SISTEMAS DE INFORMAÇÃO APLICADOS À LOGÍSTICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMAS DE INFORMAÇÃO APLICADOS À LOGÍSTICA"

Transcrição

1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO APLICADOS À LOGÍSTICA DO 4 & 1

2 OBJETIVOS DO CURSO DO 4 & Habilitar para a elaboração de um sistema de informação logístico, voltado para obtenção de ganhos de produtividade e qualidade de serviços 2

3 CONTEÚDO DO CURSO DO 4 & TÓPICOS Conteúdo 1. Conceituação de Sistemas 2. Componentes e Tipos de Sistema de Informação 3. Sistemas de Informação & Logística Integrada: Introdução 4. Importância e Ppais Fluxos do Sistema de Inform. na Log Integ 5. Sistemas Especialistas Aplicados à Cadeia de Suprimentos 6. Roteirizadores, I. A., Sistemas MRP, ERP, WMS 7. E-Business e E-Commerce na Cadeia de Suprimento 8. E-Procurement, EDI, VMI, CPFR, Planejam. da Cadeia Suprim. 9. Planejamento, Desenho e Implem. de Sistema de Informação 7 Aulas (28 h/a) hotmail.com (11)

4 BIBLIOGRAFIA Leitura Obrigatória: DO 4 & TURBAN, Efrain et al. Administração da tecnologia da informação. Editora Campus, R. Janeiro, BALLOU, R. H.; Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Ed. Bookman, P. Alegre, CORREA, H. L. e GIANESI, I. G. N., Planejamento, Programação e Controle da Produção: MRP II, ERP conceitos, uso e aplicação. Ed. Atlas, São Paulo, 2001, 4ª. Ed. KALAKOTA R.; ROBINSON M.; E-Business Estratégia para alcançar o sucesso no mundo digital. Ed. Bookman, São Paulo, 2001 Leitura Complementar: DEITEL, H. M.; DEITEL P. J.; STEINBUHLER; E-Business e E-Commerce para Administradores. Makron Books, São Paulo, SHAFER S. M.; MEREDITH, J. R.; Operations Management, Ed. John Wiley & Sons, New York, HARMON, P.; ROSEN M.; GUTTMAN M.; Developing E-Business System & Architetures A Manager s Guide, Ed. Academic Press, San Francisco, CHRISTOPHER, M.; Logistica e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos, Ed. Pioneira, S. P., 1997 CHRISTOPHER, M.; Marketing da Logística, Editora Futura, 1999 FITZSIMMONS, J. A., FITZSIMMONS, M. J.; Administração de Serviços, Ed. Bookman, P. Alegre, 2000 Cap. 12 Todos os livros citados estão no acervo da Biblioteca do Mackenzie 4

5 PROCESSO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS DO 4 & 1 TRABALHO FINAL EM GRUPO (última aula) 30 % da nota final 2 PAPERS INDIVIDUAIS (Entregar aulas 3 e 5) 20 % da nota final 2 CASES (aulas: 2 e 4) 30 % da nota final PARTICIPAÇÃO NO CURSO (6 aulas: 2 a 7) 20 % da nota final PARTICIPAÇÃO NO CURSO (6 aulas: 2 a 7 10 pontos/aula) 10 % nota final Pontualidade: atrasos até 30 min perde 5 pontos, maior que 30 min perde 10 pontos, falta perde 10 pontos Participação nas dinâmicas individuais ou em grupo Contribuição em sala de aula nos debates e interferências Exposição de IDÉIAS PRÓPRIAS pertinentes aos tópicos estudados Turma X Aula 03: Aula 05: Turma Y Aula 03: Aula 05: :00 22:30 20:30 5

6 TRABALHO EM GRUPO CASE DE ORMAÇÃO LOGÍSTICA DO 4 & 1. Empresa: Descreva a empresa da melhor forma que puder: quem é ela, quais são os produtos e serviços oferecidos, quem são seus competidores, quais são seus diferenciais logísticos, qual seu market-share, quem são seus clientes, etc; 2. Processo a ser melhorado: Descrever o problema gerado pela falta de informação logística; Qual o fluxo atual e qual o projetado; Qual o Nível de Serviço Logístico Atual 3. Proposta de Solução: Apresentação de projeto de sistema de Informação Logística; 4. Mensuração de Resultados: Como o sistema apresentado poderá melhorar o Nível de Serviço ao Cliente e à Empresa escolhida? Apresente: Indicadores de Desempenho (antes e depois), Cálculo da TIR, Fatores Críticos de Sucesso, Possíveis problemas (riscos) 5. Conclusões: Apresentar as conclusões sobre o caso estudado sob o ângulo do ganho da Qualidade das Informações, da Produtividade, seus reflexos no atendimento e no botton-line. DATA: ÚLTIMA AULA TEMPO: 20 min ARQUIVOS DOC & PPT PESO: 30% 6

7 PROCESSO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS PAPERS DO 4 & 3 PAPERS INDIVIDUAIS (Entregar nas aulas 3 e 5) 20 % da nota final Formatação: letras tipo Arial ou Times, tamanho 12, espaçamento de linhas simples, Margens 2 x 2 x 2 x 2. NÃO COLAR NADA DA INTERNET. SE HOUVER COLA DE TEXTO DE INTERNET A NOTA SERÁ ZERO TÓPICOS: 1) Título 2) Nome do(a) aluno(a) 3) Introdução 4) Questão da Pesquisa 5) Desenvolvimento do Tema 6) Conclusões 7) Bibliografia Utilizada e Fontes de Informação 8) Links das páginas de internet consultadas/utilizadas Produzir, no mínimo, 50 linhas de textos próprios. Como salvar o arquivo eletrônico: TA-P1-Q4-JOÃOST Onde: * TA = Turma A (em maiúsculas) * P1 = Paper 1 P2 = Paper 2 P3 = Paper 3 * Q4 = Número da Questão * JOÃO (Seu Nome) * ST (Demais iniciais do seu nome, se houver outro aluno com seu nome) Turma X Aula 03: Aula 05: Turma Y Aula 03: Aula 05:

8 QUESTÕES PARA OS PAPERS (LIVRE ESCOLHA) DO 4 & 1. E-Procurement: O que é? Como beneficia as empresas e as pessoas? 2. No início da popularização da Internet, muitas empresas industriais encontraram problemas quando decidiram eliminar elos na Cadeia de Distribuição implantando o E-Commerce. O que deu errado? 3. Como a T. I. reduz os custos dos clientes ao fazer negócios conosco? 4. Defina o termo Internet Móvel e discuta suas possíveis aplicações. 5. Pesquise na Internet o funcionamento do Pão de Açúcar Delivery. Como a TI auxilia sua Logística de Distribuição? 6. Faça uma Pesquisa de 3 sistemas de roteirização. Descreva as características básicas de cada um e recomende um deles para uma fictícia empresa de distribuição de cosméticos on-line na cidade de S. Paulo com entregas diárias de pequenos volumes. 7. Descreva o funcionamento das corporações virtuais nas parcerias logística. 8. Pesquise o tema: softwares de SCM. O que são? Para que servem? 9. Softwares WMS. O que são? Como beneficiam/favorecem as funções armazenagem e distribuição? Escolha 2temas para entrega nas aulas 3 e 5 8

9 TENDÊNCIAS NO AMBIENTE DE NEGÓCIOS DO 4 & Quais são as novidades tecnológicas vistas no filme e como elas afetam a logística empresarial? 01:24 9

10 TENDÊNCIAS NO AMBIENTE DE NEGÓCIOS DO 4 & Caracterizado por: Mudanças Rápidas e Aceleradas Complexidade Economia Global: competidores e fornecedores Hiper-competição: operações e alianças globalizadas Foco nos Clientes Conectividade Gradativa Administradores sofrem pressão para produzirem mais com cada vez menos recursos A Rede Mundial desloca a competição 10

11 A T. I. JÁ FAZ PARTE DAS NOSSAS VIDAS DO 4 & Melhoria constante da relação custo/desempenho Aumento do armazenamento e da memória Interfaces cada vez mais amigáveis com o usuário Arquitetura baseada em Cliente/Servidor Computadores em rede (clientes enxutos ) Computadores corporativos Intranets e extranets Armazenagem de Dados (Data warehousing) Data mining (mineração) Ambiente orientado a Objetos Gerenciamento Eletrônico de documentos Multimidia e Realidade Virtual Sistemas e Agentes Inteligentes Portabilidade computacional Expansão do uso da Internet Comércio Eletronico Integração de computação doméstica 11

12 TENDÊNCIAS... DO 4 & Tendências nas Capacidades dos Sistemas de Computadores 2-4 Primeira Segunda Terceira Quarta Quinta Geração Geração Geração Geração Geração Tendência: Menores, Mais Rápidos, Mais Confiáveis e Mais Baratos Tubos a Vácuo Estado-Sólido Circuitos Integrados Microprocessadores de LSI e VLSI Maior Potência, Menor Tamanho Tendência: De Fácil Aquisição e Manutenção LSI Large Scale of Integration VLSI Very Large Scale of Integration 12

