I. Conjunto Elemento Pertinência

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I. Conjunto Elemento Pertinência"

Transcrição

1 TEORI DOS CONJUNTOS I. Conjunto Elemento Pertinência Conjunto, elemento e pertinência são três noções aceitas sem definição, ou seja, são noções primitivas. idéia de conjunto é praticamente a mesma que usamos na linguagem comum, isto é, conjunto é o mesmo que: agrupamento, classe, coleção. Por exemplo: - Conjunto dos planetas do sistema solar P = {Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno} Os planetas do Sistema Solar são divididos habitualmente em dois grupos: Os quatro primeiros a partir do Sol são os planetas terrestres, também chamados de telúricos ou interiores (Mercúrio, Vênus, Terra e Marte), formados principalmente por rochas e silicatos. Os quatro seguintes são os planetas jovianos ou exteriores (Júpiter, Saturno, Urano e Netuno), formado por gases. Representação feita pela Nasa do nosso sistema solar - Conjunto dos números primos positivos N = {2,3,5,7,11,...} Chamamos de elemento cada membro ou objeto que entra na formação do conjunto. Dizemos que o elemento 2 pertence ao conjunto N e escrevemos 2 N. Podemos perceber que 6 N (6 não pertence a N). É comum representarmos um conjunto por diagrama de Venn-Euler: N.2 2 N N.7 6 N.5 15 N Representamos um conjunto sempre por letras maiúscula e seus elementos por letras minúsculas. Importante: Definição: Diz-se que um número inteiro p é primo se, e somente se, p satisfaz as seguintes condições: 1) p 0 e p ± 1 2) Os únicos divisores de p são -1, +1, p e -p Curiosidade: Maior número primo Podemos afirmar que os números primos são infinitos, ou seja, não existe o maior número primo. O que se pode dizer é que o maior número primo encontrado até o momento é Este número foi descoberto em 16 de setembro de 2008, tem dígitos e foi calculado em 6 dias, com 16 processadores Intel Itanium2. É o 46º número de Mersenne (projeto que procura por números primos específicos, do tipo 2 p 1). ( mes/largest.html) 1

2 TEORI DOS CONJUNTOS II. Propriedade e Condição Consideremos a propriedade q: q: x é um número primo positivo Observe que esta propriedade é expressa pelo conjunto N acima citado: N = {2,3,5,...} Consideremos agora a condição c: c: x é um número primo positivo que satisfaz a condição x 11 Esta condição pode ser expressa pelo conjunto: W = { 11, 13, 17, 19,...} III. Conjunto Unitário Possui um único elemento. a) = {x x é um estado da região sudeste cujo nome começa com a letra M}={Minas Gerais} b) = {x N x 0} = {0} IV. Conjunto Vazio Não possui elementos. a) = {x x x}={ } b) = {x x é múltiplo de 2 e x é ímpar} = { } V. Conjunto Universo o desenvolvermos um certo assunto em Matemática, admitimos a existência de um conjunto U (conjunto Universo) ao qual pertencem todos os elementos utilizados no tal assunto. Exemplo: Seja U o conjunto dos números pares. Determine = {x U x > 10}={12,14,16,18,...} VI. Igualdade Dois conjuntos e são iguais se possuem os mesmos elementos. = x, x x ou = Exemplo: {3, 6, 7} = {7, 3, 6} = {3, 3, 6, 6, 7} 2

3 TEORI DOS CONJUNTOS VII. Subconjunto Dizemos que é subconjunto de se, e somente se, todo elemento de for também elemento de. x, x x Exemplo: Seja = {3, 6, 7} e = {1, 2, 3, 5, 6, 7, 8} então. Lembrete: lê-se: para todo ou qualquer que seja lê-se:...se, e somente se... lê-se: se...então... lê-se:...e... lê-se:...ou... lê-se: está contido lê-se: contém lê-se: está contido ou é igual lê-se: contém ou é igual VIII. Conjunto das Partes Importante : a) Ø,. b),. (reflexiva) c) ( e ) = (anti-simétrica) d) ( e C) C (transitiva) Dado um conjunto, chama-se conjunto das partes de aquele que é formado por todos os subconjuntos de. Notação: P () Em símbolos: P () = { X X } Se = Ø, o único elemento de P () é Ø, isto é : P () = { Ø} Se = {8}, os elementos de P () são Ø e {8}, isto é: P () = { Ø, {8}} Se = {1,2}, os elementos de P () são Ø, {1},{2}e {1,2}, isto é: P () = { Ø, {1},{2},{1,2}} IX. União de Conjuntos Se é um conjunto formado por n elementos, então o número de subconjuntos de ou o número de elementos de P () é 2 n. demonstração é feita por combinações: C n,0 + C n, C n,n = 2 n Definimos a união de e como o conjunto formado pelos elementos que pertencem a ou a. = { x x ou x Em diagramas, temos: a) {1,4,6} {2,3,4,7} = {1,2,3,4,6,7} b) {2,5,7} Ø = {2,5,7} Legenda: Propriedades da união: Sejam, e C conjuntos quaisquer: a) = (idempotente) b) Ø = (elemento neutro) c) = (comutativa) d) ( ) C = ( C) (associativa) 3

4 TEORI DOS CONJUNTOS X. Interseção de Conjuntos. Definimos a interseção de e como o conjunto formado pelos elementos que pertencem a e a Em diagramas, temos: = {x x e x } a) { 2,3,7,9} { 1,3,7,10} = { 3,7} b) { 2, 4,6,8} { x x é par e x 2} = { 2, 4,6,8} c) { 2,3, 7,9} { 1,5,11,10} = Legenda: Propriedades da interseção: Sejam, e C conjuntos quaisquer: a) = (idempotente) b) U = (elemento neutro) c) = (comutativa) d) ( C)= ( ) C (associativa) Conjunto disjuntos Dizemos que os conjuntos e são conjuntos disjuntos, quando =, isto é, quando os conjuntos e não têm elemento comum. XI. Diferença de Conjuntos Definimos a diferença entre dois conjuntos e como o conjunto formado pelos elementos de que não pertencem a. = {x x e x } a) { 2,3,7,9} { 1,3,7,10} = { 2,9} b) { 2,3, 7,9} = { 2,3, 7,9} c) { 2, 4, 6,8} { x x é par e x 2} = 4

