Capítulo 23: Lei de Gauss

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capítulo 23: Lei de Gauss"

Transcrição

1 Capítulo 23: Lei de Gauss

2 O Fluxo de um Campo Elétrico A Lei de Gauss A Lei de Gauss e a Lei de Coulomb Um Condutor Carregado A Lei de Gauss: Simetria Cilíndrica A Lei de Gauss: Simetria Plana A Lei de Gauss: Simetria Esférica

3 Definição Definição: A Lei de Gauss considera uma superfície fechada (imaginária) ue envolve a distribuição de cargas. Essa superfície gaussiana, como é chamada, pode ter ualuer forma, por isso devemos optar por uma ue facilite o calculo do campo, levando em consideração as simetrias do problema.

4 O Fluxo Fluxo v A v A cos No caso do Fluxo Elétrico: E A E A cos Onde: θ é o ângulo entre o vetor Campo Elétrico E e o vetor normal à área A.

5 O Fluxo Elétrico O fluxo elétrico através de uma superfície gaussiana é proporcional ao número de linhas de campo elétrico ue atravessam a superfície. Definição: P/ Superfícies Gaussianas: E nˆ da E nˆ da nˆ O vetor Normal,, sempre aponta para fora da superfície Gaussiana

6 Exemplo: 1. Um disco com raio r = 1 cm está orientado de modo ue seu vetor normal faça um ângulo de 3 com o campo elétrico uniforme de módulo 2 x 1 3 N/C. (a) Qual é o fluxo do campo elétrico do disco? (b) Qual o fluxo de campo elétrico depois ue ele gira e a normal fica perpendicular ao vetor campo elétrico? (c) Qual o fluxo elétrico através do disco uando sua normal é paralela à E? (54 N.m 2 /C; ; 63 N.m 2 /C) 2. Um campo elétrico dado ela expressão abaixo atravessa um cubo gaussiano com 2, m de aresta, posicionado como na figura ao lado. Determine o fluxo de campo elétrico através das faces: (a) superior; (b) inferior; (c) esuerda ; (d) traseira. (e) Qual o fluxo elétrico total através do cubo? a)-12 N.m 2 /C; b) 12 N.m 2 /C; c) -16N.m 2 /C; d) ; e) E / 4 yiˆ 3ˆj N C

7 A Lei de Gauss relaciona o fluxo do campo elétrico em uma superfície fechada (Gaussiana) com a carga elétrica contida no erior dessa superfície. Definição: ˆ E nda O fluxo elétrico não depende da geometria da superfície fechada, apenas da carga elétrica contida no seu erior. Se a carga for positiva, o campo elétrico aponta para fora da superfície. Se a carga for negativa, o campo elétrico aponta para dentro da superfície. O vetor normal à superfície, nˆ, sempre aponta para fora da superfície.

8 Exemplo: 1. Sabendo ue 1 = 4 = 3,1 nc, 2 = 5 = - 5,9 nc e 3 = - 3,1 nc, determine o fluxo do campo elétrico através da superfície S. (- 67 N.m 2 /C) E nda ˆ Observa-se experimentalmente ue o campo elétrico em uma certa região da atmosfera terrestre aponta para baixo. A uma altura de 3 m o campo tem módulo de 6 N/C, e a uma altura de 2 m o campo tem módulo de 1 N/C. Determine a carga em excesso contida em um cubo de 1 m de aresta e faces horizontais a 2 m e 3 m. (3,54 μc)

9 Obtendo a Lei de Coulomb para uma Carga Pontual Cuidados na Escolha da Superfície Gaussiana! Escolher uma superfície ue envolve a carga ue facilite o calculo da área. Essa superfície deve conter o ponto no ual o campo elétrico deve ser determinado. Ao longo dessa superfície o campo deve apresentar uma dependência espacial conhecida (de preferência constante). E nda ˆ 1 2 E 1 E(4r ) 2 E rˆ 4 r 2 4 r

10 Um Condutor Carregado Em um condutor as cargas em excesso se movimentam com bastante facilidade. Devido a repulsão coulombiana essas cargas migram para a superfície externa do condutor. Isso ocorre em um ervalo de tempo muito curto, uase instantaneamente. As cargas se distribuem na superfície externa de modo a minimizar a energia do sistema. A gaiola de Faraday Em um condutor no regime estático E = E 1 = E 2 = E 3

11 r Exemplo: Esfera Condutora R da Superfície Gaussiana E Se r R E 1 4 r Campo elétrico de uma carga puntiforme Uma casca uniforme de cargas atrai ou repele uma partícula carregada situada do lado de fora da casca como se toda a carga estivesse situada no centro. 2 r R Superfície Gaussiana Se r R E Se uma partícula carregada está situada no erior de uma casca uniforme de cargas a casca não exerce nenhuma força eletrostática sobre a partícula. R E 1 r 2

12 Distribuição Esférica de Cargas (Isolantes) Se r < R: Apenas as cargas contidas no erior da esfera de raio r contribuem para gerar campo elétrico no ponto p. 4R 3 4r Q ˆ E nda E(4r 2 ) E Qr 4 R Qr 3 Qr 3 3 R 3 R 3

13 Distribuição Esférica Exemplos: 23.19) Uma esfera condutora uniformemente carregada com 1,2m de diâmetro possui uma densidade de carga superficial de 8,1 µc/m 2. (a) determine a carga da esfera. (b) Determine o fluxo elétrico através da superfície da esfera. (3,66 x 1-5 C; 4,14x1 6 Nm 2 /C) Duas cascas esféricas concêntricas carregadas tem raios de 1cm e 15cm. A carga da casca menor é 4x1-8 C, e da casca maior é 2x1-8 C. Determine o campo elétrico (a) em r = 5 cm, (b) r = 12 cm e (c) r = 2 cm. ( N/C; 2,5x1 4 N/C; 1,35x1 4 N/C)

14 Distribuição Esférica Exemplos: 23.51) Na figura uma esfera maciça nãocondutora de raio a a = 2 cm é concêntrica com uma casca esférica condutora de raio erno b = 2a e raio externo c = 2,5 a. A esfera possui um carga 1 = +5 fc e a casca possui uma carga 2 = -5 fc. Determine o módulo do campo elétrico (a) em r = ; (b) em r = a/2; (c) em r = a; (d) em r =1,5 a; (e) em r =3,5 a. (a) ; b) 5.62x1-2 N/C ;c).112 N/C; d).499 N/C; e) )

