Armazenagem & Automação de Instalações Prof. Fernando Augusto Silva Marins

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Armazenagem & Automação de Instalações Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins"

Transcrição

1 Armazenagem & Automação de Instalações Prof. Fernando Augusto Silva Marins 1

2 Sumário Armazenagem Estratégica Automação na Armazenagem 2

3 Armazenagem Área tradicional da Logística Profundas transformações (TI e automação) Nova abordagem gerencial Benchmarking CD ou Warehouse: (MATERIAL HANDLING INDUSTRY OF AMERICA) 3

4 Funções do Sistema de Armazenagem Manutenção de Estoque Manuseio de Materiais: Carregamento & Descarregamento Movimentação do produto dentro do armazém Separação do pedido Projeto do Armazém - Funções Primárias Manutenção: proteger e organizar Consolidação: CD Centro de Distribuição Fracionamento do Volume: transbordo Combinação 4

5 Considerações sobre Manuseio de Materiais Objetivo é reduzir Custo de Manuseio e aumentar utilização do espaço Economia é diretamente proporcional ao tamanho da carga manuseada (Número de Viagens) Eficiência depende de: Unitização da carga: consolidação em carga única Paletização plataforma portátil onde bens são empilhados Conteinerização uso de contêineres Layout do espaço Escolha do equipamento de estocagem racks, estanterias,big Bags,... Escolha do equipamento de movimentação manual, mecanizado ou automático 5

6 Armazenagem Estratégica Cliente quer produto na gôndola! Não importa localização dos produtores. Gerenciamento Logístico: Estruturar Sistemas de Distribuição - para atender de forma econômica mercados distantes das fontes de produção Oferecer Níveis Altos de Serviço - disponibilidade de estoque e tempo de atendimento 6

7 Armazenagem Estratégica Como as instalações de armazenagem podem contribuir para o atendimento das metas de nível de serviço? Funcionalidade das instalações depende da estrutura de distribuição adotada: Escalonada Direta 7

8 8

9 ESTRUTURAS ESCALONADAS: 1 ou mais Armazéns Centrais e um conjunto de Centros de Distribuição Avançados Centros de Distribuição (CD) Avançados próximos às áreas de mercado Estoque posicionado em vários elos de uma Cadeia de Suprimentos Objetivo: rápido atendimento aos clientes distantes dos centros produtores 9

10 Fábrica - A M esmo Conjunto de Produtos para Vários Clientes CARGA FRACIONADA - Less Than a Truckload (LTL) - PEQUENAS DISTÂNCIAS Fábrica - B Produtos A e B CARGA CONSOLIDADA - Truckload (LT) - GRANDES DISTÂNCIAS Clientes 1, 2, 3 MBA 10

11 Centros de Distribuição Avançados Economias de transporte pela consolidação da carga - transporte ao cliente em cargas fracionadas em distâncias curtas CD usado por múltiplos fornecedores - entrega final consolidada com combinação dos pedidos dos clientes a cada fornecedor Clientes recebem pedidos em um único carregamento (Cadeias Varejistas) 11

12 Sistemas Escalonados Estoque Consolidação da carga: custos transporte mais baixos Trade-off entre custos estoque e custos de armazenagem deve ser avaliado Descentralização dos estoques: aumenta quantidade necessária de estoque para atender níveis desejados de disponibilidade - gerenciamento complexo Previsão da demanda/regiões: maior incerteza, pode haver faltas de estoque, riscos de obsolescência (devido a antecipação da demanda) Solução?? 12

13 Como Minimizar os Custos de Estoque? Armazenagem Seletiva Produtos com baixo giro, maior incerteza, maior valor agregado ficam em instalações centrais Produtos de maior giro, demanda estável, valor agregado baixo podem ter estoques avançados 13

14 Exemplo: Empresa em Toronto Atende mercado no nordeste dos EUA, com muitos clientes em Boston Opções: Entrega direta a partir de Toronto com carregamentos LTL Colocar CD em Boston e enviar LT até Boston e LTL para os clientes da área Vale a pena instalar o CD? 14

15 Dados Para cargas médias na área de Boston: cp = centena de peso (cwt = hundredweigtht = 100 libras = 45,36 kg) Fábrica ao cliente usa LTL: $100/cp Fábrica ao CD usa LT: $50/cp Custo de manutenção de estoque no CD: $10/cp CD para o cliente usa LTL: $20/cp 15

16 Análise Custo usando o CD: TL Toronto a Boston = $50/cp Custos do CD = $10/cp LTL na área de Boston = $20/cp Custo Total = $80/cp Economia por cp = $100 - $80 = $20 Se volume anual enviado = cp: Economia Anual = $

17 Estruturas Diretas: uso recente Sistemas de Distribuição onde os produtos são expedidos de 1 ou mais Armazéns Centrais diretamente aos Clientes Podem usar instalações intermediárias (sem estoque) para permitir fluxo rápido de produtos: transit point, cross-docking, merge in transit São dependentes de transporte confiável e rápido mas...e movimentações irregulares de cargas fracionadas: alto custo de transporte Como funcionam?? 17

18 Estruturas Diretas Funcionamento: Instalações intermediárias de quebra de carga (breakbulk) Compatibilidade com estratégia de resposta rápida e alto nível de flexibilidade. Permitem, em alguns casos, custos de transporte tão baixos quanto nos sistemas escalonados 18

19 Sistemas Diretos Transit Point - similar aos CD avançados (sem estoque) Atende determinada área de mercado, instalação de passagem, recebe carregamento consolidado e separa para entrega locais. Produtos recebidos já têm destinos definidos - não há espera Baixo investimento, estruturas simples, gerenciamento fácil (não há picking) - custo de manutenção baixo Depende da existência de volume suficiente para viabilizar cargas consolidadas regulares 19

