura. A rodovia AC tem 40km, a rodovia AB tem 50km, os ângulos

Leia mais

APROFUNDAMENTO/REFORÇO

APROFUNDAMENTO/REFORÇO Colégio Adventista Portão EIEFM MATEMÁTICA Trigonometria º Ano APROFUNDAMENTO/REFORÇO Professor: Hermes Jardim Disciplina: Matemática Lista º Bimestre Aluno(: Número: Turma: 1) Resolva os problemas: Calcule

Leia mais

LISTÃO DE EXERCÍCIOS DE REVISÃO IFMA PROFESSOR: ARI

LISTÃO DE EXERCÍCIOS DE REVISÃO IFMA PROFESSOR: ARI 01.: A figura mostra um edifício que tem 15 m de altura, com uma escada colocada a 8 m de sua base ligada ao topo do edifício. comprimento dessa escada é de: a) 12 m. b) 30 m. c) 15 m. d) 17 m. e) 20 m.

Leia mais

Função par e função ímpar

Função par e função ímpar Pré-Cálculo Humberto José Bortolossi Deartamento de Matemática Alicada Universidade Federal Fluminense Função ar e função ímar Parte 3 Parte 3 Pré-Cálculo 1 Parte 3 Pré-Cálculo 2 Função ar Definição Função

Leia mais