Práticas e programas de musculação para a população acima de sessenta anos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Práticas e programas de musculação para a população acima de sessenta anos"

Transcrição

1 Práticas e programas de musculação para a população acima de sessenta anos Autor: Felipe Carvalho Segundo Barry & Carson 2004 a degeneração do sistema neuromuscular impede a habilidade de gerar contração máxima, potência e controle muscular o que resulta na perda da capacidade funcional, contudo o sistema neuromuscular mantém a capacidade de adaptação. 1

2 Diminuição da massa muscular Massa muscular x força x potência Barri & Carson - Journal of gerontology

3 Potência x Força Strength Power Metter et al., 1997 J. Gerontol. 3

4 O que fazer para recuperar força e potência? 4

5 Como acontecem as adaptações com o treinamento de força? Barri & Carson - Journal of gerontology 2004 Posição da ACSM A massa muscular diminui 15% na sexta e sétima década e 30% nas demais. As fibras rápidas são as mais afetadas A força e potência muscular são componentes críticos na habilidade de caminhar. Um treinamento de força intenso tem profundos efeitos anabólicos em pessoas idosas. O treinamento de força intenso pode resultar em manutenção ou ganho dos estoques de proteína. A preservação da massa muscular pode ajudar na manutenção ou melhoria da taxa metabólica e na ação da insulina. Um programa de treinamento de força pode ser responsável pela manutenção ou incremento da densidade mineral óssea Resultado: Manutenção da capacidade funcional. 5

6 Exercise Comes of Age: Rationale and Recommendations for a Geriatric Exercise Prescription (Fiatarone Journal of gerontology 2002) Melhora da massa muscular, óssea e outras adaptações clínicas para tratamento de doenças Ganhos de força são acompanhados de ganhos no equilíbrio, capacidade aeróbica, flexibilidade e testes funcionais. 6

7 Physical activity programs and behavior consuling in older adults population population (Elaine Cress, M. et al Med. Sciency in sports and exercise 2004). Treinamento de força é seguro e lesões acontecem raramente A quantidade de peso e o número de repetições pode variar individualmente ou por grupo muscular. Geralmente 2-3 séries de repetições em dias alternados. Todos os grupos musculares devem ser treinados porém os membros inferiores são mais importantes para a mobilidade e independência. As atividades devem ser iniciadas em baixa intensidade e aumentarem gradualmente. 7

8 Componentes do programa de força muscular Freqüência (dias/semana) 2-3 Intensidade volume Instruções especiais Movimentos com grande resistência tem melhores efeitos 2-3 séries repetições 4 exercícios para tronco e membros superiores e 4 para membros inferiores 1 min de descanso entre as séries Usar pesos livres, máquinas e elásticos Prescrição de exercícios físicos para idosos (Tribess S & Virtuoso Jr JS. Rev. Saúde. Com. 2005) o treinamento de força deve ser realizado pelo menos duas vezes por semana, com um mínimo de 48 horas de repouso entre as sessões para a recuperação da musculatura e prevenção do overtraining. recomenda-se realizar um conjunto de 8 a 10 exercícios com 8 a 12 repetições por cada conjunto, desencadeando uma classificação do esforço percebido de 12 a 13 na Escala de Borg. Seleção dos grupos musculares a serem trabalhados deve se direcionar aos grandes grupos musculares que são importantes nas atividades da vida diária, como: glúteo, peitoral, quadríceps, grande dorsal, abdominais e deltóide. Duração das sessões não deve ultrapassar a 60 minutos, pois pode desmotivar a prática do exercício. O indivíduo deve ser capaz de completar a sessão de treinamento num período de 20 a 30 minutos. recomenda-se inspirar antes de levantar o peso, expirar durante a contração e inspirar durante o retorno à posição normal, evitando a manobra de valsalva. 8

9 Exercícios para os mais velhos: Guia (Mecdermott; A. Y. et all Downloaded from the American Family Physician Web site at Copyright 2006 Devem ser utilizados exercícios com elástico, pesos livres, maquinas e o próprio peso do corpo. Treinamento progressivo mantém ou melhora a massa muscular, a força e a resistência Melhora o equilíbrio tornando as atividades diárias mais seguras Ênfase em potência pode ajudar a melhorar a capacidade funcional conforme a pessoa envelhece. Independente da idade ou estado de saúde, melhoras contínuas requerem incremento contínuo da intensidade conforme o aluno ganha força. freqüência 2-3 x semana. 1 x baixa intensidade. 1 x 8-10 média intensidade. 1 x 6-8 alta intensidade. intensidade Baixa = 40% de 1RM Média = 60%de 1 RM Alta = +60% de 1RM progressão Quando o aluno perceber as 15 repetições como difícil (borg 12-14) 14) aumente o peso na próxima sessão. Circuit training em grupo- 50 min duas manhãs por semana Bola- Abdominais e lombar todos os outros dias, 1 x 10 9

10 Treinamento de potência e velocidade de contração são importantes para idosos? 10

11 Para sayers et al journal of gerontology 2005 a velocidade de contração é mais importante que a força muscular para algumas atividades cotidianas. Segundo Rhonda Orr et al journal of gerontology 2006 treinamento de potência com carga baixa melhora o equilibrio. Treinamento de potência com cargas variadas podem melhorar diversos aspectos da vida cotidiana. Conclusões Já esta bem relatado na literatura os benefícios do treinamento de força para idosos. As novas pesquisas com treinamento de potência apresentaram bons resultados. As avaliações devem ser constantes. O treinamento deve ser progressivo Cargas médias a altas são as mais indicadas. As sessões não devem durar mais de 50 min. Os exercícios devem ser bem variados utilizando máquinas, pesos livres, elásticos e o próprio corpo. O treinamento deve ser bem monitorado evitando lesões. 11

12 Nunca pare de malhar Pode salvar a sua vida 12

Treinamento de Força e Diabetes. Ms. Sandro de Souza

Treinamento de Força e Diabetes. Ms. Sandro de Souza Treinamento de Força e Diabetes Ms. Sandro de Souza Taxa de prevalência de Diabetes Mellitus Período: 2009 Relevância Diagnóstico de DIABETES MELLITUS Diabetes Care. 2007;30:S4 41. Resistência a Insulina

Leia mais

Documento Técnico A Actividade Física e a Promoção da Saúde na 3ª Idade

Documento Técnico A Actividade Física e a Promoção da Saúde na 3ª Idade Documento Técnico A Actividade Física e a Promoção da Saúde na 3ª Idade DIVISÃO DESPORTO - CME A Actividade Física e a Promoção da Saúde na 3ª Idade 1.1. Conceito de Saúde Segundo a Organização Mundial

