EXTRAÇÕES DE DOIS PRÉ-MOLARES SUPERIORES NA MÁ OCLUSÃO DE CLASSE II: PARÂMETROS DE DIAGNÓSTICO E NOVOS RECURSOS NA MECÂNICA.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXTRAÇÕES DE DOIS PRÉ-MOLARES SUPERIORES NA MÁ OCLUSÃO DE CLASSE II: PARÂMETROS DE DIAGNÓSTICO E NOVOS RECURSOS NA MECÂNICA."

Transcrição

1 1 EXTRAÇÕES DE DOIS PRÉ-MOLARES SUPERIORES NA MÁ OCLUSÃO DE CLASSE II: PARÂMETROS DE DIAGNÓSTICO E NOVOS RECURSOS NA MECÂNICA. EWALDO LUIZ DE ANDRADE Especialista em Ortodontia Mestre em Diagnóstico Bucal pela F.O.U.S.P. Doutor em Diagnóstico Bucal pela F.O.U.S.P. Ex-Professor Adjunto de Ortodontia da Universidade Guarulhos ( ) Coordenador de Cursos de Ortodontia no S.O.E.S.P. O tratamento da má oclusão de Classe II deve ser diferenciado entre pacientes em crescimento e pacientes pós-crescimento. Durante a fase de crescimento, todos os recursos ortodônticos e, principalmente, ortopédicos devem ser utilizados para alcançar um bom relacionamento entre os maxilares e uma correta oclusão entre os arcos dentários. O diagnóstico e o plano de tratamento ortodôntico iniciam com a definição do padrão facial do indivíduo. Podemos dividir em três os tipos básicos de padrão de perfil facial 1 (fig.1), determinados, principalmente, pelo relacionamento ântero-posterior entre a maxila e a mandíbula: Padrão 1: mandíbula bem relacionada com a maxila (Perfil Facial Plano) Padrão 2: mandíbula retruída em relação à maxila (Perfil Facial Convexo) Padrão 3: mandíbula protruída em relação à maxila (Perfil Facial Côncavo) Fig. 1 Os três tipos básicos de Padrão Facial Para facilitar o diagnóstico e definir o Padrão Facial, a cefalometria é uma ferramenta útil, precisa e muitas vezes decisiva. Diversas medidas ou análises cefalométricas, como o ângulo ANB ou a Avaliação Wits, podem ser utilizadas. Indicamos, pela facilidade de obtenção e confiabilidade, a Avaliação PlanUSP 2 que utiliza somente três pontos cefalométricos, com o plano PmA incorporado à

2 2 maxila e paralelo ao corpo da mandíbula e necessitando apenas projetar ortogonalmente o ponto B a esse plano. O Plano PmA é definido pelos pontos: Pm (formado pelo prolongamento inferior da imagem da fissura pterigomaxilar cruzando com a imagem da linha bi-espinal) e o ponto A na maxila. Avaliação PlanUSP Avaliação PlanUSP analisa a medida da distância, em milímetros, entre o ponto A e a projeção ortogonal do ponto B sobre o plano PmA (ponto BB). Sempre que o ponto BB se localizar atrás do ponto A, o valor será positivo. Quando o ponto BB se localizar a frente do ponto A, o valor será negativo. A avaliação PlanUSP para indivíduos com uma boa relação ântero-posterior entre a maxila e a mandíbula é de 0 mm com um desvio padrão de 2,26 mm, para indivíduos com idade óssea de 13 a 18 anos 2. Um indivíduo que apresentar um PlanUSP com o valor de +2,3 mm ou maior, provavelmente terá um perfil facial convexo ou Padrão 2. Assim como um indivíduo com um valor de PlanUSP de -2,3 mm ou negativamente maior, provavelmente terá um perfil facial côncavo ou Padrão 3. Fig. 2 - Cefalograma destacando a Avaliação PlanUSP Resumindo os valores obtidos para PlanUSP: Valor para PlanUSP entre -2,5 e +2,5 mm : Padrão de Perfil Esquelético bom, ou Padrão 1. Valor para PlanUSP maior que +2,5 mm : Padrão de Perfil Esquelético convexo, ou Padrão 2. Valor para PlanUSP menor que -2,5 mm: Padrão de Perfil Esquelético côncavo, ou Padrão 3.

3 3 POSSIBILIDADES DE TRATAMENTO PARA A CLASSE II DE ANGLE: 1 - CLASSE II NA FASE DE CRESCIMENTO COM PADRÃO FACIAL 1 O planejamento do tratamento de uma má oclusão de Classe II, com o paciente em crescimento, deve avaliar a relação ântero-posterior entre a maxila e a mandíbula. No caso de um Padrão Facial 1, como as relações esqueléticas e musculares estão em harmonia, o indicado é o movimento ortodôntico com a distalização dos molares superiores para se obter uma relação correta entre os arcos dentários. Podemos citar, então, algumas condutas mecânicas com aparatologia fixa, indicadas para a correção da Classe II em portadores de um Padrão Facial 1: Barra Transpalatina A barra transpalatina (BTP) ou arco transpalatal de Goshgarian, registrado pelo autor no Departamento de Patentes do Governo dos Estados Unidos da América em 1972, foi estudado por McNamara, Burstone e Baldini 3,4,6 e, posteriormente, com uma visão mais clínica por Cetlin 5 em seus trabalhos sobre tratamento sem extrações. Esses autores investigaram anatomicamente a região do primeiro molar superior permanente e sua posição ideal, pois cerca de 80% dos casos de Classe II de Angle apresentavam molares superiores girados para mesial e atresia do arco superior 5. Na dentição mista, a maioria das más oclusões é caracterizada pela rotação mesial dos molares superiores. Barras palatinas podem ser usadas, inicialmente, para rotacionar molares distalmente ao redor da grande raiz palatina e, simultaneamente, expansão e torque podem ser prontamente efetuados. É de grande vantagem a correção, com a BTP, da posição anatômica dos primeiros molares permanentes superiores, na giroversão para mesial, bem como na atresia do arco, promovendo uma expansão da maxila, pois a sutura palatina ainda não está consolidada. A correção precoce da posição dos primeiros molares superiores permanentes, durante a dentição mista, promove uma recuperação de

4 4 espaço para os demais elementos dentários, facilitando o desenvolvimento de arcos dentários mais amplos e bem relacionados entre si e com a face, melhorando a estética e eliminando os fundos negros do sorriso. Os ganhos permanentes de uma correção precoce da Classe II com a BTP contribuirão no desenvolvimento posterior de uma oclusão normal estável na dentição permanente. A correção da rotação molar com a BTP ocorre ao redor da raiz palatina e pode, não só promover a correção da relação molar, mas também aumentar o comprimento do arco aproximadamente em 2,0 mm de cada lado. Pode-se obter, simultaneamente, rotação e movimento de distalização dos molares; nestes casos a ativação deve ser unilateral para que de um lado ocorra rotação e do outro distalização. Além da função de manutenção do espaço livre de Nance na arcada superior, a BTP tem sido empregada em várias mecânicas ortodônticas como recurso auxiliar de ancoragem, apesar de não haver trabalhos clínicos que comprovem a sua efetividade. Durante a dentição mista é vantajosa a correção, com o auxílio da BTP, do posicionamento dos primeiros molares, pois estes servem como guia de erupção dos dentes permanentes adjacentes. O emprego na correção precoce de giroversões, mesializações e atresia maxilar torna valioso este recurso ortodôntico, visto que, o mesmo não necessita da cooperação do paciente para a obtenção dos movimentos dentários desejados. Fig. 3 Correção da Classe II em paciente em crescimento portador de atresia do arco dentário, antes e após a ativação da BTP Outros recursos ortodônticos Para a correção da Classe II na fase de crescimento com Padrão Facial 1, temos disponível recursos de distalização como fios super-elásticos, molas, magnetos e dispositivos como o Distal Jet, Jones Jig, Pendulum e outros. Com o advento da ancoragem com parafusos ortodônticos estes recursos se tornaram mais eficientes, isto é, com a ausência de perda de ancoragem na região anterior.

