PROJETO GESTÃO DE ESTOQUES. Frente Almoxarifado

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO GESTÃO DE ESTOQUES. Frente Almoxarifado"

Transcrição

1 PROJETO GESTÃO DE ESTOQUES Frente Almoxarifado Belo Horizonte, setembro de 2011

2 Agenda Projeto Gestão de Estoques Cartilhas Agendamento de Recebimentos e de Expedições Recebimento Armazenagem Carregamento e Expedição Inventário Obsolescência

3 Agenda Projeto Gestão de Estoques Cartilhas Agendamento de Recebimentos e de Expedições Recebimento Armazenagem Carregamento e Expedição Inventário Obsolescência

4 Projeto Gestão de Estoques O Governo do Estado de Minas Gerais desenvolveu o Projeto de Gestão de Estoques, visando: reavaliar sua estratégia, gestão e operação; aprimorar a gestão de seus estoques. Esse Projeto consistiu no desenvolvimento de um modelo de gestão de estoques para a Administração Pública Estadual.

5 Projeto Gestão de Estoques Com o intuito de aperfeiçoar as atividades desenvolvidas pelas equipes dos almoxarifados, foram elaboradas cartilhas que contemplam orientações e recomendações de como realizar determinados procedimentos, conforme melhores práticas do setor privado destacadas no Projeto.

6 Agenda Projeto Gestão de Estoques Cartilhas Agendamento de Recebimentos e de Expedições Recebimento Armazenagem Carregamento e Expedição Inventário Obsolescência

7 Agendamento de Recebimentos e de Expedições O que é o agendamento? O agendamento é o ato de reservar uma data e um horário específicos para o recebimento e/ou expedição do material adquirido pelo órgão ou entidade. Importância de realizar o agendamento O agendamento pretende organizar as atividades do almoxarifado, evitando transtornos durante os recebimentos e as expedições dos materiais.

8 Agendamento de Recebimentos e de Expedições Quem deve realizar o agendamento? O agendamento dos recebimentos deve ser feito pelo fornecedor dentro do prazo de entrega constante no contrato. Já o agendamento das expedições pode ser efetuado pelas unidades administrativas requisitantes dos materiais ou pelo próprio almoxarifado.

9 Agendamento de Recebimentos e de Expedições Painel de Agendamentos Para facilitar a visualização dos recebimentos e das expedições programadas para o almoxarifado, foi desenvolvida uma ferramenta de agendamento, denominada Painel de Agendamentos. Esse painel permite verificar em qual turno estão agendados recebimentos e/ou expedições para determinada data. Esta ferramenta encontra-se disponível no site da SEPLAG.

10 Agenda Projeto Gestão de Estoques Cartilhas Agendamento de Recebimentos e de Expedições Recebimento Armazenagem Carregamento e Expedição Inventário Obsolescência

11 Recebimento O que é o recebimento? O recebimento é o ato pelo qual a equipe do almoxarifado ou uma comissão designada, quando for o caso, recebe do fornecedor os materiais adquiridos pelo órgão/entidade, efetuando as conferências necessárias para dar o aceite dos produtos. O recebimento pode ser subdividido em duas etapas: Recebimento Provisório Recebimento Definitivo

12 Recebimento Qual o objetivo e a importância de fazer o recebimento dos materiais de forma adequada? O objetivo de se realizar o recebimento de materiais da forma orientada é assegurar que o material entregue esteja em conformidade com as especificações constantes no contrato e/ou na Autorização de Fornecimento (AF) ou documento equivalente. Ao realizar o recebimento adequadamente, é possível aumentar o controle e a confiabilidade em relação aos fornecedores.

13 Recebimento Alguns critérios devem ser verificados para o recebimento dos materiais adquiridos: Para aquisições com valores superiores a R$ ,00 o recebimento deve ser realizado por uma comissão, conforme determinação Lei Federal nº / 93. Para aquisições com valores inferiores ou de materiais que dispensem análise técnica, o recebimento poderá ser feito pelo próprio almoxarife/ servidor. O recebimento dependerá da conferência do material e da validação da NF em relação à AF.

14 Recebimento A conferência dos materiais recebidos pela equipe do almoxarifado ou comissão, se for o caso, deve ser realizada segundo os critérios abaixo: Conferência visual Conferência quantitativa: Pelo volume total da entrega Por amostragem da carga Conferência qualitativa

15 Recebimento Após a conferência dos materiais recebidos no almoxarifado, o almoxarife/servidor ou comissão poderá realizar: Recusa total Recebimento total Recebimento parcial

16 Recebimento Check-list de recebimento e conferência de materiais Recomenda-se a utilização do modelo padrão de check-list elaborado pela SEPLAG, que encontra-se disponível no site da Secretaria. O check-list de recebimento e conferência de materiais auxilia na conferência visual, qualitativa e quantitativa dos materiais recebidos no almoxarifado.

17 Recebimento Gestão de Fornecimento Encontra-se disponível, no Módulo de Compras do Portal de Compras, a funcionalidade de Gestão de Fornecimento após a geração de uma Autorização de Fornecimento. Tal funcionalidade compreende a gestão de agendamentos e de recebimentos dos itens de uma AF.

18 Agenda Projeto Gestão de Estoques Cartilhas Agendamento de Recebimentos e de Expedições Recebimento Armazenagem Carregamento e Expedição Inventário Obsolescência

19 Armazenagem O que é armazenagem? A armazenagem compreende a guarda, localização, segurança e preservação do material adquirido pelo órgão/entidade. Qual o objetivo da armazenagem? A armazenagem dos materiais tem como objetivo garantir o atendimento dos pedidos efetuados pelas unidades administrativas para a boa execução das políticas públicas e das atividades do dia-a-dia dos órgãos/entidades.

20 Armazenagem Qual a importância da armazenagem correta? A correta armazenagem dos materiais visa usar o espaço físico disponível no armazém de forma organizada e eficiente, permitindo a movimentação adequada dentro do almoxarifado e mantendo os cuidados necessários com vistas a evitar sua deterioração. Estruturas de armazenagem As estruturas de armazenagem são elementos básicos para a organização e o uso ideal do espaço do almoxarifado, que podem atender aos mais diversos tipos de carga.