Leia mais

TREINAMENTO COM PESOS, SAÚDE E ENVELHECIMENTO

TREINAMENTO COM PESOS, SAÚDE E ENVELHECIMENTO TREINAMENTO COM PESOS, SAÚDE E ENVELHECIMENTO FORÇA E ENVELHECIMENTO MODIFICAÇÕES FUNCIONAIS COMPORTAMENTO FORÇA MUSCULAR Força Muscular 12 a 15% por década. Gobbi et al. (2005) Sarcopenia é um termo genérico

Leia mais

PROGRAMA DE TREINAMENTO PARA O CURSO BÁSICO PÁRA QUEDISTA

PROGRAMA DE TREINAMENTO PARA O CURSO BÁSICO PÁRA QUEDISTA PROGRAMA DE TREINAMENTO PARA O CURSO BÁSICO PÁRA QUEDISTA Título: PROGRAMA DE TREINAMENTO PARA O CURSO BÁSICO PÁRA-QUEDISTA Categoria/Assunto: ASSUNTO PROFISSIONAL DE INTERESSE MILITAR Autor: CAPITÃO DE

Leia mais

TÍTULO: COMPARAÇÃO DOS EFEITOS DA PERIODIZAÇÃO ONDULATÓRIA E LINEAR NA APTIDÃO FÍSICA DE INDIVÍDUOS DESTREINADOS

TÍTULO: COMPARAÇÃO DOS EFEITOS DA PERIODIZAÇÃO ONDULATÓRIA E LINEAR NA APTIDÃO FÍSICA DE INDIVÍDUOS DESTREINADOS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: COMPARAÇÃO DOS EFEITOS DA PERIODIZAÇÃO ONDULATÓRIA E LINEAR NA APTIDÃO FÍSICA DE INDIVÍDUOS

Leia mais

Tricoscopia do couro cabeludo 10 DICAS

Tricoscopia do couro cabeludo 10 DICAS Tricoscopia do couro cabeludo 10 DICAS para sair do sedentarismo e INTRODUÇÃO De acordo com dados apurados em 2013 pelo Ministério da Saúde, 64% da população brasileira está com excesso de peso devido

Leia mais

Lucimere Bohn lucimerebohn@gmail.com Área de Formação: 813 Desporto. Curso: Musculação e Cardiofitness. Módulo: Bases Morfofisiológicas

Lucimere Bohn lucimerebohn@gmail.com Área de Formação: 813 Desporto. Curso: Musculação e Cardiofitness. Módulo: Bases Morfofisiológicas Musculação: Definições Básicas Lucimere Bohn lucimerebohn@gmail.com Área de Formação: 813 Desporto. Curso: Musculação e Cardiofitness. Módulo: Bases Morfofisiológicas Termos frequentes na descrição de

Leia mais

EFEITO DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO DE FORÇA MUSCULAR NO DESEMPENHO FUNCIONAL DE IDOSOS

EFEITO DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO DE FORÇA MUSCULAR NO DESEMPENHO FUNCIONAL DE IDOSOS Recebido em: 27/02/2009 Emitido parece em: 17/03/2009 Artigo original EFEITO DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO DE FORÇA MUSCULAR NO DESEMPENHO FUNCIONAL DE IDOSOS Suzana Raquel Carvalho Costa 1, André Gustavo

Leia mais

CEF Resist - Resumo CEF CEF RESIST. Planos de Movimento (revisão) Funções Muscúlos (revisão) Coluna. Técnica de Execução dos Exercícios

CEF Resist - Resumo CEF CEF RESIST. Planos de Movimento (revisão) Funções Muscúlos (revisão) Coluna. Técnica de Execução dos Exercícios CEF CEF RESIST CEF Resist - Resumo Planos de Movimento (revisão) Funções Muscúlos (revisão) Coluna Anatomia Funcional da Coluna Vertebral Precauções Técnica de Execução dos Exercícios 1 Planos de Movimento

Leia mais

Treinar primeiro os grandes grupos musculares (tab. 1) Alternar os movimentos de flexão / extensão (tab. 2) Alternar tronco e m. superiores / m.

Treinar primeiro os grandes grupos musculares (tab. 1) Alternar os movimentos de flexão / extensão (tab. 2) Alternar tronco e m. superiores / m. CONSTRUÇÃO de PROGRAMAS de TREINO 8 Objectivos Selecção dos Exercicíos Organização dos exercicíos Frequência de Treino Selecção das Cargas Selecção do nº. de Repetições Selecção do nº. de Séries e Pausas

Leia mais

TÍTULO: ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA NA PREVENÇÃO DA OSTEOPOROSE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA

TÍTULO: ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA NA PREVENÇÃO DA OSTEOPOROSE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA NA PREVENÇÃO DA OSTEOPOROSE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS

Leia mais

Atividade Física para Pessoas com Diabetes Mellitus

Atividade Física para Pessoas com Diabetes Mellitus Atividade Física para Pessoas com Diabetes Mellitus 7 Estratégias para o Cuidado da Pessoa com Doença Crônica Diabete Mellitus Neste capítulo serão abordadas as recomendações essenciais para as pessoas

Leia mais

Portal Equilíbrio e Quedas em Idosos. Atividade Física

Portal Equilíbrio e Quedas em Idosos. Atividade Física Portal Equilíbrio e Quedas em Idosos http://pequi.incubadora.fapesp.br/portal Atividade Física Nesta seção, apresentamos conceitos relacionados à atividade física para idosos. O enfoque principal é treinamento

Leia mais

Treinamento Neuromuscular periodização e prescrição de exercícios

Treinamento Neuromuscular periodização e prescrição de exercícios UFBA Faculdade de Educação Física Treinamento Neuromuscular periodização e prescrição de exercícios Alexandre Veloso de Sousa A Ginástica como atividade física se confunde com a história do próprio homem;

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PRESCRIÇÃO DO EXERCÍCIO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PRESCRIÇÃO DO EXERCÍCIO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular PRESCRIÇÃO DO EXERCÍCIO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Motricidade Humana 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Fundação Cardeal Cerejeira. Acção de Formação

