N Ú C L E O 4 : P s i c o l o g i a d o T r a b a l h o e d a s O r g a n i z a ç õ e s

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "N Ú C L E O 4 : P s i c o l o g i a d o T r a b a l h o e d a s O r g a n i z a ç õ e s"

Transcrição

1 N Ú C L E O 4 : P s i c o l o g i a d o T r a b a l h o e d a s O r g a n i z a ç õ e s DEPARTAMENTO : Psicologia Social PERÍODO : 7º/2014 CARGA HORÁRIA : 102 PROFESSORES : André Bruttin (Programa 1) José Agnaldo Gomes (Programa 2) Renata Paparelli (Programa 3) OBJETIVOS DO NÚCLEO: O N ú c l e o " T r a b a l h o e Pr o d u ç ã o " tem p o r obje tivos : Demonstrar como os problemas humanos do trabalho e das organizações dizem respeito à atuação profissional do psicólogo em qualquer uma das suas áreas de atuação; Ap re s e n tar a p r o b l e má ti c a d o tr a b a l h o h u m a n o e d o s d i v e r s o s tipo s d e o rg a n i z a ç õ e s a p a r tir d a s p r i n c i p a i s r e fle x õ e s p r o d u z i d a s p e l a p s i c o l o g i a e m s e u di á l o g o inter d i s c i p l i n a r ; Ap re s e n tar a s tr ê s g r a n d e s v e r tentes q u e n o Br a s i l c o n figu ra r a m a s a p r o x i m a ç õ e s d a Ps i c o l o g i a e m r e l a ç ã o a o tra b a l h o e a o s tr a b a l h a d o r e s : Ps i c o l o g i a Or g a n i z a c i o n a l, Ps i c o l o g i a Soci a l d o T r a b a l h o e S a ú d e d o T r a b a l h a d o r ; R e fle tir s o b r e a a tuaç ã o p r o fis s i o n a l d o p s i c ó l o g o v o l ta d a p a r a a s q u e s tõ e s d o tr a b a l h o e in s tr u m e n tali z a r o al u n o p a r a pr o p o r n o v a s for m a s d e atua ç ã o. A o b r i g a tor i e d a d e d e s te c o n j u n to d e d i s c i p l i n a s e e s tág i o s j u s tifica -s e p e l o fa to d e s e r e m s e u c o n te ú d o e s u a s d i s c u s s õ e s e s s e n c i a i s p a r a a for ma ç ã o d o s p s i c ó l o g o s, s e j a m q u a i s for e m s u a s futu r a s á r e a s d e a tuaç ã o, j á q u e o tr a b a l h o c o n s titu i u ma d a s c a teg o r i a s fund a m e n tais p a r a a c o m p r e e n s ã o d o s e r humano. O B J ETIVO S G ER AIS D O S PR O GR A M AS: As d i s c i p l i n a s q u e c o m p õ e m o N ú c l e o 4 o b j e ti v a m a p r e s e n tar a s tr ê s g r a n d e s á r e a s d e a p r o x i ma ç ã o d a p s i c o l o g i a e m r e l a ç ã o a o tra b a l h o q u e s e co n figu ra ra m n o Br a s i l 15

2 n a s ú l timas d é c a d a s : a Ps i c o l o g i a O r g a n i z a c i o n a l, a Ps i c o l o g i a Soc i a l d o T r a b a l h o e a Saúd e do Tr a b a l h a d o r. Pr o g r a m a 1: Psico logia O r g a n iza c ional Po s s i b i l i tar o c o n h e c i m e n to s o b r e a h i s tó r i a e d e s e n v o l v i m e n to d a s o r g a n i z a ç õ e s, s e u s mé to d o s e tec n o l o g i a s, c o m m a i o r ê n fase n o s a tua i s p ro c e d i me n tos e n a a tuaçã o do p s i c ó l o g o ao lo n g o d e s s e pr o c e s s o. Pr o g r a m a 2: Psico logia Soc ial do Trabalh o Ap re s e n tar o tr a b a l h o c o m o u m fe n ô m e n o p s i c o s s o c i a l e c o m o o b j e to d e a n á l i s e d a p s i c o l o g i a s o c i a l. Anal i s a r c r i tic a m e n te a s r e l a ç õ e s d e p o d e r n o tr a b a l h o. D i s c u tir a p a r ticipa ç ã o e a a u toge s tão d o s tra b a l h a d o r e s e m e m p r e s a s tr a d i c i o n a i s e e m c o o p e r a tivas de tr a b a l h o. Pr o g r a m a 3: Trabalh o e Saúde Me n t a l C o m p r e e n d e r c o mo ques tões sóc i o - p o l ític a s e tecn o l ó g i c a s re l a c i o n a d a s ao tr a b a l h o p o d e m afe tar dir e ta ou indir e ta me n te o p ro c e s s o s a ú d e -d o e n ç a. Ana l i s a r a s r e p e r c u s s õ e s do tr a b a l h o pa r a a co n s titu i ç ã o da su b j e tiv i d a d e e pa r a a sa ú d e mental dos trabalhadores. 16

3 P r o g r a m a 1 : P sicolo g i a das O rg anizações P E R Í O D O : 7 º / C A R G A H O R Á R I A : 3 4 P R O F E S S O R : A n d r é B r u t t i n O B J ETIVO S: Es tudar a o rg a n i z a ç ã o d o tr a b a l h o n a e r a i n d u s tr i a l e p ó s - i n d u s tr i a l e m s u a s p ro p o s ta s d e i n s tituci o n a l i z a ç ã o d o tr a b a l h o e n a s i m p l i c a ç õ e s d e s e u s r e s u l tad o s p a r a a q u a l i d a d e d e v i d a e p a ra a p r o fiss i o n a l i z a ç ã o d o tr a b a l h a d o r. Analis a r o p a p e l d o s p s i c ó l o g o s n a g e s tã o d o tr a b a l h o h u ma n o e s u a p o ten c i a l c o n tr i b u i ç ã o p a r a a hu ma n i z a ç ã o d o tr a b a l h o. C O N T EÚ D O PR O G RA M Á T IC O: 1 ) Mo d e l o d e a tuaç ã o p a r a a p s i c o l o g i a o r g a n i z a c i o n a l b a s e a d o e m r e l a ç õ e s d e r e c i p r o c i d a d e A bus c a p e l o de s e m p e n h o e pela r e a l i z a ç ã o p ro fiss i o n a l. 2 ) D i a g n o s tico e m ps i c o l o g i a or g a n i z a c i o n a l C u l tur a O r g a n i z a c i o n a l 3 ) D i a g n o s tico e m ps i c o l o g i a or g a n i z a c i o n a l C l i ma Or g a n i z a c i o n a l 4 ) A Busc a p elo Desempe nho Trei namen to e Des en volv imento 5 ) A Bu s c a pelo D e s e m p e n h o R e c r u tamento e Seleç ã o 6 ) A Bu s c a pelo D e s e m p e n h o G e s tão po r C o mp e tênc i a s 7 ) A Busc a p e l a r e a l i z a ç ã o p ro fissi o n a l M o tiva ç ã o ; re c o n h e c i me n to; r e s p e i to; c re s c i me n to 8 ) A Bus c a p e l a R e a l i z a ç ã o p ro fiss i o n a l C a rr e i ra e Plano d e D e s e n v o l v i m e n to In d i v i d u a l 9 ) A Bu s c a p e l a R e a l i z a ç ã o p ro fiss i o n a l Pro mo ç ã o d o b e m - e s ta r n a s o rg a n i z a ç õ e s. 10) A Busca pela Realização profissional Gestão do clima organizacional ESTR A T ÉG IA S PA R A A PR EN D IZA GEM : Au l a s e x p o s i tiva s T r a b a l h o s em gr u p o 17

