Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore"

Transcrição

1 Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore THIAGO VINÍCIUS DE SOUZA GRADUANDO EM MEDICINA VETERINÁRIA UFMT/SINOP CONTATO:

2 Produtividade Cenário atual Nelore sistema de criação tardio Índices reprodutivos; 1. Taxa reprodutiva; 2. Peso da Vaca; 3. Crescimento da Progênie; 2

3 Bovinocultura Produto final Crescimento; otimização do crescimento pré e pós-natal Identificação curva de crescimento animal pré e pós-natal; Interferência fatores externos 3

4 Curva de Crescimento Peso x Tempo; Alteração na curva; Pontos Importantes: 1. Maturidade Sexual; 2. Peso; 3. Composição Corporal; 4

5 5

6 6

7 Definições Precocidade representa a velocidade com que o animal atinge um determinado ponto antes da média do rebanho; Ex: Sexual ou de crescimento; Puberdade idade em que o animal se torna capaz de reproduzir; Maturidade sexual animal atinge a fertilidade funcional, fisiológica e comportamental. 60% do peso adulto da vaca de genótipo correspondente 7

8 Maturidade sexual de fêmeas x peso adulto Novilhas 60% do peso adulto da vaca de genótipo correspondente. NRC (1996) : 55% do peso adulto para raças B. taurus de duplo aptidão como Gelbvieh,Braunvieh e Red Poll; 60% para a maioria das raças de Bos taurus; 65% para Bos indicus; 8

9 Novilhas - Problemática Modulação endócrina Eixo Hipotálamo-Hipófise-Gonadal; Níveis de Estrógenos Cio silencioso; Estação de Monta versus Crescimento Corporal; 9

10 Identificação dos melhores animais Seleção de animais mais eficientes Mais rápidos; Mais econômicos peso adulto (denominado A) e; taxa de maturação ou taxa de precocidade (fator k). 10

11 Peso Adulto Metodologias: 1. Peso do animal quando este atinge 25% de gordura no corpo e tem seu crescimento esquelético completado; (Taylor e Young, 1958). *Bovinos com 25% de gordura corporal -100% do esqueleto desenvolvido. (Reid et al, 1955; Fortin et al, 1980). 11

12 Peso Adulto Metodologias: 2. Peso no qual o animal atinge a máxima deposição de matéria desengordurada (soma de proteína, água e minerais). (Fox e Black, 1984; Owens et al,1995). *Requer a determinação ou estimativa da composição corporal dos animais. Herdabilidade peso adulto : 0,50 vacas Bos taurus (Koots et al., 1994) / Barbosa (1991) 0,75 vacas Nelore. 12

13 Taxa de Maturação Rapidez com que o animal atinge uma determinada proporção do seu peso adulto, define o animal precoce. Animal 1: Peso Adulto: 800 Kg; Peso com 1 ano: 400 Kg; Animal 2: Peso Adulto: 1000 Kg; Peso com 1 ano: 450 Kg; Nem sempre o animal mais pesado à idade jovem é o mais precoce. 13

14 14

15 Taxa de Maturação Fatores Ambientais Herdabilidade menor; Interações entre genótipo e ambiente. Diferentes padrões genéticos; 15

16 Figura 1. Curva de crescimento da desmama à idade adulta (modelo de Brody) de bovinos com diferentes pesos adultos e diferentes taxas de maturação. 16

17 Seleção com Base na Curva de Crescimento Animais Jovens + Pesados Animais adultos + pesados; Peso à desmama e sobreano; PMG: 12 e 18 meses; Peso ao nascer! Mérito? Aumento: Partos distócicos; Peso adulto das matrizes com aumento nas exigências nutricionais). 17

18 Puberdade e Maturidade sexual Primeira ovulação Puberdade ou Maturidade Sexual ovulação fértil mas sem sinais exteriores de cio; A fertilidade de novilhas: primeiro cio foi 21% menor do que a obtida no terceiro estro (Byerley et al, 1987); Manejo de estação de monta; 18

19 Puberdade Genética + Ambiente; Clima Alimento Manejo Nelore 15 meses Nelore 22 a 36 meses Manejo deficiente das pastagens, falta suplementação adequada: energia, proteína e minerais; 19

20 Fatores que afetam a maturidade sexual de fêmeas Melhoramento do material genético; Raça e linhagem Peso Adulto e Tx de Maturação; Alterações do ambiente; Interação social Separação em grupos - Detecção de cio Nutrição Creep-feeding - Produção de leite ; Custo CA 20

21 Fatores que afetam a maturidade sexual de fêmeas Alterações do ambiente; Nutrição Nutrição no período pós-desmama Exposição a touros: Indução e sincronização Progestogênios + suplementação energética (Gonzales-Padilla et al., 1975). *progestogênios e acetato de melengesterol efeito + produção de LH e crescimento do maior folícular (Patterson et al., 1992). 21

22 Fatores que afetam a maturidade sexual de machos Menos relevante para a rentabilidade do sistema de exploração? Touros Precoces Filhas Precoces Correlação positiva entre ovulação e a fertilidade na fêmea e o tamanho dos testículos em machos. Menor intervalo entre gerações 22