13 TENDÊNCIAS... DO 4 & Tendências em Tecnologia de Entrada 2-7 Primeira Geração Segunda Geração Terceira Geração Quarta Geração Quinta Geração Cartões Perfurados Fita de Papel Cartões Perfurados Tecla para Fita/Disco Entrada de Dados pelo Teclado Dispositivos de Indicação Escaneamento Ótico Reconhecimento de Voz Dispositivos de Fala e Sensíveis ao Toque Caligrafia Reconhecimento Tendência: Rumo a Dispositivos de Entrada Direta que São Mais Naturais e Fáceis de Utilizar 13

14 TENDÊNCIAS... DO 4 & Tendências em Tecnologia de Saída 2-8 Primeira Geração Segunda Geração Terceira Geração Quarta Geração Quinta Geração Cartões Perfurados Relatórios e Documentos Impressos Cartões Perfurados Relatórios e Documentos Impressos Relatórios e Documentos Impressos Exibições em Vídeo Exibições em Vídeo Respostas de Áudio Relatórios e Documentos Impressos Exibições em Vídeo Respostas de Voz Documentos em Multimídia com Hiperlinks Tendência: Rumo a Métodos de Saída que se Comuniquem Natural, Rápida e Claramente 14

15 TENDÊNCIAS... DO 4 & Tendências em Software 3-4 Primeira Geração Segunda Geração Terceira Geração Quarta Geração Quinta Geração Tendência: Rumo a Pacotes Aplicativos de Fácil Uso, Múltiplas Finalidades, com Capacidade para Uso em Rede para Produtividade e Colaboração. Programas Escritos pelo Usuário Linguagens de Máquina Programas em Pacotes Linguagens Simbólicas Sistemas Operacionais Linguagens de Alto Nível DBMS Linguagens de Quarta Geração Pacotes para Microcomputador Linguagem Natural e Linguagem Orientada a Objetos Pacotes Multiuso, Interface Gráfica, Capacidade para Uso em Rede e Ajuda Especializada Tendência: Rumo a Linguagens e Ferramentas Visuais ou de Conversação SURFACE 04:16 15

16 RESUMO DAS TENDÊNCIAS DO 4 & Tendências da Indústria Mais vendedores, transportadores, alianças e serviços de rede, aceleradas pela privatização e o Crescimento da Internet Tendência da Tecnologia Outras redes digitais locais e globais conectadas à Internet, canais de transmissão aprimorados Tendências das Aplicações Mais comércio eletrônico, colaboração, operações online e vantagem estratégica nos mercados 16

17 RESPOSTAS ORGANIZACIONAIS DO 4 & Pressões provocam reações organizacionais proativas e reativas As reações podem envolver o uso da Tecnologia da Informação e Sistemas de Informação. Em alguns casos, TI é a única solução para responder às pressões. Hoje o conhecimento de TI é essencial para as pessoas nas organizações. 17

18 DINÂMICA DE CLASSE DO 4 & O QUE É UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO?? 18

19 DO 4 & Um sistema de informação é uma parte integrante de uma organização e é um produto de três componentes: tecnologia, organizações e pessoas. Kenneth C Laudon e Jane Price Laudon (1999) ORGANIZAÇÃO SISTEMA DE INFORMAÇÃO PESSOAS TECNOLOGIA 19

20 O QUE É UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO? DO 4 & É um sistema que coleta, processa, armazena, analisa, e dissemina informação. Dados Instruções Coleta Entradas (Inputs) Processa e Analisa Produz Saídas (Outputs) Cálculos Relatórios Armazena 20

21 SISTEMA BASEADO EM COMPUTADORES DO 4 & Um sistema de informação que usa tecnologia de computadores e de telecomunicações para o desempenho das tarefas desejadas. Emprega combinações de hardware, software, database, network, Internet/Extranet/Intranet, procedimentos e pessoas. Um sistema de informação é desenvolvido para oferecer uma solução frente a um problema empresarial. Ações militares científicas MIS Automatização do Escritório Informações Executivas PCs, IA, Groupware WEB, m-com, i-com SCM, Data warehouse, data mining Ações Comerciais Rotineiras TPS DSS Suporte Decisão LAN Local Area Netwk Integração Sist à WEB Intra/Extranet, ERP

22 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO 4 & TRÊS PAPÉIS PRINCIPAIS Apoio à Vantagem Estratégica Apoio à Tomada de Decisão Gerencial Apoio às Operações 22

23 CLASSIFICAÇÕES DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO 4 & Sistemas Especialistas Sistemas de Combinação Integrada Sistemas de Administração do Conhecimento Sistemas de Informação Empresarial Sistemas de Informação Estratégica 23

24 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO 4 & CLASSIFICAÇÕES OPERACIONAIS E GERENCIAIS Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Decisões Sistemas de Apoio Gerencial Sistemas de Processamento de Transações Sistemas de Controle de Processos Sistemas Colaborativos Sistemas de Informação Gerencial Sistemas de Apoio à Decisão Sistemas de Informação Executiva 24

25 TIPOS DE INFORMAÇÃO DO 4 & Sistema de Processamento de Transações Folha de Pagamento Compras Vendas Produção Finanças e Contabilidade Administração de Estoques Monitorar cartões de ponto, rastrear o pagamento dos funcionários e descontos, emitir holerites Emitir ordens de compras, aceitar e registrar remessas, efetuar pagamentos de contas a pagar Manter registros de vendas, emitir faturamento, rastrear contas a receber, controlar devoluções, registrar expedições Preparar relatórios de produção, preparar relatórios de controle de qualidade Preparar e emitir declarações financeiras, manter registros fiscais, monitorar e pagar despesas Rastrear utilização de materiais, monitorar níveis de estoque, reabastecer o estoque quando necessário 25

26 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO 4 & CLASSIFICAÇÕES OPERACIONAIS E GERENCIAIS Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Decisões Sistemas de Apoio Gerencial Sistemas de Processamento de Transações Sistemas de Controle de Processos Sistemas Colaborativos Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Apoio à Decisão Sistemas de Informação Executiva 26

27 TIPOS DE INFORMAÇÃO DO 4 & Sistema de Informações Gerenciais Resumos Estatísticos Relatórios de Excessões Resumo de dados não trabalhados, como produção diária e uso mensal e semanal de eletricidade Destaques de itens de dados que estão acima ou abaixo dos níveis especificados Relatórios Periódicos Relatórios ad hoc Análise Comparativa Projeções Resumos Estatísticos e relatórios de exceções fornecidos em períodos regulares, programados Relatórios Especiais, não programados, fornecidos por solicitação Comparação de desempenho em relação aos concorrentes, desempenho anterior ou padrões industriais Estimativa de tendências em vendas futuras, fluxos de caixa, fatia de mercado, etc. 27

28 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO 4 & CLASSIFICAÇÕES OPERACIONAIS E GERENCIAIS Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Decisões Sistemas de Apoio Gerencial Sistemas de Processamento de Transações Sistemas de Controle de Processos Sistemas Colaborativos Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Apoio à Decisão Sistemas de Informação Executiva 28

29 TIPOS DE INFORMAÇÃO DO 4 & Sistema de Apoio Sistema de Automação de Escritório Sistemas de Produção Processadores de texto, Planilhas Eletronicas, Arquivos digitais CAD/CAM, Robótica, Administração de estoques, Logística Sistemas de Apoio às Decisões Roteirizadores, Carga-Máquina, Carregamento de caminhões, Evolu cão de Vendas Sistemas de Informações Geográficas Mapas digitalizados Data Mining Previsão automatizada de tendências e comportamentos Sistema de Suporte às Decisões Simulação de risco de projeto, análise de sensibilidade (causa/efeito) 29

30 DINÂMICA DE CLASSE DO 4 & O QUE É LOGÍSTICA INTEGRADA?? 30

31 ÊNFASES DA ESTRATÉGIA LOGÍSTICA 1 DE ESTRATÉGIA SISTEMAS DO 4 & FORNECEDOR GARANTIDO PED1 PED2 CADEIA LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS FORNECEDORES inbound LOGÍSTICA DE OPERAÇÕES PLANEJAMENTO ESTOQUES MOVIMENTAÇÕES Cadeia Logística Integrada CADEIA DE VALOR LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO CLIENTES outbound LOGÍSTICA REVERSA 31

32 PRODUTOS & SERVIÇOS DINHEIRO & INFORMAÇÕES O CONCEITO DE CADEIA LOGÍSTICA DO 4 & Fornecedores Segunda Camada Primeira Camada Primeira Camada Clientes Segunda Camada Fonte: Slack et allli in Administração da Produção Ed. Atlas, 1997 p. 412 Consumidor Final Unidade Produtiva Logística Direta e/ou Log. Reversa Lado do fornecimento Lado da demanda Gestão de Compras e Suprimentos Gestão de Materiais Gestão da Distribuição Física Gestão da Cadeia de Suprimentos (SCM) 32