5 TEORI DOS CONJUNTOS Complementar de em Dados dois conjuntos e, tais que o conjunto., definimos como complementar de em relação a Símbolo : C = C = Exemplo: Se = { x x é par e x 10} e = { 2,4,6}, então C = = { 0,8,10} Exercícios resolvidos 01)(CESGRNRIO) Se e são conjuntos, ( ) é igual a: () () (C) (D) (E) Resolução: Devemos avaliar, sempre, as quatro hipóteses: * Quando e são conjuntos disjuntos temos =, veja figura ao lado. Portanto: ( ) = =. (I) Como os conjuntos são disjuntos, então = (II). ssim, de (I) e (II), podemos concluir que ( ) = * Quando e não são disjuntos e nem subconjuntos um do outro, veja na figura 1, como fica. Portanto, na figura 2, podemos perceber que = ( ) 5

6 TEORI DOS CONJUNTOS * Quando for um subconjunto de podemos perceber, pela figura 3, que =. Portanto ( ) = =, e assim ( ) = =, pois é subconjunto de. Figura 3 * Quando for um subconjunto de, veja na figura 4, como fica. Portanto, na figura 5, podemos perceber que = = ( ) 02)(EESP-FGV) Numa pesquisa de mercado, foram entrevistadas várias pessoas acerca de suas preferências em relação a 3 produtos:, e C. Os resultados da pesquisa indicaram que: 210 pessoas compram o produto. 210 pessoas compram o produto. 250 pessoas compram o produto C. 20 pessoas compram os 3 produtos. 100 pessoas não compram nenhum dos 3 produtos. 60 pessoas compram os produtos e 70 pessoas compram os produtos e C 50 pessoas compram os produtos e C. Quantas pessoas foram entrevistadas? () 670 () 970 (C) 870 (D) 610 (E) 510 Resolução: Devemos, em primeiro lugar, representar por diagramas, os produtos, e C em forma de conjuntos. Em seguida escrever 20 na interseção central, ou seja, na interseção dos 3 conjuntos. gora, através das subtrações = 40, = 50 e = 30 vamos representar nos diagramas o número de pessoas que compram somente dois dos produtos. Finalmente, vamos representar o número de pessoas que compram somente um doa produtos: U N = C 6

7 TEORI DOS CONJUNTOS Somente o produto : 210 ( ) = = 100 Somente o produto : 210 ( ) = = 120 Somente o produto C : 250 ( ) = = 150 Sendo N o número de pessoas que não compram nenhum dos produtos, então o número de pessoas entrevistadas U é igual a soma dos valores no diagrama acima: U = = 610. Obs.: Podemos fazer uso das seguintes fórmulas: - n( ) = n( ) + n( ) n( ) - n( C) = n( ) + n( ) + n( C) n( ) n( C) n( C) + n( C) Na questão acima o uso da fórmula ficaria assim : ( ) = ( ) + ( ) + ( ) ( ) ( ) ( ) + ( ) ( ) = = n C n n n C n n C n C n C n C Como n( C) indica o número de pessoas que compraram ao menos um dos produtos e N = 100 o número de pessoas que não compraram nenhum dos produtos, então o total de pessoas entrevistadas é dado por U = = )(F.I.S.S Vassouras) Sejam os conjuntos X= { 1,2,3,4} e = { 1,2}. O conjunto tal que { 1} = X é : = e () () { 1 } (C) { 1, 2 } (D) { 1, 3, 4 } (E) X Resolução: Como { 1} =, então 1 é o único elemento comum entre os conjuntos e. Sendo =X e os elementos 3 e 4 não pertencem a, isto implica em 3 e 4 pertencerem a. Portanto os únicos elementos de são 1, 3 e 4. 04)(UFF) Considere os conjuntos representados ao lado. Represente, enumerando seus elementos, os conjuntos: a) P, Q e R b) ( ) c) ( ) d) ( ) e) ( ) P Q R P Q R P R P Q R P P R 1 Q 7

8 TEORI DOS CONJUNTOS Resolução: a) O conjunto P é representado pelos elementos envolvidos pelo círculo P. P= 3,4,5,7 { } O conjunto Q é representado pelos elementos envolvidos pelo círculo Q. Q= 1,2,3,7 { } O conjunto R é representado pelos elementos envolvidos pelo círculo R. R = 2,5,6,7 { } b) ( P Q) R = { 3,7} { 2,5,6,7} = { 3} c) ( P Q) R = { 1,2,3,4,5,7} { 2,5,6,7} = { 2,5,7} d) ( P R) P = { 2,3,4,5,6,7} { 3,4,5,7} = { 2,6} e) ( Q R) P = { 2,7} { 3,4,5,7} = { 2,3,4,5,7} 8

CONJUNTOS-REVISÃO UNIDADE SEMESTRE BLOCO TURMA

CONJUNTOS-REVISÃO UNIDADE SEMESTRE BLOCO TURMA CURSO CONJUNTOS-REVISÃO UNIDDE SEMESTRE BLOCO TURM DISCIPLIN ESTUDNTE PROFESSOR () GÊNESIS SORES RÚJO DT Responda com responsabilidade os questionários da avaliação institucional! LEMBRE-SE: avaliar com

Leia mais

Universidade Federal Fluminense ICEx Volta Redonda Introdução a Matemática Superior Professora: Marina Sequeiros

Universidade Federal Fluminense ICEx Volta Redonda Introdução a Matemática Superior Professora: Marina Sequeiros 1. Conjuntos Objetivo: revisar as principais noções de teoria de conjuntos afim de utilizar tais noções para apresentar os principais conjuntos de números. 1.1 Conjunto, elemento e pertinência Conjunto

Leia mais

Teoria dos Conjuntos. Prof. Jorge

Teoria dos Conjuntos. Prof. Jorge Teoria dos Conjuntos Conjuntos Conceitos iniciais Na teoria dos conjuntos, consideramos como primitivos os conceitos de elemento, pertinência e conjunto. Exemplos - Conjunto I. O conjunto dos alunos do

Leia mais

Um conjunto é uma coleção de objetos. Esses objetos podem ser qualquer coisa. Costumamos chamar esses objetos de elementos do conjuntos.

