Janeiro 2015 UPTODATE. A Newsletter para os clientes GELITA. Aplicações GELITA! Gelatina Artística Jason Gomez

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Janeiro 2015 UPTODATE. A Newsletter para os clientes GELITA. Aplicações GELITA! Gelatina Artística Jason Gomez"

Transcrição

1 Janiro 2015 UPTODATE A Nwlttr para o clint GELITA #35 Aplicaçõ GELITA! Glatina Artítica Jaon Gomz

2 Editorial Przado litor, Só podmo crcr noo funcionáro também crcrm, diz Arian Kritof, Vic Pridnt Global d RH da GELITA. Em ua ntrvita ao uptodat, la xplica xatamnt o papl dmpnhado plo gtor, o motivo plo quai o funcionário dvriam trabalhar d acordo com a dirtriz da companhia porqu a mpra dv r capaz d tr êxito m conultor xtrno. Noo clint bnficiam da tratégia d vária forma. D um lado, l tão altamnt motivado, têm uma fort idntificação com a companhia contribum muito com noo mlhoramnto proco d inovação. D outro lado, trabalhar m conultor xtrno pod motrar prciamnt o quanto a GELITA pod r ftiva m trmo d cuto. Um bom xmplo d uma inovação rcnt: a Glatina GELITA RXL. Ela prmit a rápida libração d ingrdint ativo d cápula d glatina atualmnt diponívi ainda vita o indjado cro-linking; tai caractrítica tornam poívl o control do prazo d validad a diolução d forma otimizada d uma infinidadad d mdicamnto ou uplmnto. O clint podm armaznar itn produzido com a Glatina GELITA RXL durant príodo ubtancialmnt mai longo também ob condiçõ xtrma prmitindo, da forma, conomia d cuto conidrávl. A forma como a GELITA apoia dnvolv u funcionário também é praticada com o u clint mmo quando o bnfício não ão dirto. Conform a vnda d ômga-3 dclinaram ubtancialmnt no EUA, como rultado d notícia ngativa publicada na mídia (o clint, na vrdad, foram aftado por turbulência d mrcado), a GELITA não tv dúvida ao apoiar a GOED (Organização Global para EPA DHA Ômga-3). Saiba mai a rpito nta dição. Djamo a todo uma litura agradávl um xitoo início d 2015! Michal Tppnr, Entrvita Vic-Pridnt Global d Markting & Comunicação GELITA AG Só podmo crcr noo funcionário também crcrm Encontro no EUA Simpóio GELITA 2014 Inovaçõ [10] GELITA Tndo uma vião global É aim qu o mundo fica m forma A Equip d Editor da uptodat ntrvitou Dra. Arian Kritof, Vic-Pridnt Global d RH da GELITA AG [12] Sitma d ntrga GELITA [8] [3] [6] Produto inovador Dnhada artiticamnt [14] [2] Ecultor Jaon Gomz m Amtrdã Saúd da cabça ao pé O pptído d colágno GELITA

3 Entrvita Nó invtimo m noo funcionário m inovaçõ, ao invé d cara conultoría xtrna Com uma quip rlativamnt pquna 2500 funcionário m 21 planta ao rdor do mundo a GELITA trabalha continuamnt para lvar novo produto ao mrcado xpandir ua lidrança global no gmnto d glatina, pptído d colágno colágno. Como a mpra congu motivar u funcionário para qu atinjam tal dmpnho? Para ntndr mlhor dafio, upto dat ntrvitou Dra. Arian Kritof, Vic-Pridnt Global d Rcuro Humano, obr flxibilidad, rponabilidad u cinco m na África. Em 2010, você intgrou um projto d micro-crédito voltado a pquno mprnddor na Tanzânia paou cinco m morando com uma família portadora d HIV. Io é batant incomum para alguém na ua poição. Como tv a idia? Na época, u havia acabado d chgar à Almanha dpoi d um príodo na Suécia quria algo novo. Eu tinha tmpo quando ouvi a rpito d um projto qu tava ndo tocado por uma Organização Não-Govrnamntal Ingla (NGO). Como conomita, o tma do micro-crédito m atraía, ntão m candidati a uma vaga na NGO m vi rapidamnt num vilarjo no opé do Mont Mru. Para uma xpriência da, é prcio tr tmpo um djo latnt; a dua coia u tinha. O qu a xpriência lh proporcionou? Foi uma xpriência muito contrutiva. Tnho muito rpito por aqul qu não tivram ort uficint d nacr numa ituação como a minha, pcialmnt quando l têm qu lutar todo o dia apna para obrvivr. Em um paí ond não xit mrcado d trabalho formal, a poa ão baicamnt dixada por conta própria. Prcii [3]

4 Intrviw ntndr a importância d dfrutar daqula ituação. E, mai do qu nunca, u quria aprovitar a oportunidad o dafio profiionai qu urgiam nta xpriência. Você tá trabalhando para a GELITA dd Julho d Quai foram ua primira imprõ? Minha primira imprõ foram a cordialidad o calor com qu m acolhram. A cultura abrta da mpra rflt na arquittura tranparnt da dificaçõ da d, m Ebrbach. Apar da abrtura, d alguma forma ficou claro qu a GELITA xit há mai d 100 ano. Tal tradição dmandou o rpito ncário da minha part afinal, uma mpra não dura progrid por tanto tmpo à toa. Pn na Nokia, por xmplo. Na filoofia da GELITA, o valor d confiança, coragm, mpatia compromtimnto tão m vidência. Qual o papl dmpnhado plo gtor aqui? El têm uma função muito important; l ão obrvado tablcm padrõ com o u comportamnto. Noa mpra xig qu l intrprtm o valor dfinido pla companhia o vivam. Sua tarfa não é apna aumntar o dmpnho d u funcionário, ma também d apoiá-lo m u dnvolvimnto poal. O noo objtivo tratégico ão fortmnt acoplado a inovaçõ com alta xpctativa da quip como um todo. É, portanto, muito important qu o gtor acompanhm u ubordinado da manira. Sob o lma ONE GELITA, a mpra dja qu o funcionário um participm da formação da dirtriz. O qu você pna a rpito? O total é muito mai do qu a oma d part individuai. Uma mpra qu ntnd a i mma como uma quip é muito mlhor do qu uma qu nxrga u funcionário como trabalhador individuai. Atravé do lma ONE GELITA, pnamo dnvolvmo noa habilidad com foco no todo. Cada funcionário dv tr a prcpção d qu ua contribuiçõ ão valorizada. E cada poa prcia r capaz d ngajar na otimização do futuro dnvolvimnto da GELITA. Como o clint bnficiam da gtão orintada a valor? A GELITA ofrc ao u clint um mix divrificado d produto inovaçõ, qu talvz não tivm diponívi a força d trabalho não nvolv como nvolv hoj m dia. [4] Muito funcionário ficam na mpra por príodo xtraordinariamnt longo ão muito ddicado. Por qu io ocorr? Tornamo noo funcionário capaz d atingir a atifação atravé do trabalho, ao mmo tmpo qu ngajam no dnvolvimnto poal. Io também é uma part important da cultura d noa companhia. Em todo o mundo, mprgamo crca d 2500 poa. Na noa Na GELITA, fazmo rodar uma imna ngrnagm com um pquno tim d RH maior planta não há mai do qu pouca cntna d funcionário; io torna o trabalho muito poal. O tamanho da noa mpra prmit qu cada poa ncontr uma ára d atividad ond poa atifazr, m ncariamnt modificar. Quando prciamo d xprti, primiramnt o procuramo m noo próprio tim. Io ignifica qu virtualmnt damo prfrência a dnvolvimnto intrno m dtrimnto d rcrutamnto xtrno. A ncidad d noo funcionário tão mudando no dia atuai. Um númro crcnt dl, por xmplo, tá pdindo maior quilíbrio na rlação vida-trabalho. Como a GELITA lida com io? O qu vmo é uma grand flxibilidad. A GELITA dá muita librdad individual a é minha opinião incra. Em vz d aplicar rgra rígida, a GELITA baia- na rponabilidad d cada um. Você não vai ncontrar lita d rgra d conduta pndurada no corrdor; ofrcmo inclinação uficint para rponabilidad copo individual. No baamo na criatividad d noo grnt. El forncm o ambint qu ua quip prciam para um trabalho otimizado. Como a gtão poal ncaixa com noa difrnt cultura? Etamo no forçando para criar um padrão global na mpra, ma também rpitamo circuntância locai. O quilíbrio ntr a cultura d uma mpra familiar grmânica com planta ao rdor do mundo a ralidad local é um vrdadiro dafio, prciamo lidar com io cotidianamnt. Entrntanto, à mdida qu proco gra troca criatividad, l também é conidravlmnt nriqucdor. Quai ão o dafio futuro para o RH? Evidntmnt, trabalhamo para a GELITA continuar crcndo fortalcndo u podr d inovação. Io, ntrtanto, ó funciona o funcionário crcrm d forma corrpondnt. O RH cria o panorama para qu proco ocorra. Atualmnt tamo trabalhando num programa intrnacional d gtão, qu planjamo implmntar m toda a noa 21 planta ao longo d Noo proco d dnvolvimnto poal rá tranparnt m rlação ao noo indicador d dmpnho, vaga m abrto rquiito para dnvolvimnto. Implmntar uma ambicioa rd intrnacional qu contmpl toda a noa planta é, d fato, uma tarfa d RH dafiadora para uma mpra d noo port. Como você imagina dmpnhar tal tarfa? Obviamnt uma mpra pod mprgar caro conultor xtrno. Io, ntrtanto, não é o qu a GELITA vilumbra. Etamo concint do qu tá ocorrndo m rlação a motivação o dnvolvimnto; ntrtanto, farmo a implmntaçõ da noa própria manira programática focada m cuto-bnfício. Confiamo na rponabilidad do uprvior para ralizar tarfa no indivíduo para mlhorar ua própria habilidad. O RH fornc trinamnto coaching para tudo io. Uma mpra ó pod crcr u funcionário também crcrm com la Ond tão o ponto focai? Além do dnvolvimnto d gtor, uma Pquia d Funcionário é um ponto focal adicional; la tá ndo ralizada pla gunda vz. Vamo baar iniciativa no rultado da pquia para tornar noo funcionário mai atifito, conquntmnt, mai produtivo ficint. Por qu você colhu a GELITA para trabalhar? Snti qu ria uma tarfa dafiadora comandar o Dpartamnto d Rcuro Humano numa ba global. Também é altamnt prazroo trabalhar dntro da cultura d uma multinacional. Além dio, a GELITA é muito bm pocionada. O dafio não é fchar planta, como é o cao d muita outra companhia, ma promovr inovação a abrtura d novo mrcado para nó mmo noo clint.

