Matemática em Libras. Zanúbia Dada Professora Surda de Matemática em Libras CAS/SED/MS Campo Grande MS 2009

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Matemática em Libras. Zanúbia Dada Professora Surda de Matemática em Libras CAS/SED/MS Campo Grande MS 2009"

Transcrição

1 Matemática em Libras Zanúbia Dada Professora Surda de Matemática em Libras CAS/SED/MS Campo Grande MS 2009

2 SINAL MATEMÁTICA EM LIBRAS O Sinal de matemática em Libras foi convencionado (combinado, pactuado, ajustado) conforme a necessidade dos estudantes no momento das aulas de ver contextualizada a matemática através da Libras fazendo assim uma leitura visual dupla, que em destaque é a língua de sinais, os números e os sinais usados na matemática.

3

4 Apresentação Este trabalho vem sendo realizado desde julho de 2007 na oficina de Matemática para Surdos no CAS Campo Grande - MS uma vez por semana. com alunos Surdos, Deficientes Auditivos e Surdocegos.

5 Foram utilizados: Os Jogos de matemática, tabuada, jogos lúdicos e pedagógicos; Sudoku e outros que foram pesquisados no sistema internacional de computadores, ou seja na internet complementado com os sinais já usados pelos alunos na sua prática de aula e fora dela.

6 ENSINANDO A DIFERENÇA ENTRE NÚMEROS : CARDINAIS, QUANTIDADE E ORDINAIS

7 NÚMEROS CARDINAIS

8 OBSERVAÇÃO Os números cardinais em Libras iniciam com a CM [CM 7] e seguem com as CMs: [CM 8 a], [CM 59 a], [CM 58], [CM 31], [CM 43], [CM10], [CM 2], [CM 43] e [CM 7 + CM 42]. Verique que ao realizar a numeração há necessidade de CM + PA + M + Orientação = SINAL do número desejado. Mais informações consulte a tabela de Configuração de Mãos [Felipe, 2005)

9

10 CONTANDO QUANTIDADE EM LIBRAS

11 OBSERVAÇÃO: Quando iniciamos a CM do sinal de QUANTIDADE, nossa primeira CM é S [CM 2 Felipe, Tanya. Dicionário da Libras, Versão ] e sequencialmente realizamos os quantitativo de 1 a 5. Veja as fotos a seguir:

12 QUANTIDADE

13

14 ORDINAIS

15

16 SEQUÊNCIA ORDENADA

17 ORDEM DE VELOCIDADE

18 ORDINAIS PRIMEIRO AO QUINTO

19 SINAIS DE MATEMÁTICA EM LIBRAS Durante a oficina de matemática com alunos Surdos, Deficientes Auditivos e Surdocegos usamos os sinais apresentados durante nossas atividades. Os sinais foram também trabalhados durante os cursos de ILS (intérprete de Língua de Sinais) de Campo Grande e dos municípios participantes.

20

21

22

23

24 SUCESSOR

25 ANTECESSOR

26 NÚMEROS PARES

27 NÚMEROS IMPARES

28 TABUADA

29

30 EXPRESSÕES ARITMÉTICAS

31 DOBRO TRIPLO

32 QUADRUPLO

33 RAIZ QUADRADA

34 RAIZES DE FRAÇÕES

35

36 POTÊNCIAS

37 POTÊNCIAS EXPOENTE DE NEGATIVAS

38 FRAÇÃO

39 MEIO TERÇO

40 QUARTO QUINTO

41

42 FRAÇÃO PRÓPRIA FRAÇÃO IMPROPRIA

43 SIMPLIFICAÇÃO DE FRAÇÕES

44 FRAÇÕES MISTAS

45 FRAÇÕES EQUIVALENTES

46 MATRIZ

47 LINHA

48 COLUNA

49 ADIÇÃO

50 SUBTRAÇÃO

51 MULTIPLICAÇÃO

52 MATRIZ TRANSPOSTA

53 DETERMINANTE

54 REGRA DE SARRUS

55 LOGARITMO

56 PRODUTOS NOTÁVEIS

57 FATORAÇÃO

58 POLINÔMIO

59 DIVISÃO DE POLINÔMIO

60 FATORAÇÃO DE UM NÚMERO

61 MMC

62 FUNÇÃO

63 FUNÇÃO CRESCENTE

64 FUNÇÃO DECRESCENTE

65 VERTICE PARABOLA MÁXIMO VERTICE PARABOLA MÍNIMO

66 INTERVALO FECHADO

67 INTERVALO ABERTO

68 PORCENTAGEM

69 LADOS

70 DECIMAL

71 RETAS

72 SEGMENTOS RETAS

73 RETAS CONCORRENTES

74 RETAS PARALELAS

75 ANALISE COMBINATORIA

76 FORMAS

77 QUADRADA

78 TRIANGULO

79 RETANGULO

80 CIRCULO

81

82 CONCLUINDO... Ao chegarmos no final do terceiro ano de experiência ainda consideramos muito cedo para concluir as oficinas. Pois, nos encontramos num espaço novo e o desenvolvimento gradual de compreensão da matemática em Libras que vem acontecendo lentamente do processo mais simples para o mais complexo.

83 Uma observação que vale a pena registrar aqui, é que no inicio de nosso estudo, notamos a falta da Libras como língua materna (L1) dos alunos Surdos ou mesmo a LP dos alunos Deficientes Auditivos e dos alunos Surdocegos que precisam de uma comunicação alternativa ou conforme as suas necessidades quando chegam no setor de matemática. Os alunos chegam ao atendimento muitas vezes com uma comunicação defasada ao conteúdo a ser atingido. Necessitando de mais tempo para aquisição da Libras além do conteúdo de Matemática.

84 As respostas dadas pelos alunos demonstram a compreensão do conteúdo, porém, notamos que utilizam sinais convencionados com os intérpretes da sala de aula, diferenciando entre si. Os deficientes auditivos, aprendem durante os estudos da matemática em Libras, as vezes começam a resposta em LP e terminam em Libras ou começam em Libras e terminam em LP.

