(VTO dentário) Resumo Este presente artigo teve por finalidade demonstrar, simplificadamente, o manejo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "(VTO dentário) Resumo Este presente artigo teve por finalidade demonstrar, simplificadamente, o manejo"

Transcrição

1 iagnóstico Análise da Movimentação entária (VTO dentário) Adriano César Trevisi Zanelato*, Hugo José Trevisi**, Reginaldo César Trevisi Zanelato***, André César Trevisi Zanelato*, Renata Chicarelli Trevisi**** Resumo ste presente artigo teve por finalidade demonstrar, simplificadamente, o manejo da Análise de Movimentação entária (VTO dentário) em todas as suas fases, com demonstração clínica de um diagnóstico ortodôntico, buscando, após identificar a quantidade e a direção de movimentação dos dentes posteriores e anteriores, elaborar uma biomecânica ortodôntica compatível com os resultados da análise dentária. Palavras-chave: Ortodontia. Biomecânica. VTO dentário. * Mestre em Ortodontia pela UMSP. Professor do Curso de specialização em Ortodontia pela APC de Presidente Prudente (SP). Coordenador do Curso de specialização da ABC-MT. ** Coordenador do Curso de specialização em Ortodontia pela APC de Presidente Prudente. Idealizador da Filosofia MBT. *** Mestrando em Ortodontia pela UMSP. Professor do Curso de specialização em Ortodontia da APC de Presidente Prudente (SP). Professor do Curso de specialização em Ortodontia pela ABC-MT. **** Mestre em Ortodontia pela UNICI. Rev. Clín. Ortodon. ental Press, Maringá, v. 5, n. 5 - out./nov

2 Análise da Movimentação entária (VTO dentário) Introdução A Ortodontia sempre se mostrou uma especialidade de alta complexidade, tanto no âmbito de diagnóstico e planejamento como na organização biomecânica. A biomecânica ortodôntica torna-se ainda mais difícil quando não obtém informações precisas na fase de diagnóstico e planejamento ortodôntico, no que se refere à direção e à quantidade da movimentação realizada pelos dentes posteriores, representados pelos primeiros molares, e informações da movimentação dos dentes anteriores, representados pelos caninos. A Análise de Unidade de spaço foi inicialmente desenvolvida por Andrews, mas foi amplamente estudada e simplificada, estando disposta nos dias atuais de maneira compreensível, graças a estudos e modificações realizadas por McLaughlin e Trevisi, que a dividiram em 3 fases: ) Análise da posição inicial e da movimentação dentária; 2) Cálculo das unidades de espaços requeridas (UR); 3) Cálculo das unidades de espaços disponíveis (U). A primeira fase, a análise da posição inicial e da movimentação dentária, destina-se a informar a análise da relação interarcos e da posição da linha média. Posteriormente, quantificar o apinhamento anterior, o apinhamento posterior, a profundidade da curva de, o desvio da linha média e a posição planejada para o incisivo superior direito Linha média superior superior esquerdo inferior no final do tratamento ortodôntico. Somando-se estes dados, a análise fornece a direção e a quantidade do movimento dos caninos e, também, o total de problema do arco dentário inferior. Baseado nestas informações, executa-se a movimentação dos caninos, iniciando assim as movimentações dentárias necessárias para a execução da biomecânica ortodôntica (propósito de movimento). A segunda e a terceira fases são realizadas sob informações obtidas da primeira fase, ou seja, são os complementos da primeira fase, onde quantificamos o total de movimentações dentárias, transformado em unidades de espaço, já posteriormente descritas por Martins 3. na terceira fase são definidos os aparelhos ortodônticos necessários, capazes de promover os movimentos planejados. Neste artigo não iremos tecer informações a respeito destas duas últimas fases. Sendo assim, propusemos por meio deste trabalho exemplificar com informações teóricas e clínicas toda a primeira fase do VTO dentário, denominada Análise de Movimentação entária (VTO dentário). MANJO A ANÁLIS MOVIMNTAÇÃO NTÁRIA (VTO NTÁRIO) Posição inicial da relação interarcos ( a chave de Andrews ) e das linhas médias Com os modelos de gesso articulados do paciente define-se a relação interarcos, ou seja, a primeira chave de Andrews e não mais o erro molar, segundo a classificação de Angle 2. efine-se também a posição das linhas médias. sses dados são lançados no diagrama da figura. Figura inferior direito Linha média inferior inferior esquerdo Relação interarcos Se o paciente apresentar uma relação interarcos de Classe I, o valor lançado no gráfico será zero, como mostra a figura 2. Se o paciente apresentar uma relação interarcos de Classe II ou de Classe III, define-se em qual arco dentário encontra-se o erro, ou em qual Figura 2 6 Rev. Clín. Ortodon. ental Press, Maringá, v. 5, n. 5 - out./nov. 26

3 Adriano César Trevisi Zanelato, Hugo José Trevisi, Reginaldo César Trevisi Zanelato, André César Trevisi Zanelato, Renata Chicarelli Trevisi arco dentário o tratamento ortodôntico irá se expressar. Assim o valor do erro da relação interarcos poderá ser creditado ou para os molares superiores ou para os molares inferiores. Posição das linhas médias O mesmo procedimento se faz no lançamento da posição da linha média. Se as linhas médias estiverem centralizadas, o valor lançado será zero, se houver desvios devemos diagnosticar qual das linhas médias está desviada, lançando o valor correspondente ao desvio, como mostra a figura 3, que apresenta desvio da linha média superior e inferior. No exemplo da figura 3, a linha média superior apresenta mm de desvio para o lado direito e a linha média inferior apresenta-se desviada 2mm para o lado esquerdo. O valor lançado no gráfico será somente o valor do desvio da linha média inferior. efinição dos problemas do arco dentário inferior Os valores que serão lançados na análise são na maioria negativos, pois são problemas. O desvio da linha média e a projeção da posição final dos incisivos é que poderão receber valores positivos. Se o diagnóstico ortodôntico projetar um aumento da protrusão dos incisivos, os valores lançados relacionados à inclinação dos incisivos () tornar-se-ão positivos. Todos os valores somados (A3/ P.Inc.) irão determinar o total de movimento dos caninos (). Se este resultado for negativo indica que o canino sofrerá um movimento de distalização e se o resultado for positivo indicará mesialização dos caninos. Apinhamento ântero-inferior () O apinhamento ântero-inferior é quantificado medindo-se da linha média dentária até a distal do canino do lado direito e do lado esquerdo. Não se deve quantificar todo o apinhamento anterior, de canino a canino, e dividir respectivamente para cada lado (Fig. 4). Apinhamento posterior () Uma vez computado o apinhamento anterior, para informar a quantidade de apinhamento posterior, de molar a molar, basta quantificar o apinhamento da região dos pré-molares. Não havendo apinhamento na região dos pré-molares o apinhamento posterior é idêntico ao apinhamento anterior. Se, por ventura, existir apinhamento na região dos pré-molares, o valor a ser lançado na análise é o valor deste apinhamento somado ao valor do apinhamento anterior. O exemplo da figura 5 não apresenta apinhamento na região dos pré-molares. Arco Inferior 2 Figura 3 Figura 4 - Os valores lançados no gráfico são negativos. Rev. Clín. Ortodon. ental Press, Maringá, v. 5, n. 5 - out./nov. 26 6