20 Sistemas Diretos Cross Docking - mesmo formato dos Transit Points, envolvem múltiplos fornecedores e atendem clientes comuns exemplo: Cadeias de Varejo Alto nível de coordenação entre fornecedores e transportadores - uso de sistemas de informação (EDI e código barras) e softwares para WMS Carretas completas chegam de múltiplos fornecedores e há processo de separação dos pedidos, movimentação das cargas da área de recebimento para área de expedição 20

21 CROSS DOCKING FORNECEDORES A B C ÁREA DE RECEBIM ENTO ÁREA DE EXPEDIÇÃO A, B MBA A, B, C 21

22 Cross-dock RJ - resultados 98 % de efetividade nas entregas M clane 0,008 % de faltas / sobras / avarias Alíquota menor de ICMS / ISS Opção de back- haul de cargas Redução de custos fixos e variáveis MBA 22

23 Cross Docking Automatizado Leitores de códigos de barras identificam origem e destino dos paletes Correias transportadoras direcionam automaticamente paletes para docas corretas (entrega consolidada local) Alto nível de coordenação entre participantes (Fornecedores, Transportadores) - sistemas de informação (EDI, Códigos de Barras) Softwares de gerenciamento de armazenagem - WMS: coordenar intenso e rápido fluxo de produtos nas docas 23

24 Sistemas Diretos Merge in Transit - extensão de Cross-Docking + Just in Time Distribuição de produtos de alto valor agregado, formado por multicomponentes que têm suas partes produzidas em diferentes plantas especializadas exemplo: workstations = cpu + monitores + teclados 24

25 MERGE IN TRANSIT: Coordena fluxo de componentes Gerencia os lead times de produção e de transporte Consolida entrega em instalações próximas aos clientes, no momento em que é necessário, sem estoques intermediários. Faz rigorosa coordenação por sistemas de informação de última geração (rastreamento e controle de fluxos) 25

26 Conclusões Grandes oportunidades na revisão das redes logísticas Há tendências para centralização Não há modelo único Soluções mais adequadas dependem das características da empresa e da estratégia logística adotada: podem combinar as propostas direta e escalonada 26

27 Automação na Armazenagem Automação em Sistemas de Separação do Pedido Esteiras Sistemas de Armazenagem Blocado Inteligente Carrosséis Transelevadores Picking to Light AGVS WMS,... 27

28 Picking to light: Ideal para produtos de ALTO GIRO e que não possuam forma regular. As caixas de um pedido são transferidas automaticamente para a frente do operador, através da leitura do código de barra que contém as informações do pedido, e automaticamente os displays de cada SKU (posição de picking) indicam a quantidade requerida no pedido. Velocidade de separação pode variar de operador para operador entre 800 e pickings/pessoa/hora. 28

29 Automação na Armazenagem Razões da Implantação de Sistemas Automáticos de Movimentação e Gerenciamento de Operações nos Armazéns: Para atender novo ambiente de negócios clientes mais exigentes e competição acirrada Clientes menos dispostos a carregar estoques - forçam estoque para trás na cadeia de suprimentos Pedidos menores e mais freqüentes - aumento e maior dificuldade nas operações de picking (pedidos com caixas quebradas) 29

30 Estudo de Caso: Fábrica da Tramontina no RS TRANSELEVADORES AUTOMÁTICOS COM 26 M DE ALTURA MBA 30

31 Estudo de Caso: Fábrica da Tramontina no RS armazém altoverticalizado, autoportante, AGV s, WMS, códigos de barras e rádiofreqüência MBA 31

32 Armazém Auto-portante MBA 32

33 Armazém Auto-portante MBA 33

34 Razões para implantação de Sistemas Automáticos de Movimentação e Gerenciamento de Operações: Aumento no número de sku s para atender nichos de mercado Variações nos tamanhos das embalagens: maior número de itens a controlar, processar e manusear nos armazéns - produtividade menor, mais espaço necessário e maiores custos administrativos Clientes com estoques baixos: demanda por menores tempos de resposta e menos erros dos distribuidores 34

35 Instalações Tradicionais Processos baseados em papel Sistemas computacionais que rodam em batch Maximizam uso do espaço e não a eficiência do fluxo físico Terão grandes dificuldades para atender novos requisitos!! 35

36 Complexidade e Risco na Automação Envolvem integração de várias tecnologias Sistemas de Gerenciamento (WMS, TMS, OMS) Mecanismos de captura e visualização de informações - coletores, códigos de barras, terminais remotos, sistemas de radiofreqüência e scanners. Modernos equipamentos de manuseio, transporte e estocagem de materiais Integração cliente e fornecedor por EDI 36

37 PICKOMAT - Separação de Peças Pequenas e Médias Área de 22m 2 : capacidade de armazenagem de 1.000m 2 Touch Screen 37

38 PICKOMAT: Separação de Peças Pequenas e Médias Atua nos 3 eixos (X, Y, Z), com V = 1,5m/s Outros atuam em 2 eixos (Y, Z) e V = 0,7m/s Armazenagem Dinâmica, em Endereço Fixo ou em Bandejas Vazias 38

39 Complexidade e Risco na Automação Envolvem altos investimentos em infra-estrutura, equipamentos, software e treinamento Envolvem esforço na implementação Exigem abordagem disciplinada no desenvolvimento e execução do projeto Exemplo: gastos com equipamentos e softwares versus gastos com tempo & pessoal nas etapas de planejamento Processo Estruturado de Planejamento & Implementação: minimizar riscos e maximizar Retorno sobre Investimento (ROI) 39

40 Ganhos Mensuráveis Maior acuracidade dos estoques e redução de seus níveis Melhor acompanhamento na produtividade das equipes do armazém Redução dos tempos de recebimento, armazenagem, separação e carregamento de pedidos Maior agilidade no atendimento ao cliente e redução de avarias Melhorias no ambiente de trabalho: segurança DIFERENCIAL COMPETITIVO, REDUÇÃO DE CUSTOS LIGADOS À GESTÃO DOS PROCESSOS LOGÍSTICOS 40