85 Professora Zanúbia Dada Especialista em Educação Especial e Matemática MSN- ORKUT Colaborador da LP: Suliane Aguirre ILS e Graduanda de Letras e Letras Libras e Shirley Vilhalva - Profª Ms. em Linguística Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento a Pessoa com Surdez - CAS/SED/MS Referência: DADA. Zanúbia. Matemática em Libras. CAS Campo Grande MS, 2009

Matemática em Libras

Matemática em Libras Matemática em Libras Por ZANÚBIA DADA Este artigo é um registro de minha experiência como professora surda, que atua com estudantes surdos das escolas estaduais e municipais - pólos de Campo Grande MS,

Leia mais

Campus Sousa PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROJETO DO CURSO DE EXTENSÃO LIBRAS. Básico. Coordenador: Prof. Priscilla Andrade

Campus Sousa PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROJETO DO CURSO DE EXTENSÃO LIBRAS. Básico. Coordenador: Prof. Priscilla Andrade Campus Sousa PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROJETO DO CURSO DE EXTENSÃO LIBRAS Básico Coordenador: Prof. Priscilla Andrade Sousa, Setembro de 2014 1 DADOS DO CURSO Título: Curso básico de LIBRAS para professores

Leia mais

Métodos Quantitativos Prof. Ms. Osmar Pastore e Prof. Ms. Francisco Merlo. Funções Exponenciais e Logarítmicas Progressões Matemáticas

Métodos Quantitativos Prof. Ms. Osmar Pastore e Prof. Ms. Francisco Merlo. Funções Exponenciais e Logarítmicas Progressões Matemáticas Métodos Quantitativos Prof. Ms. Osmar Pastore e Prof. Ms. Francisco Merlo Funções Exponenciais e Logarítmicas Progressões Matemáticas Funções Exponenciais e Logarítmicas. Progressões Matemáticas Objetivos

Leia mais

AMARELA EFOMM-2008 AMARELA

AMARELA EFOMM-2008 AMARELA PROVA DE MATEMÁTICA EFOMM-008 1ª Questão: A figura acima representa uma caixa de presente de papelão que mede 16 por 30 centímetros. Ao cortarmos fora os quadrados do mesmo tamanho dos quatro cantos e

Leia mais

Objetivos. Introdução. Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz. Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros

Objetivos. Introdução. Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz. Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros Objetivos Apresentar a discussão atual sobre a primeira língua dos surdos: a língua de sinais;

Leia mais

3ª série EM - Lista de Questões para a RECUPERAÇÃO FINAL - MATEMÁTICA

3ª série EM - Lista de Questões para a RECUPERAÇÃO FINAL - MATEMÁTICA 3ª série EM - Lista de Questões para a RECUPERAÇÃO FINAL - MATEMÁTICA 01. Um topógrafo pretende calcular o comprimento da ponte OD que passa sobre o rio mostrado na figura abaio. Para isto, toma como referência

Leia mais

Álgebra. SeM MiSTéRio

Álgebra. SeM MiSTéRio Álgebra SeM MiSTéRio Série SeM MiSTéRio Alemão Sem Mistério Álgebra Sem Mistério Cálculo Sem Mistério Conversação em Alemão Sem Mistério Conversação em Espanhol Sem Mistério Conversação em Francês Sem

Leia mais

Aula 1: Conhecendo a Calculadora

Aula 1: Conhecendo a Calculadora Nome completo do(a) aluno(a): Nº Ano: Turma: Data: / / Aula 1: Conhecendo a Calculadora Nosso objetivo é que vocês consigam identificar os conteúdos matemáticos já aprendidos na sala de aula de uma forma

Leia mais

Aventuras de Matemática Ensino Médio

Aventuras de Matemática Ensino Médio Aventuras de Matemática Ensino Médio Orientações ao Professor 1. Ficha descritiva Nome e número da missão: 4 Novo ataque inimigo! Patente que poderá ser alcançada: Subagente Bônus mínimo para ser considerada

Leia mais

Notas de Cálculo Numérico

Notas de Cálculo Numérico Notas de Cálculo Numérico Túlio Carvalho 6 de novembro de 2002 2 Cálculo Numérico Capítulo 1 Elementos sobre erros numéricos Neste primeiro capítulo, vamos falar de uma limitação importante do cálculo

Leia mais

Planejamento Anual 2014 Matemática 1º período 3º ano - Ensino Fundamental I. Reconhecer a necessidade de contar no cotidiano.

Planejamento Anual 2014 Matemática 1º período 3º ano - Ensino Fundamental I. Reconhecer a necessidade de contar no cotidiano. COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA Associação Brasileira de Educadores Lassalistas ABEL SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL Planejamento Anual 2014 Matemática

Leia mais

LÍNGUA BRASILEIRA DOS SINAIS

LÍNGUA BRASILEIRA DOS SINAIS GRUPO SANTA RITA INSCRIÇÕES ABERTAS! PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU MENSALIDADE R e R$ MEC CURSOS AUTORIZADOS s o lu ç ã o C N E /C n ES 1, º. 7 149, /2 6 / 8 LIBRAS FACULDADES CAMPUS CHAPECÓ

Leia mais

O comportamento conjunto de duas variáveis quantitativas pode ser observado por meio de um gráfico, denominado diagrama de dispersão.

O comportamento conjunto de duas variáveis quantitativas pode ser observado por meio de um gráfico, denominado diagrama de dispersão. ESTATÍSTICA INDUTIVA 1. CORRELAÇÃO LINEAR 1.1 Diagrama de dispersão O comportamento conjunto de duas variáveis quantitativas pode ser observado por meio de um gráfico, denominado diagrama de dispersão.