4 Pe q u e n o s s e mi n á r i o s Vis i tas a or g a n i z a ç õ e s A VA L IA Ç Ã O: Pr o v a i n d i v i d u a l Par ticip a ç ã o em pes q u i s a empír i c a T r a b a l h o s d i v e r s o s B IB L IO G RA F IA : Z AN EL L I, BOR G ES P si c o l o g i a; O rg a n i zaç õ es e T ra b al h o n o B r asi l. Por to Ale g r e : Atlas. HOFSTEDE.G., J.S.(19 99). Cultura e Organ izaçõ es. São Paulo : Gente. BRANDÃO;VILHENA;L EITE & LEITE, Gestão p o r co mp etên cias - São Pa ulo: Ed itora F GV B IB L IO G RA F IA C O MPLEM EN T A R : CHIAVENATO.I.(2005 ). Gestão d e Pesso as. São Paul o: Edi tora Campu s CAL DAS.M. (2000 ). Demissão Resp eitosa. São Pa ulo. Atlas. MALVEZZI, S. (19 79). O Pap el d o s Psicó logos n a Organ ização. Dis serta ção de Mes trado. Ponti fícia Unive rsid ade Ca tólic a d e São Paul o. (2000). Psico logia Organ izacional: d a Administração cien tífica à g lo b alização : uma história de desafios. São Paulo: USP, SPIN K, P. K. ( ). O rg a n i zaç ão co m o fen ô me n o p si co s so ci a l: n o t as p a ra u ma r ed e f in ição d a p si c o l o g i a d o t r ab a lh o. Psico l o g i a e So c i e d a d e : 8 ( 1 ) : ,jan /jun. 18

5 Programa 2 : Psicologia Social do Trabalho P E R Í O D O / A N O : 7 º / C A R G A H O R Á R I A : 3 4 P R O F E S S O R : J o s é A g n a l d o G o m e s O B J ETIVO S: Fornecer os elementos conceituais para a construção do trabalho como objeto da psi cologia social e refletir sobre as novas possibilidades de atuação profissional. Analisar criticamente as relações de poder no trabalho. Discutir a participação e a autogestão dos trabalhadores em empresas tradicionais e em cooperativas de trabalho. C O N T E Ú DO PR O GR A M Á T IC O: 1. F u n d a m e n tos filos ó ficos par a o estu d o do tra b a l h o : O tr a b a l h o c o mo cate g o r i a on tológ i c a O tr a b a l h o c o mo cate g o r i a m o r a l 2. N o v a s per s p e c ti v a s de atu a ç ã o do ps i c ó l o g o n o tr a b a l h o 3. A or g a n i z a ç ã o c o mo pr o c e s s o psic o s s o c i a l 4. A aná l i s e d e situ a ç õ e s de tra b a l h o 5. Econ o m i a so l i d á r i a, c o o p e r a tiva s de tr a b a l h o e os d e s a fios d e auto g e s tã o ESTR A T ÉG IA S PA R A A PR EN D IZA GEM : Au l a s e x p o s i tiva s D i s c u s s õ e s em clas s e a par tir dos texto s pr o p o s tos D i s c u s s õ e s a pa rti r d o s es tágio s r e a l i z a d o s no Nú c l e o 4 A VA L IA Ç Ã O: Pr e s e n ç a e par ticip a ç ã o das dis c u s s õ e s em clas s e L e i tu ra dos textos pr o p o s tos Exer c ícios r e a l i z a d o s em clas s e T r a b a l h o ou pr o v a indiv i d u a l 19

6 B IB L IO G RA F IA : CLOT, Y. (2006). A função psicológica do trabalho. Petrópolis: Vozes. SATO, L. & ESTEVES, E. (2002) Autogestão: possibilidades e ambigüidades de um processo organizativo peculiar. São Paulo: ADS-CUT. SINGER, P. (2002) Introdução à economia solidária. São Paulo: Perseu Abramo. B IB L IO G RA F IA C O MPLEM EN T A R : GRUPO KRISIS (2003) Manifesto contra o trabalho. São Paulo: Conrad do Brasil. GUIMARÃES, G. (2002) Ossos do ofício: cooperativas populares em cena aberta. Rio de Janeiro: ITCP COPPE-UFRJ. MARCUSE, H. (1998) Sobre os fundamentos filosóficos do conceito de trabalho da ciência econômica. In: Cultura e sociedade. (Vol.2). São Paulo: Paz e Terra. ANDRADA, C. F. (2005). Onde a autogestão acontece. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, 9 (1), BUSNARDO, A.M. (2003). Transformações no trabalho, luta operária e desenraizamento: a reestruturação produtiva no cotidiano e nas representações de trabalhadores metalúrgicos de uma empresa da região do ABC. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, 6,