21 Armazenagem Endereçamento interno O endereçamento é uma ferramenta que auxilia na localização de materiais dentro de um armazém. Seu objetivo é auxiliar na identificação de locais específicos para a armazenagem dos itens, facilitando também as operações de movimentação, de separação e de inventários. Sistema de endereçamento fixo: utiliza código alfanumérico (associa letras e números) para determinar o posicionamento do item.

22 Armazenagem Como realizar o endereçamento interno? A partir do layout e das estruturas de armazenagem disponíveis definir as áreas de estocagem no almoxarifado e estabelecer a identificação de tais áreas com letras; F E R P V B P

23 F11 F04 F10 Armazenagem Para cada área, deve-se numerar a estrutura e identificar com a letra correspondente; F13 F13 F12 F05 F06 F07 F08 F09 F03 F02 F01 F14 F F17 F16 F15 E R P V B P

24 Armazenagem fazer o mapeamento das posições dentro das estruturas em que serão armazenados os itens, caso se aplique.

25 Armazenagem A formatação mais utilizada de estruturar o endereçamento é AA.B.C.D.E: AA: Código da área de estocagem B: Rua C: Número da prateleira ou estante D: Posição vertical E: Posição horizontal dentro da posição vertical.

26 Armazenagem P (porta palete 1, posição vertical 4, posição horizontal 2) P (porta palete 3, posição vertical 2, posição horizontal 1) Endereçamento interno no SIAD

27 Agenda Projeto Gestão de Estoques Cartilhas Agendamento de Recebimentos e de Expedições Recebimento Armazenagem Carregamento e Expedição Inventário Obsolescência

28 Carregamento e Expedição O que é carregamento? O carregamento consiste no ato de colocar em um veículo pré-definido os materiais solicitados e separados para expedição. Qual a importância e o objetivo de se definir estratégias de carregamento? A definição de estratégias de carregamento dos materiais solicitados pelas unidades administrativas requisitantes tem como objetivo garantir a organização das cargas a serem entregues e uma maior produtividade do processo com a redução do tempo de carregamento.

29 Carregamento e Expedição Destacam-se duas estratégias de carregamento:

30 Carregamento e Expedição Destacam-se duas estratégias de carregamento:

31 Carregamento e Expedição O que é expedição? A expedição consiste na saída, do almoxarifado, dos materiais solicitados por uma unidade administrativa requisitante. Para realizar a expedição é emitido um documento específico (guia) do SIAD, visando comprovar o atendimento da solicitação. Esse documento é transportado juntamente com o material solicitado para que a unidade requisitante assine e comprove o recebimento dos itens.

32 Carregamento e Expedição Qual o objetivo e a importância da expedição? A expedição tem como objetivo atender às demandas das unidades administrativas, fornecendo os materiais requisitados que estão armazenados no(s) almoxarifado(s). A saída dos itens deve ser feita de forma eficiente, visando atender adequadamente aos pedidos das unidades de acordo com o que foi realmente solicitado e em tempo hábil.

33 Agenda Projeto Gestão de Estoques Cartilhas Agendamento de Recebimentos e de Expedições Recebimento Armazenagem Carregamento e Expedição Inventário Obsolescência

34 Inventário O que é inventário? O inventário consiste em verificar, quantitativa e qualitativamente, a relação de materiais pertencentes ao ativo permanente, em uso ou estocados, e de materiais de consumo em almoxarifado, visando atualizar os dados dos sistemas de controle.

35 Inventário Qual a importância do inventário? A realização do inventário permite a obtenção de dados que subsidiam as seguintes ações: planejar melhor as compras para reposição dos itens; controlar os níveis dos estoques para atender as solicitações das unidades requisitantes; definir a periodicidade de reposição de acordo com as saídas dos materiais; confirmar a localização dos materiais permanentes; efetuar o levantamento da situação dos equipamentos e materiais em uso e estocados.

36 Inventário Inventário Anual Tem como objetivo realizar o levantamento completo dos materiais, de consumo e permanente, em almoxarifado ou em outras unidades similares, bem como dos bens patrimoniais em uso, cedidos e/ou recebidos em cessão.

37 Inventário Inventário Anual e o Coletor de dados A SEPLAG implantou novo procedimento informatizado no SIAD para a realização de inventário de material permanente com a utilização de coletor dados. Com esse novo processo, o servidor ou a comissão inventariante passa a dispor de um coletor de dados capaz de conferir o número de patrimônio através do seu código de barras, impresso na plaqueta patrimonial.

38 Inventário Inventário cíclico O inventário cíclico é um tipo de inventário eventual que a SEPLAG recomenda ser adotado pelas equipes dos almoxarifados do Estado para aumentar a acuracidade dos estoques por meio de revisões periódicas.

39 Inventário Alguns critérios devem ser levados em consideração para efetuar esse tipo de inventário, sendo eles: Classificação dos itens, de acordo com a ferramenta curva ABC; Frequência de contagem de cada item; Seleção dos itens a serem contados. CURVA ABC ITENS VALOR PERIODICIDADE A 80% mensal B 15% bimestral C 5% semestral

40 Inventário Como realizar o inventário cíclico? Selecionar itens a serem contados, conforme classificação da curva ABC; Separar os itens que serão contados; Realizar a contagem cega dos itens separados; Anotar o resultado da contagem cega em formulário ; Confrontar os resultados com os dados constantes no SIAD; Nova contagem por outro funcionário/equipe em caso de divergência; Se as divergências persistirem, devem-se registrar as causas, quando forem identificadas; Efetuar os ajustes no SIAD, quando for o caso.