41 Objetivos/Metas e Equipe Consultores Compras, Treinamento, Testes, Operação 41

42 Processo de Desenvolvimento e Implementação Preparação: exemplo de metas Reduzir erros de inventário para menos de 0,5% Expedir 95% dos pedidos dentro de 24 horas desde o recebimento do pedido Reduzir erros de expedição para menos de 0,3% 42

43 Processo de Desenvolvimento e Implementação Definição de Novos Processos: reavaliar processos - reestruturá-los ou criar novos, tirar máximo proveito dos softwares e equipamentos (movimentação e estocagem) atuais ou definir novos. Ferramenta útil: Simulação Computacional Cuidados: Variabilidade da demanda, Tempos de operação Tamanhos dos pedidos 43

44 Processo de Desenvolvimento e Implementação Implementação: adquirir itens necessários, treinar pessoal, testar equipamentos e colocá-los em operação. Integração de equipe interna, fornecedores de softwares e de equipamentos,... Programar atividades de teste, elaboração de manuais, treinamento e contratação de pessoal. Etapa Crítica: conversão (total ou em fases) do sistema atual para o automatizado - riscos. Conversão Total - há armazéns alternativos ou em período de demanda baixa Conversão Parcial - mudanças em grupos de operações 44

45 Estudo de Caso: VW Taubaté - Armazém Vertical Automático para Motores e Câmbio US$3,3 milhões, área de 300 m 2, capacidade para posições, 50 tipos de motores e 20 modelos de câmbios Códigos de barras, rádio-freqüência e software de controle transelevadores, Objetivos: reduzir área de armazenagem, otimizar suprimento das linhas e reduzir itens em estoque Resultados Capacidade de operação = 58 conjuntos/h (era de 45) Reduziu estoque de 3 dias para 1,5 dia Reduziu mão-de-obra 45

46 Estudo de Caso: LG Electronics CD com área de m 2 - atende Taubaté e Manaus WMS + ERP, Códigos de Barras (CB) e Rádio Freqüência (RF) WMS busca operador disponível e autorizado - RF, coletor lê CB e WMS sugere endereço para mercadoria Algoritmo de Alocação (Assignment Algorithm) Curva ABC e características do produto Possibilidade de mais de um produto para mesmo endereço Endereços de tamanhos diferentes e estruturas de armazenagem Benefícios: rastreabilidade, controle de estoque (erros: de 600 itens para 30; tempo: de 2h para 10 ), picking (nenhuma devolução),... 46

47 Sites Interessantes sobre Armazenagem SABI - Sistema de Armazenagem Blocado Inteligente 47

Armazenagem & Automação de Instalações. Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins

Armazenagem & Automação de Instalações. Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins Armazenagem & Automação de Instalações Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins 1 Sumário - Armazenagem Estratégica - Automação na Armazenagem 2 Armazenagem -

Leia mais

APSP. Análise do Projeto do Sistema Produtivo. Movimentação e Armazenagem de Materiais. Administração de Fluxos de Materiais

APSP. Análise do Projeto do Sistema Produtivo. Movimentação e Armazenagem de Materiais. Administração de Fluxos de Materiais Movimentação e Armazenagem de Materiais APSP Análise do Projeto do Sistema Produtivo Aula 8 Por: Lucia Balsemão Furtado 1 Administração de Fluxos de Materiais Organização Modal A organização modal é um

Leia mais

Armazenagem. Por que armazenar?

Armazenagem. Por que armazenar? Armazenagem Introdução Funções da armazenagem Atividades na armazenagem Objetivos do planejamento de operações de armazenagem Políticas da armazenagem Pilares da atividade de armazenamento Armazenagem

Leia mais

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Pós-Graduação Latu-Sensu em Gestão Integrada da Logística Disciplina: TI aplicado à Logística Professor: Mauricio Pimentel Alunos: RA Guilherme Fargnolli

Leia mais

Logistica e Distribuição

Logistica e Distribuição Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística e Distribuição Armazenagem e Movimentação Primárias Apoio 1 2 A armazenagem corresponde a atividades de estocagem ordenada e a distribuição

Leia mais

3 CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO

3 CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO 3 CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO O capítulo 3 apresenta o conceito de distribuição física, com enfoque nos centros de distribuição. São incluídos os processos de distribuição Cross docking, Merge in Transit e

Leia mais

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza edwin@engenharia-puro.com.br www.engenharia-puro.com.br/edwin Gerenciamento Logístico Gerenciamento Logístico A missão do gerenciamento logístico é planejar

Leia mais

LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM

LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM Os consumidores quando vão às prateleiras das lojas esperam encontrar os produtos que necessitam, não importando se os produtores estão a 10 ou 2.500 Km de distância. Este é o trabalho da logística: prover

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém Bloco Suprimentos WMS Gerenciamento de Armazém Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo WMS, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas foram

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM WMS WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ARMAZÉM/DEP M/DEPÓSITO WMS Software de gerenciamento de depósito que auxilia as empresas na busca de melhorias nos

Leia mais

Armazenagem e Movimentação de Materiais II

Armazenagem e Movimentação de Materiais II Tendências da armazenagem de materiais Embalagem: classificação, arranjos de embalagens em paletes, formação de carga paletizada, contêineres Controle e operação do armazém Equipamentos de movimentação

Leia mais

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns WMS Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Informática Aplicada a Logística Profº Breno Amorimsexta-feira, 11 de setembro de 2009 Agenda

Leia mais

Sistemas de Armazenagem de Materiais

Sistemas de Armazenagem de Materiais Sistemas de Armazenagem de Materiais Características e conceitos para utilização de Sistemas de armazenagem de materiais Objetivos Destacar a importância dos equipamentos de armazenagem de materiais na

Leia mais

WAMAS SOFTWARE DE LOGÍSTICA. Eficiente. Flexível. Confiável.

