APM: APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APM: APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR."

Transcrição

1 INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS APM: APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR. RODRIGO LOPES ROCHA Monografia apresentada ao Programa de Especialização em Ortodontia do ICS FUNORTE/SOEBRÁS NÚCLEO BRASÍLIA, como parte dos requisitos para obtenção do titulo de Especialista. Brasília, 2011

2 INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS APM: APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR. RODRIGO LOPES ROCHA Monografia apresentada ao Programa de Especialização em Ortodontia do ICS FUNORTE/SOEBRÁS NÚCLEO BRASÍLIA, como parte dos requisitos para obtenção do titulo de Especialista. ORIENTADOR: Prof. Ms. Amilton Vasconcelos Freitas Brasília, 2011

3 DEDICO este trabalho à minha esposa Pollyana, pelo carinho e incentivo que me fortaleceu para conquistar mais essa vitória.

4 AGRADECIMENTOS A Deus, pela sua grande ajuda. À minha querida esposa, Pollyana que está sempre ao meu lado nos bons momentos e nos mais difícies. Aos meus pais, pelo amor, pelo apoio e pelos ensinamentos que recebi. Às minhas irmãs, que sempre me apoiaram pra poder chegar até aqui. Aos professores Amilton V. Freitas, Marden Bastos, Cristiano Albuquerque e Cláudio M. Ramos com quem tanto aprendi. Aos Drs. Aílton Martins, Marilene Martins e Paulo Henrique da Cunha que me deram à oportunidade de conhecer os caminhos da Ortodontia. Ao professor Amilton Freitas, pela orientação deste trabalho. Aos demais professores do IBPG, meus colegas de turma, por estes ótimos anos de convivência e aprendizado.

5 RESUMO Por um longo período de tempo, as más-oclusões de Classe II, eram tratadas com o auxílio da ancoragem extrabucal. Porém, esta forma de tratamento dependia muito do conforto de seu uso e da colaboração dos pacientes e envolvia um componente antiestético importante,. A partir daí percebeu-se a necessidade de se criar mecanismos intrabucais e que não dependessem da cooperação do paciente. Mecanismos intrabucais de correção das Classes II foram desenvolvidos para se obter os resultados desejados em pacientes não colaboradores. Dentre esses mecanismos, destaca-se o Aparelho de Protração Mandibular por sua fácil instalação, baixo custo e boa aceitação pelos pacientes, sendo este dispositivo, o objeto de estudo deste trabalho. A presente monografia descreve as principais características deste aparelho mostrando suas indicações, instalação, vantagens, desvantagens, mecanismo de ação, dentre outras. Palavras Chaves: APM, protração mandibular, avanço mandibular, má oclusão de classe II.

6 ABSTRACT For a long period of time, malocclusion Class II, were treated with the help of extra oral anchorage. However, this form of treatment was largely dependent on the comfort of your use and collaboration of patients and involved a component unsightly important. From there he realized the need to create mechanisms intraoral and did not depend on patient cooperation. Intraoral devices for correcting Class II were developed to obtain the desired results in patients who are not employees. Among these mechanisms, we highlight the mandibular protraction appliance for easy installation, low cost and good acceptance by patients, and this device, the object of this work. This monograph describes the main features of this device showing its signs, installation, advantages, disadvantages, mechanism of action, among others. Keywords: APM, protraction mandibular, mandibular advancement, Class II malocclusion.

7 LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Componentes do APM Figura 2 - Arco vestibular inferior Figura 3 - Adaptação da haste mandibular Figura 4 Sistema mecânico do APM Figura 5 - Tubo telescópico posicionado em mordida construtiva Figura 6 Marcação do tubo telescópico...22 Figura 7 Mecanismo instalado...23

8 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 9 PROPOSIÇÃO REVISÃO DA LITERATURA CONSIDERAÇÕES SOBRE A MÁ OCLUSÃO DE CLASSE II APARELHO DE PROTRUSÃO MANDIBULAR DESCRIÇÃO DO APARELHO Indicações Vantagens x Desvantagens Instalação e adaptação do APM DISCUSSÃO CONCLUSÃO REFERÊNCIAS... 26

9 9 INTRODUÇÃO Na década de 40 foi idealizado um aparelho, que por muito tempo seria praticamente a única opção de se realizar o tratamento das maloclusões Classe II pela distalização de molares superiores permanentes, o arco extrabucal. Esse aparelho, popularizado por Kloehn (1961), com impressionantes resultados era capaz de realizar a distalização unilateral ou bilateral dos molares, permitindo também durante a fase de crescimento facial ativo conseguir importantes alterações ortopédicas no sentido de inibir parcialmente o deslocamento anterior da maxila, o que é desejável em um paciente com padrão facial de classe II. O arco extrabucal por ser um aparelho removível e esteticamente desagradável a sua eficiência está diretamente associada a uma aceitação e cooperação do paciente. Mesmo sendo atraente a idéia de transformar a força de reação pra fora da cavidade bucal, tornou-se necessário à criação de mecânicas que não necessitassem da cooperação do paciente e que fossem esteticamente aceitáveis. A partir daí surgem os aparelhos com ancoragem intrabucal. Um desses aparelhos é o chamado APM: Aparelho de Protração Mandibular e será o objeto de estudo desse trabalho.

10 10 PROPOSIÇÃO A proposta desse trabalho é revisar a literatura sobre o Aparelho de Protração Mandibular levando em consideração os seguintes aspectos: - Indicações; - Vantagens e Desvantagens; - Descrição do aparelho; - Instalação e adaptação;

11 11 1. REVISÃO DA LITERATURA 1.1 CONSIDERAÇÕES SOBRE A MÁ OCLUSÃO DE CLASSE II Kingsley (1866) foi o primeiro a utilizar a ancoragem extrabucal com a finalidade de movimentação dentária, seguido posteriormente por Farrar e Angle. Porém, a ancoragem extrabucal só se tornou bastante popular com Kloehn (1961), que foi o grande divulgador dessa terapia estabelecendo a utilização da tração cervical, como é conhecido nos dias atuais. Das más oclusões existentes a má oclusão de classe I de Angle (1899), é considerada de maior prevalência, porém o numero de pacientes de classe II à procura de tratamento ortodôntico é significantemente maior, certamente em decorrência do fator estético. O aparelho Herbst foi introduzido originalmente por um professor alemão, Emil Herbst, no Congresso Internacional de Berlin em 1905, com o nome de Herbst Schanier. Baseando-se no seu poder intuitivo, esse ortodontista acreditava ser possível a estimulação do crescimento mandibular, através de um dispositivo propulsor de ação contínua. O sistema lançava mão de um mecanismo telescópico bilateral, que exigia ancoragens inter-arcos para manutenção da mandíbula avançada, impedindo-a de retroceder. Desta maneira, a mandíbula permanecia deslocada anteriormente durante as funções mastigatórias e o repouso. Desde 1934, entretanto, muito pouco foi publicado sobre o assunto e este método de tratamento da má oclusão de Classe II ficou esquecido, durante muito tempo, na literatura ortodôntica. A introdução dos

