Curso Satélite de. Matemática. Sessão n.º 1. Universidade Portucalense

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso Satélite de. Matemática. Sessão n.º 1. Universidade Portucalense"

Transcrição

1 Curso Satélite de Matemática Sessão n.º 1 Universidade Portucalense

2 Conceitos Algébricos

3 Propriedades das operações de números reais Considerem-se três números reais quaisquer, a, b e c. 1. A adição de números reais é comutativa, i.e., a + b = b + a. Exemplo: = = 5; 2. A adição de números reais é associativa, i.e., (a + b) + c = a + (b + c). Exemplo: (3 + 2) + 1 = = 6 = = 3 + (2 + 1); 3. O elemento neutro da adição é o 0, i.e., a + 0 = 0 + a = a. Exemplo: = = 50;

4 4. Qualquer número real a tem um elemento simétrico (denotado por a) que satisfaz a + ( a) = a + a = 0. Exemplo: ( 101) = = 0; 5. A multiplicação de números reais é comutativa, i.e., Exemplo: 3 2 = 2 3 = 6; a b = b a. 6. A multiplicação de números reais é associativa, i.e., (a b) c = a (b c). Exemplo: (3 2) 4 = 6 4 = 24 = 3 8 = 3 (2 4);

5 7. O elemento neutro da multiplicação é o 1, i.e., Exemplo: 78 1 = 1 78 = 78; a 1 = 1 a = a. 8. Qualquer número real não nulo a tem um elemento inverso (denotado por a -1 ) que satisfaz a a -1 = a -1 a = Exemplo: ; A multiplicação é distributiva em relação à adição, i.e., a (b + c) = a b + a c. Exemplo: 3 (2 + 4) = 3 6 = 18 = =

6 Note-se que a subtracção de b a a pode ser definida como a soma de a com o simétrico de b, i.e., a b = a + ( b). Por outro lado, a divisão de a por b pode ser definida como a multiplicação de a pelo inverso de b, i.e., Como b 1 1 b a b = a b -1. para qualquer b 0, então 1 a b a. b O inverso multiplicativo de 0 não existe, por isso a divisão por 0 não está definida.

7 Regras das operações com números reais: Para somar dois números reais com o mesmo sinal, some os dois valores absolutos (sem o sinal) e acrescente o sinal comum; Exemplo: 4 6 = 4 + ( 6) = (4 + 6) = 10. Para somar dois números reais com sinais opostos, encontre a diferença entre os dois valores absolutos e acrescente o sinal do número com maior valor absoluto; Exemplos: = (6 4) = 2; = + (7 3) = 4. O produto de dois números reais com sinais iguais é positivo; Exemplos: 4 ( 10) = 4 10 = 40; 2 4 = 8. O produto de dois números reais com sinais opostos é negativo; Exemplos: 10 2 = (10 2) = 20; 3 ( 6) = 18.

8 Para somar fracções: com o mesmo denominador, somam-se os numeradores e mantém-se o denominador comum Exemplo: com denominadores diferentes, reduz-se as fracções ao mesmo denominador e depois cai-se no ponto anterior Exemplo: Para multiplicar fracções: multiplicam-se numeradores com numeradores e denominadores com denominadores ( 3) Exemplo:

9 Para calcular o resultado de uma expressão é necessário seguir a seguinte ordem: 1. Efectue as operações que se encontram dentro de parêntesis (ou módulos); 2. Calcule o valor das potências indicadas (exemplo: 2 2 = 2 2); 3. Execute as multiplicações e divisões da esquerda para a direita; 4. Faça as adições e subtracções da esquerda para a direita. Exemplo: (4 + 1) = = = = 14.

10 Propriedades das potências Para qualquer número real a define-se: a 1 = a; a 2 = a a; a 3 = a a a; a n = a a a (produto de n factores, com n N). a denomina-se a base da potência e n o expoente. Note-se que a n não é o mesmo que ( a) n. a n = a a a e ( a) n = ( a) ( a) ( a).

11 Por definição, a 0 = 1 para qualquer a 0. Regras da multiplicação de potências: Seja a R e m, n N. Então a n a m = a a a a a a = a n + m. n factores m factores Na multiplicação de potências com a mesma base e com expoentes diferentes, dá-se a mesma base e somam-se os expoentes. Exemplo:

12 Da regra anterior conclui-se que, se a R e m, n N, então m factores m parcelas n m n n n n n n mn a a a a a a Quando temos uma potência de outra potência, dá-se a mesma base da potência dentro dos parêntesis e multiplicam-se os expoentes Exemplo: Note que: m m n n a não é o mesmo que a.

13 Seja a, b R e n N. Então a n b n = a a a b b b n factores n factores Pela comutatividade da multiplicação obtém-se = a b a b a b a b = (a b) n. n multiplicações de a b Na multiplicação de potências com o mesmo expoente e com bases diferentes, mantém-se o mesmo expoente e multiplicam- -se as bases Exemplo:

14 Por vezes é necessário trabalhar com expoentes negativos. As regras anteriores mantêm-se válidas em expoentes negativos. Exemplo: = = 2. Atendendo à potência de potência e à definição de inverso, para qualquer a, b R\{0} e n N verifica-se que Concluindo, qualquer número elevado a um expoente negativo é igual ao seu inverso elevado ao expoente positivo. Exemplo: n 1 a a b b b a n n.

15 Propriedades dos radicais Define-se a raiz n-ésima (n N) de um número real a por: n a b se e só se a b n, seguindo as seguintes condições: a = 0 a > 0 a < 0 n par n a 0 n a 0 n a não é real n ímpar n a 0 n a 0 n a 0 Nota: não existe nenhum número real que elevado a um número par dê um número negativo.

16 Exemplos: uma vez que Repare-se que embora 4 2 ; Por definição, o resultado das raízes pares é sempre positivo. 2 4 não é um número real. Não existe nenhum número real que elevado a um expoente par dê um número negativo uma vez que uma vez que 27 3.

17 Sempre que a n-ésima raiz de a R é um número real, definimos 1 n n a a, para qualquer número natural n. Nas condições anteriores, utilizando a potência de potência, é possível concluir que m 1 1 m m n n n n a a a a ou que m 1 m n n m n m a a a a 1 n, m, para qualquer valor de m Z (quando m 0, a tem que ser não nulo).

18 Regras da multiplicação de radicais: As regras dos radicais resultam das regras das potências. Exemplo: sempre que a n-ésima raiz de a e a n-ésima raiz de b são números reais, então n n n n n n a b a b ab ab. Se, para além das condições anteriores, o b for não nulo, 1 1 n n a a a n a n. n 1 b b b n b Exemplos: ; e

19 Equações do 1º grau Uma equação é uma afirmação que duas quantidades (expressões algébricas) são iguais. Exemplos: (x 3) 2 = 1 ou x 2 + x = 0. As duas quantidades de cada lado do sinal de igualdade são chamados os membros da equação. A 1ª equação do exemplo anterior tem membros (x 3) 2 e 1. Nos exemplos anteriores, x chama-se a variável uma vez que à medida que x varia, a equação pode ser verdadeira ou falsa. A variável x de uma equação também é designada de incógnita da equação.

