Banco do Brasil + BaCen

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Banco do Brasil + BaCen"

Transcrição

1 1. TAXA Taxa [ i ] é um valor numérico de referência, informado por uma das notações: Forma percentual, p.ex. 1%. Forma unitária, p.ex. 0,01 Forma fracionária centesimal, p.ex. 1/100. Ambos representam o mesmo valor numérico 1.2. TAXA ACUMULADA DE INFLAÇÃO É o mesmo que obter a taxa acumulada de juro. Cálculo com base em preços. Conhecendo o preço inicial e final do período que se deseja calcular a inflação TAXA ACUMULADA DE JURO É uma taxa obtida pelo acumulo composto [formação exponencial ou composta] de todas as taxas. A taxa acumulada deve produzir o mesmo resultado final [equivalente] às taxas que a originou. O período da taxa acumulada é obtido pela adição dos períodos das taxas que a originou. As unidades de tempo (períodos) das taxas que serão acumuladas, devem ter a mesma unidade de tempo entre si. Por exemplo: todas as taxas com a unidade de tempo diário, ou todas com a unidade de tempo mensal, ou todas com a unidade de tempo bimestral e assim por diante. ORIENTAÇÃO 2 Numa série de taxas a serem acumuladas, poderá ocorrer, taxa(s) positiva(s) ou negativa(s). Se positivas, o fator será representado por (1 + i ). Se negativas, o fator será representado por (1 - i ). ORIENTAÇÃO 3 A taxa que será usada na fórmula [nos cálculos], deverá estar na notação unitária ou fracionária [ou seja, sem o símbolo %]. i ac = taxa acumulada i 1 = taxa do 1º período i 2 = taxa do 2º período i 3 = taxa do 3º período i n = taxa do nº [n-ésimo] período n = número de períodos do prazo i ap = taxa ao período [ ap representa de forma genérica qualquer uma das unidades de tempo: d(dia), m(mês), b(bimestre), t(trimestre), q(quadrimestre), s(semestre) ou a(ano)] FÓRMULA ORIENTAÇÃO 2 Cálculo com base em um índice. Conhecendo o índce inicial e final do período que se deseja calcular a inflação TAXA MÉDIA DE JURO É uma taxa igual para cada período do prazo, obtida pela média geométrica (formação composta) das taxas de cada período ao longo do prazo considerado. Os períodos das taxa devem ter a mesma unidade de tempo. Os períodos das taxa devem ter a mesma unidade de tempo, assim: todas diárias, ou todas mensais, ou todas bimestrais, e assim por diante. O cálculo da taxa média só faz sentido, se pelo menos uma das taxas for diferente. Se todas as taxas forem iguais ao longo de todo o prazo em estudo, a taxa média será igual às próprias taxas. ORIENTAÇÃO 2 Numa série de taxas a serem acumuladas, poderá ocorrer, taxa(s) positiva(s) ou negativa(s). Se positivas, o fator será representado por (1 + i ). Se negativas, o fator será representado por (1 - i ). ORIENTAÇÃO 3 A taxa que será usada na fórmula [nos cálculos], deverá estar na notação unitária ou fracionária [ou seja, sem o símbolo %]. i média = taxa média i ac = taxa acumulada i 1 = taxa do 1º período i 2 = taxa do 2º período i 3 = taxa do 3º período i n = taxa do n [n-ésimo] período n = número de períodos Atualizada 04/06/2009 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1

2 i ap = taxa ao período [ ap pode representar uma das unidades de tempo que seguem: ad, am, ab,at, aq, as ou aa]. FÓRMULAS Conhecidas às taxas dos períodos 1.4. TAXA MÉDIA DE INFLAÇÃO É o mesmo que obter a taxa média de juro TAXA DE DESVALORIZAÇÃO MONETÁRIA É a taxa que determina o quanto deve ser desvalorizado o poder aquisitivo da moeda [dinheiro]. Se a inflação do período for de: 100%, o poder aquisitivo se reduz em 50%. 50%, o poder aquisitivo se reduz em 33,33...%. 25%, o poder aquisitivo se reduz em 20%. 10%, o poder aquisitivo se reduz em 9,09...%. i dm = taxa desvalorização monetária. i inf = taxa de inflação do período. FÓRMULA 1.6. CORREÇÃO DA MOEDA Se para um determinado período a taxa de inflação [i inf ] for de 5%, registra-se uma queda na capacidade de compra [desvalorização da moeda] de 4,762% [i dm =0,05/(1+0,05) 4,762%], isso quer dizer, a mesma quantidade da moeda só pode comprar 95,238% [100%- 4,762%=95,238%] do que comprava. Para que o poder de compra volte a sua capacidade máxima [100%], a moeda deve ser corrigida na mesma porcentagem da inflação, 5%, [0,95238.(1,05)=100%]. EXERCÍCIOS E TESTES 01. Se a cesta básica em determinada região custava em março $ 89, 60, e no mês de abril, $ 91, 84, qual a inflação do mês de abril? 02. Fernanda aplicou o valor de 1.230,00 em abril de 1997, recebendo juros de 0,5% am, mais a variação do índice a seguir. Qual será seu saldo em maio de 1998? Dado: (1,005) 13 = 1, Janeiro 136,57 146,06 Fevereiro 137,32 146,09 Março 138,97 146,43 Abril 139,00 146,24 Maio 140,22 147,34 Junho 141,20 147,80 Julho 141,34 Agosto 141,29 Setembro 142,12 Outubro 142,61 Novembro 143,79 Dezembro 144, Certa época, uma empresa resolveu zerar a inflação, que foi de 118,40% no ano. Considerando que durante o período já concedeu antecipações de 20% e 30%, qual deverá ser o percentual que irá conceder sobre o salário atual? 04. Se em determinado período a inflação foi, respectivamente 34%; 24% e 13%, qual a inflação acumulada nesse prazo? 05. (PUC-MG) Do salário bruto de Paulo são descontados: INSS 4% FGTS 8% IR 15% Após esses descontos, Paulo recebe o salário líquido de R$ 2 190,00. O salário bruto de Paulo é: a) R$ 2500,00 b) R$ 3000,00 c) R$ 3500,00 d) R$ 4000,00 e) R$ 4500, Se a cesta básica em determinada região custava em agosto $ 120,00 e em setembro $ 123,60 qual a inflação do mês de setembro? 07. Digamos que a poupança rende 0,5% a.m. mais a variação do índice a seguir. Calcule o rendimento bruto da poupança no mês de junho de Janeiro 136,57 146,06 Fevereiro 137,32 146,09 Março 138,97 146,43 Abril 139,80 146,24 Maio 140,22 147,00 Junho 141,20 149,94 Julho 141,34 Agosto 141,29 Setembro 142,12 Outubro 142,61 Novembro 143,79 Dezembro 144,79 08.Certa época, uma empresa resolveu zerar a inflação, que foi de 111,2 % no ano.considerando que durante o período já concedeu antecipações de 25% e 32%, qual deverá ser o percentual que irá conceder sobre o salário atual? 2 Atualizada 04/06/2009 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