Um conjunto é uma coleção de objetos. Esses objetos podem ser qualquer coisa. Costumamos chamar esses objetos de elementos do conjuntos. Capítulo 1 Conjuntos 1.1 Noção de conjuntos Um conjunto é uma coleção de objetos. Esses objetos podem ser qualquer coisa. Costumamos chamar esses objetos de elementos do conjuntos. 1. Uma coleção de revista

Leia mais

Prof. a : Patrícia Caldana

Prof. a : Patrícia Caldana CONJUNTOS ESPECIAIS Conjunto Vazio O Conjunto vazio é o conjunto que não possui elementos. Para representarmos o conjunto vazio usaremos os símbolos: { } ou. Atenção: Quando os símbolos { } ou, aparecerem

Leia mais

Matemática Conjuntos - Teoria

Matemática Conjuntos - Teoria Matemática Conjuntos - Teoria 1 - Conjunto: Conceito primitivo; não necessita, portanto, de definição. Exemplo: conjunto dos números pares positivos: P = {2,4,6,8,10,12,... }. Esta forma de representar

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO. Curso Superior de Tecnologia. Aula 02 TEORIA DOS CONJUNTOS

RACIOCÍNIO LÓGICO. Curso Superior de Tecnologia. Aula 02 TEORIA DOS CONJUNTOS Aula 02 TEORIA DOS CONJUNTOS 1. Definição de Conjuntos 2. Como se representa um Conjunto 3. Subconjunto, Pertinência e Continência 4. Conjunto das Partes 5. Operação com Conjuntos 1. União ou Reunião (Conjunção)

Leia mais

Introdução à Matemática

Introdução à Matemática Universidade Estadual de Goiás Unidade Universitária de Ciências Sócio-Econômicas e Humanas de Anápolis Introdução à Matemática Conjuntos e Conjuntos Numéricos Introdução A noção de conjunto Propriedades,

Leia mais

Introdução a Teoria de Conjuntos

Introdução a Teoria de Conjuntos Aula 01 Introdução a Teoria de Conjuntos A Teoria dos Conjuntos foi criada e desenvolvida pelo Matemático russo George Cantor (1845-1918), trata-se do estudo das propriedades dos conjuntos, relações entre

Leia mais

Teoria dos Conjuntos FBV. Prof. Rossini Bezerra

Teoria dos Conjuntos FBV. Prof. Rossini Bezerra Teoria dos onjuntos FV Prof. Rossini ezerra Os resultados do trabalho de Georg Ferdinand Ludwing Phillip antor estabeleceram a teoria de conjuntos como uma disciplina matemática completamente desenvolvida

Leia mais

Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC Centro de Ciências Tecnológicas - CCT Licenciatura em Matemática

Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC Centro de Ciências Tecnológicas - CCT Licenciatura em Matemática Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC Centro de Ciências Tecnológicas - CCT Licenciatura em Matemática 2014 Na teoria dos conjuntos três noções são aceitas sem denição (noção primitiva):: Conjunto;

Leia mais

Fundamentos de Álgebra Moderna Profª Ana Paula CONJUNTOS

Fundamentos de Álgebra Moderna Profª Ana Paula CONJUNTOS Fundamentos de Álgebra Moderna Profª Ana Paula CONJUNTOS O conjunto é um conceito fundamental em todos os ramos da matemática. Intuitivamente, um conjunto é uma lista, coleção ou classe de objetods bem

Leia mais

PC Polícia Civil do Estado de São Paulo PAPILOSCOPISTA

PC Polícia Civil do Estado de São Paulo PAPILOSCOPISTA PC Polícia Civil do Estado de São Paulo PAPILOSCOPISTA Concurso Público 2016 Conteúdo Teoria dos conjuntos. Razão e proporção. Grandezas proporcionais. Porcentagem. Regras de três simples. Conjuntos numéricos

Leia mais

MATEMÁTICA. Aula 2 Teoria dos Conjuntos. Prof. Anderson

MATEMÁTICA. Aula 2 Teoria dos Conjuntos. Prof. Anderson MATEMÁTICA Aula 2 Teoria dos Conjuntos Prof. Anderson CONCEITO Na teoria dos conjuntos, um conjunto é descrito como uma coleção de objetos bem definidos. Estes objetos são chamados de elementos ou membros

Leia mais

Introdução à astronomia O Sistema Solar

Introdução à astronomia O Sistema Solar Introdução à astronomia O Sistema Solar Introdução a astronomia A Lua A Terra Viver na Terra Introdução a Astronomia Astronomia é a ciência que estuda os astros e os fenômenos celestes. Universo é o conjunto

Leia mais

Conjuntos. 1 Conceitos primitivos. representação de um conjunto. 2.1 REPRESENTAÇÃO TABULAR. 2.2 Representação por Diagrama de Venn- Euler

Conjuntos. 1 Conceitos primitivos. representação de um conjunto. 2.1 REPRESENTAÇÃO TABULAR. 2.2 Representação por Diagrama de Venn- Euler MT I Prof. Gustavo dolfo Soares Conjuntos a) 1 Conceitos primitivos Os conceitos que iniciam uma teoria são aceitos sem definição, pois, não existindo ainda a teoria, não há recurso para definí-los; por

Leia mais

Bases Matemáticas. Definição ingênua de conjunto. Aula 3 Conjuntos. Rodrigo Hausen

Bases Matemáticas. Definição ingênua de conjunto. Aula 3 Conjuntos. Rodrigo Hausen 1 ases Matemáticas ula 3 Conjuntos Rodrigo Hausen v. 2012-9-26 1/14 Definição ingênua de conjunto 2 Um conjunto é uma qualquer coleção de objetos, concretos ou abstratos, sem repetição. Dado um conjunto,

Leia mais

EXERCICIOS COMPLEMENTARES OS CONJUNTOS NUMÉRICOS

EXERCICIOS COMPLEMENTARES OS CONJUNTOS NUMÉRICOS NOME: TURMA: SANTO ANDRÉ, DE DE EXERCICIOS COMPLEMENTARES OS CONJUNTOS NUMÉRICOS Conjunto dos números naturais -Representado pela letra N, este conjunto abrange todos os números inteiros positivos, incluindo

Leia mais

Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos

Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos Pode-se dizer que a é em grande parte trabalho de um único matemático: Georg Cantor (1845-1918). noção de conjunto não é suscetível de definição precisa a partir d noções mais simples, ou seja, é uma noção

Leia mais

CURSO DO ZERO. Indicamos um conjunto, em geral, com uma letra maiúscula A, B, C... e um elemento com uma letra minúscula a, b, c, d, x, y,...

CURSO DO ZERO. Indicamos um conjunto, em geral, com uma letra maiúscula A, B, C... e um elemento com uma letra minúscula a, b, c, d, x, y,... ssunto: Conjunto e Conjuntos Numéricos ssunto: Teoria dos Conjuntos Conceitos primitivos. Representação e tipos de conjunto. Operação com conjuntos. Conceitos Primitivos: CURSO DO ZERO Para dar início

Leia mais

Matemática - Módulo 1

Matemática - Módulo 1 1. Considerações iniciais Matemática - Módulo 1 TEORIA DOS CONJUNTOS O capítulo que se inicia trata de um assunto que, via-de-regra, é abordado em um plano secundário dentro dos temas que norteiam o ensino

Leia mais

Descrevendo um conjunto

Descrevendo um conjunto Conjuntos Veja os seguintes exemplos: Jogadores de um time Lista de compras Números Inteiros Alfabeto Se você está familiarizado com estes exemplos, é claro que você tem a ideia do que é um conjunto, podemos

