BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 1º TRIMESTRE/2013. Versão CPE - ACCB/CCMA/JJA/MAB/RSO 1/37

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 1º TRIMESTRE/2013. Versão CPE - ACCB/CCMA/JJA/MAB/RSO 1/37"

Transcrição

1 BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 1º TRIMESTRE/2013 Versão CPE - ACCB/CCMA/JJA/MAB/RSO 1/37 1/39 1/74 1/6

2 INFORMAÇÃO E CONHECIMENTO

3 ECONOMIA

4 PIB CRESCIMENTO NO ANO 8,0% 7,5% 7,0% 6,0% 5,0% 6,1% 5,2% Previsão Focus 10/05/13 4,0% 3,0% 3,9% 2,7% 3,0% 3,5% 2,0% 1,0% 0,0% -1,0% -0,3% 0,9% Fonte: BACEN/IBGE

5 META SELIC (a.a.%) 28,0 24,0 20,0 16,0 26,5 O Banco Central do Brasil vinha reduzindo a taxa básica de juros (Selic) desde agosto de Com a última redução, em outubro de 2012, para 7,25%, a taxa Selic atingiu seu menor valor histórico. Em abril de 2013, ela teve uma alta de 0,25%, passando a 7,5%. 12,0 8,0 Abr/13 7,5 4,0 Fonte: BACEN

6 IPCA

7

8 EMPREGO NO BRASIL Crescimento comparado ao mesmo mês do ano anterior (%) 20,0% 15,0% 10,0% 5,0% 0,0% -5,0% Fonte: MTE -10,0% Imobiliário Infraestrutura

9 jan-11 fev-11 mar-11 abr-11 mai-11 jun-11 jul-11 ago-11 set-11 out-11 nov-11 dez-11 jan-12 fev-12 mar-12 abr-12 mai-12 jun-12 jul-12 ago-12 set-12 out-12 nov-12 dez-12 jan-13 fev-13 mar-13 GERAÇÃO DE EMPREGO Crescimento comparado ao mesmo mês do ano anterior (%) 15,0% 10,0% 5,0% 0,0% -5,0% -10,0% Preparação de terrenos Serviços de engenharia Fonte: MTE

10 total EMPREGO CONSTRUÇÃO BRASIL (observado e projeção) Imobiliário Total Imobiliário Fonte: MTE / Projeção: FGV

11

12 DEMANDA DO MERCADO IMOBILIÁRIO

13 DEMANDA HABITACIONAL O crescimento da demanda habitacional é influenciado, principalmente, por fatores como: Distribuição etária da população; Padrões de conjugalidade e idade média ao casar; Formação de novos arranjos familiares; Níveis de renda e capacidade de pagamento. Fonte: Demanda Habitacional no Brasil Caixa 2011

14 AUMENTO DOS CASAMENTOS NO BRASIL Em 2010 foram registrados 977 mil casamentos Crescimento de 4,5% em relação a 2009 Idade média no primeiro casamento - Brasil Homens Mulheres Fontes: IBGE / Estatísticas do Registro Civil 2000/2010

15 NOVOS PADRÕES DE CONJULIDADE A DIVERSIFICAÇÃO DOS ARRANJOS FAMILIARES É MAIS UM FATOR QUE INFLUENCIA DIRETAMENTE NO AUMENTO DO NÚMERO DE DOMICÍLIOS A família nuclear vem perdendo relevância para a monoparental e para outros arranjos, compostos por vários membros de uma mesma família ou apenas parentes mais íntimos; Aumento do número de divórcios. Fonte: Demanda Habitacional no Brasil Caixa 2011

16 ARRANJOS FAMILIARES COM PARENTESCO Part.% Var% = -20% Var% = 58% Unipessoal Casal c/filhos Casal s/filhos Mulher s/cônjuge com filho Var% = 35% Var% = 15% Fonte: IBGE

17 DIVÓRCIOS CRESCEM 36,8% - Recorde no País Em 2010, foram registrados 243 mil divórcios, entre processos judiciais e escrituras públicas Fonte: IBGE / O Estado de S. Paulo

18 LANÇAMENTOS

19 LANÇAMENTOS RESIDENCIAIS Cidade de São Paulo Comportamento mensal mil unidades Média= 1,1 Média= 2,1 Média= 1,7 Média= 1,2 Média= 1,8 4,0 2,9 2,8 0,4 1,2 1,6 0,6 1,6 0,7 1,5 0,7 1,4 1,6 0,7 1,8 jan fev mar jan fev mar jan fev mar jan fev mar jan fev mar Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi-SP

20 LANÇAMENTOS RESIDENCIAIS Cidade de São Paulo mil unidades 7,0 6,2 Média = 4,6 mil unidades 4,7 4,6 5,1 5,3 3,9 2,7 3,2 3,7 23% -42% 70% 52% -55% 96% -17% -28% 44% 1T04 1T05 1T06 1T07 1T08 1T09 1T10 1T11 1T12 1T13 Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi-SP

21 LANÇAMENTOS RESIDENCIAIS Cidade de São Paulo Em mil unidades 1 DORM 2 DORM 3 DORM 4 DORM TOTAL 1T09 0,0 1,5 1,0 0,6 3,2 1T10 0,9 2,7 2,3 0,3 6,2 1T11 0,5 2,2 2,0 0,4 5,1 1T12 0,2 2,4 0,8 0,4 3,7 Variação 1T13/1T12 1 Dormitório = 432% 4 Dormitórios = 110% 1T13 0,9 2,5 1,2 0,8 5,3 Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi-SP

22 LANÇAMENTOS RESIDENCIAIS Cidade de São Paulo Comportamento mensal bilhões (R$) atualizado pelo INCC* Média= 0,4 Média= 0,8 Média= 0,8 Média= 0,7 Média= 1,2 2,4 1,6 1,4 0,3 0,3 0,7 0,2 0,5 0,2 0,9 0,5 0,7 0,9 0,3 0,8 jan fev mar jan fev mar jan fev mar jan fev mar jan fev mar Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi-SP *INCC-DI março/13

23 LANÇAMENTOS RESIDENCIAIS Cidade de São Paulo VGVL em bilhões de (R$) atualizado pelo INCC* 3,5 Média = R$ 2,2 bilhões 2,2 2,7 2,6 2,0 2,3 2,6 2,1 1,2 1,3 1T04 1T05 1T06 1T07 1T08 1T09 1T10 1T11 1T12 1T13 Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi-SP *INCC-DI março/13

24 LANÇAMENTOS RESIDENCIAIS Cidade de São Paulo Em bilhões de (R$) atualizados pelo INCC* 1 DORM 2 DORM 3 DORM 4 DORM TOTAL 1T09 0,0 0,3 0,4 0,6 1,3 1T10 0,3 0,8 0,9 0,4 2,3 1T11 0,2 0,8 1,0 0,6 2,6 1T12 0,1 0,8 0,5 0,7 2,1 Variação 1T13/1T12 1 Dormitório = 487% 4 Dormitórios = 124% 1T13 0,4 0,9 0,7 1,5 3,5 Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi-SP *INCC-DI março/13

25 PROJETOS APROVADOS X LANÇAMENTOS RESIDENCIAIS Município de São Paulo - Acumulado 12 meses - em mil unidades Ago/08 45,6 Set/11 54,5 40 Mar/13 41, Jul/09 25,0 Set/10 32,1 30, Projetos Aprovados Lançamentos Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi-SP

