Esgotamento do Funding Tradicional?

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Esgotamento do Funding Tradicional?"

Transcrição

1 Esgotamento do Funding Tradicional? Novos instrumentos vão vigorar no curto prazo? Gueitiro Matsuo Genso 12ª Conferência Internacional da LARES São Paulo 19 a 21 de setembro, 2012

2 Agenda Relevância no PIB - Projeção da participação do CI Déficit Habitacional Oportunidades Programas Governamentais Ameaças Situação Atual Funding SFN X BB Alternativas

3 Relevância do CI no desenvolvimento do País Mercado - RS bilhões * PIB - R$ bilhões (***) Crédito Imobiliário x PIB ** ,6% 7,7% 8,6% 9,3% 9,8% 5,3% 4,1% ,0% (*) Projeções Banco do Brasil (**) Projeção da ABECIP até 2015 e estimativa Dimob até 2020 (***) Projeção Banco do Brasil e Crescimento (soma crescimento PIB + IPCA)

4 Déficit Habitacional Sudeste 37,0% Nordeste 35,0% Sul 10,5% Norte 10,0% Centro-Oeste 7,5% Fonte: Abecip Dados de 2008

5 Oportunidades

6 Programa Minha Casa Minha Vida Objetivo: Promover a produção ou aquisição de novas unidades habitacionais, ou a requalificação de imóveis urbanos, para famílias com renda mensal de até R$ 5.000,00 Meta Governo: 2,6 milhões de unidades habitacionais (UH) Metas BB no Programa: 500 mil unidades

7 Desafios Mão de Obra qualificada Insumos à produção Funding

8 Histórico CI no Banco do Brasil

9 Evolução do CI - Banco do Brasil R$ bi 10,44 7,65 2,72 3,42 0,

10 Evolução - Market Share BB Posição - junho de 2012 Evolução - últimos 12 meses Banco A 68,80% 79% 50% Demais 2,54% Banco E 1,73% 3,85% Banco D 6,76% Banco C 7,51% Banco B 8,82% 32% 31% 32% 22% BB Banco C Banco E Banco B Banco A Banco D TARGET BB = 2º lugar no ranking nós próximos anos

11 Como o BB irá suprir a escassez do funding Poupança Projeção de elevação na captação líquida de poupança Crescimento esperado de mais de 10% a.a jan/11 fev/11 mar/11 abr/11 mai/11 jun/11 jul/11 ago/11 set/11 out/11 nov/11 dez/11 jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12

12 Como o BB irá suprir a escassez do funding Diversificação do Portfólio Lançamento de novas linhas com recursos do FGTS e ampliação da participação atual do BB no Programa Minha Casa Minha Vida Expectativa de elevação do mix de operações com recursos do FGTS de 3% para 45% em 2016 Securitização Participação do BB, pela 1ª vez, na seleção de propostas de emissão do CRI do FGTS em 2012 LCI Lançamento das Letras de Crédito Imobiliário do BB em setembro de 2012, com previsão de geração de recursos para financiar até 30% da carteira do BB em 2016

13 Alternativa ao Financiamento à Produção Desligamento de Unidades na Planta Possibilidade de financiamento as Pessoas Físicas PF durante a fase de construção do empreendimento VENDEDOR (Construtora) Realização de lucro no momento das vendas das unidades Necessidade de pequeno desembolso de recursos próprios para a construção do empreendimento Garantia que as unidades comercializadas obterão financiamento bancário (após aprovação pelo banco) Dispensa do controle de recebíveis do empreendimento Redução de custos com a cobrança aos adquirentes e inadimplentes Redução de riscos às operações com adquirentes das unidades COMPRADOR (Pessoa Física) Possibilidade de financiamento no momento da aquisição do imóvel Garantia de que os recursos serão destinados para a construção do empreendimento Segurança que a obra está sendo financiada por um agente financeiro Prestação menor durante a fase de construção Valorização do imóvel na entrega ITBI somente sobre a fração da unidade (terreno)

14 Realização de lucro para o incorporador já no início da venda 6,75% 9,01% 14,81% 22,04% 30,72% 41,26% 52,38% 65,21% 75,21% 84,39% 93,11% 100,00% Custo da Unidade Lucro

15 BB Financiamento na Planta x INCC Premissa: Perfomance de Repasse de 70% - Momento ideal de Repasse (12º mês) Empreendimento: 100 UH VGV: R$ 10 milhões (R$ 100 mil por UH) Custo de obras / Valor Financiado PJ: R$ 6 milhões Prazo de obras: 24 meses Vendas: 30% no lançamento (5% de evolução de vendas mensal) Entrada PF: 10% do valor da unidade Financiamento PF: até 80% do valor da unidade Evolução de repasse: 5% de performance ao mês (até o total de 70% repassado) INCC: 7,5% nos últimos 12 meses Taxa PJ: TR + 9,5% a.a. (TR = 0,2%a.a.) Início do Repasse: 13º mês Simulação INCC Juros PJ Resultado Plano Empresário PE - Repasse na Planta Diferença % do VGV -2,10% 2,29% 0,19% No 13º mês, a redução dos juros do PJ apresenta a maior diferença em relação à redução dos ganhos com o INCC. Momento ideal do repasse