7 P r o g r a m a 3 : S a ú d e d o T r a b a l h a d o r - t r abalho e saúde m ental P E R Í O D O / A N O : 7 º / C A R G A H O R Á R I A : 3 4 P R O F E S S O R A : R e n a t a P a p a r e l l i O B J ETIVO S Apreender categorias conceituais que permitam inter-relacionar as temáticas do trabalho e da saúde especialmente a saúde mental dos trabalhadores; refletir sobre algumas das problemáticas que afetam a vida e saúde dos trabalhadores; conhecer o campo teórico-prático da Saúde do Trabalhador, bem como sua importância na construção de uma psicologia crítica. C O N T EÚ D O PR O G RA M Á T IC O 1. Alguns conceitos fundamentais: - O trabalho (ação no mundo) como categoria central na constituição da subjetividade; - A forma assumida pelo trabalho sob o capitalismo o trabalho alienado e suas características essenciais; - Saúde, saúde mental e trabalho relações possíveis; - A organização do trabalho. 2. Estudos de caso: - O caso Bradesco; - O trabalho penoso dos condutores de ônibus urbanos; - A neurose das telefonistas ; - O homem aprisionado pelos ponteiros do relógio ; - O toyotismo e suas repercussões na saúde dos trabalhadores o caso de duas montadoras de automóveis. 3. O campo interdisciplinar da Saúde do Trabalhador e a atuação do psicólogo: - Práticas possíveis: vigilância a empresas, atenção psicossocial a trabalhadores portadores de patologias decorrentes do trabalho, assessorias técnicas a movimentos sociais; - A RENAST (Rede Nacional de Atenção à Saúde do Trabalhador) e o SUS (Sistema Único de Saúde). 21

8 ESTR A T ÉG IA S D E A PREN D IZA G EM Au l a s e x p o s i tiva s dia l o g a d a s ; T r a b a l h o s ind i v i d u a i s e em gr u p o s ; D e b a tes em s a l a d e aula. A VA L IA Ç Ã O Prova individual com consulta em sala de aula; trabalho em grupo; presença e participação em aula. B IB L IO G RA F IA DEJOURS, C. Por um novo conceito de saúde. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional. n.54, pp abril/maio/junho DEJOURS, C. A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. São Paulo: Cortez Oboré, LAURELL, A.C. Processo de Produção e Saúde. Trabalho e desgaste operário. Tradução por Amélia Cohn, Ana Pitta-Hoisel, Ana Isabel Paraguay, Lucia Helena Barbosa. São Paulo: CEBES-HUCITEC, B IB L IO G RA F IA C O MPLEM EN T A R LE GUILLANT. L. A neurose das telefonistas In: Lima, M, E.A. (org.) Escritos de Louis Le Guillant: da ergoterapia à psicopatologia da trabalho. Petrópolis, RJ: Vozes, LIMA, M.E.A., ASSUNÇÃO, A.A. & FRANCISCO, J.M.S.D. Aprisionado pelos ponte iros de um relógio: o caso de um transtorno mental desencadeado no trabalho In Jacques, M.G. & Codo, W. (orgs.) Saúde Mental & Trabalho: leituras, Petrópolis, RJ: Vozes, SATO, L. A Representação Social do trabalho penoso. In: Spink, M.J.P. (org.) O conhecimento no cotidiano: as representações sociais na perspectiva da psicologia social. São Paulo: Brasiliense,

9 SEGNINI, E. A Liturgia do Poder. São Paulo: Ed. Educ. BERNARDO, M.H. Discurso Flexível, Trabalho Duro:... D I S C I P L I N A : S u p ervisão de Estágio N Ú C L E O 4 : T r a b a l h o e P r o d u ç ã o P E R Í O D O : 7 º / C A R G A H O R Á R I A : 5 1 C O O R D E N A D O R : J o s é A g n a l d o G o m e s OBJETIVOS 1. Permitir aos estagiários entrarem em contato com algumas das diversas facetas do mundo do trabalho, optando por uma das a s tr ê s g r a n d e s v e rte n tes q u e n o Br a s i l c o n figur a r a m a s a p r o x i ma ç õ e s d a Ps i c o l o g i a e m r e l a ç ã o a o tr a b a l h o e a o s tr a b a l h a d o r e s : Psic o l o g i a O rg a n i z a c i o n a l, Ps i c o l o g i a Soc i a l d o Tr a b a l h o e Sa ú d e d o Tr a b a l h a d o r ; 2. Estimular os estagiários a repensarem as práticas tradicionais em psicologia do trabalho e a explorarem novas formas de atuação. LOCAIS DE ESTÁGIO Os locais de estágio são definidos semestralmente pelos supervisores, contando também com a colaboração dos estagiários. Sugestões de locais e de temas são bem-vindas por toda a equipe do Núcleo 4. Os estágios podem acontecer em diversos locais, dentre eles: Empresas públicas e privadas Hospitais Escolas Cooperativas populares de trabalho ou incubadoras de cooperativas Organizações não-governamentais Sindicatos Movimentos sociais Centros de Referência em Saúde do Trabalhador 23

10 Obs.: Os estágios po dem n ão acontecer n ecessariamente em um ún ico lugar, mas serem estruturado s a partir de u m tema. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E POPULAÇÃO ALVO: Em Psicologia Organizacional (Gestão de Recursos Humanos): Diagnóstico organizacional; Análise de culturas organizacionais; Técnicas de recrutamento e seleção de pessoal; Treinamento e desenvolvimento. População alvo: empresas públicas e privadas, assessorias em recursos humanos, departamentos de recursos humanos de hospitais e escolas. Em Psicologia Social do Trabalho: Análise de organizações não-produtivas e de caráter político, social ou cultural: sindicatos, movimentos sociais, ONGs etc.; Pesquisas sobre categorias profissionais específicas ou sobre temas marginais do trabalho: desemprego, mercado informal, gênero, relações de poder no trabalho etc. Participação da incubação de cooperativas populares de trabalho e de outros projetos de economia solidária; Avaliação de programas de qualificação, de geração de emprego e de geração de renda. População alvo: todos os trabalhadores que possam ser beneficiados por essas atividades. Em saúde do trabalhador: Assessorias a órgãos públicos em avaliações da penosidade (sofrimento psíquico relacionado ao trabalho) de diversas categorias profissionais e na produção das formas de enfrentamento (exemplos: auxiliares de enfermagem, trabalhadores da educação, motoboys etc); Visitas a Centros de Referência em Saúde dos Trabalhadores e discussões sobre o tema; 24

11 Avaliações de políticas públicas voltadas à temática; Pesquisas. População alvo: trabalhadores de órgãos públicos. Trabalhadores acometidos por doenças ocupacionais (por exemplo, Lesões por Esforços Repetitivos) ou vítimas de acidentes de trabalho que formam a clientela dos Centros de Referência. AVALIAÇÃO DOS ESTÁGIOS Participação ativa e responsável durante as atividades planejadas e as supervisões; Postura profissional e ética; Relatório de atividades realizadas; Apresentação de painel em Mostra de Estágios a ser realizada ao final do semestre letivo. 25

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

A questão da universidade privada. Disponível em: www.usp.br/apg/congresso/ teses/tese7.htm. Acessado em 07/05/2002.