12 12 elásticos intermaxilares nos Estados Unidos e da Ortopedia Funcional dos Maxilares na Europa forneceu aos ortodontistas outras possibilidades para o tratamento das más oclusões de Classe II. Portanto, o aparelho Herbst, apesar de secular, teve como marco de sua reintrodução na prática ortodôntica o final da década de 70 e o início da década de 80. Mais precisamente, em outubro de 1979, na edição do American Journal of Orthodontics, Hans Pancherz, um ortodontista sueco, chamou atenção para a possibilidade de estimular o crescimento mandibular por meio da utilização do aparelho Herbst, o que culminou com a publicação de uma série de artigos científicos e de casos clínicos na Europa e Estados Unidos, no intuito de estabelecer os efeitos do referido aparelho no complexo dento facial e no sistema mastigatório. Elsasser e Wylie (1948) afirmaram que se a má oclusão de classe II corresponde a uma protrusão maxilar, diversos tipos de aparelho extrabucal (AEB) podem ser empregados, sendo necessário uma avaliação cefalométrica quanto ao padrão de crescimento, e se o paciente encontra-se na fase de dentadura mista pode-se utilizar o AEB conjugado com o intuito de restringir o crescimento maxilar. É importante salientar que o movimento distal dos primeiros molares superiores é facilmente alcançado se realizado antes da irrupção dos segundos molares e a partir de um sistema de forças contínuas. Contudo, se a classe II for caracterizada por uma retrusão mandibular indicase o tratamento ortopédico a fim de estimular o crescimento da mandíbula por meio de aparelhos ortopédicos funcionais, dentre eles: Bionator, Herbst, Bimler, APM, Jasper jump, dentre outros. Moyers (1980) considerando a grande variabilidade morfológica da face humana alegava que a denominação Classe II era muito subjetiva, então identificou diferentes tipos faciais esqueléticos, suas características e a porcentagem de indivíduos em cada grupo. Caracterizou seis tipos de Classe II no plano horizontal denominados pelas letras

13 13 A, B, C, D, E e F, e no plano vertical, cinco tipos, podendo ocorrer a associação dos dois tipos. Essa nova classificação permitiu um plano de tratamento mais preciso durante o período de crescimento, tanto pela restrição do crescimento antero-posterior da maxila, do estímulo do crescimento mandibular ou pela combinação dos dois fatores. É de fundamental importância fazer um diagnóstico diferencial, para se planejar o tratamento a ser instituído. Contudo, a correção dessa má oclusão pode ser alcançada a partir de diversas mecânicas ortodônticas, cabendo ao ortodontista determinar o melhor método para cada paciente. Silva Filho (1989) relatou que a Classe II representa 42% das más-oclusões. Desta parte 15% são consideradas esqueléticas e não apresentam comprometimento facial, denotando um bom relacionamento entre as bases apicais, sendo Classe II dentária. Proffit (1994) afirmou que em casos que não se pode contar com o crescimento e desenvolvimento do paciente, e diante de uma classe II severa, torna-se necessária uma intervenção cirúrgica associada ao tratamento ortodôntico. Porem em casos de má oclusão suave ou moderada é possível optar pela extração dentária caracterizando uma camuflagem ortodôntica, que para classe II corresponde à extração de pré-molares superiores. 1.2 APARELHO DE PROTRUSÃO MANDIBULAR. Coelho Filho (1995) por problemas de colaboração dos pacientes, foi levado a buscar soluções na literatura, quando tomou conhecimento dos trabalhos de Panchers (1979) onde o aparelho Herbst foi apresentado à comunidade ortodôntica.

14 14 Entretanto os dados sobre tal aparelho eram raros, o que impediu que Coelho Filho experimenta-se esse recurso. Essas dificuldades levaram Coelho Filho a desenvolver uma série de aparelhos baseados nos princípios mecânicos do Herbst. Herbst, em 1905, descreveu e idealizou um aparelho fixo que levava seu nome e que mantinha a mandíbula protruída continuamente e os dentes em oclusão. Coelho Filho (1995) descreveu o aparelho de protração mandibular que se tratava de um dispositivo de concepção doméstica, que poderia ser fabricado e instalado pelo próprio ortodontista. O autor tinha como objetivos que seu aparelho exercesse as seguintes funções: 1- força distal sobre a maxila; 2- posicionasse a mandíbula mesialmente; 3- fosse fixo, não dependendo da colaboração do paciente para ser usado em tempo integral; 4- que sendo fixo, permitisse ao paciente abrir e fechar a boca, mastigar e falar confortavelmente. O primeiro modelo de APM era bastante simples e se tratava apenas de uma haste de 0.9mm com duas alças nas extremidades que eram inseridas nos arcos superiores e inferiores. Porém, esse modelo limitava bastante a abertura da boca e por conseqüência muitas quebras. Esses problemas levaram ao desenvolvimento do APM2, que apresentava como principal vantagem a melhora da extensão da abertura bucal. Essa versão, porém, logo caiu em desuso, pois tinha uma mecânica muito complexa, era de difícil adaptação e quebrava com muita freqüência. favoráveis. O APM1 e o APM 2 apesar de tais problemas alcançaram resultados clínicos Coelho Filho (1998) descreveu a nova versão do aparelho de protração mandibular, o APM3, que se apresentava de duas maneiras, soldada e caudeada. Essa versão era mais simples de ser construída, mais leve e com quase nenhuma interferência no movimento de abertura bucal. O autor descreveu adaptações como

15 15 a colocação de molas níquel titânio entre o tubo e o stop anterior que diminuíam o efeito ortopédico e aumentavam o efeito dentoalveolar. Em 2002, Loiola et al. descreveram o APM 4 e demonstraram modificações clínicas feitas nessa versão com a finalidade de proporcionar maior conforto aos pacientes, diminuir o índice de quebras dos acessórios ortodônticos, evitar a incorporação de dobras de primeira ordem entre caninos e pré-molares inferiores, controlar o giro dos molares superiores e facilitar sua construção em série. As alterações citadas nesse trabalho são as seguintes: 1- arquear o tubo telescópico e a haste mandibular com a finalidade de afastar o conjunto mecânico dos acessórios ortodônticos, reduzindo assim as interferências durante a mastigação; 2- soldagem de uma alça em formato de ferradura com fio de 1 mm em uma das extremidades do tubo telescópico que se encaixa juntamente com uma trava destemperada de fio 1mm ao tubo do molar, com a finalidade de tornar o aparelho menos traumático aos tecidos moles; 3- no arco inferior seria feita apenas uma alça helicoidal, evitando assim a incorporação de dobras de primeira ordem; 4- construção de uma barra palatina com fio 0.8mm, com a finalidade de controlar a rotação dos molares. 1.3 DESCRIÇÃO DO APARELHO O aparelho de protrusão mandibular é composto por um mecanismo telescópico, possuindo acessórios particulares para os arcos superiores e inferiores. Componentes do arco superior: tubo maxilar tubo de aço inoxidável com 1.0mm de diâmetro e aproximadamente 27 mm de comprimento (Fig1A) contendo um pequeno segmento do mesmo tubo denominado alça maxilar (Fig1B) soldado

16 16 em 90º em uma das extremidades. Trava para o tubo molar-segmento de fio 0.9mm de aço inoxidável com um stop soldado em um dos lados (Fig1C), que é adaptado na alça maxilar e dobrado em 90º. Esse componente é destemperado, pois vai servir como trava para o APM, sendo dobrado e amarrado no fio de nivelamento quando adaptado ao tubo do primeiro molar superior. Componentes do arco inferior: Haste mandibular-segmento de fio reto 0.9mm de aço inoxidável dobrado 90º em uma das extremidades e com um stop soldado no lado menor (Fig1D). Esse acessório é encaixado dentro do tubo maxilar. Arco vestibular inferior - construído em fio 0,019 x de aço inoxidável com duas alças helicoidais distais a cada canino e voltadas para a oclusal (Fig.2A- 2B). Este arco deve ser amarrado justo aos tubos molar inferiores e ter torque lingual na região dos incisivos. A haste mandibular deve ser encaixada de lingual para vestibular nos helicóides do arco vestibular inferior (Fig.3) e posteriormente acoplada ao tubo maxilar. Em seguida, após o avanço postural da mandíbula, a trava do molar deve ser encaixada por distal, dobrada por mesial no tubo do molar superior e amarrada no fio de nivelamento resultando então no sistema mecânico do APM 4 (Fig.4).

