PROPOSTA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA A EDITORA E GRÁFICA ODORIZZI LTDA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROPOSTA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA A EDITORA E GRÁFICA ODORIZZI LTDA"

Transcrição

1 PROPOSTA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA A EDITORA E GRÁFICA ODORIZZI LTDA Mirian Magnus Machado 1 Jocaffi Albino Brda 2 RESUMO A organização Editora Gráfica Odorizzi Ltda, apsar d star a um longo tmpo no mrcado não utiliza-s do planjamnto stratégico como frramnta d gstão. Sndo assim, surgiu a qustão problma, como sndo: Quais as açõs qu podm proporcionar otimização d rsultados positivos, na qual possam vir a sr utilizadas pla Editora Gráfica Odorizzi Ltda, mdiant proposta d implmntação do planjamnto stratégico? Com a proposta aqui dsnvolvida buscou-s idntificar os pontos forts, fracos, oportunidads, amaças, dfinir missão, visão, objtivos mtas, com o intuito d fazr com qu sta mprsa obtnha vantagns frnt à concorrência. Para o lvantamnto das informaçõs ncssárias, foram coltados dados scundários, laborados qustionários aplicados aos clints, forncdors colaboradors, além d ntrvistas com o propritário funcionários dsta organização. Nst sntido, pod-s laborar a analis S.W.O.T, idntificar a missão, visão, valors princípios dsta mprsa, criar objtivos stratégicos planos d ação. Sndo assim, nst trabalho podm sr idntificadas todas as variávis qu xistm dntro da organização, sus problmas, suas vantagns sobr o mrcado grand potncial dsta mprsa qu crsc significativamnt a cada ano, consqüntmnt podrá fazr uso d planjamnto stratégico aqui proposto crscr d forma sustntávl quilibrada. Palavras-chav: Planjamnto. Estratégia. S.W.O.T. Planos d ação. 1 INTRODUÇÃO Com a globalização, as organizaçõs ncssitam conduzir as suas atividads d manira otimizada para s mantrm comptitivas m um mrcado qu s aprsnta cada vz mais dinâmico. Mudanças d naturza tcnológica, conômica, social política dircionam os lidrs organizacionais ao aprimoramnto constant nos procssos na qual é grido sus ngócios. Sndo assim, o planjamnto stratégico pod s aprsntar como uma important frramnta d gstão. O planjamnto stratégico dstina-s a orintar as mprsas a um trajto qu lh traga rsultados positivos, pois sta frramnta aprsnta-s como uma opção para qu a mprsa conhça o su ngócio o mrcado ond stá insrido, administrando as suas fraquzas d forma a liminar/adquar, fortalcr os sus pontos forts para s tornar cada vz mais comptitiva. O planjamnto stratégico não dv sr considrado apnas uma 1 Profssora Orintadora: Mstr m Administração pla Univrsidad Fdral d Santa Catarina (UFSC). 2 Graduando m Administração Gral plo Instituto Blumnauns d Ensino Suprior (IBES SOCIESC).

2 afirmação das aspiraçõs d uma mprsa, pois inclui também o qu dv sr fito para 332 transformar ssas aspiraçõs m ralidad. Aprsnta-s nst cnário a Editora Gráfica Odorizzi Ltda, qu atualmnt não possui um planjamnto stratégico formalizado, ncssitando fazr uso dsta important frramnta d gstão. Fundada m 1970 por Américo Saulita Odorizzi, a Editora Gráfica Odorizzi Ltda iniciou suas atividads como prstadora d srviços d ncadrnação d livros. Após sta fas iniciou os invstimntos na ára d imprssão com a aquisição d imprssoras tipográficas forncndo imprssos para cartórios d todo o Brasil, m dtrminado momnto la ingrssou m um novo procsso com a imprssão por mio do sistma off-st, qu divrsificou ainda mais o su tipo d trabalho, tornando-a mais comptitiva. Nst contxto, sta psquisa srá d grand importância social, pois a proposta d planjamnto stratégico na organização studada trará novas idéias concitos aos profissionais qu atuam na ára administrativa, qu podrão usufruir dst conhcimnto no progrsso mprsarial. Também podrá srvir d bas cintifica para futuras psquisas rlacionadas ao planjamnto stratégico nas organizaçõs. O studo ralizado proporcionará ao psquisador maior conhcimnto m divrsos aspctos sobr os procssos qu nvolvm um Planjamnto Estratégico as dfiniçõs d como raliza-lo na prática, com isso spra-s auxiliar os gstors dsta organização na implmntação dsta frramnta d forma ficaz, com o intuito d trazr mlhorias continuas nas áras almjadas. 2 DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA DE PESQUISA A Editora Gráfica Odorizzi Ltda, por não possuir um planjamnto stratégico formalizado, pod star sofrndo prdas dcorrnts do não uso dsta frramnta, como a falta d conhcimnto do mrcado ond s stá insrido, d suas forças fraquzas, aond la qur chgar como chgar, principalmnt do su próprio ngócio. Sndo assim, a Editora Gráfica Odorizzi Ltda stá disposta a utilizar as informaçõs dcorrnts dsta psquisa, com o objtivo d aprimorar conhcr a organização mais a fundo dsta forma podr planjar mais assrtivamnt os sus procssos. 2.1 QUESTÃO-PROBLEMA Quais as açõs qu podm proporcionar otimização d rsultados positivos, na qual

3 possam vir a sr utilizadas pla Editora Gráfica Odorizzi Ltda, mdiant proposta d 333 implmntação do planjamnto stratégico? 2.2 PRESSUPOSTOS A Editora Gráfica Odorizzi Ltda pod utilizar-s do planjamnto stratégico para: a) conhcr o mrcado ond la stá insrida a sua posição, qu pod vir a auxiliar na tomada d dcisõs. b) a dfinição clara da visão da missão da mprsa pod trazr o ntndimnto do ngócio para todos os colaboradors. c) o stablcimnto d planos d ação pod proporcionar um control sistmático das atividads. 3 OBJETIVOS São objtivos dsta psquisa: 3.1 OBJETIVO GERAL Dscrvr açõs para a organização Editora Gráfica Odorizzi Ltda, mdiant proposta d planjamnto stratégico. 3.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS Lvantar anális s.w.o.t. da organização Editora Gráfica Odorizzi Ltda; idntificar o posicionamnto d mrcado da organização Editora Gráfica Odorizzi Ltda, através da anális da concorrência; propor planos d ação para a organização Editora Gráfica Odorizzi Ltda, para formalizar um rotiro d planjamnto stratégico. 4 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO D acordo com Olivira (2006) o planjamnto stratégico é o procsso administrativo qu proporciona sustntação mrcadológica para stablcr a mlhor dirção a sr sguida

4 pla organização, fazndo com qu la atu d manira inovadora difrnciada. 334 Já o autor Ansoff (1993, p.38) acrdita qu o futuro possa sr prvisto a partir da xtrapolação do crscimnto passado dscrv da sguint forma: No planjamnto stratégico, não s spra qu o futuro rprsnt um progrsso m rlação ao passado, tampouco s acrdita qu sja xtrapolávl. Portanto, como primira mdida, é fita uma anális das prspctivas da mprsa, idntificando-s tndências, amaças, oportunidads, as dscontinuidads singulars qu possam altrar as tndências históricas. O planjamnto é uma atividad continuada m qu os grnts são capazs d ralizar m locais confusos m mio a trabalhos xignts. Schrmrhorn (1996), ainda dscrv qu os grnts agm não só usando a abordagm dscrita antriormnt, mas também usando julgamnto intuição. E com muita frqüência fazm isto com a participação nvolvimnto d outros, m todas as tapas do procsso d planjamnto. 4.1 FASES DA ELABORAÇÃO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Olivira (1991, p. 50), ilustra as fass d laboração do planjamnto stratégico: DIAGNÓSTICO ESTRATÉGICO MISSÃO DA EMPRESA CONTROLE E AVALIAÇÃO INSTRUMENTOS PRESCRITIVOS E QUANTITATIVOS Figura 1 Fass do Planjamnto Estratégico Font: Adaptado d Olivira (1991) 5 ANÁLISE S.W.O.T. O objtivo da anális S.W.O.T. é possibilitar qu a mprsa s posicion para tirar vantagm d dtrminadas oportunidads do ambint vitar ou minimizar as amaças

5 ambintais. Dsta forma, Wright, t al (2000), afirma qu com isso a mprsa tnta nfatizar 335 sus pontos forts modrar o impacto d sus pontos fracos. Dornlas (2001) complmnta qu s dv utilizar o bom snso para slcionar aquls fators qu ralmnt são importants para a organização, não adianta numrar vários fators não sabr o qu fazr com os msmos, dsta forma dpois d numrados transportam-s para a matriz SW.O.T. 5.1 OS 10 MS DO AUTODIAGNÓSTICO Uma vz listados os pontos forts, fracos mlhorar, os msmos dvém sr classificados m grands catgorias, para facilitar uma sínts, uma visão ampla da organização. Nst sntido, Costa (2005) dscrv qu para struturar organizar os pontos lvantados, nós criamos uma catgoria mnmônica, aqui dscrita como 10 Ms do autodiagnóstico, com dz áras intrnas, todas comçadas com a ltra M. Sndo las: Managmnt, Mão-d-obra, Máquinas, Markting, Matriais, Mio ambint, Mio físico, Mnsagns, Métodos, Mony. 5.2 MISSÃO, VALORES E VISÃO Nst ponto dv sr stablcida a razão d sr da organização, bm como su posicionamnto stratégico. Wlch (2005, p.14) aprsnta os valors como sndo: Valors são apnas comportamntos spcíficos, práticos, tão dscritívis qu dixam pouco spaço para a imaginação. As pssoas dvm sr capazs d usa-los como instrumnto d ordm-unida, pois ls são o como da missão, o mio para um fim vncr. Sndo assim, os valors dvém caminhar juntos com a missão da mprsa, nst sntido conform Olivira (1991, p.56) ao rfrir-s a missão dscrv: A missão é a dtrminação do motivo cntral do planjamnto stratégico, ou sja, a dtrminação d ond a mprsa qur ir. Corrspond a um horizont dntro do qual a mprsa atua ou podrá atuar. Salinta-s qu stá missão não stá dirtamnt rlacionada com o statuto social da organização, é, na ralidad, muito mais ampla nvolv inclusiv xpctativas. A dclaração da visão é a dclaração da dirção m qu a organização prtnd sguir,