WAMAS SOFTWARE DE LOGÍSTICA. Eficiente. Flexível. Confiável. WAMAS SOFTWARE DE LOGÍSTICA Eficiente. Flexível. Confiável. Automação SSI Schaefer: Pensamento Global Ação Local Liderança de mercado A SSI SCHAEFER é uma empresa mundialmente conhecida quando se trata

Leia mais

ARMAZENAGEM E T.I. Prof.: Disciplina Integrantes

ARMAZENAGEM E T.I. Prof.: Disciplina Integrantes ARMAZENAGEM E T.I. Pós-Graduação em Gestão Integrada da Logística Turma: GIL131M - 2013 Universidade São Judas Tadeu Prof.: Ms. Maurício Pimentel Disciplina: Tecnologia da Informação Aplicada a Logística

Leia mais

Logistica e Distribuição. Manuseio de Materiais. Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993

Logistica e Distribuição. Manuseio de Materiais. Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística e Distribuição Manuseio de Materiais / Gestão de Informações Primárias Apoio 1 2 Manuseio de Materiais Refere-se aos deslocamentos de materiais

Leia mais

Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte.

Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte. GERENCIAMENTO DO TRANSPORTE Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte. Trade-off CUSTO x NÍVEL DE SERVIÇO FORMAÇÃO DO PREÇO FINAL Para elaboração de uma estratégia

Leia mais

a WZ é uma empresa de consultoria em logística que surgiu para melhorar e oferecer soluções simples e inteligentes.

a WZ é uma empresa de consultoria em logística que surgiu para melhorar e oferecer soluções simples e inteligentes. EMPRESA CRIADA EM 2007, a WZ é uma empresa de consultoria em logística que surgiu para melhorar e oferecer soluções simples e inteligentes. Além de fazer um diagnóstico e sugerir recomendações, a WZ acredita

Leia mais

WMS Warehouse Management System

WMS Warehouse Management System WMS Warehouse Management System [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email] MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA Material Desenvolvido para a Célula Materiais

Leia mais

APLICAÇÃO DA TÉCNICA CROSS DOCKING NA LOGÍSTICA DE EXPEDIÇÃO EM BUSCA DA REDUÇÃO DE TEMPO DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS

APLICAÇÃO DA TÉCNICA CROSS DOCKING NA LOGÍSTICA DE EXPEDIÇÃO EM BUSCA DA REDUÇÃO DE TEMPO DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS APLICAÇÃO DA TÉCNICA CROSS DOCKING NA LOGÍSTICA DE EXPEDIÇÃO EM BUSCA DA REDUÇÃO DE TEMPO DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS Tatiane Vaz Ferreira Daudte 1, Vilma da Silva Santos 2, Edson Aparecida de Araújo

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a...

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... INNOVA Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... Maximizar o rendimento e a produtividade Estar em conformidade com os padrões de qualidade e garantir a segurança dos alimentos Obter

Leia mais

Projeto de Armazéns. Ricardo A. Cassel. Projeto de Armazéns

Projeto de Armazéns. Ricardo A. Cassel. Projeto de Armazéns Ricardo A. Cassel FRANCIS, R.; McGINNIS, L.; WHITE, J. Facility Layout and Location: an analytical approach. New Jersey: Prentice Hall, 2ed., 1992. BANZATTO, E.; FONSECA, L.R.P.. São Paulo: IMAN, 2008

Leia mais

estratégias operações

estratégias operações MERCADO FERRAMENTA NECESSIDADE O que é LOGÍSTICA? estratégias Fator de Diferenciação Competitiva Fator de Tomada de Decisão operações Busca pela Excelência na Gestão O que buscamos? EXCELÊNCIA LOGÍSTICA

Leia mais

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com TMS e Roteirizadores Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Definição TMS (Transportation Management System) é um produto para melhoria da qualidade e produtividade de todo o processo de distribuição. Este

Leia mais

Sistemas de Armazenagem de

Sistemas de Armazenagem de Sistemas de Armazenagem de Materiais Características e conceitos para utilização de Sistemas de armazenagem de materiais Objetivos Destacar a importância do lay-out out, dos equipamentos de armazenagem

Leia mais

3 Centro de Distribuição

3 Centro de Distribuição 3 Centro de Distribuição Uma questão básica do gerenciamento logístico é como estruturar sistemas de distribuição capazes de atender de forma econômica os mercados geograficamente distantes das fontes

Leia mais

Logística Integrada. Esse termo refere-se ao papel da Logística como elemento de ligação entre todos os processos, desde o Fornecedor até o Cliente.

Logística Integrada. Esse termo refere-se ao papel da Logística como elemento de ligação entre todos os processos, desde o Fornecedor até o Cliente. Logística Integrada Esse termo refere-se ao papel da Logística como elemento de ligação entre todos os processos, desde o Fornecedor até o Cliente. Ballou (1993) Fonte: BALLOU, R. H. Logística Empresarial.

Leia mais

Software de gerenciamento de trabalho

Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho GoalPost O software de gerenciamento de trabalho (LMS) GoalPost da Intelligrated fornece informações sob demanda para medir,

Leia mais

LOGÍSTICA EMPRESARIAL

LOGÍSTICA EMPRESARIAL LOGÍSTICA EMPRESARIAL FORNECEDORES Erros de compras são dispendiosos Canais de distribuição * Compra direta - Vendedores em tempo integral - Representantes dos fabricantes Compras em distribuidores Localização

Leia mais

Automação de Almoxarifado Com Mobilidade

Automação de Almoxarifado Com Mobilidade SAP FORUM 2014 Automação de Almoxarifado Com Mobilidade Daniel Costa Bezerra ArcelorMittal Tubarão - Especialista de TI Ricardo Rodrigues Grizotti ArcelorMittal Tubarão - Especialista de Suprimentos 11/02/2014