33 IMPORTÂNCIA DOS FLUXOS DE INFORMAÇÕES NA LOGÍSTICA INTEGRADA DO 4 & SCM Qualidade Projetos Planejamento Infra-estrutura Riscos Procedimentos Controles Concepção Análises de via- -bilidade Detalhamento Implementação PCP PCM Condomínio Prédios Estrutura Segurança Patr Planejamento de contingências Suprimentos Desenv. Fornec Relacionamentos Negociações Compras Acompanhamnto Informações T. I. Gestão de cadas -tros Suporte à tomada de decisões Armazéns Recebimento Armazenagem Invent. Físico Abast. Linhas Expedição Distribuição Física Roteirização Gestão de Frotas Transportes Atendimento Contact Center Fulfillment Assist. Técnica Customer Service 33

34 IMPORTÂNCIA DOS FLUXOS DE INFORMAÇÕES NA LOGÍSTICA INTEGRADA DO 4 & Administração de Fornecedores Administração de Estoques Componentes do Gerenciamento da Cadeia Administração de Distribuição Administração de Canal Administração de Pagamentos de Suprimentos (SCM) Administração Financeira Administração da Força de Vendas 34

35 COMO A TI AUXILIA O SUPPLY CHAIN DO 4 & Software de Supply Chain Management (SCM) Software Standalone visando o planejamento e a tomada de decisão exigida pelo supply chain management ERP e Software de SCM Integrados Criando ligações entre os pacotes de ERP e SCM Ampliando o ERP para incorporar as funções exigidas pelo SCM Acrescentando Inteligência Artificial (business intelligence) para as análises que orientam a decisão 35

36 DINÂMICA DE CLASSE DO 4 & QUAIS SÃO AS INFORMAÇÕES MAIS IMPORTANTES PARA O SERVIÇO LOGÍSTICO?? 36

37 SISTEMA DE INFORMAÇÃO LOGÍSTICA (LIS) DO 4 & Princípios da Informação Logística 1. Disponibilidade; 2. Precisão; 3. Atualizações em tempo hábil; 4. LIS baseado em exceções: falta de produtos; 5. Flexibilidade; 6. Formato adequado 37

38 SISTEMA DE INFORMAÇÃO LOGÍSTICA (LIS) DO 4 & Funcionalidades do LIS 1. Gerenciamento de pedidos: entrada do pedido, verificação do crédito e disponibilidade de estoque, cálculo do preço e descontos, devoluções e serviços; 2. Processamento de pedidos: criação do pedido, geração da fatura, picking e verificação da expedição; 3. Gerenciamento de estoque: modelagem e análise da previsão de vendas, simulação do estoque, planejamento de necessidades de estoque e geração, liberação e programação de pedido de re-suprimento; 38

39 SISTEMA DE INFORMAÇÃO LOGÍSTICA (LIS) DO 4 & Funcionalidades do LIS 4. Operações de distribuição: controle de estoque e lotes, localização, seleção e re-suprimento de pedidos, recebimento e guarda e armazenagem; 5. Transporte e expedição: seleção e programação de transportadoras, despacho, preparação de documentos, pagamento de frete, consolidação de cargas, programação do carregamento, localização e expedição da carga e carregamento dos veículos; 6. Suprimento: análise e pagamento, verificação dos pedidos pendentes, entrada, manutenção e recepção de pedidos de compra, cotação do pedido e comunicação de necessidades. 39

40 WMS WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEM DO 4 & SUPMK ESPANHA 08:23 40

41 LAY-OUT GERAL DO CD - ESTRATÉGIA DO 4 & Organização Por Depósito Por Família/Fornecedor Por Produto/Código Por Nível de Risco Por código Por Cliente/Pedido 41

42 ENDEREÇAMENTO CORRETO DO 4 & RUA A 5º. And 4º. And 3º. And Aptos 1 Aptos 2 Nível 2º. And 1º. And Picado Ímpar Bloco 1 Bloco 3 Bloco 5 Bloco 7 LADO ÍMPAR LADO PAR Leitura Código Endereço 1 A Depósito 1 Rua A Bloco 3 Nível 2 Apto 2 42

43 WMS WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEM DO 4 & WMS - warehouse management system é um método de gerenciar e rastrear todas as atividades de produto e gente dentro das funções do armazém, utilizando tecnologia de código de barras e de rádio freqüência (RF) para capturar e comunicar as informações. Um WMS controla todas as atividades de portaria, recebimento, inspeção, controle de qualidade, estocagem, transferências, despacho, reabastecimento, separação/empacotamento/embarque, manifesto, fretes, devoluções, inventário físico, planejamento e alocação de recursos, controle de paletes e contenedores, relatórios de medições de desempenho RFID (fornecedores, clientes, operadores) e produtividade da mão de obra. 04m51s 43

44 Video DAIMLER-CHRYSLER DO 4 & 03:26 Central de Distribuição e Logística de Peças 46

45 CASES DE INFORMAÇÕES INTEGRADOS À LOGÍSTICA DO 4 & Projeto de Implantação WMS 47

46 ROTEIRIZAÇÃO DO 4 & 8m17s 48

47 ROTEIRIZAÇÃO DO 4 & Conceito Básico Roteirização definir a melhor seqüência em que vias e/ou pontos devem ser percorridos, visando o atendimento das demandas por serviço e tendo como objetivo minimizar os custos operacionais, as distâncias percorridas ou os tempos dos trajetos Roteirização de veículos Roteirização de pessoas 49

48 SOFTWARES DE ROTEIRIZAÇÃO DO 4 & Eis alguns exemplos de softwares de roteirização: Roadnet da UPS Logistics Technologies Roadshow da Descartes Group Rotacerta RoutePro da SSA Global Transcad Truckstops da Micro Analytics RouteSmart da RouteSmart Technologies. 54

49 ROTEIRIZAÇÃO DO 4 & UDIFAR 04:37 55

50 APLICAÇÃO DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL DO 4 & Inteligência Artificial Dois Conceitos Básicos: 1. Análise do Raciocínio dos seres humanos 2. Representação desses processos via máquina (computadores, robôs, outras) Três Objetivos da I. A.: 1. Tornar as máquinas mais inteligentes 2. Entender o que é inteligência 3. Tornar as máquinas mais úteis Comportamento Inteligente: Aprende a partir da experiência Distingue ambigüidades/contradições Reage rápido e acertado em novas situações Usa o raciocínio para solucionar problemas ou orientar ações eficientes Lida com situações complexas Assimilar e deduzir de modo comum e racional Aplicar o conhecimento para manipular o ambiente Reconhecer a importância relativa dos diversos elementos em determinadas situações 56

51 EXEMPLOS DE USOS DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NA LOGÍSTICA DO 4 & Reconhecimento de voz e fala Seleção de Frete Inteligente Roteirizadores Instantâneos Configuração de Pedidos (itens indispensáveis) Seqüenciamento de emissão de NF para aproveitamento do modal de transporte Pesagem de volumes resultantes de picking Previsão de Montagem de Caixas de Embalagem Sistemas Especialistas A experiência do especialista é analisada. Os passos lógicos que orientam suas decisões são armazenados no sistema para orientar outros a tomarem decisões. 57

52 DATA MINING DO 4 & Data Mining é o processo de peneirar através de uma grande quantidade de dados históricos na busca de predição de informações contidas em padrões ocultos, utilizando análise estatística, técnicas de modelagem, aprendizado automático e tecnologia de banco de dados. 58

53 DATA MINING DO 4 & O uso do Data Mining permite que os gerentes e analistas desenvolvam relatórios analíticos para tomada de decisão. Em logística, por exemplo, permite orientar curvas de tendências de demanda por espaços físicos, ocupação de veículos, migração de demanda por regiões permitindo configuração de rotas e frotas, variação no volume e no mix de produtos gerando tendências de custo, etc. Leia mais em: atamining_services/index.asp (inglês e português) 59

54 SOLUÇÕES DE B. I. DO 4 & Dashboards Scorecards Portais Monitoramento Desempenho em Tempo Real Extratos Negócios Operacionais Relatórios Tomada de Decisão No dia-a-dia Estatísticas Financeiras Preditivas Análise de Dados Determinação de Tendências 60

55 DATA MINING: MONITORAMENTO DO DESEMPENHO EM TEMPO REAL DO 4 & DASHBOARDS SCORECARDS DASH 61

56 DATA MINING: MONITORAMENTO DO DESEMPENHO EM TEMPO REAL DO 4 & PORTAIS 62

57 DATA MINING: RELATÓRIOS DETALHADOS P/TOMADA DE DECISÃO DO 4 & EXTRATOS RELATÓRIO DE NEGÓCIOS 63

58 DATA MINING: RELATÓRIOS DETALHADOS P/TOMADA DE DECISÃO DO 4 & RELATÓRIOS OPERACIONAIS 64

59 DATA MINING: ANÁLISE DE DADOS DO 4 & ANÁLISES ESTATÍSTICAS 65

60 DATA MINING: ANÁLISE DE DADOS DO 4 & ANÁLISES FINANCEIRAS 66

61 DATA MINING: ANÁLISE DE DADOS DO 4 & ANÁLISES PREDITIVAS 67

62 SOFTWARE DE SCM = INTEGRAÇÃO NA CADEIA DO 4 & REPOSIÇÃO CONTÍNUA ERP DO SUPERMERCADO ERP DO FORNEC 2º. NÍVEL ERP DO FORNEC 1º. NÍVEL CD DO SUPERM MRP DO FORNEC 2º. NÍVEL MRP DO FORNEC 1º. NÍVEL VMI Data Mining 68