17 17 D-Haste Mandibular B-Alça Maxilar A-Tubo Maxilar C-Trava do Molar Figura 1 - A) tubo maxilar; B) alça maxilar; C) trava do molar; D) haste mandibular Fonte: R Clín Ortodon Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p ago./set A B FIGURA 2 - A) helicóide simples e angulado B) Arco vestibular inferior Fonte: R Clín Ortodon Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p ago./set

18 18 FIGURA 3 - Adaptação da haste mandibular. Fonte: R Clín Ortodon Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p ago./set FIGURA 4 - Sistema mecânico do APM IV. Fonte: R Clín Ortodon Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p ago./set

19 Indicações Os casos em que esse aparelho será muito bem empregado segundo COELHO FILHO (1998) são: - Má-oclusão de classe II com retrognatismo mandibular; - Em pacientes adultos ou jovens pouco colaboradores; - Mecânicas assimétricas (unilaterais); - Em pacientes Classe I como mecanismo de ancoragem em casos de biprotrusão envolvendo extrações de pré-molares ou primeiros molares. - Em pacientes Classe II com extração com o objetivo de distalização dos molares superiores Vantagens x Desvantagens A principal vantagem desse aparelho é independer da colaboração do paciente para promover o avanço mandibular. A construção do APM é relativamente simples podendo ser fabricado, instalado e adaptado pelo próprio ortodontista. Por se tratar de um aparelho com ancoragem intrabucal, é de fácil aceitação por parte dos pacientes. Quando bem instalado, permite ao paciente a abertura e o fechamento da boca sem interferências. Possui ação tanto unilateral como bilateral. Como desvantagens podem citar algumas fraturas de componentes do aparelho Existe também a possibilidade de ferimentos na região posterior do APM

20 20 Por vezes pode também ser necessário o uso de barra transpalatina para melhorar o controle sobre o giro dos molares superiores Instalação e adaptação do APM O aparelho de protração mandibular deve ser instalado quando os arcos estiverem alinhados e nivelados até os fios retangulares, preferencialmente o fio 0,019 x 0,025 de aço. Os primeiros molares superiores devem estar bandados e com tubos triplos conversíveis O looping do arco inferior deve ser voltado para a oclusal e estar entre o canino e o primeiro pré-molar. Os arcos devem estar conjugados com fio para amarrilho 0,30 de aço. Passos para instalação: 1. A haste mandibular deve ser encaixada de lingual para vestibular; (Fig.3); 2. A haste mandibular deve ser acoplada ao tubo maxilar; 3. Levando em consideração a posição dos caninos (Classe I) deve-se posicionar a mandíbula em postura construtiva (Fig.5); 4. O tubo telescópico deve ser marcado e cortado respeitando-se a posição configurada no item 3 (Fig.6); 5. A trava do molar deve ser encaixada por distal e dobrada por mesial no tubo do molar superior, resultando então no sistema mecânico do APM (Fig.7);

21 21 Figura 5 Tubo telescópico posicionado em mordida construtiva Fonte: R Clín Ortodon Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p ago./set

22 22 Figura 6 marcação do tubo telescópico em mordida construtiva. Fonte: R Clín Ortodon Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p ago./set

23 23 Figura 7- Mecanismo instalado Fonte: R Clín Ortodon Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p ago./set

24 24 2. DISCUSSÃO Coelho Filho (1995) afirmou que o tratamento da má oclusão de Classe II, sempre foi um grande desafio para o ortodontista. Essa dificuldade se deve ao fato de que na maioria das vezes vem acompanhada de um padrão braquicefálico, sobremordida anterior e diminuição da AFAI. Coelho Filho (1995) desenvolveu respectivamente o APM 2 e APM 3. Em seguida Loiola et al (2002) descreveram o APM 4 com a finalidade de proporcionar conforto aos pacientes, diminuir a taxa de quebras dos componentes e evitar a incorporação de dobras. Segundo Silva Filho et al (1989), 15% das maloclusões de Classe II são esqueléticas e de acordo com Proffit (1994) sendo severas eram tratadas cirurgicamente. Nos casos considerados moderados ou leves tratava-se com extrações dentárias caracterizando uma camuflagem ortodôntica. Coelho Filho (1995) mudou essa abordagem tratando esses casos com protrusão mandibular tendo como base os trabalhos de Panchers (1979) e os princípios mecânicos de Herbst (1905).

25 25 CONCLUSÃO De acordo com a literatura revisada e discutida, pode-se concluir que: 1. O aparelho de protração mandibular se mostrou um eficaz mecanismo intra-bucal, capaz de corrigir uma relação de classe II dentária sem a cooperação do paciente, com os segundos molares erupcionados ou não. Pode ser uni ou bilateral, produz alterações dento alveolares, com poucos efeitos ortopédicos. 2. O uso do APM evidenciou um deslocamento dos dentes inferiores para anterior com uma posterior retrusão mandibular mantendo a posição anterior dos dentes. O uso do APM justifica-se pela grande dificuldade na aquisição do aparelho Herbst que mesmo sendo previamente apresentado à comunidade ortodôntica não possui muitos laboratórios especializados para sua confecção. 3. Possui baixo custo, facilidade de confecção e instalação, é bem aceito pelos pacientes e possui pequena taxa de quebra dos seus componentes.

26 26 REFERÊNCIAS ANGLE, E. H. Classification of malocclusion. Dent Cosmos. v. 41, n. 2, Feb. 1899, p BOWMAN. S. J. Correção de Classe II e Ortodontia para paciente não cooperador. J Bras Ortodon Ortop Fac, Curitiba, v. 3, n. 16, p.17-27, COELHO FILHO, C.M. Mandibular Protraction Appliance for Class II treatment. J Clin Orthod, Boulder, v. 29, p ,Mar COELHO FILHO, C.M. Clinical applications of the Mandibularprotraction Appliance. J Clin Orthod, Boulder, v. 32, no. 3,p , June KLOEHN, S.J. Evaluation of cervical traction of the maxilla and upper first permanent molar. Angle Orthod. v. 31, 1961, p LOIOLA, A. V. et al. Aparelho para projeção da mandíbula modificado. R Clin Ortodon Ortop Facial, Maringá, v. 1, n. 4,p , ago./set MOYERS, R.G. et al. Differential diagnosis of class malocclusions. Part I. Facial types associated with class II malocclusions. Am J Orthod. v. 78, n. 5, nov. 1980, p PANCHERS, H. Treatment of Classe II malocclusion by jumping the bite wit the Herbst appliance: a cephalometric investigation. Am J Orthod, v.76, n.4, p , Oct PANCHERS, H. The Herbst Appliance. Am J Orthod, v.78, n.3, p , set PROFFIT WR. Forty-year review of extraction frequencies at a university orthodontic clinic. Angle Orthodont SILVA FILHO, O. G. et al. Um método alternativo para distalização de molares superiores. R Dental Press Ortodon Ortop Facial. Maringá, v. 5, n. 4 jul. /ago. 2000, p

27 SILVA FILHO, O.G. et al. Oclusão: escolares de Bauru. Prevalência de oclusão normal e má-oclusão na dentadura mista em escolares da cidade de Bauru (São Paulo). Revista da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas, v. 43, n. 6, nov./dez. 1989, p

APRESENTAÇÃO DO APARELHO Componentes do aparelho extrabucal 3

APRESENTAÇÃO DO APARELHO Componentes do aparelho extrabucal 3 Série Aparelhos Ortodônticos EXTRABUCAL INTRODUÇÃO A ancoragem extrabucal ainda é um dos recursos mais utilizados e recomendados no tratamento da má oclusão de Classe II, primeira divisão, caracterizada

Leia mais

Aparelho de Protração Mandibular: uma nova abordagem na confecção do aparelho

Aparelho de Protração Mandibular: uma nova abordagem na confecção do aparelho Dica Clínica parelho de Protração Mandibular: uma nova abordagem na confecção do aparelho Luciano lvim Costa*, Rosely Suguino** Resumo má oclusão de Classe II com retrognatismo mandibular tem sido largamente

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO RESUMO

UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO RESUMO 474 UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO Fábio André Werlang 1 Marcos Massaro Takemoto 2 Prof Elton Zeni 3 RESUMO

Leia mais

Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso

Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso Caso Clínico Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso José Euclides Nascimento* Luciano da Silva

Leia mais

Reginaldo César Zanelato

Reginaldo César Zanelato Reginaldo César Zanelato Nos pacientes portadores da má oclusão de Classe II dentária, além das opções tradicionais de tratamento, como as extrações de pré-molares superiores e a distalização dos primeiros