4 Análise da Movimentação entária (VTO dentário) Figura 5 Profundidade da curva de Para definir o valor da curva de mede-se o lado direito e também o lado esquerdo, seguindo as orientações de Steiner 4, que estabelece,5mm para cada 3mm de profundidade da curva de. para uma profundidade maior que 3mm lança-se mm de problema. A curva de é considerada problema, pois o seu nivelamento resulta em aumento da protrusão dos incisivos, que normalmente não é interessante para a mecânica ortodôntica. O exemplo da figura 6 mostra uma curva de de profundidade menor que 3mm, por este motivo o valor lançado é zero. Linha média Somente será lançado na análise o desvio da linha média inferior, seguindo orientação de aspectos faciais, para determinar a posição das linhas médias. Uma característica que indica o desvio da linha média inferior é quando o paciente apresenta quantidades de apinhamentos diferentes em ambos os lados. A linha média é lançada na análise já corrigida, ou seja, para o lado que a linha média apresenta-se desviada será lançada com um sinal positivo e o lado oposto, ou seja, para onde a linha média será desviada, o sinal é negativo. ste procedimento se dá pelo fato que para se corrigir a linha média, se ganha espaço do lado do desvio e consome-se espaço do lado em que a linha média tem que desviar (Fig. 7). Protrusão desejada do incisivo inferior Após quantificar todas as informações anteriores, interpretar a análise cefalométrica e facial, conhecer a queixa do paciente e saber do que somos capazes profissionalmente e o que o paciente aceita biologicamente, assim projetamos, embasados no bom senso, a posição final do incisivo inferior. ssa alteração planejada para o incisivo inferior normalmente é utilizada para facilitar a biomecânica ortodôntica. Toda projeção que determinar um aumento da protrusão do incisivo inferior, conseqüentemente aumenta o perímetro do arco dentário, se ganha espaço no arco dentário, assim o valor a ser lançado na análise será positivo. Quando realizar retrusão do incisivo inferior, este procedimento consome espaço, então, o valor a ser lançado é negativo. Se a biomecânica planejada não provocar alteração na posição do incisivo, o valor correspondente na análise será zero. O valor creditado na análise se dá pela diferença do valor de -NB inicial com a projeção de -NB final (Fig. 8). Total do movimento dos caninos (T3/3) A somatória do apinhamento de canino a canino (), da profundidade da curva de, do desvio da linha média e da projeção final dos incisivos indica a direção e a quantidade dos movimentos dos caninos. Lembrando que os valores lançados em sua grande maioria são negativos. Sendo assim, se o resultado que indica o movimento dos caninos (T3/3) apresentar um valor negativo, significa que o canino será distalizado. Se o valor somado apresentar um resultado positivo indica que o canino será mesializado (Fig. 9). Total de problemas de molar a molar (T6/6) A somatória do apinhamento de molar a molar (), da profundidade da curva de, do desvio da linha média e da projeção final dos incisivos indica o total de problema do arco dentário inferior (Fig. ). Propósito de movimentos Com a definição da direção e da quantidade dos movimentos realizados pelos caninos inferiores (), iniciamos o propósito de 62 Rev. Clín. Ortodon. ental Press, Maringá, v. 5, n. 5 - out./nov. 26

5 Adriano César Trevisi Zanelato, Hugo José Trevisi, Reginaldo César Trevisi Zanelato, André César Trevisi Zanelato, Renata Chicarelli Trevisi Figura 6 Figura 7 ANB =. NA =. NB = x y - -. Pl. Mand = = x - y Figura 8 Rev. Clín. Ortodon. ental Press, Maringá, v. 5, n. 5 - out./nov

6 Análise da Movimentação entária (VTO dentário) = A3/ = A6/ Figura 9 Figura movimentos. Sempre pela movimentação dos caninos inferiores, determinado pelo valor do. O número 7, lançado no gráfico da figura, indica o tamanho mésio-distal do pré-molar que foi extraído. Assim o próximo dente a ser movimentado é o molar inferior, sendo que este movimento é determinado pela diferença do tamanho mésio-distal do dente extraído ou do espaço existente na região posterior do arco dentário, com a movimentação dos caninos. etermina-se o tamanho do dente extraído ou do espaço existente, movimenta-se o canino e o espaço remanescente é fechado pelo movimento do molar (Fig. 2). A movimentação do arco dentário superior inicia-se pelo movimento do molar, ao contrário da movimentação do arco dentário inferior, que começou com o movimento dos caninos. Relacionando-se o movimento realizado pelo molar inferior com a relação interarcos inicial do paciente. No exemplo abaixo o paciente apresentava uma relação interarcos de Classe I, e o molar inferior movimentou mm do lado direito e 3mm do lado esquerdo para mesial, entrando assim numa relação de Classe III. Para retornar a Classe I, temos que movimentar também o molar superior a mesma quantidade da movimentação do molar inferior (Fig. 3). eterminado o movimento do molar, observa-se o espaço existente no arco dentário superior, proporcionado pela extração ou por espaços existentes, assim a diferença, ou seja o espaço remanescente, é fechada pela distalização do canino superior. ste é o último dente a ser movimentado e a sua movimentação depende do movimento realizado pela diferença do movimento do molar superior com o espaço do dente extraído ou dos espaços existentes (Fig.4). Figura Figura 2 Figura Conclusão Após o término de todos os passos da Análise de Movimentação entária (VTO dentário), é importante observar as informações obtidas e conduzí-las na elaboração da biomecânica a ser utilizada no Figura Rev. Clín. Ortodon. ental Press, Maringá, v. 5, n. 5 - out./nov. 26