20 Todos os valores de x que tornam uma equação verdadeira são chamados soluções dessa equação. O conjunto solução de uma equação é formado por todos os valores da variável x que tornam essa equação verdadeira. Duas equações dizem-se equivalentes (representa-se com o sinal ) se elas têm exactamente o mesmo conjunto solução. Exemplo: 4x 12 = 16 4x = 28 x = 7 Todas as equações anteriores dizem-se equivalentes uma vez que têm todas o mesmo conjunto solução que é {7}.

21 Propriedades da igualdade: Propriedade da substituição: sempre que se substitui a expressão dum membro de uma equação por outra expressão igual a ela, a equação obtida é equivalente à primeira. Exemplo: 3(x + 2) 2x 6 = 1 3x + 6 2x 6 = 1 x = 1. Dizemos que o conjunto solução desta equação é {1}. Propriedade aditiva: sempre que se adiciona a mesma quantidade a ambos os membros de uma equação, obtém-se uma equação equivalente. Exemplo: x + 4 = 10 x ( 4) = 10 + ( 4) x = 6. Dizemos que o conjunto solução desta equação é {6}.

22 Propriedade multiplicativa: sempre que se multiplica a mesma quantidade (diferente de zero) por ambos os membros de uma equação, obtém-se uma equação equivalente x 10 Exemplo 1: 5x 10 (5 x) 10 x Dizemos que o conjunto solução desta equação é {2}. x x 4x Exemplo 2: x Dizemos que o conjunto solução desta equação é {8}. Se numa equação a variável aparece sempre com o expoente igual a 1, dizemos que essa é uma equação do primeiro grau. As propriedades anteriores são suficientes para resolver (achar o conjunto solução de) qualquer equação do primeiro grau.

23 Como resolver uma equação do primeiro grau 3x 2( x1) Exemplo: Resolva Se a equação contém fracções, multiplique ambos os membros da equação pelo denominador comum das fracções (ou seja, pelo mínimo múltiplo comum dos denominadores); 3x 2( x 1) 3x 2( x 1) Exemplo: Remova todos os parêntesis da equação; 3x 2( x1) Exemplo: x123 2( x1) x 36 4( x1) 9x 36 4x 4.

24 3. Calcule todas as somas por forma a obter todos os termos que contêm a variável no primeiro membro e todos os termos independentes no segundo membro; Exemplo: 9x + 36 = 4x 4 9x x = 4x 4 4x (9 4)x + 36 = (4 4)x 4 5x + 36 = 4 5x = x = Divida ambos os membros da equação pelo coeficiente da variável; 5x 40 Exemplo: 5x 40 x

25 5. Verifique a solução obtida substituindo na equação original. Exemplo: 3 ( 8) 2( 8 1) 24 2 ( 9) Obteve-se uma proposição verdadeira, logo -8 é solução desta equação. Desafio: Resolva a equação: 1 2x ( x 2) 3 2 6

26 Resolução: x x ( x 2) ( x 2) x x x 9 6 x 2 2 4x 2 3 x 2 4x 5 x 2 4x x 2 5 3x 3 x 1.

27 O conjunto solução desta equação é {1}. Verificação que 1 é solução da equação: (1 2) ( 1) Obteve-se um proposição verdadeira, logo 1 é solução da equação.

28 Equações de graus superiores equações do segundo grau Uma equação do segundo grau (numa variável x) é uma equação que se pode escrever na forma geral ax 2 + bx + c = 0, onde a, b e c são constantes reais com a 0. Exemplos: a equação 4x 2 + 4x + 1 = 0 é uma equação do 2º grau e já está escrita na sua forma geral. A equação 5x 2 + 2x = x 2 2x 1 é equivalente à equação anterior. Logo é uma equação do 2º grau mas não está escrita na sua forma geral.

29 O primeiro passo para resolver uma equação do 2º grau é transformá-la na sua forma geral. Para tal usam-se as mesmas propriedades da igualdade que se usam nas equações do 1º grau. Exemplo: converta a equação 5x 2 + 2x = x 2 2x 1 na sua forma geral: 5x 2 + 2x = x 2 2x 1 5x 2 + 2x x 2 = x 2 2x 1 x 2 (5 1)x 2 + 2x = 2x 1 4x 2 + 2x + 2x = 2x 1 + 2x 4x 2 + 4x = 1 4x 2 + 4x + 1 = x 2 + 4x + 1 = 0.

30 Para resolvermos equações do 2º grau que já estão na sua forma geral convém relembrar algumas propriedades importantes: Lei do anulamento do produto: Sejam a e b quaisquer dois números reais. O produto a b é igual a zero se e só se um dos factores (a ou b) for igual a zero, isto é, a b = 0 a = 0 b = 0. Quadrado da soma: Sejam a e b quaisquer dois números reais então (a + b) 2 = a 2 + 2ab + b 2. Diferença de quadrados: Sejam a e b quaisquer dois números reais então a 2 b 2 = (a b)(a + b).

31 Resolução de uma equação do 2º grau com b e c iguais a zero Quando b e c são nulos, a equação quadrática fica equivalente a ax x + 0 = 0 ax 2 = 0 x = 0. Resolução de uma equação do 2º grau apenas com b igual a zero Quando b é nulo, a equação quadrática fica equivalente a ax x + c = 0 ax 2 + c = 0 ax 2 = c x 2 = c/a. Se c/a for negativo, a equação não tem solução (é impossível) uma vez que não há nenhum número real que elevado ao quadrado seja negativo. Se c/a for positivo, a solução é x c / a x c / a x c / a.

32 Exemplo 1: ( x 1) 2x 3x 2 x 2 x( 1) ( 1) 2x 3x x x x x 2 2 x x 2 2 x x 2 4x x 1 x x x x x O conjunto solução é {-1/2,1/2}.

33 Exemplo 2: x 4 x ( x2) 1 ( x2) 1 2 ( x 2) 4x x x x 2 x x x 2 x Equação impossível uma vez que não existe nenhum número real que elevado ao quadrado dê 2. O conjunto solução da equação é {}. x

34 Resolução de uma equação do 2º grau apenas com c igual a zero Quando c é nulo, a equação quadrática fica equivalente a ax 2 + bx + 0 = 0 ax 2 + bx = 0 x (ax + b) = 0. Pela lei do anulamento do produto resulta que x (ax + b) = 0 x = 0 ax + b = 0 Exemplo 1: x = 0 ax = b x = 0 x = b/a. 2x 2 + 2x + 2 = x x 2 + 2x + 2 x 2 2 = 0 x 2 + 2x = 0 x(x + 2) = 0 x = 0 x + 2 = 0 x = 0 x = 2.