Leia mais

Mordida Profunda Definição. Trespasse vertical

Mordida Profunda Definição. Trespasse vertical Mordida Profunda Definição Trespasse vertical Mordida Profunda Diagnóstico Os fatores que contribuem variam de acordo com a oclusão: u Em boas oclusões é determinda por fatores dentários: t Comprimento

Leia mais

incisivos inferiores 1,3,4,6. Há também um movimento do nariz para frente, tornando o perfil facial menos côncavo e, conseqüentemente,

incisivos inferiores 1,3,4,6. Há também um movimento do nariz para frente, tornando o perfil facial menos côncavo e, conseqüentemente, Série Aparelhos Ortodônticos MÁSCARA FACIAL INTRODUÇÃO Inúmeras formas de tratamento têm sido relatadas para a correção precoce da má oclusão de Classe III. No entanto, talvez por muitos casos necessitarem

Leia mais

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL Montagem das Pastas As pastas devem estar organizadas na seguinte ordem: I- Externo Página Título: colocar na capa frontal da pasta (a capa tem um envelope plástico para esta finalidade). BOARD BRASILEIRO

Leia mais

Programa Laboratorial (hands on em Manequim)

Programa Laboratorial (hands on em Manequim) PROGRAMA DE CURSO DE EXCELÊNCIA EM ORTODONTIA COM 8 MÓDULOS DE 2 DIAS MENSAIS Prof. ROQUE JOSÉ MUELLER - Tratamento Ortodôntico de alta complexidade em adultos : diagnóstico, planejamento e plano de tratamento.

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS Efeitos dentoalveolares e esqueléticos do tratamento da má oclusão Classe II com os aparelhos Herbst, Jasper Jumper e o Aparelho de Protração Mandibular

Leia mais

TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO CLASSE II COM APARELHO DE HERBST CAIO MÁRCIO DE TEVES MORENO

TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO CLASSE II COM APARELHO DE HERBST CAIO MÁRCIO DE TEVES MORENO FUNORTE-FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS NÚCLEO NITERÓI-SMILE ODONTOLOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO CLASSE II COM APARELHO DE HERBST CAIO MÁRCIO DE TEVES MORENO

Leia mais

A UTILIZAÇÃO CLÍNICA DO APARELHO PROPULSOR MANDIBULAR FORSUS NA

A UTILIZAÇÃO CLÍNICA DO APARELHO PROPULSOR MANDIBULAR FORSUS NA A UTILIZAÇÃO CLÍNICA DO APARELHO PROPULSOR MANDIBULAR FORSUS NA CLÍNICA ORTODÔNTICA Mario Cappellette Jr, Paulo Sergio Kozara, Carolina M F Costa RESUMO Palavras-chave: Forsus. Crescimento mandibular.

Leia mais

ATIVADOR FIXO BIOPEDIC: INDICAÇÕES E INSTALAÇÃO

ATIVADOR FIXO BIOPEDIC: INDICAÇÕES E INSTALAÇÃO ATIVADOR FIXO BIOPEDIC: INDICAÇÕES E INSTALAÇÃO Luiz Fernando Eto*; Eneida Guimarães de Menezes Venuto**; Paula Moura Nagem** Luiz Fernando Eto - Especialista e Mestre em Ortodontia pelo COP-PUCMG; Professor

Leia mais

Sliding Jig: confecção e mecanismo de ação

Sliding Jig: confecção e mecanismo de ação Dica Clínica Sliding Jig: confecção e mecanismo de ação Adriana Simoni Lucato* Eloísa Marcantônio Boeck* Silvia Amelia Scudeler Vedovello* João Sarmento Pereira Neto** Maria Beatriz Borges de Araújo Mangnani***

Leia mais

Aparelho de Herbst Pma Passo a Passo

Aparelho de Herbst Pma Passo a Passo Capítulo Aparelho de Herbst Pma Passo a Passo 1 Alexandre Moro A Ortodontia contemporânea tem exigido que os clínicos utilizem aparelhos que tenham a sua eficiência clínica comprovada cientificamente.

Leia mais

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa o superiores e splint removível vel inferior MORO, A.; et al. Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de aço superiores

Leia mais

CRONOGRAMA CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA. APROVADO: MEC e CFO

CRONOGRAMA CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA. APROVADO: MEC e CFO CRONOGRAMA CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA APROVADO: MEC e CFO 1º. MÓDULO: 1º. DIA: Apresentação da Especialização / Aula teórica de Classificação das Más-oclusões 2º. DIA: Aula teórica de Etiologia

Leia mais

O aparelho de Herbst com Cantilever (CBJ) Passo a Passo

O aparelho de Herbst com Cantilever (CBJ) Passo a Passo O aparelho de Herbst com Cantilever (CBJ) Passo a Passo çã APARELHO DE HERBST COM CANTILEVER (CBJ) MAYES, 1994 Utiliza quatro coroas de açoa o nos primeiros molares e um cantilever,, a partir dos primeiros

Leia mais

Tratamento de Classe II, Divisão 1, com ausência congênita de incisivo lateral superior

Tratamento de Classe II, Divisão 1, com ausência congênita de incisivo lateral superior A RTIGO DE D IVULGA ÇÃO Tratamento de Classe II, Divisão 1, com ausência congênita de incisivo lateral superior Roberto M. A. LIMA FILHO*, Anna Carolina LIMA**, José H. G. de OLIVEIRA***, Antonio C. de

Leia mais

(VTO dentário) Resumo Este presente artigo teve por finalidade demonstrar, simplificadamente, o manejo

(VTO dentário) Resumo Este presente artigo teve por finalidade demonstrar, simplificadamente, o manejo iagnóstico Análise da Movimentação entária (VTO dentário) Adriano César Trevisi Zanelato*, Hugo José Trevisi**, Reginaldo César Trevisi Zanelato***, André César Trevisi Zanelato*, Renata Chicarelli Trevisi****

Leia mais

APRESENTAÇÃO DAS BANDAS TIPOS:

APRESENTAÇÃO DAS BANDAS TIPOS: 1 2 BANDAS ORTODÔNTICAS Introdução Para entendermos a real importância destes componentes de um aparelho ortodôntico, devemos inicialmente compreender qual a função da bandagem frente à um complexo sistema

Leia mais

Instrução de Uso. Tubos. Tubo Simples Indicado para primeiros e segundos molares. Possui um único slot para alojar o arco intraoral.

Instrução de Uso. Tubos. Tubo Simples Indicado para primeiros e segundos molares. Possui um único slot para alojar o arco intraoral. Instrução de Uso Tubos Os Tubos tem por finalidade transferir os esforços de: Arcos Intra e extra orais; Molas e Elásticos; Distalizadores; Barras transpalatinas e Quad Helix ; Placas Lábioativas. Promovem

Leia mais

Correção da relação sagital entre os arcos dentais Classe II

Correção da relação sagital entre os arcos dentais Classe II Correção da relação sagital entre os arcos dentais Classe II CAPÍTULO 13 Karyna Martins do Valle-Corotti Danilo Furquim Siqueira INTRODUÇÃO Angle 1 definiu a maloclusão de Classe II como uma relação mesiodistal

Leia mais

TÁGIDES Saúde e Bem-Estar

TÁGIDES Saúde e Bem-Estar TÁGIDES Saúde e Bem-Estar Estrada Nacional 1,Urbanização Quinta do Cabo, lojas 8 e 9, Povos 2600-009, Vila Franca de Xira Tel; 263209176 914376214 924376162 Email: tagides.sbe@gmail.com Ortodontia- Bases

Leia mais

Borracha Natural - conservação amônia. vulcanizado. Sintéticos carvão,petróleo e álcoois vegetais TIPOS DE ELÁSTICOS

Borracha Natural - conservação amônia. vulcanizado. Sintéticos carvão,petróleo e álcoois vegetais TIPOS DE ELÁSTICOS Curso de Aperfeiçoamento em Ortodontia Elásticos TIPOS DE ELÁSTICOS Borracha Natural - conservação amônia sensível ao ozônio vulcanizado Sintéticos carvão,petróleo e álcoois vegetais Elasticidade é a propriedade