3 09. Se em determinado período a inflação foi, respectivamente, 0,54%, 0,49% e 0,45%, qual a inflação acumulada nesse prazo? 10. (CESGRANRIO-RJ) Um terreno será dividido em três lotes diferentes. A área do lote 3 é 10% maior do que a do lote 2, enquanto esta é 20% maior que a do lote 1. A que percentual da área desse terreno corresponde, aproximadamente, o lote 1? a) 28,4% b) 28,7% c) 29,8% d) 30,3% e) 31,2% 11. Determinado órgão calculou a inflação em 2 meses seguidos, respectivamente, de 0,28% e 0,15%. Calcule a inflação acumulada nesses 2 meses. 12. Uma empresa pretende conceder a seus funcionários o percentual que falta para zerara inflação do ano. Sabendo que a inflação foi de 4,0502% e já se concedeu adiantamento de 2% e 1%, quanto por cento ainda deverá conceder? 13. Uma aplicação rendeu, em setembro, 2,867%. Sabendo que a correção monetária foi 0,85%, qual foi a taxa de juros? 14. Uma aplicação rendeu num mês 4,728%, sendo que 0,7% a.m. foram juros. Qual é a taxa e correção? 15. Determine a perda do poder aquisitivo quando a inflação num período é de 20%. 16. Determine a perda do poder aquisitivo quando a inflação num período é de 60%. 17. Determine a perda do poder aquisitivo quando a inflação num período é de 10%. 18. Determine a perda do poder aquisitivo quando a inflação num período é de 80%. 19. Num produto P da cesta básica, observou-se três decréscimos sucessivos e iguais a 5% ao mês. Qual é o valor do produto P no final do terceiro mês? a) 0,85P b) (0,95)3P c) 0,95 3 P d) 0,05 3 P e) 0,15P 20. (FAE-PR) O preço de uma certa mercadoria, recebeu um desconto de 25%. Se houver a necessidade de aumentar novamente o preço da mercadoria a fim de deixá-la com o preço original, esse aumento deverá ser de: a) cerca de 33%; b) 30%; c) 25%; d) 20%; e) cerca de23%. 21.(FAE-PR) O proprietário de um imóvel anuncia à venda em um jornal. Ao perceber que o mesmo estava supervalorizado e, após um mês sem conseguir vendê-lo, resolve diminuir o valor em 20%. Após mais um mês sem compradores, devido à necessidade de vendê-lo rapidamente, resolve anunciar o mesmo imóvel com mais 20% de abatimento sobre o novo preço. Um interessado se dispôs a comprá-lo, desde que o proprietário concedesse um desconto de 10% sobre o último preço anunciado. A venda foi realizada segundo a proposta do comprador. Que porcentagem do preço inicial do imóvel foi paga? a) 26,4% b) 42,4 % c) 50% d) 57,6% e) 73,6% 22. Em uma liquidação, certo artigo está sendo vendido com desconto de 20% sobre o preço T de tabela. Se o pagamento for efetuado em dinheiro, o preço com desconto, sofre mais um desconto de 15%. Nesse último caso, o preço final será igual a: a) 0,68T b) 0,72T c) 1,35T d) 1,68T e) 1,72T 23.(FGV) Uma rentabilidade nominal de 80%, em um período em que a inflação foi de 20%, equivale a uma rentabilidade real de: a) 20% b) 44% c) 50% d) 55% e) 60% 24.(OBM) Se seu salário sobe 26% e os preços sobem 20%, de quanto aumenta o seu poder aquisitivo? a) 5% b) 6% c) 7% d) 8% e) 9% 25. (FCC) O preço de um objeto foi aumentado em 20% de seu valor. Como as vendas diminuíram, o novo preço foi reduzido em 10% de seu valor. Em relação ao preço inicial, o preço final apresenta a) um aumento de 10%. b)) um aumento de 8%. c) um aumento de 2%. d) uma diminuição de 2%. e) uma diminuição de 10%. 26. (FGV) O salário de um gerente sofreu em março e abril aumentos de 15% e 12% respectivamente. No mês de maio esse gerente foi obrigado a aceitar uma redução de 8% em seu salário em função de mudança de emprego. O que ocorreu com o salário desse gerente no trimestre? a) aumentou em aproximadamente 18,5% b) aumentou em aproximadamente 28% c) aumentou em aproximadamente 25% d) aumentou em aproximadamente 21,5% e) aumentou em aproximadamente 17% Atualizada 04/06/2009 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 3

4 27. (FUVEST) A função que representa o valor a ser pago após um desconto de 3% sobre o valor x de uma mercadoria é: a) f(x) = x - 3 b) f(x) = 0,97x c) f(x) = 1,3x d) f(x) = -3x e) f(x) = 1,03x 28. (UF-PR) Na semana passada, Josias parou em um posto de combustíveis e gastou R$ 64,50 para colocar 30 litros de gasolina em seu carro. Hoje ele voltou a esse mesmo posto e gastou R$ 45,58 para colocar 20 litros de gasolina. O que ocorreu com o preço da gasolina nesse posto? a) Diminuiu 6% b) Diminuiu 3% c) Não aumentou nem diminuiu d) Aumentou 3% e) Aumentou 6% correto afirmar que a taxa real de juros utilizada no reajuste do valor desse aluguel foi a) inferior a 1,5%. b) igual a 1,5%. c) superior a 1,5% e inferior a 2,0%. d) igual a 2,0%. e) superior a 2,0%. 34. (CESGRANRIO) Em um período no qual a taxa de inflação foi 20%, o rendimento de um fundo de investimento foi 50%. Qual foi, nesse período, o rendimento real? a) 20% b) 22,5% c) 25% d) 27,5% e) 30% GABARITO 29. (UF-PR) Um investidor aplicou metade de seu capital em ações na bolsa de valores e a outra metade num fundo de investimentos de um banco. Nos primeiros três meses este investidor obteve rendimentos conforme a tabela abaixo: Nessas condições, é correto afirmar: a) A bolsa de valores forneceu um rendimento 0,1% superior ao fundo de investimentos. b) A bolsa de valores forneceu um rendimento 0,25% superior ao fundo de investimentos. c) A bolsa de valores forneceu um rendimento igual ao do fundo de investimentos. d) A bolsa de valores forneceu um rendimento 0,25% inferior ao fundo de investimentos. e) A bolsa de valores forneceu um rendimento 0,1% inferior ao fundo de investimentos. 30.Um produto custou R$ 10,00 e foi vendido por R$ 12,00. De quanto por cento foi o lucro? 31.Um produto comprado por R$ 4,00 é vendido por R$ 6,00. De quanto foi o lucro percentual? 32.(AFPS) O índice de preços ao consumidor de famílias de classe de renda baixa sofreu um aumento de 11,61% em um semestre e 12% no semestre seguinte. Calcule a perda do poder aquisitivo da renda dessas famílias no ano em questão. a) 11,61% b) 12% c) 20% d) 23,61% e) 25% 33. (CESPE-BB/SUL) O valor de um aluguel era de R$ 400,00 no dia 1º de julho de 1999 e foi reajustado para R$ 410,00 no dia 1º de agosto de Considerando que a inflação registrada no mês de julho foi de 1 %, é 4 Atualizada 04/06/ ,5% (1,06)(1,005) % 04 87,76% 05 B 06 3% 07 2,51% 08 28% 09 1,5% 10 A 11 0,43% 12 1% 13 2% 14 4% 15 16,67% 16 37,5% 17 9,09% 18 44,44% 19 C 20 A 21 D 22 A 23 C 24 A 25 B 26 A 27 B 28 E 29 C 30 20% 31 50% 32 C 33 A 34 C 1.7. TAXA EQUIVALENTE Duas ou mais taxas que diferem entre si pela unidade de tempo, por exemplo: uma diária e a outra mensal, ou uma mensal e a outra anual, ou outras formações possíveis, são ditas taxas equivalentes, quando aplicadas ao mesmo valor e no mesmo prazo, produzem resultados finais iguais. Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

5 1.8. TAXA PROPORCIONAL Duas taxas são denominadas proporcionais quando existe entre elas a mesma relação verificada para os períodos de tempo a que se referem. Duas taxas de juros i 1 e i 2, relacionadas respectivamente aos períodos n 1 e n 2, referido a unidade de tempo da taxa, se dizem proporcionais se houver a igualdade de quociente das taxas com o quociente dos respectivos períodos. Tomando como base o prazo de 1 ano, podemos relacionar as taxas exponencialmente entre si, mantendo a equivalência, assim: i aa = taxa ao ano i as = taxa ao semestre i aq = taxa ao quadrimestre i at = taxa ao trimestre i ab = taxa ao bimestre i am = taxa ao mês i ad = taxa ao dia Obs: Use o mês comercial, mês com 30 dias. RELAÇÕES Duas taxas são equivalentes, se aplicadas sobre o mesmo valor, para o mesmo prazo, produzirem o mesmo resultado final TAXA NOMINAL Tomando como base o prazo de 1 ano, podemos relacionar as taxas proporcionalmente entre si, mantendo a equivalência, assim: i aa = taxa ao ano i as = taxa ao semestre i aq = taxa ao quadrimestre i at = taxa ao trimestre i ab = taxa ao bimestre i am = taxa ao mês i ad = taxa ao dia Obs: Use o mês comercial, mês com 30 dias. RELAÇÕES É a taxa cuja unidade de tempo enunciado não é igual à unidade de tempo do período que de capitalização. Normalmente a taxa nominal, está enunciada em termos anuais. É uma taxa aparente. Situações possíveis: Taxa nominal é a taxa explicitada [escrita] em contratos. A unidade de tempo da taxa nominal pode ser igual ou não a unidade de tempo para a efetiva capitalização. Quando não for, será convertida para a taxa efetiva usando a proporcionalidade. Exemplo de taxa nominal: 24% aa [ao ano], capitalizada mensalmente. 3% am [ao mês], capitalizada mensalmente. Neste último exemplo a taxa nominal é a própria taxa efetiva TAXA EFETIVA 1.9. TAXA EXPONENCIAL Duas taxas são denominadas exponenciais quando existe entre elas a mesma relação verificada para os períodos de tempo a que se referem. É a taxa que efetivamente participa nos cálculos para formação de juro. A unidade de tempo da taxa efetiva deve ser igual à unidade de tempo do período informado na operação para capitalização. Quando a taxa nominal não satisfaz a conceituação acima, ou seja, a unidade de tempo não é igual à unidade de tempo mencionada para a capitalização, obtém-se a taxa efetiva a partir da taxa nominal pela proporcionalidade. Atualizada 04/06/2009 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 5