15 Distribuição Linear Infinita de Cargas E nda ˆ E // nˆ h E(2rh) h E 1 2 rˆ r

16 Exemplo: Distribuição Linear de Cargas Uma casca cilíndrica de comprimento 2m e raio 6cm tem uma densidade superficial de carga uniforme de 9 nc/m 2.(a) Qual a carga total na casca? Determine o campo elétrico nas segues distâncias radiais do eixo do cilindro. (b) 2 cm; (c) 5,9 cm, (d) 6,1 cm e (e) 1 cm. (679 nc; ; ; 1 N/C; 61 N/C). E nda ˆ A 2rh E 1 2 rˆ r

17 Superfície Condutora Infinita E nda ˆ E // nˆ EA A E

18 Superfície Fina, não Condutora, Infinita E nda ˆ E // nˆ EA EA A E 2

19 Entre Duas Placas Condutora Infinita E nda ˆ EA 2 A E // nˆ A E

20 Exemplo: Placas Infinitas A figura mostra partes de duas placas de grande extensão, paralelas, nãocondutoras, ambas com uma carga uniforme dos lados. Os valores das densidades superficiais de cargas são σ + = 6,8µC/m 2 e σ - = -4,3µC/m 2.Determine o campo elétrico (a) à esuerda; (b) entre e (c) à direita das placas. (1,4x1 5 N/C; 6,3x1 5 N/C)

21 Lista de Exercícios 1, 3, 6, 7, 12, 13, 15, 19, 21, 25, 27, 31, 39, 41, 43, 49, 51, 53, 57, 81 Referências HALLIDAY, D.; RESNICK, R.; WALKER, J.; Fundamentos de Física: Eletromagnetismo. 8 a ed. Rio de janeiro: LTC, 29. v3. TIPLER, P. A.; Física para Cientistas e Engenheiros. 4a ed, LTC, 2. v2. SEARS, F.; ZEMANSKY, M.W.; YOUNG, H.; FREEDMAN, R.A.; Física: Eletromagnetismo. 12a ed. São Paulo: Pearson Addison Wesley, 28. v3.

Letras em Negrito representam vetores e as letras i, j, k são vetores unitários.

Letras em Negrito representam vetores e as letras i, j, k são vetores unitários. Lista de exercício 3 - Fluxo elétrico e Lei de Gauss Letras em Negrito representam vetores e as letras i, j, k são vetores unitários. 1. A superfície quadrada da Figura tem 3,2 mm de lado e está imersa

Leia mais

Aula 3: A Lei de Gauss

Aula 3: A Lei de Gauss Aula 3: A Lei de Gauss Curso de Física Geral F-38 1º semestre, 13 F38 113 1 Fluxo de um campo vetorial Definição: = v ( r ) nˆ da v ( da ds A nˆ dv ds = ; dv= Ads = A = Av dt dt tˆ nˆ v A v v v // v da=

Leia mais

Sejam todos bem-vindos! Física III. Prof. Dr. Cesar Vanderlei Deimling

Sejam todos bem-vindos! Física III. Prof. Dr. Cesar Vanderlei Deimling Sejam todos bem-vindos! Física III Prof. Dr. Cesar Vanderlei Deimling O segundo semestre O plano de ensino Bibliografia: A natureza e os tipos de carga Tipos de materiais Força entre cargas elétricas (A

Leia mais

FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) LEI DE GAUSS

FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) LEI DE GAUSS FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) LEI DE GAUSS Carl Friedrich Gauss (1777 1855) foi um matemático, astrônomo e físico alemão que contribuiu significativamente em vários campos da ciência, incluindo a teoria dos

Leia mais

Prof. Fábio de Oliveira Borges

Prof. Fábio de Oliveira Borges A lei de Gauss Prof. Fábio de Oliveira Borges Curso de Física II Instituto de Física, Universidade Federal Fluminense Niterói, Rio de Janeiro, Brasil http://cursos.if.uff.br/fisica2-2015/ Fluxo de um campo

Leia mais

Exercício 3) A formação de cargas elétrica em objetos quotidianos é mais comum em dias secos ou úmidos? Justifique a sua resposta.

Exercício 3) A formação de cargas elétrica em objetos quotidianos é mais comum em dias secos ou úmidos? Justifique a sua resposta. Exercícios Parte teórica Exercício 1) Uma esfera carregada, chamada A, com uma carga 1q, toca sequencialmente em outras 4 esferas (B, C, D e E) carregadas conforme a figura abaixo. Qual será a carga final

Leia mais

Terceira Lista - Potencial Elétrico

Terceira Lista - Potencial Elétrico Terceira Lista - Potencial Elétrico FGE211 - Física III Sumário Uma força F é conservativa se a integral de linha da força através de um caminho fechado é nula: F d r = 0 A mudança em energia potencial

Leia mais

PUC-RIO CB-CTC. Não é permitido destacar folhas da prova

PUC-RIO CB-CTC. Não é permitido destacar folhas da prova PUC-RIO CB-CTC FIS5 P DE ELETROMAGNETISMO 8.4. segunda-feira Nome : Assinatura: Matrícula: Turma: NÃO SERÃO ACEITAS RESPOSTAS SEM JUSTIFICATIVAS E CÁLCULOS EXPLÍCITOS. Não é permitido destacar folhas da

Leia mais

Capítulo 25: Capacitância

Capítulo 25: Capacitância apítulo 5: apacitância ap. 5: apacitância Índice apacitor apacitância alculo da capacitância apacitores em paralelo e em série Energia armazenada em um campo elétrico apacitor com dielétrico Dielétricos:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ UNIFAP PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROGRAD DEPARTAMENTO DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS-DCET CURSO DE FÍSICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ UNIFAP PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROGRAD DEPARTAMENTO DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS-DCET CURSO DE FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ UNIFAP PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROGRAD DEPARTAMENTO DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS-DCET CURSO DE FÍSICA Disciplina: Física Básica III Prof. Dr. Robert R.