16 BB Financiamento na Planta x INCC Premissa: Perfomance de Repasse de 70% - Início de Repasse no 6º Mês de Obras Empreendimento: 100 UH VGV: R$ 10 milhões (R$ 100 mil por UH) Custo de obras / Valor Financiado PJ: R$ 6 milhões Prazo de obras: 24 meses Vendas: 30% no lançamento (5% de evolução de vendas mensal) Entrada PF: 10% do valor da unidade Financiamento PF: até 80% do valor da unidade Evolução de repasse: 5% de performance ao mês (até o total de 70% repassado) INCC: 7,5% nos últimos 12 meses Taxa PJ: TR + 9,5% a.a. (TR = 0,2%a.a.) Início do Repasse: 13º mês Simulação INCC Juros PJ Resultado Plano Empresário PE - Repasse na Planta Diferença % do VGV -4,55% 4,35% -0,20% No 13º mês, a redução dos juros do PJ apresenta a maior diferença em relação à redução dos ganhos com o INCC. Momento ideal do repasse

17 Obrigado Gueitiro Matsuo Genso 12ª Conferência Internacional da LARES São Paulo 19 a 21 de setembro, 2012

Encontro Nacional ABC e FNSHDU Diretoria de Crédito Imobiliário

Encontro Nacional ABC e FNSHDU Diretoria de Crédito Imobiliário Encontro Nacional ABC e FNSHDU Diretoria de Crédito Imobiliário As perspectivas do mercado Relevância do CI no desenvolvimento do país Mercado - RS bilhões * PIB - R$ bilhões (***) Crédito Imobiliário

Leia mais

Diretoria de Crédito Imobiliário. Garantindo o Fluxo de Caixa do Projeto: Oportunidades na Estruturação Financeira dos Projetos Imobiliários

Diretoria de Crédito Imobiliário. Garantindo o Fluxo de Caixa do Projeto: Oportunidades na Estruturação Financeira dos Projetos Imobiliários Diretoria de Crédito Imobiliário Garantindo o Fluxo de Caixa do Projeto: Oportunidades na Estruturação Financeira dos Projetos Imobiliários As perspectivas do mercado e os números do BB Relevância do CI

Leia mais

Informações de Mercado. 15 de maio de 2013

Informações de Mercado. 15 de maio de 2013 Informações de Mercado 15 de maio de 2013 Informações de Mercado Relevância do CI no desenvolvimento do país (*) Projeções Banco do Brasil (**) Projeção da ABECIP até 2015 e estimativa Dimob até 2016 (***)

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

Crédito Imobiliário Bradesco Apresentação BBI São Paulo, 11 de abril 2017

Crédito Imobiliário Bradesco Apresentação BBI São Paulo, 11 de abril 2017 Bradesco Apresentação BBI São Paulo, 11 de abril 2017 Pilares de Sustentação 1.Ambiente Econômico 2.Funding 3.Segurança Jurídica CRÉDITO IMOBILIÁRIO 2 Ambiente Econômico 2017 Inflação Taxa de Juros Renda

Leia mais

Fórum Norte e Nordeste da Indústria da Construção - FNNIC

Fórum Norte e Nordeste da Indústria da Construção - FNNIC Fórum Norte e Nordeste da Indústria da Construção - FNNIC Março de 2013 As perspectivas do Mercado O crédito imobiliário e o PIB 4.400 (*) Projeções Banco do Brasil (**) Projeção da ABECIP até 2015 e estimativa

Leia mais

Banco Santander Brasil Negócios Imobiliários

Banco Santander Brasil Negócios Imobiliários Diretoria Executiva de Negócios Imobiliários Banco Santander Brasil Negócios Imobiliários São Paulo, 19 de setembro 2012 Brasil Cenário Econômico Favorável 2 PIB Taxa de Crescimento (%) Taxa de Juros (SELIC

Leia mais

Construção civil: balanço e perspectivas 2/12/2013

Construção civil: balanço e perspectivas 2/12/2013 Construção civil: balanço e perspectivas 2/12/2013 Balanço 2013 As expectativas eram modestas Lançamentos e vendas no mercado imobiliário voltam a crescer; Investimentos em infraestrutura crescem mais

Leia mais

Mercado Imobiliário. Celso Petrucci. Economista-Chefe do SECOVI-SP. Coletiva de Imprensa 20/02/2018

Mercado Imobiliário. Celso Petrucci. Economista-Chefe do SECOVI-SP. Coletiva de Imprensa 20/02/2018 Mercado Imobiliário Celso Petrucci Economista-Chefe do SECOVI-SP Coletiva de Imprensa 20/02/2018 1 Economia 2 Principais indicadores econômicos PIB do Brasil - Taxa de crescimento no ano 7,5% 5,8% 6,1%

Leia mais

SECOVI. Teotonio Costa Rezende. Diretor Executivo de Habitação Caixa Econômica Federal