23 Adequação do ambiente e potencial produtivo Adequação Genética Ambiente Alterações no manejo Impacto custo/benefício $ 23

24 Curva de crescimento e produtividade Binômio Efeitos biológicos sobre eficiência econômica: Efeito Biológico - Tamanho do animal Eficiência Econômica Custo extra de energia para manutenção; Associação com várias medidas de quantidade e qualidade da carne; Adaptabilidade às condições: alimentação, clima e outros recursos; Custo fixo por animal; Padronização dos animais de abate; Custos dos alimentos para os animais de reprodução e crescimento; 24

25 Principal Falha Animais tardios de elevado peso adulto: novilho não acabado; menores taxas de concepção (elevada exigência de matrizes de grande porte); 25

26 Conclusões I. Enorme importância da precocidade sexual e de abate sobre a eficiência de produção de carne bovina; II. Forte correlação negativa entre tamanho adulto e precocidade; Necessidade de conhecimento da curva de crescimento; III. Necessidade de práticas adequadas de manejo de acordo com a genética empregada, visando aumento da taxa precocidade; IV. Nutrição como fator chave aliado ao potencial genético; 26

Recria de bovinos de corte

Recria de bovinos de corte Recria de bovinos de corte Professor: Fabiano Alvim Barbosa Disciplina: Bovinocultura de Corte Sistema de Recria Novilhos são recriados para engorda ou Touros (seleção genética) Novilhas são recriadas

Leia mais

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot Sistemas de produção e Índices zootécnicos Profª.: Valdirene Zabot O que é uma CADEIA? É um conjunto de elos onde cada um depende dos demais. Na cadeia de produção da carne e do couro, o bovino é ó elo

Leia mais

Manejo reprodutivo. Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda.

Manejo reprodutivo. Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda. Manejo reprodutivo Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda. Para produzir é preciso reproduzir!!! Eficiência Reprodutiva Rebanho Bovino Brasileiro Vacas e novilhas > 24

Leia mais

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br QUEM SOMOS Localizada em Montes Claros, norte de Minas Gerais, a BIOCAMPO Assistência Veterinária foi fundada em 2010 e atua na área de Reprodução Bovina.

Leia mais

O impacto do touro no rebanho de cria

O impacto do touro no rebanho de cria Algumas contas simples podem constatar que o touro de cria é um fator de produção de extrema relevância A realidade de mercado atual exige do pecuarista competência para se manter no negócio, e visão estratégica

Leia mais

Ciclo pecuário. Comportamento de preços

Ciclo pecuário. Comportamento de preços Comportamento de preços... Continuação da aula anterior 3 fenômenos de preço Sazonalidade: seca e águas / safra entre safra Ciclo da pecuária: Flutuação de preços que ocorre periodicamente na comercialização

Leia mais

Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz

Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da USP Núcleo de Apoio à Pesquisa em Melhoramento Animal,

Leia mais

O USO DO CREEP FEEDING NA PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

O USO DO CREEP FEEDING NA PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE 1 O USO DO CREEP FEEDING NA PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE Prof. Dr. Antonio Ferriani Branco PhD em Nutrição e Produção de Ruminantes afbranco@uem.br O SISTEMA VACA-BEZERRO Os fatores que afetam mais significativamente

Leia mais

Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial

Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial Ronaldo Lazzarini Santiago 1 INTRODUÇÃO As fazendas Calciolândia e Colonial, de Gabriel Donato de Andrade, sempre foram a referência na seleção do

Leia mais

Universidade Comunitária da Região de Chapecó Área de Ciências Exatas e Ambientais Curso de Agronomia Disciplina: Bovinos de corte

Universidade Comunitária da Região de Chapecó Área de Ciências Exatas e Ambientais Curso de Agronomia Disciplina: Bovinos de corte Universidade Comunitária da Região de Chapecó Área de Ciências Exatas e Ambientais Curso de Agronomia Disciplina: Bovinos de corte Profª. Valdirene Zabot Zootecnista Brasil: mercado e comercialização LONGO

Leia mais

Manual. do Produtor. de bezerro de corte

Manual. do Produtor. de bezerro de corte Manual do Produtor de bezerro de corte INTRODUÇÃO 02 A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracterizase como um período fundamental no processo de produção. As técnicas

Leia mais

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE Nos primeiros meses de vida os bezerros obtêm grande parte dos nutrientes de que precisa do leite materno, que é de fácil digestão para o animal que ainda é jovem. Em

Leia mais

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de d e b e z e r r o d e c o r t e INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de produção. As técnicas utilizadas

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO

MELHORAMENTO GENÉTICO MELHORAMENTO GENÉTICO Mudança do material hereditário do rebanho de forma a capacitá-lo para produzir leite, mais economicamente em um determinado ambiente. Genética é a ciência que estuda a variação e

Leia mais

BOVINOS RAÇAS SINTÉTICAS

BOVINOS RAÇAS SINTÉTICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA LABORATÓRIO DE FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO BOVINOS RAÇAS SINTÉTICAS Disciplina: Exterior e raças Prof. Mauricio van Tilburg

Leia mais

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL Empresa Júnior de Nutrição de Ruminantes NUTRIR FCA-UNESP-FMVZ INTRODUÇÃO CONCEITOS BÁSICOS CENÁRIO DADOS MERCADO DO BOI CONSIDERAÇÕES FINAIS CONCEITOS BÁSICOS

Leia mais

Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi.

Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi. 0090_mar10 Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi. Campinas/SP - 19. 3729 4477 Sales Oliveira/SP - 16. 3852 0011 Pará de Minas/MG - 37. 3231 7300 Além Paraíba/MG - 32. 3466 5555

Leia mais

Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo

Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo 4º Workshop Precocidade Sexual. Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo José Luiz Moraes Vasconcelos DPA FMVZ UNESP Botucatu, SP vasconcelos@fca.unesp.br Precocidade em novilhas Nelore

Leia mais

AVALIAÇÕES DE OBJETIVOS ECONÔMICOS PARA GADO DE LEITE, DE CORTE E DE DUPLA APTIDÃO NO BRASIL. Anibal Eugênio Vercesi Filho, Fernando Enrique Madalena

AVALIAÇÕES DE OBJETIVOS ECONÔMICOS PARA GADO DE LEITE, DE CORTE E DE DUPLA APTIDÃO NO BRASIL. Anibal Eugênio Vercesi Filho, Fernando Enrique Madalena AVALIAÇÕES DE OBJETIVOS ECONÔMICOS PARA GADO DE LEITE, DE CORTE E DE DUPLA APTIDÃO NO BRASIL Anibal Eugênio Vercesi Filho, Fernando Enrique Madalena Departamento de Zootecnia, Escola de Veterinária da

Leia mais

Cenários. Sistemas de Produção. para a Pecuária de Corte Amazônica

Cenários. Sistemas de Produção. para a Pecuária de Corte Amazônica Sistemas de Produção Cenários para a Pecuária de Corte Amazônica Centro de Sensoriamento Remoto e Escola de Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais Aliança da terra Virginia Tech Woods Hole

Leia mais

de inverno que viraram opção para o pecuarista da região para conseguir ter pasto na época da seca.

de inverno que viraram opção para o pecuarista da região para conseguir ter pasto na época da seca. CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM GUARAPUAVA/PR Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos ebook Avanza Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos Sumário 01 02 03 04 05 Introdução - Aumente a produtividade da sua criação Fertilização In Vitro Transferência de Embriões

Leia mais

Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena

Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena Área total: 354 ha Área pastoril: 330 ha Sistema de produção: Cria de Bovinos Histórico 1982 Início da propriedade

Leia mais

Desenvolvimento e performance produtiva e reprodutiva de fêmeas F1 Holandês/Zebu

Desenvolvimento e performance produtiva e reprodutiva de fêmeas F1 Holandês/Zebu Desenvolvimento e performance produtiva e reprodutiva de fêmeas F1 Holandês/Zebu Alberto Marcatti Neto; José Reinaldo Mendes Ruas; Reginaldo Amaral; Lázaro Eustáquio Borges; Marcos Brandão Dias Ferreira

Leia mais

SANTA INÊS: Uma boa alternativa para a produção intensiva de carne de cordeiros na região Sudeste

SANTA INÊS: Uma boa alternativa para a produção intensiva de carne de cordeiros na região Sudeste SANTA INÊS: Uma boa alternativa para a produção intensiva de carne de cordeiros na região Sudeste INTRODUÇÃO Mauro Sartori Bueno Eduardo Antonio da Cunha Luiz Eduardo dos Santos Cecília José Veríssimo

Leia mais

III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA. EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização

III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA. EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização RESULTADOS DO CONFINAMENTO DA COPLACANA EM 2.008 E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO Ari José Fernandes Lacôrte Engenheiro

Leia mais

A visão da Indústria de Insumos. FEICORTE 22 DE JULHO 2007 Sergio Carlo Franco Morgulis ASBRAM

A visão da Indústria de Insumos. FEICORTE 22 DE JULHO 2007 Sergio Carlo Franco Morgulis ASBRAM A visão da Indústria de Insumos FEICORTE 22 DE JULHO 2007 Sergio Carlo Franco Morgulis ASBRAM Objetivos Objetivos em comum para toda a cadeia Economicamente viável Socialmente responsável Ambientalmente

Leia mais

(67) 3471-1173 / (67) 9643-1999 e-mail: agro.neri@hotmail.com

(67) 3471-1173 / (67) 9643-1999 e-mail: agro.neri@hotmail.com Inscrição CNPJ.: 18.603.382/0001-03 - Inscrição Estadual: 28.389.383-4 VIABILIDADE DE IRRIGAÇÃO X BOVINOCULTURA DE CORTE A distribuição de água de maneira artificial em pastagens por meio de irrigação