Leia mais

CUSTOS LOGÍSTICOS CUSTO PREÇO. Custo: Quanto a organização irá gastar para produzir o produto/serviço

CUSTOS LOGÍSTICOS CUSTO PREÇO. Custo: Quanto a organização irá gastar para produzir o produto/serviço OBSERVAÇÃO IMPORTANTE CUSTOS LOGÍSTICOS Prof., Ph.D. CUSTO PREÇO : Quanto a organização irá gastar para produzir o produto/serviço Preço: Decisão de negócio - Quanto a empresa cobrará pelo serviço SÍNTESE

Leia mais

RFID. RFID - Identificação por Radiofreqüência

RFID. RFID - Identificação por Radiofreqüência RFID RFID - Identificação por Radiofreqüência Sistema de Identificação por Radio Frequência O que é RFID? Objetivo e utilidade similares ao código de barras; Composto por 3 elementos: Uma antena; Um leitor;

Leia mais

QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE

QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE *Envie o nome de seu grupo, dos integrantes e um telefone de contato junto com as respostas do questionário abaixo para o e-mail COMMUNICATIONS.SLA@SCANIA.COM*

Leia mais

Separe pedidos em 10 passos

Separe pedidos em 10 passos Separe pedidos em 10 passos Confira diferentes métodos de trabalhar com pedidos que podem servir para diversos tipos de operação A de pedidos é um dos processos onde há mão de obra intensiva dentro de

Leia mais

Curso de Logísticas Integrada

Curso de Logísticas Integrada 1 Introdução a Logística; Capítulo 1 - Conceitos de logística; Breve Histórico da Logística; Historia da logística; SCM; Logística Onde estávamos para onde vamos? Estratégia para o futuro; 2 Conceitos

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade II MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade II MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM Prof. Jean Cavaleiro Unidade II MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM Introdução Vamos abordar aqui meios de armazenagem para melhor aproveitar o Pé direito, equipamentos que facilite movimentação em armazenagem

Leia mais

Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda

Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda Tecnologia da Informação Aplicada à Logística Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda Como garantir

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE PICKING NA ARMAZENAGEM

ESTRATÉGIAS DE PICKING NA ARMAZENAGEM ESTRATÉGIAS DE PICKING NA ARMAZENAGEM O QUE É A ATIVIDADE DE PICKING E QUAL SUA IMPORTÂNCIA? Por Alex Medeiros, 1999 Para entendermos a atividade de picking (separação e preparação de pedidos) é importante

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM PICKING

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM PICKING DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM PICKING O QUE É PICKING? atividade responsável pela coleta do mix correto de produtos, em suas quantidades corretas da área de armazenagem para satisfazer as necessidades do

Leia mais

Os Custos de Armazenagem na Logística Moderna

Os Custos de Armazenagem na Logística Moderna Os Custos de Armazenagem na Logística Moderna Maurício Pimenta Lima Introdução Uma das principais características da logística moderna é sua crescente complexidade operacional. Aumento da variedade de

Leia mais

Aspectos Fundamentais da Gestão de Estoques na Cadeia de Suprimentos

Aspectos Fundamentais da Gestão de Estoques na Cadeia de Suprimentos Aspectos Fundamentais da Gestão de Estoques na Cadeia de Suprimentos Peter Wanke Introdução Este texto é o primeiro de dois artigos dedicados à análise da gestão de estoques, a partir de uma perspectiva

Leia mais

Unidade II LOGÍSTICA INTEGRADA. Profa. Marinalva R. Barboza

Unidade II LOGÍSTICA INTEGRADA. Profa. Marinalva R. Barboza Unidade II LOGÍSTICA INTEGRADA Profa. Marinalva R. Barboza A logística integrada A expressão logística integrada surgiu nos EUA em um trabalho de três autores (Lambert, Stock e Ellram) Se destacou pela

Leia mais

Sistemas de abastecimento de pedidos

Sistemas de abastecimento de pedidos Sistemas de abastecimento de pedidos Sistemas de abastecimento de pedidos Intelligrated Densidade de separação A Intelligrated usa suas décadas de experiência e centenas de instalações para oferecer as

Leia mais

SISTEMAS DE TRANSPORTES

SISTEMAS DE TRANSPORTES ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS, PRODUÇÃO E LOGÍSTICA SISTEMAS DE TRANSPORTES TRANSPORTES Transportes, para a maioria das firmas, é a atividade logística mais importante, simplesmente porque ela absorve, em

Leia mais

ANÁLISE DAS OPÇÕES DE ESTRUTURAS DE ARMAZENAGEM PARA UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE UMA EMPRESA DO SETOR ELETRÔNICO

ANÁLISE DAS OPÇÕES DE ESTRUTURAS DE ARMAZENAGEM PARA UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE UMA EMPRESA DO SETOR ELETRÔNICO ANÁLISE DAS OPÇÕES DE ESTRUTURAS DE ARMAZENAGEM PARA UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE UMA EMPRESA DO SETOR ELETRÔNICO Maira Silva de Aguiar (UNIFEI) aguiarmaira@hotmail.com Renato da Silva Lima (UNIFEI) rslima74@gmail.com

Leia mais

WMS - Warehouse Management System

WMS - Warehouse Management System Sistema de Gestão Empresarial LUSANA SOUZA NATÁLIA BATUTA MARIA DAS GRAÇAS TATIANE ROCHA GTI V Matutino Prof.: Itair Pereira Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. WMS... 2 3. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 2 4. POLÍTICA

Leia mais

Logística Integrada. Prof. Fernando Augusto Silva Marins. fmarins@feg.unesp.br. www.feg.unesp.br/~fmarins

Logística Integrada. Prof. Fernando Augusto Silva Marins. fmarins@feg.unesp.br. www.feg.unesp.br/~fmarins Logística Integrada Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins 1 Sumário Cenário Fatores para o Desenvolvimento da Logística Bases da Logística Integrada Conceitos