Leia mais

Generalidades sobre conjuntos

Generalidades sobre conjuntos Generalidades sobre conjuntos E-mail: ana.boero@ufabc.edu.br Página: http://professor.ufabc.edu.br/~ana.boero Sala 512-2 - Bloco A - Campus Santo André Conjuntos e a noção de pertinência Na teoria dos

Leia mais

MAPA Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

MAPA Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento A3-AM189 16/12/2009 MAPA Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Raciocínio Lógico Brasília 2009 2009 Vestcon Editora Ltda. Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M3 Conjuntos

Matemática. Resolução das atividades complementares. M3 Conjuntos Resolução das atividades complementares Matemática M Conjuntos p. (UEMG) Numa escola infantil foram entrevistadas 8 crianças, com faia etária entre e anos, sobre dois filmes, e. Verificou-se que 4 delas

Leia mais

Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA

Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA Projeto: Fundamentos Matemáticos para Computação INTRODUÇÃO À MATEMÁTICA DISCRETA 2 Introdução Praticamente qualquer estudo relacionado a computação, teórico ou

Leia mais

Capítulo 2 Noções de conjuntos

Capítulo 2 Noções de conjuntos THE BRIDGEMAN/KEYSTONE Capítulo 2 Noções de conjuntos X SAIR Para representar o conjunto A formado pelos números naturais de 0 a 10, podem-se utilizar três possibilidades: 1ª forma: pela citação dos elementos.

Leia mais

Conjuntos e sua Representação

Conjuntos e sua Representação Conjuntos e sua Representação Professor: Nuno Rocha nuno.ahcor@gmail.com Conjuntos Um conjunto é o agrupamento de vários elementos que possuem características semelhantes. Exemplos de conjuntos: Países

Leia mais

Capítulo 1. Conjuntos e Relações. 1.1 Noção intuitiva de conjuntos. Notação dos conjuntos

Capítulo 1. Conjuntos e Relações. 1.1 Noção intuitiva de conjuntos. Notação dos conjuntos Conjuntos e Relações Capítulo Neste capítulo você deverá: Identificar e escrever os tipos de conjuntos, tais como, conjunto vazio, unitário, finito, infinito, os conjuntos numéricos, a reta numérica e

Leia mais

LFA. Provas formais; Indução; Sintaxe e Semântica Teoria dos Conjuntos

LFA. Provas formais; Indução; Sintaxe e Semântica Teoria dos Conjuntos LFA Provas formais; Indução; Sintaxe e Semântica Teoria dos Conjuntos Técnicas de Demonstração Um teorema é uma proposição do tipo: p q a qual, prova-se, é verdadeira sempre que: p q Técnicas de Demonstração

Leia mais

ÁLGEBRA. AULA 1 _ Conjuntos Professor Luciano Nóbrega. Maria Auxiliadora

ÁLGEBRA. AULA 1 _ Conjuntos Professor Luciano Nóbrega. Maria Auxiliadora 1 ÁLGEBRA AULA 1 _ Conjuntos Professor Luciano Nóbrega Maria Auxiliadora 2 Pode-se dizer que a é, em grande parte, trabalho de um único matemático: Georg Cantor (1845-1918). A noção de conjunto não é suscetível

Leia mais

Matemática I Conjuntos Conjuntos Numéricos. Prof.: Joni Fusinato 1

Matemática I Conjuntos Conjuntos Numéricos. Prof.: Joni Fusinato  1 Matemática I Conjuntos Conjuntos Numéricos Prof.: Joni Fusinato joni.fusinato@ifsc.edu.br jfusinato@gmail.com 1 Teoria dos Conjuntos Teoria matemática dedicada ao estudo da associação entre objetos com

Leia mais

Também podemos representar um conjunto por meio de uma figura chamada diagrama de Venn (John Venn, lógico inglês, ).

Também podemos representar um conjunto por meio de uma figura chamada diagrama de Venn (John Venn, lógico inglês, ). O que é conjunto Frequentemente usamos a noção de conjunto. Assim, ao organizar a lista de amigos para uma festa, ao preparar o material escolar ou, então, ao formar um time, estamos constituindo conjuntos.

Leia mais

Conjuntos. Notações e Símbolos

Conjuntos. Notações e Símbolos Conjuntos A linguagem de conjuntos é interessante para designar uma coleção de objetos. Quando os estatísticos selecionam indivíduos de uma população eles usam a palavra amostra, frequentemente. Todas

Leia mais

Existem conjuntos em todas as coisas e todas as coisas são conjuntos de outras coisas.

Existem conjuntos em todas as coisas e todas as coisas são conjuntos de outras coisas. MÓDULO 3 CONJUNTOS Saber identificar os conjuntos numéricos em diferentes situações é uma habilidade essencial na vida de qualquer pessoa, seja ela um matemático ou não! Podemos dizer que qualquer coisa

Leia mais

Conjunto, elemento e pertinência entre elemento e conjunto são noções primitivas, ou seja, conceitos iniciais para os quais não há definição.

Conjunto, elemento e pertinência entre elemento e conjunto são noções primitivas, ou seja, conceitos iniciais para os quais não há definição. CONJUNTOS 1. NOÇÕES PRIMITIVAS E NOTAÇÃO Conjunto, elemento e pertinência entre elemento e conjunto são noções primitivas, ou seja, conceitos iniciais para os quais não há definição. Um conjunto costuma

Leia mais

Tópicos de Matemática. Teoria elementar de conjuntos

Tópicos de Matemática. Teoria elementar de conjuntos Tópicos de Matemática Lic. em Ciências da Computação Teoria elementar de conjuntos Carla Mendes Dep. Matemática e Aplicações Universidade do Minho 2010/2011 Tóp. de Matemática - LCC - 2010/2011 Dep. Matemática

Leia mais

Em Matemática existem situações em que há necessidade de distinguir dois pares pela ordem dos elementos. Por exemplo, no sistema de equações

Em Matemática existem situações em que há necessidade de distinguir dois pares pela ordem dos elementos. Por exemplo, no sistema de equações UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA Relações Prof.: Rogério Dias

Leia mais

Conjunto Quociente e Classe de Equivalência (Alguns Exemplos e Definições)

Conjunto Quociente e Classe de Equivalência (Alguns Exemplos e Definições) Exemplos Definições Conjunto Quociente e Classe de Equivalência (Alguns Exemplos e Definições) Matemática Elementar - EAD Departamento de Matemática Universidade Federal da Paraíba 4 de setembro de 2014

Leia mais

Aulas 10 e 11 / 18 e 20 de abril

Aulas 10 e 11 / 18 e 20 de abril 1 Conjuntos Aulas 10 e 11 / 18 e 20 de abril Um conjunto é uma coleção de objetos. Estes objetos são chamados de elementos do conjunto. A única restrição é que em geral um mesmo elemento não pode contar

Leia mais

2 - Conjunto: conceito primitivo; não necessita, portanto, de definição. Exemplo: conjunto dos números pares positivos: P = {2,4,6,8,10,12,... }.