A questão da universidade privada. Disponível em: www.usp.br/apg/congresso/ teses/tese7.htm. Acessado em 07/05/2002. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS * A questão da universidade privada. Disponível em: www.usp.br/apg/congresso/ teses/tese7.htm. Acessado em 07/05/2002. ALMEIDA, J. L. V. As atividades de ensino: equívocos e

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS PPGAd MESTRADO ACADÊMICO EM ADMINISTRAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS PPGAd MESTRADO ACADÊMICO EM ADMINISTRAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA Nome da Disciplina: Psicodinâmica e Clínica do Trabalho Período Letivo: Segundo Semestre Ano Letivo: 2015 Ementa (no. de encontros: 08) UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

O Sacrifício da Cruz

O Sacrifício da Cruz O Sacrifício da ruz 6 ø 4 4 Intenso q = 61 9. r. r m b sus4 6 Ó. m Œ. r J 1.u ø. r o - lho pa - ra_o céu, bus - M7.. can - do com - preen-der o sa - cri - fí - cio do Sal - va - dor em meu lu - gar ø ø

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

Vamos Subir Nova Voz

Vamos Subir Nova Voz c c Vamos Subir Nova Voz 2 Letra e Música: Lucas Pimentel Arr: Henoch Thomas 2 5 2 to Eu-pos tem - po te-nho ou vi - do a pro- 2 g g 8 mes - sa de que vi - rás pra res -ga -tar os fi-lhos Teus Nem sem-pre

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

Ainda há Tempo, Volta

Ainda há Tempo, Volta Ainda há empo, Volta Letra e Música: Diogo Marques oprano ontralto Intro Envolvente (q = 60) enor aixo Piano Ó Œ. R.. F m7 2 A b 2 E b.. 2 Ó Œ É 2 Ó Œ F m7 2.. 2 2 A b 2 2 Ainda há empo, Volta Estrofe

Leia mais

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde B ra s ília, 26 de s etem bro de 2009 C o ntro le da s P o lític a s de L uiz R ibeiro FU N Ç Ã O D O J O R N A L I S M O J o r n a lis m o é a a tiv id a d e p r o fis s io n a l q u e c o n s is te e

Leia mais

Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País

Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País Belo Horizonte/MG, 21 de junho de 2010 Segmentação A s eg mentação es tá pres ente em todos os mercados, incluindo o mercado do turis mo;

Leia mais

IN S A In s titu t N a tio n a l

IN S A In s titu t N a tio n a l IN S A : U m a re d e d e 5 e s c o la s s u p e rio re s d e e n g e n h a ria O INS A de Rennes existe desde 1966 R ouen O INS A de Rouen existe desde 1985 O INS A de S trasbourg existe desde 2003 R

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA INTERDISCIPLINARIDADE EM SAÚDE

A IMPORTÂNCIA DA INTERDISCIPLINARIDADE EM SAÚDE AUDITORIA IA CLÍNICA A IMPORTÂNCIA DA INTERDISCIPLINARIDADE EM SAÚDE Auditoria é em um exame cuidadoso e sistemático das atividades desenvolvidas em determinada empresa ou setor, cujo objetivo é averiguar

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico Alencar Instalações Resolvo seu problema elétrico T r a b a lh a m o s c o m : Manutenção elétrica predial, residencial, comercial e em condomínios Redes lógicas Venda de material elétrico em geral. Aterramentos

Leia mais

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus da fuvest 009 ª fase - Matemática 08.0.009 MATEMÁTIA Q.0 Na figura ao lado, a reta r tem equação y x no plano cartesiano Oxy. Além dis so, os pontos 0,,, estão na reta r, sendo 0 = (0,). Os pontos A 0,

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

Programa Copa do Mundo 2014

Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Gerente do Programa: Mario Queiroz Guimarães Neto Rede do Programa: Rede de Cidades Objetivo do Programa: Organizar com excelência os eventos FIFA

Leia mais

E mpresa B rasileira de S erviços Hospitalares EBS ER H. Plano de Ação

E mpresa B rasileira de S erviços Hospitalares EBS ER H. Plano de Ação E mpresa B rasileira de S erviços Hospitalares EBS ER H Plano de Ação 1 C O N T E X TO (R es ulta do s R E H U F) D es de s ua c o nc epç ã o o R E H U F tem a tua do : N a fo rm a de Fina nc ia m ento

Leia mais

soluções sustentáveis soluções sustentáveis

soluções sustentáveis soluções sustentáveis soluções sustentáveis 1 1 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 2 2 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 3 3 APRES ENTAÇÃO A KEYAS S OCIADOS a tu a d e s d e 1

Leia mais

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS João Pedro Cordeiro Resumo O presente artigo versa sobre as práticas de gestão de recursos humanos pelas empresas, e mais especificamente

Leia mais

Quero um Novo Lar پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 0 پ0 0 پ0 3پ0 0 پ0 3 پ0 0

Quero um Novo Lar پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 0 پ0 0 پ0 3پ0 0 پ0 3 پ0 0 1 3 پ0 7 _ پ0 7 _ پ0 7 _ & 4 7 A. ز E 7 1 j j پ0گ7? 4 n #_ n _ L? Mi - nha ca -sa e -ra ve - ha nپ0ٹ0o po - di - a su - por - tar پ0ˆ7. _ eu me 4 پ0 7 پ0 8 & E 7 G 6 /A A _.. nnn_ n پ0ˆ7_ j j j j G j پ0گ7

Leia mais

www.investorbrasil.com

www.investorbrasil.com Proposta curso preparatório para CPA 20 - ANBIMA www.investorbrasil.com Apresentação INVESTOR APRESENTAÇÃO A INVESTOR é uma escola que nasceu da necessidade das pessoas aprenderem as ferramentas e instrumentos

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PSICOLOGIA Ementário/abordagem temática/bibliografia básica (3) e complementar (5) Morfofisiologia e Comportamento Humano Ementa: Estudo anátomo funcional

Leia mais

Núcleo 2.8 - Terapia Comportamental

Núcleo 2.8 - Terapia Comportamental Núcleo 2.8 - Terapia Comportamental DEPARTAMENTOS ENVOLVIDOS: Métodos e Técnicas COORDENADOR: Paola Espósito de Moraes Almeida PROFESSORES: Alice Maria de Carvalho Dellitti, Denigés Maurel Regis Neto,

Leia mais

1. A cessan do o S I G P R H

1. A cessan do o S I G P R H 1. A cessan do o S I G P R H A c esse o en de reç o w w w.si3.ufc.br e selec i o ne a o p ç ã o S I G P R H (Siste m a I n te g ra d o de P la ne ja m e n t o, G estã o e R e c u rs os H u m a n os). Se

Leia mais

Cadastro Territorial Multifinalitário no planejamento e gestão territorial urbana

Cadastro Territorial Multifinalitário no planejamento e gestão territorial urbana Mundo Geo Connect Seminário Geotecnologia na Gestão Municipal Sessão Desafios para as Prefeituras: o CTM como instrumento de política fiscal e urbana São Paulo, 16 de junho de 2011 Cadastro Territorial

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012.