35 Resolução de uma equação do 2º grau com a, b e c não nulos Quando a, b e c não são nulos, a equação quadrática resolve-se utilizando a fórmula resolvente que diz que 2 ax bx c 0 x 2 b b 4ac 2a x x 2a 2a 2 2 b b 4ac b b 4ac Sempre que b 2 4ac < 0, a raiz quadrada do numerador não é um número real. Neste caso a equação não tem soluções reais. Sempre que b 2 4ac = 0, a raiz quadrada do numerador é igual a zero. Neste caso a equação tem uma solução real. Sempre que b 2 4ac > 0, a equação tem duas soluções reais..

36 Exemplo 1: 2 x 5x x 2 x 5 x 5x x x x x x x x 4x 20 0 Como a = 1, b = 4 e c = 20, pela fórmula resolvente obtém-se x x ( 4) ( 4) ( 4) ( 4) x x. 2 2 A equação é impossível em R.

37 Exemplo 2: x x 4x 4x 1 4x 4x Como a = 4, b = 4 e c = 1, pela fórmula resolvente obtém-se x x x x x x x O conjunto solução desta equação é { 0.5}.

38 Exemplo 3: x x x x x x x x Como a = 1, b = 3 e c = 2, pela fórmula resolvente obtém-se x x ( 3) ( 3) ( 3) ( 3) x x x x x 1 x O conjunto solução desta equação é {1, 2}.

Universidade Portucalense Departamento de Inovação, Ciência e Tecnologia Curso Satélite - Módulo I - Matemática

Universidade Portucalense Departamento de Inovação, Ciência e Tecnologia Curso Satélite - Módulo I - Matemática Universidade Portucalense Departamento de Inovação, Ciência e Tecnologia Curso Satélite - Módulo I - Matemática Valor Absoluto: O valor absoluto de a, representa-se por a e é a distância do número a a

Leia mais

Matemática Régis Cortes EQUAÇÕES DE GRAUS

Matemática Régis Cortes EQUAÇÕES DE GRAUS EQUAÇÕES DE 1 0 E 2 0 GRAUS 1 EQUAÇÃO DO 1º GRAU As equações do primeiro grau são aquelas que podem ser representadas sob a forma ax+b=0,em que a e b são constantes reais, com a diferente de 0, e x é a

Leia mais

MATEMÁTICA I. Ana Paula Figueiredo

MATEMÁTICA I. Ana Paula Figueiredo I Ana Paula Figueiredo Números Reais IR O conjunto dos números Irracionais reunido com o conjunto dos números Racionais (Q), formam o conjunto dos números Reais (IR ). Assim, os principais conjuntos numéricos

Leia mais

Cálculo com expressões que envolvem radicais

Cálculo com expressões que envolvem radicais Escola Secundária de Aljustrel Material de apoio para o 11. o Ano Ano Lectivo 00/003 Cálculo com expressões que envolvem radicais José Paulo Coelho Abril de 003 ... Índice... 1 Radicais: definição e propriedades.

Leia mais

Unidade I MATEMÁTICA. Prof. Celso Ribeiro Campos

Unidade I MATEMÁTICA. Prof. Celso Ribeiro Campos Unidade I MATEMÁTICA Prof. Celso Ribeiro Campos Números reais Três noções básicas são consideradas primitivas, isto é, são aceitas sem a necessidade de definição. São elas: a) Conjunto. b) Elemento. c)

Leia mais

OPERAÇÕES COM NÚMEROS INTEIROS

OPERAÇÕES COM NÚMEROS INTEIROS ADIÇÃO DE NÚMEROS INTEIROS COM SINAIS IGUAIS OPERAÇÕES COM NÚMEROS INTEIROS 1º Caso: (+3 ) + (+4) = + 7 +3 + 4 = + 7 ADIÇÃO DE NÚMEROS INTEIROS Quando duas parcelas são positivas, o resultado da adição

Leia mais

CONJUNTO DOS NÚMEROS REAIS. Apostila do 8º ano Números Reais Apostila I Bimestre 8º anos

CONJUNTO DOS NÚMEROS REAIS. Apostila do 8º ano Números Reais Apostila I Bimestre 8º anos CONJUNTO DOS NÚMEROS REAIS NÚMEROS RACIONAIS Apostila do 8º ano Números Reais Apostila I Bimestre 8º anos Numero racional é todo o numero que pode ser escrito na forma a/b (com b diferente de zero) : a)

Leia mais

Eduardo. Matemática Matrizes

Eduardo. Matemática Matrizes Matemática Matrizes Eduardo Definição Tabela de números dispostos em linhas e colunas. Representação ou Ordem da Matriz Se uma matriz A possui m linhas e n colunas, dizemos que A tem ordem m por n e escrevemos

Leia mais

Pensamento. "A escada da sabedoria tem os degraus feitos de números." (Blavatsky) Prof. MSc. Herivelto Nunes

Pensamento. A escada da sabedoria tem os degraus feitos de números. (Blavatsky) Prof. MSc. Herivelto Nunes Aula Introdutória Álgebra Linear I- Abril 2017 Pensamento "A escada da sabedoria tem os degraus feitos de números." (Blavatsky) Prof. MSc. Herivelto Nunes Unidade Matrizes. Matrizes A matriz foi criada

Leia mais

EQUAÇÕES BIQUADRADAS

EQUAÇÕES BIQUADRADAS EQUAÇÕES BIQUADRADAS Acredito que só pelo nome dar pra você ter uma idéia de como seja uma equação biquadrada, Se um time é campeão duas vezes, dizemos ele é bicampeão, se uma equação é do grau quando

Leia mais

Chama-se conjunto dos números naturais símbolo N o conjunto formado pelos números. OBS: De um modo geral, se A é um conjunto numérico qualquer, tem-se

Chama-se conjunto dos números naturais símbolo N o conjunto formado pelos números. OBS: De um modo geral, se A é um conjunto numérico qualquer, tem-se UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA Conjuntos Numéricos Prof.:

Leia mais

Operações Fundamentais com Números

Operações Fundamentais com Números Capítulo 1 Operações Fundamentais com Números 1.1 QUATRO OPERAÇÕES Assim como na aritmética, quatro operações são fundamentais em álgebra: adição, subtração, multiplicação e divisão. Quando dois números

Leia mais

Aula 1: Conjunto dos Números Inteiros

Aula 1: Conjunto dos Números Inteiros Aula 1: Conjunto dos Números Inteiros 1 Introdução Observe que, no conjunto dos números naturais N = {0, 1, 2, 3, 4, 5,..., a operação de subtração nem sempre é possível. a) 5 3 = 2 (é possível: 2 N) b)

Leia mais

Matrizes e sistemas de equações algébricas lineares

Matrizes e sistemas de equações algébricas lineares Capítulo 1 Matrizes e sistemas de equações algébricas lineares ALGA 2007/2008 Mest Int Eng Biomédica Matrizes e sistemas de equações algébricas lineares 1 / 37 Definições Equação linear Uma equação (algébrica)

Leia mais

Capítulo 1: Fração e Potenciação

Capítulo 1: Fração e Potenciação 1 Capítulo 1: Fração e Potenciação 1.1. Fração Fração é uma forma de expressar uma quantidade sobre o todo. De início, dividimos o todo em n partes iguais e, em seguida, reunimos um número m dessas partes.

