Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi."

Transcrição

1 0090_mar10 Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi. Campinas/SP Sales Oliveira/SP Pará de Minas/MG Além Paraíba/MG Anápolis/GO Goiana/PE Cuiabá/MT Pecém/CE CD Natal/RN CD Fortaleza/CE

2

3 Catálogo de produtos para Suplementação Mineral - Índice 05 Agora você pode contar com a confiança, qualidade e tecnologia de quem mais entende de nutrição animal no país. Guabiphos é uma linha de suplementos minerais e proteinados formulados obedecendo as mais modernas técnicas em nutrição animal. A linha Guabiphos foi desenvolvida para complementar a alimentação de seu rebanho de forma saudável e segura, pois além de fornecer todos os minerais necessários para o desenvolvimento dos animais, contém um ingrediente exclusivo: A experiência de mais de 35 anos de quem trabalha com tecnologia para aumentar a qualidade de vida de homens e animais GADO DE CORTE Guabiphos 40 Engorda Guabiphos 65 Recria Guabiphos 80 Cromo Guabiphos 80 Corte Guabiphos 90 Cria Guabiphos Reprodução Guabiphos Pushan Guabiphos Creep Bezerros Guabiphos 130 Concentrado Guabiphos 160 Concentrado PROTEINADOS Guabiphos 20 Águas Guabiphos 40 Uréia Guabiphos 55 Uréia Guabiphos 30 Secas DS Guabiphos 30 Secas/30 Secas RM Guabiphos 50 Secas DS Guabiphos 50 Secas/50 Secas RM Guabiphos Supripasto 30 RM CONFINAMENTO GADO DE CORTE - LINHA S Guabiphos 40 S Guabiphos 60 S Guabiphos 70 S Guabiphos 80 S Guabiphos 88 S Guabiphos 130 S Guabiphos 160 S Guabiphos Uréia 10 Guabiphos Uréia 15 GADO DE LEITE Guabiphos 80 Leite Guabiphos Lactage 95 Guabiphos Lactage Gold Guabiphos Lactage Proteico OVINOS Guabiphos Ovinos AE EQUINOS Guabiphos Centauro Guabiphos 25 RM Confinamento Guabiphos Beef Mix

4 07 Suplementos Minerais para GADO DE CORTE Guabiphos 40 Engorda Guabiphos 65 Recria Guabiphos 80 Cromo Guabiphos 80 Corte Guabiphos 90 Cria Guabiphos Reprodução Guabiphos Pushan Guabiphos Creep Bezerros Guabiphos 130 Concentrado Guabiphos 160 Concentrado

5 08 Suplemento Mineral para Gado de Corte Guabiphos 40 Engorda Suplemento Mineral para Gado de Corte Guabiphos 65 Recria g 40 g 12 g 152 g 70 mg 1500 mg 12 mg 3500 mg 400 mg Guabiphos 40 Engorda é um suplemento mineral completo, pronto para o uso, com 4% de fósforo, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para atender as necessidades minerais dos bovinos a campo, na fase de engorda. Guabiphos 40 Engorda deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 60 a 80 gramas por animal adulto/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. 140 g 6 12 g 133 g 80 mg 1500 mg 18 mg 4000 mg 650 mg Guabiphos 65 Recria é um suplemento mineral completo, pronto para uso, com 6,5% de fósforo, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para atender as necessidades minerais dos bovinos a campo, nas fases de recria e engorda. Pode também ser fornecido para bovinos nos regimes de semi-confinamento ou confinamento total. Guabiphos 65 Recria deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 60 a 80 gramas por animal adulto/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais.

6 10 Suplemento Mineral para Gado de Corte Guabiphos 80 Cromo Suplemento Mineral para Gado de Corte Guabiphos 80 Corte 11 Guabiphos 80 Cromo é um suplemento mineral completo, com 8% de fósforo, pronto para uso, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, cromo orgânico, para atender as necessidades minerais dos bovinos a campo nas fases de cria, recria e engorda. Guabiphos 80 Corte é um suplemento mineral completo, com 8% de fósforo, pronto para uso, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para atender as necessidades minerais dos bovinos a campo nas fases de cria, recria e engorda. Cromo 160 g 80 g 12 g 9 80 mg 10 mg 1500 mg 18 mg 4000 mg 800 mg Guabiphos 80 Cromo deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 60 a 90 gramas por animal adulto/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. 160 g 80 g 12 g mg 1500 mg 80 mg 18 mg 4000 mg 800 mg Guabiphos 80 Corte deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 60 a 120 gramas por animal adulto/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais.

7 12 Suplemento Mineral para Gado de Corte Guabiphos 90 Cria Suplemento Mineral para Gado de Corte Guabiphos Reprodução g 90 g 12 g mg 1500 mg 2000 mg 25 mg 5000 mg 900 mg Guabiphos 90 Cria é um suplemento mineral, pronto para uso, com 9% de fósforo, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para atender as necessidades minerais das vacas de cria a campo. Pode também ser fornecido para bovinos nas fases de recria, engorda, semi-confinados ou confinados. Guabiphos 90 Cria deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 70 a 120 gramas por animal adulto/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. 170 g 100 g 12 g mg 1800 mg 2000 mg 120 mg 1440 mg 30 mg 6000 mg Guabiphos Reprodução é um suplemento mineral, com 10% de fósforo, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para atender as necessidades minerais das vacas de cria, em fase de reprodução. Guabiphos Reprodução deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 60 a 90 gramas por animal adulto/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais.

8 14 Suplemento Mineral para Gado de Corte Guabiphos Pushan (Deus hindu da Fertilidade e bem-estar dos bovinos) Suplemento Mineral Proteico/Energético para Gado de Corte Guabiphos Creep Bezerros 15 Vitamina A Vitamina D Vitamina E 120 g 5 18 g 80 g 50 mg 700 mg 0 mg 50 mg 650 mg 15 mg 2500 mg 550 mg UI UI 500 UI Guabiphos Pushan é um suplemento mineral-vitamínico enriquecido com gordura poliinsaturada vegetal protegida, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, vitaminas A, D, E, pronto para uso, destinado à suplementação de bovinos na fase reprodutiva, como as vacas e novilhas de campo, doadoras de embrião e receptoras. Guabiphos Pushan deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. É importante garantir que os animais a serem suplementados consumam no mínimo 200 g/dia para que a gordura protegida exerça sua função. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. 04 meses Proteína (mín.) Gordura (mín.) Fibra (máx.) Vitamina A Vitamina E 200 g 20 g 120 g 7 20 g 20 g 20 mg 500 mg 400 mg 80 mg 600 mg 10 mg 200 mg UI 95 UI Guabiphos Creep Bezerros é um suplemento mineral com 20% de proteína, pronto para uso, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, vitaminas A e E, desenvolvido para a suplementação de bezerros de corte do nascimento até o desmame, em sistema de alimentação protegida (creep-feeding). Guabiphos Creep Bezerros deve ser fornecido à vontade, em cochos cobertos separados dos adultos (sistema de alimentação protegida creep feeding). Os cochos protegidos devem ser colocados próximos ao cocho de sal mineral das vacas, com o objetivo de estimular o consumo e facilitar o arraçoamento. O consumo médio esperado é de 200 a 250g/100kg do peso vivo do animal. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Recomenda-se usar espaçamento de cocho de 10 a 15 cm linear 06 meses

9 16 Suplemento Mineral para Gado de Corte Guabiphos 130 Concentrado Suplemento Mineral para Gado de Corte Guabiphos 160 Concentrado 17 Guabiphos 130 Concentrado é um suplemento mineral concentrado, com 13% de fósforo, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais. O produto deve ser misturado com sal branco (NaCI), para atender as necessidades minerais dos bovinos de corte, nas diversas fases de criação. Guabiphos 160 Concentrado é um suplemento mineral concentrado, com 16% de fósforo, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais. O produto deve ser misturado com sal branco (NaCI), para atender as necessidades minerais dos bovinos de corte, nas diversas fases de criação. Guabiphos 130 Concentrado deve ser misturado ao sal branco(naci), antes de ser colocado nos cochos cobertos. Guabiphos 160 Concentrado deve ser misturado ao sal branco(naci), antes de ser colocado nos cochos cobertos. 200 g 130 g 185 mg 2300 mg 3000 mg 160 mg 1800 mg 40 mg 8000 mg 1300 mg Cria Recria Engorda As misturas com sal branco (NaCI) devem ser fornecidas a livre acesso aos animais em cochos cobertos. O consumo médio esperado das diluições recomendadas será de 60 a 90 gramas por animal adulto/dia. Pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Embalagem de 25 kg. As misturas recomendadas são: 2 sc Guabiphos 130 Conc (50 kg): 1 sc de sal branco (25 kg) 1 sc Guabiphos 130 Conc (25 kg): 1 sc de sal branco (25 kg) 1 sc Guabiphos 130 Conc (25 kg): 2 sc de sal branco (50 kg) 220 g 160 g 185 mg 2300 mg 4000 mg 160 mg 1800 mg 40 mg 8000 mg 1600 mg Cria Recria Engorda As misturas com sal branco (NaCI) devem ser fornecidas a livre acesso aos animais em cochos cobertos. O consumo médio esperado das diluições será de 60 a 90 gramas por animal adulto/dia. Pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Embalagem de 25 kg. As misturas recomendadas são: 1 sc Guabiphos 160 Conc (25 kg): 1 sc de sal branco (25 kg) 1 sc Guabiphos 160 Conc (25 kg): 1 sc de sal branco (25 kg) 1 sc Guabiphos 160 Conc (25 kg): 2 sc de sal branco (50 kg)