41 Agenda Projeto Gestão de Estoques Cartilhas Agendamento de Recebimentos e de Expedições Recebimento Armazenagem Carregamento e Expedição Inventário Obsolescência

42 Obsolescência O que é análise da obsolescência? A análise da obsolescência consiste na verificação da movimentação e da data de vencimento dos materiais armazenados no almoxarifado. Critérios para fazer a análise de obsolescência Obsolescência em função da falta de movimentação Obsolescência em função do prazo de validade

43 Obsolescência Qual a importância de fazer análise da obsolescência dos materiais do almoxarifado? A análise da obsolescência é essencial para determinar quais medidas devem ser tomadas pela equipe do almoxarifado, quando as seguintes situações forem observadas: Itens com prazo de validade próximo ao vencimento; Itens com data de validade vencida; Itens sem movimentação nos últimos 06 (seis) meses; e, Itens sem movimentação nos últimos 12 (doze) meses.

44 PROJETO GESTÃO DE ESTOQUES Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão de Minas Gerais SEPLAG Superintendência Central de Recursos Logísticos e Patrimônio SCRLP Diretoria Central de Administração Logística DCAL Todas as cartilhas, elaboradas pela equipe da SEPLAG, estão disponíveis no site da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão Seção Governo > Gestão Logística > Gestão de Estoques - Cartilhas - Ferramentas Contato:

GESTÃO DE ESTOQUES Volume 5

GESTÃO DE ESTOQUES Volume 5 GESTÃO DE ESTOQUES Volume 5 INVENTÁRIO 1 GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Antonio Augusto Junho Anastasia Governador do Estado de Minas Gerais Renata Maria Paes de Vilhena Secretária de Estado de Planejamento

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO 1/5 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Normatizar os procedimentos de entrada e saída de materiais adquiridos pelo Município; 1.2) Garantir recebimento dos materiais no que se refere a quantidade, qualidade e prazo

Leia mais

GUIA SOBRE RELATÓRIOS DO INVENTÁRIO DE MATERIAL PERMANENTE COM USO COLETOR DE DADOS

GUIA SOBRE RELATÓRIOS DO INVENTÁRIO DE MATERIAL PERMANENTE COM USO COLETOR DE DADOS GUIA SOBRE RELATÓRIOS DO INVENTÁRIO DE MATERIAL PERMANENTE COM USO COLETOR DE DADOS 0 GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Antônio Augusto Junho Anastasia Governador do Estado de Minas Gerais Renata Maria

Leia mais

1/5 NORMA INTERNA Nº: DATA DA VIGÊNCIA: 26/2010 ASSUNTO: SISTEMA OPERACIONAL DO ALMOXARIFADO CENTRAL

1/5 NORMA INTERNA Nº: DATA DA VIGÊNCIA: 26/2010 ASSUNTO: SISTEMA OPERACIONAL DO ALMOXARIFADO CENTRAL 1/5 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Normatizar os procedimentos de entrada e saída de materiais adquiridos pelo Município; 1.2) Garantir recebimento dos materiais no que se refere a quantidade, qualidade e prazo

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 019/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 019/2014 Salvador, Bahia Sexta-Feira 21 de novembro de 2014 Ano XCIX N o 21.577 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 019/2014 Orienta os órgãos e entidades da Administração Pública do Poder Executivo Estadual, sobre a realização

Leia mais

ASSUNTO: SISTEMA OPERACIONAL NO ALMOXARIFADO DO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO SAAE

ASSUNTO: SISTEMA OPERACIONAL NO ALMOXARIFADO DO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO SAAE 1/6 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Normatizar os procedimentos de entrada e saída de materiais adquiridos pela autarquia SAAE; 1.2) Garantir recebimento dos materiais no que se refere a quantidade, qualidade e

Leia mais

UNIVERSIDADE GAMA FILHO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GESTÃO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO NO SETOR PÚBLICO ELINE COÊLHO DA ROCHA

UNIVERSIDADE GAMA FILHO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GESTÃO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO NO SETOR PÚBLICO ELINE COÊLHO DA ROCHA UNIVERSIDADE GAMA FILHO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GESTÃO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO NO SETOR PÚBLICO ELINE COÊLHO DA ROCHA ORGANIZAÇÃO DO ALMOXARIFADO NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO

Leia mais

Definir os procedimentos para gestão dos bens e materiais do TJAC.

Definir os procedimentos para gestão dos bens e materiais do TJAC. Código: MAP-DILOG-004 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Bens e Materiais Aprovado por: Diretoria de Logística 1 OBJETIVO Definir os procedimentos para gestão dos bens e

Leia mais

TESTE RÁPIDO (ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS)

TESTE RÁPIDO (ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS) TESTE RÁPIDO (ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS) ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS A respeito da administração de recursos materiais, julgue os itens que se seguem. 1 - ( CESPE / ANS / 2013 / TÉCNICO

Leia mais

PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 001/2010 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 001/2010 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 001/2010 Estabelece normas e procedimentos para aquisição de serviços e recebimento, controle, guarda e distribuição de materiais permanentes e de consumo no âmbito do Poder Legislativo

Leia mais

Manual de Logística ISGH

Manual de Logística ISGH Manual de Logística ISGH Página 1 ELABORAÇÃO Juniana Torres Costa Gerente do Núcleo de Logística ISGH FORMATAÇÃO Comunicação Visual ISGH DATA Novembro de 2014 Manual de Logística ISGH Página 2 SUMÁRIO

Leia mais

Planejamento de Manutenção e Fiscalização de Obras Industriais, Gestão de Materiais, Inventário de Estoques e Bens Patrimoniais.

Planejamento de Manutenção e Fiscalização de Obras Industriais, Gestão de Materiais, Inventário de Estoques e Bens Patrimoniais. Planejamento de Manutenção e Fiscalização de Obras Industriais, Gestão de Materiais, Inventário de Estoques e Bens Patrimoniais. Quem Somos A MDS soluções é uma prestadora de serviços que procura apoiar

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora à vencer as barreiras internacionais.

Leia mais

GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS

GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Unidade III GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Prof. Fernando Leonel Conteúdo da aula de hoje 1. Custos dos estoques 2. Custos diretamente proporcionais 3. Custos inversamente proporcionais 4.