26 VARIAÇÃO DE PREÇO (São Paulo e Rio de Janeiro)

27 PREÇO MÉDIO ANUAL ÁREA ÚTIL Imóveis Residenciais Verticais Novos Município de São Paulo 8 R$ Mil 6,6 6 5,2 2,7 3,1 3,2 3,5 3,2 3,6 3, ,2 7, * Var % do Preço e Var % Real em relação ao ano anterior 40% 33% 27% 30% 20% 9% 16% 10% 12% 7% 10% 10% 4,7% 2% 23,8% -8% 17,7% 3% 0% -4,7% 4,8% 0,4% 3,8% 3,0% 1,4% -10% -5,0% -20% -12,9% Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi-SP Preço Var% Real * 2013 Acum. 12 meses (abr/12 a mar/13)

28 COMERCIALIZAÇÃO

29 COMERCIALIZAÇÃO RESIDENCIAL- Cidade de São Paulo Comportamento mensal mil unidades Média= 1,6 Média= 2,8 Média= 1,4 Média= 1,8 Média= 2,3 4,1 4,1 2,9 1,1 1,6 2,2 1,5 0,8 1,9 1,6 1,1 2,1 2,2 0,8 1,9 jan fev mar jan fev mar jan fev mar jan fev mar jan fev mar Fonte: Secovi-SP

30 VENDAS RESIDENCIAIS Cidade de São Paulo Em mil unidades 8,5 8,5 6,9 Média = 5,9 unidades 4,9 5,0 5,2 5,7 4,8 4,3 5,4 2% 5% 9% 49% -43% 75% -50% 27% 27% 1T04 1T05 1T06 1T07 1T08 1T09 1T10 1T11 1T12 1T13 Fonte: Secovi-SP

31 COMERCIALIZAÇÃO RESIDENCIAL Cidade de São Paulo Em mil unidades 1 DORM 2 DORM 3 DORM 4 DORM TOTAL 1T09 0,1 1,8 2,0 1,0 4,9 1T10 0,9 3,0 3,1 1,5 8,5 1T11 0,5 1,8 1,3 0,6 4,3 1T12 0,4 2,7 1,7 0,6 5,4 Variação 1T13/1T12 1 Dormitório = 203% 4 Dormitórios = 100% 1T13 1,3 3,1 1,4 1,1 6,9 Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi-SP

32 COMERCIALIZAÇÃO RESIDENCIAL Cidade de São Paulo Comportamento mensal bilhões (R$) atualizado pelo INCC * Média = 0,7 Média = 1,3 Média = 0,8 Média = 1,0 Média = 1,5 3,2 1,9 1,4 0,5 0,5 1,0 0,7 1,1 0,5 0,9 0,9 0,5 1,0 0,4 0,9 jan fev mar jan fev mar jan fev mar jan fev mar jan fev mar Fonte: Secovi-SP *INCC-DI março/13

33 VENDAS RESIDENCIAIS Cidade de São Paulo VGV atualizado pelo INCC* - R$ bilhões 4,5 3,8 3,8 Média = R$2,9 bilhões 2,5 2,3 2,5 2,8 2,0 2,3 2,9 1T04 1T05 1T06 1T07 1T08 1T09 1T10 1T11 1T12 1T13 Fonte: Secovi-SP *INCC-DI março/13

34 COMERCIALIZAÇÃO RESIDENCIAL - Cidade de São Paulo Em bilhões de (R$) atualizados pelo INCC* 1 DORM 2 DORM 3 DORM 4 DORM TOTAL 1T09 0,0 0,4 0,7 0,9 2,0 1T10 0,2 0,9 1,2 1,4 3,8 1T11 0,2 0,7 0,6 0,8 2,3 Variação 1T13/1T12 1 Dormitório = 200% 4 Dormitórios = 148% 1T12 0,2 1,0 1,0 0,8 2,9 1T13 0,6 1,1 0,8 2,0 4,5 *INCC-DI março/13 Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi-SP

35 COMPARATIVO LANÇS. VENDAS - Cidade de São Paulo Em mil unidades 1T13 5,3 6,9 1º trimestre tendência de redução de estoque 1T12 3,7 5,4 1T11 4,3 5,1 Vendas Lançamentos 1T10 6,2 8,5 1T09 3,2 4,8 Fonte: Embraesp e Secovi-SP

36 COMPARATIVO LANÇS. VENDAS Cidade de São Paulo bilhões (R$) atualizado pelo INCC 1T13 3,5 4,5 1T12 2,1 2,9 1T11 2,3 2,6 Vendas 1T10 2,3 3,8 Lançamentos 1T09 1,3 2,0 Fonte: Embraesp e Secovi-SP

37 LANÇS. E VENDAS DE IMÓVEIS RESIDENCIAIS Município de São Paulo - Acumulado de 12 meses - em mil unidades Ago/08 45, Ago/08 43,1 Ago/09 27,0 Mar/13 31, Jul/09 25,0 Mar/13 28, Lançamentos Vendas Fontes: Embraesp e Secovi-SP

38 LANÇS. E VENDAS DE IMÓVEIS RESIDENCIAIS 25 Município de São Paulo - Acumulado de 12 meses Em bilhões de reais atualizados pelo INCC* Ago/08 21, Ago/08 20,7 Ago/09 10,9 Ago/09 10,5 Mar/13 16,9 Mar/13 15,4 5 0 Lançamentos Vendas *INCC-DI março/13 Fonte: Embraesp e Secovi-SP

39 VSO* ACUMULADO (%) Média = 61,1 46,4 53,5 61,6 67,6 62,2 73,4 68,3 59,0 57,8 VSO Acum. Média *Vendas sobre Oferta Fonte: Secovi-SP

40 RMSP

41 PIB REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO 2010 Participação porcentual do Interior em relação ao Estado e ao País ESTADO DE SÃO PAULO BRASIL INTERIOR 44% RMSP 21% SP CAPITAL 35% RMSP 19% Brasil 81% Fonte: Seade / IBGE

42 DISTRIBUIÇÃO DE DOMICÍLIOS Distribuição percentual dos domicílios particulares permanentes, segundo o número de moradores na Região Metropolitana de São Paulo N de moradores Participação 1 morador 13% 2 moradores 23% 3 moradores 26% 4 moradores 22% 5 ou mais moradores 16% Fonte: IBGE

43 PIRÂMIDE ETÁRIA Região Metropolitana de São Paulo Anos e Mais 70 a 74 Anos 65 a 69 Anos 60 a 64 Anos 55 a 59 Anos 50 a 54 Anos 45 a 49 Anos 40 a 44 Anos 35 a 39 Anos 30 a 34 Anos 25 a 29 Anos 20 a 24 Anos 15 a 19 Anos 10 a 14 Anos 5 a 9 Anos 0 a 4 Anos Fonte: Seade / IBGE Feminino Masculino

44 OUTRAS CIDADES RMSP Área x População Km² Mil Pessoas , , ,66 61,87 64, , ,69 30,8 15, Área População Fonte: IBGE

45 OUTRAS CIDADES RMSP PIB x População R$ Milhões Mil Pessoas 40,00 35,00 30,00 25,00 20,00 15,00 10,00 5,00 0, PIB 2010 População Fonte: Seade