10 19 Suplementos Minerais para gado de corte PROTEINADOS Guabiphos 20 Águas Guabiphos 40 Uréia Guabiphos 55 Uréia Guabiphos 30 Secas DS Guabiphos 30 Secas/30 Secas RM Guabiphos 50 Secas DS Guabiphos 50 Secas/50 Secas RM Guabiphos Supripasto 30 RM

11 20 Suplemento Mineral Proteico/Energético para Gado de Corte Guabiphos 20 Águas Suplemento Mineral com Uréia para Gado de Corte Guabiphos 40 Uréia 21 Guabiphos 20 Águas é um suplemento mineral protéicoenergético pronto para uso, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para a suplementação de minerais, proteína e energia de bovinos de corte em fase de engorda, a campo, na época das águas. Guabiphos 40 Uréia é um suplemento mineral completo, pronto para uso, com 4% de fósforo e 20% de uréia, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais e uréia, para atender as necessidades minerais dos bovinos a campo, nas fases de recria e engorda, no período das secas. Proteína (mín.) Gordura (mín.) Fibra (máx.) 200 g 20 g 120 g 30 g 2 g 3, 9 10 mg 185 mg 400 mg 10 mg 250 mg 2,5 mg 500 mg Guabiphos 20 Águas deve ser fornecido a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 150 a 180g/100kg de peso vivo do animal/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Recomenda-se usar espaçamento de cocho de 12 a 15 cm linear 06 meses N.N.P Eq. Proteína 562 g 100 g 40 g 12 g 136 g 70 mg 1500 mg 12 mg 3500 mg 400 mg Guabiphos 40 Uréia deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 20 a 30 g/100 kg de peso vivo do animal/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Recomenda-se usar espaçamento de cocho de 4 a 5 cm linear Para que se obtenha um melhor resultado é importante boa disponibilidade de capim nos pastos. Período de Adaptação Todo produto que possui uréia em sua composição deve ser fornecido de maneira gradual, por um período de, no mínimo, 15 dias, para que as bactérias do rúmen dos animais se adaptem à nova alimentação. Durante o período de adaptação, recomendamos adicionar 1 saco de sal branco (25 kg) para cada saco de Guabiphos 40 Uréia na primeira semana e 1 saco de sal branco (25 kg) para cada dois (2) sacos de Guabiphos 40 Uréia na segunda semana. A partir da terceira semana, fornecer o produto puro para os animais.

12 22 Suplemento Mineral com Uréia para Gado de Corte Guabiphos 55 Uréia Suplemento Mineral Proteico para Gado de Corte Guabiphos 30 Secas DS 23 N.N.P Eq. Proteína 562 g 120 g 5 12 g 96 g 80 mg 1500 mg 18 mg 4000 mg 550 mg Guabiphos 55 Uréia é um suplemento mineral completo, pronto para uso, com 5,5% de fósforo e 20% de uréia, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais e uréia, para atender as necessidades minerais dos bovinos a campo, nas fases de cria e recria, no período das secas. Guabiphos 55 Uréia deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 20 a 30 g/100 kg de peso vivo do animal/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Recomenda-se usar espaçamento de cocho de 4 a 5 cm linear Para que se obtenha um melhor resultado é importante boa disponibilidade de capim nos pastos. Período de Adaptação Todo produto que possui uréia em sua composição deve ser fornecido de maneira gradual, por um período de, no mínimo, 15 dias, para que as bactérias do rúmen dos animais se adaptem à nova alimentação. Durante o período de adaptação, recomendamos adicionar 1 saco de sal branco (25 kg) para cada saco de Guabiphos 55 Uréia na primeira semana e 1 saco de sal branco (25 kg) para cada dois (2) sacos de Guabiphos 55 Uréia na segunda semana. A partir da terceira semana, fornecer o produto puro para os animais. Proteína (mín.) Gordura (mín.) Fibra (máx.) NNP. Eq. Proteína (máx.) (máx.) (mín.) 300 g 100 g 252 g 60 g 58 g 16 g 4, 4, 114 g 40 mg 560 mg 800 mg 32 mg 720 mg 4,8 mg 160 mg Guabiphos 30 Secas DS é um suplemento mineral protéico com 30% de proteína, pronto para uso, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para a suplementação de minerais e proteína dos bovinos de corte a campo, manejados em pastagens cultivadas em solos de boa fertilidade, no período das secas. Guabiphos 30 Secas DS deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 60 a 100 g/100 kg de peso corporal do animal/dia. O consumo pode variar dependendo da qualidade e oferta de forragem nas pastagens, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Recomenda-se usar espaçamento de cocho de 10 a 15 cm linear Para obtenção de um melhor resultado é fundamental que haja boa oferta de forragem nos pastos. Período de Adaptação Por conter em sua composição uréia, os animais deverão passar por período de adaptação, no mínimo, de 15 dias para que as bactérias do rúmen se adaptem à nova alimentação. Durante a primeira semana, adicionar 1 saco de sal branco (25 kg) para cada saco de Guabiphos 30 Secas DS (30 kg). Na segunda semana, adicionar 1 saco de sal branco (25 kg) e 2 sacos de Guabiphos 30 Secas DS (60 kg). A partir da terceira semana o produto deverá ser fornecido puro, sem adição de sal branco. 06 meses

13 24 Suplemento Mineral Proteico para Gado de Corte Guabiphos 30 Secas / 30 Secas RM Suplemento Mineral Proteico para Gado de Corte Guabiphos 50 Secas DS 25 Guabiphos 30 Secas é um suplemento mineral protéico com 30% de proteína, pronto para uso, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, com ou sem promotor de crescimento, formulado para a suplementação de minerais e proteína dos bovinos de corte a campo, no período das secas. Guabiphos 50 Secas DS é um suplemento mineral protéico com 50% de proteína, pronto para uso, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para a suplementação de minerais e proteína dos bovinos de corte a campo, manejados em pastagens cultivadas em solos de boa fertilidade, no período das secas. Proteína (mín.) Gordura (mín.) Fibra (máx.) N.N.P Eq. Proteína *Monensina sódica 300 g 20 g 100 g 2 70 g 20 g 90 g 50 mg 700 mg 40 mg 900 mg 6 mg 1500 mg 200 mg 250 mg Deve ser fornecido a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 60 a100g/100 kg de peso vivo do animal/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Recomenda-se usar espaçamento de cocho de 10 a 15 cm linear Para que se obtenha um melhor resultado é importante boa disponibilidade de capim nos pastos. Período de Adaptação Todo produto que possui uréia em sua composição deve ser fornecido de maneira gradual, por um período de, no mínimo, 15 dias, para que as bactérias do rúmen dos animais se adaptem à nova alimentação. Durante o período de adaptação, recomendamos adicionar 1 saco de sal branco (25 kg) para cada saco de Guabiphos 30 Secas na primeira semana e 1 saco de sal branco (25 kg) para cada dois (2) sacos de Guabiphos 30 Secas na segunda semana. A partir da terceira semana, fornecer o produto puro para os animais. Proteína (mín.) Gordura (mín.) Fibra (máx.) NNP. Eq. Proteína (máx.) (máx.) (mín.) 500 g 100 g 390,6 g 70 g 60 g 16 g 4, 7, 9 40 mg 560 mg 800 mg 32 mg 720 mg 4,8 mg 160 mg Guabiphos 50 Secas DS deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 60 a 100 g/100kg de peso corporal do animal/dia. O consumo pode variar dependendo da qualidade e oferta de forragem nas pastagens, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Recomenda-se usar espaçamento de cocho de 10 a 15 cm linear Para obtenção de um melhor resultado é fundamental que haja boa oferta de forragem nos pastos. Período de Adaptação Por conter em sua composição uréia, os animais deverão passar por período de adaptação, no mínimo, de 15 dias para que as bactérias do rúmen se adaptem à nova alimentação. Durante a primeira semana, adicionar 1 saco de sal branco (25 kg) para cada saco de Guabiphos 50 Secas DS (30 kg). Na segunda semana, adicionar 1 saco de sal branco (25 kg) e 2 sacos de Guabiphos 50 Secas DS (60 kg). A partir da terceira semana o produto deverá ser fornecido puro, sem adição de sal branco. * Aditivo usado somente na versão RM 06 meses 06 meses

