APNEIA DO SONO Perfil arritmogénico e impacto da terapêutica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APNEIA DO SONO Perfil arritmogénico e impacto da terapêutica"

Transcrição

1 APNEIA DO SONO Perfil arritmogénico e impacto da terapêutica Mesa Redonda: Abordagem integrada da Apneia do Sono Albufeira 28 de Abril de 2014 Vitor Paulo Martins

2 Sleep Disordered Breathing: still an underestimated public health problem

3

4 Importância da Apneia do Sono Diagnóstico Terapêutica Consequências Cardiovasculares/económicas Polisonografia Algoritmos de pacing Arritmias Hipertensão Morte súbita Produtividade CPAP Overdrive pacing Ressincronização

5 Probabilidade de sobrevida Importância da Apneia do Sono Índice de Apneia-Hipopneia (Eventos/h) Anos A severidade da Apneia do Sono é um preditor independente da mortalidade 1 1. Bradley TD, Floras JS. Lancet Punjabi NM et al. PLoS Med Aug;6(8):e

6 Importância da Apneia do Sono CO-MORBILIDADES CARDIOVASCULARES Hipertensão 1,2 Insuficiência Cardíaca 3 Arritmia 3,4 Isquemia 3,4 AVC 3,5,6 Doença renal 6 QUALIDADE DE VIDA Depressão 4 Acidentes laborais ou de viação 4 Sonolência diurnal excessiva 4 Cefaleias 4 METABOLISMO Alterações no metabolismo da glicose 6,7 Dislipidemia 8 Diabetes 7 1. Silverberg DS et al. Curr Opin Nephrol Hypertens Fletcher EC et al. Ann Intern Med Baranchuk A. J Electrocardiol Kapur VK. Repiratory Care Wolk R et al. Circulation Young T et al. Sleep Punjabi NM. Proc Am Thorac Soc Lurie A. Adv Cardiol 2011

7 Sleep Apnea A Major Undiagnosed Comorbidity One of the most common comorbidities in patients with CV disease Sleep apnea syndrome prevalence: 100 million people WW 1 9% of middle-aged women and 25% of middle-aged men suffer from OSA 2 Approximately 50% of HF patients experience sleep-disordered breathing 3 75% of severe sleep-disordered breathing cases remain undiagnosed 4 Generally, a large prevalence of Sleep Apnea in CRM patients 60% prevalence of sleep apnea (un-diagnosed) in CRM patients 5,6,7 1. World Health Organization Global surveillance, prevention and control of chronic respiratory diseases: a comprehensive approach / Jean Bousquet and Nikolai Khaltaev editors 2. Young, N Engl J Med 1993; 328: Sin DD, et al. Risk factors for central and obstructive sleep apnea in 450 men and women with congestive heart failure. Am J Respir Crit Care Med 1999; 160: Javaheri S, et al. Sleep apnea in 81 ambulatory male patients with stable heart failure: types and their prevalences, consequences, and presentations. Circulation 1998; 97: Bradley TD and Floras JS. Sleep apnea and heart failure Part I: Obstructive sleep apnea. Circulation 2003; 107: Young et al. Sleep Grimm et al., PACE Garrigue et al., CIRCULATION Bitter T et al. Eur Heart J ; 32 : estimation

8 Sleep Apnea Epidemiological data. Alta prevalência: superior a 20% após os 65 anos 1. Frequentemente não diagnosticada ou tratada: entre 50% a 90%. 1 em cada 4 doentes com DNS ou BAV sofre de SAS severa 2. O risco de IC é 58% mais elevado em doentes com Apneia do Sono severa 3. O risco de FA é 4 vezes mais elevado em doentes com Apneia do Sono 4. Os doentes com Apneia do Sono apresentam resistência ao tratamento farmacológico 5,6. Maior recorrência de FA após ablação 7,8 e cardioversão da FA 9 1. Bradley TD, Floras JS. Lancet Lee W et al. Expert Rev Respir Med Garrigues S. et al. Circulation Gottlieb DJ et al. Circulation Mehra R et al. Am J Respir Crit Care Med Monahan K et al. Am J Cardiol Linz D et al. Heart Rhythm Kanagala R et al. Circulation Ng CY et al. Am J Cardiol. 2011

9 Sleep Apnea Definition Apnea A cessation of airflow for at least 10 sec Hypopnea A reduction in airflow associated with EEG arousal or oxyhemoglobin desaturation. 30% reduction in airflow or thoracoabdominal movement as compared to baseline lasting at least 10 seconds, and with a >4% oxygen desaturation. [Centers for Medicare and Medical Services Definition]

10 Sleep Apnea Definition Obstructive Sleep Apnea (OSA): Apnea with respiratory efforts due to collapse of superior airways OSA Central Sleep Apnea (CSA) Apnea without respiratory efforts (no CNS control on respiration) Cheyne-Stokes Respiration (CSR) is a subset of CSA Mixed Apnea of central origin evolving into an obstructive form Often classified as obstructive Sleep Disorder Breathing (SDB): medical disorder of the sleep patterns Sleep Apnea Syndrome (SAS) American Academy of Sleep Medicine Task Force (Sleep 1999; 22: )

11 Sleep Apnea Diagnosis Sleep Apnea diagnosis is performed using: Polygraphy (PG): detect number of events per hour Polysomnography (PSG): define type of event (apnea hypopnea, obstructive Vs. central). PSG is the reference diagnostic examination PSG = PG + (EEG/EOG/EMG) Polygraphy Apnea/Hypopnea Index (AHI) = Number of apneas + hypopneas per hour (sleep) 5 AHI< 15 Sleep Apnea mild 15 AHI< 30 Sleep Apnea moderate AHI 30 Sleep Apnea severe Polisomnography American Academy of Sleep Medicine Task Force (Sleep 1999;22: ) Diagnosis of SAS is confirmed for AHI 5 None Mild Moderate Severe AHI (Events number per hour)

12 Importância da Apneia do Sono Fisiopatologia

13 Importância da Apneia do Sono Fisiopatologia

14 Pathophysiology Recurrent Bouts of Ventilatory Overshoots and Undershoots hyperventilation hyperventilation hyperventilation hyperventilation hyperventilation Lung volume apnea hypopnea hypopnea apnea hypopnea SaO 2 desaturation desaturation desaturation desaturation desaturation

15 Perfil Arritmogénico na Apneia do Sono

16 Cardiovascular consequences of Sleep Apnea Heart Failure Mortality HF mortality increased by 2-fold 1 worsened survival in HF patients with untreated sleep apnea vs. no or mild Sleep Apnea patients (76% vs. 88%) 2 Increased survival for treated sleep apnea 1 Heart Failure Morbidity OSA can lead to a progression of HF and refractoriness to therapy. 3,4,5 OSA increases HF morbidity by 2.2-fold. 3 Jilek, EJHF 2011 Cardiovascular Events Severe OSA increased risk of fatal cardiovascular events by 3-fold 6 1. Jilek, EJHF Wang, JACC Javaheri, Circulation Somers, J Am Coll Cardiol Arzt, Am J Respir Crit Care Med Marin, Lancet 2005 Wang, JACC 2007

17 Cardiovascular consequences of Sleep Apnea Event-free survival from appropriate ICD therapies in HF population with CSA, OSA, no or mild SDB Sudden Death Sleep Apnea increases risk for VT/VF & appropriate ICD therapies by 2-3 fold 1,2 Sleep Apnea increases risk of nocturnal SCD compared to normals (RR: 2.57 vs 0.77) 3 Atrial Fibrillation Sleep Apnea is an independent predictor of new onset AF 4, and may be a causative factor in the development of AF 5 Sleep Apnea increases likelihood for AF recurrence post cardioversion (from 42% to 82%) 6 Recurrence decreases after CPAP therapy 7 Bitter, EHJ Bitter, EHJ Tomaello, Clin Cardiol Gami, NEJM Gami, JACC Mehra, AJRCCM Gami, Circ Kanagala, Circulation 2003 Mehra R et al. Am J Respir Crit Care Med 2006; 172:

18 The majority of the ST changes was observed either during REM sleep (31%) or within one minute of arousals (44%). Regarding the respiratory events, 25 (56%) ST changes were related to the occurrence of apnea or hypopnea. In conclusion, patients with Brugada Syndrome autonomic instability encountered in REM sleep and arousals could potentiate the risk of arrhythmias. Perfil Arritmogénico na Apneia do Sono Sleep Disordered Breathing in Patients with the Brugada Syndrome Paula G. Macedo, MDa, Josep Brugada, Mayo Clinic and Foundation, Rochester, MN Hospital Clínic, Barcelona, Spain Am J Cardiol March 1; 107(5): Sindrome de Brugada - 45% tem SAS (vs 25% grupo de controlo)

19 Perfil Arritmogénico na Apneia do Sono Maior recorrência de FA após cardioversão 1 DOENTES COM ASO TRATADA CARDIOVERSÃO DOENTES COM ASO NÃO TRATADA CARDIOVERSÃO Sucesso de 58% Recorrência de 42% Sucesso de 18% Recorrência de 82% Maior recorrência de FA após ablação 2,3 Maior resistência ao tratamento farmacológico 4 1. Kanagala R et al. Circulation Ng CY et al. Am J Cardiol Naruse Y, Tada H, Satohet M al. Heart Rhythm Monahan K et Al. Am J Cardiol

20 OSA OSA, therapies: Sleep Apnea Therapies Weight loss, change of position during sleep, positive air pressure (i.e. CPAP), surgery (i.e. pharyngeal) Treatment with a continuous positive airway pressure (CPAP) should be considered in obstructive Sleep Apnea (OSA) documented by polysomnography (PSG) European guidelines*, class IIa, level of evidence C2 CSA CSA, treatment strategies: Optimization of HF pharmacological treatment, CRT Therapy Ventilation therapy (CPAP, BPAP, ASV), nocturnal O2 Sleep Apnea consequences can be reversed by proper therapy Expert Consensus Document, Sleep Apnea and Cardiovascular Disease, J Am Coll Cardiol, 2008; 52:

21

22 Sleep Apnea Therapies CRT significantly reduces AHI in CSA but not OSA CSA - 13,05 (p<0,00001) OSA - 3,32 (p<0,25) Lamba, Europace (2011) 13,

23 Sleep Apnea Cardiac resynchronization therapy Cardiac resynchronization therapy is associated with a statistically as well clinical significant reduction in AHI with CSA but no in OSA. The presence of SA may be an additional consideration when deciding on witch heart failure patient receive CRT

24 CPAP Sleep Apnea CPAP vs Overdrive Pacing Study Baseline AHI Post-CPAP AHI AHI reduction P-value Simantirakis et al Unterberg et al Overdrive Pacing

25 Sleep Apnea Resynchronization therapy and overdrive pacing

26 Diagnóstico da Apneia do Sono Passado Talent (Ela Medical) Algoritmos de Pacing Presente Invive (Boston) CRTD/P. Apnea Scan (2012) descontinuado Reply 200 (Sorin) DDDR. SAM (2013)

27 Apneia do Sono Reply 200 Funcionamento do algoritmo Definição de RDI (Índice de Distúrbios Respiratórios) Número de Pausas & Reduções Respiratórias Número de Horas de Monitorização Medido todas as noites, entre as 00:00 e as 05:00 (programável) Validado em relação ao goldstandard AHI (polissonografia) 1 Alertas automáticos no Ecrã do programador quando os doentes estão em risco de SAS severa (AHI > 30) 1

28 Apneia do Sono Reply 200 Funcionamento do algoritmo (SAM) Uma pausa é um período de 10 segundos entre 2 ciclos respiratórios durante o sono. Durante uma pausa, não ocorre variação significativa do sinal de VM. Zth ( ) Zth: impedância transtorácica Pausa (episódio de apneia)

29 Apneia do Sono Reply 200 Funcionamento do algoritmo (SAM) Eventos apneicos polissonográficos vs. pausas no SAM PSG Reply 200 Dados do estudo DREAM

30 Apneia do Sono Reply 200 Funcionamento do algoritmo (SAM) A redução respiratória é caracterizada por um valor de VM inferior a 50% durante pelo menos 10 segundos. (Ambas as variações de impedância e frequência respiratória são consideradas.) Este valor de VM é comparado com a média ao longo dos últimos 8 ciclos normais. Zth ( ) Reduções respiratórias = mais de 50% de diminuição na VM (>10s e <60s) Zth: impedância transtorácica

31 Apneia do Sono Reply 200 Funcionamento do algoritmo (SAM) Episódios de hipopneia na PSG vs. reduções respiratórias no SAM PSG Reply 200 Dados do estudo DREAM

32 Apneia do Sono Reply 200 Funcionamento do algoritmo (SAM)

33 Apneia do Sono Reply 200 Funcionamento do algoritmo (SAM) Limiar de Severidade: doente em risco de SAS severa RDI para cada noite Tempo em FA em paralelo com o RDI

34 Perfil Arritmogénico na Apneia do Sono Diagnóstico

35 Airflow Airflow Impedance Impedance Apneia do Sono Invive ApneaScan (funcionamento do algoritmo) ApneaScan uses the Respiratory Sensor to monitor breathing patterns ApneaScan identifies events when breathing amplitude is reduced by 26% or more for 10 seconds or more (includes full breathing pauses) Implanted Impedance-based Respiration Sensor Respiration Sensor Apnea / Hypopnea Event Detection Example Apnea / Hypopnea Event Detection Example Duration Threshold (10 s) Amplitude Threshold (0.7)

36 Device Apneia do Sono Invive ApneaScan (funcionamento do algoritmo) None Mild Moderate Severe AHI (Events number per hour)

37 Sleep Apnea Conclusions Sleep Apnea is: - highly prevalent in CRM population - an undiagnosed major pathology - associated with increased risk for AF, SCD in ICD and CRT population - associated with increased mortality and morbidity in HF Sleep Apnea consequences can be reversed by appropriate therapy (i.e. positive air pressure therapies, optimization of pharamcological therapy) Resyncronization allows to treat central Sleep Apnea Pacing algoritms (Apnea Scan and SAM) are design to identify and follow up of patients at risk for Severe Sleep Apnea to be further evaluated for optimal medical therapy

38 OBRIGADO

LUCIANA CRISTINA DE OLIVEIRA MATAROLLI SÍNDROME DA APNEIA E HIPOAPNEIA OBSTRUTIVA DO SONO E O TRATAMENTO ATRAVÉS DE APARELHOS INTRA-BUCAIS JI-PARANÁ

LUCIANA CRISTINA DE OLIVEIRA MATAROLLI SÍNDROME DA APNEIA E HIPOAPNEIA OBSTRUTIVA DO SONO E O TRATAMENTO ATRAVÉS DE APARELHOS INTRA-BUCAIS JI-PARANÁ LUCIANA CRISTINA DE OLIVEIRA MATAROLLI SÍNDROME DA APNEIA E HIPOAPNEIA OBSTRUTIVA DO SONO E O TRATAMENTO ATRAVÉS DE APARELHOS INTRA-BUCAIS JI-PARANÁ 2015 LUCIANA CRISTINA DE OLIVEIRA MATAROLLI SÍNDROME