Leia mais

MATEMÁTICA Edwaldo Bianchini. Um supertalento para fazer livros mais um consagrado time de autores. Resultado: ensino com muito mais valor.

MATEMÁTICA Edwaldo Bianchini. Um supertalento para fazer livros mais um consagrado time de autores. Resultado: ensino com muito mais valor. Material de divulgação da Editora Moderna PNLD 2011 Um supertalento para fazer livros mais um consagrado time de autores. Resultado: ensino com muito mais valor. MATEMÁTICA Edwaldo Bianchini MATEMÁTICA

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA MATEMÁTICA

LÍNGUA PORTUGUESA MATEMÁTICA LÍNGUA PORTUGUESA Leitura oral de palavras e frases simples Compreensão de texto (registrar como souber) Formação de palavras (com recursos pedagógicos) Treino ortográfico (auto-ditado). MATEMÁTICA Relação

Leia mais

A FORMAÇÃO DOCENTE INICIAL NO CURSO DE MATEMÁTICA: RELATOS DECORRENTES DO COMPONENTE CURRICULAR LIBRAS Inês Ivone Cecin Soprano 1

A FORMAÇÃO DOCENTE INICIAL NO CURSO DE MATEMÁTICA: RELATOS DECORRENTES DO COMPONENTE CURRICULAR LIBRAS Inês Ivone Cecin Soprano 1 A FORMAÇÃO DOCENTE INICIAL NO CURSO DE MATEMÁTICA: RELATOS DECORRENTES DO COMPONENTE CURRICULAR LIBRAS Inês Ivone Cecin Soprano 1 Resumo: O presente relato é fruto de uma experiência do componente curricular

Leia mais

Diretrizes Operacionais Referentes à Rede de Apoio à Inclusão. Gerência de Ensino Especial

Diretrizes Operacionais Referentes à Rede de Apoio à Inclusão. Gerência de Ensino Especial Diretrizes Operacionais Referentes à Rede de Apoio à Inclusão Gerência de Ensino Especial I - Equipe multiprofissional Profissionais: psicólogo, fonoaudiólogo, assistente social. Lotação: Nos Centros de

Leia mais

4Distribuição de. freqüência

4Distribuição de. freqüência 4Distribuição de freqüência O objetivo desta Unidade é partir dos dados brutos, isto é, desorganizados, para uma apresentação formal. Nesse percurso, seção 1, destacaremos a diferença entre tabela primitiva

Leia mais

Universidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Exatas. Departamento de Matemática

Universidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Exatas. Departamento de Matemática Universidade Federal do Paraná Setor de Ciências Exatas Departamento de Matemática Oficina de Calculadora PIBID Matemática Grupo do Laboratório de Ensino de Matemática Curitiba Agosto de 2013 Duração:

Leia mais

1 Esfera de aço 1 Transitor BC547

1 Esfera de aço 1 Transitor BC547 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO VICENTE DO SUL ROTEIRO DE MONTAGEM DA ATIVIDADE DE AQUISIÇÃO AUTOMÁTICA DE DADOS REOMETRIA DE FLUIDOS NEWTONIANOS PROFESSOR RAFHAEL BRUM WERLANG 1.0 OBJETIVO

Leia mais

O INTÉRPRETE EDUCACIONAL DE LIBRAS: O DESAFIO DE ATUAR NO ENSINO FUNDAMENTAL I 1 Flávia Cristina V. Bizzozero UNINTER

O INTÉRPRETE EDUCACIONAL DE LIBRAS: O DESAFIO DE ATUAR NO ENSINO FUNDAMENTAL I 1 Flávia Cristina V. Bizzozero UNINTER O INTÉRPRETE EDUCACIONAL DE LIBRAS: O DESAFIO DE ATUAR NO ENSINO FUNDAMENTAL I 1 Flávia Cristina V. Bizzozero UNINTER Resumo A partir do Decreto 5626/05 que regulamenta a LIBRAS, vem crescendo a presença

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 431, DE 2011 (Do Sr. Neilton Mulim)

PROJETO DE LEI N.º 431, DE 2011 (Do Sr. Neilton Mulim) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 431, DE 2011 (Do Sr. Neilton Mulim) Institui-se obrigatoriedade da inclusão de intérpretes de Libras em repartições públicas. DESPACHO: APENSE-SE À(AO) PL-2574/2000.

Leia mais

REFLEXÕES INICIAIS DE ATIVIDADES PEDAGÓGICAS PARA INCLUIR OS DEFICIENTES AUDITIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA.

REFLEXÕES INICIAIS DE ATIVIDADES PEDAGÓGICAS PARA INCLUIR OS DEFICIENTES AUDITIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA. REFLEXÕES INICIAIS DE ATIVIDADES PEDAGÓGICAS PARA INCLUIR OS DEFICIENTES AUDITIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Ana Caroline Alves Flávia Temponi Góes** Resumo Neste trabalho apresento um estudo acerca

Leia mais

ANEXO IV QUESTIONÁRIO TEMÁTICO

ANEXO IV QUESTIONÁRIO TEMÁTICO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL M I N I S T É R I O D A E D U C A Ç Ã O INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO, CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO COORDENAÇÃO DE PROJETOS EDUCACIONAIS

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA HABILIDADES CONTEÚDO METODOLOGIA/ESTRATÉGIA HORA/ AULA ANÁLISE GRÁFICA DE FUNÇÕES

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA HABILIDADES CONTEÚDO METODOLOGIA/ESTRATÉGIA HORA/ AULA ANÁLISE GRÁFICA DE FUNÇÕES CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIA DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: MATEMÁTICA I SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:.