Leia mais

Processo de Controle das Reposições da loja

Processo de Controle das Reposições da loja Processo de Controle das Reposições da loja Getway 2015 Processo de Reposição de Mercadorias Manual Processo de Reposição de Mercadorias. O processo de reposição de mercadorias para o Profit foi definido

Leia mais

Armazenagem, Controle e Distribuição. Aula 3. Contextualização. Principais Atribuições. Controles de Estoque. Plano de Ação. Instrumentalização

Armazenagem, Controle e Distribuição. Aula 3. Contextualização. Principais Atribuições. Controles de Estoque. Plano de Ação. Instrumentalização Armazenagem, Controle e Distribuição Aula 3 Contextualização Prof. Walmar Rodrigues da Silva Controles de Estoque Principais Atribuições Planejamento Controle Gestão de estoques PDCA Sistema de administração

Leia mais

Unidade III GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS

Unidade III GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Unidade III 3 CUSTOS DOS ESTOQUES A formação de estoques é essencial para atender à demanda; como não temos como prever com precisão a necessidade, a formação

Leia mais

Capítulo 4 - Gestão do Estoque Inventário Físico de Estoques

Capítulo 4 - Gestão do Estoque Inventário Físico de Estoques Capítulo 4 - Gestão do Estoque Inventário Físico de Estoques Celso Ferreira Alves Júnior eng.alvesjr@gmail.com 1. INVENTÁRIO DO ESTOQUE DE MERCADORIAS Inventário ou Balanço (linguagem comercial) é o processo

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 019 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2006

INSTRUÇÃO Nº 019 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2006 INSTRUÇÃO Nº 019 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2006 Orienta os órgãos da Administração Direta do Poder Executivo Estadual sobre os procedimentos a serem aplicados no controle patrimonial de bens móveis, em conformidade

Leia mais

Manual do. Almoxarifado

Manual do. Almoxarifado Manual do Almoxarifado Parnaíba 2013 APRESENTAÇÃO O Almoxarifado é o local destinado à guarda, localização, segurança e preservação do material adquirido, adequado à sua natureza, a fim de suprir as necessidades

Leia mais

Mensagem Inventário N 01-14/04/2014

Mensagem Inventário N 01-14/04/2014 Mensagem Inventário N 01-14/04/2014 Tendo em vista que ainda não ocorreu a migração do atual sistema SAPweb para um novo sistema e que o inventário deve ser iniciado no dia 11/abril/2014, a Comissão de

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos (SP) Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de Auxiliar

Leia mais

Câmara Municipal dos Barreiros

Câmara Municipal dos Barreiros Barreiros, 30 de Abril de 2010 SISTEMA DE CONTROLE INTERNO Ofício nº 006/2010 SCI EXMO. SR. JOSÉ GERALDO DE SOUZA LEÃO M.D. Presidente da Câmara de Vereadores dos Barreiros NESTA O Coordenador do Sistema

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem Usuário Meio de Hospedagem

Manual do Usuário. Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem Usuário Meio de Hospedagem Manual do Usuário Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem Usuário Meio de Hospedagem Julho de 2011 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Siglas... 3 3. Descrição do Sistema... 3 4. Como utilizar

Leia mais

CURSO Elaboração de Especificações de Itens para o Catálogo de bens, materiais e serviços.

CURSO Elaboração de Especificações de Itens para o Catálogo de bens, materiais e serviços. CURSO Elaboração de Especificações de Itens para o Catálogo de bens, materiais e serviços. FRANCISCO JOSÉ COELHO BEZERRA Gestor de Registro de Preços Fortaleza 26 a 28/11/2014 SORAYA QUIXADÁ BEZERRA Gestora

Leia mais

MÓDULO 5 Movimentações

MÓDULO 5 Movimentações MÓDULO 5 Movimentações Bem-vindo(a) ao quinto módulo do curso. Agora que você já conhece as entradas no HÓRUS, aprenderá como são feitas as movimentações. As movimentações do HÓRUS são: Requisição ao Almoxarifado:

Leia mais

Análise dos Estoques Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais Martins & Alt Editora Saraiva

Análise dos Estoques Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais Martins & Alt Editora Saraiva CAPÍTULO Análise dos Estoques 1 Gestão de Estoques Série de ações que permitem ao administrador verificar se os estoques estão sendo bem utilizados, bem localizados em relação aos setores que deles se

Leia mais

INVENTÁRIO SEMESTRAL EXTRAORDINÁRIO JULHO DE 2014. Introdução

INVENTÁRIO SEMESTRAL EXTRAORDINÁRIO JULHO DE 2014. Introdução SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE SÃO JOÃO DEL-REI DIRETORIA ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA SETOR DE PATRIMÔNIO INVENTÁRIO SEMESTRAL EXTRAORDINÁRIO JULHO DE 2014 Introdução

Leia mais

OPERAÇÃO LOGÍSTICA CL CLIENTES DIVERSOS

OPERAÇÃO LOGÍSTICA CL CLIENTES DIVERSOS 1. OBJETIVO Estabelecer procedimento padrão para todos os colaboradores da Irapuru que estão envolvidos na operação logística dos de recebimento, armazenagem e expedição. 2. REGRAS/CONSIDERAÇÕES GERAIS

Leia mais

OBJETIVO DO CONTROLE PATRIMONIAL NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA CONTROLE PATRIMONIAL

OBJETIVO DO CONTROLE PATRIMONIAL NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA CONTROLE PATRIMONIAL OBJETIVO DO CONTROLE PATRIMONIAL NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA CONTROLE PATRIMONIAL OBJETIVO Estabelecer os procedimentos necessários para administração do patrimônio imobilizado da empresa. CONCEITOS Constitui

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE

GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Prof. Rafael Roesler Aula 5 Sumário Classificação ABC Previsão de estoque Custos

Leia mais

18- SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO 18.1- QUADRO DE INDICADORES. Superintendência de Gestão

18- SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO 18.1- QUADRO DE INDICADORES. Superintendência de Gestão CÓD PESO (%) 18- SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO 18.1- QUADRO DE INDICADORES Superintendência de Gestão QUADRO DE INDICADORES OBJETIVO ESTRATÉGICO NOME DO INDICADOR Unidade de Medida Valores de Referência (VR)

Leia mais

Secretaria da Educação do Estado do Rio Grande do Sul. Manual: Sistema de Controle Patrimonial Inventário

Secretaria da Educação do Estado do Rio Grande do Sul. Manual: Sistema de Controle Patrimonial Inventário Secretaria da Educação do Estado do Rio Grande do Sul Manual: Sistema de Controle Patrimonial Inventário Sumário 1. Introdução... 3 2. Acessar o Controle Patrimonial Web... 4 2.1. Login... 4 3. Inventário...