SECOVI. Teotonio Costa Rezende. Diretor Executivo de Habitação Caixa Econômica Federal SECOVI Teotonio Costa Rezende Diretor Executivo de Habitação Caixa Econômica Federal Sumário Plano de Negócios Cenário Medidas para aumentar o crédito PMCMV Faixa 1,5 Expectativas PMCMV 2017 Histórico

Leia mais

Conjuntura Econômica e o Mercado Imobiliário

Conjuntura Econômica e o Mercado Imobiliário Conjuntura Econômica e o Mercado Imobiliário Ricardo Yazbek Vice Presidente do Secovi-SP IBAPE - 16/09/2016 Economia Produto Interno Bruto do Brasil (%) 0,5% 4,4% 1,4% 3,1% 1,1% 5,8% 3,2% 4,0% 6,1% 5,1%

Leia mais

DELEGACIA REGIONAL TRIBUTÁRIA DE

DELEGACIA REGIONAL TRIBUTÁRIA DE Fatores válidos para recolhimento em 01/08/2016 JANEIRO 3,3714 3,2396 3,0166 2,8566 2,6932 2,5122 2,3076 2,1551 1,9790 1,8411 1,7203 1,5947 FEVEREIRO 3,3614 3,2158 3,0021 2,8464 2,6807 2,4939 2,2968 2,1429

Leia mais

Evento CBIC. Brasília, 27 de Setembro de 2012

Evento CBIC. Brasília, 27 de Setembro de 2012 Evento CBIC Brasília, 27 de Setembro de 2012 Grandes Números: Perspectivas, BB e Mercado Grandes números e perspectivas BB 16% do PIB 33% 4,7% do PIB R$ 1,3 Tri 13% 11% 157% Crescimento anual de R$ 85

Leia mais

Evolução Macro Econômica Brasil

Evolução Macro Econômica Brasil Evolução Macro Econômica Brasil Fonte: IBGE Principais indicadores econômicos 7,5% 5,8% 6,1% 5,1% PIB do Brasil - Taxa de crescimento no ano 3,2% 4,0% -0,1% 3,9% 1,9% 3,0% 0,1% 1,0% 1,4% 2,5% -3,8% -3,6%

Leia mais

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-46/12

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-46/12 JANEIRO 2,7899 2,6581 2,4351 2,2751 2,1117 1,9307 1,7261 1,5736 1,3975 1,2596 1,1388 1,0132 FEVEREIRO 2,7799 2,6343 2,4206 2,2649 2,0992 1,9124 1,7153 1,5614 1,3860 1,2496 1,1288 1,0032 MARÇO 2,7699 2,6010

Leia mais

COLETIVA DE IMPRENSA. Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente. São Paulo, 25 de Julho de 2018

COLETIVA DE IMPRENSA. Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente. São Paulo, 25 de Julho de 2018 COLETIVA DE IMPRENSA Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente São Paulo, 25 de Julho de 2018 CENÁRIO MACROECONÔMICO IGMI-R AGENDA FUNDING INADIMPLÊNCIA FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO POTENCIAL DE MERCADO EXPECTATIVA

Leia mais

GDOC INTERESSADO CPF/CNPJ PLACA

GDOC INTERESSADO CPF/CNPJ PLACA Fatores válidos para recolhimento em 01/02/2017 JANEIRO 3,4634 3,3316 3,1086 2,9486 2,7852 2,6042 2,3996 2,2471 2,0710 1,9331 1,8123 1,6867 FEVEREIRO 3,4534 3,3078 3,0941 2,9384 2,7727 2,5859 2,3888 2,2349

Leia mais

Cenário macroeconômico e a construção civil 29/5/2012

Cenário macroeconômico e a construção civil 29/5/2012 Cenário macroeconômico e a construção civil 29/5/2012 O papel da construção no desenvolvimento sustentado Há cinco anos, o setor da construção iniciou um ciclo virtuoso de crescimento: Esse ciclo foi pavimentado

Leia mais

Áreas de negócio e de assistência técnica em todas UF

Áreas de negócio e de assistência técnica em todas UF São Paulo 11 AGO 11 Áreas de negócio e de assistência técnica em todas UF Até 60% 60% a 80% 80% a 100% UF META PROP. %PROP AC 3.939 4.921 125% AL 19.679 37.006 188% AM 22.238 19.127 86% AP 4.589 1.622

Leia mais

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+ CALENDÁRIO, 2015 7 A JAN. 0 QUARTA -1-0.0018 7022.5 3750.3 1 QUINTA 0 +0.0009 7023.5 3751.3 2 SEXTA 1 +0.0037 7024.5 3752.3 3 SÁBADO 2 +0.0064 7025.5 3753.3 4 DOMINGO 3 +0.0091 7026.5 3754.3 5 SEGUNDA

Leia mais

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Junho de 2010 Wilson R. Levorato Diretor Geral Brasil e a crise internacional: porque nos saímos tão bem? Onde estamos? Cenário

