Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)"

Transcrição

1 MERCADOS Bolsa O mercado de ações segue em ritmo de alta impulsionado pelo cenário mais tranquilo do lado externo, vindo do programa de estímulos do Banco Central Europeu (BCE) e a percepção que o Federal Reserve não deve elevar os juros no curto prazo. Com isso, os estrangeiros aproveitam os preços mais baixos em dólares para montar posições em papéis de peso no índice, como Petrobras e Vale. Com isso, o Ibovespa terminou o pregão com alta de 1,22%, aos pontos. O giro ficou em R$ 8,05 bilhões. A agenda econômica de hoje traz dados da zona do euro mostrando piora nas vendas a varejo em março no comparativo mensal e anual. Nos EUA as solicitações de empréstimos hipotecários mostraram queda neste começo de mês e no Brasil o destaque fica para a produção industrial de março com queda de 3,5% A/A. As bolsas asiáticas fecharam no vermelho, exceto a Nikkei. Na zona do euro os mercados operam com movimento misto e no Brasil a Bovespa deverá refletir o apetite dos estrangeiros. Se mantida a corrida às compras o comportamento deverá ser novamente positivo embora os fundamentos permaneçam ruins. Câmbio Índices, Câmbio e Commodities Fech. * Dia (%) Mês (%) Ano (%) Ibovespa 58, Ibovespa Fut. 58, Nasdaq 4,939 (1.5) (0.0) 4.3 DJIA 17,928 (0.8) S&P 500 2,089 (1.2) MSCI 1,773 (1.0) (0.3) 3.7 Tóquio 19, Xangai 4,229 (1.6) (4.8) 30.7 Frankfurt 11,328 (2.5) (1.1) 15.5 Londres 6,928 (0.5) (0.5) 5.5 Mexico 45,091 (0.3) India 26,717 (2.6) (1.1) (2.8) Rússia 1, Dólar - vista R$ 3.06 (1.0) Dólar/Euro $ (0.3) (7.5) Euro R$ 3.42 (0.6) Ouro $1, Petróleo Brent $ Petróleo WTI $ Altas e Baixas do Ibovespa O dólar recuou ontem, depois de acumular quatro sessões de alta, o dólar à vista terminou em baixa de 0,45%, cotado em R$ 3,0730. No ano a moeda acumula alta de 15,74%. O dólar para junho no mercado futuro terminou em baixa de 1,14%, a R$ 3,084. ELET6 ELET3 MRFG3 VALE3 13.7% 12.0% 10.0% 9.2% Juros NATU3 KROT3-4.5% 8.8% Após passarem boa parte do dia em queda, alinhados ao dólar, os juros futuros foram ganhando um pouco de força do meio da tarde para frente, até terminarem com pequeno viés de queda. Ao término da sessão estendida, o DI para julho de 2015 marcava 13,296%, igual ao ajuste anterior. O DI para janeiro de 2017 mostrava 13,47%, de 13,55% no ajuste anterior. BRKM5-4.5% CRUZ3-4.0% CSAN3-4.0% ALLL3-3.2% Ibovespa x Dow Jones (em dólar) 130 Brasil Referência Expectativa Apurado Anterior 09:00 Produção industrial (m/m) - Não Sazonal Março -0,70% -0,90% 09:00 Produção industrial (a/a) Março 3,00% -9,10% 00:00 Índice de preço de commodities (m/m) Abril -2,00% 7,88% 00:00 Índice de preço de commodities (a/a) Abril 5,69% Estados Unidos Referência Expectativa Apurado Anterior 08:00 MBA - Solicitações de empréstimos hipotecários 1-mai 09:15 ADP - Variação setor empregos Abril 200 mil 189 mil 09:30 Produtividade de produtos não-agrícolas 1T -1,90% -2,20% 09:30 Custo da mão-de-obra 1T 4,50% 4,10% Europa Referência Expectativa Apurado Anterior 05:00 PMI Serviços zona do euro Abril 53,7 54,1 53,7 05:00 PMI Composto zona do euro Abril 53,5 53,9 53,5 06:00 Vendas a varejo (m/m) Março -0,70% -0,80% -0,20% 06:00 Vendas no varejo (a/a) Março 2,40% 1,60% 3,00% Dow Jones Ibovespa Página 1

2 ANÁLISE DE EMPRESAS E SETORES Ambev (ABEV3): Resultados trimestrais A empresa divulgou nesta manhã seus resultados do 1T15, mostrando crescimento de vendas, receita e lucro. No Brasil, o aumento das vendas de cervejas foi pequeno e houve queda em refrigerantes, o que foi compensado por uma forte elevação de preços no mercado interno e um bom desempenho das unidades no exterior. O resultado do trimestre ficou melhor que as projeções do mercado compiladas pela Bloomberg para receita e EBITDA, mas com lucro menor. No 1T15, lucro líquido do atingiu R$3,0 bilhões (R$0,19 por ação), ficando 14,1% acima do mesmo período do ano anterior. O volume total vendido pela Ambev no 1T15 cresceu 0,5% impulsionado pelo aumento de 1,7% nas vendas de cerveja em todos os mercados, compensando a queda de 3,0% em refrigerantes no Brasil. Os volumes vendidos de cerveja no trimestre cresceram 0,4% no Brasil, 1,4% no Canadá e 22,6% na América Central e Caribe, mas caíram 1,4% na América do Sul. O preço médio de venda teve aumento de fortíssimos 14,0%, comparado ao 1T14, puxado por um incremento de 11,0% em cervejas no Brasil. Este aumento do preço médio de venda no Brasil se deve em parte a um mix com maior participação de produtos premium e aos ganhos com a distribuição direta. Página 2