6 EXERCÍCIOS E TESTES 01.Qual a taxa anual simples equivalente à taxa de 5% a.m.? a) 79,58% b) 69,58% c) 59,58% d) 78,88% e) 60.00% 02. Calcular a taxa semestral equivalente a juros simples de 2% a.m.? a) 11,61% b) 10,61% c) 12,61% d) 13,61% e) 12,00% 03. Calcular a taxa semestral proporcional a juros simples de 36% a.a.? a) 15% b) 16% c) 17% d) 18% e) 19% 04. Calcular a taxa mensal proporcional a juros simples de 84% a.a.? a) 5% b) 6% c) 7% d) 8% e) 9% 05. Calcular a taxa semestral proporcional a juros simples de 8% a.m.? a) 15% b) 36% c) 57% d) 48% e) 69% 06. Qual a taxa anual equivalente à taxa composta de 5% a.m.? a) 79,58% b) 69,58% c) 59,58% d) 78,88% e) 60.00% 07. Calcular a taxa semestral equivalente composta a juros de 2% a.m.? a) 11,61% b) 10,61% c) 12,61% d) 13,61% e) 12,00% 08. Calcular a taxa semestral equivalente a juros composta de 4% a.b.? a) 11,00% b) 12,48% c) 13,48% d) 14,48% e) 12,00% 09. Qual a taxa anual equivalente à taxa composta de 10% a.s.? a) 20% b) 21% c) 5% d) 18,88% e) 22.35% 10. Calcular a taxa semestral proporcional a juros composto de 36% a.a.? a) 15% b) 16% c) 17% d) 18% e) 19% 11. Calcular a taxa mensal proporcional a juros composto de 84% a.a.? a) 5% b) 6% c) 7% d) 8% e) 9% 12. (ANALISTA TÉCNICO DA SUSEP / CONTROLE E FISCALIZAÇÃO) Um capital é aplicado à taxa de juros nominais de 24% ao ano com capitalização mensal, durante 18 meses. Calcule o juro obtido ao final do prazo como porcentagem do capital inicial. a) 26,82% b) 24,00% c) 42,82% d) 36,00% e) 48,00% 13. (CESGRANRIO) Qual é a taxa efetiva anual correspondente a juros de 40% ao ano capitalizados trimestralmente? a) 40% b) 42,42% c) 44,44% d) 45,57% e) 46,41% 14. Qual a taxa anual composta equivalente a taxa de 4% a.m.? a) 60,10% b) 48,00% c) 59,26% d) 68,88% e) 58,88% 15. Calcular a taxa semestral equivalente a juros compostos de 10% a.m. a) 61,61% b) 70,61% c) 77,16% d) 60,00% e) 74,61% 16. Calcular a taxa semestral proporcional a juros compostos de 72% a.a. a) 35% b) 46% c) 47% d) 36% e) 39% 17. Calcular a taxa semestral equivalente a juros compostos de 8% a.b. a) 21,48% 6 Atualizada 04/06/2009 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

7 b) 25,97% c) 24,00% d) 26,48% e) 26,68% 18. Calcular a taxa mensal proporcional a 120% a.a.? a) 8% b) 9% c) 10% d) 11% e.) 12% 19. Qual é a taxa trimestral proporcional a 36% a.a. a) 9% b) 8% c) 7% d) 6% e) 5% 20. Calcular a taxa anual equivalente a juros compostos a 5% a.s.? a) 18,69% b) 10,41% c) 10,00% d) 10,25% e) 12,56% 21. Calcular a taxa mensal proporcional a 36% ao ano. a) 1% b) 2% c) 3% d) 4% e) 5% 22. Determinar a taxa composta anual equivalente a 6% ao mês. a) 101,22% b) 92,22% c) 82,22% d) 73,22% e) 122,22% 23. Qual a taxa anual equivalente a 12% ao mês de juros compostos? a) 289,60% b) 389,60% c) 489,60% d) 589,60% e) 689,60% 24. Um capital foi aplicado a 4% ao mês de juros compostos. A que taxa anual o capital deveria ser aplicado para produzir o mesmo montante? a) 60,10% a.a. b) 6,10% a.a. c) 50,10% a.a. d) 5,10% a.a. e) 7,10% a.a. 25. (AFC-ESAF) A taxa de juros nominal de 30% ao semestre, capitalizados mensalmente equivale à taxa semestral de: a) 5% b) 12% c) 15% d) 30% e) 34% 26. (AFC-ESAF) Um banco paga juros compostos de 30% ao ano, com capitalização semestral. Qual a anual taxa efetiva? a) 27,75% b) 29,50% c) 30% d) 32,25% e) 35% 27. (ESAF-AFRF) Indique a taxa de juros anual equivalente à taxa de juros nominal de 12% ao ano com capitalização mensal. a) 12,3600% b) 12,6825% c) 12,4864% d) 12,6162% e) 12,5508% 28. (CESGRANRIO) Qual é a taxa trimestral equivalente à taxa de 10% ao mês? a) 30% b) 30,2% c) 31,1% d) 32% e) 33,1% 29.Calcular o valor futuro ou montante de uma aplicação financeira é calculado a uma taxa de 1,85% ao mês para um período de 6 meses. Obtenha a taxa equivalente composta no prazo da aplicação. Considere: 1, , Calcular o valor futuro ou montante de uma aplicação financeira é calculado a uma taxa de 2,5% ao mês para um período de 17 meses. Obtenha a taxa equivalente composta no prazo da aplicação. Considere: 1, , O preço de um litro de gasolina passou de $ 1,900 para $ 2,052 no prazo de 4 meses. Se uma aplicação no mesmo período reajustada pela variação do preço da gasolina, mais 2% a.m. de juros, qual a taxa acumulada para ser aplicada no final dos 4 meses? 32. Uma aplicação capitalizada mensalmente tem um valor aplicado a taxa i am, equivalente a juros compostos a taxa anual de 42,58%. Determine a taxa nominal. 33. (FISCAL DE TRIBUTOS ESTADUAIS/ SEFA-PA/ ESAF) A taxa nominal de 12% ao semestre com capitalização mensal é equivalente à taxa de; a) 6% ao trimestre. b) 26,82% ao ano. c) 6,4% ao trimestre. d) 11,8% ao semestre. e) 30% ao ano. 34. (ANALISTA TÉCNICO DA SUSEP / CONTROLE E FISCALIZAÇÃO) No sistema de juros compostos, qual a taxa de juros anual equivalente à taxa de 4% ao mês? a) 48,00% b) 53,76% c) 56,09% d) 57,35% e) 60,10% Atualizada 04/06/2009 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 7

8 GABARITO 01 E 02 E 03 D 04 C 05 D 06 A 07 C 08 B 09 B 10 D 11 C 12 C 13 E 14 A 15 C 16 D 17 B 18 C 19 A 20 D 21 C 22 A 23 A 24 A 25 E 26 D 27 B 28 E 29 11,60% 30 52,16% 31 16,90% 32 36% 33 B 34 E 8 Atualizada 04/06/2009 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

22.5.1. Data de Equivalência no Futuro... 22.5.2. Data de Equivalência no Passado... 2. 22.5. Equivalência de Capitais Desconto Comercial...