46 PIB RMSP Segmentado por setores 0% 24% Serviços Indústria 76% Agropecuária Fonte: Seade / IBGE

47 MERCADO IMOBILIÁRIO DA RMSP

48 LANÇS. IMÓVEIS RESIDENCIAIS Região Metropolitana de São Paulo Mil Unidades 70,8 67,4 62,1 63,0 53,5 56,4 55% 54% 63% 57% 33,7 34,7 59% 51% 28,2 74% 80% 74% 37% 45% 41% 46% 43% 49% 20% 26% 26% OUTRAS CIDADES SÃO PAULO Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi-SP

49 LANÇ. IMÓVEIS RESIDENCIAIS Região Metropolitana de São Paulo em mil unidades 14,6 Média = 7,6 4,8 19% 81% 6,2 24% 76% 3,6 23% 77% 6,3 27% 73% 10,7 35% 65% 4,9 36% 64% 58% 42% 10,3 50% 50% 6,6 44% 56% 7,9 33% 67% 1T04 1T05 1T06 1T07 1T08 1T09 1T10 1T11 1T12 1T13 São Paulo Outras Cidades Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi-SP

50 LANÇS. IMÓVEIS RESIDENCIAIS Região Metropolitana de São Paulo - Em bilhões de (R$) atualizados pelo INCC* 5 4 4,0 3,9 4,2 17% ,5 11% 89% 3,0 11% 89% 1,4 14% 86% 3,1 17% 83% 3,2 37% 63% 1,6 21% 79% 42% 58% 35% 65% 3,0 31% 69% 83% 0 1T04 1T05 1T06 1T07 1T08 1T09 1T10 1T11 1T12 1T13 São Paulo Outras Cidades *INCC-DI março/13 Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi-SP

51 COMPARATIVO LANÇS. E VENDAS - RMSP Em mil unidades 1T13 7,9 11,5 1T12 6,6 9,7 Vendas Lançamentos 1T11 10,2 10,3 1T10 14,6 16,8 Fonte: Embraesp e Secovi-SP

52 COMPARATIVO LANÇS. E VENDAS - RMSP bilhões (R$) atualizado pelo INCC* 1T13 4,2 6,2 1T12 3,0 4,3 Vendas 1T11 4,1 3,9 Lançamentos 1T10 4,0 5,7 *INCC-DI março/13 Fonte: Embraesp e Secovi-SP

53 LANÇS. E VENDAS DE IMÓVEIS RESIDENCIAIS - RMSP 80 Região Metropolitana de São Paulo - Acumulado de 12 meses Em milhares de unidades Mar/13 57,8 Mar/13 52, Lançamentos Vendas Fonte: Embraesp e Secovi-SP

54 LANÇS. E VENDAS DE IMÓVEIS RESIDENCIAIS - RMSP 35 Região Metropolitana de São Paulo - Acumulado de 12 meses Em bilhões de reais atualizados pelo INCC* Mar/13 25,7 Mar/13 23, Lançamentos Vendas *INCC-DI março/13 Fonte: Embraesp e Secovi-SP

55 EMPREENDIMENTOS COMERCIAIS

56 LANÇS. DE IMÓVEIS COMERCIAIS Cidade de São Paulo Acumulado em 12 meses em mil unidades % dos lançamentos têm menos de 45m² de área útil mar/13 6, Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi-SP

57 LANÇS. IMÓVEIS COMERCIAIS Cidade de São Paulo Acumulado em 12 meses em bilhões de (R$) atualizado pelo INCC* mar/13 R$ 3, Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi-SP *INCC-DI março/13

58 LANÇS. E VENDAS DE IMÓVEIS COMERCIAIS Cidade de São Paulo referente ao 1º trimestre de 2013 unidades valores milhões (R$) Atualizado pelo INCC* ,5 408,2 Fonte: Embraesp e Secovi-SP Lançamentos Vendas *INCC-DI março/13

59 FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO

60 CAPTAÇÃO LÍQUIDA DA POUPANÇA Segundo o Banco Central, 40% do saldo da poupança do SBPE são provenientes de depósitos, conforme a nova regra de atualização, vigente desde maio de Fonte: Abecip

61 FINANCIAMENTO HABITACIONAL - Aquisição 140 Imóveis Novos milhares de unidades Acumulado no ano , ,0 15% 119, % 58,1 41,8 58% 32,8 39% 21,2 27% 12,7 26,8 55% 67% * *até março consolidado Fonte: Bacen / Elaboração: Secovi-SP

62 FINANCIAMENTO HABITACIONAL - Aquisição 25 Imóveis Novos bilhões de reais (R$) Acumulado no ano 22, ,9 26% 19,9 15% ,8 5,5 79% 3,8 2,3 60% 45% 1,1 67% 5,4 109% * *até março consolidado Fonte: Bacen / Elaboração: Secovi-SP

63 FINANCIAMENTO HABITACIONAL - Aquisição Imóveis Usados milhares de unidades Acumulado no ano 181,3 173,8 161,5 4% 122,2 104,6 8% 85,9 32% 17% 55,7 22% 54% 15% 208,5 47, * *até março consolidado Fonte: Bacen / Elaboração: Secovi-SP

64 FINANCIAMENTO HABITACIONAL - Aquisição Imóveis Usados bilhões de reais (R$) 45 Acumulado no ano 40 39, , ,9 15% 25 22,9 20% ,6 26% 10, % 6,7 3,8 46% 5 49% 9,6 0 79% * *até março consolidado Fonte: Bacen / Elaboração: Secovi-SP

65 FINANCIAMENTO HABITACIONAL - Construção milhares de unidades Acumulado no ano 196,7 220,8 186, ,1 132,8-26% 162,4 15% ,5 87,7 84% -18% 48% 12% 0 101% 28, * *até março consolidado Fonte: Bacen / Elaboração: Secovi-SP

66 FINANCIAMENTO - Aquisição e Construção bilhões de reais (R$) Acumulado por ano 35,0 32, ,9 24,2 15% -20% 16,2 13,7 44% 9,2 76% 4,5-15% 75% 107% 5, * *até março consolidado Fonte: Bacen / Elaboração: Secovi-SP

67 FINANCIAMENTO - Aquisição e Construção Acumulado em 12 meses em milhares de unidades Construção Aquisição Novos Aquisição Usados Fonte: Bacen / Elaboração: Secovi-SP

68 FINANCIAMENTO - Aquisição e Construção 80 Acumulado em 12 meses em bilhões de reais Construção Aquisição Novos Aquisição Usados Fonte: Bacen / Elaboração: Secovi-SP

69 FINANCIAMENTO HABITACIONAL Aquisição e Construção em milhares de unidades Acumulado no trimestre Aquisição Construção 75, ,6 54,4 44, ,5 34,4 32,7 104,8 103,9 103,0 56,2 65,3 74, ,3 22,0 48,6 38,6 14,3 30,2 30,7 28,5 21,7 12,4 6,0 1T06 1T07 1T08 1T09 1T10 1T11 1T12 1T13 Fonte: Bacen / Elaboração: Secovi-SP