Leia mais

O MATERIAL DIDÁTICO PEÇAS RETANGULARES

O MATERIAL DIDÁTICO PEÇAS RETANGULARES O MATERIAL DIDÁTICO PEÇAS RETANGULARES Maríthiça Flaviana Florentino da Silva/UFCG marithica@hotmail.com RESUMO O material didático peças retangulares - PR foi criado pelo professor Pedro Ribeiro Barbosa

Leia mais

9xy yx9 = (9 100+x 10+y) (y 100+x 10+9) = (8 y) 100+9 10+(y+1)

9xy yx9 = (9 100+x 10+y) (y 100+x 10+9) = (8 y) 100+9 10+(y+1) Gabarito da Prova do Nível II Primeira Questão: ANULADA- Com três algarismos distintos, formamos três números: O primeiro número é obtido ordenando-se os algarismos em ordem decrescente, da esquerda para

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Introdução a Interpretação em Língua Brasileira de Sinais (libras/português)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ LIBRAS PARA TODOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ LIBRAS PARA TODOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ LIBRAS PARA TODOS Carina da Silva Mota Claudio Pamplona Ellen Formigosa Lucival Rodrigues 2011 1 CAPÍTULO I INTERAÇÃO ATRAVÉS DA LÍNGUA DE SINAIS 2 CONTEXTO VISUAL EM LIBRAS

Leia mais

ATIVIDADES DESENVOVLIDAS PELO LABORATÓRIO DE ENSINO DE MATEMÁTICA LEM- FOZ

ATIVIDADES DESENVOVLIDAS PELO LABORATÓRIO DE ENSINO DE MATEMÁTICA LEM- FOZ ATIVIDADES DESENVOVLIDAS PELO LABORATÓRIO DE ENSINO DE MATEMÁTICA LEM- FOZ Prof.a. Ms. Renata Camacho Bezerra UNIOESTE Campus de Foz do Iguaçu renatacb@unioeste.br Prof.a. Ms. Patrícia Sândalo Pereira

Leia mais

Desenhando perspectiva isométrica

Desenhando perspectiva isométrica Desenhando perspectiva isométrica A UU L AL A Quando olhamos para um objeto, temos a sensação de profundidade e relevo. As partes que estão mais próximas de nós parecem maiores e as partes mais distantes

Leia mais

Conhecendo o Aluno com Deficiência Intelectual

Conhecendo o Aluno com Deficiência Intelectual I - [FICHA DE AVALIAÇÃO SOBRE O ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL] Usar letra de forma É importante considerarmos que o aluno com deficiência intelectual da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro possui

Leia mais

PLANO SEMANAL - 2013

PLANO SEMANAL - 2013 PLANO SEMANAL 11 A 15 DE FEVEREIRO - JARDIM I VESPERTINO SEGUNDA - FEIRA (11) TERÇA FEIRA (12) QUARTA FEIRA (13) QUINTA FEIRA (14) Português (2): Coordenação Motora. Matemática (2): Formas Geométricas.

Leia mais

www.concursovirtual.com.br

www.concursovirtual.com.br Cinemática: É a parte da mecânica que estuda os movimentos, procurando determinar a posição, velocidade e aceleração do corpo a cada instante. Ponto Material: É todo corpo que não possua dimensões a serem

Leia mais

Capítulo 5: Aplicações da Derivada

Capítulo 5: Aplicações da Derivada Instituto de Ciências Exatas - Departamento de Matemática Cálculo I Profª Maria Julieta Ventura Carvalho de Araujo Capítulo 5: Aplicações da Derivada 5- Acréscimos e Diferenciais - Acréscimos Seja y f

Leia mais

Endereço Eletrônico: proic@unicentro.br ANEXO VIII DO REGULAMENTO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, PROIC, DA UNICENTRO

Endereço Eletrônico: proic@unicentro.br ANEXO VIII DO REGULAMENTO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, PROIC, DA UNICENTRO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DIRETORIA DE PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Endereço Eletrônico: proic@unicentro.br ANEXO

Leia mais

Sumário. Volta às aulas. Vamos recordar?... 7 1. Grandezas e medidas: tempo e dinheiro... 59. Números... 10. Regiões planas e seus contornos...

Sumário. Volta às aulas. Vamos recordar?... 7 1. Grandezas e medidas: tempo e dinheiro... 59. Números... 10. Regiões planas e seus contornos... Sumário Volta às aulas. Vamos recordar?... Números... 0 Um pouco da história dos números... Como os números são usados?... 2 Números e estatística... 4 Números e possibilidades... 5 Números e probabilidade...

Leia mais

EEFM Raimundo Marques de Almeida

EEFM Raimundo Marques de Almeida DESCRIPCIÓN DE LA INSTITUCIÓN UBICACIÓN GEOGRÁFICA Região: Nordeste Município: Quixadá CE Título da experiência: Libras, uma ponte para a comunicação com o mundo do silêncio Autoras: Jacinta Maria da Silva

Leia mais

COMENTÁRIO DA PROVA DE FÍSICA

COMENTÁRIO DA PROVA DE FÍSICA COMENTÁRIO DA PROVA DE FÍSICA A prova de Física da UFPR 2013/2014 apresentou algumas questões fáceis, algumas difíceis e maioria de questões médias. Dessa forma, é possível afirmar que, quanto ao nível,

Leia mais

OFICINA DE JOGOS APOSTILA DO PROFESSOR

OFICINA DE JOGOS APOSTILA DO PROFESSOR OFICINA DE JOGOS APOSTILA DO PROFESSOR APRESENTAÇÃO Olá professor, Essa apostila apresenta jogos matemáticos que foram doados a uma escola de Blumenau como parte de uma ação do Movimento Nós Podemos Blumenau.