Leia mais

Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção

Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção Um novo conceito de ver e atuar com os aparelhos ortodônticos removíveis José Roberto Ramos Na maioria dos casos, o emprego dos aparelhos ortodônticos

Leia mais

Aparelho Arco E-1886E. Partes do aparelho

Aparelho Arco E-1886E. Partes do aparelho BRÁQUETES Aparelho Arco E-1886E Partes do aparelho Aparelho Arco E -1886 APARELHO PINO E TUBO - 1912 Arco Cinta -1915 Aparelho Edgewise - 1925 Braquete original Os primeiros bráquetes eram.022 de uma liga

Leia mais

ANGELO VICENTINI LOIOLA PROTRATOR MANDIBULAR ARQUEADO - PMA

ANGELO VICENTINI LOIOLA PROTRATOR MANDIBULAR ARQUEADO - PMA ANGELO VICENTINI LOIOLA PROTRATOR MANDIBULAR ARQUEADO - PMA CAMPINAS 2009 ANGELO VICENTINI LOIOLA PROTRATOR MANDIBULAR ARQUEADO - PMA Patente apresentada ao Centro de Pós- Graduação / CPO São Leopoldo

Leia mais

Série Aparelhos Ortodônticos: Barra Transpalatina

Série Aparelhos Ortodônticos: Barra Transpalatina Série Aparelhos Ortodônticos barra transpalatina INTRODUÇÃO A barra transpalatina (BTP) tem sido aplicada na mecânica ortodôntica de forma crescente e em muitas situações clínicas. Isto pela característica

Leia mais

Uma vez estando estabelecidos os conceitos de oclusão normal, a etapa. subseqüente do processo de aprendizado passa a ser o estudo das variações

Uma vez estando estabelecidos os conceitos de oclusão normal, a etapa. subseqüente do processo de aprendizado passa a ser o estudo das variações 1 INTRODUÇÃO Uma vez estando estabelecidos os conceitos de oclusão normal, a etapa subseqüente do processo de aprendizado passa a ser o estudo das variações desse padrão. Vale a pena relembrarmos a definição

Leia mais

Má oclusão Classe I de Angle, com acentuada biprotrusão, tratada com extrações de dentes permanentes*

Má oclusão Classe I de Angle, com acentuada biprotrusão, tratada com extrações de dentes permanentes* C a s o C l í n i c o O Má oclusão Classe I de ngle, com acentuada biprotrusão, tratada com extrações de dentes permanentes* Marco ntônio Schroeder** Resumo Este relato de caso descreve o tratamento de

Leia mais

Extração Seriada, uma Alternativa

Extração Seriada, uma Alternativa Artigo de Divulgação Extração Seriada, uma Alternativa Serial Extraction, an Alternative Procedure Evandro Bronzi Resumo A extração seriada é um procedimento ortodôntico que visa harmonizar

Leia mais

FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS - FUNORTE INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FERNANDO BAIER APARELHOS ORTOPÉDICOS DE AVANÇO MANDIBULAR

FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS - FUNORTE INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FERNANDO BAIER APARELHOS ORTOPÉDICOS DE AVANÇO MANDIBULAR FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS - FUNORTE INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FERNANDO BAIER APARELHOS ORTOPÉDICOS DE AVANÇO MANDIBULAR SANTA CRUZ DO SUL-RS 2012 FERNANDO BAIER APARELHOS ORTOPÉDICOS DE

Leia mais

FECHAMENTO DE ESPAÇOS

FECHAMENTO DE ESPAÇOS FECHAMENTO DE ESPAÇOS Rua 144, n 77 - Setor Marista - Goiânia (GO) - CEP 74170-030 - PABX: (62) 278-4123 - 1 - Introdução Podemos definir essa etapa do tratamento ortodôntico como aquela onde o principal

Leia mais

EXTRAÇÕES DE DOIS PRÉ-MOLARES SUPERIORES NA MÁ OCLUSÃO DE CLASSE II: PARÂMETROS DE DIAGNÓSTICO E NOVOS RECURSOS NA MECÂNICA.

EXTRAÇÕES DE DOIS PRÉ-MOLARES SUPERIORES NA MÁ OCLUSÃO DE CLASSE II: PARÂMETROS DE DIAGNÓSTICO E NOVOS RECURSOS NA MECÂNICA. 1 EXTRAÇÕES DE DOIS PRÉ-MOLARES SUPERIORES NA MÁ OCLUSÃO DE CLASSE II: PARÂMETROS DE DIAGNÓSTICO E NOVOS RECURSOS NA MECÂNICA. EWALDO LUIZ DE ANDRADE Especialista em Ortodontia Mestre em Diagnóstico Bucal

Leia mais

Boa leitura a todos e aguardamos seus comentários e sugestões. Ricardo Moresca

Boa leitura a todos e aguardamos seus comentários e sugestões. Ricardo Moresca Orthodontic Science and Practice. 2012; 5(19):261-274. 261 A Classe II é uma das más oclusões mais frequentes entre os pacientes que buscam pelo tratamento ortodôntico e a sua correção pode representar

Leia mais

1. Introdução. 2. Fios ortodônticos. Centro de Pós Graduação em Ortodontia

1. Introdução. 2. Fios ortodônticos. Centro de Pós Graduação em Ortodontia 1. Introdução O alinhamento e o nivelamento é o primeiro estágio do tratamento ortodôntico com aparelho fixo. Alinhamento significa colocar os braquetes e os tubos alinhados no sentido vestibulolingual.

Leia mais

Tratamento cirúrgico da má oclusão de Classe III dentária e esquelética

Tratamento cirúrgico da má oclusão de Classe III dentária e esquelética Caso Clínico BBO Tratamento cirúrgico da má oclusão de Classe III dentária e esquelética Ione Helena Vieira Portella Brunharo 1 O preparo ortodôntico para tratamento cirúrgico do padrão esquelético de

Leia mais

TRATAMENTO ORTODÔNTICO DA MORDIDA ABERTA ANTERIOR EM PACIENTES ADULTOS

TRATAMENTO ORTODÔNTICO DA MORDIDA ABERTA ANTERIOR EM PACIENTES ADULTOS TRATAMENTO ORTODÔNTICO DA MORDIDA ABERTA ANTERIOR EM PACIENTES ADULTOS Jorge Ferreira Rodrigues 1 Marcella Maria Ribeiro do Amaral Andrade 2 Ernesto Dutra Rodrigues 3 Resumo O tratamento ortodôntico da

Leia mais

RODRIGO PADILHA DE CARVALHO DISTALIZAÇÃO DE MOLARES SUPERIORES

RODRIGO PADILHA DE CARVALHO DISTALIZAÇÃO DE MOLARES SUPERIORES 0 RODRIGO PADILHA DE CARVALHO DISTALIZAÇÃO DE MOLARES SUPERIORES ITAPERUNA/RJ 2011 0 RODRIGO PADILHA DE CARVALHO DISTALIZAÇÃO DE MOLARES SUPERIORES Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de

Leia mais

Utilização do APM no tratamento da má oclusão de Classe II, 2ª divisão, em paciente adulto

Utilização do APM no tratamento da má oclusão de Classe II, 2ª divisão, em paciente adulto Caso Clínico Utilização do APM no tratamento da má oclusão de Classe II, 2ª divisão, em paciente adulto Jaime Sampaio Bicalho*, Rafael de Faria Bicalho** Resumo Relato de caso clínico de paciente com 51

Leia mais

Tratamento da Má Oclusão de Classe II com Extração de Pré -Molares Superiores

Tratamento da Má Oclusão de Classe II com Extração de Pré -Molares Superiores Tratamento da Má Oclusão de Classe II com Extração de Pré -Molares Superiores Adriano César Trevisi Zanelato Coordenador do curso de especialização em Ortodontia pela Escola de Odontologia Cuiabá (MT).