Leia mais

MONÔMIOS E POLINÔMIOS

MONÔMIOS E POLINÔMIOS MONÔMIOS E POLINÔMIOS Problema: Observa as figuras. 6-9 6 4 Sabendo que as figuras são equivalentes, determina as dimensões do retângulo. Resolução: Se as figuras são equivalentes significa que têm a mesma

Leia mais

Álgebra Linear e Geometria Anaĺıtica. Matrizes e Sistemas de Equações Lineares

Álgebra Linear e Geometria Anaĺıtica. Matrizes e Sistemas de Equações Lineares universidade de aveiro departamento de matemática Álgebra Linear e Geometria Anaĺıtica Agrupamento IV (ECT, EET, EI) Capítulo 1 Matrizes e Sistemas de Equações Lineares Geometria anaĺıtica em R 3 [1 01]

Leia mais

inteiros positivos). ˆ Uma matriz com m linhas e n colunas diz-se do tipo m n. Se m = n ( matriz quadrada), também se diz que a matriz é de ordem n.

inteiros positivos). ˆ Uma matriz com m linhas e n colunas diz-se do tipo m n. Se m = n ( matriz quadrada), também se diz que a matriz é de ordem n. Matrizes noções gerais e notações Definição Designa-se por matriz de números reais a um quadro do tipo a 11 a 12... a 1n a 21 a 22... a 2n...... a m1 a m2... a mn onde os elementos a ij (i = 1, 2,...,

Leia mais

Notas de Aula Disciplina Matemática Tópico 02 Licenciatura em Matemática Osasco -2010

Notas de Aula Disciplina Matemática Tópico 02 Licenciatura em Matemática Osasco -2010 Notas de Aula Disciplina Matemática Tópico 0 Licenciatura em Matemática Osasco -010 Equações Polinomiais do primeiro grau Significado do termo Equação : As equações do primeiro grau são aquelas que podem

Leia mais

Exercício Obtenha, em cada caso, o módulo, o argumento e a forma trigonométrica de z: a) z = 1 + i. setor Aula 31. ρ = 1 2 +( 3 ) 2 ρ= 2.

Exercício Obtenha, em cada caso, o módulo, o argumento e a forma trigonométrica de z: a) z = 1 + i. setor Aula 31. ρ = 1 2 +( 3 ) 2 ρ= 2. setor 0 00408 Aula NÚMEROS COMPLEXOS: PLANO DE ARGAND-GAUSS Até este ponto, usamos, para representar um número complexo a expressão a + b i, em que a e b são números reais e i é a unidade imaginária Com

Leia mais

Matrizes e Sistemas Lineares

Matrizes e Sistemas Lineares Matrizes e Sistemas Lineares Reforço de Matemática Básica - Professor: Marcio Sabino - 1 Semestre 2015 1 Matrizes Uma matriz é um conjunto retangular de números, símbolos ou expressões, organizados em

Leia mais

Notas de Aula Disciplina Matemática Tópico 09 Licenciatura em Matemática Osasco -2010

Notas de Aula Disciplina Matemática Tópico 09 Licenciatura em Matemática Osasco -2010 . Logaritmos Definição: O logaritmo de um número real x na base n, denotado por log n x, é definido como o expoente ao qual devemos elevar o número n para obtermos como resultado o número x, ou seja log

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Módulo I Aula 02 EQUAÇÕES Pense no seguinte problema: Uma mulher de 25 anos é casada com um homem 5 anos mais velho que ela. Qual é a soma das idades

Leia mais

ANÉIS. Professora: Elisandra Bär de Figueiredo

ANÉIS. Professora: Elisandra Bär de Figueiredo Professora: Elisandra Bär de Figueiredo ANÉIS DEFINIÇÃO 1 Um sistema matemático (A,, ) constituído de um conjunto não vazio A e duas leis de composição interna sobre A, uma adição: (x, y) x y e uma multiplicação

Leia mais

Números Reais. Víctor Arturo Martínez León b + c ad + bc. b c

Números Reais. Víctor Arturo Martínez León b + c ad + bc. b c Números Reais Víctor Arturo Martínez León (victor.leon@unila.edu.br) 1 Os números racionais Os números racionais são os números da forma a, sendo a e b inteiros e b 0; o conjunto b dos números racionais

Leia mais

OPERAÇÕES - LEIS DE COMPOSIÇÃO INTERNA

OPERAÇÕES - LEIS DE COMPOSIÇÃO INTERNA Professora: Elisandra Figueiredo OPERAÇÕES - LEIS DE COMPOSIÇÃO INTERNA DEFINIÇÃO 1 Sendo E um conjunto não vazio, toda aplicação f : E E E recebe o nome de operação sobre E (ou em E) ou lei de composição

Leia mais

Aula de Polinómios 8 o ano

Aula de Polinómios 8 o ano Ensino da Matemática I Tânia Lopes FCTUC - Departamento de Matemática 27 de Janeiro de 2012 Denição de polinómio Um polinómio é uma soma algébrica em que a variável x não aparece no denominador. Denição

Leia mais

MONÓMIOS E POLINÓMIOS

MONÓMIOS E POLINÓMIOS MONÓMIOS E POLINÓMIOS POLINÓMIOS 1 6 a 3 3 7 4 y 4y 3 Eemplos de várias epressões algébricas. Uma epressão algébrica é constituída por um ou mais termos. No polinómio, às parcelas,, e y 4y 3 chamam-se

Leia mais

Material Teórico - Módulo de Potenciação e Dízimas Periódicas. Números Irracionais e Reais. Oitavo Ano. Prof. Ulisses Lima Parente

Material Teórico - Módulo de Potenciação e Dízimas Periódicas. Números Irracionais e Reais. Oitavo Ano. Prof. Ulisses Lima Parente Material Teórico - Módulo de Potenciação e Dízimas Periódicas Números Irracionais e Reais Oitavo Ano Prof. Ulisses Lima Parente 1 Os números irracionais Ao longo deste módulo, vimos que a representação

Leia mais

Notas de Aulas de Matrizes, Determinantes e Sistemas Lineares

Notas de Aulas de Matrizes, Determinantes e Sistemas Lineares FATEC Notas de Aulas de Matrizes, Determinantes e Sistemas Lineares Prof Dr Ânderson Da Silva Vieira 2017 Sumário Introdução 2 1 Matrizes 3 11 Introdução 3 12 Tipos especiais de Matrizes 3 13 Operações

Leia mais

Aula Teórica: Potenciação e Potência de dez

Aula Teórica: Potenciação e Potência de dez Aula Teórica: Potenciação e Potência de dez Objetivo Familiarizá-lo com a utilização de expoentes e potências de dez, que são de uso frequente nas práticas de laboratório e também nos trabalhos e atividades

Leia mais

CÁLCULO I. 1 Número Reais. Objetivos da Aula

CÁLCULO I. 1 Número Reais. Objetivos da Aula CÁLCULO I Prof. Edilson Neri Júnior Prof. André Almeida EMENTA: Conceitos introdutórios de limite, limites trigonométricos, funções contínuas, derivada e aplicações. Noções introdutórias sobre a integral