Leia mais

1 f =10 15.) q 1. σ 1. q i. ρ = q 1. 4πa 3 = 4πr 3 q i = q 1 ( r a )3 V 1 = V 2. 4πr 2 E = q 1. q = 1 3, q 2. q = 2 3 E = = q 1/4πR 2

1 f =10 15.) q 1. σ 1. q i. ρ = q 1. 4πa 3 = 4πr 3 q i = q 1 ( r a )3 V 1 = V 2. 4πr 2 E = q 1. q = 1 3, q 2. q = 2 3 E = = q 1/4πR 2 1 possui uma carga uniforme q 1 =+5, 00 fc e a casca Instituto de Física - UFF Física Geral e Experimental I/XVIII Prof. Hisataki Shigueoka http://profs.if.uff.br/ hisa possui uma carga q = q 1. Determine

Leia mais

Fluxo de um campo vetorial e a Lei de Gauss

Fluxo de um campo vetorial e a Lei de Gauss Fluxo de um campo vetorial e a Lei de Gauss Bibliografia e figuras: Sears & Zemanski, 12a ed. cap 22 Nesta aula vamos aprender a: determinar a quantidade de carga no interior de uma superfície fechada

Leia mais

Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza. Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho

Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza. Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho de Carvalho - Eletrostática Densidade de Fluxo Elétrico e Lei de Gauss (Páginas 48 a 55 no livro texto) Experimento com esferas concêntricas Densidade de Fluxo elétrico (D) Relação entre D e E no vácuo

Leia mais

Primeira Prova 2. semestre de /10/2013 TURMA PROF.

Primeira Prova 2. semestre de /10/2013 TURMA PROF. D Física Teórica II Primeira Prova 2. semestre de 2013 19/10/2013 ALUNO TURMA PROF. ATENÇÃO LEIA ANTES DE FAZER A PROVA 1 Assine todas as folhas das questões antes de começar a prova. 2 - Os professores

Leia mais

Lista de Exercícios de Potencial Elétrico

Lista de Exercícios de Potencial Elétrico Disciplina: Física 3 Professor: Joniel Alves Lista de Exercícios de Potencial Elétrico 1) Um elétron se move de um ponto i para um ponto f, na direção de um campo elétrico uniforme. Durante este deslocamento

Leia mais

Lei de Gauss. 2.1 Fluxo Elétrico. O fluxo Φ E de um campo vetorial E constante perpendicular Φ E = EA (2.1)

Lei de Gauss. 2.1 Fluxo Elétrico. O fluxo Φ E de um campo vetorial E constante perpendicular Φ E = EA (2.1) Capítulo 2 Lei de Gauss 2.1 Fluxo Elétrico O fluxo Φ E de um campo vetorial E constante perpendicular a uma superfície é definido como Φ E = E (2.1) Fluxo mede o quanto o campo atravessa a superfície.

Leia mais

TRABALHO DA FORÇA ELÉTRICA E ENERGIA POTENCIAL

TRABALHO DA FORÇA ELÉTRICA E ENERGIA POTENCIAL TRLHO D FORÇ ELÉTRIC E ENERGI POTENCIL 1. (OF 006) Um corpo esférico, condutor, oco, de espessura irrelevante e com carga total nula tem um raio R = 50,0 cm e envolve um corpo esférico, a ele concêntrico,

Leia mais

Capítulo 28: Campos Magnéticos

Capítulo 28: Campos Magnéticos Capítulo 8: Campos Magnéticos Índice O que Produz um Campo Magnético? Definição de Campo Magnético Campos Cruzados: O Efeito Hall Uma Partícula Carregada em um Movimento Circular Força Magnética em um

Leia mais

Capacitância. Q e V são proporcionais em capacitor. A constante de proporcionalidade é denominada capacitância.

Capacitância. Q e V são proporcionais em capacitor. A constante de proporcionalidade é denominada capacitância. apacitância Dois condutores (chamados de armaduras) carregados formam um capacitor ue, uando carregado, faz com ue os condutores tenham cargas iguais em módulo e sinais contrários. Q e V são proporcionais

Leia mais

Capítulo 21: Cargas Elétricas

Capítulo 21: Cargas Elétricas 1 Carga Elétrica Capítulo 21: Cargas Elétricas Carga Elétrica: propriedade intrínseca das partículas fundamentais que compõem a matéria. As cargas elétricas podem ser positivas ou negativas. Corpos que

Leia mais

Roteiro para aula experimental

Roteiro para aula experimental 1. Introdução à eletrostática Resumo Roteiro para aula experimental Nesta aula prática vamos estudar os princípios básicos da eletrostática: carga elétrica, eletrização, o poder das pontas e a gaiola de

Leia mais

Lei de Coulomb. Interação entre Duas Cargas Elétricas Puntiformes

Lei de Coulomb. Interação entre Duas Cargas Elétricas Puntiformes Lei de Coulomb Interação entre Duas Cargas Elétricas Puntiformes A intensidade F da força de interação eletrostática entre duas cargas elétricas puntiformes q 1 e q 2, é diretamente proporcional ao produto

Leia mais

1 - Na eletrosfera de um átomo de magnésio temos 12 elétrons. Qual a carga elétrica de sua eletrosfera?

1 - Na eletrosfera de um átomo de magnésio temos 12 elétrons. Qual a carga elétrica de sua eletrosfera? 1 - Na eletrosfera de um átomo de magnésio temos 12 elétrons. Qual a carga elétrica de sua eletrosfera? 2 - Na eletrosfera de um átomo de carbono temos 6 elétrons. Qual a carga elétrica de sua eletrosfera?