3 No 1T15, o Custo do Produto Vendido por hectolitro teve aumento de 14,6%, influenciado por pressões inflacionarias no Brasil e Argentina, perdas com hedges de moedas e mix de produtos. Com isso, a margem bruta teve uma pequena queda de 0,3 ponto percentual. As despesas com vendas, gerais e administrativas no 1T15 tiveram maior que o aumento da receita (11,9%), beneficiado pela base de comparação mais alta, já que no início do ano passado a empresa fez despesas elevadas de marketing preparando-se para a Copa do Mundo. Com isso, o EBITDA teve incremento de 25,2% em valores absolutos e a margem subiu 2,3 pp para 47,1%. O resultado financeiro negativo do 1T15 ficou 30,6% acima do mesmo período de 2014, refletindo maiores perdas com derivativos e a desvalorização do real. Ao final do 1T15, a dívida bruta consolidada era de R$2,7 bilhões e as Disponibilidades totais somavam R$7,8 bilhões, com o caixa líquido ficando em R$5,1 bilhões. Comparado dezembro/2014, o caixa líquido caiu 33,4%. Esta redução no caixa se deve principalmente ao pagamento no 1T15 de R$5,0 bilhões (R$0,316/ação) para os acionistas na forma de juros sobre o capital próprio. Este provento foi 24,8% maior que no mesmo período do ano passado. A Ambev repetiu neste relatório suas projeções já divulgadas para No Brasil, as expectativas são de: a) crescimento na receita líquida entre dígito médio e um dígito alto; b) custo de produção crescendo na mesma proporção da receita; c) despesas de vendas, gerais e administração com expectativa de crescer menos que a inflação; e d) Investimentos neste ano em patamares similares a 2014 (R$4,5 bilhões). Nas unidades no exterior, a empresa segue cautelosa com o cenário econômico na Argentina, mas confiante no restante da América do Sul. No Canadá, esperam crescimento sólido com o fortalecimento do portfólio de produtos. Na América Central e Caribe, esperam outro ano de bom desempenho. As ações da Ambev estão sendo negociadas com indicador Preço/Lucro de 22,8x para 2015 e 20,9x para 2016, considerando as projeções médias do mercado. O Preço Justo médio para ABEV3 é de R$18,62/ação, indicando um potencial de queda 5%. CSN (CSNA3): Resultados trimestrais A empresa divulgou hoje antes do início do pregão seus resultados do 1T15 com aumento no volume vendido de aço e queda forte queda nas vendas de minério, comparado ao mesmo período de A diminuição na rentabilidade dos segmentos de aço e mineração, aliado ao aumento das despesas financeiras, levou a empresa a uma forte redução de receita e margens e a mostrar resultado negativo antes do Imposto de Renda. Página 3

4 Porém, uma elevada reversão na provisão para o IR fez com que houvesse um resultado líquido positivo. Em função da retração da produção industrial brasileira, as vendas de aço da CSN no país tiveram queda de 12,9% no 1T15. Porém, o aumento de 39,5% nas exportações mais que compensou a queda no mercado interno, fazendo com que as vendas totais de aço tivessem crescimento de 1,4% comparado ao 1T14. Pela primeira vez a CSN apontou suas vendas de aços longos, que somaram 246 mil toneladas no 1T15, volume 14,0% maior que mesmo período do ano passado. O aumento das exportações e os preços contidos fizeram com que o EBITDA da área de siderurgia tivesse queda de 10,2% comparada ao 1T14. Na mineração, houve queda de 9,3% no volume vendido no 1T15, que conjugado com a redução no preço médio das vendas, levou a uma queda de 73% no EBITDA em relação ao 1T14. A forte desvalorização do real impactou fortemente as despesas financeiras no 1T15. O resultado financeiro líquido negativo cresceu 17,3% comparado ao 1T14. Ao final do 1T15, a dívida líquida da CSN era de R$20,0 bilhões, valor 5,7% maior que no dezembro/2014. A relação dívida líquida/ebitda ficou em 4,7x, maior que os 4,0x do 4T14 e muito superior a este indicador do 1T14 que foi de 2,7x. Assim, a CSN teve um prejuízo antes do Imposto de Renda de R$110 milhões, que se transformou num resultado líquido positivo com a reversão de IR que somou R$503 milhões. Nossa indicação para CSN é de Venda com Preço Justo de R$6,20/ação, que vamos rever após este resultado. Página 4

5 BRMalls (BRML3) Resultados do 1T15 A empresa encerrou o 1T15 com receita líquida de R$ 339,9 milhões, representando um crescimento de 5,4% quando comparado ao mesmo período de O EBITDA registrou R$ 261,0 milhões no 1T15, um aumento de 3,5% comparado aos R$ 252,2 milhões apresentados no 1T14. O crescimento do EBITDA foi afetado por efeitos não recorrentes de venda de participação no 1T14. No primeiro trimestre de 2015 o NOI somou R$ 311,4 milhões, representando um aumento de R$ 16,8 milhões ou 5,7%, em relação ao mesmo período do ano anterior. No mesmo período, a margem NOI registrou 91,2%, apresentando uma melhora de 0,6 p.p. em relação ao mesmo período do ano anterior e foi a maior margem NOI em um 1º trimestre já apresentado pela companhia. A despesa financeira líquida somou R$ 293,4 milhões no primeiro trimestre de 2015, quando comparado a uma despesa de R$ 118,5 milhões no 1T14. Parte desta despesa reflete os efeitos não caixa do swap a mercado e a variação cambial. Se excluído este efeito, a empresa teria registrado uma despesa financeira líquida de R$ 106,2 milhões no 1T15, uma queda de 24,0% em relação ao mesmo trimestre de A receita financeira somou R$ 391,5 milhões, enquanto a despesa financeira foi de R$ 684,9 milhões no 1T15. No primeiro trimestre de 2015, e empresa registrou prejuízo de R$ 132,7 milhões ante um lucro de R$ 53,7 milhões no 1T14. Impactado, principalmente, pela variação cambial sobre o bônus perpetuo. A BRMalls encerrou março com uma dívida liquida de R$ 4,7 bilhões. A dívida se mantém com um perfil de longo prazo com 91,9% da divida bruta em longo prazo e uma duração média de 11,4 anos. A posição de caixa da BRMALLS ao final do primeiro trimestre de 2015 totalizou R$ 721,8 milhões, um aumento de R$ 47,4 milhões ou 7,0% em relação ao final do 4T14. Ontem a ação BRML3 encerrou cotada a R$16,80, que representa um retorno positivo de 5,2% em 2015, em relação a uma alta de 16,1% do Ibovespa no mesmo período. O valor de mercado da companhia era de R$ 7,7 bilhões. Tim Participações (TIMP3) Resultados do 1T15 A Tim registrou uma receita líquida de R$ 4,55 bilhões no 1T15 queda de 3,3% em relação ao 1T14. No 4T14 a receita líquida foi de R$ 5,17 bilhões. A queda neste primeiro trimestre Página 5