7 Adriano César Trevisi Zanelato, Hugo José Trevisi, Reginaldo César Trevisi Zanelato, André César Trevisi Zanelato, Renata Chicarelli Trevisi tratamento ortodôntico. Assim, observando o exemplo demonstrado, verifica-se que as mecânicas aplicadas nos lados direito e esquerdo são distintas. Nota-se que a mecânica aplicada no lado direito compreende movimento de distalização muito maior para os caninos quando comparada ao movimento de mesialização dos molares. Tal fato indica-nos a necessidade de ancoragem máxima posterior para a realização da biomecânica do lado direito. Os recursos disponíveis para a realização de tratamento ortodôntico, aplicando-se ancoragem máxima posterior no arco dentário superior, são barra palatina e bandas nos segundos molares do início ao término do tratamento ortodôntico, associadas ao uso do aparelho extrabucal por 2 horas diárias. O dente a ser extraído para a realização desta mecânica deve ser o primeiro pré-molar. Considerando-se o arco dentário inferior, aplicando-se ancoragem máxima posterior, os recursos disponíveis são arco lingual até o final da fase de nivelamento, bandas nos segundos molares e a preferência pela extração também dos primeiros pré-molares. No entanto, todo este arsenal, que tem por finalidade preservar a ancoragem, ainda é muito duvidoso. Questiona-se se tal ancoragem é efetiva ou não. Felizmente, a Ortodontia atual pode utilizar miniimplantes para fins de ancoragem, onde a lei da ação e reação parece entrar em desuso. O gráfico demonstrando o propósito de movimentação dentária para o lado esquerdo dá-nos movimento com ancoragem moderada posterior. Para a execução de tal mecânica, indica-se a extração também do primeiro pré-molar associada a aparelhos de preservação de ancoragem até a fase final do nivelamento. A experiência mostra-nos que o controle das mecânicas ortodônticas assimétricas é extremamente difícil, apresentando execução demorada, pois é preciso haver controle, utilizando-se ancoragem posterior superior e inferior no lado direito e somente após o término desta mecânica é que se removem os sistemas de ancoragem, para executar o tratamento do lado esquerdo sob ancoragem moderada posterior. Assim, analisando o VTO dentário obtém-se as informações necessárias de algumas condutas terapêuticas clínicas que devem nortear o tratamento, já projetando o tratamento ortodôntico durante todas as suas fases, antes mesmos de dar início ao tratamento clínico. Analysis of ental Movement (ental VTO) Abstract This present study aims to show in a simplified way how the Analysis of the ental Movement (ental VTO) works in all its stages with a demonstration of a clinical case, elaborating, after identifying the amount and direction of the movement of the posterior and anterior teeth, an orthodontic biomechanics compatible to the dental analysis. key words: Orthodontics. Biomechanics. ental VTO. Referências. ANRWS, L. F. The six keys to normal occlusion. Am J Orthod, St. Louis, v. 62, no. 3, p , Sept ANGL,. H. Classification of malocclusion. ental Cosmos, Philadelphia, v. 4, p , MARTINS,. R. Análise de Andrews: análise das unidades de espaço. Ortodontia, São Paulo, v. 7, n. /3, p , jan./dez MARTINS,. R. Análise de Andrews: análise de unidade de espaço. Ortodontia, São Paulo, v. 7, p , 984. ndereço para correspondência Adriano César Trevisi Zanelato Av. Washington Luis 526 Presidente Prudente / SP -mail: Rev. Clín. Ortodon. ental Press, Maringá, v. 5, n. 5 - out./nov

Reginaldo César Zanelato

Reginaldo César Zanelato Reginaldo César Zanelato Nos pacientes portadores da má oclusão de Classe II dentária, além das opções tradicionais de tratamento, como as extrações de pré-molares superiores e a distalização dos primeiros

Leia mais

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA 1 ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA INTRODUÇÃO O período da dentição mista inicia-se por volta dos 6 anos de idade com a erupção dos primeiros molares permanentes, e termina ao redor dos 12 anos de idade, com

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO APARELHO Componentes do aparelho extrabucal 3

APRESENTAÇÃO DO APARELHO Componentes do aparelho extrabucal 3 Série Aparelhos Ortodônticos EXTRABUCAL INTRODUÇÃO A ancoragem extrabucal ainda é um dos recursos mais utilizados e recomendados no tratamento da má oclusão de Classe II, primeira divisão, caracterizada

Leia mais

IGC - Índice do Grau de Complexidade

IGC - Índice do Grau de Complexidade IGC - Índice do Grau de Complexidade Uma medida da complexidade do caso DI -American Board of Orthodontics Autorização American Board of Orthodon1cs- ABO Atualização: 13.05.2013 12. Outros Itens pontuados

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO RESUMO

UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO RESUMO 474 UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO Fábio André Werlang 1 Marcos Massaro Takemoto 2 Prof Elton Zeni 3 RESUMO

Leia mais

Tratamento da Má Oclusão de Classe II com Extração de Pré -Molares Superiores

Tratamento da Má Oclusão de Classe II com Extração de Pré -Molares Superiores Tratamento da Má Oclusão de Classe II com Extração de Pré -Molares Superiores Adriano César Trevisi Zanelato Coordenador do curso de especialização em Ortodontia pela Escola de Odontologia Cuiabá (MT).

Leia mais

Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso

Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso Caso Clínico Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso José Euclides Nascimento* Luciano da Silva

Leia mais

TRATAMENTO DE UMA CLASSE II COM IMPACTAÇÃO DE CANINO E DE PRÉ-MOLAR

TRATAMENTO DE UMA CLASSE II COM IMPACTAÇÃO DE CANINO E DE PRÉ-MOLAR Miguel da Nóbrega Médico Especialista em Estomatologia DUO Faculdade de Cirurgia Dentária Universidade Toulouse miguel.nobrega@ortofunchal.com TRATAMENTO DE UMA CLASSE II COM IMPACTAÇÃO DE CANINO E DE

Leia mais

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL Montagem das Pastas As pastas devem estar organizadas na seguinte ordem: I- Externo Página Título: colocar na capa frontal da pasta (a capa tem um envelope plástico para esta finalidade). BOARD BRASILEIRO

Leia mais

MANTENEDORES DE ESPAÇO

MANTENEDORES DE ESPAÇO MANTENEDORES DE ESPAÇO Conceito São aparelhos ortodônticos usados para manter o espaço nas arcadas dentárias, por perda precoce de dentes decíduos. Classificação Quanto ao uso: fixos semifixos removíveis

Leia mais

FECHAMENTO DE ESPAÇOS

FECHAMENTO DE ESPAÇOS FECHAMENTO DE ESPAÇOS Rua 144, n 77 - Setor Marista - Goiânia (GO) - CEP 74170-030 - PABX: (62) 278-4123 - 1 - Introdução Podemos definir essa etapa do tratamento ortodôntico como aquela onde o principal

Leia mais

Série Aparelhos Ortodônticos: Barra Transpalatina

Série Aparelhos Ortodônticos: Barra Transpalatina Série Aparelhos Ortodônticos barra transpalatina INTRODUÇÃO A barra transpalatina (BTP) tem sido aplicada na mecânica ortodôntica de forma crescente e em muitas situações clínicas. Isto pela característica

Leia mais

Extração Seriada, uma Alternativa

Extração Seriada, uma Alternativa Artigo de Divulgação Extração Seriada, uma Alternativa Serial Extraction, an Alternative Procedure Evandro Bronzi Resumo A extração seriada é um procedimento ortodôntico que visa harmonizar

Leia mais

Mordida Profunda Definição. Trespasse vertical

Mordida Profunda Definição. Trespasse vertical Mordida Profunda Definição Trespasse vertical Mordida Profunda Diagnóstico Os fatores que contribuem variam de acordo com a oclusão: u Em boas oclusões é determinda por fatores dentários: t Comprimento

Leia mais

Uma vez estando estabelecidos os conceitos de oclusão normal, a etapa. subseqüente do processo de aprendizado passa a ser o estudo das variações

Uma vez estando estabelecidos os conceitos de oclusão normal, a etapa. subseqüente do processo de aprendizado passa a ser o estudo das variações 1 INTRODUÇÃO Uma vez estando estabelecidos os conceitos de oclusão normal, a etapa subseqüente do processo de aprendizado passa a ser o estudo das variações desse padrão. Vale a pena relembrarmos a definição

Leia mais

Instrução de Uso. Tubos. Tubo Simples Indicado para primeiros e segundos molares. Possui um único slot para alojar o arco intraoral.