Leia mais

Fundamentos de Eletromagnetismo (098116B)

Fundamentos de Eletromagnetismo (098116B) Grupo de Supercondutividade e Magnetismo Fundamentos de Eletromagnetismo (098116B) Prof. Dr. Maycon Motta São Carlos-SP, Brasil, 2016 Turma B Prof. Dr. Maycon Motta E-mail: m.motta@df.ufscar.br Site: www.gsm.ufscar.br/mmotta

Leia mais

Lista de exercícios 8 Campos magnéticos produzidos por corrente

Lista de exercícios 8 Campos magnéticos produzidos por corrente Lista de exercícios 8 Campos magnéticos produzidos por corrente 1. Em um certo local das Filipinas o campo magnético da Terra tem um modulo de 39 µt, é horizontal e aponta exatamente para o norte. Suponha

Leia mais

Aula 4_1. Capacitores. Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 4

Aula 4_1. Capacitores. Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 4 Aula 4_1 Capacitores Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 4 Capacitores Definição da Capacitância: capacitor e sua capacitância Carga de um capacitor Exemplos de Cálculo da Capacitância

Leia mais

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM. Ementa. Objetivos. Conteúdo Programático

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM. Ementa. Objetivos. Conteúdo Programático Disciplina: Física III C.H. Teórica: 60 Período Letivo: 2 sem/2015 PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Série: 3ª Série CURSO: Engenharia Mecânica Periodo: Noturno C.H. Prática: Semestre de Ingresso: 2º C.H.

Leia mais

Campo Elétrico 2 Objetivos:

Campo Elétrico 2 Objetivos: Campo Elétrico 2 Objetivos: Apresentar a discretização do espaço para a resolução de problemas em coordenadas: Cartesianas; Polar; Aplicar a discretização do espaço para resolução de problemas de campo

Leia mais

Do que somos feitos? >>Vídeo: Física- Química- Os Primeiros Modelos Atômicos (Dalton, Thomson, Rutherford, Bohr)<<

Do que somos feitos? >>Vídeo: Física- Química- Os Primeiros Modelos Atômicos (Dalton, Thomson, Rutherford, Bohr)<< Prof. Gabriel Aká Do que somos feitos? >>Vídeo: Física Química Os Primeiros Modelos Atômicos (Dalton, Thomson, Rutherford, Bohr)>Átomo

Leia mais

Aluno: Assinatura: DRE: Professor: Turma: Seção Nota original Iniciais Nota de revisão

Aluno: Assinatura: DRE: Professor: Turma: Seção Nota original Iniciais Nota de revisão Universidade Federal do Rio de Janeiro Instituto de Física Física III 010/ Primeira Prova (P1) 1/10/010 Versão: A Aluno: Assinatura: DRE: Professor: Turma: Seção Nota original Iniciais Nota de revisão

Leia mais

Capacitância e Dielétricos

Capacitância e Dielétricos Capacitância e Dielétricos 1 Um capacitor é um sistema constituído por dois condutores separados por um isolante (ou imersos no vácuo). Placas condutoras Carga elétrica Isolante (ou vácuo) Símbolos Em

Leia mais

POTENCIAL ELÉTRICO I) RESUMO DE FÓRMULAS DE POTENCIAL ELÉTRICO O potencial elétrico é função da carga que cria o campo elétrico, e assim como o próprio campo elétrico, ele existe independente da existencia

Leia mais

Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza. Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho

Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza. Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho de Carvalho - Eletrostática Energia e Potencial Elétrico (Capítulo 4 - Páginas 75 a 84no livro texto) Energia despendida no movimento de uma carga imersa num campo Elétrico. Diferença de potencial e potencial.

Leia mais

Conteúdos 5, 6 e 7 de Fundamentos do Eletromagnetismo

Conteúdos 5, 6 e 7 de Fundamentos do Eletromagnetismo Conteúdos 5, 6 e 7 de Fundamentos do Eletromagnetismo Prof. Dr. Vicente Barros 5- O campo elétrico 6- Comportamento de uma carga pontual e um dipolo. 7- Lei de Gauss elétrica Antes de mais nada Vamos testar

Leia mais

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 18:20. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica,

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 18:20. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, Exercícios Resolvidos de Física Básica Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, Doutor em Física pela Universidade Ludwig Maximilian de Muniue, Alemanha Universidade Federal da

Leia mais

O ALTIFALANTE. No altifalante a corrente elétrica é transformada em vibrações mecânicas do ar, reconstituindo o som inicial.

O ALTIFALANTE. No altifalante a corrente elétrica é transformada em vibrações mecânicas do ar, reconstituindo o som inicial. Um microfone transforma as perturbações produzidas no ar pela voz e pela música em impulsos elétricos. O ALTIFALANTE No altifalante a corrente elétrica é transformada em vibrações mecânicas do ar, reconstituindo

Leia mais

Princípios de Eletricidade e Magnetismo

Princípios de Eletricidade e Magnetismo Princípios de Eletricidade e Magnetismo Engenharias 1 Ementa Eletrostática Carga Elétrica Condutores e Isolantes Processos de Eletrização Lei de Coulomb Campo Elétrico Potencial Elétrico Circuitos I Tensão

Leia mais

CAMPO MAGNÉTICO EM CONDUTORES

CAMPO MAGNÉTICO EM CONDUTORES CAMPO MAGNÉTICO EM CONDUTORES Introdução A existência do magnetismo foi observada há cerca de 2500 anos quando certo tipo de pedra (magnetita) atraía fragmentos de ferro, que são conhecidos como ímãs permanentes.

Leia mais

ɸ E = ΣE.A (5) 14/04/2015. Bacharelado em Engenharia Civil. Física III

ɸ E = ΣE.A (5) 14/04/2015. Bacharelado em Engenharia Civil. Física III Bacharelado em Engenharia Civil Física III Prof a.: M.Sc. Mariana de Faria Gardingo Diniz FLUXO DE CAMPO ELÉTRICO Imagine que as linhas de campo da figura abaixo representem um campo elétrico de cargas

Leia mais

Disciplina Física 3. Prof. Rudson R. Alves Bacharel em Física pela UFES Mestrado IFGW UNICAMP. Prof. da UVV desde 1998 Engenharias desde 2000

Disciplina Física 3. Prof. Rudson R. Alves Bacharel em Física pela UFES Mestrado IFGW UNICAMP. Prof. da UVV desde 1998 Engenharias desde 2000 Disciplina Física 3 Prof. Rudson R. Alves Bacharel em Física pela UFES Mestrado IFGW UNICAMP Prof. da UVV desde 1998 Engenharias desde 2000 Sobre a Apresentação Todas as gravuras, senão a maioria, são