Leia mais

Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1)

Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1) Artigo de Divulgação Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1) Treatment of a Class III, Subdivision Malocclusion: A Case Report (Part 1) Guilherme R.

Leia mais

Tracionamento ortodôntico de incisivos central e lateral superiores impactados: caso clínico

Tracionamento ortodôntico de incisivos central e lateral superiores impactados: caso clínico Caso Clínico Tracionamento ortodôntico de incisivos central e lateral superiores impactados: caso clínico Plínio Coutinho Vilas Boas*, Luís Antônio Alves Bernardes**, Matheus Melo Pithon***, Diogo Piacentini

Leia mais

MARCOS PRADEBON TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO CLASSE II: REVISÃO DE LITERATURA

MARCOS PRADEBON TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO CLASSE II: REVISÃO DE LITERATURA FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS- FUNORTE INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MARCOS PRADEBON TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO CLASSE II: REVISÃO DE LITERATURA Santa Cruz do Sul 2013 MARCOS PRADEBON TRATAMENTO DA

Leia mais

O tipo facial e a morfologia do arco dentário no planejamento ortodôntico

O tipo facial e a morfologia do arco dentário no planejamento ortodôntico Caso Clínico O tipo facial e a morfologia do arco dentário no planejamento ortodôntico Alexandre de Almeida Ribeiro* Resumo A morfologia do arco dentário está relacionada diretamente com as demais partes

Leia mais

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA 1 ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA INTRODUÇÃO O período da dentição mista inicia-se por volta dos 6 anos de idade com a erupção dos primeiros molares permanentes, e termina ao redor dos 12 anos de idade, com

Leia mais

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada?

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? A avaliação da estética facial, bem como sua relação com a comunicação e expressão da emoção, é parte importante no

Leia mais

Tratamento da Classe II com Distalização do Arco Superior Utilizando Microparafusos Ortodônticos de Titânio

Tratamento da Classe II com Distalização do Arco Superior Utilizando Microparafusos Ortodônticos de Titânio Capítulo Tratamento da Classe II com Distalização do Arco Superior Utilizando Microparafusos Ortodônticos de Titânio 1 Henrique Mascarenhas Villela Andréa Lacerda Santos Sampaio Évelin Rocha Limoeiro Introdução

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS O MECANISMO DO APARELHO HERBST E SUA INFLUÊNCIA NAS ARTICULAÇÕES TEMPOROMANDIBULARES

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS O MECANISMO DO APARELHO HERBST E SUA INFLUÊNCIA NAS ARTICULAÇÕES TEMPOROMANDIBULARES INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS O MECANISMO DO APARELHO HERBST E SUA INFLUÊNCIA NAS ARTICULAÇÕES TEMPOROMANDIBULARES VERA LÚCIA DE SOUZA NORA Monografia apresentada ao Programa de Especialização

Leia mais

Título: ALEXANDER DISCIPLINE, NOVO CONCEITO EM ORTODONTIA

Título: ALEXANDER DISCIPLINE, NOVO CONCEITO EM ORTODONTIA Título: ALEXANDER DISCIPLINE, NOVO CONCEITO EM ORTODONTIA Resumo: Sistema elaborado para se obter excelentes resultados de maneira simples e organizada, simplificando a mecânica ortodôntica reduzindo o

Leia mais

PRISCILLA MENDES CORREA VICTOR

PRISCILLA MENDES CORREA VICTOR FUNORTE-FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS NÚCLEO NITERÓI-SMILE ODONTOLOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA TRATAMENTO DA SOBREMORDIDA: RELATO DE CASO CLÍNICO PRISCILLA MENDES CORREA VICTOR Monografia

Leia mais

Tratamento Ortodôntico da Má Oclusão de Classe II, Primeira Divisão. SAULO BORDIN MARIA

Tratamento Ortodôntico da Má Oclusão de Classe II, Primeira Divisão. SAULO BORDIN MARIA Tratamento Ortodôntico da Má Oclusão de Classe II, Primeira Divisão. SAULO BORDIN MARIA Londrina 2013 SAULO BORDIN MARIA TRATAMENTO ORTODÔNTICO DA MÁ OCLUSÃO DE CLASSE II, PRIMEIRA DIVISÃO Trabalho de

Leia mais

REVISTA GESTÃO & SAÚDE (ISSN 1984-8153) EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR EM ORTODONTIA LOWER INCISOR EXTRACTION IN ORTHODONTICS

REVISTA GESTÃO & SAÚDE (ISSN 1984-8153) EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR EM ORTODONTIA LOWER INCISOR EXTRACTION IN ORTHODONTICS 1 EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR EM ORTODONTIA LOWER INCISOR EXTRACTION IN ORTHODONTICS Tatiana Leite Moroz LESSA 1 Elcy ARRUDA 2 Roberley Araújo ASSAD 3 Fabiano Sfier de MELLO 4 Andrea Malluf Dabul de

Leia mais

Pêndulo Higiênico de Prieto

Pêndulo Higiênico de Prieto Dica Clínica Pêndulo Higiênico de Prieto Marcos Gabriel do Lago Prieto*, Acácio Fuziy**, Érika Nana Ishikawa***, Lucas Prieto**** Resumo Dos dispositivos de cooperação mínima, o aparelho pêndulo é um dos

Leia mais

Verticalização de Molares

Verticalização de Molares Curso de Aperfeiçoamento em Ortodontia Verticalização de Molares Prof.: Paulo César Principais causas 1. Perdas precoce de molares decíduos Principais causas 2. Anodontia de 2 pré-molares !"#$"$%&'()*(+,($%-"%.+/0.+"123!

Leia mais

Breve Panorama Histórico

Breve Panorama Histórico Análise Facial Breve Panorama Histórico Norman Kingsley Kingsley (final do séc.xix): s a articulação dos dentes secundária à aparência facial. Breve Panorama Histórico Edward Angle (in (início séc. s XX)

Leia mais

Hugo Trevisi Reginaldo Trevisi Zanelato. O Estado da arte na. Ortodontia APARELHO AUTOLIGADO, MINI-IMPLANTE E EXTRAÇÕES DE SEGUNDOS MOLARES

Hugo Trevisi Reginaldo Trevisi Zanelato. O Estado da arte na. Ortodontia APARELHO AUTOLIGADO, MINI-IMPLANTE E EXTRAÇÕES DE SEGUNDOS MOLARES Hugo Trevisi Reginaldo Trevisi Zanelato O Estado da arte na Ortodontia APARELHO AUTOLIGADO, MINI-IMPLANTE E EXTRAÇÕES DE SEGUNDOS MOLARES O estado da arte na Ortodontia o estado da arte na Ortodontia

Leia mais

MANTENEDORES DE ESPAÇO

MANTENEDORES DE ESPAÇO MANTENEDORES DE ESPAÇO Conceito São aparelhos ortodônticos usados para manter o espaço nas arcadas dentárias, por perda precoce de dentes decíduos. Classificação Quanto ao uso: fixos semifixos removíveis

Leia mais

Série Aparelhos Ortodônticos

Série Aparelhos Ortodônticos Série Aparelhos Ortodônticos Em geral, o protocolo de tratamento nos casos de Classe III, principalmente naqueles com deficiência maxilar, tem sido a disjunção, seguida pela protração da ma-xila. De acordo

Leia mais

Ciência e prática. Importância do tratamento ortodôntico como auxílio da reabilitação oral

Ciência e prática. Importância do tratamento ortodôntico como auxílio da reabilitação oral Importância do tratamento ortodôntico como auxílio da reabilitação oral 36 MAXILLARIS OUTUBRO 2015 Ciência e prática : Margarida Malta Médica dentista. Licenciada no Instituto Superior de Ciencias da Saúde

Leia mais

Uso do aparelho de Thurow no tratamento da má oclusão esquelética de Classe II

Uso do aparelho de Thurow no tratamento da má oclusão esquelética de Classe II A r t i g o I n é d i t o Uso do aparelho de Thurow no tratamento da má oclusão esquelética de Classe II Maíra Massuia de Souza*, Talita Mathes de Freitas*, Adriana Sasso Stuani**, Andréa Sasso Stuani***,