5 Dra. Arian Kritof Dra. Arian Kritof, Economita, com pó-graduação m Litratura Ingla & Amricana. Ant d juntar à GELITA, trabalhou, ntr outro, para o Boton Conulting Group para a SCA (Svnka Clluloa Aktibolagt). [5]

6 GELITA produto inovador Saúd do pé à cabça : com pptído d colágno GELITA Noa aúd dpnd da noa mobilidad do noo aprço pla própria aparência, o qu corrpond ao bm tar. Forma aúd tão indpndnt da idad no topo d noa lita d prioridad o Pptído d Colágno GELITA podm no ajudar nt quito: d forma fácil ficaz. O colágno rprnta um trço d toda a protína do noo organimo. Sndo aim, podmo conidrá-la como a protína mai abundant important do corpo humano, la é rponávl pla mobilidad, tabilidad do mmbro, uavidad da pl do cablo, tônu mucular aúd da unha. O colágno pod r obtido a partir d noa nutrição diária, d forma a quilibrar a rdução na quantidad dta protína qu ocorr naturalmnt com o paar do tmpo. Porém, a partir d uma crta idad ou m função d um alto nívl d atividad, é difícil conumir a quantidad ncária d protína. Além dio, noa dita não é mai tão rica m colágno como cotumava r. Por a razão, a GELITA ofrc uma vata divridad d pptído bioativo d colágno qu auxiliam a funçõ naturai do corpo. D um lado l rprntam uma font d protína, d outro, timulam o corpo m u próprio proco d contrução d colágno. Cuidando da blza d dntro para fora VERISOL é um produto qu aumnta a laticidad da pl contribui fortmnt para o combat ao inai do nvlhcimnto dt important órgão do corpo humano. Embora muito comético contnham colágno, o uo xtrno pod r ftivo apna tmporariamnt. Por ua vz, o VERISOL ntra na corrnt anguína, alcançando o ponto m qu o colágno é produzido: o fibroblato, qu ficam na camada profunda da pl produzm o colágno do noo [6] Articulaçõ flxívi corpo. D forma compltamnt natural, o tcido conctivo é rforçado a partir d dntro. Io ignifica mno ruga, pl mai uav firm, cablo mai audávl unha mai fort. A articulaçõ ão litralmnt a pçachav do noo itma muco-qulético. Como ão normalmnt uada ao xtrmo, aprntam propnão a lõ dgat. Uma m cada quatro poa ofr d problma na articulaçõ. Conidrando qu crca d 70 % da maa da cartilagm da articulaçõ é fita d colágno, o conumo d pptído d colágno aprnta um alto potncial bnéfico. Com a ajuda d FORTIGEL, a GELITA ofrc um Pptído Bioativo d Colágno pcial, qu comprovadamnt timula o crcimnto da célula rponávi pla cartilagm da articulaçõ o conócito. O fito rgnrador aprntado por FORTIGEL foi confirmado m Etrutura óa távi Enquanto o pptído d colágno VERISOL ão pcialmnt otimizado para timular o fibroblato a aumntar ua produção, FORTIBONE influncia o chamado otoblato otoclato, qu por ua vz ão rponávi plo mtabolimo do oo. No tcido humano óo, o colágno é um bloco contrutivo ncial. O conumo d FORTIBONE fornc não apna tabilidad flxibilidad óa, ma também um fito qu fria donça dgnrativa como a otoporo. Aim, FORTIBONE é um uplmnto nutricional indicado para conumidor mai vlho qu ncitam d maior cuidado com a aúd do oo. vário tudo cintífico. A pquia também motraram um impacto poitivo do produto no tndõ ligamnto cuja compoição conit m 85 % d colágno. Em um xtno tudo nvolvndo mai d 1000 atlta qu tomaram FORTIGEL placbo, a adminitração d pptído d colágno outra ubtân-

7 Otoporo Matriz oéa comum FORTIBONE mlhora a tabilidad oéa. Body Toning Body Toning PEPTIPLUS timula o proco d contrução mucular. Protin Fortification Protin Fortification Comcutic Comcutical Cllulit VERISOL aumnta a laticidad da pl. Bauty from Sarcopnia Bauty from Within FORTIGEL timula o crcimnto da cartilagn da articulaçõ. Sarcopnia cia micro-nutritiva diminui o númro d lõ m 50 % m um príodo d doi ano. Bm contruído bm trinado Qum pratica port prcia conumir maior do d protína, omnt aim é poívl obtr o aumnto da maa mucular. É por io qu a GELITA dnvolvu o PEPTIPLUS, Pptído d Colágno pcialmnt concbido para t fim. Até ntão gmnto ra atndido baicamnt com protína do lit, tai como oro d lit coalhado ou caína. Io por qu ua compoição d aminoácido é aparntmnt boa para a contrução mucular. Sja como for, a GELITA conguiu dmontrar m doi tudo controlado por placbo qu Pptído d Colágno também ão capaz d aumntar a maa mucular apó atividad portiva na vrdad, com um volum comparativamnt mnor d apna 15 g diário. Ma por qu não xit um único produto contndo Pptído Bioativo d Colágno capaz d rolvr todo o problma d uma ó vz? Com bom humor, Dr. Stphan Haumann, Vic-Pridnt d Saúd & Nutrição da GELITA, xplica. Obviamnt ninguém dirig um carro d Fórmula 1 para ir ao hopping, nm um carro létrico no drto. Noo Pptído d Colágno ão pcialmnt dnvolvido para atuarm m ára pcífica do corpo, com foco naquilo qu o conumidor buca rultado por io ão pcialmnt ficint, mmo m pquna do. Como o bnfício ão alcançado atravé da uplmntação com pquna do, muita poibilidad oportunidad urgm para o mrcado. O Pptído Bioativo d Colágno da GELITA podm r combinado a outra ubtância, l poum abor odor nutro baixo valor calórico. Conquntmnt, ão pcialmnt indicada para qum qur mantr m forma audávl. Joint Halth Joint Ha No tudo ralizado, não apna a maa mucular foi aumntada, ma o nívi d gordura caíram. Apó a concluõ, a GELITA pôd rgitrar uma patnt para t fito, até ntão dconhcido m qualqur outra protína. Para a poa da trcira idad, qu ofrm prda d maa mucular com o paar do tmpo, fnômno conhcido como arcopnia, o PEPTIPLUS é o uplmnto nutritivo idal, conform o tudo comprovaram cintificamnt. A maa mucular prmanc intacta ou pod r aumntada m conjunto com atividad fíica modrada, nquanto a gordura é diminuída. VERISOL, FORTIBONE, FORTIGEL PEPTIPLUS ão quatro produto do portfólio GELITA capaz d garantir um audávl uprimnto d colágno da cabça ao pé. MAIS INFORMAÇÕES: Dr. Stphan Haumann Tl. +49 (0) [7]

8 Foto: Grt Jan van Rooij Artiticamnt dnhado: Glatina GELITA pod r muito vrátil. Com ajuda da Glatina GELITA, Jaon Gomz du um novo lutr a vlha cabça. [8]