63 EVOLUÇÃO DOS SISTEMAS EMPRESARIAIS DO 4 & MRP ANOS 1985 SCM MRP II MRP II ERP ERP 1965 MRP I 1960 T6 - SISTEMAS MRP-I, MRP-II, ERP e SCM ANOS 69

64 INTEGRAÇÃO DOS PLANOS INTERNOS DO 4 & PLANEJAMENTO EMPRESARIAL PLANO DE LUCROS (ORÇAMENTO) CLIENTES PLANEJAMENTO DE VENDAS ANÁLISE DE DEMANDA PLANEJAMENTO DE PRODUÇÃO RECURSOS DISPONÍVEIS PLANO ESTRATÉGICO PLANO DE VENDAS NÃO RECURSOS OK? SIM PLANO INDUSTRIAL PLANO DE MATERIAIS PROGRAMA DE FABRICAÇÃO CONTROLE DE FABRICAÇÃO FEED BACKS PLANEJAMENTO DE MATERIAIS CONTROLE DE MATERIAIS E COMPRAS MEDIDAS DE DESEMPENHO ANÁLISE DE RESULTADOS E DESVIOS FORNECEDORES 70

65 CÁLCULO DE NECESSIDADES MRP-I DO 4 & SISTEMA DE ADM COMERCIAL SISTEMA DE MATERIAIS SISTEMA DE MATERIAIS Cálculo das Necessidades ARQUIVO ITEM ESTRUTURA SALDO DE COMPRAS DEMANDAS CÁLCULO DAS NECESSIDADES SALDOS DE ESTOQUES CAPACIDADE INDUSTRIAL % Perdas do Processo Embalagem Padrão do Fornecedor Tamanho de lote Proporção ABC de Fornecedores Regras de Inclusão/Exclusão itens Lead Times de entrega Políticas de Estoque Estoque de segurança Status das Ops em andamento Consolidação mesmo item, vários Produtos, etc. SISTEMA DE COMPRAS NECESSIDADE DE COMPRAS S F C 71

66 ESTRUTURA DE PRODUTOS DO 4 & Exemplo de uma estrutura de produtos conhecida do grande público CEBOLA CEBOLA CEBOLA PICLES PICLESr PICLES BIG MAC Conne ct HAMBUR GERS (2) ALFACE QUEIJO MOLHO ESPECIAL CEBOLA PICLES PÃO COM GERGELIM 72

67 O Big Mac, Grande Campeão foi criado em 1968 por Jim Delligatti, um franqueado do McDonald s da cidade de Pittsburgh. DO 4 & Principais Fornecedores Refricon hortifruti 73

68 EXERCÍCIO SOBRE ESTRUTURA DE PRODUTOS DO 4 & QUAL A ESTRUTURA DO PRODUTO CAIPIRINHA? E DESTA OUTRA? 74

69 ÁRVORE DE PRODUTOS DO 4 & NÍVEL 0 HIERARQUIA NA LISTA DE MATERIAIS DO PRODUTO "X Item Pai X Demanda Independente Demanda dependente Item Filho NÍVEL 1 A H N Z NÍVEL 2 B I P # F G P # Q R S NÍVEL 3 P # M C W # J K L T U V W NÍVEL 4 D E # # NÍVEL 5 E # # itens filhos com mais de um item pai A terceirização de produção se dá em um destes níveis 75

70 MRP PLANEJAMENTO DE NECESSIDADES DE MATERIAIS DO 4 & Produto P Sub Cj A Sub Cj B Sub Cj C Comp X Comp Y Comp Z Período Previsão de Demanda Plano de Produção Sub-Conjunto A Sub-Conjunto B Sub-Conjunto C Componente X

71 DETERMINAÇÃO DO LEAD TIME DO 4 & Lead Time Estimado Recebimento Antecipado Necessidade Recebimento Atrasado Formação de Estoque (Sobra) Parada (Falta) Hoje Horizonte de planejamento 77

72 PERÍODOS DE INCLUSÃO/EXCLUSÃO DO 4 & Período de Congelamento A B Desvios de Previsão Apenas mudanças de extrema emergência (custo muito alto) Apenas mudanças de emergência (custo alto) Região de mudanças livres + - Hoje Horizonte de planejamento Período Previsão de Demanda Plano de Produção

73 SISTEMAS ERP PRINCIPAIS MÓDULOS DO Contabilidade Geral Custos Recursos Humanos Gestão de Transportes 4 & DRP RCCP CRP Vendas e Previsão SOP MPS MRP-I MPS Master Production Schedule Faturamento RCCP Rough Cut Capacity Planning Workflow MRP Material Requirement Planning MRP-II S&OP Sales & Operations Planning ERP CRP Capacity Requirement Planning Gestão de SFC Shop Ativos Floor Control Folha de Pagamento Contas a Pagar PUR SFC Gestão Financeira Contas a Receber Recebimento Fiscal Manutenção 79

74 Adaptado de Firmino Silva Centro Atlântico - Pt INTEGRAÇÃO DE ERP s DO 4 & Front-Office Vendas e distribuição Gestão / Decisão Relatórios Back-Office Finanças e controle C li e n t e s Representantes de vendas e serviços Base de Central de Dados Pessoal administrativo Produção Pessoal operacional F o r n e c e d o r e s Apoio e serviços Recursos humanos Gestão de materiais Para um operador logístico que atenda a múltiplos clientes é fundamental fazer interface com os Paulo ERP s S. M. dos Carneiro, clientes M. Sc. 80

75 FORNECEDORES ERP DO 4 & Fornecedores mais conhecidos de sistemas ERP: Baan Datasul - JD Edwards - Microsiga - MKGroup (Computer Associates) - Oracle - Peoplesoft - SAP - SENIOR SISTEMAS - egestor - 81

76 FORNECEDORES SCM DO 4 & Fornecedores mais conhecidos de sistemas SCM: Baan Infor SCM Microsoft - Navision Oracle Oracle SCM SAP - MySap Zemeter Supply Chain Consultants (IBM, P Morris, Philips) 82

77 DO 4 & Estudo de Caso ERP Grupo Pão de Açúcar Softwares Analisados

78 Abrangência da Rede DO 4 &

79 Fases da Implantação DO 4 &

80 DO 4 &

81 DO 4 &

82 DECISÃO LOGÍSTICA E T. I. DO 4 & UMA VISÃO SISTÊMICA MRP + ERP + WMS + TMS + SCM + ECR + B2B = TI & LOGÍSTICA PERCEPÇÃO DAS RELAÇÕES DA CADEIA ERP ERP ERP ERP ECR SCM MRP SCM SCM SCM FORNECEDOR FABRICANTE DISTRIBUIDOR VAREJO CLIENTE B2B B2B B2B B2C INTEGRAÇÃO SUPPLY CHAIN Adapptado de LARRAÑAGA, Félix Curso Tecnologia de Informação Aplicada 91

83 LOGÍSTICA E COMÉRCIO ELETRÔNICO DO 4 & Logística de aquisição Fornecedor B2B EMPRESA B2B Atacadista Logística de distribuição Varejista B2B B2B Portal Agregador B 2 C Fonte: Adaptado de Symonds, Mathew. Business and the Internet, Survey. B2C Consumidor T7 E-BUSINESS: 92

84 DECISÃO LOGÍSTICA E T. I. DO 4 & SUPRIMENTOS ARMAZENAGEM PCPM B2B BUSINESS TO BUSINESS SOLUÇÃO para transações realizadas eletronicamente entre COMÉRCIO ELETRÔNICO empresas e/ou consumidores MAXIMIZAR O SERVIÇO AO CLIENTE MINIMIZANDO O CUSTO OPERACIONAL TRANSPORTE DISTRIBUIÇÃO B2C BUSINESS TO CONSUMER 93

85 VALOR ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO ELETRÔNICO DO 4 & Capacidades Estratégicas Superar Barreiras Geográficas: Captar informações sobre transações comerciais de locais distantes. Superar Barreiras de Tempo: Fornecer informações para locais remotos imediatamente após serem requisitadas. Superar Barreiras de Custo: Reduzir o custo dos meios mais convencionais de comunicação.. Superar Barreiras Estruturais: Apoiar conexões para obter vantagem competitiva. 94

86 E-COMMERCE / E-BUSINESS DO 4 & Comércio Eletrônico: compra e venda de produtos, serviços e informação via rede de computadores, primariamente pela Internet Electronic Business: uma definição geral que inclue Compra e venda, mais Serviço ao cliente Colaboração com os parceiros do negócio Condução de transações eletrônicas dentro de uma organização 95

87 TIPOS DE E-COMMERCE DO 4 & SCM Business-to-business EC (B2B) Collaborative commerce (c-commerce) Business-to-consumer EC (B2C) Consumer-to-business (C2B) Consumer-to-consumer (C2C) Intrabusiness (intraorganizational) commerce Government-to-citizens (G2C) e outros Mobile commerce (m-commerce) 96