22.5.1. Data de Equivalência no Futuro... 22.5.2. Data de Equivalência no Passado... 2. 22.5. Equivalência de Capitais Desconto Comercial... Aula 22 Juros Simples. Montante e juros. Descontos Simples. Equivalência Simples de Capital. Taxa real e taxa efetiva. Taxas equivalentes. Capitais equivalentes. Descontos: Desconto racional simples e

Leia mais

PORCENTAGENS www.aplicms.com.br PROF. PEDRO A. SILVA

PORCENTAGENS www.aplicms.com.br PROF. PEDRO A. SILVA PORCENTAGENS Razão centesimal Chamamos de razão centesimal a toda razão cujo conseqüente (denominador) seja igual a. 6 270 2, 5 ; e Outros nomes usamos para uma razão centesimal são razão porcentual e

Leia mais

MINICURSO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NO DIA A DIA

MINICURSO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NO DIA A DIA PORCENTAGEM MINICURSO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NO DIA A DIA Quando é dito que 40% das pessoas entrevistadas votaram no candidato A, esta sendo afirmado que, em média, de cada pessoas, 40 votaram no candidato

Leia mais

CAIXA ECONOMICA FEDERAL

CAIXA ECONOMICA FEDERAL JUROS SIMPLES Juros Simples comercial é uma modalidade de juro calculado em relação ao capital inicial, neste modelo de capitalização, os juros de todos os períodos serão sempre iguais, pois eles serão

Leia mais

Capitalização Composta

Capitalização Composta 1. (Analista Orçamento Ministério da Administração Federal 1997) Na capitalização composta: a) A seqüência dos juros produzidos por período é constante b) A seqüência dos montantes ao fim de cada período

Leia mais

INTRODUÇÃO À MATEMÁTICA FINANCEIRA

INTRODUÇÃO À MATEMÁTICA FINANCEIRA INTRODUÇÃO À MATEMÁTICA FINANCEIRA SISTEMA MONETÁRIO É o conjunto de moedas que circulam num país e cuja aceitação no pagamento de mercadorias, débitos ou serviços é obrigatória por lei. Ele é constituído

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA Professor Fábio Maia. AULA 1 - Juros Simples. Formulário: Juros Simples: j = C.i.n e Montante: M = C. (1 + i.

MATEMÁTICA FINANCEIRA Professor Fábio Maia. AULA 1 - Juros Simples. Formulário: Juros Simples: j = C.i.n e Montante: M = C. (1 + i. MATEMÁTICA FINANCEIRA Professor Fábio Maia AULA 1 - Juros Simples Juros Simples é o processo financeiro onde apenas o principal rende juros, isto é, os juros são diretamente proporcionais ao capital empregado.

Leia mais

Pra que serve a Matemática Financeira? AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS MATEMÁTICA FINANCEIRA 20/01/2016. Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc

Pra que serve a Matemática Financeira? AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS MATEMÁTICA FINANCEIRA 20/01/2016. Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc MATEMÁTICA FINANCEIRA Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc Pra que serve a Matemática Financeira? 1 NOÇÕES GERAIS SOBRE A MATEMÁTICA

Leia mais

Matemática Régis Cortes. JURO composto

Matemática Régis Cortes. JURO composto JURO composto 1 O atual sistema financeiro utiliza o regime de juros compostos, pois ele oferece uma maior rentabilidade se comparado ao regime de juros simples, onde o valor dos rendimentos se torna fixo,

Leia mais

i ano = 2 x i semestre = 4 x i trimestre = 6 x i bimestre = 12 x i mês = 360 x i dia

i ano = 2 x i semestre = 4 x i trimestre = 6 x i bimestre = 12 x i mês = 360 x i dia que se aplicado a uma taxa de juros de 60% ao ano, por um período de um ano. Podemos representá-las da seguinte forma: MATEMÁTICA FINANCEIRA BANRISUL PEDRÃO AULA 05/10 Taxas de juros Antes de iniciarmos

Leia mais

Prof. Diogo Miranda. Matemática Financeira

Prof. Diogo Miranda. Matemática Financeira 1. Uma alternativa de investimento possui um fluxo de caixa com um desembolso de R$ 10.000,00, no início do primeiro mês, Outro desembolso, de R$ 5.000,00, ao final do primeiro mês, e duas entradas líquidas

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA BÁSICA

MATEMÁTICA FINANCEIRA BÁSICA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS - UNICAMP INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS - IFCH DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO ECONÔMICO - DEPE CENTRO TÉCNICO ECONÔMICO DE ASSESSORIA EMPRESARIAL

Leia mais

JUROS SIMPLES - EXERCÍCIOS PARA TREINAMENTO - LISTA 02

JUROS SIMPLES - EXERCÍCIOS PARA TREINAMENTO - LISTA 02 JUROS SIMPLES - EXERCÍCIOS PARA TREINAMENTO - LISTA 0 01. Calcular a taxa mensal proporcional de juros de: a) 14,4% ao ano; b) 6,8% ao quadrimestre; c) 11,4% ao semestre; d) 110,4% ao ano e) 54,7% ao biênio.

Leia mais

2. (ANEEL 2004 ESAF) A

2. (ANEEL 2004 ESAF) A 1. (Auditor Fiscal de Fortaleza 1998 ESAF) Um capital aplicado a juros compostos, à taxa nominal de 36% ao ano, com capitalização mensal, atingiu um montante de R$ 10.900,00, ao fim de um trimestre. Desprezando

Leia mais

Matemática Régis Cortes JURO SIMPLES

Matemática Régis Cortes JURO SIMPLES JURO SIMPLES 1 Juros é o rendimento de uma aplicação financeira, valor referente ao atraso no pagamento de uma prestação ou a quantia paga pelo empréstimo de um capital. Atualmente, o sistema financeiro

Leia mais

EXERCÍCIOS DIVERSOS TRABALHO 1

EXERCÍCIOS DIVERSOS TRABALHO 1 EXERCÍCIOS DIVERSOS TRABALHO 1 01. O gerente de uma loja de presentes está fazendo o fechamento das vendas de brinquedos no período de véspera de natal. No dia 06/11/2006 foram vendidos 14 brinquedos a

Leia mais

I. MATEMÁTICA FINANCEIRA - ANDRÉ ARRUDA TAXAS DE JUROS. Taxas Proporcionais

I. MATEMÁTICA FINANCEIRA - ANDRÉ ARRUDA TAXAS DE JUROS. Taxas Proporcionais 1º BLOCO...2 I. Matemática Financeira - André Arruda...2 2º BLOCO...6 I. Matemática - Daniel Lustosa...6 3º BLOCO... 10 I. Tabela de Acumulação de Capital... 10 I. MATEMÁTICA FINANCEIRA - ANDRÉ ARRUDA

Leia mais

DISCIPLINA: ECONOMIA DA ENGENHARIA I Professor JORGE JUNIOR E.MAIL: jjuniorsan@ceunes.ufes.br

DISCIPLINA: ECONOMIA DA ENGENHARIA I Professor JORGE JUNIOR E.MAIL: jjuniorsan@ceunes.ufes.br UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO DISCIPLINA: ECONOMIA DA ENGENHARIA I Professor JORGE JUNIOR E.MAIL: jjuniorsan@ceunes.ufes.br Apostila integralmente

Leia mais

Exercícios base para a prova 2 bimestre e final

Exercícios base para a prova 2 bimestre e final Exercícios base para a prova 2 bimestre e final Razão e proporção 1) Calcule a razão entre os números: a) 3 e 21 b) 0,333... e 2,1 2) Determine a razão entre a terça parte de 0,12 e o dobro de 0,1. 3)

Leia mais

Análise e Resolução da prova do ISS-Cuiabá Disciplina: Matemática Financeira Professor: Custódio Nascimento

Análise e Resolução da prova do ISS-Cuiabá Disciplina: Matemática Financeira Professor: Custódio Nascimento Disciplina: Professor: Custódio Nascimento 1- Análise da prova Análise e Resolução da prova do ISS-Cuiabá Neste artigo, farei a análise das questões de cobradas na prova do ISS-Cuiabá, pois é uma de minhas

Leia mais

AFC/2005 Resolução da prova de Matemática Financeira

AFC/2005 Resolução da prova de Matemática Financeira 12/02/2006 AFC/2005 Resolução da prova de Matemática Financeira Questão 11. Marcos descontou um título 45 dias antes de seu vencimento e recebeu R$370.000,000. A taxa de desconto comercial simples foi