Instrução de Uso. Tubos. Tubo Simples Indicado para primeiros e segundos molares. Possui um único slot para alojar o arco intraoral. Instrução de Uso Tubos Os Tubos tem por finalidade transferir os esforços de: Arcos Intra e extra orais; Molas e Elásticos; Distalizadores; Barras transpalatinas e Quad Helix ; Placas Lábioativas. Promovem

Leia mais

Hugo Trevisi Reginaldo Trevisi Zanelato. O Estado da arte na. Ortodontia APARELHO AUTOLIGADO, MINI-IMPLANTE E EXTRAÇÕES DE SEGUNDOS MOLARES

Hugo Trevisi Reginaldo Trevisi Zanelato. O Estado da arte na. Ortodontia APARELHO AUTOLIGADO, MINI-IMPLANTE E EXTRAÇÕES DE SEGUNDOS MOLARES Hugo Trevisi Reginaldo Trevisi Zanelato O Estado da arte na Ortodontia APARELHO AUTOLIGADO, MINI-IMPLANTE E EXTRAÇÕES DE SEGUNDOS MOLARES O estado da arte na Ortodontia o estado da arte na Ortodontia

Leia mais

incisivos inferiores 1,3,4,6. Há também um movimento do nariz para frente, tornando o perfil facial menos côncavo e, conseqüentemente,

incisivos inferiores 1,3,4,6. Há também um movimento do nariz para frente, tornando o perfil facial menos côncavo e, conseqüentemente, Série Aparelhos Ortodônticos MÁSCARA FACIAL INTRODUÇÃO Inúmeras formas de tratamento têm sido relatadas para a correção precoce da má oclusão de Classe III. No entanto, talvez por muitos casos necessitarem

Leia mais

Programa Laboratorial (hands on em Manequim)

Programa Laboratorial (hands on em Manequim) PROGRAMA DE CURSO DE EXCELÊNCIA EM ORTODONTIA COM 8 MÓDULOS DE 2 DIAS MENSAIS Prof. ROQUE JOSÉ MUELLER - Tratamento Ortodôntico de alta complexidade em adultos : diagnóstico, planejamento e plano de tratamento.

Leia mais

Aparelho Arco E-1886E. Partes do aparelho

Aparelho Arco E-1886E. Partes do aparelho BRÁQUETES Aparelho Arco E-1886E Partes do aparelho Aparelho Arco E -1886 APARELHO PINO E TUBO - 1912 Arco Cinta -1915 Aparelho Edgewise - 1925 Braquete original Os primeiros bráquetes eram.022 de uma liga

Leia mais

RECUPERADORES DE ESPAÇO

RECUPERADORES DE ESPAÇO RECUPERADORES DE ESPAÇO Conceito Recuperadores de espaço são usados para recuperar o espaço perdido nas arcadas dentárias. Eles verticalizam os dentes que inclinaram, depois que outros foram perdidos.

Leia mais

Aplicação da versatilidade do aparelho pré-ajustado MBT, nos casos que apresentam os incisivos laterais superiores em linguoversão

Aplicação da versatilidade do aparelho pré-ajustado MBT, nos casos que apresentam os incisivos laterais superiores em linguoversão Caso Clínico Aplicação da versatilidade do aparelho pré-ajustado MBT, nos casos que apresentam os incisivos laterais superiores em linguoversão Reginaldo César Zanelato*, Sáverio Mandetta**, Cássia Terezinha

Leia mais

INFLUÊNCIA DA ANGULAÇÃO DOS DENTES ANTERIORES NO PERÍMETRO DO ARCO SUPERIOR

INFLUÊNCIA DA ANGULAÇÃO DOS DENTES ANTERIORES NO PERÍMETRO DO ARCO SUPERIOR INFLUÊNCIA DA ANGULAÇÃO DOS DENTES ANTERIORES NO PERÍMETRO DO ARCO SUPERIOR THE EFECT OF INCISORS AND CANINES TEETH ANGULATION ON SUPERIOR ARCH PERIMETER Capelozza,L.F e Cordeiro, A.S 1. Introdução: A

Leia mais

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE SAÚDE DA MARINHA CENTRO MÉDICO ASSISTENCIAL DA MARINHA ODONTOCLÍNICA CENTRAL DA MARINHA

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE SAÚDE DA MARINHA CENTRO MÉDICO ASSISTENCIAL DA MARINHA ODONTOCLÍNICA CENTRAL DA MARINHA MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE SAÚDE DA MARINHA CENTRO MÉDICO ASSISTENCIAL DA MARINHA ODONTOCLÍNICA CENTRAL DA MARINHA PROGRAMA PARA A PREVENÇÃO DA CÁRIE DENTÁRIA E DA DOENÇA PERIODONTAL Serviço de Odontologia

Leia mais

2 A Derivada. 2.1 Velocidade Média e Velocidade Instantânea

2 A Derivada. 2.1 Velocidade Média e Velocidade Instantânea 2 O objetivo geral desse curso de Cálculo será o de estudar dois conceitos básicos: a Derivada e a Integral. No decorrer do curso esses dois conceitos, embora motivados de formas distintas, serão por mais

Leia mais

Verticalização de Molares

Verticalização de Molares Curso de Aperfeiçoamento em Ortodontia Verticalização de Molares Prof.: Paulo César Principais causas 1. Perdas precoce de molares decíduos Principais causas 2. Anodontia de 2 pré-molares !"#$"$%&'()*(+,($%-"%.+/0.+"123!

Leia mais

Considerações Sobre Análise da Discrepância Dentária de Bolton e a Finalização Ortodôntica

Considerações Sobre Análise da Discrepância Dentária de Bolton e a Finalização Ortodôntica tópico especial Tema desenvolvido pelo conselho editorial abordando assuntos de interesse da classe ortodôntica Considerações Sobre Análise da Discrepância Dentária de Bolton e a Finalização Ortodôntica

Leia mais

APRESENTAÇÃO DAS BANDAS TIPOS:

APRESENTAÇÃO DAS BANDAS TIPOS: 1 2 BANDAS ORTODÔNTICAS Introdução Para entendermos a real importância destes componentes de um aparelho ortodôntico, devemos inicialmente compreender qual a função da bandagem frente à um complexo sistema

Leia mais

Construção e aplicação da análise de movimentação dentária (VTO) no auxílio à montagem de planos de tratamentos - parte 1.