14 26 Suplemento Mineral Proteico para Gado de Corte Guabiphos 50 Secas / 50 Secas RM Suplemento Mineral Proteico/Energético para Gado de Corte Guabiphos Supripasto 30 RM 27 Proteína (mín.) Gordura (mín.) Fibra (máx.) N.N.P Eq. Proteína *Monensina sódica 500 g 20 g 120 g 309 g 78 g 20 g 8 g 90 g 50 mg 700 mg 40 mg 900 mg 6 mg 1500 mg 200 mg 250 mg Guabiphos 50 Secas é um suplemento mineral protéico com 50% de proteína, pronto para uso, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, com ou sem promotor de crescimento, formulado para a suplementação de minerais e proteína dos bovinos de corte a campo, no período das secas. Deve ser fornecido a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 60 a 100g/100kg de peso vivo do animal/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Recomenda-se usar espaçamento de cocho de 10 a 15 cm linear Para que se obtenha um melhor resultado é importante boa oferta de capim nos pastos. Período de Adaptação Todo produto que possui uréia em sua composição deve ser fornecido de maneira gradual, por um período de, no mínimo, 15 dias, para que as bactérias do rúmen dos animais se adaptem à nova alimentação. Durante o período de adaptação, recomendamos adicionar 1 saco de sal branco (25 kg) para cada saco de Guabiphos 50 Secas na primeira semana e 1 saco de sal branco (25 kg) para cada dois (2) sacos de Guabiphos 50 Secas na segunda semana. A partir da terceira semana, fornecer o produto puro para os animais. Proteína (mín.) Gordura (mín.) NNP Eq. Proteína (max.) Monensina 300 g g 30 g 7, 3 g 2 g 57 g 6 mg 6 mg 1,5 mg 300 mg 75 mg 140 mg Guabiphos Supripasto 30 RM é um suplemento mineral protéico-energético pronto para uso, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais e promotor de crescimento, desenvolvido para a suplementação de minerais, proteína e energia dos bovinos de corte nas fases de recria e engorda, manejados em regime de pastagem no período das secas e das águas. Guabiphos Supripasto 30 RM deve ser fornecido à livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 2 a 3g/kg de peso vivo do animal/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Para que se obtenha um melhor resultado é importante boa oferta de capim nos pastos. Recomenda-se usar espaçamento de cocho de 20 cm linear por animal. 06 meses * Aditivo usado somente na versão RM 06 meses

15 29 Suplementos Minerais para gado de corte CONFINAMENTO Guabiphos 25 RM Confinamento Guabiphos Beef Mix

16 30 Suplemento Mineral para Gado de Corte Confinado Guabiphos 25 RM Confinamento Suplemento Mineral para Gado de Corte Confinado Guabiphos Beef Mix 31 Guabiphos 25 RM Confinamento é um suplemento mineral com promotor de crescimento (ionóforo), formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para atender as necessidades minerais dos bovinos de corte em confinamento ou semiconfinados. Guabiphos Beef Mix é um suplemento mineral com promotor de crescimento (ionóforo), formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, vitaminas A,D e E, para atender as necessidades minerais dos bovinos de corte em confinamento ou semiconfinados. Monensina sódica 220 g g 72 mg 940 mg 64 mg 1060 mg 15 mg mg Guabiphos 25 RM Confinamento deve ser fornecido misturado às fontes de energia, proteína e volumoso, na quantidade de 200 gramas/animal/dia. Proteína (mín.) Gordura (mín.) Fibra (máx.) NNP Eq. Proteína (máx.) Flúor (Max.) Vitamina A Vitamina D Vitamina E Monensina sódica 850 g 8 g 30 g 790 g 60 g 1 6 g 11 g 28 g 6 mg 180 mg 440 mg 10,8 mg 636 mg 4,8 mg 600 mg 150 mg UI/kg 3600 UI/kg 360 UI/kg 450 mg Guabiphos Beef Mix deve ser fornecido misturado às fontes de energia, proteína e volumoso, na quantidade de 200 a 500 gramas/animal/dia, dependendo das matérias primas que compõem a dieta, peso vivo dos animais e desempenho desejado..

17 33 Suplementos Minerais para Gado de Corte LINHA S A Linha S, após um profundo levantamento técnico, foi desenvolvida para proporcionar uma opção mais econômica e segura para a suplementação de rebanhos criados em fazendas com boa oferta de forragem, estabelecidas em solos de boa qualidade e/ou para a suplementação de bovinos criados em sistemas de produção que adotam processo criterioso de correção do solo e adubação de pastagens. Guabiphos 40 S Guabiphos 60 S Guabiphos 70 S Guabiphos 80 S Guabiphos 88 S Guabiphos 130 S Guabiphos 160 S Guabiphos Uréia 10 Guabiphos Uréia 15

18 34 Suplemento Mineral para Gado de Corte Guabiphos 40 S Suplemento Mineral para Gado de Corte Guabiphos 60 S 35 Guabiphos 40 S é um suplemento mineral completo, pronto para uso, com 4% de fósforo, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para atender as necessidades minerais dos bovinos a campo, na fase de engorda, manejados em pastagens cujas forragens são cultivadas em solos de boa fertilidade. Guabiphos 60 S é um suplemento mineral completo, pronto para o uso, com 6% de fósforo, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para atender as necessidades minerais dos bovinos a campo, nas fases de recria e engorda, manejados em pastagens cujas forragens são cultivadas em solos de boa fertilidade. (máx.) (mín.) 140 g 90 g 40 g mg 900 mg 1080 mg 54 mg 900 mg 9 mg 2700 mg 400 mg Guabiphos 40 S deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 60 a 90 g/animal adulto/dia, o qual pode variar dependendo da qualidade e oferta de forragem nas pastagens, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. 150 g 60 g 1 60 mg 60 mg 10 mg 3000 mg 600 mg Guabiphos 60 S deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 60 a 80 g/animal adulto/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais.

19 36 Suplemento Mineral para Gado de Corte Guabiphos 70 S Suplemento Mineral para Gado de Corte Guabiphos 80 S 37 (máx.) (mín.) 180 g 130 g 70 g 1 60 mg 60 mg 10 mg 3000 mg 700 mg 95 mg Guabiphos 70 S é um suplemento mineral completo, pronto para uso, com 7% de fósforo, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para atender as necessidades minerais dos bovinos a campo, nas fases de cria, recria e engorda, manejados em pastagens cultivadas em solos de boa fertilidade. Guabiphos 70 S também pode ser fornecido para bovinos de corte nos regimes de semi-confinamento ou confinamento. Guabiphos 70 S deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 50 a 100 g/animal adulto/dia, o qual pode variar dependendo da qualidade e oferta de forragem nas pastagens, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. 200 g 80 g 9 60 mg 60 mg 10 mg 3000 mg 800 mg Guabiphos 80 S é um suplemento mineral completo, pronto para o uso, com 8% de fósforo, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para atender as necessidades minerais dos bovinos a campo, nas fases de cria, recria e engorda, manejados em pastagens cultivadas em solos de boa fertilidade. Guabiphos 80 S deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 110 a 130 g/adulto/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais.

20 38 Suplemento Mineral para Gado de Corte Guabiphos 88 S Suplemento Mineral com Uréia para Gado de Corte Guabiphos 130 S 39 (máx.) (mín.) g 88 g 100 g 72 mg 1440 mg 72 mg 12 mg 3600 mg 880 mg Guabiphos 88 S é um suplemento mineral completo, pronto para uso, com 8,8% de fósforo, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para atender as necessidades minerais das vacas de cria a campo, manejados em pastagens cujas forragens são cultivadas em solos de boa fertilidade. Pode também ser fornecido para bovinos nas fases de recria e engorda, manejados nos regimes de pasto, semi-confinamento ou confinamento. Guabiphos 88 S deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 60 a 120 g/animal adulto/dia, o qual pode variar dependendo da qualidade e oferta de forragem nas pastagens, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. (máx.) (mín.) 240 g 190 g 130 g 2500 mg 20 mg 5500 mg 1300 mg Guabiphos 130 S é um suplemento mineral concentrado, com 13,0% de fósforo, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais. O produto deve ser misturado com sal branco (NaCl) para atender as necessidades minerais dos bovinos de corte, nas diversas fases de criação, manejados em pastagens cujas forragens são cultivadas em solos de boa fertilidade. Guabiphos 130 S deve ser misturado ao sal branco (NaCl), antes de ser colocado nos cochos cobertos. Cria Recria Engorda As misturas com sal branco (NaCl) devem ser fornecidas a livre acesso aos animais. O consumo médio esperado é de 60 a 90 g/animal adulto/dia, o qual pode variar dependendo da qualidade e oferta de forragem nas pastagens, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Embalagem de 25 kg. As misturas recomendadas são: 2 sc Guabiphos 130 S (50 kg): 1 sc de sal branco (25 kg) 1 sc Guabiphos 130 S (25 kg): 1 sc de sal branco (25 kg) 1 sc Guabiphos 130 S (50 kg): 2 sc de sal branco (50 kg)