Fundação Cardeal Cerejeira. Acção de Formação Fundação Cardeal Cerejeira Acção de Formação Formadoras: Fisioterapeuta Andreia Longo, Fisioterapeuta Sara Jara e Fisioterapeuta Tina Narciso 4º Ano de Fisioterapia da ESSCVP Introdução Afirma-se que a

Leia mais

EFEITO DO EXERCÍCIO FÍSICO SOBRE A QUALIDADE DE VIDA EM IDOSAS

EFEITO DO EXERCÍCIO FÍSICO SOBRE A QUALIDADE DE VIDA EM IDOSAS EFEITO DO EXERCÍCIO FÍSICO SOBRE A QUALIDADE DE VIDA EM IDOSAS EFEITO DO EXERCÍCIO FÍSICO SOBRE A QUALIDADE DE VIDA EM IDOSAS The effect of exercising in the quality of life on elderly GUEDES, J.M. SEBBEN,

Leia mais

ESTUDO BIBLIOMÉTRICO DA PRODUÇÃO NACIONAL DA PÓS-GRADUAÇÃO ACERCA DO CONTROLE POSTURAL EM IDOSOS

ESTUDO BIBLIOMÉTRICO DA PRODUÇÃO NACIONAL DA PÓS-GRADUAÇÃO ACERCA DO CONTROLE POSTURAL EM IDOSOS BIBLIOTECA LAS CASAS Fundación Index http://www.index-f.com/lascasas/lascasas.php Cómo citar este documento Ceccon, Fernando Gomes. Estudo bibliométrico da produção nacional da pós-graduação acerca do

Leia mais

COMPARAÇÃO DOS EFEITOS DA GINÁSTICA LOCALIZADA E MUSCULAÇÃO NOS NÍVEIS DE RESISTÊNCIA MUSCULAR LOCALIZADA E FORÇA EM MULHERES

COMPARAÇÃO DOS EFEITOS DA GINÁSTICA LOCALIZADA E MUSCULAÇÃO NOS NÍVEIS DE RESISTÊNCIA MUSCULAR LOCALIZADA E FORÇA EM MULHERES Artigo Original COMPARAÇÃO DOS EFEITOS DA GINÁSTICA LOCALIZADA E MUSCULAÇÃO NOS NÍVEIS DE RESISTÊNCIA MUSCULAR LOCALIZADA E FORÇA EM MULHERES Edna Caroline Liebl 1 Luis Paulo Gomes Mascarenhas 2 Rodrigo

Leia mais

A actividade física e o desporto: um meio para melhorar a saúde e o bem-estar

A actividade física e o desporto: um meio para melhorar a saúde e o bem-estar A actividade física e o desporto: um meio para melhorar a saúde e o bem-estar A actividade física e os desportos saudáveis são essenciais para a nossa saúde e bem-estar. Actividade física adequada e desporto

Leia mais

GUIA DE MUSCULAÇÃO PARA INICIANTES

GUIA DE MUSCULAÇÃO PARA INICIANTES GUIA DE MUSCULAÇÃO PARA INICIANTES O QUE É MUSCULAÇÃO? A musculação é um exercício de contra-resistência utilizado para o desenvolvimento dos músculos esqueléticos. A partir de aparelhos, halteres, barras,

Leia mais

Neste capítulo, valorizamos a função da escola na promoção. Atividade Física e Qualidade de Vida na Terceira Idade Também se Aprende na Escola

Neste capítulo, valorizamos a função da escola na promoção. Atividade Física e Qualidade de Vida na Terceira Idade Também se Aprende na Escola 14 Atividade Física e Qualidade de Vida na Terceira Idade Também se Aprende na Escola Efigênia Passarelli Mantovani Mestre em Educação Física - UNICAMP Grace Angélica de Oliveira Gomes Mestranda em Gerontologia

Leia mais

O treino invisível para aumento do rendimento desportivo

O treino invisível para aumento do rendimento desportivo O treino invisível para aumento do rendimento desportivo Carlos Sales, Fisioterapeuta Federação Portuguesa de Ciclismo Luís Pinho, Fisioterapeuta Federação Portuguesa de Ciclismo Ricardo Vidal, Fisioterapeuta

Leia mais

CURSO DE MUSCULAÇÃO E CARDIOFITNESS. Lucimére Bohn lucimerebohn@gmail.com

CURSO DE MUSCULAÇÃO E CARDIOFITNESS. Lucimére Bohn lucimerebohn@gmail.com CURSO DE MUSCULAÇÃO E CARDIOFITNESS Lucimére Bohn lucimerebohn@gmail.com Estrutura do Curso Bases Morfofisiológicas - 25 hs Princípios fisiológicos aplicados à musculação e ao cardiofitness Aspectos biomecânicos

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei nº 5.905/73

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei nº 5.905/73 PARECER CTSAB Nº 03/2014 Porto Alegre, 11 de agosto de 2014. Atuação do Profissional Enfermeiro na Atividade Física. I - Relatório Trata-se de solicitação de dúvida e emissão de parecer, encaminhada por

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Escola de Educação Física. Gabriela Bartholomay Kothe

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Escola de Educação Física. Gabriela Bartholomay Kothe UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Escola de Educação Física Gabriela Bartholomay Kothe RELAÇÃO ENTRE O PERCENTUAL DE 1RM E O NÚMERO DE REPETIÇÕES MÁXIMAS EM EXERCÍCIOS DE MUSCULAÇÃO EM INDIVÍDUOS

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PLANO DE ENSINO Unidade Universitária: CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso: EDUCAÇÃO FISICA Disciplina: EDUCAÇÃO

Leia mais

Objetivo Desenvolver as modalidades de força especifica para cada tipo de nadador e prova.

