ATA Assistente Técnico Administrativo Trabalho em Equipe Gestão Pública Keyvila Menezes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATA Assistente Técnico Administrativo Trabalho em Equipe Gestão Pública Keyvila Menezes"

Transcrição

1 ATA Assistente Técnico Administrativo Trabalho em Equipe Gestão Pública Keyvila Menezes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

2

3 Evolução do trabalho em equipe Grupos Equipes Trabalho Individual 3

4 Grupos Grupos Formais Grupos Informais 4

5 Fases da Formação de um Grupo Formação Encerramento Erupção Realização Normalização 5

6 Conceitos Formação: As pessoas se conhecem e as regras de funcionamento e comportamento dentro do grupo são estabelecidas. Erupção: Formação dos primeiros conflitos. Relacionados com disputas pelo controle do poder dentro do grupo e com as restrições ao individualismo do grupo. Normalização: Existe uma coesão dentro do grupo e o relacionamento já está mais firme. Realização ou desempenho: A estrutura do grupo já está plenamente funcional e as energias já são gastas nas realização das atividades. G r u p o s P e r m a n e n t e s 6

7 Conceitos Encerramento: O Grupo já se prepara para terminar seu trabalho e entregar seu resultado final. 7

8 Habilidades para que a equipe tenha sucesso Habilidade de Comunicação Habilidade de Autogerenciamento Habilidade de Liderança Habilidades de Responsabilidade Habilidade de Apoio à Diversidade Habilidade de Reatroação e Avaliação Habilidade de Planejamento Estratégico Habilidade de Conduzir Reuniões Bem-sucedidas Habilidade de Resolver Conflitos Habilidades de Desfrutar 8

9 Grupos X Equipes Grupos Objetivos é trocar informações Não tem sinergia Responsabilidade é individual Habilidades randômicas e variadas Relacionamento é informal e solto Equipes Objetivo é o desempenho coletivo Sinergia positiva Responsabilidade coletiva Habilidades complementares Relacionamento é coeso e firme 9

10 Tipos de Equipes Equipes de Soluções de problemas Equipes Multifuncionais Equipes Autogerenciadas Equipes Virtuais 10

11 FEEDBACK COMO DAR FEEDBACK PARA QUE ELE SEJA ACEITO E UTILIZADO DE FORMA CONSTRUTIVA? Para que o feedback possa ser efetivo e positivo dentro da equipe, é preciso que você: Leve sempre em conta que feedback eficaz é o que ajuda as pessoas ou equipes a melhorar seu desempenho e alcançar seus objetivos. Crie e mantenha o costume dentro da equipe de dar e receber feedback. Estabeleça uma relação de respeito e confiança mútua. 11

12 A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO EM EQUIPE 12

13 Desenvolvendo equipe ORGANIZAÇÃO: A organização de uma equipe é caracterizada pela definição de papéis e pela divisão dos trabalhos. INTERAÇÃO: É a ação que se exerce mutuamente entre duas ou mais pessoas. Com o passar, a equipe passa por vários estágios de desenvolvimento e os resultados tendem a se tornar melhor. COMUNICAÇÃO: É o ato de emitir, transmitir e receber; é o centro de relacionamento entre as pessoas. 13

14 Esse grupo passa a se constituir numa equipe na medida em que passa a entender sua forma de operar e procurar resolver os problemas que afetam o seu funcionamento 14

15 Esse processo de auto exame e avaliação são contínuos e, com o tempo torna-se natural e característico da equipe em todas as ocasiões e não somente em circunstâncias específicas. Porém para que se desenvolva nesse sentido, uma equipe deve ter uma organização e seus integrantes precisam aperfeiçoar, entre outras, as suas habilidades de interação e de comunicação. 15

16 Características que definem o trabalho em equipe Todos são capazes de resolver problemas e contribuir para os resultados esperados. Os objetivos, as metas e a missão são compartilhados. Envolvimento e o comprometimento de todos no processo de trabalho. Respeito às diferenças individuais. Elevado grau de cooperação. Comunicação clara, objetiva e constante. 16

17 ALTO GRAU DE DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL COMPETIÇÃO X COOPERAÇÃO Por muito tempo o paradigma era: A competição é a mola que move a empresa. 17

18 O trabalho em equipe só terá expressão real e verdadeira, quando os membros do grupo desenvolverem sua competência interpessoal. Como trabalhar bem com as outras pessoas? Como perceber os sentimentos e as necessidades do outro? Como entender e fazer-me entender? Por que as pessoas percebem a mesma situação de formas diferentes? 18

19 Estas e outras perguntas dão a dimensão das dificuldades da convivência humana, em especial de trabalho. Para que as relações possam acontecer com respeito, compreensão, colaboração, interação, comunicação adequada, refletir no trabalho e proporcionar mais produtividade, vários aspectos são de fundamental importância, entre eles, a empatia, o auto-conhecimento, a percepção e comunicação eficaz. 19

20 Ninguém Consegue Fazer Tudo Sozinho, e Nem Deve Tenta-lo. Quando um trabalho é partilhado, os resultados aparecem mais facilmente, os erros podem ser minimizados, reduzidos ou até mesmo eliminados. Os grupos ficam confiantes e passam a ser confiáveis. De uma forma ou de outra todos ganham. 20

21 O sentido de equipe nasce da integração indivíduoorganização, evidenciada pela adesão espontânea do trabalhador aos compromissos e metas da empresa, sem imposição de valores ou procedimentos. Assim, só existe equipe quando todos os que integram um grupo estão verdadeiramente comprometidos com a mesma meta. 21

22 SÓ EXISTE EQUIPE QUANDO TODOS CONHECEM OS OBJETIVOS, ESTÃO CIENTES DA NECESSIDADE DE ALCANÇÁ-LOS E DESENVOLVEM UMA VISÃO CRÍTICA A RESPEITO DO DESEMPENHO DE CADA UM E DO GRUPO COMO UM TODO 22

23 As oportunidades surgem para quem está preparado. Conhecimento a respeito do trabalho, atenção, disponibilidade para colaborar, humildade para procurar ajuda, quando necessário, são algumas das condições que propiciam o aproveitamento de oportunidades. 23