9 Aplicaçõ GELITA Uma nova cara para vlho touro Quando o cultor Jaon Gomz vio a Amtrdã m janiro d 2013, l dcobriu um touro. Gomz ncontrou incontávi mold d go no dpóito da Acadmia d Art Holanda Rijk. Uando glatina, l du nova vida a part da colção. Su trabalho tá mpr m movimnto, urprndndo-o contantmnt. Dd o início, Gomz ficou abolutamnt facinado plo mold d go mpoirado. Originalmnt l ram úti para dnho contrutivo fito plo tudant da rpitávl Acadmia d Art Rijk. Para o cultor, l ram uma font d inpiração. Vindo d Lo Angl para uma tmporada d 2 ano na intituição holanda, durant o priodo Gomz ocupou baicamnt d uma dupla oniprnt rprntação uma ombra. Em função d ua forma cláica, a figura dá a imprão d r valoroa. Difrntmnt do dnho originai, porém, tratavam- na vrdad d imprõ dtinada a produçõ m éri, diz Gomz, acrcntando qu u trabalho tm a intnção d qutionar o obrvador a rpito da propoição do objto. Glatina prmit qu a figura ganhm vida Nacido m 1986, Gomz colhu quatro da forma d go qu ncontrou inicialmnt prparou mold. El também colhu a glatina como matrial d trabalho d ua cultura. Io lh prmitiu dar vida à figura. A intnção ra fazr com qu a figura mudam ao longo do ano, d forma imilar à do nvlhcimnto natural. N ntido, a intração com o obrvador não ria apna viual. A glatina prciaria r particularmnt clara incolor, d modo qu a luz fo capaz d atravá-la. Tai rquiito foram intiramnt atndido pla glatina GELITA. A GELITA m forncu glatina balítica. Su pcialita m dram dica muito úti para o procamnto da glatina. Gomz ntão diolvu a glatina no mold. Uma vz qu o matrial olidificou, l rtirou a figura do mold, a colocou m uport compltou ua cultura uando luz. A glatina é tranlúcida dá uma imprão d oniprnça quando a font d luz tá muito próxima da figura. Ui LED para a iluminação, uma vz qu lâmpada comun não alcançariam o mmo fito. Efito urpra djado Mmo qu Gomz oub qu a figura paariam por mudança, l implmnt dixou qu o proco acontc. Uma da figura ficou ultra-pada rcntmnt partiu m dua part. Foi magnífico vr como a figura autodtruiu como a glatina d diipou d forma barulhnta a partir da trutura d aço. No final d novmbro d 2013, Gomz aprntou ua cultura durant um vnto da Rijk Acadmy. Foi um uco: viitant comparcram à xibição anual da intituição. Fiqui muito animado com o rultado; o vnto crtamnt m du a oportunidad d conquitar novo paço d xpoição, di Gomz. A Galria d Art Magazijn, d Amtrdã, organizou a xpoição Jaon Gomz. Th Domtic Archivit, m tmbro d Em novmbro d 2014, a cidad d Turim, na Itália, também rcbu uma xpoição do jovm artita. E a figura, como tão hoj? Ela ncolhram tão mai mai ptrificada; mudaram batant dd qu foram produzida. Ainda m urprndm. Sou muito grato por podr obrvar proco m prgunto qual rá u rultado final, finaliza Gomz. MAIS INFORMAÇÕES: Dr. Chritoph Simon Tl. +49(0) [9]

10 GELITA Simpóio 2014 Evnto Global da Indútria Paltrant convincnt, tópico intrant um programa divrificado - mai d 50 convidado d doz paí participaram do impóio d clint organizado pla GELITA ntr tmbro d 2014, m Dnvr, EUA. Glatina Pptído d Colágno: Soluçõ para Dafio m Saúd Nutrição foi o lma do impóio. Como um prlúdio, Dr. Franz Jof Konrt, pridnt da GELITA, aprntou a mta d crcimnto para a mpra. Uma éri d orador d rnom da indútria pcialita da GELITA motraram a vária prpctiva ofrcida pla glatina plo pptído d colágno na ára farmacêutica, d aúd nutricição. A paltra também incluíram dbat obr a importância pcial do hidrocolóid para aplicaçõ na indútria farmacêutica. O programa incluiu ainda a tndência mundiai no uo d glatina, bm como o fator d mrcado mai important rlvant para o futuro. O impóio proporcionou ao participant uma plataforma para qu poam dicutir tma rlvant com o paltrant, lídr d opinião, par da indútria pcialita da GELITA. Um panorama divro xcitant também foi forncido: o participant pudram viitar uma mina d prata dativada fazr uma viagm d trm plo Clar Crk Canyon. Uma paltra particularmnt intrant inpiradora foi aprntada por Kyl Maynard, coaching motivacional amricano, qu nacu com braço prna atrofiado. Apar da limitação fíica, Kyl já calou o Mont Kilimanjaro. Cada participant rcbu uma cópia ainada do u livro Sm dculpa. No qutionário d avaliação do impóio, o participant dram 4.5 d nota média, d 5 ponto poívi. Io indica d forma inquívoca qu o programa do impóio foi prciamnt dirigido ao mmbro da indútria, dicutindo tma atuai úti ao profiionai do tor. [10]

11 Mai do qu um impl forncdor d protína d colágno GELITA dá uport à indútria d ômga-3 Forncr ao u clint nova inovadora linha d produto não é o uficint para a GELITA. Em vz dio, qurmo ir muito além, forncndo rviço gnuíno. A mdida qu no vmo como um parciro d noo clint, nó da GELITA também qurmo ajudá-lo a lidar com a condiçõ d mrcado. A fim d forncr tipo d uport, ofrcmo, por xmplo, muito mai orintaçõ rlacionada ao cumprimnto da norma rgulatória d cada mrcado ao noo clint do qu outro playr do noo gmnto. A última dição da uptodat rlatou a ralidad d forma abrangnt. Outro xmplo qu ilutra a filoofia vm da crítica publicada na imprna ao ácido graxo ômga 3, qu fizram com qu o volum d ngócio nvolvndo produto tiv uma quda conidrávl no EUA. Atnta a a ituação, a GELITA apoiou a Organização Global para EPA DHA ômga-3 (GOED) mmo m fazr part dirtamnt do ngócio d ômga-3. Porém, o uco d mrcado é um fator dciivo para muito clint GELITA. Aim, é um tma important também para a GELITA. O objtivo da GOED é trazr d volta, poitivamnt, o ácido graxo ômga-3 à conciência do conumidor, rcuprando-lh a confiança no produto. A GELITA patrocionou a iniciativa da GOED confirmando mai uma vz qu pod dar conidrávl uport ao u clint. [11]

12 GELITA Inovaçõ Nova tcnologia oportunidad d mrcado Sitma d ntrga GELITA Cápula rígida, cápula mol, goma fortificada: nunca foi tão fácil provr ingrdint ativo, vitamina outro componnt funcionai. Io, porém, não é motivo para a GELITA dar por atifita. Plo contrário, a mpra gu pquiando continuamnt nova oportunidad. A última inovação diz rpito à tcnologia GELITA RXL, qu mlhora ignificativamnt a tabilidad diolução d cápula d glatina. Cápula rígida foram invntada m mado do éculo XIX; cápula mol urgiram crca d 100 ano dpoi. No final do ano 1990, a primira goma d fruta urgiram no EUA. Atualmnt, a dmanda por goma d fruta à ba d Glatina GELITA nriqucida com vitamina, minrai, ácido graxo ômga-3 outro ingrndint tá vivndo uma fa d fort acnão no EUA. Aprovitando o bnfício da vitamina Originalmnt, goma fortificada foram dnvolvida para forncr vitamina à criança d forma fácil. Convncido do apcto poitivo d tipo d alimnto, muito pai paaram a conumi-lo também. Ea forma fácil convnint d conumir vitamina outro ingrdint troux ao fabricant novo lucrativo nicho d atuação. Atualmnt, [12] a goma fortificada também fazm uco ntr conumidor mai vlho, qu m algun cao têm dificuldad para ngolir comprimido. Além dio, com abor nutro, a Glatina GELITA pod r uada na fabricação d itn livr d açúcar conqumnt mai bnfíco a aúd do dnt. podm ocorrr ntr o produto a cápula. Uma camada inolúvl forma, xrcndo fito ngativo na tabilidad funcionalidad do produto. Atualmnt, muito itn farmacêutico podm aprntar fort fito d cro-linking, tornando- inadquado para acondicionamnto m cápula d glatina. Cápula d glatina dura mol tão ntr o itma d ntrga favorito da indútria farmacêutica d uplmnto nutricionai. Tai cápula podm aprntar abor nutro ão fáci d ngolir. Cápula mol ão mai adquada para produto líquido ou patoo, nquanto cápula dura ão indicada para produto m pó. Entrtanto, quando crto ingrdint rativo ão uado ob condiçõ xtrma d armaznamnto, como alta tmpratura ou alta umidad, raçõ cruzada, ou implmnt cro linking (normalmnt abrviado como XL), GELITA a rdução d cro-linking Até ntão, o fito XL vinha grando cuto norm para a indútria farmacêutica. Porém, a GELITA, m coopração com a Univridad d Hidlbrg, dnvolvu a GELITA RXL. Ea inovadora tcnologia rduz draticamnt o cro-linking, mmo ob condiçõ xtrma d acondicionamnto diolução da cápula. Da forma, o patntado concito RXL aumnta inficativamnt a oportunidad para a indútria farmacêutica, qu

13 GELITA Ativa Ainda mai alta. Ainda mai difícil. GELITA Trail Marathon, Hidlbrg 2014 Goma d fruta Toothfrindly Jutta Hugnbrg (GELITA AG), Foi a vncdora no trcho Caminho do céu Foto: A cápula mol Qua 1500 participant incrvram para a gunda GELITA Trail Marathon, ralizada m Hidlbrg no início d outubro. Do total, 500 optaram por prcorrr a ditância total d 42 quilômtro 195 mtro, na qual 1500 mtro d altura prciaram r tranpoto. O participant ficaram pcialmnt ntuiamado com a nova rota: a primira mtad da prova o guiou por trilha d rara blza, qu aprntaram um grand dafio ao corrdor. Para Almuth Grübr io não foi um problma; la conguiu outra vitória. Na catgoria maculina, Philipp Eil também lvou o primiro lugar plo gundo ano. O funcionário GELITA também motraram conidrávl pírito portivo: Jutta Hugnbrg, da quip cintífica da mpra, vncu no xignt trcho Caminho do céu, novidad na prova d Sitma d ntrga GELITA pod voltar novamnt a produto rativo uplmnto nutricionai baado m cápula d glatina. GELITA RXL torna poívl adaptar cápula rígida mol a difrnt ncidad d produto. O rultado ão produto qu diolvm d forma otimizada aprntam mai tabildad contribuindo da forma para a lucratividad d ua mpra. MAIS INFORMAÇÕES: Olivr Wolf Tl. +49(0) [13]