Leia mais

Programa de CPAP/BIPAP

Programa de CPAP/BIPAP 1 SUBSECRETARIA PARA ASSUNTO DE GESTÃO HOSPITALAR Núcleo Regional de Especialidades de Vitória CRE Metropolitano Programa de CPAP/BIPAP Protocolo CPAP/BIPAP AUTORA: Roberta Barcellos Couto Médica Pneumologista

Leia mais

PROPOSTA DE PROGRAMA PARA UMA INTERVENÇÃO SISTEMATIZADA NO SÍNDROME DE APNEIA DO SONO NO ÂMBITO PLANO NACIONAL DE SAÚDE 2011-2016

PROPOSTA DE PROGRAMA PARA UMA INTERVENÇÃO SISTEMATIZADA NO SÍNDROME DE APNEIA DO SONO NO ÂMBITO PLANO NACIONAL DE SAÚDE 2011-2016 PROPOSTA DE PROGRAMA PARA UMA INTERVENÇÃO SISTEMATIZADA NO SÍNDROME DE APNEIA DO SONO NO ÂMBITO PLANO NACIONAL DE SAÚDE 2011-2016 1 - PONTOS CHAVE 1 - O Síndrome de Apneia do Sono (SAS) é uma doença frequente,

Leia mais

SÍNDROME DE APNEIA DO SONO: UM NOVO ALVO TERAPÊUTICO NO DOENTE CARDÍACO

SÍNDROME DE APNEIA DO SONO: UM NOVO ALVO TERAPÊUTICO NO DOENTE CARDÍACO SÍNDROME DE APNEIA DO SONO: UM NOVO ALVO TERAPÊUTICO NO DOENTE CARDÍACO XIX Jornadas de Cardiologia de Santarém Ana Ferreira Alves 1. Novembro. 2013 Agenda O que é a Síndrome de apneia Obstrutiva do sono

Leia mais

Tema: CPAP NA SÍNDROME DA APNÉIA E HIPOPNÉIA OBSTRUTIVAS DO SONO

Tema: CPAP NA SÍNDROME DA APNÉIA E HIPOPNÉIA OBSTRUTIVAS DO SONO Data: 01/11/2012 Nota Técnica 12 /2012 Solicitante: Dra. Elisandra Alice dos Santos Juíza de Ibiraci-MG Medicamento Material Procedimento Cobertura x Tema: CPAP NA SÍNDROME DA APNÉIA E HIPOPNÉIA OBSTRUTIVAS

Leia mais

No jovem com FA paroxística e sem cardiopatia estrutural a ablação deve ser a terapêutica inicial? DIOGO CAVACO

No jovem com FA paroxística e sem cardiopatia estrutural a ablação deve ser a terapêutica inicial? DIOGO CAVACO No jovem com FA paroxística e sem cardiopatia estrutural a ablação deve ser a terapêutica inicial? DIOGO CAVACO EPIDEMIOLOGIA Prevalência aumenta com a idade 1% na população geral 80 anos

Leia mais

Diabetes e Hipogonadismo: estamos dando a devida importância?

Diabetes e Hipogonadismo: estamos dando a devida importância? Diabetes e Hipogonadismo: estamos dando a devida importância? por Manuel Neves-e-Castro,M.D. Clinica de Feminologia Holistica Website: http://neves-e-castro.pt Lisboa/Portugal Evento Cientifico Internacional

Leia mais

CPAP NASAL NA SÍNDROME DA APNÉIA E HIPOPNÉIA OBSTRUTIVAS DO SONO

CPAP NASAL NA SÍNDROME DA APNÉIA E HIPOPNÉIA OBSTRUTIVAS DO SONO Data: 15/12/2012 Nota Técnica 250 Número do processo: 112.13.009333-2 Medicamento Solicitante: Juíza de Direito Dra. Renata Abranches Perdigão Material x Réu: Município de Cristais Procedimento Cobertura

Leia mais

Data: 10/12/2012 Nota Técnica 47/2012 Medicamento Material Solicitante: Procedimento Juíza Juliana Mendes Pedrosa Cobertura

Data: 10/12/2012 Nota Técnica 47/2012 Medicamento Material Solicitante: Procedimento Juíza Juliana Mendes Pedrosa Cobertura Data: 10/12/2012 Nota Técnica 47/2012 Medicamento Material x Solicitante: Procedimento Juíza Juliana Mendes Pedrosa Cobertura Número do processo: Vara Cível de Itambacuri Tema: BIPAP para o tratamento

Leia mais

A PROVA DE ESFORÇO É INDISPENSÁVEL NO ALGORITMO DIAGNÓSTICO DE ISQUEMIA Luís Martins Brízida Assistente Hospitalar Graduado de Cardiologia Serviço de

A PROVA DE ESFORÇO É INDISPENSÁVEL NO ALGORITMO DIAGNÓSTICO DE ISQUEMIA Luís Martins Brízida Assistente Hospitalar Graduado de Cardiologia Serviço de A PROVA DE ESFORÇO É INDISPENSÁVEL NO ALGORITMO DIAGNÓSTICO DE ISQUEMIA Luís Martins Brízida Assistente Hospitalar Graduado de Cardiologia Serviço de Cardiologia Hospital Fernando da Fonseca Amadora/Sintra

Leia mais

A esposa refere que o paciente ronca!!

A esposa refere que o paciente ronca!! CASO CLÍNICO Paciente do sexo masculino, ASA I, 27 a, peso 75 kg, altura 1,72 m, boa abertura de boca, sem limitações a flexão da cabeça/tronco, mallampati II, cirurgia proposta: Septoplastia e cauterização

Leia mais

SABADOR. Apresentadora: Renée Sarmento de Oliveira Membro da equipe de Cardiologia/Coronária HBD. Professora de Clínica Médica da UNIRIO

SABADOR. Apresentadora: Renée Sarmento de Oliveira Membro da equipe de Cardiologia/Coronária HBD. Professora de Clínica Médica da UNIRIO SABADOR Prevenção Primária: em quem devemos usar estatina e aspirina em 2015? Apresentadora: Renée Sarmento de Oliveira Membro da equipe de Cardiologia/Coronária HBD Professora de Clínica Médica da UNIRIO

Leia mais

THE NEW ENGLAND JOURNAL OF MEDICINE A P R E S E N T A Ç Ã O : D R. L E A N D R O M A N D A L O U F A S

THE NEW ENGLAND JOURNAL OF MEDICINE A P R E S E N T A Ç Ã O : D R. L E A N D R O M A N D A L O U F A S THE NEW ENGLAND JOURNAL OF MEDICINE PERCUTANEUS REPAIR OR SURGERY FOR MITRAL REGURGITATION EVEREST II=ENDOVASCULAR VALVE EDGE-TO-EDGE REPAIR STUDY A P R E S E N T A Ç Ã O : D R. L E A N D R O M A N D A

Leia mais

Serviços - pressão de Inverno

Serviços - pressão de Inverno Serviços - pressão de Inverno Data: 11/08/2004 Autor: Cláudia Conceição (claudiac@esoterica.pt) Este documento procura mostrar, a partir de publicações que, pelo menos para alguns serviços, parece haver

Leia mais

Autores Catarina Oliveira 1

Autores Catarina Oliveira 1 Oliveira, C. (2013) Non-Invasive Ventilation in Hearth Failure: gains in Health. Journal of Aging & Inovation, 2 (2): 122-133 REVISÃO SISTEMÁTICA / SYSTEMATIC REVIEW ABRIL, 2013 VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA

Leia mais

Longevidade dos geradores e análises de custo eficácia em CDI e CRT

Longevidade dos geradores e análises de custo eficácia em CDI e CRT Longevidade dos geradores e análises de custo eficácia em CDI e CRT João de Sousa Unidade Electrofisiologia e Pacing Serviço de Cardiologia Hospital de Santa Maria, CHLN Lisboa Cardioversor-Desfibrilhador

Leia mais

Insuficiência Cardíaca Aguda e Síndrome Coronária Aguda. Dois Espectros da Mesma Doença

Insuficiência Cardíaca Aguda e Síndrome Coronária Aguda. Dois Espectros da Mesma Doença Insuficiência Cardíaca Aguda e Síndrome Coronária Aguda Dois Espectros da Mesma Doença Carlos Aguiar Reunião Conjunta dos Grupos de Estudo de Insuficiência Cardíaca e Cuidados Intensivos Cardíacos Lisboa,

Leia mais

6º FÓRUM FEBRABAN DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SUSTENTABILIDADE NA GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL DUPONT DO BRASIL

6º FÓRUM FEBRABAN DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SUSTENTABILIDADE NA GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL DUPONT DO BRASIL 6º FÓRUM FEBRABAN DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SUSTENTABILIDADE NA GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL DUPONT DO BRASIL 21 DE OUTUBRO DE 2009 Drª Lorene Marciano - IHS 2 DUPONT NO BRASIL Presença

Leia mais

aco Estimular o Coração em Segurança

aco Estimular o Coração em Segurança Pacing Cardíaco aco Estimular o Coração em Segurança Mesa Redonda: Iatrogenia em Arritmologia Invasiva Casa do Coração - SPC Lisboa 24 de Setembro de 2011 Vítor Paulo Martins Hospital de Santarém SEGURANÇA

Leia mais

O papel da intervenção coronária percutânea no tratamento da angina estável e isquemia silenciosa

O papel da intervenção coronária percutânea no tratamento da angina estável e isquemia silenciosa O papel da intervenção coronária percutânea no tratamento da angina estável e isquemia silenciosa Marcelo J C Cantarelli, MD, PhD, FACC, FSCAI H. Bandeirantes H. Leforte H. Rede D Or São Luiz Anália Franco

Leia mais

EHJ: doi:10.1093/eurheartj/ehq277

EHJ: doi:10.1093/eurheartj/ehq277 EHJ: doi:10.1093/eurheartj/ehq277 FIBRINÓLISE 2010 = PROBLEMAS E REALIDADE Reperfusão em 60% Sangramento AVCH Contraindicações absolutas e relativas Ainda primeira opção em muitos países (5 a 85%) na Europa

Leia mais

WORKSHOP Disfunções e Pseudo-disfunções em Pacing Cardíaco ALGORITMOS DE MINIMIZAÇÃO DA ESTIMULAÇÃO NO VENTRÍCULO DIREITO

WORKSHOP Disfunções e Pseudo-disfunções em Pacing Cardíaco ALGORITMOS DE MINIMIZAÇÃO DA ESTIMULAÇÃO NO VENTRÍCULO DIREITO ALGORITMOS DE MINIMIZAÇÃO DA ESTIMULAÇÃO NO VENTRÍCULO DIREITO Óbidos, 1 de novembro de 2013 DAVID Trial DDD 70 vs VVI 40 CDI (n = 506) MOST Trial VVIR vs DDDR (LR 60 min -1 ) DNS (n=2010) Sub-análise

Leia mais

Stents farmacológicos e diabetes

Stents farmacológicos e diabetes Stents farmacológicos e diabetes Constantino González Salgado Hospital Pró Cardíaco Realcath-RealCordis HUPE-UERJ DM analisando o problema O Diabetes Mellitus é doença sistêmica de elevada prevalência

Leia mais

Hipertensão Arterial Epidemiologia e Prognóstico

Hipertensão Arterial Epidemiologia e Prognóstico Curso Nacional de Reciclagem em Cardiologia da Região Sul Hipertensão Arterial Epidemiologia e Prognóstico Jamil Cherem Schneider Dados Mundiais: Mortes por grupos de causas - 2000 Total de Mortes: 55.694.000

Leia mais

VENTILAÇÃO MECÂNICA NÃO INVASIVA FISIOTERAPIA. 1- OBJETIVO Padronizar a utilização da Ventilação Mecânica Não Invasiva (VMNI) pela fisioterapia.

VENTILAÇÃO MECÂNICA NÃO INVASIVA FISIOTERAPIA. 1- OBJETIVO Padronizar a utilização da Ventilação Mecânica Não Invasiva (VMNI) pela fisioterapia. POT Nº: 06 VENTILAÇÃO MECÂNICA NÃO INVASIVA FISIOTERAPIA Edição: 05/05/2009 Versão: 02 Data Versão: 28/05/2009 Página: 05 1- OBJETIVO Padronizar a utilização da Ventilação Mecânica Não Invasiva (VMNI)

Leia mais

Detecção precoce de cardiotoxicidade em Oncologia

Detecção precoce de cardiotoxicidade em Oncologia Congresso Novas Fronteiras em Cardiologia Detecção precoce de cardiotoxicidade em Oncologia Andreia Magalhães Fevereiro/2013 Cardiotoxicidade Lesão cardíaca induzida por fármacos utilizados no tratamento

Leia mais

A utilização e interpretação inapropriada dos exames imagiológicos: impacto clínico!

A utilização e interpretação inapropriada dos exames imagiológicos: impacto clínico! Iatrogenia em Medicina Cardiovascular Setembro 2011 A utilização e interpretação inapropriada dos exames imagiológicos: impacto clínico! Ana G. Almeida Faculdade de Medicina de Lisboa - Hospital de Santa

Leia mais

Diagnóstico Domiciliar da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono

Diagnóstico Domiciliar da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono Diagnóstico Domiciliar da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono Dra. LucianeImpelliziereLuna de Mello Fujita Tufik e cols, 2010 1 Tufik e cols, 2010 Diagnóstico da SAOS > 75 % dos pacientes com SAOS não

Leia mais

Treinamento de Força e Diabetes. Ms. Sandro de Souza

Treinamento de Força e Diabetes. Ms. Sandro de Souza Treinamento de Força e Diabetes Ms. Sandro de Souza Taxa de prevalência de Diabetes Mellitus Período: 2009 Relevância Diagnóstico de DIABETES MELLITUS Diabetes Care. 2007;30:S4 41. Resistência a Insulina

Leia mais

Obesidade e variáveis polissonográficas em pacientes com apneia obstrutiva do sono

Obesidade e variáveis polissonográficas em pacientes com apneia obstrutiva do sono Obesidade e variáveis polissonográficas em pacientes com apneia obstrutiva do sono Obesity and polysomnographic variables on patients with obstructive sleep apnea Chaiane Facco Piccin* Marco Colomé Beck*

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA

ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA SIMPÓSIO APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO EM CRIANÇAS Itapeva São Paulo Brasil ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE

Leia mais

DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO OBJETIVOS CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DOS DISTÚRBIOS DO SONO AASM 2006 CARLOS A A VIEGAS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO OBJETIVOS CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DOS DISTÚRBIOS DO SONO AASM 2006 CARLOS A A VIEGAS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO CARLOS A A VIEGAS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA OBJETIVOS Classificação dos distúrbios do sono Classificação dos distúrbios respiratórios do sono Definições: ronco, ravas (rera),

Leia mais

Pré diabetes. Diagnóstico e Tratamento

Pré diabetes. Diagnóstico e Tratamento Pré diabetes Diagnóstico e Tratamento Zulmira Jorge Assistente Hospitalar Endocrinologia do Hospital Santa Maria Endocrinologista do NEDO e do Hospital Cuf Infante Santo Diabetes Mellitus Diagnóstico PTGO

Leia mais

Arterial Structure and Function after Recovery from the Metabolic Syndrome The Cardiovascular Risk in Young Finns Study

Arterial Structure and Function after Recovery from the Metabolic Syndrome The Cardiovascular Risk in Young Finns Study Arterial Structure and Function after Recovery from the Metabolic Syndrome The Cardiovascular Risk in Young Finns Study Koskinen J, Magnussen CG, Taittonen L, Räsänen L, Mikkilä V, Laitinen T, Rönnemaa

Leia mais

Boletim Científico. Preditores de disfunção ventricular esquerda, após plastia mitral: efeitos da fibrilação atrial e hipertensão pulmonar.