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

Valter Venturelli Controller Zen. www.otm.com.br

Valter Venturelli Controller Zen. www.otm.com.br Valter Venturelli Controller Zen Local: Brusque Santa Catarina Brasil Infraestrutura: 32.000 m² 1.100 empregados (jan.2012) Produção: 20,1 milhões de produtos e componentes (2011) Transformar metais em

Leia mais

ASPECTOS FUNDAMENTAIS DO PROBLEMA DE LOCALIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES EM REDES LOGÍSTICAS

ASPECTOS FUNDAMENTAIS DO PROBLEMA DE LOCALIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES EM REDES LOGÍSTICAS ASPECTOS FUNDAMENTAIS DO PROBLEMA DE LOCALIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES EM REDES LOGÍSTICAS Data: 10/03/2001 Peter Wanke INTRODUÇÃO Localizar instalações ao longo de uma cadeia de suprimentos consiste numa importante

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

Gestão Estratégica do Transporte

Gestão Estratégica do Transporte Gestão Estratégica do Transporte SUMÁRIO 1. Link Aula Anterior; 2. Conceitos de Gestão Estratégica; 3. Abordagens da Gestão Estratégica de Transportes; 4. Operações Especiais de Transportes; 5. Conceitos

Leia mais

Serviço ao Cliente Prof. Fernando A. S. Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins

Serviço ao Cliente Prof. Fernando A. S. Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins Serviço ao Cliente Prof. Fernando A. S. Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins 1 Sumário Conceitos Segmentação de Mercado Rentabilidade de Clientes e Serviço ao Cliente Recuperação de Serviço

Leia mais

CONCEITO DO OPERADOR LOGÍSTICO (fevereiro de 1999)

CONCEITO DO OPERADOR LOGÍSTICO (fevereiro de 1999) CONCEITO DO OPERADOR LOGÍSTICO (fevereiro de 1999) INDICE 1. INTRODUÇÃO 2. SERVIÇOS LOGÍSITICOS 3. O CONCEITO DO OPERADOR LOGÍSITICO 3.1 DEFINIÇÃO 3.2 CARACTERIZAÇÃO DE OPERADOR LOGÍSTICO 4. DEFINIÇÕES

Leia mais

22/02/2009 LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO POR QUE A LOGÍSTICA ESTÁ EM MODA POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA

22/02/2009 LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO POR QUE A LOGÍSTICA ESTÁ EM MODA POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO A melhor formação cientifica, prática e metodológica. 1 POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA Marketing Vendas Logística ANTES: foco no produto - quantidade de produtos sem qualidade

Leia mais

O Nordeste mais perto de você. Divisão Logística CDEX_4

O Nordeste mais perto de você. Divisão Logística CDEX_4 O Nordeste mais perto de você Divisão Logística CDEX_4 A INTERMARÍTIMA A Intermarítima está em atividade desde 1986. Atua com Operação Portuária (portos de Salvador, Aratu e Ilhéus) e Logística (Importação,

Leia mais

Operações Terminais Armazéns. PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007.

Operações Terminais Armazéns. PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007. Operações Terminais Armazéns AULA 3 PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007. A Gestão de Estoques Definição» Os estoques são acúmulos de matériasprimas,

Leia mais

A WZ É UMA EMPRESA EMPRESA

A WZ É UMA EMPRESA EMPRESA EMPRESA A WZ É UMA EMPRESA de consultoria em logística formada por profissionais com ampla experiência de mercado e oriundos de empresas dos setores varejista, atacadista, distribuidores e industrias.

Leia mais

Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA. Marinalva R. Barboza

Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA. Marinalva R. Barboza Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA Marinalva R. Barboza Definição do conceito de logística e evolução Logística tem origem no idioma francês Logistique se define de forma militar sendo uma parte estratégica

Leia mais

Universidade São Judas Tadeu Pós Graduação Latu Senso Gestão Integrada da Logística

Universidade São Judas Tadeu Pós Graduação Latu Senso Gestão Integrada da Logística Universidade São Judas Tadeu Pós Graduação Latu Senso Gestão Integrada da Logística Adriana dos Santos Gomes Estela Paulino da Silva Luiz Cássio Jorquera Wesley Felipe de Oliveira ARMAZENAGEM E TI São

Leia mais

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva Unidade IV GERENCIAMENTO DE TRANSPORTE Prof. Altair da Silva Transporte em area urbana Perceba o volume de caminhões que circulam nas áreas urbanas em nosso país. Quais são os resultados para as empresas

Leia mais

ÍNDICE. Apresentação do produto Impacto no negócios Telas do sistemamódulos do sistema Mobilize Stock Mobilize Store A Handcom Contato

ÍNDICE. Apresentação do produto Impacto no negócios Telas do sistemamódulos do sistema Mobilize Stock Mobilize Store A Handcom Contato ÍNDICE Apresentação do produto Impacto no negócios Telas do sistemamódulos do sistema Mobilize Stock Mobilize Store A Handcom Contato Apresentação do produto O Mobilize é uma solução mobile modular para

Leia mais

Logística Empresarial. Atividades Chave, Planejamento e Estratégia Logística Prof. José Correia

Logística Empresarial. Atividades Chave, Planejamento e Estratégia Logística Prof. José Correia Logística Empresarial Atividades Chave, Planejamento e Estratégia Logística Prof. José Correia Atividades chave da Logística Padrões de serviço ao cliente (c/ marketing): Determinar as necessidades/desejos

Leia mais

Gestão de Estoques. Leader Magazine

Gestão de Estoques. Leader Magazine Gestão de Estoques Leader Magazine Maio 2005 Índice O Projeto Gestão de Estoques Resultados Índice O Projeto Gestão de Estoques Resultados Objetivos Implementar e Controlar todos os processos de Compra