21 40 Suplemento Mineral para Gado de Corte Guabiphos 160 S Suplemento Mineral com Uréia para Gado de Corte Guabiphos Uréia Flúor (Max.) 230 g 160 g 2500 mg 20 mg 5500 mg 1600 mg Guabiphos 160 S é um suplemento mineral concentrado, com 16% de fósforo, formulado com fosfato bicálcico macro e microelementos minerais. O produto deve ser misturado com sal branco (NaCI) para atender as necessidades minerais dos bovinos de corte, nas diversas fases de criação, manejados em solos de boa fertilidade. Guabiphos 160 S deve ser misturado ao sal branco (NaCI), antes de ser colocado nos cochos cobertos. Cria Recria Engorda As misturas com sal branco (NaCI) devem ser fornecidas a livre acesso aos animais em cochos cobertos. O consumo médio esperado das diluições será de 60 a 130 g/animal adulto/dia e pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Embalagem de 25 kg. As misturas recomendadas são: 1 sc Guabiphos 160 S (25 kg): 1 sc de sal branco (25 kg) 1 sc Guabiphos 160 S (25 kg): 1 sc de sal branco (25 kg) 1 sc Guabiphos 160 S (25 kg): 2 sc de sal branco (50 kg) N.N.P Eq. Proteína 281 g 120 g 40 g 150 g 60 mg 500 mg 650 mg 40 mg 500 mg 10 mg 2500 mg 400 mg Guabiphos Uréia 10 é um suplemento mineral completo com uréia, pronto para uso, com 4% de fósforo e 10% de uréia, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para atender as necessidades minerais dos bovinos a campo, nas fases de recria e engorda, no período das secas. Guabiphos Uréia 10 deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 18 a 25 g/100 kg de peso vivo do animal/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Recomenda-se usar espaçamento de cocho de 4 a 5 cm linear Para que se obtenha um melhor resultado é importante boa oferta de capim nos pastos. Período de Adaptação Todo produto que possui uréia em sua composição deve ser fornecido de maneira gradual, por um período de, no mínimo, 15 dias, para que as bactérias do rúmen dos animais se adaptem à nova alimentação. Durante o período de adaptação, recomendamos adicionar 1 saco de sal branco (25 kg) para cada saco de Guabiphos Uréia 10 na primeira semana e 1 saco de sal branco (25 kg) para cada dois (2) sacos de Guabiphos Uréia 10 na segunda semana. A partir da terceira semana, fornecer o produto puro para os animais.

22 42 Suplemento Mineral com Uréia para Gado de Corte Guabiphos Uréia Guabiphos Uréia 15 é um suplemento mineral completo com uréia, pronto para uso, com 4% de fósforo e 15% de uréia, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para atender as necessidades minerais dos bovinos a campo, nas fases de recria e engorda, no período das secas. N.N.P Eq. Proteína 420 g 120 g 40 g 150 g 60 mg 500 mg 650 mg 40 mg 500 mg 10 mg 2500 mg 400 mg Guabiphos Uréia 15 deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 18 a 25 g/100 kg de peso vivo do animal/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Recomenda-se usar espaçamento de cocho de 4 a 5 cm linear Para que se obtenha um melhor resultado é importante boa oferta de capim nos pastos. Período de Adaptação Todo produto que possui uréia em sua composição deve ser fornecido de maneira gradual, por um período de, no mínimo, 15 dias, para que as bactérias do rúmen dos animais se adaptem à nova alimentação. Durante o período de adaptação, recomendamos adicionar 1 saco de sal branco (25 kg) para cada saco de Guabiphos Uréia 15 na primeira semana e 1 saco de sal branco (25 kg) para cada dois (2) sacos de Guabiphos Uréia 15 na segunda semana. A partir da terceira semana, fornecer o produto puro para os animais.

23 45 Suplementos Minerais para GADO DE LEITE Guabiphos 80 Leite Guabiphos Lactage 95 Guabiphos Lactage Gold Guabiphos Lactage Protéico

24 46 Suplemento Mineral para Gado de Leite Guabiphos 80 Leite Suplemento Mineral para Gado de Leite Guabiphos Lactage Guabiphos 80 Leite é um suplemento mineral completo, com 8% de fósforo, pronto para uso, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais para atender as necessidades minerais dos bovinos de leite, nas diversas fases da criação. Guabiphos Lactage 95 é um suplemento mineral com 9,5% de fósforo, pronto para uso, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, para atender as necessidades minerais dos bovinos de leite, nas diversas fases da criação. 160 g 80 g 1 12 g 114 g 1300 mg 1500 mg 1300 mg 30 mg 3000 mg 800 mg Guabiphos 80 Leite deve ser fornecido puro a livre acesso, em cochos cobertos ou forçado, incorporado na ração (TMR ou dieta tradicional). O consumo médio esperado é de 80 a 150 g/animal adulto/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade e estado fisiológico dos animais, produção de leite, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais g g mg 1500 mg 1500 mg 120 mg 1550 mg 36 mg 3600 mg 950 mg Guabiphos Lactage 95 deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos ou forçado, incorporado na ração (TMR ou dieta tardicional). O consumo médio esperado é de 80 a 150 g/animal adulto/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, quantidade de concentrado, clima, idade e estado fisiológico dos animais, produção de leite, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais..

25 48 Suplemento Mineral para Gado de Leite Guabiphos Lactage Gold Suplemento Mineral para Gado de Leite Guabiphos Lactage Proteico Vitamina A Vitamina D Vitamina E 150 g 60 g 1 17 g 57 g 1300 mg 1500 mg 1300 mg 30 mg 3000 mg 600 mg UI UI UI Guabiphos Lactage Gold é um suplemento mineral de uso contínuo, com vitaminas A, D e E, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos, para atender as necessidades minerais e de vitaminas A, D e E dos bovinos de leite, nas diversas fases de criação. Guabiphos Lactage Gold deve ser fornecido forçado, incorporado na ração (TMR ou dieta tradicional). É também indicado para ser adicionado na fabricação de ração na proporção de 3% ou 30 kg por tonelada. Observação: as quantidades acima podem ser alteradas sob orientação técnica para corrigir requerimentos. Recomendação de Consumo Forçado Vacas em Lactação Vacas Secas Touros Novilhas Bezerras 100 a 200 g/cabeça/dia 80 a 100 g/cabeça/dia 50 a 80 g/cabeça/dia 60 g/cabeça/dia 30 g/cabeça/dia Proteína (mín.) NNP Eq. Proteína (máx.) Monensina sódica NDT estimado Flúor (Max.) 320 g 160,7 g mg 150 mg 9 mg 410 mg 3,5 mg 450 mg 180 mg 50 % 150 % Vacas leiteiras de produção baixa a moderada criadas em pastagens. O melhor efeito do produto é na seca, porém a sua utilização para animais em pastagens não adubadas com adubos nitrogenados no verão incrementará a produção leiteira. Seus melhores resultados serão observados com animais que não recebem qualquer outro tipo de suplementação protéica ou energética. O produto deverá se fornecido a livre acesso, em cochos cobertos apropriados para suplementação mineral. O espaçamento de cocho necessário será de 10 a 20 cm linear por cabeça suplementada. Para que o produto demonstre efeito o seu consumo deverá ficar entre 2 a 3 g/kg de peso vivo dos animais. No entanto, no início de fornecimento do produto um período de adaptação deverá ser obedecido..

26 51 Suplemento Mineral para OVINOS Guabiphos Ovinos AE

27 52 Suplemento Mineral para Ovinos Guabiphos Ovinos AE 53 Vitamina A Vitamina E 140 g 6 12 g 130 g 80 mg 0 mg 60 mg 3000 mg 10 mg 5000 mg 650 mg UI 312 UI Guabiphos Ovinos AE é um suplemento mineral pronto para uso, com 6,5% de fósforo, vitaminas A e E, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais e vitaminas, para atender as necessidades minerais e de vitaminas A e E dos ovinos, em diferentes fases de produção. Guabiphos Ovinos AE deve ser fornecido puro, a livre acesso em cochos cobertos ou forçado, incorporado na ração (TMR ou dieta tradicional). O consumo médio esperado é de 10 a 20 g/animal adulto/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade e estado fisiológico dos animais, produção de leite, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Recomenda-se usar espaçamento de cocho de 2 cm linear por animal. Embalagem de 10 kg

28 55 Suplemento Mineral para EQUINOS Guabiphos Centauro 80

29 56 Suplemento Mineral para Equinos Guabiphos Centauro Guabiphos Centauro 80 é um suplemento mineral-vitamínico, pronto para uso com 8% de fósforo, formulado com fosfato bicálcico, macro e microelementos minerais, vitaminas A, D e E, para atender as necessidades minerais e de vitaminas A, D e E dos eqüinos, em todas as fases da criação. Guabiphos Centauro 80 deve ser fornecido a livre acesso em cochos cobertos. O consumo médio esperado é de 60 a 80 g/animal adulto/dia. O consumo pode variar dependendo da oferta e qualidade da forragem, clima, idade e estado fisiológico dos animais, tamanho dos cochos e estado de mineralização anterior dos animais. Vitamina A Vitamina D Vitamina E 200 g 80 g 6 g 100 g 40 mg 80 mg 12 mg 3000 mg 800 mg UI UI 500 UI Embalagem de 10 kg

30 Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi.