70 FINANCIAMENTO HABITACIONAL Aquisição e Construção em bilhões de reais Acumulado no trimestre 17,6 Aquisição 16,0 Construção 8,8 11,6 10,0 20,4 15, ,2 5,5 5,8 2,9 2,4 3,5 7,2 1,6 5,9 1,7 5,4 3,0 3,7 1,0 0,6 1,2 2,3 1T06 1T07 1T08 1T09 1T10 1T11 1T12 1T13 Fonte: Bacen / Elaboração: Secovi-SP

71

72 PARTICIPAÇÃO CRÉDITO IMOBILIÁRIO NO PIB Reino Unido 2010 EUA 2010 Portugal 2010 Espanha 2010 Canadá 2010 Alemanha 2010 França 2010 África do Sul 2010 Itália 2010 Chile 2010 China 2007 México 2010 Brasil 2012 Rússia 2009 Índia 2011 Argentina ,5% 10,0% 9,7% 6,3% 5,6% 3,5% 1,6% 22,7% 29,0% 41,2% 46,5% 66,3% 64,0% 63,9% 76,5% 85,0% FONTE: Abecip

73 CONCLUSÕES O resultado deste 1º trimestre, em nossa opinião, não pode ser considerado tendência de mercado; Fatores Positivos: demanda e crédito continuam favorecendo o mercado imobiliário; Fatores Negativos: a continuidade do volume de lançamentos preocupa, por não haver reposição de projetos/terrenos; a demora na readequação do enquadramento dos imóveis no SFH (R$ 500 mil, desde março de 2009); Acompanhamento da revisão do Plano Diretor Estratégico e do Código de Obras e Edificações é fundamental; Manutenção da expectativa de crescimento do mercado (lançamentos e vendas) de 5% a 10% no ano.

74 MUITO OBRIGADO SECOVI-SP

Conjuntura Econômica e o Mercado Imobiliário

Conjuntura Econômica e o Mercado Imobiliário Conjuntura Econômica e o Mercado Imobiliário Ricardo Yazbek Vice Presidente do Secovi-SP IBAPE - 16/09/2016 Economia Produto Interno Bruto do Brasil (%) 0,5% 4,4% 1,4% 3,1% 1,1% 5,8% 3,2% 4,0% 6,1% 5,1%

Leia mais

Construção civil: balanço e perspectivas 2/12/2013

Construção civil: balanço e perspectivas 2/12/2013 Construção civil: balanço e perspectivas 2/12/2013 Balanço 2013 As expectativas eram modestas Lançamentos e vendas no mercado imobiliário voltam a crescer; Investimentos em infraestrutura crescem mais

Leia mais

Momento Econômico e Perspectivas de um Novo Mercado. Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP VPITU. 27/10/2016 Construindo o Grande ABC

Momento Econômico e Perspectivas de um Novo Mercado. Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP VPITU. 27/10/2016 Construindo o Grande ABC Momento Econômico e Perspectivas de um Novo Mercado Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP 27/10/2016 Construindo o Grande ABC VPITU Economia 2 Atividade econômica - % de crescimento do PIB no Brasil

Leia mais

Panorama do Mercado Imobiliário

Panorama do Mercado Imobiliário Panorama do Mercado Imobiliário Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP Entendendo o Mercado Imobiliário Leis 4.380 (BNH) e 4.591 (Incorporação Imobiliária) Extinção do BNH Pré- 1964 1964 1966 1986

Leia mais

Cenário macroeconômico e a construção civil 29/5/2012

Cenário macroeconômico e a construção civil 29/5/2012 Cenário macroeconômico e a construção civil 29/5/2012 O papel da construção no desenvolvimento sustentado Há cinco anos, o setor da construção iniciou um ciclo virtuoso de crescimento: Esse ciclo foi pavimentado

Leia mais

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 2001 2010 A DÉCADA DA RETOMADA CELSO PETRUCCI Diretor Executivo Economista-chefe do Secovi-SP Versão 1005133-20100617 CPE CPE - ACCB/CCMA/JJA/MAB/RSO - ACCB/JJA/MAB/RSO 1/37

Leia mais

Subtítulo da Apresentação

Subtítulo da Apresentação Subtítulo da Apresentação MOTIVAÇÃO METODOLOGIA 15 cidades analisadas Análise do valor médio dos imóveis cadastrados no VivaReal 15 cidades + 1,8 mi Maior Base de imóveis entre os portais Análise de Intenção

Leia mais

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015 Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Mercado Imobiliário Brasileiro - VGL 2011-7% 2012 13% 2013 R$ 85,6 bilhões R$ 79,7 bilhões R$ 90,4 bilhões

Leia mais

A Força do Grande ABC no Mercado Imobiliário de São Paulo. Flavio Amary Vice-Presidente do Secovi-SP

A Força do Grande ABC no Mercado Imobiliário de São Paulo. Flavio Amary Vice-Presidente do Secovi-SP A Força do Grande ABC no Mercado Imobiliário de São Paulo Flavio Amary Vice-Presidente do Secovi-SP Momento Econômico Atual Indicadores Econômicos Taxa de Desemprego (média) Medo Desemprego 11,5% 97,50

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P D E Z E M B R O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: R$ 9,0 bilhões Saldo: R$ 516,0 bilhões Financiamentos

Leia mais

Bolha Imobiliaria ou Novo Patamar de Preços? Claudio Bernardes

Bolha Imobiliaria ou Novo Patamar de Preços? Claudio Bernardes Bolha Imobiliaria ou Novo Patamar de Preços? Claudio Bernardes BOLHA IMOBILIÁRIA Aumento de preços dirigidos NÃO por fundamentos econômicos, mas por mera expectativa de aumento futuro de preços INDÍCIOS

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

Coletiva de Imprensa. Balanço de 2014 Expectativas para 2015

Coletiva de Imprensa. Balanço de 2014 Expectativas para 2015 Coletiva de Imprensa Balanço de 2014 Expectativas para 2015 Octavio de Lazari Junior Presidente São Paulo, 21 de Janeiro de 2015 Sumário 1. Cenário Macroeconômico 2. Construção Civil 3. Mercado de Crédito

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

O crédito imobiliário e as instituições financeiras de médio porte. Março de 2014

O crédito imobiliário e as instituições financeiras de médio porte. Março de 2014 O crédito imobiliário e as instituições financeiras de médio porte Março de 2014 SUSTENTABILIDADE DO CRÉDITO 60% Crédito Total/PIB (%) e Variação em 12 meses (%) 56,1% 50% 45,4% 40% 36,6% 34,1% 30% 31,4%

Leia mais

Panorama da Economia Brasileira

Panorama da Economia Brasileira Panorama da Economia Brasileira Nelson Barbosa Secretário de Política Econômica Brasília, 23 de novembro de 2009 1 PRODUÇÃO INDUSTRIAL Índice com ajuste sazonal (jan/2007 = 100) 115 110 110,9 105 101,89

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P M A I O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S São Paulo, 28 de junho de 2016 Em maio, crédito imobiliário somou R$ 3,9 bilhões Poupança

Leia mais

OS IMPACTOS MACROECONÔMICOS NO CRÉDITO IMOBILIÁRIO: O QUE APRENDEMOS NAS DUAS ÚLTIMAS DÉCADAS

OS IMPACTOS MACROECONÔMICOS NO CRÉDITO IMOBILIÁRIO: O QUE APRENDEMOS NAS DUAS ÚLTIMAS DÉCADAS OS IMPACTOS MACROECONÔMICOS NO CRÉDITO IMOBILIÁRIO: O QUE APRENDEMOS NAS DUAS ÚLTIMAS DÉCADAS José Aguiar Superintendente - Abecip Rio de Janeiro, 18 de Setembro de 2014 AGENDA: Overview Pilares do crescimento

Leia mais

Setembro/2016. Mercado imobiliário da cidade de São Paulo apresenta melhores indicadores em setembro CIDADE DE SÃO PAULO.