6 ou ainda o qu la dsja sr. Placoná (2008) considra qu a visão trata-s ainda da 336 prsonalidad carátr da organização, sndo assim, a dclaração d visão d uma organização dvria rfltir as aspiraçõs d suas crnças. 5.4 PROJETOS E PLANOS DE AÇÃO Dpois do stablcimnto dos objtivos, dsafios, stratégias políticas, o ultimo passo do plano prscritivo corrspondo ao stablcimnto postrior administração dos projtos ncssários ao dsnvolvimnto do planjamnto stratégico proposto. O projto pod sr considrado um trabalho com datas d inicio término prviamnt stablcidas, coordnador rsponsávl, rsultado final prdtrminado no qual são alocados os rcursos ncssários ao su dsnvolvimnto. (OLIVEIRA, 1991, p.196). Durant stá tapa xistm os rlatórios informativos sobr os trabalhos xcutados; para finalizar dv-s tr um atstado d avaliação gral. 5.5 ANÁLISE DOS CONCORRENTES Conhcr a concorrência é dvr d qualqur mprnddor qu quira comptir vncr no mrcado. (DORNELAS, 2001, p.146). Conform Dornlas (2001) a importância d uma analis dos principais concorrnts fica vidnt quando a mprsa prcisa stablcr uma stratégia d markting dsta forma conhcr quais altrnativas d produtos/srviços xistm no mrcado ond a sua organização atua, ainda, por qu sus clints alvo optam por outro produto. 5.6 EMPREENDEDORISMO A organização modrna dv struturar-s aprndr a convivr com a mudança, como caos, com a varidad, divrsidad, conflitos paradoxos todos os dilmas consqünts; sgundo Brnardi (2003, p.19), ncssita, portanto d novas abordagns sobrtudo d muita prcpção, intuição flxibilidad, a comçar plo mprnddor. 6 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Conform Gil (1996) a psquisa ralizada foi do tipo psquisa ação, ond os dados

7 foram coltados organizados conform a organização a sr studada, a modalidad d 337 psquisa utilizada nst trabalho foi xploratória, quanto aos procdimntos foi uma psquisa d campo. A psquisa intrna foi ftuada dntro da organização Editora Gráfica Odorizzi, situada m Blumnau (SC), na BR 470, 3130, no bairro Salto do Nort, ond foram ntrvistados o Gstor três colaboradors. Também foi aplicado um qustionário com prguntas fchadas ao Grnt gral para 80 colaboradors dsta organização, além d prguntas informais aos divrsos colaboradors. A psquisa xtrna foi ralizada com os principais concorrnts, através d dados scundários d um qustionário aplicado aos clints dsta organização, sndo qu para os clints foi sdimntado o númro, através d agncias qu trabalham com a Editora Gráfica Odorizzi Ltda, tndo as msmas, grand rprsntatividad dntro do contxto produtivo dsta mprsa, totalizando 11 agncias, ond 27,3% não rspondram, também foi aplicado a 36 clints com maior rprsntatividad dntro do faturamnto da mprsa, além d um qustionário com os 15 principais forncdors dsta mprsa. 7 LEVANTAMENTO DA ANÁLISE S.W.O.T. Para a laboração da anális S.w.o.t., primiramnt buscou-s informaçõs sobr o sgmnto gráfico, objtivando vrificar a posição na qual a Editora Gráfica Odorizzi Ltda s ncontra dntro dst cnário, como sgu: 7.1 PESQUISA DE DADOS SECUNDÁRIOS Conform a Abigraf (2009) o stor gráfico rprsnta 3,71% do total da indústria d transformação, no ano d 2005 a indústria gráfica brasilira acumulou uma rcita d vndas da ordm d R$ 15,84 bilhõs, após sts anos o crscimnto foi constant, como s obsrva no quadro abaixo: Rcita d vndas (m R$ Bi) Ano % variação prcntual 20, X 21, ,0% 21, ,0% Quadro 1 Rcita d vndas Indústria Gráfica Brasilira. Font: Abigraf (2009)

8 338 Nst aspcto tmos a sguint rcita d vndas da Editora Gráfica Odorizzi Ltda: Rcita d vndas (m R$) Ano % m rlação ao ano antrior % variação prcntual , X X , ,25 1, , ,3 1,2 Quadro 2 Rcita d vndas Editora Gráfica Odorizzi Ltda. Font: Odorizzi (2009) Um dos prssupostos ra conhcr o mrcado ond a mprsa stá insrida, nst sntido, obsrva-s qu a mprsa sta acompanhando o crscimnto da indústria nacional, por consqüência também tm as caractrísticas dst mrcado Psquisa com Clints A maioria dos clints conhcm a mprsa a bastant tmpo, fato st positivo m s tratando d parcrias, porém como aspcto ngativo a baixa prospcção d novos clints. Outro fato a sr lvado m considração é o dsconhcimnto por part d alguns clints dos srviços ofrcidos pla mprsa, também rfltindo na não utilização do Wb sit para alocar stas informaçõs, visto qu o msmo também ra dsconhcido por alguns clints. Outra qustão lvantada é qu 34% dos clints qustionados conhcram a mprsa por indicação, isto podrá sr obsrvado na ntrvista com o gstor, nas paginas qu s sguirão, ond o msmo também idntificou qu a mprsa já tm um nom no qual os clints procuram, porém é crto qu isto é uma via d mão dupla, como os clints indicam quando stão contnts o msmo pod ocorrr ao invrso, talvz até m proporçõs maiors caso aja dscontntamnto, dsta forma, cab a mprsa continuar fazndo o mlhor para os sus clints, nst sntido, outra qustão qu torna-s important dstacar é m rlação ao prazo d ntrga, tido para alguns clints como rgular, rprsntando 22%, tornando-s st um índic procupant. D acordo com a psquisa intrna, a Editora Gráfica Odorizzi Ltda por sr uma organização qu consgu ofrcr divrsos produtos aos sus clints, acaba por furar o cronograma d produção, para atndr a dtrminados clints qu não stavam alocados no sistma, ocasionando o atraso m rlação a outros. Nst sntido, cab a organização vrificar m quais aspctos dv havr sta substituição na programação qual o rsultado qu stá s obtndo, rforçando qu xistm prdas m rlação ao clint qu s

9 tornam irrparávis, por tanto dv-s planjar outras formas para minimizar os atrasos 339 dcorrnts dos divrsos problmas xistnts. Sobr os concorrnts, m suma os clints idntificaram qu a Odorizzi s ncontra no msmo nívl da concorrência, fato qu dv sr rvisto, pois o mnor rro pod significar a prda do clint. Em rlação ao atndimnto, obtv-s númros aparntmnt não tão rprsntativos, porém ao s analisar alguns aspctos rlacionados como, por xmplo, o atndimnto tlfônico dscritos no gráfico 31, ond 7% dos clints considravam razoávl o atndimnto da mprsa rlacionarmos com a hora da vrdad (momnto no qual o clint tm o contato inicial com a mprsa) pod-s dizr qu a Odorizzi podrá a tr prdas m rlação a isto. Ao tr m mnt o objtivo da organização qu é crscr 13% ao ano, tndo hoj um faturamnto médio mnsal d um R$ ,00 digamos qu a mprsa vnha a prdr sts 7% d clints qu stão dscontnts com o atndimnto tlfônico qu os msmos rprsntassm st prcntual sobr o faturamnto, tríamos o sguint rsultado gráfico: R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 Crscimnto 13% ao ano Prda d 7% ao ano R$ ,00 R$ ,00 Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 6 Mês 7 Mês 8 Mês 9 Mês 10 Mês 11 Mês 12 Font: Colta d dados (2009) Gráfico 1 Rlação ntr prda ganho. Obsrva-s no rsultado gráfico qu tríamos uma prda significativa m trmos financiros, totalizando crca d R$ ,76 no príodo d doz mss, ou sja, um valor xtrmamnt alto. Valor st qu podria sr invstido m novas tcnologias, mlhoria na qualidad d vida dos funcionários outros invstimntos qu s fizrm ncssários, o qu ralmnt dv sr analisado é qu xistm prdas qu muitas vzs passam dsprcbidas qu somnt a mprsa s da conta quando a prda s torna minnt o rsultado aprsnta-s dsastroso.

10 Psquisa com Colaboradors 340 Os funcionários prcbm qu a mprsa stá crscndo, porém na prcpção do colaborador mais jovm d mprsa, o msmo idntifica qu a Odorizzi stá com a sua produção infrior s comparada há alguns mss atrás, porém na prcpção do colaborador mais antigo, torna-s o invrso. A qualidad foi idntificada por todos como sndo o difrncial, porém novamnt o rcursos humanos foi tido como fraco. Invstir m trinamntos é a chav, sgundo os próprios ntrvistados. Outra qustão curiosa é qu um dos colaboradors idntificou qu m sua visão 80 ou 90% dos funcionários confiam na mprsa, porém, ao vrificarmos a ntrvista com o propritário qu idntifica qu apnas 30% dos colaboradors vstm a camisa, é algo a sr considrado, stá confiança pod vir a sr mlhor trabalhada a fim fazr com qu os colaboradors vistam ralmnt a camisa Psquisa com Forncdors Dias (2006, p.320) ao dscrvr sobr os forncdors: Um dos principais rsponsávis pla ficácia do dpartamnto d compras é o forncdor. Uma boa slção, m qu s caractriz sua qualidad, prazos d ntrga, confiabilidad, sobrtudo prços, é d fundamntal importância para o dsmpnho global. Comnta um dos forncdors: A mprsa X é forncdor d tcidos snt orgulho d tr um clint como vocês. A compradora smpr nos atndu muito bm, portanto qurmos dixar nossos agradcimntos Psquisa com Gstors Para aprofundar as qustõs prtinnts a mprsa aqui studada, laborou-s um qustionário com prguntas fchadas ao grnt gral da mprsa, rprsntada através dos 10 Ms do autodiagnóstico, basado na mtodologia d Costa (2005).

11 341 Mony Managmnt Métodos Mão d Obra Mnsagns Máquinas Mio físico Mio Ambint Matriais Markting 33 Gráfico 2 Situação da mprsa m rlação aos 10 Ms. Font: Colta d dados (2009) Coroas Pontos forts Pontos a mlhorar Pontos fracos Azul Muitos Poucos Nnhum Vrd Alguns Alguns Poucos Amarla Alguns Muitos Alguns Vrmlha Poucos Alguns Alguns Roxa Nnhum Poucos Muitos Quadro 3 Lgnda 10 Ms do autodiagnóstico Font: Adaptado d Costa (2005) Ao analisar os difrnts aspctos qu compõm o quadro organizacional, é comprnsívl qu m dtrminados momntos não sja possívl admitir qu a organização