88 QUADRO GERAL DO E-COMMERCE DO 4 & Aplicações do Comércio Eletrônico * Marketing Direto * Ações, Empregos * Banco Online * Procurement e Compras * Leilões * Viagens * Publicações Online * Serviços ao Cliente * Transações dentro das empresas * E-Governo * C2C * E-Learning Pessoas: Compradores, Vendedores, Intermediários Serviços, Pessoal e Gerentes de TI Políticas Públicas: Impostos e Taxas, Questões Privadas, Regulamentações e Padrões Técnicos Propaganda e Marketing: Pesquisa de Mercado, Promoções e Conteúdo da Web Supply Chain: Parceiros Logísticos e de Negócios (1) Infraestrutura de Serviços dos Negócios Comuns (autenticação segura dos smart cards, Pagamentos eletrônicos, Catálogos de venda Direta) (2) Infraestrutura de Mensagens e Distribuição de Informações (EDI, , Protocolo de Transferência de Hipertexto, Chats) (3) Infraestrutura de Conteúdo Multimídia e de Publicação em Rede (HTML, JAVA, World Wide Web, VRML, XML) (4) Infraestrutura de Rede (telecomunic, TV a cabo, Wireless, Internet (VAN, WAN, LAN, Intranet, extranet) Acesso (celulares) (5) Infraestrutura de Interface (Bancos de Dados, Logística, Clientes e Aplicações) Gerenciamento 97

89 MÉTODOS DE SEGURANÇA DO COMÉRCIO ELETRÔNICO DO 4 & CAMADA DE SUPORTE SEGURO (SSL) SISTEMA DE MICROPAGAMENTOS Exemplos de Métodos de Segurança do Comércio Eletrônico CARTEIRA DIGITAL MÉTODO OFF LINE TRANSAÇÃO ELETRÔNICA SEGURA (SET) 98

90 DINÂMICA DE CLASSE DO 4 & COMO O E-COMMERCE PODE BENEFICIAR: a) AS ORGANIZAÇÕES b) OS CLIENTES c) A SOCIEDADE 99

91 BENEFÍCIOS DO E-COMMERCE DO 4 & BENEFÍCIOS PARA AS ORGANIZAÇÕES Aumento da Base de Clientes: Expandir os Mercados Buscar novos nichos Redução de Custos: Na captação de Clientes No Procurement Nos inventários (puxar) Nos canais de Distribuição No Marketing No paperwork Elimina/Reduz VAN Tempo de Ciclo Rápida localização de materiais de outras companhias Redução no tempo e sair o capital e de Receber Produtos/Sv Competição: Pequenos negócios Podem competir com Grandes Empresas Acelera o nível das trocas comerciais Estreita Parcerias 100

92 BENEFÍCIOS DO E-COMMERCE DO 4 & BENEFÍCIOS PARA OS CLIENTES Mais opções de Escolhas: Mais ofertantes Mais produtos Mais variedades Facilita a busca por produtos Personalizados Facilita o Encontro de raridades Conveniência: Facilidade de Comparações de produtos Acesso 24 hs o ano todo Acesso de Qualquer Lugar e local Informações abundantes sobre os Produtos Permite busca por produtos personalizados Comunidades virtuais podem trocar ou comparar experiências O mundo é o limite 101

93 BENEFÍCIOS DO E-COMMERCE DO 4 & BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE Acesso: Mercadorias por menores preços Pessoas de menor padrão podem adquirir Mercadorias de maior padrão, mais baratas Regiões mais carentes podem ter acesso a maior variedade de produtos ou serviços que pelas vias normais não estariam ao alcance Facilitaria que a entrega de serviços públicos das entidades governamentais, reduzam o custo de distribuição e minimizem fraudes, melhorem a qualidade dos serviços sociais, política de trabalho, saúde e educação Conveniência: Trabalho em casa aumentando o tempo com a família e lazer reduzindo trânsito Educação à distância Contratação de deliveries Pode-se adquirir produtos como presentes em outra cidade para presentear parentes e amigos residentes nesta outra cidade Pessoas de países pobres ou de zonas Rurais podem aprender profissões ou Buscar tratamento de saúde Maior liberdade de Compras e de Informação de Produtos 102

94 E-COMMERCE: LIMITAÇÕES TÉCNICAS DO 4 & São poucos os desafios técnicos para as organizações que desejam ingressar no EC: Ausência de padrões universalmente aceitos para qualidade, segurança, e confiabilidade; Tamanho de banda insuficiente nas telecomunicações Ferramentas de desenvolvimento de software ainda não atingiram maturidade Dificuldade de integrar os softwares de Internet e os de EC com as aplicações e os bancos de dados existentes (especialmente os herdados) Necessitam servidores especiais para a Web além dos servidores de rede Acesso à Internet ainda é caro ou não conveniente para muitas pessoas e Tudo isso declinirá com o tempo 103

95 E-COMMERCE: LIMITAÇÕES NÃO-TÉCNICAS DO 4 & Aspectos legais e econômicos: Muitos aspectos legais ainda não solucionados Ausência de padrões industriais e regulamentações nacionais e internacionais Dificuldade em mensurar os benefícios do EC e justificá-los Número insuficiente (massa crítica) de vendedores e compradores para operações lucrativas em EC Resistência Cultural: Desconfiança ao novo: Muitos vendedores e compradores aguardam a estabilização do EC antes de fazerem parte Resistência dos clientes em migrar de lojas físicas para virtuais Percepção que o comércio eletrônico é caro e desprotegido, então muitos não tentam experimentar 104

96 E-COMMERCE: BUSINESS-TO-BUSINESS 1 DO 4 & Compõem a maioria do volume de EC Permite que as organizações construam relacionamentos eletrônicos Cobrem todas as atividades ao longo da cadeia de suprimentos Modelos de Negócio: Sell-Side Marketplace Organizações vendem produtos para outras organizações eletrônicamente. Buy-Side Marketplace Compradores publicam as necessidades; vendedores submetem suas propostas (leilão reverso) Trocas Eletrônicas Mercado Eletrônico põe em contato vários compradores e vários vendedores 105

97 E-COMMERCE: BUSINESS-TO-BUSINESS 2 DO 4 & Comércio Colaborativo atividades fora das de compra e venda entre as empresas: Planejamento e programação Design Informações de novos produtos Gerenciamento do conteúdo do produto Administração de Pedidos Pesquisa de fontes alternativas 106

98 INFLUÊNCIA DO E-BUSINESS NA CADEIA DE SUPRIMENTOS DO 4 & J.I.T. PLANETÁRIO ELETRÔNICO UMA GRANDE CADEIA COM SINCRONIZAÇÃO DE AÇÕES ENTRE OS PARCEIROS T8 APLICAÇÕES DE E-BUSINESS NA CADEIA DE SUPRIMENTOS 107

99 E-PROCUREMENT DO 4 & As soluções de eprocurement melhoram os processos de compras das empresas através de requisições automáticas e ordens de compras para bens e serviços, descentralizando o processo de compras, conectando diretamente os fornecedores e aperfeiçoando o cumprimento dos colaboradores às políticas determinadas pela organização. Verbo Inglês To Procure : Obter e-procurement: compra usando suporte eletrônico Combinam pesquisa de fornecedores, demonstração de produtos e referências de clientes, utilizando múltiplos critérios em plataformas diversas como: Ariba, BasWare, Oracle iprocurement (Oracle), Oracle PeopleSoft Enterprise eprocurement (PeopleSoft), e SAP. 108

100 EDI TROCA ELETRÔNICA DE DADOS DO 4 & EDI Electronic Data Interchange É uma troca automatizada, de um computador para outro, de informações de negócios estruturadas, entre uma empresa e seus parceiros comerciais, de acordo com um padrão reconhecido internacionalmente. (Manual ECR Brasil) 109

101 EDI COMPONENTES DO 4 & Os componentes do EDI são: VAN, Caixa Postal Eletrônica e padrão da mensagem. VAN A VAN - Value Added Network ou Rede de Valor Agregado, é a empresa que fornece o sistema de caixas postais eletrônicas, através do qual todos os documentos são enviados e distribuídos aos fornecedores, com a garantia de segurança e disponibilidade que um projeto deste tipo requer. Além disso toda a solução de software de tradução, auditoria, back-ups, comunicação e segurança, também são fornecidos pela VAN. 110

102 EDI COMPONENTES DO 4 & Caixa Postal Eletrônica Funciona como uma Caixa Postal de correio, só que recebendo apenas mensagens/arquivos eletrônicos e sendo administrada por uma VAN. Cada participante do EDI recebe uma Caixa Postal Eletrônica e somente ele pode definir quem terá acesso para colocar informações, e o que poderá ser colocado. Para retirada das informações o participante deverá se conectar à VAN, fornecer o seu código e senha da Caixa Postal e com isso ter acesso as informações. (Makro Atacadista) 111

103 EDI COMPONENTES DO 4 & Edifact: É a linguagem definida pela ONU para o intercâmbio eletrônico de dados em administração, comércio e transportes. Eancom: É a versão simplificada do UN/EDIFACT que abrange 42 mensagens voltadas para os processos de comercialização de mercadorias e serviços, incluindo serviços de transporte e transações financeiras. (Manual ECR Brasil) 112