Leia mais

Série 34 E 35 Relatório de Acompanhamento do CRI 31-jan-14

Série 34 E 35 Relatório de Acompanhamento do CRI 31-jan-14 31-jan-14 a - Juros 6.691.919,50 a - Juros 1.672.979,81 b - Amortização 3.757.333,97 b - Amortização 939.333,65 a - Saldo atual dos CRI Seniors (984.936.461,48) b - Saldo atual dos CRI Junior (246.234.105,79)

Leia mais

abril/13 CNC -Divisão Econômica Rio de Janeiro Dezembro/2012

abril/13 CNC -Divisão Econômica Rio de Janeiro Dezembro/2012 abril/13 CNC -Divisão Econômica Rio de Janeiro Dezembro/2012 ÍNDICE DE CONFIANÇA DO EMPRESÁRIO DO COMÉRCIO Índice 127,6 126,9 126,5 Condições Atuais do Empresário do Comércio 102,2-1,1% -3,9% Economia

Leia mais

Evolução das Contratações

Evolução das Contratações & Evolução das Contratações Crédito Imobiliário - Evolução da Contratação Valores R$ Bilhões 26,4% 4,5% 61,4% R$ 75,93 5,5% R$ 80,09 33,3% R$ 106,74 R$ 134,95 R$ 128,83 29,5% R$ 90,88 R$ 89,75 R$ 19,02

Leia mais

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,8 21-Jul-00 Real 0,6493 Sem frete - PIS/COFINS

Leia mais

André Marinho de Souza Filho Superintendente Nacional Caixa Econômica Federal

André Marinho de Souza Filho Superintendente Nacional Caixa Econômica Federal Projeções BoleCm FOCUS Banco Central SELIC 2014 à 11,75% 2015 à 14,25% 2016 à 13,75% 2017 à 8,5% 2018 à 8,5% IPCA 2014 à 6,41% 2015 à10,67% 2016 à6,26% 2017 à 3,92% 2018 à 4,34% PIB 2014 à 0,1% 2015 à

Leia mais

Panorama do Mercado Imobiliário

Panorama do Mercado Imobiliário Panorama do Mercado Imobiliário Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP Entendendo o Mercado Imobiliário Leis 4.380 (BNH) e 4.591 (Incorporação Imobiliária) Extinção do BNH Pré- 1964 1964 1966 1986

Leia mais

Panorama da Economia Brasileira

Panorama da Economia Brasileira Panorama da Economia Brasileira Nelson Barbosa Secretário de Política Econômica Brasília, 23 de novembro de 2009 1 PRODUÇÃO INDUSTRIAL Índice com ajuste sazonal (jan/2007 = 100) 115 110 110,9 105 101,89

Leia mais

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12 JANEIRO 2,8451 2,7133 2,4903 2,3303 2,1669 1,9859 1,7813 1,6288 1,4527 1,3148 1,1940 1,0684 FEVEREIRO 2,8351 2,6895 2,4758 2,3201 2,1544 1,9676 1,7705 1,6166 1,4412 1,3048 1,1840 1,0584 MARÇO 2,8251 2,6562

Leia mais

Análise e Perspectivas do Mercado Imobiliário

Análise e Perspectivas do Mercado Imobiliário Análise e Perspectivas do Mercado Imobiliário Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP Foreci 02/06/2017 Cenário Econômico Principais indicadores econômicos PIB do Brasil -Taxa de crescimento no ano

Leia mais

Balanço do Mercado Imobiliário de São Paulo 2017

Balanço do Mercado Imobiliário de São Paulo 2017 Balanço do Mercado Imobiliário de São Paulo 17 CONJUNTURA O ano de 17 foi marcado pelo início da retomada. Na economia, o PIB (Produto Interno Bruto) apresentou sinais de recuperação, encerrando uma série

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CONSIC. Habitação & Saneamento Funding e perspectivas

CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CONSIC. Habitação & Saneamento Funding e perspectivas CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CONSIC Habitação & Saneamento Funding e perspectivas Diretoria de Habitação DEHAB dehab@caixa.gov.br teotonio.rezende@caixa.gov.br 1 1 2 Fonte: CAIXA/SUHAM

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA EXECUÇÃO FINANCEIRA

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA EXECUÇÃO FINANCEIRA CONTRATO 07/2013 EXERCÍCIO 2013 jan/13 fev/13 mar/13 abr/13 mai/13 jun/13 jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 Número da Nota Fiscal emitida - - - - - - 92 99 110 121/133-157 - - Depósitos realizados

Leia mais

TEOTONIO COSTA REZENDE

TEOTONIO COSTA REZENDE TEOTONIO COSTA REZENDE Sumário Balanço 2016 Projeções 2017 Pontos de Atenção Curto Prazo Penalizando o Longo Prazo Uma visão do futuro Balanço de Contratações Crédito Imobiliário - Evolução da Contratação

Leia mais

COLETIVA DE IMPRENSA Resultados de 2018 Perspectivas para 2019

COLETIVA DE IMPRENSA Resultados de 2018 Perspectivas para 2019 COLETIVA DE IMPRENSA Resultados de 2018 Perspectivas para 2019 Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente São Paulo 30 de Janeiro de 2019 AGENDA 1. Conjuntura Econômica 2. Construção Civil 3. Funding 4.