6 se deu no segmento de serviços (87% do dotal) que mostrou queda de 3,9% enquanto a receita com produtos subiu 0,8% no mesmo período comparativo. No 1T15, a receita média por usuário (ARPU) atingiu R$ 17, uma queda de -5,5% A/A, em grande parte afetada pelo já mencionado corte da VU-M. No entanto, excluindo-se o efeito da VU-M, o ARPU teria caído apenas 1,6% A/A. O MOU (minutos de uso) atingiu 120 minutos no 1T15, uma queda de 14,0% quando comparado ao 1T14, principalmente devido ao surgimento de novas tecnologias relacionadas a dados e a consequente migração do padrão de uso. No 1T15, os custos e despesas operacionais totalizaram R$ 3,21 bilhões, uma queda de 5,3% em relação ao 1T14, explicada, principalmente, por uma economia com custos de rede e interconexão (-15,1% A/A). A inadimplência no trimestre chegou a R$ 57 milhões e, como percentual da receita bruta, atingiu 0,83% no 1T15 (contra 1,08% no 1T14). No 1T15, o EBITDA totalizou R$ 1,34 bilhão, 1,7% acima do resultado do 1T14 (R$ 1,32 bilhão). O melhor desempenho do EBITDA também foi sustentado, durante os últimos trimestres, por uma melhor margem de contribuição (+1,7% A/A) como os serviços de valor agregado. A margem EBITDA de 29,5% apresentou mais uma vez uma melhoria significativa de 1,4 p.p., alcançando níveis históricos para um primeiro trimestre. No mesmo período do ano passado, a margem EBITDA atingiu 28,0%. O Lucro Líquido totalizou R$ 313 milhões, uma queda de 16,0% em relação ao 1T14 e o lucro por ação (EPS) atingiu R$ 0,13 no 1T15 (contra R$ 0,15 no 1T14). O Capex alcançou R$ 924 milhões, um aumento de 50,7% em comparação ao 1T14, devido ao aumento dos investimentos em rede visando melhorar a disponibilidade e a qualidade dos serviços. Vale destacar que 92% do Capex total no primeiro trimestre foi dedicado a infraestrutura, amplamente relacionada às tecnologias 3G e 4G. A dívida bruta atingiu R$ 6,67 bilhões no final de março de A dívida da empresa está concentrada em contratos de longo prazo (82% do total), compostos principalmente por meio do financiamento do BNDES e BEI (Banco Europeu de Investimento), assim como empréstimos de outras grandes instituições financeiras locais e internacionais. Cerca de 40% da dívida total é denominada em moeda estrangeira (US$), e é 100% protegida por hedge em moeda local. No 1T15, o custo médio da dívida foi de 10,88% em comparação com 9,32% no 1T14. Considerando o EBITDA dos últimos 12 meses, a relação Dívida Líquida/EBITDA foi de 0.56x no 1T15 em comparação a 0.25x no 1T14. A dívida líquida aumentou de R$ milhões no 1T14 para R$ milhões no fechamento do 1T15. Página 6

7 Ontem a ação TIMP3 encerrou cotada a R$ 9,66 representando em 2015 um retorno negativo de 18%, no mesmo período o Ibovespa apresenta alta de 16,1%. O valor de mercado da companhia era de R$ 23,4 bilhões. Daycoval (DAYC4) Resultado do 1T15 O banco Daycoval registrou no 1T15 um lucro líquido recorrente de R$ 100,5 milhões, 7% abaixo do 4T14 e 42% acima do lucro recorrente de R$ 70,6 milhões de igual trimestre do ano passado. O ROAE recorrente do 1T15 foi de 15,6 % ao ano, 4pp acima de 11,6% do 1T14. Em base contábil, o lucro líquido somou R$ 105,1 milhões no trimestre, com crescimento de 12,2% frente ao 4T14 e +57,8% sobre o 1T14, com ROAE de 16,3 % ao ano e margem financeira líquida NIM de 11,5 % ao ano. A Carteira de Crédito Ampliada somou R$ 13,38 bilhões, incremento de 4,7% no trimestre e de 25,2% em 12 meses. O Crédito para Empresas encerrou o trimestre com R$ 7,57 bilhões, crescimento de 1,5% no trimestre. A inadimplência medida pelos créditos vencidos há mais de 90 dias caiu de 0,8% no 4T14 para 0,7% neste trimestre, sendo 0,7pp inferior quando comparado ao 1T14. O banco terminou o 1T15 com Patrimônio Líquido de R$ 2,59 bilhões e índice de Basileia III de 17,5%, que demonstra a baixa alavancagem e elevado nível de capital. Opinião: Um bom resultado com destaque para a redução da inadimplência das empresas e queda nas despesas com provisão para devedores duvidosos em base de 12 meses. Página 7

8 Ressalte-se o crescimento de 25% do saldo da carteira de crédito ampliada em 12 meses para R$ 13,4 bilhões, e cuja magnitude de evolução deve ser mantida para o restante do ano, segundo o banco. O crescimento no segmento de consignado acontece de forma equilibrada, priorizando a rentabilidade, ao mesmo tempo em que o banco deve aumentar a exposição no segmento de empresas, sua principal linha de negócio. A despesa de provisão para devedores duvidosos do banco foi de R$ 113,7 milhões no 1T15, com queda de 10,3% frente o 1T14 e 17,2% superior ante o 4T14 (R$ 97 milhões); e cujo saldo deve se manter para o restante do ano. A despeito das dificuldades e do baixo crescimento da economia, o Daycoval se sente preparado, com uma carteira de crédito diversificada, com garantias sólidas e provisão adequada, principalmente no crédito para empresas. A tendência é de crescer de forma cautelosa. Seus papéis registram queda de 4,0% este ano para R$ 7,93 por ação (Valor de Mercado de R$ 1,93 bilhão), sendo negociado a 0,75x o seu valor patrimonial, e com reduzido volume negociado de R$ 400 mil por dia. Marcopolo (POMO4): Teleconferência do 1T15 A empresa divulgou ontem antes da abertura do pregão seus resultados do 1T15, que mostraram redução nas vendas, margens e lucro líquido, comparado ao mesmo trimestre de O resultado da Marcopolo no período refletiu o fraco desempenho da indústria no Brasil, parcialmente compensado por um bom desempenho das unidades no exterior e das exportações. Na teleconferência para discutir os resultados e perspectivas, os principais assuntos discutidos foram: A diretoria da Marcopolo reafirmou a confiança no negócio para o longo prazo, porém, no curto prazo a perspectiva é nebulosa; Os pedidos em carteira estão abaixo do normal para este período do ano. Porém, a área comercial da empresa já nota melhoria no número de consultas para novos negócios; Esperam que a definição das novas regras para a concessão das linhas de passageiros interestaduais deve sair em junho; Apesar do aumento nas taxas, o financiamento através do Finame PSI continua competitivo; Página 8

9 As margens ficaram estáveis, apesar da queda na receita no 1T15. Isso ocorreu por conta da elevação na rentabilidade das exportações, com a taxa de câmbio mais elevada, e o aumento de ganhos nas operações no exterior; A desvalorização do real, que permitiu melhores margens operacionais na exportação, impactou negativamente o resultado financeiro. No 1T15, o resultado financeiro líquido foi negativo em R$20 milhões, contra um número positivo de R$9 milhões no 1T14; A Marcopolo Rio (produção de ônibus urbanos) teve prejuízo no 1T15 com problemas operacionais e de precificação dos produtos. Este resultado negativo pode se repetir no 2T15. No entanto, a Marcopolo está fazendo uma profunda restruturação nesta unida, aumentando sua integração com as fábricas localizadas no Rio Grande do Sul; Um dos melhores números apresentados pela empresa no 1T15 foi o aumento de 22,0% nas unidades exportadas a partir do Brasil, que geraram uma elevação de 44,9% nestas receitas. O principal mercado de exportação no 1T15 foi a América Latina, principalmente Uruguai, Peru e Chile; As operações na África do Sul, China e México foram destaques em termos de ganhos de margem no 1T15; As exportações devem crescer no 2T15; Persistem as restrições das exportações para a Argentina, limitando as vendas da Marcopolo no exterior; Eleição municipal de 2016 representa uma grande perspectiva para o aumento nas vendas de ônibus urbanos, destinados a atualização de frotas; O valor dos recebíveis do Programa Caminho da Escola agora somam R$195 milhões, dado que a empresa recebeu cerca de R$40 milhões no 1T15. O Governo Federal realizou uma nova cotação de preços em abril, o que pode resultar em uma compra de veículos ainda durante 2015; Perspectivas para as unidades no exterior: - Índia: Recuperação do mercado ainda não foi completa, depois de forte retração. Os resultados foram bons no 1T15, com melhoria na eficiência em conjunto com aumento de vendas. No 2T15, as vendas já fechadas para o governo devem garantir também um bom resultado; - Argentina: A demanda neste mercado permanece abaixo do normal, além das restrições às exportações a partir do Brasil; - Colômbia: Persiste a expectativa de resultados estáveis em relação ao ano passado; Página 9