104 EDI COMPONENTES DO 4 & Quando utilizamos o EDI para enviar o Pedido de Compra, o pedido colocado no computador do supermercado será convertido para uma linguagem padrão (no Brasil EDIFACT/EANCOM), transmitido para o parceiro através da VAN (empresa de comunicação que liga os parceiros de negócios) e processado automaticamente no sistema de faturamento do fornecedor, eliminando-se com isso toda a intervenção manual. O EDI pode ser aplicado não só ao documento Pedido de Compras, mas também a vários outros como Nota Fiscal, Lista de Preços, Ordem de Pagamento, etc. (Makro Atacadista) 113

105 EDI FUNCIONAMENTO DO 4 & EDI (como funciona) MAKRO Caixa Postal eletrônica Fornecedor Mensagem Mensagem VAN 114

106 EXEMPLO DO USO DE E.D.I. DO O Fornecedor envia os dados 8 APLIC da DE NF E-B que pretende emitir pelo sistema 4 & 115

107 EXEMPLO DO USO DE E.D.I. DO Se os dados estiverem corretos, a YY 4 & LOGIST autoriza INTEGR a emissão da NF, gera NA uma CADEIA SUPR senha e captura os dados da NF mantendo em arquivo provisório Senha y21mw 116

108 EXEMPLO DO USO DE E.D.I. DO Com a confirmação do Embarque a YY 4 & LOGIST registra INTEGR a data provável de recebimento e planeja suas ações Senha y21mw 117

109 EXEMPLO DO USO DE E.D.I. DO Ao receber o veículo na data agendada é só 4 & LOGIST chamar INTEGR a senha no sistema, puxar a NF virtual, teclar Enter e Priorizar a entrada Senha y21mw 118

110 APLICAÇÕES DE E-BUSINESS NA CADEIA DE SUPRIMENTOS DO 4 & ECR Efficient Consumer Response (Resposta Eficiente ao Consumidor) O fornecedor tem acesso direto às lojas e às informações dos check-outs ou das vendas consolidadas diariamente por loja. Faz o envio direto para as lojas. Tem prioridade de acesso. Pode ou não administrar o abastecimento das gôndolas. Recolhe e substitui as mercadorias vencidas, estragadas ou com defeito. A forma de colocação de pedidos é por contrato de fornecimento. Forte apoio em TI. VMI Vendor Management Inventory O fornecedor administra o estoque do varejista. O varejista tem a propriedade da mercadoria. O vendedor sugere mix de produtos e volumes adequados de estoque baseado em algoritmos que desenvolveu com base na comparação com outros varejistas cujo estoque administra. ECR 06:47 119

111 APLICAÇÕES DE E-BUSINESS NA CADEIA DE SUPRIMENTOS DO 4 & CRP Continuous Replenishment Programm (Programa de Reposição Contínua) Os fornecedores recebem os dados direto dos PDV e preparam entregas regulares dentro de parâmetros mínimos e máximos contratados, em dias determinados de entrega. CPFR Collaborative Planning, Forecasting and Replenishment (Planejamento, Previsão e Ressuprimento Colaborativo) O Varejista elabora sua previsão de vendas e entrega ao Fornecedor que compara com informações de outros varejistas. Eliminam-se os erros de previsão e identificam tendências de consumo. O fornecedor retorna a informação com comentários quando são necessários ajustes. A forma de colocação de pedidos é tradicional ou eletrônica, via EDI. 120

112 Criar Visão DO Determinar Direciona dores Fazer Avaliações 4 & PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO Desenvolver Estratégias Projetar Arquitetura de TI Desenvolver Táticas Visão Empresarial Melhores Práticas Reengenharia Necessidades Específicas Capacidades Existentes Oportunidades Estratégicas Avaliação de Lacunas Estratégias de Negócios e de TI Arquitetura de TI Plataforma Tecnológica Recursos de Dados Portfólio de Aplicações Planos de Implementação da Tecnologia Planos de Investimento Necessidades dos Clientes Necessidades dos Parceiros Necessidades de Posicionamento de Longo Alcance Organização de TI Planos de Transformação da Organização T9 DESENHO E IMPLEMENTAÇÃO DE

113 ABORDAGEM SISTÊMICA NA SOLUÇÃO DE PROBLEMAS DO 4 & DEFINIR O PROBLEMA DESENVOLVER SOLUÇÕES ALTERNATIVAS Monitorar e Avaliar os Resultados SELECIONAR A SOLUÇÃO PROJETAR A SOLUÇÃO IMPLANTAR A SOLUÇÃO 122

114 CICLO DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DO 4 & Entender o problema ou oportunidade empresarial INVESTIGAÇÃO Produto: Estudo de Viabilidade ANÁLISE Produto: Requisitos Funcionais Desenvolver uma solução do Sistema de Informação PROJETO Produto: Especificações do Sistema Implantar a Solução de Sistema de Informação IMPLEMENTAÇÃO Produto: Sistema Operacional; MANUTENÇÃO Produto: Melhoria de Sistemas 123

115 INVESTIGAÇÃO DO 4 & Viabilidade Organizacional. Viabilidade Econômica Viabilidade Técnica Viabilidade Operacional 124

116 PROJETO DO 4 & Projeto da Interface com o Usuário Projeto dos Dados Projeto do Processo 125

117 PROCESSO DE PROTOTIPAGEM DO 4 & Identificar os Requisitos de Informação do Usuário Final Ciclo de Prototipagem Ciclo de Manutenção Desenvolver Protótipos de Sistemas de Informação Rever os Protótipos Para Atender Melhor os Requisitos do Usuário Final Utilizar e Manter o Sistema Aceito 126

118 O PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO DO 4 & Atividades de Implementação Aquisição Desenvolvimento ou Modificação Treinamento do Usuário Final Documentação do Sistema Conversão

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP Sistemas de Informação Sistemas Integrados de Gestão ERP Exercício 1 Um arame é cortado em duas partes. Com uma das partes é feito um quadrado. Com a outra parte é feito um círculo. Em que ponto deve ser

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

APLICATIVOS CORPORATIVOS

APLICATIVOS CORPORATIVOS Sistema de Informação e Tecnologia FEQ 0411 Prof Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Capítulo 3 APLICATIVOS CORPORATIVOS PRADO, Edmir P.V.; SOUZA, Cesar A. de. (org). Fundamentos de Sistemas

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém Bloco Suprimentos WMS Gerenciamento de Armazém Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo WMS, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas foram

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 09 Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina

Leia mais

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 FSI capítulo 2 Referências bibliográficas: Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010 Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 Porter M., Competitive

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid

TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid Recebimento de NF-e e CT-e Emissão de NF-e, CT-e, MDF-e e NFS-e Integração nativa com o seu ERP Exija a solução que é o melhor investimento para a gestão

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 4.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 4.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 4.1 4 OBJETIVOS OBJETIVOS A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS Como a tecnologia de Internet mudou propostas de valor e modelos de negócios

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA:

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: Prof. Jean Cavaleiro Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: PRODUÇÃO E COMÉRCIO Introdução Entender a integração logística. A relação produção e demanda. Distribuição e demanda. Desenvolver visão sistêmica para

Leia mais

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos JOGO DA CERVEJA Experimento e 2: Abordagem gerencial hierárquica e centralizada Planejamento Integrado de todos os Estágios de Produção e Distribuição Motivação para um novo Experimento Atender à demanda

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Sistemas de Informações. SCM Supply Chain Management

Sistemas de Informações. SCM Supply Chain Management Sistemas de Informações SCM Supply Chain Management Fontes Bozarth, C.; Handfield, R.B. Introduction to Operations and Supply Chain Management. Prentice Hall. 2nd. Edition Objetivos Fluxos de Informação

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundação Getúlio Vargas Estudantes na Escola de Administração da FGV utilizam seu laboratório de informática, onde os microcomputadores estão em rede

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística Sistemas de Informação Sistemas de informação ERP - CRM O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para

Leia mais

3) Descreva resumidamente a função do módulo de Compras do ERP da Microsiga e qual é a sua relação com o conceito de e-procurement.