Leia mais

Conteúdo Programático 2º ano Ensino Fundamental I

Conteúdo Programático 2º ano Ensino Fundamental I Conteúdo Programático 2º ano Ensino Fundamental I LÍNGUA PORTUGUESA 1º PERÍODO Alfabeto Ordem alfabética Vogais Encontro vocálico Ortografia b\p c\g d\t Consoantes encontro consonantal Sílabas Completar

Leia mais

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA FENEIS SOBRE A EDUCAÇÃO BILÍNGUE PARA SURDOS (EM RESPOSTA À NOTA TÉCNICA Nº 5/2011/MEC/SECADI/GAB)

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA FENEIS SOBRE A EDUCAÇÃO BILÍNGUE PARA SURDOS (EM RESPOSTA À NOTA TÉCNICA Nº 5/2011/MEC/SECADI/GAB) NOTA DE ESCLARECIMENTO DA FENEIS SOBRE A EDUCAÇÃO BILÍNGUE PARA SURDOS (EM RESPOSTA À NOTA TÉCNICA Nº 5/2011/MEC/SECADI/GAB) A Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão do

Leia mais

Adriana Oliveira Bernardes 1, Adriana Ferreira de Souza 2

Adriana Oliveira Bernardes 1, Adriana Ferreira de Souza 2 RECURSOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE FÍSICA PARA DEFICIENTES AUDITIVOS COM CONTEÚDOS DO CURRÍCULO MÍNIMO ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO DO 2 O ANO DO ENSINO MÉDIO Adriana Oliveira Bernardes 1, Adriana Ferreira

Leia mais

CAPÍTULO 1- OPERAÇÕES COM NÚMEROS INTEIROS Indicadores de aprendizagem Verifica se sabes: Identificar o conjunto dos números inteiros.

CAPÍTULO 1- OPERAÇÕES COM NÚMEROS INTEIROS Indicadores de aprendizagem Verifica se sabes: Identificar o conjunto dos números inteiros. CAPÍTULO 1- OPERAÇÕES COM NÚMEROS INTEIROS Identificar o conjunto dos números inteiros. Representar na recta numérica os números inteiros. Indicar o valor absoluto e o simétrico de um número. Comparar

Leia mais

Ficha do professor. AL 2.1 Energia cinética ao longo de um plano inclinado

Ficha do professor. AL 2.1 Energia cinética ao longo de um plano inclinado Física 10º ano Unidade II AL 2.1 Energia cinética ao longo de um plano inclinado Autora: Fernanda Neri TI-Nspire Palavras-chave: Energia Cinética; Centro de massa; Massa; Velocidade e Forças Conservativas

Leia mais

Fundamentos e Práticas em Libras II

Fundamentos e Práticas em Libras II Fundamentos e Práticas em Libras II Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

A INCLUSÃO DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NUMA ESCOLA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA: DA TEORIA À PRÁTICA

A INCLUSÃO DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NUMA ESCOLA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA: DA TEORIA À PRÁTICA A INCLUSÃO DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NUMA ESCOLA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA: DA TEORIA À PRÁTICA Paloma Cristina Gadens de Almeida UNICENTRO, CAPES palomagadens@gmail.com

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM LIBRAS

PÓS-GRADUAÇÃO EM LIBRAS PÓS-GRADUAÇÃO EM LIBRAS Instituição Certificadora: FALC Amparo Legal: Resolução CNE CES 1 2001 Resolução CNE CES 1 2007 Carga Horária: 460h Período de Duração: 12 meses (01 ano) Objetivos: Objetivo Geral:

Leia mais

PROBLEMAS DE OTIMIZAÇÃO

PROBLEMAS DE OTIMIZAÇÃO (Tóp. Teto Complementar) PROBLEMAS DE OTIMIZAÇÃO 1 PROBLEMAS DE OTIMIZAÇÃO Este teto estuda um grupo de problemas, conhecido como problemas de otimização, em tais problemas, quando possuem soluções, é

Leia mais

Ferramenta de Apoio ao Jogo 2 (Ensino da Leitura) incluído nos Jogos da Mimocas

Ferramenta de Apoio ao Jogo 2 (Ensino da Leitura) incluído nos Jogos da Mimocas As Palavras Ferramenta de Apoio ao Jogo 2 (Ensino da Leitura) incluído nos Jogos da Mimocas 1. Introdução A Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21 (APPT21) e a Escola Superior de Gestão de

Leia mais

Av. Gen. Carlos Cavalcanti, 4748 - CEP 84030-900 - Tel. 0** (42) 220-3000 - Ponta Grossa Pr. - www.uepg.br

Av. Gen. Carlos Cavalcanti, 4748 - CEP 84030-900 - Tel. 0** (42) 220-3000 - Ponta Grossa Pr. - www.uepg.br CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Turno: MATUTINO/NOTURNO MATUTINO CURRICULO Nº 1 NOTURNO CURRICULO Nº 1 Reconhecido pelo Decreto nº 3.554 de 15.02.01, D.O.E. de 16.02.01. Renovação de Reconhecimento

Leia mais

O LETRAMENTO DE SURDOS NA SEGUNDA LÍNGUA

O LETRAMENTO DE SURDOS NA SEGUNDA LÍNGUA O LETRAMENTO DE SURDOS NA SEGUNDA LÍNGUA Mariana Rodrigues Ferreira Fantinelli (G UENP, campus de Jac.) naninha_fantinelli@hotmail.com Sonia Maria Dechandt Brochado ( Orientadora UENP) O letramento do

Leia mais

Planejamento Anual. Componente Curricular: Matemática Ano: 6º ano Ano Letivo: 2015 OBJETIVO GERAL

Planejamento Anual. Componente Curricular: Matemática Ano: 6º ano Ano Letivo: 2015 OBJETIVO GERAL Planejamento Anual Componente Curricular: Matemática Ano: 6º ano Ano Letivo: 2015 Professor(s): Eni e Patrícia OBJETIVO GERAL Desenvolver e aprimorar estruturas cognitivas de interpretação, análise, síntese,

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA. Inclusão, políticas inclusivas, necessidades especiais, ABNT e acessibilidade em eventos.

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA. Inclusão, políticas inclusivas, necessidades especiais, ABNT e acessibilidade em eventos. Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Turismo, Hospitalidade e Lazer CURSO: Técnico em Eventos FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

(A) é Alberto. (B) é Bruno. (C) é Carlos. (D) é Diego. (E) não pode ser determinado apenas com essa informação.