5 5 2 - CLASSE II NA FASE DE CRESCIMENTO COM PADRÃO FACIAL 2 A criança com Padrão Facial 2 apresenta uma discrepância esquelética ântero-posterior que pode ser evidenciada com o ângulo ANB maior que 3,5 º graus ou um valor para PlanUSP maior que 3,0 mm, ambos positivos. Essa mandíbula mais curta, em relação à maxila, deve ser orientada e estimulada por tratamentos ortopédicos funcionais, com o auxílio de dispositivos como o Bionator de Balters, Klamt, Bimler e outros. A indicação pode depender de diversos fatores, como a interposição labial devida à grande sobressaliência encontrada em portadores de discrepância ântero-posterior entre a maxila e a mandíbula. A utilização do Arco Extra Bucal, isoladamente ou associado a uma placa expansora que também proporcione um levantamento da mordida (AEB conjugado), é um recurso amplamente citado na literatura como indicação ao tratamento da má oclusão de Classe II durante o crescimento CLASSE II APÓS O CRESCIMENTO, COM PADRÃO FACIAL 1 O indivíduo portador de uma má oclusão Classe II e com Padrão Facial 1, já na dentição permanente, tem a seu favor uma boa relação ântero-posterior entre a maxila e a mandíbula e a Classe II pode ser corrigida com dispositivos fixos, como os recursos distalizadores que, com o advento da ancoragem absoluta dos parafusos ortodônticos, se tornaram mais seguros e mais eficientes. 4 - CLASSE II APÓS O CRESCIMENTO, COM PADRÃO FACIAL 2 O indivíduo adulto portador de uma má oclusão de Classe II e com um Padrão Facial 2 é um candidato à cirurgia ortognática, que promete oferecer um bom perfil esquelético e facial com um bom relacionamento ântero-posterior entre os arcos dentários. A indicação para a cirurgia ortognática pode ser válida nestes casos de retrognatismo em que o trespasse horizontal for maior de 10 mm, altura facial maior de 125 mm, comprimento mandibular menor de 70 mm e pogônio retruído mais de 18 mm da linha nasioperpendicular 8. Como opção de tratamento com compensação dentária existe o método de duas extrações superiores, que proporciona uma dissimulação da má oclusão de Classe II e que oferece um bom ajuste entre os arcos dentários na região anterior, com uma boa chave de caninos. Ao manter um relacionamento molar já existente, provavelmente há muitos anos, de Classe II. O método de duas extrações superiores oferece também boa estética, função e estabilidade.

6 6 Ao comparar-se o tratamento de duas extrações de pré-molares superiores com o tratamento sem extrações, na má oclusão de Classe II completa (uma cúspide inteira), a eficiência na oclusão final é melhor e o tempo de tratamento menor no protocolo com extrações. 9 (Janson) Comparando-se também o tratamento de duas extrações de pré-molares superiores com o tratamento sem extrações, com a utilização de aparelho Pendulum, em má oclusão de Classe II completa (uma cúspide inteira), a eficiência na oclusão final também é melhor e o tempo de tratamento é menor no protocolo com extrações. 10 (Pinzan-Vircelino) PARÂMETROS NO DIAGNÓSTICO DE DUAS EXTRAÇÕES SUPERIORES Para empreender um tratamento ortodôntico com duas extrações superiores, o paciente deve ser portador de três requisitos: 1º. Classe II de Angle de uma cúspide inteira 2º. Padrão Facial 2 (PlanUSP > 3 mm ou ANB > 3,5º) 3º. Arco dentário inferior com discrepância de modelo zero 1º. Classe II de Angle de uma cúspide inteira. Atualmente, com os recursos de ancoragem absoluta que utilizam os parafusos ortodônticos, a correção sem extrações da Classe II de uma cúspide inteira é viável. Mas a distalização ampla de primeiros e segundos molares superiores torna-se mais difícil nos casos em que a relação total de Classe II, com grande intercuspidação, já está instalada desde a oclusão dos primeiros molares permanentes, por volta dos 6 aos 8 anos de idade. Será principalmente dificultada nos casos de impossibilidade de instalação dos parafusos ortodônticos para a ancoragem. Para uma má oclusão Classe II com apenas meia cúspide seria mais indicado o tratamento sem extrações, agora mais fácil, com a utilização da ancoragem absoluta. No caso de duas extrações superiores, a relação molar continua a mesma após o tratamento, proporcionando grande estabilidade ântero-posterior entre os arcos dentários e também boa intercuspidação na região de pré-molares e caninos.

7 7 2º. Padrão Facial 2 (PlanUSP > 3 mm ou ANB > 3,5º). Um indivíduo com um bom perfil facial e com as medidas cefalométricas equilibradas, portador de um PlanUSP entre -3 a +3 mm ou um ângulo ANB entre 0,5º e 3,5º graus, possui um bom relacionamento esquelético ântero-posterior entre a maxila e a mandíbula. Este Perfil Facial solicita uma oclusão de Classe I, com um bom ajuste entre os molares e pré-molares e com todos os dentes presentes. Para ser possível oferecer a esse paciente uma oclusão normal, o ideal seria o tratamento sem extrações ou com quatro extrações. 3º. Arco dentário inferior com discrepância de modelo zero. Para um indivíduo Classe II com apinhamentos severos no arco inferior seria mais indicado um tratamento com quatro extrações. Para apinhamentos leves, por volta de -3 mm, se for possível o bom alinhamento com recursos diversos, como os desgastes interproximais, o arco inferior poderá ser totalmente corrigido, tornando-se um arco com discrepância de modelo zero, favorecendo o tratamento com duas extrações superiores. O indivíduo portador das três características acima poderá receber um diagnóstico para o tratamento com duas extrações superiores, obtendo uma oclusão aceitável, com boa estética, função e estabilidade, sem dois dentes superiores, geralmente os dois primeiros pré-molares. Ancoragem Toda movimentação ortodôntica necessita de uma ancoragem. Desde uma necessidade mínima até a necessidade máxima de ancoragem que teria como exemplo, a retração dos dentes caninos e incisivos nos casos de duas extrações superiores em uma Classe II de uma cúspide inteira. Vide os exemplos mostrados na figura 4 e na figura 5 na página 9. A ancoragem pode ser removível, como o aparelho extra-bucal ou uma placa de acrílico ou fixa, como o Botão de Nance e os parafusos ortodônticos, que revolucionaram a ancoragem sendo eficientes, fáceis de instalação e confortáveis aos pacientes 11,12. Fig. 4 Início da retração dos dentes caninos superiores com parafusos ortodônticos como ancoragem.

8 8 Braquetes autoligados e a pesquisa clínica Os braquetes autoligados são uma evolução natural e bem-vinda aos elementos de fixação. É a mais bem sucedida inovação no desenvolvimento dos braquetes desde a proposta por Andrews em A facilidade de operação e o conforto oferecido ao paciente, somados ao maior aproveitamento dos fios super elásticos, além do menor atrito aos fios e o maior intervalo entre as consultas, são conquistas consolidadas. Casos clínicos com autoligados foram apresentados, destacando a não necessidade incondicional de abertura de espaço antecedendo o alinhamento e o nivelamento 13. Mas a grande revolução na qualidade e no tempo de tratamento deve ser avaliada com cuidado em trabalhos de pesquisa clínica. Observamos na literatura 14 em 2007, que comparando o fechamento de espaços com braquetes autoligados e convencionais amarrados com fio de aço inoxidável, não ocorreram diferenças significativas na quantidade de movimento das ativações mensais 14. Pesquisa publicada em realizou uma revisão sistemática para avaliar diversos efeitos clínicos no tratamento com braquetes autoligados comparando aos tratamentos com braquetes convencionais. Não foram encontradas evidências suficientes para indicar vantagens clínicas entre os autoligados e os convencionais, ou vice e versa 15, sugerindo que a diminuição do atrito em braquetes autoligados passivos observada em laboratório deve ser melhor pesquisada em trabalhos clínicos. No mesmo direcionamento dos braquetes autoligados, que facilitam a mecânica, o menor atrito e que aproveitam as vantagens dos fios super elásticos poderiam existir, como opção, tubos projetados para pré-molares. Serão mais simples na fabricação e poderão ajudar em uma mecânica que não seja necessária a inclusão de molares. Retração dos dentes caninos superiores Nos casos classe II com duas extrações de primeiros pré-molares superiores, é uma vantagem a retração dos dentes caninos precedendo a retração dos dentes anteriores. Essa conduta em duas fases necessita de menos ancoragem e facilita a colocação do canino superior, na sua exata posição, ocluindo com os dentes caninos e primeiros pré-molares inferiores, posição esta que estava anteriormente ocupada pelos primeiros pré-molares superiores extraídos. (Figs. 4 e 5) Retração anterior Para um melhor controle vertical e inclinação dos dentes anteriores durante a retração e pesquisas clínicas 14,15 observando a existência de atrito ou oposição ao movimento, semelhante entre braquetes autoligados passivos e braquetes convencionais amarrados com fio de aço, aumentam as vantagens da utilização de arcos de retração com alças em T (Fig. 5). Com a oferta de fios mais resilientes e que possam ser deformados, como a liga com titânio e molibdênio, TMA da ORMCO,

9 9 a utilização do arco de retração anterior com alças em T, além de oferecer zero de atrito ao movimento, se torna mais eficiente e biocompatível. CASO CLÍNICO O caso inicial (Fig. 5) apresentava uma paciente do gênero feminino, com 17 anos exatos de idade cronológica, portadora de má oclusão de Classe II completa (uma cúspide inteira), com falta de espaço para os dentes caninos superiores, mordida profunda, dentes anteriores superiores inclinados para lingual e arco dentário inferior sem apinhamentos (discrepância de modelo inferior igual a zero). Na avaliação cefalométrica inicial da relação ântero-posterior entre a maxila e a mandíbula observava-se um ângulo ANB igual a 4,3º graus e um PlanUSP de 4,1 mm, revelando uma mandíbula retruída em relação à maxila, confirmando perfil convexo e Padrão Facial 2. Fig. 5 Retração anterior com utilização de alças em T, em arcos pré-fabricados. Como a paciente apresentava os três requisitos para um protocolo de duas extrações superiores (Classe II completa, Padrão Facial 2 e arco inferior perfeito), e não apresentava mais crescimento significativo, foram extraídos os dois primeiros pré-molares superiores. Previamente foi montado o aparelho fixo superior, utilizando como ancoragem o aparelho extra-bucal, que em pesquisa clínica se mostrou tão eficiente quanto os mini parafusos ortodônticos 12. Atualmente, sempre que possível, é mais indicado a colocação de parafusos ortodônticos para a ancoragem durante a retração dos dentes caninos e posterior retração dos dentes anteriores, pela não necessidade de colaboração do paciente 12. Após a retração dos dentes caninos superiores utilizou-se o arco de retração anterior pré-fabricado com alças em T e fio TMA para a retração dos quatro incisivos

10 10 superiores. Arco este que, com as alças em T, permite um bom controle vertical (intrusão) durante a retração e sem atrito durante o movimento. Este artigo procurou contribuir, aos que iniciam nossa especialidade, para o diagnóstico bem sucedido em um tratamento com condutas irreversíveis como extrações de dois pré-molares superiores. Acreditamos serem estes os parâmetros mais importantes, sem esquecer um número grande de outras variáveis como a altura facial e a proporção entre outras estruturas esqueléticas que em casos específicos ou atípicos deverão ser analisados de uma forma individualizada. Referências 1. Capelozza Filho L. Diagnóstico em ortodontia. Maringá: PR: Dental Press; Andrade EL, Freitas CF. Proposta de um plano cefalométrico na avaliação da relação ântero-posteriorentre a maxila e a mandíbula. Ortodontia 2009;42(1): Baldini, G.; Luder H. U. Influences of arch shape on the transverse effects of transpalatal arches of the Goshgorian type during application of buccal root torque. Am. J. Orthod 1982; 81: Burstone, C.J.; Koenig, H.A. Precision adjustement of the transpalatal lingual arch: computer arch form determination. Am. J. Orthod 1981: 79: Cetlin, N. M.; Ten Hoeve, A. Non-extraction treatment. J. Clin. Orthod 1983;17: McNamara Jr., J. A.. Tratamiento Ortodóncico y Ortopédico en la Dentición Mixta. Needham Press. Ann Arbor, Almeida-Pedrin, RR, Pinzan A, Almeida RR, Almeida MR, Henriques JFC. Efeitos do AEB conjugado e do Bionator no tratamento da Classe II, 1ª divisão. Rev dent press ortodon ortopedi facial 2005:10(5): Simonetti R, Maltagliati LA, Marcondes CP, Goldenberg FC. Tratamento da deficiência mandibular em adultos. Abordagem cirúrgica ou compensatória? Ortodontia 2008;41(2): Janson G, Barros SE, de Freitas MR, Henriques JF, Pinzan A. Class II treatment efficiency in maxillary premolar extraction and nonextraction protocols. Am J Orthod Dentofacial Orthop 2007; 132(4): Pinzan-Vercelino CR, Janson G, Pinzan A, de Almeida RR, de Freitas MR, de Freitas KM. Comparative efficiency of Class II malocclusion treatment with the pendulum applience ot two maxillary premolar extractions and edgewire appliances. Eur J Orthod 2009; 31(3): Upadhyay M, Yadav S, Nagaraj K, Patil S. Treatment effects of mini-implants for enmasse retraction of anterior teeth in bialveolar dental protrusion patients: a randomized controlled trial. Am J Orthod Dentofacial Orthop 2008: 134(1):

11 Kuroda S, Yamada K, Deguchi T, Kyung HM, Takano-Yamamoto T. Class II malocclusion treated with miniscrew anchorage: comparison with traditional orthodontic mechanics outcomes. Am J Orthod Dentofacial Orthop 2009; 135(3): Maltagliati LA. Sistema autoligado: quebrando paradigmas. Ortodontia 2010;43(1): Miles PG. Self-ligating vs conventional twin brackets during en-masse space closure with sliding mechanics. Am J Orthod Dentofacial Orthop 2007; 132(2): Fleming PS, Johal A. Self-Ligating Brackets in Orthodontics. Angle Orthodontist, 2010: 80(3):

Mordida Profunda Definição. Trespasse vertical

Mordida Profunda Definição. Trespasse vertical Mordida Profunda Definição Trespasse vertical Mordida Profunda Diagnóstico Os fatores que contribuem variam de acordo com a oclusão: u Em boas oclusões é determinda por fatores dentários: t Comprimento

Leia mais

Reginaldo César Zanelato

Reginaldo César Zanelato Reginaldo César Zanelato Nos pacientes portadores da má oclusão de Classe II dentária, além das opções tradicionais de tratamento, como as extrações de pré-molares superiores e a distalização dos primeiros

Leia mais

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL Montagem das Pastas As pastas devem estar organizadas na seguinte ordem: I- Externo Página Título: colocar na capa frontal da pasta (a capa tem um envelope plástico para esta finalidade). BOARD BRASILEIRO

Leia mais

Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso

Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso Caso Clínico Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso José Euclides Nascimento* Luciano da Silva

Leia mais

incisivos inferiores 1,3,4,6. Há também um movimento do nariz para frente, tornando o perfil facial menos côncavo e, conseqüentemente,

incisivos inferiores 1,3,4,6. Há também um movimento do nariz para frente, tornando o perfil facial menos côncavo e, conseqüentemente, Série Aparelhos Ortodônticos MÁSCARA FACIAL INTRODUÇÃO Inúmeras formas de tratamento têm sido relatadas para a correção precoce da má oclusão de Classe III. No entanto, talvez por muitos casos necessitarem

Leia mais

Programa Laboratorial (hands on em Manequim)

Programa Laboratorial (hands on em Manequim) PROGRAMA DE CURSO DE EXCELÊNCIA EM ORTODONTIA COM 8 MÓDULOS DE 2 DIAS MENSAIS Prof. ROQUE JOSÉ MUELLER - Tratamento Ortodôntico de alta complexidade em adultos : diagnóstico, planejamento e plano de tratamento.

Leia mais

Tratamento da Classe II com Distalização do Arco Superior Utilizando Microparafusos Ortodônticos de Titânio

Tratamento da Classe II com Distalização do Arco Superior Utilizando Microparafusos Ortodônticos de Titânio Capítulo Tratamento da Classe II com Distalização do Arco Superior Utilizando Microparafusos Ortodônticos de Titânio 1 Henrique Mascarenhas Villela Andréa Lacerda Santos Sampaio Évelin Rocha Limoeiro Introdução

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO APARELHO Componentes do aparelho extrabucal 3

APRESENTAÇÃO DO APARELHO Componentes do aparelho extrabucal 3 Série Aparelhos Ortodônticos EXTRABUCAL INTRODUÇÃO A ancoragem extrabucal ainda é um dos recursos mais utilizados e recomendados no tratamento da má oclusão de Classe II, primeira divisão, caracterizada

Leia mais

Tratamento de Classe II, Divisão 1, com ausência congênita de incisivo lateral superior

Tratamento de Classe II, Divisão 1, com ausência congênita de incisivo lateral superior A RTIGO DE D IVULGA ÇÃO Tratamento de Classe II, Divisão 1, com ausência congênita de incisivo lateral superior Roberto M. A. LIMA FILHO*, Anna Carolina LIMA**, José H. G. de OLIVEIRA***, Antonio C. de

Leia mais

Má oclusão Classe I de Angle, com acentuada biprotrusão, tratada com extrações de dentes permanentes*

Má oclusão Classe I de Angle, com acentuada biprotrusão, tratada com extrações de dentes permanentes* C a s o C l í n i c o O Má oclusão Classe I de ngle, com acentuada biprotrusão, tratada com extrações de dentes permanentes* Marco ntônio Schroeder** Resumo Este relato de caso descreve o tratamento de

Leia mais

CRONOGRAMA CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA. APROVADO: MEC e CFO

CRONOGRAMA CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA. APROVADO: MEC e CFO CRONOGRAMA CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA APROVADO: MEC e CFO 1º. MÓDULO: 1º. DIA: Apresentação da Especialização / Aula teórica de Classificação das Más-oclusões 2º. DIA: Aula teórica de Etiologia

Leia mais

Extrações estratégicas de segundos pré-molares superiores na má-oclusão de Classe II

Extrações estratégicas de segundos pré-molares superiores na má-oclusão de Classe II Trabalho original Ortoclínica Extrações estratégicas de segundos pré-molares superiores na má-oclusão de Classe II Strategic second pre-molar extraction in Class II malocclusion treatment Fabrício Pinelli

Leia mais

Tratamento da Má Oclusão de Classe II com Extração de Pré -Molares Superiores

Tratamento da Má Oclusão de Classe II com Extração de Pré -Molares Superiores Tratamento da Má Oclusão de Classe II com Extração de Pré -Molares Superiores Adriano César Trevisi Zanelato Coordenador do curso de especialização em Ortodontia pela Escola de Odontologia Cuiabá (MT).

Leia mais

Barra palatina assimétrica em L : ancoragem em casos de Classe II subdivisão tipo 2 tratados com extração de um pré-molar superior

Barra palatina assimétrica em L : ancoragem em casos de Classe II subdivisão tipo 2 tratados com extração de um pré-molar superior caso clínico Barra palatina assimétrica em L : ancoragem em casos de Classe II subdivisão tipo 2 tratados com extração de um pré-molar superior L-shaped asymmetrical palatal bar: anchorage in Class II

Leia mais

Extração atípica de incisivos centrais superiores: relato de caso clínico Atypical extraction of maxillary central incisors: case report

Extração atípica de incisivos centrais superiores: relato de caso clínico Atypical extraction of maxillary central incisors: case report RELATO DE CASO Extração atípica de incisivos centrais superiores: relato de caso clínico Atypical extraction of maxillary central incisors: case report MARCOS VALÉRIO FERRARI 1 JOSÉ RICARDO SCANAVINI 2

Leia mais

Utilização da barra transpalatina na correção da má-oclusão de Classe II durante a dentição mista

Utilização da barra transpalatina na correção da má-oclusão de Classe II durante a dentição mista Ortoclínica Utilização da barra transpalatina na correção da má-oclusão de Classe II durante a dentição mista Angle Class II correction using the transpalatal arch during early treatment Ewaldo Luiz de

Leia mais

MARCOS PRADEBON TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO CLASSE II: REVISÃO DE LITERATURA

MARCOS PRADEBON TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO CLASSE II: REVISÃO DE LITERATURA FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS- FUNORTE INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MARCOS PRADEBON TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO CLASSE II: REVISÃO DE LITERATURA Santa Cruz do Sul 2013 MARCOS PRADEBON TRATAMENTO DA

Leia mais

IGC - Índice do Grau de Complexidade

IGC - Índice do Grau de Complexidade IGC - Índice do Grau de Complexidade Uma medida da complexidade do caso DI -American Board of Orthodontics Autorização American Board of Orthodon1cs- ABO Atualização: 13.05.2013 12. Outros Itens pontuados

Leia mais

FECHAMENTO DE ESPAÇOS

FECHAMENTO DE ESPAÇOS FECHAMENTO DE ESPAÇOS Rua 144, n 77 - Setor Marista - Goiânia (GO) - CEP 74170-030 - PABX: (62) 278-4123 - 1 - Introdução Podemos definir essa etapa do tratamento ortodôntico como aquela onde o principal

Leia mais

Resumo. Abstract. Orthodontic Science and Practice. 2012; 5(19):416-423. Relato de caso (Case Report) Guilherme Marigo 1 Marcelo Marigo 2

Resumo. Abstract. Orthodontic Science and Practice. 2012; 5(19):416-423. Relato de caso (Case Report) Guilherme Marigo 1 Marcelo Marigo 2 416 Orthodontic Science and Practice. 2012; 5(19):416-423. Tratamento da Classe II, divisão 1 com auxílio de ancoragem esquelética - relato de caso. Treatment of Class II, division 1 with the aid of skeletal

Leia mais

BARRA TRANSPALATINA 1. INTRODUÇÃO

BARRA TRANSPALATINA 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO BARRA TRANSPALATINA Para o ortodontista, no planejamento do tratamento de uma má oclusão, um dos fatores importantes a ser observado é o posicionamento dos primeiros molares e as relações

Leia mais

Má oclusão Classe III de Angle com discrepância anteroposterior acentuada

Má oclusão Classe III de Angle com discrepância anteroposterior acentuada C ASO CLÍNIC O BBO Má oclusão Classe III de Angle com discrepância anteroposterior acentuada Carlos Alexandre Câmara* Resumo O caso clínico apresentado refere-se ao tratamento de uma paciente com 36 anos,

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO RESUMO

UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO RESUMO 474 UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO Fábio André Werlang 1 Marcos Massaro Takemoto 2 Prof Elton Zeni 3 RESUMO

Leia mais

Extração Seriada, uma Alternativa

Extração Seriada, uma Alternativa Artigo de Divulgação Extração Seriada, uma Alternativa Serial Extraction, an Alternative Procedure Evandro Bronzi Resumo A extração seriada é um procedimento ortodôntico que visa harmonizar

Leia mais

Uma vez estando estabelecidos os conceitos de oclusão normal, a etapa. subseqüente do processo de aprendizado passa a ser o estudo das variações

Uma vez estando estabelecidos os conceitos de oclusão normal, a etapa. subseqüente do processo de aprendizado passa a ser o estudo das variações 1 INTRODUÇÃO Uma vez estando estabelecidos os conceitos de oclusão normal, a etapa subseqüente do processo de aprendizado passa a ser o estudo das variações desse padrão. Vale a pena relembrarmos a definição

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS

CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS 31) Sobre a reabsorção localizada severa, é correto afirmar que a) os dentes com dilaceração são fatores de risco. b) o tratamento ortodôntico não é o principal fator etiológico.

Leia mais

Hugo Trevisi Reginaldo Trevisi Zanelato. O Estado da arte na. Ortodontia APARELHO AUTOLIGADO, MINI-IMPLANTE E EXTRAÇÕES DE SEGUNDOS MOLARES

Hugo Trevisi Reginaldo Trevisi Zanelato. O Estado da arte na. Ortodontia APARELHO AUTOLIGADO, MINI-IMPLANTE E EXTRAÇÕES DE SEGUNDOS MOLARES Hugo Trevisi Reginaldo Trevisi Zanelato O Estado da arte na Ortodontia APARELHO AUTOLIGADO, MINI-IMPLANTE E EXTRAÇÕES DE SEGUNDOS MOLARES O estado da arte na Ortodontia o estado da arte na Ortodontia

Leia mais

(VTO dentário) Resumo Este presente artigo teve por finalidade demonstrar, simplificadamente, o manejo

(VTO dentário) Resumo Este presente artigo teve por finalidade demonstrar, simplificadamente, o manejo iagnóstico Análise da Movimentação entária (VTO dentário) Adriano César Trevisi Zanelato*, Hugo José Trevisi**, Reginaldo César Trevisi Zanelato***, André César Trevisi Zanelato*, Renata Chicarelli Trevisi****

Leia mais

Sliding Jig: confecção e mecanismo de ação

Sliding Jig: confecção e mecanismo de ação Dica Clínica Sliding Jig: confecção e mecanismo de ação Adriana Simoni Lucato* Eloísa Marcantônio Boeck* Silvia Amelia Scudeler Vedovello* João Sarmento Pereira Neto** Maria Beatriz Borges de Araújo Mangnani***

Leia mais

Tratamento cirúrgico da má oclusão de Classe III dentária e esquelética

Tratamento cirúrgico da má oclusão de Classe III dentária e esquelética Caso Clínico BBO Tratamento cirúrgico da má oclusão de Classe III dentária e esquelética Ione Helena Vieira Portella Brunharo 1 O preparo ortodôntico para tratamento cirúrgico do padrão esquelético de

Leia mais

TRATAMENTO DE UMA CLASSE II COM IMPACTAÇÃO DE CANINO E DE PRÉ-MOLAR

TRATAMENTO DE UMA CLASSE II COM IMPACTAÇÃO DE CANINO E DE PRÉ-MOLAR Miguel da Nóbrega Médico Especialista em Estomatologia DUO Faculdade de Cirurgia Dentária Universidade Toulouse miguel.nobrega@ortofunchal.com TRATAMENTO DE UMA CLASSE II COM IMPACTAÇÃO DE CANINO E DE

Leia mais

ATO DELIBERATIVO Nº 43, DE 19 DE JUNHO DE 2012.

ATO DELIBERATIVO Nº 43, DE 19 DE JUNHO DE 2012. ATO DELIBERATIVO Nº 43, DE 19 DE JUNHO DE 2012. Dispõe sobre o auxílio para tratamento ortodôntico e ortopédico dos maxilares. O PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO DO PLANO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE E BENEFÍCIOS

Leia mais

Boa leitura a todos e aguardamos seus comentários e sugestões. Ricardo Moresca

Boa leitura a todos e aguardamos seus comentários e sugestões. Ricardo Moresca Orthodontic Science and Practice. 2012; 5(19):261-274. 261 A Classe II é uma das más oclusões mais frequentes entre os pacientes que buscam pelo tratamento ortodôntico e a sua correção pode representar

Leia mais

Aparelho Arco E-1886E. Partes do aparelho

Aparelho Arco E-1886E. Partes do aparelho BRÁQUETES Aparelho Arco E-1886E Partes do aparelho Aparelho Arco E -1886 APARELHO PINO E TUBO - 1912 Arco Cinta -1915 Aparelho Edgewise - 1925 Braquete original Os primeiros bráquetes eram.022 de uma liga

Leia mais

Verticalização de Molares

Verticalização de Molares Curso de Aperfeiçoamento em Ortodontia Verticalização de Molares Prof.: Paulo César Principais causas 1. Perdas precoce de molares decíduos Principais causas 2. Anodontia de 2 pré-molares !"#$"$%&'()*(+,($%-"%.+/0.+"123!

Leia mais

Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção

Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção Um novo conceito de ver e atuar com os aparelhos ortodônticos removíveis José Roberto Ramos Na maioria dos casos, o emprego dos aparelhos ortodônticos

Leia mais

Prosthes. Lab. Sci. 2013; 2(6):149-154.

Prosthes. Lab. Sci. 2013; 2(6):149-154. PROSTHESIS L A B O R A T O R Y i n Cristiane Barros André 1 Walter Iared 2 Renato Bigliazzi 3 Prosthes. Lab. Sci. 2013; 2(6):149-154. Planejamento e individualização da aparatologia ortodôntica conjugada

Leia mais

Tracionamento ortodôntico de incisivos central e lateral superiores impactados: caso clínico

Tracionamento ortodôntico de incisivos central e lateral superiores impactados: caso clínico Caso Clínico Tracionamento ortodôntico de incisivos central e lateral superiores impactados: caso clínico Plínio Coutinho Vilas Boas*, Luís Antônio Alves Bernardes**, Matheus Melo Pithon***, Diogo Piacentini

Leia mais

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa o superiores e splint removível vel inferior MORO, A.; et al. Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de aço superiores

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS Efeitos dentoalveolares e esqueléticos do tratamento da má oclusão Classe II com os aparelhos Herbst, Jasper Jumper e o Aparelho de Protração Mandibular

Leia mais

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada?

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? A avaliação da estética facial, bem como sua relação com a comunicação e expressão da emoção, é parte importante no

Leia mais

1. Introdução. 2. Fios ortodônticos. Centro de Pós Graduação em Ortodontia

1. Introdução. 2. Fios ortodônticos. Centro de Pós Graduação em Ortodontia 1. Introdução O alinhamento e o nivelamento é o primeiro estágio do tratamento ortodôntico com aparelho fixo. Alinhamento significa colocar os braquetes e os tubos alinhados no sentido vestibulolingual.

Leia mais

Estudo comparativo da eficiência do aparelho extrabucal e da barra transpalatina como meios de ancoragem durante a fase de retração

Estudo comparativo da eficiência do aparelho extrabucal e da barra transpalatina como meios de ancoragem durante a fase de retração A r t i g o I n é d i t o Estudo comparativo da eficiência do aparelho extrabucal e da barra transpalatina como meios de ancoragem durante a fase de retração Marcos Salomão Moscardini* Resumo Objetivo:

Leia mais

A eficiência do distalizador de Carrière na correção da má-oclusão Classe llr de Angle, Divisão 1, Subdivisão

A eficiência do distalizador de Carrière na correção da má-oclusão Classe llr de Angle, Divisão 1, Subdivisão A eficiência do distalizador de Carrière na correção da má-oclusão Classe llr de Angle, Divisão 1, Subdivisão Angle C l a s s I I malocclusion, s u b d i v i s i o n c o r r e c t i o n with Carriorr D

Leia mais

Mini-implante como ancoragem absoluta: ampliando os conceitos de mecânica ortodôntica

Mini-implante como ancoragem absoluta: ampliando os conceitos de mecânica ortodôntica Mini-implante como ancoragem absoluta: ampliando os conceitos de mecânica ortodôntica Absolute anchorage with mini-implants: improving the concepts of the orthodontic mechanics Leonardo Alcântara Cunha

Leia mais

Tratamento Ortodôntico da Má Oclusão de Classe II, Primeira Divisão. SAULO BORDIN MARIA

Tratamento Ortodôntico da Má Oclusão de Classe II, Primeira Divisão. SAULO BORDIN MARIA Tratamento Ortodôntico da Má Oclusão de Classe II, Primeira Divisão. SAULO BORDIN MARIA Londrina 2013 SAULO BORDIN MARIA TRATAMENTO ORTODÔNTICO DA MÁ OCLUSÃO DE CLASSE II, PRIMEIRA DIVISÃO Trabalho de

Leia mais

Instrução de Uso. Tubos. Tubo Simples Indicado para primeiros e segundos molares. Possui um único slot para alojar o arco intraoral.