12 sta com problmas m alguns stors, porém ao assumir o compromisso d implantar a 342 frramnta d planjamnto stratégico a Editora Gráfica odorizzi Ltda, da um passo important para corrigir as falhas saltar a frnt da concorrência m um mrcado tão comptitivo. Ao obsrvar o gráfico (2) os stors d Markting, Maquinas, Mio ambint Mio físico, na prcpção do grnt são os qu stão mlhors dntro da mprsa, porém ao analisar o qustionário (apêndic D) dntro d Markting, o msmo assinalou como sndo ponto a mlhorar a situação da Odorizzi m rlação ao conhcimnto do mrcado dos sus concorrnts, isto vm ao ncontro d Dornlas (2001, p.146) ao dscrvr qu Conhcr a concorrência é dvr d qualqur mprnddor qu quira comptir vncr no mrcado, isto dmonstra qu o grnt prcb qu prcisa star mais atnto ao mrcado sus concorrnts a fim d obtr rsultados para stá organização. Em rlação ao Mio ambint, o msmo também aprsntou como sndo um ponto a mlhorar os aspctos rlacionados a conomia d nrgia, água, tc. O Mio físico é atualmnt um dos pontos forts da odorizzi, pois tm-s um spaço físico amplo com m2 d strutura fisica, dntro dsta strutura o único aspcto a mlhorar, conform o grnt é m rlação a limpza arrumação. Managmnt, dntro do contxto dos 10 Ms o grnt idntificou como sndo bom, porém é crto qu a Editora Gráfica Odorizzi Ltda prcisa mlhorar m vários qusitos, uma vz qu a mprsa não possui gstão stratégica dntro dst contxto, ond podmos citar: Na gstão stratégica a própria dfinição d objtivos mtas não é clara, na gstão opracional é corrto afirmar qu a Odorizzi faz pouco uso d cronogramas para agndar manutnçõs prvntivas, porém su maquinário é amplo divrsificado.. Na gstão d markting dv-s mlhorar principalmnt m rlação ao pós vndas na aprsntação dos srviços ofrcidos por stá mprsa. Outro fator idntificado plo grnt, como sndo a mlhorar foi a gstão d rcursos humanos, isto rflt nas opiniõs grais dos colaboradors, d acordo com os gráficos 44 52, intgração stor com um dos índics d maior dscontntamnto com 21%. Mony, a mprsa conform s pod constatar nos gráfico 2, tm aumntado constantmnt o su faturamnto, nst sntido a Odorizzi consgu mantr as suas obrigaçõs m dia, tanto para com sus colaboradors, como para os sus forncdors. Métodos: d acordo com o qu foi psquisado, o grnt prcb alguns pontos a mlhorar nst qusito, principalmnt m s tratando d procssos produtivos administrativos. Sndo assim, a Editora Gráfica Odorizzi Ltda pod vir a criar normas

13 procdimntos com o intuito d mlhorar os sus procssos. 343 Mnsagns: no gral a opinião do grnt dscrv qu a comunicação é um ponto a sr mlhorado, pod-s vrificar qu isto vm ao ncontro dos gráficos 50 51, qu na visão dos colaboradors obtv um prcntual baixo d satisfação. Sobr a Mão d obra, m sua opinião também dv sr mlhorada, idntificou como sndo um ponto fraco o trinamnto da msma. É intrssant ao compararmos a opinião do grnt com a dos colaboradors ond 15% gostariam qu a mprsa ofrcss trinamnto, aliado a outros srviços. Matriais: d acordo com o grnt st é o grand ponto a mlhorar da Odorizzi, o msmo idntificou vários itns qu stão prcisando sr mlhorados, como a spcificação da matéria prima insumos, uma mlhor avaliação dos forncdors uma padronização das matérias primas. Em trmos grais pod-s dizr qu a organização na visão do grnt gral, aprsnta star bm, dvndo apnas mlhorar alguns aspctos afim d ralmnt alcançar a xclência Entrvista com o propritário Ao vrificar a prcpção do propritário m rlação aos divrsos aspctos, têm-s os sguints rsultados: O propritário ao iniciar o mprndimnto tv qu s ddicar xaustivamnt, apsar das dificuldads a força d vontad a fé foram dtrminants para alcançar o sucsso. A gstão l considra como sndo um ponto, porém m contra partida l idntifica como ponto fraco os colaboradors, vidnciando qu somnt 30% vstm a camisa. Sndo assim, Brnardi (2003) idntifica qu uma organização, sm pssoas motivadas com ambint d trabalho dsfavorávl, tm dficiência stratégica vital. Pssoas na organização sm dsnvolvimnto pssoal profissional também rprsntam problmas. È crítico qu o mprnddor-grnt mantnha uma gstão voltada a dsnvolvr pssoas, com altas xpctativas d dsmpnho dsafios profissionais Psquisa Informal Para consguir um maior númro d informaçõs rfrnts aos pontos importants da Editora Gráfica Odorizzi Ltda, alguns colaboradors d divrsos stors da mprsa foram qustionados sobr o modo no qual trabalham os aspctos qu podm sr mlhorados, nst

14 sntido, alguns pontos foram idntificados como importants: 344 Criar no stor d vndas um cronograma d runiõs mnsal anual, para vrificar o dsmpnho dos rprsntants xpctativas para os mês/ano sguint; Mlhorar a comunicação ntr vnddors mprsa para vrificar o qu o mrcado xig m trmos d máquinas dmais srviços; Criar stratégias para os mss com baixas vndas; Visita do grnt d vndas junto com os rprsntants; Criar stratégias d prço difrnciadas as ncssidads do mrcado; Vrificação do prvisto nos orçamntos com o ralizado no frt, criar orçamntos ntr xpdição orçamnto a fim d rduzir custos tr maior control d rsultados; E outras informaçõs qu já haviam sido coltadas nos qustionários ntrvistas junto aos colaboradors propritários da organização IDENTIFICAÇÃO DE POSICIONAMENTO DE MERCADO ATRAVÉS DA ANÁLISE DA CONCORRÊNCIA Para analis da concorrência um aspcto a sr considrado é o numro d mprsas do msmo sgmnto, sndo qu m 2007, conform a Abigraf (2009) o stor já congrga mais d 19 mil mprsas 185,4 mil funcionários a nívl Brasil. No Estado d Santa Catarina, d acordo com Abigraf (2009) a indústria gráfica mprga colaboradors, m mprsas (2007), com uma média d 9,1 funcionários por stablcimnto. D acordo com a Abigraf (2009, p.18) O valor da produção industrial gráfica catarinns foi d R$ 926,11 milhõs, m Nst contxto, após analisados todos sts aspctos qu compõm o cnário organizacional, tmos a dscrição das quatro principais concorrnts: Tabla comparativa m rlação à concorrência Odorizzi Concorrnt Concorrnt Concorrnt Concorrnt A B C D Divrsificação = = = = = dos srviços Prço = < > = > Prazo = = = = =

15 Atndimnto > < = < = 345 Parqu gráfico = < = < > Expriência na ára = = < > < Localização > < > < > Comunicação > < > < < Lgndas: > mnor < maior = igual Quadro 4 Anális comparativa m rlação a concorrência. Font: Colta d dados (2009) 12.1 ANÁLISE S.W.O.T. Para rspondr a um dos objtivos spcíficos dsta proposta, tm-s a anális S.W.O.T., visando idntificar os pontos forts, fracos, oportunidads amaças da organização, aprsnta-s a sguir os atributos idntificados com a psquisa: Oportunidads: Ampliar o atndimnto na rgião d Joinvill; Firas grands vntos da rgião; Novas stratégias d markting; Amaças: Msmo nívl da concorrência; Cris financira mundial; Prço praticado plas concorrnts Confiança dmasiada nos grnts; Novos ntrants no mrcado; Podr d barganha dos forncdors; Gráficas digitais, substituição d produtos; Pontos Forts: Idôna; Divrsificação d clints; Divrsificação d srviços; Tmpo d atuação no mrcado; Escolaridad dos colaboradors; Rlacionamnto dntro dos stors; Pontualidad no pagamnto dos Pontos Fracos: Não dfin d forma clara sus objtivos mtas. Markting (atndimnto); Atraso nas ntrgas; Comunicação intrna Intgração ao ambint; Stors m dsquilíbrio;

16 funcionários; Sridad; Infra-strutura; Forma parcrias; Nívl salarial dos colaboradors quilibrado; Qualidad d imprssão; Lidrança; Rlacionamnto ntr os colaboradors; Cartira d clints forncdors; Confiabilidad d clints, forncdors colaboradors; Maquinas; Equip técnica; Grnts do stor com xpriência; Prcntual d rros pquno; Pagamnto d obrigaçõs; Falta d atndimnto imdiato; Gstão d rcursos humanos; Avaliação d forncdors; Gstão d compras; Control d insumos; Políticas d compras (qualidad da matéria prima); Políticas normas intrnas; Tmpo d ngociação com os forncdors; Informação intrna; Bnfícios; Política d vndas; Trinamnto d pssoal; Gstor não acrditar qu os colaboradors stão compromtidos; Padronização; Fluxo d caixa; Acompanhamnto d rsultados financiros; Disponibilidad financira; Conhcimnto d alguns profissionais intrnos; 346 Quadro 5 Anális S.W.O.T. Font: Colta d dados (2009) 12.3 MISSÃO E VISÃO Para rspondr ao prssuposto B, dsta proposta qu ra dfinir a missão da mprsa, tm-s qu para dfinir a missão é important ntnd qu dv-s dixar claro qual é a ralidad hoj da Editora Gráfica Odorizzi Ltda qual é o motivo cntral d sua xistência, sndo assim, Crto (1993, p. 76) stablc qu a Missão Organizacional é a proposta para a qual, uma organização xist.

17 Nst contxto a missão da Odorizzi é: 347 Atndr com xclência os nossos clints, produzindo imprssos d qualidad alcançando rsultado para sta mprsa. Para o prssuposto B, dfinir d forma clara a visão da Odorizzi, aprsnta-s d acordo com Placoná (2008, p.01) ond afirma qu: A dclaração da visão não stablc ou xprssa fins quantitativos, mas provê motivação, uma dirção gral, uma imagm uma filosofia qu guia a mprsa. Além d apontar um caminho para o futuro, faz com qu você quira chgar lá. Dv rprsntar as maiors spranças sonhos d sua mprsa. Nst sntido, a visão da Editora Gráfica Odorizzi Ltda aprsnta-s como sndo: Sr rconhcida como rfrncial m qualidad m toda a Santa Catarina OBJETIVOS ESTRATÉGICOS Os objtivos stratégicos foram dsnvolvidos a partir da anális S.w.o.t. da organização, também foram analisados outros aspctos qu compõm o quadro organizacional, como as rlaçõs xistnts ntr os stors as falhas na programação gstão. Gstão d markting / vndas prospctar novos clints mlhorar o markting da mprsa; avaliar comunicação ntr rprsntants mprsa rsultados mnsal anual d vndas da organização. intgralizar junto aos clints. aumntar as vndas m príodos ociosos. Gstão d rcursos humanos: socializar os novos colaboradors a cultura da organização mlhorar a qualificação profissional o ambint intrno; criar cartilha com normas da mprsa políticas d cargos salários stablcidas; auxiliar na comunicação intrna; Gstão d compras; Avaliação administrativa: criar planilha d prços, lucros prjuízos (caso ocorram) aprimorar a ngociação para rduzir custos; Avaliação técnica: Elaborar políticas d avaliação classificação d forncdors matérias primas aprimorar