(A) é Alberto. (B) é Bruno. (C) é Carlos. (D) é Diego. (E) não pode ser determinado apenas com essa informação. 1. Alberto, Bruno, Carlos e Diego beberam muita limonada e agora estão apertados fazendo fila no banheiro. Eles são os únicos na fila, e sabe se que quem está imediatamente antes de Carlos bebeu menos

Leia mais

A importância da audição e da linguagem

A importância da audição e da linguagem A importância da audição e da linguagem A linguagem não é apenas uma função entre muitas[...] mas uma característica muito difusa do indivíduo, a tal ponto que ele se torna um organismo verbal.(joseph

Leia mais

RELATÓRIO I Data: 23.04.2015

RELATÓRIO I Data: 23.04.2015 RELATÓRIO I Data: 23.04.2015 Discutir conteúdos trabalhados em sala de aula, sucessor, antecessor, oposto, simétrico, módulo, expressões numéricas envolvendo adição e subtração de números inteiros. 1)

Leia mais

PAINEL A MÚSICA NA LINGUAGEM DOS PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS

PAINEL A MÚSICA NA LINGUAGEM DOS PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS PAINEL A MÚSICA NA LINGUAGEM DOS PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS Tirza Sodré Almeida (graduanda em Licenciatura em Música) Universidade Federal do Maranhão - UFMA Resumo: O presente trabalho visa

Leia mais

Resolução dos Exercícios sobre Derivadas

Resolução dos Exercícios sobre Derivadas Resolução dos Eercícios sobre Derivadas Eercício Utilizando a idéia do eemplo anterior, encontre a reta tangente à curva nos pontos onde e Vamos determinar a reta tangente à curva nos pontos de abscissas

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DAS PROVAS / ATIVIDADES PEDAGÓGICAS Processo Seletivo 2016 para Ensino Fundamental e Ensino Médio

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DAS PROVAS / ATIVIDADES PEDAGÓGICAS Processo Seletivo 2016 para Ensino Fundamental e Ensino Médio / ATIVIDADES PEDAGÓGICAS 1º Ano do Ensino Fundamental (Alunos concluintes do 2º Período da Educação Infantil) Escrita do nome completo; Identificar e reconhecer as letras do alfabeto; Identificar e diferenciar

Leia mais

Universidade Federal de São Carlos Departamento de Matemática 083020 - Curso de Cálculo Numérico - Turma E Resolução da Primeira Prova - 16/04/2008

Universidade Federal de São Carlos Departamento de Matemática 083020 - Curso de Cálculo Numérico - Turma E Resolução da Primeira Prova - 16/04/2008 Universidade Federal de São Carlos Departamento de Matemática 08300 - Curso de Cálculo Numérico - Turma E Resolução da Primeira Prova - 16/0/008 1. (0 pts.) Considere o sistema de ponto flutuante normalizado

Leia mais

Apresentação de Dados em Tabelas e Gráficos

Apresentação de Dados em Tabelas e Gráficos Apresentação de Dados em Tabelas e Gráficos Os dados devem ser apresentados em tabelas construídas de acordo com as normas técnicas ditadas pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Leia mais

CPV O cursinho que mais aprova na GV

CPV O cursinho que mais aprova na GV O cursinho que mais aprova na GV FGV ADM Objetiva 06/junho/010 MATemática 01. O monitor de um notebook tem formato retangular com a diagonal medindo d. Um lado do retângulo mede 3 do outro. 4 A área do

Leia mais

INTERVENÇÃO. AULA PRÁTICA: jogo das biomoléculas. Autor: Maria Teresa Iturres, Alexia Rodrigues Menezes.

INTERVENÇÃO. AULA PRÁTICA: jogo das biomoléculas. Autor: Maria Teresa Iturres, Alexia Rodrigues Menezes. INTERVENÇÃO CONTEXTUALIZAÇÃO AULA PRÁTICA: jogo das biomoléculas Autor: Maria Teresa Iturres, Alexia Rodrigues Menezes. As biomoléculas, como o próprio nome já diz, são as moléculas da vida, que possuem

Leia mais

4 Linux e HackerTeen Equipe de Gestão de Educação à Distância

4 Linux e HackerTeen Equipe de Gestão de Educação à Distância Cursos à Distância 4 Linux e HackerTeen Equipe de Gestão de Educação à Distância Atualizado em Abril/2009 Apresentação Olá! Vamos apresentar para você, aluno da 4Linux e do HackerTeen, as principais informações

Leia mais

Sinais Senoidais. A unidade de freqüência no SI é o Hertz (Hz) e o tempo é dado em segundos (s).

Sinais Senoidais. A unidade de freqüência no SI é o Hertz (Hz) e o tempo é dado em segundos (s). Campus Serra COORDENADORIA DE AUTOMAÇÂO INDUSTRIAL Disciplina: ELETRÔNICA BÁSICA Professor: Vinícius Secchin de Melo Sinais Senoidais Os sinais senoidais são utilizados para se representar tensões ou correntes

Leia mais

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 02/2009

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 02/2009 TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 02/2009 REF. PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO Nº 1.34.001.005208/2008-37 Pelo presente instrumento, com fundamento no artigo 5º, 6º, da Lei nº 7.347, de 24 de julho de 1985,

Leia mais

INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA DEFICIENTE AUDITIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADO EM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA DEFICIENTE AUDITIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADO EM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA DEFICIENTE AUDITIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADO EM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Adriana Oliveira Bernardes UENF (Universidade do Estado do Norte

Leia mais

Por uma rede colaborativa

Por uma rede colaborativa PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DE CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Por uma rede colaborativa Mossoró - 2012 ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO

Leia mais

Cadernos do CNLF, Vol. XIII, Nº 04

Cadernos do CNLF, Vol. XIII, Nº 04 A IMPORTÂNCIA DO ENSINO-APRENDIZAGEM DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS (LIBRAS) PARA O DESENVOLVIMENTO COGNITIVO DO DEFICIENTE AUDITIVO Daisy Mara Moreira de Oliveira (UFS) dayseoliveira01@hotmail.com Derli

Leia mais

Organização do Atendimento Educacional Especializado nas Salas de Recursos Multifuncionais

Organização do Atendimento Educacional Especializado nas Salas de Recursos Multifuncionais Organização do Atendimento Educacional Especializado nas Salas de Recursos Multifuncionais Fonte: MEC/SEE - Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva O que é a Educação

Leia mais

Estatística no EXCEL

Estatística no EXCEL Estatística no EXCEL Prof. Ms. Osorio Moreira Couto Junior 1. Ferramentas... 2 2. Planilha de dados... 3 2.1. Introdução... 3 2.2. Formatação de células... 4 2.3. Inserir ou Excluir Linhas e Colunas...

Leia mais

Tópico 3. Limites e continuidade de uma função (Parte 2)

Tópico 3. Limites e continuidade de uma função (Parte 2) Tópico 3. Limites e continuidade de uma função (Parte 2) Nessa aula continuaremos nosso estudo sobre limites de funções. Analisaremos o limite de funções quando o x ± (infinito). Utilizaremos o conceito

Leia mais

Velocidade Média Velocidade Instantânea Unidade de Grandeza Aceleração vetorial Aceleração tangencial Unidade de aceleração Aceleração centrípeta

Velocidade Média Velocidade Instantânea Unidade de Grandeza Aceleração vetorial Aceleração tangencial Unidade de aceleração Aceleração centrípeta Velocidade Média Velocidade Instantânea Unidade de Grandeza Aceleração vetorial Aceleração tangencial Unidade de aceleração Aceleração centrípeta Classificação dos movimentos Introdução Velocidade Média

Leia mais

Conteúdo Básico Comum (CBC) de MATEMÁTICA do Ensino Médio Exames Supletivos/2013

Conteúdo Básico Comum (CBC) de MATEMÁTICA do Ensino Médio Exames Supletivos/2013 SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO ENSINO MÉDIO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Conteúdo

Leia mais

Contagem I. Figura 1: Abrindo uma Porta.

Contagem I. Figura 1: Abrindo uma Porta. Polos Olímpicos de Treinamento Curso de Combinatória - Nível 2 Prof. Bruno Holanda Aula 4 Contagem I De quantos modos podemos nos vestir? Quantos números menores que 1000 possuem todos os algarismos pares?

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VESTIBULAR 2010 1 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia.

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VESTIBULAR 2010 1 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VESTIBULAR 010 1 a Fase Profa Maria Antônia Gouveia QUESTÃO 01 Sobre números reais, é correto afirmar: (01) Se m é um número inteiro divisível por e n é um número inteiro divisível

Leia mais

CALENDÁRIO - PED PSICOMOTRICIDADE Grupo 095 - Abril/2012

CALENDÁRIO - PED PSICOMOTRICIDADE Grupo 095 - Abril/2012 informações: 1.º 2.º 3.º 5.º CALENDÁRIO - PED PSICOMOTRICIDADE Grupo 095 - Abril/2012 Estrutura do Calendário Antes de utilizar o Calendário do Curso, leia atentamente o Manual do Aluno de EAD para que

Leia mais

Estatística Aplicada ao Serviço Social Módulo 1:

Estatística Aplicada ao Serviço Social Módulo 1: Estatística Aplicada ao Serviço Social Módulo 1: Introdução à Estatística Importância da Estatística Fases do Método Estatístico Variáveis estatísticas. Formas Iniciais de Tratamento dos Dados Séries Estatísticas.

Leia mais

RQ Edição Fevereiro 2014

RQ Edição Fevereiro 2014 RQ Edição Fevereiro 2014 18. Um noivo foi postar os convites de casamento nos Correios. Durante a pesagem das cartas, percebeu que todas tinham 0,045 kg, exceto uma, de 0,105 kg. Em um primeiro instante,

Leia mais

AV1 - MA 12-2012. (b) Se o comprador preferir efetuar o pagamento à vista, qual deverá ser o valor desse pagamento único? 1 1, 02 1 1 0, 788 1 0, 980

AV1 - MA 12-2012. (b) Se o comprador preferir efetuar o pagamento à vista, qual deverá ser o valor desse pagamento único? 1 1, 02 1 1 0, 788 1 0, 980 Questão 1. Uma venda imobiliária envolve o pagamento de 12 prestações mensais iguais a R$ 10.000,00, a primeira no ato da venda, acrescidas de uma parcela final de R$ 100.000,00, 12 meses após a venda.

Leia mais

1ª Parte Questões de Múltipla Escolha

1ª Parte Questões de Múltipla Escolha MATEMÁTICA 11 a 1ª Parte Questões de Múltipla Escolha A soma dos cinco primeiros termos de uma PA vale 15 e o produto desses termos é zero. Sendo a razão da PA um número inteiro e positivo, o segundo termo

Leia mais

Matemática Aplicada. Qual é a altitude do centro do parque, ponto de encontro das diagonais, em relação ao nível do mar?

