AULA 1 Marketing de Serviços

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AULA 1 Marketing de Serviços"

Transcrição

1 AULA 1 Marketing de Serviços

2 Prof: Carlos Alberto Bacharel em Administração Bacharel em Comunicação Social Jornalismo Tecnólogo em Gestão Financeira MBA em Gestão de Negócios Mestrado em Administração de Empresas Doutorado em Administração de Empresas ( Cursando) Tenho experiência de 26 anos em Instituição Financeira

3 2º semestre Critério de Avaliações AV1 = P1 Trabalhos em Sala de Aula(2 pontos) + P2 Feira do Empreendedor (8 pontos) = Nota final da AV1 (22 a 23/10) Av2 (24 a 28/11/2014) Av3 (08 a 12/12/2014)

4 Material de Aula - O conteúdo das aulas será disponibilizado na internet: https://www.cacteixeira.com.br - Teorias e exercícios discutidos em sala, trabalhos serão considerados na elaboração das provas.

5 Bibliografia Básica : Bibliografia Básica: CORRÊA, H. L; CAON, Mauro. Gestão de serviços: lucratividade por meio de operações e de satisfação dos clientes. São Paulo: Atlas, HOFFMAN, K. Douglas. Princípios de marketing de serviços: conceitos, estratégias e casos. 2. ed. São Paulo: Thompson, LOVELOCK, Christopher H.; WIRTZ, Jochen; HEMZO, Miguel Angelo. Marketing de serviços: pessoas, tecnologia e estratégia. 7. ed. São Paulo: Ed. Pearson Prentice Hall, 2011

6 Aspectos Específicos Dos Serviços.

7 Os Serviços As empresas criam valor oferecendo diferentes tipos de serviços de que os clientes necessitam, apresentando as suas capacidades e entregando-as de uma forma agradável e conveniente a um preço justo. Em troca, as empresas recebem valor dos seus clientes.

8 Fatores que Influenciam os Serviços Alterações legislativas. Privatizações. Inovações Tecnológicas. Crescimento de grupos de empresas e pontos de venda de franchising. Internacionalização e globalização. Pressões para aumentar a produtividade.

9 Fatores que Influenciam os Serviços Melhoria da Qualidade. Aumento dos negócios de leasing e de aluguer. Fabricantes fornecedores de serviços. Diversificação das fontes de financiamento nas organizações públicas e não lucrativas. Aparecimento de novos gestores (inovadores).

10 O Que É Um Serviço? São as atividades económicas que criam valores e fornecem benefícios aos clientes num momento e local específicos, tendo por base um desejo de mudança num setor de serviços.

11 O Que É Um Serviço - características São imateriais São produzidos e consumidos simultaneamente A produção da generalidade dos serviços pressupõe uma relação direta entre cliente e pessoal em contacto A qualidade dos serviços não é passível de ser controlada

12 Diferenças Básicas entre Bens e Serviços Propriedade. Dificuldade na Avaliação. Intangibilidade. Não existem inventários. Envolvimento dos consumidores. Importância do tempo. Participação de outras pessoas Variabilidade na produção Canal físico ou electronico. Armazenamento. Importância do ftor tempo.

13 Formas de Classificação dos Serviços Grau de tangibilidade do processamento do serviço. Quem é o receptor do processo de realização do serviço (B2B, B2C). Lugar e momento da entrega do serviço. Estandardização versus personalização. Natureza da relação com os clientes. Equilíbrio entre a oferta e a procura. Grau de participação do equipamento, instalações e pessoas no desenvolvimento dos serviços.

14 Questões Fundamentais Na Gestão Das Empresas De Serviços A necessidade do equilíbrio entre oferta e procura. A importância do pessoal em contato Relacionamento permanente e constante com os clientes. A gestão do suporte físico. A comunicação

15 Questões Fundamentais Na Gestão Das Empresas De Serviços A gestão do pessoal em contato. Como resolver? Formação constante do pessoal Cultura de empresa forte e coesa

16 Questões Fundamentais Na Gestão Das Empresas De Serviços Relacionamento com a clientela. A participação do cliente no processo produtivo leva a que este assuma um conjunto de tarefas que, de outra forma, estariam a cargo da empresa produtora: colabora no diagnóstico de necessidades, contribui para o aumento de produtividade da empresa, controla a qualidade, dá sugestões de melhoria/inovação, divulga o produto junto dos potenciais clientes, etc...

17 Questões Fundamentais Na Gestão Das Empresas De Serviços Relacionamento com a clientela. Como resolver? Incremento do interface com os clientes Aumentando a notoriedade Esclarecendo, informando, fidelizando Identificando as necessidades do cliente Informando-se sobre a satisfação do cliente

18 Questões Fundamentais Na Gestão Das Empresas De Serviços A gestão do suporte físico. O suporte físico revela-se no marketing de serviços essencialmente a dois níveis: gestão do ambiente (ponto de venda: sinalética, decoração, disposição, som, envolvente...) e gestão funcional (instrumentos operacionais para a prestação do serviço).

19 Questões Fundamentais Na Gestão A comunicação. Das Empresas De Serviços A intangibilidade e a imaterialidade dos serviços, a ausência de forma, cor, embalagem... colocam algumas dificuldades à comunicação, uma vez que lhe é exigido que concretize promessas e benefícios, sem suporte material evidente. Para além disso, a participação do pessoal em contacto e a participação do consumidor na produção dos serviços coloca dificuldades na garantia de uma qualidade de serviço homogénea para cada cliente.