Construção e aplicação da análise de movimentação dentária (VTO) no auxílio à montagem de planos de tratamentos - parte 1. 480Como se faz Orthodontic Science and Practice. 2012; 5(20):476. André Trevisi Zanelato Ms. em Ortodontia pela Universidade Metodista de São Paulo. Prof. do Curso de Esp. de Ortodontia da Escola de Odontologia

Leia mais

O aparelho de Herbst com Cantilever (CBJ) Passo a Passo

O aparelho de Herbst com Cantilever (CBJ) Passo a Passo O aparelho de Herbst com Cantilever (CBJ) Passo a Passo çã APARELHO DE HERBST COM CANTILEVER (CBJ) MAYES, 1994 Utiliza quatro coroas de açoa o nos primeiros molares e um cantilever,, a partir dos primeiros

Leia mais

Série Aparelhos Ortodônticos

Série Aparelhos Ortodônticos Série Aparelhos Ortodônticos Em geral, o protocolo de tratamento nos casos de Classe III, principalmente naqueles com deficiência maxilar, tem sido a disjunção, seguida pela protração da ma-xila. De acordo

Leia mais

Tratamento de Classe II, Divisão 1, com ausência congênita de incisivo lateral superior

Tratamento de Classe II, Divisão 1, com ausência congênita de incisivo lateral superior A RTIGO DE D IVULGA ÇÃO Tratamento de Classe II, Divisão 1, com ausência congênita de incisivo lateral superior Roberto M. A. LIMA FILHO*, Anna Carolina LIMA**, José H. G. de OLIVEIRA***, Antonio C. de

Leia mais

Má oclusão Classe I de Angle, com acentuada biprotrusão, tratada com extrações de dentes permanentes*

Má oclusão Classe I de Angle, com acentuada biprotrusão, tratada com extrações de dentes permanentes* C a s o C l í n i c o O Má oclusão Classe I de ngle, com acentuada biprotrusão, tratada com extrações de dentes permanentes* Marco ntônio Schroeder** Resumo Este relato de caso descreve o tratamento de

Leia mais

Guia Site Empresarial

Guia Site Empresarial Guia Site Empresarial Índice 1 - Fazer Fatura... 2 1.1 - Fazer uma nova fatura por valores de crédito... 2 1.2 - Fazer fatura alterando limites dos cartões... 6 1.3 - Fazer fatura repetindo última solicitação

Leia mais

Tratamento cirúrgico da má oclusão de Classe III dentária e esquelética

Tratamento cirúrgico da má oclusão de Classe III dentária e esquelética Caso Clínico BBO Tratamento cirúrgico da má oclusão de Classe III dentária e esquelética Ione Helena Vieira Portella Brunharo 1 O preparo ortodôntico para tratamento cirúrgico do padrão esquelético de

Leia mais

UM CONCEITO FUNDAMENTAL: PATRIMÔNIO LÍQUIDO FINANCEIRO. Prof. Alvaro Guimarães de Oliveira Rio, 07/09/2014.

UM CONCEITO FUNDAMENTAL: PATRIMÔNIO LÍQUIDO FINANCEIRO. Prof. Alvaro Guimarães de Oliveira Rio, 07/09/2014. UM CONCEITO FUNDAMENTAL: PATRIMÔNIO LÍQUIDO FINANCEIRO Prof. Alvaro Guimarães de Oliveira Rio, 07/09/2014. Tanto as pessoas físicas quanto as jurídicas têm patrimônio, que nada mais é do que o conjunto

Leia mais

O tipo facial e a morfologia do arco dentário no planejamento ortodôntico

O tipo facial e a morfologia do arco dentário no planejamento ortodôntico Caso Clínico O tipo facial e a morfologia do arco dentário no planejamento ortodôntico Alexandre de Almeida Ribeiro* Resumo A morfologia do arco dentário está relacionada diretamente com as demais partes

Leia mais

O setup ortodôntico como método auxiliar de diagnóstico e planejamento

O setup ortodôntico como método auxiliar de diagnóstico e planejamento Dica Clínica O setup ortodôntico como método auxiliar de diagnóstico e planejamento Hallissa Simplício*, Ary dos Santos-Pinto**, Marcus Vinicius Almeida de Araújo***, Sergei Godeiro Fernandes Rabelo Caldas****,

Leia mais

FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA CETASE

FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA CETASE FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA CETASE CENTRO DE ESTUDOS E TRATAMENTO DAS ALTERAÇÕES FUNCIONAIS DO SISTEMA ESTOMATOGNÁTICO Área de Prótese Fixa e Escultura Dental FICHA CLÍNICA 1 - Dados Pessoais

Leia mais

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada?

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? A avaliação da estética facial, bem como sua relação com a comunicação e expressão da emoção, é parte importante no

Leia mais

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL. http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL. http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias A escolha dos casos a serem apresentados deverá seguir

Leia mais

Descrição de Técnica. Leopoldino Capelozza Filho*, José Antonio Zuega Capelozza** Palavras-chave: Diagrama. Straight-wire.

Descrição de Técnica. Leopoldino Capelozza Filho*, José Antonio Zuega Capelozza** Palavras-chave: Diagrama. Straight-wire. Descrição de Técnica DIAO: Diagrama individual anatômico objetivo. Uma proposta para escolha da forma dos arcos na técnica de Straight-Wire, baseada na individualidade anatômica e nos objetivos de tratamento

Leia mais

Breve Panorama Histórico

Breve Panorama Histórico Análise Facial Breve Panorama Histórico Norman Kingsley Kingsley (final do séc.xix): s a articulação dos dentes secundária à aparência facial. Breve Panorama Histórico Edward Angle (in (início séc. s XX)

Leia mais

FACULDADE FUNORTE MIÉCIO CARVALHO GOMES DE SÁ JUNIOR EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR NA ORTODONTIA

FACULDADE FUNORTE MIÉCIO CARVALHO GOMES DE SÁ JUNIOR EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR NA ORTODONTIA FACULDADE FUNORTE MIÉCIO CARVALHO GOMES DE SÁ JUNIOR EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR NA ORTODONTIA JI-PARANÁ- RO 2013 MIÉCIO CARVALHO GOMES DE SÁ JUNIOR EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR NA ORTODONTIA Trabalho

Leia mais

Sliding Jig: confecção e mecanismo de ação

Sliding Jig: confecção e mecanismo de ação Dica Clínica Sliding Jig: confecção e mecanismo de ação Adriana Simoni Lucato* Eloísa Marcantônio Boeck* Silvia Amelia Scudeler Vedovello* João Sarmento Pereira Neto** Maria Beatriz Borges de Araújo Mangnani***

Leia mais

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa o superiores e splint removível vel inferior MORO, A.; et al. Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de aço superiores

Leia mais

EXTRAÇÕES DE DOIS PRÉ-MOLARES SUPERIORES NA MÁ OCLUSÃO DE CLASSE II: PARÂMETROS DE DIAGNÓSTICO E NOVOS RECURSOS NA MECÂNICA.