Boletim Científico. Preditores de disfunção ventricular esquerda, após plastia mitral: efeitos da fibrilação atrial e hipertensão pulmonar. Boletim Científico SBCCV 01/09/2014 Número 04 Preditores de disfunção ventricular esquerda, após plastia mitral: efeitos da fibrilação atrial e hipertensão pulmonar. Predicting early left ventricular dysfunction

Leia mais

Factores preditivos da perda de peso após cirurgia bariátrica

Factores preditivos da perda de peso após cirurgia bariátrica 7 11 Factores preditivos da perda de peso após cirurgia bariátrica Joana Guimarães 1, D Rodrigues 1, MV Campos 1, M Melo 1, M Bastos 1, A Milheiro 2, C Manso 2, F Castro e Sousa 2, M Carvalheiro 1 1 Serviço

Leia mais

Lung Cancer. Risk Factors

Lung Cancer. Risk Factors Lung Cancer The lungs are the organs that help us breathe. They help to give oxygen to all the cells in the body. Cancer cells are abnormal cells. Cancer cells grow and divide more quickly than healthy

Leia mais

4º Congresso Internacional dos Hospitais. Reposicionamento do Hospital no contexto da saúde

4º Congresso Internacional dos Hospitais. Reposicionamento do Hospital no contexto da saúde 4º Congresso Internacional dos Hospitais Reposicionamento do Hospital no contexto da saúde Impacto dos grupos de doenças por regiões 60% das mortes são relacionadas com as DCN The top-10 leading causes

Leia mais

Apneia do Sono e Arritmia Cardíaca Noturna: Estudo Populacional

Apneia do Sono e Arritmia Cardíaca Noturna: Estudo Populacional Apneia do Sono e Arritmia Cardíaca Noturna: Estudo Populacional Sleep Apnea and Nocturnal Cardiac Arrhythmia: A Populational Study Fatima Dumas Cintra, Renata Pimentel Leite, Luciana Julio Storti, Lia

Leia mais

TRABALHOS CIENTÍFICOS 23 DE NOVEMBRO DE 2013 09H30 ÀS 10H30 TV 01

TRABALHOS CIENTÍFICOS 23 DE NOVEMBRO DE 2013 09H30 ÀS 10H30 TV 01 TRABALHOS CIENTÍFICOS 23 DE NOVEMBRO DE 2013 09H30 ÀS 10H30 TV 01 5304 ALTERAÇÕES OFTALMOLÓGICAS EM PORTADORES DE SAOS 5305 PERFIL DOS PACIENTES ENCAMINHADOS AO INSTITUTO DO SONO DE CUIABÁ/MT PARA REALIZAÇÃO

Leia mais

Hipertensão Arterial Pulmonar Protocolos Por que e para que? Ricardo Fonseca Martins

Hipertensão Arterial Pulmonar Protocolos Por que e para que? Ricardo Fonseca Martins Hipertensão Arterial Pulmonar Protocolos Por que e para que? Ricardo Fonseca Martins HAP Definição Condição patológica caracterizada pela elevação da pressão arterial pulmonar média acima de 25mmHg com

Leia mais

LISBON ARRHYTHMIA MEETING, 2009 Hotel Mirage, Cascais, 20 e 21 de Fevereiro de 2009

LISBON ARRHYTHMIA MEETING, 2009 Hotel Mirage, Cascais, 20 e 21 de Fevereiro de 2009 Programa Preliminar LISBON ARRHYTHMIA MEETING, 2009 Hotel Mirage, Cascais, 20 e 21 de Fevereiro de 2009 6ª FEIRA 20 de Fevereiro SALA 1 6ª FEIRA 20 de Fevereiro SALA 2 09.15 09.30 Introdução à Reunião

Leia mais

8º CONGRESSO PORTUGUÊS DE HIPERTENSÃO 8 I N T E R N AT I O N A L M E E T I N G O N H Y P E R T E N S I O N

8º CONGRESSO PORTUGUÊS DE HIPERTENSÃO 8 I N T E R N AT I O N A L M E E T I N G O N H Y P E R T E N S I O N 8º CONGRESSO PORTUGUÊS DE HIPERTENSÃO e Risco Cardiovascular Global t h 8 I N T E R N AT I O N A L M E E T I N G O N H Y P E R T E N S I O N a n d G l o b a l C a r d i o v a s c u l a r R i s k 20 a 23

Leia mais

UNIDADE DE PESQUISA CLÍNICA Centro de Medicina Reprodutiva Dr Carlos Isaia Filho Ltda. SAMPLE SIZE DETERMINATION FOR CLINICAL RESEARCH

UNIDADE DE PESQUISA CLÍNICA Centro de Medicina Reprodutiva Dr Carlos Isaia Filho Ltda. SAMPLE SIZE DETERMINATION FOR CLINICAL RESEARCH SAMPLE SIZE DETERMINATION FOR CLINICAL RESEARCH Duolao Wang; Ameet Bakhai; Angelo Del Buono; Nicola Maffulli Muscle, Tendons and Ligaments Journal, 2013 Santiago A. Tobar L., Dsc. Why to determine the

Leia mais

Ventilação não invasiva na IRA pósextubação?

Ventilação não invasiva na IRA pósextubação? III Curso Nacional de Ventilação Mecânica SBPT, São Paulo, 2008 Ventilação não invasiva na IRA pósextubação? Marcelo Alcantara Holanda Prof Adjunto, Medicina Intensiva/Pneumologia, Universidade Federal

Leia mais

1º Fórum de Atenção à APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO no SUS

1º Fórum de Atenção à APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO no SUS 0 1º Fórum de Atenção à APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO no SUS No dia 23 agosto de 2014 foi realizado na cidade de São Paulo o 1º. Fórum de Atenção à Apneia Obstrutiva do Sono. Participaram desse evento profissionais

Leia mais

II Simpósio Internacional de Trombose e Anticoagulação

II Simpósio Internacional de Trombose e Anticoagulação Page 1 of 8 Início Conheça a revista II Simpósio Internacional de Trombose e Anticoagulação Publicado por Marcos Vinhal em 9 de outubro, 2009 II Simpósio Internacional de Trombose e Anticoagulação destaca

Leia mais

Diagnóstico Polissonográfico.

Diagnóstico Polissonográfico. Diagnóstico Polissonográfico. Polyssomnographic diagnosis. Gleison Marinho Guimarães 1. Resumo A Síndrome de apnéia obstrutiva do sono é uma condição comum, cada vez mais prevalente, porém subdiagnosticada.