Leia mais

Componente Curricular: Matemática Financeira Professor: Jarbas Thaunahy

Componente Curricular: Matemática Financeira Professor: Jarbas Thaunahy Componente Curricular: Matemática Financeira Professor: Jarbas Thaunahy 1. (MDIC 2002 ESAF) Um contrato prevê que aplicações iguais sejam feitas mensalmente em uma conta durante doze meses com o objetivo

Leia mais

Elementos de Análise Financeira Matemática Financeira e Inflação Profa. Patricia Maria Bortolon

Elementos de Análise Financeira Matemática Financeira e Inflação Profa. Patricia Maria Bortolon Elementos de Análise Financeira Matemática Financeira e Inflação O que é Inflação? Inflação É a elevação generalizada dos preços de uma economia O que é deflação? E a baixa predominante de preços de bens

Leia mais

Fórmula do Montante. - Valor Futuro após 1 período: F 1 = P + Pi = P(1 + i) - Valor Futuro após 2 períodos:

Fórmula do Montante. - Valor Futuro após 1 período: F 1 = P + Pi = P(1 + i) - Valor Futuro após 2 períodos: DEPARTAMENTO...: ENGENHARIA CURSO...: PRODUÇÃO DISCIPLINA...: ENGENHARIA ECONÔMICA / MATEMÁTICA FINANCEIRA PROFESSORES...: WILLIAM FRANCINI PERÍODO...: NOITE SEMESTRE/ANO: 2º/2008 Aula 3 CONTEÚDO RESUMIDO

Leia mais

GABARITO DOS EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS PROPOSTOS (Fator de Acumulação de Capital Pagamento Simples)

GABARITO DOS EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS PROPOSTOS (Fator de Acumulação de Capital Pagamento Simples) Bertolo MATEMÁTICA FINANCEIRA Gab_fin2 1 GABARITO DOS EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS PROPOSTOS (Fator de Acumulação de Capital Pagamento Simples) 1. Uma pessoa toma R$ 30.000,00 emprestados, a juros de 3% ao mês,

Leia mais

Prof. Luiz Felix. Unidade I

Prof. Luiz Felix. Unidade I Prof. Luiz Felix Unidade I MATEMÁTICA FINANCEIRA Matemática financeira A Matemática Financeira estuda o comportamento do dinheiro ao longo do tempo. Do ponto de vista matemático, um determinado valor a

Leia mais

Matemática Profª Valéria Lanna

Matemática Profª Valéria Lanna Matemática Profª Valéria Lanna Para responder a questão 01, utilize os dados da tabela abaixo, que apresenta as freqüências acumuladas das notas de 20 alunos entre 14 e 20 pontos. Notas (em pontos) Frequência

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA PROF. DANIEL DE SOUZA INTRODUÇÃO:

MATEMÁTICA FINANCEIRA PROF. DANIEL DE SOUZA INTRODUÇÃO: 1 MATEMÁTICA FINANCEIRA PROF. DANIEL DE SOUZA INTRODUÇÃO: O PRINCIPAL CONCEITO QUE ORIENTARÁ TODO O NOSSO RACIOCÍNIO AO LONGO DESTE CURSO É O CONCEITO DO VALOR DO DINHEIRO NO TEMPO. EMPRÉSTIMOS OU INVESTIMENTOS

Leia mais

Unidade IV FUNDAMENTOS DA. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade IV FUNDAMENTOS DA. Prof. Jean Cavaleiro Unidade IV FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Objetivo Discutir e conhecer conceitos de matemática financeira para tomada de decisão na área financeira. Estudaremos cálculo e análise

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA MATEMÁTICA FINANCEIRA AUTORIA: Prof Edgar Abreu CONTEÚDOS DE MATEMÁTICA FINANCEIRA EDITAL 2010 DA CEF 1. Funções exponenciais e logarítmicas. 2. Noções de probabilidade e estatística. Juros simples e compostos:

Leia mais

Grandezas direta e inversamente proporcionais, regra de três, porcentagem e juros simples

Grandezas direta e inversamente proporcionais, regra de três, porcentagem e juros simples Disciplina: Matemática Ano / Série: 7 Professor (a): Rafael Machado Data: 11/2015 Nome: ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

JURO COMPOSTO. Juro composto é aquele que em cada período financeiro, a partir do segundo, é calculado sobre o montante relativo ao período anterior.

JURO COMPOSTO. Juro composto é aquele que em cada período financeiro, a partir do segundo, é calculado sobre o montante relativo ao período anterior. JURO COMPOSTO No regime de capitalização simples, o juro produzido por um capital é sempre o mesmo, qualquer que seja o período financeiro, pois ele é sempre calculado sobre o capital inicial, não importando

Leia mais

Lista de exercício nº 3* VPL, TIR e Equivalência de fluxos de caixa

Lista de exercício nº 3* VPL, TIR e Equivalência de fluxos de caixa Lista de exercício nº 3* VPL, TIR e Equivalência de fluxos de caixa 1. Calcule o valor presente do fluxo de caixa indicado a seguir, para uma taxa de desconto de 1 % ao mês, no Resposta: $13.147,13 2.

Leia mais

1. (TTN ESAF) Um capital de R$ 14.400,00, aplicado a 22% ao ano, rendeu R$ 880,00 de juros. Durante quanto tempo esteve empregado?

1. (TTN ESAF) Um capital de R$ 14.400,00, aplicado a 22% ao ano, rendeu R$ 880,00 de juros. Durante quanto tempo esteve empregado? 1. (TTN ESAF) Um capital de R$ 14.400,00, aplicado a 22% ao ano, rendeu R$ 880,00 de juros. Durante quanto tempo esteve empregado? a) 3 meses e 3 dias b) 3 meses e 8 dias c) 2 meses e 23 dias d) 3 meses

Leia mais

TAXA PROPORCIONAL. O conceito de Taxas Proporcionais é um conceito próprio do regime simples.

TAXA PROPORCIONAL. O conceito de Taxas Proporcionais é um conceito próprio do regime simples. TAXA PROPORCIONAL Taxas proporcionais são definidas como sendo aquelas cujos quocientes entre elas e seus respectivos períodos de capitalização, colocados na mesma unidade de tempo, são iguais. O conceito

Leia mais

Capital = 100 Juros simples Juros compostos Nº de anos Montante simples Montante composto

Capital = 100 Juros simples Juros compostos Nº de anos Montante simples Montante composto Juros compostos Cada período, os juros são incorporados ao principal e passam, por sua vez, a render juros. Também conhecido como juros sobre juros. Vamos ilustrar a diferença entre os crescimentos de

Leia mais

Nome: Data. Prof: Manoel Amaurício. p p% de C é C. 100 exemplo 1: 14% = 0,14 20% = 0,2 2% = 0,02

Nome: Data. Prof: Manoel Amaurício. p p% de C é C. 100 exemplo 1: 14% = 0,14 20% = 0,2 2% = 0,02 M A T E M Á T I C A PROPORÇÕES Nome: Data Prof: Manoel Amaurício P O R C E N T A G E M p p% de C é C. 100 exemplo 1: 14% = 0,14 20% = 0,2 2% = 0,02 Após um aumento de p% sobre C passamos a ter 100 p C.

Leia mais

Elementos de Análise Financeira Juros Compostos Profa. Patricia Maria Bortolon

Elementos de Análise Financeira Juros Compostos Profa. Patricia Maria Bortolon Elementos de Análise Financeira Juros Compostos Juros Compostos Os juros formados em cada período são acrescidos ao capital formando o montante (capital mais juros) do período. Este montante passará a

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA COMPRA DE TÍTULOS NO TESOURO DIRETO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA COMPRA DE TÍTULOS NO TESOURO DIRETO ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA COMPRA DE TÍTULOS NO TESOURO DIRETO Um título público consiste, de maneira simplificada, um empréstimo ao governo federal, ou seja, o governo fica com uma dívida com o comprador

Leia mais

2) Um equipamento de valor R$ 640,00 tem aumento de 15%. Qual o valor do novo preço?

2) Um equipamento de valor R$ 640,00 tem aumento de 15%. Qual o valor do novo preço? Porcentagem 1) Calcular 15% de 640. 2) Um equipamento de valor R$ 640,00 tem aumento de 15%. Qual o valor do novo preço? 3) Um equipamento de valor R$ 640,00 pode ser adquirido com um desconto de 15%.