EXTRAÇÕES DE DOIS PRÉ-MOLARES SUPERIORES NA MÁ OCLUSÃO DE CLASSE II: PARÂMETROS DE DIAGNÓSTICO E NOVOS RECURSOS NA MECÂNICA. 1 EXTRAÇÕES DE DOIS PRÉ-MOLARES SUPERIORES NA MÁ OCLUSÃO DE CLASSE II: PARÂMETROS DE DIAGNÓSTICO E NOVOS RECURSOS NA MECÂNICA. EWALDO LUIZ DE ANDRADE Especialista em Ortodontia Mestre em Diagnóstico Bucal

Leia mais

Resoluções comentadas das questões de Estatística da prova para. ANALISTA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E METAS da PREFEITURA/RJ

Resoluções comentadas das questões de Estatística da prova para. ANALISTA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E METAS da PREFEITURA/RJ Resoluções comentadas das questões de Estatística da prova para ANALISTA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E METAS da PREFEITURA/RJ Realizada pela Fundação João Goulart em 06/10/2013 41. A idade média de todos

Leia mais

Manual de digitação de contas Portal AFPERGS

Manual de digitação de contas Portal AFPERGS Manual de digitação de contas Portal AFPERGS 1 Sumário Acesso à função digitação de contas... 3 O que é a Função digitação de contas (DC)... 4 Como proceder na função digitação de conta médica (DC)...

Leia mais

Razonete e Balancete

Razonete e Balancete Razonete e Balancete 6.1. Razonete Também denominada gráfico em T ou conta em T, o razonete nada mais é do que uma versão simplificada do livro Razão. O livro Razão é o mais importante dos livros utilizados

Leia mais

APURAÇÃO DO RESULTADO (1)

APURAÇÃO DO RESULTADO (1) APURAÇÃO DO RESULTADO (1) Isnard Martins - UNESA Rodrigo de Souza Freitas http://www.juliobattisti.com.br/tutoriais/rodrigosfreitas/conhecendocontabilidade012.asp 1 Apuração do Resultado A maioria das

Leia mais

Qual o estado atual das reabilitações de maxilas atróficas com osseointegração?

Qual o estado atual das reabilitações de maxilas atróficas com osseointegração? Qual o estado atual das reabilitações de maxilas atróficas com osseointegração? Hugo Nary Filho responde O tratamento do edentulismo maxilar, com a utilização de implantes osseointegráveis, vem experimentando

Leia mais

IBM1018 Física Básica II FFCLRP USP Prof. Antônio Roque Aula 6. O trabalho feito pela força para deslocar o corpo de a para b é dado por: = =

IBM1018 Física Básica II FFCLRP USP Prof. Antônio Roque Aula 6. O trabalho feito pela força para deslocar o corpo de a para b é dado por: = = Energia Potencial Elétrica Física I revisitada 1 Seja um corpo de massa m que se move em linha reta sob ação de uma força F que atua ao longo da linha. O trabalho feito pela força para deslocar o corpo

Leia mais

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I Curso de Graduação em Administração Administração da Produção e Operações I 22º Encontro - 11/05/2012 18:50 às 20:30h COMO SERÁ NOSSO ENCONTRO HOJE? - ABERTURA - CAPACIDADE E TURNOS DE TRABALHO. 02 Introdução

Leia mais

Funções de Posicionamento para Controle de Eixos

Funções de Posicionamento para Controle de Eixos Funções de Posicionamento para Controle de Eixos Resumo Atualmente muitos Controladores Programáveis (CPs) classificados como de pequeno porte possuem, integrados em um único invólucro, uma densidade significativa

Leia mais

Mini-implante como ancoragem absoluta: ampliando os conceitos de mecânica ortodôntica

Mini-implante como ancoragem absoluta: ampliando os conceitos de mecânica ortodôntica Mini-implante como ancoragem absoluta: ampliando os conceitos de mecânica ortodôntica Absolute anchorage with mini-implants: improving the concepts of the orthodontic mechanics Leonardo Alcântara Cunha

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Desktop

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Desktop MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Desktop 1 1 INICIANDO O APLICATIVO PELA PRIMEIRA VEZ... 3 2 PÁGINA PRINCIPAL DO APLICATIVO... 4 2.1 INTERFACE INICIAL... 4 3 INICIANDO PROCESSO DE LEITURA...

Leia mais

PLANEJAMENTO DA MANUFATURA

PLANEJAMENTO DA MANUFATURA 58 FUNDIÇÃO e SERVIÇOS NOV. 2012 PLANEJAMENTO DA MANUFATURA Otimizando o planejamento de fundidos em uma linha de montagem de motores (II) O texto dá continuidade à análise do uso da simulação na otimização

Leia mais

Oficina de Interpretação de ECG. Dr. Leandro Dias de Godoy Maia

Oficina de Interpretação de ECG. Dr. Leandro Dias de Godoy Maia Oficina de Interpretação de ECG Dr. Leandro Dias de Godoy Maia Estratégias educacionais para o desenvolvimento de habilidades APRESENTAÇÃO da habilidade DEMONSTRAÇÃO da habilidade PRÁTICA da habilidade

Leia mais

Faculdade Sagrada Família

Faculdade Sagrada Família AULA 12 - AJUSTAMENTO DE CURVAS E O MÉTODO DOS MÍNIMOS QUADRADOS Ajustamento de Curvas Sempre que desejamos estudar determinada variável em função de outra, fazemos uma análise de regressão. Podemos dizer

Leia mais

Mini-implantes ortodônticos como auxiliares da fase de retração anterior

Mini-implantes ortodônticos como auxiliares da fase de retração anterior A r t i g o In é d i t o Mini-implantes ortodônticos como auxiliares da fase de retração anterior Carlo Marassi*, Cesar Marassi** Resumo Introdução: os mini-implantes ortodônticos se estabeleceram como

Leia mais

Orçamento 2013 e Sicom

Orçamento 2013 e Sicom Orçamento 2013 e Sicom Abertura do Orçamento 2013 Lançamento das Receitas e suas fontes Lançamento das fichas e suas fontes Relatórios de conferência IN 15 de 2011 Sicom Nesta tela selecionaremos os

Leia mais

O tornado de projeto é admitido, para fins quantitativos, com as seguintes características [15]:

O tornado de projeto é admitido, para fins quantitativos, com as seguintes características [15]: 4 Tornado de Projeto O tornado de projeto é admitido, para fins quantitativos, com as seguintes características [15]: Tornado do tipo F3-médio; Velocidade máxima de 233km/h = 64,72m/s; Velocidade translacional

Leia mais

Mesialização de molares com ancoragem em mini-implantes

Mesialização de molares com ancoragem em mini-implantes A r t i g o In é d i t o Mesialização de molares com ancoragem em mini-implantes Marcos Janson*, Daniela Alcântara Fernandes Silva** Resumo Introdução: é muito comum, na rotina do consultório odontológico,

Leia mais

APM: APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR.