Setembro/2016. Mercado imobiliário da cidade de São Paulo apresenta melhores indicadores em setembro CIDADE DE SÃO PAULO. Setembro/2016 CIDADE DE SÃO PAULO Números do mês: Vendas = 1.717 unidades Lançamentos = 2.165 unidades Mercado imobiliário da cidade de São Paulo apresenta melhores indicadores em setembro COMERCIALIZAÇÃO

Leia mais

Pesquisa Secovi SP registra aumento nas vendas em junho

Pesquisa Secovi SP registra aumento nas vendas em junho Pesquisa Secovi SP registra aumento nas vendas em junho Volume lançamentos também surpreendeu no mês, encerrando semestre com resultados positivos para o mercado na Capital A cidade de São Paulo encerrou

Leia mais

1. Mercado e Construção Civil. 2. Números do Crédito Imobiliário. 3. Informações MCMV. 4. funding. 5. Ações relevantes. 6.

1. Mercado e Construção Civil. 2. Números do Crédito Imobiliário. 3. Informações MCMV. 4. funding. 5. Ações relevantes. 6. Reunião Fev 2016 1. Mercado e Construção Civil 2. Números do Crédito Imobiliário 3. Informações MCMV 4. funding 5. Ações relevantes 6. Pauta CAIXA 2 Mercado de Trabalho Construção Civil #00 Fonte: CAGED

Leia mais

Mercado Imobiliário Brasil Situação, Tendências e Perspectivas. Nosso negócio é fazer negócios!

Mercado Imobiliário Brasil Situação, Tendências e Perspectivas. Nosso negócio é fazer negócios! Mercado Imobiliário Brasil Situação, Tendências e Perspectivas Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, e não há sucesso no que não se gerencia

Leia mais

Construção civil: cenário atual e perspectivas 06/05/2015

Construção civil: cenário atual e perspectivas 06/05/2015 Construção civil: cenário atual e perspectivas 06/05/2015 Crescimento chinês da construção Taxa de crescimento entre 2007 a 2012 90% 82,61% 83,30% 80% 76,70% 70% 68,07% 60% 50% 40% 41,8% 30% 20% 10% 9,95%

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P A G O S T O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: - R$ 3,5 bilhões Saldo: R$ 495,4 bilhões Financiamentos

Leia mais

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 1º SEMESTRE DE 2013

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 1º SEMESTRE DE 2013 BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 1º SEMESTRE DE 2013 1 2 ÍNDICE ECONOMIA MERCADO IMOBILIÁRIO CIDADE SÃO PAULO Lançamentos Comercialização REGIÃO METROPOLITANA EMPREENDIMENTOS COMERCIAIS MERCADO NACIONAL

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P N O V E M B R O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: R$ 2,6 bilhões Saldo: R$ 503,8 bilhões Financiamentos

Leia mais

A Infraestrutura e o Mercado Imobiliário. Flavio Amary Presidente do Secovi-SP VPITU 30/11/2016 FIESP

A Infraestrutura e o Mercado Imobiliário. Flavio Amary Presidente do Secovi-SP VPITU 30/11/2016 FIESP A Infraestrutura e o Mercado Imobiliário Flavio Amary Presidente do Secovi-SP 30/11/2016 FIESP VPITU Sobre o Secovi SP - Desde 1946, o Secovi-SP, Sindicato da Habitação - Representa as áreas de parcelamento

Leia mais

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO 1 PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) 1984-2014 2 2 FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO DESAFIOS DA ECONOMIA BRASILEIRA: DEMOGRAFIA, MERCADO DE TRABALHO E AMBIENTE EXTERNO 3 3 O BAIXO DESEMPREGO NO

Leia mais

Coletiva de Imprensa

Coletiva de Imprensa Coletiva de Imprensa ABECIP 1º Semestre 2014 Octavio de Lazari Junior Presidente - Abecip São Paulo, 24 Julho de 2014 Pauta: 1) Conjuntura Econômica 2) Carteiras de Crédito 3) Financiamento Imobiliário

Leia mais

Coletiva de Imprensa. Financiamento Imobiliário 1º Semestre de São Paulo 26 de Julho de Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente

Coletiva de Imprensa. Financiamento Imobiliário 1º Semestre de São Paulo 26 de Julho de Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente Coletiva de Imprensa Financiamento Imobiliário 1º Semestre de 2016 Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente São Paulo 26 de Julho de 2016 Índice 1 2 3 4 5 6 Conjuntura Construção Civil Financiamento Imobiliário

Leia mais

Nova queda do PIB não surpreende mercado

Nova queda do PIB não surpreende mercado Nova queda do PIB não surpreende mercado Os dados do Produto Interno Bruto (PIB) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE) nesta primeira semana de março mostram a tendência

Leia mais

Estabilização dos preços nos mercados de Real Estate residencial. A bolha arrefeceu? Claudio Bernardes Presidente do Secovi-SP

Estabilização dos preços nos mercados de Real Estate residencial. A bolha arrefeceu? Claudio Bernardes Presidente do Secovi-SP Estabilização dos preços nos mercados de Real Estate residencial. A bolha arrefeceu? Claudio Bernardes Presidente do Secovi-SP BOLHA IMOBILIARIA Aumento de preços dirigidos NÃO por fundamentos economicos,

Leia mais

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira 39º Prêmio Exportação Rio Grande do Sul - 2011 Alexandre Tombini Presidente do Banco Central do Brasil 20 de Junho de 2011 Conquistas da Sociedade Brasileira

Leia mais

Construção civil: desempenho em 2011 e perspectivas para /12/2011

Construção civil: desempenho em 2011 e perspectivas para /12/2011 Construção civil: desempenho em 2011 e perspectivas para 2012 6/12/2011 Desempenho e perspectivas A revisão do PIB Desempenho da cadeia em 2011 Perspectivas Revisão dos números do PIB 2009 Destaque: Os

Leia mais

Novembro/2016. As vendas de imóveis em São Paulo aumentam em novembro de 2016 CIDADE DE SÃO PAULO. Números do mês: Acumulado 12 meses.