31 oferta e qualidade da forragem oferta e qualidade da forragem manejados em pastagens cujas forragens são cultivadas em solos de boa fertilidade. Todo produto que possui uréia em sua composição deve ser fornecido de maneira gradual, por um período de, no mínimo, 15 dias, para que as bactérias do rúmen dos animais se adaptem à nova alimentação manejados em pastagens cujas forragens são cultivadas em solos de boa fertilidade. Todo produto que possui uréia em sua composição deve ser fornecido de maneira gradual, por um período de, no mínimo, 15 dias, para que as bactérias do rúmen dos animais se adaptem à nova alimentação

ÍNDICE MITSUISAL A SUA NOVA OPÇÃO COM QUALIDADE

ÍNDICE MITSUISAL A SUA NOVA OPÇÃO COM QUALIDADE ÍNDICE Suplementos minerais pronto para uso Mitsuisal 40 - Bovinos de corte Mitsuisal 60 - Bovinos de corte Mitsuisal 65 - Bovinos de corte Mitsuisal 80 - Bovinos de corte Mitsuisal 88 - Bovinos de corte

Leia mais

bovinos de corte A resposta para o X da sua questão está aqui.

bovinos de corte A resposta para o X da sua questão está aqui. bovinos de corte A resposta para o da sua questão está aqui. índice Linha Campo Linha PSAI Linha Branca Linha Araguaia Núcleos Rações Linha Phós Aditivos 6 11 12 16 17 21 24 26 2 A Premix está comprometida

Leia mais

Minerais Matsuda. Fós Leite. Lac Gold. Lac Gest. Lac Guardian. Lac Parto. Cocho. Sem tamponante para ração. Tamponado para ração

Minerais Matsuda. Fós Leite. Lac Gold. Lac Gest. Lac Guardian. Lac Parto. Cocho. Sem tamponante para ração. Tamponado para ração Fós eite uplemento mineral pronto para uso para rebanhos de leite. 25 kg = Código 18945 inerais atsuda ac Gest uplemento mineral para mistura para rebanhos de leite que recebem volumoso e/ou concentrado

Leia mais

ARTIGO TÉCNICO Minerthal Pró-águas Suplementação protéica energética no período das águas

ARTIGO TÉCNICO Minerthal Pró-águas Suplementação protéica energética no período das águas ARTIGO TÉCNICO Minerthal Pró-águas Suplementação protéica energética no período das águas A bovinocultura de corte brasileira tem sua produção concentrada em sistemas de pastejo e, portanto, dependente

Leia mais

Manejo de Pastagens e Suplementação na Pecuária. Ari José Fernades Lacôrte Engenheiro Agrônomo MS

Manejo de Pastagens e Suplementação na Pecuária. Ari José Fernades Lacôrte Engenheiro Agrônomo MS 1 Manejo de Pastagens e Suplementação na Pecuária Ari José Fernades Lacôrte Engenheiro Agrônomo MS 2 PECUÁRIA NO MUNDO GRAFICO 1: REBANHO MUNDIAL EM 2.008 78,1 17,8 26,5 29,9 51,2 87,0 96,5 138,90 281,9

Leia mais

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot Sistemas de produção e Índices zootécnicos Profª.: Valdirene Zabot O que é uma CADEIA? É um conjunto de elos onde cada um depende dos demais. Na cadeia de produção da carne e do couro, o bovino é ó elo

Leia mais

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE Nos primeiros meses de vida os bezerros obtêm grande parte dos nutrientes de que precisa do leite materno, que é de fácil digestão para o animal que ainda é jovem. Em

Leia mais

MANEJO NUTRICIONAL DE BOVINOS DE CORTE

MANEJO NUTRICIONAL DE BOVINOS DE CORTE 1. Introdução MANEJO NUTRICIONAL DE BOVINOS DE CORTE Rogério Marchiori Coan 1 O complexo pecuário brasileiro de corte apresenta diversos pontos de ineficiência, destacando-se a produtividade extremamente

Leia mais

Diferimento de pastagens para animais desmamados

Diferimento de pastagens para animais desmamados Diferimento de pastagens para animais desmamados Marco Antonio Alvares Balsalobre Eng. Agrônomo doutor em Ciência Animal e Pastagens Diretor de Produto da Bellman Nutrição Animal LTDA Mirella Colombo Moscardini

Leia mais

Quisque luctus vehicula nunc. Só a DSM tem proteinados com Minerais Tortuga. Por isso ela é única.

Quisque luctus vehicula nunc. Só a DSM tem proteinados com Minerais Tortuga. Por isso ela é única. TORTUGA. TORTUGA. TORTUGA. A MARCA PARA A MARCA RUMINANTES A PARA MARCA RUMINANTES PARA DA DSM. RUMINANTES DA DSM. DA DSM. Ut eget Ut eget elit arcu elit arcu Quisque luctus vehicula nunc Só a DSM tem

Leia mais

A visão da Indústria de Insumos. FEICORTE 22 DE JULHO 2007 Sergio Carlo Franco Morgulis ASBRAM

A visão da Indústria de Insumos. FEICORTE 22 DE JULHO 2007 Sergio Carlo Franco Morgulis ASBRAM A visão da Indústria de Insumos FEICORTE 22 DE JULHO 2007 Sergio Carlo Franco Morgulis ASBRAM Objetivos Objetivos em comum para toda a cadeia Economicamente viável Socialmente responsável Ambientalmente

Leia mais

Cenários. Sistemas de Produção. para a Pecuária de Corte Amazônica

Cenários. Sistemas de Produção. para a Pecuária de Corte Amazônica Sistemas de Produção Cenários para a Pecuária de Corte Amazônica Centro de Sensoriamento Remoto e Escola de Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais Aliança da terra Virginia Tech Woods Hole

Leia mais

USO DO CREEP FEEDING NA CRIAÇÃO DE OVINOS E CAPRINOS

USO DO CREEP FEEDING NA CRIAÇÃO DE OVINOS E CAPRINOS USO DO CREEP FEEDING NA CRIAÇÃO DE OVINOS E CAPRINOS José Neuman Miranda Neiva 1, Maria Andréa Borges Cavalcante 2 e Marcos Cláudio Pinheiro Rogério 3 1 Professor do Depto. de Zootecnia da Universidade

Leia mais

Suplementação de Bovinos de Corte a Pasto. Carlos Eduardo Santos Médico Veterinário CRMV SP 4082 carlos-e.santos@dsm.com

Suplementação de Bovinos de Corte a Pasto. Carlos Eduardo Santos Médico Veterinário CRMV SP 4082 carlos-e.santos@dsm.com Suplementação de Bovinos de Corte a Pasto Carlos Eduardo Santos Médico Veterinário CRMV SP 4082 carlos-e.santos@dsm.com Sistema brasileiro de produção de carne PASTO 95% da dieta ~200 milhões de cabeças

Leia mais

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL Empresa Júnior de Nutrição de Ruminantes NUTRIR FCA-UNESP-FMVZ INTRODUÇÃO CONCEITOS BÁSICOS CENÁRIO DADOS MERCADO DO BOI CONSIDERAÇÕES FINAIS CONCEITOS BÁSICOS

Leia mais

AGROECONÔMICA CONSULTORIA MEIO AMBIENTE E PECUÁRIA

AGROECONÔMICA CONSULTORIA MEIO AMBIENTE E PECUÁRIA PASTAGENS: INTENSIDADE DE MANEJO E ADEQUAÇÃO ESTRATÉGICA. O que mais impressiona na nossa pecuária de corte é a possibilidade de um uso bastante conveniente e de baixo custo das pastagens. O Brasil, um

Leia mais

MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento. Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa

MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento. Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa Julho/2013 1 Confinamento - sistema de criação onde lotes de animais são encerrados em piquetes ou currais com área restrita

Leia mais

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO FAZENDA SANTA LUZIA Maurício Silveira Coelho Medico Veterinário CRMV MG 2352 Fazenda Santa Luzia PASSOS/MG E-mail mauricio@josecaboverde.com.br HISTÓRICO Proprietário: José Coelho Vítor e filhos Localização:

Leia mais

Nutrição completa para equinos. Linha Equinos. Rações Suplementos Minerais

Nutrição completa para equinos. Linha Equinos. Rações Suplementos Minerais Nutrição completa para equinos Linha Equinos Rações Suplementos Minerais Confiança, Tecnologia, Qualidade e Resultado Estes são os ingredientes que fazem a diferença dos produtos Fanton. Há mais de 25

Leia mais

Estado Atual e Perspectivas Técnicas T da Pecuária de Corte no Brasil

Estado Atual e Perspectivas Técnicas T da Pecuária de Corte no Brasil Universidade de São S o Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Zootecnia Estado Atual e Perspectivas Técnicas T da Pecuária de Corte no Brasil Prof. Dr. Moacyr Corsi Eng Agro.

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE MANEJO E SUPLEMENTAÇÃO DO PASTO SOBRE CARACTERÍSTICAS DO DOSSEL E DESEMPENHO BIOECONOMICO DE BOVINOS EM RECRIA NA SECA

ESTRATÉGIAS DE MANEJO E SUPLEMENTAÇÃO DO PASTO SOBRE CARACTERÍSTICAS DO DOSSEL E DESEMPENHO BIOECONOMICO DE BOVINOS EM RECRIA NA SECA ESTRATÉGIAS DE MANEJO E SUPLEMENTAÇÃO DO PASTO SOBRE CARACTERÍSTICAS DO DOSSEL E DESEMPENHO BIOECONOMICO DE BOVINOS EM RECRIA NA SECA Carlos Alberto Vicente Soares 1 ; Regis Luis Missio 2 1 Aluno do Curso

Leia mais

ÍNDICE: INTRODUÇÃO: No final são apresentados os níveis de garantia dos nossos produtos. Boa leitura!