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. Os casos de Invalidez Permanente representaram a maioria das indenizações pagas

Leia mais

INSERÇÃO PROFISSIONAL DO PSICÓLOGO EM ORGANIZAÇÕES E NO TRABALHO 30h/a

INSERÇÃO PROFISSIONAL DO PSICÓLOGO EM ORGANIZAÇÕES E NO TRABALHO 30h/a PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO EMENTAS E BIBLIOGRAFIAS INSERÇÃO PROFISSIONAL DO PSICÓLOGO EM ORGANIZAÇÕES E NO TRABALHO 30h/a EMENTA: Visão clássica da psicologia organizacional: história e desdobramentos.

Leia mais

Sistema de Arquivos. Sistemas de Arquivos

Sistema de Arquivos. Sistemas de Arquivos Sistemas de Arquivos Definições Básicas 1.Um arquivo é uma unidade lógica de informação criado por processos. As informações podem representar instruções e dados de qualquer tipo [1]. Exemplo de arquivos.

Leia mais

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA sumário executivo w w w. v o c e s a. c o m. b r w w w. e x a m e. c o m. b r melhores empresas para você trabalhar São Pau lo, setembro de 2010. Pre za do(a) Sr(a)., SEFAZ BAHIA Em pri mei ro lu gar,

Leia mais

ASPECTOS PSICOAFETIVOS NAS RELAÇÕES DE TRABALHO. Prof. Enéas R. Teixeira

ASPECTOS PSICOAFETIVOS NAS RELAÇÕES DE TRABALHO. Prof. Enéas R. Teixeira ASPECTOS PSICOAFETIVOS NAS RELAÇÕES DE TRABALHO Prof. Enéas R. Teixeira CONSIDERAÇÕES INICIAIS Objetivos da aula Compreender as implicações psicoafetivas nas relações de trabalho em saúde Buscar formas

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te s t o rn e m -s e a u tô no m o s.

o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te s t o rn e m -s e a u tô no m o s. O r ie n ta ç õ e s In i ci ai s E u, R ic k N e ls o n - P e rs on a l & P rof e s s io n al C o a c h - a c re dito qu e o o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te

Leia mais

Projeto de Qualidade de Vida para Motoristas de Ônibus Urbano

Projeto de Qualidade de Vida para Motoristas de Ônibus Urbano 17 Projeto de Qualidade de Vida para Motoristas de Ônibus Urbano Lilian de Fatima Zanoni Terapeuta Ocupacional pela Universidade de Sorocaba Especialista em Gestão de Qualidade de Vida na Empresa pela

Leia mais

ér co pe pa as le so se al tr on ro pr arc lie ond ase ete ole es ima ine red air o ca re uta mito K iro tei K bj or d orei ali tr tio seg as o em ocr at co arc h ong ab chl

Leia mais

Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. Portaria GM/MS n 1.823, de 23 de agosto de 2012

Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. Portaria GM/MS n 1.823, de 23 de agosto de 2012 Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora Portaria GM/MS n 1.823, de 23 de agosto de 2012 MARCOS LEGAIS: Constituição Federal de 1988 Art. 200 Ao SUS compete, além de outras atribuições,

Leia mais

LEI Nº 5.869, DE 11 DE JANEIRO DE 1973. Insti tui o Código de Processo Ci vil.

LEI Nº 5.869, DE 11 DE JANEIRO DE 1973. Insti tui o Código de Processo Ci vil. Outubro de 2003 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Sexta-feira 31 34351 ares, me diante a exibição de ofí cio ou mandado em forma regular. 1º So men te se ex pe di rá pre ca tó ria, quando, por essa for ma, for

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009 MATEMÁTICA 1. O transporte de carga ao porto de Santos é feito por meio de rodovias, ferrovias e dutovias. A tabela abaixo for ne ce al guns da dos re la ti vos ao trans por te ao por to no pri me i ro

Leia mais

EMPREGO JOVEM: AS POLÍTICAS. Alexandre Oliveira - IEFP

EMPREGO JOVEM: AS POLÍTICAS. Alexandre Oliveira - IEFP EMPREGO JOVEM: AS POLÍTICAS Alexandre Oliveira - IEFP Objetivos da sessão Identificar intervenções do IEFP no âmbito das políticas ativas de emprego para jovens: Estágios Profissionais; Medida Estímulo

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico Unidade Universitária: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - 040 Curso: Psicologia Núcleo Temático:Psicologia e Saúde Coletiva Disciplina:Psicologia Escolar I Professor(es): Marcos Vinícius de Araújo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS DE ROLIM DE MOURA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS DE ROLIM DE MOURA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS DE ROLIM DE MOURA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA PROGRAMA GERAL DO CURSO 1 I IDENTIFICAÇÃO DO COMPONENTE CURRICULAR

Leia mais

PROGRAM A + V IDA. P o lític a de Á lc o o l, Fum o e O utra s

PROGRAM A + V IDA. P o lític a de Á lc o o l, Fum o e O utra s PROGRAM A + V IDA P o lític a de Á lc o o l, Fum o e O utra s D ro g a s da S ec reta ria de S a úde R ec COSTA ife JOÃO do MARCELO Coordenação Clínica do CAPS AD Eulâmpio Cordeiro SMS-PCR (DSIV) Coordenação

Leia mais

A va lia ç ã o de R is c o s A plic a da à Q ua lida de em D es envo lvim ento de S o ftw a re

A va lia ç ã o de R is c o s A plic a da à Q ua lida de em D es envo lvim ento de S o ftw a re Rafael Espinha, Msc rafael.espinha@primeup.com.br +55 21 9470-9289 Maiores informações: http://www.primeup.com.br contato@primeup.com.br +55 21 2512-6005 A va lia ç ã o de R is c o s A plic a da à Q ua

Leia mais

Padrões de lançamento para Estações de Tratamento de Esgotos Domésticos Reunião AESBE 10/02/09

Padrões de lançamento para Estações de Tratamento de Esgotos Domésticos Reunião AESBE 10/02/09 Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - SABESP Associação das Empresas Estaduais de Saneamento Básico - AESBE Padrões de lançamento para Estações de Tratamento de Esgotos Domésticos Reunião

Leia mais

DDS -D IÁLO GO DIÁRIO DE SEG U RAN Ç A: UM A FERRAM EN TA À SERVIÇO DA PREVEN ÇÃO DE ACID EN TES

DDS -D IÁLO GO DIÁRIO DE SEG U RAN Ç A: UM A FERRAM EN TA À SERVIÇO DA PREVEN ÇÃO DE ACID EN TES DDS -D IÁLO GO DIÁRIO DE SEG U RAN Ç A: UM A FERRAM EN TA À SERVIÇO DA PREVEN ÇÃO DE ACID EN TES José Augusto Viana Engenheiro de Segurança 0xx21(91) - 2161421 / 2161367 ANTECEDENTES I. Indicadores Internos

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Economia Solidária. Alfabetização. Associação de Recicladores.