Matemática Aplicada. Qual é a altitude do centro do parque, ponto de encontro das diagonais, em relação ao nível do mar? Matemática Aplicada 1 Um mapa de um pequeno parque é uma região em forma de quadrilátero, limitado pelas retas y = x, y = x +, y = x + e y = x, sendo que as unidades estão em quilômetros. A altitude em

Leia mais

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual / Critérios de avaliação. Disciplina: Matemática 2.º ano 2015/2016

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual / Critérios de avaliação. Disciplina: Matemática 2.º ano 2015/2016 DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110 Planificação Anual / Critérios de avaliação Disciplina: Matemática 2.º ano 2015/2016 Domínio (Unidade/ tema) Subdomínio/Conteúdos Metas de Aprendizagem Estratégias/

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ITABORAÍ ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DE ITABORAÍ ESTADO DO RIO DE JANEIRO CÂMARA MUNICIPAL DE ITABORAÍ ESTADO DO RIO DE JANEIRO Meta 4: universalizar, para a população de 4 (quatro) a 17 (dezessete) anos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades

Leia mais

María Esmeralda Ballestero-Alvarez

María Esmeralda Ballestero-Alvarez 6.1.4 Distribuição física 6.1.4 Distribuição física Este capítulo trata o seguinte tema: Ferramentas usadas pelas técnicas de estruturação: Em especial contempla, descreve e detalha a distribuição física

Leia mais

TIPO DE PROVA: A. Questão 1. Questão 4. Questão 2. Questão 3. alternativa D. alternativa A. alternativa D. alternativa C

TIPO DE PROVA: A. Questão 1. Questão 4. Questão 2. Questão 3. alternativa D. alternativa A. alternativa D. alternativa C Questão TIPO DE PROVA: A Se a circunferência de um círculo tiver o seu comprimento aumentado de 00%, a área do círculo ficará aumentada de: a) 00% d) 00% b) 400% e) 00% c) 50% Aumentando o comprimento

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA. Profª Drª Sonia Maria Rodrigues

EDUCAÇÃO INCLUSIVA. Profª Drª Sonia Maria Rodrigues EDUCAÇÃO INCLUSIVA Profª Drª Sonia Maria Rodrigues INICIANDO NOSSA CONVERSA - Música Vagalume em Libras INCLUSÃO LEGAL Legislação que respalda a política de Educação Inclusiva (nacional e estadual) Leitura

Leia mais

Dinâmica de um Sistema de Partículas Faculdade de Engenharia, Arquiteturas e Urbanismo FEAU

Dinâmica de um Sistema de Partículas Faculdade de Engenharia, Arquiteturas e Urbanismo FEAU Dinâmica de um Sistema de Partículas Faculdade de Engenharia, Arquiteturas e Urbanismo FEAU Profa. Dra. Diana Andrade & Prof. Dr. Sergio Pilling Parte 1 - Movimento Retilíneo Coordenada de posição, trajetória,

Leia mais

Grupo Brasil de Apoio ao Surdocego e ao Múltiplo Deficiente Sensorial

Grupo Brasil de Apoio ao Surdocego e ao Múltiplo Deficiente Sensorial PROJETO PONTES E TRAVESSIAS: FORMAÇÃO DE INTERPRETES E PROFESSORES ESPECIALIZADOS PARA AS FUNÇÕES DE GUIA-INTÉRPRETE EDUCACIONAL E INSTRUTORES MEDIADORES Eixo Temático: Formação de tradutores/intérpretes

Leia mais

FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA PROJETO PARA INCLUSÃO SOCIAL DOS SURDOS DA FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA

FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA PROJETO PARA INCLUSÃO SOCIAL DOS SURDOS DA FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA PROJETO PARA INCLUSÃO SOCIAL DOS SURDOS DA FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA PARNAÍBA-PI 2014 FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA DIRETOR ADMINISTRATIVO Prof. Esp. Walter Roberto

Leia mais

BEM VINDO AO IFBAIANO

BEM VINDO AO IFBAIANO 1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO - CAMPUS SENHOR DO BONFIM Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidade Específica - NAPNE Prof. Enos Figueredo de Freitas BEM VINDO AO IFBAIANO

Leia mais

INSTRUTOR Zeh Blackie. CURSO DE GUITARRA Nível Básico. 7º Passo

INSTRUTOR Zeh Blackie. CURSO DE GUITARRA Nível Básico. 7º Passo INSTRUTOR Zeh Blackie CURSO DE GUITARRA Nível Básico 7º Passo Copyright -Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada destes materiais, no todo ou em parte, constitui violação do direitos

Leia mais

Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes

Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes Instituto Municipal Helena Antipoff Educação Especial no Município do Rio de

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 34, Toledo PR Fone: 377-850 PLANEJAMENTO ANUAL DE MATEMÁTICA 5º Ano PROFESSORAS: JESSICA ALINE

Leia mais

3º Ano do Ensino Médio. Aula nº10 Prof. Daniel Szente

3º Ano do Ensino Médio. Aula nº10 Prof. Daniel Szente Nome: Ano: º Ano do E.M. Escola: Data: / / 3º Ano do Ensino Médio Aula nº10 Prof. Daniel Szente Assunto: Função exponencial e logarítmica 1. Potenciação e suas propriedades Definição: Potenciação é a operação

Leia mais

Curso Técnico em Eletromecânica

Curso Técnico em Eletromecânica Curso Técnico em Eletromecânica Edição 2010-1 2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS DE ARARANGUÁ

Leia mais

FUNDAMENTOS E PRESSUPOSTOS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE QUÍMICA Claudio Roberto Machado BENITE; Anna Maria Canavarro

FUNDAMENTOS E PRESSUPOSTOS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE QUÍMICA Claudio Roberto Machado BENITE; Anna Maria Canavarro FUNDAMENTOS E PRESSUPOSTOS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE QUÍMICA Claudio Roberto Machado BENITE; Anna Maria Canavarro BENITE Instituto de Química UFG claudio.benite@ueg.br Palavras-chave:

Leia mais

Profª : Mcs Gisele Maciel Monteiro Rangel Doutoranda em Educação - UFPEL Geografia e Libras- IF RS Campus Rio Grande

Profª : Mcs Gisele Maciel Monteiro Rangel Doutoranda em Educação - UFPEL Geografia e Libras- IF RS Campus Rio Grande Profª : Mcs Gisele Maciel Monteiro Rangel Doutoranda em Educação - UFPEL Geografia e Libras- IF RS Campus Rio Grande Escutar com olhos Permita-se ouvir essas mãos, pois somente assim será possível mostrar

Leia mais