14 Fira d ngócio com público rcord GELITA xpõ na HNC na SupplySid Wt Expo: Em junho d 2014, a GELITA participou da HNC Expo m Xangai m outubro d 2014, da SupplySid Wt (SSW), m La Vga. Amba a fira rgitraram público rcord. Mai d 63 mil viitant d 131 paí participaram da HNC, 10% acima da dição antrior. Por ua vz, a SSW atraiu mai d 13 mil viitant d 62 paí, um aumnto d 7 % obr a dição antrior. Em noo tand, o viitant pcializado motraram particular intr no Pptído Bioativo d Colágno VERISOL, FORTIGEL, PEPTIPLUS FORTIBONE na inovadora glatina GELITA RXL. Muito parciro d ngócio da GELITA clint m potncial uaram a fira para informar do produto inovador para dicutir nova ára d aplicação. DATAS: Viit a GELITA vja noo produto inovador para a mgatndência d amanhã. Em 2015, participarmo como xpoitor da guint fira: ENGREDEA, Anahim 6 a 8 d Março 2015 Viatfood SA, São Paulo d Março 2015 FCE Pharma, São Paulo 12 a 14 d Maio 2015 FIC Xangai 1 a 4 d abril 2015 Vitafood EU Gnva 5 a 7 d Maio 2015 HNC Xangai 24 a 26 d Junho 2015 IFT Expo Chicago 12 a 14 d Julho 2015 Expdint uptodat é uma nwlttr do Grupo GELITA Editor: GELITA AG Ufrtr Ebrbach Almanha [14] Equip ditorial: Stphan Ruhm, Markting Comunicação, Michal Tppnr, Rponávl por Markting Comunicação, Tl.: +49(0) Fax: +49(0) Concito, txto criação: rg wrbagntur ag, Mannhim Imprão: Mtzgrdruck, Obrighim

15 A partir do ponto d vita global É aim qu poa ao rdor do mundo mantêm m forma Sja no EUA, Almanha ou Brail, o concito d Intrvalo d Trino d Alta Intnidad (HIIT, na igla m inglê) rprnta uma modalidad d malhação qu tornou um vrdadiro hit intrnacional. E vigoroo tipo d trinamnto lidrou a lita d 20 principai tndência para 2014*. O programa dura apna d 20 a 30 minuto ndo, portanto, idal para qum não tm muito tmpo. Uma da variaçõ do HIIT é o CroFit, tipo d trinamnto m circuito, qu combina xrcício com o próprio po do corpo, lvantamnto d po, corrida, ginática d ritência, força, rapidz, movimnto quilíbrio. Trinamnto qu xploram o próprio po do corpo programa pciai d fitn, fito por pronal trainr, ão muito popular ntr poa mai vlha. Aim como tipo d malhação, o mrcado d ptído bioativo d colágno também tá m acnão. Cada vz mai ntuiata do port dcobrm a vantagn do pptído d colágno, paando a conumi-lo m bbida funcionai, produto lácto, ampola, pó cápula. Com FORTIGEL ou PEPTIPLUS, a GELITA provê à indútria famacêutica alimntícia pptído d colágno inovador, ajudando-a a dbravar novo mrcado. *Etudo Intrnacional coordnado plo Amrican Collg of Sport Mdicin (ACSM) EUA Almanha Brail O port nacional no EUA é o futbol amricano. Ma, na vrdad, outro port com bola, tai como baqut, baball vôli, também tão muito bm tablcido. Para muito, a prática d port é uma prioridad no momnto d lazr. Natação, golf, têni atltimo ão também muito popular. Qua 35 % do almã ão ntuiata d futbol muito, obviamnt, na condição d pctador d tádio ou m frnt à TV. Entr outra atividad, muito pdalam, praticam ginática vão à acadmia. Quanto à acadmia, não trata d uma tndência tão popular quanto no EUA, ma no mínimo 10 % do almã já frquntam tipo d tablcimnto. No Brail o futbol também é muito rprntativo a lção do pái já conquitou 5 Copa do Mundo, númro maior do qu qualqur outra quip. O port nacional, ntrtanto, é a Capoira, um tilo marcial d luta qu o cravo africano dnvovram a partir d ua dança. Sja como for, o brailiro mantêm m forma: com comptiçõ d vôli d praia lvantamnto d po ao ar livr. [15]

16 Flyr_FOR TIGEL_n _ g (4p)_ rg r v EL pr FORTIG lif of quality th d that b conclud ffct on ial a it can td dat a bnfic tid th prn TIGEL ha EL collagn pp Bad on tration of FOR hlp FORTIG ini halth and quntly, oral adm of joint tiu. Con maintnanc g tila. car to th lity of lif tribut and qua can con ility mob to prrv oprti gical pr VERIS Flyr_ Tchnolo protin natural t can EL i a tat tha y FOR TIG odor and man of nutral lmntd into llnt imp vid xc tion b aily. It pro olu application dlivr clar r y and with oth olubilit rac ting int t withou nt. ingrdi OL _ 14 _ rg ) l food E numbr natura labl (no food clan digtibl highly rgnic food non-all t ark ing m grow ia tnt po. mou id nor worldw ha ic SOL VERI icomt tr of nu Fly ar al ph btw mou rn m ic i r, nor womn in thir ha mt wt howv th vt in co n, SOL d at VERI t aim d to in llagn nw on In Japa odtuf f. d co uc ar fo trn prod prp u of what al intak car, ar p ty. Thi A. who anc. Th t grou af tr or of bau blihd US ar rg ct ta d th app g thi ta y f f th fild wll an or y rop amon timulat way in alrad in Eu with. y th kl n ar it ic n i om rinkl lad ad qu llag of w ll a w ut y a w which ning co to pr rn ai d conc n a of B n ar cont xpct ain om firm ctivn m o and of w btanc f th i al laticity th f majority i a u ural. ad dr in n : f in g nat lla. Th SOL g k bli ing ti-aging VERI to agin by th maur Sinc co d a b an., d rd g v rga ppor t ti-agin ollagn prci l availabl maur i u c an al tic it to v, rm a It i within hi t body rnativ dr to ac with om mor th t ith th US fr iliar w ucd by a ral al ing th ndd omn TIPLt famat i prodrrpr)nt vn includriod of timprovid wr and to do P E th p P mo t, it onal ca SOLmb poibly hor t r t la E nu rod, ly pro ural foodl (nveoria ufo lativ t but no thir p at b m l th r. La nhanc lv. n an la gtib fo tood fct du cl ighly di gnicibl f unity to r thm r vi rt fo h on-all oppo good th hing n t om -20 gn! kt of mar colla ing of ag d ut ar grow an n tr tntial in th30 and 60wyll-bingcommon y al Wom n po kt rad yic )_4 ng (4p l in th novati Mak in v rality! ida a product tion, r applica mot div, ditary anc th nal food L can nh, functio FORTIGE product g dairy. includin bvrag nt and upplm r_ PE PT IPLU S_ a ral nt r. pr u L r g ma in RISO VE anti-ag ithin m w l availabl fro ty al Bau ativ to rn t y al h Grman 12 Ebrbac rtr lita.com AG Uf GELITA glita.com ng ith r, w y ca r! t u a u b pla ct prf t on Th ing ou mi (4p) _4-2 out r 014_ g om, fr olid olat. oc d to liqui ch a ch om t, fr uff u oduc foodt ion y pr om man luxury tion ulat d fr t nc, to an wan olu form nha y drink typ t you ation and ar nt iz h dit ri On rnt ffr produc S va optim throug di L U f, SO th P TIPL in dif VERI tablt labl d to PE avai align of fr alal. i, o dh US urc W al hr an TIPL PEP nt o tur. Ko r diff anuf ac rtifid c to m ar ch whi MIX ED INE coat SH FI S XF IPLU atd PEPT omr aggl S XF IPLU PEPT C POR S XP S XM IPLU IPLU atd E PEPT PEPT omr aggl O S XP S XB IPLU IPLU atd PEPT S SM PEPT glomr IPLU O ag PEPT S XB IPLU PEPT S SP S SP IPLU IPLU atd PEPT PEPT omr gl ag IN OV EB d ON S SB tiv ova pro du d a ct i ISOL VER mot pro l food r) mb E nu od tura l (no na n lab tibl fo a cl ly dig ic food n gh hi n-allrg no on y triti rman & Nu lita.com G alth bach it H Ebr Un uman 412 Buin n.ha 69 m tr. 7 ad of l: tpha a.co r lit H, Uf ai g n m TA AG Hauman 109 E.wal GELI -2 n agr l: martin pha Man Dr. St : uct 7 E-mai Prod Phon tr, Wal 71 tin 62 Mar : +49 Phon a r y! alit o b n al nt. it ca di But ingr r. al al ba nction r fu tion func oth and ith g d w vra mix b r or pu r rition y Nut com man lth & lita. Gr bach Unit mann Ebr u m uin n.ha 412 a.co 69 of B pha lit 7 d g. t rtr, Ha ail: alt Uf ann 9 M n.w AG r arti aum -210 ITA 84 nh anag l: m t M Mai pha oduc 7 r. St +49 : r, Pr on t Ph Wal tin Mar : +49 Phon GELITA AG Ufrtr Ebrbach Almanha EL for FORTIG l mobilit y cartilag n ai ut ab to rgnrat joint for EL FORTIG promot id r rov S p in pow U L TIP rot PEP lthy p drink r ha tin fo ility proc t pro vailab y to ffc a t a g B h bio and tonin ig H ratil body d V hanc n E provn chanim bility tifically own m Scin body' timum mo lat th hy joint and op no id ffct h Stimu ing halt h naturally wit maintain alt h t joint Promo mal dr. in th fctiv llagn n t b f f co o ic ca a lo comt n al ma ing r topic g a Skin yr, wh la kin in, k nkl wri in prov r ging im in a y tu ing cantl d moi of k row ifi n n u t-g Sig icit y a th ca r fa th t la tract in lay i in k un unit Co drmal opport t k th nw mar at ic Cr icomt nutr in with om y f r OL t u a S B VERI with Halthy aging with trong and ta bl bon Improv bon tability and flxib ility Promot bioy nthi of bon xtracllular matr Rduc dg ix nrativ ffct Dclrat lo of bon tiu Support bon tiu ubtanc and dnity Toda a nwlttr GELITA podm r baixada a partir do ndrço:

Automotive Service Center Soluções completas para empresas e profissionais do setor automotivo

Automotive Service Center Soluções completas para empresas e profissionais do setor automotivo A Boch traz para você a oficina do futuro Oficina autopça d todo o mundo têm a Boch como um grand técnico mprariai criado pcialmnt para difrnciar ua mpra no mrcado. té A gama mai complta d pça d rpoição.

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini - Novembro 2013

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini - Novembro 2013 Txto para Coluna do NRE-POLI na Rvita Contrução Mrcado Pini - Novmbro 2013 Rico do Tomador do Agnt Financiro no Uo do Sitma Pric m rlação ao Sitma SAC no Financiamnto d Imóvi Ridnciai Prof. Dr. Claudio

Leia mais

SC101. Decibelímetro integrador classe 1 com protocolos de medição FOI TÃO FÁC. Aplicações Dispõe de protocolos de medição para:

SC101. Decibelímetro integrador classe 1 com protocolos de medição FOI TÃO FÁC. Aplicações Dispõe de protocolos de medição para: Dciblímtro intgrador cla 1 com protocolo d mdição Aplicaçõ Dipõ d protocolo d mdição para: Ruído grado por vículo a motor Nívi onoro mitido produzido por atividad vizinhança UÍDO NUNA MEDIR O R IL FOI

Leia mais

Projeto Toda Força ao 1º ano

Projeto Toda Força ao 1º ano SECETAIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DIETOIA DE OIENTAÇÃO TÉCNICA CÍCULO DE LEITUA E ESCITA Projto Toda Força ao 1º ano Guia para o planjamnto do profor alfabtizador Orintaçõ para o planjamnto avaliação do trabalho

Leia mais

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T.

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T. Pêndulo Simpls Um corpo suspnso por um fio, afastado da posição d quilíbrio sobr a linha vrtical qu passa plo ponto d suspnsão, abandonado, oscila. O corpo o fio formam o objto qu chamamos d pêndulo. Vamos

Leia mais

Desempenho elevado... mesmo nos espaços mais reduzidos

Desempenho elevado... mesmo nos espaços mais reduzidos Stackr com condutor apado Aimntação AC 1,0 1,6 tonada SBP10N2 SBP12N2(I) SBP12N2(I)R SBP14N2(I) SBP14N2(I)R SBP16N2(I) SBP16N2(I)R SBP16N2S SBP16N2SR Dmpnho vado... mmo no paço mai rduzido Compacto, fáci

Leia mais

Universidade Salvador UNIFACS Cursos de Engenharia Métodos Matemáticos Aplicados / Cálculo Avançado / Cálculo IV Profa: Ilka Rebouças Freire

Universidade Salvador UNIFACS Cursos de Engenharia Métodos Matemáticos Aplicados / Cálculo Avançado / Cálculo IV Profa: Ilka Rebouças Freire Univridad Salvador UNIFACS Curo d Engnharia Método Matmático Alicado / Cálculo Avançado / Cálculo IV Profa: Ilka Rbouça Frir A Tranformada d Lalac Txto 3: Dlocamnto obr o ixo t. A Função Dgrau Unitário.

Leia mais

CAPÍTULO 3 TÉCNICAS USADAS NA DISCRETIZAÇÃO. capítulo ver-se-á como obter um sistema digital controlado através de técnicas

CAPÍTULO 3 TÉCNICAS USADAS NA DISCRETIZAÇÃO. capítulo ver-se-á como obter um sistema digital controlado através de técnicas 3 CAPÍTULO 3 TÉCNICAS USADAS NA DISCRETIZAÇÃO A técnca uada para obtr um tma dgtal controlado nctam, bacamnt, da aplcação d algum método d dcrtação. Matmatcamnt falando, pod- obrvar qu o método d dcrtação

Leia mais

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

Cursos novos, prédio novo SOU+ História de sucesso. ConSePS faz a diferença. Boa performance do Omegabotz NOVEMBRO 2011 - Nº 108 - ANO 10

Cursos novos, prédio novo SOU+ História de sucesso. ConSePS faz a diferença. Boa performance do Omegabotz NOVEMBRO 2011 - Nº 108 - ANO 10 SOU+ NOVEMBRO 2011 - Nº 108 - ANO 10 INFORMATIVO DA FACULDADE DE ENGENHARIA DE SOROCABA CAMPUS ALEXANDRE BELDI NETTO Curo novo, prédio novo 03 04 09 Hitória d uco ConSPS faz a difrnça Boa prformanc do

Leia mais

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado.

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado. PSICROMETRIA 1 1. O QUE É? É a quantificação do vapor d água no ar d um ambint, abrto ou fchado. 2. PARA QUE SERVE? A importância da quantificação da umidad atmosférica pod sr prcbida quando s qur, dntr

Leia mais

EFICIÊNCIA DE UMA UNIDADE DE REFRIGERAÇÃO POR COMPRESSÃO DE VAPOR

EFICIÊNCIA DE UMA UNIDADE DE REFRIGERAÇÃO POR COMPRESSÃO DE VAPOR EFICIÊNCIA DE UMA UNIDADE DE REFRIGERAÇÃO POR COMPRESSÃO DE VAPOR Janailon Olivira Cavalcanti 1 - janailonolivr@ig.com.br Univridad Fdral d Campina Grand Av. Aprígio Vloo, 88 - Campu II 58109-970 - Campina

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

PROMOÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA NA EMPRESA. Prof. Jos é Ricardo Tóffoli

PROMOÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA NA EMPRESA. Prof. Jos é Ricardo Tóffoli PROMOÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA NA EMPRESA Prof. Jos é Ricardo Tóffoli PARTICIPAÇÃO DA S EGURANÇA E DA MEDICINA DO TRABALHO A qualidad d vida na mprs a dpnd do trabalho d uma quip multidis ciplinar, da qual

Leia mais

EC1 - LAB - CIRCÚITOS INTEGRADORES E DIFERENCIADORES

EC1 - LAB - CIRCÚITOS INTEGRADORES E DIFERENCIADORES - - EC - LB - CIRCÚIO INEGRDORE E DIFERENCIDORE Prof: MIMO RGENO CONIDERÇÕE EÓRIC INICII: Imaginmos um circuito composto por uma séri R-C, alimntado por uma tnsão do tipo:. H(t), ainda considrmos qu no

Leia mais

As Abordagens do Lean Seis Sigma

As Abordagens do Lean Seis Sigma As Abordagns do Lan Sis Julho/2010 Por: Márcio Abraham (mabraham@stcnt..br) Dirtor Prsidnt Doutor m Engnharia d Produção pla Escola Politécnica da Univrsidad d São Paulo, ond lcionou por 10 anos. Mastr

Leia mais

Planejamento de capacidade

Planejamento de capacidade Administração da Produção Opraçõs II Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad é uma atividad crítica dsnvolvida parallamnt ao planjamnto d matriais a) Capacidad insuficint lva

Leia mais

Análise de Estabilidade 113

Análise de Estabilidade 113 Análi d Etabilidad 6 Análi d Etabilidad 6. Etabilidad: A) Um itma é távl a ua rota ao imulo tnd ara zro à mdida qu o tmo tnd ara o infinito. B) Um itma é távl cada ntrada limitada roduz uma aída limitada.