3) Descreva resumidamente a função do módulo de Compras do ERP da Microsiga e qual é a sua relação com o conceito de e-procurement. Professor:José Alves Disciplina:SIG/ Atividade Nota Nome Aluno(a) Nºs Exercícios SIG 1) Defina, com suas palavras, o que é ERP? 2) Marque V para as afirmações verdadeiras em relação a um ERP e F para as

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Os Sistemas de Informação para as Operações das Empresas e o Comércio Eletrônico Simulado Verdadeiro ou Falso

Os Sistemas de Informação para as Operações das Empresas e o Comércio Eletrônico Simulado Verdadeiro ou Falso Os Sistemas de Informação para as Operações das Empresas e o Comércio Eletrônico Simulado Verdadeiro ou Falso 1. Muitas organizações estão utilizando tecnologia da informação para desenvolver sistemas

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Coordenação Acadêmica: Prof. Jamil Moysés Filho OBJETIVO: Ao final do Curso, o aluno será capaz de: Conhecer

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI Resposta do Exercício 1 Fundação Getúlio Vargas Leia o texto e responda o seguinte: a) identifique os recursos de: Hardware: microcomputadores,

Leia mais

Comércio Eletrônico. Comércio Eletrônico. Grau de digitalização. Caracteriza-se Comércio eletrônico pelo grau de digitalização:

Comércio Eletrônico. Comércio Eletrônico. Grau de digitalização. Caracteriza-se Comércio eletrônico pelo grau de digitalização: Comércio Eletrônico FTS Faculdade Taboão da Serra Curso de Administração de Sistemas de Informações Disciplina: Comércio Eletrônico Comércio Eletrônico Caracteriza-se Comércio eletrônico pelo grau de digitalização:

Leia mais

Software de gerenciamento de trabalho

Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho GoalPost O software de gerenciamento de trabalho (LMS) GoalPost da Intelligrated fornece informações sob demanda para medir,

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM WMS WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ARMAZÉM/DEP M/DEPÓSITO WMS Software de gerenciamento de depósito que auxilia as empresas na busca de melhorias nos

Leia mais

Logistica e Distribuição. Responsabilidades. O Fluxo do Processamento do Pedido. Mas quais são as atividades da Logística?

Logistica e Distribuição. Responsabilidades. O Fluxo do Processamento do Pedido. Mas quais são as atividades da Logística? Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística e Distribuição A Atividade de Processamento de Pedidos e Aquisição/Programação de Produtos Primárias Apoio 1 2 Responsabilidades O Fluxo

Leia mais

Objectivos de aprendizagem

Objectivos de aprendizagem Capítulo 6 1 Telecomunicações e redes 2 Objectivos de aprendizagem ƒ Identificar as principais tendências e os grandes desenvolvimentos nas empresas, nas tecnologias e nas aplicações de negócio, das telecomunicações

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL 2015 Sabemos que as empresas atualmente utilizam uma variedade muito grande de sistemas de informação. Se você analisar qualquer empresa que conheça, constatará que existem

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

A empresa digital: comércio e negócios eletrônicos

A empresa digital: comércio e negócios eletrônicos Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 06 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 05 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

ERP Entreprise Resource Planning. Fabiano Armellini

ERP Entreprise Resource Planning. Fabiano Armellini ERP Entreprise Resource Planning Fabiano Armellini Overview 1) Introdução 2) Histórico 2.1) MRP 2.2) MRP II 2.3) Do MRP II ao ERP 3) Módulos do ERP 3.1) Módulos de supply chain management 3.2) Módulos

Leia mais

Tecnologia da Informação e Comunicação. Douglas Farias Cordeiro

Tecnologia da Informação e Comunicação. Douglas Farias Cordeiro Tecnologia da Informação e Comunicação Douglas Farias Cordeiro Algumas coisas que vimos até aqui Qual a diferença entre as funções do analista e do projetista? Como funciona o ciclo de vida de um projeto

Leia mais

Identificar as mudanças que acontecem na forma e no uso de apoio à decisão em empreendimentos de e-business. Identificar o papel e alternativas de

Identificar as mudanças que acontecem na forma e no uso de apoio à decisão em empreendimentos de e-business. Identificar o papel e alternativas de 1 Identificar as mudanças que acontecem na forma e no uso de apoio à decisão em empreendimentos de e-business. Identificar o papel e alternativas de relatórios dos sistemas de informação gerencial. Descrever

Leia mais

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza edwin@engenharia-puro.com.br www.engenharia-puro.com.br/edwin Gerenciamento Logístico Gerenciamento Logístico A missão do gerenciamento logístico é planejar

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

Visão Geral dos Sistemas de Informação

Visão Geral dos Sistemas de Informação Visão Geral dos Sistemas de Informação Existem muitos tipos de sistemas de informação no mundo real. Todos eles utilizam recursos de hardware, software, rede e pessoas para transformar os recursos de dados

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 11 Sistemas de E-business Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob licença Creative Commons

Leia mais

IV. Intercâmbio Eletrônico de Dados (EDI)

IV. Intercâmbio Eletrônico de Dados (EDI) IV. Intercâmbio Eletrônico de Dados (EDI) 1. Funcionamento do EDI 2. EDI tradicional X WEB EDI 3. EDI Tradicional 4. WEB EDI Intercâmbio Eletrônico de Dados (EDI) EDI: Electronic Data Interchange Troca

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Informação no contexto administrativo Graduação em Redes de Computadores Prof. Rodrigo W. Fonseca SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA PELOTAS >SistemasdeInformação SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 6 ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Leia mais

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Sistemas web e comércio eletrônico Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Tópicos abordados Arquitetura do e-commerce Aspectos importantes do e-commerce Modelos de negócios Identificação do modelo

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

Logística Empresarial

Logística Empresarial Logística Empresarial Administração de Empresas 6º Período Resumo Introdução ao Conceito de Logística Logística Empresarial (ótica acadêmica e empresarial) Globalização e Comércio Internacional Infra-Estrutura

Leia mais

Logística Integrada. Esse termo refere-se ao papel da Logística como elemento de ligação entre todos os processos, desde o Fornecedor até o Cliente.

Logística Integrada. Esse termo refere-se ao papel da Logística como elemento de ligação entre todos os processos, desde o Fornecedor até o Cliente. Logística Integrada Esse termo refere-se ao papel da Logística como elemento de ligação entre todos os processos, desde o Fornecedor até o Cliente. Ballou (1993) Fonte: BALLOU, R. H. Logística Empresarial.

Leia mais

WMS - Warehouse Management System

WMS - Warehouse Management System Sistema de Gestão Empresarial LUSANA SOUZA NATÁLIA BATUTA MARIA DAS GRAÇAS TATIANE ROCHA GTI V Matutino Prof.: Itair Pereira Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. WMS... 2 3. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 2 4. POLÍTICA

Leia mais

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO 1 OBJETIVOS 1. O que é a nova infra-estrutura informação (TI) para empresas? Por que a conectividade é tão importante nessa infra-estrutura

Leia mais

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. TENDÊNCIAS NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Atualmente, muitos negócios são realizados de forma eletrônica não sendo necessário sair de casa para fazer compras

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS O PODER DA INFORMAÇÃO Tem PODER quem toma DECISÃO Toma DECISÃO correta quem tem SABEDORIA Tem SABEDORIA quem usa CONHECIMENTO Tem CONHECIMENTO quem possui INFORMAÇÃO (Sem

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ PLANO DE ENSINO - 2º SEMESTRE 2011 Disciplina ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS Professor MSC. ADOLFO FRANCESCO DE OLIVEIRA COLARES Carga Horária Semanal Curso ADMINISTRAÇÃO Carga Horária

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

Classificações dos SIs

Classificações dos SIs Classificações dos SIs Sandro da Silva dos Santos sandro.silva@sociesc.com.br Classificações dos SIs Classificações dos sistemas de informação Diversos tipo de classificações Por amplitude de suporte Por

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação

Estratégias em Tecnologia da Informação Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 6 Sistemas de Informações Estratégicas Sistemas integrados e sistemas legados Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados Material de apoio 2 Esclarecimentos

Leia mais

O que é ERP e suas vantagens

O que é ERP e suas vantagens Sistema 8Box ERP O que é ERP e suas vantagens Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa, possibilitando a automação e

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

Politicas de Armazenagem Formador: João Matias TL02. Trabalho Realizado Por: Helena Pereira - Dora Costa - Armando Gonçalves Paulo Caiola

Politicas de Armazenagem Formador: João Matias TL02. Trabalho Realizado Por: Helena Pereira - Dora Costa - Armando Gonçalves Paulo Caiola Politicas de Armazenagem Formador: João Matias TL02 Trabalho Realizado Por: Helena Pereira - Dora Costa - Armando Gonçalves Paulo Caiola Introdução A informação sempre foi importante, essencial mesmo,

Leia mais

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos JOGO DA CERVEJA Experimento 3: Abordagem gerencial hierárquica e centralizada Planejamento Integrado e Nivelado de todos os Estágios de Produção e Distribuição JOGO DA CERVEJA Experimento e 3: Integrando

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0 Autor: Marco Polo Viana. Bloco Suprimentos

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0 Autor: Marco Polo Viana. Bloco Suprimentos Bloco Suprimentos Controle de Produção PCP Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Controle de Produção PCP, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas

Leia mais

TAW Tópicos de Ambiente Web

TAW Tópicos de Ambiente Web TAW Tópicos de Ambiente Web Comércio Eletrônico rveras@unip.br Aula - 04 Agenda Comércio Eletrônico 2 Comércio Eletrônico Comércio Eletrônico 3 O que é o comércio eletrônico Evolução Transações convencionais

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser:

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser: CONCEITOS INICIAIS O tratamento da informação precisa ser visto como um recurso da empresa. Deve ser planejado, administrado e controlado de forma eficaz, desenvolvendo aplicações com base nos processos,

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Logística Empresarial

Logística Empresarial Logística Empresarial Aula 05 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS. Mede a capacidade de comunicação de computadores e dispositivos. Operam em diferentes plataformas de hardware

LISTA DE EXERCÍCIOS. Mede a capacidade de comunicação de computadores e dispositivos. Operam em diferentes plataformas de hardware 1. A nova infra-estrutura de tecnologia de informação Conectividade Mede a capacidade de comunicação de computadores e dispositivos Sistemas abertos Sistemas de software Operam em diferentes plataformas

Leia mais

Classificação dos Sistemas de Informação

Classificação dos Sistemas de Informação Sistemas de Informação Classificação dos Sistemas de Informação O que veremos? Estaremos examinando o tipo de sistema de informação Gerencial. Veremos também, outras classificações dos sistemas de informação.