Leia mais

Softwares de Cadeia de Suprimentos Capítulo 6. André Jun Nishizawa

Softwares de Cadeia de Suprimentos Capítulo 6. André Jun Nishizawa Softwares de Cadeia de Suprimentos Capítulo 6 Introdução Há 50 anos, as cadeias eram gerenciadas por lápis, papel e calculadora. Hoje existem softwares. Esta parte da aula fará um tour pelos tipos de softwares

Leia mais

LOGÍSTICA EMPRESARIAL. Rodolfo Cola Santolin 2009

LOGÍSTICA EMPRESARIAL. Rodolfo Cola Santolin 2009 LOGÍSTICA EMPRESARIAL Rodolfo Cola Santolin 2009 Conteúdo Cadeia de suprimentos Custos Logísticos Administração de Compras e Suprimentos Logística Reversa CADEIA DE SUPRIMENTOS Logística Logística Fornecedor

Leia mais

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM 5/5/2013 1 ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING 5/5/2013 2 1 Os SI nas organizações 5/5/2013 3 Histórico Os Softwares de SI surgiram nos anos 60 para controlar estoque

Leia mais

Revista Perspectiva em Educação, Gestão & Tecnologia, v.1, n.3, janeiro-junho/2013

Revista Perspectiva em Educação, Gestão & Tecnologia, v.1, n.3, janeiro-junho/2013 SISTEMA LOGÍSTICO EMPRESARIAL Revista Perspectiva em Educação, Gestão & Tecnologia, v.1, n.3, janeiro-junho/2013 Creonice Silva de Moura Shirley Aparecida Fida Prof. Engº. Helder Boccaletti Fatec Tatuí

Leia mais

MBA Executivo - Gestão do Varejo e Vendas

MBA Executivo - Gestão do Varejo e Vendas MBA Executivo - Gestão do Varejo e Vendas Proposta do curso: O curso de MBA Executivo em Gestão do Varejo e Vendas possibilita ao participante conhecer a respeito dos processos envolvidos na gestão de

Leia mais

Tecnologia Aplicada à Logística

Tecnologia Aplicada à Logística Tecnologia Aplicada à Logística Movimentação e TI Alunos: Keriton Leandro Fernando TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA LOGÍSTICA Definição de Informação na Logística É um elemento de grande importância nas operações

Leia mais

Os produtos da Royal 4 têm como base as ferramentas PROGRESS, banco de dados e linguagens de quarta geração (4GL), bastante atuais e abertas.

Os produtos da Royal 4 têm como base as ferramentas PROGRESS, banco de dados e linguagens de quarta geração (4GL), bastante atuais e abertas. Nos mais de 16 anos passados desde sua fundação, Royal 4 tem disponibilizado soluções de software empresariais para companhias de médio e grande porte dos segmentos de manufatura, varejo, atacado e distribuição.

Leia mais

3. Sistemas Empresariais de Processamento de Transações

3. Sistemas Empresariais de Processamento de Transações Curso de Especialização em Gestão Empresarial (MBA Executivo Turma 12) Disciplina: Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Dr. Álvaro José Periotto 3. Sistemas Empresariais de Processamento de Transações

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid

TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid Recebimento de NF-e e CT-e Emissão de NF-e, CT-e, MDF-e e NFS-e Integração nativa com o seu ERP Exija a solução que é o melhor investimento para a gestão

Leia mais

MINOR SUPPLY CHAIN (LOGÍSTICA) Coordenador: Prof. Dr. Fabiano Rodrigues

MINOR SUPPLY CHAIN (LOGÍSTICA) Coordenador: Prof. Dr. Fabiano Rodrigues MINOR SUPPLY CHAIN (LOGÍSTICA) Coordenador: Prof. Dr. Fabiano Rodrigues Fundamentos do Supply Chain Management ESTRUTURA DA MINOR SUPPLY CHAIN Supply Chain: Modelagem de Decisões Minor Supply Chain Supply

Leia mais

Sistemas de separação

Sistemas de separação Intelligrated Com mais de 100 anos de experiência em separação e milhares de instalações, a Intelligrated oferece sistemas de separação para operações de distribuição e abastecimento automatizados eficientes,

Leia mais

A Tecnologia de Informação na Gestão de Armazenagem

A Tecnologia de Informação na Gestão de Armazenagem A Tecnologia de Informação na Gestão de Armazenagem Nádia Veríssimo (EESC-USP) nadiaverissimo@hotmail.com Prof. Dr. Marcel Andreotti Musetti (EESC-USP) musetti@prod.eesc.sc.usp.br Resumo Este trabalho

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP Sistemas de Informação Sistemas Integrados de Gestão ERP Exercício 1 Um arame é cortado em duas partes. Com uma das partes é feito um quadrado. Com a outra parte é feito um círculo. Em que ponto deve ser

Leia mais

onda Logistics powered by Quantum

onda Logistics powered by Quantum onda Logistics powered by Quantum Sonda IT Fundada no Chile em 1974, a Sonda é a maior companhia latino-americana de soluções e serviços de TI. Presente em 10 países, tais como Argentina, Brasil, Chile,

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning

ERP Enterprise Resource Planning ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Evolução dos SI s CRM OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO OPERACIONAL TÁTICO ESTRATÉGICO SIT SIG SAE SAD ES EIS

Leia mais

Movimentação de materiais O setor de movimentação de materiais

Movimentação de materiais O setor de movimentação de materiais Movimentação de materiais O setor de movimentação de materiais A movimentação de materiais não necessita exatamente ser um setor dentro da organização, na maioria dos casos, é uma tarefa atrelada ao almoxarifado

Leia mais

www.nsclogistica.com.br

www.nsclogistica.com.br www.nsclogistica.com.br A Missão, Visão Valores Infra-Estrutura Nossa Frota Soluções Gris A A NSC logística atua no segmento de logística de telecomunicações desde 1988, estrategicamente situada as margens

Leia mais

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos:

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos: Recursos Naturais A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores competências e