Leia mais

mat fin 2008/6/27 13:15 page 53 #50

mat fin 2008/6/27 13:15 page 53 #50 mat fin 2008/6/27 13:15 page 53 #50 Aula 4 DESCONTO NA CAPITALIZAÇ ÃO SIMPLES O b j e t i v o s Ao final desta aula, você será capaz de: 1 entender o conceito de desconto; 2 entender os conceitos de valor

Leia mais

EXERCÍCIOS PROF. SÉRGIO ALTENFELDER

EXERCÍCIOS PROF. SÉRGIO ALTENFELDER 1- Uma dívida no valor de R$ 60.020,54 deve ser paga em sete prestações postecipadas de R$ 10.000,00, a uma determinada taxa de juros. Considerando esta mesma taxa de juros, calcule o saldo devedor imediatamente

Leia mais

1. Vou fazer uma aplicação a juros simples, sabendo que a taxa oferecida é de 24% ao ano. Qual a taxa mensal proporcional a taxa oferecida?

1. Vou fazer uma aplicação a juros simples, sabendo que a taxa oferecida é de 24% ao ano. Qual a taxa mensal proporcional a taxa oferecida? LISTA DE EXERCÍCIOS FUNDAMENTOS DA MATEMÁTICA Prof. Marcos Calil REGRA DE TRÊS SIMPLES E PORCENTAGEM 1. Vou fazer uma aplicação a juros simples, sabendo que a taxa oferecida é de 24% ao ano. Qual a taxa

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA Roberto César Faria e Silva MATEMÁTICA FINANCEIRA Aluno: SUMÁRIO 1. CONCEITOS 2 2. JUROS SIMPLES 3 Taxa Efetiva e Proporcional 10 Desconto Simples 12 Desconto Comercial, Bancário ou Por Fora 13 Desconto

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Texto para as questões de 31 a 35 conta saldo despesa de salários 10 COFINS a recolher 20 despesas de manutenção e conservação 20 despesa de depreciação 20 PIS a recolher 30 despesas

Leia mais

I.MATEMÁTICA FINANCEIRA

I.MATEMÁTICA FINANCEIRA I.MATEMÁTICA FINANCEIRA 1. CONCEITOS BÁSICOS Aplicações: no atual sistema econômico, como financiamentos de casa e carros, realizações de empréstimos, compras a crediário ou com cartão de crédito, aplicações

Leia mais

ECONOMIA. Profa. Juliane Ganem Email: juliane.matematica@gmail.com. Site: julianematematica.webnode.com

ECONOMIA. Profa. Juliane Ganem Email: juliane.matematica@gmail.com. Site: julianematematica.webnode.com ECONOMIA Profa. Juliane Ganem Email: juliane.matematica@gmail.com Site: julianematematica.webnode.com 1. Introdução: O valor do dinheiro no tempo 1.1 O valor do dinheiro no tempo A matemática financeira

Leia mais

FACULDADE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

FACULDADE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE FACULDADE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE DISCIPLINA: Matemática Financeira e Engenharia Econômica TÓPICO: Sistemas de Amortização Prof: Khalil Conceito: O valor de uma prestação de um financiamento ou empréstimo

Leia mais

Deixo para ajudar nos seus estudos 15 testes resolvidos e comentados. Ótimos estudos e conte conosco sempre.

Deixo para ajudar nos seus estudos 15 testes resolvidos e comentados. Ótimos estudos e conte conosco sempre. TESTES DE MATEMÁTICA FINANCEIRA RESOLVIDOS Deixo para ajudar nos seus estudos 15 testes resolvidos e comentados. Ótimos estudos e conte conosco sempre. Prof Pacher Testes 1. (ESAF) Admita-se que uma duplicata

Leia mais

FUNÇÃO DE 1º GRAU. = mx + n, sendo m e n números reais. Questão 01 Dadas as funções f de IR em IR, identifique com um X, aquelas que são do 1º grau.

FUNÇÃO DE 1º GRAU. = mx + n, sendo m e n números reais. Questão 01 Dadas as funções f de IR em IR, identifique com um X, aquelas que são do 1º grau. FUNÇÃO DE 1º GRAU Veremos, a partir daqui algumas funções elementares, a primeira delas é a função de 1º grau, que estabelece uma relação de proporcionalidade. Podemos então, definir a função de 1º grau

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS MATEMATICA FINANCEIRA JUROS SIMPLES

CIÊNCIAS CONTÁBEIS MATEMATICA FINANCEIRA JUROS SIMPLES DEFINIÇÕES: CIÊNCIAS CONTÁBEIS MATEMATICA FINANCEIRA JUROS SIMPLES Taxa de juros: o juro é determinado através de um coeficiente referido a um dado intervalo de tempo. Ele corresponde à remuneração da

Leia mais

Apostila de Matemática Financeira Parte 01

Apostila de Matemática Financeira Parte 01 Apostila de Matemática Financeira Parte 01 Autor: Guilherme Yoshida Facebook: facebook.com/guilhermeyoshida90 Google+: https://plus.google.com/108564693752650171653 Blog: Como Calcular Curta a Página do

Leia mais

Juros APOSTILA DE MATEMÁTICA FINANCEIRA: PROF. ALBERTO. APOSTILA ESPECIAL DE MATEMÁTICA FINANCEIRA Profº Alberto CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Juros APOSTILA DE MATEMÁTICA FINANCEIRA: PROF. ALBERTO. APOSTILA ESPECIAL DE MATEMÁTICA FINANCEIRA Profº Alberto CONSIDERAÇÕES INICIAIS APOSTILA DE MATEMÁTICA FINANCEIRA: PROF. ALBERTO Taxa de juros: relação percentual entre os juros cobrados, por unidade de tempo, e o capital [principal] emprestado. CONSIDERAÇÕES INICIAIS Montante: capital

Leia mais

Matemática. Aula: 04/10. Prof. Pedro Souza. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.

Matemática. Aula: 04/10. Prof. Pedro Souza. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM. Matemática Aula: 04/10 Prof. Pedro Souza UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO PARA

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS BRASILPREV EXCLUSIVO PGBL E VGBL BB

NOTAS EXPLICATIVAS BRASILPREV EXCLUSIVO PGBL E VGBL BB NOTAS EXPLICATIVAS BRASILPREV EXCLUSIVO PGBL E VGBL BB O que é o Plano Brasilprev Exclusivo? O Brasilprev Exclusivo é uma solução moderna e flexível que ajuda você a acumular recursos para a realização

Leia mais

Componente Curricular: Matemática Financeira Professor: Jarbas Thaunahy

Componente Curricular: Matemática Financeira Professor: Jarbas Thaunahy Componente Curricular: Matemática Financeira Professor: Jarbas Thaunahy 1. (AFTN 1985) Uma pessoa obteve um empréstimo de $ 120.000,00, a uma taxa de juros compostos de 2% a.m., que deverá ser pago em

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA Professor Manuel MATEMÁTICA FINANCEIRA 01. (UNEB-2008) O proprietário de um imóvel contratou uma imobiliária para vendê-lo, pagando-lhe 5% do valor obtido na transação. Se a imobiliária recebeu R$ 5.600,00,

Leia mais

Aula 00 Curso: Matemática Financeira Professor: Custódio Nascimento

Aula 00 Curso: Matemática Financeira Professor: Custódio Nascimento Prof. Ricardo Soncim - Aula 00 Aula 00 Curso: Matemática Financeira Professor: Custódio Nascimento APRESENTAÇÃO Curso: Matemática Financeira p/ ICMS RJ Futuros Auditores Fiscais da Receita Estadual do

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA - ADMINISTRAÇÃO

MATEMÁTICA FINANCEIRA - ADMINISTRAÇÃO MATEMÁTICA FINANCEIRA - ADMINISTRAÇÃO DESCONTO 1) Determinar o desconto por fora sofrido por uma letra de R$ 5.000,00 à taxa de 5% aa, descontada 5 anos antes de seu vencimento. Resp: R$ 1.250,00 2) Uma

Leia mais

Em minha opinião pessoal, não acredito que as duas questões sejam anuladas, porém não custa tentar!!!!