Leia mais

WMSL Warehouse Management System Lite

WMSL Warehouse Management System Lite WMSL Warehouse Management System Lite Tela Inicial Esta é a tela inicial do sistema WMSL (Warehouse Management System - Lite) da Logistock. Cadastro Administrativo Pesquisa Movimentação Encerrar Cadastro

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 Versão: 01 Data de aprovação: 7 de outubro de 2014. Ato de aprovação: Resolução n.º 112 /2014 Unidade

Leia mais

COMUNICADO SIAD - PORTAL DE COMPRAS 28/2010

COMUNICADO SIAD - PORTAL DE COMPRAS 28/2010 SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO Rua Bernardo Guimarães, 2731 Santo Agostinho - CEP: 30140-082 Belo Horizonte - MG COMUNICADO SIAD - PORTAL DE COMPRAS 28/2010 MÓDULO: Material de Consumo ASSUNTO:

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Instrução Normativa CGM Nº 003/2013. Ementa: Dispõe sobre os procedimentos de recebimento, armazenagem, distribuição e controle de entradas e saídas de materiais de consumo no Almoxarifado Central da Administração

Leia mais

ÍNDICE. Apresentação do produto Impacto no negócios Telas do sistemamódulos do sistema Mobilize Stock Mobilize Store A Handcom Contato

ÍNDICE. Apresentação do produto Impacto no negócios Telas do sistemamódulos do sistema Mobilize Stock Mobilize Store A Handcom Contato ÍNDICE Apresentação do produto Impacto no negócios Telas do sistemamódulos do sistema Mobilize Stock Mobilize Store A Handcom Contato Apresentação do produto O Mobilize é uma solução mobile modular para

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 61/2008 ESCLARECIMENTO 2

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 61/2008 ESCLARECIMENTO 2 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento 2 Referência: Pregão Eletrônico n. 61/2008 Data: 17/12/2008 Objeto: Contratação de empresa especializada para fornecimento de solução informatizada e integrada para o acompanhamento

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 005/2011, de 19 de setembro de 2011.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 005/2011, de 19 de setembro de 2011. 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 005/2011, de 19 de setembro de 2011. Disciplina o recebimento, a armazenagem, a estocagem e a distribuição de materiais pelos almoxarifados da UDESC. O Pró-Reitor de Administração

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade II MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade II MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM Prof. Jean Cavaleiro Unidade II MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM Introdução Vamos abordar aqui meios de armazenagem para melhor aproveitar o Pé direito, equipamentos que facilite movimentação em armazenagem

Leia mais

OPERAÇÃO LOGÍSTICA GRV SCB NAKATA

OPERAÇÃO LOGÍSTICA GRV SCB NAKATA 1. OBJETIVO Estabelecer procedimento padrão para todos os colaboradores da Irapuru que estão envolvidos na operação logística de recebimento, armazenagem e expedição do fornecedor DANA SCB e DANA NAKATA

Leia mais

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns WMS Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Informática Aplicada a Logística Profº Breno Amorimsexta-feira, 11 de setembro de 2009 Agenda

Leia mais

Prefeitura Municipal de Brejetuba

Prefeitura Municipal de Brejetuba INSTRUÇÃO NORMATIVA - SPA Nº 005/2013. DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS DE RECEBIMENTO, ARMAZENAGEM, DISTRIBUIÇÃO E CONTROLE DE ENTRADAS E SAÍDAS DE MATERIAIS DE CONSUMO NO ALMOXARIFADO. Versão: 01 Aprovação

Leia mais

Não há documentação de referência para o processo.

Não há documentação de referência para o processo. Código: MAN-SADM-004 Versão: 00 Data de Aprovação: 24/05/2010 Elaborado por: Coordenadoria de Serviços Gerais Aprovado por: Secretaria Administrativa 1 Objetivo Estabelecer os critérios e os procedimentos

Leia mais

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem e controle Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem Armazenagem e manuseio de mercadorias são componentes essenciais do conjunto de atividades logísticas.seus custos podem absorver

Leia mais

Instrução Normativa nº 02/CI/2013

Instrução Normativa nº 02/CI/2013 Instrução Normativa nº 02/CI/2013 Dispõe sobre os procedimentos de recebimento, armazenagem, distribuição e controle de entradas e saídas de materiais de consumo e permanentes no Almoxarifado da Administração

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP

MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP Pouso Alegre MG 2013 SUMÁRIO 1. Introdução.... 6 2. Efetuar Entrada de Material.... 8 2.1. Entrada de Material por Compra.... 8 2.1.1. Cadastro de Empenho...

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE RONDONÓPOLIS Estado de Mato Grosso

CÂMARA MUNICIPAL DE RONDONÓPOLIS Estado de Mato Grosso INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL- Nº. 002/2013- Versão 02 Unidade Responsável: Secretaria Legislativa de Administração Unidade Executora: Setor de Material e Patrimônio Aprovação em: 24/01/13 Dispõe sobre os procedimentos

Leia mais

CONTROLE PATRIMONIAL ÍNDICE

CONTROLE PATRIMONIAL ÍNDICE ÍNDICE 00 FOLHA 01 05/98 ASSUNTO FOLHA GENERALIDADES 01 01/02 NORMAS GERAIS 02 01/01 SOLICITAÇÃO DE BENS MÓVEIS 03 01/01 CADASTRAMENTO E TOMBAMENTO DE BENS MÓVEIS 04 01/02 CONTROLE DA MOVIMENTAÇÃO DE BENS