Leia mais

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza edwin@engenharia-puro.com.br www.engenharia-puro.com.br/edwin Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos ... lembrando Uma cadeia de suprimentos consiste em todas

Leia mais

Otimização de abastecimento de pedidos

Otimização de abastecimento de pedidos Otimização de abastecimento de pedidos Quando passar da separação com papel para zero papel automação 1 Otimização que de traz abastecimento resultados de pedidos Otimização de abastecimento de pedidos

Leia mais

Sistemas de esteiras transportadoras de caixas, bolsas e embalagens plásticas

Sistemas de esteiras transportadoras de caixas, bolsas e embalagens plásticas Sistemas de esteiras transportadoras de caixas, bolsas e embalagens plásticas Sistemas de esteiras transportadoras de caixas, bolsas e embalagens plásticas As soluções em esteiras transportadoras da Intelligrated

Leia mais

Armazenagem & Automação de Instalações

Armazenagem & Automação de Instalações Armazenagem & Automação de Instalações Armazenagem & Automação de Instalações Funções do Sistema de Armazenagem - Manutenção de Estoque - Manuseio de Materiais: Carregamento & Descarregamento Movimentação

Leia mais

Distribuição Física. A distribuição física de produtos é realizada com a participação de alguns componentes, físicos ou informacionais, a saber:

Distribuição Física. A distribuição física de produtos é realizada com a participação de alguns componentes, físicos ou informacionais, a saber: Distribuição Física Objetivo da aula: Apresentar e discutir o conceito e os componentes do sistema de distribuição física, dentro do processo logístico. O objetivo geral da distribuição física, como meta

Leia mais

SISTEMAS DE ORDER FULFILLMENT REAL TIME SOLUTIONS

SISTEMAS DE ORDER FULFILLMENT REAL TIME SOLUTIONS SISTEMAS DE ORDER FULFILLMENT REAL TIME SOLUTIONS Sistemas de Order Fulfillment Real Time Solutions Atualmente, a operação de order fulfillment desempenha um papel primordial na cadeia de abastecimento

Leia mais

Por que um Sistema de Gestão de Armazéns (WMS)?

Por que um Sistema de Gestão de Armazéns (WMS)? Por que um Sistema de Gestão de Armazéns (WMS)? Qual é o assunto? Pauta Por que você precisa controlar a sua Logística / Supply-Chain. O que mudou na Logística desde os anos 90. Como um armazém funciona

Leia mais

LOGÍSTICA MADE DIFFERENT LOGÍSTICA

LOGÍSTICA MADE DIFFERENT LOGÍSTICA LOGÍSTICA MADE DIFFERENT LOGÍSTICA ENTREGA ESPECIAL Na economia globalizada 24/7 de hoje, a logística e a gestão de armazéns eficientes são essenciais para o sucesso operacional. O BEUMER Group possui

Leia mais

SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ARMAZÉM. O WMS Ampliado

SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ARMAZÉM. O WMS Ampliado O WMS Ampliado O propósito deste artigo é analisar soluções em Tecnologia da Informação que têm propósito de ampliar o alcance e potencializar os resultados de Sistemas de Gerenciamento de Armazém. Iuri

Leia mais

Centro de Gestão Técnica de Pernambuco Ltda.

Centro de Gestão Técnica de Pernambuco Ltda. Introdução Com o fim do ambiente inflacionário, as empresas evidenciaram a ineficiência de seus processos e perceberam imediatamente o reflexo pelos altos custos de produção e grandes desperdícios envolvidos

Leia mais

Sistemas de Armazenagem e Movimentação

Sistemas de Armazenagem e Movimentação Sistemas de Armazenagem e Movimentação O que é a armazenagem? Gerenciar eficazmente o espaço tridimensional de um local adequado e seguro, colocando à disposição para guarda de mercadorias que serão movimentadas

Leia mais

Estamos presentes no mercado de prestação de serviços logísticos há 11 anos; Temos Know-how europeu;

Estamos presentes no mercado de prestação de serviços logísticos há 11 anos; Temos Know-how europeu; Estamos presentes no mercado de prestação de serviços logísticos há 11 anos; Temos Know-how europeu; Fazemos uma parceria total com o cliente, combinando redução de custos fixos e otimização de recursos

Leia mais

Centros de Distribuição: armazenagem estratégica

Centros de Distribuição: armazenagem estratégica Centros de Distribuição: armazenagem estratégica Gisela Gonzaga Rodrigues (PUC-Rio) giselagonzaga@yahoo.com.br Nélio Domingues Pizzolato (PUC-Rio) ndp@ind.puc-rio.br Resumo Este trabalho pretende abordar

Leia mais

PROJETO GESTÃO DE ESTOQUES. Frente Almoxarifado

PROJETO GESTÃO DE ESTOQUES. Frente Almoxarifado PROJETO GESTÃO DE ESTOQUES Frente Almoxarifado Belo Horizonte, setembro de 2011 Agenda Projeto Gestão de Estoques Cartilhas Agendamento de Recebimentos e de Expedições Recebimento Armazenagem Carregamento

Leia mais

Armazenagem, Controle e Distribuição. Aula 3. Contextualização. Principais Atribuições. Controles de Estoque. Plano de Ação. Instrumentalização

Armazenagem, Controle e Distribuição. Aula 3. Contextualização. Principais Atribuições. Controles de Estoque. Plano de Ação. Instrumentalização Armazenagem, Controle e Distribuição Aula 3 Contextualização Prof. Walmar Rodrigues da Silva Controles de Estoque Principais Atribuições Planejamento Controle Gestão de estoques PDCA Sistema de administração

Leia mais

3. Warehouse Management System (WMS)

3. Warehouse Management System (WMS) 3. Warehouse Management System (WMS) A necessidade de aprimorar as operações logísticas fez com que a empresa selecionada para o estudo de caso adotasse em seu Centro de Distribuição um sistema gerenciador

Leia mais