Leia mais

Profs. Alexandre Lima e Moraes Junior 1

Profs. Alexandre Lima e Moraes Junior  1 Raciocínio Lógico-Quantitativo para Traumatizados Aula 07 Matrizes, Determinantes e Solução de Sistemas Lineares. Conteúdo 7. Matrizes, Determinantes e Solução de Sistemas Lineares...2 7.1. Matrizes...2

Leia mais

EXEMPLOS Resolva as equações em : 1) Temos uma equação completa onde a =3, b = -4 e c = 1. Se utilizarmos a fórmula famosa, teremos:

EXEMPLOS Resolva as equações em : 1) Temos uma equação completa onde a =3, b = -4 e c = 1. Se utilizarmos a fórmula famosa, teremos: EQUAÇÃO DE SEGUNDO GRAU INTRODUÇÃO Equação é uma igualdade onde há algum elemento desconhecido Como exemplo, podemos escrever Esta igualdade é uma equação já conhecida por você, pois é de primeiro grau

Leia mais

Material Teórico - Módulo Equações do Segundo Grau. Equações de Segundo Grau: outros resultados importantes. Nono Ano do Ensino Funcamental

Material Teórico - Módulo Equações do Segundo Grau. Equações de Segundo Grau: outros resultados importantes. Nono Ano do Ensino Funcamental Material Teórico - Módulo Equações do Segundo Grau Equações de Segundo Grau: outros resultados importantes Nono Ano do Ensino Funcamental Autor: Prof. Fabrício Siqueira Benevides Revisor: Prof. Antonio

Leia mais

O uso de letras na linguagem matemática

O uso de letras na linguagem matemática O uso de letras na linguagem matemática Vimos que a linguagem matemática utiliza letras para representar propriedades, como por exemplo a propriedade distributiva: a(b + c) = ab + ac De fato as letras

Leia mais

Mestrado em Ensino da Matemática. Ensino da Matemática II. Ensino da Matemática II - Tânia Lopes

Mestrado em Ensino da Matemática. Ensino da Matemática II. Ensino da Matemática II - Tânia Lopes Mestrado em Ensino da Matemática Ensino da Matemática II Conceito de números: Naturais; Inteiros; Racionais; Reais; E agora, Complexos. Equações de 2º grau Equações do 3º grau No século XVI, em Itália,

Leia mais

Cálculo Diferencial e Integral I

Cálculo Diferencial e Integral I Cálculo Diferencial e Integral I Texto de apoio às aulas. Amélia Bastos, António Bravo Dezembro 2010 Capítulo 1 Números reais As propriedades do conjunto dos números reais têm por base um conjunto restrito

Leia mais

Equações de 2º grau. Denomina-se equação do 2º grau na incógnita x, toda equação da forma: IR e

Equações de 2º grau. Denomina-se equação do 2º grau na incógnita x, toda equação da forma: IR e Equações de 2º grau Definições Denomina-se equação do 2º grau na incógnita x, toda equação da forma: ax 2 + bx + c = 0; a, b, c IR e Exemplo: x 2-5x + 6 = 0 é um equação do 2º grau com a = 1, b = -5 e

Leia mais

Este material é apenas um resumo de parte do conteúdo da disciplina.

Este material é apenas um resumo de parte do conteúdo da disciplina. Aviso Este material é apenas um resumo de parte do conteúdo da disciplina. O material completo a ser estudado encontra-se no Capítulo 11 - Seção 1.3 do livro texto da disciplina: Aritmética, A. Hefez,

Leia mais

MÓDULO II. Operações Fundamentais em Z. - Sinais iguais das parcelas, somam-se conservando o sinal comum. Exemplo: 2 4 = 6

MÓDULO II. Operações Fundamentais em Z. - Sinais iguais das parcelas, somam-se conservando o sinal comum. Exemplo: 2 4 = 6 1 MÓDULO II Nesse Módulo vamos aprofundar as operações em Z. Para introdução do assunto, vamos percorrer a História da Matemática, lendo os textos dispostos nos links a seguir: http://www.vestibular1.com.br/revisao/historia_da_matematica.doc

Leia mais

MULTIPLICAÇÃO DE NÚMEROS RACIONAIS. Exemplo:

MULTIPLICAÇÃO DE NÚMEROS RACIONAIS. Exemplo: Números Racionais MULTIPLICAÇÃO DE NÚMEROS RACIONAIS Exemplo: A Susana comprou ¾ de uma tarte. À hora do almoço colocou no forno ½ da porção de tarte para aquecer. Que fração do total da tarte colocou

Leia mais

a é sempre o coeficiente de x²; b é sempre o coeficiente de x, c é o coeficiente ou termo independente.

a é sempre o coeficiente de x²; b é sempre o coeficiente de x, c é o coeficiente ou termo independente. Definições Denomina-se equação do 2º grau na incógnita x, toda equação da forma: ax 2 + bx + c = 0; a, b, c Exemplo: x 2-5x + 6 = 0 é um equação do 2º grau com a = 1, b = -5 e c = 6. 6x 2 - x - 1 = 0 é

Leia mais

Complementos sobre Números Complexos

Complementos sobre Números Complexos Complementos sobre Números Complexos Ementa 1 Introdução Estrutura Algébrica e Completude 1 O Corpo dos números complexos Notações 3 Interpretação Geométrica e Completude de C 4 Forma Polar de um Número

Leia mais

(Ciência de Computadores) 2005/ Diga quais dos conjuntos seguintes satisfazem o Princípio de Boa Ordenação

(Ciência de Computadores) 2005/ Diga quais dos conjuntos seguintes satisfazem o Princípio de Boa Ordenação Álgebra (Ciência de Computadores) 2005/2006 Números inteiros 1. Diga quais dos conjuntos seguintes satisfazem o Princípio de Boa Ordenação (a) {inteiros positivos impares}; (b) {inteiros negativos pares};

Leia mais

EQUAÇÕES POLINOMIAIS

EQUAÇÕES POLINOMIAIS EQUAÇÕES POLINOMIAIS Prof. Patricia Caldana Denominamos equações polinomiais ou algébricas, as equações da forma: P(x)=0, onde P(x) é um polinômio de grau n > 0. As raízes da equação algébrica, são as

Leia mais

ficha 1 matrizes e sistemas de equações lineares

ficha 1 matrizes e sistemas de equações lineares Exercícios de Álgebra Linear ficha matrizes e sistemas de equações lineares Exercícios coligidos por Jorge Almeida e Lina Oliveira Departamento de Matemática, Instituto Superior Técnico 2 o semestre 2/2

Leia mais

Números Racionais. Matemática - UEL Compilada em 25 de Março de 2010.