Leia mais

Exercícios com Gabarito de Física Superfícies Equipotenciais e Linhas de Força

Exercícios com Gabarito de Física Superfícies Equipotenciais e Linhas de Força Exercícios com Gabarito de Física Superfícies Equipotenciais e Linhas de Força 1) (Faap-1996) A figura mostra, em corte longitudinal, um objeto metálico oco, eletricamente carregado. Em qual das regiões

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Física Eletricidade Ótica Carga Horária: 80h Período: 3º. Ementa

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Física Eletricidade Ótica Carga Horária: 80h Período: 3º. Ementa Disciplina: Física Eletricidade Ótica Carga Horária: 80h Período: 3º Ementa PLANO DE ENSINO Processos de eletrização, carga elétricas, força elétrica, campo elétrico, Lei de Gauss, potencial elétrico,

Leia mais

Primeira Lista - lei de Coulomb

Primeira Lista - lei de Coulomb Primeira Lista - lei de Coulomb FGE211 - Física III 1 Sumário A força elétrica que uma carga q 1 exerce sobre uma carga q 2 é dada pela lei de Coulomb: onde q 1 q 2 F 12 = k e r 2 ˆr = 1 q 1 q 2 4πɛ 0

Leia mais

Carga elétrica e campo elétrico

Carga elétrica e campo elétrico Carga elétrica e campo elétrico Introduçaõ ao eletromagnetismo. Carga elétrica. Quantização e conservação da carga. Força elétrica lei de Coulomb. Campo elétrico. Dipolos elétricos. Eletromagnetismo Eletrostática:

Leia mais

Profº Carlos Alberto

Profº Carlos Alberto Rotação Disciplina: Mecânica Básica Professor: Carlos Alberto Objetivos de aprendizagem Ao estudar este capítulo você aprenderá: Como descrever a rotação de um corpo rígido em termos da coordenada angular,

Leia mais

FORÇA ELÉTRICA. 1)Entre duas partículas eletrizadas, no vácuo, e a distância d, a força de interação eletrostática tem intensidade F.

FORÇA ELÉTRICA. 1)Entre duas partículas eletrizadas, no vácuo, e a distância d, a força de interação eletrostática tem intensidade F. FORÇA ELÉTRICA 1)Entre duas partículas eletrizadas, no vácuo, e a distância d, a força de interação eletrostática tem intensidade F. Se dobrarmos as cargas das duas partículas e aumentarmos a separação

Leia mais

25 Problemas de Óptica

25 Problemas de Óptica 25 Problemas de Óptica Escola Olímpica - Gabriel Lefundes 25 de julho de 2015 Problema 1. O ângulo de deflexão mínimo um certo prisma de vidro é igual ao seu ângulo de refração. Encontre-os. Dado: n vidro

Leia mais

Cap. 20 A Entropia e a Segunda Lei da Termodinâmica

Cap. 20 A Entropia e a Segunda Lei da Termodinâmica Cap. 20 A Entropia e a Segunda Lei da Processos Irreversíveis e Entropia; Variação de Entropia; A Segunda Lei da ; Entropia no Mundo Real: Máquinas Térmicas; Entropia no Mundo Real: Refrigeradores; Eficiência

Leia mais

Energia. 5.2 Equações de Laplace e Poisson

Energia. 5.2 Equações de Laplace e Poisson Capítulo 5 Equações da Eletrostática e Energia 5.1 Introdução Neste momento, já foram vistas praticamente todas as equações e fórmulas referentes à eletrostática. Dessa forma, nesse capítulo estudaremos

Leia mais

Considerando que o fio e a polia são ideais, qual o coeficiente de atrito cinético entre o bloco B e o plano?

Considerando que o fio e a polia são ideais, qual o coeficiente de atrito cinético entre o bloco B e o plano? 2ª Série do Ensino Médio 01. No sistema a seguir, A e B têm massa m = 10 kg e a = 45 0. A aceleração da gravidade é de 10 m/s 2 e o peso da corda, o atrito no eixo da roldana e a massa da roldana são desprezíveis:

Leia mais

Apostila de Física 24 Condutores em Equilíbrio Eletrostático

Apostila de Física 24 Condutores em Equilíbrio Eletrostático Apostila de Física 24 Condutores em Equilíbrio Eletrostático 1.0 Condutor em Equilíbrio Eletrostático Não ocorre movimento ordenado de cargas elétricas em relação a um referencial fixo no condutor. O campo

Leia mais

Capítulo 24: Potencial Elétrico

Capítulo 24: Potencial Elétrico Capítulo 24: Potencal Energa Potencal Elétrca Potencal Superfíces Equpotencas Cálculo do Potencal a Partr do Campo Potencal Produzdo por uma Carga Pontual Potencal Produzdo por um Grupo de Cargas Pontuas

Leia mais

- Carga elétrica - Força elétrica -Campo elétrico - Potencial elétrico - Corrente elétrica - Campo magnético -Força magnetica

- Carga elétrica - Força elétrica -Campo elétrico - Potencial elétrico - Corrente elétrica - Campo magnético -Força magnetica GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSOR: Jonas Tavares DISCIPLINA: Física SÉRIE: 3º ALUNO(a): Trabalho Recuperação 1º semestre No Anhanguera você é + Enem RELAÇÃO DE CONTEÚDOS PARA RECUPERAÇÃO - Carga elétrica - Força

Leia mais

Fundamentos do Eletromagnetismo - Aula IX

Fundamentos do Eletromagnetismo - Aula IX Fundamentos do Eletromagnetismo - Aula IX Prof. Dr. Vicente Barros Conteúdo 11 - Energia eletrostática e capacitância. Conteúdo 12- Capacitores. Antes uma revisão Existe o famoso triângulo das equações

Leia mais

Lei de Gauss da Eletricidade. Prof. Rudi Gaelzer IFM/UFPel (Física Básica III )

Lei de Gauss da Eletricidade. Prof. Rudi Gaelzer IFM/UFPel (Física Básica III ) Lei de Gauss da Eletricidade Objetivos iremos aprender: O que significa fluxo elétrico e como é possível calcular o mesmo. Como é possível determinar a carga elétrica delimitada por uma superfície fechada