24 Quando um do grupo não participa, todos os outros sofrem uma sobrecarga. Integrar um grupo pressupõe a participação ativa. Ninguém deve ficar esperando que o outro faça aquilo que pode ser realizado em conjunto. Responsabilidade, participação e cooperação devem estar presentes nas relações de um grupo. 24

25 Cooperar é fundamental O empenho de cada um em dar a sua contribuição, de preferência superando as expectativas, e a disposição de todos em favor da cooperação mútua são condições naturais para a consecução dos objetivos individuais e da organização como um todo. Quando ajudamos um colega que está em dificuldades em atingir a sua meta estamos, na verdade, ajudando a própria empresa e adquirindo mais experiências pessoais para enfrentar desafios. 25

26 O QUE É NEGOCIAR? 26

27 A negociação implica esforço das partes envolvidas, exigindo bastante capacidade de relacionamento. Acontece que o relacionamento humano nem sempre é feito harmoniosamente. Pontos de vista diferentes podem ocasionar discussões sem necessidade, e acabamos muitas vezes no terreno pessoal. Neste caso a conversa acaba num bateboca, não produzindo nada de prático. 27

28 Alguns pontos que podem ser considerados para refletirmos sobre o assunto: Negociar exclusivamente as idéias é fundamental Um profissional consciente busca as idéias propostas concretas não se preocupa em debater assuntos pessoais. Buscar Um diálogo competente é fundamental Idéias devem conter argumentos, apresentados sempre de forma bem clara, para que todos entendam a proposta e se posicionem contra ou a favor. Empatia O profissional não teme o conflito. Ao contrário, ele precisa aprender a conviver com eles e administra-los. Os conflitos sempre ocorrem e são saudáveis, desde que saiba tirar deles o melhor proveito para o sucesso da negociação. 28

29 ATENÇÃO! CONFLITOS E IDÉIAS CONFLITANTES NÃO SIGNIFICAM DESAVENÇAS! SIGINIFICAM, APENAS QUE DIFERENTES PESSOAS TÊM DIFERENTES PONTOS DE VISTAS 29

30 Negociar é um verbo para ser conjugado na primeira pessoa do plural. O pronome eu é seguramente, um termo proibido, quando se fala em equipe e na prática da negociação. A tentativa de dominar alguém por meio de imposições traz sempre um efeito desastroso. 30

31 Quando uma idéia é ampliada ou modificada, diz-se, que ocorreu uma construção. A nova idéia será resultado da ação de dois, de um grupo, de uma equipe, e certamente contribuirá mais do que soluções individuais, que desconsiderem interesses alheios 31

RELATÓRIO/TREINAMENTO/TRABALHO EM EQUIPE/ MOTIVAÇÃO

RELATÓRIO/TREINAMENTO/TRABALHO EM EQUIPE/ MOTIVAÇÃO ESTADO DO TOCANTINS Secretaria Municipal de Assistência Social Centro de Referencia de Assistência Social-CRAS RELATÓRIO/TREINAMENTO/TRABALHO EM EQUIPE/ MOTIVAÇÃO CAPACITAÇÃO PARA PROFISSIONAIS DO CRAS

Leia mais

Grupos e Equipes de Trabalho

Grupos e Equipes de Trabalho Aula 6 Grupos e Equipes de Trabalho Agenda Comportamento de grupos Caso Uma Equipe Desunida Trabalho em equipe 2 1 Fundamentos do comportamento de grupos Definição Um grupo é definido como dois ou mais

Leia mais

Unidade II MODELOS DE LIDERANÇA. Prof. Gustavo Nascimento

Unidade II MODELOS DE LIDERANÇA. Prof. Gustavo Nascimento Unidade II MODELOS DE LIDERANÇA Prof. Gustavo Nascimento O líder como administrador de conflitos A dinâmica dos grupos organizacionais é marcada por diferentes conflitos, principalmente do tipo interpessoal,

Leia mais

Trabalho em Equipe. São unidades com duas ou mais pessoas que interagem e coordenam seu trabalho para conseguir atingir uma meta específica.

Trabalho em Equipe. São unidades com duas ou mais pessoas que interagem e coordenam seu trabalho para conseguir atingir uma meta específica. Equipe Trabalho em Equipe São unidades com duas ou mais pessoas que interagem e coordenam seu trabalho para conseguir atingir uma meta específica. Objetivo comum. Objetivos do grupo acima dos interesses

Leia mais

Fulano de Tal. Relatório de Feedback 360 Extended DISC FINXS

Fulano de Tal. Relatório de Feedback 360 Extended DISC FINXS O Feedback 360 é um instrumento projetado para fornecer um foco desenvolvimentista a respeito dos pontos fortes das habilidades comportamentais específicas e suas necessidades de desenvolvimento. Este

Leia mais

Pai-Nosso/ Ave Maria

Pai-Nosso/ Ave Maria DEGRAUS DE UM COORDENADOR Paróquia Santo Antônio Praia Grande Diocese de Santos (SP) ENCONTRO COM COORDENADORES E VICES DE PASTORAIS E MOVIMENTOS / Abril de 2013 Pai-Nosso/ Ave Maria Toda manhã, procuro

Leia mais

desenvolva e utilize seu pleno potencial de modo coerente e convergente com os objetivos estratégicos da organização. Dentro da área de gestão de

desenvolva e utilize seu pleno potencial de modo coerente e convergente com os objetivos estratégicos da organização. Dentro da área de gestão de Gestão de Pessoas Hoje a sociedade busca desenvolver trabalhos para aprimorar o conhecimento das pessoas em um ambiente de trabalho. A capacitação e o preparo que uma organização deve ter para com os seus

Leia mais

Relatório de Competências de Nataly Lopez (Perfil Natural) Autoconfiança. Autocontrole. Busca de Informação. Capacidade de Negociação.

Relatório de Competências de Nataly Lopez (Perfil Natural) Autoconfiança. Autocontrole. Busca de Informação. Capacidade de Negociação. IMPORTANTE: Em ótimas condições do ambiente, a grande maioria das pessoas pode ter a capacidade de desempenhar-se adequadamente em quaisquer das seguintes competências. Referimo-nos a "ótimas condições"

Leia mais

EXECUTANDO O PROJETO. Por onde começar?