Instrução de Uso. Tubos. Tubo Simples Indicado para primeiros e segundos molares. Possui um único slot para alojar o arco intraoral. Instrução de Uso Tubos Os Tubos tem por finalidade transferir os esforços de: Arcos Intra e extra orais; Molas e Elásticos; Distalizadores; Barras transpalatinas e Quad Helix ; Placas Lábioativas. Promovem

Leia mais

Correção da relação sagital entre os arcos dentais Classe II

Correção da relação sagital entre os arcos dentais Classe II Correção da relação sagital entre os arcos dentais Classe II CAPÍTULO 13 Karyna Martins do Valle-Corotti Danilo Furquim Siqueira INTRODUÇÃO Angle 1 definiu a maloclusão de Classe II como uma relação mesiodistal

Leia mais

Araki AT. Tratamento da má oclusão de Classe II, subdivisão direita, segundo a terapia bioprogressiva.

Araki AT. Tratamento da má oclusão de Classe II, subdivisão direita, segundo a terapia bioprogressiva. caso clínico 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 Tratamento da má oclusão de Classe II, subdivisão direita, segundo

Leia mais

Ciência e prática. Importância do tratamento ortodôntico como auxílio da reabilitação oral

Ciência e prática. Importância do tratamento ortodôntico como auxílio da reabilitação oral Importância do tratamento ortodôntico como auxílio da reabilitação oral 36 MAXILLARIS OUTUBRO 2015 Ciência e prática : Margarida Malta Médica dentista. Licenciada no Instituto Superior de Ciencias da Saúde

Leia mais

PRISCILLA MENDES CORREA VICTOR

PRISCILLA MENDES CORREA VICTOR FUNORTE-FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS NÚCLEO NITERÓI-SMILE ODONTOLOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA TRATAMENTO DA SOBREMORDIDA: RELATO DE CASO CLÍNICO PRISCILLA MENDES CORREA VICTOR Monografia

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE MINI-IMPLANTES PARA TRATAMENTO DA MÁ-OCLUSÃO CLASSE II DE ANGLE: RELATO DE CASO CLÍNICO 1

UTILIZAÇÃO DE MINI-IMPLANTES PARA TRATAMENTO DA MÁ-OCLUSÃO CLASSE II DE ANGLE: RELATO DE CASO CLÍNICO 1 UTILIZAÇÃO DE MINI-IMPLANTES PARA TRATAMENTO DA MÁ-OCLUSÃO CLASSE II DE ANGLE: RELATO DE CASO CLÍNICO 1 Mezomo, Mauricio 3 ; Estivalet, Ariane; 2 Gertz, Andressa 2 ; Grossi, Thiago 2 ; Mota, Humberto 2

Leia mais

TIP-EDGE e a TÉCNICA DIFERENCIAL DO ARCO RETO.

TIP-EDGE e a TÉCNICA DIFERENCIAL DO ARCO RETO. TIP-EDGE e a TÉCNICA DIFERENCIAL DO ARCO RETO....Tip-Edge é um braquete com um slot edgewise modificado, pré-ajustado, que permite inclinação da coroa em uma direção e ainda cria ancoragem através de movimento

Leia mais

Série Aparelhos Ortodônticos

Série Aparelhos Ortodônticos Série Aparelhos Ortodônticos Em geral, o protocolo de tratamento nos casos de Classe III, principalmente naqueles com deficiência maxilar, tem sido a disjunção, seguida pela protração da ma-xila. De acordo

Leia mais

Tomografia Computorizada Dental

Tomografia Computorizada Dental + Universidade do Minho M. I. Engenharia Biomédica Beatriz Gonçalves Sob orientação de: J. Higino Correia Tomografia Computorizada Dental 2011/2012 + Casos Clínicos n Dentes privados do processo de erupção

Leia mais

Abordagem Segmentada para Intrusão Simultânea ao Fechamento de Espaço: Biomecânica do Arco Base de Três Peças

Abordagem Segmentada para Intrusão Simultânea ao Fechamento de Espaço: Biomecânica do Arco Base de Três Peças rtigo Traduzido bordagem Segmentada para Intrusão Simultânea ao Fechamento de Espaço: iomecânica do rco ase de Três Peças Segmented pproach to Simultaneous Intrusion and Space Closure: iomechanics of the

Leia mais

Série Aparelhos Ortodônticos: Barra Transpalatina

Série Aparelhos Ortodônticos: Barra Transpalatina Série Aparelhos Ortodônticos barra transpalatina INTRODUÇÃO A barra transpalatina (BTP) tem sido aplicada na mecânica ortodôntica de forma crescente e em muitas situações clínicas. Isto pela característica

Leia mais

Procedimentos adotados pelos ortodontistas para fechamento de espaços e controle de ancoragem

Procedimentos adotados pelos ortodontistas para fechamento de espaços e controle de ancoragem Procedimentos adotados pelos ortodontistas para fechamento de espaços e controle de ancoragem André da Costa Monini 1, Luiz Gonzaga Gandini Júnior 2, Ary dos Santos-Pinto 2, Luiz Guilherme Martins Maia

Leia mais

Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1)

Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1) Artigo de Divulgação Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1) Treatment of a Class III, Subdivision Malocclusion: A Case Report (Part 1) Guilherme R.

Leia mais

Mini-implantes ortodônticos como auxiliares da fase de retração anterior

Mini-implantes ortodônticos como auxiliares da fase de retração anterior A r t i g o In é d i t o Mini-implantes ortodônticos como auxiliares da fase de retração anterior Carlo Marassi*, Cesar Marassi** Resumo Introdução: os mini-implantes ortodônticos se estabeleceram como

Leia mais

TRATAMENTO ORTODÔNTICO DA MORDIDA ABERTA ANTERIOR EM PACIENTES ADULTOS

TRATAMENTO ORTODÔNTICO DA MORDIDA ABERTA ANTERIOR EM PACIENTES ADULTOS TRATAMENTO ORTODÔNTICO DA MORDIDA ABERTA ANTERIOR EM PACIENTES ADULTOS Jorge Ferreira Rodrigues 1 Marcella Maria Ribeiro do Amaral Andrade 2 Ernesto Dutra Rodrigues 3 Resumo O tratamento ortodôntico da

Leia mais

REVISTA GESTÃO & SAÚDE (ISSN 1984-8153) EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR EM ORTODONTIA LOWER INCISOR EXTRACTION IN ORTHODONTICS

REVISTA GESTÃO & SAÚDE (ISSN 1984-8153) EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR EM ORTODONTIA LOWER INCISOR EXTRACTION IN ORTHODONTICS 1 EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR EM ORTODONTIA LOWER INCISOR EXTRACTION IN ORTHODONTICS Tatiana Leite Moroz LESSA 1 Elcy ARRUDA 2 Roberley Araújo ASSAD 3 Fabiano Sfier de MELLO 4 Andrea Malluf Dabul de

Leia mais

Individualização de Braquetes na Técnica de Straight-Wire: Revisão de Conceitos e Sugestão de Indicações para Uso

Individualização de Braquetes na Técnica de Straight-Wire: Revisão de Conceitos e Sugestão de Indicações para Uso Tópico Especial Individualização de Braquetes na Técnica de Straight-Wire: Revisão de Conceitos e Sugestão de Indicações para Uso Brackets Individualization in Straight-Wire Technique: Concepts Review

Leia mais

APM: APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR.