Leia mais

PROGRAMA DE MELHORAMENTO GENÉTICO DE ZEBUÍNOS - PMGZ

PROGRAMA DE MELHORAMENTO GENÉTICO DE ZEBUÍNOS - PMGZ PROGRAMA DE MELHORAMENTO GENÉTICO DE ZEBUÍNOS - PMGZ Avaliação Genética - Gado de Corte As avaliações genéticas das Raças Zebuínas de Corte são desenvolvidas pela ABCZ em convênio com a Embrapa. Com base

Leia mais

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES Mauro Sartori Bueno, Eduardo Antonio da Cunha, Luis Eduardo dos Santos Pesquisadores Científicos do Instituto de Zootecnia, IZ/Apta-SAA-SP CP 60, Nova Odessa-SP, CEP

Leia mais

Nutrição e alimentação de ovinos. Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013

Nutrição e alimentação de ovinos. Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013 Nutrição e alimentação de ovinos Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013 EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS PARA OVINOS Tabelas de Exigências Nutricionais: NRC 1985 Primeira tabela de exigências nutricionais para

Leia mais

sistemas automatizados para alimentação: futuro na nutrição de precisão

sistemas automatizados para alimentação: futuro na nutrição de precisão matéria da capa sistemas automatizados para alimentação: futuro na nutrição de precisão Texto: Sandra G. Coelho Marcelo Ribas Fernanda S. Machado Baltazar R. O. Júnior Fotos: Marcelo Ribas O avanço tecnológico

Leia mais

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO Universidade Federal do Ceará INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO Doutorando: MV Msc Rodrigo Vasconcelos de Oliveira Introdução Bovinocultura=> + eficiência reprodutiva Limitações: Anestro pós-parto longo

Leia mais

Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico

Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico II Congreso Ganadero Nacional CORFOGA 2008 Prof. Dr. Raysildo B. Lôbo ANCP, USP Crescimento da Pecuária de Corte Brasileira: produção de carne e abate 71,0%

Leia mais

Sistemas de produção em bovinos de corte. Zootecnista José Acélio Fontoura Júnior acelio@unipampa.edu.br

Sistemas de produção em bovinos de corte. Zootecnista José Acélio Fontoura Júnior acelio@unipampa.edu.br Sistemas de produção em bovinos de corte. Zootecnista José Acélio Fontoura Júnior acelio@unipampa.edu.br CLASSIFICAÇÃO NÍVEL DE TECNOLOGIA ADOTADO: extensivo, semi-extensivo, semi-intensivo e intensivo

Leia mais

PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES

PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES Rafael Herrera Alvarez Médico Veterinário, Doutor, Pesquisador Científico do Pólo Centro Sul/APTA

Leia mais

Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos

Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos Professor: Aparecido Porto da Costa Disciplina: Caprinovinocultura E-mail: aparecidoport@hotmail.com Introdução Importância Produtividade do rebanho => obter sucesso

Leia mais

Genética Aditiva melhorando o peso dos bezerros à desmama e ao sobreano - Benefício do Choque sanguíneo em Programas de Cruzamento Industrial

Genética Aditiva melhorando o peso dos bezerros à desmama e ao sobreano - Benefício do Choque sanguíneo em Programas de Cruzamento Industrial Genética Aditiva melhorando o peso dos bezerros à desmama e ao sobreano - Benefício do Choque sanguíneo em Programas de Cruzamento Industrial Agregar valor ao plantel de fêmeas bovinas este é o objetivo

Leia mais

primeiro índice de cruzamento industrial projetado para o brasil

primeiro índice de cruzamento industrial projetado para o brasil primeiro índice de cruzamento industrial projetado para o brasil o índice para guiar suas melhores decisões! O QUE É O BCBI? Desenvolvido com o suporte técnico do Geneticista Senior da L`Alliance Boviteq,

Leia mais

PADS 2013 PROVA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO SENEPOL 2013

PADS 2013 PROVA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO SENEPOL 2013 PADS 2013 PROVA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO SENEPOL 2013 1. Introdução A PADS 2013, a ser promovida e organizada pelo Núcleo de Melhoramento da Raça Senepol sob supervisão técnica do GENEPLUS - Programa

Leia mais

ARTIGO TÉCNICO Minerthal Pró-águas Suplementação protéica energética no período das águas

ARTIGO TÉCNICO Minerthal Pró-águas Suplementação protéica energética no período das águas ARTIGO TÉCNICO Minerthal Pró-águas Suplementação protéica energética no período das águas A bovinocultura de corte brasileira tem sua produção concentrada em sistemas de pastejo e, portanto, dependente

Leia mais

Ari José Fernandes Lacôrte Engenheiro Agrônomo MS Consultor Sênior

Ari José Fernandes Lacôrte Engenheiro Agrônomo MS Consultor Sênior BEZERROS: VENDER, RECRIAR OU ENGORDAR? Apesar de muitos pecuaristas não adotarem formalmente a estação de monta no Brasil há uma expressiva concentração do numero de animais desmamados no final do 1º semestre.