EXECUTANDO O PROJETO. Por onde começar? EXECUTANDO O PROJETO. Por onde começar? No começo de um projeto podemos fazer tudo, mas não sabemos nada. No final do projeto sabemos tudo, mas não podemos fazer nada. Compondo a equipe de projeto Quais

Leia mais

O Sentido do Planejamento

O Sentido do Planejamento O Sentido do Planejamento O planejamento é essencial para todos os fatores que afetam a organização FIGUEREDO, Sandra (2004) Existem duas escolas de pensamento conflitantes com referência à profundidade

Leia mais

B. DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA Este treinamento será desenvolvido em Módulos, uma vez por semana.

B. DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA Este treinamento será desenvolvido em Módulos, uma vez por semana. KO KAIZEN ZERO PREPARAÇÃO EDUCACIONAL DAS CHEFIAS PARA A MELHORIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS E DA GESTÃO EMPRESARIAL NA BUSCA DO COMPROMETIMENTO DO COLABORADOR a. PREMISSA Acreditamos que o homem não consegue

Leia mais

Soluções para os Cases

Soluções para os Cases Soluções para os Cases As etapas da construção de uma equipe Joinville Dia 05 de Outubro de 2013 Roteiro da conversa.... Autoconhecimento. Tudo começa pela confiança Fundamentos de uma equipe As etapas

Leia mais

Administração. Competência Interpessoal. Professor Rafael Ravazolo.

Administração. Competência Interpessoal. Professor Rafael Ravazolo. Administração Professor Rafael Ravazolo www.acasadoconcurseiro.com.br Administração Aula XX COMPETÊNCIA INTERPESSOAL Qualquer organização que queira obter êxito não admite mais profissionais individualistas.

Leia mais

9 dicas para você se destacar profissionalmente. Como ter sucesso profissional com dicas incrivelmente simples!

9 dicas para você se destacar profissionalmente. Como ter sucesso profissional com dicas incrivelmente simples! 9 dicas para você se destacar profissionalmente? Como ter sucesso profissional com dicas incrivelmente simples! Introdução 9 dicas para você se destacar profissionalmente Para quem ainda não acertou na

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS Unidade 7 Gerenciamento Pessoas do Projeto. Luiz Leão

GESTÃO DE PROJETOS Unidade 7 Gerenciamento Pessoas do Projeto. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático O Papel do Gerente de Projetos como líder de pessoas Teorias da motivação Desenvolvimento do plano de recursos humanos Mobilização

Leia mais

Início, identificar uma necessidade ou oportunidade, o problema e sua solução, e a estimativa inicial dos custos e prazos;

Início, identificar uma necessidade ou oportunidade, o problema e sua solução, e a estimativa inicial dos custos e prazos; O projeto Os projetos estão sempre vinculados às organizações, são de caráter transitório e seu objetivo é satisfazer ou exceder as expectativas dos mercados ou das partes interessadas (stakeholders).

Leia mais

Gestor de Projetos - habilidades. AT086 Gestão de Projetos UFPR/CEIM Prof. Umberto Klock

Gestor de Projetos - habilidades. AT086 Gestão de Projetos UFPR/CEIM Prof. Umberto Klock Gestor de Projetos - habilidades AT086 Gestão de Projetos UFPR/CEIM Prof. Umberto Klock Habilidades do Gestor de projetos GERENTE DE PROJETO GESTOR DE PROJETO GP As 6 habilidades do Gerente de Projeto

Leia mais

II Simpósio Nacional de Empreendedorismo Social Enactus Brasil A PERCEPÇÃO DA APRENDIZAGEM COOPERATIVA EM UM TIME ENACTUS

II Simpósio Nacional de Empreendedorismo Social Enactus Brasil A PERCEPÇÃO DA APRENDIZAGEM COOPERATIVA EM UM TIME ENACTUS A PERCEPÇÃO DA APRENDIZAGEM COOPERATIVA EM UM TIME ENACTUS Fernanda Cristina Pantuzzi Graduanda em Engenharia Ambiental Universidade Federal do Ceará fer.pantuzzi@gmail.com A Aprendizagem Cooperativa é

Leia mais

PROGRAMA DE MÉTODOS E HÁBITOS DE ESTUDO

PROGRAMA DE MÉTODOS E HÁBITOS DE ESTUDO PROGRAMA DE MÉTODOS E HÁBITOS DE ESTUDO MOTIVAR PARA O SUCESSO PRESSUPÕE INTERESSE, INVESTIMENTO, DISPONIBILIDADE, VONTADE, COMPETÊNCIA E ENVOLVIMENTO DE TODOS OS INTERVENIENTES NO PROCESSO EDUCATIVO!

Leia mais

Capítulo 19 Resumo. QVT Qualidade de vida no trabalho

Capítulo 19 Resumo. QVT Qualidade de vida no trabalho Capítulo 19 Resumo O Treinamento como um Meio de Desenvolver Pessoas O sentido de treinamento na moderna gestão de recursos humanos em nada se parece com a definição apresentada pelos dicionários que definem

Leia mais

Carreira bem sucedida: Sorte ou Planejamento? Wilson Gellacic

Carreira bem sucedida: Sorte ou Planejamento? Wilson Gellacic Carreira bem sucedida: Sorte ou Planejamento? 1 Agenda 1. O contexto atual 2. O que é sucesso profissional 3. Competências necessárias 4. Uma visão sistêmica 5. A diferença que faz a diferença 6. Roadmap

Leia mais

Liderança e Gestão de Equipes. Prof. Valter de Menezes Eugenio

Liderança e Gestão de Equipes. Prof. Valter de Menezes Eugenio Prof. Valter de Menezes Eugenio O mundo empresarial mudou muito nas ultimas décadas, particularmente nos últimos 20 anos. Estas mudanças influenciam no comportamento das pessoas no ambiente de trabalho.