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO

SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO Órgão/Setor SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO Rua Bernardo Guimarães, 2731. Tel.: (31) 3290-4600 CEP: 30.180-140 Belo Horizonte Minas Gerais Brasil CGC: 18.715.607 / 0001-13 Inscrição Estadual:

Leia mais

INVENTÁRIO ANUAL. Exercício 2011. Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes

INVENTÁRIO ANUAL. Exercício 2011. Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes INVENTÁRIO ANUAL Exercício 2011 Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes Elaboração: Fernando de Souza Guimarães : 3409-4674 / 3409-4675 : dimat@dsg.ufmg.br Belo Horizonte, 2011 SUMÁRIO

Leia mais

E&L ERP Almoxarifado

E&L ERP Almoxarifado Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: Prevendo todas as rotinas necessárias ao bom funcionamento da administração de materiais, o produz automaticamente as médias

Leia mais

WMS Warehouse Management System

WMS Warehouse Management System WMS Warehouse Management System [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email] MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA Material Desenvolvido para a Célula Materiais

Leia mais

DECRETO EXECUTIVO Nº. 100/2009

DECRETO EXECUTIVO Nº. 100/2009 DECRETO EXECUTIVO Nº. 100/2009 Homologa a Instrução Normativa do Sistema de Controle de Almoxarifado SCA N.º 001/2009 VERSÃO 01/2009, que dispõe sobre os procedimentos de Controle do Almoxarifado da Prefeitura

Leia mais

REDE CONCEPCIONISTA DE ENSINO

REDE CONCEPCIONISTA DE ENSINO REDE CONCEPCIONISTA DE ENSINO SETOR: ALMOXARIFADO MANUAL DE PROCESSOS MP = Manual de Processos 1 Nº DOC.: MP 11 FOLHA: 2/10 MATRIZ DE PROCESSOS E ATIVIDADES Missão: Apoiar a Direção Geral e Administrativa

Leia mais

Controle Patrimonial WEB

Controle Patrimonial WEB Cccc Controle Patrimonial WEB Manual Inventário Conteúdo. Introdução... 3 2. Inventário... 3 2.. Abertura do inventário... 4 2.2. Relatório para Inventário... 5 2.2.. Contagem física e verificação do estado

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Suprimentos. Controle de Estoque

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Suprimentos. Controle de Estoque Módulo Suprimentos Controle de Estoque Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Suprimentos Controle de Estoque. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

A respeito da administração de recursos materiais, julgue os itens que se seguem.

A respeito da administração de recursos materiais, julgue os itens que se seguem. ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS Prof. Vinicius Motta A respeito da administração de recursos materiais, julgue os itens que se seguem. 1 - ( CESPE / ANS / 2013 / TÉCNICO ADMINISTRATIVO ) Nos dias atuais,

Leia mais

Inventário 2014 Manual de Procedimentos

Inventário 2014 Manual de Procedimentos Inventário 2014 Manual de Procedimentos O Inventário anual de bens móveis Conforme está previsto na legislação vigente (Instrução Normativa 205/88), é obrigatório aos gestores das Unidades responsáveis

Leia mais

GERENCIAMENTO DE MATERIAIS HOSPITALARES. Farm. Tatiana Rocha Santana 1 Coordenadora de Suprimentos do CC

GERENCIAMENTO DE MATERIAIS HOSPITALARES. Farm. Tatiana Rocha Santana 1 Coordenadora de Suprimentos do CC GERENCIAMENTO DE MATERIAIS HOSPITALARES Farm. Tatiana Rocha Santana 1 Coordenadora de Suprimentos do CC DEFINIÇÕES GERENCIAR Ato ou efeito de manter a integridade física e funcional para algo proposta

Leia mais

Metodologia de Avaliação de Fornecedores (Parte I)

Metodologia de Avaliação de Fornecedores (Parte I) Metodologia de Avaliação de Fornecedores (Parte I) Diretoria Central de Licitações e Contratos Superintendência de Recursos Logísticos e Patrimônio SECRETÁRIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO DE MINAS

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL GESTÃO DE PATRIMÔNIO

MANUAL OPERACIONAL GESTÃO DE PATRIMÔNIO MANUAL OPERACIONAL GESTÃO DE PATRIMÔNIO ÍNDICE: CAPÍTULO 01 NORMA E PROCEDIMENTOS 1 - OBJETIVO 03 2 - VISÃO 03 3 - DISPOSIÇÕES GERAIS 03 4 - DEFINIÇÕES 03 5 - CLASSIFICAÇÃO 03 6 - PEDIDO DE MATERIAL PERMANENTE

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.04

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.04 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.04 Inventário Manual...2 Relatório de contagem...2 Contagem...3 Digitação...3 Inventário Programado...6 Gerando o lote...7 Inserindo produtos manualmente no lote...8 Consultando

Leia mais

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína CNPJ 04.709.778/000-25 SCI - 007/203 3/05/203 /8 ) DOS OBJETIVOS:.) Disciplinar e normatizar os procedimentos do Setor de Patrimônio;.2) Regulamentar o fluxo operacional de movimentação patrimonial móveis

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO ALMOXARIFADO 1 SOLICITAÇÃO DE INCLUSÃO DE NOVOS ITENS NO CADASTRO DE MATERIAIS NO SISERGE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO ALMOXARIFADO 1 SOLICITAÇÃO DE INCLUSÃO DE NOVOS ITENS NO CADASTRO DE MATERIAIS NO SISERGE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI - UFSJ INSTITUÍDA PELA LEI N O 10.425, DE 19/04/2002 D.O.U. DE 22/04/2002 PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO - PROAD DIVISÃO DE MATERIAS E PATRIMÔNIO DIMAP MANUAL DE

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SORE Sistema Online de Reservas de Equipamento. Toledo PR. Versão 2.0 - Atualização 26/01/2009 Depto de TI - FASUL Página 1

MANUAL DO USUÁRIO SORE Sistema Online de Reservas de Equipamento. Toledo PR. Versão 2.0 - Atualização 26/01/2009 Depto de TI - FASUL Página 1 MANUAL DO USUÁRIO SORE Sistema Online de Reservas de Equipamento Toledo PR Página 1 INDICE 1. O QUE É O SORE...3 2. COMO ACESSAR O SORE... 4 2.1. Obtendo um Usuário e Senha... 4 2.2. Acessando o SORE pelo