APM: APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR. INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS APM: APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR. RODRIGO LOPES ROCHA Monografia apresentada ao Programa de Especialização em Ortodontia do ICS FUNORTE/SOEBRÁS NÚCLEO

Leia mais

Manual do Usuário. Módulo Agentes Patrimoniais. Versão 1.0.0

Manual do Usuário. Módulo Agentes Patrimoniais. Versão 1.0.0 Manual do Usuário SISINVENT Sistema de Inventário Periódico na Web Módulo Agentes Patrimoniais Versão 1.0.0 APRESENTAÇÃO Seguindo a tendência de evolução da Moderna Administração Pública, o Poder Judiciário

Leia mais

CRONOGRAMA CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA. APROVADO: MEC e CFO

CRONOGRAMA CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA. APROVADO: MEC e CFO CRONOGRAMA CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA APROVADO: MEC e CFO 1º. MÓDULO: 1º. DIA: Apresentação da Especialização / Aula teórica de Classificação das Más-oclusões 2º. DIA: Aula teórica de Etiologia

Leia mais

EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR EM ORTODONTIA

EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR EM ORTODONTIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS EXTRAÇÃO DE INCISIVO INFERIOR EM ORTODONTIA PÂMELA KIMURA FERNANDES PEREIRA SANTO ANDRÉ 2012 INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS EXTRAÇÃO DE

Leia mais

TRAUMATISMO DENTÁRIO EM DENTIÇÃO DECÍDUA UM CASO CLÍNICO DE TRAÇÃO ORTODÔNTICA

TRAUMATISMO DENTÁRIO EM DENTIÇÃO DECÍDUA UM CASO CLÍNICO DE TRAÇÃO ORTODÔNTICA Prémio Ortodontia 2015 TRAUMATISMO DENTÁRIO EM DENTIÇÃO DECÍDUA UM CASO CLÍNICO DE TRAÇÃO ORTODÔNTICA ARTIGO VENCEDOR RESUMO Os traumatismos em dentição decídua poderão afetar a dentição permanente, afetando

Leia mais

Manual de Relação de Pontos por Indicação

Manual de Relação de Pontos por Indicação Manual de Relação de Pontos por Indicação Sumário 1. Verificando se o parâmetro das funções está ativo... 3 2. Efetuando o cadastro da faixa de indicação... 5 2.1. Cadastro de faixas com intervalos...

Leia mais

CAP. 2 CONSIDERAÇÕES SOBRE OS CRITÉRIOS DE DECISÃO

CAP. 2 CONSIDERAÇÕES SOBRE OS CRITÉRIOS DE DECISÃO CAP. 2 CONSIDERAÇÕES SOBRE OS CRITÉRIOS DE DECISÃO 1. OS CRITÉRIOS DE DECISÃO Dentre os métodos para avaliar investimentos, que variam desde o bom senso até os mais sofisticados modelos matemáticos, três

Leia mais

Gestão de Pessoas - 4w

Gestão de Pessoas - 4w P á g i n a 1 Gestão de Pessoas - 4w Modulo Administração de Pessoal (Rubi) Processo: Férias P á g i n a 2 Sumário 1 Conceito... 3 1.1 Parametrizações no Sistema... 3 1.1.1 - Sindicato... 3 1.1.2 - Situações...

Leia mais

1. Introdução. 2. Fios ortodônticos. Centro de Pós Graduação em Ortodontia

1. Introdução. 2. Fios ortodônticos. Centro de Pós Graduação em Ortodontia 1. Introdução O alinhamento e o nivelamento é o primeiro estágio do tratamento ortodôntico com aparelho fixo. Alinhamento significa colocar os braquetes e os tubos alinhados no sentido vestibulolingual.

Leia mais

A eficiência do distalizador de Carrière na correção da má-oclusão Classe llr de Angle, Divisão 1, Subdivisão

A eficiência do distalizador de Carrière na correção da má-oclusão Classe llr de Angle, Divisão 1, Subdivisão A eficiência do distalizador de Carrière na correção da má-oclusão Classe llr de Angle, Divisão 1, Subdivisão Angle C l a s s I I malocclusion, s u b d i v i s i o n c o r r e c t i o n with Carriorr D

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA MATEMÁTICA FINANCEIRA Conceitos básicos A Matemática Financeira é uma ferramenta útil na análise de algumas alternativas de investimentos ou financiamentos de bens de consumo. Consiste em empregar procedimentos

Leia mais

Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006. PdP. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006. PdP. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Montagem da Ponte H Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

Tratamento da Classe II com Distalização do Arco Superior Utilizando Microparafusos Ortodônticos de Titânio

Tratamento da Classe II com Distalização do Arco Superior Utilizando Microparafusos Ortodônticos de Titânio Capítulo Tratamento da Classe II com Distalização do Arco Superior Utilizando Microparafusos Ortodônticos de Titânio 1 Henrique Mascarenhas Villela Andréa Lacerda Santos Sampaio Évelin Rocha Limoeiro Introdução

Leia mais

Setup: um Auxílio no Diagnóstico Ortodôntico

Setup: um Auxílio no Diagnóstico Ortodôntico Setup: um Auxílio no Diagnóstico Ortodôntico CASO CLÍNICO Setup: a Diagnosis Assistance in Orthodontics Michelle Santos VIANNA* Armando Yukio SAGA** Fernando Augusto CASAGRANDE*** Elisa Souza CAMARGO****

Leia mais

Artigo 02 Exercício Comentado - Débito e Crédito PROFESSORA: Ivana Agostinho

Artigo 02 Exercício Comentado - Débito e Crédito PROFESSORA: Ivana Agostinho Caro(a) aluno(a), Tudo bem? Hoje vamos resolver um exercício que aborda o mecanismo contábil do débito e do crédito, assunto que costuma dar um pouquinho de dor de cabeça nos iniciantes... Vou simplificar

Leia mais

4 Avaliação Econômica

4 Avaliação Econômica 4 Avaliação Econômica Este capítulo tem o objetivo de descrever a segunda etapa da metodologia, correspondente a avaliação econômica das entidades de reservas. A avaliação econômica é realizada a partir

Leia mais

Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1)

Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1) Artigo de Divulgação Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1) Treatment of a Class III, Subdivision Malocclusion: A Case Report (Part 1) Guilherme R.