Leia mais

Feedback. Conceito de. Sumário. Conceito de Feedback. Escuta ativa. Obstáculos (dar / receber feedback) Feedback STAR

Feedback. Conceito de. Sumário. Conceito de Feedback. Escuta ativa. Obstáculos (dar / receber feedback) Feedback STAR Sumário Conceito de Feedback Escuta ativa Obstáculos (dar / receber feedback) Feedback STAR Recomendações para eficácia de sua sessão de feedback Conceito de Feedback Feedback é o retorno que alguém obtém

Leia mais

Capitulo 10: Executando o Projeto

Capitulo 10: Executando o Projeto Capitulo 10: Executando o Projeto PMBOK GUIDE Project Management Body of Knowledge Iniciação 5.1 Grupo de Processos de Planejamento Desenvolver o Plano de Gerenciamento de Projeto (4.3) Planejamento de

Leia mais

Programa de Gestão da Performance

Programa de Gestão da Performance Programa de Gestão da Performance O impulso para ir mais longe está em suas mãos. Cada dia do ano é um passo à frente no seu desenvolvimento. Movimente-se! Quer ir mais longe? O primeiro passo é ler este

Leia mais

Grupos e Equipes. Caps 8 e 9 11ª edição Caps 9 e 10 14ª edição. Profa. Dra. Adriana Cristina Ferreira Caldana Thiago Ferreira Quilice

Grupos e Equipes. Caps 8 e 9 11ª edição Caps 9 e 10 14ª edição. Profa. Dra. Adriana Cristina Ferreira Caldana Thiago Ferreira Quilice Grupos e Equipes Caps 8 e 9 11ª edição Caps 9 e 10 14ª edição Profa. Dra. Adriana Cristina Ferreira Caldana Thiago Ferreira Quilice Razões para estarmos em grupo reduzem a solidão e insegurança dos indivíduos

Leia mais

Além disso, saber onde seus funcionários precisam melhorar vai ajudar e muito na criação de planos de desenvolvimento.

Além disso, saber onde seus funcionários precisam melhorar vai ajudar e muito na criação de planos de desenvolvimento. Este conteúdo faz parte da série: Avaliação de Desempenho Ver 3 posts dessa série O que é Quando o assunto é gestão de pessoas um dos tópicos mais importantes e falados é a avaliação de desempenho. Esse

Leia mais

Gestão por Competência

Gestão por Competência Gestão por Competência Vera Gobetti 04/05/2017 GESTÃO POR COMPETÊNCIAS É UMA EVOLUÇÃO DA GESTÃO DE PESSOAS A Competência é sustentada em 3 pilares: 1- Conhecimento 2- Habilidades 3- Atitudes Aspectos Fundamentais

Leia mais

Ótimas Dicas Para Você Motivar Suas Equipes Externas Agora Mesmo

Ótimas Dicas Para Você Motivar Suas Equipes Externas Agora Mesmo Ótimas Dicas Para Você Motivar Suas Equipes Externas Agora Mesmo Com o passar do tempo as equipes da sua empresa acabam se desanimando e perdendo o pique, fazendo com que ocorram alguns prejuízos. Mas

Leia mais

Avaliação de Desempenho do Técnico Administrativo em Educação

Avaliação de Desempenho do Técnico Administrativo em Educação Avaliação de Desempenho do Técnico Administrativo em Educação ANEXO I CAMPUS AUTO AVALIAÇÃO DO SERVIDOR 2016 Nome do Servidor: Cargo: Classe: Nível: Padrão: Período de Avaliação: / / a / / Lotação: Função

Leia mais

COMO GERIR SEUS TALENTOS CRISE EM TEMPOS DE

COMO GERIR SEUS TALENTOS CRISE EM TEMPOS DE COMO GERIR SEUS TALENTOS CRISE EM TEMPOS DE? A força de trabalho é um dos principais ativos de uma empresa. Durante os períodos de crise, os colaboradores são atingidos por uma série de incertezas e preocupações

Leia mais

PROGRAMA DE FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DE LÍDERES

PROGRAMA DE FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DE LÍDERES PROGRAMA DE FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DE LÍDERES CONQUISTE A LIDERANçA INSCRIÇÕES ABERTAS Prepare-se para novos desafios e seja o destaque no mercado de trabalho. Muitas vezes, a liderança não sabe quais

Leia mais

COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL

COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Grupos e Equipes de Trabalho Prof. Dra. Ana Carolina de Aguiar Rodrigues POR QUE AS PESSOAS FORMAM GRUPOS? Teoria da identidade social Conhecimento do indivíduo de que pertence

Leia mais

Relacionamento Interpessoal na Auditoria: Você está preparado? Elisabeth Sversut

Relacionamento Interpessoal na Auditoria: Você está preparado? Elisabeth Sversut Relacionamento Interpessoal na Auditoria: Você está preparado? Elisabeth Sversut Você está preparado? Pense bem... Curso superior, pós-graduação, dois idiomas... Um Auditor Como qualquer outro profissional,

Leia mais

Acompanhamento de Desenvolvimento Profissional.

Acompanhamento de Desenvolvimento Profissional. Acompanhamento de www.motvirtual.com.br O Processo de Avaliação de Desempenho Envolve: Planejamento; Acompanhamento; Desenvolvimento O Processo de Avaliação de Desempenho Envolve: Planejamento; Análise

Leia mais

LIDERANÇA EM ENFERMAGEM E GERÊNCIA DO CUIDADO EM UTI NEONATAL

LIDERANÇA EM ENFERMAGEM E GERÊNCIA DO CUIDADO EM UTI NEONATAL 1 LIDERANÇA EM ENFERMAGEM E GERÊNCIA DO CUIDADO EM UTI NEONATAL Drª. Zenith Rosa Silvino e Drª. Bárbara Pompeu Christovam Curso: II Curso de Assistência de Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal

Leia mais

QUAL É O OBJETIVO DE UMA CONCORRÊNCIA DE DESIGN?