2 - Conjunto: conceito primitivo; não necessita, portanto, de definição. Exemplo: conjunto dos números pares positivos: P = {2,4,6,8,10,12,... }. ASSUNTO DE MATEMATICA=CONJUNTOS REAIS E ETC. 2 - Conjunto: conceito primitivo; não necessita, portanto, de definição. Exemplo: conjunto dos números pares positivos: P = {2,4,6,8,10,12,... }. Esta forma

Leia mais

Lista de Exercícios - Conjuntos

Lista de Exercícios - Conjuntos 01) (UFE) e e são dois conjuntos não vazios e é o conjunto vazio, é verdade que, das afirmações: I. = { } II. ( ) ( ) = ( ) ( ) III. { } = {} {} IV. {,, } são verdadeiras somente: a) I e II d) III e IV

Leia mais

NOÇÃO INTUITIVA E OPERAÇÕES COM CONJUNTOS

NOÇÃO INTUITIVA E OPERAÇÕES COM CONJUNTOS NOÇÃO INTUITIVA E OPERAÇÕES COM CONJUNTOS CONJUNTO: É um conceito primitivo associado à idéia de coleção.. - INDICAÇÃO: Os conjuntos serão, em geral, indicados por letras maiúsculas do alfabeto: A,B,C,...,

Leia mais

Relações. Relações. {1, 2} = {2, 1}, {3, -1} = {-1, 3}, {a, b} = {b, a}.

Relações. Relações. {1, 2} = {2, 1}, {3, -1} = {-1, 3}, {a, b} = {b, a}. UNIVERSIDDE DO ESTDO DE MTO GROSSO CMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FCULDDE DE CIÊNCIS EXTS E TECNOLÓGICS CURSO DE ENGENHRI CIVIL DISCIPLIN: FUNDMENTOS DE MTEMÁTIC Relações. Par ordenado Em Matemática eistem

Leia mais

A ordem em que os elementos se apresentam em um conjunto não é levada em consideração. Há

A ordem em que os elementos se apresentam em um conjunto não é levada em consideração. Há 1 Produto Cartesiano Par Ordenado A ordem em que os elementos se apresentam em um conjunto não é levada em consideração. Há casos entretanto em que a ordem é importante. Daí a necessidade de se introduzir

Leia mais

Teoria Elementar dos Conjuntos

Teoria Elementar dos Conjuntos Teoria Elementar dos Conjuntos Este capítulo visa oferecer uma breve revisão sobre teoria elementar dos conjuntos. Além de conceitos básicos importantes em matemática, a sua imprtância reside no fato da

Leia mais

DISCIPLINA: MATEMÁTICA BÁSICA PROF. ELIONARDO ROCHELLY TEC. ALIMENTOS TEC. SISTEMAS INTERNET MATUTINO/VESPERTINO

DISCIPLINA: MATEMÁTICA BÁSICA PROF. ELIONARDO ROCHELLY TEC. ALIMENTOS TEC. SISTEMAS INTERNET MATUTINO/VESPERTINO DISCIPLINA: MATEMÁTICA BÁSICA PROF. ELIONARDO ROCHELLY TEC. ALIMENTOS TEC. SISTEMAS INTERNET MATUTINO/VESPERTINO Conjuntos A noção de conjunto em Matemática é praticamente a mesma utilizada na linguagem

Leia mais

Matemática A Extensivo V. 2

Matemática A Extensivo V. 2 GRITO Matemática Extensivo V. Exercícios 0) a) Verdadeira. e são elementos de. b) Verdadeira. Pois {} é elemento de. c) Verdadeira. Pois não é elemento de. d) Verdadeira. Pois {} é um subconjunto de. e)

Leia mais

Slides de apoio: Fundamentos

Slides de apoio: Fundamentos Pré-Cálculo ECT2101 Slides de apoio: Fundamentos Prof. Ronaldo Carlotto Batista 23 de fevereiro de 2017 Conjuntos Um conjunto é coleção de objetos, chamados de elememtos do conjunto. Nomeraremos conjuntos

Leia mais

RLM - PROFESSOR CARLOS EDUARDO AULA 3

RLM - PROFESSOR CARLOS EDUARDO AULA 3 AULA 3 Sucessões = sequências(numéricas) São conjuntos de números reais dispostos numa certa ordem. Uma sequência pode ser FINITA ou INFINITA. Ex: a) (3, 6, 9, 12) sequência finita P.A de razão 3 b) (5,

Leia mais

Números Reais. Víctor Arturo Martínez León b + c ad + bc. b c

Números Reais. Víctor Arturo Martínez León b + c ad + bc. b c Números Reais Víctor Arturo Martínez León (victor.leon@unila.edu.br) 1 Os números racionais Os números racionais são os números da forma a, sendo a e b inteiros e b 0; o conjunto b dos números racionais

Leia mais

Probabilidade I. Departamento de Estatística. Universidade Federal da Paraíba. Prof. Tarciana Liberal (UFPB) Aula 2 08/11 1 / 25

Probabilidade I. Departamento de Estatística. Universidade Federal da Paraíba. Prof. Tarciana Liberal (UFPB) Aula 2 08/11 1 / 25 Probabilidade I Departamento de Estatística Universidade Federal da Paraíba Prof. Tarciana Liberal (UFPB) Aula 2 08/11 1 / 25 Prof. Tarciana Liberal (UFPB) Aula 2 08/11 2 / 25 Para apresentar os conceitos

Leia mais

Definição: Todo objeto parte de um conjunto é denominado elemento.

Definição: Todo objeto parte de um conjunto é denominado elemento. 1. CONJUNTOS 1.1. TEORIA DE CONJUNTOS 1.1.1. DEFINIÇÃO DE CONJUNTO Definição: Conjunto é toda coleção de objetos. Uma coleção de números é um conjunto. Uma coleção de letras é um conjunto. Uma coleção

Leia mais

MATEMÁTICA AULA 4 ÁLGEBRA CONJUNTOS. Conjunto é um conceito primitivo, e portanto, não tem definição.