10 - México: Houve forte aumento de receita e margens no 1T15. Para o restante do ano, permanecem as expectativas positivas, com aumento de vendas de Rodoviários e melhoria do mix de produtos vendidos; - África do Sul: Resultado positivo no 1T15 e expectativa de um bom ano; - Egito: O resultado no 1T15 foi melhor que no ano passado, com tendência de que os números do ano superem aos de 2014; - China: Neste ano, a produção de carrocerias para exportação deve significar um melhor retorno; - Canadá (New Flyer): É esperado que em 2015 esta empresa tenha recuperação de preços e margens. Os resultados da Marcopolo mostraram o quão desafiador para a toda a indústria automobilística está sendo este início de ano, com as exportações e o bom desempenho das unidades no exterior salvando o resultado. No entanto, no segundo semestre podemos enxergar uma retomada na demanda de ônibus urbanos, que deve ser impulsionada pelo repasse de tarifas e a proximidade das eleições municipais de Para os ônibus rodoviários, será muito positiva a regulamentação dos serviços de transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros, que pode ocorrer no próximo mês. Segundo a Marcopolo, a demanda normal para Rodoviários é de unidades/ano, sendo que com a com a regulamentação das linhas este número poderia subir para unidades/ano. Iniciamos recentemente a cobertura da Marcopolo, recomendação a Compra com Preço Justo de R$3,40. Página 10

11 FLUXO ESTRANGEIRO Evolução mensal do fluxo líquido de capital estrangeiro na Bovespa (R$ milhões) (2.000) (4.000) (967) (2.222) abr/14 mai/14 jun/14 jul/14 ago/14 set/14 out/14 nov/14 dez/14 jan/15 fev/15 mar/15 abr/15 Fonte: Ibovespa, dados até 30/04/2015 Fluxo de Capital Estrangeiro (R$ milhões) 30/4/15 30 dias Mês Ano Saldo (389,633) , ,8 Fonte: BMFBovespa Contratos em Aberto Ibovespa Futuro (20.000) (50.000) (80.000) ( ) ( ) ( ) ( ) Investidores Não Residentes Investidores Insitucionais Contratos em Aberto - Ibovespa Futuro I. Não Residentes I. Institucionais Compra Venda Líquido (84.787) Página 11

12 AGENDA MACROECONÔMICA Data Horário País / Região Indicador Referência Expectativa Quinta-feira BR FGV: IPC-S (m/m) 7/mai Anterior 7/5/ :00 BR FGV - IGP-DI (m/m) Abril 0,89% 1,21% 08:30 BR Ata da Reunião do Copom 11:20 BR Produção de veículos Anfavea Abril :30 EUA Novos pedidos seguro-desemprego 2/mai 09:30 EUA Seguro-desemprego 25/abr 16:00 EUA Crédito ao consumidor Março 15,800 bi 15,51 bi. CH Balança comercial Abril 39,60 bi. 3,08 bi. Sexta-feira 08:00 BR IBGE: IPCA (m/m) Abril 0,76% 1,32% 8/5/ :00 BR IBGE: IPCA (a/a) Abril 8,23% 8,13% 09:00 EUA Variação na folha de pagamento (exc. agrícola) Abril 230 mil 126 mil 09:30 EUA Variação na folha de pagamento privada Abril 225 mil 129 mil 09:30 EUA Variação na folha de pagamento manufaturados Abril 5 mil -1 mil 09:30 EUA Horas médias semanais todos os funcionários Abril 34,5 34,5 09:30 EUA Taxa de subdesemprego Abril 10,90% 09:30 EUA Taxa de participação da força de trabalho Abril 62,70% 09:30 EUA Estoques no atacado (m/m) Março 0,30% 0,30% 11:00 EUA Vendas de negócio no atacado (m/m) Março 0,50% -0,20% 11:00 CH IPC (a/a) Abril 1,60% 1,40% 22:30 CH IPP (a/a) Abril -4,50% -4,60% Segunda-feira 08:00 BR FGV - IGP-M 1º Prévia Maio 1,03% 11/5/ :30 BR BC - Pesquisa Focus (semanal) 15:00 BR Balança comercial semanal 10/mai 00:00 EUA MBA - Execução de hipotecas 1T 2,27% Terça-feira 05:00 BR IPC FIPE- Semanal 7/mai 1,07% 12/5/ :00 EUA NFIB - Otimismo pequenos negócios Abril 95,2 11:00 EUA JOLTs - Ofertas de emprego Março :00 EUA Orçamento mensal Abril bi Fonte: Bloomberg Página 12

13 Parâmetros do Rating da Ação Nossos parâmetros de rating levam em consideração o potencial de valorização da ação, do mercado, aqui refletido pelo Índice Bovespa, e um prêmio, adotado neste caso como a taxa de juro real no Brasil, e se necessário ponderação do analista. Dessa forma teremos: Compra: Quando a expectativa do analista para a valorização da ação for superior ao potencial de valorização do Índice Bovespa, mais o prêmio. Neutro: Quando a expectativa do analista para a valorização da ação for em linha com o potencial de valorização do Índice Bovespa, mais o prêmio. Venda: Quando a expectativa do analista para a valorização da ação for inferior ao potencial de valorização do Índice Bovespa, mais o prêmio. EQUIPE Mario Roberto Mariante, CNPI* Luiz Francisco Caetano, CNPI Cristiano de Barros Caris Olavo Cutait Victor Luiz de Figueiredo Martins, CNPI Ricardo Tadeu Martins, CNPI DISCLAIMER Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. (*) Conforme o artigo 16, parágrafo único, da ICVM 483, declaro ser inteiramente responsável pelas informações e afirmações contidas neste relatório de análise. Declaração do(s) analista(s) de valores mobiliários (de investimento), nos termos do art. 17 da ICVM 483 O(s) analista(s) de valores mobiliários (de investimento) envolvido(s) na elaboração deste relatório declara(m) que as recomendações contidas neste refletem exclusivamente sua(s) opinião(ões) pessoal(is) sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo. Declaração do empregador do analista, nos termos do art. 18 da ICVM 483 A Planner Corretora e demais empresas do Grupo declaram que podem ser remuneradas por serviços prestados à(s) companhia(s) analisada(s) neste relatório. Página 13