ÍNDICE: INTRODUÇÃO: No final são apresentados os níveis de garantia dos nossos produtos. Boa leitura! ÍNDICE: INTRODUÇÃO: Este manual tem a finalidade de orientar os produtores, técnicos e vendedores a respeito da forma correta para a utilização de suplementos minerais, suplementos minerais protéicos,

Leia mais

Recria de bovinos de corte

Recria de bovinos de corte Recria de bovinos de corte Professor: Fabiano Alvim Barbosa Disciplina: Bovinocultura de Corte Sistema de Recria Novilhos são recriados para engorda ou Touros (seleção genética) Novilhas são recriadas

Leia mais

O USO DO CREEP FEEDING NA PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

O USO DO CREEP FEEDING NA PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE 1 O USO DO CREEP FEEDING NA PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE Prof. Dr. Antonio Ferriani Branco PhD em Nutrição e Produção de Ruminantes afbranco@uem.br O SISTEMA VACA-BEZERRO Os fatores que afetam mais significativamente

Leia mais

Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos

Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos FMVZ Unesp Botucatu João Ricardo Ronchesel Henrique Della Rosa Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos Evolução do manejo nutricional

Leia mais

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Leite relatório de inteligência JANEIRO 2014 O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Na busca da eficiência nos processos produtivos na atividade leiteira este

Leia mais

2011 Evialis. Todos os direitos reservados uma marca

2011 Evialis. Todos os direitos reservados uma marca Comprometida com a busca constante por soluções e inovações tecnológicas em nutrição animal que melhorem produção e rentabilidade nas produções rurais, a Socil anuncia uma grande novidade. uma marca A

Leia mais

SUPLEMENTAÇÃO DE REBANHOS DE CRIA E RECRIA DE BOVINOS DE CORTE EM PASTEJO

SUPLEMENTAÇÃO DE REBANHOS DE CRIA E RECRIA DE BOVINOS DE CORTE EM PASTEJO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL Disciplina: SEMINÁRIOS APLICADOS SUPLEMENTAÇÃO DE REBANHOS DE CRIA E RECRIA DE BOVINOS DE CORTE EM PASTEJO

Leia mais

Quadro 1 Ganho de peso de novilhos (g / cab / d) em pastejo de forrageiras de acordo com a época do ano. ... ... ...

Quadro 1 Ganho de peso de novilhos (g / cab / d) em pastejo de forrageiras de acordo com a época do ano. ... ... ... Falar em suplementar bovinos de corte, com grãos, nas águas, normalmente é tido como antieconómico. No entanto, sabendo utilizar tal suplementação, é uma alternativa de manejo interessante que pode contribuir

Leia mais

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES Mauro Sartori Bueno, Eduardo Antonio da Cunha, Luis Eduardo dos Santos Pesquisadores Científicos do Instituto de Zootecnia, IZ/Apta-SAA-SP CP 60, Nova Odessa-SP, CEP

Leia mais

Custo Unitário do Nutriente (CUN) = A (B 100 x C 100),

Custo Unitário do Nutriente (CUN) = A (B 100 x C 100), CÁLCULO DE UM SUPLEMENTO PARA BUBALINOS DE CORTE Para se calcular um suplemento é necessário o conhecimento prévio de quatro fatores: o o o o Composição nutricional da pastagem Consumo da pastagem Identificação

Leia mais

Ciclo pecuário. Comportamento de preços

Ciclo pecuário. Comportamento de preços Comportamento de preços... Continuação da aula anterior 3 fenômenos de preço Sazonalidade: seca e águas / safra entre safra Ciclo da pecuária: Flutuação de preços que ocorre periodicamente na comercialização

Leia mais

Universidade Comunitária da Região de Chapecó Área de Ciências Exatas e Ambientais Curso de Agronomia Disciplina: Bovinos de corte

Universidade Comunitária da Região de Chapecó Área de Ciências Exatas e Ambientais Curso de Agronomia Disciplina: Bovinos de corte Universidade Comunitária da Região de Chapecó Área de Ciências Exatas e Ambientais Curso de Agronomia Disciplina: Bovinos de corte Profª. Valdirene Zabot Zootecnista Brasil: mercado e comercialização LONGO

Leia mais

III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA. EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização

III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA. EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização RESULTADOS DO CONFINAMENTO DA COPLACANA EM 2.008 E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO Ari José Fernandes Lacôrte Engenheiro

Leia mais

USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS

USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS Ivan Pedro de O. Gomes, Med.Vet., D.Sc. Professor do Departamento de Zootecnia CAV/UDESC. e-mail: a2ipog@cav.udesc.br A alimentação constitui-se no principal componente

Leia mais

1 - Qual o significado do registro genealógico para o melhoramento das raças de gado de corte?

1 - Qual o significado do registro genealógico para o melhoramento das raças de gado de corte? Dicas e Dúvidas 1 - Qual o significado do registro genealógico para o melhoramento das raças de gado de corte? O principal objetivo do registro genealógico é possibilitar o fornecimento de pedigrees corretos

Leia mais

Alimentação de caprinos

Alimentação de caprinos Alimentação de Caprinos vcadavez@ipb.pt Conservação de habitats com recurso a caprinos Outline 1 Denição comportamental dos caprinos 2 3 4 5 Denição comportamental dos caprinos Os caprinos são ruminantes

Leia mais

Nutrição e alimentação de ovinos. Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013

Nutrição e alimentação de ovinos. Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013 Nutrição e alimentação de ovinos Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013 EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS PARA OVINOS Tabelas de Exigências Nutricionais: NRC 1985 Primeira tabela de exigências nutricionais para

Leia mais

Dietas Caseiras para Cães e Gatos

Dietas Caseiras para Cães e Gatos UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE CIÊNCIA AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIA CAMPUS DE JABOTICABAL SERVIÇO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA Prof. Dr. Aulus Cavalieri Carciofi

Leia mais

Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore

Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore THIAGO VINÍCIUS DE SOUZA GRADUANDO EM MEDICINA VETERINÁRIA UFMT/SINOP CONTATO: THIAGOV_SOUZA@HOTMAIL.COM Produtividade Cenário atual Nelore sistema

Leia mais

ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DE EQUINOS

ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DE EQUINOS ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DE EQUINOS Prof. Dr. João Ricardo Dittrich Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia ROTEIRO Particularidades anatômicas e fisiológicas. Características ambientais.

Leia mais

Nestlé EM CAMPO. Período de transição. Eficiência e qualidade na produção leiteira

Nestlé EM CAMPO. Período de transição. Eficiência e qualidade na produção leiteira Nestlé EM CAMPO Eficiência e qualidade na produção leiteira Período de transição Cuidados no pré e pós-parto garantem a boa condição reprodutiva e produtiva Ano 2 Número 12 Nov./Dez. 2015 Nestlé EM CAMPO

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA

FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA MANEJO ALIMENTAR DE CORDEIROS MARIANNA MIETTO MENDES 3 ZOOTECNIA INTRODUÇÃO Mercado; Período de aleitam

Leia mais

Manual. do Produtor. de bezerro de corte

Manual. do Produtor. de bezerro de corte Manual do Produtor de bezerro de corte INTRODUÇÃO 02 A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracterizase como um período fundamental no processo de produção. As técnicas

Leia mais

PROGRAMA NUTRICIONAL PARA SUÍNOS. "Seu resultado é o nosso compromisso." EXCELÊNCIA EM NUTRIÇÃO ANIMAL. www.guabi.com.

PROGRAMA NUTRICIONAL PARA SUÍNOS. Seu resultado é o nosso compromisso. EXCELÊNCIA EM NUTRIÇÃO ANIMAL. www.guabi.com. PROGRAMA NUTRICIONAL "Seu resultado é o nosso compromisso." PARA SUÍNOS EXCELÊNCIA EM NUTRIÇÃO ANIMAL www.guabi.com.br 0800 16 90 90 s para as fases de Maternidade e Creche A linha Nutriserviços para nutrição

Leia mais

Alimentação da vaca leiteira

Alimentação da vaca leiteira Alimentação da vaca leiteira A exploração leiteira consiste em atividade de converter recursos alimentares em leite, cujo valor agregado é superior a matéria-prima original. Recursos alimentares: Volumosos

Leia mais

Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial

Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial Ronaldo Lazzarini Santiago 1 INTRODUÇÃO As fazendas Calciolândia e Colonial, de Gabriel Donato de Andrade, sempre foram a referência na seleção do

Leia mais

Técnicas Aplicadas à Produção Intensiva de Leite no Projeto Balde Cheio Formação e Manejo de Pastagens

Técnicas Aplicadas à Produção Intensiva de Leite no Projeto Balde Cheio Formação e Manejo de Pastagens Técnicas Aplicadas à Produção Intensiva de Leite no Projeto Balde Cheio Formação e Manejo de Pastagens PARANÁ 71 municípios 27 extensionistas 306 propriedades assistidas SANTA CATARINA 16 municípios 04

Leia mais

Sistemas de Produção em Pecuária de Corte Análise Crítica. Lívio Ribeiro Molina MSc;DSc. Escola de Veterinária - UFMG

Sistemas de Produção em Pecuária de Corte Análise Crítica. Lívio Ribeiro Molina MSc;DSc. Escola de Veterinária - UFMG Sistemas de Produção em Pecuária de Corte Análise Crítica Lívio Ribeiro Molina MSc;DSc. Escola de Veterinária - UFMG As organizações empresariais fracassam por um desses motivos: Sistema sem paixão; Paixão

Leia mais

ÁGUA. 97% água salgada - ± 3% se restringe a água doce; Perda de toda gordura corporal, metade PTN s e 40% peso vivo Perda 10% - morte.