Leia mais

Martins Pereira, S. Moreira, F.; Breda, M.; Pratas, R.; Dias, L. Serviço de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Hospital de Braga

Martins Pereira, S. Moreira, F.; Breda, M.; Pratas, R.; Dias, L. Serviço de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Hospital de Braga Martins Pereira, S. Moreira, F.; Breda, M.; Pratas, R.; Dias, L. Serviço de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Hospital de Braga Introdução Hipertrofia de adenóides e amígdalas como principal

Leia mais

PROTOCOLO DE TERAPIA COM PRESSÃO POSITIVA por máscara FISIOTERAPIA CENTRO DE TRATAMENTO INTENSIVO

PROTOCOLO DE TERAPIA COM PRESSÃO POSITIVA por máscara FISIOTERAPIA CENTRO DE TRATAMENTO INTENSIVO 1- CONSIDERAÇÕES GERAIS A utilização da pressão positiva contínua nas vias aéreas (CPAP) ou em dois níveis (BiPAP ) tem sido indicada para o tratamento de alguns quadros clínicos, como por exemplo, o edema

Leia mais

Efeito do uso do aparelho intra-oral no tratamento da síndrome da apnéia obstrutiva do sono com severidade moderada

Efeito do uso do aparelho intra-oral no tratamento da síndrome da apnéia obstrutiva do sono com severidade moderada Recebido em 10 jul. 2008. Aprovado em 28 ago. 2008 Efeito do uso do aparelho intra-oral no tratamento da síndrome da apnéia obstrutiva do sono com severidade moderada Effect of intraoral appliance in the

Leia mais

Assistente Hospitalar de Endocrinologia Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Nutrição Centro Hospitalar do Baixo Vouga

Assistente Hospitalar de Endocrinologia Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Nutrição Centro Hospitalar do Baixo Vouga DIABETES PREVENÇÃO, FATORES DE RISCO E TRATAMENTO Joana Guimarães Assistente Hospitalar de Endocrinologia Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Nutrição Centro Hospitalar do Baixo Vouga www.endocrinologiadiabetesnutricao-aveiro.com

Leia mais

8º SIMPÓSIO DE CARDIOLOGIA INTERVENCIONISTA PARA O CLÍNICO

8º SIMPÓSIO DE CARDIOLOGIA INTERVENCIONISTA PARA O CLÍNICO 8º SIMPÓSIO DE CARDIOLOGIA INTERVENCIONISTA PARA O CLÍNICO ESTADO ATUAL E PERSPECTIVAS DA INTERVENÇÃO CORONÁRIA EM PACIENTES COM LESÃO DE TRONCO NÃO PROTEGIDO JOÃO BATISTA L.LOURES LESÃO DE TCE NÃO PROTEGIDO

Leia mais

Glaucoma. Types of Glaucoma. Risk Factors

Glaucoma. Types of Glaucoma. Risk Factors Glaucoma Glaucoma is an eye disease that can cause vision loss or blindness. With glaucoma, fluid builds up in the eye, which puts pressure on the back of the eye. This pressure injures the optic nerve

Leia mais

ANÁLISE ECONÔMICA E ETIOLÓGICA DE PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA E COMPLICAÇÕES RENAIS

ANÁLISE ECONÔMICA E ETIOLÓGICA DE PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA E COMPLICAÇÕES RENAIS ANÁLISE ECONÔMICA E ETIOLÓGICA DE PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA E COMPLICAÇÕES RENAIS MARTOS, Natália Martinez; HALBE, Ricardo natymm@gmail.com Centro de Pós-Graduação Oswaldo Cruz Resumo: O número

Leia mais

Caso Clínico 16/04/2015. Declaração de conflito de interesse. Fernando Lundgren

Caso Clínico 16/04/2015. Declaração de conflito de interesse. Fernando Lundgren Síndrome / Fernando Lundgren Declaração de conflito de interesse De acordo com a Norma 1595/2000 do Conselho Federal de Medicina e a Resolução RDC 96/2008 da Agência de Vigilância Sanitária declaro que:

Leia mais

Self-reported diabetes: a feasible solution for national surveys in developing countries as Brazil.

Self-reported diabetes: a feasible solution for national surveys in developing countries as Brazil. Self-reported diabetes: a feasible solution for national surveys in developing countries as Brazil. Valéria M. Azeredo Passos, Janaina Caldeira Pereira, Sandhi Maria Barreto INTRODUCTION Type 2 diabetes

Leia mais

RESUMO. Palavras-chave: Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono (SAOS). Qualidade de Vida. Qualidade do Sono. CPAP. ABSTRACT

RESUMO. Palavras-chave: Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono (SAOS). Qualidade de Vida. Qualidade do Sono. CPAP. ABSTRACT ANÁLISE DA SINTOMATOLOGIA E DA QUALIDADE DE VIDA EM PORTADORES DA SAOS EM TRATAMENTO COM CPAP ANALYSIS SYMPTOMATOLOGY AND QUALITY OF LIFE IN PATIENTS OF SAOS IN CPAP TREATMENT José Martim Marques Simas

Leia mais

Morro do Bumba Niterói RJ, 08.04.10

Morro do Bumba Niterói RJ, 08.04.10 Morro do Bumba Niterói RJ, 08.04.10 A epidemia de doenças respiratórias crônicas Doença Ano da estimativa Prevalência Todos estam expostos a riscos Asma 2004 300 milhões DPOC 2007 210 milhões Rinite alérgica

Leia mais

Modificação do estilo de vida: dificuldades no controlo dos fatores de risco

Modificação do estilo de vida: dificuldades no controlo dos fatores de risco Ana Teresa Timóteo Assistente Hospitalar de cardiologia, Hospital de Santa Marta, centro Hospitalar de Lisboa central, Lisboa Professora Auxiliar convidada da Faculdade ciências Médicas, Universidade nova

Leia mais

Aspectos Recentes da Ventilação Mecânica: como iniciar a ventilação mecânica

Aspectos Recentes da Ventilação Mecânica: como iniciar a ventilação mecânica CAPÍTULO 102 Aspectos Recentes da Ventilação Mecânica: como iniciar a ventilação mecânica Alexandre Goulart Pustilnik* Introdução O início da ventilação mecânica deve ser orientado para a causa da insuficiência

Leia mais

Types of Investments: Equity (9 companies) Convertible Notes (10 companies)

Types of Investments: Equity (9 companies) Convertible Notes (10 companies) IMPACT INVESTING WE STARTED... A Venture Capital Fund Focused on Impact Investing Suport: Financial TA Criterias to select a company: Social Impact Profitabilty Scalability Investment Thesis (Ed, HC,

Leia mais

PRÁTICAS NACIONAIS NO DIAGNÓSTICO DA APNEIA OBSTRUTIVA

PRÁTICAS NACIONAIS NO DIAGNÓSTICO DA APNEIA OBSTRUTIVA Universidade de Lisboa Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa PRÁTICAS NACIONAIS NO DIAGNÓSTICO DA APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO E NA TITULAÇÃO DE CPAP: AVALIAÇÃO DOS EFEITOS NA POPULAÇÃO DOENTE Elsa

Leia mais

10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Referências Bibliográficas 1 - Correia de Campos A. Saúde o custo de um valor sem preço. Lisboa: Editora Portuguesa de Livros Técnicos e Científicos. 1983. 2 - Direcção

Leia mais

Atualização de Angina Instável e IAM sem supra ST AHA/ACC Guideline - 2014

Atualização de Angina Instável e IAM sem supra ST AHA/ACC Guideline - 2014 Atualização de Angina Instável e IAM sem supra ST AHA/ACC Guideline - 2014 Dr Henrique Lane Staniak Doutor em ciencias médicas FMUSP Cardiologista do HMPB e do HU-USP Epidemiologia SCA 5 a 7 milhões de