MATEMÁTICA AULA 4 ÁLGEBRA CONJUNTOS. Conjunto é um conceito primitivo, e portanto, não tem definição. 1 - Conceito de Conjunto MATEMÁTICA AULA 4 ÁLGEBRA CONJUNTOS Conjunto é um conceito primitivo, e portanto, não tem definição. Representação O conjunto pode ser representado de três maneiras diferentes:

Leia mais

Geometria Analítica. Cleide Martins. Turmas E1 e E3. DMat - UFPE Cleide Martins (DMat - UFPE ) VETORES Turmas E1 e E3 1 / 22

Geometria Analítica. Cleide Martins. Turmas E1 e E3. DMat - UFPE Cleide Martins (DMat - UFPE ) VETORES Turmas E1 e E3 1 / 22 Geometria Analítica Cleide Martins DMat - UFPE - 2017.1 Turmas E1 e E3 Cleide Martins (DMat - UFPE - 2017.1) VETORES Turmas E1 e E3 1 / 22 Objetivos 1 Entender a denição de VETOR 2 Aprender a somar dois

Leia mais

Aula 1 Conjuntos. Meta. Introduzir as noções básicas de conjunto e produto cartesiano de. conjuntos. Objetivos

Aula 1 Conjuntos. Meta. Introduzir as noções básicas de conjunto e produto cartesiano de. conjuntos. Objetivos Conjuntos AULA 1 Aula 1 Conjuntos Meta conjuntos. Introduzir as noções básicas de conjunto e produto cartesiano de Objetivos Ao final desta aula, você deve ser capaz de: Definir as noções básicas de conjunto

Leia mais

n. 25 DIAGRAMAS DE VENN

n. 25 DIAGRAMAS DE VENN n. 25 DIAGRAMAS DE VENN Foi o matemático inglês John Venn (1834-1923) que criou os diagramas, com o intuito de facilitar a compreensão na relação de união e intersecção entre conjuntos. John Venn desenvolveu

Leia mais

Chama-se conjunto dos números naturais símbolo N o conjunto formado pelos números. OBS: De um modo geral, se A é um conjunto numérico qualquer, tem-se

Chama-se conjunto dos números naturais símbolo N o conjunto formado pelos números. OBS: De um modo geral, se A é um conjunto numérico qualquer, tem-se UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA Conjuntos Numéricos Prof.:

Leia mais

[ ] EXEMPLOS: Muitas vezes precisamos montar uma Matriz a partir de uma lei geral. Analise os exemplos a seguir:

[ ] EXEMPLOS: Muitas vezes precisamos montar uma Matriz a partir de uma lei geral. Analise os exemplos a seguir: MATRIZES CONCEITO: Um conjunto de elementos algébricos dispostos em uma tabela retangular com linhas e colunas é uma Matriz. A seguir, vemos um exemplo de Matriz de 3 linhas e 4 colunas, e que representaremos

Leia mais

Operações entre conjuntos

Operações entre conjuntos Operações entre conjuntos June 6, 2015 Um fabricante de cosméticos decide produzir três diferentes catálogos de seus produtos, visando a públicos distintos. Como alguns produtos estarão presentes em mais

Leia mais

TEORIA DOS CONJUNTOS. Professor: Marcelo Silva Natal - RN, agosto de 2013.

TEORIA DOS CONJUNTOS. Professor: Marcelo Silva Natal - RN, agosto de 2013. TEORIA DOS CONJUNTOS Professor: Marcelo Silva marcelo.silva@ifrn.edu.br Natal - RN, agosto de 2013. 1 INTRODUÇÃO Um funcionário do departamento de seleção de pessoal de uma indústria automobilística, analisando

Leia mais

Notas de Aulas 1 - Conjuntos Prof Carlos A S Soares

Notas de Aulas 1 - Conjuntos Prof Carlos A S Soares Notas de Aulas 1 - Conjuntos Prof Carlos A S Soares 1 Preliminares Neste curso não temos a pretensão de apresentar a teoria de conjuntos e seus axiomas, tão somente pretendemos apresentar um pequeno esboço

Leia mais

Matéria: Matemática Assunto: Teoria dos Conjuntos Prof. Dudan

Matéria: Matemática Assunto: Teoria dos Conjuntos Prof. Dudan Matéria: Matemática Assunto: Teoria dos Conjuntos Prof. Dudan Matemática Teoria dos Conjuntos (Linguagem dos Conjuntos) Conjunto é um conceito primitivo, isto é, sem definição, que indica agrupamento

Leia mais

Aula 3 Vetores no espaço

Aula 3 Vetores no espaço MÓDULO 1 - AULA 3 Aula 3 Vetores no espaço Objetivos Ampliar a noção de vetor para o espaço. Rever as operações com vetores e sua representação em relação a um sistema ortogonal de coordenadas cartesianas.

Leia mais

Material Teórico - Módulo: Vetores em R 2 e R 3. Operações Envolvendo Vetores. Terceiro Ano - Médio

Material Teórico - Módulo: Vetores em R 2 e R 3. Operações Envolvendo Vetores. Terceiro Ano - Médio Material Teórico - Módulo: Vetores em R 2 e R 3 Operações Envolvendo Vetores Terceiro Ano - Médio Autor: Prof. Angelo Papa Neto Revisor: Prof. Antonio Caminha M. Neto 1 Adição de vetores Na aula anterior

Leia mais

Definição: Um ou mais elementos que tenham características iguais ou atendam a uma regra que lhes permitam fazer parte de um mesmo meio.

Definição: Um ou mais elementos que tenham características iguais ou atendam a uma regra que lhes permitam fazer parte de um mesmo meio. CONJUNTOS Definição: Um ou mais elementos que tenham características iguais ou atendam a uma regra que lhes permitam fazer parte de um mesmo meio. Exemplos: A = {a, e, i, o, u} (conjunto das vogais do

Leia mais

CURSO INTRODUTÓRIO DE MATEMÁTICA PARA ENGENHARIA Conjuntos. Rafael Carvalho 7º Período Engenharia Civil

CURSO INTRODUTÓRIO DE MATEMÁTICA PARA ENGENHARIA Conjuntos. Rafael Carvalho 7º Período Engenharia Civil CURSO INTRODUTÓRIO DE MATEMÁTICA PARA ENGENHARIA 2016.2 Conjuntos Rafael Carvalho 7º Período Engenharia Civil Definição Noção intuitiva: São coleções de elementos da mesma espécie. - O conjunto de todos

Leia mais

Concurso Público Conteúdo

Concurso Público Conteúdo Concurso Público 2016 Conteúdo 1ª parte Números inteiros e racionais: operações (adição, subtração, multiplicação, divisão, potenciação); expressões numéricas; múltiplos e divisores de números naturais;

Leia mais

INTRODUÇÃO À TEORIA DOS CONJUNTOS

INTRODUÇÃO À TEORIA DOS CONJUNTOS 1 INTRODUÇÃO À TEORIA DOS CONJUNTOS Gil da Costa Marques 1.1 Introdução 1.2 Conceitos básicos 1.3 Subconjuntos e intervalos 1.4 O conjunto dos números reais 1.4.1 A relação de ordem em 1.5 Intervalos 1.5.1

Leia mais

Linguagens Formais e Autômatos

Linguagens Formais e Autômatos Linguagens Formais e Autômatos (notas da primeira aula 1 Definições básicas 1.1 Conjuntos Definição 1. Um conjunto é uma coleção de objetos, denominados elementos. Notação 1. Para indicar que um elemento

Leia mais

Aplicações da teoria de conjuntos álgebra booleana. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Msc. Gustavo Siqueira Vinhal 2016/1

Aplicações da teoria de conjuntos álgebra booleana. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Msc. Gustavo Siqueira Vinhal 2016/1 Aplicações da teoria de conjuntos álgebra booleana Pontifícia Universidade Católica de Goiás Msc. Gustavo Siqueira Vinhal 2016/1 CONJUNTOS Conjuntos são fundamentais para formalização de qualquer teoria.