Leia mais

Sétima Lista - Lei de Faraday

Sétima Lista - Lei de Faraday Sétima Lista - Lei de Faraday FGE211 - Física III Sumário O fluxo magnético através de uma superfície S é definido como Φ B = B da A Lei da Indução de Faraday afirma que a força eletromotriz (fem) induzida

Leia mais

Colégio de aplicação Dr. Alfredo José Balbi prof. Thomaz Barone Lista de exercícios campo elétrico

Colégio de aplicação Dr. Alfredo José Balbi prof. Thomaz Barone Lista de exercícios campo elétrico 1. (Ufg 2014) Um capacitor de placas paralelas é formado por duas placas metálicas grandes ligadas a um gerador ue mantém uma diferença de potencial tal ue o campo elétrico uniforme gerado no interior

Leia mais

Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza. Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho

Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza. Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho Eletromagnetismo I Prof. Daniel Orquiza Eletromagnetismo I Prof. Daniel Orquiza de Carvalho Eletromagnetismo I - Eletrostática Forças Magnéticas (Capítulo 8 Páginas 230 a 238) Força sobre uma carga em

Leia mais

Campo Magnética. Prof. Fábio de Oliveira Borges

Campo Magnética. Prof. Fábio de Oliveira Borges Campo Magnética Prof. Fábio de Oliveira Borges Curso de Física II Instituto de Física, Universidade Federal Fluminense Niterói, Rio de Janeiro, Brasil http://cursos.if.uff.br/fisica2-2015/ Campo magnético

Leia mais

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 3º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Força Eletrostática e Campo Elétrico

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 3º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Força Eletrostática e Campo Elétrico Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 3º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Força Eletrostática e Campo Elétrico 1. (Pucrj 2010) O que acontece com a força entre duas cargas

Leia mais

25-1 Capacitância. Figura 25-1 Vários tipos de capacitores. Fonte: PLT 709. Me. Leandro B. Holanda,

25-1 Capacitância. Figura 25-1 Vários tipos de capacitores. Fonte: PLT 709. Me. Leandro B. Holanda, 25-1 Capacitância Capacitor é um dispositivo usado para armazenar energia elétrica. As pilhas de uma máquina fotográfica, por exemplo, armazenam a energia necessária para disparar um flash, carregando

Leia mais

Eletrostática. (Ufmg 2005) Em uma aula, o Prof. Antônio apresenta uma montagem com dois anéis dependurados, como representado na figura.

Eletrostática. (Ufmg 2005) Em uma aula, o Prof. Antônio apresenta uma montagem com dois anéis dependurados, como representado na figura. Eletrostática Prof: Diler Lanza TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO (Ufmg 2005) Em uma aula, o Prof. Antônio apresenta uma montagem com dois anéis dependurados, como representado na figura. Um dos anéis é de

Leia mais

Universidade do Estado do Rio de Janeiro - Instituto de Física Lista de exercícios para a P2 - Física 1

Universidade do Estado do Rio de Janeiro - Instituto de Física Lista de exercícios para a P2 - Física 1 Universidade do Estado do Rio de Janeiro - Instituto de Física Lista de exercícios para a P2 - Física 1 1. Dois corpos A e B, de massa 16M e M, respectivamente, encontram-se no vácuo e estão separados

Leia mais

FIS-26 Prova 01 Março/2011

FIS-26 Prova 01 Março/2011 FIS-26 Prova 01 Março/2011 Nome: Turma: Duração máxima: 120 min. Cada questão (de 1 a 7) vale 15 pontos, mas a nota máxima da prova é 100. 1. Responda às seguintes questões: (a) Uma roda bidimensional

Leia mais

INDUÇÃO MAGNÉTICA. Indução Magnética

INDUÇÃO MAGNÉTICA. Indução Magnética INDUÇÃO MAGNÉTIA Prof. ergio Turano de ouza Lei de Faraday Força eletromotriz Lei de Lenz Origem da força magnética e a conservação de energia.. 1 Uma corrente produz campo magnético Um campo magnético

Leia mais

CURSO E COLÉGIO OBJETIVO

CURSO E COLÉGIO OBJETIVO 1. (Ufpe 96) Duas cargas elétricas - Q e + q são mantidas nos pontos A e B, que distam 82 cm um do outro (ver figura). Ao se medir o potencial elétrico no ponto C, à direta de B e situado sobre a reta

Leia mais

Mecânica Geral 1 Rotação de corpos rígidos Prof. Dr. Cláudio Sérgio Sartori.

Mecânica Geral 1 Rotação de corpos rígidos Prof. Dr. Cláudio Sérgio Sartori. Bibliografia Básica: BEER, F. P.; JOHNSTON JUNIOR, E. R. Mecânica vetorial para engenheiros: cinemática e dinâmica 5ª ed. 2v. São Paulo: Makron, 1994. HIBBELER, R. C. Dinâmica: Mecânica para Engenharia.

Leia mais

Segunda aula de Fundamentos de Eletromagnetismo

Segunda aula de Fundamentos de Eletromagnetismo Segunda aula de Fundamentos de Eletromagnetismo Prof. Vicente Barros 1- Revisão de vetores. 2- Revisão sobre carga elétrica. 3- Revisão condutores e isolantes 4- Revisão sobre Lei de Coulomb. Revisão de

Leia mais

Lei de Gauss e Condutores em Equilíbrio Eletrostático

Lei de Gauss e Condutores em Equilíbrio Eletrostático Lei de Gauss e Condutores em Equilíbrio Eletrostático 2008 Fluxo Elétrico: Está relacionado com o número líquido de linhas de força que atravessam uma superfície. φ e = EA 1 ou φ e = EA 2 cosθ = E ˆnA2

Leia mais

Trabalho e Potencial Elétrico

Trabalho e Potencial Elétrico Parte I Trabalho e Potencial Elétrico 1 (Ufrj 011) Um íon de massa m e carga elétrica q incide sobre um segundo íon, de mesma massa m e mesma carga q De início, enquanto a separação entre eles é grande

Leia mais

Eletricidade e Magnetismo - Lista de Exercícios I CEFET-BA / UE - VITÓRIA DA CONQUISTA COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

Eletricidade e Magnetismo - Lista de Exercícios I CEFET-BA / UE - VITÓRIA DA CONQUISTA COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Eletricidade e Magnetismo - Lista de Exercícios I CEFET-BA / UE - VITÓRIA DA CONQUISTA COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Carga Elétrica e Lei de Coulomb 1. Consideremos o ponto P no centro de um quadrado

Leia mais

Capacitância. Prof. Fernando G. Pilotto UERGS

Capacitância. Prof. Fernando G. Pilotto UERGS Capacitância Prof. Fernando G. Pilotto UERGS Capacitores O capacitor é um dispositivo prático para o armazenamento de energia elétrica. Os flashs de máuinas fotográficas e os desfibriladores médicos usam

Leia mais

Questão 04- A diferença de potencial entre as placas de um capacitor de placas paralelas de 40μF carregado é de 40V.