QUAL É O OBJETIVO DE UMA CONCORRÊNCIA DE DESIGN? L I V R O S O B R E C O N C O R R Ê N C I A D E D E S I G N QUAL É O OBJETIVO DE UMA CONCORRÊNCIA DE DESIGN? Uma concorrência entre empresas de design se justifica quando visa orientar a escolha de uma

Leia mais

A LIDERANÇA NA ORGANIZAÇÃO ESCOLAR

A LIDERANÇA NA ORGANIZAÇÃO ESCOLAR A LIDERANÇA NA ORGANIZAÇÃO ESCOLAR Lauriane Dias Alencar UFPI /lauriane2205@hotmail.com Maria de Jesus Marques Silva UESPI / dudemsilva@yahoo.com.br GT1. Política e gestão da educação básica O tema em

Leia mais

Facebook.com/concursovirtual Gestão de pessoas Trabalho em equipe O que é um grupo? Grupo primário x Grupo Secundário Os grupos podem ser formais ou informais. Formais - designados pela organização. Criados

Leia mais

BLOGS COMO APOIO A APRENDIZAGEM DE FÍSICA E QUÍMICA

BLOGS COMO APOIO A APRENDIZAGEM DE FÍSICA E QUÍMICA BLOGS COMO APOIO A APRENDIZAGEM DE FÍSICA E QUÍMICA Silvia Ferreto da Silva Moresco Patricia Alejandra Behar UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO NÚCLEO DE TECNOLOGIA APLICADA

Leia mais

Janela de Johari: Autoconhecimento

Janela de Johari: Autoconhecimento Objetivo Conhecer a si próprio e reconhecer como estamos tratando as pessoas e sendo tratadas por elas, dando dicas de como podemos melhorar o relacionamento interpessoal e administrar os conflitos que

Leia mais

Solteira, sem filhos, 22 anos, estudante e empresaria Estudante de Arquitetura e Urbanismo 2 anos 8 meses Entrei na Mk em Busca de uma renda extra,

Solteira, sem filhos, 22 anos, estudante e empresaria Estudante de Arquitetura e Urbanismo 2 anos 8 meses Entrei na Mk em Busca de uma renda extra, Solteira, sem filhos, 22 anos, estudante e empresaria Estudante de Arquitetura e Urbanismo 2 anos 8 meses Entrei na Mk em Busca de uma renda extra, já trabalhava com outras marcas, mas não tinha retorno!

Leia mais

Cada criatura é um rascunho,a ser retocado sem cessar..." Guimarães Rosa

Cada criatura é um rascunho,a ser retocado sem cessar... Guimarães Rosa Clima organizacional Cada criatura é um rascunho,a ser retocado sem cessar..." Guimarães Rosa Conceitos básicos Clima Organizacional é o potencial de energia disponível para alavancar resultados. Perfil

Leia mais

PROJETO MARY KAY WAY

PROJETO MARY KAY WAY PROJETO MARY KAY WAY NASCEMOS LÍDERES OU NOS TORNAMOS UM? Sinto que a arte da liderança pode ser ensinada e dominada Mary Kay Ash O que significa Liderança: É a habilidade que uma pessoa teria para conduzir

Leia mais

Comunicação e Relacionamento Interpessoal

Comunicação e Relacionamento Interpessoal Comunicação e Relacionamento Interpessoal Prof. José Junio Lopes Prof. Roberto César Ferreira Comunicação e Relacionamento Interpessoal A beleza de um trabalho em equipe se dá através de um elemento muito

Leia mais

Edital de projetos 2017 Conceitos de gestão e governança de projetos

Edital de projetos 2017 Conceitos de gestão e governança de projetos Edital de projetos 2017 Conceitos de gestão e governança de projetos O edital 2017 do Amigos da Poli introduz novos conceitos de gerenciamento de projetos Novos conceitos 1 Gestão de projeto 2 Governança

Leia mais

Capítulo 9 Metas e planos de ação

Capítulo 9 Metas e planos de ação Capítulo 9 Metas e planos de ação Objetivos de aprendizagem 1. Definir um objetivo de como você quer viver 2. Estabelecer metas para alcançar esse objetivo 3. Criar planos de ação para alcançar suas metas

Leia mais

2.2 Elementos formais e informais

2.2 Elementos formais e informais 2.2 Elementos formais e informais A produtividade de um grupo e sua eficiência estão estreitamente relacionadas não somente com a competência de seus membros, mas, sobretudo com a solidariedade de suas

Leia mais

Liderança para resultados

Liderança para resultados Liderança para resultados O papel do líder nos times de mudança Educação Empreendedora Consultoria Gestão Inovação Resultados 0800 570 0800 / www.sebrae-rs.com.br S6 REFLEXÕES... Eu sou um líder? Eu posso

Leia mais

o Mercado da ...você se comunica? ... administra seu tempo? ... delega as tarefas? Sabe delegar? ... lida com os conflitos? ... alinha expectativas e corrige rotas? .. apresentam: Um programa único

Leia mais

COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL. Prof. Saravalli OBJETIVOS 08/03/2016

COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL. Prof. Saravalli OBJETIVOS 08/03/2016 COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Prof. Saravalli ademir_saravalli@yahoo.com.br O comportamento organizacional é um campo de estudos que investiga o impacto que indivíduos, grupos e a estrutura têm sobre o

Leia mais

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR 20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR Resultados Processo de aprendizagem COMPREENSÃO (principal) Tenho a habilidade de juntar informações soltas e formular ideias que fazem sentido. Frequentemente

Leia mais

Profº Me. Daniel Campelo GPH - RELAÇÕES INTERPESSOAIS E DINÂMICA DE GRUPO

Profº Me. Daniel Campelo GPH - RELAÇÕES INTERPESSOAIS E DINÂMICA DE GRUPO RELAÇÕES INTERPESSOAIS E DINÂMICAS DE GRUPO Profº Me. Daniel Campelo professordanielcampelo@gmail.com ROTEIRO PARTE 1: APRESENTAÇÃO RELAÇÕES INTERPESSOAIS PRINCIPAIS CAUSAS DE POSITIVOS X NEGATIVOS A COMUNICAÇÃO

Leia mais

(esforço). Competência entendida segundo três eixos:

(esforço). Competência entendida segundo três eixos: em Gestão de Projetos Prof. Roberto Paixão Introdução Competência = com (conjunto) + petere (esforço). Competência entendida segundo três eixos: Características da pessoa; Formação educacional; Experiência

Leia mais

Resultados da Pesquisa de Clima Organizacional 2010

Resultados da Pesquisa de Clima Organizacional 2010 Resultados da Pesquisa de Clima Organizacional 2010 População e amostra da pesquisa 350 300 População Amostra 294 250 219 200 150 100 50 75 52 100 152 0 Técnicoadministrativos (69%) Docentes (46%) Geral