Leia mais

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016 Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado do Paraná Safra 2016/2017 Mar/16 0,6048 0,6048 0,6048 66,04 73,77 Abr 0,6232 0,6232 0,5927 64,72 72,29 Mai 0,5585 0,5878 0,5868

Leia mais

SOLUÇÕES CAIXA PARA CONSTRUÇÃO CIVIL. Crédito Imobiliário Produtos e Serviços Comerciais

SOLUÇÕES CAIXA PARA CONSTRUÇÃO CIVIL. Crédito Imobiliário Produtos e Serviços Comerciais SOLUÇÕES CAIXA PARA CONSTRUÇÃO CIVIL Crédito Imobiliário Produtos e Serviços Comerciais Outubro/2016 Cenário Balanço PMCMV 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 TOTAL MCMV 286.305 718.823 508.199 798.749

Leia mais

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 1º TRIMESTRE/2013. Versão CPE - ACCB/CCMA/JJA/MAB/RSO 1/37

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 1º TRIMESTRE/2013. Versão CPE - ACCB/CCMA/JJA/MAB/RSO 1/37 BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 1º TRIMESTRE/2013 Versão 1005133-20100617 CPE - ACCB/CCMA/JJA/MAB/RSO 1/37 1/39 1/74 1/6 INFORMAÇÃO E CONHECIMENTO ECONOMIA PIB CRESCIMENTO NO ANO 8,0% 7,5% 7,0% 6,0% 5,0%

Leia mais

Perspectivas do Crédito Imobiliário no Brasil. Octavio de Lazari Junior Presidente - ABECIP

Perspectivas do Crédito Imobiliário no Brasil. Octavio de Lazari Junior Presidente - ABECIP Perspectivas do Crédito Imobiliário no Brasil Octavio de Lazari Junior Presidente - ABECIP São Paulo 5 de dezembro de 2012 Fiabci Brasil - Perspectivas 2013 Agenda 1 - Brasil: Ambiente Macroeconômico 2

Leia mais

Seminário Setorial de Construção Civil. Carlos Antônio Vieira Fernandes Gerente Nacional GECRI 05 OUT 10

Seminário Setorial de Construção Civil. Carlos Antônio Vieira Fernandes Gerente Nacional GECRI 05 OUT 10 Seminário Setorial de Construção Civil Carlos Antônio Vieira Fernandes Gerente Nacional GECRI 05 OUT 10 O papel da CEF como fomentador e financiador do setor; Evolução dos investimentos do setor Perspectivas

Leia mais

6 SEMINÁRIO ABECIP 2018

6 SEMINÁRIO ABECIP 2018 Modernização do Crédito no Brasil Diretor de Política Monetária Reinaldo Le Grazie 6 SEMINÁRIO ABECIP 2018 22 de maio de 2018 1 O BC está trabalhando para modernizar os mercados e reduzir o custo de crédito

Leia mais

Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias

Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias futuras sobre o Banco do Brasil,

Leia mais

Monitor da Taxa Básica de Juro e dos Juros Pagos pelo Setor Público

Monitor da Taxa Básica de Juro e dos Juros Pagos pelo Setor Público Monitor da Taxa Básica de Juro e dos Juros Pagos pelo Setor Público Nelson Barbosa Grupo de Economia Política do Departamento de Economia da Universidade de Brasília (UnB) 11 de setembro de 17 Evolução

Leia mais

Balanço do Mercado Imobiliário Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP

Balanço do Mercado Imobiliário Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Balanço do Mercado Imobiliário 2014 Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Economia Taxa de Juros e Inflação Evolução em (%) a.a. 25,0 20,0 15,0 10,0 5,0 11,75 12,50 6,40 7,15 0,0 IPCA SELIC (META)

Leia mais

Calendário Pós-graduação 2014 - Educação Infantil

Calendário Pós-graduação 2014 - Educação Infantil Calendário Pós-graduação 2014 - Educação Infantil Disciplina Data Início Data fim Atividade acadêmica ENTRADA 1 10/03/2014 20/12/2014 17/03/2014 24/03/2014 Gestão criativa e inovadora nas instituições

Leia mais

NOTA DE CRÉDITO DE OUTUBRO

NOTA DE CRÉDITO DE OUTUBRO 1 NOTA DE CRÉDITO DE OUTUBRO ESTOQUE vs. CONCESSÃO (média diária, dessazonalizado) Estoque (em R$ milhões) Estoque (em R$ bilhões) Variação no mês dessaz (%) YDT (%) Var. três meses anualizado dessaz.