ÁGUA. 97% água salgada - ± 3% se restringe a água doce; Perda de toda gordura corporal, metade PTN s e 40% peso vivo Perda 10% - morte. ÁGUA 97% água salgada - ± 3% se restringe a água doce; Perda de toda gordura corporal, metade PTN s e 40% peso vivo Perda 10% - morte. PROPRIEDADES E FUNÇÕES Constituinte ativo e estrutural; 70% da carcaça

Leia mais

SUPLEMENTAÇÃO MINERAL PARA BOVINOS DE CORTE. IVAN PEDRO DE OLIVEIRA GOMES Med.Vet., M.Sc., D.Sc. Professor do Departamento de Zootecnia (CAV/UDESC)

SUPLEMENTAÇÃO MINERAL PARA BOVINOS DE CORTE. IVAN PEDRO DE OLIVEIRA GOMES Med.Vet., M.Sc., D.Sc. Professor do Departamento de Zootecnia (CAV/UDESC) SUPLEMENTAÇÃO MINERAL PARA BOVINOS DE CORTE IVAN PEDRO DE OLIVEIRA GOMES Med.Vet., M.Sc., D.Sc. Professor do Departamento de Zootecnia (CAV/UDESC) Suplementação mineral Visa complementar os minerais fornecidos

Leia mais

Ari José Fernandes Lacôrte Engenheiro Agrônomo MS Consultor Sênior

Ari José Fernandes Lacôrte Engenheiro Agrônomo MS Consultor Sênior BEZERROS: VENDER, RECRIAR OU ENGORDAR? Apesar de muitos pecuaristas não adotarem formalmente a estação de monta no Brasil há uma expressiva concentração do numero de animais desmamados no final do 1º semestre.

Leia mais

TORTUGA. A MARCA PARA RUMINANTES DA DSM. Só a DSM tem proteinados com Minerais Tortuga. Por isso ela é única.

TORTUGA. A MARCA PARA RUMINANTES DA DSM. Só a DSM tem proteinados com Minerais Tortuga. Por isso ela é única. TORTUGA. A MARCA PARA RUMINANTES DA DSM. Só a DSM tem proteinados com Minerais Tortuga. Por isso ela é única. A marca Tortuga tem a linha completa de proteinados, que atende todas as necessidades do gado,

Leia mais

Suplementação de Bovinos de corte

Suplementação de Bovinos de corte Suplementação de Bovinos de corte Leonardo de Oliveira Fernandes Professor da FAZU Pesquisador da EPAMIG leonardo@epamiguberaba.com.br FAZU/EPAMIG Brasil POTENCIAL DAS PASTAGENS 0,6 a 0,8 kg/bovino/dia

Leia mais

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de d e b e z e r r o d e c o r t e INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de produção. As técnicas utilizadas

Leia mais

Webinar O Nutricionista. Dr. Noelia Silva Universidade da Califórnia

Webinar O Nutricionista. Dr. Noelia Silva Universidade da Califórnia Webinar O Nutricionista Dr. Noelia Silva Universidade da Califórnia O que podemos fazer para diminuir a diferença entre a dieta formulada e a dieta no cocho dos animais Marcelo Hentz Ramos PhD / Diretor

Leia mais

Curso RLM 2013 Gado de Corte

Curso RLM 2013 Gado de Corte Curso RLM 2013 Gado de Corte Programa de Formulação de Rações de Lucro Máximo Patrocinador Introdução Desenvolvido na Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" ESALQ, USP, Piracicaba, sob a coordenação

Leia mais

BOI DE CICLO CURTO DIA DE CAMPO ESTÂNCIA ANNA SOPHIA. Baixada Cuiabana, 17 de junho de 2011

BOI DE CICLO CURTO DIA DE CAMPO ESTÂNCIA ANNA SOPHIA. Baixada Cuiabana, 17 de junho de 2011 DIA DE CAMPO ESTÂNCIA ANNA SOPHIA Baixada Cuiabana, 17 de junho de 2011 BOI DE CICLO CURTO Adilson de Paula Almeida Aguiar FAZU/CONSUPEC adilson@consupec.com.br (034) 3313-8316/(034) 9972-7838 INTRODUÇÃO

Leia mais

Sistema Optimat TM - DeLaval Sistema de alimentação automatizado Sergio Toledo Filho - Solution Manager Ruminant. Internal

Sistema Optimat TM - DeLaval Sistema de alimentação automatizado Sergio Toledo Filho - Solution Manager Ruminant. Internal Sistema de alimentação automatizado Sergio Toledo Filho - Solution Manager Ruminant 1 Alimentação regular e frequente de dietas específicas é essencial para o sucesso da pecuária leiteira. Maior número

Leia mais

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP Autores: Eng.º Agr.º José Alberto Ávila Pires Eng.º Agr.º Wilson José Rosa Departamento Técnico da EMATER-MG Trabalho baseado em: Técnicas

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO E DO MANEJO DE VACAS LEITEIRAS EM PRODUÇÃO

A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO E DO MANEJO DE VACAS LEITEIRAS EM PRODUÇÃO A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO E DO MANEJO DE VACAS LEITEIRAS EM PRODUÇÃO 1 Ricardo Dias Signoretti A atual situação econômica da cadeia produtiva do leite exige que os produtores realizem todas as atividades

Leia mais

Suplementação na terminação eleva produtividade e lucro

Suplementação na terminação eleva produtividade e lucro Suplementação na terminação eleva produtividade e lucro FOTOS: FERNANDO YASSU Fornecendo ração de alto consumo na fase final de engorda e investindo em adubação, fazenda rondoniense aumenta produção de

Leia mais

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela 199 Trigo não é somente para alimentar o homem Renato Serena Fontaneli Leo de J.A. Del Duca Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela posição ocupada como uma das culturas mais importantes para alimentar

Leia mais

MANEJO E ALIMENTAÇÃO DE VACAS EM LACTAÇÃO

MANEJO E ALIMENTAÇÃO DE VACAS EM LACTAÇÃO AZ042 Bovinocultura de Leite Aula 09 MANEJO E ALIMENTAÇÃO DE VACAS EM LACTAÇÃO Prof. Rodrigo de Almeida Ciclo de Produção - Curva de Lactação - Consumo de Matéria Seca - Escore de Condição Corporal - Desenvolvimento

Leia mais

Vantagens da integração lavoura-pecuária na recuperação de pastagens degradadas

Vantagens da integração lavoura-pecuária na recuperação de pastagens degradadas Vantagens da integração lavoura-pecuária na recuperação de pastagens degradadas Armindo Neivo Kichel 1 ; José Alexandre Agiova da Costa 1 ; Roberto Giolo de Almeida 1 1 Pesquisador EMBRAPA Gado de Corte,

Leia mais

A Importância do Fósforo na Dieta de Vacas de Leite

A Importância do Fósforo na Dieta de Vacas de Leite A Importância do Fósforo na Dieta de Vacas de Leite As pressões de mercado exigem uma eficiência cada vez maior no uso dos fatores de produção e no controle dos custos da atividade leiteira. A garantia

Leia mais

Estudo de Caso: Fazenda Santa Brígida

Estudo de Caso: Fazenda Santa Brígida Estudo de Caso: Fazenda Santa Brígida XXIII FÓRUM ABAG INTEGRAÇÃO LAVOURA, PECUÁRIA E FLORESTA Maringá, 18 de maio de 2012. João Kluthcouski joaok@cnpaf.embrapa.br Produtividade (kg ha -1 ) Evolução da

Leia mais

SIMPOSIO DE GADO LEITEIRO RIBEIRÃO PRETO SP AGO/2013

SIMPOSIO DE GADO LEITEIRO RIBEIRÃO PRETO SP AGO/2013 SIMPOSIO DE GADO LEITEIRO RIBEIRÃO PRETO SP AGO/2013 MAURICIO SILVEIRA COELHO 35 9133 1825 mauricio@grupocaboverde.com.br WWW.GRUPOCABOVERDE.COM.BR FAZENDA SANTA LUZIA - HISTÓRICO Proprietário: José Coelho

Leia mais

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br QUEM SOMOS Localizada em Montes Claros, norte de Minas Gerais, a BIOCAMPO Assistência Veterinária foi fundada em 2010 e atua na área de Reprodução Bovina.

Leia mais

GRANJA FONTE NATAL. 1. Dados da Propriedade. 2. Histórico.