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa já iniciou o ano novo indicando que será mais um período de muita volatilidade para as ações. Diante de um cenário de grandes incertezas do lado doméstico e de olho nos acontecimentos

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa O Ibovespa não conseguiu sustentar o movimento de alta do começo da tarde e terminou o dia em queda de 0,15% aos 53.100 pontos, com baixo volume financeiro de R$ 4,7 bilhões, acumulando

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A queda das bolsas internacionais não ajudou a pressionar o mercado doméstico em dia de indicadores fracos na China e nos Estados Unidos. A aversão ao risco aumentou nos últimos dias com

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Bolsa. Índices, Câmbio e Commodities. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Bolsa. Índices, Câmbio e Commodities. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa Ontem a Bovespa não seguiu o ritmo dos mercados internacionais que tiveram dia de alta. A queda de Vale, Petrobras e dos principais bancos, contribuiu para o fechamento em baixa de 0,53%,

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) 07 de Junho de 2013 MERCADOS Bolsa A Bolsa segue influenciada pela fragilidade do cenário externo e somente conseguiu uma recuperação no final da tarde, com alta de 0,16%, aos 52.845 pontos. O giro financeiro

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa voltou a mostrar força ontem, suportada pelo mesmo motivo: a corrida eleitoral. Enquanto os mercados internacionais mostram espaço para a continuidade da realização de lucros a

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa Ontem, a Bovespa não conseguiu acompanhar os mercados internacionais, com o peso das principais ações do índice - OGX, Vale e Petrobras - além de bancos e siderúrgicas. O Ibovespa encerrou

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa O Ibovespa voltou a subir ontem refletindo os dados positivos da China que vieram na contramão da expectativa do mercado e também os indicadores dos Estados Unidos, que ajudaram a Bovespa

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa encerrou ontem em queda de 0,34% aos 50.993 pontos com volume reduzido de R$ 4,2 bilhões. Os investidores estão fora do mercado aproveitando o noticiário fraco e agenda econômica

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) 13 de Junho de 2013 MERCADOS Bolsa A Bovespa seguiu em queda ontem, desta vez influenciada pelo exercício de Ibovespa futuro e de opções sobre o Ibovespa e mau humor no mercado externo, com as bolsas norte-americanas

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa registrou, na sexta-feira, mais um pregão de baixo volume financeiro (R$ 5,5 bilhões) em dia de agenda fraca. O mercado já vem há vários dias operando com baixo volume e com predomínio

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) 17 de Julho de 2015 MERCADOS Bolsa A Bovespa fechou nesta quinta-feira em alta de 0,32% aos 53.070 pontos, após um pregão de volatilidade, com baixo volume financeiro de apenas R$ 3,9 bilhões. Como pano

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa registrou o terceiro pregão em alta na terça-feira, (+1,53%) fechando aos 50.890 pontos, mais uma vez ajudada pelas ações de Petrobras e Vale. O volume financeiro fraco (R$ 4,56

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) a MERCADOS Bolsa O Ibovespa teve mais um dia de volatilidade nos negócios, influenciado pelo vencimento do Ibovespa futuro e das opções sobre o índice e também pelos dados divulgados nos Estados Unidos

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa registrou mais um dia de recuperação, mesmo com as bolsas internacionais do lado negativo. O Ibovespa terminou a sessão em alta de 0,65%, aos 56.034 pontos. O giro financeiro totalizou

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa encerrou a quinta-feira em baixa de 0,76%, aos 52.239 pontos e segue registrando volume financeiro muito baixo, ficando em R$ 4,53 bilhões. Ontem a pressão foi do lado de Petrobras,

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa Depois da forte queda na segunda-feira a Bovespa conseguiu recuperar parte da perda e encerrou o pregão de ontem com valorização de 1,77% aos 46.964 pontos e com volume financeiro de R$

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa iniciou o mês de maio em alta de 2% aos 57.354 pontos, dando sequência à forte alta de abril. No ano até hoje, acumula ganho de 14,69%. O giro financeiro ficou em R$ 7,5 bilhões

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa fechou o dia em ligeira alta (0,17%) aos 47.364 pontos, com os investidores avaliando as propostas do governo federal e também a reação dos políticos ao pacote. Os cortes de despesas

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa Em dia de vencimento de opções sobre ações, agenda econômica fraca e com a repetição das mesmas notícias negativas sobre a Petrobras, a Bovespa ainda achou espaço para subir. O Ibovespa

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Juros. Altas e Baixas do Ibovespa. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Juros. Altas e Baixas do Ibovespa. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa não conseguiu sustentar o movimento de alta dos últimos dias com movimento de realização de lucro em importantes empresas do Índice. O Ibovespa terminou o dia em baixa de 0,45%,

Leia mais

Carteira de Dividendos Maio/15

Carteira de Dividendos Maio/15 A Carteira de Dividendos Planner encerra abril com valorização de 5,23% acumulando ganho de 4,53% no ano A Carteira de Dividendos leva em consideração os seguintes itens na escolha das ações: i) forte

Leia mais

15 de Outubro de 2015

15 de Outubro de 2015 out-14 nov-14 nov-14 dez-14 jan-15 jan-15 fev-15 mar-15 mar-15 abr-15 abr-15 mai-15 jun-15 jun-15 jul-15 jul-15 ago-15 set-15 set-15 jun-07 set-07 dez-07 mar-08 jun-08 set-08 dez-08 mar-09 jun-09 set-09

Leia mais

Boletim Planner. Investment Research. Mercados... Altas e baixas do Ibovespa. Mercado Futuro. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Planner. Investment Research. Mercados... Altas e baixas do Ibovespa. Mercado Futuro. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) out-10 dez-10 fev-11 abr-11 jun-11 ago-11 out-11 dez-11 fev-12 abr-12 Investment Research Sexta-feira, 20 de Abril de 2012 Mercados... Bolsa - A aversão ao risco dominou os mercados nesta quinta-feira

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa O dia foi de queda acentuada na Bovespa encerrando com queda de 1,82% aos 56.204 pontos, com volume financeiro de R$ 10,7 bilhões, sendo R$ 2,92 bilhões do exercício de opções sobre ações.

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa Depois de uma semana bastante positiva, a Bovespa teve mais um dia de alta forte encerrando o pregão com valorização de 1,09% atingindo os 57.634 pontos, com volume financeiro de R$ 10,96

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) 31 de Julho de 2013 MERCADOS Bolsa Índices, Câmbio e Commodities A Bovespa abriu em alta, mas não resistiu à pressão de vendas com investidores aguardando o resultado do encontro do Comitê Federal de Mercado

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN Banco Central do Brasil: Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) em agosto de 2015 O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados somou R$ 3,13 trilhões

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Bolsa. Índices, Câmbio e Commodities. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Bolsa. Índices, Câmbio e Commodities. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa chegou a operar em queda na parte da manhã, mas passou por recuperação na parte da tarde acompanhando o avanço das bolsas dos EUA, e fechou em alta de 1,13% aos 54,236 pontos.