18 a parcria. 348 Gstão financira; Control d custos; gstão financira (control financiro). Gral: aprsntação formal para os gstors colaboradors do plano stratégico da mprsa; mlhorar a qualidad; rduzir tmpo d rspostas as solicitaçõs; aprimorar a gstão PLANOS DE AÇÃO Dando continuidad a proposta d planjamnto stratégico rspondndo ao prssuposto C, aprsnta-s os planos d ação, sndo assim, os planos d ação é uma das tapas finais do planjamnto stratégico, dv buscar colocar m prática todas as açõs ncssárias visando atingir os objtivos propostos. Planos d ação Rcursos Humanos Objtivos stratégicos Açõs stratégicas Rsponsávl Inicio Fim Orçamnto Control avaliação Socializar os Trinamnto Clélia 01/02/10 01/02/10 R$ 232,00 novos xtrno dos Soma colaboradors colaboradors Cursos a cultura da organização buscar harmonia ntr os stors. Consultoria mlhorar a Trinamnto Clélia 03/02/10 03/02/10 R$ 505,80 Eftivação do qualificação xtrno dos Soma curso. profissional o colaboradors Cursos ambint intrno. Aprimorar novos lidrs. Consultoria vrificar cursos Clélia 01/02/10 05/02/10 Sm custo Com a vrificação disponívis no imdiato dos cursos mrcado; xistnts

19 aplicação d um 349 cronograma d ralização rsponsávl do Clélia 08/02/10 22/12/10 Sm custo stor com intragir os colaboradors diariamnt; da mprsa; Intragir aos junto Clélia 01/02/10 30/06/10 Sm custo Ação diária colaboradors Aprsntar valors principios mprsa; os da Jocaffi 01/02/10 24/02/10 Sm custo Runião com os colaboradors Criar cartilha Criar grupo d Clélia 01/02/10 24/02/10 Sm custo Coma ftivação com normas da pssoas para do grupo mprsa laborar a políticas d cartilha cargos Criar normas Clélia 01/02/10 24/02/10 Sm custo salários intrnas; stablcidas. Criar cartilha d Clélia 01/02/10 30/06/10 Sm custo Runião mnsal cargos salários para vrificação do projto Auxiliar na vrificar Clélia- 08/02/10 15/02/10 Sm custo Com a criação da comunicação colaboradors Jocaffi quip intrna qu auxiliar possam no

20 dsnvolvimnto 350 do informativo bimnstral; Quadro 6 Planos d ação R.H. Font: Colta d dados (2009) Planos d ação Vndas & Markting Objtivos stratégicos Intgralizar Açõs stratégicas Rprsntant Rsponsávl Inicio Fim Orçamnto Control avaliação Fabio Souza 11/01/10 29/02/10 Sm custo Através do junto aos Grnt d rlatório clints Vndas, agndar mnsal d visitas xtrnas visitas aos clints; Avaliar Agndar data Fabio Souza 11/01/10 29/02/10 Sm custo Através do comunicação mnsal para cumprimnto ntr runião com das datas das rprsntants rprsntants; runiõs da mprsa rsultados avaliação rsultado do do mnsal príodo anual d Agndar data Fabio Souza 18/01/10 26/01/10 Sm custo Com o vndas da anual para cumprimnto organização convnção d da data vndas prvista avaliação dos rsultados do ano prspctivas para o próximo ano; Runião com Fabio Souza 18/01/10 26/01/10 Sm custo Com a

21 rprsntants compilação das 351 para mlhorar a comunicação ntr mprsa informaçõs adquiridas nas runiõs; rprsntants. Aumntar as Consulta junto Fabio Souza 18/01/10 26/01/10 Sm custo Com o vndas m aos rprsntants aumnto do tmpos rprsntants o faturamnto ociosos qu o clint ncssita analiss do mrcado; Rdução d Fabio Souza 18/01/10 26/01/10 Sm custo Com o númro prço prço imdiato d trabalhos difrnciado (stablcr critérios); fchados dntro critérios; dsts Prospctar Estudar novos Fabio Souza 14/12/09 14/02/10 Sm custo Rlatório novos clints mrcados rprsntants; mnsal mlhorar o clints; contando o markting da aumnto d mprsa. faturamnto os novos clints; Contratando Fabio Souza 02/02/10 26/02/10 R$ Aumnto d profissional Clélia 1.100,00 + clints qualificado ncargos qualidad no xtrnamnt ou sociais. atndimnto; promoção intrna; Criar novo visual do sit junto a mprsa Fabio Souza; 01/02/10 26/02/10 A dfinir Com a criação dos srviços onlin;

22 dsnvolvdora 352 do srviço; Criar prfil nos Patrick, Fabio 01/02/10 03/03/10 Sm custo Com a criação sits d Souza dos srviços on- rlacionamnto lin; (Twittr, Orkut, tc.). Vrificar divrsos os Fabio Souza; 01/02/10 03/03/10 A dfinir produtos alocar amostras no sit; Divulgar os Fabio Souza; 01/02/10 03/03/10 Sm custo srviços atravs d midias nas rgiõs tm-s ond mnos vndas. Quadro 7 Planos d ação Vndas Font: Colta d dados (2009) Planos d ação Compras Objtivos stratégicos Açõs stratégicas Rsponsávl Inicio Fim Orçamnto Control avaliação Criar Trinamnto Jocaffi 28/11/09 12/12/09 R$ 487,50 Eftivação do planilha d xtrno dos (Soma curso. prços, colaboradors sobr Cursos lucros ngociação m Consultoria) prjuízos compras.

23 (caso MACHADO, Mirian Magnus; BREDA, Jocaffi Albino. Proposta d planjamnto stratégico para a Editora Rlatório d Juraci 04/02/10 31/03/10 Sm custo Rlatório 353 ocorram), avaliação ntr smanal. aprimorar a prvisto ralizado, ngociação comparativo ntr para rduzir orçado ralizado. custos. Avaliar os forncdors Juraci 04/02/10 31/03/10 Sm custo Rlatório mnsal comparando os rsultados tr maior control. Elaborar Ralizar runião Juraci 04/02/10 31/03/10 Sm custo Agndar políticas d bimstral com runiõs com os avaliação forncdors a fim principais classificação d idntificar as forncdors d dificuladads forncdors stablcr critérios matérias junto aos primas forncdors. aprimorar a Criar políticas d Juraci 04/02/10 03/05/10 Sm custo Rlatório parcria. ntrgas, prazos mnsal stablcidos cumpridos. (programação) Informar númro do Juraci & 04/02/10 03/05/10 Sm custo Com a nosso pdido na nota Clocir Fachi vrificação do do forncdor a fim pdido no d mlhorar a rcbimnto informação intrna. (almoxarifado). Quadro 8 Planos d ação Compras Font: Colta d dados (2009)

24 Planos d ação Financiro MACHADO, Mirian Magnus; BREDA, Jocaffi Albino. Proposta d planjamnto stratégico para a Editora Objtivos stratégicos Açõs stratégicas Rsponsávl Inicio Fim Orçamnto Control avaliação Control d Stor d orçamnto Antônio, 01/02/10 26/02/10 Sm custo Com o custos spcificar d forma Amarildo rlatório clara o valor do frt no pdido stor d valnéria; mnsal comparativo Expdição fazr a ngociação junto aos forncdors dsnvolvr rlatório ntr orçado ralizado; Stor d Ppcp Vandrli 01/02/10 26/02/10 Sm custo Através do produção coltar Jocaffi rsultado informaçõs do obtido com o orçamnto ngociar junto aos forncdors rlatório mnsal; os rspctivos valors dsnvolvr rlatório mnsal; Gstão - Criar rlatório d 01/02/10 26/02/10 Sm custo financira (Control Financiro) projção d caixa; planjar os 01/02/10 26/02/10 Sm custo mpréstimos financiamntos (control d caixa);maximizar rsultados com as sobras d caixa (aplicaçõs); Rlatorio avaliando o 01/02/10 26/02/10 Sm custo impacto financiro (variação nos custos); Rlatório d impacto 01/02/10 26/02/10 Sm custo financiro com a dmanda d vndas 354

25 355 Quadro 9 Planos d ação Financiro Font: Colta d dados (2009) Planos d ação Gral Objtivos stratégicos Açõs stratégicas Aprsntação Runião com os formal para os propritários gstors colaboradors colaboradors para a do plano aprsntação dos stratégico da objtivos planos mprsa d ação propostos Mlhorar qualidad a Ralizar trinamnto intrno dos colaboradors Ralizar trinamnto xtrno dos colaboradors, implmntação do 5S. Vrificar as comptências dos colaboradors aprfiçoa-las Rduzir tmpo Vrificar os d rspostas as solicitaçõs pdidos qu stão a maior tmpo na mprsa raliza-los o mais Rsponsávl Inicio Fim Orçamnto Control avaliação Jocaffi 01/12/09 01/12/09 Sm custo Jocaffi, 08/02/10 26/02/10 Sm custo Através da Patrick rdução d rros Vandrli dos stors. Jocaffi 09/02/10 14/02/10 Colocando m Soma Cursos prática a mtodologia Consultoria Evaldina, 10/02/10 08/03/10 Sm custo Com a rdução Carmn d dvoluçõs Landro. não conformidads Antônio 01/02/10 26/02/10 Sm custo Com a rdução Amarildo d rclamaçõs dos rprsntants clints

26 brv possívl. 356 (orçamnto). Rspondr o mais Antônio 01/02/10 26/02/10 Sm custo Com a rdução brv possívl os Amarildo d rclamaçõs -mails; dos rprsntants clints Dtrminar Vrificar Jocaffi, 02/12/10 02/12/10 Vrificar psquisa intrna xtrna (rotiro stratégico). focos d rsultado dos Fabio Souza. atndimnto qustionários aplicados aos colaboradors clints; Vrificar quais Jocaffi 02/12/10 02/12/10 Sm custo Vrificar maquinas Fabio Souza psquisa intrna procssos são xtrna (prazo) ncssários. maquinas avaliar (procssos vlocidads). Aprimorara Ralizar runião Jocaffi 01/12/09 01/12/09 Sm custo gstão com gstors para inicial aprsntação do modlo Kaizn d administrar. Quadro 10 Planos d ação - Gral Font: Colta d dados (2009) 13 CONSIDERAÇÕES FINAIS A finalização dst trabalho vm ao ncontro da proposta aqui aprsntada qu tm como objtivo aprsntar um rotiro formal d planjamnto stratégico para a Editora Gráfica Odorizzi Ltda. Est rotiro objtiva contribuir para qu a mprsa possa dar inicio a