Leia mais

Produto Cartesiano. Exemplo: Dados os conjuntos A = {5,6} e B = {2,3,4}, vamos determinar o produto cartesiano AXB;

Produto Cartesiano. Exemplo: Dados os conjuntos A = {5,6} e B = {2,3,4}, vamos determinar o produto cartesiano AXB; Produto Cartesiano Par ordenado: são dois elementos em uma ordem fixa, (x,y) Produto Cartesiano: Dados dois conjuntos A e B, não vazios, chamamos de produto cartesiano de A por B o conjunto indicado por

Leia mais

CURSO PRF 2017 MATEMÁTICA

CURSO PRF 2017 MATEMÁTICA AULA 001 1 MATEMÁTICA PROFESSOR AULA 001 MATEMÁTICA DAVIDSON VICTOR 2 AULA 01 - CONJUNTOS NUMÉRICOS CONJUNTO DOS NÚMEROS NATURAIS É o primeiro e o mais básico de todos os conjuntos numéricos. Pertencem

Leia mais

Material Teórico - Módulo de Potenciação e Dízimas Periódicas. Números Irracionais e Reais. Oitavo Ano. Prof. Ulisses Lima Parente

Material Teórico - Módulo de Potenciação e Dízimas Periódicas. Números Irracionais e Reais. Oitavo Ano. Prof. Ulisses Lima Parente Material Teórico - Módulo de Potenciação e Dízimas Periódicas Números Irracionais e Reais Oitavo Ano Prof. Ulisses Lima Parente 1 Os números irracionais Ao longo deste módulo, vimos que a representação

Leia mais

Operações com conjuntos: união, interseção e complementar

Operações com conjuntos: união, interseção e complementar PREPARATÓRIO IFRN Cargo: Auxiliar em Administração Disciplina: Matemática Professor: Daniel Almeida Operações com conjuntos: união, interseção e complementar CONJUNTOS Formado pelo agrupamento ou ausência

Leia mais

Teoria dos conjuntos

Teoria dos conjuntos Teoria dos conjuntos Zenão de Eléia, filósofo grego que viveu por volta de 45 a C., já se preocupava com o conceito de infinito ao propor a questão a seguir, conhecida como paradoxo de Zenão. Em meados

Leia mais

CÁLCULO VETORIAL E GEOMETRIA ANÁLITICA

CÁLCULO VETORIAL E GEOMETRIA ANÁLITICA CÁLCULO VETORIAL E GEOMETRIA ANÁLITICA Consideremos uma reta r e sejam A e B dois pontos de r Ao segmento de reta AB, podemos associar 2 sentidos : de A para B e de B para A Escrevemos AB para representar

Leia mais

Sumário. 1 CAPÍTULO 1 Revisão de álgebra

Sumário. 1 CAPÍTULO 1 Revisão de álgebra Sumário 1 CAPÍTULO 1 Revisão de álgebra 2 Conjuntos numéricos 2 Conjuntos 3 Igualdade de conjuntos 4 Subconjunto de um conjunto 4 Complemento de um conjunto 4 Conjunto vazio 4 Conjunto universo 5 Interseção

Leia mais

Números Naturais Representação, Operações e Divisibilidade. Múltiplos e Divisores. Tópicos Adicionais

Números Naturais Representação, Operações e Divisibilidade. Múltiplos e Divisores. Tópicos Adicionais Números Naturais Representação, Operações e Divisibilidade Múltiplos e Divisores Tópicos Adicionais Números Naturais Representação, Operações e Divisibilidade Múltiplos e Divisores 1 Exercícios Introdutórios

Leia mais

Exercícios e questões de Álgebra Linear

Exercícios e questões de Álgebra Linear CEFET/MG Exercícios e questões de Álgebra Linear Versão 1.2 Prof. J. G. Peixoto de Faria Departamento de Física e Matemática 25 de outubro de 2012 Digitado em L A TEX (estilo RevTEX). 2 I. À GUISA DE NOTAÇÃO

Leia mais

MATEMÁTICA - 3o ciclo Intervalos de números Reais (9 o ano) Propostas de resolução

MATEMÁTICA - 3o ciclo Intervalos de números Reais (9 o ano) Propostas de resolução MATEMÁTICA - 3o ciclo Intervalos de números Reais (9 o ano) Propostas de resolução Exercícios de provas nacionais e testes intermédios 1. Como o conjunto A Z tem sete elementos, os sete elemento são três

Leia mais

Noções de conjunto. Aluno (a): Data: / /

Noções de conjunto. Aluno (a): Data: / / Conjuntos Noções de conjunto Aluno (a): Data: / / Um grupo de alunos de uma mesma escola e de uma mesma turma. Você sabe o que é um conjunto? Quando escolhemos ou selecionamos coisas semelhantes, parecidas,

Leia mais

2 Igualdade e Operações com pares ordenados. 1 Conjunto R 2. 3 Vetores. 2.1 Igualdade. 1.2 Coordenadas Cartesianas no Plano

2 Igualdade e Operações com pares ordenados. 1 Conjunto R 2. 3 Vetores. 2.1 Igualdade. 1.2 Coordenadas Cartesianas no Plano 1 Conjunto R 1.1 Definição VETORES NO PLANO Representamos por R o conjunto de todos os pares ordenados de números reais, ou seja: R = {(x, y) x R y R} 1. Coordenadas Cartesianas no Plano Em um plano α,

Leia mais

1 Teoria de conjuntos e lógica

1 Teoria de conjuntos e lógica 1 Teoria de conjuntos e lógica Estes breves apontamentos dizem respeito à parte do programa dedicada à teoria de conjuntos e à lógica matemática. Embora concebidos sem grandes formalismos e com poucas

Leia mais

Notas de aula de MAC0329 Álgebra Booleana e Aplicações

Notas de aula de MAC0329 Álgebra Booleana e Aplicações Notas de aula de MAC0329 Álgebra Booleana e Aplicações Nina S. T. Hirata Depto. de Ciência da Computação IME / USP Este texto é uma referência-base para o curso de MAC0329 (Álgebra Booleana e Aplicações).