Leia mais

04 de maio de 2015. A Carteira Dinâmica apresentou valorização de 5,03% em abril, acumulando alta de 5,24% em 2015

04 de maio de 2015. A Carteira Dinâmica apresentou valorização de 5,03% em abril, acumulando alta de 5,24% em 2015 A apresentou valorização de 5,03% em abril, acumulando alta de 5,24% em 2015 Período: 04/05 a 08/05 Com base em análises fundamentalistas, apresentamos alternativas de investimento no curto prazo. Acreditamos

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa O vencimento dos contratos de Ibovespa futuro hoje fez a Bovespa descolar dos mercados internacionais ontem. A Bovespa encerrou o dia com alta de 1,50%, aos 54.980 pontos, puxada pela forte

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional em fev/2015 O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados somou R$ 3,03 trilhões em fev/15, após alta de 0,5% no mês

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Bolsa. Índices, Câmbio e Commodities. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Bolsa. Índices, Câmbio e Commodities. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa O Ibovespa passou por forte realização ontem, pressionado pelo movimento de venda de investidores estrangeiros depois de promoverem a recuperação do mercado nas semanas anteriores. A expectativa

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN Oper. Crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) em julho/2015 O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados somou R$ 3,11 trilhões em julho/15, após alta de 0,3% no

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A quinta-feira marcou a divulgação do balanço da Petrobras cujo resultado pesou sobre as ações logo na abertura mostrando recuperação para fechar com alta significativa na ON e queda na

Leia mais

Investment Research Boletim Planner. Mercados... Altas e baixas do Ibovespa. Mercado Futuro. Agenda, commodities e índices internacionais...

Investment Research Boletim Planner. Mercados... Altas e baixas do Ibovespa. Mercado Futuro. Agenda, commodities e índices internacionais... Quarta-feira, 25 de Abril de 2012 Mercados....Bolsa Depois de três quedas consecutivas, a Bovespa conseguiu fechar a terça-feira do lado positivo com alta de 0.70% aos 61.971 pontos e volume financeiro

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional Dez/14 e 2014 O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados somou R$ 3.022 bilhões em dezembro de 2014, após expansão

Leia mais

Relatório de Análise. CSN: Boas perspectivas operacionais, mas duas incertezas. 4T12 Preços melhores e maior volume de minério

Relatório de Análise. CSN: Boas perspectivas operacionais, mas duas incertezas. 4T12 Preços melhores e maior volume de minério CSN: Boas perspectivas operacionais, mas duas incertezas A CSN teve um ano difícil em 2012, com perdas contábeis elevadas em seu investimento na Usiminas, expressiva redução na geração de caixa, aumento

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa mostrou recuperação ontem ajudada pela expectativa de anúncio de cortes nas despesas do governo federal, estimados em R$ 26 bilhões. O governo anunciou no final do dia as áreas

Leia mais

Portfólio Sugerido Maio/15

Portfólio Sugerido Maio/15 Ibovespa sobe 9,93% em abril, refletindo um forte fluxo de capital estrangeiro O mês de abril foi mais um período atípico para a Bovespa, que andou na contramão das expectativas. O cenário econômico e

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa registrou alta de 1,59% ontem, fechando aos 47.772 pontos, diante da possibilidade de o Banco Central Europeu (BCE) ampliar estímulos à região, após ter mantido a taxa básica de

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bolsa encontrou uma justificativa para engatar uma alta de 2,10% no último pregão de setembro. O destaque ficou por conta do reajuste dos combustíveis realizado na noite de terça-feira

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa Mais uma vez os investidores buscaram a realização de lucros diante das incertezas presentes na economia brasileira e piora dos indicadores divulgados. Adicionalmente, a correção recebeu

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa teve um período de realização de lucros durante a sessão de ontem, mas conseguiu recuperação no final, encerrando em alta de 0,50%, aos 55.812 pontos e no mês, acumula ganho de

Leia mais

Petrobras. Petrobras 2T13: Os lucros devem cair. Análise de Investimentos Relatório de Análise. 7 de agosto de 2013

Petrobras. Petrobras 2T13: Os lucros devem cair. Análise de Investimentos Relatório de Análise. 7 de agosto de 2013 2T13: Os lucros devem cair Estamos divulgando nossas projeções para os resultados da no 2T13 e também fazendo ajustes em nosso Preço Justo para as ações. Acreditamos que a terá um trimestre com crescimento

Leia mais

Spinelli Panorama Diário

Spinelli Panorama Diário Spinelli Panorama Diário 09 de fevereiro de 2010 Indicadores Variação - % Pontos dia semana mês Bolsas Ibovespa 63.153 0,62 0,62-3,44 IBX 19.989 0,47 0,47-3,70 S&P500 1.056-0,89-0,89-1,60 Dow Jones 9.908-1,04-1,04-1,58

Leia mais

18 de novembro de 2014

18 de novembro de 2014 Reunião Pública sobre o 3T14 e estratégia de crescimento A registrou no 3T14 um lucro líquido de R$ 2,7 milhões, 82% abaixo do lucro do 3T13, sensibilizado pelo crescimento de 17% da receita líquida, pela

Leia mais

12 de setembro de 2014

12 de setembro de 2014 Capacidade de promover mudanças Para o rating brasileiro a recuperação econômica conduzida por investimento e o rígido cumprimento das metas de superávit primário entre 2% e 3% são essenciais. Por outro

Leia mais

Boletim Diário. Análise de Investimento MERCADOS. 26 de Setembro de 2012. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa.

Boletim Diário. Análise de Investimento MERCADOS. 26 de Setembro de 2012. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. MERCADOS Bolsa Em dia de noticiário negativo, a Bovespa devolve parte da valorização acumulada no mês, encerrando a terça-feira com queda de 2,28%, aos 60.501 pontos. Em um dia de aversão generalizada

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN Oper. Crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) em mar/2015 O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados somou R$ 3,06 trilhões em mar/15, após alta de 1,2% no mês

Leia mais

Mineração. Minério de ferro: Preços em queda e estoques crescendo. Análise de Investimentos Relatório Setorial. 22 de Maio de 2014

Mineração. Minério de ferro: Preços em queda e estoques crescendo. Análise de Investimentos Relatório Setorial. 22 de Maio de 2014 Minério de ferro: Preços em queda e estoques crescendo A redução no ritmo de crescimento da produção de aço na China, as dificuldades financeiras das siderúrgicas com os baixos preços naquele país e um

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa conseguiu ontem reverter o movimento inicial de baixa que refletia os dados fracos da economia chinesa. A divulgação da meta fiscal para 2014 e o comportamento positivo das bolsas

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15 Relações com Investidores DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15 Apresentação: José Rubens de la Rosa CEO José Antonio Valiati CFO & Diretor de Relações com Investidores Thiago Deiro Gerente Financeiro & de