PALAVRAS-CHAVE Economia Solidária. Alfabetização. Associação de Recicladores. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA ESCREVENDO SUA PRÓPRIA HISTÓRIA: UM RELATO DA EXPERIÊNCIA

Leia mais

XIV Encontro Nacional da ABET 2015 Campinas. GT 10 Condições de trabalho e saúde

XIV Encontro Nacional da ABET 2015 Campinas. GT 10 Condições de trabalho e saúde XIV Encontro Nacional da ABET 2015 Campinas GT 10 Condições de trabalho e saúde Aproximações entre a Psicologia Social do Trabalho e a Saúde do Trabalhador Johanna Garrido Pinzón Doutoranda do Programa

Leia mais

Entre o prazer e o sofrimento:

Entre o prazer e o sofrimento: Entre o prazer e o sofrimento: causas e enfrentamento do desgaste mental no trabalho docente Renata Paparelli O mal-estar docente algumas falas Eles [os formuladores das políticas educacionais] têm uma

Leia mais

AGÊNCIA AMBIENTAL FEDERAL AMERICANA - USEPA

AGÊNCIA AMBIENTAL FEDERAL AMERICANA - USEPA AGÊNCIA AMBIENTAL FEDERAL AMERICANA - USEPA Emenda ao 40 CFR Parts 261, 266, 268 e 271 Documento: FERTILIZANTES À BASE DE ZINCO PRODUZIDOS A PARTIR DE MATERIAL SECUNDÁRIO PERIGOSO Julho/2002 S U M Á R

Leia mais

XI Encontro do Câncer Ginecológico em Curitiba 17 de junho de 2010. Fábio Russomano

XI Encontro do Câncer Ginecológico em Curitiba 17 de junho de 2010. Fábio Russomano Rede colaborativa de Centros Qualificadores de Ginecologistas e Serviços de Referência para Atuação na Linha de Cuidado para a Assistência Secundária às Mulheres Portadoras de Lesão Intraepitelial Cervical

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA ANÁLISE DE SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA ANÁLISE DE SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA ANÁLISE DE SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL Jocelma Tossin Martins (UNICENTRO), Rosângela Bujokas de Siqueira (Orientadora), e-mail: janja.bujokas@uol.com.br

Leia mais

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades PNV 289 Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades Orides Bernardino São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970

Leia mais

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP GIS Gertran Integration Suite Guia de T ransferência de Arquivos Entidade x DATAPREV Versão 1.0 HTTPS G I S G ui a de T ra n sf er ên ci a d e Ar qu i vo s 1/ 8 ÍNDICE ANALÍT ICO 1. INTRODU ÇÃO......4

Leia mais

Sofrimento psíquico na contemporaneidade: o trabalho em questão

Sofrimento psíquico na contemporaneidade: o trabalho em questão Sofrimento psíquico na contemporaneidade: o trabalho em questão DEPARTAMENTO: Psicologia Social PROFESSORES: José Agnaldo Gomes / Fábio de Oliveira / Renata Paparelli CARGA HORÁRIA: 51 JUSTIFICATIVA DA

Leia mais

10 motivos para investir e se apaixonar

10 motivos para investir e se apaixonar 10 motivos para investir e se apaixonar CONHEçA UM POUCO MAIS SObRE A CIDADE que NãO PARA DE CRESCER E que TEM TUDO PARA fazer O MESMO PELA SUA EMPRESA. o Brasil está se firmando como um gigante do desenvolvimento

Leia mais

LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 SUMÁRIO. T í t u l o I C a p í t u l o Ú n i c o D a s D i s p o s i ç õ e s P re l i m i n a res

LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 SUMÁRIO. T í t u l o I C a p í t u l o Ú n i c o D a s D i s p o s i ç õ e s P re l i m i n a res LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 SUMÁRIO T í t u l o I C a p í t u l o Ú n i c o D a s D i s p o s i ç õ e s P re l i m i n a res T í t u l o I I D o P ro v i m e n t o, Va c â n c i a, R e m o

Leia mais

Educação. ISBN: 978-85-7591-093-1 Formato: 14 x 21 cm, 160 pp Preço: R$ 39,00

Educação. ISBN: 978-85-7591-093-1 Formato: 14 x 21 cm, 160 pp Preço: R$ 39,00 Educação EDUCAÇÃO E TRABALHO: TRABALHAR, APRENDER, SABER Izumi Nozaki (org.) ISBN: 978-85-7591-093-1 Formato: 14 x 21 cm, 160 pp Preço: R$ 39,00 VOLTA Os artigos que aqui se apresentam foram produzidos

Leia mais

COMBINAR CORRESPONDENCIA, CREACIÓN DE INDICES Y TABLAS DE CONTENIDO EN MICROSOFT WORD.

COMBINAR CORRESPONDENCIA, CREACIÓN DE INDICES Y TABLAS DE CONTENIDO EN MICROSOFT WORD. COMBINAR CORRESPONDENCIA, CREACIÓN DE INDICES Y TABLAS DE CONTENIDO EN MICROSOFT WORD. I.E.S. ANDRÉS DE VANDELVIRA J. G a r r i g ó s ÍNDICE 1 COMBINAR CORRESPONDENCIA... 2 2. CREACIÓN DE ÍNDICES EN MICROSOFT

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Fundamentos da Ação Educativa em Espaços não Escolares Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 3º 1 - Ementa (sumário, resumo)

Leia mais

R E DE MA IS VIDA R e de de A te nç ã o à S a úde do Ido s o

R E DE MA IS VIDA R e de de A te nç ã o à S a úde do Ido s o R E DE MA IS VIDA R e de de A te nç ã o à S a úde do Ido s o C ic lo d e D e b a te s : "1 C liq0 u e Ap a ra n eo d ita s r do eo s tilo Ed o ssta u b tí tu lo to m e s tre d o Id o s o E lia n a M á

Leia mais

"Dorme enquanto eu velo"

Dorme enquanto eu velo poesia: Fernando Pessoa q = 60 6 "Dorme enquanto eu velo" para voz e piano legato Dor Patrícia Lopes J - me en. quan - to eu ve - lo Dei - xa me -. - so nhar 11. Na - da'em mim é ri - so - nho. 1. Que

Leia mais

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007.