GRANJA FONTE NATAL. 1. Dados da Propriedade. 2. Histórico. GRANJA FONTE NATAL 1. Dados da Propriedade A pequena propriedade denominada Granja Fonte Natal está localizada na Depressão Central do Estado as margens da BR-290, Km. 272, no Município de Cachoeira do

Leia mais

EFEITO DA UTILIZAÇÃO DE PRÓBIÓTICOS EM DIETAS PARA BOVINOS NELORE TERMINADOS EM CONFINAMENTO INTRODUÇÃO

EFEITO DA UTILIZAÇÃO DE PRÓBIÓTICOS EM DIETAS PARA BOVINOS NELORE TERMINADOS EM CONFINAMENTO INTRODUÇÃO EFEITO DA UTILIZAÇÃO DE PRÓBIÓTICOS EM DIETAS PARA BOVINOS NELORE TERMINADOS EM CONFINAMENTO INTRODUÇÃO Aditivos alimentares são utilizados em dietas para bovinos de corte em confinamento com o objetivo

Leia mais

Manejo e estratégias de suplementação para bovinos de corte

Manejo e estratégias de suplementação para bovinos de corte Manejo e estratégias de suplementação para bovinos de corte Fabiano Alvim Barbosa Médico Veterinário Doutor Produção Animal Professor - Escola de Veterinária - UFMG Setembro, 2012 Alta Floresta - MT ASPECTOS

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM LONDRINA/PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM LONDRINA/PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM LONDRINA/PR Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

UFRRJ INSTITUTO DE ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA

UFRRJ INSTITUTO DE ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA UFRRJ INSTITUTO DE ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA DISSERTAÇÃO Desempenho de Bovinos Submetidos à Suplementação Protéico-Energética em Diferentes Meses da Estação Seca Daniele de Latorre

Leia mais

Forrageiras para corte e pastejo

Forrageiras para corte e pastejo Forrageiras para corte e pastejo Antonio Vander Pereira e Antonio Carlos Cóser * Introdução As pastagens e forragens cortadas representam formas mais econômicas de arraçoamento do gado leiteiro, podendo

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Embrapa Gado de Corte. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Embrapa Gado de Corte. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. ISSN 1517-3747 Julho, 2006 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Gado de Corte Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 159 Aspectos Práticos da Suplementação Alimentar

Leia mais

(NUTROESTE URÉIA PLUS)

(NUTROESTE URÉIA PLUS) O SEU BOI DÁ LUCRO? No Brasil, a atividade pecuária existe há centenas de anos, alternando períodos de lucratividade alta com outros de baixa rentabilidade. Há neste momento uma crise gerada por vários

Leia mais

(67) 3471-1173 / (67) 9643-1999 e-mail: agro.neri@hotmail.com

(67) 3471-1173 / (67) 9643-1999 e-mail: agro.neri@hotmail.com Inscrição CNPJ.: 18.603.382/0001-03 - Inscrição Estadual: 28.389.383-4 VIABILIDADE DE IRRIGAÇÃO X BOVINOCULTURA DE CORTE A distribuição de água de maneira artificial em pastagens por meio de irrigação

Leia mais

AVALIAÇÕES DE OBJETIVOS ECONÔMICOS PARA GADO DE LEITE, DE CORTE E DE DUPLA APTIDÃO NO BRASIL. Anibal Eugênio Vercesi Filho, Fernando Enrique Madalena

AVALIAÇÕES DE OBJETIVOS ECONÔMICOS PARA GADO DE LEITE, DE CORTE E DE DUPLA APTIDÃO NO BRASIL. Anibal Eugênio Vercesi Filho, Fernando Enrique Madalena AVALIAÇÕES DE OBJETIVOS ECONÔMICOS PARA GADO DE LEITE, DE CORTE E DE DUPLA APTIDÃO NO BRASIL Anibal Eugênio Vercesi Filho, Fernando Enrique Madalena Departamento de Zootecnia, Escola de Veterinária da

Leia mais

Manejo nutricional dos ovinos Profa. Fernanda Bovino

Manejo nutricional dos ovinos Profa. Fernanda Bovino Manejo nutricional dos ovinos Profa. Fernanda Bovino Introdução Representa até 60% custos Mais importante para o sucesso Exigências nutricionais Mantença Produção Reprodução Alimentos Nutrientes Energia,

Leia mais

PROGRAMA REFERENCIAL DE QUALIDADE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA PECUÁRIA BOVINA DE MINAS GERAIS. Hélio Machado. Introdução

PROGRAMA REFERENCIAL DE QUALIDADE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA PECUÁRIA BOVINA DE MINAS GERAIS. Hélio Machado. Introdução Capítulo 34 Gestão da pecuária bovina de Minas Gerais PROGRAMA REFERENCIAL DE QUALIDADE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA PECUÁRIA BOVINA DE MINAS GERAIS Hélio Machado Introdução Minas Gerais tem uma área de 58

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

Cana-de-Açúcar + Ureia. Volumoso de baixo custo para o rebanho na seca

Cana-de-Açúcar + Ureia. Volumoso de baixo custo para o rebanho na seca Cana-de-Açúcar + Ureia Volumoso de baixo custo para o rebanho na seca Esta tecnologia é indicada para sistemas de produção intensivos e extensivos de gado de leite ou gado de corte no período da seca,

Leia mais

JUSTIFICATIVA DO EVENTO

JUSTIFICATIVA DO EVENTO JUSTIFICATIVA DO EVENTO Técnica e Técnica e Científica Dados da pesquisa para sistemas de produção de leite e dados de campo para sistemas de produção de carne Econômica Escala de produção, padrão de vida,

Leia mais

PROGRAMA GUABI DE ALIMENTAÇÃO PARA EQUINOS

PROGRAMA GUABI DE ALIMENTAÇÃO PARA EQUINOS PROGRAMA GUABI D ALIMNTAÇÃO PARA QUINOS PROGRAMA GUABI D ALIMNTAÇÃO PARA QUINOS O Programa de Alimentação para quinos Guabi é composto de produtos que atendem a todas as classes de equinos, desde seu nascimento

Leia mais

São aquelas que exploram a capacidade do solo por meio do. cultivo da terra, da criação de animais e da

São aquelas que exploram a capacidade do solo por meio do. cultivo da terra, da criação de animais e da 1 São aquelas que exploram a capacidade do solo por meio do cultivo da terra, da criação de animais e da transformação de determinados produtos agropecuários com vistas à obtenção de produtos que venham

Leia mais

Classificação de Suplementos. Bruno Marson Zootecnista MSc.

Classificação de Suplementos. Bruno Marson Zootecnista MSc. Classificação de Suplementos Bruno Marson Zootecnista MSc. CLASSIFICAÇÕES DOS PRODUTOS DESTINADOS A NUTRIÇÃO ANIMAL (IN Nº 12 2004 / IN Nº 15 2009) Suplementos Suplemento Mineral Suplemento Mineral Com

Leia mais

Água: Qual a sua importância para ganho de peso em gado de corte?

Água: Qual a sua importância para ganho de peso em gado de corte? Água: Qual a sua importância para ganho de peso em gado de corte? Animais necessitam de oferta abundante de água limpa para: 1. fermentação ruminal e metabolismo; 2. fluxo de alimentos através do trato

Leia mais

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO ANIMAL 1. HISTÓRICO E IMPORTANCIA DOS ESTUDOS COM NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO:

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO ANIMAL 1. HISTÓRICO E IMPORTANCIA DOS ESTUDOS COM NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO: NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO ANIMAL 1. HISTÓRICO E IMPORTANCIA DOS ESTUDOS COM NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO: 1750 Europa com o início do processo da Revolução Industrial houve aumento da população nas cidades, com

Leia mais

Índices Zootécnicos Taxa de mortalidade 1,0% Idade de abate do boi gordo ou venda do animal Taxa de desfrute 38,34%

Índices Zootécnicos Taxa de mortalidade 1,0% Idade de abate do boi gordo ou venda do animal Taxa de desfrute 38,34% CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM PARANAVAÍ/PR. Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

Índices Zootécnicos Taxa de mortalidade 1,0% Idade de abate do boi gordo ou venda do animal Taxa de desfrute 45,81%

Índices Zootécnicos Taxa de mortalidade 1,0% Idade de abate do boi gordo ou venda do animal Taxa de desfrute 45,81% CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM UMUARAMA/PR. Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

RESUMO SUMMARY 1. INTRODUÇÃO

RESUMO SUMMARY 1. INTRODUÇÃO REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA ISSN 1679-7353 PERIODICIDADE SEMESTRAL EDIÇÃO NÚMERO 2 JANEIRO DE 2004 ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Genética Aditiva melhorando o peso dos bezerros à desmama e ao sobreano - Benefício do Choque sanguíneo em Programas de Cruzamento Industrial

Genética Aditiva melhorando o peso dos bezerros à desmama e ao sobreano - Benefício do Choque sanguíneo em Programas de Cruzamento Industrial Genética Aditiva melhorando o peso dos bezerros à desmama e ao sobreano - Benefício do Choque sanguíneo em Programas de Cruzamento Industrial Agregar valor ao plantel de fêmeas bovinas este é o objetivo

Leia mais