Leia mais

Gestão de pessoas. O desafio da Execução. Jorge Letra Co- presidente Dicico

Gestão de pessoas. O desafio da Execução. Jorge Letra Co- presidente Dicico Gestão de pessoas O desafio da Execução Jorge Letra Co- presidente Dicico Uma visão dos principais desafios dos gestores de hoje quando Gestão de pessoas O desafio da Execução o assunto é pessoas O gato

Leia mais

CATÁLOGO REGIONAL PALESTRAS, OFICINAS E CURSOS

CATÁLOGO REGIONAL PALESTRAS, OFICINAS E CURSOS CATÁLOGO REGIONAL PALESTRAS, OFICINAS E CURSOS GET GERÊNCIA DE EDUCAÇÃO PARA O TRABALHADOR SESI/DRMG MINAS GERAIS 2015 www.fiemg.com.br SUMÁRIO 1. PALESTRAS 1.1 MAIS INFORMAÇÕES... 4 2. OFICINAS 2.1 ÉTICA

Leia mais

Profª Daniela Cartoni

Profª Daniela Cartoni Etapa da Negociação Planejamento, estratégias e táticas Profª Daniela Cartoni daniela_cartoni@yahoo.com.br Etapas da negociação Uma negociação é um processo de comunicação interativa que pode ocorrer quando

Leia mais

Processos de Gerenciamento de Projetos. Parte 02. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301. Docente: Petrônio Noronha de Souza

Processos de Gerenciamento de Projetos. Parte 02. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301. Docente: Petrônio Noronha de Souza Processos de Gerenciamento de Projetos Parte 02 CSE-301 / 2009 / Parte 02 Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301 Docente: Petrônio Noronha de Souza Curso: Engenharia e Tecnologia Espaciais Concentração:

Leia mais

DEVOLUTIVA DA PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL Ações para 2011/2012

DEVOLUTIVA DA PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL Ações para 2011/2012 Sede Ecoville 2 CAMPUS CURITIBA Sede Central CAMPUS CURITIBA PRINCÍPIOS NORTEADORES Pesquisa sem finalidade classificatória. Objetiva levantar fortalezas e fragilidades da gestão. Os resultados devem ser

Leia mais

Desenvolvimento de Liderança. Prof. M.e. Fernando Martins Silva

Desenvolvimento de Liderança. Prof. M.e. Fernando Martins Silva Desenvolvimento de Liderança Prof. M.e. Fernando Martins Silva fernando@professorfernandomartins.com.br Fernando Martins Silva Advogado Consultor empresarial Professor universitário Coordenador da pós-graduação

Leia mais

Competência Interpessoal e Trabalho em Equipe. Rebeca Ribeiro de Barcellos, MSc.

Competência Interpessoal e Trabalho em Equipe. Rebeca Ribeiro de Barcellos, MSc. Competência Interpessoal e Trabalho em Equipe Rebeca Ribeiro de Barcellos, MSc. Interação humana Pessoas reagem às pessoas com as quais entram em contato: - Comunicam-se - Simpatizam e sentem atrações

Leia mais

Tribunais Exercícios Gestão de Pessoas Gestão Por Estratégia Por Competência Keyvila Menezes

Tribunais Exercícios Gestão de Pessoas Gestão Por Estratégia Por Competência Keyvila Menezes Tribunais Exercícios Gestão de Pessoas Gestão Por Estratégia Por Competência Keyvila Menezes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. GESTÃO ESTRATÉGICA POR COMPETÊNCIA

Leia mais

Diretrizes para as bibliotecas escolares (IFLA/UNESCO)

Diretrizes para as bibliotecas escolares (IFLA/UNESCO) Diretrizes para as bibliotecas escolares (IFLA/UNESCO) 1.1 Missão Capítulo 1. Missão e Política A biblioteca escolar no ensino-aprendizagem para todos. A biblioteca escolar proporciona informação e ideias

Leia mais

Gerenciamento de Recursos Humanos de Projetos. Parte 08. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301. Docente: Petrônio Noronha de Souza

Gerenciamento de Recursos Humanos de Projetos. Parte 08. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301. Docente: Petrônio Noronha de Souza Gerenciamento de Recursos Humanos de Projetos Parte 08 Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301 Docente: Petrônio Noronha de Souza Curso: Engenharia e Tecnologia Espaciais Concentração: Engenharia e

Leia mais

HABILIDADES COMPORTAMENTAIS EM UM MERCADO ALTAMENTE COMPETITIVO!!

HABILIDADES COMPORTAMENTAIS EM UM MERCADO ALTAMENTE COMPETITIVO!! PALESTRA MOTIVACIONAL ENCON SUL 2017 XXI ENCONTRO DE CONTABILIDADE DO TOCANTINS HABILIDADES COMPORTAMENTAIS EM UM MERCADO ALTAMENTE COMPETITIVO!! PROFESSOR: PAULO CESAR ROMÃO BOMFIM FORMAÇÃO PAULO CESAR

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Tópico 1 - Visão Geral da Engenharia de Software Sistemas Computacionais o Definição e conceitos básicos o Evolução do desenvolvimento Natureza do produto software Definição de Engenharia

Leia mais

Sete hábitos das pessoas muito eficazes

Sete hábitos das pessoas muito eficazes Sete hábitos das pessoas muito eficazes "Hábito é a intersecção entre o conhecimento, a capacidade e a vontade. O conhecimento é o que e o porquê fazer. A capacidade é o como fazer. E a vontade é a motivação,

Leia mais

Competência comunicativa e comunicação interpessoal

Competência comunicativa e comunicação interpessoal Competência comunicativa e comunicação interpessoal Competência Definição de competência comunicativa O comunicador competente A relação competente Melhorar a competência comunicativa COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL

Leia mais

RELACIONAMENTO INTERPESSOAL

RELACIONAMENTO INTERPESSOAL RELACIONAMENTO INTERPESSOAL Forma de interagir com outras pessoas RELACIONAMENTO Estabelecimento de um processo de comunicação onde o emissor e receptor tenham claro suas reais atribuições. Para existir

Leia mais

Estágio: por onde começar?