Em minha opinião pessoal, não acredito que as duas questões sejam anuladas, porém não custa tentar!!!! Vamos ao que interessa. As questões 69 e 75 são passíveis de anulação. Veja suas resoluções. Em minha opinião pessoal, não acredito que as duas questões sejam anuladas, porém não custa tentar!!!! A prova

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA MATEMÁTICA FINANCEIRA Conceitos básicos A Matemática Financeira é uma ferramenta útil na análise de algumas alternativas de investimentos ou financiamentos de bens de consumo. Consiste em empregar procedimentos

Leia mais

Juros Compostos. Ao substituirmos cada uma das variáveis pelo seu respectivo valor teremos:

Juros Compostos. Ao substituirmos cada uma das variáveis pelo seu respectivo valor teremos: Introdução a Matemática Financeira Profº.: Ramon S. de Freitas Juros Compostos Juro composto é aquele que em cada período, a partir do segundo, é calculado sobre o montante relativo ao período anterior.

Leia mais

Introdução ao cálculo financeiro

Introdução ao cálculo financeiro Introdução ao cálculo financeiro Miguel Matias Instituto Superior Miguel Torga LICENCIATURA EM GESTÃO / 2ºANO 1ºSEM 2015/16 PROGRAMA 1. Introdução ao cálculo financeiro 2. Instrumentos financeiros de curto

Leia mais

Organização da Aula. Avaliação de Investimentos. Aula 2. Contextualização. Instrumentalização. Proporcionalidade de taxas. Equivalência de taxas

Organização da Aula. Avaliação de Investimentos. Aula 2. Contextualização. Instrumentalização. Proporcionalidade de taxas. Equivalência de taxas Avaliação de Investimentos Aula 2 Profa. Claudia Abramczuk Organização da Aula Proporcionalidade de taxas Equivalência de taxas Comparação entre proporcionalidade e equivalência VP e VF Contextualização

Leia mais

Resolverei neste artigo uma prova da fundação VUNESP realizada em 2010.

Resolverei neste artigo uma prova da fundação VUNESP realizada em 2010. Olá pessoal! Resolverei neste artigo uma prova da fundação VUNESP realizada em 2010. 01. (Fundação CASA 2010/VUNESP) Em um jogo de basquete, um dos times, muito mais forte, fez 62 pontos a mais que o seu

Leia mais

Sumário. 1 Introdução. Demonstrações Contábeis Decifradas. Aprendendo Teoria

Sumário. 1 Introdução. Demonstrações Contábeis Decifradas. Aprendendo Teoria Sumário 1 Introdução... 1 2 Instrumentos Financeiros e Conceitos Correlatos... 2 3 Classificação e Avaliação de Instrumentos Financeiros... 4 4 Exemplos s Financeiros Disponíveis para Venda... 7 4.1 Exemplo

Leia mais

10. Balanço Patrimonial. 10.1 Plano de Contas

10. Balanço Patrimonial. 10.1 Plano de Contas 10. Balanço Patrimonial 10.1 Plano de Contas É um elemento sistematizado e metódico de todas as contas movimentadas por uma empresa. Cada empresa deverá ter seu próprio plano de contas de acordo com suas

Leia mais

BANRISUL SIMULADO PRÉ-PROVA

BANRISUL SIMULADO PRÉ-PROVA BANRISUL SIMULADO PRÉ-PROVA MATEMÁTICA Instrução: Para responder às questões desta prova, considere, se necessário, as tabelas abaixo, as quais contêm resultados de cálculos de algumas fórmulas pertinentes

Leia mais

Comentário Geral: Prova dentro dos padrões da banca examinadora. Questões fáceis: 6 Questões medianas: 2 Questões difíceis: 0

Comentário Geral: Prova dentro dos padrões da banca examinadora. Questões fáceis: 6 Questões medianas: 2 Questões difíceis: 0 Comentário Geral: Prova dentro dos padrões da banca examinadora. Questão passível de anulação: 27 Porém, não acredito que a banca anulará, veja o comentário Questões fáceis: 6 Questões medianas: 2 Questões

Leia mais

Introdução à Matemática Financeira

Introdução à Matemática Financeira Introdução à Matemática Financeira Atividade 1 Por que estudar matemática financeira? A primeira coisa que você deve pensar ao responder esta pergunta é que a matemática financeira está presente em muitos

Leia mais

Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática

Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática 1. Se 35 m de um tecido custam R$ 140, quanto se pagará 12 m? 2. Se 20 tratores levaram 6 dias para realizar um

Leia mais

Raciocínio Lógico-Matemático para Banco do Brasil

Raciocínio Lógico-Matemático para Banco do Brasil Aula 00 Raciocínio Lógico-Matemático Professor: Guilherme Neves www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Apresentação... 3 Juros Simples - Introdução... 5 Juros... 5 Formas de Representação

Leia mais

Venda exclusiva para pessoa jurídica. Condições Gerais EMPRESARIAL

Venda exclusiva para pessoa jurídica. Condições Gerais EMPRESARIAL Venda exclusiva para pessoa jurídica. Condições Gerais O IDEAL CAP Empresarial é um título de capitalização de pagamento mensal que ajuda você a guardar dinheiro para tirar os projetos do papel. Além disso,

Leia mais

Resolução Prova de RACIOCINIO LOGICO MATEMATICO (PARTE MATEMÁTICA) PROF RICARDO ALVES

Resolução Prova de RACIOCINIO LOGICO MATEMATICO (PARTE MATEMÁTICA) PROF RICARDO ALVES Resolução Prova de RACIOCINIO LOGICO MATEMATICO (PARTE MATEMÁTICA) PROF RICARDO ALVES 11 Observe a adição: Sendo E e U dois algarismos não nulos e distintos, a soma E + U é igual a (A) 13 (B) 14 (C) 15

Leia mais

Lista de exercício nº 4* Fluxos de caixa não uniformes, inflação, juros reais e nominais

Lista de exercício nº 4* Fluxos de caixa não uniformes, inflação, juros reais e nominais Lista de exercício nº 4* Fluxos de caixa não uniformes, inflação, juros reais e nominais 1. Calcule o Valor Presente Líquido do fluxo de caixa que segue, para as taxas de desconto de 8% a.a., 10% a.a.

Leia mais

Apostila de. Finanças e Turismo. 2º semestre de 2013 Glauber Eduardo de Oliveira Santos

Apostila de. Finanças e Turismo. 2º semestre de 2013 Glauber Eduardo de Oliveira Santos Apostila de Finanças e Turismo 2º semestre de 2013 Glauber Eduardo de Oliveira Santos SUMÁRIO 1 Introdução às Finanças... 4 1.1 Avaliação de investimentos... 4 1.2 Empréstimos e juros... 5 1.3 Alternativas

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE MOCOCA. Av. Dr. Américo Pereira Lima, S/Nº Jardim Lavínia Mococa/SP CEP 13736-260 (19) 3656-5559

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE MOCOCA. Av. Dr. Américo Pereira Lima, S/Nº Jardim Lavínia Mococa/SP CEP 13736-260 (19) 3656-5559 FACULDADE DE TECNOLOGIA DE MOCOCA Curso: Informática Informática Gestão de Negócios. Disciplina: Administração Financeira e Orçamentária. Professor(a): Darlan Marcelo Delgado. Lista de Exercícios:. Conteúdo

Leia mais

Prof. Eugênio Carlos Stieler

Prof. Eugênio Carlos Stieler http://www.unemat.br/eugenio DESCONTOS CONCEITO A chamada operação de desconto normalmente é realizada quando se conhece o valor futuro de um título (valor nominal, valor de face ou valor de resgate) e

Leia mais

JUROS SIMPLES. Onde: n é o número de períodos (number of periods) ou prazo em dias; i é o índice da taxa de juros (index) anual;

JUROS SIMPLES. Onde: n é o número de períodos (number of periods) ou prazo em dias; i é o índice da taxa de juros (index) anual; curso completo de CALCULADORA HP-12C - 3 JUROS SIMPLES Além dos registradores X (visor), Y, Z e W, discutidos no capítulo anterior, vimos também que a calculadora HP-12C apresenta os registradores financeiros,

Leia mais

Matemática. Apostila. Prof. Pedro. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.

Matemática. Apostila. Prof. Pedro. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM. Matemática Apostila Prof. Pedro UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO PARA ALUNOS

Leia mais

UNIDADE DESCENTRALIZADA NOVA IGUAÇU - RJ ENGENHARIA ECONÔMICA E FINANCEIRA

UNIDADE DESCENTRALIZADA NOVA IGUAÇU - RJ ENGENHARIA ECONÔMICA E FINANCEIRA PARTE I 1 1) Calcular a taxa de juros trimestral proporcional às seguintes taxas: a) 24% ao ano. b) 36% ao biênio c) 6% ao semestre 2) Determinar a taxa de juros anual proporcional, das as seguintes taxas:

Leia mais

O quadro abaixo apresenta a distribuição dos salários dos funcionários em um banco.