Leia mais

Secovi. Desafios da Economia Brasileira. Antonio Delfim Netto

Secovi. Desafios da Economia Brasileira. Antonio Delfim Netto Secovi Desafios da Economia Brasileira Antonio Delfim Netto 28 de agosto de 2014 São Paulo, SP 1 2000 T1 2000 T3 2001 T1 2001 T3 2002 T1 2002 T3 2003 T1 2003 T3 2004 T1 2004 T3 2005 T1 2005 T3 2006 T1

Leia mais

CRÉDITO IMOBILIÁRIO NO BRASIL Crescimento Sustentável. ESTRATÉGIA DO BRADESCO Posicionamento/Estratégia

CRÉDITO IMOBILIÁRIO NO BRASIL Crescimento Sustentável. ESTRATÉGIA DO BRADESCO Posicionamento/Estratégia CRÉDITO IMOBILIÁRIO NO BRASIL Crescimento Sustentável ESTRATÉGIA DO BRADESCO Posicionamento/Estratégia 1 DE 28 1 Crédito Imobiliário no Brasil Crescimento contínuo e sustentável nos últimos anos, aumento

Leia mais

Apresentação Institucional & de Resultados (até Julho)

Apresentação Institucional & de Resultados (até Julho) Apresentação Institucional & de Resultados 2011 (até Julho) 1 Dados RS e Brasil Rio Grande do Sul Brasil Dados Demográficos População (Em milhões de Habitantes) 10,7 190,7 5,6% da população do Brasil Área

Leia mais

1. Mercado e Construção Civil. 2. Números do Crédito Imobiliário. 3. Informações MCMV. 4. funding. 5. Ações relevantes. 6.

1. Mercado e Construção Civil. 2. Números do Crédito Imobiliário. 3. Informações MCMV. 4. funding. 5. Ações relevantes. 6. Reunião Fev 2016 1. Mercado e Construção Civil 2. Números do Crédito Imobiliário 3. Informações MCMV 4. funding 5. Ações relevantes 6. Pauta CAIXA 2 Mercado de Trabalho Construção Civil #00 Fonte: CAGED

Leia mais

Para Onde Caminha a Demanda?

Para Onde Caminha a Demanda? Para Onde Caminha a Demanda? Comissão da Indústria Imobiliária Data: 23/maio/2014 Demanda O que move o mercado imobiliário? Dinâmica familiar: processo de formação de novas famílias, que é influenciado

Leia mais

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 2001 2010 A DÉCADA DA RETOMADA CELSO PETRUCCI Diretor Executivo Economista-chefe do Secovi-SP Versão 1005133-20100617 CPE CPE - ACCB/CCMA/JJA/MAB/RSO - ACCB/JJA/MAB/RSO 1/37

Leia mais

Encontro com Prefeitos Diálogo sobre Habitação

Encontro com Prefeitos Diálogo sobre Habitação Encontro com Prefeitos Diálogo sobre Habitação Indices de Confiança da Indústria CONFIANÇA Expectativa do Consumidor Fonte: CNI Expectativa da Construção Civil Comportamento DO MERCADO Crescimento anual

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e, portanto passíveis

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim Anual

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim Anual Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Boletim Anual 2016 N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e,

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim Mensal. Setembro de 2016

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim Mensal. Setembro de 2016 Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Boletim Mensal Setembro de 2016 N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e, portanto passíveis

Leia mais

Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado de São Paulo

Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado de São Paulo Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado de São Paulo Safra 2015/2016 Mensal Acumulado Cana Campo (1) Cana Esteira (2) R$/Kg ATR R$/Kg ATR R$/Ton. R$/Ton. Abr/15 0,4909

Leia mais

Market Share Indicadores Mar/09 Mar/10 Mar/11 Mar/12 Mar/13 Ativo Total Patrimônio Líquido Depósitos Totais Nº de Agências

Market Share Indicadores Mar/09 Mar/10 Mar/11 Mar/12 Mar/13 Ativo Total Patrimônio Líquido Depósitos Totais Nº de Agências Market Share Indicadores Mar/09 Mar/10 Mar/11 Mar/12 Mar/13 Ativo Total 10º 11º 11º 11º 11º Patrimônio Líquido 12º 11º 12º 11º 11º Depósitos Totais 8º 8º 8º 8º 7º Nº de Agências 7º 7º 7º 7º 7º Fonte: Banco

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e, portanto passíveis

Leia mais

Brasil: Perspectivas para o setor bancário e o mercado de crédito. Espírito Santo, 06/04/2015. Murilo Portugal Presidente

Brasil: Perspectivas para o setor bancário e o mercado de crédito. Espírito Santo, 06/04/2015. Murilo Portugal Presidente Brasil: Perspectivas para o setor bancário e o mercado de crédito Espírito Santo, 06/04/2015 Murilo Portugal Presidente 1 or Bancário O sistema bancário brasileiro comporta atualmente 132 bancos múltiplos,

Leia mais

N O T A como preliminares

N O T A como preliminares N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e, portanto passíveis de merecer alteração retroativa mensal. Os dados do nosso Boletim

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e, portanto passíveis

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e, portanto passíveis

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e, portanto passíveis

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e, portanto passíveis

Leia mais

Apresentação de Resultados Teleconferência 3T12

Apresentação de Resultados Teleconferência 3T12 Apresentação de Resultados Teleconferência 6 de novembro de 2012 1 Agenda Ricardo Ribeiro Vice Presidente Destaques do Trimestre e Resultados Operacionais Carlos Wollenweber CFO e Diretor de RI Resultados