Leia mais

Encontro na casa de Dona Altina

Encontro na casa de Dona Altina Ano 1 Lagdo, Domingo, 29 d junho d 2014 N o 2 Encontro na casa d Dona Altina Na última visita dos studants da UFMG não foi possívl fazr a runião sobr a água. Houv um ncontro com a Associação Quilombola,

Leia mais

MECÂNICA DOS FLUIDOS APLICADA A ESCOAMENTO DO SANGUE NA MICROCIRCULAÇÃO

MECÂNICA DOS FLUIDOS APLICADA A ESCOAMENTO DO SANGUE NA MICROCIRCULAÇÃO 6º POSMEC Univridad Fdral d Ubrlândia Faculdad d Engnharia Mcânica MECÂNICA DOS FLUIDOS APLICADA A ESCOAMENTO DO SANGUE NA MICROCIRCULAÇÃO Jona Antonio Albuqurqu d Carvalho Univridad d Braília Braília

Leia mais

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS Normas Aplicávis - NBR 15.950 Sistmas para Distribuição d Água Esgoto sob prssão Tubos d politilno

Leia mais

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES HÉLIO BERNARDO LOPES Rsumo. Em domínios divrsos da Matmática, como por igual nas suas aplicaçõs, surgm com alguma frquência indtrminaçõs, d tipos divrsos, no cálculo d its, sja

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

7 ANOS Mês dos namorados Conheça alguns casais que se conheceram no CNMP

7 ANOS Mês dos namorados Conheça alguns casais que se conheceram no CNMP Por Dntro do CNMP Ano II - dição 7 - junho d 2012 ho: l n o C do o i r á r v n Ani g a n om h a a r fi con 7 ANOS Mê do namorado Conhça algun caai qu conhcram no CNMP Apaixonado Nt mê do namorado, conhça

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

MONITORAMENTO DE INFORMAÇÃO

MONITORAMENTO DE INFORMAÇÃO A Casan 5/09) Diário do Sul/Tubarão - 29/09/2015 2 - Colunista - Arilton Barriros Mídia Imprssa A Ca www.clipagm.com.br 1 Mídia Imprssa Pr Projto d li ncaminha Balnário Piçarras ao tratamnto d sgoto 8/09)

Leia mais

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos:

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos: INSTRUÇÕES Estas instruçõs srvm d orintação para o trino das atividads planadas no projto Europu Uptak_ICT2lifcycl: digital litracy and inclusion to larnrs with disadvantagd background. Dvrão sr usadas

Leia mais

S is tem a de G es tã o da Qua lida de. S egura n ça do T ra ba lho

S is tem a de G es tã o da Qua lida de. S egura n ça do T ra ba lho S is tm a d G s tã o da Qua lida d S gura n ça do T ra ba lho G s tã o da Qua lida d I n t r n a ti o n a l O r g a n i za ti o n fo r S ta n d a r d i za ti o n (I S O ) Organização Normalização. Intrnacional

Leia mais

GERADOR ELETROSTÁTICO

GERADOR ELETROSTÁTICO GERADOR ELETROSTÁTICO Est artigo irá mostrar como construir um grador ltrostático, projto muito famoso m firas d Ciências. É uma máquina muito intrssant dvido às pqunas faíscas qu gra, dmonstrando claramnt

Leia mais

ALGORITMO DO GRADIENTE CONJUGADO ESCALONADO EM RNA PARA A PREVISÃO DO CONSUMO HORÁRIO DE ÁGUA EM SISTEMAS DE ABASTECIMENTO

ALGORITMO DO GRADIENTE CONJUGADO ESCALONADO EM RNA PARA A PREVISÃO DO CONSUMO HORÁRIO DE ÁGUA EM SISTEMAS DE ABASTECIMENTO ALGORITMO DO GRADIENTE CONJUGADO ESCALONADO EM RNA PARA A PREVISÃO DO CONSUMO HORÁRIO DE ÁGUA EM SISTEMAS DE ABASTECIMENTO Carla Silva da Silva 1 Paulo Sérgio Franco Barboa 2 Rumo Et trabalho invtiga a

Leia mais

O que são dados categóricos?

O que são dados categóricos? Objtivos: Dscrição d dados catgóricos por tablas gráficos Tst qui-quadrado d adrência Tst qui-quadrado d indpndência Tst qui-quadrado d homognidad O qu são dados catgóricos? São dados dcorrnts da obsrvação

Leia mais

CAPÍTULO 06 ESTUDOS DE FILAS EM INTERSEÇÕES NÃO SEMAFORIZADAS

CAPÍTULO 06 ESTUDOS DE FILAS EM INTERSEÇÕES NÃO SEMAFORIZADAS APÍTULO 06 ESTUDOS DE FILAS EM INTERSEÇÕES NÃO SEMAFORIZADAS As filas m intrsçõs não smaforizadas ocorrm dvido aos movimntos não prioritários. O tmpo ncssário para ralização da manobra dpnd d inúmros fators,

Leia mais

MONITORAMENTO DE INFORMAÇÃO

MONITORAMENTO DE INFORMAÇÃO Consórcio muda d ndrço Corrio Lagano - 20/01/2016 5 - Colunista - Olivt Salmória Mídia Imprssa Co m d n 1 Içara prd vantagm comptitiva 9/01) Diário d Notícias/Criciúma - 20/01/2016 7 - Gral Mídia Imprssa

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Profa. Maria Antônia C. Gouvia 1. A Editora Progrsso dcidiu promovr o lançamnto do livro Dscobrindo o Pantanal m uma Fira Intrnacional

Leia mais

Guia do. Imposto de Renda. Imposto de renda BEMPARANÁ ENCARTE ESPECIAL DO BEM PARANÁ MARÇO DE 2014. CURITIBA, MARÇO DE 2014 economia@bemparana.com.

Guia do. Imposto de Renda. Imposto de renda BEMPARANÁ ENCARTE ESPECIAL DO BEM PARANÁ MARÇO DE 2014. CURITIBA, MARÇO DE 2014 economia@bemparana.com. Guia do ENCARTE ESPECIAL DO BEM PARANÁ MARÇO DE 2014 1 port@bmparana.com.br Impoto d Rnda a r a p o Tud r d fica m o c bm ra f a trga n d o Praz nt u q r f a Dúvid mpoto i o d õ Dduç a tabla d m g a A

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO. Índice. Introdução 03. I Contextualização do Projeto 04. 1.- Caracterização do Contexto 05. 1.1- Localização 05. 1.

PROJETO EDUCATIVO. Índice. Introdução 03. I Contextualização do Projeto 04. 1.- Caracterização do Contexto 05. 1.1- Localização 05. 1. 2012/2016 Índic Introdução 03 I Contxtualização do Projto 04 1.- Caractrização do Contxto 05 1.1- Localização 05 1.2- População 05 1.3- Rcuro 05 1.4- Rd ducativa 06 2.- Caractrização da Intituição 07 2.1-

Leia mais

Modelo de Oferta e Demanda Agregada (OA-DA)

Modelo de Oferta e Demanda Agregada (OA-DA) Modlo d Ofrta Dmanda Agrgada (OA-DA) Lops Vasconcllos (2008), capítulo 7 Dornbusch, Fischr Startz (2008), capítulos 5 6 Blanchard (2004), capítulo 7 O modlo OA-DA xamina as condiçõs d quilíbrio dos mrcados

Leia mais

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice)

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice) PESQUISA MENSAL DO COMÉRCIO JULHO DE 2012 A psquisa mnsal do comércio, ralizada plo IBGE, rgistrou um crscimnto positivo d 1,36% no comparativo com o mês d julho d 2012 para o volum d vndas varjista. Podmos

Leia mais

Catálogo M2404. PowerTrap. Série GP Série GT. Bomba Mecânica e Purgador Bomba

Catálogo M2404. PowerTrap. Série GP Série GT. Bomba Mecânica e Purgador Bomba Catálogo M404 PowrTrap Mcânica Séri GP Séri GT Rcupração ficaz do Mlhora a ficiência da planta Aumnto da produtividad qualidad dos produtos são, alguns dos bnfícios da drnagm rcupração do, além d rduzir

Leia mais

AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU

AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU ANEXO II Coficint d Condutibilidad Térmica In-Situ AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU AII.1. JUSTIFICAÇÃO O conhcimnto da rsistência térmica ral dos componnts da nvolvnt do difício

Leia mais

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício OFICINA 9-2ºSmntr / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Profssors: Edu Vicnt / Gabrila / Ulício 1. (Enm 2012) As curvas d ofrta d dmanda d um produto rprsntam, rspctivamnt, as quantidads qu vnddors

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá Centro de Ciências Exatas Pós-Graduação em Física

Universidade Estadual de Maringá Centro de Ciências Exatas Pós-Graduação em Física Univridad Etadual d Mariná Cntro d Ciência Eata Pó-Graduação m Fíica Dirtação d Mtrado Modlo Tórico para a Técnica d Doi Fi Aplicado a Amotra d Dua Camada Danil Soar Vlaco Mariná - 006 DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

Leia mais

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo Rsidência para coltivos na Casa do Povo Chamada abrta tativo - Rsidência para coltivos na Casa do Povo Há mais d 60 anos, a Casa do Povo atua como lugar d mmória cntro cultural m sintonia com o pnsamnto

Leia mais

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom.