Leia mais

Panorama Econômico. Principais Fatos da Semana. 04 de Maio de 2015. Sumário. Acompanhamento De 27 de Abril a 01 de Maio

Panorama Econômico. Principais Fatos da Semana. 04 de Maio de 2015. Sumário. Acompanhamento De 27 de Abril a 01 de Maio Panorama Econômico 04 de Maio de 2015 Sumário Principais Fatos da Semana 1 Economia EUA 2 Economia Brasileira 3 Índices de Mercado 5 Calendário Semanal 5 Acompanhamento Principais Fatos da Semana Nos Estados

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14 Relações com Investidores DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14 Apresentação: José Rubens de la Rosa CEO José Antonio Valiati CFO & Diretor de Relações com Investidores Thiago A. Deiro Gerente Financeiro &

Leia mais

Portfólio Sugerido Setembro/15

Portfólio Sugerido Setembro/15 Ibovespa registra o pior desempenho no ano com queda de 8,33% A Bovespa registrou mais um mês de queda expressiva o que em parte, já era esperado. Nossa expectativa era de que a fragilidade dos indicadores

Leia mais

Perspectivas para a Inflação

Perspectivas para a Inflação Perspectivas para a Inflação Carlos Hamilton Araújo Setembro de 213 Índice I. Introdução II. Ambiente Internacional III. Condições Financeiras IV. Atividade V. Evolução da Inflação 2 I. Introdução 3 Missão

Leia mais

Papel e Celulose. Conjuntura externa favorece exportações de celulose. Análise de Investimentos Relatório Setorial. 02 de junho de 2015

Papel e Celulose. Conjuntura externa favorece exportações de celulose. Análise de Investimentos Relatório Setorial. 02 de junho de 2015 Conjuntura externa favorece exportações de celulose No 1T15 a produção brasileira de celulose atingiu 5.426 mil toneladas, 4,3% superior ao apresentado no mesmo período do ano anterior. Já as exportações

Leia mais

Boletim Planner. Investment Research. Mercados... Altas e baixas do Ibovespa. Podcast Planner. Hoje no Boletim Planner...

Boletim Planner. Investment Research. Mercados... Altas e baixas do Ibovespa. Podcast Planner. Hoje no Boletim Planner... abr-10 jun-10 ago-10 out-10 dez-10 fev-11 abr-11 jun-11 ago-11 out-11 Investment Research Quarta-feira, 19 de Outubro de 2011 Mercados... Altas e baixas do Ibovespa Bolsa Depois de uma abertura do lado

Leia mais

Marcopolo. Marcopolo: Compre e espere um pouco. Análise de Investimentos Início de Cobertura. 30 de Março de 2015

Marcopolo. Marcopolo: Compre e espere um pouco. Análise de Investimentos Início de Cobertura. 30 de Março de 2015 mar-14 abr-14 mai-14 mai-14 jun-14 jul-14 jul-14 ago-14 ago-14 set-14 out-14 out-14 nov-14 dez-14 dez-14 jan-15 jan-15 fev-15 mar-15 mar-15 : Compre e espere um pouco Luiz Francisco Caetano, CNPI* Estamos

Leia mais

Portfólio Sugerido Nov/14

Portfólio Sugerido Nov/14 Ibovespa encerra outubro com alta de 0,95%, mostrando forte valorização na primeira semana após a eleição presidencial. Conforme esperado, o comportamento da Bovespa no mês de outubro girou praticamente

Leia mais

Investment Research Boletim Planner. Mercados... Altas e baixas do Ibovespa. Podcast Planner. Hoje no Boletim Planner...

Investment Research Boletim Planner. Mercados... Altas e baixas do Ibovespa. Podcast Planner. Hoje no Boletim Planner... Quinta-feira, 22 de Dezembro de 2011 Mercados... Bolsa Nos últimos dias do ano a bolsa continua sem rumo, a mercê das notícias vindas principalmente da Europa e com baixo volume financeiro. Ontem foi mais

Leia mais

Earnings Release 1s14

Earnings Release 1s14 Earnings Release 1s14 1 Belo Horizonte, 26 de agosto de 2014 O Banco Bonsucesso S.A. ( Banco Bonsucesso, Bonsucesso ou Banco ), Banco múltiplo, de capital privado, com atuação em todo o território brasileiro

Leia mais

INFORMAÇÕES CONSOLIDADAS 1T14

INFORMAÇÕES CONSOLIDADAS 1T14 Caxias do Sul, 12 de maio de 2014 - A Marcopolo S.A. (BM&FBOVESPA: POMO3; POMO4), divulga os resultados do primeiro trimestre de 2014 (1T14). As demonstrações financeiras são apresentadas de acordo com

Leia mais

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai ao nível de 2009 com tensão global CCR tem expectativa positiva de crescimento para o próximo ano Ações PNA da Vale fecham na menor cotação desde 2006 Corte de produção na China e

Leia mais

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa encerra semana em alta Mercado aguarda IPCA para ajustar cenários Divisão Consumo da Hypermarcas cresce 10% M.Dias Branco tem lucro de R$108 mi Contax aprovou R$ 55,4 milhões em dividendos

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

INFORMAÇÕES CONSOLIDADAS 1T15

INFORMAÇÕES CONSOLIDADAS 1T15 Caxias do Sul, 04 de maio de 2015 - A Marcopolo S.A. (BM&FBOVESPA: POMO3; POMO4), divulga os resultados do primeiro trimestre de 2015 (1T15). As demonstrações financeiras são apresentadas de acordo com

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional atingiu 54,5% do PIB, com aproximadamente 53% do total do saldo destinado a atividades econômicas. A carteira

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

Relatório Analítico 27 de março de 2012

Relatório Analítico 27 de março de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa TGM A3 Segmento de Atuação Principal Logística Categoria segundo a Liquidez 2 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 29,51 Valor Econômico por Ação (R$) 32,85 Potencial

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O Copom decidiu, por unanimidade, elevar a taxa de juros Selic em 0,5 p.p., a 14,25% ao ano, conforme esperado pelo mercado. A decisão ocorreu após elevação de 0,5 p.p no último encontro.

