CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CONSIC. Habitação & Saneamento Funding e perspectivas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CONSIC. Habitação & Saneamento Funding e perspectivas"

Transcrição

1 CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CONSIC Habitação & Saneamento Funding e perspectivas Diretoria de Habitação DEHAB 1 1

2 2 Fonte: CAIXA/SUHAM Posição: 28/08/2012 2

3 % do Crédito Imobiliário em relação ao PIB 3 Fonte: CAIXA/SUHAM Posição: 28/08/2012 3

4 CRÉDITO IMOBILIÁRIO CAIXA Evolução da Contratação Valores R$ Bilhões R$ 100 bi R$ 75,93 R$ 80,09 PROJEÇÃO 2012 R$ 65,57 R$ 47,05 R$ 5,1 R$ 5,9 R$ 9,0 R$ 13,2 R$ 15,2 R$ 23, Quantidade de Financiamentos 4

5 CCFGTS - SUBSÍDIOS - COMPARATIVO 2003 A 2011 Valores em R$ Mil ,3 Bilhões

6 Obras e Entregas Minha Casa Minha Vida 1 e 2 CONTRATADO EM PREPARAÇÃO UNIDADES EM OBRAS UNIDADES CONCLUÍDAS UNIDADES ENTREGUES TOTAL MCMV FAIXA FAR ENTIDADES + RURAL ABAIXO DE 50 MIL (Min. Cidades) FAIXA FAIXA

7 MINHA CASA MINHA VIDA 2 Total 2011/2012 A Faixa 1 representa 32% da contratação total do MCMV2. Neste ano representa 43%, superior aos 23% de 2011, representando uma evolução importante. O objetivo é chegar a 6 ao final do Programa, em QUANTIDADE CONTRATADA TOTAL QUANTID. % PARTICIP. QUANTID. % PARTICIP. QUANTID. % PARTICIP. TODAS AS FAIXAS FAIXA % % 43% % FAR % % % ENTIDADES + RURAL % % % ABAIXO DE 50 MIL (Min. Cidades) % % FAIXA % % % FAIXA % % % 7

8 1,3 milhão de UH R$ 78 bilhões Painel Metas META DO PROGRAMA META 2012 META 2012 ATÉ AGO TOTAL MCMV 2 FAIXA FAR ENTIDADES + RURAL ABAIXO DE 50 MIL (Min. Cidades) FAIXA 2 FAIXA mil UH R$ 16 bilhões

9 CAIXA metas 2012 MCMV2 contratação ultrapassar de unidades MCMV entregas ultrapassar de unidades Crédito Imobiliário R$ 100 bilhões 9

10 Valor Aplicado em Pessoa Jurídica CAIXA * Fonte : CAIXA 10

11 Inadimplência Acima 90 dias 1,7% 1,9% 1,4% 1,5% 1,4% 1,4% 1,3% 1,3% 1,3% dez/08 jun/09 dez/09 jun/10 dez/10 jun/11 dez/11 jun/12 11 Fonte: CAIXA Posição: 31/07/

12 Estoque de Unidades % 35% 58% % 57% 37% % 74% 23% % 79% 16% Fora CAIXA ESTOQUE 12 Fonte: CAIXA/SUHAM Posição: 28/08/

13 Resolução n o 3.347/07 do CMN 65% obrigatório 2 1 5% 52% 13% 65% dos recursos captados em depósitos de caderneta de poupança devem ser aplicados em operações de financiamentos imobiliários, sendo que: 8 deste montante deve ser aplicado em operações de financiamento habitacional no âmbito do SFH O restante pode ser aplicado em operações a taxas de mercado, desde que a metade, no mínimo, seja aplicado em operações de financiamento imobiliário 10 modelo brasileiro de direcionamento básico das cadernetas de poupança habitação tx máxima TR + 12% imobiliário taxa mercado 13 compuls. tr + 6% compuls. selic livre poupança

14 14 14 Poupança Saldo em R$ bi Fonte: ABECIP Posição: 31/07/ dez/08 jan/09 fev/09 mar/09 abr/09 mai/09 jun/09 jul/09 ago/09 set/09 out/09 nov/09 dez/09 jan/10 fev/10 mar/10 abr/10 mai/10 jun/10 jul/10 ago/10 set/10 out/10 nov/10 dez/10 jan/11 fev/11 mar/11 abr/11 mai/11 jun/11 jul/11 ago/11 set/11 out/11 nov/11 dez/11 jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12