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom. 4 CONCLUSÕES Os Indicadors d Rndimnto avaliados nst studo, têm como objctivo a mdição d parâmtros numa situação d acsso a uma qualqur ára na Intrnt. A anális dsts indicadors, nomadamnt Vlocidads d Download

Leia mais

III Game Campori Online

III Game Campori Online 2015 14-16 d agt vrã www.gam.camprinlin.cm prtuguê III Gam Campri Onlin Guia d Orintaçõ A Equip Wb Rádi Atividad Crdnadr Publicidad Tradutr Rlaçõ Extrna Mídia Sciai Epcialidad d Evnt Ediçã Víd Múica Dignr

Leia mais

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6.1. Introdução 6.3. Taxas d Câmbio ominais Rais 6.4. O Princípio da Paridad dos Podrs d Compra Burda & Wyplosz,

Leia mais

PROJETO INTENSIVO NO CICLO I

PROJETO INTENSIVO NO CICLO I LE E ESCEVE PIOIDADE NA ESCOLA MUNICIPAL POJETO INTENSIVO NO CICLO I MATEIAL DO POFESSO VOLUME 2 SECETAIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DIETOIA DE OIENTAÇÃO TÉCNICA CÍCULO DE LEITUA E ESCITA POJETO INTENSIVO NO

Leia mais

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO I. PRINCÍPIOS: 1. Suprmacia do Intrss Público sobr o Particular Em sndo a finalidad única do Estado o bm comum, m um vntual confronto ntr um intrss individual o intrss coltivo dv prvalcr o sgundo. 2. Indisponibilidad

Leia mais

Projeto obriga réus a comprovar que dinheiro de honorários é lícito

Projeto obriga réus a comprovar que dinheiro de honorários é lícito dição pcial DIA DO ADVOGADO 59 E D I TO R A Fundador: VERCIL RODRIGUES www.jornaldirito.com Email: dirito@jornaldirito.com Ano VII n 80 SUL DA BAHIA agoto d 2015 R$ 1,00 Projto obriga réu a comprovar qu

Leia mais

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem PSI-2432: Projto Implmntação d Filtros Digitais Projto Proposto: Convrsor d taxas d amostragm Migul Arjona Ramírz 3 d novmbro d 2005 Est projto consist m implmntar no MATLAB um sistma para troca d taxa

Leia mais

Definição de Termos Técnicos

Definição de Termos Técnicos Dfinição d Trmos Técnicos Eng. Adriano Luiz pada Attack do Brasil - THD - (Total Harmonic Distortion Distorção Harmônica Total) É a rlação ntr a potência da frqüência fundamntal mdida na saída d um sistma

Leia mais

MANUAL DO ALUNO NORMAS DA FACULDADE DO CLUBE NAÚTICO MOGIANO

MANUAL DO ALUNO NORMAS DA FACULDADE DO CLUBE NAÚTICO MOGIANO MANUAL DO ALUNO NORMAS DA FACULDADE DO CLUBE NAÚTICO MOGIANO 1º SEMESTRE DE 2015 Adminitração Marco Paulo Tavar Furlan Dirtor Gral Mir A. Souza Scrtária Gral Digo do Santo Cordiro Encarrgado Touraria Prof.

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas. Governo dos Açores. 1º Ciclo ENSINO BÁSICO. Planificação Anual de EMRC. 1º Ano

Escola Básica e Secundária de Velas. Governo dos Açores. 1º Ciclo ENSINO BÁSICO. Planificação Anual de EMRC. 1º Ano Govrno dos Açors Escola Básica Scundária d Vlas º Ciclo ENSINO BÁSICO Planificação Anual d EMRC º Ano º Príodo Unidad Ltiva - Tr um coração bom Curriculars F B. Construir uma d litura rligiosa da pssoa,

Leia mais

PLANO DE CURSO 2011. 3 aulas Data show Aulas expositivas Estudo de casos e análise de precedentes dos Tribunais Estaduais e Superiores.

PLANO DE CURSO 2011. 3 aulas Data show Aulas expositivas Estudo de casos e análise de precedentes dos Tribunais Estaduais e Superiores. Est Plano d Curso podrá sofrr altraçõs a critério do profssor / ou da Coordnação. PLANO DE CURSO 2011 DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL III Excução civil, tutlas d urgência procdimntos spciais. PROFESSOR:

Leia mais

Catálogo de Perfis Padronizados

Catálogo de Perfis Padronizados Extrusão Gral Catálogo d Prfis P Shaping a lightr futur Frramntaria Estoqu d tarugos rfis Introdução SP no Mundo Fundada m 1963 na Suécia, a Sapa iniciou suas atividads a partir do zro s transformou, m

Leia mais

Coordenadas polares. a = d2 r dt 2. Em coordenadas cartesianas, o vetor posição é simplesmente escrito como

Coordenadas polares. a = d2 r dt 2. Em coordenadas cartesianas, o vetor posição é simplesmente escrito como Coordnadas polars Sja o vtor posição d uma partícula d massa m rprsntado por r. S a partícula s mov, ntão su vtor posição dpnd do tmpo, isto é, r = r t), ond rprsntamos a coordnada tmporal pla variávl

Leia mais

Equilíbrio Térmico. é e o da liga é cuja relação com a escala Celsius está representada no gráfico.

Equilíbrio Térmico. é e o da liga é cuja relação com a escala Celsius está representada no gráfico. Equilíbrio Térmico 1. (Unsp 2014) Para tstar os conhcimntos d trmofísica d sus alunos, o profssor propõ um xrcício d calorimtria no qual são misturados 100 g d água líquida a 20 C com 200 g d uma liga

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Streptococcus mutans, mas podem me

Streptococcus mutans, mas podem me Estação Saída Estação 1 - Olá moçada!! Mu nom é Strptococcus mutans, mas podm m chamar d Sr. Mutans. Vocês nm imaginam, mas u stou prsnt m uma part muito important do su corpo: a cavidad bucal!! Eu sou

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO N o 001 - EMBRATEL 1. APLICAÇÃO Est Plano d Srviço ofrc ao usuário do Srviço d Tlfonia Fixa Comutada, a possibilidad d

Leia mais

CARVALHO HOSKEN S/A carvalhohosken.com.br CARVALHO HOSKEN S.A. ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES CNPJ: 33.342.023/0001-33

CARVALHO HOSKEN S/A carvalhohosken.com.br CARVALHO HOSKEN S.A. ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES CNPJ: 33.342.023/0001-33 Balanço Social Em 31 d dzmbro d 2015 2014 1 - Bas d Cálculo 2015 Valor (Mil rais) 2014 Valor (Mil rais) Rcita líquida (RL) 190.202 292.969 Rsultado opracional (RO) 111.720 (16.955) Rsultado Financiro (29.648)

Leia mais

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 1. ÁREA DO CONHECIMENTO CIÊNCIAS HUMANAS: PSICOLOGIA 2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 3. JUSTIFICATIVA: Prspctivas no Mrcado Amazonns: A cidad d Manaus possui

Leia mais

PROJETO INTENSIVO NO CICLO 1

PROJETO INTENSIVO NO CICLO 1 SECETAIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DIETOIA DE OIENTAÇÃO TÉCNICA CÍCULO DE LEITUA E ESCITA POJETO INTENSIVO NO CICLO 1 MATEIAL DO POFESSO VOLUME 1 Matrial do aluno d Língua Portugua Matmática para ala do PIC

Leia mais

ANÁLISE CUSTO - VOLUME - RESULTADOS

ANÁLISE CUSTO - VOLUME - RESULTADOS ANÁLISE CUSTO - VOLUME - RESULTADOS 1 Introdução ao tma Exist todo o intrss na abordagm dst tma, pois prmit a rsolução d um conjunto d situaçõs qu s aprsntam rgularmnt na vida das organizaçõs. Estas qustõs

Leia mais

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos Módulo laudia gina ampos d arvalho Módulo sistors, apacitors ircuitos sistência Elétrica () sistors: sistor é o condutor qu transforma nrgia létrica m calor. omo o rsistor é um condutor d létrons, xistm

Leia mais

Origem dos Jogos Olímpicos

Origem dos Jogos Olímpicos Natal, RN / /04 ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: Profssor: TESTE º Trimstr º M INSTRUÇÕES: Vrifiqu s sua avaliação contém 6 qustõs ( objtivas 04 discursivas). Caso haja

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

03/04/2014. Força central. 3 O problema das forças centrais TÓPICOS FUNDAMENTAIS DE FÍSICA. Redução a problema de um corpo. A importância do problema

03/04/2014. Força central. 3 O problema das forças centrais TÓPICOS FUNDAMENTAIS DE FÍSICA. Redução a problema de um corpo. A importância do problema Força cntral 3 O problma das forças cntrais TÓPICOS FUNDAMENTAIS DE FÍSICA Uma força cntralé uma força (atrativa ou rpulsiva) cuja magnitud dpnd somnt da distância rdo objto à origm é dirigida ao longo

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO 8 Expriência n 1 Lvantamnto da Curva Caractrística da Bomba Cntrífuga Radial HERO 1. Objtivo: A prsnt xpriência tm por objtivo a familiarização do aluno com o lvantamnto d uma CCB (Curva Caractrística

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA Sgurança Saúd do Trabalho ao su alcanc! NR-35 TRABALHO EM ALTURA PREVENÇÃO Esta é a palavra do dia. TODOS OS DIAS! PRECAUÇÃO: Ato ou fito d prvnir ou d s prvnir; A ação d vitar ou diminuir os riscos através

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Discipli: Qualida Softwar Profa. : Kátia Lops Silva Slis adpatados do Prof. Ricardo Almida Falbo Tópicos Espciais Qualida Softwar 007/ Dpartamnto

Leia mais

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing White Paper Boas Práticas de E-mail Marketing Saiba como alguns cuidados simples podem melhorar os resultados de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação atual,

Leia mais

Manual do Usuário KP1510

Manual do Usuário KP1510 Manual do Usuário KP1510 Kypass Tcnologia Ltda. www.kypass.com.br 2 ÍNDICE 1. Primiros passos... 4 1.1 Considraçõs iniciais... 4 1.2 Espcificaçõs técnicas... 5 1.3 Utilização do snsor biométrico... 6 1.4

Leia mais

HOTELARIA PLANEJAMENTO E GESTÃO

HOTELARIA PLANEJAMENTO E GESTÃO HOTELARIA PLANEJAMENTO E GESTÃO Mario Ptrocchi Capítulo 2 na hotlaria Slids d apoio para o profssor Livro-txto para disciplinas d administração m hotlaria As bass do planjamnto stratégico O planjamnto

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO PLANIFICAÇÃO ANO LETIVO 2015/2016 Ano 12º Ano DISCIPLINA: Docnt HISTÓRIA A Carlos Eduardo da Cruz Luna Contúdos Comptências Espcíficas Estratégias RECURSOS Módulo 7 Criss, Embats Iológicos Mutaçõs Culturais

Leia mais

PRODUTOS GERDAU PARA PAREDES DE CONCRETO

PRODUTOS GERDAU PARA PAREDES DE CONCRETO PRODUTOS GERDAU PARA PAREDES DE CONCRETO SISTEMA CONSTRUTIVO PAREDES DE CONCRETO NBR60 PAREDES DE CONCRETO Sistma construtivo m qu as lajs as pards são moldadas m conjunto, formando um lmnto monolítico.