Leia mais

Distúrbios Intrínsecos do Sono

Distúrbios Intrínsecos do Sono Distúrbios Intrínsecos do Sono Introdução A sonolência excessiva diurna (SED) é uma queixa comum, cujas causas são numerosas e incluem: Distúrbios intrínsecos do sono (por exemplo, narcolepsia, síndrome

Leia mais

TRABALHOS CIENTÍFICOS 24 DE NOVEMBRO DE 2013 09H30 ÀS 10H30

TRABALHOS CIENTÍFICOS 24 DE NOVEMBRO DE 2013 09H30 ÀS 10H30 TRABALHOS CIENTÍFICOS 24 DE NOVEMBRO DE 2013 09H30 ÀS 10H30 TV 01 4465 QUALADE DO SONO EM UNIVERSITÁRIOS 5249 PREVALÊNCIA DE MOVIMENTOS PERIÓDICOS DE PERNAS NA NOITE DE TITULAÇÃO DE CPAP EM PACIENTES COM

Leia mais

Um projeto de educação clínica para pessoas com Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC)

Um projeto de educação clínica para pessoas com Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) Um projeto de educação clínica para pessoas com Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) A clinical education project for people with Chronic Obstructive Pulmonary Disease (DPOC) Carolina Caldeira (IPCB

Leia mais

Revista Portuguesa de Pneumología ISSN: 0873-2159 sppneumologia@mail.telepac.pt Sociedade Portuguesa de Pneumologia Portugal

Revista Portuguesa de Pneumología ISSN: 0873-2159 sppneumologia@mail.telepac.pt Sociedade Portuguesa de Pneumologia Portugal Revista Portuguesa de Pneumología ISSN: 0873-2159 sppneumologia@mail.telepac.pt Sociedade Portuguesa de Pneumologia Portugal Vaz, A.P.; Drummond, M.; Caetano Mota, P.; Severo, M.; Almeida, J.; Winck, J.

Leia mais

Consequências cardiovasculares na SAOS

Consequências cardiovasculares na SAOS 38 Consequências cardiovasculares na SAOS Cardiovascular consequences of obstructive sleep apnea syndrome Geraldo Lorenzi Filho, Pedro Rodrigues Genta, Rodrigo Pinto Pedrosa, Luciano Ferreira Drager, Denis

Leia mais

TRH E CÂNCER DE MAMA FONTE:

TRH E CÂNCER DE MAMA FONTE: VALÉRIA COUTINHO FONTE: SINTOMAS (precoces) ACHADOS FÍSICOS (Intermediárias) DOENÇAS (Tardias) Fogacho Insônia Irritabilidade Distúrbio do humor Atrofia vaginal Incontinência urinária Atrofia da pele Osteoporose

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE - EAD INSTITUTO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE - EAD INSTITUTO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE - EAD INSTITUTO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL RELATÓRIO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO:

Leia mais

Declaro não haver nenhum conflito de interesse.

Declaro não haver nenhum conflito de interesse. Declaro não haver nenhum conflito de interesse. Faculdade de Medicina do ABC Disciplina de Ginecologia Serviço do Prof. Dr. César Eduardo Fernandes Setor de Mastologia IVO CARELLI FILHO Maior dilema da

Leia mais

Efeitos Hemodinâmicos da Ventilação não Invasiva em Pacientes com Hipertensão Pulmonar Venocapilar

Efeitos Hemodinâmicos da Ventilação não Invasiva em Pacientes com Hipertensão Pulmonar Venocapilar Efeitos Hemodinâmicos da Ventilação não Invasiva em Pacientes com Hipertensão Pulmonar Venocapilar Hemodynamic Effects of Noninvasive Ventilation in Patients with Venocapillary Pulmonary Hypertension André

Leia mais

7º Congresso Unidas de

7º Congresso Unidas de 7º Congresso Unidas de Gestão o de Assistência à Saúde Dra. Rozana Ciconelli Centro Paulista de Economia da Saúde Escola Paulista de Medicina A epidemia da obesidade Como as doenças crônicas afetam a gestão

Leia mais

MONITORIZAÇÃO REMOTA

MONITORIZAÇÃO REMOTA MONITORIZAÇÃO REMOTA O Papel dos Profissionais de Saúde Terão os enfermeiros uma palavra a dizer? Patrícia Fernandes 10 de fevereiro de 2012 O Ser humano e a familia surgem como foco de atenção dos enfermeiros,

Leia mais

SÍNDROME DE APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO E OBESIDADE

SÍNDROME DE APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO E OBESIDADE SÍNDROME DE APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO E OBESIDADE Fernandes MJA I Resumo A prevalência da síndrome de apneia obstrutiva do sono em indivíduos obesos, e a prevalência de obesidade nesta síndrome são muito

Leia mais

REVISTA BRASILEIRA DE QUALIDADE DE VIDA

REVISTA BRASILEIRA DE QUALIDADE DE VIDA Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção - PPGEP Laboratório de Qualidade de Vida - LaQVida Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Ponta Grossa PR Brasil v. 05, n. 01, jan./mar. 2013,

Leia mais

VENTILAÇÃO NÃO-INVASIVA NO CARDIOPATA GRAVE

VENTILAÇÃO NÃO-INVASIVA NO CARDIOPATA GRAVE VENTILAÇÃO NÃO-INVASIVA NO CARDIOPATA GRAVE EDUARDO CORRÊA MEYER, GERALDO LORENZI FILHO, GUILHERME DE PAULA PINTO SCHETTINO, ROBERTO RIBEIRO DE CARVALHO CTI-Adultos Hospital Israelita Albert Einstein UTI

Leia mais

O PASSADO AQUI TÃO PERTO... NA MEDICINA DO SONO

O PASSADO AQUI TÃO PERTO... NA MEDICINA DO SONO O PASSADO AQUI TÃO PERTO... NA MEDICINA DO SONO Clara Santos Centro de Medicina do Sono do Hosp. Geral - CHUCoimbra Santarém, Outubro 2014 -Aserinsky e Kleitman, em 1953 foram os primeiros a incluir nas

Leia mais

ApneaLink / ApneaLink Plus Dispositivos de Triagem e Diagnóstico para Teste Domiciliar do Sono. Simples, rápidos e fáceis de usar.

ApneaLink / ApneaLink Plus Dispositivos de Triagem e Diagnóstico para Teste Domiciliar do Sono. Simples, rápidos e fáceis de usar. / Plus Dispositivos de Triagem e Diagnóstico para Teste Domiciliar do Sono Simples, rápidos e fáceis de usar. Os dispositivos da ResMed são a escolha fácil no diagnóstico de AOS Resultados simples, de

Leia mais

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA *

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA * INSUFICIÊNCIA CARDÍACA * ANTONIO CARLOS LOPES** AROLDO WALTER LIBERATORI FILHO*** * Trabalho realizado na Disciplina de Medicina de Urgência do Departamento de Medicina da Universidade Federal de São Paulo

Leia mais

Muito mais que imagens bonitas Que informações fazem a diferença? Nuno Bettencourt Cardiologia, Centro Hospitalar de VN Gaia/Espinho, EPE

Muito mais que imagens bonitas Que informações fazem a diferença? Nuno Bettencourt Cardiologia, Centro Hospitalar de VN Gaia/Espinho, EPE Muito mais que imagens bonitas Que informações fazem a diferença? Cardiologia, Centro Hospitalar de VN Gaia/Espinho, EPE A beleza... - Está nos olhos do observador 2 A perspectiva do paciente Qualidade