Leia mais

n. 28 RELAÇÕES BINÁRIAS ENTRE CONJUNTOS

n. 28 RELAÇÕES BINÁRIAS ENTRE CONJUNTOS n. 28 RELAÇÕES BINÁRIAS ENTRE CONJUNTOS Uma relação é um conjunto de pares ordenados, ou seja, um subconjunto de A B. Utilizando pares ordenados podemos definir relações por meio da linguagem de conjuntos.

Leia mais

Técnico Agropecuário/TO AOCP 2012

Técnico Agropecuário/TO AOCP 2012 Técnico Agropecuário/TO AOCP 2012 01. Entre um grupo de amigos existe o seguinte arranjo: Se João vai ao cinema, Maria vai para a lanchonete. Se Maria vai para a lanchonete, José vai ao cinema. Se José

Leia mais

1.1 Propriedades básicas dos números reais, axiomática dos números reais.

1.1 Propriedades básicas dos números reais, axiomática dos números reais. I - Funções reais de variável real 1. Números Reais. 1.1 - Números naturais, números relativos, números racionais e números reais. De uma forma muito simples vamos recordar os números: Números Naturais

Leia mais

OPERAÇÕES - LEIS DE COMPOSIÇÃO INTERNA

OPERAÇÕES - LEIS DE COMPOSIÇÃO INTERNA Professora: Elisandra Figueiredo OPERAÇÕES - LEIS DE COMPOSIÇÃO INTERNA DEFINIÇÃO 1 Sendo E um conjunto não vazio, toda aplicação f : E E E recebe o nome de operação sobre E (ou em E) ou lei de composição

Leia mais

MMC, MDC, TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO E GEOMETRIA. Profª Gerlaine Alves

MMC, MDC, TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO E GEOMETRIA. Profª Gerlaine Alves MMC, MDC, TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO E GEOMETRIA Profª Gerlaine Alves Múltiplos e Divisores Divisores: dizemos que um número é divisor do outro número quando a divisão for exata, ou seja, quando o resto

Leia mais

Cálculo Diferencial e Integral I

Cálculo Diferencial e Integral I Cálculo Diferencial e Integral I Texto de apoio às aulas. Amélia Bastos, António Bravo Dezembro 2010 Capítulo 1 Números reais As propriedades do conjunto dos números reais têm por base um conjunto restrito

Leia mais

Profs. Alexandre Lima e Moraes Junior 1

Profs. Alexandre Lima e Moraes Junior  1 Raciocínio Lógico-Quantitativo para Traumatizados Aula 07 Matrizes, Determinantes e Solução de Sistemas Lineares. Conteúdo 7. Matrizes, Determinantes e Solução de Sistemas Lineares...2 7.1. Matrizes...2

Leia mais

MATEMÁTICA - 3o ciclo Intervalos de números Reais (9 o ano)

MATEMÁTICA - 3o ciclo Intervalos de números Reais (9 o ano) MATEMÁTICA - 3o ciclo Intervalos de números Reais (9 o ano) Exercícios de provas nacionais e testes intermédios 1. Seja n um número natural e seja A = n,n] Z. (Z é o conjunto dos números inteiros relativos.)

Leia mais

Curso de Administração Centro de Ciências Sociais Aplicadas Universidade Católica de Petrópolis. Matemática 1. Revisão - Conjuntos e Relações v. 0.

Curso de Administração Centro de Ciências Sociais Aplicadas Universidade Católica de Petrópolis. Matemática 1. Revisão - Conjuntos e Relações v. 0. Curso de Administração Centro de Ciências Sociais Aplicadas Universidade Católica de Petrópolis Matemática 1 Revisão - Conjuntos e Relações v. 0.1 Baseado nas notas de aula de Matemática I da prof. Eliane

Leia mais

www.souvestibulando.com.br CURSO PRÉ-VESTIBULAR MATEMÁTICA AULA 2 TEORIA DOS CONJUNTOS

www.souvestibulando.com.br CURSO PRÉ-VESTIBULAR MATEMÁTICA AULA 2 TEORIA DOS CONJUNTOS 1 CURSO PRÉ-VESTIULR MTEMÁTIC UL 02 SSUNTO: TEORI DOS CONJUNTOS Esta aula é composta pelo texto da apostila abaixo e por um link de acesso à UL VIRTUL gravada. Estude com atenção o texto antes de acessar

Leia mais

Fabio Augusto Camargo

Fabio Augusto Camargo Universidade Federal de São Carlos Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Departamento de Matemática Introdução à Topologia Autor: Fabio Augusto Camargo Orientador: Prof. Dr. Márcio de Jesus Soares

Leia mais

Curso de linguagem matemática Professor Renato Tião. Relações X Funções Considere a equação x + y = 5.

Curso de linguagem matemática Professor Renato Tião. Relações X Funções Considere a equação x + y = 5. Relações X Funções Considere a equação + =. Embora esta equação tenha duas variáveis, ela possui um número finito de soluções naturais. O conjunto solução desta equação, no universo dos números naturais,

Leia mais

Números - Aula 03. Alexandre Nolasco de Carvalho Universidade de São Paulo São Carlos SP, Brazil

Números - Aula 03. Alexandre Nolasco de Carvalho Universidade de São Paulo São Carlos SP, Brazil Números - Aula 03 Alexandre Nolasco de Carvalho Universidade de São Paulo São Carlos SP, Brazil 28 de Fevereiro de 2014 Primeiro Semestre de 2014 Turma 2013106 - Engenharia Mecânica Corpos Vimos que o

Leia mais

Hewlett-Packard CONJUNTOS. Aulas 01 a 06. Elson Rodrigues, Gabriel Carvalho e Paulo Luiz

Hewlett-Packard CONJUNTOS. Aulas 01 a 06. Elson Rodrigues, Gabriel Carvalho e Paulo Luiz Hewlett-Packard CONJUNTOS Aulas 01 a 06 Elson Rodrigues, Gabriel Carvalho e Paulo Luiz Ano 2016 Sumário CONJUNTOS... 2 CONCEITOS PRIMITIVOS... 2 REPRESENTAÇÃO DE UM CONJUNTO... 2 RELAÇÃO DE PERTINÊNCIA...

Leia mais

Contando o Infinito: os Números Cardinais

Contando o Infinito: os Números Cardinais Contando o Infinito: os Números Cardinais Sérgio Tadao Martins 4 de junho de 2005 No one will expel us from the paradise that Cantor has created for us David Hilbert 1 Introdução Quantos elementos há no

Leia mais