15 Análise da Captação de Poupança R$ Bilhões 180,0 160,0 140,0 120,0 100,0 80,0 60,0 40,0 20,0 - POUPANÇA - Saldo e Variação % em 12 Meses 166, ,15% jul/09 out/09 jan/10 abr/10 jul/10 out/10 jan/11 abr/11 jul/11 out/11 jan/12 abr/12 jul/12 Saldo Poupança Taxa de Crescimento 12 Meses Captação Líquida Acumulada Poupança - (R$ Milhões) Meta 2012 : R$ 16 bilhões Meta 2012 : R$ 16 bilhões JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

16 Análise da captação de poupança Projeções 2012 Market Share: 36,9% 3 Poupança (Variação % em 12 meses) 25% 2 15% 1 5% 16 19,1% 16,4% 14,9% jul/08 nov/08 mar/09 jul/09 nov/09 mar/10 jul/10 nov/10 mar/11 jul/11 nov/11 mar/12 jul/12 Tx cresc. SFN Tx cresc. CAIXA Tx cresc. SFN ( - ) CAIXA Market-Share - Depósito de Poupança (%) jul-08 out-08 jan-09 abr-09 jul-09 out-09 jan-10 abr-10 jul-10 out-10 jan-11 abr-11 jul-11 out-11 jan-12 33,6% 34,2% 34,4% 34,8% 34,1% 34,1% 34,3% 34,8% 35,3% 35,8% abr-12 36, jul-12 36,2%

17 Funding FGTS Orçamento Plurianual do FGTS Valores em R$ 1,00 Área Total Habitação Infraestrutura Saneamento Subsídios Total

18 FUNDING E SECURITIZAÇÃO Alternativas de produtos atrelados ao crédito imobiliário: Fundo Imobiliário: lastro em imóveis ou títulos de crédito de base imobiliária LCI: emitido por bancos ou companhias hipotecárias com lastro em financiamentos imobiliários garantidos por alienação fiduciária ou hipoteca LFI (covered bond) CESSÃO DE CARTEIRA: transferência tanto do Crédito Imobiliário, quanto das eventuais garantias existentes, facilitando a circulação do crédito imobiliário CRI: emitido por uma companhia de securitização com lastro em um fluxo de recebíveis imobiliários representados pela CCI ( Cédula de Crédito Imobiliário) 18 Desafios: Taxa de juros Mercado secundário incipiente Indexador compatível com a necessidade do investidor

19 disponibilidade de funding estruturada mix de funding que atende à meta desejada funding: crédito Imobiliário dez/2010 fev/2011 abr/2011 jun/2011 ago/2011 out/2011 dez/2011 fev/2012 abr/2012 jun/2012 ago/2012 out/2012 dez/ % 98% 95% 94% 93% 92% 9 89% 88% 87% 88% 87% 87% 86% 86% 86% 5% 6% 7% 8% 1 11% 12% 13% 12% 13% 13% 14% 14% 14% 1% 2% % Poupança % LCI elaboração:vifin/supla/geanf 19

20 disponibilidade de funding estruturada mix de funding que atende à meta desejada funding: crédito Imobiliário dez/2010 fev/2011 abr/2011 jun/2011 ago/2011 out/2011 dez/2011 fev/2012 abr/2012 jun/2012 ago/2012 out/2012 dez/ % 98% 95% 94% 93% 92% 9 89% 88% 87% 88% 87% 87% 86% 86% 86% 5% 6% 7% 8% 1 11% 12% 13% 12% 13% 13% 14% 14% 14% 1% 2% não implica, necessariamente, elevação de preço pode implicar na alteração de preços % Poupança % LCI elaboração:vifin/supla/geanf 20

21 Evolu olução dos Orçamentos FGTS - Orçamento de Emprestimo Orçamento de Emprestimo Contratado a Desembolsar Habitação Popular Pró-Moradia Pró-Cotista Infra-Estrutura Urbana Saneamento Básico FIMAC ( Mat. de Construção) Total CRI- Cert. De Recebíveis Imob Descontos FIC FI-FGTS Carteiras Admistradas Total Orçamento Valores Mil 21