27 açõs stratégicas qu vnham a assgurar um novo dircionamnto stratégico para a 357 organização. Nst sntido, prcb-s qu a mprsa s ncontra rlativamnt bm, ncssitando apnas rvr algumas qustõs aprimorar-s, tornando-s ncssário a Odorizzi agir corrigir os problmas aqui aprsntados, dando prioridad nas qustõs qu são gravs dvém sr corrigidas com urgência, principalmnt m rlação aos stors ditorial d rcursos humanos, visto qu intrnamnt são os mais problmáticos. Sobr o primiro prssuposto qu ra conhcr o mrcado ond a mprsa stá insrida a sua posição, qu pod vir a auxiliar na tomada d dcisõs, d acordo com a psquisa ao s obsrvar os dados scundários sobr a indústria gráfica nacional a própria colta d informaçõs junto aos clints, forncdors, tm-s qu a Odorizzi s ncontra no msmo nívl das concorrnts por consqüência ofrc srviços similars, sndo qu s ncontra m uma posição d igual para igual frnt ao mrcado, cab apnas a mprsa tomar dcisõs a fim d saltar a frnt dos concorrnts. Outro prssuposto qu s confirmou é sobr a dfinição clara da visão da missão da mprsa pod trazr o ntndimnto do ngócio para todos os colaboradors, por tanto a mprsa dfiniu a sua missão visão, bastando apnas dclarar d forma clara ampla a todos os colaboradors sguir aquilo no qual la s propôs a fazr. Quanto ao prssuposto qu aprsntava qu o stablcimnto d planos d ação pod proporcionar um control sistmático das atividads, também s confirmou, pois ao dsnvolvr os planos d ação por consqüência tm-s maior control daquilo qu sta sndo planjado. Com rlação ao objtivo gral dssa psquisa, qu é dscrvr açõs para a organização Editora Gráfica Odorizzi Ltda, mdiant proposta d planjamnto stratégico, pod-s concluir qu st objtivo foi atingido ao vrificarmos os divrsos aspctos qu compõm sta analis stratégica, os planos d açõs aqui propostos para os divrsos stors da mprsa confirmam st objtivo. Sobr o primiro objtivo spcifico qu é lvantar anális s.w.o.t. da organização Editora Gráfica Odorizzi Ltda, tm-s o rsultado como positivo, pois a anális foi ralizada aprsntou os divrsos pontos m rlação a mprsa, sus pontos fracos,forts, suas oportunidads amaças, conform visualizadas no quadro 8. Quanto ao objtivo d idntificar o posicionamnto d mrcado da organização Editora Gráfica Odorizzi Ltda, através da anális da concorrência, também foi concrtizado, ao vrificar-s o cnário nacional, catarinns blumnauns, buscando informaçõs

28 prtinnts ao stor, como: númro d mprsas, prfil dos colaboradors, faturamnto 358 crscimnto da indústria, além é claro da anális dirta dos principais concorrnts, aqui idntificados como sndo quatro, todos do Estado d Santa Catarina. Em rlação ao objtivo d propor planos d ação para a organização Editora Gráfica Odorizzi Ltda, para formalizar um rotiro d planjamnto stratégico, st também s ralizou, conform s aprsnta nos quadros 10, 11, 12, 13,14 15, sndo qu os planos têm como objtivo maior minimizar as prdas dcorrnts do não uso da frramnta d planjamnto stratégico, por consqüência ajudar a mprsa a mudar alguns aspctos no qual la ainda s ncontra falha. Sndo assim, para a Editora Gráfica Odorizzi Ltda rcomnda-s qu ao iniciar o planjamnto a mprsa faça runiõs priódicas com os lidrs com todos os colaboradors a fim d mostrar os rsultados fazr com qu a organização como um todo trabalh rspitando sus valors missão principalmnt caminh m busca d sua visão, também dv criar políticas intrnas da qualidad a fim d ftivar a sua visão. Cab ainda a mprsa vrificar a possibilidad d implmntação do modlo Kaizn d administração, modlo st qu prisma pla mlhoria da qualidad. Acrdito qu a conclusão dst trabalho trará a organização um rsultado positivo, visto qu, a proposta d planjamnto stratégico podrá conduzir a mprsa a um novo patamar, conduzira a organização ao novo rumo, qu sja positivo promissor. Dsta forma sugr-s ainda qu a mprsa raliz novas psquisas, sja através d trabalhos acadêmicos, ou através d consultoria, objtivando fazr com qu a Odorizzi acompanh as tndências do mrcado salt a frnt dos concorrnts. Finaliza-s stá psquisa tndo a consciência do dvr cumprido sabndo qu dvo smpr buscar crscr como profissional sr humano a fim d construir um Brasil mlhor para todos nós. ABSTRACT Th organization Odorizzi Company and Graphics Ltd., dspit bing a long tim on th markt do not us stratgic planning as a managmnt tool. Thus, th qustion has arisn problm, as: What ar th actions that can provid optimization of positiv rsults, which may b usd by th Odorizzi Company and Graphics Ltd., a proposal to implmnt th stratgic plan? With th proposal dvlopd hr aimd to idntify th strngths, waknsss, opportunitis, thrats, dfining mission, vision, valus, objctivs and targts in ordr to gt this company to gain advantags ovr th comptition and to minimiz thir problms affairs. To gathr th information ncssary, scondary data wr collctd, prpard and qustionnairs to customrs, supplirs and mploys, as wll as intrviws and informal convrsations with th ownr and staff of this organization. In this sns, w can dvlop a

29 S.W.O.T. analysis of th organization and propos plans of action for th organization to optimiz thir procsss and corrct its flaws. Thus, in this work may b idntifid all th variabls that xist within th organization, its problms, its advantags ovr th markt and grat potntial of this company that is growing significantly ach yar and consquntly may mak us of stratgic planning hr proposd to grow in a sustainabl and balancd. 359 Kywords: Planning. Stratgy. S.W.O.T. Action plans REFERÊNCIAS ABIGRAF, Rgional do Estado d São Paulo. 13º Anuário Brasiliro da Indústria Gráfica São Paulo: Gramani, ANSOFF, H. Igor; MCDONELL, Edward J. Implantando a Administração Estratégica. 2.d. São Paulo: Atlas, BERNARDI, Luiz Antonio, Manual do Emprnddorismo Gstão: Fundamntos, Estratégias Dinâmicas. São Paulo: Atlas, CERTO, Samul C; PETER, J. Paul. Administração Estratégica: Planjamnto Implantação da Estratégia. São Paulo: Parson, COSTA, Elizr Arants Da. Gstão Estratégica. 5 d. São Paulo: Saraiva, DIAS, Marco Aurélio P. Administração d Matriais. Princípios, Concitos Gstão. 5. d. São Paulo: Atlas, DORNELAS, José Carlos Assis. Emprnddorismo: Transformando idéias m ngócios. Rio d Janiro: Elsvir, OLIVEIRA, Djalma d Pinho Rbouças d. Planjamnto Estratégico. Concitos. Mtodologia. Práticas. 5.d. São Paulo: Atlas, 1991 OLIVEIRA, Djalma d Pinho Rbouças d. Planjamnto Estratégico. Concitos. Mtodológicos Práticas. 22.d. São Paulo: Atlas, 2006 GIL, Antonio Carlos. Projtos d Psquisa. São Paulo: Atlas 1996.

30 360 LAKATOS, Eva Maria. Sociologia da Administração. 1. d. São Paulo: Atlas, PLACONÁ, João. Planjamnto Estratégico. Disponívl m:< m: 23 d Mai WELCH, J. Paixão Por Vncr. 7.d. Rio d Janiro: Elsvir, WRIGHT, Ptr L. KROLL, Mark J. PARNELL, John. Administração Estratégica. Concitos. São Paulo: Atlas, A Odorizzi. Disponívl m: < >Acsso m: 11 d Ago

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 1. ÁREA DO CONHECIMENTO CIÊNCIAS HUMANAS: PSICOLOGIA 2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 3. JUSTIFICATIVA: Prspctivas no Mrcado Amazonns: A cidad d Manaus possui

Leia mais

As Abordagens do Lean Seis Sigma

As Abordagens do Lean Seis Sigma As Abordagns do Lan Sis Julho/2010 Por: Márcio Abraham (mabraham@stcnt..br) Dirtor Prsidnt Doutor m Engnharia d Produção pla Escola Politécnica da Univrsidad d São Paulo, ond lcionou por 10 anos. Mastr

Leia mais

A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO?

A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO? A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO? Luís Augusto Chavs Frir, UNIOESTE 01. Introdução. Esta é uma psquisa introdutória qu foi concrtizada como um studo piloto d campo,

Leia mais

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício OFICINA 9-2ºSmntr / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Profssors: Edu Vicnt / Gabrila / Ulício 1. (Enm 2012) As curvas d ofrta d dmanda d um produto rprsntam, rspctivamnt, as quantidads qu vnddors

Leia mais

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO 8 Expriência n 1 Lvantamnto da Curva Caractrística da Bomba Cntrífuga Radial HERO 1. Objtivo: A prsnt xpriência tm por objtivo a familiarização do aluno com o lvantamnto d uma CCB (Curva Caractrística

Leia mais

Atitudes Sociolinguísticas em cidades de fronteira: o caso de Bernardo de Irigoyen. Célia Niescoriuk Grad/UEPG. Valeska Gracioso Carlos UEPG.

Atitudes Sociolinguísticas em cidades de fronteira: o caso de Bernardo de Irigoyen. Célia Niescoriuk Grad/UEPG. Valeska Gracioso Carlos UEPG. Atituds Sociolinguísticas m cidads d frontira: o caso d Brnardo d Irigoyn. Célia Niscoriuk Grad/UEPG. Valska Gracioso Carlos UEPG. 1. Introdução: O Brasil Argntina fazm frontira m crca d 1240 km dsd sua

Leia mais

Empreendedorismo e Empregabilidade PE04/V01

Empreendedorismo e Empregabilidade PE04/V01 1 APROVAÇÃO DO DOCUMENTO Rsponsávl plo Procsso Validação Função Nom Razão para a nova vrsão Coord. CTCO José Pirs dos Ris Não - vrsão inicial Pró-Prsidnt para a Qualidad João Lal Aprovação Prsidnt IPBja

Leia mais

Empresa Elétrica Bragantina S.A

Empresa Elétrica Bragantina S.A Emprsa Elétrica Bragantina S.A Programa Anual d Psquisa Dsnvolvimnto - P&D Ciclo 2006-2007 COMUNICADO 002/2007 A Emprsa Elétrica Bragantina S.A, concssionária d srviço público d distribuição d nrgia létrica,

Leia mais

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom.

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom. 4 CONCLUSÕES Os Indicadors d Rndimnto avaliados nst studo, têm como objctivo a mdição d parâmtros numa situação d acsso a uma qualqur ára na Intrnt. A anális dsts indicadors, nomadamnt Vlocidads d Download

Leia mais

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

Planejamento de capacidade

Planejamento de capacidade Administração da Produção Opraçõs II Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad é uma atividad crítica dsnvolvida parallamnt ao planjamnto d matriais a) Capacidad insuficint lva

Leia mais

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos:

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos: INSTRUÇÕES Estas instruçõs srvm d orintação para o trino das atividads planadas no projto Europu Uptak_ICT2lifcycl: digital litracy and inclusion to larnrs with disadvantagd background. Dvrão sr usadas

Leia mais

PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE ILUMINÂNCIA DE EXTERIORES

PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE ILUMINÂNCIA DE EXTERIORES PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE ILUMINÂNCIA DE EXTERIORES Rodrigo Sousa Frrira 1, João Paulo Viira Bonifácio 1, Daian Rznd Carrijo 1, Marcos Frnando Mnzs Villa 1, Clarissa Valadars Machado 1, Sbastião Camargo

Leia mais

Art. 1º Atualizar o Manual de Instruções Gerais (MIG) Cadastro, na forma apresentada no demonstrativo anexo.