Objetivo Desenvolver as modalidades de força especifica para cada tipo de nadador e prova. MUSCULAÇÃO APLICADA A NATAÇÃO Finalidades: Desenvolver as modalidades de força especifica para cada tipo de nadador e prova. Montagem da Sessão de Treinamento: Sessão de treino é a realização de todos

Leia mais

Tai Chi Chuan e capacidade funcional em idosos

Tai Chi Chuan e capacidade funcional em idosos Tai Chi Chuan e capacidade funcional em idosos *Universidade Católica de Brasília UCB **Universidade de Brasília UnB (Brasil) Tai Chi Chuan and functional capacity in elderly Márcio de Moura Pereira* Alessandra

Leia mais

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E EDUCAÇÃO FÍSICA: APROXIMAÇÕES A PARTIR DO GRUPO DE EPIDEMIOLOGIA DA ATIVIDADE FÍSICA - ATENÇÃO BÁSICA

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E EDUCAÇÃO FÍSICA: APROXIMAÇÕES A PARTIR DO GRUPO DE EPIDEMIOLOGIA DA ATIVIDADE FÍSICA - ATENÇÃO BÁSICA SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E EDUCAÇÃO FÍSICA: APROXIMAÇÕES A PARTIR DO GRUPO DE EPIDEMIOLOGIA DA ATIVIDADE FÍSICA - ATENÇÃO BÁSICA Área Temática: Saúde Fabricio Boscolo Del Vecchio (Coordenador da Ação de

Leia mais

MUSCULAÇÃO PRINCÍPIOS BÁSICOS

MUSCULAÇÃO PRINCÍPIOS BÁSICOS 1 MUSCULAÇÃO PRINCÍPIOS BÁSICOS Prof. Dr. Valdir J. Barbanti Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo A musculação refere-se à forma de exercícios que envolvem

Leia mais

Confederação Brasileira de Voleibol PREPARAÇÃO FÍSICA Prof. Rommel Milagres SAQUAREMA Dezembro 2013

Confederação Brasileira de Voleibol PREPARAÇÃO FÍSICA Prof. Rommel Milagres SAQUAREMA Dezembro 2013 Confederação Brasileira de Voleibol PREPARAÇÃO FÍSICA Prof. Rommel Milagres SAQUAREMA Dezembro 2013 CURRICULUM VITAE Chefe do Departamento e Preparação Física do Minas Tênis Clube desde 1978 Preparador

Leia mais

Palavras chaves: Core; Treinamento Funcional; Musculação; Homens.

Palavras chaves: Core; Treinamento Funcional; Musculação; Homens. 1 Estudo comparativo do nível de força isométrica e estabilidade da musculatura do core entre indivíduos praticantes de treinamento funcional e de musculação. Resumo: O presente estudo teve como objetivo

Leia mais

PLIOMETRÍA PRINCÍPIO DE EXECUÇÃO DO TRABALHO EXCÊNTRICO- CONCÊNTRICO

PLIOMETRÍA PRINCÍPIO DE EXECUÇÃO DO TRABALHO EXCÊNTRICO- CONCÊNTRICO PLIOMETRÍA O termo pliometría se utiliza para descrever o método de treinamento que busca reforçar a reação explosiva do indivíduo como resultado de aplicar o que os fisiologistas denominam "ciclo estiramento-encurtamento".

Leia mais

Promoção da Atividade Física e Saúde na Empresa

Promoção da Atividade Física e Saúde na Empresa Simpósio Internacional de Pesquisa em estilos de vida e saúde Minicurso-1 Promoção da Atividade Física e Saúde na Empresa Profa. Dra. Priscila M Nakamura Profa.Dra. Caroline de O Martins Profa.Dra. Elusa

Leia mais

Escola Superior de Desporto de Rio Maior PÓS-GRADUAÇÃO EM ACTIVIDADE FÍSICA NA GRAVIDEZ E PÓS-PARTO PROGRAMA DA UNIDADE CURRICULAR

Escola Superior de Desporto de Rio Maior PÓS-GRADUAÇÃO EM ACTIVIDADE FÍSICA NA GRAVIDEZ E PÓS-PARTO PROGRAMA DA UNIDADE CURRICULAR INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Escola Superior de Desporto de Rio Maior PÓS-GRADUAÇÃO EM ACTIVIDADE FÍSICA NA GRAVIDEZ E PÓS-PARTO PRESCRIÇÃO DO EXERCÍCIO NA GRAVIDEZ E PÓS-PARTO 1.º semestre PROGRAMA

Leia mais

O TREINAMENTO RESISTIDO PROMOVE SAÚDE E AUTONOMIA AOS IDOSOS

O TREINAMENTO RESISTIDO PROMOVE SAÚDE E AUTONOMIA AOS IDOSOS O TREINAMENTO RESISTIDO PROMOVE SAÚDE E AUTONOMIA AOS IDOSOS (THE RESISTANCE TRAINING PROMOTES HEALTH AND AUTONOMY FOR THE ELDERLY) Larissa Aparecida Moraes; Flávio Rogério Gagliardi Centro Universitário

Leia mais

Atividade Física e Saúde

Atividade Física e Saúde Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte Elaboração Final: 16 de Agosto de 2001 Autores: Carvalho T, Nóbrega ACL, Lazzoli JK, Magni JRT, Rezende L, Drummond FA, Oliveira MAB, De Rose EH, Araújo CGS,

Leia mais

Educação Física 1.ª etapa- 9. o ano

Educação Física 1.ª etapa- 9. o ano Educação Física 1.ª etapa- 9. o ano CONHECENDO MEU CORPO DURANTE O EXERCÍCIO DESCUBRA PORQUE É TÃO IMPORTANTE ACOMPANHAR OS BATIMENTOS CARDÍACOS ENQUANTO VOCÊ SE EXERCITA E APRENDA A CALCULAR SUA FREQUÊNCIA

Leia mais

Com o aumento da população idosa mundial, começam

Com o aumento da população idosa mundial, começam Práticas e Intervenção em Qualidade de Vida Capítulo 9 O Importante Papel da Mídia na Adesão à Prática de Atividade Física no Envelhecimento EFIGÊNIA PASSARELLI MANTOVANI ESPECIALISTA EM ATIVIDADE FÍSICA

Leia mais

Fundamentos Teórico-Práticos do Aquecimento no Futsal

Fundamentos Teórico-Práticos do Aquecimento no Futsal futsalcoach.com la web para el técnico de fútbol sala C Copyright 2005, F U T S A L C O A C H, Spain Todos los derechos reservados Autor: Prof. João Carlos Romano Preparador Físico de la Selección Brasileña

Leia mais

12º CONGRESSO DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE

12º CONGRESSO DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE 12º CONGRESSO DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE A Importância dos Grupos de Reabilitação em Dor Crônica Realizados pela Equipe NASF AUTOR THANYTA STELLA DE CAMPOS HISTÓRICO COMO SURGIU A IDÉIA DO TRABALHO?

Leia mais

movimento & saúde REVISTAINSPIRAR

movimento & saúde REVISTAINSPIRAR EFEITOS DO EXERCÍCIO RESISTIDO SOBRE A FORÇA MUSCULAR DE IDOSOS: UMA REVISÃO DE LITERATURA. Effects of resistance exercise on the muscle strength of elderly: a review of the literature. Caroline da Silva

Leia mais

Universidade Federal do Vale do São Francisco UNIVASF Pró-Reitoria de Integração aos Setores Comunitários e Produtivos - PROIN

Universidade Federal do Vale do São Francisco UNIVASF Pró-Reitoria de Integração aos Setores Comunitários e Produtivos - PROIN Universidade Federal do Vale do São Francisco UNIVASF Pró-Reitoria de Integração aos Setores Comunitários e Produtivos - PROIN Programa Institucional de Bolsas de Integração PIBIN 2012/2013 ANEXO II Modelo

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS ALUNOS IDOSOS DA FACULDADE DA TERCEIRA IDADE DA UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS ALUNOS IDOSOS DA FACULDADE DA TERCEIRA IDADE DA UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS ALUNOS IDOSOS DA FACULDADE DA TERCEIRA IDADE DA UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA Ariana Pilar Rosa 1, Marcelo de Souza Brito 1, Emmelin Souza Monteiro 1, Luís Carlos Laureano da

Leia mais

Aliança para um Futuro Livre de Cárie

Aliança para um Futuro Livre de Cárie Creme dental com alto teor de fluoreto Resumo completo Descrição: Os dentifrícios fluoretados foram introduzidos pela primeira vez na década de 1950. [1] O primeiro dentifrício fluoretado continha fluoreto

Leia mais

AVALIAÇÃO DO EQUILÍBRIO E RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS E NÃO-INSTITUCIONALIZADOS

AVALIAÇÃO DO EQUILÍBRIO E RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS E NÃO-INSTITUCIONALIZADOS AVALIAÇÃO DO EQUILÍBRIO E RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS E NÃO-INSTITUCIONALIZADOS Veruska Cronemberger Nogueira, 1, 2, 3, 4, Larissa Alves Pereira Lima 1, Nayana Pinheiro Machado 1, 2,

Leia mais

FISIOLOGIA DOS MÉTODOS DE TREINAMENTO NA MUSCULAÇÃO. Prof. Ms. Alexandre Sérgio Silva DEF/CCS/UFPB CREF 00926/G-PB

FISIOLOGIA DOS MÉTODOS DE TREINAMENTO NA MUSCULAÇÃO. Prof. Ms. Alexandre Sérgio Silva DEF/CCS/UFPB CREF 00926/G-PB FISIOLOGIA DOS MÉTODOS DE TREINAMENTO NA MUSCULAÇÃO Prof. Ms. Alexandre Sérgio Silva DEF/CCS/UFPB CREF 00926/G-PB INTRODUÇÃO Diferentemente de métodos para treino aeróbio, a maioria dos métodos desenvolvidos

Leia mais

24 motivos. academia. para entrar na

24 motivos. academia. para entrar na para entrar na academia Mais um ano se inicia e com ele chegam novas perspectivas e objetivos. Uma das principais promessas feitas é deixar o sedentarismo de lado e entrar na academia! Nesta época é comum

Leia mais

FORÇA MUSCULAR DE MEMBROS INFERIORES E CAPACIDADE FUNCIONAL DE IDOSAS PRATICANTES DE PROGRAMA DE EXERCÍCIO FÍSICO SUPERVISIONADO

FORÇA MUSCULAR DE MEMBROS INFERIORES E CAPACIDADE FUNCIONAL DE IDOSAS PRATICANTES DE PROGRAMA DE EXERCÍCIO FÍSICO SUPERVISIONADO 176 FORÇA MUSCULAR DE MEMBROS INFERIORES E CAPACIDADE FUNCIONAL DE IDOSAS PRATICANTES DE PROGRAMA DE EXERCÍCIO FÍSICO SUPERVISIONADO Juliana Rosini da Silva 1 ; Tabata de Paula Facioli 1, Claudia Regina

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA OS BENEFÍCIOS DO TREINAMENTO DE FORÇA NO PROCESSO DE ENVELHECIMENTO: ESTUDO DE REVISÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Luiz Gomes Wallace Duncan

Leia mais

REPETIÇÃO MÁXIMA E PRESCRIÇÃO NA MUSCULAÇÃO

REPETIÇÃO MÁXIMA E PRESCRIÇÃO NA MUSCULAÇÃO Universidade Gama Filho REPETIÇÃO MÁXIMA E PRESCRIÇÃO NA MUSCULAÇÃO Ricardo Franklin de Freitas Mussi Marcos Aurélio Ferreira Dias Salvador Ba 2005 Ricardo Franklin de Freitas Mussi Marcos Aurélio Ferreira

Leia mais

ABDOMINAIS: UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO EXERCÍCIO RESISTIDO

ABDOMINAIS: UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO EXERCÍCIO RESISTIDO ABDOMINAIS: UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO EXERCÍCIO RESISTIDO Éder Cristiano Cambraia 1 Eduardo de Oliveira Melo 2 1 Aluno do Curso de Pós Graduação em Fisiologia do Exercício. edercambraiac@hotmail.com 2 Professor

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO NO ENVELHECIMENTO THE IMPORTANCE OF PHYSICAL EXERCISE IN THE AGING

A IMPORTÂNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO NO ENVELHECIMENTO THE IMPORTANCE OF PHYSICAL EXERCISE IN THE AGING Revista da Unifebe (Online) 2011; 9(jan/jun):163-175 ISSN 2177-742X Artigo Original A IMPORTÂNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO NO ENVELHECIMENTO THE IMPORTANCE OF PHYSICAL EXERCISE IN THE AGING Cristian Civinski

Leia mais

ENVELHECIMENTO E EXERCÍCIO

ENVELHECIMENTO E EXERCÍCIO ENVELHECIMENTO E EXERCÍCIO Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Roy J. Shephard School of Physical & Health Education and Dept. of Preventive

Leia mais

Saúde: Possivelmente, se perguntarmos a todos os nossos amigos e familiares quais são seus desejos para uma vida satisfatória...

Saúde: Possivelmente, se perguntarmos a todos os nossos amigos e familiares quais são seus desejos para uma vida satisfatória... Atualmente, verificamos em programas de TV, nas revistas e jornais e em sites diversos na internet, uma grande quantidade de informações para que as pessoas cuidem da sua saúde. Uma das recomendações mais

Leia mais

Decréscimo da função muscular decorrente do envelhecimento e a influência na qualidade de vida do idoso: uma revisão de literatura

Decréscimo da função muscular decorrente do envelhecimento e a influência na qualidade de vida do idoso: uma revisão de literatura Decréscimo da função muscular decorrente do envelhecimento e a influência na qualidade de vida do idoso: uma revisão de literatura Aging Related to decrease of muscle function and the influence in old-aged

Leia mais

VALÊNCIAS FÍSICAS. 2. VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO: Tempo que é requerido para ir de um ponto a outro o mais rapidamente possível.

VALÊNCIAS FÍSICAS. 2. VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO: Tempo que é requerido para ir de um ponto a outro o mais rapidamente possível. VALÊNCIAS FÍSICAS RESISTÊNCIA AERÓBICA: Qualidade física que permite ao organismo executar uma atividade de baixa para média intensidade por um longo período de tempo. Depende basicamente do estado geral

Leia mais

ATIVIDADE FÍSICA, HÁBITOS ALIMENTARES E SÍNDROME METABÓLICA EM ADOLESCENTES.

ATIVIDADE FÍSICA, HÁBITOS ALIMENTARES E SÍNDROME METABÓLICA EM ADOLESCENTES. ATIVIDADE FÍSICA, HÁBITOS ALIMENTARES E SÍNDROME METABÓLICA EM ADOLESCENTES. Sara Crosatti Barbosa (CNPq-UENP), Antonio Stabelini Neto (ORIENTADOR), e-mail: asneto@uenp.edu.br Universidade Estadual do

Leia mais

PERIODIZAÇÃO APLICADA AO TREINAMENTO FUNCIONAL

PERIODIZAÇÃO APLICADA AO TREINAMENTO FUNCIONAL PERIODIZAÇÃO APLICADA AO TREINAMENTO FUNCIONAL MÉTODO CONTÍNUO O exercício é executado sem pausa. A intensidade do exercício é, normalmente, submáxima O volume é de moderado para alto VARIAÇÕES METODOLÓGICAS

Leia mais

Documento Técnico Programa de Actividade Física na 3ª Idade

Documento Técnico Programa de Actividade Física na 3ª Idade Documento Técnico Programa de Actividade Física na 3ª Idade DIVISÃO DESPORTO - CME 1. Programa de Actividade Física 1.1. Avaliação do Perfil de Saúde Póvoa (2001) cit. Barata (2005) afirma que os exercícios

Leia mais

Keywords: Periodization. Resistance Training. Muscular Strength.

Keywords: Periodization. Resistance Training. Muscular Strength. Artigo apresentado no II Seminário de Pesquisas e TCC da FUG no semestre 2011-2 Coordenação, organização e formatação final: Prof. Dr. Rodrigo Irani Medeiros PROPOSTA DE INTERVENÇÃO DE UM METODO E PERIODIZAÇÃO

Leia mais

O TREINAMENTO DE FORÇA NO APRIMORAMENTO DA CAPACIDADE FUNCIONAL DO IDOSO

O TREINAMENTO DE FORÇA NO APRIMORAMENTO DA CAPACIDADE FUNCIONAL DO IDOSO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA - UNIFOR EDUCAÇÃO FÍSICA BACHARELADO MATHEUS FILLIPE COUTINHO CHAVES VENÂNCIO O TREINAMENTO DE FORÇA NO APRIMORAMENTO DA CAPACIDADE FUNCIONAL DO IDOSO FORMIGA 2013 1 MATHEUS

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE A FLEXIBILIDADE E A FORÇA DE MEMBROS INFERIORES EM ATLETAS DE FUTSAL MASCULINO

RELAÇÃO ENTRE A FLEXIBILIDADE E A FORÇA DE MEMBROS INFERIORES EM ATLETAS DE FUTSAL MASCULINO RELAÇÃO ENTRE A FLEXIBILIDADE E A FORÇA DE MEMBROS INFERIORES EM ATLETAS DE FUTSAL MASCULINO (RELATIONSHIP BETWEEN FLEXIBILITY AND STRENGTH OF LOWER LIMB IN MALE ATHLETES OF FUTSAL) Fauler Fernandes Pereira

Leia mais

ATUAÇÃO DA HIDROTERAPIA EM PATOLOGIAS TRATADAS NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DA FACULDADE NOVAFAPI

ATUAÇÃO DA HIDROTERAPIA EM PATOLOGIAS TRATADAS NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DA FACULDADE NOVAFAPI ATUAÇÃO DA HIDROTERAPIA EM PATOLOGIAS TRATADAS NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DA FACULDADE NOVAFAPI INTRODUÇÃO Luana Gabrielle de França Ferreira NOVAFAPI Luciana Gomes Cariri NOVAFAPI Maria José Magalhães

Leia mais

Congresso do Desporto Desporto, Saúde e Segurança

Congresso do Desporto Desporto, Saúde e Segurança Congresso do Desporto Desporto, Saúde e Segurança Projecto Mexa-se em Bragança Organização: Pedro Miguel Queirós Pimenta Magalhães E-mail: mexaseembraganca@ipb.pt Web: http://www.mexaseembraganca.ipb.pt

Leia mais

SAÚDE. Palavras-chave: osteoporose, exercício físico, saúde.

SAÚDE. Palavras-chave: osteoporose, exercício físico, saúde. Artigos de Revisão SAÚDE OSTEOPOROSE E EXERCÍCIO FÍSICO OSTEOPOROSIS AND PHYSICAL EXERCISES Robson Sampaio Dias, José da Silva Leite e Vanessa Ielpo Venhoven Universidade de Santo Amaro - Unisa. RESUMO

Leia mais

Treinamento Personalizado para Idosos. Discentes: Dulcineia Cardoso Laís Aguiar

Treinamento Personalizado para Idosos. Discentes: Dulcineia Cardoso Laís Aguiar Treinamento Personalizado para Idosos Discentes: Dulcineia Cardoso Laís Aguiar Idosos Indivíduos com idade superior a 60anos Segundo o estatuto do idoso -é assegurando o direito à vida, à saúde, à alimentação,

Leia mais

EFEITOS DE UMA SESSÃO DE PILATES SOBRE A HIPOTENSÃO PÓS-EXERCÍCIO

EFEITOS DE UMA SESSÃO DE PILATES SOBRE A HIPOTENSÃO PÓS-EXERCÍCIO EFEITOS DE UMA SESSÃO DE PILATES SOBRE A HIPOTENSÃO PÓS-EXERCÍCIO Francinalva Mathne Araújo Teles 1, Juliano de Andrade Mello 1, Márcio Rabelo Mota 1,2, Denize Faria Terra 2 ; Emerson Pardono 1,2 1 PGLSNFAR

Leia mais

TREINAMENTO DE FORÇA E POTÊNCIA MUSCULAR EM IDOSOS: CURIOSIDADES E RECOMENDAÇÕES

TREINAMENTO DE FORÇA E POTÊNCIA MUSCULAR EM IDOSOS: CURIOSIDADES E RECOMENDAÇÕES TREINAMENTO DE FORÇA E POTÊNCIA MUSCULAR EM IDOSOS: CURIOSIDADES E RECOMENDAÇÕES STRENGTH TRAINING AND MUSCLE POWER IN THE ELDERLY: CURIOSITIES AND RECOMMENDATIONS Ms. Mauro Lúcio Mazini Filho Ms. Dihogo

Leia mais

O GUIA COMPLETO TIRE TODAS SUAS DÚVIDAS SOBRE ANDROPAUSA

O GUIA COMPLETO TIRE TODAS SUAS DÚVIDAS SOBRE ANDROPAUSA O GUIA COMPLETO TIRE TODAS SUAS DÚVIDAS SOBRE ANDROPAUSA O QUE É ANDROPAUSA? Problemas hormonais surgidos em função da idade avançada não são exclusivos das mulheres. Embora a menopausa seja um termo conhecido

Leia mais

Plano de Treino Proprioceptivo e de Fortalecimento Muscular

Plano de Treino Proprioceptivo e de Fortalecimento Muscular Plano de Treino Proprioceptivo e de Fortalecimento Muscular Curso: Fisioterapia Unidade Curricular: Fisioterapia em Condições Ortopédicas e Traumatológicas Autores: David Silva, nº 2017 Jorge Rodrigues,

Leia mais

Ensinando Matemática através de Projetos Dinâmicos

Ensinando Matemática através de Projetos Dinâmicos Adificuldade EnsinandoMatemáticaatravésdeProjetosDinâmicos MarceloRodrigues DiretorpedagógicodaEscoladoMax,SãoPaulo SP www.escoladomax.com.br A essência do trabalho com projetos dinâmicos é saber como

Leia mais

PERSONAL TRAINER 2003 Sistema para Prescrição de Treinamento Personal Training

PERSONAL TRAINER 2003 Sistema para Prescrição de Treinamento Personal Training PERSONAL TRAINER 2003 Sistema para Prescrição de Treinamento Personal Training Manual do Usuário ÍÍNDIICE Capítulo 1 - Passo a passo do Personal Trainer 2003 Capítulo 2 - Cadastrando sua Base de dados

Leia mais

FAQ ironguides INSTRUÇÕES DE TREINO : BUILDING ROUTINE

FAQ ironguides INSTRUÇÕES DE TREINO : BUILDING ROUTINE FAQ ironguides INSTRUÇÕES DE TREINO : BUILDING ROUTINE 1 ESTRUTURA DA PLANILHA ESTRUTURA DA PLANILHA Dia da Semana: Procure seguir a ordem da planilha. Descrição detalhada do seu PRIMEIRO TREINO: Aqui

Leia mais

COLÉGIO AMERICANO DE MEDICINA ESPORTIVA Posicionamento Oficial Exercício e Atividade Física para pessoas idosas

COLÉGIO AMERICANO DE MEDICINA ESPORTIVA Posicionamento Oficial Exercício e Atividade Física para pessoas idosas COLÉGIO AMERICANO DE MEDICINA ESPORTIVA Posicionamento Oficial Exercício e Atividade Física para pessoas idosas RESUMO No ano 2030, o número de indivíduos acima de 65 anos pode alcançar 70 milhões somente

Leia mais

DAVI JANUÁRIO DA SILVA ANÁLISE DA DOR EM IDOSOS QUE PRATICAM EXERCÍCIOS FÍSICOS EM PRAÇAS SEM ACOMPANHAMENTO PROFISSIONAL

DAVI JANUÁRIO DA SILVA ANÁLISE DA DOR EM IDOSOS QUE PRATICAM EXERCÍCIOS FÍSICOS EM PRAÇAS SEM ACOMPANHAMENTO PROFISSIONAL FACULDADE DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO E SAÚDE FACES CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA DAVI JANUÁRIO DA SILVA ANÁLISE DA DOR EM IDOSOS QUE PRATICAM EXERCÍCIOS FÍSICOS EM PRAÇAS SEM ACOMPANHAMENTO PROFISSIONAL

Leia mais

Atividade Física. para a Saúde: recomendações

Atividade Física. para a Saúde: recomendações Revista Factores de Risco, Nº29 ABR-JUN 2013 Pág. 36-44 Atividade Física para a Saúde: recomendações Moisés Henriques Médico Naval, Centro de Medicina Naval; Médico Interno de Medicina Física e de Reabilitação,

Leia mais

DIRETRIZES PARA ATIVIDADE FÍSICA: CRIANÇAS E ADOLESCENTES, ADULTOS E IDOSOS

DIRETRIZES PARA ATIVIDADE FÍSICA: CRIANÇAS E ADOLESCENTES, ADULTOS E IDOSOS UNIME UNIÃO METROPOLITANA DE EDUCAÇÃO DIRETRIZES PARA ATIVIDADE FÍSICA: CRIANÇAS E ADOLESCENTES, ADULTOS E IDOSOS Professora Dra Carmem Cristina Beck Professor Dr Francisco José Gondim Pitanga Salvador,

Leia mais

Influência da atividade física no tratamento da osteoporose.

Influência da atividade física no tratamento da osteoporose. Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Influência da atividade física no tratamento da osteoporose. Andrea Filipovith Simões-UEL 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Confira a lista dos 25 melhores alimentos para emagrecer:

Confira a lista dos 25 melhores alimentos para emagrecer: Emagrecer nem sempre é uma das tarefas mais simples. A fórmula parece simples (dieta + exercício + descanso) porém diferentes pessoas precisam de diferentes soluções. Uma coisa é certa: qualquer ajuda

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CHOPINZINHO PR SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GESTÃO 2012-2015

PREFEITURA MUNICIPAL DE CHOPINZINHO PR SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GESTÃO 2012-2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE CHOPINZINHO PR SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GESTÃO 2012-2015 PROJETO TERCEIRA IDADE ATIVA EDUCADORAS FÍSICAS: LÍDIA POSSO SIMIONATO (responsável) ALANA M. C. KNAKIEWICZ (estagiária)

Leia mais

PERSONAL TRAINER INTRODUÇÃO

PERSONAL TRAINER INTRODUÇÃO PERSONAL TRAINER INTRODUÇÃO O fenômeno do personal trainer teve seu início na década de 90. Nesta mesma época, com os avanços tecnológicos como a internet, que permitiram que um grande número de estudos

Leia mais

Diferentemente dos adultos, os atletas jovens necessitam de um aporte energético e de nutrientes para dois objetivos: Crescimento e desenvolvimento.