Novembro/2016. As vendas de imóveis em São Paulo aumentam em novembro de 2016 CIDADE DE SÃO PAULO. Números do mês: Acumulado 12 meses. Novembro/2016 CIDADE DE SÃO PAULO Números do mês: Vendas = 1.724 unidades Lançamentos = 3.214 unidades Oferta Final = 24.968 unidades As vendas de imóveis em São Paulo aumentam em novembro de 2016 COMERCIALIZAÇÃO

Leia mais

Crédito Imobiliário Bradesco Apresentação BBI São Paulo, 11 de abril 2017

Crédito Imobiliário Bradesco Apresentação BBI São Paulo, 11 de abril 2017 Bradesco Apresentação BBI São Paulo, 11 de abril 2017 Pilares de Sustentação 1.Ambiente Econômico 2.Funding 3.Segurança Jurídica CRÉDITO IMOBILIÁRIO 2 Ambiente Econômico 2017 Inflação Taxa de Juros Renda

Leia mais

SINCOR-SP 2017 MAIO 2017 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2017 MAIO 2017 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS MAIO 2017 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS Sumário Palavra do presidente... 4 Objetivo... 7 1. Carta de Conjuntura... 8 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 9 3. Análise macroeconômica... 12

Leia mais

SECOVI. Teotonio Costa Rezende. Diretor Executivo de Habitação Caixa Econômica Federal

SECOVI. Teotonio Costa Rezende. Diretor Executivo de Habitação Caixa Econômica Federal SECOVI Teotonio Costa Rezende Diretor Executivo de Habitação Caixa Econômica Federal Sumário Plano de Negócios Cenário Medidas para aumentar o crédito PMCMV Faixa 1,5 Expectativas PMCMV 2017 Histórico

Leia mais

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Junho de 2010 Wilson R. Levorato Diretor Geral Brasil e a crise internacional: porque nos saímos tão bem? Onde estamos? Cenário

Leia mais

Celso Petrucci Economista pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado FECAP Iniciou as atividades em crédito imobiliário em 1976, na Diretoria

Celso Petrucci Economista pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado FECAP Iniciou as atividades em crédito imobiliário em 1976, na Diretoria Celso Petrucci Economista pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado FECAP Iniciou as atividades em crédito imobiliário em 1976, na Diretoria de Programas Habitacionais da Nossa Caixa/Nosso Banco;

Leia mais

Mercado imobiliário: Desafios e perspectivas para 2007

Mercado imobiliário: Desafios e perspectivas para 2007 Mercado imobiliário: Desafios e perspectivas para 2007 20 de março de 2007 João Crestana Vice-presidente de Incorporação do Secovi-SP Crédito Imobiliário Período Negro 1986 a 2001 Extinção do BNH Distribuição

Leia mais

Índices de Preços. Em 12

Índices de Preços. Em 12 Indicadores econômicos Índices de Preços IPC/FIPE IPCA Período Em 12 Em 12 Mensal No ano Mensal No ano meses meses Jan. 0,52 0,52 4,27 0,54 0,54 4,56 Fev. 0,19 0,71 4,12 0,49 1,03 4,61 Mar. 0,31 1,02 4,33

Leia mais

GRUPO DE CONJUNTURA CAIO PRATES 29 MAI 2012

GRUPO DE CONJUNTURA CAIO PRATES 29 MAI 2012 GRUPO DE CONJUNTURA CAIO PRATES 29 MAI 2012 Tabela 1 - Projeções para 2011 e 2012 Mercado 2012 2013 PIB (%) 2,99 4,50 Indústria Geral (%) 1,58 4,20 IPCA (%) 5,17 5,60 Taxa Selic fim de ano 8,00 9,50 Taxa

Leia mais

Índices de Preços. Em 12

Índices de Preços. Em 12 Indicadores econômicos Índices de Preços IPC/FIPE IPCA Período Em 12 Em 12 Mensal No ano Mensal No ano meses meses Jan. 0,46 0,46 6,27 0,48 0,48 5,84 Fev. 0,27 0,73 5,52 0,55 1,03 5,90 Mar. 0,40 1,14 6,28

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO 2017:

CENÁRIO ECONÔMICO 2017: CENÁRIO ECONÔMICO 2017: Lenta recuperação após um longo período de recessão Dezembro 2016 AVALIAÇÃO CORRENTE DA ATIVIDADE ECONÔMICA A RECUPERAÇÃO DA CONFIANÇA DO EMPRESARIADO E DO CONSUMIDOR MOSTRAM ACOMODAÇÃO

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS AGOSTO/2016 Resumo de desempenho Agosto 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês anterior

Leia mais

Os sérios desafios da economia. Econ. Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Maio/2016

Os sérios desafios da economia. Econ. Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Maio/2016 Os sérios desafios da economia Econ. Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Maio/2016 1 Os números da economia brasileira que o novo governo precisa enfrentar 11,089 milhões Número de desempregados no Brasil,

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO CENÁRIO MACROECONÔMICO SEGUE PAUTADO PELAS MUDANÇAS NO CENÁRIO GLOBAL, AFETANDO DIRETAMENTE O CÂMBIO, E PELO CRESCIMENTO MAIS MODERADO DA ECONOMIA DOMÉSTICA Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Leia mais

SINCOR-SP 2017 JUNHO 2017 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2017 JUNHO 2017 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2017 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS Sumário Palavra do presidente... 4 Objetivo... 5 1. Carta de Conjuntura... 6 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 7 3. Análise macroeconômica... 10

Leia mais

INDICADORES SETORIAIS E MACROECONÔMICOS

INDICADORES SETORIAIS E MACROECONÔMICOS INDICADORES SETORIAIS E MACROECONÔMICOS MAIO 2015 INCTF INCTL IGPM IPCA INPC ICV OUTROS ÍNDICE VARIAÇÃO MÊS (%) VARIAÇÃO ANO (%) VARIAÇÃO 12 MESES (%) Índice Nacional do Custos do Transporte de Carga Fracionada

Leia mais

BRASIL 5a. ECONOMIA DO MUNDO: CHEGAREMOS LÁ?

BRASIL 5a. ECONOMIA DO MUNDO: CHEGAREMOS LÁ? 1 Secretaria de Acompanhamento Econômico - SEAE BRASIL 5a. ECONOMIA DO MUNDO: CHEGAREMOS LÁ? Antonio Henrique P. Silveira Secretário de Acompanhamento Econômico 6 de fevereiro de 2010 1 Sumário A Estratégia

Leia mais

Painel: O desempenho econômico brasileiro no cenário mundial

Painel: O desempenho econômico brasileiro no cenário mundial XIX Congresso Brasileiro de Economia Painel: O desempenho econômico brasileiro no cenário mundial Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda aclacerda@pucsp.br Bonito, 09 de Setembro de 2011. Page 1 Economia

Leia mais

O Sistema de Metas de Inflação No Brasil. - Como funciona o sistema de metas e seus resultados no Brasil ( ).

O Sistema de Metas de Inflação No Brasil. - Como funciona o sistema de metas e seus resultados no Brasil ( ). O Sistema de Metas de Inflação No Brasil - Como funciona o sistema de metas e seus resultados no Brasil (1999-2007). - Desempenho recente: a relação juros-câmbio. - Aceleração do crescimento econômico

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS OUTUBRO/2016 Resumo de desempenho Outubro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês anterior

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICOS

INDICADORES ECONÔMICOS INDICADORES ECONÔMICOS Índice de Preços IGP-M IGP-DI Mensal No ano Em 12 meses Mensal No ano Em 12 meses Jan. 0,39 0,39 11,87 0,33 0,33 11,61 Fev. 0,30 0,69 11,43 0,40 0,74 10,86 Mar. 0,85 1,55 11,12 0,99

Leia mais

A Política Fiscal Brasileira em Tempos de Crise

A Política Fiscal Brasileira em Tempos de Crise Ministério da A Política Fiscal Brasileira em Tempos de Crise Encontro de Política Fiscal - FGV Ministro Guido Mantega Brasília, 7 de novembro de 2014 Antes de 2008, Brasil tinha Situação Fiscal Confortável