Art. 1º Atualizar o Manual de Instruções Gerais (MIG) Cadastro, na forma apresentada no demonstrativo anexo. Atualiza o Manual d Instruçõs Grais (MIG) Cadastro. A Dirtoria Excutiva da Confdração Nacional das Cooprativas do Sicoob Ltda. Sicoob Confdração, com fulcro no art. 58 do Estatuto Social, basado na strutura

Leia mais

TÍTULO: ÉTICA CONTÁBIL: UM ESTUDO DE CASO EM ESCRITÓRIOS DE CONTABILIDADE.

TÍTULO: ÉTICA CONTÁBIL: UM ESTUDO DE CASO EM ESCRITÓRIOS DE CONTABILIDADE. TÍTULO: ÉTICA CONTÁBIL: UM ESTUDO DE CASO EM ESCRITÓRIOS DE CONTABILIDADE. CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI AUTOR(ES):

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano d Trabalho Docnt 2014 Ensino Técnico Etc Etc: PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 0136 Município: TUPÃ Ára d conhcimnto: INFRAESTRUTURA Componnt Curricular: PLANEJAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL - PCC

Leia mais

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE Lógica Matmática Computacional - Sistma d Ponto Flutuant SISTEM DE PONTO FLUTUNTE s máquinas utilizam a sguint normalização para rprsntação dos númros: 1d dn * B ± 0d L ond 0 di (B 1), para i = 1,,, n,

Leia mais

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO Marclo Sucna http://www.sucna.ng.br msucna@cntral.rj.gov.br / marclo@sucna.ng.br ABR/2008 MÓDULO 1 A VISÃO SISTÊMICA DO TRANSPORTE s A anális dos subsistmas sus componnts é tão

Leia mais

Procedimento em duas etapas para o agrupamento de dados de expressão gênica temporal

Procedimento em duas etapas para o agrupamento de dados de expressão gênica temporal Procdimnto m duas tapas para o agrupamnto d dados d xprssão gênica tmporal Moysés Nascimnto Fabyano Fonsca Silva Thlma Sáfadi Ana Carolina Campana Nascimnto Introdução Uma das abordagns mais importants

Leia mais

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2 ] Univrsidad Fdral da Paraíba Cntro d Ciências Exatas da Naturza Dpartamnto d Matmática Univrsidad Fdral d Campina Grand Cntro d Ciências Tcnologia Unidad Acadêmica d Matmática Programa Associado d Pós-Graduação

Leia mais

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 5/6.- Exploração d ambints computacionais Criação d um produto original d forma colaborativa

Leia mais

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro.

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro. INEC AUDITRIA Prof. CLAUDECIR PATN ESPECIALIZAÇÃ EM : GERÊNCIA CNTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITRIA TURMA III 1 Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 utubro. CNTRLE - Concitos; - Auditoria Control Intrno; - Importância

Leia mais

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO I. PRINCÍPIOS: 1. Suprmacia do Intrss Público sobr o Particular Em sndo a finalidad única do Estado o bm comum, m um vntual confronto ntr um intrss individual o intrss coltivo dv prvalcr o sgundo. 2. Indisponibilidad

Leia mais

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T.

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T. Pêndulo Simpls Um corpo suspnso por um fio, afastado da posição d quilíbrio sobr a linha vrtical qu passa plo ponto d suspnsão, abandonado, oscila. O corpo o fio formam o objto qu chamamos d pêndulo. Vamos

Leia mais

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE Glauco José Rodrigus d Azvdo 1, João Zangrandi Filho 1 Univrsidad Fdral d Itajubá/Mcânica, Av. BPS, 1303 Itajubá-MG,

Leia mais

FAQ DEM/ Esta é uma. Estímulo 2012? Assim, não. Fundo. R: 1. Após tenha

FAQ DEM/ Esta é uma. Estímulo 2012? Assim, não. Fundo. R: 1. Após tenha Esta é uma Mdida só para 2012, ou vai continuar? Não stá prvisto na lgislação um príodo d vigência. Uma ntidad mprgadora com mnos d cinco (5) trabalhadors pod candidatar s ao Estímulo 2012? Sim. Nst caso,

Leia mais

CUSTOS IRREVERSÍVEIS, LEIS DE CUSTOS E GERÊNCIA DE PROJETOS - A VIABILIDADE DE UM PROCESSO DE MUDANÇA

CUSTOS IRREVERSÍVEIS, LEIS DE CUSTOS E GERÊNCIA DE PROJETOS - A VIABILIDADE DE UM PROCESSO DE MUDANÇA CUSTOS IRREVERSÍVEIS, LEIS DE CUSTOS E GERÊNCIA DE PROJETOS - A VIABILIDADE DE UM PROCESSO DE MUDANÇA Márcio Botlho da Fonsca Lima Luiz Buno da Silva Rsumo: Est artigo tm o objtivo d xpor a rlvância do

Leia mais

N os das páginas 3 a 9 10 a 12 13

N os das páginas 3 a 9 10 a 12 13 PROVA 1 Instruçõs CADERNO DE QUESTÕES 1- Você stá rcbndo o sguint matrial: a) st cadrno com o nunciado das qustõs discursivas, das qustõs objtivas, das qustõs rlativas às suas imprssõs sobr a prova, assim

Leia mais

Florianópolis, 09 de abril de 1998. PORTARIA Nº 0173/GR/98.

Florianópolis, 09 de abril de 1998. PORTARIA Nº 0173/GR/98. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR PORTARIAS Florianópolis, 09 d abril d 1998 PORTARIA Nº 0173/GR/98 O Ritor da Univrsidad Fdral d Santa Catarina, no uso d suas atribuiçõs statutárias

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2013-2015.3 ÍNDICE

PLANO ESTRATÉGICO 2013-2015.3 ÍNDICE ÍNDICE PLANO ESTRATÉGICO 2013-2015.3 I. ENQUADRAMENTO..4 II. VISÃO, MISSÃO, VALORES E POLÍTICA DA QUALIDADE..5 III. MODELO ORGANIZACIONAL...10 IV. DIAGNÓSTICO EXTERNO.12 V. DIAGNÓSTICO INTERNO..14 VI.

Leia mais

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6.1. Introdução 6.3. Taxas d Câmbio ominais Rais 6.4. O Princípio da Paridad dos Podrs d Compra Burda & Wyplosz,

Leia mais

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014 F i n a l i d a d O r i n t a r o u s u á r i o p a r a q u s t o b t PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Vrsão: 27/08/2014 Atualizado m: 27/08/2014

Leia mais

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem PSI-2432: Projto Implmntação d Filtros Digitais Projto Proposto: Convrsor d taxas d amostragm Migul Arjona Ramírz 3 d novmbro d 2005 Est projto consist m implmntar no MATLAB um sistma para troca d taxa

Leia mais

Conselho Federal de Enfermagem

Conselho Federal de Enfermagem Conslho Fdral d Enfrmagm Planjamnto Estratégico para o Conslho Fdral d Enfrmagm Assssoria d Planjamnto Gstão do Cofn Brasília 2015 1 Assssoria d Planjamnto Gstão Planjamnto Estratégico para o Conslho Fdral

Leia mais

FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO

FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO CRONOGRAMA ÍNDICE FASES DATAS APURAMENTOS LOCAL 4 alunos por scola 1. Introdução...2 1ª fas Escolas 2ª fas Distrital Até 11 d Janiro 1 ou 2 d Fvriro 2 do sxo fminino

Leia mais

Gestão de melhoria e mudança: um estudo de caso do setor automotivo

Gestão de melhoria e mudança: um estudo de caso do setor automotivo Gstão mlhoria mudança: um studo caso do stor automotivo Olívia Toshi Oiko (EESC-USP) olivia@sc.usp.br Matus Ccílio Grolamo (EESC-USP) grolamo@sc.usp.br Luiz C. R. Carpintti (EESC-USP) carpint@tigr.prod.sc.sc.usp.br

Leia mais

O que são dados categóricos?

O que são dados categóricos? Objtivos: Dscrição d dados catgóricos por tablas gráficos Tst qui-quadrado d adrência Tst qui-quadrado d indpndência Tst qui-quadrado d homognidad O qu são dados catgóricos? São dados dcorrnts da obsrvação

Leia mais

HOTELARIA PLANEJAMENTO E GESTÃO

HOTELARIA PLANEJAMENTO E GESTÃO HOTELARIA PLANEJAMENTO E GESTÃO Mario Ptrocchi Capítulo 2 na hotlaria Slids d apoio para o profssor Livro-txto para disciplinas d administração m hotlaria As bass do planjamnto stratégico O planjamnto

Leia mais

Anexo 2 Projetos identificados no Plano de Desenvolvimento Institucional

Anexo 2 Projetos identificados no Plano de Desenvolvimento Institucional Plano Dirtor d Tcnologia da Informação 2012-2013 88 Anxo 2 Projtos idntificados no Plano d Dsnvolvimnto Institucional Cód Projto/Programa (Ncssidad) 1 Espaço Cinma I II Equipar salas com datashow, room

Leia mais

Emerson Marcos Furtado

Emerson Marcos Furtado Emrson Marcos Furtado Mstr m Métodos Numéricos pla Univrsidad Fdral do Paraná (UFPR). Graduado m Matmática pla UFPR. Profssor do Ensino Médio nos stados do Paraná Santa Catarina dsd 1992. Profssor do Curso

Leia mais

Definição de Termos Técnicos

Definição de Termos Técnicos Dfinição d Trmos Técnicos Eng. Adriano Luiz pada Attack do Brasil - THD - (Total Harmonic Distortion Distorção Harmônica Total) É a rlação ntr a potência da frqüência fundamntal mdida na saída d um sistma

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA Sgurança Saúd do Trabalho ao su alcanc! NR-35 TRABALHO EM ALTURA PREVENÇÃO Esta é a palavra do dia. TODOS OS DIAS! PRECAUÇÃO: Ato ou fito d prvnir ou d s prvnir; A ação d vitar ou diminuir os riscos através

Leia mais

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES HÉLIO BERNARDO LOPES Rsumo. Em domínios divrsos da Matmática, como por igual nas suas aplicaçõs, surgm com alguma frquência indtrminaçõs, d tipos divrsos, no cálculo d its, sja

Leia mais

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Curso Profissional d Técnico d Markting Ano Ltivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL MARKETING 2º Ano Comptências Grais Colaborar na laboração ralização d studos d mrcado, bm

Leia mais

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado.