Números Racionais. Matemática - UEL Compilada em 25 de Março de 2010. Matemática Essencial Números Racionais Conteúdo Matemática - UEL - 2010 - Compilada em 25 de Março de 2010. Prof. Ulysses Sodré Matemática Essencial: http://www.mat.uel.br/matessencial/ 1 Relacionando

Leia mais

Bases Matemáticas. Aula 4 Conjuntos Numéricos. Rodrigo Hausen. v /9

Bases Matemáticas. Aula 4 Conjuntos Numéricos. Rodrigo Hausen. v /9 Bases Matemáticas Aula 4 Conjuntos Numéricos Rodrigo Hausen v. 2016-6-10 1/9 Números Naturais, Inteiros e Racionais naturais: inteiros: racionais: N = {0, 1, 2,...} Z = {... 2, 1, 0, 1, 2,...} { } p Q

Leia mais

PROFICIÊNCIA EM MATEMÁTICA Conjuntos Numéricos, Potenciação e Radiciação

PROFICIÊNCIA EM MATEMÁTICA Conjuntos Numéricos, Potenciação e Radiciação PROFICIÊNCIA EM MATEMÁTICA Conjuntos Numéricos, Potenciação e Radiciação Professor Alexandre M. M. P. Ferreira Sumário Definição dos conjuntos numéricos... 3 Operações com números relativos: adição, subtração,

Leia mais

Lista de Exercícios Equações do 2º Grau

Lista de Exercícios Equações do 2º Grau Lista de Exercícios Equações do º Grau Nota: Os exercícios desta aula são referentes ao seguinte vídeo Matemática Zero. Aula Equações do Segundo Grau (Parte de ) Endereço: https://youtu.be/4r4rioccmm Gabaritos

Leia mais

MATRIZES. Conceitos e Operações

MATRIZES. Conceitos e Operações MATRIZES Conceitos e Operações As matrizes são tabelas de números reais utilizadas em quase todos os ramos da ciência e da engenharia. Várias operações realizadas por computadores são através de matrizes.

Leia mais

Definição: Uma função de uma variável x é uma função polinomial complexa se pudermos escrevê-la na forma n

Definição: Uma função de uma variável x é uma função polinomial complexa se pudermos escrevê-la na forma n POLINÔMIO I 1. DEFINIÇÃO Polinômios de uma variável são expressões que podem ser escritas como soma finita de monômios do tipo : a t k k onde k, a podem ser números reais ou números complexos. Exemplos:

Leia mais

Os números inteiros. Capítulo 2

Os números inteiros. Capítulo 2 6 Capítulo 2 Os números inteiros Intuitivamente, o conjunto Z dos números inteiros é composto pelos números naturais e pelos "negativos". Como justificamos de uma forma simples qual a origem dos números

Leia mais

EQUAÇÃO DO 2º GRAU. Prof. Patricia Caldana

EQUAÇÃO DO 2º GRAU. Prof. Patricia Caldana EQUAÇÃO DO 2º GRAU Prof. Patricia Caldana Uma equação é uma expressão matemática que possui em sua composição incógnitas, coeficientes, expoentes e um sinal de igualdade. As equações são caracterizadas

Leia mais

Apostila de Revisão dos Fundamentos Básicos da Álgebra. (versão 1: 12/03/2012)

Apostila de Revisão dos Fundamentos Básicos da Álgebra. (versão 1: 12/03/2012) Apostila de Revisão dos Fundamentos Básicos da Álgebra (versão 1: 12/03/2012) 1. Operações com frações 1.1. Fração A representação de uma fração é dada dois valores separados por uma barra horizontal.

Leia mais

Identidades algébricas

Identidades algébricas LIÇÃO 5 Identidades algébricas Dos três tipos básicos de transformações algébricas: decomposições, reduções e fatorações, os dois primeiros já foram estudados na lição anterior. Antes de passarmos ao terceiro

Leia mais

APOSTILA DE MATEMÁTICA BÁSICA Potenciação Radiciação Fatoração Logaritmos Equações Polinômios Trigonometria

APOSTILA DE MATEMÁTICA BÁSICA Potenciação Radiciação Fatoração Logaritmos Equações Polinômios Trigonometria APOSTILA DE MATEMÁTICA BÁSICA Potenciação Radiciação Fatoração Logaritmos Equações Polinômios Trigonometria O que é preciso saber (passo a passo) Seja: Potenciação O expoente nos diz quantas vezes à base

Leia mais

Matemática II /06 - Matrizes 1. Matrizes

Matemática II /06 - Matrizes 1. Matrizes Matemática II - 00/0 - Matrizes Matrizes Introdução Se m e n são números naturais, chama-se matriz real de tipo m n (m vezes n ou m por n) a uma função A : f; ; :::; mg f; ; :::; ng R: (i; j) A (i; j)

Leia mais

OPERAÇÕES COM NÚMEROS RACIONAIS

OPERAÇÕES COM NÚMEROS RACIONAIS Sumário OPERAÇÕES COM NÚMEROS RACIONAIS... 2 Adição e Subtração com Números Racionais... 2 OPERAÇÕES COM NÚMEROS RACIONAIS NA FORMA DECIMAL... 4 Comparação de números racionais na forma decimal... 4 Adição

Leia mais

a) 4x 10 = 0, onde x é a incógnita e 4 é 10 são os coeficientes. b) x + 3 = 4x + 8

a) 4x 10 = 0, onde x é a incógnita e 4 é 10 são os coeficientes. b) x + 3 = 4x + 8 Equação do 1º Grau Introdução Equação é uma sentença matemática aberta epressa por uma igualdade envolvendo epressões matemáticas. Uma equação é composta por incógnitas e coeficientes (esses são conhecidos).

Leia mais

Introdução: A necessidade de ampliação dos conjuntos Numéricos. Considere incialmente o conjunto dos números naturais :

Introdução: A necessidade de ampliação dos conjuntos Numéricos. Considere incialmente o conjunto dos números naturais : Introdução: A necessidade de ampliação dos conjuntos Numéricos Considere incialmente o conjunto dos números naturais : Neste conjunto podemos resolver uma infinidade de equações do tipo A solução pertence

Leia mais

Conjuntos. Notações e Símbolos

Conjuntos. Notações e Símbolos Conjuntos A linguagem de conjuntos é interessante para designar uma coleção de objetos. Quando os estatísticos selecionam indivíduos de uma população eles usam a palavra amostra, frequentemente. Todas

Leia mais

0 Revisões de Álgebra Os números reais Propriedades das operações dos números reais... 5 Exercício Exercício

0 Revisões de Álgebra Os números reais Propriedades das operações dos números reais... 5 Exercício Exercício December 15, 2004 19 : 19 DRAFT i 0 Revisões de Álgebra 1 0.1 Os números reais........................... 1 0.1.1 Propriedades das operações dos números reais....... 5 Exercício 0.1............................