Leia mais

REALIDADE DO CENÁRIO DO MERCADO IMOBILIÁRIO HABITACIONAL NO BRASIL

REALIDADE DO CENÁRIO DO MERCADO IMOBILIÁRIO HABITACIONAL NO BRASIL REALIDADE DO CENÁRIO DO MERCADO IMOBILIÁRIO HABITACIONAL NO BRASIL Engº Emmanuel Braz ebrazengenharia@gmail.com Outubro/2015 Risco no mercado Imobiliário Brasileiro? Todo o mercado imobiliário, sempre

Leia mais

janeiro/2016 Em janeiro, vendas de imóveis aumentaram em relação ao mesmo período de 2015 CIDADE DE SÃO PAULO Números do mês: Acumulado 12 meses

janeiro/2016 Em janeiro, vendas de imóveis aumentaram em relação ao mesmo período de 2015 CIDADE DE SÃO PAULO Números do mês: Acumulado 12 meses janeiro/2016 CIDADE DE SÃO PAULO Números do mês: Vendas = 950 unidades Lançamentos = 956 unidades Oferta Final = 27.014 unidades VSO Mensal = 3,4% VSO 12 Meses = 42,0% Em janeiro, vendas de imóveis aumentaram

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P N O V E M B R O, 2 0 1 5 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: - R$ 962 milhões Saldo: R$ 501,2 bilhões Financiamentos

Leia mais

SINCOR-SP 2017 FEVEREIRO 2017 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2017 FEVEREIRO 2017 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS FEVEREIRO 2017 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 Sumário Palavra do presidente... 4 Objetivo... 5 1. Carta de Conjuntura... 6 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 7 3. Análise macroeconômica...

Leia mais

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO 1 PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) 1984-2014 2 2 FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO DESAFIOS DA ECONOMIA BRASILEIRA: DEMOGRAFIA, MERCADO DE TRABALHO E AMBIENTE EXTERNO 3 3 O BAIXO DESEMPREGO NO

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS FEVEREIRO/2016 Resumo de desempenho Fevereiro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No bimestre mês

Leia mais

Ambiente econômico nacional e internacional

Ambiente econômico nacional e internacional Ambiente econômico nacional e internacional Apresentação para elaboração do documento referencial 2015-19 no Ministério do Turismo Manoel Pires - MF Cenário internacional O mundo se recupera da crise,

Leia mais

Por que o Brasil pode ser um dos primeiros países a sair da recessão?

Por que o Brasil pode ser um dos primeiros países a sair da recessão? Por que o Brasil pode ser um dos primeiros países a sair da recessão? Luciano Luiz Manarin D Agostini * RESUMO Observa-se tanto em países desenvolvidos como em desenvolvimento quedas generalizadas do crescimento

Leia mais

Esgotamento do Funding Tradicional?

Esgotamento do Funding Tradicional? Esgotamento do Funding Tradicional? Novos instrumentos vão vigorar no curto prazo? Gueitiro Matsuo Genso 12ª Conferência Internacional da LARES São Paulo 19 a 21 de setembro, 2012 Agenda Relevância no

Leia mais

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010 Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL Outubro de 2010 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas

Leia mais

Setor de Incorporadoras no Brasil. Junho, 2012

Setor de Incorporadoras no Brasil. Junho, 2012 Setor de Incorporadoras no Brasil Junho, 2012 Agenda Mercado Imobiliário Brasileiro - 2011 Desempenho das Incorporadoras Listadas Fundamentos do Setor 2 Mercado Imobiliário Brasileiro - 2011 VGV Lançado

Leia mais

INDX apresenta alta de 2,67% em março

INDX apresenta alta de 2,67% em março INDX apresenta alta de 2,67% em março Dados de Março/11 Número 51 São Paulo O Índice do Setor Industrial (INDX), composto pelas ações mais representativas do segmento, encerrou o mês de março de 2010,

Leia mais

Coletiva de Imprensa. Resultados de 2016 e Perspectivas para Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente. São Paulo, 24 de Janeiro de 2017

Coletiva de Imprensa. Resultados de 2016 e Perspectivas para Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente. São Paulo, 24 de Janeiro de 2017 Coletiva de Imprensa Resultados de 2016 e Perspectivas para 2017 Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente São Paulo, 24 de Janeiro de 2017 Índice 1. Conjuntura Econômica 2. Construção Civil 3. Financiamento

Leia mais

Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) Colocar a economia no rumo do crescimento

Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) Colocar a economia no rumo do crescimento Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) Colocar a economia no rumo do crescimento Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda Barra Bonita, 25 de Novembro de 2016 BRASIL: EVOLUÇÃO DO CRESCIMENTO DO PIB (VAR.

Leia mais

Balanço das Exportações e Importações Brasileiras de Rochas Ornamentais no Período Janeiro-Agosto de

Balanço das Exportações e Importações Brasileiras de Rochas Ornamentais no Período Janeiro-Agosto de Informe 11/214 Balanço das Exportações e Importações Brasileiras de Rochas Ornamentais no Período Janeiro-Agosto de 214 Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais ABIROCHAS Avenida Paulista,

Leia mais

SINCOR-SP 2016 SETEMBRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2016 SETEMBRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS SETEMBRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 6 3. Análise macroeconômica...

Leia mais

Panorama Conjuntural do Segmento de Etiquetas Adesivas

Panorama Conjuntural do Segmento de Etiquetas Adesivas Panorama Conjuntural do Segmento de Etiquetas Adesivas São Paulo, janeiro de 2013 Índice Etiquetas adesivas impressas o Produção anual e mensal do segmento de etiquetas o Mercado Externo o Balança Comercial

Leia mais

VAB Emprego Crédito Mercado Investimentos Perspectivas

VAB Emprego Crédito Mercado Investimentos Perspectivas Balanço 2014 VAB Emprego Crédito Mercado Investimentos Perspectivas Taxa de crescimento do VAB (PIB) Construção Civil (%) Fonte: IBGE * valor projetado pela CBIC Taxa de crescimento do VAB (PIB) - 3º trimestre

Leia mais

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 2001 2010 A DÉCADA DA RETOMADA CELSO PETRUCCI Diretor Executivo Economista chefe do Secovi SP Versão 1005133-20100617 CPE CPE - ACCB/CCMA/JJA/MAB/RSO - ACCB/JJA/MAB/RSO 1/37

Leia mais

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM 2012

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM 2012 BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM 2012 1 2 Índice Economia Mercado Imobiliário Lançamentos Comercialização RMSP Mercado Nacional Empreendimentos Comerciais Financiamento Imobiliário Previsões para 2013

Leia mais

O desempenho dos principais indicadores da economia brasileira em 2008

O desempenho dos principais indicadores da economia brasileira em 2008 NIVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA O desempenho dos principais indicadores da economia brasileira em 2008 Guilherme R. S. Souza e Silva * RESUMO - O presente artigo tem o objetivo de apresentar

Leia mais

ÍNDICE 1 INDICADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL... 2

ÍNDICE 1 INDICADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL... 2 EDIÇÃO MERCADO Nº 5 MAIO 216 1 ÍNDICE 1 INDICADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL... 2 1.1 PARÁ MAIO 216... 2 1.1.1 VARIAÇÃO ANUAL ACUMULADA ONERADO E DESONERADO... 3 1.1.2 VARIAÇÃO ACUMULADA DO - 12 MESES... 3