APM: APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR. INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS APM: APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR. RODRIGO LOPES ROCHA Monografia apresentada ao Programa de Especialização em Ortodontia do ICS FUNORTE/SOEBRÁS NÚCLEO

Leia mais

DISTALIZAÇÃO DE MOLARES SUPERIORES USANDO A ANCORAGEM ESQUELÉTICA: REVISÃO DE LITERATURA

DISTALIZAÇÃO DE MOLARES SUPERIORES USANDO A ANCORAGEM ESQUELÉTICA: REVISÃO DE LITERATURA 1 Faculdades Unidas do Norte de Minas Instituto de Ciências da Saúde JULIA ELIS JOHANN PIGOSSO DISTALIZAÇÃO DE MOLARES SUPERIORES USANDO A ANCORAGEM ESQUELÉTICA: REVISÃO DE LITERATURA SANTA CRUZ DO SUL-RS

Leia mais

KELYANE VERLY MORAES

KELYANE VERLY MORAES 1 KELYANE VERLY MORAES ANCORAGEM ESQUELÉTICA COM MINI-IMPLANTES NITERÓI - RJ 2011 2 KELYANE VERLY MORAES ANCORAGEM ESQUELÉTICA COM MINI-IMPLANTES Monografia entregue à Faculdade Redentor, como requisito

Leia mais

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA 1 ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA INTRODUÇÃO O período da dentição mista inicia-se por volta dos 6 anos de idade com a erupção dos primeiros molares permanentes, e termina ao redor dos 12 anos de idade, com

Leia mais

TÁGIDES Saúde e Bem-Estar

TÁGIDES Saúde e Bem-Estar TÁGIDES Saúde e Bem-Estar Estrada Nacional 1,Urbanização Quinta do Cabo, lojas 8 e 9, Povos 2600-009, Vila Franca de Xira Tel; 263209176 914376214 924376162 Email: tagides.sbe@gmail.com Ortodontia- Bases

Leia mais

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico.

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico. Introdução CONTENÇÕES EM ORTODONTIA em ortodontia é o procedimento para manter um dente recém- movimentado em posição por um período suficientemente prolongado para assegurar a manutenção da correção ortodôntica

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO DE CLASSE III COM EXTRAÇÃO DOS SEGUNDOS MOLARES INFERIORES

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO DE CLASSE III COM EXTRAÇÃO DOS SEGUNDOS MOLARES INFERIORES INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS JONAS RODRIGUES SILVA TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO DE CLASSE III COM EXTRAÇÃO DOS SEGUNDOS MOLARES INFERIORES Barbacena 2013 INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

Leia mais

Aplicação clínica dos microimplantes para ancoragem

Aplicação clínica dos microimplantes para ancoragem rtigo Traduzido plicação clínica dos microimplantes para ancoragem linical application of micro-implant anchorage Seong-Min ae* Hyo-Sang Park** Hee-Moon Kyung*** Oh-Won Kwon**** Jae-Hyun Sung***** Resumo

Leia mais

Áurea Cristina de Oliveira Corrêa

Áurea Cristina de Oliveira Corrêa FUNORTE-FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS NÚCLEO NITERÓI-SMILE ODONTOLOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA TRATAMENTO MINIMALISTA DAS MÁS OCLUSÕES DO PADRÃO FACE LONGA: RELATO DE CASO Áurea Cristina

Leia mais

Matheus Melo Pithon**, Luiz Antônio Alves Bernardes*** Palavras-chave: Classe III esquelética. Expansão rápida da maxila. Aparelho ortodôntico fixo.

Matheus Melo Pithon**, Luiz Antônio Alves Bernardes*** Palavras-chave: Classe III esquelética. Expansão rápida da maxila. Aparelho ortodôntico fixo. Artigo de Divulgação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 Tratamento da má oclusão Classe iii esquelética através

Leia mais

Tratamento ortodôntico-cirúrgico da má oclusão de Classe III

Tratamento ortodôntico-cirúrgico da má oclusão de Classe III Caso Clínico Tratamento ortodôntico-cirúrgico da má oclusão de Classe III Eloísa Marcântonio Boeck*, Silvia Amelia S. Vedovello**, Adriana Simoni Lucato***, Maria Beatriz Borges de Araújo Magnani****,

Leia mais

Correção da Classe II esquelética utilizando uma biomecânica híbrida: Ortopedia Funcional dos Maxilares em associação com a barra transpalatina

Correção da Classe II esquelética utilizando uma biomecânica híbrida: Ortopedia Funcional dos Maxilares em associação com a barra transpalatina caso clínico Correção da Classe II esquelética utilizando uma biomecânica híbrida: Ortopedia Funcional dos Maxilares em associação com a barra transpalatina Lúcio Flávio Andreoli*, Flávio Augusto Meffe

Leia mais

Uso do aparelho de Thurow no tratamento da má oclusão esquelética de Classe II

Uso do aparelho de Thurow no tratamento da má oclusão esquelética de Classe II A r t i g o I n é d i t o Uso do aparelho de Thurow no tratamento da má oclusão esquelética de Classe II Maíra Massuia de Souza*, Talita Mathes de Freitas*, Adriana Sasso Stuani**, Andréa Sasso Stuani***,

Leia mais

Considerações Sobre Análise da Discrepância Dentária de Bolton e a Finalização Ortodôntica

Considerações Sobre Análise da Discrepância Dentária de Bolton e a Finalização Ortodôntica tópico especial Tema desenvolvido pelo conselho editorial abordando assuntos de interesse da classe ortodôntica Considerações Sobre Análise da Discrepância Dentária de Bolton e a Finalização Ortodôntica

Leia mais

RECUPERADORES DE ESPAÇO E SUA APLICAÇÃO CLÍNICA

RECUPERADORES DE ESPAÇO E SUA APLICAÇÃO CLÍNICA FOL Faculdade de Odontologia de Lins / UNIMEP RECUPERADORES DE ESPAÇO E SUA APLICAÇÃO CLÍNICA GUIDELINES ON THE USE OF SPACE REGAIN RENATO RODRIGUES DE ALMEIDA Professor assistente doutor do Departamento

Leia mais

Pêndulo Higiênico de Prieto

Pêndulo Higiênico de Prieto Dica Clínica Pêndulo Higiênico de Prieto Marcos Gabriel do Lago Prieto*, Acácio Fuziy**, Érika Nana Ishikawa***, Lucas Prieto**** Resumo Dos dispositivos de cooperação mínima, o aparelho pêndulo é um dos

Leia mais

RODRIGO PADILHA DE CARVALHO DISTALIZAÇÃO DE MOLARES SUPERIORES

RODRIGO PADILHA DE CARVALHO DISTALIZAÇÃO DE MOLARES SUPERIORES 0 RODRIGO PADILHA DE CARVALHO DISTALIZAÇÃO DE MOLARES SUPERIORES ITAPERUNA/RJ 2011 0 RODRIGO PADILHA DE CARVALHO DISTALIZAÇÃO DE MOLARES SUPERIORES Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de

Leia mais

Tratamento da classe II, com aparelho de herbst modificado relato de caso clínico

Tratamento da classe II, com aparelho de herbst modificado relato de caso clínico 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 Class II malocclusion treatment with modified Herbst appliance A Case Report Resumo

Leia mais

Exodontia dos Segundos Molares Superiores para o Tratamento da Maloclusão de Classe II