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado. PSICROMETRIA 1 1. O QUE É? É a quantificação do vapor d água no ar d um ambint, abrto ou fchado. 2. PARA QUE SERVE? A importância da quantificação da umidad atmosférica pod sr prcbida quando s qur, dntr

Leia mais

CAPÍTULO 06 ESTUDOS DE FILAS EM INTERSEÇÕES NÃO SEMAFORIZADAS

CAPÍTULO 06 ESTUDOS DE FILAS EM INTERSEÇÕES NÃO SEMAFORIZADAS APÍTULO 06 ESTUDOS DE FILAS EM INTERSEÇÕES NÃO SEMAFORIZADAS As filas m intrsçõs não smaforizadas ocorrm dvido aos movimntos não prioritários. O tmpo ncssário para ralização da manobra dpnd d inúmros fators,

Leia mais

Employer Branding. José Bancaleiro Managing Partner da Stanton Chase international

Employer Branding. José Bancaleiro Managing Partner da Stanton Chase international Employr Branding José Bancaliro Managing Partnr da Stanton Chas intrnational Num mundo marcado pla globalização, a complxidad a comptitividad no qual o talnto humano s transformou no principal factor d

Leia mais

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice)

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice) PESQUISA MENSAL DO COMÉRCIO JULHO DE 2012 A psquisa mnsal do comércio, ralizada plo IBGE, rgistrou um crscimnto positivo d 1,36% no comparativo com o mês d julho d 2012 para o volum d vndas varjista. Podmos

Leia mais

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ALÉM PARAÍBA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO NAIR FORTES ABU-MERHY TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO DO PARQUE TECNOLÓGICO 2011-2013 Tcnologia d Informação - FEAP 1 - Rlação

Leia mais

QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jeferson Teixeira (Grad /UEPG) Valeska Gracioso Carlos (UEPG)

QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jeferson Teixeira (Grad /UEPG) Valeska Gracioso Carlos (UEPG) Congrsso Intrnacional d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jfrson Tixira (Grad /UEPG) Valska Gracioso Carlos (UEPG) 1. Introdução Graças á rgulamntaçõs impostas por acordos

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Profa. Maria Antônia C. Gouvia 1. A Editora Progrsso dcidiu promovr o lançamnto do livro Dscobrindo o Pantanal m uma Fira Intrnacional

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*)

PARECER HOMOLOGADO(*) PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Dspacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União d 17/07/2003 (*) Portaria/MEC nº 1.883, publicada no Diário Oficial da União d 17/07/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU

AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU ANEXO II Coficint d Condutibilidad Térmica In-Situ AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU AII.1. JUSTIFICAÇÃO O conhcimnto da rsistência térmica ral dos componnts da nvolvnt do difício

Leia mais

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo Rsidência para coltivos na Casa do Povo Chamada abrta tativo - Rsidência para coltivos na Casa do Povo Há mais d 60 anos, a Casa do Povo atua como lugar d mmória cntro cultural m sintonia com o pnsamnto

Leia mais

Encontro na casa de Dona Altina

Encontro na casa de Dona Altina Ano 1 Lagdo, Domingo, 29 d junho d 2014 N o 2 Encontro na casa d Dona Altina Na última visita dos studants da UFMG não foi possívl fazr a runião sobr a água. Houv um ncontro com a Associação Quilombola,

Leia mais

I CIPLOM. Abordagem funcional da gramática na Escola Básica

I CIPLOM. Abordagem funcional da gramática na Escola Básica Abordagm funcional da gramática na Escola Básica Vania Lúcia Rodrigus Dutra UERJ UFF 1- Introdução Os rsultados d avaliaçõs oficiais vêm apontando o fracasso da scola brasilira, d uma forma gral, no qu

Leia mais

ESTUDO DA CINÉTICA DE SECAGEM DO BAGAÇO DO PEDUNCULO DO CAJU IN NATURA E ENRIQUECIDO, COM APLICAÇÃO DO MODELO DIFUSIONAL DE FICK.

ESTUDO DA CINÉTICA DE SECAGEM DO BAGAÇO DO PEDUNCULO DO CAJU IN NATURA E ENRIQUECIDO, COM APLICAÇÃO DO MODELO DIFUSIONAL DE FICK. ESTUDO DA CINÉTICA DE SECAGEM DO BAGAÇO DO PEDUNCULO DO CAJU IN NATURA E ENRIQUECIDO, COM APLICAÇÃO DO MODELO DIFUSIONAL DE FICK. N. M. RIBEIRO FILHO 1 ; R. C. SANTOS 3 ; O. L. S. d ALSINA ; M. F. D. MEDEIROS

Leia mais

Senado Federal maio/2008

Senado Federal maio/2008 Audiência Pública PL 213/2007 Difrnciação d Prços nas Vndas com Cartõs d Crédito José Antonio Marciano Brasília Snado Fdral maio/2008 1 Rgra d Não Sobr-pr prço - Dfinição Rgra contratual imposta plas socidads

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS E ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA NA REGIÃO DE LONDRINA: DESAFIOS PARA SUA IMPLEMENTAÇÃO

POLÍTICAS PÚBLICAS E ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA NA REGIÃO DE LONDRINA: DESAFIOS PARA SUA IMPLEMENTAÇÃO Congrsso Intrnacional d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL POLÍTICAS PÚBLICAS E ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA NA REGIÃO DE LONDRINA: DESAFIOS PARA SUA IMPLEMENTAÇÃO Catya Marqus Agostinho

Leia mais

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA ESQUEMA PRÁTICO ) Prazo Máximo Duração do Inquérito 2) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça 3) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça quando stivr m causa a criminalidad rfrida nas al.ªs i) a m) do

Leia mais

PLANO DE CURSO 2011. 3 aulas Data show Aulas expositivas Estudo de casos e análise de precedentes dos Tribunais Estaduais e Superiores.

PLANO DE CURSO 2011. 3 aulas Data show Aulas expositivas Estudo de casos e análise de precedentes dos Tribunais Estaduais e Superiores. Est Plano d Curso podrá sofrr altraçõs a critério do profssor / ou da Coordnação. PLANO DE CURSO 2011 DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL III Excução civil, tutlas d urgência procdimntos spciais. PROFESSOR:

Leia mais

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE Campus d Ilha Soltira PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE Aos dz (10) dias do mês d stmbro (09) do ano d dois mil doz (2012), na Sala d Runiõs da Congrgação, as parts abaio nomadas tomaram ciência do

Leia mais

Gestão de Riscos Abordagem Prática. Igor Rocha Ferreira MSc., PMP, CRMA, CoBIT

Gestão de Riscos Abordagem Prática. Igor Rocha Ferreira MSc., PMP, CRMA, CoBIT Gstão d Riscos Abordagm Prática Igor Rocha Frrira MSc., PMP, CRMA, CoBIT Agnda Brv Histórico da Gstão d Riscos As Organizaçõs, sus Sgmntos Procssos Maturidad d Gstão d Riscos Transição para a Gstão Intgrada

Leia mais

SIM - SISTEMA DE IMPOSTO MÍNIMO

SIM - SISTEMA DE IMPOSTO MÍNIMO E L U C I D Á R I O do SIM - SISTEMA DE IMPOSTO MÍNIMO (Principais Qustõs, Esclarcimntos Rspostas) 1. O qu é o SIM Sistma d Imposto Mínimo? É uma nova forma d pagar IRPS ou IRPC a qu passam a ficar obrigados

Leia mais

UMA INTRODUÇÃO A TOPOLOGIA

UMA INTRODUÇÃO A TOPOLOGIA Encontro d Ensino, Psquisa Extnsão, Prsidnt Prudnt, 0 a 3 d outubro, 014 0 UMA INTRODUÇÃO A TOPOLOGIA TÍTULO DO TRABALHO EM INGLES Mário Márcio dos Santos Palhars 1, Antonio Carlos Tamarozzi² Univrsidad

Leia mais

Modelo de Oferta e Demanda Agregada (OA-DA)

Modelo de Oferta e Demanda Agregada (OA-DA) Modlo d Ofrta Dmanda Agrgada (OA-DA) Lops Vasconcllos (2008), capítulo 7 Dornbusch, Fischr Startz (2008), capítulos 5 6 Blanchard (2004), capítulo 7 O modlo OA-DA xamina as condiçõs d quilíbrio dos mrcados

Leia mais

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas IAS 17 (1) NORMA INTERNACIONAL DE CONTABILIDADE IAS 17 Locaçõs ÍNDICE Parágrafos Objctivo 1 Âmbito 2-3 Dfiniçõs 4-6 Classificação d locaçõs 7-19 Locaçõs nas dmonstraçõs financiras d locatários 20-35 Locaçõs

Leia mais

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade.

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade. Informação - Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Duração da prova: 120 minutos / 24.06.2013 12º Ano Escolarida Curso Tcnológico

Leia mais

OS RECURSOS TECNOLÓGICOS PARA A ÁREA DE LETRAS: UM LEVANTAMENTO DE SOFTWARES EDUCATIVOS

OS RECURSOS TECNOLÓGICOS PARA A ÁREA DE LETRAS: UM LEVANTAMENTO DE SOFTWARES EDUCATIVOS Encontro Intrnacional d Produção Cintífica Csumar 23 a 26 d outubro d 2007 OS RECURSOS TECNOLÓGICOS PARA A ÁREA DE LETRAS: UM LEVANTAMENTO DE SOFTWARES EDUCATIVOS Adriana Carla d Souza Maldonado 1 ; Ludhiana

Leia mais

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Curso Profissional d Técnico d Markting Ano Ltivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL MARKETING 3º Ano Comptências Grais Colaborar na laboração ralização d studos d mrcado, bm

Leia mais

PROGRAMA DE ESTÍMULO À OFERTA DE EMPREGO PEOE

PROGRAMA DE ESTÍMULO À OFERTA DE EMPREGO PEOE UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europu PROGRAMA DE ESTÍMULO À OFERTA DE EMPREGO PEOE FORMULÁRIO DE CANDIDATURA A prnchr plo IEFP, I. P. IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Cntro d Emprgo Data d Rcpção - - Númro do Procsso

Leia mais

ANÁLISE CUSTO - VOLUME - RESULTADOS

ANÁLISE CUSTO - VOLUME - RESULTADOS ANÁLISE CUSTO - VOLUME - RESULTADOS 1 Introdução ao tma Exist todo o intrss na abordagm dst tma, pois prmit a rsolução d um conjunto d situaçõs qu s aprsntam rgularmnt na vida das organizaçõs. Estas qustõs

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL Govrno do Estado do Rio Grand do Nort Scrtariado d Estado da Educação Cultura - SEEC UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - UERN Pró-Ritoria d Psquisa Pós-Graduação PROPEG Dpartamnto d Psquisa

Leia mais

Atualizado em, 28/02/2012 Páginas:27, 28 e 41. Página 1 de 43

Atualizado em, 28/02/2012 Páginas:27, 28 e 41. Página 1 de 43 Atualizado m, 28/02/2012 Páginas:27, 28 41. Página 1 d 43 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS-UFT SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA PARA O CARGO DE PROFESSOR TEMPORÁRIO 2012.2 EDITAL Nº 022, DE 27 DE

Leia mais

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais d Contas Sistma d Informação do Técnico Oficial d Contas IAS 24 (1) NORMA INTERNACIONAL DE CONTABILIDADE IAS 24 Divulgaçõs d Parts Rlacionadas ÍNDICE Parágrafos Objctivo

Leia mais

Augusto Massashi Horiguti. Doutor em Ciências pelo IFUSP Professor do CEFET-SP. Palavras-chave: Período; pêndulo simples; ângulos pequenos.