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P S E T E M B R O, 2 0 1 5 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: - R$ 5,38 bilhões Saldo: R$ 498,7 bilhões

Leia mais

Lançamentos imobiliários apresentam crescimento em Jundiaí

Lançamentos imobiliários apresentam crescimento em Jundiaí Lançamentos imobiliários apresentam crescimento em Jundiaí No último ano, o município de Jundiaí teve um crescimento de quase 60% no número de lançamentos imobiliários em condomínios. Entre novembro de

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS JANEIRO/2016 Resumo de desempenho Janeiro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês/Ano mês anterior

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P A G O S T O, 2 0 1 5 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: - R$ 7,2 bilhões Saldo: R$ 500,8 bilhões Financiamentos

Leia mais

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO Acumulado Janeiro a Setembro de 2013. Balanço do Mercado Imobiliário 1

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO Acumulado Janeiro a Setembro de 2013. Balanço do Mercado Imobiliário 1 BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO Acumulado Janeiro a Setembro de 2013 Balanço do Mercado Imobiliário 1 Balanço do Mercado Imobiliário 2 Mercado de imóveis novos apresenta crescimento Em 2013, o mercado de

Leia mais

SINCOR-SP 2016 JULHO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2016 JULHO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JULHO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 Sumário Palavra do presidente... 4 Objetivo... 5 1. Carta de Conjuntura... 6 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 7 3. Análise macroeconômica...

Leia mais

Perspectivas econômicas

Perspectivas econômicas Perspectivas econômicas 5º seminário Abecip Ilan Goldfajn Economista-chefe e Sócio Itaú Unibanco Maio, 2015 2 Roteiro Recuperação em curso nas economias desenvolvidas. O Fed vem adiando o início do ciclo

Leia mais

Balanço do Mercado Imobiliário 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP

Balanço do Mercado Imobiliário 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Balanço do Mercado Imobiliário 2015 Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP ECONOMIA ANvidade Econômica Crescimento Real (%) PIB e Construção Civil 13,3 10,6 5,8 9,2 6,9 6,1 4,95,1 4,0 3,2 0,2 8,3

Leia mais

ÍNDICE ASCENSÃO DAS MULHERES NO SETOR EMPREGO FORMAL... 03

ÍNDICE ASCENSÃO DAS MULHERES NO SETOR EMPREGO FORMAL... 03 CONSTRUÇÃO CIVIL EM ANÁLISE Nº 04 ABRIL 2016 1 ÍNDICE ASCENSÃO DAS MULHERES NO SETOR... 02 1 EMPREGO FORMAL... 03 1.1 SALDO MENSAL DE EMPREGO NA CONSTRUÇÃO CIVIL DO ESTADO DO PARÁ... 04 1.2 SALDO ANUAL

Leia mais

A taxa de câmbio na economia brasileira está fora de equilíbrio? 31/05/2007

A taxa de câmbio na economia brasileira está fora de equilíbrio? 31/05/2007 A taxa de câmbio na economia brasileira está fora de equilíbrio? 31/05/2007 Preliminares Paridade do Poder de Compra (PPC) Equilíbrio de longo prazo Bens comercializáveis (PPC) e não-comercializáveis Câmbio

Leia mais

Seminário Setorial de Construção Civil. Carlos Antônio Vieira Fernandes Gerente Nacional GECRI 05 OUT 10

Seminário Setorial de Construção Civil. Carlos Antônio Vieira Fernandes Gerente Nacional GECRI 05 OUT 10 Seminário Setorial de Construção Civil Carlos Antônio Vieira Fernandes Gerente Nacional GECRI 05 OUT 10 O papel da CEF como fomentador e financiador do setor; Evolução dos investimentos do setor Perspectivas

Leia mais

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA A evolução dos principais indicadores econômicos do Brasil em 2007

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA A evolução dos principais indicadores econômicos do Brasil em 2007 NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA A evolução dos principais indicadores econômicos do Brasil em 2007 Guilherme R. S. Souza e Silva * Introdução Este artigo pretende apresentar e discutir

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO : DESAFIOS E OPORTUNIDADES

CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO : DESAFIOS E OPORTUNIDADES CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO 2014-2015: DESAFIOS E OPORTUNIDADES ABRIL, 2014 Fabiana D Atri Economista Sênior do Departamento de Pesquisas 1 e Estudos Econômicos - DEPEC 17/04/11 17/05/11 17/06/11

Leia mais

Perspectivas para a economia brasileira e a América Latina. Ilan Goldfajn Economista-Chefe e sócio Itaú Unibanco

Perspectivas para a economia brasileira e a América Latina. Ilan Goldfajn Economista-Chefe e sócio Itaú Unibanco Perspectivas para a economia brasileira e a América Latina Ilan Goldfajn Economista-Chefe e sócio Itaú Unibanco Abril 2013 1 Roteiro Internacional Recuperação moderada. Riscos de quebra menores, mas volatilidade

Leia mais

52% dos moradores acreditam

52% dos moradores acreditam MOOCA 1 52% dos moradores acreditam que seu bairro é muito melhor que os demais bairros da cidade. Para 37% dos moradores, o bairro em que ele mora simplesmente não tem problemas. Para 16% dos moradores,

Leia mais

2005: Prêmio de Risco; Cenário Externo e Convergência. Dany Rappaport Corecon, 27 de janeiro de 2005

2005: Prêmio de Risco; Cenário Externo e Convergência. Dany Rappaport Corecon, 27 de janeiro de 2005 2005: Prêmio de Risco; Cenário Externo e Convergência Dany Rappaport Corecon, 27 de janeiro de 2005 Cenário Externo Maior crescimento global em 30 anos. Crescimento do PIB em 2004 - Expectativa Área do

Leia mais

Contas Nacionais Trimestrais

Contas Nacionais Trimestrais Contas Nacionais Trimestrais Indicadores de Volume e Valores Correntes 2º Trimestre de 2013 Coordenação de Contas Nacionais 30 de agosto de 2013 Tabela Resumo Principais resultados do PIB a preços de mercado

Leia mais

Contas Nacionais Trimestrais

Contas Nacionais Trimestrais Contas Nacionais Trimestrais Indicadores de Volume e Valores Correntes 4º Trimestre de 2010 Coordenação de Contas Nacionais 03 de março de 2010 Tabela Resumo Principais resultados do PIB a preços de mercado

Leia mais

Resultados de Junho de 2014

Resultados de Junho de 2014 Junho / 2014 Resultados de Junho de 2014 - Exportação: US$ 20,5 bi, em valor, e média diária de US$ 1,023 bilhão; sobre mai-14, aumento de 3,6%, pela média diária; sobre jun-13, redução de 3,5%, pela média

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL US$ MILHÕES FONTE: BACEN ELABORAÇÃO E ESTIMATIVA: BRADESCO

BALANÇA COMERCIAL US$ MILHÕES FONTE: BACEN ELABORAÇÃO E ESTIMATIVA: BRADESCO BALANÇA COMERCIAL 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 BALANÇA COMERCIAL US$ MILHÕES 50.000 44.703 46.457 45.166 40.000 30.000 24.794

Leia mais