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e, portanto passíveis

Leia mais

Construção civil: cenário atual e perspectivas 06/05/2015

Construção civil: cenário atual e perspectivas 06/05/2015 Construção civil: cenário atual e perspectivas 06/05/2015 Crescimento chinês da construção Taxa de crescimento entre 2007 a 2012 90% 82,61% 83,30% 80% 76,70% 70% 68,07% 60% 50% 40% 41,8% 30% 20% 10% 9,95%

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e, portanto passíveis

Leia mais

Perspectivas para Economia Brasileira em 2009

Perspectivas para Economia Brasileira em 2009 1 Perspectivas para Economia Brasileira em 2009 Janeiro de 2009 1 2 IMPACTO INICIAL DA CRISE FINANCEIRA MUNDIAL 2 1 Panorama Econômico Anterior à Crise Financeira Mundial 3 Aceleração do Crescimento Apreciação

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim 1º Semestre 2016

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim 1º Semestre 2016 Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Boletim 1º Semestre 2016 N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e, portanto passíveis

Leia mais

200 180 Indice (abr/2004=100) 160 140 120 100 80 dez/97 jun/98 dez/98 jun/99 dez/99 jun/00 dez/00 jun/01 dez/01 jun/02 dez/02 jun/03 dez/03 jun/04 dez/04 jun/05 dez/05 jun/06 dez/06 jun/07 dez/07 Faturamento

Leia mais

3-43 AGENDA. 1) Balanço ) Meios de pagamento. 3) Crédito e consumo. 4) Projeção ) Monitor Abecs Taxa de Juros.

3-43 AGENDA. 1) Balanço ) Meios de pagamento. 3) Crédito e consumo. 4) Projeção ) Monitor Abecs Taxa de Juros. 1-43 2-43 AGENDA 3-43 1) Balanço 2016 2) Meios de pagamento 3) Crédito e consumo 4) Projeção 2017 5) Monitor Abecs Taxa de Juros 6) Conclusões BALANÇO 2016 4-43 Brasil + Exterior Dados de transações realizadas

Leia mais

Reunião Pública com Investidores e Analistas

Reunião Pública com Investidores e Analistas Reunião Pública com Investidores e Analistas Apresentação dos Resultados 9M12 14 de dezembro de 2012 Participação Cristiane Crisci Diretora de Inteligência de Mercado, CRM e GPN Cyro Naufel Filho Diretor

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e, portanto passíveis

Leia mais

Reunião Pública. Novembro, 2017

Reunião Pública. Novembro, 2017 Reunião Pública 1 Novembro, 2017 1 Índice Cenário Macroeconômico 1 Pilares do Segmento Popular 2 Parâmetros do Programa Minha Casa Minha Vida 3 Modelo de Fluxo de Caixa 4 A Direcional Engenharia 5 Resultado

Leia mais

EXPO MONEY. Porto Alegre, 5 de Dezembro de 2009.

EXPO MONEY. Porto Alegre, 5 de Dezembro de 2009. EXPO MONEY Porto Alegre, 5 de Dezembro de 2009. Índice Nossa Empresa Grupo Banrisul Foco de Atuação Governança Corporativa Nossos Números Mercado de Capitais Sustentabilidade Responsabilidade Social Perspectivas

Leia mais

Grupos Disponíveis Para Venda - 25/05/2015 10:58:48

Grupos Disponíveis Para Venda - 25/05/2015 10:58:48 25/05/2015 10:59:09 Página 1 Grupo: 000894 Prazo: 084 Prazo Restante: 062 Assembleia Atual: 023 11/06/2015 Vencimento: 08/06/2015 Participantes: 600 Cotas Vagas: 000 Característica: 1 SORTEIO - 1 SORTEIO

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e, portanto passíveis

Leia mais

TABELA DE VENDAS. agosto-17

TABELA DE VENDAS. agosto-17 TABELA DE VENDAS agosto-17 Incorporação: Even Construtora e Incorporadora S.A. Projeto de Arquitetura: Konigsberger e Vannucchi Projeto de Paisagismo: EKF Arquitetura de Exteriores Projeto de Decoração:

Leia mais

F.4 Saída F.5 Saldo Final

F.4 Saída F.5 Saldo Final RESOLUÇÃO 575/2008 - ANEXO I (FL. 01/02) ORÇAMENTO FINANCEIRO DISCRIMINAÇÃO JAN FEV MAR ABR MAI JUN A SALDO INICIAL 87.511.963 87.703.163 87.704.069 87.061.564 86.782.100 86.021.561 1 Arrecad. Contribuições

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e, portanto passíveis

Leia mais

Construção civil: desempenho e perspectivas 10/02/2015

Construção civil: desempenho e perspectivas 10/02/2015 Construção civil: desempenho e perspectivas 10/02/2015 Emprego com Carteira Evolução Recente Fonte: MTE, SindusCon-SP/FGV Emprego com Carteira Segmento Dez 2014 / Dez 2013 Dez 2014 / Nov 2014 dessaz. Acumulado