Estágio: por onde começar? ENG09046 Terça-feira, das 16h30 às 18h10 Agosto de 2012 Estágio: por onde começar? Internamente: buscar entender como funciona a empresa, o setor/ departamento Externamente: ter uma visão macro sobre a

Leia mais

EAD COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Gestão de Conflitos. Prof. Joel Dutra aula de

EAD COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Gestão de Conflitos. Prof. Joel Dutra aula de EAD 521 - COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Gestão de Conflitos Prof. Joel Dutra aula de 31.05.17 Objetivo Discutir as bases conceituais do conflito nas relações interpessoais e entre áreas organizacionais.

Leia mais

15/2/2012 GESTÃO DE PESSOAS. Profa. Adriana Duarte RELAÇÃO. Motivação Clima Integração Inclusão Confiança Comunicação Liderança... QUEM É VOCÊ TAREFA

15/2/2012 GESTÃO DE PESSOAS. Profa. Adriana Duarte RELAÇÃO. Motivação Clima Integração Inclusão Confiança Comunicação Liderança... QUEM É VOCÊ TAREFA 15/2/2012 Profa. Adriana Duarte GESTÃO DE PESSOAS Profa. Mary Pires Profa. Adriana Duarte 2 RELAÇÃO TAREFA Motivação Clima Integração Inclusão Confiança Comunicação Liderança... QUEM É VOCÊ 1 CONHECENDO

Leia mais

RAMO DE AUTOMÓVEIS EM PALMAS-TO

RAMO DE AUTOMÓVEIS EM PALMAS-TO RAMO DE AUTOMÓVEIS EM PALMAS-TO 1 2 3 6 Resumo Este trabalho busca estudar um dos mais complexos elementos do comportamento seja na cultura, crença, classe social entre outros, o clima organizacional analisa

Leia mais

O poder do Entusiasmo! Como ser um profissional a cima da média?

O poder do Entusiasmo! Como ser um profissional a cima da média? O poder do Entusiasmo! Como ser um profissional a cima da média? Entusiasmo! O que é entusiasmo? Entusiasmo é um grande interesse, um intenso prazer, uma dedicação ardente, uma paixão, uma admiração, um

Leia mais

Gestão em Saúde LIDERANÇA

Gestão em Saúde LIDERANÇA Gestão em Saúde LIDERANÇA Profa. Ms. Raquel J. Oliveira Lima A administração tinha como objetivos principais: alcançar a eficiência e eficácia, Hoje alcançar a excelência por meio da eficiência e eficácia

Leia mais

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DE CONSELHEIROS PARA CONSELHOS DE PORTADORES DE DEFICIÊNCIA

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DE CONSELHEIROS PARA CONSELHOS DE PORTADORES DE DEFICIÊNCIA CENTRO DE DEFESA DE DIREITOS HUMANOS DE BETIM FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DE CONSELHEIROS PARA CONSELHOS DE PORTADORES DE DEFICIÊNCIA PALESTRANTE ANA RITA DE MACEDO MOURA Psicóloga

Leia mais

TREINAMENTO DE GESTÃO? Você sabe a importância das pessoas no seu negócio?

TREINAMENTO DE GESTÃO? Você sabe a importância das pessoas no seu negócio? Boa tarde!!!! TREINAMENTO DE GESTÃO? Você sabe a importância das pessoas no seu negócio? CONVITE PARA REFLETIRMOS: Gestão é diferente de liderança? Quais são as formas com que me comunico com minha equipe?

Leia mais

OPQ Perfil OPQ. Relatório de Feedback de Candidato. Nome Sample Candidate. Data 21 maio

OPQ Perfil OPQ. Relatório de Feedback de Candidato. Nome Sample Candidate. Data 21 maio OPQ Perfil OPQ Relatório de Feedback de Candidato Nome Sample Candidate Data 21 maio 2014 www.ceb.shl.com INTRODUÇÃO Este relatório é confidencial e destina-se exclusivamente à pessoa que respondeu o questionário.

Leia mais

Universidade Estadual de Ponta Grossa DEPARTAMENTO DE DIREITO PROCESSUAL NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA Serviço de Assistência Jurídica - SEAJ

Universidade Estadual de Ponta Grossa DEPARTAMENTO DE DIREITO PROCESSUAL NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA Serviço de Assistência Jurídica - SEAJ RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO 5º ANO CURSO DE DIREITO PRÁTICA FORENSE CIVIL II Acadêmico(a): R.A.: Professor Supervisor(a): Supervisor(a) Técnico(a): 01 PERMANÊNCIA DO ACADÊMICO NO NÚCLEO (OU NO ESTABELECIMENTO

Leia mais

2 - DEZESSEIS PASSOS PARA A CONSTRUÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO

2 - DEZESSEIS PASSOS PARA A CONSTRUÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO 9 2 - DEZESSEIS PASSOS PARA A CONSTRUÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO Luiz Gonzaga de Oliveira Pinto 1 - Para construir o é preciso que direção, professores, funcionários, alunos e pais saibam o que ele significa.

Leia mais

Unidade I. Treinamento e Desenvolvimento. Prof. Especialista Fernando Lopes

Unidade I. Treinamento e Desenvolvimento. Prof. Especialista Fernando Lopes Unidade I Treinamento e Desenvolvimento Prof. Especialista Fernando Lopes O Treinamento como um Meio de Desenvolver Pessoas Treinamento de acordo com a definição dos dicionários quer dizer adestrar; (animais

Leia mais

ALINHAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL

ALINHAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL ALINHAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL Alinhamento Estratégico é um conceito da Administração que se fundamenta no princípio de que um determinado número de pessoas funciona melhor quando funciona como

Leia mais

Manual do Aluno Engenharia Insper i

Manual do Aluno Engenharia Insper i Manual do Aluno Engenharia Insper i Capítulo 1 A visão do Insper para a Engenharia A missão dos cursos de engenharia do Insper é: Desenvolver jovens engenheiros que estarão preparados para reconhecer as

Leia mais

QUEM SOMOS. Uma Organização que se dedica a. viver e disseminar a consciência e a. prática da cooperação nos mais. diversos cenários.