Leia mais

BARRA TRANSPALATINA 1. INTRODUÇÃO

BARRA TRANSPALATINA 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO BARRA TRANSPALATINA Para o ortodontista, no planejamento do tratamento de uma má oclusão, um dos fatores importantes a ser observado é o posicionamento dos primeiros molares e as relações

Leia mais

A eficiência do distalizador de Carrière na correção da má-oclusão Classe llr de Angle, Divisão 1, Subdivisão

A eficiência do distalizador de Carrière na correção da má-oclusão Classe llr de Angle, Divisão 1, Subdivisão A eficiência do distalizador de Carrière na correção da má-oclusão Classe llr de Angle, Divisão 1, Subdivisão Angle C l a s s I I malocclusion, s u b d i v i s i o n c o r r e c t i o n with Carriorr D

Leia mais

Grade Palatina como Auxiliar no Fechamento da Mordida Aberta Anterior

Grade Palatina como Auxiliar no Fechamento da Mordida Aberta Anterior TRABALHO DE PESQUISA Grade Palatina como Auxiliar no Fechamento da Mordida Aberta Anterior Palatine Bar as an Auxiliary Measure to Close Anterior Open Bite Sérgio Rúbio Pinto Bastos* Bastos SRP. Grade

Leia mais

FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA CETASE

FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA CETASE FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA CETASE CENTRO DE ESTUDOS E TRATAMENTO DAS ALTERAÇÕES FUNCIONAIS DO SISTEMA ESTOMATOGNÁTICO Área de Prótese Fixa e Escultura Dental FICHA CLÍNICA 1 - Dados Pessoais

Leia mais

Mini-implantes ortodônticos como auxiliares da fase de retração anterior

Mini-implantes ortodônticos como auxiliares da fase de retração anterior A r t i g o In é d i t o Mini-implantes ortodônticos como auxiliares da fase de retração anterior Carlo Marassi*, Cesar Marassi** Resumo Introdução: os mini-implantes ortodônticos se estabeleceram como

Leia mais

Tratamento ortodôntico-cirúrgico da má oclusão de Classe III

Tratamento ortodôntico-cirúrgico da má oclusão de Classe III Caso Clínico Tratamento ortodôntico-cirúrgico da má oclusão de Classe III Eloísa Marcântonio Boeck*, Silvia Amelia S. Vedovello**, Adriana Simoni Lucato***, Maria Beatriz Borges de Araújo Magnani****,

Leia mais

TIP-EDGE e a TÉCNICA DIFERENCIAL DO ARCO RETO.

TIP-EDGE e a TÉCNICA DIFERENCIAL DO ARCO RETO. TIP-EDGE e a TÉCNICA DIFERENCIAL DO ARCO RETO....Tip-Edge é um braquete com um slot edgewise modificado, pré-ajustado, que permite inclinação da coroa em uma direção e ainda cria ancoragem através de movimento

Leia mais

Áurea Cristina de Oliveira Corrêa

Áurea Cristina de Oliveira Corrêa FUNORTE-FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS NÚCLEO NITERÓI-SMILE ODONTOLOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA TRATAMENTO MINIMALISTA DAS MÁS OCLUSÕES DO PADRÃO FACE LONGA: RELATO DE CASO Áurea Cristina

Leia mais

TP Orthodontics. HERBST Flip-Lock. www.tportho.com

TP Orthodontics. HERBST Flip-Lock. www.tportho.com TP Orthodontics HERBST Flip-Lock www.tportho.com TP Orthodontics, Inc. Idéias em Prática. "TP Orthodontics sempre ouve as minhas necessidades e me fornece os melhores produtos para o meu dia-a-dia." -Douglas

Leia mais

Tratamento ortodontico em paciente adulto: relato de caso clínico

Tratamento ortodontico em paciente adulto: relato de caso clínico Caso Clínico Tratamento ortodontico em paciente adulto: relato de caso clínico Matheus Melo Pithon*, Luiz Antônio Alves Bernardes** Resumo Com o maior acesso da população aos serviços de saúde bucal houve

Leia mais

Prosthes. Lab. Sci. 2013; 2(6):149-154.

Prosthes. Lab. Sci. 2013; 2(6):149-154. PROSTHESIS L A B O R A T O R Y i n Cristiane Barros André 1 Walter Iared 2 Renato Bigliazzi 3 Prosthes. Lab. Sci. 2013; 2(6):149-154. Planejamento e individualização da aparatologia ortodôntica conjugada

Leia mais

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico.

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico. Introdução CONTENÇÕES EM ORTODONTIA em ortodontia é o procedimento para manter um dente recém- movimentado em posição por um período suficientemente prolongado para assegurar a manutenção da correção ortodôntica

Leia mais

Araki AT. Tratamento da má oclusão de Classe II, subdivisão direita, segundo a terapia bioprogressiva.

Araki AT. Tratamento da má oclusão de Classe II, subdivisão direita, segundo a terapia bioprogressiva. caso clínico 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 Tratamento da má oclusão de Classe II, subdivisão direita, segundo

Leia mais

O uso de distalizadores para a correção da má oclusão de. The use of distalization for the correction of Class II malocclusion

O uso de distalizadores para a correção da má oclusão de. The use of distalization for the correction of Class II malocclusion para a correção da má oclusão de Classe II * The use of distalization for the correction of Class II malocclusion Milene Azevedo Portela Lopes** Dênis Clay Lopes Santos*** Daniel Negrete**** Everton Flaiban*****

Leia mais

Aplicação da versatilidade do aparelho pré-ajustado MBT, nos casos que apresentam os incisivos laterais superiores em linguoversão

Aplicação da versatilidade do aparelho pré-ajustado MBT, nos casos que apresentam os incisivos laterais superiores em linguoversão Caso Clínico Aplicação da versatilidade do aparelho pré-ajustado MBT, nos casos que apresentam os incisivos laterais superiores em linguoversão Reginaldo César Zanelato*, Sáverio Mandetta**, Cássia Terezinha

Leia mais

A versatilidade clínica do arco utilidade

A versatilidade clínica do arco utilidade T ÓPICO ESPECIL versatilidade clínica do arco utilidade Márcio ntonio de Figueiredo*, Claudia Tebet Peyres de Figueiredo**, Masato Nobuyasu***, Gervásio Yoshio Gondo****, Danilo Furquim Siqueira***** Resumo

Leia mais

A influência do padrão de crescimento facial no tratamento ortopédico da má oclusão de Classe II

A influência do padrão de crescimento facial no tratamento ortopédico da má oclusão de Classe II Caso Clínico A influência do padrão de crescimento facial no tratamento ortopédico da má oclusão de Classe II Luiz Felipe Viegas Josgrilbert*, Marcelo Kayatt Lacoski**, Fernando Esgaib Kayatt***, Priscila

Leia mais

A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria

A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria The importance of early diagnosis and intervention in the treatment of malocclusion in pediatric dentistry

Leia mais

EPIDEMIOLOGIA DAS MÁS OCLUSÕES NA DENTADURA MISTA EM ESCOLARES DE TERESINA PI

EPIDEMIOLOGIA DAS MÁS OCLUSÕES NA DENTADURA MISTA EM ESCOLARES DE TERESINA PI EPIDEMIOLOGIA DAS MÁS OCLUSÕES NA DENTADURA MISTA EM ESCOLARES DE TERESINA PI Marcus Vinicius Neiva Nunes do Rego - NOVAFAPI Olívia de Freitas Mendes - NOVAFAPI Thaís Lima Rocha NOVAFAPI Núbia Queiroz

Leia mais

Aparelhos ortodônticos distalizadores de molares superiores intra-orais

Aparelhos ortodônticos distalizadores de molares superiores intra-orais Darcísio Rodrigues da Matta Aparelhos ortodônticos distalizadores de molares superiores intra-orais Monografia apresentada a Faculdades Unidas do Norte de Minas, como requisito parcial à obtenção do Título