Questão 04- A diferença de potencial entre as placas de um capacitor de placas paralelas de 40μF carregado é de 40V. COLÉGIO SHALOM Trabalho de recuperação Ensino Médio 3º Ano Profº: Wesley da Silva Mota Física Entrega na data da prova Aluno (a) :. No. 01-(Ufrrj-RJ) A figura a seguir mostra um atleta de ginástica olímpica

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PONTIÍIA UNIVSIDAD ATÓLIA D GOIÁS DPATAMNTO D MATMÁTIA ÍSIA Professores: dson Vaz e enato Medeiros XÍIOS NOTA D AULA I Goiânia - X Í I O S. O esuema abaio mostra três cargas puntiformes fias, no vácuo.

Leia mais

INDUÇÃO ELETROMAGNÉTICA

INDUÇÃO ELETROMAGNÉTICA INDUÇÃO ELETROMAGNÉTICA 1. (ITA 2009) Uma haste metálica com 5,0 kg de massa e resistência de 2,0 Ω desliza sem atrito sobre duas barras paralelas separadas de 1,0 m, interligadas por um condutor de resistência

Leia mais

Lei de Gauss Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Lei de Gauss Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Lei de Gauss Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. A lei de Gauss é a lei que estabelece a relação entre o fluxo de campo elétrico que passa através de uma superfície fechada com a carga elétrica que

Leia mais

3ª série LISTA: Ensino Médio. Aluno(a): Professor(a): Jean Jaspion DIA: MÊS: 02 POTENCIAL ELÉTRICO. Segmento temático: Turma: A ( ) / B ( )

3ª série LISTA: Ensino Médio. Aluno(a): Professor(a): Jean Jaspion DIA: MÊS: 02 POTENCIAL ELÉTRICO. Segmento temático: Turma: A ( ) / B ( ) LISTA: 03 3ª série Ensino Médio Professor(a): Jean Jaspion Turma: A ( ) / B ( ) Aluno(a): Segmento temático: QUESTÃO 01 (FAMERP SP/2015) A figura mostra esquematicamente um tubo de raios catódicos, no

Leia mais

Unidade IV. Aula 21.2 Conteúdo: Óptica, Ser humano e Saúde. Espelhos esféricos: Estudo analítico das imagens, equação de Gauss e aplicações.

Unidade IV. Aula 21.2 Conteúdo: Óptica, Ser humano e Saúde. Espelhos esféricos: Estudo analítico das imagens, equação de Gauss e aplicações. CONTEÚDO E HABILIDADES Unidade IV Óptica, Ser humano e Saúde Aula 21.2 Conteúdo: Espelhos esféricos: Estudo analítico das imagens, equação de Gauss e aplicações. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES Habilidade: Reconhecer

Leia mais

Lei de Gauss. Fluxo do campo elétrico. Enunciado da Lei de Gauss. Aplicações. Cálculo de campos elétricos. Condutores. Blindagem eletrostática.

Lei de Gauss. Fluxo do campo elétrico. Enunciado da Lei de Gauss. Aplicações. Cálculo de campos elétricos. Condutores. Blindagem eletrostática. Lei de Gauss Fluxo do campo elétrico. Enunciado da Lei de Gauss. Aplicações. Cálculo de campos elétricos. Condutores. Blindagem eletrostática. Campos em condutores elétricos Fluxo do campo elétrico Fluxo

Leia mais

Lei de Coulomb. Página 1 de 9

Lei de Coulomb. Página 1 de 9 1. (Unesp 2015) Em um experimento de eletrostática, um estudante dispunha de três esferas metálicas idênticas, A, B e C, eletrizadas, no ar, com cargas elétricas 5Q, 3Q e 2Q, respectivamente. Utilizando

Leia mais

(definição de corrente)

(definição de corrente) 26-1 O que é física? Nos últimos capítulos discutimos eletrostática, ou seja, a física das cargas estacionárias. Neste capítulo e no que se segue vamos discutir correntes elétricas, isto é as cargas em

Leia mais

Temperatura, Calor e a Primeira Lei da Termodinâmica

Temperatura, Calor e a Primeira Lei da Termodinâmica Temperatura, Calor e a Primeira Temperatura; A Lei Zero da Termodinâmica; Medindo a Temperatura; Escala Celsius e Fahrenheit; Dilatação Térmica; Temperatura e Calor; Absorção de Calor por Sólidos e Líquidos;

Leia mais

Princípios de Eletricidade Magnetismo

Princípios de Eletricidade Magnetismo Princípios de Eletricidade Magnetismo Corrente Elétrica e Circuitos de Corrente Contínua Professor: Cristiano Faria Corrente e Movimento de Cargas Elétricas Embora uma corrente seja um movimento de partícula

Leia mais

Cap. 1 Princípios da Eletrostática

Cap. 1 Princípios da Eletrostática Cap. 1 Princípios da Eletrostática Instituto Federal Sul-rio-grandense Curso Técnico em Eletromecânica Disciplina de Eletricidade Básica Prof. Rodrigo Souza Sumário 1 - Princípios da Eletrostática 1.1

Leia mais

Eletromagnetismo. Histórico

Eletromagnetismo. Histórico Eletromagnetismo Histórico Desde a antiguidade quando os fenômenos elétricos e magnéticos foram descobertos, se acreditava que o magnetismo e a eletricidade eram fenômenos distintos sem nenhuma relação