QUEM SOMOS. Uma Organização que se dedica a. viver e disseminar a consciência e a. prática da cooperação nos mais. diversos cenários. 1 QUEM SOMOS Uma Organização que se dedica a viver e disseminar a consciência e a prática da cooperação nos mais diversos cenários. NOSSA HISTÓRIA Criada em 1997, foi a primeira Organização brasileira

Leia mais

Planejamento SPU/SC. Cristiano De Angelis

Planejamento SPU/SC. Cristiano De Angelis Planejamento SPU/SC Cristiano De Angelis Tópicos da Apresentação 1. O que é missão? 2. O que é visão? 3. O que é um projeto? 4. O que é uma ação? 5. Sugestão de um projeto. Valores da SPU 1. Compromisso

Leia mais

ASSUFBA REALIZA: CURSO PREPARATÓRIO PARA O

ASSUFBA REALIZA: CURSO PREPARATÓRIO PARA O Módulo teórico Questões comunicação interpessoal e Trabalho em equipe Prof. Alexandre LISTA DE EXERCÍCIO DE COMUNICAÇÃO INTERPERSSOAL 01. Oferecer feedback é (A) utilizar comunicação unidirecional para

Leia mais

O QUE É UM SISTEMA DE GESTÃO?

O QUE É UM SISTEMA DE GESTÃO? O QUE É UM SISTEMA DE GESTÃO? É UM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DOS FATORES DE PRODUÇÃO, MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS, PROCESSOS E RECURSOS HUMANOS, VOLTADOS PARA A SOBREVIVÊNCIA DA EMPRESA, ATRAVÉS DA BUSCA CONSTANTE

Leia mais

Motivação Página 1. Motivação

Motivação Página 1. Motivação Motivação Página 1 Objetivo: Entender o processo de motivação; descrever as teorias da motivação mais antigas e explicar como as teorias contemporâneas sobre motivação se completam mutuamente. Referências:

Leia mais

construindo caminhos para a aprendizagem significativa www.juliofurtado.com.br www.juliofurtado.com.br 1 2 Ver o lado positivo potencializa a energia de realização. O olhar inclusivo é a porta para a construção

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção Curso de Engenharia de Produção Organização do Trabalho na Produção Estrutura Organizacional Organização da Empresa: É a ordenação e agrupamento de atividades e recursos, visando ao alcance dos objetivos

Leia mais

CARGO X COMPETÊNCIA "Por que toda vez que contrato um par de braços um cérebro tem de vir junto?" Henry Ford "Posso obrigar um operário a chegar às 7h

CARGO X COMPETÊNCIA Por que toda vez que contrato um par de braços um cérebro tem de vir junto? Henry Ford Posso obrigar um operário a chegar às 7h Gestão por Competências CARGO X COMPETÊNCIA "Por que toda vez que contrato um par de braços um cérebro tem de vir junto?" Henry Ford "Posso obrigar um operário a chegar às 7h para trabalhar, mas não posso

Leia mais

11/05/2015 MKI 1. Tópicos. A Implantação do Endomarketing exige a definição de um plano de ações que nos facilitará atingir os objetivos do programa.

11/05/2015 MKI 1. Tópicos. A Implantação do Endomarketing exige a definição de um plano de ações que nos facilitará atingir os objetivos do programa. Tópicos pg 1. Implantação 2 2. Fatores do Endomarketing 3 3. Plano de Ações 4 4. Liderança do Processo 5 5. Clima Organizacional 6 6. Segmentação do Cliente Interno 7 7. Ações e Instrumentos 9 8. Elementos

Leia mais

Importância do Feedback

Importância do Feedback FEEDBACK O que é Feedback? Técnica utilizada para dar um parecer sobre uma pessoa ou grupo de pessoas na realização de um trabalho com o intuito de avaliar o seu desempenho. É uma ação que revela os pontos

Leia mais

Engenharia de Software. Gerenciamento de Pessoal. Professor Joerllys Sérgio

Engenharia de Software. Gerenciamento de Pessoal. Professor Joerllys Sérgio Engenharia de Software Gerenciamento de Pessoal Professor Joerllys Sérgio Pessoas no Processo Pessoas constituem o bem mais valioso de uma organização. Atividades de um gerente são fortemente orientadas

Leia mais

Ensinar e aprender: Processos e relações interdependentes. Profa. Dra. Maria Regina Cavalcante Profa. Dra. Alessandra de Andrade Lopes

Ensinar e aprender: Processos e relações interdependentes. Profa. Dra. Maria Regina Cavalcante Profa. Dra. Alessandra de Andrade Lopes Ensinar e aprender: Processos e relações interdependentes Profa. Dra. Maria Regina Cavalcante Profa. Dra. Alessandra de Andrade Lopes Eixo 2: Práticas Pedagógicas no Ensino Superior: epistemologia do ensinar

Leia mais

MANUAL DO LÍDER DE TURMA

MANUAL DO LÍDER DE TURMA Criada em 1 de 6 MANUAL DO LÍDER DE TURMA Criada em 2 de 6 Parabéns! Você foi eleito (a) representante de sua turma. O que demonstra o seu interesse em contribuir com os seus colegas e a Escola Profissional

Leia mais

Gestão de Vendas Como administrar a sua empresa para transformá-la em uma máquina de vender

Gestão de Vendas Como administrar a sua empresa para transformá-la em uma máquina de vender Gestão de Vendas Como administrar a sua empresa para transformá-la em uma máquina de vender DICAS Para a sua leitura: Os itens do índice são clicáveis, então sinta-se à vontade para ler o conteúdo que

Leia mais

Matriz dos resultados da aprendizagem Versão em Português

Matriz dos resultados da aprendizagem Versão em Português Learning Outcomes Matrix, English Version Matriz dos resultados da aprendizagem Versão em Português Compilado por: LMETB Título do módulo Perfil pessoal Matriz dos resultados da aprendizagem Nível introdutório

Leia mais

Soluções em Recursos Humanos, Treinamento e Conhecimento

Soluções em Recursos Humanos, Treinamento e Conhecimento Soluções em Recursos Humanos, Treinamento e Conhecimento Habilidade, métodos, políticas, técnicas e práticas QUEM SOMOS Somos uma empresa jovem com a visão de valorização do recurso humano como impulso

Leia mais