O quadro abaixo apresenta a distribuição dos salários dos funcionários em um banco. 1) BANESE - FCC 2012 Considere que em uma indústria todos os seus operários trabalham com desempenhos iguais e constantes. Sabe-se que 24 desses operários, trabalhando 6 horas por dia, durante 10 dias,

Leia mais

MA12 - Unidade 10 Matemática Financeira Semana 09/05 a 15/05

MA12 - Unidade 10 Matemática Financeira Semana 09/05 a 15/05 MA12 - Unidade 10 Matemática Financeira Semana 09/05 a 15/05 Uma das importantes aplicações de progressões geométricas é a Matemática Financeira. A operação básica da matemática nanceira é a operação de

Leia mais

Conteúdo. Apostilas OBJETIVA - Ano X - Concurso Público 2015

Conteúdo. Apostilas OBJETIVA - Ano X - Concurso Público 2015 Apostilas OBJETIVA - Ano X - Concurso Público 05 Conteúdo Matemática Financeira e Estatística: Razão; Proporção; Porcentagem; Juros simples e compostos; Descontos simples; Média Aritmética; Mediana; Moda.

Leia mais

Administração - UniFAI

Administração - UniFAI CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO UniFAI Matemática Financeira Exercícios - Parte II Desconto de Títulos de Crédito Desconto de um Conjunto de Títulos 1 Desconto de Títulos de Crédito 1) Calcular o desconto

Leia mais

Lista de exercícios: Funções de 1ºgrau Problemas Gerais Prof ºFernandinho. Questões:

Lista de exercícios: Funções de 1ºgrau Problemas Gerais Prof ºFernandinho. Questões: Lista de exercícios: Funções de 1ºgrau Problemas Gerais Prof ºFernandinho Questões: 01.(UNESP) Apresentamos a seguir o gráfico do volume do álcool em função de sua massa, a uma temperatura fixa de 0 C.

Leia mais

I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO

I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO PU_TRADICIONAL_100MM_15M Condições Gerais I. INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CARDIF CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ Nº. : 11.467.788/0001-67 PRODUTO: PU_TRADICIONAL_100MM_15M MODALIDADE: TRADICIONAL

Leia mais

Soluções integrais. Há cinco degraus para se alcançar a sabedoria: calar, ouvir, lembrar, agir, estudar. Anônimo. Soluções do Capítulo 1

Soluções integrais. Há cinco degraus para se alcançar a sabedoria: calar, ouvir, lembrar, agir, estudar. Anônimo. Soluções do Capítulo 1 Soluções integrais Há cinco degraus para se alcançar a sabedoria: calar, ouvir, lembrar, agir, estudar. Anônimo Soluções do Capítulo 1 Basta somar os valores, lembrando que seta para baixo indica valor

Leia mais

Gabarito das Autoatividades MATEMÁTICA FINANCEIRA (ADMINISTRAÇÃO/CIÊNCIAS CONTÁBEIS) 2010/2 Módulo II

Gabarito das Autoatividades MATEMÁTICA FINANCEIRA (ADMINISTRAÇÃO/CIÊNCIAS CONTÁBEIS) 2010/2 Módulo II Gabarito das utoatividades (DSÇÃO/ÊS OBS) 2010/2 ódulo USSLV D GBO DS UOVDDS GBO DS UOVDDS D 3 UDD 1 ÓPO 1 1 Defina a atemática inanceira..: atemática inanceira é uma disciplina que estuda o valor do

Leia mais

Resoluções comentadas de Raciocínio Lógico e Estatística SEFAZ - Analista em Finanças Públicas Prova realizada em 04/12/2011 pelo CEPERJ

Resoluções comentadas de Raciocínio Lógico e Estatística SEFAZ - Analista em Finanças Públicas Prova realizada em 04/12/2011 pelo CEPERJ Resoluções comentadas de Raciocínio Lógico e Estatística SEFAZ - Analista em Finanças Públicas Prova realizada em 04/1/011 pelo CEPERJ 59. O cartão de crédito que João utiliza cobra 10% de juros ao mês,

Leia mais

Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br. Aula Gratuita PORCENTAGEM

Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br. Aula Gratuita PORCENTAGEM MATEMÁTICA FINANCEIRA ON LINE Aula Gratuita PORCENTAGEM Introdução (Clique aqui para assistir à aula gravada) A porcentagem é o estudo da matemática financeira mais aplicado ao nosso dia-a-dia. É freqüente

Leia mais

100 % valor correspondente a 100% outro % valor correspondente a outro %

100 % valor correspondente a 100% outro % valor correspondente a outro % PORCENTAGEM Porcentagem é a razão entre uma quantidade qualquer e 100. O símbolo % (por cento) indica a taxa percentual. 5 13 = 5%; = 13% 100 100 Observamos que a taxa pode ser escrita de forma percentual,

Leia mais

Taxas: Proporcional e Equivalente

Taxas: Proporcional e Equivalente Taxas: Proporcional e Equivalente Taxa Proporcional Considere duas taxas de juros arbitrárias i 1 e i 2, relacionadas respectivamente aos períodos n 1 e n 2, referidos à unidade comum de tempo das taxas.

Leia mais

Módulo de Juros e Porcentagem. Juros Simples e Compostos. Sétimo Ano

Módulo de Juros e Porcentagem. Juros Simples e Compostos. Sétimo Ano Módulo de Juros e Porcentagem Juros Simples e Compostos Sétimo Ano Juros Simples e Compostos 1 Eercícios Introdutórios Eercício 1. Um investidor quer aplicar a quantia de R$ 800, 00 por 3 meses, a uma

Leia mais

Elaborado por. Prof. Geraldo Zaccaro F. desconto a taxas constantes

Elaborado por. Prof. Geraldo Zaccaro F. desconto a taxas constantes Elaborado por Prof. Geraldo Zaccaro F. Capitalização simples: desconto a taxas constantes 1 Abrangência: Desconto simples, a taxa constante, Calcular o valor do desconto simples, por dentro e por fora,

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA MATEMÁTICA FINANCEIRA JUROS COMPOSTOS MF3 1 JUROS COMPOSTOS Capitalização composta é aquela em que a taxa de juros incide sobre o capital inicial, acrescido dos juros acumulados até o período anterior.

Leia mais

Não. A Sabesprev tem dinheiro em caixa suficiente para garantir o pagamento aos beneficiários pelos próximos anos. O que existe é um déficit atuarial.

Não. A Sabesprev tem dinheiro em caixa suficiente para garantir o pagamento aos beneficiários pelos próximos anos. O que existe é um déficit atuarial. PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE O SABESPREV MAIS. 1. A Sabesprev está em dificuldades financeiras? Não. A Sabesprev tem dinheiro em caixa suficiente para garantir o pagamento aos beneficiários pelos próximos

Leia mais

Matemática Financeira II

Matemática Financeira II Módulo 3 Matemática Financeira II Para início de conversa... Notícias como essas são encontradas em jornais com bastante frequência atualmente. Essas situações de aumentos e outras como financiamentos

Leia mais

Desconto Simples Racional e Comercial - Parte 3... 30 Equivalência de descontos... 31 Equivalência de capitais - Parte 1... 32 Equivalência de

Desconto Simples Racional e Comercial - Parte 3... 30 Equivalência de descontos... 31 Equivalência de capitais - Parte 1... 32 Equivalência de 1 Sumário Razão... 4 Proporção - Parte 1... 4 Proporção - Parte 2... 5 Proporção - Parte 3... 6 Proporção - Parte 4... 6 Média Aritmética... 7 Média Aritmética Ponderada... 8 Grandezas Proporcionais...

Leia mais

MATEMÁTICA TIPO A GABARITO: VFFVF. Solução: é a parábola com foco no ponto (0, 3) e reta diretriz y = -3.

MATEMÁTICA TIPO A GABARITO: VFFVF. Solução: é a parábola com foco no ponto (0, 3) e reta diretriz y = -3. 1 MATEMÁTICA TIPO A 01. Seja o conjunto de pontos do plano cartesiano, cuja distância ao ponto é igual à distância da reta com equação. Analise as afirmações a seguir. 0-0) é a parábola com foco no ponto

Leia mais