Leia mais

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa tem queda, mas encerra mês em alta Mercado vê inflação maior e PIB baixo em 2015 Casino vai acelerar expansão do Pão de Açúcar Minério de ferro cai 48% e tem pior cenário Brokers fecha

Leia mais

Segunda-feira, 18 de Novembro de 2013. DESTAQUES

Segunda-feira, 18 de Novembro de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa quebra sequência de baixa Bolsa da China fecha em forte alta Vale investe R$ 1,8 bi no Porto de Tubarão Mineração e preços puxam ganhos da CSN Lucro líquido da BR Insurance sobe 16,3%

Leia mais

Spinelli Panorama Diário

Spinelli Panorama Diário Spinelli Panorama Diário 18 de setembro de 2009 Indicadores Análise Gráfica Ibovespa: Após o teste do suporte de 55.300 pontos, o Ibovespa registrou forte recuperação, superou a resistência de 57.300 pontos,

Leia mais

RENDA FIXA TESOURO DIRETO 09/10/2012

RENDA FIXA TESOURO DIRETO 09/10/2012 DESTAQUES DO RELATÓRIO: Carteira Recomendada A nossa carteira para este mês de Outubro continua estruturada considerando a expectativa de aumento da taxa de juros a partir do próximo ano. Acreditamos que

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV São Paulo, 06 de julho de 2010. CENÁRIO ECONÔMICO EM JUNHO A persistência dos temores em relação à continuidade do processo de recuperação das economias centrais após a divulgação dos recentes dados de

Leia mais

Boletim Planner. Investment Research. Mercados... Altas e baixas do Ibovespa. Hoje no Boletim Planner... Mercado Futuro

Boletim Planner. Investment Research. Mercados... Altas e baixas do Ibovespa. Hoje no Boletim Planner... Mercado Futuro jul-10 set-10 nov-10 jan-11 mar-11 mai-11 jul-11 set-11 nov-11 jan-12 Investment Research Sexta-feira, 03 de Fevereiro de 2012 Mercados... Bolsa Ontem a Bovespa ensaiou uma realização de lucros, mas encerrou

Leia mais

Segunda-feira, 03 de Fevereiro de 2014. DESTAQUES

Segunda-feira, 03 de Fevereiro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa perde 7,5% em janeiro Mercado eleva projeção para a Selic Petrobras terceiriza parte das refinarias BTG mira mercado de previdência Localiza tem lucro líquido de R$90 milhões Cade aprova

Leia mais

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento 12 de janeiro de 2015 Relatório Semanal de Estratégia de Investimento Destaques da Semana Economia internacional: Deflação na Europa reforça crença no QE (22/11); Pacote de U$1 trilhão em infraestrutura

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 29 de maio de 2015

INFORME ECONÔMICO 29 de maio de 2015 RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS Atividade econômica mostra reação nos EUA. No Brasil, o PIB contraiu abaixo do esperado. Nos EUA, os dados econômicos mais recentes sinalizam que a retomada da atividade

Leia mais

Investment Research. Boletim Diário. Agenda do Dia. Bolsa. Câmbio. Juros. Bolsas Fech. * Dia Mês Ano. Moedas. Commodities e Outros. Juros.

Investment Research. Boletim Diário. Agenda do Dia. Bolsa. Câmbio. Juros. Bolsas Fech. * Dia Mês Ano. Moedas. Commodities e Outros. Juros. Boletim Diário 13/05/2011 - sexta-feira Oscilação (%) Bolsas Fech. * Dia Mês Ano Ibovespa 64,003 0.4 (3.2) (7.6) Ibovespa Fut. 64,715 0.7 (3.4) (7.4) Nasdaq 2,863 0.6 (0.4) 7.9 DJIA 12,696 0.5 (0.9) 9.7

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO JANEIRO 2008

RELATÓRIO DE GESTÃO JANEIRO 2008 RELATÓRIO DE GESTÃO JANEIRO 2008 Este material tem o único propósito de divulgar informações e dar transparência à gestão executada pela Edge Investimentos, não deve ser considerado como oferta de venda

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Panorama Econômico Abril de 2014

Panorama Econômico Abril de 2014 1 Panorama Econômico Abril de 2014 Alerta Esta publicação faz referência a análises/avaliações de profissionais da equipe de economistas do Banco do Brasil, não refletindo necessariamente o posicionamento

Leia mais

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013. DESTAQUES

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa interrompe série de altas Dólar cai após seis altas com ação do BC Tesouro dá liquidez aos títulos Latam registra prejuízo líquido no 2º tri Itaú renova acordo com Fiat Faturamento da Minerva

Leia mais

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015 Resultados 1T15 08 de maio de 2015 2 Principais destaques do 1T15 Crescimento da receita líquida de 23%, sendo de 2 dígitos em todas unidades de negócio no comparativo ano vs. ano, favorecidas por 83%

Leia mais

(R $ 2 00 9 2 0 08 4 T0 9 4 T

(R $ 2 00 9 2 0 08 4 T0 9 4 T Spinelli Panorama Diário 04 de março de 2010 Indicadores Variação - % Pontos dia semana mês Bolsas Ibovespa 67.641-0,20 1,71 1,71 IBX 21.364-0,02 1,76 1,76 S&P500 1.119 0,04 1,29 1,29 Dow Jones 10.396-0,09

Leia mais

Earnings Release 1T15

Earnings Release 1T15 Santo André, 05 de maio de 2015: A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), maior operadora de turismo das Américas, informa aos seus acionistas e demais participantes do mercado

Leia mais

Sexta-feira, 09 de Maio de 2014. DESTAQUES

Sexta-feira, 09 de Maio de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa passa por correção após 4 altas Aécio avança e cresce chance de eleição B2W reduz prejuízo do trimestre em 5,7% Lucro da Marisa cresce 57,3% no 1º tri Lucro da Raia Drogasil dobra no

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 9 de outubro de 2015

INFORME ECONÔMICO 9 de outubro de 2015 Aug-10 Feb-11 Aug-11 Feb-12 Aug-12 Feb-13 Aug-13 Feb-14 Aug-14 Feb-15 Aug-15 INFORME ECONÔMICO RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS Alta de juros nesse ano ainda é o cenário base do FED. No Brasil, a inflação

Leia mais

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015 18/05/2015 EconoWeek DESTAQUE INTERNACIONAL Semana bastante volátil de mercado, com uma agenda mais restrita em termos de indicadores macroeconômicos. Entre os principais destaques, os resultados de Produto

Leia mais

Informativo Semanal de Economia Bancária

Informativo Semanal de Economia Bancária Comentário Semanal A pesquisa Focus desta semana trouxe uma nova rodada de elevação das projeções para o IPCA, tanto para este ano como para 2011. Para 2010, a mediana das estimativas subiu para 5,29%

Leia mais

Quinta-feira, 07 de Janeiro de 2016. DESTAQUES

Quinta-feira, 07 de Janeiro de 2016. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai ao menor nível desde março de 2009 "Pedaladas" podem virar crédito IPCA subiu 10,78% em 2015 ADRs da Gerdau fecham cotados a US$ 1 Queda pode levar Petrobras a rever preço da gasolina

Leia mais

Mercado Financeiro e de Capitais. Taxas de juros reais e expectativas de mercado. Gráfico 3.1 Taxa over/selic

Mercado Financeiro e de Capitais. Taxas de juros reais e expectativas de mercado. Gráfico 3.1 Taxa over/selic III Mercado Financeiro e de Capitais Taxas de juros reais e expectativas de mercado A meta para a taxa Selic foi mantida durante o primeiro trimestre de 21 em 8,75% a.a. Em resposta a pressões inflacionárias

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA SEMANA DE 21 A 25 DE SETEMBRO de 2009 Semana de preço estável no mercado de Boi Gordo no Rio Grande do Sul, com o preço encerrando a semana a R$ 4,61/kg carcaça.

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais