Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim 1º Semestre 2016

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim 1º Semestre 2016"

Transcrição

1 Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Boletim 1º Semestre 2016

2 N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e, portanto passíveis de merecer alteração retroativa mensal. Os dados do nosso Boletim Mensal contemplam as alterações mensais retroativas realizadas pelo BACEN, de tal forma que nossos registros estão sempre atualizados. 2

3 Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Í N D I C E Sistema Financeiro 5 - Crédito do Sistema Financeiro Nacional 6 - Saldo Total das Carteiras de Veículos - Financiamento (CDC) e Leasing 7 - Saldo da Carteira de Financiamento (CDC) Pessoa Física e Juridica 8 - Saldo da Carteira de Leasing Pessoa Física e Juridica 9 - Total Acumulado de Recursos Liberados Veículos Financiamento (CDC) e Leasing 10 - Total Acumulado de Recursos Liberados Veículos - Financiamento (CDC) 11 - Recursos Liberados no Mês Veículos - Financiamento (CDC) 12 - Total Acumulado de Recursos Liberados Veículos Leasing 13 - Recursos Liberados no Mês Veículos - Leasing 14 - Taxas de Juros Veículos - % a.a Taxa de Juros Veículos % a.m Planos e Prazos de Financiamento 17 - Atrasos de 15 a 90 dias Pessoa Física e Pessoa Jurídica 18 - Inadimplência Acima de 90 dias Pessoa Física 19 - Inadimplência Acima de 90 dias - Pessoa Jurídica Formas de Escoamento das Vendas no Mercado Interno 21 - Modalidades de Pagamento na Venda de Veículos e Comerciais Leves 22 - Modalidades de Pagamento na Venda de Veículos Comerciais (Caminhões e Ônibus) 23 - Modalidades de Pagamento na Venda de Motocicletas Perfil da Frota de Autoveículos e Motocicletas por Gravame 25 - Gravame sobre a frota estimada até dezembro 2013 Setor Comercial Novos e Usados 27 - Consolidado dos Licenciamentos Unidades Novas 28 - Veículos e Comerciais Leves 29 - Veículos Comerciais (Caminhões e Ônibus) 30 - Motocicletas Setor Industrial 32 - Veículos e Comerciais Leves 33 - Veículos Comerciais (Caminhões e Ônibus) 34 - Motocicletas Projeções Ano

4 O Saldo do Crédito Bancário Brasileiro alcançou em junho de 2016 o valor de R$ 3.130,4 bilhões, representando 51,9% do PIB (estimado em R$ bilhões), registrando um decréscimo 1,5 p.p. em comparação a junho de de O Saldo do Crédito para aquisição de veículos pelas Pessoas Físicas e Jurídicas corresponde a 3,0% do PIB, mantendo o percentual do mesmo período do ano anterior, representando 5,4% do total do crédito do SFN e 10,8% do total das operações de crédito Recursos Livres. 4

5 Relação Crédito/PIB 53,9% 51,0% 53,1% 54,5% 53,4% 51,9% 2.368, , , , , , , , , , , ,4 242,2 227,0 211,2 183,6 197,4 169, jun/15 jun/16 Saldo do Crédito do SFN Total Oper.de Crédito - Recursos Livres CDC+Leasing PF e PJ (Veículos) Saldo do Crédito do SFN = R$ 3.130,4 bi: ( -0,5% mês; 1,0% em doze meses) Total Oper. de Crédito Recursos Livres = R$ 1.569,4 bi: ( -0,7% mês; -1,7% em doze meses) Saldo CDC + Leasing PF e PJ (Veículos) = R$ 169,3 bi: ( -1,3% mês; -14,2% em doze meses) Fonte: Banco Central 5

6 242,2 26,6 227,0 14,1 211,2 8,3 183,6 197,4 6,0 7,0 169,3 5,1 215,6 212,9 202,9 177,6 190,4 164, jun/15 jun/16 Financiamento - CDC Leasing Soma dos Saldos das Carteiras de Veículos = R$ 169,3 bi: ( -1,3% mês; - 14,2% em doze meses) Saldo Financiamentos (CDC) = R$ 164,2 bi: ( -1,3% mês; -13,8% em doze meses) Saldo Leasing = R$ 5,1 bi: ( - 1,9% mês; -27,1% em doze meses) Fonte: Banco Central 6

7 jun/15 jun/16 Total Pessoa Fisica Pessoa Juridica Saldo Total da Carteira de Financiamento (CDC) = R$ 164,2 bi : (-1,3% mês; -13,7% em doze meses) Saldo da Carteira Pessoa Física = R$ 149,1 bi: (-1,3% mês; -13,8% em doze meses) Saldo da Carteira Pessoa Juridica = R$ 15,2 bi: (-1,1% mês; -13,1% em doze meses) Fonte: Banco Central 7

8 jun/15 jun/16 Total Pessoa Fisica Pessoa Juridica Saldo Total da Carteira de Leasing = R$ 5,1 bi: ( -2,7% mês; -27,1% em doze meses) Saldo da Carteira Pessoa Física = R$ 1,6 bi: ( -3,7% mês; -25,2% em doze meses) Saldo da Carteira Pessoa Juridica = R$ 3,5 bi: ( -2,2% mês; -31,2% em doze meses) Fonte: Banco Central 8

9 jun/15 jun/16 Financiamento - CDC Leasing Total Acumulado de Recursos Liberados = R$ milhões: ( -17,5% em doze meses) Recursos Liberados - Financiamentos (CDC) = R$ milhões: ( - 17,2% em doze meses) Recursos Liberados - Leasing = R$ milhões: ( - 24,0% em doze meses) Fonte: Banco Central 9

10 jun/15 jun/16 Pessoa Física Pessoa Juridica Total Acumulado de Recursos Liberados = R$ 37,5 bi: ( - 17,2% em doze meses) Pessoa Física = R$ 33,5 bi: ( - 17,8% em doze meses) Pessoa Juridica = R$ 4,1 bi: ( -12,3% em doze meses) Fonte: Banco Central 10

11 dez-13 dez-14 jan-15 fev-15 mar-15 abr-15 mai/15 jun/15 jul/15 ago/15 set/15 out/15 nov/15 dez/15 jan/16 fev/16 mar/16 abr/16 mai/16 jun/16 Total Pessoa Fisica Pessoa Juridica Total de Recursos Liberados no mês = R$ milhões : ( 6,6% no mês; -10,5% no mesmo mês de 2015) Pessoa Física = R$ milhões: ( 5,1% no mês; -12,1% no mesmo mês de 2015) Pessoa Jurídica = R$ 802 milhões: (19,2% no mês; 3,8% no mesmo mês de 2015) Fonte: Banco Central 11

12 jun/15 jun/16 Pessoa Jurídica Pessoa Fisica Total Acumulado de Recursos Liberados = R$ milhões: ( -24,0% em doze meses) Pessoa Física = R$ 424 milhões: ( -15,7% em doze meses) Pessoa Jurídica = R$ 709 milhões: ( -28,2% em doze meses) Fonte: Banco Central 12

13 dez-13 dez-14 jan-15 fev-15 mar-15 abr-15 mai-15 jun-15 jul-15 ago-15 set-15 out-15 nov-15 dez-15 jan-16 fev-16 mar-16 abr-16 mai/16 jun/16 Total Pessoa Fisica Pessoa Juridica Total de Recursos Liberados no mês = R$ 161 milhões : ( 8,8% no mês; -40,6% no mesmo mês de 2015) Pessoa Física = R$ 121 milhões: (14,2% no mês; -24,8% no mesmo mês de 2015) Pessoa Jurídica = R$ 40 milhões: ( -4,8% no mês; -63,6% no mesmo mês de 2015) Fonte: Banco Central 13

14 30,00 25,00 20,00 15,00 10,00 5,00 0,00 dez/13 dez/14 jan/15 fev/15 mar/15 abr/15 mai/15 jun/15 jul/15 ago/15 Set/15 out/15 nov/15 dez/15 jan/16 fev/16 mar/16 abr/16 mai/16 jun/16 ANEF 16,35 18,29 19,29 19,42 19,84 20,12 20,41 20,55 20,55 20,55 20,55 22,27 23,14 23,43 23,80 24,06 23,00 23,00 23,00 23,14 SELIC 10,00 11,75 12,25 12,25 12,75 13,25 13,25 13,75 14,25 14,25 14,25 14,25 14,25 14,25 14,25 14,25 14,25 14,25 14,25 14,25 MERCADO 21,30 22,30 23,80 24,80 24,70 24,60 24,80 24,70 24,50 24,80 25,60 25,90 26,20 26,00 27,50 27,60 27,00 26,80 26,30 26,00 14

15 2,50 2,00 1,50 1,00 0,50 0,00 Dez/13 Dez/14 Jan/15 Fev/15 Mar/15 Abr/15 Mai/15 Jun/15 Jul/15 Ago/15 Set/15 Out/15 Nov/15 Dez/15 Jan/16 Fev/16 mar/16 abr/16 mai/16 jun/16 ANEF 1,27 1,41 1,48 1,49 1,52 1,54 1,56 1,47 1,57 1,57 1,57 1,69 1,75 1,77 1,80 1,78 1,74 1,74 1,74 1,75 SELIC 0,80 0,93 0,97 0,97 1,01 1,04 1,04 1,08 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 MERCADO 1,62 1,69 1,80 1,86 1,86 1,85 1,86 1,86 1,84 1,86 1,92 1,94 1,96 1,90 2,00 2,01 1,97 1,96 1,93 1,94 15

16 Em meses ,3 15,9 15,3 14,6 14,8 dez-12 dez-13 dez-14 dez-15 jun-15 jun-16 14,4 Plano Máximo Prazo Médio das Concessões Prazo Médio da Carteira Planos Máximos disponibilizados pelos Bancos aos Consumidores foram mantidos em 60 meses. Prazo Médio das Concessões indica o prazo a decorrer desde a contratação até o vencimento da última prestação, que se manteve em 42meses em junho/2016. Prazo Médio da Carteira indica o prazo remanescente do saldo total das operações em carteira, que em junho de 2016 foi de 14,4 meses, frente a 14,8 meses no mesmo período de Fonte: Banco Central/ Anef 16

17 18,0 16,0 14,0 12,9 12,7 12,4 12,7 12,1 11,8 11,5 12,0 10,0 8,0 6,0 4,0 2,0 11,0 11,0 10,8 10,5 9,4 8,2 8,0 6,7 7 7,1 7,2 7,4 7,4 7,4 7,2 7,4 7,3 7,8 7,3 8,0 7,8 7,2 7,6 7,6 7,4 7,7 6,3 6,6 7,5 7,6 7,7 8,2 5,1 4,2 4,6 4,7 4,0 3,8 4,0 4,3 4,6 4,4 3,5 3,5 3,8 8,0 7,8 9,0 8,6 7,6 7,8 4,9 5,2 9,1 8,2 8,1 8,7 7,8 7,4 4,1 3,9 8,5 8,0 8,0 7,7 8,9 8,6 4,5 3,9 - dez-14 jan-15 fev-15 mar-15 abr-15 mai-15 jun-15 jul-15 ago-15 set-15 out-15 nov-15 dez-15 jan-16 fev-16 mar-16 abr-16 mai-16 jun-16 Financiamento (CDC) - P. Juridica Leasing - P. Juridica Financiamento (CDC) - P.Física Leasing - P.Física % Atrasos do total da Carteira - Financiamentos (CDC) - P. Física = 8,0% ( -0,5 p.p. mês; 0,7 p.p. no ano; 0,6 p.p. em doze meses) % Atrasos do total da Carteira - LEASING - P.Física = 7,7% ( -0,3 p.p. mês; -0,5 p.p. no ano; -3,8 p.p. em doze meses) % Atrasos do total da Carteira - Financiamentos (CDC) - P.Jurídica = 8,6% ( -0,3 p.p. mês; 0,4 p.p. no ano; 0,9 p.p. em doze meses) % Atrasos do total da Carteira - LEASING - P. Jurídica = 3,9% ( -0,6 p.p. mês; -0,5 p.p. no ano; 0,4 p.p. em doze meses) Fonte: Banco Central 17

18 11,6 7,5 9,5 5,8 7,1 4,3 6,0 5,2 3,9 3,9 4,2 4,5 7,7 5,7 5,3 6,2 5,3 6,1 dez-12 dez-13 dez-14 dez-15 jun/15 jun/16 TOTAL - Recursos Livres Financiamentos (CDC) LEASING % Inadimplência do Total do Cred.Sist.Fin. Recursos Livres = 6,1% ( -0,2 p.p. mês; 0,8 p.p. em doze meses) % Inadimplência do total da Carteira - Financiamentos (CDC) = 4,5% ( -0,2 p.p. mês; 0,6 p.p. em doze meses) % Inadimplência do total da Carteira - LEASING = 4,3% ( -0,2 p.p. mês; -2,8 p.p. em doze meses) Fonte: Banco Central 18

19 5,0 4,4 4,3 4,1 4,2 2,7 4,9 4,4 3,4 3,6 5,6 4,2 3,7 3,1 3,4 4,5 3,9 5,1 dez-12 dez-13 dez-14 dez-15 jun/15 jun/16 TOTAL - Recursos Livres Financiamentos (CDC) LEASING % Inadimplência do Total do Cred.Sist.Fin. Recursos Livres = 5,1% ( -0,2 p.p. mês; 1,2 p.p. em doze meses) % Inadimplência do total da Carteira - Financiamentos (CDC) = 5,6% ( -0,2 p.p. mês; 0,6 p.p. em doze meses) % Inadimplência do total da Carteira - LEASING = 4,2% ( 0,5 p.p. mês; 1,2 p.p. em doze meses) Fonte: Banco Central 19

20 20

21 4% 5% 6% 7% 8% 8% 7% 5% 6% 22% 33% 46% 50% 51% 53% 53% 53% 50% 38% 23% 11% 5% 2% 2% 2% 2% 2% 36% 39% 37% 38% 39% 37% 38% 40% 42% º Sem 2016 À Vista Leasing Financiados Consórcio Fonte: ANEF 21

22 2% 2% 2% 2% 2% 2% 2% 2% 4% 50% 66% 69% 70% 75% 77% 74% 66% 63% 30% 1% 2% 13% 7% 3% 2% 8% 8% 12% 13% 1% 1% 15% 14% 10% 9% 11% 10% 11% 10% 12% 11% 11% 12% 16% 17% ºSem 2016 À Vista Financiados Leasing (incluso Finame Leasing) Finame Consórcio Fonte: ANEF 22

23 24% 22% 27% 26% 27% 35% 36% 34% 35% 38% 56% 52% 48% 51% 52% 40% 36% 33% 33% 31% 8% 2% 1% 5% 15% 18% 23% 22% 21% 25% 28% 33% 32% 31% º Semestre 2016 À Vista Leasing Financiados Consórcio Fonte: ANEF 23

24 24

25 Frota Estimada: 46,29 milhões 27,26 milhões financiadas = 58,9% Frota Estimada: 2,39 milhões 1,70 milhão financiadas = 70,8% Frota Estimada: 22,64 milhões 14,92 milhões financiadas = 66,0% 3,2% 3,8% 7,9% 45,6% 58,0% 56,0% 10,1% 8,9% 2,0% 41,1% 29,2% 34,1% Sem Gravame Arrendamento (Leasing) Alienação Outros (Penhor Mercantil, Res.de Dominio etc) Fonte: Fenabrave/Renavam 25

26 26

27 Fonte: Fenabrave 27 Unidades/ Jun2015 Jun2016 Var. % Veículos 2.841, , , , ,9 810,7-24,6% Com. Leves 792,6 820,8 533,6 354,2 193,9 140,5-27,5% Veíc. + Leves 3.634, , , , ,8 951,2-25,1% Caminhões 137,8 155,7 137,0 71,8 37,4 25,4-32,1% Ônibus 29,5 35,6 32,0 20,3 11,7 7,0-40,2% Caminhões +Ônibus 167,3 191,3 169,0 92,1 49,1 32,4-34,0% Motos 1.637, , , ,2 641,8 547,1-14,8% Total 5.439, , , , , ,7-21,9%

28 Unidades / milhões , , , ,0 NOVOS USADOS 3.634, , , , , , ,8 951, , , , , , , jun/15 jun/16 Total Veículos e Com. Leves = 5.565,2 : ( 21,9% mês; -8,4% em doze meses) Total Novos = 951,2: ( 21,2% mês; -25,1% em doze meses) Total Usados = 4.614,0: ( 22,0% mês; - 4,0% em doze meses) Os veículos e comerciais leves usados na relação com os novos em junho de 2015 era 3,8 passando a 4,9 em junho de Fonte: Fenabrave / Renavam 28

29 Unidades / mil 544,1 586,7 555,1 463,8 NOVOS USADOS 167,3 191,3 169,1 92,1 225,8 208,2 49,1 32,4 376,8 395,4 386,1 371,7 176,7 175, jun-15 jun/16 Total Veículos Comerciais = 208,2: ( 22,3% mês; -7,8% em doze meses) Total Novos = 32,4: ( 20,0% mês; -34,0% em doze meses) Total Usados = 175,8: ( 22,8% mês; - 0,5% em doze meses) Os veículos comerciais usados na relação com os novos em junho de 2015 era 3,6 passando a 5,4 em junho de Fonte: Fenabrave / Renavam 29

30 Unidades / milhões NOVAS 4.011, , , ,2 USADAS 1.637, , , , , , , , , ,0 641,8 547, , , jun/15 jun/16 Total Motocicletas = 1.879,0: (19,5% mês; -6,3% em doze meses) Total Novas = 547,1: (17,4% mês; -14,8% em doze meses) Total Usadas = 1.331,9: (20,4% mês; - 2,3% em doze meses) As motocicletas usadas na relação com as novas em junho de 2015 era 2,1 passando a 2,4 em junho de Fonte: Fenabrave / Renavam 30

31 31

32 Unidades/000 MERCADO DE VEÍCULOS E COMERCIAIS LEVES Produção e Licenciamento - Acumulado 3.634, , ,7 Produção Licenciamento 2.476, ,8 951, , , , , ,4 976, jun/15 jun/16 Produção = 976,1: ( 21,9% mês; -25,1% em doze meses) Licenciamentos = 951,2: ( 21,2% mês; -20,9% em doze meses) OBS.: No gráfico acima, a diferença entre a produção realizada e os licenciamentos efetuados correspondem às exportações/importações de unidades ocorridas mais estoques nos Revendedores e/ou no pátio da própria Montadora. Fonte: Anfavea/Fenabrave/Renavam 32

33 Unidades/ ,3 191,3 169,0 169,6 230,4 172,9 92,1 49,1 32,4 95,6 55,5 40, jun/15 jun/16 Produção Licenciamento Produção = 40,5: ( 22,4% mês; - 27,0% em doze meses ) Licenciamentos = 32,4: ( 20,0% mês; - 34,0% em doze meses) OBS.: No gráfico acima, a diferença entre a produção realizada e os licenciamentos efetuados correspondem às exportações de unidades ocorridas mais estoques nos Revendedores e/ou no pátio da própria Montadora. Fonte: Anfavea/Fenabrave/Renavam 33

34 Unidades/ , , , , , , , ,7 641,8 697,5 547,1 464, jun/15 jun/16 Produção Licenciamento Produção = 464,4: ( 21,3% mês; -33,4% em doze meses) Licenciamentos = 547,1: ( 17,4% mês; -14,8% em doze meses) OBS.: No gráfico acima, a diferença entre a produção realizada e os licenciamentos efetuados correspondem às exportações de unidades ocorridas mais estoques nos Revendedores e/ou no pátio da própria Montadora. Fonte: Anfavea/Fenabrave/Renavam 34

35 Autoveículos: Produção Licenciamento (mil unidades) - Fonte Anfavea ,5% ,0% Exportações (mil unidades) - Fonte Anfavea ,5% Motocicletas: Produção Licenciamento (mil unidades) - Fonte Abraciclo ,7% ,3% Autoveículos e Motocicletas Saldo de Financiamento Recursos Liberados (bilhões de Reais) Fonte ANEF 183,2 155,7-15,0% 92,0 77,5-15,8% 35

Boletim Mensal. Novembro/ 2.014

Boletim Mensal. Novembro/ 2.014 Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Boletim Mensal Novembro/ 2.014 Acumulado janeiro a novembro/2014 N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim Anual 2.013

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim Anual 2.013 Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Boletim Anual 2.013 N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e,

Leia mais

NOTA DE CRÉDITO DE SETEMBRO

NOTA DE CRÉDITO DE SETEMBRO 1 NOTA DE CRÉDITO DE SETEMBRO TABELA RESUMO ANÁLISE DO ESTOQUE TOTAL DO CRÉDITO vs. CONCESSÃO (MÉDIA DIÁRIA DESSAZ) Estoque (em R$ milhões) Estoque (em R$ bilhões) Variação no mês dessaz (%) YDT (%) Var.

Leia mais

BOLETIM MENSAL. 1º Trimestre 2009

BOLETIM MENSAL. 1º Trimestre 2009 BOLETIM MENSAL 1º Trimestre 2009 Sistema Financeiro 4 - Crédito do Sistema Financeiro 5 - Carteiras de Financiamento (CDC) e Leasing Aquisição de Veículos 6 - Saldo e Recursos Liberados Financiamento CDC

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

Maior desaceleração e alerta para inadimplência

Maior desaceleração e alerta para inadimplência jan/11 jul/11 jan/11 jul/11 Maior desaceleração e alerta para inadimplência O crescimento do crédito total do SFN em 12 meses desacelerou 0,7 p.p. em abril, fechando em 10,, totalizando R$ 3,1 trilhões,

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MOTOCICLETAS DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MOTOCICLETAS DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MOTOCICLETAS DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P M A I O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S São Paulo, 28 de junho de 2016 Em maio, crédito imobiliário somou R$ 3,9 bilhões Poupança

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

Elevação na taxa de juros média

Elevação na taxa de juros média Elevação na taxa de juros média Carteira de Crédito no SFN Apesar da projeção de um crescimento nominal de 2,0% em 2017 pelo Banco Central, o ritmo de queda do estoque de crédito intensificou-se em janeiro.

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO : DESAFIOS E OPORTUNIDADES

CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO : DESAFIOS E OPORTUNIDADES CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO 2014-2015: DESAFIOS E OPORTUNIDADES ABRIL, 2014 Fabiana D Atri Economista Sênior do Departamento de Pesquisas 1 e Estudos Econômicos - DEPEC 17/04/11 17/05/11 17/06/11

Leia mais

Panorama do Mercado de Crédito

Panorama do Mercado de Crédito Panorama do Mercado de Crédito FEBRABAN Dezembro de 2011 Rubens Sardenberg Economista-chefe ÍNDICE I. Evolução do Crédito II. Pessoa Física III. Pessoa Jurídica IV. Inadimplência V. Spread VI. Projeções

Leia mais

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO Realizada entre os dias 14 e 20 de setembro de 2016 Instituições respondentes: 22 DESTAQUES DESTA EDIÇÃO Principais alterações nas

Leia mais

Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público Observatório de Políticas Econômicas 2016

Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público Observatório de Políticas Econômicas 2016 www.fdc.org.br Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público Observatório de Políticas Econômicas 2016 Indicadores da Economia Brasileira: Confiança e Expectativas Quadro-Resumo Necessidade de Financiamento

Leia mais

Crédito ao Consumo Principais Produtos. Financiamento de veículos

Crédito ao Consumo Principais Produtos. Financiamento de veículos 1 Crédito ao Consumo Principais Produtos Financiamento de veículos 2 Rede de Atendimento Crédito ao Consumo Correntistas Estrutura de Atendimento Correntistas Rede Prime 305 Agências Rede Varejo 4.387

Leia mais

Crédito Imobiliário Bradesco Apresentação BBI São Paulo, 11 de abril 2017

Crédito Imobiliário Bradesco Apresentação BBI São Paulo, 11 de abril 2017 Bradesco Apresentação BBI São Paulo, 11 de abril 2017 Pilares de Sustentação 1.Ambiente Econômico 2.Funding 3.Segurança Jurídica CRÉDITO IMOBILIÁRIO 2 Ambiente Econômico 2017 Inflação Taxa de Juros Renda

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES JANEIRO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES JANEIRO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES JANEIRO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

TEOTONIO COSTA REZENDE

TEOTONIO COSTA REZENDE TEOTONIO COSTA REZENDE Sumário Balanço 2016 Projeções 2017 Pontos de Atenção Curto Prazo Penalizando o Longo Prazo Uma visão do futuro Balanço de Contratações Crédito Imobiliário - Evolução da Contratação

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P D E Z E M B R O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: R$ 9,0 bilhões Saldo: R$ 516,0 bilhões Financiamentos

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO 2017:

CENÁRIO ECONÔMICO 2017: CENÁRIO ECONÔMICO 2017: Lenta recuperação após um longo período de recessão Dezembro 2016 AVALIAÇÃO CORRENTE DA ATIVIDADE ECONÔMICA A RECUPERAÇÃO DA CONFIANÇA DO EMPRESARIADO E DO CONSUMIDOR MOSTRAM ACOMODAÇÃO

Leia mais

Desempenho da Indústria Automobilística Brasileira

Desempenho da Indústria Automobilística Brasileira Desempenho da Indústria Automobilística Brasileira Junho / 2014 Presidente Luiz Moan Yabiku Junior Licenciamento total de autoveículos novos Comparativo Mensal Variações % 318,6 293,4 263,6 Jun-14 / Mai-14-10,2

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN DEZEMBRO / 2008

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN DEZEMBRO / 2008 OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN DEZEMBRO / 2008 Fonte: Bacen 27/01/2009 DESTAQUES DE DEZEMBRO / 2008 As operações de crédito no SFN, incluindo recursos livres e direcionados, finalizaram o ano com um incremento

Leia mais

Market Share Indicadores Mar/09 Mar/10 Mar/11 Mar/12 Mar/13 Ativo Total Patrimônio Líquido Depósitos Totais Nº de Agências

Market Share Indicadores Mar/09 Mar/10 Mar/11 Mar/12 Mar/13 Ativo Total Patrimônio Líquido Depósitos Totais Nº de Agências Market Share Indicadores Mar/09 Mar/10 Mar/11 Mar/12 Mar/13 Ativo Total 10º 11º 11º 11º 11º Patrimônio Líquido 12º 11º 12º 11º 11º Depósitos Totais 8º 8º 8º 8º 7º Nº de Agências 7º 7º 7º 7º 7º Fonte: Banco

Leia mais

Esgotamento do Funding Tradicional?

Esgotamento do Funding Tradicional? Esgotamento do Funding Tradicional? Novos instrumentos vão vigorar no curto prazo? Gueitiro Matsuo Genso 12ª Conferência Internacional da LARES São Paulo 19 a 21 de setembro, 2012 Agenda Relevância no

Leia mais

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+ CALENDÁRIO, 2015 7 A JAN. 0 QUARTA -1-0.0018 7022.5 3750.3 1 QUINTA 0 +0.0009 7023.5 3751.3 2 SEXTA 1 +0.0037 7024.5 3752.3 3 SÁBADO 2 +0.0064 7025.5 3753.3 4 DOMINGO 3 +0.0091 7026.5 3754.3 5 SEGUNDA

Leia mais

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,8 21-Jul-00 Real 0,6493 Sem frete - PIS/COFINS

Leia mais

200 180 Indice (abr/2004=100) 160 140 120 100 80 dez/97 jun/98 dez/98 jun/99 dez/99 jun/00 dez/00 jun/01 dez/01 jun/02 dez/02 jun/03 dez/03 jun/04 dez/04 jun/05 dez/05 jun/06 dez/06 jun/07 dez/07 Faturamento

Leia mais

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Junho de 2010 Wilson R. Levorato Diretor Geral Brasil e a crise internacional: porque nos saímos tão bem? Onde estamos? Cenário

Leia mais

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Abril de 2008 Apresentado por Fernando Chacon Diretor de Marketing de Cartões do Banco Itaú 1 Números de Mercado 2 Mercado de Cartões 2008 Indicadores

Leia mais

Banco do Brasil. Divulgação do Resultado 1T09

Banco do Brasil. Divulgação do Resultado 1T09 Banco do Brasil Divulgação do Resultado 1 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados

Leia mais

Resultados 3º Trimestre 2012

Resultados 3º Trimestre 2012 Resultados 3º Trimestre 2012 jan/03 abr/03 jul/03 out/03 jan/04 abr/04 jul/04 out/04 jan/05 abr/05 jul/05 out/05 jan/06 abr/06 jul/06 out/06 jan/07 abr/07 jul/07 out/07 jan/08 abr/08 jul/08 out/08 jan/09

Leia mais

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 22-10-08) Edição de 27 de Outubro de 08 Crise não teve impacto significativo nas operações

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P A G O S T O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: - R$ 3,5 bilhões Saldo: R$ 495,4 bilhões Financiamentos

Leia mais

Série 34 E 35 Relatório de Acompanhamento do CRI 31-jan-14

Série 34 E 35 Relatório de Acompanhamento do CRI 31-jan-14 31-jan-14 a - Juros 6.691.919,50 a - Juros 1.672.979,81 b - Amortização 3.757.333,97 b - Amortização 939.333,65 a - Saldo atual dos CRI Seniors (984.936.461,48) b - Saldo atual dos CRI Junior (246.234.105,79)

Leia mais

Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público Observatório de Políticas Econômicas 2016

Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público Observatório de Políticas Econômicas 2016 www.fdc.org.br Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público Observatório de Políticas Econômicas 2016 Indicadores da Economia Brasileira: Confiança e Expectativas Quadro-Resumo Necessidade de Financiamento

Leia mais

(com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009

(com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009 Relatório Febraban - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009 Em Abril de 2009, operações de crédito atingiram

Leia mais

Persistência da desaceleração e ligeira elevação na inadimplência

Persistência da desaceleração e ligeira elevação na inadimplência Persistência da desaceleração e ligeira elevação na inadimplência Em maio, a carteira de crédito do SFN totalizou aproximadamente 56,2% do PIB, indicando crescimento de 12,7% em 12 meses. O maior dinamismo

Leia mais

CRÉDITO IMOBILIÁRIO NO BRASIL Crescimento Sustentável. ESTRATÉGIA DO BRADESCO Posicionamento/Estratégia

CRÉDITO IMOBILIÁRIO NO BRASIL Crescimento Sustentável. ESTRATÉGIA DO BRADESCO Posicionamento/Estratégia CRÉDITO IMOBILIÁRIO NO BRASIL Crescimento Sustentável ESTRATÉGIA DO BRADESCO Posicionamento/Estratégia 1 DE 28 1 Crédito Imobiliário no Brasil Crescimento contínuo e sustentável nos últimos anos, aumento

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P N O V E M B R O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: R$ 2,6 bilhões Saldo: R$ 503,8 bilhões Financiamentos

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN BC: Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) registra alta de 0,3% em novembro e retração de 2,3% em 12 meses O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados

Leia mais

Construção civil: cenário atual e perspectivas 06/05/2015

Construção civil: cenário atual e perspectivas 06/05/2015 Construção civil: cenário atual e perspectivas 06/05/2015 Crescimento chinês da construção Taxa de crescimento entre 2007 a 2012 90% 82,61% 83,30% 80% 76,70% 70% 68,07% 60% 50% 40% 41,8% 30% 20% 10% 9,95%

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ÔNIBUS DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ÔNIBUS DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ÔNIBUS DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO Realizada entre os dias 28 de janeiro e 02 de fevereiro de 2016 Analistas consultados: 25 PROJEÇÕES E EXPECTATIVAS DE MERCADO FEBRABAN

Leia mais

CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro Outubro/2013

CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro Outubro/2013 CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro Outubro/2013 PEIC Síntese dos Resultados Síntese dos Resultados Total de Endividados Dívidas ou Contas em Atrasos Não Terão Condições de Pagar out/12 59,2% 20,5%

Leia mais

Prof. Dr. Cláudio D. Shikida. Éverton Coelho. Luiz André Miranda. Renato Byrro

Prof. Dr. Cláudio D. Shikida. Éverton Coelho. Luiz André Miranda. Renato Byrro Pré-COPOM Setembro/2008 NEPM Núcleo de Estudos de Política Monetária do IBMEC/MG Belo Horizonte, 05 de Setembro de 2008 Direção: Prof. Dr. Cláudio D. Shikida Alunos Integrantes t Christiane Dolabella ll

Leia mais

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito Portal de Informações FEBRABAN Módulo I Crédito Módulo de dados I: Crédito Sumário Este módulo de dados abrange as operações de crédito com recursos livres e direcionados (taxas de juros administradas)

Leia mais

Tendências importantes para o spread e inadimplência

Tendências importantes para o spread e inadimplência Tendências importantes para o spread e inadimplência A inadimplência confirma mínima histórica em 3,0% e o spread bancário volta a se elevar, alcançando 13,1%. Os dois movimentos são os principais destaques

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA EXECUÇÃO FINANCEIRA

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA EXECUÇÃO FINANCEIRA CONTRATO 07/2013 EXERCÍCIO 2013 jan/13 fev/13 mar/13 abr/13 mai/13 jun/13 jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 Número da Nota Fiscal emitida - - - - - - 92 99 110 121/133-157 - - Depósitos realizados

Leia mais

Série 108 Relatório de Acompanhamento do CRI 31-jan-15

Série 108 Relatório de Acompanhamento do CRI 31-jan-15 31-jan-15 a - Saldo atual dos CRI Seniors (37.502.102,11) c - Saldo devedor total da carteira, encargos e valores a processar 37.502.133,30 f - Excedente / (Falta) 1.034,16 28-fev-15 a - Saldo atual dos

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL US$ MILHÕES FONTE: BACEN ELABORAÇÃO E ESTIMATIVA: BRADESCO

BALANÇA COMERCIAL US$ MILHÕES FONTE: BACEN ELABORAÇÃO E ESTIMATIVA: BRADESCO BALANÇA COMERCIAL 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 BALANÇA COMERCIAL US$ MILHÕES 50.000 44.703 46.457 45.166 40.000 30.000 24.794

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL US$ MILHÕES FONTE: BACEN ELABORAÇÃO E ESTIMATIVA: BRADESCO 60,000 50,000 47,284 47,842 44,703 46,457 40,032 37,841 40,000 33,641

BALANÇA COMERCIAL US$ MILHÕES FONTE: BACEN ELABORAÇÃO E ESTIMATIVA: BRADESCO 60,000 50,000 47,284 47,842 44,703 46,457 40,032 37,841 40,000 33,641 BALANÇA COMERCIAL 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 BALANÇA COMERCIAL US$ MILHÕES 60,000 50,000 24,794 33,641 44,703 46,457 40,032

Leia mais

CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro

CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro PEIC Síntese dos Resultados Síntese dos Resultados Total de Endividados Dívidas ou Contas em Atrasos Não Terão Condições de Pagar mar/10 63,0% 27,3% 8,7% fev/11 65,3%

Leia mais

Taxas de Juro implícitas no Crédito à Habitação por Período de Celebração dos Contratos. Dez-13. Jun-14. Ago-14. Abr-14. Fev-14

Taxas de Juro implícitas no Crédito à Habitação por Período de Celebração dos Contratos. Dez-13. Jun-14. Ago-14. Abr-14. Fev-14 Dez-12 Fev-13 Abr-13 Ago-13 Out-13 Fev-14 Abr-14 Ago-14 Out-14 Fev-15 Abr-15 Ago-15 Out-15 Taxas de Juro Implícitas no Crédito à Habitação Dezembro de 2015 22 de janeiro de 2016 Taxa de juro 1 manteve

Leia mais

Índice de atividade econômica - IBC-Br (%):

Índice de atividade econômica - IBC-Br (%): SIM SEBRAE Inteligência de Mercados Edição n - Fev/6 Índice de atividade econômica - IBC-Br (%) A produção industrial brasileira apresentou leve recuperação no período de novembro a dezembro de 25. pg

Leia mais

Carteira do SFN recua 3,5% em 2016

Carteira do SFN recua 3,5% em 2016 Carteira do SFN recua 3,5% em 2016 Carteira de Crédito no SFN Em 2016, o mercado de crédito fechou com retração de 3,5%. Esta performance frustrante reflete o processo de desalavancagem das famílias e

Leia mais

Taxas praticadas no Cartão de Crédito Modalidades: Rotativo e Parcelado. Maio 2015

Taxas praticadas no Cartão de Crédito Modalidades: Rotativo e Parcelado. Maio 2015 Taxas praticadas no Cartão de Crédito Modalidades: Rotativo e Parcelado Maio 2015 1 Observações Levantamento realizado com base nas informações do Banco Central Divulgação destas informações começou em

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais

! " #$!! %&!

!  #$!! %&! '(! " #$!! %&! ) *+!!, -./( ) Fornecedores Siderurgia Metalurgia Plásticos Tintas Componentes eletrônicos Autopeças Pneus Produtos da cadeia automotiva Automóveis Comerciais leves Caminhões Ônibus Máquinas

Leia mais

Subtítulo da Apresentação

Subtítulo da Apresentação Subtítulo da Apresentação MOTIVAÇÃO METODOLOGIA 15 cidades analisadas Análise do valor médio dos imóveis cadastrados no VivaReal 15 cidades + 1,8 mi Maior Base de imóveis entre os portais Análise de Intenção

Leia mais

O crédito imobiliário e as instituições financeiras de médio porte. Março de 2014

O crédito imobiliário e as instituições financeiras de médio porte. Março de 2014 O crédito imobiliário e as instituições financeiras de médio porte Março de 2014 SUSTENTABILIDADE DO CRÉDITO 60% Crédito Total/PIB (%) e Variação em 12 meses (%) 56,1% 50% 45,4% 40% 36,6% 34,1% 30% 31,4%

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito tiveram em março/2012 comportamentos distintos. De um lado por conta da nova redução da taxa

Leia mais

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12 JANEIRO 2,8451 2,7133 2,4903 2,3303 2,1669 1,9859 1,7813 1,6288 1,4527 1,3148 1,1940 1,0684 FEVEREIRO 2,8351 2,6895 2,4758 2,3201 2,1544 1,9676 1,7705 1,6166 1,4412 1,3048 1,1840 1,0584 MARÇO 2,8251 2,6562

Leia mais

ECONOMIA 25 de junho de 2015 Relatório de Crédito (dados de maio)

ECONOMIA 25 de junho de 2015 Relatório de Crédito (dados de maio) 11 12 13 14 15 16 jan/02 ago/02 mar/03 out/03 mai/04 dez/04 jul/05 fev/06 set/06 abr/07 nov/07 jun/08 jan/09 ago/09 mar/ out/ mai/11 dez/11 jul/12 fev/13 set/13 abr/14 nov/14 ECONOMIA 25 de junho de 15

Leia mais

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016 Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado do Paraná Safra 2016/2017 Mar/16 0,6048 0,6048 0,6048 66,04 73,77 Abr 0,6232 0,6232 0,5927 64,72 72,29 Mai 0,5585 0,5878 0,5868

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T de março de 2016

Teleconferência de Resultados 4T de março de 2016 Teleconferência de Resultados 4T15 22 de março de 2016 Agenda Cenário Setorial Destaques Operacionais Destaques Financeiros 2 Financiamento de Veículos Inadimplência em Financiamentos de Veículos Pessoa

Leia mais

EMPREGO E SALÁRIO DE SERVIÇOS DE SALVADOR (BA) - AGOSTO

EMPREGO E SALÁRIO DE SERVIÇOS DE SALVADOR (BA) - AGOSTO EMPREGO E SALÁRIO DE SERVIÇOS DE SALVADOR (BA) - AGOSTO 2010 - Elaboração: Francisco Estevam Martins de Oliveira, Estatístico AD HOC Revisão Técnica: José Varela Donato SUMÁRIO 1. RESULTADOS SINTÉTICOS

Leia mais

Coletiva de Imprensa. Financiamento Imobiliário 1º Semestre de São Paulo 26 de Julho de Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente

Coletiva de Imprensa. Financiamento Imobiliário 1º Semestre de São Paulo 26 de Julho de Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente Coletiva de Imprensa Financiamento Imobiliário 1º Semestre de 2016 Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente São Paulo 26 de Julho de 2016 Índice 1 2 3 4 5 6 Conjuntura Construção Civil Financiamento Imobiliário

Leia mais

Divulgação dos Resultados 4T13 e 2013

Divulgação dos Resultados 4T13 e 2013 Divulgação dos Resultados 4T13 e 2013 Market Share Indicadores dez/09 dez/10 dez/11 dez/12 set/13 Ativo Total * 10º 11º 11º 11º 11º Patrimônio Líquido * 11º 12º 11º 11º 11º Depósitos Totais 8º 8º 8º 7º

Leia mais

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 SUMÁRIO Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita de

Leia mais

Volume Total de Crédito

Volume Total de Crédito Parte I Volume de Crédito A) Recursos Livres e Recursos Direcionados Período R$ milhões Variação % Junho2005 535.594 Junho2015 3.102.172 490,2% Volume Total de Crédito 4.000.000 2.000.000 R$ milhões B)

Leia mais

1º semestre de 2015 Curitiba, 05 de agosto de 2015

1º semestre de 2015 Curitiba, 05 de agosto de 2015 1º semestre de 2015 Curitiba, 05 de agosto de 2015 PIB em trajetória de queda; Produção em retração; Crescimento do desemprego; Aumento dos juros; Inflação em crescimento; Retração dos investimentos; Queda

Leia mais

SINCOR-SP 2016 JULHO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2016 JULHO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JULHO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 Sumário Palavra do presidente... 4 Objetivo... 5 1. Carta de Conjuntura... 6 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 7 3. Análise macroeconômica...

Leia mais

INDX apresenta alta de 2,67% em março

INDX apresenta alta de 2,67% em março INDX apresenta alta de 2,67% em março Dados de Março/11 Número 51 São Paulo O Índice do Setor Industrial (INDX), composto pelas ações mais representativas do segmento, encerrou o mês de março de 2010,

Leia mais

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO Realizada entre os dias 01 e 04 de Novembro de 2016 Instituições participantes: 22 DESTAQUES DESTA EDIÇÃO Principais alterações

Leia mais

CNC - Divisão Econômica Rio de Janeiro

CNC - Divisão Econômica Rio de Janeiro CNC - Divisão Econômica Rio de Janeiro Abril de 2016 Peic Síntese dos Resultados Síntese dos Resultados Total de Endividados Dívidas ou Contas em Atraso Não Terão Condições de Pagar abr/15 61,6% 19,7%

Leia mais

A Abraciclo fecha o ano de 2012 com 13 associadas

A Abraciclo fecha o ano de 2012 com 13 associadas Local do evento: Amcham - SÃO PAULO, 06 DE DEZEMBRO DE 2012 Novas associadas BWM Motorrad Julho de 2012 Triumph Fabricação de Motocicletas Julho de 2012 A Abraciclo fecha o ano de 2012 com 13 associadas

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO MARÇO/ 2009

OPERAÇÕES DE CRÉDITO MARÇO/ 2009 OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN MARÇO/ 2009 Fonte: Bacen 23/04/2009 DESTAQUES DE MARÇO/ 2009 O estoque total de crédito contratado no SFN totalizou R$ 1,23 trilhões em Março. Esse montante representou uma

Leia mais

ANÁLISE DE MERCADO DISTRIBUIÇÃO DE AÇO. Janeiro / Análise Setorial: desenvolvimento INDA InfoMet

ANÁLISE DE MERCADO DISTRIBUIÇÃO DE AÇO. Janeiro / Análise Setorial: desenvolvimento INDA InfoMet ANÁLISE DE MERCADO DISTRIBUIÇÃO DE AÇO Janeiro / 2007 1 CAPÍTULO 1: Introdução CAPÍTULO 2: Segmentos consumidores Autopeças Construção Civil Indústria Automobilística Quatro Rodas Indústria Automobilística

Leia mais

Retomada do Investimento e Democratização do Crédito

Retomada do Investimento e Democratização do Crédito Destaques 22 de 14 Outubro de Abril de 29 2 Nº Nº 9 11 Retomada do Investimento e Democratização do Crédito - O desempenho recente do BNDES está, em grande medida, associado a três processos: (1) continuidade

Leia mais

PANORAMA DO CRÉDITO. Crédito ao Consumidor. Março Cezar Yoo Dellagatti Analista Econômico

PANORAMA DO CRÉDITO. Crédito ao Consumidor. Março Cezar Yoo Dellagatti Analista Econômico PANORAMA DO CRÉDITO Crédito ao Consumidor Março 2010 Cezar Yoo Dellagatti Analista Econômico cdellagatti@abbc.org.br ÍNDICE SUMÁRIO 03 CRÉDITO AO CONSUMIDOR 11 CRÉDITO REF. TAXA DE JUROS 14 SALDO 15 CONCESSÕES

Leia mais

Bancos financiam crescentemente a produção

Bancos financiam crescentemente a produção Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nota do dia 25 de julho de 2007 Fontes: Bacen, IBGE e CNI Elaboração: Febraban Bancos financiam crescentemente a produção Pessoa Jurídica O crédito destinado

Leia mais

Apresentação Semanal. De 04 a 15 de abril de Matheus Rosignoli

Apresentação Semanal. De 04 a 15 de abril de Matheus Rosignoli 1 Apresentação Semanal De 04 a 15 de abril de 2016 Matheus Rosignoli mrosignoli@santander.com.br Indicadores e eventos da última semana Mar-08 Jul-08 Nov-08 Mar-09 Jul-09 Nov-09 Mar-10 Jul-10 Nov-10 Mar-11

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente O papel do BNDES no desenvolvimento brasileiro nos próximos anos ANEFAC São Paulo, 30 de julho de 2012 Luciano Coutinho Presidente Papel dos Bancos de Desenvolvimento no mundo Apoiar e financiar o desenvolvimento

Leia mais

SINCOR-SP 2016 JUNHO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2016 JUNHO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 Sumário Palavra do presidente... 4 Objetivo... 5 1. Carta de Conjuntura... 6 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 7 3. Análise macroeconômica...

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO BRASILEIRO EM TEMPOS DE CRISE. Marcelo Barros Amanda Aires

CENÁRIO ECONÔMICO BRASILEIRO EM TEMPOS DE CRISE. Marcelo Barros Amanda Aires CENÁRIO ECONÔMICO ASILEIRO EM TEMPOS DE CRISE Marcelo Barros Amanda Aires SUMÁRIO Breve retrospectiva Demanda agregada Oferta agregada Crise política (contexto econômico) Emprego Análise de cenários PIB

Leia mais

Notas sobre a divulgação do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) JUNHO/2010

Notas sobre a divulgação do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) JUNHO/2010 Notas sobre a divulgação do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) JUNHO/2010 Dados divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego para junho de 2010 confirmam a recuperação do emprego

Leia mais

Coletiva de Imprensa 16 de Julho de 2014, São Paulo-SP

Coletiva de Imprensa 16 de Julho de 2014, São Paulo-SP Coletiva de Imprensa 16 de Julho de 2014, São Paulo-SP Frota de Motocicletas Visão Panorâmica Primeiro lançamento de moto no Brasil - Outubro 1974 Início de produção no Brasil - 1975 Associados 12 Fabricantes

Leia mais

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015 Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Mercado Imobiliário Brasileiro - VGL 2011-7% 2012 13% 2013 R$ 85,6 bilhões R$ 79,7 bilhões R$ 90,4 bilhões

Leia mais

ano V, n 46, Fevereiro de 2015

ano V, n 46, Fevereiro de 2015 ,, Fevereiro de 2015 EM FOCO O Índice de rentabilidade das exportações registrou queda de 10,1% em janeiro de 2015 na comparação com janeiro de 2014 (Tabela 1). A queda do Índice resultou da forte diminuição

Leia mais

Coletiva de Imprensa

Coletiva de Imprensa Coletiva de Imprensa ABECIP 1º Semestre 2014 Octavio de Lazari Junior Presidente - Abecip São Paulo, 24 Julho de 2014 Pauta: 1) Conjuntura Econômica 2) Carteiras de Crédito 3) Financiamento Imobiliário

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015 OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015 (dados junho de 2015) A SPE não é a fonte primária das informações disponibilizadas nesta apresentação. A SPE apenas consolida e organiza as informações

Leia mais

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Diretoria Adjunta de Análise e Disseminação de Informações Gerência de Indicadores Econômicos Em fevereiro de 2016, no acumulado de 12 meses,

Leia mais

RECALL SMITHS LISTA DOS PRODUTOS ENVOLVIDOS, IMPORTADOS AO BRASIL PELA CIRÚRGICA FERNANDES, COM INFORMAÇÕES SOBRE PRODUTOS VENDIDOS E EM ESTOQUE

RECALL SMITHS LISTA DOS PRODUTOS ENVOLVIDOS, IMPORTADOS AO BRASIL PELA CIRÚRGICA FERNANDES, COM INFORMAÇÕES SOBRE PRODUTOS VENDIDOS E EM ESTOQUE DOCUMENTO 2 LISTA DOS PRODUTOS ENVOLVIDOS, IMPORTADOS AO BRASIL PELA CIRÚRGICA FERNANDES, COM INFORMAÇÕES SOBRE PRODUTOS VENDIDOS E EM ESTOQUE 100.105.025 644425 10 10 fev/05 fev/10 9660 10/10/2005 13/10/2005

Leia mais

SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL

SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL Comissão de Acompanhamento da Crise Financeira e da Empregabilidade 26 DE MARÇO DE 2009 Fábio Colletti Barbosa Presidente ÍNDICE 1. A Crise Financeira Mundial 2. O Brasil, a Crise

Leia mais

Painel I: Negócios não-financeiros no BB. Denilson Gonçalves Molina Diretor de Cartões

Painel I: Negócios não-financeiros no BB. Denilson Gonçalves Molina Diretor de Cartões Painel I: Negócios não-financeiros no BB Denilson Gonçalves Molina Diretor de Cartões Mercado Brasileiro de Cartões 312,7 R$ bilhões 265,1 18,0% 41,7 Private Label 37,1 12,5% 90,6 Débito 74,8 21,1% 153,2

Leia mais

PESQUISA MENSAL DO COMERCIO VAREJISTA DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA (CE) - MARÇO 2016 -

PESQUISA MENSAL DO COMERCIO VAREJISTA DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA (CE) - MARÇO 2016 - PESQUISA MENSAL DO COMERCIO VAREJISTA DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA (CE) - MARÇO 2016 - Elaboração: Francisco Estevam Martins de Oliveira, Estatístico Coordenação de Campo: Roberto Guerra SUMÁRIO

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES AGOSTO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES AGOSTO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES AGOSTO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Prestação de Contas - LRF Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações

Prestação de Contas - LRF Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Prestação de Contas - LRF Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 Prestação de Contas - LRF

Leia mais

O m ercado de crédito e o papel do B N D ES

O m ercado de crédito e o papel do B N D ES O m ercado de crédito e o papel do B N D ES Demian Fiocca Presidente do BNDES FELABAN 13 DE NOVEMBRO DE 2006 www.bndes.gov.br 1 O CRÉDITO NA AMÉRICA LATINA A relação Crédito/PIB na América Latina é expressivamente

Leia mais