Augusto Massashi Horiguti. Doutor em Ciências pelo IFUSP Professor do CEFET-SP. Palavras-chave: Período; pêndulo simples; ângulos pequenos. DETERMNAÇÃO DA EQUAÇÃO GERAL DO PERÍODO DO PÊNDULO SMPLES Doutor m Ciências plo FUSP Profssor do CEFET-SP Est trabalho aprsnta uma rvisão do problma do pêndulo simpls com a dmonstração da quação do príodo

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO e

DIREITO FINANCEIRO e DIREITO FINANCEIRO Fábio Fort d Andrad Dirtor do Dpto. d Administração Financira Prfitura Municipal d Campinas Scrtaria Municipal d Finanças Julho d 2012 História Concito Atividad Financira do Estado ROTEIRO

Leia mais

Conhecendo a trajetória de emergência de novidades : agricultores familiares, recriações e transformações no meio rural do sul do Rio Grande do Sul

Conhecendo a trajetória de emergência de novidades : agricultores familiares, recriações e transformações no meio rural do sul do Rio Grande do Sul Rvista Brasilira d Agrocologia ISSN: 1980-9735 Conhcndo a trajtória d mrgência d novidads : agricultors familiars, rcriaçõs transformaçõs no mio rural do sul do Rio Grand do Sul Knowing th trajctory of

Leia mais

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos Módulo laudia gina ampos d arvalho Módulo sistors, apacitors ircuitos sistência Elétrica () sistors: sistor é o condutor qu transforma nrgia létrica m calor. omo o rsistor é um condutor d létrons, xistm

Leia mais

No N r o m r a m s a?

No N r o m r a m s a? Normas? EM ALGUMA CERÂMICA... NORMAS? O qu tnho a vr com isso? VENDAS NORMAS??? O qu é isso?...um clint dixou d fchar o pdido porqu o bloco não stava dntro das NORMAS... Grnt Produção...Uma carga d Blocos

Leia mais

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 1.- A Informação, o conhcimnto o mundo das tcnologias A volução das tcnologias d informação

Leia mais

ESCOLA BÁSICA D. DOMINGOS JARDO

ESCOLA BÁSICA D. DOMINGOS JARDO Unidad Didáctica: Trocas nutricionais ntr o organismo o mio nos animais. Comprndr qu a vida dos srs vivos assgurada pla ralização d funçõs spcíficas;. Comprndr qu as funçõs vitais rqurm nrgia;. Assumir-s

Leia mais

Edital. V Mostra LEME de Fotografia e Filme Etnográficos e II Mostra LEME de Etnografia Sonora

Edital. V Mostra LEME de Fotografia e Filme Etnográficos e II Mostra LEME de Etnografia Sonora Edital V Mostra LEME d Fotografia Film Etnográficos 5º SEMINÁRIO DO LABORATÓRIO DE ESTUDOS EM MOVIMENTOS ÉTNICOS - LEME 19 a 21 d stmbro d 2012 Univrsidad Fdral do Rcôncavo da Bahia Cachoira-BA O 5º Sminário

Leia mais

4.1 Método das Aproximações Sucessivas ou Método de Iteração Linear (MIL)

4.1 Método das Aproximações Sucessivas ou Método de Iteração Linear (MIL) 4. Método das Aproimaçõs Sucssivas ou Método d Itração Linar MIL O método da itração linar é um procsso itrativo qu aprsnta vantagns dsvantagns m rlação ao método da bisscção. Sja uma função f contínua

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Discipli: Qualida Softwar Profa. : Kátia Lops Silva Slis adpatados do Prof. Ricardo Almida Falbo Tópicos Espciais Qualida Softwar 007/ Dpartamnto

Leia mais

Catálogo M2404. PowerTrap. Série GP Série GT. Bomba Mecânica e Purgador Bomba

Catálogo M2404. PowerTrap. Série GP Série GT. Bomba Mecânica e Purgador Bomba Catálogo M404 PowrTrap Mcânica Séri GP Séri GT Rcupração ficaz do Mlhora a ficiência da planta Aumnto da produtividad qualidad dos produtos são, alguns dos bnfícios da drnagm rcupração do, além d rduzir

Leia mais

Reflexões sobre a formação inicial e continuada de professores de espanhol no Brasil. Katia Aparecida da Silva Oliveira - UNIFAL

Reflexões sobre a formação inicial e continuada de professores de espanhol no Brasil. Katia Aparecida da Silva Oliveira - UNIFAL Rflxõs sobr a formação inicial continuada d profssors d spanhol no Brasil Katia Aparcida da Silva Olivira - UNIFAL Dsd a promulgação da li 11.161/2005, qu trata da obrigatoridad do nsino da língua spanhola

Leia mais

A abordagem do Aspecto verbal no material produzido para o ensino a distância. Valdecy de Oliveira Pontes - UFC. Introdução

A abordagem do Aspecto verbal no material produzido para o ensino a distância. Valdecy de Oliveira Pontes - UFC. Introdução A abordagm do Aspcto vrbal no matrial produzido para o nsino a distância Valdcy d Olivira Ponts - UFC Introdução No prsnt trabalho, assumimos os prssupostos tóricos do Funcionalismo m Linguística, por

Leia mais

Lei nº 7998/90. Pós MP nº 665/14 Vigência 60 dias após a data da publicação Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado

Lei nº 7998/90. Pós MP nº 665/14 Vigência 60 dias após a data da publicação Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado Ants da MP nº 665/14 Art. 2o-B. Em carátr xcpcional plo prazo d sis mss, os trabalhadors qu stjam m situação d dsmprgo involuntário plo príodo comprndido ntr doz dzoito mss, inintrruptos, qu já tnham sido

Leia mais

Catálogo de Perfis Padronizados

Catálogo de Perfis Padronizados Extrusão Gral Catálogo d Prfis P Shaping a lightr futur Frramntaria Estoqu d tarugos rfis Introdução SP no Mundo Fundada m 1963 na Suécia, a Sapa iniciou suas atividads a partir do zro s transformou, m

Leia mais

2 o CONGRESSO BRASILEIRO DE P&D EM PETRÓLEO & GÁS

2 o CONGRESSO BRASILEIRO DE P&D EM PETRÓLEO & GÁS 2 o CONGRESSO BRASILEIRO DE P&D EM PETRÓLEO & GÁS CONTROLE DE TEMPERATURA DE SECADORES DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS ALIMENTADOS COM GÁS NATURAL Júlio Elias Normy-Rico 1, Jssé Flip Müllr 2,Vilmar Mngon Bristol

Leia mais

COMO INSERIR O OTIF NA CADEIA DE SUPRIMENTOS DAS ORGANIZAÇÕES?

COMO INSERIR O OTIF NA CADEIA DE SUPRIMENTOS DAS ORGANIZAÇÕES? ROBUSTCIMNTO DA GSTÃO LOGÍSTICA ATRAVÉS DA IMPLANTAÇÃO DO INDICADOR D DSMPNHO Santos - SP 3 de Julho de 28 INTRODUÇÃO Aquecimento do mercado de aquisições e fusões: procura por indicadores genéricos e

Leia mais

Rio Grande do Norte terá maior oferta de energia eólica em leilão Agência Estado 17/04/2015

Rio Grande do Norte terá maior oferta de energia eólica em leilão Agência Estado 17/04/2015 www.lmntos.com.br du dilignc slção d arogradors inspçõs d fábricas ngnharia do propritário projtos solars ntr outros 17 d abril d 2015 Sxta-Fira - # 1.528 Rio Grand do Nort trá maior ofrta d nrgia ólica

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO PLANIFICAÇÃO ANO LETIVO 2015/2016 Ano 12º Ano DISCIPLINA: Docnt HISTÓRIA A Carlos Eduardo da Cruz Luna Contúdos Comptências Espcíficas Estratégias RECURSOS Módulo 7 Criss, Embats Iológicos Mutaçõs Culturais

Leia mais

CAPACITAÇÃO DE RECURSOS INFORMAÇÃO A EXPERIÊNCIAS COM EDUCAÇÃO A DISTÂNICIA 1 INTRODUÇÃO

CAPACITAÇÃO DE RECURSOS INFORMAÇÃO A EXPERIÊNCIAS COM EDUCAÇÃO A DISTÂNICIA 1 INTRODUÇÃO DA CAPACITAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM SERViÇOS DE INFORMAÇÃO A EXPERIÊNCIAS COM EDUCAÇÃO A DISTÂNICIA Rgina Célia Baptista Blluzzo* Rsumo: Dscrv volução concitos; fitos d mudanças substanciais na socidad;

Leia mais

MATRIZ DA PROVA DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA HISTÓRIA B 10º ANO

MATRIZ DA PROVA DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA HISTÓRIA B 10º ANO MATRIZ DA PROVA DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA AO ABRIGO DO DECRETO-LEI Nº 357/2007, DE 29 DE OUTUBRO (Duração: 90 minutos + 30 minutos d tolrância) HISTÓRIA B 10º ANO (Cursos Cintífico-Humanísticos Dcrto-Li

Leia mais

A FALHA NÃO É UMA OPÇÃO

A FALHA NÃO É UMA OPÇÃO FLH NÃO É UM OPÇÃO José Wagnr Braidotti Junior (1) Rsumo prssão por mlhors indicadors d produtividad, disponibilidad confiabilidad nas organizaçõs tm aumntado a cada ano, tornando os divrsos procssos d

Leia mais

CARVALHO HOSKEN S/A carvalhohosken.com.br CARVALHO HOSKEN S.A. ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES CNPJ: 33.342.023/0001-33

CARVALHO HOSKEN S/A carvalhohosken.com.br CARVALHO HOSKEN S.A. ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES CNPJ: 33.342.023/0001-33 Balanço Social Em 31 d dzmbro d 2015 2014 1 - Bas d Cálculo 2015 Valor (Mil rais) 2014 Valor (Mil rais) Rcita líquida (RL) 190.202 292.969 Rsultado opracional (RO) 111.720 (16.955) Rsultado Financiro (29.648)

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO MODELO PRESSÃO, ESTADO E RESPOSTA (PER) NO PARQUE MUNICIPAL DA AGUA VERMELHA JOÃO CÂNCIO PEREIRA SOROCABA-SP

UTILIZAÇÃO DO MODELO PRESSÃO, ESTADO E RESPOSTA (PER) NO PARQUE MUNICIPAL DA AGUA VERMELHA JOÃO CÂNCIO PEREIRA SOROCABA-SP Goiânia/GO 19 a /11/01 UTILIZAÇÃO DO MODELO PRESSÃO, ESTADO E RESPOSTA (PER) NO PARQUE MUNICIPAL DA AGUA VERMELHA JOÃO CÂNCIO PEREIRA SOROCABA-SP Admilson Irio Ribiro, Univrsidad Estadual Paulista Júlio

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS CENTRO DE EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃO BRASILEIRA EDITAL 2006

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS CENTRO DE EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃO BRASILEIRA EDITAL 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS CENTRO DE EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃO BRASILEIRA EDITAL 2006 A Coordnação do MESTRADO EM EDUCAÇÃO BRASILEIRA torna

Leia mais