Leia mais

ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO DE FRAÇÕES 1A

ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO DE FRAÇÕES 1A ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO DE FRAÇÕES A Exemplos: 9 7 9 9 7 7 9 0 0 0 0 0 0 Denominadores iguais: Na adição e subtração de duas ou mais frações que têm denominadores iguais, conservamos o denominador comum e somamos

Leia mais

Slides de apoio: Fundamentos

Slides de apoio: Fundamentos Pré-Cálculo ECT2101 Slides de apoio: Fundamentos Prof. Ronaldo Carlotto Batista 23 de fevereiro de 2017 Conjuntos Um conjunto é coleção de objetos, chamados de elememtos do conjunto. Nomeraremos conjuntos

Leia mais

Módulo de Equações do Segundo Grau. Relações entre coeficientes e raízes. Nono Ano

Módulo de Equações do Segundo Grau. Relações entre coeficientes e raízes. Nono Ano Módulo de Equações do Segundo Grau Relações entre coeficientes e raízes. Nono Ano Relações entre Coeficientes e Raízes. Exercícios Introdutórios Exercício. Fazendo as operações de soma e de produto entre

Leia mais

Sistemas de equações lineares

Sistemas de equações lineares Matemática II - / - Sistemas de Equações Lineares Sistemas de equações lineares Introdução Uma equação linear nas incógnitas ou variáveis x ; x ; :::; x n é uma expressão da forma: a x + a x + ::: + a

Leia mais

TEORIA 6: EQUAÇÕES E SISTEMAS DO 2º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA

TEORIA 6: EQUAÇÕES E SISTEMAS DO 2º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA TEORIA 6: EQUAÇÕES E SISTEMAS DO 2º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA Nome: Turma: Data / / Prof: Walnice Brandão Machado Equações de 2º grau Definições Denomina-se equação do 2º grau na incógnita x, toda equação

Leia mais

Apostila de Pré-Cálculo- Parte 1. Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Instituto de Matemática Estatística e Física - IMEF

Apostila de Pré-Cálculo- Parte 1. Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Instituto de Matemática Estatística e Física - IMEF Universidade Federal do Rio Grande - FURG Instituto de Matemática Estatística e Física - IMEF Apostila de Pré-Cálculo- Parte 1 Alessandro da Silva Saadi Felipe Morais da Silva 2017 2 3 Sobre os autores:

Leia mais

TEMA 2 PROPRIEDADES DE ORDEM NO CONJUNTO DOS NÚMEROS REAIS

TEMA 2 PROPRIEDADES DE ORDEM NO CONJUNTO DOS NÚMEROS REAIS TEMA 2 PROPRIEDADES DE ORDEM NO CONJUNTO DOS NÚMEROS REAIS O conjunto dos números reais,, que possui as seguintes propriedades:, possui uma relação menor ou igual, denotada por O1: Propriedade Reflexiva:

Leia mais

Revisão de Pré-Cálculo

Revisão de Pré-Cálculo Revisão de Pré-Cálculo EQUAÇÕES E POLINÔMIOS Prof. Dr. José Ricardo de Rezende Zeni Departamento de Matemática, FEG, UNESP Lc. Ismael Soares Madureira Júnior Guaratinguetá, SP, Outubro, 2016 Direitos reservados.

Leia mais

Revisão: Matrizes e Sistemas lineares. Parte 01

Revisão: Matrizes e Sistemas lineares. Parte 01 Revisão: Matrizes e Sistemas lineares Parte 01 Definição de matrizes; Tipos de matrizes; Operações com matrizes; Propriedades; Exemplos e exercícios. 1 Matrizes Definição: 2 Matrizes 3 Tipos de matrizes

Leia mais

Apresentar o conceito de anel, suas primeiras definições, diversos exemplos e resultados. Aplicar as propriedades dos anéis na relação de problemas.

Apresentar o conceito de anel, suas primeiras definições, diversos exemplos e resultados. Aplicar as propriedades dos anéis na relação de problemas. Aula 10 O CONCEITO DE ANEL META Apresentar o conceito de anel, suas primeiras definições, diversos exemplos e resultados. OBJETIVOS Definir, exemplificar e classificar anéis. Aplicar as propriedades dos

Leia mais

MATEMÁTICA 1 MÓDULO 2. Divisibilidade. Professor Matheus Secco

MATEMÁTICA 1 MÓDULO 2. Divisibilidade. Professor Matheus Secco MATEMÁTICA 1 Professor Matheus Secco MÓDULO 2 Divisibilidade 1. DIVISIBILIDADE 1.1 DEFINIÇÃO: Dizemos que o inteiro a é divisível pelo inteiro b (ou ainda que a é múltiplo de b) se existe um inteiro c

Leia mais

ESTRUTURAS ALGÉBRICAS FICHA DE EXERCÍCIOS

ESTRUTURAS ALGÉBRICAS FICHA DE EXERCÍCIOS FACULDADE DE CIÊNCIAS NATURAIS E MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA Campus de Lhanguene, Av de Moçambique, km 1, Tel: +58 1401078, Fa: +58 140108, Maputo ESTRUTURAS ALGÉBRICAS -01 FICHA DE EXERCÍCIOS

Leia mais

Revisão: Potenciação e propriedades. Prof. Valderi Nunes.

Revisão: Potenciação e propriedades. Prof. Valderi Nunes. Revisão: Potenciação e propriedades. Prof. Valderi Nunes. Potenciação Antes de falar sobre potenciação e suas propriedades, é necessário que primeiro saibamos o que vem a ser uma potência. Observe o exemplo

Leia mais

Obviamente não poderíamos ter um número negativo de livros. Também não poderíamos imaginar alguém falando: Tenho 3,4231 livros na minha estante.

Obviamente não poderíamos ter um número negativo de livros. Também não poderíamos imaginar alguém falando: Tenho 3,4231 livros na minha estante. Conjunto dos Números Naturais A noção de um número natural surge com a pura contagem de objetos. Ao contar, por exemplo, os livros de uma estante, temos como resultado um número do tipo: N = {0,1,2,3 }

Leia mais

Matrizes e Determinantes

Matrizes e Determinantes Matrizes e Determinantes Elaine Gouvêa Pimentel DMAT/UFMG elaine@@mat.ufmg.br Maio de 2005 1 Matrizes 1.1 Introdução Suponhamos que o responsável pelo almoxarifado de uma empresa de produtos químicos resolva

Leia mais

Aulas práticas de Álgebra Linear

Aulas práticas de Álgebra Linear Ficha 2 Determinantes Aulas práticas de Álgebra Linear Mestrado Integrado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores 1 o semestre 2016/17 Jorge Almeida e Lina Oliveira Departamento de Matemática, Instituto

Leia mais

D 7 C 4 U 5. MATEMÁTICA Revisão Geral Aula 1 - Parte 1. Professor Me. Álvaro Emílio Leite. Valor posicional dos números. milésimos décimos.