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO

A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO Ricardo Dias Signoretti 1 Na prática, o período seco e transição (pré-parto) constituem-se num desafio aos técnicos e produtores de leite, que devem ficar atentos

Leia mais

Análise de Decisão considerando potencial de crescimento como critério de seleção em um rebanho da raça Nelore no Cerrado

Análise de Decisão considerando potencial de crescimento como critério de seleção em um rebanho da raça Nelore no Cerrado Análise de Decisão considerando potencial de crescimento como critério de seleção em um rebanho da raça Nelore no Cerrado PAULA, Edson Júnior Heitor de 1 ; MAGNABOSCO, Cláudio de Ulhôa 2 1 Zootecnista,

Leia mais

Quadro 1 Ganho de peso de novilhos (g / cab / d) em pastejo de forrageiras de acordo com a época do ano. ... ... ...

Quadro 1 Ganho de peso de novilhos (g / cab / d) em pastejo de forrageiras de acordo com a época do ano. ... ... ... Falar em suplementar bovinos de corte, com grãos, nas águas, normalmente é tido como antieconómico. No entanto, sabendo utilizar tal suplementação, é uma alternativa de manejo interessante que pode contribuir

Leia mais

PRIMEIRO CIO PÓS-PARTO DAS CABRAS E OVELHAS NO NORDESTE

PRIMEIRO CIO PÓS-PARTO DAS CABRAS E OVELHAS NO NORDESTE PRIMEIRO CIO PÓS-PARTO DAS CABRAS E OVELHAS NO NORDESTE Prof. Adelmo Ferreira de Santana Caprinocultura e Ovinocultura E-mail afs@ufba.br Departamento de Produção Animal Escola de Medicina Veterinária

Leia mais

Parâmetros Genéticos

Parâmetros Genéticos MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA MELHORAMENTO ANIMAL Parâmetros Genéticos 1. INTRODUÇÃO Os parâmetros genéticos são

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM LONDRINA/PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM LONDRINA/PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM LONDRINA/PR Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

PROGRAMA REFERENCIAL DE QUALIDADE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA PECUÁRIA BOVINA DE MINAS GERAIS. Hélio Machado. Introdução

PROGRAMA REFERENCIAL DE QUALIDADE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA PECUÁRIA BOVINA DE MINAS GERAIS. Hélio Machado. Introdução Capítulo 34 Gestão da pecuária bovina de Minas Gerais PROGRAMA REFERENCIAL DE QUALIDADE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA PECUÁRIA BOVINA DE MINAS GERAIS Hélio Machado Introdução Minas Gerais tem uma área de 58

Leia mais

MANEJO NUTRICIONAL DE BOVINOS DE CORTE

MANEJO NUTRICIONAL DE BOVINOS DE CORTE 1. Introdução MANEJO NUTRICIONAL DE BOVINOS DE CORTE Rogério Marchiori Coan 1 O complexo pecuário brasileiro de corte apresenta diversos pontos de ineficiência, destacando-se a produtividade extremamente

Leia mais

Curso RLM 2013 Gado de Corte

Curso RLM 2013 Gado de Corte Curso RLM 2013 Gado de Corte Programa de Formulação de Rações de Lucro Máximo Patrocinador Introdução Desenvolvido na Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" ESALQ, USP, Piracicaba, sob a coordenação

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO DE BOVINOS ½ SANGUE TAURINO X ½ SANGUE ZEBUINO NO BRASIL BREEDING AND CATTLE ½ BLOOD TAURINO X ½ BLOOD ZEBU IN BRAZIL

MELHORAMENTO GENÉTICO DE BOVINOS ½ SANGUE TAURINO X ½ SANGUE ZEBUINO NO BRASIL BREEDING AND CATTLE ½ BLOOD TAURINO X ½ BLOOD ZEBU IN BRAZIL MELHORAMENTO GENÉTICO DE BOVINOS ½ SANGUE TAURINO X ½ SANGUE ZEBUINO NO BRASIL BREEDING AND CATTLE ½ BLOOD TAURINO X ½ BLOOD ZEBU IN BRAZIL ARTMANN, Tairine Aimara 1* ; TOMA, Hugo Shisei 2 ; PINHEIRO,

Leia mais

Minerais Matsuda. Fós Leite. Lac Gold. Lac Gest. Lac Guardian. Lac Parto. Cocho. Sem tamponante para ração. Tamponado para ração

Minerais Matsuda. Fós Leite. Lac Gold. Lac Gest. Lac Guardian. Lac Parto. Cocho. Sem tamponante para ração. Tamponado para ração Fós eite uplemento mineral pronto para uso para rebanhos de leite. 25 kg = Código 18945 inerais atsuda ac Gest uplemento mineral para mistura para rebanhos de leite que recebem volumoso e/ou concentrado

Leia mais

bovinos de corte A resposta para o X da sua questão está aqui.

bovinos de corte A resposta para o X da sua questão está aqui. bovinos de corte A resposta para o da sua questão está aqui. índice Linha Campo Linha PSAI Linha Branca Linha Araguaia Núcleos Rações Linha Phós Aditivos 6 11 12 16 17 21 24 26 2 A Premix está comprometida