Leia mais

Tratamento ortodontico em paciente adulto: relato de caso clínico

Tratamento ortodontico em paciente adulto: relato de caso clínico Caso Clínico Tratamento ortodontico em paciente adulto: relato de caso clínico Matheus Melo Pithon*, Luiz Antônio Alves Bernardes** Resumo Com o maior acesso da população aos serviços de saúde bucal houve

Leia mais

Boletim Informativo Técnico BIT 004 08/2014

Boletim Informativo Técnico BIT 004 08/2014 PROCESSO DE CONTAGEM DE INVENTÁRIO FÍSICO Para um resultado satisfatório na execução da contagem do inventário físico é importante que os preparativos tenham início 30 dias antes da data programada para

Leia mais

Prosthes. Lab. Sci. 2013; 2(6):149-154.

Prosthes. Lab. Sci. 2013; 2(6):149-154. PROSTHESIS L A B O R A T O R Y i n Cristiane Barros André 1 Walter Iared 2 Renato Bigliazzi 3 Prosthes. Lab. Sci. 2013; 2(6):149-154. Planejamento e individualização da aparatologia ortodôntica conjugada

Leia mais

Regulamento Institucional do Serviço de Apoio Psicopedagógico SAPP

Regulamento Institucional do Serviço de Apoio Psicopedagógico SAPP Regulamento Institucional do Serviço de Apoio Psicopedagógico SAPP Regulamento Institucional do Serviço de Apoio Psicopedagógico SAPP Art. 1 - Do serviço de apoio Psicopedagógico - SAPP O serviço de apoio

Leia mais

Orientação a Objetos

Orientação a Objetos 1. Domínio e Aplicação Orientação a Objetos Um domínio é composto pelas entidades, informações e processos relacionados a um determinado contexto. Uma aplicação pode ser desenvolvida para automatizar ou

Leia mais

12 PLANILHAS DE CUSTO E DIFERIMENTO PARA EMPRESAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL.

12 PLANILHAS DE CUSTO E DIFERIMENTO PARA EMPRESAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL. 12 PLANILHAS DE CUSTO E DIFERIMENTO PARA EMPRESAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL. I Introdução 1 Comentários Gerais As planilhas a seguir descritas foram desenvolvidas com base na legislação aplicável às empresas

Leia mais

Extração atípica de incisivos centrais superiores: relato de caso clínico Atypical extraction of maxillary central incisors: case report

Extração atípica de incisivos centrais superiores: relato de caso clínico Atypical extraction of maxillary central incisors: case report RELATO DE CASO Extração atípica de incisivos centrais superiores: relato de caso clínico Atypical extraction of maxillary central incisors: case report MARCOS VALÉRIO FERRARI 1 JOSÉ RICARDO SCANAVINI 2

Leia mais

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico.

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico. Introdução CONTENÇÕES EM ORTODONTIA em ortodontia é o procedimento para manter um dente recém- movimentado em posição por um período suficientemente prolongado para assegurar a manutenção da correção ortodôntica

Leia mais

Boa leitura a todos e aguardamos seus comentários e sugestões. Ricardo Moresca

Boa leitura a todos e aguardamos seus comentários e sugestões. Ricardo Moresca Orthodontic Science and Practice. 2012; 5(19):261-274. 261 A Classe II é uma das más oclusões mais frequentes entre os pacientes que buscam pelo tratamento ortodôntico e a sua correção pode representar

Leia mais

Equilíbrio de um Ponto

Equilíbrio de um Ponto LABORATÓRIO DE FÍSICA Equilíbrio de um Ponto Experiência 03/2014 Objetivos: Conceituar e aplicar as leis de Newton na vida cotidiana. Diferenciar grandezas escalares e grandezas vetoriais. Determinar o

Leia mais

Capítulo 8 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO

Capítulo 8 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO Capítulo 8 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO 8 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO 8.1 Introdução O processo de monitoramento e avaliação constitui um instrumento para assegurar a interação entre o planejamento e a execução,

Leia mais

Tratamento ortodôntico - cirúrgico de um caso clínico de Classe III esquelética e Classe III dentária.

Tratamento ortodôntico - cirúrgico de um caso clínico de Classe III esquelética e Classe III dentária. Miguel da Nóbrega Médico Especialista em Estomatologia DUO Faculdade de Cirurgia Dentária Universidade Toulouse miguel.nobrega@ortofunchal.com Tratamento ortodôntico - cirúrgico de um caso clínico de Classe

Leia mais

Manual Geral do OASIS

Manual Geral do OASIS Manual Geral do OASIS SISTEMA DE GESTÃO DE DEMANDA, PROJETO E SERVIÇO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO OASIS Introdução Esse manual tem como objetivo auxiliar aos usuários nos procedimentos de execução do sistema

Leia mais

Proposta para a Padronização das Tomadas Fotográficas Intrabucais, com Finalidade Ortodôntica

Proposta para a Padronização das Tomadas Fotográficas Intrabucais, com Finalidade Ortodôntica Artigo Inédito Relatos clínicos e de técnicas, investigações científicas e revisões literárias Proposta para a Padronização das Tomadas Fotográficas Intrabucais, com Finalidade Ortodôntica A fotografia

Leia mais

CÁLCULO DO CURTO CIRCUITO PELO MÉTODO KVA

CÁLCULO DO CURTO CIRCUITO PELO MÉTODO KVA CÁLCULO DO CURTO CIRCUITO PELO MÉTODO KVA Paulo Eduardo Mota Pellegrino Introdução Este método permite calcular os valores de curto circuito em cada ponto do Sistema de energia elétrica (SEE). Enquanto

Leia mais

Inter-relação ortoimplante na. reabilitação oral.

Inter-relação ortoimplante na. reabilitação oral. Paulo Adriano Ferreira de Mendonça Inter-relação ortoimplante na reabilitação oral. Relato de caso Monografia apresentada para obtenção do título de Especialista em Implantodontia, junto a Faculdades Unidas

Leia mais

COMO ATUALIZAR AUTOMATICAMENTE PLANILHAS EM EXCEL OBTENDO INFORMAÇÕES ON-LINE VIA INTERNET

COMO ATUALIZAR AUTOMATICAMENTE PLANILHAS EM EXCEL OBTENDO INFORMAÇÕES ON-LINE VIA INTERNET COMO ATUALIZAR AUTOMATICAMENTE PLANILHAS EM EXCEL OBTENDO INFORMAÇÕES ON-LINE VIA INTERNET! Como atualizar dados de planilhas automaticamente via Internet?! Que tipo de dados podem ser atualizados?! Quais

Leia mais

TOTVS BA Guia de Customização Linha Logix

TOTVS BA Guia de Customização Linha Logix TOTVS BA Guia de Customização Linha Logix Guia de Customização Sumário Título do documento 1. Objetivo... 3 2. Introdução... 3 3. Customização... 3 2 TOTVS BA Linha Logix Guia de Customização Projeto/Versão:

Leia mais

Além dos cadastros básicos Financeiro

Além dos cadastros básicos Financeiro Além dos cadastros básicos Financeiro Até agora vimos como cadastrar algumas informações básicas para a utilização do CIAF, enquanto cadastramos estas informações também treinamos o modo de utilização

Leia mais