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. VA PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO DE 4/10/2007, SEÇÃO 3, PÁG.. EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. Divulgar a distribuição de vagas do Concurso Público para provimento de cargos e formação

Leia mais

Plano de Ensino 2014. Garantir um espaço de troca entre os acadêmicos para compartilhamento dos dados coletados por meio da observação.

Plano de Ensino 2014. Garantir um espaço de troca entre os acadêmicos para compartilhamento dos dados coletados por meio da observação. Plano de Ensino 2014 Disciplina: ESTÁGIO SUPERVISIONADO BÁSICO II Código: Série: 3 Obrigatória (X ) Optativa ( ) CH Teórica: 40 CH Prática: 70 CH Total: 110 Obs: Objetivos Produzir conhecimento e reflexão

Leia mais

Missa Nossa Senhora do Brasil

Missa Nossa Senhora do Brasil é%0'.m> }JÍU Pe. José Alves Mssa Nossa Senhoa do Basl PARTTURA Paa 3 vozes guas e Assebléa (*) (*) A pate paa Assebléa é edtada sepaadaente " en cha A 10. Publcado pela: Cossão Aqudocesana de Músca Saca

Leia mais

CONTRATO Nº 229/ 2014

CONTRATO Nº 229/ 2014 CONTRATO Nº 229/ 2014 Prestação de Serviços de Consultoria especializada em gestão na área de planejamento estratégico e mapeamento de processos. Que fazem entre si de um lado a Prefeitura Municipal de

Leia mais

JUSTIFICATIVA. Grupo de Pesquisa: GEPEL - Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação e Ludicidade. 1 Composição de Guilherme Arantes e Jon Lucien.

JUSTIFICATIVA. Grupo de Pesquisa: GEPEL - Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação e Ludicidade. 1 Composição de Guilherme Arantes e Jon Lucien. A LUDICIDADE COMO CAMINHO PARA A RESILIÊNCIA EM PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL EM SITUAÇÃO DE ESTRESSE OCUPACIONAL PEREIRA, Fernanda Almeida UFBA GT-04: Didática Resumo Atualmente, no Brasil, estudos

Leia mais

I n tr oduçã o a G es tã o da Qua lida de. E n gen h a r ia

I n tr oduçã o a G es tã o da Qua lida de. E n gen h a r ia I n tr oduçã o a G es tã o da Qua lida de E n gen h a r ia P r ofes s or Bacharel em Administração de Empresas com Ênfase em Gestão da Informação; MBA em Gestão da Qualidade e Produtividade; 20 anos de

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: Enfermagem em Atenção à Saúde Mental Código: ENF- 210 Pré-requisito: ENF

Leia mais

SAÚDE MENTAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA:

SAÚDE MENTAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: SAÚDE MENTAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: CRENÇAS DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE ACERCA DO CUIDADO DA PESSOA EM SOFRIMENTO MENTAL. Programa de Pós-Graduação em Psicologia Faculdade de Filosofia Ciências

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

Preciso De Ti DIANTE DO TRONO

Preciso De Ti DIANTE DO TRONO Preciso e Ti IANT O TRONO Arranjo or: Marcelo Minal marcelominal@yahoo.com.br Última revisão 26022013 Sorano Andante /F# A /F# A m m Alto Pá á á á Pá á á (C.) m m Pá á á á Pá á á (C.) Tenor m m Pá á á

Leia mais

Capítulo 17. Planejamento de Projetos, Programas e Atividades de Lazer nas Corporações. Me s t r e e m Po l í t i c a s Pú b l i c a s d e l a z e r.

Capítulo 17. Planejamento de Projetos, Programas e Atividades de Lazer nas Corporações. Me s t r e e m Po l í t i c a s Pú b l i c a s d e l a z e r. Capítulo 17 Planejamento de Projetos, Programas e Atividades de Lazer nas Corporações Marco Antonio Bettine de Almeida Me s t r e e m Po l í t i c a s Pú b l i c a s d e l a z e r. Do u t o r a n d o d

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE O CAMPO DE SAÚDE DO TRABALHADOR PAUTADAS NAS AÇÕES DO CEREST MOSSORÓ

REFLEXÕES SOBRE O CAMPO DE SAÚDE DO TRABALHADOR PAUTADAS NAS AÇÕES DO CEREST MOSSORÓ REFLEXÕES SOBRE O CAMPO DE SAÚDE DO TRABALHADOR PAUTADAS NAS AÇÕES DO CEREST MOSSORÓ A Constituição Federal de 1988 tem o papel de ser considerada como uma constituição Cidadã recebe esse termo porque

Leia mais

PLANO DE ENSINO. 1. Desenvolver conhecimento sobre os fundamentos teóricos e técnicos dos conceitos de grupo e dos processos grupais.

PLANO DE ENSINO. 1. Desenvolver conhecimento sobre os fundamentos teóricos e técnicos dos conceitos de grupo e dos processos grupais. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA PLANO DE ENSINO I. IDENTIFICAÇÃO Curso: Psicologia Semestre: 2012.1 Turma: 07319A Disciplina: Dinâm.

Leia mais

Danos físicos e psicossociais relacionados ao trabalho do enfermeiro intensivista: uma análise sob a luz da psicodinâmica do trabalho

Danos físicos e psicossociais relacionados ao trabalho do enfermeiro intensivista: uma análise sob a luz da psicodinâmica do trabalho Danos físicos e psicossociais relacionados ao trabalho do enfermeiro intensivista: uma análise sob a luz da psicodinâmica do trabalho Juliana Faria Campos Doutoranda UERJ. Professora Assistente da EEAN/

Leia mais

HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA

HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA Filipe Carreira da Silva Resumo Este artigo tem por objectivo discutir a noção de esfera pública proposta por Jürgen Habermas. Para tanto,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS 1. Categorias profissionais que já compõem o SUAS RS: - Psicólogo - Assistente Social - Advogado - Educador Social - Nutricionista - Pedagogo - Enfermeiro - Estagiários - Supervisores e Coordenação - Técnico

Leia mais

ERRATA Nº 01. Art. 1 - Retifica-se, na página 02, o item 4 do Cronograma do Concurso, o qual passa a vigorar com a data de 20/04/2012.