Leia mais

CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro

CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro PEIC Síntese dos Resultados Síntese dos Resultados Total de Endividados Dívidas ou Contas em Atrasos Não Terão Condições de Pagar fev/10 61,8% 25,6% 8,6% jan/11 59,4%

Leia mais

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015 Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Mercado Imobiliário Brasileiro - VGL 2011-7% 2012 13% 2013 R$ 85,6 bilhões R$ 79,7 bilhões R$ 90,4 bilhões

Leia mais

Trabalho de Discussão Interna - TDI CEMEC 06

Trabalho de Discussão Interna - TDI CEMEC 06 CENTRO DE ESTUDOS DE MERCADO DE CAPITAIS CEMEC Trabalho de Discussão Interna - TDI CEMEC 06 METODOLOGIA DE MONITORAMENTO DO CUSTO DE CAPITAL DE TERCEIROS: BNDES Junho 2011 1. INTRODUÇÃO O CEMEC Centro

Leia mais

Série 108 Relatório de Acompanhamento do CRI 31-jan-15

Série 108 Relatório de Acompanhamento do CRI 31-jan-15 31-jan-15 a - Saldo atual dos CRI Seniors (37.502.102,11) c - Saldo devedor total da carteira, encargos e valores a processar 37.502.133,30 f - Excedente / (Falta) 1.034,16 28-fev-15 a - Saldo atual dos

Leia mais

Seminário Espaços Urbanos Seguros

Seminário Espaços Urbanos Seguros Seminário Espaços Urbanos Seguros A atuação da CAIXA e seu impacto no desenvolvimento de cidades sustentáveis Vice-Presidência de Governo Superintendência Nac de Ass Técnica e Desenv Sustentável Jean R.

Leia mais

3ª APRESENTAÇÃO DE DADOS SOBRE A ECONOMIA BRASILEIRA: POLÍTICA MONETÁRIA E FISCAL

3ª APRESENTAÇÃO DE DADOS SOBRE A ECONOMIA BRASILEIRA: POLÍTICA MONETÁRIA E FISCAL 3ª APRESENTAÇÃO DE DADOS SOBRE A ECONOMIA BRASILEIRA: POLÍTICA MONETÁRIA E FISCAL Eduardo Rawet FONTE DOS DADOS IPEADATA http://www.ipeadata.gov.br/ SGS Banco Central https://www3.bcb.gov.br/sgspub/localizarseries/localiz

Leia mais

Perspectivas para o Crédito Imobiliário e o Cenário Econômico de Sergipe

Perspectivas para o Crédito Imobiliário e o Cenário Econômico de Sergipe Perspectivas para o Crédito Imobiliário e o Cenário Econômico de Sergipe Henrique Marra de Souza Superintendente Nacional do Programa Minha Casa Minha Vida 16 de Outubro de 2017 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

Leia mais

BALANÇO PARCIAL/ 2018 (III TRIMESTRE)

BALANÇO PARCIAL/ 2018 (III TRIMESTRE) BALANÇO PARCIAL/ 2018 (III TRIMESTRE) ATIVIDADE ECONÔMICA NA CONSTRUÇÃO CIVIL PIB da Construção Civil no Brasil e RS (%, variação anual ) 2010-2018 20,0% 15,0% 10,0% 5,0% 0,0% -5,0% -10,0% 2010 2011 2012

Leia mais

Resultados 3º Trimestre 2012

Resultados 3º Trimestre 2012 Resultados 3º Trimestre 2012 jan/03 abr/03 jul/03 out/03 jan/04 abr/04 jul/04 out/04 jan/05 abr/05 jul/05 out/05 jan/06 abr/06 jul/06 out/06 jan/07 abr/07 jul/07 out/07 jan/08 abr/08 jul/08 out/08 jan/09

Leia mais

Divulgação dos Resultados 4T13 e 2013

Divulgação dos Resultados 4T13 e 2013 Divulgação dos Resultados 4T13 e 2013 Market Share Indicadores dez/09 dez/10 dez/11 dez/12 set/13 Ativo Total * 10º 11º 11º 11º 11º Patrimônio Líquido * 11º 12º 11º 11º 11º Depósitos Totais 8º 8º 8º 7º

Leia mais

Apresentação de Resultados Teleconferência 3T17. Novembro 2017

Apresentação de Resultados Teleconferência 3T17. Novembro 2017 , Apresentação de Resultados Teleconferência Novembro 2017 Agenda Ricardo Ribeiro Vice Presidente Destaques Operacionais Carlos Wollenweber CFO / RI Destaques Financeiros 2 Destaques Evolução da margem

Leia mais

ESTÍMULOS À CADEIA PRODUTIVA DA CONSTRUÇÃO

ESTÍMULOS À CADEIA PRODUTIVA DA CONSTRUÇÃO DYOGO HENRIQUE DE OLIVEIRA Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão ESTÍMULOS À CADEIA PRODUTIVA DA CONSTRUÇÃO MELHORA NA EXPECTATIVA DA TRAJETÓRIA DE INFLAÇÃO Inflação (% aa) 12,0% 10,0% IPCA

Leia mais