Leia mais

MANEJO E ALIMENTAÇÃO DE VACAS EM LACTAÇÃO

MANEJO E ALIMENTAÇÃO DE VACAS EM LACTAÇÃO AZ042 Bovinocultura de Leite Aula 09 MANEJO E ALIMENTAÇÃO DE VACAS EM LACTAÇÃO Prof. Rodrigo de Almeida Ciclo de Produção - Curva de Lactação - Consumo de Matéria Seca - Escore de Condição Corporal - Desenvolvimento

Leia mais

Gabriel Mantelato Rogatto Graduando 3º ano Zootecnia

Gabriel Mantelato Rogatto Graduando 3º ano Zootecnia Gabriel Mantelato Rogatto Graduando 3º ano Zootecnia Introdução Brasil -> Nordeste Maior Produtor II)Canindé - Leite I)Boer - Carne III)Saanen - Leite Retirado de: www.caprilproduction.com Manejo Reprodutivo

Leia mais

USO DO CREEP FEEDING NA CRIAÇÃO DE OVINOS E CAPRINOS

USO DO CREEP FEEDING NA CRIAÇÃO DE OVINOS E CAPRINOS USO DO CREEP FEEDING NA CRIAÇÃO DE OVINOS E CAPRINOS José Neuman Miranda Neiva 1, Maria Andréa Borges Cavalcante 2 e Marcos Cláudio Pinheiro Rogério 3 1 Professor do Depto. de Zootecnia da Universidade

Leia mais

INTERPRETAÇÃO DAS PROVAS DE REPRODUTORES LEITEIROS

INTERPRETAÇÃO DAS PROVAS DE REPRODUTORES LEITEIROS AZ042 Bovinocultura de Leite Aula 14 INTERPRETAÇÃO DAS PROVAS DE REPRODUTORES LEITEIROS Prof. Rodrigo de Almeida Entendendo as Provas de Touros Canadenses Informações de Produção Provas de produção Baseado

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO DA PRECOCIDADE SEXUAL NA RAÇA NELORE

MELHORAMENTO GENÉTICO DA PRECOCIDADE SEXUAL NA RAÇA NELORE MELHORAMENTO GENÉTICO DA PRECOCIDADE SEXUAL NA RAÇA NELORE Fábio Dias 1 ; Joanir P. Eler 2 ; José Bento S. Ferraz 2 ; Josineudson A. II de V. Silva 3 1 Zootecnista, MSc. Agro Pecuária CFM Ltda, Av. Feliciano

Leia mais

A raça Canchim em cruzamentos para a produção de carne bovina

A raça Canchim em cruzamentos para a produção de carne bovina ISSN 1516-4111X A raça Canchim em cruzamentos para a produção de carne bovina 36 São Carlos, SP Dezembro, 2004 Autor Pedro Franklin Barbosa Eng. Agr., Dr., Pesquisador da Embrapa Pecuária Sudeste, Rod.

Leia mais

estação de monta Escolha do Leitor

estação de monta Escolha do Leitor estação de monta Realmente existe importância na gestão da fazenda e benefício para o produtor que se utiliza do período reprodutivo? Luís Adriano Teixeira* 32 - ABRIL 2015 A Estação de monta (EM) período

Leia mais

Pontos de controlo críticos:

Pontos de controlo críticos: Pontos de controlo críticos: Pontos de Controlo Critico Valores Padrão Medidas Peso à 1ª cobrição Idade ao 1º Parto 350 kg

Leia mais

Departamento de Ciências Econômicas DCECO. Tel.: +55 32 3379-2537 E-mail: infover@ufsj.edu.br

Departamento de Ciências Econômicas DCECO. Tel.: +55 32 3379-2537 E-mail: infover@ufsj.edu.br 2013 InfoVer São João del-rei, fevereiro de 2013 InFover InfoVer Informativo sobre o Mercado de Leite de Vaca do Campo Uma publicação do DCECO- UFSJ Ano VI Nº 55 Agosto de 2013 Universidade Federal de

Leia mais

Como estimar peso vivo de novilhas quando a balança não está disponível? Métodos indiretos: fita torácica e hipômetro

Como estimar peso vivo de novilhas quando a balança não está disponível? Métodos indiretos: fita torácica e hipômetro Como estimar peso vivo de novilhas quando a balança não está disponível? Métodos indiretos: fita torácica e hipômetro Introdução O principal objetivo nos sistemas de criação de novilhas leiteiras é conseguir

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CARACTERÍSTICAS ASSOCIADAS À EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS PRODUTOS DE CRUZAMENTO ZEBU, RED-ANGUS, SANTA GERTRUDIS E STABILIZER

AVALIAÇÃO DE CARACTERÍSTICAS ASSOCIADAS À EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS PRODUTOS DE CRUZAMENTO ZEBU, RED-ANGUS, SANTA GERTRUDIS E STABILIZER AVALIAÇÃO DE CARACTERÍSTICAS ASSOCIADAS À EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS PRODUTOS DE CRUZAMENTO ZEBU, RED-ANGUS, SANTA GERTRUDIS E STABILIZER GILLIANA DUTRA NEVES UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE FLUMENSE