D 7 C 4 U 5. MATEMÁTICA Revisão Geral Aula 1 - Parte 1. Professor Me. Álvaro Emílio Leite. Valor posicional dos números. milésimos décimos. MATEMÁTICA Revisão Geral Aula 1 - Parte 1 Professor Me. Álvaro Emílio Leite O que é um algarismo? É um símbolo que utilizamos para formar e representar os números. Exemplo: Os algarismos que compõem o

Leia mais

Pré-Cálculo. Camila Perraro Sehn Eduardo de Sá Bueno Nóbrega. FURG - Universidade Federal de Rio Grande

Pré-Cálculo. Camila Perraro Sehn Eduardo de Sá Bueno Nóbrega. FURG - Universidade Federal de Rio Grande Pré-Cálculo Camila Perraro Sehn Eduardo de Sá Bueno Nóbrega Projeto Pré-Cálculo Este projeto consiste na formulação de uma apostila contendo os principais assuntos trabalhados na disciplina de Matemática

Leia mais

Teoria dos anéis 1 a parte 3

Teoria dos anéis 1 a parte 3 A U L A Teoria dos anéis 1 a parte 3 Meta da aula Descrever a estrutura algébrica de anel como uma generalização de determinadas propriedades dos números inteiros. objetivos Ao final desta aula, você deverá

Leia mais

Indique, NÃO CALCULE, as operações necessárias COM AS MATRIZES A, B, C, para obter a matriz custo da salada de frutas em cada supermercado.

Indique, NÃO CALCULE, as operações necessárias COM AS MATRIZES A, B, C, para obter a matriz custo da salada de frutas em cada supermercado. . 16. Situação Problema: operações com matrizes. Problema da salada de frutas: João comeu uma salada de frutas com a, m e p porções de 100g de abacaxi, manga e pera, respectivamente, conforme a matriz

Leia mais

Sistemas de equações do 1 grau com duas incógnitas Explicação e Exercícios

Sistemas de equações do 1 grau com duas incógnitas Explicação e Exercícios Sistemas de equações do 1 grau com duas incógnitas Explicação e Exercícios Introdução Alguns problemas de matemática são resolvidos a partir de soluções comuns a duas equações do 1º a duas incógnitas.

Leia mais

ficha 2 determinantes

ficha 2 determinantes Exercícios de Álgebra Linear ficha 2 determinantes Exercícios coligidos por Jorge Almeida e Lina Oliveira Departamento de Matemática, Instituto Superior Técnico 2 o semestre 2011/12 Determinantes 2 Sendo

Leia mais

Tópicos de Matemática Elementar

Tópicos de Matemática Elementar Tópicos de Matemática Elementar 2 a série de exercícios 2004/05. A seguinte prova por indução parece correcta, mas para n = 6 o lado esquerdo é igual a 2 + 6 + 2 + 20 + 30 = 5 6, enquanto o direito é igual

Leia mais

Polinómios. Integração de Fracções Racionais

Polinómios. Integração de Fracções Racionais Polinómios. Integração de Fracções Racionais Escola Superior de Tecnologia e de Gestão, Instituto Politécnico de Bragança. Mário Abrantes 2016 1 / 17 Índice de Matérias 1. Polinómios Denição Factorização

Leia mais

MATERIAL DE PROJETOS I

MATERIAL DE PROJETOS I UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO UNINOVE MATERIAL DE PROJETOS I PROF RENATA RIVAS 0. - TECNOLOGIAS ) Conjuntos Numéricos.Conjunto dos números Naturais (N) IN = { 0,,,,4,5,... } Um subconjunto importante de IN

Leia mais

Notas em Álgebra Linear

Notas em Álgebra Linear Notas em Álgebra Linear 1 Pedro Rafael Lopes Fernandes Definições básicas Uma equação linear, nas variáveis é uma equação que pode ser escrita na forma: onde e os coeficientes são números reais ou complexos,

Leia mais

Matemática & Raciocínio Lógico

Matemática & Raciocínio Lógico Matemática & Raciocínio Lógico para concursos Prof. Me. Jamur Silveira www.professorjamur.com.br facebook: Professor Jamur EQUAÇÕES EQUAÇÕES DE 1º GRAU (COM UMA VARIÁVEL) Equação é toda sentença matemática

Leia mais

Método da substituição

Método da substituição Prof. Neto Sistemas de equações do 1 grau a duas variáveis ESTUDE A PARTE TEÓRICA E RESOLVA OS EXERCÍCIOS DO FINAL DA FOLHA NO CADERNO. Introdução Alguns problemas de matemática são resolvidos a partir

Leia mais

Um polinômio com coeficientes racionais é uma escrita formal

Um polinômio com coeficientes racionais é uma escrita formal Polinômios. Um polinômio com coeficientes racionais é uma escrita formal P (X) = a i X i = a 0 + a 1 X + a 2 X 2 +... + a n X n onde a i Q para todo i {0, 1,..., n}. Isso nos dá uma função f : N Q definida

Leia mais

Onde usar os conhecimentos

Onde usar os conhecimentos VI LOGARIMO Por que aprender Binômio de Newton?... Binômio de Newton é uma ferramenta matemática desenvolvida por Isaac Newton que facilita certos cálculos matemáticos que seriam trabalhosos pelo processo

Leia mais

1, , ,

1, , , Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Francisco Beltrão Licenciatura em Informática Fundamentos de Geometria Analítica e Álgebra Linear Profª Sheila R. Oro Este texto

Leia mais

Aula de Polinómios. Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra. Departamento de Matemática. Ensino da Matemática I

Aula de Polinómios. Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra. Departamento de Matemática. Ensino da Matemática I Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra Departamento de Matemática Aula de Polinómios Ensino da Matemática I Professora: Helena Albuquerque (lena@mat.uc.pt) Autor: Tânia Isabel Duarte

Leia mais

Material Teórico - Módulo de Potenciação e Dízimas Periódicas. Oitavo Ano. Prof. Ulisses Lima Parente

Material Teórico - Módulo de Potenciação e Dízimas Periódicas. Oitavo Ano. Prof. Ulisses Lima Parente Material Teórico - Módulo de Potenciação e Dízimas Periódicas Potenciação Oitavo Ano Prof Ulisses Lima Parente 1 Potência de expoente inteiro positivo Antes de estudar potências, é conveniente relembrar

Leia mais

MATRIZES E DETERMINANTES. a, com índices duplos, onde

MATRIZES E DETERMINANTES. a, com índices duplos, onde MATRIZES E DETERMINANTES Para designar com clareza situações que apresentam um grupo ordenado de números dispostos em tabelas com linhas e colunas, introduziremos o conceito de matriz. Nesse sentido, matrizes

Leia mais

Aula 4 Números Complexos - Forma

Aula 4 Números Complexos - Forma Aula 4 Números Complexos - Forma algébrica MÓDULO - AULA 4 Autores: Celso Costa e Roberto Geraldo Tavares Arnaut Objetivos 1) Entender o contexto que originou o aparecimento dos números complexos. ) Compreender

Leia mais

Resolver uma equação do 1º grau é determinar o valor da incógnita [letra] que satisfaz a equação.

Resolver uma equação do 1º grau é determinar o valor da incógnita [letra] que satisfaz a equação. EQUAÇÃO DO º GRAU Definição: Uma equação do grau [com uma incógnita] é toda equação que pode ser reduzida à forma ax = b, onde a e b são números reais, com a 0. Veja alguns exemplos e suas formas reduzidas

Leia mais