Leia mais

UNIVERSIDADE POSITIVO MESTRADO PROFISSIONAL EM ODONTOLOGIA CLÍNICA

UNIVERSIDADE POSITIVO MESTRADO PROFISSIONAL EM ODONTOLOGIA CLÍNICA UNIVERSIDADE POSITIVO MESTRADO PROFISSIONAL EM ODONTOLOGIA CLÍNICA ESTUDO COMPARATIVO DAS OCORRÊNCIAS DE COMPLICAÇÕES ENTRE OS APARELHOS DE HERBST COM SPLINT DE ACRÍLICO INFERIOR REMOVÍVEL E COM CANTILEVER

Leia mais

Sistema de Apoio Ósseo para Mecânica Ortodôntica (SAO ) miniplacas para ancoragem ortodôntica. Parte I: tratamento da mordida aberta

Sistema de Apoio Ósseo para Mecânica Ortodôntica (SAO ) miniplacas para ancoragem ortodôntica. Parte I: tratamento da mordida aberta A r t i g o In é d i t o Sistema de Apoio Ósseo para Mecânica Ortodôntica (SAO ) miniplacas para ancoragem ortodôntica. Parte I: tratamento da mordida aberta Maurício Tatsuei Sakima*, Armando Amorim de

Leia mais

Má oclusão Classe III de Angle com discrepância anteroposterior acentuada

Má oclusão Classe III de Angle com discrepância anteroposterior acentuada C ASO CLÍNIC O BBO Má oclusão Classe III de Angle com discrepância anteroposterior acentuada Carlos Alexandre Câmara* Resumo O caso clínico apresentado refere-se ao tratamento de uma paciente com 36 anos,

Leia mais

RECUPERADORES DE ESPAÇO

RECUPERADORES DE ESPAÇO RECUPERADORES DE ESPAÇO Conceito Recuperadores de espaço são usados para recuperar o espaço perdido nas arcadas dentárias. Eles verticalizam os dentes que inclinaram, depois que outros foram perdidos.

Leia mais

FACULDADE FUNORTE MIÉCIO CARVALHO GOMES DE SÁ JUNIOR EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR NA ORTODONTIA

FACULDADE FUNORTE MIÉCIO CARVALHO GOMES DE SÁ JUNIOR EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR NA ORTODONTIA FACULDADE FUNORTE MIÉCIO CARVALHO GOMES DE SÁ JUNIOR EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR NA ORTODONTIA JI-PARANÁ- RO 2013 MIÉCIO CARVALHO GOMES DE SÁ JUNIOR EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR NA ORTODONTIA Trabalho

Leia mais

Setup: um Auxílio no Diagnóstico Ortodôntico

Setup: um Auxílio no Diagnóstico Ortodôntico Setup: um Auxílio no Diagnóstico Ortodôntico CASO CLÍNICO Setup: a Diagnosis Assistance in Orthodontics Michelle Santos VIANNA* Armando Yukio SAGA** Fernando Augusto CASAGRANDE*** Elisa Souza CAMARGO****

Leia mais

Cirurgia Ortognática Bimaxilar: Relato de Caso

Cirurgia Ortognática Bimaxilar: Relato de Caso Cirurgia Ortognática Bimaxilar: Relato de Caso LUNA, Aníbal H. B.; ALVES, Giorvan Ânderson dos Santos; FIGUEIREDO, Ludmila Silva de; PAIVA, Marcos A. Farias; CAVALCANTI, Raquel Lopes; RESUMO Introdução:

Leia mais

RECUPERADORES DE ESPAÇO E SUA APLICAÇÃO CLÍNICA

RECUPERADORES DE ESPAÇO E SUA APLICAÇÃO CLÍNICA FOL Faculdade de Odontologia de Lins / UNIMEP RECUPERADORES DE ESPAÇO E SUA APLICAÇÃO CLÍNICA GUIDELINES ON THE USE OF SPACE REGAIN RENATO RODRIGUES DE ALMEIDA Professor assistente doutor do Departamento

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/SOEBRÁS ALTERNATIVAS DE TRATAMENTO PARA MORDIDA ABERTA ANTERIOR

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/SOEBRÁS ALTERNATIVAS DE TRATAMENTO PARA MORDIDA ABERTA ANTERIOR INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/SOEBRÁS ALTERNATIVAS DE TRATAMENTO PARA MORDIDA ABERTA ANTERIOR MARINA CAROLINA PINTO DE OLIVEIRA Monografia apresentada ao programa de Especialização em Ortodontia

Leia mais

essa soldagem; entretanto, ele FIGURA 3 - Confecção do arco transpalatino.

essa soldagem; entretanto, ele FIGURA 3 - Confecção do arco transpalatino. avaliar a posição inicial do côndilo em relação à fossa mandibular. 2 a consulta: escolha das coroas superiores, utilizando-se o kit para prova de coroas de aço da Ormco 16. Caso não deseje adquirir todo

Leia mais

O setup ortodôntico como método auxiliar de diagnóstico e planejamento

O setup ortodôntico como método auxiliar de diagnóstico e planejamento Dica Clínica O setup ortodôntico como método auxiliar de diagnóstico e planejamento Hallissa Simplício*, Ary dos Santos-Pinto**, Marcus Vinicius Almeida de Araújo***, Sergei Godeiro Fernandes Rabelo Caldas****,

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS

CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS 31) Sobre a reabsorção localizada severa, é correto afirmar que a) os dentes com dilaceração são fatores de risco. b) o tratamento ortodôntico não é o principal fator etiológico.

Leia mais

Barra palatina assimétrica em L : ancoragem em casos de Classe II subdivisão tipo 2 tratados com extração de um pré-molar superior

Barra palatina assimétrica em L : ancoragem em casos de Classe II subdivisão tipo 2 tratados com extração de um pré-molar superior caso clínico Barra palatina assimétrica em L : ancoragem em casos de Classe II subdivisão tipo 2 tratados com extração de um pré-molar superior L-shaped asymmetrical palatal bar: anchorage in Class II

Leia mais

Tratamento da classe II, com aparelho de herbst modificado relato de caso clínico

Tratamento da classe II, com aparelho de herbst modificado relato de caso clínico 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 Class II malocclusion treatment with modified Herbst appliance A Case Report Resumo

Leia mais

Confecção e instalação do Sky Hook

Confecção e instalação do Sky Hook Dica Clínica Confecção e instalação do Sky Hook Preparing and fitting the Sky Hook Laurindo Zanco Furquim * Resumo Nos casos de Classe III, principalmente naqueles com deficiência maxilar, o protocolo

Leia mais

Alterações Verticais em Paciente com Mordida Aberta e Altura Excessiva da Face Inferior após Expansão Rápida da Maxila

Alterações Verticais em Paciente com Mordida Aberta e Altura Excessiva da Face Inferior após Expansão Rápida da Maxila rtigo de Divulgação lterações Verticais em Paciente com Mordida berta e ltura Excessiva da Face Inferior após Expansão Rápida da Maxila Vertical Changes in a Patient with Open ite and Excessive Lower nterior

Leia mais

Extração atípica de incisivos centrais superiores: relato de caso clínico Atypical extraction of maxillary central incisors: case report

Extração atípica de incisivos centrais superiores: relato de caso clínico Atypical extraction of maxillary central incisors: case report RELATO DE CASO Extração atípica de incisivos centrais superiores: relato de caso clínico Atypical extraction of maxillary central incisors: case report MARCOS VALÉRIO FERRARI 1 JOSÉ RICARDO SCANAVINI 2

Leia mais

Aparelho Herbst: Protocolos de tratamento precoce e tardio

Aparelho Herbst: Protocolos de tratamento precoce e tardio A RTIGO I NÉDITO Aparelho Herbst: Protocolos de tratamento precoce e tardio Omar Gabriel da Silva Filho*, Carlos Alberto Aiello*, Marcelo Veloso Fontes** Resumo Até que ponto o crescimento mandibular pode

Leia mais