Leia mais

Capítulo 5 Análise com volumes de controle fixos

Capítulo 5 Análise com volumes de controle fixos Caítulo 5 náli com volum d control fixo Como dito antriormnt, a análi d algun roblma d Mcânica do Fluido alicado a ngnharia é mai fácil, adquada, quando fita a artir da conidração d volum d control. Exmlo

Leia mais

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE Lógica Matmática Computacional - Sistma d Ponto Flutuant SISTEM DE PONTO FLUTUNTE s máquinas utilizam a sguint normalização para rprsntação dos númros: 1d dn * B ± 0d L ond 0 di (B 1), para i = 1,,, n,

Leia mais

C. Almeida (1987) Determinação da transmissividade e coeficiente de armazenamento por ensaios de recuperação

C. Almeida (1987) Determinação da transmissividade e coeficiente de armazenamento por ensaios de recuperação C. Almda (1987 Dtrmação da tramvdad cofct d armazamto or ao d rcuração Hdrogologa y Rcuro Hdráulco, t. XII,. 689-694. IV IMPOIO DE HIDROGEOLOGÍA ALMEIDA, Carlo DEERMINAÇÃO DE RANMIIVIDADE E COEFICIENE

Leia mais

Apresentação Institucional e Estratégia. Março de 2015

Apresentação Institucional e Estratégia. Março de 2015 Aprsntação Institucional Estratégia Março 2015 História História A Dot.Lib é uma mprsa brasilira dicada à dissminação da informação cintífica através do acsso onlin a livros digitais, priódicos ltrônicos

Leia mais

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1 Proposta d Rsolução do Exam Nacional d ísica Química A 11.º ano, 011, 1.ª fas, vrsão 1 Socidad Portugusa d ísica, Divisão d Educação, 8 d Junho d 011, http://d.spf.pt/moodl/ 1. Movimnto rctilíno uniform

Leia mais

Dinâmica Longitudinal do Veículo

Dinâmica Longitudinal do Veículo Dinâmica Longitudinal do Vículo 1. Introdução A dinâmica longitudinal do vículo aborda a aclração frnagm do vículo, movndo-s m linha rta. Srão aqui usados os sistmas d coordnadas indicados na figura 1.

Leia mais

GERADORES E RECEPTORES. Setor 1202 Aulas 58, 59, 60 Prof. Calil. Geradores

GERADORES E RECEPTORES. Setor 1202 Aulas 58, 59, 60 Prof. Calil. Geradores GERADORES E RECEPTORES Stor 1202 Aulas 58, 59, 60 Prof. Call Gradors São sstmas qu convrtm um dtrmnado tpo d nrga, m nrga létrca. Cram mantém nos sus trmnas, uma dfrnça d potncal. São xmplos d gradors

Leia mais

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS FACULDADES UNIFICADAS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 REGULAMENTO DO NÚ CLEO DE PRÁ TICA JURÍ DICA DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE

Leia mais

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA ESQUEMA PRÁTICO ) Prazo Máximo Duração do Inquérito 2) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça 3) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça quando stivr m causa a criminalidad rfrida nas al.ªs i) a m) do

Leia mais

PENSANDO E DESCOBRINDO!!!

PENSANDO E DESCOBRINDO!!! PENSANDO E DESCOBRINDO!!! Sobr o Chuviro Elétrico... Falarmos agora sobr outra facilidad qu a ltricidad os avanços tcnológicos trouxram, trata-s d um aparlho muito usado m nosso dia a dia, o CHUVEIRO ELÉTRICO!

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dezembro/2010

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dezembro/2010 [Digit txto] 1 IDENTIFICAÇÃO RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dzmbro/2010 Programa: Opraçõs Coltivas Contrato CAIXA nº: 0233.389.09/2007 Ação/Modalidad: Construção d unidad habitacional

Leia mais

CUSTOS IRREVERSÍVEIS, LEIS DE CUSTOS E GERÊNCIA DE PROJETOS - A VIABILIDADE DE UM PROCESSO DE MUDANÇA

CUSTOS IRREVERSÍVEIS, LEIS DE CUSTOS E GERÊNCIA DE PROJETOS - A VIABILIDADE DE UM PROCESSO DE MUDANÇA CUSTOS IRREVERSÍVEIS, LEIS DE CUSTOS E GERÊNCIA DE PROJETOS - A VIABILIDADE DE UM PROCESSO DE MUDANÇA Márcio Botlho da Fonsca Lima Luiz Buno da Silva Rsumo: Est artigo tm o objtivo d xpor a rlvância do

Leia mais

Augusto Massashi Horiguti. Doutor em Ciências pelo IFUSP Professor do CEFET-SP. Palavras-chave: Período; pêndulo simples; ângulos pequenos.

Augusto Massashi Horiguti. Doutor em Ciências pelo IFUSP Professor do CEFET-SP. Palavras-chave: Período; pêndulo simples; ângulos pequenos. DETERMNAÇÃO DA EQUAÇÃO GERAL DO PERÍODO DO PÊNDULO SMPLES Doutor m Ciências plo FUSP Profssor do CEFET-SP Est trabalho aprsnta uma rvisão do problma do pêndulo simpls com a dmonstração da quação do príodo

Leia mais

Criando Valor para o Negócio com a Solução SAP para Gestão de Capital Humano

Criando Valor para o Negócio com a Solução SAP para Gestão de Capital Humano Crian Valor o Ngócio a SAP Gstão Capital Hno Grans Grans Dsafi Dsafi na na Gstão Gstão Rcurs Rcurs Hn Hn Gstão Talnt Gstão Talnt Atrair rtr o talnto quan o mrca é Atrair Atrair Atrair rtr rtr rtr talnto

Leia mais

Atitudes Sociolinguísticas em cidades de fronteira: o caso de Bernardo de Irigoyen. Célia Niescoriuk Grad/UEPG. Valeska Gracioso Carlos UEPG.

Atitudes Sociolinguísticas em cidades de fronteira: o caso de Bernardo de Irigoyen. Célia Niescoriuk Grad/UEPG. Valeska Gracioso Carlos UEPG. Atituds Sociolinguísticas m cidads d frontira: o caso d Brnardo d Irigoyn. Célia Niscoriuk Grad/UEPG. Valska Gracioso Carlos UEPG. 1. Introdução: O Brasil Argntina fazm frontira m crca d 1240 km dsd sua

Leia mais

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 5/6.- Exploração d ambints computacionais Criação d um produto original d forma colaborativa

Leia mais

Proposta de Revisão Metodológica

Proposta de Revisão Metodológica Proposta de Revisão Metodológica Gestão do Desempenho Dezembro de 20 DIDE/SVDC Propostas para 202 Nova sist em át ic a de pac t uaç ão e avaliaç ão de m et as set oriais e de equipe; Avaliaç ão de De s

Leia mais

A IMPLEMENTAÇÃO DA LÍNGUA ESPANHOLA NAS ESCOLAS DE SERGIPE. A presença da língua espanhola no Nordeste e o caso de Sergipe

A IMPLEMENTAÇÃO DA LÍNGUA ESPANHOLA NAS ESCOLAS DE SERGIPE. A presença da língua espanhola no Nordeste e o caso de Sergipe Congrsso Intrnacional d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL A IMPLEMENTAÇÃO DA LÍNGUA ESPANHOLA NAS ESCOLAS DE SERGIPE Doris Cristina Vicnt da Silva Matos (UFS) Considraçõs iniciais Chgamos a 2010,

Leia mais

CEFET-MG NOTAS DAS AULAS DE TERMODINÂMICA Baseadas no livro Fundamentos da Termodinâmica, 6ª Edição, VanWylen, Sonntag e Borgnakke

CEFET-MG NOTAS DAS AULAS DE TERMODINÂMICA Baseadas no livro Fundamentos da Termodinâmica, 6ª Edição, VanWylen, Sonntag e Borgnakke CEFE-MG NOAS DAS AULAS DE ERMODINÂMICA Baada no livro Fundamnto da rmodinâmica, 6ª Edição, VanWyln, Sonntag Borgnakk. CAPÍULO I COMENÁRIOS PRELIMINARES Fig. - Dnho qumático d uma Chaminé Solar. Fig. -

Leia mais

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE Campus d Ilha Soltira PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE Aos dz (10) dias do mês d stmbro (09) do ano d dois mil doz (2012), na Sala d Runiõs da Congrgação, as parts abaio nomadas tomaram ciência do

Leia mais