20 Questões Fundamentais Na Gestão A comunicação. Das Empresas De Serviços Posicionamento e promessas Pelo seu carácter intangível, os serviços são muitas vezes mais difíceis de compreender que os produtos. Isso explica que a comunicação dos serviços dê muitas vezes um largo espaço à informação e recorra a subterfúgios para concretizar o que é, por essência, imaterial. Assim, um hotel pode comunicar sobre o local, os espaços verdes, a arquitectura, para sugerir a estadia tranquila que os clientes podem esperar obter. 1º Discurso cliente 2º Discurso empresa ou discurso corporate 3º Discurso emoção

21 Questões Fundamentais Na Gestão A comunicação. Das Empresas De Serviços Alvos e momentos decomunicação A comunicação dos serviços difere da comunicação dos produtos em 3 aspectos essenciais: - Faz-se sobretudo no momento do consumo, enquanto que o essencial da comunicação dos produtos é anterior; - A comunicação interna é decisiva para mobilizar o pessoal em contacto e pessoal de back-office; - As empresas de serviços têm a possibilidade de utilizar melhor a comunicação nos pontos de venda que os homólogos produtores.

22 O Marketing-mix dos serviços Os oitos P s dos serviços Marketing de Produtos 4 p s: produto, preço, distribuição e comunicação Marketing de Serviços 8 p s A natureza distintiva dos serviços, especialmente o envolvimento dos clientes na prestação dos serviços e a importância do factor tempo, requer a inclusão nas estratégias de marketing de serviços de outros elementos estratégicos.

23 O Marketing-mix dos serviços Produto. Core serviço base Serviços suplementares Ao serviço base deve associar-se o maior número de serviços suplementares para o transformar num produto alargado. Esses serviços devem ser desenhados de acordo com as necessidades dos consumidores. Ou seja, é necessário ter em atenção todos os serviços que podem contribuir para a criação de mais valor para os consumidores.

24 O Marketing-mix dos serviços Processo. Significa o método e sequência de acções em que funciona o sistema de operações dos serviços. Processos mal delineados irão incomodar os consumidores, pois os resultados não serão os melhores. Por outro lado, um bom desenho dos processos irá ajudar o pessoal do front-office a desempenhar bem as suas funções, o que irá resultar numa maior produtividade e diminuição de falhas nos serviços.

25 O Marketing-mix dos serviços Momento e Lugar. Substitui a variável distribuição no marketing industrial. Diz respeito ao momento e lugar em que os serviços são entregues, tal como os canais e métodos utilizados. Podem existir canais físicos ou electrónicos (ou ambos), dependendo da natureza do tipo de serviço. A velocidade e a conveniência do momento e lugar está a tornar-se, para os consumidores, um dos determinantes mais importantes na estratégia de entrega dos serviços.

26 O Marketing-mix dos serviços Produtividade e Qualidade. A produtividade diz respeito à forma como os inputs são transformados em outputs que são valorizados pelos consumidores. A qualidade refere-se ao grau em que um serviço satisfaz os consumidores no que diz respeito às suas necessidades, desejos e expectativas. A qualidade de um serviço é essencial para a diferenciação e lealdade dos clientes. Contudo, é importante haver um equilíbrio entre produtividade e qualidade.

27 O Marketing-mix dos serviços Pessoas. Muitos serviços dependem, directa ou indirectamente, da interacção pessoal entre clientes e colaboradores. A natureza destas interacções influencia fortemente a percepção dos clientes relativamente à qualidade dos serviços. As empresas de serviços com sucesso votam um esforço significativo ao recrutamento, treino e motivação do seu pessoal, especialmente o do front-office.

28 O Marketing-mix dos serviços Comunicação e Educação. Este componente desempenha três papéis vitais: fornecimento de informação necessária e conselhos, persuasão do target dos benefícios de um serviço e encorajamento dos clientes para adoptarem determinadas acções em momentos específicos. No marketing de serviços a comunicação é, essencialmente educacional, especialmente para novos consumidores. A comunicação pode ser veiculada através de individuais (força de vendas) ou através dos mass media (internet, tv, rádio, imprensa, brochuras ).

29 O Marketing-mix dos serviços Evidência Física. O aspecto dos edifícios, veículos da empresa, aspecto interior dos locais de prestação dos serviços, equipamento, membros do staff, materiais impressos e outros aspectos visíveis fornecem alguma tangibilidade aos serviços. É importante cuidar este aspecto pois tem um grande impacto na percepção de qualidade dos clientes.

30 O Marketing-mix dos serviços Preço e Outros Custos dos Serviços. Este componente tem a ver com os custos em que os clientes incorrem na obtenção dos benefícios do serviço. Estes custos são muito mais complexos do que os estipulados para os produtos.

Marketing Operacional

Marketing Operacional Gerir Serviços Objectivos Compreender como se definem e se classificam os serviços. Identificar as diferenças entre bens e serviços Discutir a importância de focar os serviços nos clientes e no mercado

Leia mais

7. POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO. 7.1- Comunicação 7.2- Publicidade 7.3- Promoção 7.4- Marketing directo

7. POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO. 7.1- Comunicação 7.2- Publicidade 7.3- Promoção 7.4- Marketing directo 7. POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO 7.1- Comunicação 7.2- Publicidade 7.3- Promoção 7.4- Marketing directo A COMUNICAÇÃO Comunicar Comunicar no marketing emitir mensagem para alguém emitir mensagem para o mercado

Leia mais

Marketing de Serviços

Marketing de Serviços Marketing de Serviços Concepção e Gestão da Prestação de Serviços 1 Objectivos Discutir a importância do layout dos serviços na criação de experiências positivas para os clientes Avaliar as formas como

Leia mais

Marketing Turístico e Hoteleiro

Marketing Turístico e Hoteleiro Marketing Turístico e Hoteleiro 3 CAPÍTULO III O Marketing Mix em Serviços de Hotelaria e Turismo Alexandra Malheiro O Marketing Mix em Serviços de Hotelaria e Turismo Capítulo IV O MARKETING MIX EM SERVIÇOS

Leia mais

MARKETING. Prof. Silvana Baccin Mar/2012

MARKETING. Prof. Silvana Baccin Mar/2012 MARKETING Prof. Silvana Baccin Mar/2012 Afinal, o que é MARKETING? Segundo a AMA*: Marketing é uma função organizacional e um conjunto de processos para criar, comunicar e fornecer valor para os clientes

Leia mais

Marketing. Planeamento. 8 Junho. 22 Junho. 2 Julho. Data. Criação, Desenvolvimento e Comunicação de Serviços

Marketing. Planeamento. 8 Junho. 22 Junho. 2 Julho. Data. Criação, Desenvolvimento e Comunicação de Serviços Marketing Introdução ao Marketing de Serviços Prof. José M. Veríssimo 1 Planeamento Data 25 Maio Tema Introdução ao Marketing de Serviços 1 Junho 8 Junho Comportamento do Consumidor e Posicionamento em

Leia mais

CURSO DE GASTRONOMIA

CURSO DE GASTRONOMIA PROGRAMA 1. Teoria Geral da Administração: histórico. Teorias administrativas; 2. Princípios de organização de serviços; 3. Fundamentos de Marketing de Serviços; 4. Políticas e procedimentos operacionais

Leia mais

Índice. Conceito de Marketing 19. Um Pouco de História 29. Capítulo 1. Capítulo 2. Prefácio 15 Apresentação 17

Índice. Conceito de Marketing 19. Um Pouco de História 29. Capítulo 1. Capítulo 2. Prefácio 15 Apresentação 17 Índice Prefácio 15 Apresentação 17 Capítulo 1 Conceito de Marketing 19 O Que é o Marketing? 19 A Evolução do Conceito 21 A Diversificação do Conceito de Marketing 21 Conceitos Centrais do Marketing 22

Leia mais

PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO

PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJECTO PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO Título do projecto: Nome do responsável: Contacto telefónico Email: 1.1. Descrição sumária da Ideia de Negócio e suas características inovadoras (Descreva

Leia mais

Manual Planeamento de Campanha de E-Marketing

Manual Planeamento de Campanha de E-Marketing Manual Planeamento de Campanha de E-Marketing Planeamento de Campanha de E-Marketing Cada variável, a nível de marketing tem normas próprias, em função dos meios de comunicação através dos quais se veiculam

Leia mais

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços Processos da Indústria de Serviços (LOQ4208) 10 Síntese Curso CRONOGRAMA - CURSO Data Assunto Detalhamento 8/mar Op. Serviço EC: Cumbuca 2 grupos (10%) 15/mar Op. Serviço EC: Cumbuca 2 grupos (10%) 22/mar

Leia mais

Marketing de Serviços e de Relacionamento. MBA em Gestão de Marketing Prof.: Alice Selles

Marketing de Serviços e de Relacionamento. MBA em Gestão de Marketing Prof.: Alice Selles Marketing de Serviços e de Relacionamento MBA em Gestão de Marketing Prof.: Alice Selles Conteúdo programático Os fundamentos do Marketing de serviços O comportamento do consumidor nos serviços As expectativas

Leia mais

MERCADO MERCADO PESSOAS 22-05-2013

MERCADO MERCADO PESSOAS 22-05-2013 MERCADOLOGIA MARKETING FAZER e TRABALHAR MERCADOS MARKETING... O sucesso da empresa está no exterior. Dentro só existem custos...(drucker) Abordagem Inside out? Tecnologias/Recursos... Outside-in? O que

Leia mais

Uma parceria forte e segura. Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã

Uma parceria forte e segura. Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã Uma parceria forte e segura Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã Experiência consolidada - no reforço das relações bilaterais! Maior e mais dinâmica Câmara estrangeira em Portugal com mais de 1.000

Leia mais

Prof. Jorge Romero Monteiro 1

Prof. Jorge Romero Monteiro 1 Marketing 1 CONCEITOS DE MARKETING 2 Conceitos de Marketing O MARKETING é tão importante que não pode ser considerado como uma função separada. É o próprio negócio do ponto de vista do seu resultado final,

Leia mais

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO 1 Sumário: Conceito e Objectivos Estrutura do PN o Apresentação da Empresa o Análise do Produto / Serviço o Análise de Mercado o Estratégia de Marketing o

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

Formulário de Projecto de Investimento

Formulário de Projecto de Investimento Formulário de Projecto de Investimento 1. Identificação do Projecto Título do projecto: Nome do responsável: Contacto Telefónico: Email: 1.1. Descrição sumária da Ideia de Negócio e suas características

Leia mais

Agente. Análise SWOT. Auditoria de marketing. Break-even-point Cadeia de lojas Canal de distribuição Canibalização. Cash-and-carry Central de compras

Agente. Análise SWOT. Auditoria de marketing. Break-even-point Cadeia de lojas Canal de distribuição Canibalização. Cash-and-carry Central de compras Termo Agente Análise SWOT Auditoria de marketing Break-even-point Cadeia de lojas Canal de distribuição Canibalização Cash-and-carry Central de compras Ciclo de vida do produto/serviço Contexto de marketing

Leia mais

PLANO DE MARKETING. Trabalho realizado por: Vera Valadeiro, nº20. TAG 4/2010 17 Valores

PLANO DE MARKETING. Trabalho realizado por: Vera Valadeiro, nº20. TAG 4/2010 17 Valores 0366 PLANO DE MARKETING Trabalho realizado por: Vera Valadeiro, nº20 TAG 4/2010 17 Valores Índice Introdução Diagnóstico Análise do Mercado Análise da Concorrência Análise da Empresa Análise SWOT Objectivos

Leia mais

B2C. Pedro Sousa. Pedro Sousa

B2C. Pedro Sousa. Pedro Sousa B2C Posicionamento dos Sistemas B2C Primary Activities Inbound Logistics Operations Outbound Logistics Marketing & Sales Services Support Activities Procurement Human Resource Management Infrastructure

Leia mais

o SEU clube de aluguer de DVD s na internet. BluePlanetDVD.com Study Case 2003 - IDEF/ISEG www.blueplanetdvd.com 1

o SEU clube de aluguer de DVD s na internet. BluePlanetDVD.com Study Case 2003 - IDEF/ISEG www.blueplanetdvd.com 1 BluePlanetDVD.com Study Case www.blueplanetdvd.com 1 A Ideia Necessidades não satisfeitas para o cliente; Uma IDEIA; Dois anos a amadurecer a ideia, de forma a ser inovadora, tecnologicamente avançada,

Leia mais

PROMOTORES: PARCEIROS/CONSULTORES: FUNCIONAMENTO RESUMO

PROMOTORES: PARCEIROS/CONSULTORES: FUNCIONAMENTO RESUMO CVGARANTE SOCIEDADE DE GARANTIA MÚTUA PROMOTORES: PARCEIROS/CONSULTORES: FUNCIONAMENTO RESUMO 14 de Outubro de 2010 O que é a Garantia Mútua? É um sistema privado e de cariz mutualista de apoio às empresas,

Leia mais

Escola Secundaria de Paços de Ferreira Técnicas de secretariado 2009/2010

Escola Secundaria de Paços de Ferreira Técnicas de secretariado 2009/2010 Marketing mix Trabalho realizado por: Sandra Costa 12ºS Marketing mix É formado por um conjunto de variáveis controláveis que influenciam a maneira com que os consumidores respondem ao mercado e é dividido

Leia mais

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente Grupo Pestana suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O trabalho de consolidação de informação permitiu desde logo abrir novas possibilidades de segmentação, com base num melhor conhecimento

Leia mais

Exemplos de Inovação. Inovações de produto: Exemplos de inovações de produto:

Exemplos de Inovação. Inovações de produto: Exemplos de inovações de produto: Exemplos de Inovação Neste documento apresenta-se uma descrição dos vários tipos de inovação e respectivos exemplos para ajuda no preenchimento das questões relacionadas com a introdução de inovações.

Leia mais

comunicação & marketing

comunicação & marketing A glow é uma empresa especializada em comunicação integrada, criada para dar resposta às necessidades específicas das empresas, associações e instituições que operam nos sectores dos transportes e logística,

Leia mais

Sistemas de categorias 15 ANEXO II SISTEMAS DE CATEGORIAS

Sistemas de categorias 15 ANEXO II SISTEMAS DE CATEGORIAS Sistemas de categorias 15 ANEXO II SISTEMAS DE Sistemas de categorias 16 Sistemas de categorias 17 ÍNDICE 1. Introdução 2.Dimensão estratégica do conceito imagem interna de marca corporativa 2.1. Significados

Leia mais

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados;

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados; VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos e electrónicos, oferecendo

Leia mais

ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO

ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO Como fazemos 1. Através do Serviço de Assistência Empresarial (SAE), constituído por visitas técnicas personalizadas às

Leia mais

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA.

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. 93 SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. ¹Camila Silveira, ¹Giseli Lima ¹Silvana Massoni ²Amilto Müller RESUMO O presente artigo tem como objetivo apresentar os estudos realizados

Leia mais

Logística e Distribuição

Logística e Distribuição Logística e Distribuição 02 Disciplina: LOGÍSTICA E DISTRIBUIÇÃO Plano de curso PLANO DE CURSO Objetivos Proporcionar aos alunos os conhecimentos básicos sobre logística e distribuição como elemento essencial

Leia mais

Simplificação nas PMEs

Simplificação nas PMEs Simplificação nas PMEs Aproveitamento das Novas Tecnologias DGITA Portal Declarações Electrónicas Dezembro 2007 Simplificação nas PMEs - Aproveitamento das Novas Tecnologias 1 Agenda O que é a DGITA? Estratégia

Leia mais

A Dehlicom tem a solução ideal em comunicação para empresas de todos os portes, sob medida.

A Dehlicom tem a solução ideal em comunicação para empresas de todos os portes, sob medida. A Dehlicom Soluções em Comunicação é a agência de comunicação integrada que busca divulgar a importância da comunicação empresarial perante as empresas e todos os seus públicos, com atendimento personalizado

Leia mais

MANUAL FORMAÇÃO PME GESTÃO ESTRATÉGICA

MANUAL FORMAÇÃO PME GESTÃO ESTRATÉGICA MANUAL FORMAÇÃO PME GESTÃO ESTRATÉGICA 1/21 ANÁLISE DA ENVOLVENTE EXTERNA À EMPRESA... 3 1. Análise do Meio Envolvente... 3 2. Análise da Evolução do Mercado... 7 3. Análise da Realidade Concorrencial...

Leia mais

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA PLANO DE COMUNICAÇÃO E DIVULGAÇÃO Deliverable 4 Fase 2 Novembro 2008 1 P á g i n a Índice 1. Objectivos... 3 2. Públicos-alvo... 4 3. Estratégia de Comunicação... 5 3.1

Leia mais

O Service Management como infraestrutura do CRM. Francisco Ferrão 28 de Maio de 2009

O Service Management como infraestrutura do CRM. Francisco Ferrão 28 de Maio de 2009 O Service Management como infraestrutura do CRM Francisco Ferrão 28 de Maio de 2009 1 A passagem para a Sociedade de Serviços As empresas têm que cada vez mais considerar que já passámos de uma sociedade

Leia mais

Prof: Carlos Alberto

Prof: Carlos Alberto AULA 1 Marketing Prof: Carlos Alberto Bacharel em Administração Bacharel em Comunicação Social Jornalismo Tecnólogo em Gestão Financeira MBA em Gestão de Negócios Mestrado em Administração de Empresas

Leia mais

Qualidade no Atendimento ao Cliente uma ferramenta de Fidelização. Gilson de Souza Lima

Qualidade no Atendimento ao Cliente uma ferramenta de Fidelização. Gilson de Souza Lima Qualidade no Atendimento ao Cliente uma ferramenta de Fidelização Gilson de Souza Lima USUÁRIOS X CONSUMIDORES X CLIENTES USUÁRIOS Tratam-se das pessoas cujo contato com o produto é acidental. CONSUMIDORES

Leia mais

Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹

Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹ Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹ José Alves de SOUZA² Maria Stella Galvão SANTOS³ Universidade Potiguar (UnP ), Natal, RN RESUMO Este Plano de Comunicação refere-se a um estudo

Leia mais

RESENHAS. Marketing Turístico e de Hospitalidade: Fonte de Empregabilidade e Desenvolvimento para o Brasil

RESENHAS. Marketing Turístico e de Hospitalidade: Fonte de Empregabilidade e Desenvolvimento para o Brasil RESENHAS Marketing Turístico e de Hospitalidade: Fonte de Empregabilidade e Desenvolvimento para o Brasil Erika Helena Bautto Completa, abrangente e extremamente didática, Marketing Turístico e de Hospitalidade:

Leia mais

A relevância do marketing de relacionamento como diferencial estratégico. Célia Dugaich. marketing de relacionamento

A relevância do marketing de relacionamento como diferencial estratégico. Célia Dugaich. marketing de relacionamento A relevância do como diferencial estratégico Célia Dugaich Definição "Marketing de Relacionamento é o processo contínuo de identificação e criação de novos valores com clientes e o compartilhamento de

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução:

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução: EDIÇÃO 2011/2012 Introdução: O Programa Formação PME é um programa financiado pelo POPH (Programa Operacional Potencial Humano) tendo a AEP - Associação Empresarial de Portugal, como Organismo Intermédio,

Leia mais

Manual da Garantia Mútua

Manual da Garantia Mútua Março de 2007 Manual da Garantia Mútua O que é a Garantia Mútua? É um sistema privado e de cariz mutualista de apoio às pequenas, médias e micro empresas (PME), que se traduz fundamentalmente na prestação

Leia mais

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos

Leia mais

MARKETING DIGITAL ESTRATÉGIAS E-COMMERCE PARA HOTÉIS

MARKETING DIGITAL ESTRATÉGIAS E-COMMERCE PARA HOTÉIS MARKETING DIGITAL & ESTRATÉGIAS E-COMMERCE PARA HOTÉIS CONTACTE-NOS VEJA O NOSSO VIDEO MAXIMIZE A RENTABILIDADE DO SEU HOTEL.... através das nossas estratégias de marketing digital concentradas nas necessidades

Leia mais

República de Moçambique

República de Moçambique República de Moçambique Nota Conceitual da FIEI 2013 Ponto de negócio e oportunidade de investimento Maputo Contexto Quadro orientador O Programa Quinquenal do Governo (PQG) prevê no âmbito do Vector Económico

Leia mais

GUIA INFORMATIVO PARA ORGANIZAÇÕES

GUIA INFORMATIVO PARA ORGANIZAÇÕES GUIA INFORMATIVO PARA ORGANIZAÇÕES FICHA TÉCNICA Organização: Câmara Municipal da Amadora, Gabinete de Acção Social Equipa Técnica: Ana Costa, Rute Gonçalves e Sandra Pereira Design/Paginação: Estrelas

Leia mais

O Desafio da Precificação. no B2B. Direitos reservado reprodução proibida. Direitos reservado reprodução proibida

O Desafio da Precificação. no B2B. Direitos reservado reprodução proibida. Direitos reservado reprodução proibida O Desafio da Precificação no B2B Comoditização x Diferenciação A nova abordagem da Estratégia Competitiva Em qualquer empresa o interesse de três públicos devem estar equilibrados COLABORADORES (Satisfação)

Leia mais

Balanced Scorecard: Modernidade na Gestão dos Negócios

Balanced Scorecard: Modernidade na Gestão dos Negócios Workshop A Competitividade das Empresas & o Balanced Scorecard Balanced Scorecard: Modernidade na Gestão JAIME RAMOS GUERRA JLM CONSULTORES DE GESTÃO, SA () INSTITUTO POLITECNICO DE LEIRIA jaime.guerra@jlm.pt

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística CONCEITOS O nome Supply Chain, cujo termo têm sido utilizado em nosso país como Cadeia de Suprimentos, vem sendo erroneamente considerado como

Leia mais

Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Gestão Licenciatura em Marketing e Publicidade Cadeira de Marketing II Ano Lectivo 2007-2008

Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Gestão Licenciatura em Marketing e Publicidade Cadeira de Marketing II Ano Lectivo 2007-2008 Licenciatura em Marketing e Publicidade Cadeira de Ano Lectivo 2007-2008 Plano de Marketing do Chocolate Nestlé Sem Adição de Açúcar Docente: 1º Ano / 2º Semestre Discente: Doutor Fernando Gaspar Ana Abreu,

Leia mais

Item 2 - Marketing. Item 2.2- Marketing em empresas de serviços

Item 2 - Marketing. Item 2.2- Marketing em empresas de serviços Item 2 - Marketing Item 2.2- Marketing em empresas de serviços Item 2 - Marketing Item 2.2 - Marketing em empresas de serviços: SETOR DE SERVIÇOS Item 2 - Marketing Item 2.2 - Marketing em empresas de

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

O Marketing no Setor de Transporte de Cargas: Serviços Intangíveis e Sustentabilidade

O Marketing no Setor de Transporte de Cargas: Serviços Intangíveis e Sustentabilidade Acadêmico Autor: Horácio Braga LALT - Laboratório de Aprendizagem em Logística e Transportes Faculdade de Engenharia Civil - UNICAMP O Marketing no Setor de Transporte de Cargas: Serviços Intangíveis e

Leia mais

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NIP: Nº DO RELATÓRIO: DENOMINAÇÃO DA EMPRESA: EQUIPA AUDITORA (EA): DATA DA VISITA PRÉVIA: DATA DA AUDITORIA: AUDITORIA DE: CONCESSÃO SEGUIMENTO ACOMPANHAMENTO

Leia mais

MARKETING NAATIVIDADE TURÍSTICA

MARKETING NAATIVIDADE TURÍSTICA MARKETING NAATIVIDADE TURÍSTICA Mestre em turismo e hotelaria-univali Professora do curso de turismo da Universidade de Uberaba-MG Trata-se nesse artigo da teoria e da prática do marketing no turismo.

Leia mais

Docente: Discente: Disciplina: Data: Ano Lectivo. Fernando Gaspar. Andreia Oliveira nº 7016. Marketing II. 20 de Maio de 2008

Docente: Discente: Disciplina: Data: Ano Lectivo. Fernando Gaspar. Andreia Oliveira nº 7016. Marketing II. 20 de Maio de 2008 Docente: Fernando Gaspar Discente: Andreia Oliveira nº 7016 Disciplina: Marketing II Data: 20 de Maio de 2008 Ano Lectivo 2007/2008 Índice 1. Diagnóstico... 3 1.1. Caracterização do Mercado / Análise da

Leia mais

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação Manual Como elaborar uma estratégia de comunicação Índice Introdução Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação. Passo 2 - Defina os alvos da comunicação Passo 3 - Estabeleça os objetivos da comunicação

Leia mais

LeasePlan lidera e aposta no Microsoft Dynamics CRM com vista à obtenção da mais elevada satisfação dos Clientes e ganhos de eficiência

LeasePlan lidera e aposta no Microsoft Dynamics CRM com vista à obtenção da mais elevada satisfação dos Clientes e ganhos de eficiência Microsoft Dynamics CRM Customer Solution Case Study LeasePlan Portugal LeasePlan lidera e aposta no Microsoft Dynamics CRM com vista à obtenção da mais elevada satisfação dos Clientes e ganhos de eficiência

Leia mais

Serviços Partilhados em Saúde. Interface Jornadas da Saúde Paula Nanita

Serviços Partilhados em Saúde. Interface Jornadas da Saúde Paula Nanita Serviços Partilhados em Saúde Interface Jornadas da Saúde Paula Nanita Lisboa, 22 de Maio de 2007 Unidades de Serviços Partilhados Processos A divisão dos processos entre actividades locais e actividades

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO, ADMINISTRAÇÃO E EDUCAÇÃO NOME: TESTE DE DIAGNÓSTICO/ Exame de Admissão- GESTÃO

INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO, ADMINISTRAÇÃO E EDUCAÇÃO NOME: TESTE DE DIAGNÓSTICO/ Exame de Admissão- GESTÃO Data: 18/02/2014 2ª ÉPOCA Duração: 60 Minutos NOME: PREFERÊNCIA DE LICENCIATURA (COLOQUE DE 1 A 3) Contabilidade, Fiscalidade e Auditoria Gestão de Empresas Gestão de Recursos Naturais e Energia PREFERÊNCIA

Leia mais

A Importância dos Recursos Humanos (Gestão de

A Importância dos Recursos Humanos (Gestão de A Importância dos Recursos Humanos (Gestão de Pessoas) na Gestão Empresarial Marketing Interno Licenciatura de Comunicação Empresarial 3º Ano Docente: Dr. Jorge Remondes / Discente: Ana Teresa Cardoso

Leia mais

DESCRIÇÃO SUMÁRIA DO PLANO DE MARKETING

DESCRIÇÃO SUMÁRIA DO PLANO DE MARKETING DESCRIÇÃO SUMÁRIA DO PLANO DE MARKETING Na elaboração do plano de marketing deve procurar responder a três questões básicas: - onde é que estamos? - para onde é que queremos ir? - como é que lá chegamos?

Leia mais

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

Mónica Montenegro António Jorge Costa

Mónica Montenegro António Jorge Costa Mónica Montenegro António Jorge Costa INTRODUÇÃO... 4 REFERÊNCIAS... 5 1. ENQUADRAMENTO... 8 1.1 O sector do comércio em Portugal... 8 2. QUALIDADE, COMPETITIVIDADE E MELHORES PRÁTICAS NO COMÉRCIO... 15

Leia mais

Iniciar um negócio em Franchising

Iniciar um negócio em Franchising Iniciar um negócio em Franchising Franchising, o que é? Terminologia Vantagens e Desvantagens do Franchisado Vantagens e Desvantagens do Franchisador Dicas para potenciais Franchisados Serviços de apoio

Leia mais

Consultoria de Gestão Sistemas Integrados de Gestão Contabilidade e Fiscalidade Recursos Humanos Marketing e Comunicação Consultoria Financeira JOPAC SOLUÇÕES GLOBAIS de GESTÃO jopac.pt «A mudança é a

Leia mais

1 ARQUITECTURA DO PRODUTO - MODULARIZAÇÃO E SISTEMAS DE PLATAFORMAS NA INDUSTRIA FERROVIÁRIA... 20.19.

1 ARQUITECTURA DO PRODUTO - MODULARIZAÇÃO E SISTEMAS DE PLATAFORMAS NA INDUSTRIA FERROVIÁRIA... 20.19. 1 ARQUITECTURA DO PRODUTO - MODULARIZAÇÃO E SISTEMAS DE PLATAFORMAS NA INDUSTRIA FERROVIÁRIA... 20.19. ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 1 ARQUITECTURA DO PRODUTO - MODULARIZAÇÃO E SISTEMAS DE PLATAFORMAS NA INDUSTRIA

Leia mais

E- Marketing - Estratégia e Plano

E- Marketing - Estratégia e Plano E- Marketing - Estratégia e Plano dossier 2 http://negocios.maiadigital.pt Indíce 1 E-MARKETING ESTRATÉGIA E PLANO 2 VANTAGENS DE UM PLANO DE MARKETING 3 FASES DO PLANO DE E-MARKETING 4 ESTRATÉGIAS DE

Leia mais

FORMAÇÃO PARA EMPREENDEDORES

FORMAÇÃO PARA EMPREENDEDORES FORMAÇÃO PARA EMPREENDEDORES QUADRO RESUMO: FORMAÇÃO UFCD (H) Noções de Economia de Empresa 5437 25 Métodos e Práticas de Negociação 5442 50 Empresa Estrutura Organizacional 7825 25 Perfil e Potencial

Leia mais

28-06-2011. Onde? Como? O quê? Fórum Exportações AÇORES. - Caracterização e Potencial das Exportações Regionais - 1. Internacionalização

28-06-2011. Onde? Como? O quê? Fórum Exportações AÇORES. - Caracterização e Potencial das Exportações Regionais - 1. Internacionalização Fórum Exportações AÇORES Caracterização e Potencial das Exportações Regionais Gualter Couto, PhD Ponta Delgada, 27 de Junho de 2011 1. Internacionalização Internacionalização: Processo Estrutura Organizacional

Leia mais

Logística e Gestão da Distribuição

Logística e Gestão da Distribuição Logística e Gestão da Distribuição ISLA Licenciatura em Ciências Empresariais (Porto, 1995) Luís Manuel Borges Gouveia 1 1 A distribuição é um sector de actividade económica que assegura uma função essencial

Leia mais

Licenciatura em: MARKETING E PUBLICIDADE 1º ANO (Pós Laboral)

Licenciatura em: MARKETING E PUBLICIDADE 1º ANO (Pós Laboral) Licenciatura em: MARKETING E PUBLICIDADE 1º ANO (Pós Laboral) Disciplina: Marketing II Docente: Dr. Fernando Gaspar Trabalho Realizado pela Discente: Ana Oliveira 7015 Santarém, 20 de Maio de 2008 ÍNDICE

Leia mais

I - Introdução à Contabilidade de Gestão 1.5 REVISÃO DE ALGUNS CONCEITOS FUNDAMENTAIS RECLASSIFICAÇÃO DE CUSTOS

I - Introdução à Contabilidade de Gestão 1.5 REVISÃO DE ALGUNS CONCEITOS FUNDAMENTAIS RECLASSIFICAÇÃO DE CUSTOS I - Introdução à Contabilidade de Gestão 1.5 REVISÃO DE ALGUNS CONCEITOS FUNDAMENTAIS RECLASSIFICAÇÃO DE CUSTOS Custos Industriais e Custos Não Industriais Custos controláveis e não controláveis Custos

Leia mais

Fiorella Del Bianco. ... há alguma diferença? Tema: definição de serviços, suas características e particularidades.

Fiorella Del Bianco. ... há alguma diferença? Tema: definição de serviços, suas características e particularidades. Fiorella Del Bianco Tema: definição de serviços, suas características e particularidades. Objetivo: apresentar as características dos serviços com o objetivo de possibilitar o desenvolvimento de estratégias

Leia mais

Empreendedorismo e Comunicação 360º. ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários Empreender 360º 23.5.2014

Empreendedorismo e Comunicação 360º. ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários Empreender 360º 23.5.2014 Empreendedorismo 360º ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários Empreender 360º 23.5.2014 TÉCNICAS APP SITE IMPRENSA REDES SOCIAIS EVENTOS NEWSLETTER SMS Plano d INSTRUMENTOS Revistas e brochuras

Leia mais

CONNECTING IDEAS. www.lusocom.pt

CONNECTING IDEAS. www.lusocom.pt CONNECTING IDEAS PRESS KIT 2009 A AGÊNCIA quem somos somos quem A LUSOCOM é uma Agência de Comunicação, Marketing e Relações Públicas que actua nas mais variadas áreas do universo comunicativo. Além de

Leia mais

GESTÃO DE FILAS: UM ESTUDO DE CASO EM TORNO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS NUMA AGÊNCIA BANCÁRIA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE - PE

GESTÃO DE FILAS: UM ESTUDO DE CASO EM TORNO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS NUMA AGÊNCIA BANCÁRIA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE - PE GESTÃO DE FILAS: UM ESTUDO DE CASO EM TORNO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS NUMA AGÊNCIA BANCÁRIA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE - PE Debora Barbosa Guedes (UEPB ) deborabguedes@yahoo.com.br Anna Cristina

Leia mais

Consultoria Empresarial

Consultoria Empresarial Consultoria Empresarial Referência : OLIVEIRA, Djalma CROCCO, Luciano; GUTIMANNN, Erick Prof- Daciane de O.Silva SURGIMENTO- Desde os tempos imemoriais COMO ISSO ACONTECIA? Os rabinos aconselhavam os fieis,

Leia mais

Introdução ao projecto Gaia Global

Introdução ao projecto Gaia Global Introdução ao projecto Gaia Global Autarquia de Vila Nova de Gaia Luís BorgesGouveia A sociedade da informação A Sociedade da Informação é uma sociedade que predominantemente utiliza o recurso às tecnologias

Leia mais

ale MANUAL DO CANDIDATO Ingresso Agosto 2012 ESPM-SUL Rua Guilherme Schell, 350 Santo Antônio Porto Alegre/RS. Informações:

ale MANUAL DO CANDIDATO Ingresso Agosto 2012 ESPM-SUL Rua Guilherme Schell, 350 Santo Antônio Porto Alegre/RS. Informações: ale PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE VENDAS E RELACIONAMENTO MANUAL DO CANDIDATO Ingresso Agosto 2012 ESPM-SUL Rua Guilherme Schell, 350 Santo Antônio Porto Alegre/RS. Informações: Central de Candidatos: (51)

Leia mais

FACULDADE LUTERANA SÃO MARCOS

FACULDADE LUTERANA SÃO MARCOS 0 FACULDADE LUTERANA SÃO MARCOS Curso de Administração - Bacharelado PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DA COOPERATIVA DE CRÉDITO COOPNORE JORGE ALBERTO GOULARTE MARTINS ALVORADA 2013 / 2 1 FACULDADE

Leia mais

REGULAMENTO HUB PORTO

REGULAMENTO HUB PORTO REGULAMENTO HUB PORTO Preâmbulo O Hub Porto é uma comunidade global, constituída por pessoas das mais diversas áreas profissionais, técnicas, culturais e/ou sociais, que procuram responder de forma inovadora

Leia mais

8. POLÍTICA DISTRIBUIÇÂO. 8.1- Variável distribuição 8.2- Canal 8.3- Transporte 8.4- Logística

8. POLÍTICA DISTRIBUIÇÂO. 8.1- Variável distribuição 8.2- Canal 8.3- Transporte 8.4- Logística 8. POLÍTICA DISTRIBUIÇÂO 8.1- Variável distribuição 8.2- Canal 8.3- Transporte 8.4- Logística 8.1- Variável distribuição Variável DISTRIBUIÇÃO A distribuição pode entender-se em diferentes sentidos: -

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

[objetivo do Projeto]

[objetivo do Projeto] [objetivo do Projeto] objetivo geral: Combater o elevado desemprego jovem que representa já mais de 35% dos jovens, sendo que 13,5% nem trabalha nem estuda. [objetivo do Projeto] objetivo específico: A

Leia mais

ANEXO III GUIÕES UTILIZADOS NA 1ª ETAPA

ANEXO III GUIÕES UTILIZADOS NA 1ª ETAPA Guiões utilizados na 1ª etapa 30 ANEXO III GUIÕES UTILIZADOS NA 1ª ETAPA Guiões utilizados na 1ª etapa 31 Guiões utilizados na 1ª etapa 32 ÍNDICE 1.Conceito identidade organizacional/ Imagem interna 1.1.História

Leia mais

Administração Mercadológica

Administração Mercadológica Organização Competitiva e Estratégias de Branding Administração Mercadológica Os elementos do mix de marketing Marketing-mix = Composto de MKt = 4P s Estratégia de produto Estratégia de preço Estratégia

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA

APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA Quem Somos Somos um grupo de empresas de prestação de serviços profissionais nas áreas das Tecnologias de Informação, Comunicação e Gestão. Estamos presente em Portugal,

Leia mais

Plano de Marketing Operacional

Plano de Marketing Operacional Plano de Marketing Operacional CONTEÚDO 1. Oportunidade do projecto APCMC +Inovação... iii 2. Plano de comunicação... viii 3. Controlo e revisão... xvi ii 1. Oportunidade do projecto APCMC +Inovação A

Leia mais

Marketing e qualidade em atendimento no Novotel

Marketing e qualidade em atendimento no Novotel 57 Marketing e qualidade em atendimento no Novotel Ana Carolina Prado Marques* Lidiane Aparecida Souza da Silva* Fabiana Gonçalves Artigas** Teodomiro Fernandes da Silva*** Resumo: O Novotel Campo Grande

Leia mais

ABC da Gestão Financeira

ABC da Gestão Financeira ABC da Gestão Financeira As demonstrações financeiras são instrumentos contabilísticos que reflectem a situação económico-financeira da empresa, evidenciando quantitativamente os respectivos pontos fortes

Leia mais

4. ESTRATÉGIAS DE MARKETING INTERNACIONAL

4. ESTRATÉGIAS DE MARKETING INTERNACIONAL 4. ESTRATÉGIAS DE MARKETING INTERNACIONAL 4.1- TIPOS DE ESTRATÉGIA DE MARKETING 4.2- PLANEAMENTO ESTRATÉGICO PARA O MARKETING 4.3- ESTRUTURA CONCEPTUAL PARA ESTRATÉGIA DE MARKETING 4.4- MODELOS COMO INSTRUMENTOS

Leia mais

ALIMENTAÇÃO & BEBIDAS. AEP - Associação Empresarial de Portugal. Direcção de Serviços às Empresas - Internacionalização e Promoção Externa

ALIMENTAÇÃO & BEBIDAS. AEP - Associação Empresarial de Portugal. Direcção de Serviços às Empresas - Internacionalização e Promoção Externa ALIMENTAÇÃO & BEBIDAS AEP - Associação Empresarial de Portugal Direcção de Serviços às Empresas - Internacionalização e Promoção Externa FEIRA GULFOOD & HOTEL EQUIPMENT DUBAI E.A.U 21 A 24 DE FEVEREIRO

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING Gestão de Negócios Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING 3.1- CONCEITOS DE MARKETING Para a American Marketing Association: Marketing é uma função organizacional e um Marketing é uma função organizacional

Leia mais