Diferentemente dos adultos, os atletas jovens necessitam de um aporte energético e de nutrientes para dois objetivos: Crescimento e desenvolvimento. Necessidade nutricional da criança e do adolescente atleta Francisco Leal Kobielski Giuseppe Potrick Stefani Introdução Diferentemente dos adultos, os atletas jovens necessitam de um aporte energético

Leia mais

Pró - Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso AVALIAÇÃO DA MOTIVAÇÃO DOS PRATICANTES DO CICLISMO INDOOR

Pró - Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso AVALIAÇÃO DA MOTIVAÇÃO DOS PRATICANTES DO CICLISMO INDOOR 1 Z Pró - Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso AVALIAÇÃO DA MOTIVAÇÃO DOS PRATICANTES DO CICLISMO INDOOR Autor: João Ricardo de Camargos Maia Orientador: Prof.

Leia mais

PLANILHA GERAL - INTRODUÇÃO À CLÍNICA III - 2º 2015

PLANILHA GERAL - INTRODUÇÃO À CLÍNICA III - 2º 2015 PLANILHA GERAL - INTRODUÇÃO À CLÍNICA III - 2º 2015 Dia Data Hora Professor Sala Conteúdo Módulo 05/08/2015 06/08/2015 12/08/2015 13/08/2015 19/08/2015 20/08/2015 26/08/2015 204 B Reunião Núcleo Docente

Leia mais

ALCOOLISMO EM IDOSOS

ALCOOLISMO EM IDOSOS ALCOOLISMO EM IDOSOS SILVA, Alrenilda Aparecida da Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: alrenildapsicologia@hotmail.com RESUMO Este estudo

Leia mais

Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT. Nutricionista Débora Razera Peluffo

Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT. Nutricionista Débora Razera Peluffo Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT Nutricionista Débora Razera Peluffo Perfil nutricional brasileiro Nas últimas décadas observou-se uma mudança no perfil epidemiológico da população brasileira:

Leia mais

Este texto discute informações relacionadas à educação física, mais

Este texto discute informações relacionadas à educação física, mais 8 Treinamento Físico e Qualidade de Vida: Princípios da Educação Física Dênis Marcelo Modeneze Doutorando em Educação Física - UNICAMP Roberto Vilarta Prof. Titular em Qualidade de Vida, Saúde Coletiva

Leia mais

Saúde Ocular do Idoso

Saúde Ocular do Idoso Saúde Ocular do Idoso Norma Helen Medina Centro de Oftalmologia Sanitária CVE CCD/SES SP dvoftal@saude.sp.gov.br Classificação de deficiência visual Organização Mundial da Saúde CID 10 Cegueira Acuidade

Leia mais

Prof. Me Alexandre Rocha

Prof. Me Alexandre Rocha Prof. Me. Alexandre Correia Rocha www.professoralexandrerocha.com.br alexandre.personal@hotmail.com Docência Docência Personal Trainer Prof. Me Alexandre Rocha 1 Alterações morfofuncionais decorrentes

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 05 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 05 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 05 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 24 de Setembro de 2013. Revisão aula anterior Processos de Software Engenharia de Requisitos, Projeto,

Leia mais

DESCRIÇÃO DA PERCEPÇÃO DE ESFORÇO FRENTE ÀS MODIFICAÇÕES DE REGRAS EM JOGOS-TREINO NO BASQUETEBOL.

DESCRIÇÃO DA PERCEPÇÃO DE ESFORÇO FRENTE ÀS MODIFICAÇÕES DE REGRAS EM JOGOS-TREINO NO BASQUETEBOL. Revista Hórus, volume 7, número 1 (Jan-Mar), 2013. 24 DESCRIÇÃO DA PERCEPÇÃO DE ESFORÇO FRENTE ÀS MODIFICAÇÕES DE REGRAS EM JOGOS-TREINO NO BASQUETEBOL. Murilo José de Oliveira Bueno¹ e Felipe Arruda Moura

Leia mais

ATIVIDADE FÍSICA E SAÚDE

ATIVIDADE FÍSICA E SAÚDE ATIVIDADE FÍSICA E SAÚDE Ridailda de Oliveira Amaral * RESUMO A atividade física e o exercício foram reconhecidos formalmente como fatores que desempenham um papel essencial no aprimoramento da saúde e

Leia mais

Perfil do País NESsT: Brasil

Perfil do País NESsT: Brasil Párcêiros Estrátê gicos Portfólio de Negócios NESsT A NESsT já conduziu trê s compêtiço ês dê nêgo cios sociáis no Brásil dêsdê o sêu lánçámênto êm 2007. Máis dê 55 orgánizáço ês brásilêirás cándidátárám-sê

Leia mais

MEDIDAS DA FORÇA E RESISTÊNCIA MUSCULAR

MEDIDAS DA FORÇA E RESISTÊNCIA MUSCULAR MEDIDAS DA FORÇA E RESISTÊNCIA MUSCULAR Revisando conceitos... Músculo-esquelética Força Resistência Flexibilidade Motora Agilidade Equilíbrio Potência Velocidade Revisando conceitos... Isométricas (estática)

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA RECREAÇÃO PARA O IDOSO INSTITUCIONALIZADO

IMPORTÂNCIA DA RECREAÇÃO PARA O IDOSO INSTITUCIONALIZADO IMPORTÂNCIA DA RECREAÇÃO PARA O IDOSO INSTITUCIONALIZADO Eliane de Sousa Leite/Universidade Federal de Campina Grande/UFCG. E-mail: elianeleitesousa@yahoo.com.br Jeruzete Almeida de Menezes/ Universidade

Leia mais

PLANILHA GERAL - INTRODUÇÃO À CLÍNICA III - 1º 2013

PLANILHA GERAL - INTRODUÇÃO À CLÍNICA III - 1º 2013 Dia Data Hora Professor Sala Conteúdo Módulo AULA INAUGURAL Rufino Avaliação geriátrica multifuncional 8/5/2013 Rufino Avaliação geriátrica multifuncional Rufino Alterações cognitivas e comportamentais

Leia mais