Leia mais

Apostila de Física 37 Campo Magnético

Apostila de Física 37 Campo Magnético Apostila de Física 37 Campo Magnético 1.0 Definições Ímãs Pedra que atrai ferro ou outras pedras semelhantes. Fenômenos magnéticos Propriedades dos ímãs que se manifestam espontaneamente na Natureza. Magnetita

Leia mais

4ª LISTA DE EXERCÍCIOS POTENCIAL ELÉTRICO

4ª LISTA DE EXERCÍCIOS POTENCIAL ELÉTRICO 4ª LISTA DE EXERCÍCIOS POTENCIAL ELÉTRICO 1. As condições típicas relativas a um relâmpago são aproximadamente as seguintes: (a) Diferença de potencial entre os pontos de descarga igual a 10 9 V; (b) Carga

Leia mais

GEOMETRIA MÉTRICA ESPACIAL

GEOMETRIA MÉTRICA ESPACIAL GEOMETRIA MÉTRICA ESPACIAL .. PARALELEPÍPEDOS RETÂNGULOS Um paralelepípedo retângulo é um prisma reto cujas bases são retângulos. AB CD A' B' C' D' a BC AD B' C' A' D' b COMPRIMENTO LARGURA AA' BB' CC'

Leia mais

ELETROSTÁTICA 3ª SÉRIE

ELETROSTÁTICA 3ª SÉRIE ELETROSTÁTICA 3ª SÉRIE 1. (Pucrj 013) Duas cargas pontuais q1 3,0 μc e q 6,0 μc são colocadas a uma distância de 1,0 m entre si. Calcule a distância, em metros, entre a carga q 1 e a posição, situada entre

Leia mais

Tensões no Solo Exercícios

Tensões no Solo Exercícios Tensões no Solo Exercícios 1. Dado o perfil geotécnico abaixo, calcule: a) as tensões devidas ao peso próprio do solo σ e σ e as pressões neutras; ( ) V V b) adotando o valor de k 0 = 0,5 para todas as

Leia mais

Colégio de aplicação Dr. Alfredo José Balbi prof. Thomaz Barone Lista de exercícios Lei de Coulomb

Colégio de aplicação Dr. Alfredo José Balbi prof. Thomaz Barone Lista de exercícios Lei de Coulomb 1. (Fuvest 016) Duas pequenas esferas, E 1 e E, feitas de materiais isolantes diferentes, inicialmente neutras, são atritadas uma na outra durante 5s e ficam eletrizadas. Em seguida, as esferas são afastadas

Leia mais

01- (UPF-RS) Um corpo que tenha sido eletrizado com uma carga de 10μC deverá ter recebido, aproximadamente, em elétrons:

01- (UPF-RS) Um corpo que tenha sido eletrizado com uma carga de 10μC deverá ter recebido, aproximadamente, em elétrons: Arrastão 2 o EM sem resolução 01- (UPF-RS) Um corpo que tenha sido eletrizado com uma carga de 10μC deverá ter recebido, aproximadamente, em elétrons: 02-(UEPG-PR) Considere quatro esferas metálicas idênticas

Leia mais

PROVA PARA ALUNOS DO 1 E 2 ANO

PROVA PARA ALUNOS DO 1 E 2 ANO LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO: a 3 FASE o o PROVA PARA ALUNOS DO 1 E 2 ANO 1 Essa prova destina-se exclusivamente aos alunos do 1 o e 2 o ano e contém vinte (20) questões. 2 Os alunos do 1 o ano

Leia mais

Física. B) Determine a distância x entre o ponto em que o bloco foi posicionado e a extremidade em que a reação é maior.

Física. B) Determine a distância x entre o ponto em que o bloco foi posicionado e a extremidade em que a reação é maior. Física 01. Uma haste de comprimento L e massa m uniformemente distribuída repousa sobre dois apoios localizados em suas extremidades. Um bloco de massa m uniformemente distribuída encontra-se sobre a barra

Leia mais

Eletrostática: Capacitância e Dielétricos

Eletrostática: Capacitância e Dielétricos Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Santa Catarina Campus São José Área de Telecomunicações ELM20704 Eletromagnetismo Professor: Bruno Fontana da Silva 2014-2 Eletrostática:

Leia mais

Estudante: Turma: Data: / /

Estudante: Turma: Data: / / OLÉGIO MRIST - PTOS E MINS 3º NO O ENSINO MÉIO - 013 Professoras: leidiana ias e Rosimeire orges ª REUPERÇÃO UTÔNOM Roteiro de Estudos uestões Estudante: Turma: ata: / / 01 - (UEFS ) O campo elétrico entre

Leia mais

Força Eletrostática Lei de Coulomb

Força Eletrostática Lei de Coulomb Força Eletrostática Lei de Coulomb 1. (FMP 014) A figura acima ilustra duas cargas elétricas puntiformes que são mantidas fixas a uma distância de 1 metro. Uma terceira carga positiva q será abandonada

Leia mais

Me. Leandro B. Holanda,

Me. Leandro B. Holanda, 27-1 O que é física? Estamos cercados de circuitos elétricos. Todos os esses aparelhos e também a rede de distribuição de energia elétrica que os faz funcionar, dependem da engenharia elétrica moderna.

Leia mais

EXPERIMENTO 10: MEDIDAS DA COMPONENTE HORIZONTAL DO CAMPO MAGNÉTICO TERRESTRE

EXPERIMENTO 10: MEDIDAS DA COMPONENTE HORIZONTAL DO CAMPO MAGNÉTICO TERRESTRE EXPERIMENTO 10: MEDIDAS DA COMPONENTE HORIZONTAL DO CAMPO MAGNÉTICO TERRESTRE 10.1 OBJETIVOS Determinar o valor da componente horizontal da indução magnética terrestre local. 10.2 INTRODUÇÃO Num dado lugar

Leia mais

Volume de um sólido de Revolução

Volume de um sólido de Revolução Algumas aplicações da engenharia em estática, considerando um corpo extenso, e com distribuição continua de massa, uniforme ou não é necessário determinar-se e momento de inércia, centroide tanto de placas

Leia mais