Leia mais

Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários

Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários Fonte: TAKAHASHI, 2000; VEJA ONLINE, 2006 Definições de comércio eletrônico/e-business E - BUSINESS, acrônimo do termo em

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 9 Telecomunicações e Rede Interconectando a Empresa Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob

Leia mais

08/03/2009. Como mostra a pirâmide da gestão no slide seguinte... Profª. Kelly Hannel. Fonte: adaptado de Laudon, 2002

08/03/2009. Como mostra a pirâmide da gestão no slide seguinte... Profª. Kelly Hannel. Fonte: adaptado de Laudon, 2002 Pirâmide da Gestão Profª. Kelly Hannel Fonte: adaptado de Laudon, 2002 Diferentes tipos de SIs que atendem diversos níveis organizacionais Sistemas do nível operacional: dão suporte a gerentes operacionais

Leia mais

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN)

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN) Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN) SISTEMAS COM ERP Profº Adalberto J. Tavares Vieira ERP

Leia mais

27/10/2011. Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização

27/10/2011. Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização 1 Tipos de SI Depende do tipo de apoio a ser oferecido Deve-se levar em consideração: Usuários operações (entrada +processamento + saída) destino

Leia mais

SCM Supply Chain Management Desafio na Integração de clientes e fornecedores

SCM Supply Chain Management Desafio na Integração de clientes e fornecedores SCM Supply Chain Management Desafio na Integração de clientes e fornecedores OBJETIVOS Principais desafios de Supply Chain enfrentados pelas indústrias Premissas para criação de valor na comunicação interempresas

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CORPORATIVA

SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CORPORATIVA SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CORPORATIVA SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE INFORMAÇÕES Um Sistema de Informação não precisa ter essencialmente

Leia mais

MRP, MRPII, ERP... Oracle, SAP, Microsiga... MRP MRP II - ERP. MRP Material Requirement Planning. MRP II Manufacturing Resources Planning

MRP, MRPII, ERP... Oracle, SAP, Microsiga... MRP MRP II - ERP. MRP Material Requirement Planning. MRP II Manufacturing Resources Planning MRP, MRPII, ERP... Oracle, SAP, Microsiga... MRP MRP II - ERP MRP Material Requirement Planning MRP II Manufacturing Resources Planning ERP Enterprise Resource Planning 1 O MRP é um software que auxilia

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 10 Fato Real A batalha pelos dados Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob licença Creative

Leia mais

Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente: aplicativos integrados. slide 1

Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente: aplicativos integrados. slide 1 Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente: aplicativos integrados slide 1 Objetivos de estudo Como os sistemas integrados ajudam as empresas a conquistar a excelência operacional?

Leia mais

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM 5/5/2013 1 ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING 5/5/2013 2 1 Os SI nas organizações 5/5/2013 3 Histórico Os Softwares de SI surgiram nos anos 60 para controlar estoque

Leia mais

MATERIAL DIDÁTICO: APLICAÇÕES EMPRESARIAIS SISTEMA DE APOIO À DECISÃO (SAD)

MATERIAL DIDÁTICO: APLICAÇÕES EMPRESARIAIS SISTEMA DE APOIO À DECISÃO (SAD) AULA 07 MATERIAL DIDÁTICO: APLICAÇÕES EMPRESARIAIS SISTEMA DE APOIO À DECISÃO (SAD) JAMES A. O BRIEN MÓDULO 01 Páginas 286 à 294 1 AULA 07 SISTEMAS DE APOIO ÀS DECISÕES 2 Sistemas de Apoio à Decisão (SAD)

Leia mais

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Sistemas de Apoio Prof.: Luiz Mandelli Neto Sistemas de Apoio ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Mapa de TI da cadeia de suprimentos Estratégia Planejamento Operação

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Introdução à Unidade Curricular

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Introdução à Unidade Curricular SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Introdução à Unidade Curricular Material Cedido pelo Prof. Msc. Ângelo Luz Prof. Msc. André Luiz S. de Moraes 2 Materiais Mussum (187.7.106.14 ou 192.168.200.3) Plano de Ensino SISTEMAS

Leia mais

A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS

A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS 1 OBJETIVOS 1. Como a tecnologia de Internet mudou propostas de valor e modelos de negócios? 2. O que é comércio eletrônico?? Como esse tipo de comércio

Leia mais

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação Capítulo 2 E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação 2.1 2007 by Prentice Hall OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever as principais características das empresas que são importantes

Leia mais

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns WMS Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Informática Aplicada a Logística Profº Breno Amorimsexta-feira, 11 de setembro de 2009 Agenda

Leia mais

EDI Definição, funcionamento Benefícios Categorias de EDI Pontos chaves (EDI/ XML) XML (Extensible Markup Language) HTML e XML

EDI Definição, funcionamento Benefícios Categorias de EDI Pontos chaves (EDI/ XML) XML (Extensible Markup Language) HTML e XML Tecnologia da Administração O que veremos? EDI Definição, funcionamento Benefícios Categorias de EDI Pontos chaves (EDI/ XML) XML (Extensible Markup Language) HTML e XML Sintaxe Edifact (ONU) EDI For Administration

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 9.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 9.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 9.1 9 OBJETIVOS OBJETIVOS A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO O que é a nova infra-estrutura de tecnologia de informação

Leia mais

O que é e-ppcp? Funcionalidades adicionadas:

O que é e-ppcp? Funcionalidades adicionadas: e-ppcp / e-kanban 1 O que é e-ppcp? O e-ppcp é um aplicativo desenvolvido em ABAP/4 pela IntegrationSys para adicionar ao ERP SAP funcionalidades para suportar efetivamente o planejamento e operação de

Leia mais

Tecnologia Aplicada à Logística

Tecnologia Aplicada à Logística Tecnologia Aplicada à Logística Movimentação e TI Alunos: Keriton Leandro Fernando TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA LOGÍSTICA Definição de Informação na Logística É um elemento de grande importância nas operações

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Internet Internet Internet é o conglomerado de redes, em escala mundial de milhões de computadores interligados, que permite o acesso a informações e todo

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

SISTEMAS E GESTÃO DE RECURSOS ERP E CRM. Prof. André Aparecido da Silva Disponível em: http://www.oxnar.com.br/2015/unitec

SISTEMAS E GESTÃO DE RECURSOS ERP E CRM. Prof. André Aparecido da Silva Disponível em: http://www.oxnar.com.br/2015/unitec SISTEMAS E GESTÃO DE RECURSOS ERP E CRM Prof. André Aparecido da Silva Disponível em: http://www.oxnar.com.br/2015/unitec Teoria geral do Sistemas O Sistema é um conjunto de partes interagentes e interdependentes

Leia mais

TÉCNICAS DE INFORMÁTICA WILLIAN FERREIRA DOS SANTOS

TÉCNICAS DE INFORMÁTICA WILLIAN FERREIRA DOS SANTOS TÉCNICAS DE INFORMÁTICA WILLIAN FERREIRA DOS SANTOS Vimos em nossas aulas anteriores: COMPUTADOR Tipos de computadores Hardware Hardware Processadores (CPU) Memória e armazenamento Dispositivos de E/S

Leia mais

Objetivos. Qantas Airways Uma nova maneira de competir

Objetivos. Qantas Airways Uma nova maneira de competir MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS - UFAL FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE FEAC CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CONCEITOS COMÉRCIO ELETRÔNICO Prof. Dr. Nelsio Abreu nelsio@gmail.com

Leia mais

SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO

SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO Rosenclever Lopes Gazoni Data MACROPROCESSO [1] AUTOMAÇÃO DE ESCRITÓRIO/COMERCIAL: Correio eletrônico; vídeo texto; vídeo conferência; teleconferência;

Leia mais

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Identificar as diversas estratégias competitivas básicas e explicar como elas podem utilizar a tecnologia da informação para fazer frente às forças competitivas que as empresas enfrentam.

Leia mais

Canais de marketing. Trade Marketing. Trade Marketing. Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis:

Canais de marketing. Trade Marketing. Trade Marketing. Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis: Canais de marketing Prof. Ricardo Basílio ricardobmv@gmail.com Trade Marketing Trade Marketing Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis: Distribuidores; Clientes; Ponto de venda.

Leia mais

Lógica de Programação

Lógica de Programação Lógica de Programação Sistema de Informação Sistemas de Informação em Negócios e SIG Francisco Rodrigues Sistemas de Informação em Negócios Ajudam os funcionários na execução das tarefas, principalmente

Leia mais