ERRATA Nº 01. Art. 1 - Retifica-se, na página 02, o item 4 do Cronograma do Concurso, o qual passa a vigorar com a data de 20/04/2012. ERRATA Nº 01 Art. 1 - Retifica-se, na página 02, o item 4 do Cronograma do Concurso, o qual passa a vigorar com a data de 20/04/2012. Art. 2º - Retifica-se o item 5.3.4, que passa a vigorar com a seguinte

Leia mais

PROCESSOS EDUCATIVOS NO CUIDADO COM O TERRITÓRIO: SUBSÍDIOS PARA POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO NAS RESERVAS EXTRATIVISTAS DA TERRA DO MEIO

PROCESSOS EDUCATIVOS NO CUIDADO COM O TERRITÓRIO: SUBSÍDIOS PARA POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO NAS RESERVAS EXTRATIVISTAS DA TERRA DO MEIO PROCESSOS EDUCATIVOS NO CUIDADO COM O TERRITÓRIO: SUBSÍDIOS PARA POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO NAS RESERVAS EXTRATIVISTAS DA TERRA DO MEIO Cristiano Tierno de Siqueira Valéria Oliveira Vasconcelos 1. Ponto de

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Analista de Correios / Administrador AC / Rio Branco 123 1 123,00 Analista de Correios / Técnico em Comunicação Social Atuação: Jornalismo AC / Rio Branco 27 1 27,00 Médico do Trabalho Formação: Medicina

Leia mais

Caros alunos de Psicologia que irão cursar estágios específicos no 1º semestre de 2013:

Caros alunos de Psicologia que irão cursar estágios específicos no 1º semestre de 2013: 1 EDITAL II - Atribuições de Estágio em Psicologia Educacional, Psicologia do Trabalho, Psicologia Clínica e Psicologia Institucional/Social para o 1º semestre de 2013 Caros alunos de Psicologia que irão

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR EM CARGOS DE E DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO Administrador AC 1 14 14.00 Administrador AL 1 53 53.00 Administrador AP 1 18 18.00 Administrador BA 1 75 75.00 Administrador DF 17 990 58.24 Administrador MT 1 55

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO DO ENFERMEIRO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA DE SAÚDE DE MUNICÍPIO DE MÉDIO PORTE NA BAHIA

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO DO ENFERMEIRO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA DE SAÚDE DE MUNICÍPIO DE MÉDIO PORTE NA BAHIA 1142 ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO DO ENFERMEIRO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA DE SAÚDE DE MUNICÍPIO DE MÉDIO PORTE NA BAHIA Andrei Souza Teles¹; Thereza Christina Bahia Coelho² 1. Bolsista PIBIC/CNPq, Graduando em Enfermagem,

Leia mais

Evolução da Legislação em Ergonomia no Brasil: a construção social da Portaria No. 3.751

Evolução da Legislação em Ergonomia no Brasil: a construção social da Portaria No. 3.751 Seminário sobre a Norma Regulamentadora 17- Fundacentro- 23/11/2010 Evolução da Legislação em Ergonomia no Brasil: a construção social da Portaria No. 3.751 Autoria: Lys Esther Rocha As relações de trabalho

Leia mais

O trabalho com textos na alfabetização de crianças do 1º e 2º anos do ensino fundamental

O trabalho com textos na alfabetização de crianças do 1º e 2º anos do ensino fundamental O trabalho com textos na alfabetização de crianças do 1º e 2º anos do ensino fundamental Izac Trindade Coelho 1 1. I n t r o d u ç ão Ai de mim, ai das crianças abandonadas na escuridão! (Graciliano Ramos)

Leia mais

======================== ˆ_ ˆ«

======================== ˆ_ ˆ« Noss fest com Mri (Miss pr os simpes e pequenos, inspirdo em Jo 2,112) ( Liturgi I Puus) 1) eebremos n egri (bertur) Rgtime & c m m.. _ m m.. _ e e bre mos n_ e gri, nos s fes t com M ri : & _.. _ º....

Leia mais

Oferta Significado 2011. Candidaturas POPH 3.2, 8.3.2 e 9.3.2 Formação para a Inovação e Gestão. Setembro 2011

Oferta Significado 2011. Candidaturas POPH 3.2, 8.3.2 e 9.3.2 Formação para a Inovação e Gestão. Setembro 2011 Oferta Significado 2011 Candidaturas POPH 3.2, 8.3.2 e 9.3.2 Formação para a Inovação e Gestão Setembro 2011 Data para submissão das Candidaturas: Até 10 de Outubro 2011 Financiamento Formação Geral Micro

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2011 % Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2012 x Jan a Dez 2011 Morte 58.134 16% 60.752 12% 5% Invalidez Permanente 239.738 65% 352.495 69% 47% Despesas Médicas (DAMS) 68.484

Leia mais

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO GLOSSÁRIO PREV PEPSICO A T A A ABRAPP Aã Aã I Aí I R ANAPAR A A M A A A Lí Aá S C é ç í ê çõ 13ª í ã. Açã B E F Pê P. Cí ê, ã ê. V Cê Aã P ( á). N í, - I R P Fí (IRPF), S R F, à í á, ( 11.053 2004), çã.

Leia mais

Carga horária total: 60 Semestre Letivo 1º/2012 Ementa. Objetivos Procedimentos e Habilidades Atitudes, Normas e Valores

Carga horária total: 60 Semestre Letivo 1º/2012 Ementa. Objetivos Procedimentos e Habilidades Atitudes, Normas e Valores Unidade Universitária Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - 040 Curso Psicologia Disciplina Introdução à Psicologia Social Código da Disciplina 0832306 Professor(es) e DRTs Andréia De Conto Garbin

Leia mais

CONTATO DOS SERVIÇOS DE PSICOLOGIA PARA CADEIRANTES

CONTATO DOS SERVIÇOS DE PSICOLOGIA PARA CADEIRANTES SER-CADEIRANTE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O PRIMEIRO CONTATO DOS SERVIÇOS DE PSICOLOGIA PARA CADEIRANTES EM UM PROGRAMA DE ATIVIDADES MOTORAS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Matheus Vasconcelos Torres

Leia mais

Capítulo 19. Projeto Arte na Instituição: Uso de Grupo Operativo e Teatro na Gestão de Recursos Humanos

Capítulo 19. Projeto Arte na Instituição: Uso de Grupo Operativo e Teatro na Gestão de Recursos Humanos Capítulo 19 Projeto Arte na Instituição: Uso de Grupo Operativo e Teatro na Gestão de Recursos Humanos Ta n i a La u r a Ga r c i a Psicóloga Organizacional do CAISM - Unicamp Sérgio Roberto Vergílio Ato

Leia mais