Exodontia dos Segundos Molares Superiores para o Tratamento da Maloclusão de Classe II ORTODONTIA Capítulo 11 Exodontia dos Segundos Molares Superiores para o Tratamento da Maloclusão de Classe II Antonio Aparecido Celória Ivana Uglik Garbui 1. Histórico A deficiência ântero-posterior das

Leia mais

TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO CLASSE II COM APARELHO DE HERBST CAIO MÁRCIO DE TEVES MORENO

TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO CLASSE II COM APARELHO DE HERBST CAIO MÁRCIO DE TEVES MORENO FUNORTE-FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS NÚCLEO NITERÓI-SMILE ODONTOLOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO CLASSE II COM APARELHO DE HERBST CAIO MÁRCIO DE TEVES MORENO

Leia mais

MANTENEDORES DE ESPAÇO

MANTENEDORES DE ESPAÇO MANTENEDORES DE ESPAÇO Conceito São aparelhos ortodônticos usados para manter o espaço nas arcadas dentárias, por perda precoce de dentes decíduos. Classificação Quanto ao uso: fixos semifixos removíveis

Leia mais

OCLUSÃO! ! Posições mandibulares. ! Movimentos mandibulares. ! Equilíbrio de forças atuantes - vestibulolingual

OCLUSÃO! ! Posições mandibulares. ! Movimentos mandibulares. ! Equilíbrio de forças atuantes - vestibulolingual Universidade de Brasília Departamento de Odontologia OCLUSÃO! NOÇÕES DE OCLUSÃO! Estudo das relações estáticas e dinâmicas entre as estruturas do sistema mastigatório!! Movimentos mandibulares Disciplina

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO CONSELHO DELIBERATIVO DO TST-SAÚDE ATO DELIBERATIVO Nº 23, DE 29 DE SETEMBRO DE 2009

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO CONSELHO DELIBERATIVO DO TST-SAÚDE ATO DELIBERATIVO Nº 23, DE 29 DE SETEMBRO DE 2009 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO CONSELHO DELIBERATIVO DO TST-SAÚDE ATO DELIBERATIVO 23, DE 29 DE SETEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a assistência odontológica na especialidade de Ortodontia. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/SOEBRÁS

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/SOEBRÁS INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/SOEBRÁS A IMPORTÂNCIA DA CORRETA INSTALAÇÃO DOS STOPS NOS ARCOS PARA UMA MELHOR EFICÁCIA DOS APARELHOS AUTOLIGADOS FABRÍCIO FIGUEIREDO MENDES Monografia apresentada

Leia mais

Alternativa Clínica para Recuperação de Espaço de Dentes Impactados

Alternativa Clínica para Recuperação de Espaço de Dentes Impactados CASO CLÍNICO Alternativa Clínica para Recuperação de Espaço de Dentes Impactados Clinical Alternative to Space Gain for Impacted Teeth Paulo Cesar Raveli CHIAVINI* Luiz Gonzaga GANDINI JR** Ary dos SANTOS-PINTO**

Leia mais

TP Orthodontics. HERBST Flip-Lock. www.tportho.com

TP Orthodontics. HERBST Flip-Lock. www.tportho.com TP Orthodontics HERBST Flip-Lock www.tportho.com TP Orthodontics, Inc. Idéias em Prática. "TP Orthodontics sempre ouve as minhas necessidades e me fornece os melhores produtos para o meu dia-a-dia." -Douglas

Leia mais

Aplicação da versatilidade do aparelho pré-ajustado MBT, nos casos que apresentam os incisivos laterais superiores em linguoversão

Aplicação da versatilidade do aparelho pré-ajustado MBT, nos casos que apresentam os incisivos laterais superiores em linguoversão Caso Clínico Aplicação da versatilidade do aparelho pré-ajustado MBT, nos casos que apresentam os incisivos laterais superiores em linguoversão Reginaldo César Zanelato*, Sáverio Mandetta**, Cássia Terezinha

Leia mais

Eficiência dos protocolos de tratamento em uma e duas fases da má oclusão de Classe II, divisão 1*

Eficiência dos protocolos de tratamento em uma e duas fases da má oclusão de Classe II, divisão 1* A r t i g o In é d i t o Eficiência dos protocolos de tratamento em uma e duas fases da má oclusão de Classe II, divisão 1* Rodrigo Hermont Cançado**, Arnaldo Pinzan***, Guilherme Janson****, José Fernando

Leia mais

Tratamento ortodôntico compensatório da má oclusão de Classe III esquelética

Tratamento ortodôntico compensatório da má oclusão de Classe III esquelética 80 Tratamento ortodôntico compensatório da má oclusão de Classe III esquelética Compensatory orthodontic treatment of skeletal Class III malocclusion Renata Oliveira De Labio Moura 1 Karina Santana Cruz

Leia mais

Orientação para interessados em tratamento ortodôntico

Orientação para interessados em tratamento ortodôntico 1 Orientação para interessados em tratamento ortodôntico Dras. Rosana Gerab Tramontina e Ana Carolina Muzete de Paula Ortodontia é a ciência que estuda o crescimento e o desenvolvimento da face e das dentições

Leia mais

Roberta de Paula Moroshima. Uso de mini-implantes como ancoragem para a retração anterior: Revisão de literatura

Roberta de Paula Moroshima. Uso de mini-implantes como ancoragem para a retração anterior: Revisão de literatura Roberta de Paula Moroshima Uso de mini-implantes como ancoragem para a retração anterior: Revisão de literatura Brasília 2015 Roberta de Paula Moroshima Uso de mini-implantes como ancoragem para a retração

Leia mais

POST GRADO EN ORTODONCIA (Programa)

POST GRADO EN ORTODONCIA (Programa) POST GRADO EN ORTODONCIA (Programa) Coordinador del Curso: Prof. Dr. Gastão Moura Neto 1. Entidad: SPO (SOCIEDAD PAULISTA DE ORTODONCIA) / Unidade Botucatu debidamente autorizada por CFO-Consejo Federal

Leia mais

O aparelho de Herbst com Cantilever (CBJ) Passo a Passo

O aparelho de Herbst com Cantilever (CBJ) Passo a Passo O aparelho de Herbst com Cantilever (CBJ) Passo a Passo çã APARELHO DE HERBST COM CANTILEVER (CBJ) MAYES, 1994 Utiliza quatro coroas de açoa o nos primeiros molares e um cantilever,, a partir dos primeiros

Leia mais

Descrição de Técnica. Leopoldino Capelozza Filho*, José Antonio Zuega Capelozza** Palavras-chave: Diagrama. Straight-wire.

Descrição de Técnica. Leopoldino Capelozza Filho*, José Antonio Zuega Capelozza** Palavras-chave: Diagrama. Straight-wire. Descrição de Técnica DIAO: Diagrama individual anatômico objetivo. Uma proposta para escolha da forma dos arcos na técnica de Straight-Wire, baseada na individualidade anatômica e nos objetivos de tratamento

Leia mais

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL. http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL. http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias A escolha dos casos a serem apresentados deverá seguir

Leia mais

Borracha Natural - conservação amônia. vulcanizado. Sintéticos carvão,petróleo e álcoois vegetais TIPOS DE ELÁSTICOS

Borracha Natural - conservação amônia. vulcanizado. Sintéticos carvão,petróleo e álcoois vegetais TIPOS DE ELÁSTICOS Curso de Aperfeiçoamento em Ortodontia Elásticos TIPOS DE ELÁSTICOS Borracha Natural - conservação amônia sensível ao ozônio vulcanizado Sintéticos carvão,petróleo e álcoois vegetais Elasticidade é a propriedade

Leia mais

O uso de distalizadores para a correção da má oclusão de. The use of distalization for the correction of Class II malocclusion

O uso de distalizadores para a correção da má oclusão de. The use of distalization for the correction of Class II malocclusion para a correção da má oclusão de Classe II * The use of distalization for the correction of Class II malocclusion Milene Azevedo Portela Lopes** Dênis Clay Lopes Santos*** Daniel Negrete**** Everton Flaiban*****

Leia mais