Leia mais

AVALIAÇÃO DO USO DE CIDR REUTILIZADO E PROGESPON DE PRIMEIRO USO EM NOVILHAS RECEPTORAS DE EMBRIÕES (BOS TAURUS X BOS INDICUS)

AVALIAÇÃO DO USO DE CIDR REUTILIZADO E PROGESPON DE PRIMEIRO USO EM NOVILHAS RECEPTORAS DE EMBRIÕES (BOS TAURUS X BOS INDICUS) REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA - ISSN 1679-7353 PUBLICAÇÃO CI ENTÍFICA DA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA DE GARÇA/FAMED ANO IV, NÚMERO, 08, JANEIRO DE 2007. PERIODICIDADE:

Leia mais

PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS

PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS ANEXO TÉCNICO DO MANUAL DE SINCRONIZAÇÃO E INSEMINAÇÃO EM TEMPO FIXO EM BOVINOS PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS Os protocolos de inseminação artificial em tempo fixo (IATF) são utilizados de forma

Leia mais

PERFIL DE PROPRIEDADES RURAIS DO MUNICÍPIO DE JATAÍ-GO E REGIÃO E A UTILIZAÇÃO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM BOVINOS

PERFIL DE PROPRIEDADES RURAIS DO MUNICÍPIO DE JATAÍ-GO E REGIÃO E A UTILIZAÇÃO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM BOVINOS PERFIL DE PROPRIEDADES RURAIS DO MUNICÍPIO DE JATAÍ-GO E REGIÃO E A UTILIZAÇÃO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM BOVINOS Vinicio Araújo Nascimento 1, Marcia Dias 2, Lara Rodrigues de Queiros Carvalho 3, Jesuíno

Leia mais

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/pecuaria/inseminacao.ht...

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/pecuaria/inseminacao.ht... Página 1 de 6 Pecuária Inseminação Artificial em Bovinos Nome Inseminação Artificial em Bovinos Produto Informação Tecnológica Data Agosto - 2000 Preço - Linha Pecuária Informações resumidas sobre Resenha

Leia mais

Associação de Criadores de Bovinos da Raça Preta

Associação de Criadores de Bovinos da Raça Preta Associação de Criadores de Bovinos da Raça Preta Benavente, 18 de Abril de 2013 1 - Resultados produtivos e reprodutivos 1.1 - Indicadores da evolução do efetivo 1.2 - Indicadores de produtividade 2 -

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA BOVINOS LEITEIROS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA BOVINOS LEITEIROS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA BOVINOS LEITEIROS Prof. Ricardo Alexandre Silva Pessoa MANEJO DE VACAS SECAS E PERÍODO DE TRANSIÇÃO ponto de vista tecnológico = alimentar

Leia mais

Características dos Touros Senepol. Benefício ao Criador Invernista Confinador. Senepol SL

Características dos Touros Senepol. Benefício ao Criador Invernista Confinador. Senepol SL Senepol SL Programa SLde Melhoramento Estância Santa Luzia SENEPOL Benefícios dos Touros Senepol Santa Luzia Venda permanente Reprodutores & Doadoras Qualidade diferenciada a preço justo Na condução, Pedro

Leia mais

Nestlé EM CAMPO. Período de transição. Eficiência e qualidade na produção leiteira

Nestlé EM CAMPO. Período de transição. Eficiência e qualidade na produção leiteira Nestlé EM CAMPO Eficiência e qualidade na produção leiteira Período de transição Cuidados no pré e pós-parto garantem a boa condição reprodutiva e produtiva Ano 2 Número 12 Nov./Dez. 2015 Nestlé EM CAMPO

Leia mais

CRUZAMENTOS NA OVINOCULTURA TROPICAL. PRÍNCIPIOS, PRÁTICAS E RECOMENDAÇÕES

CRUZAMENTOS NA OVINOCULTURA TROPICAL. PRÍNCIPIOS, PRÁTICAS E RECOMENDAÇÕES CRUZAMENTOS NA OVINOCULTURA TROPICAL. PRÍNCIPIOS, PRÁTICAS E RECOMENDAÇÕES Autor: Arnaldo Dantas B. Neto Médico Veterinário, Especialista em Gestão de Negócios, Coordenador do Programa de Melhoramento

Leia mais

Pressão de Seleção. Touros Jovens CEIP (20%) Machos avaliados (100%)

Pressão de Seleção. Touros Jovens CEIP (20%) Machos avaliados (100%) O Qualitas Programa de melhoramento genético da raça Nelore Reconhecido, aprovado e auditado pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) Autorizado a emitir o CEIP a partir de 2002 O

Leia mais

Diferimento de pastagens para animais desmamados

Diferimento de pastagens para animais desmamados Diferimento de pastagens para animais desmamados Marco Antonio Alvares Balsalobre Eng. Agrônomo doutor em Ciência Animal e Pastagens Diretor de Produto da Bellman Nutrição Animal LTDA Mirella Colombo Moscardini

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina VET381 Fisiologia da Reprodução

Programa Analítico de Disciplina VET381 Fisiologia da Reprodução Programa Analítico de Disciplina Departamento de Veterinária - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Número de créditos: Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 5 Carga horária semanal Períodos