Leia mais

Manual para Transportadoras

Manual para Transportadoras Índice 1 Objetivo... 3 2 O Projeto e-suprir... 3 3 Introdução... 3 4 Informações Básicas... 4 4.1 Painel de Controle Compras... 4 5 Acessando o Pedido... 5 6 Digitando o Espelho de Nota Fiscal... 7 6.1

Leia mais

Profa. Marinalva Barboza. Unidade IV RECURSOS MATERIAIS E

Profa. Marinalva Barboza. Unidade IV RECURSOS MATERIAIS E Profa. Marinalva Barboza Unidade IV RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS Custos dos estoques Para manter estoque, é necessário: quantificar; identificar. Quanto custa manter estoque? Quais os custos envolvidos

Leia mais

GERENCIAR ATENDIMENTO A EQUIPAMENTOS DE TI 1 OBJETIVO

GERENCIAR ATENDIMENTO A EQUIPAMENTOS DE TI 1 OBJETIVO Proposto por: Equipe da Divisão de Equipamentos de TI (DIETI) Analisado por: Departamento de Suporte e Atendimento (DEATE) Aprovado por: Diretor-Geral da Diretoria-Geral de Tecnologia da Informação (DGTEC)

Leia mais

Administração Materiais X Distribuição Física

Administração Materiais X Distribuição Física ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS AULA PARA A TURMA DE ADMINISTRAÇÃO 2010 2 Administração Materiais X Distribuição Física A é o inverso da Distribuição Física Trata do fluxo de produtos para a empresa ao invés

Leia mais

Unidade IV. Processo de inventário (Típico) Definir duplas de inventários. Aguardar segunda contagem. Não. Segunda dupla?

Unidade IV. Processo de inventário (Típico) Definir duplas de inventários. Aguardar segunda contagem. Não. Segunda dupla? GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Unidade IV 4 PROCESSO DE INVENTÁRIO FÍSICO Para Martins (0), consiste na contagem física dos itens de estoque. Caso haja diferenças entre o inventário físico

Leia mais

Mobility Gestão Mobility Gestão Guia de Vendas 07/01/2009

Mobility Gestão Mobility Gestão Guia de Vendas 07/01/2009 Mobility Gestão Guia de Vendas 07/01/2009 O Mobility Gestão é um software de retaguarda para o segmento de Varejo, visando o controle total do estoque e movimentações de venda. Desenvolvido para trabalhar

Leia mais

(HOJE É FEITO POR PETICIONAMENTO ELETRÔNICO NO SITE DA ANVISA)

(HOJE É FEITO POR PETICIONAMENTO ELETRÔNICO NO SITE DA ANVISA) ANEXO I Solicitação de Autorização de Funcionamento de Empresas Distribuidoras de Produtos Farmacêuticos (HOJE É FEITO POR PETICIONAMENTO ELETRÔNICO NO SITE DA ANVISA) A empresa interessada em desenvolver

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A respeito das normas brasileiras de contabilidade, julgue os itens a seguir. 51 Considere que determinada entidade, que passava por uma auditoria independente, tenha contratado

Leia mais

PDF created with pdffactory trial version www.pdffactory.com PORTARIA Nº 176/2007/GBSES

PDF created with pdffactory trial version www.pdffactory.com PORTARIA Nº 176/2007/GBSES PORTARIA Nº 76/007/GBSES O SECRETÁRIO DE ESTADO DE SAÚDE, no uso das atribuições legais, e Considerando a Portaria nº 80 de 08 de outubro de 998, da Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da

Leia mais

ÍNDICE. Manual do COMPRASNET Versão 1 Jan/2002 2

ÍNDICE. Manual do COMPRASNET Versão 1 Jan/2002 2 ÍNDICE ÍNDICE...2 1. Introdução...3 2. Navegando pela área de livre acesso...4 3. Navegando pela área de ACESSO SEGURO...6 A. Instalando o Certificado de Segurança...6 B. Fazendo Cadastramento nos Serviços

Leia mais

Armazenagem e Movimentação de Materiais II

Armazenagem e Movimentação de Materiais II Tendências da armazenagem de materiais Embalagem: classificação, arranjos de embalagens em paletes, formação de carga paletizada, contêineres Controle e operação do armazém Equipamentos de movimentação

Leia mais

Ajuda On-line - Sistema de Central de Materiais Esterilizados. Versão 1.0

Ajuda On-line - Sistema de Central de Materiais Esterilizados. Versão 1.0 Ajuda On-line - Sistema de Central de Materiais Esterilizados Versão 1.0 Sumário Central de Materiais Esterilizados 3 1 Manual... de Processos - Central de Materiais Esterilizados 4 Fluxos do... Processo

Leia mais

Manutenir os equipamentos de informática do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJERJ) que não pertencem a contrato de garantia.

Manutenir os equipamentos de informática do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJERJ) que não pertencem a contrato de garantia. Proposto por: Equipe da Divisão de Equipamentos de TI (DIETI) Analisado por: Departamento de Suporte e Atendimento (DEATE) Aprovado por: Diretor Geral da Diretoria Geral de Tecnologia da Informação (DGTEC)

Leia mais

DECISÃO TÉCNICA DT-124/2007 R-00

DECISÃO TÉCNICA DT-124/2007 R-00 /27 R- RECEBIMENTO, ARMAZENAMENTO, EXPEDIÇÃO E CONTROLE DE MATERIAIS DE ESTOQUE NAS DOCUMENTO NORMATIVO I MAR/27 Í N D I C E 1 OBJETIVO...1 2 DISPOSIÇÕES GERAIS...1 2.1 APLICAÇÃO...1 2.2 RESPONSABILIDADE...1

Leia mais

SISTEMA DE INSUMOS ESTRATÉGICOS SIES

SISTEMA DE INSUMOS ESTRATÉGICOS SIES SISTEMA DE INSUMOS ESTRATÉGICOS SIES ÁREA PRAGUICIDA AJUSTE DE ESTOQUE E MOVIMENTAÇÃO DE INSUMOS Para a realização da gestão dos insumos estratégicos no sistema SIES, faz-se necessário, inicialmente, conferir

Leia mais

O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS

O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS Gestão Estratégica de Estoques/Materiais Prof. Msc. Marco Aurélio C. da Silva Data: 22/08/2011 O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS 2 1 GESTÃO DE ESTOQUE Demanda Adequação do Estoque Investimento Série de ações

Leia mais

Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR.

Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR. Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR. Barbara Monfroi (Unioeste) bmonfroi@gmail.com Késsia Cruz (Unioeste) kessia.cruz@hotmail.com

Leia mais

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Pós-Graduação Latu-Sensu em Gestão Integrada da Logística Disciplina: TI aplicado à Logística Professor: Mauricio Pimentel Alunos: RA Guilherme Fargnolli

Leia mais

PRESTAR MANUTENÇÃO E SUPORTE A HARDWARE

PRESTAR MANUTENÇÃO E SUPORTE A HARDWARE Proposto por: Equipe da Divisão de Equipamentos de TI (DIETI) Analisado por: Diretor do Departamento de Suporte e Atendimento (DEATE) Aprovado por: Diretor-Geral da Diretoria-Geral de Tecnologia da Informação

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM WMS WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ARMAZÉM/DEP M/DEPÓSITO WMS Software de gerenciamento de depósito que auxilia as empresas na busca de melhorias nos

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPRAS ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA BENFICENTE ESPÍRITO-SANTENSE HOSPITAL ESTADUAL JAYME SANTOS NEVES CNPJ:28.127.

REGULAMENTO DE COMPRAS ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA BENFICENTE ESPÍRITO-SANTENSE HOSPITAL ESTADUAL JAYME SANTOS NEVES CNPJ:28.127. REGULAMENTO DE COMPRAS ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA BENFICENTE ESPÍRITO-SANTENSE HOSPITAL ESTADUAL JAYME SANTOS NEVES CNPJ:28.127.926/0002-42 DATA DA IMPLANTAÇÃO 26/01/2013 Nº DE REVISÃO DATA DA ÚLTIMA REVISÃO

Leia mais

Ementa e Cronograma Programático...

Ementa e Cronograma Programático... Ementa e Cronograma Programático... AULA 01 Estratégia de Operações e Planejamento Agregado AULA 02 Planejamento e Controle de Operações AULA 03 Gestão da Demanda e da Capacidade Operacional AULA 04 Gestão

Leia mais

COMUNICADO SIAD - PORTAL DE COMPRAS 05/2013

COMUNICADO SIAD - PORTAL DE COMPRAS 05/2013 SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO Rodovia Prefeito Américo Gianetti, s/n Edifício Gerais - Bairro Serra Verde CEP: 31630-901 - Belo Horizonte - MG COMUNICADO SIAD - PORTAL DE COMPRAS 05/2013

Leia mais

FARMÁCIA BÁSICA MUNICÍPIO: UNIDADE DE SAÚDE: TERMO DE VISTORIA - AQUISIÇÃO DE MEDICAMENTOS

FARMÁCIA BÁSICA MUNICÍPIO: UNIDADE DE SAÚDE: TERMO DE VISTORIA - AQUISIÇÃO DE MEDICAMENTOS FARMÁCIA BÁSICA MUNICÍPIO: UNIDADE DE SAÚDE: TERMO DE VISTORIA - AQUISIÇÃO DE MEDICAMENTOS Escolher aleatoriamente 0 medicamentos constantes da última aquisição realizada e comparar o preço de fábrica

Leia mais

OPERAÇÃO LOGÍSTICA CL PILKINGTON

OPERAÇÃO LOGÍSTICA CL PILKINGTON 1. OBJETIVO Estabelecer procedimento padrão, para todos os colaboradores da Irapuru que estão envolvidos na operação logística da Pilkington (OE-Operação Marcopolo) e Pilkington AGR de recebimento, armazenagem

Leia mais

CÂMPUS MEDIANEIRA MANUAL DO ALMOXARIFADO

CÂMPUS MEDIANEIRA MANUAL DO ALMOXARIFADO CÂMPUS MEDIANEIRA MANUAL DO ALMOXARIFADO Medianeira 2012 APRESENTAÇÃO O Almoxarifado é o local destinado à guarda, localização, segurança e preservação do material adquirido, adequado à sua natureza, a

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013 1. O que é Registro de Preços? PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013 O Sistema de Registro de Preços é "o conjunto de procedimentos para seleção de proposta

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0 Autor: Marco Polo Viana. Bloco Suprimentos

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0 Autor: Marco Polo Viana. Bloco Suprimentos Bloco Suprimentos Controle de Produção PCP Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Controle de Produção PCP, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas

Leia mais

Universidade Federal de Santa Maria Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares Hospital Universitário de Santa Maria

Universidade Federal de Santa Maria Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares Hospital Universitário de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares Hospital Universitário de Santa Maria Relatório de Atividades UNIDADE DE PATRIMÔNIO 2015 1 COLEGIADO EXECUTIVO EBSERH/HUSM

Leia mais

Lista de exercícios 01

Lista de exercícios 01 PARTE I Lista de exercícios 01 1. Defina os seguintes termos: entidade, atributo, valor do atributo, atributo composto, atributo multivalorado, atributo derivado, atributo-chave, domínio. 2. Explique as

Leia mais

ELABORADO: Ana Cristina Cunha

ELABORADO: Ana Cristina Cunha 1/7 1. OBJETIVO Estabelecer formulários para auxiliar na rastreabilidade dos insumos e reagentes utilizados, no registro de não conformidades e ação preventiva, no tempo de guarda dos registros pertencentes

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CAMPUS TIMÓTEO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CAMPUS TIMÓTEO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CAMPUS TIMÓTEO 1 - INTRODUÇÃO O Setor de Patrimônio do Campus Timóteo é uma extensão da Divisão de

Leia mais