Leia mais

Joint Session. Clinical challenges to the use of NOACs in Portugal. João Morais. Centro Hospitalar Leiria Pombal

Joint Session. Clinical challenges to the use of NOACs in Portugal. João Morais. Centro Hospitalar Leiria Pombal Joint Session Clinical challenges to the use of NOACs in Portugal João Morais Centro Hospitalar Leiria Pombal João Morais Consulting and lecture fees Astra Zeneca; Bayer Healthcare; JABA Recordati; Lilly

Leia mais

Ronco e Apneia Riscos, Diagnóstico e Tratamentos

Ronco e Apneia Riscos, Diagnóstico e Tratamentos Ronco e Apneia Riscos, Diagnóstico e Tratamentos 2016 Jorge Machado Caram Ronco e Apneia Riscos, Diagnóstico e Tratamentos Jorge Machado Caram Belo Horizonte MG www.drjorgecaram.com.br EditoraA Contagem

Leia mais

DOENÇAS DO SONO PARTE 2

DOENÇAS DO SONO PARTE 2 Joaquim Silva Tavares, MD, FACP, FCCP, FAASM Diplomate of the American Board of Internal Medicine (ABIM) Diplomate of the ABIM-Subspecialty Diploma in Chest Diseases Diplomate of the ABIM-Subspecialty

Leia mais

A POLUIÇÃO DO AR NA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO: IMPACTOS À SAÚDE HUMANA

A POLUIÇÃO DO AR NA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO: IMPACTOS À SAÚDE HUMANA A POLUIÇÃO DO AR NA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO: IMPACTOS À SAÚDE HUMANA Ana Carolina Rodrigues Teixeira 1, Luiz Felipe Silva 1, Vanessa S. Barreto Carvalho 1 ¹Instituto de Recursos Naturais

Leia mais

Telemonitorização no doente ventilado crónico

Telemonitorização no doente ventilado crónico Telemonitorização no doente ventilado crónico Nelson Nabais Linde: Living healthcare Indicações para a ventiloterapia Síndrome de apneia do sono Síndrome de obesidade/ hipoventilação Insuficiência respiratória

Leia mais

Fernando Ferrito, Andrea Furtado Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca E.P.E Eduardo Carrasquinho Hospital Divino Espírito Santo, Évora E.P.

Fernando Ferrito, Andrea Furtado Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca E.P.E Eduardo Carrasquinho Hospital Divino Espírito Santo, Évora E.P. Fernando Ferrito, Andrea Furtado Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca E.P.E Eduardo Carrasquinho Hospital Divino Espírito Santo, Évora E.P.E XVII Workshop de Urologia Oncológica Braga, April,13 th CaP é

Leia mais

Avaliação cardiológica na triagem da doença coronariana em pacientes assintomáticos

Avaliação cardiológica na triagem da doença coronariana em pacientes assintomáticos Avaliação cardiológica na triagem da doença coronariana em pacientes assintomáticos Caso Clínico: Uma mulher de 35 anos procura seu médico para submeter-se à avaliação clínica exigida pela academia de

Leia mais

30/07/2013. Ecocardiografia: PAPs = 64 mmhg VRT = 4,6 m/s Derrame pericárdico = ausente TAPSE = 2,8 cm

30/07/2013. Ecocardiografia: PAPs = 64 mmhg VRT = 4,6 m/s Derrame pericárdico = ausente TAPSE = 2,8 cm Hipertensão Arterial Pulmonar Idiopática (HAPI) Caso Clínico IV Curso Nacional de Circulação Pulmonar 28-2929 de Junho de 2013 - São Paulo SBPT Hugo Hyung Bok Yoo Pneumologia Jun/2010:, 39 anos, mecânico,

Leia mais

Insônia e doença cardiovascular

Insônia e doença cardiovascular clínica médica Jerson Laks Professor associado da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ. Leonardo Lessa Telles Médico do Instituto de Psiquiatria da Universidade

Leia mais

Pneumologia do HG. Centro Medicina Sono

Pneumologia do HG. Centro Medicina Sono 1990 Pneumologia do HG 1995 Centro Medicina Sono 2008 2014 2012 Competência e Creditação Integração no CHUC Conjunto de conhecimentos e de tecnologias que assumem que o sono é um estado biológico específico

Leia mais

12. Diabetes a. Introdução

12. Diabetes a. Introdução 12. Diabetes a Introdução As doenças cardiovasculares e o diabetes contribuem com substancial parcela dos óbitos e da morbidade por doenças crônicas entre adultos e idosos no Brasil. O diabetes mellitus

Leia mais

Efeitos da pressão positiva contínua em vias aéreas sobre os sintomas nasofaríngeos em pacientes com a síndrome da apnéia obstrutiva do sono*

Efeitos da pressão positiva contínua em vias aéreas sobre os sintomas nasofaríngeos em pacientes com a síndrome da apnéia obstrutiva do sono* Efeitos da pressão positiva contínua em vias aéreas sobre os sintomas nasofaríngeos em pacientes com a síndrome da apnéia obstrutiva do sono* Effects of continuos positive airway pressure on nasal and

Leia mais

Resultados dos Algoritmos dos Estudos de Fibrilação Atrial

Resultados dos Algoritmos dos Estudos de Fibrilação Atrial Resultados dos Algoritmos dos Estudos de Fibrilação Atrial David Hayes, MD Mayo Clinic Rochester, MN CP1201473-1 Análises dos cenários de início Prévios de FA Reação Pós- FA Tardio (

Leia mais

Caracterização dos doentes toxicodependentes observados pela equipa de Psiquiatria de Ligação - análise comparativa dos anos de 1997 e 2004

Caracterização dos doentes toxicodependentes observados pela equipa de Psiquiatria de Ligação - análise comparativa dos anos de 1997 e 2004 Caracterização dos doentes toxicodependentes observados pela equipa de Psiquiatria de Ligação - análise comparativa dos anos de 1997 e 2004 Joana Alexandre *, Alice Luís ** Resumo Analisaram-se as características

Leia mais

VACINAÇÃO DA GRIPE NA PREVENÇÃO CARDIOVASCULAR DO IDOSO. Manuel Teixeira Veríssimo HUC Faculdade de Medicina de Coimbra

VACINAÇÃO DA GRIPE NA PREVENÇÃO CARDIOVASCULAR DO IDOSO. Manuel Teixeira Veríssimo HUC Faculdade de Medicina de Coimbra VACINAÇÃO DA GRIPE NA PREVENÇÃO CARDIOVASCULAR DO IDOSO Manuel Teixeira Veríssimo HUC Faculdade de Medicina de Coimbra Gripe e idade A gripe é mais frequente em crianças e adultos jovens do que em idosos

Leia mais

Caso 1: DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO: Gravidades diferentes, abordagens diferentes. O que você espera encontrar neste exame?

Caso 1: DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO: Gravidades diferentes, abordagens diferentes. O que você espera encontrar neste exame? DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO: Gravidades diferentes, abordagens diferentes. Gleison Guimarães TE SBPT TE A.Brasileira do Sono Unidade de Pesquisa Clínica - HUCFF Caso 1: ABB, 47anos,, engenheiro. HDA:

Leia mais

ARTIGO ORIGINAL ISSN 1677-5090 2014 Revista de Ciências Médicas e Biológicas

ARTIGO ORIGINAL ISSN 1677-5090 2014 Revista de Ciências Médicas e Biológicas ARTIGO ORIGINAL ISSN 1677-5090 2014 Revista de Ciências Médicas e Biológicas Eventos adversos nasofaríngeos da pressão positiva contínua em vias aéreas em pacientes com asma grave e apneia obstrutiva do

Leia mais