Leia mais

EMPREGO DE IATF (INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO) COMO ALTERNATIVA NA REPRODUÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE

EMPREGO DE IATF (INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO) COMO ALTERNATIVA NA REPRODUÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE EMPREGO DE IATF (INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO) COMO ALTERNATIVA NA REPRODUÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE INFORZATO, Guilherme Repas SANTOS, William Ribeiro Martins dos CLIMENI, Bruno Santi Orsi DELLALIBERA,

Leia mais

Produtividade e eficiência econômica de sistemas de produção de cria, recria e engorda de bovinos de corte na região sul do estado da Bahia

Produtividade e eficiência econômica de sistemas de produção de cria, recria e engorda de bovinos de corte na região sul do estado da Bahia Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.62, n.3, p.677-685, 2010 Produtividade e eficiência econômica de sistemas de produção de cria, recria e engorda de bovinos de corte na região sul do estado da Bahia [Economic

Leia mais

INFORMATIVO. Informativo Semestral do NeloreCEN Edição nº08 2015. CEN 8969 Exemplo REM UPONIC x CEN 2214Fajuta

INFORMATIVO. Informativo Semestral do NeloreCEN Edição nº08 2015. CEN 8969 Exemplo REM UPONIC x CEN 2214Fajuta Informativo Semestral do Edição nº08 2015 CEN 8969 Exemplo REM UPONIC x CEN 2214Fajuta Informativo Semestral do Edição nº08 2015 Editorial Esta é uma ocasião muito especial. Estamos completando 50 anos

Leia mais

ÁGUA. 97% água salgada - ± 3% se restringe a água doce; Perda de toda gordura corporal, metade PTN s e 40% peso vivo Perda 10% - morte.

ÁGUA. 97% água salgada - ± 3% se restringe a água doce; Perda de toda gordura corporal, metade PTN s e 40% peso vivo Perda 10% - morte. ÁGUA 97% água salgada - ± 3% se restringe a água doce; Perda de toda gordura corporal, metade PTN s e 40% peso vivo Perda 10% - morte. PROPRIEDADES E FUNÇÕES Constituinte ativo e estrutural; 70% da carcaça

Leia mais

SINCRONIZAÇÃO DE OVULAÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS BOVINAS, EM LARGA ESCALA

SINCRONIZAÇÃO DE OVULAÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS BOVINAS, EM LARGA ESCALA SINCRONIZAÇÃO DE OVULAÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS BOVINAS, EM LARGA ESCALA José Luiz Moraes Vasconcelos e Mauro Meneghetti DPA FMVZ UNESP, Botucatu, SP vasconcelos@fca.unesp.br

Leia mais

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO FAZENDA SANTA LUZIA Maurício Silveira Coelho Medico Veterinário CRMV MG 2352 Fazenda Santa Luzia PASSOS/MG E-mail mauricio@josecaboverde.com.br HISTÓRICO Proprietário: José Coelho Vítor e filhos Localização:

Leia mais

DOMESTICAÇÃO DOS ANIMAIS

DOMESTICAÇÃO DOS ANIMAIS DOMESTICAÇÃO DOS ANIMAIS Relação ecológica entre duas espécies diferentes Para alguns ESCLAVAGISMO... 1 Enquanto para outros autores MUTUALISMO ou SIMBIOSE... IMPLICAÇÕES ATUAIS... - Domesticação de novas

Leia mais

AGROECONÔMICA CONSULTORIA MEIO AMBIENTE E PECUÁRIA

AGROECONÔMICA CONSULTORIA MEIO AMBIENTE E PECUÁRIA PASTAGENS: INTENSIDADE DE MANEJO E ADEQUAÇÃO ESTRATÉGICA. O que mais impressiona na nossa pecuária de corte é a possibilidade de um uso bastante conveniente e de baixo custo das pastagens. O Brasil, um

Leia mais

AS ESTÂNCIAS AURORA E SOSSEGO AGRADECEM AOS COLABORADORES:

AS ESTÂNCIAS AURORA E SOSSEGO AGRADECEM AOS COLABORADORES: AS ESTÂNCIAS AURORA E SOSSEGO AGRADECEM AOS COLABORADORES: PRODUTOS VETERINÁRIOS R Brazeiro Sementes AS ESTÂNCIAS AURORA E SOSSEGO AGRADECEM AOS COLABORADORES: Regulamento 1. O leilão será realizado no

Leia mais

PLANO DE ENSINO Unidade: UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ (UFPA) / EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL / UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA).

PLANO DE ENSINO Unidade: UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ (UFPA) / EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL / UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA). PLANO DE ENSINO Unidade: UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ (UFPA) / EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL / UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA). Curso: MESTRADO EM CIÊNCIA ANIMAL ( ) ESPECIALIZAÇÃO ( x ) MESTRADO

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Serviços em Pecuária de Leite Avaliação Ginecológica e Diagnóstico de Gestação com Aparelho de Ultrassonografia Exames Laboratoriais IATF Inseminação

Leia mais