22 Análise da captação de LCI R$ Bilhões LH/LCI - Saldo e Variação % em 12 Meses 25,0 20,0 15,0 21, ,0 5,0-57,83% -10 jul/09 out/09 jan/10 abr/10 jul/10 out/10 jan/11 abr/11 jul/11 out/11 jan/12 abr/12 jul/12 Saldo LH/LCI Taxa de Crescimento 12 Meses Captação Líquida Acumulada LH/LCI - (R$ Milhões) Meta 2012 : R$ 12,6 bilhões Meta 2012 : R$ 12,6 bilhões (1.000) (196) JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

23 Análise da captação de LCI Projeções 2012 Market Share: 41,8% 50 LH/LCI (Variação % em 12 meses) ,8% 40,2% 31,7% Tx cresc. SFN Tx cresc. CAIXA Tx cresc. SFN ( - ) CAIXA jul/08 nov/08 mar/09 jul/09 nov/09 mar/10 jul/10 nov/10 mar/11 jul/11 nov/11 mar/12 jul/12 23

24 Análise do funding SBPE Disponibilidade de Funding SBPE Poupança (R$bi) Disponibilidade de Funding SBPE: LH/LCI (R$bi) 3,1 4,9 5,8 6,9 24 dez/10 8,9 jan/11 fev/11 mar/11 abr/11 mai/11 jun/11 jul/11 ago/11 set/11 out/11 nov/11 dez/11 jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 dez/10 jan/11 fev/11 mar/11 abr/11 mai/11 jun/11 jul/11 ago/11 set/11 out/11 nov/11 dez/11 jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 1,7 2,0 2,8 2,4 2,5 2,3 3,5 3,7 3,7 3,4 3,9 2,8 3,6 9,6 4,0 10,2 10,7 4,4 11,3 11,8 12,6 5,5 5,4 5,0 13,2 13,8 14,2 14,6 14,7 14,7 14,7 15,3 5,8 15,7 16,2 16,7 6,3 17,9 19,0 19,9 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 21,1 22,0 23,1 24,0 24,9 Disponibilidade de Funding Poupança + LH/LCI (R$bi) dez/10 jan/11 fev/11 mar/11 abr/11 mai/11 jun/11 jul/11 ago/11 set/11 out/11 nov/11 dez/11 jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 18,5 17,2 16,5 16,2 14,9 16,1 16,0 17,5 10,07 21,0 20,1 20,1 20,5 20,3 19,6 19,6 19,5 21,6 21,5 22,4 25,5 26,0 25,4 25,7 27,0

25 Perfil de Contratações LTV médio 73% 73% 69% 71% 71% 63% 66% 64% 62% 6 56% 57% 59% 59% 68% 61% 66% 7 72% 66% 71% 73% 68% 74% 74% 72% 72% 69% 69% 51% FGTS SBPE/CAIXA Total 45% Fonte: CAIXA/SUHAM Posição: 28/08/

26 Perfil de Contratações - taxa de juros média 11,6% 12,4% 13,3% 12,4% FGTS Total SBPE/CAIXA 6,9% 6,8% 7,8% 7,7% 8,4% 7,8% 7,9% 7,2% 10, 9,3% 7,4% 7,3% 6,7% 6,5% 8,9% 7,3% 6,6% 8,7% 8,5% 8,7% 8,3% 6,6% 6,3% 6,3% 6,4% 5,4% 5,1% 5,2% 5,2% *Inclui Operações Coletivas Não inclui Material de Construção 26 Fonte: CAIXA/SUHAM Posição: 28/08/

27 Perfil de Contratações prazo médio FGTS SBPE/CAIXA Total *Inclui Operações Coletivas Não inclui Material de Construção 27 Fonte: CAIXA/SUHAM Posição: 28/08/

28 mai-12 jul-12 Estoque de Contratos 180,0 160,0 140,0 120,0 100,0 80,0 60,0 40,0 20,0-28 Fonte: CAIXA Posição: 31/07/ jan-12 mar-12 nov-11 set-11 jul-11 mai-11 jan-11 mar-11 set-10 nov-10 jul-10 mai-10 SD bi Qtde Mil 3.000, , , , ,0 500,0 - nov-08 jan-09 mar-09 mai-09 jul-09 set-09 nov-09 jan-10 mar-10

29 Perfil da Carteira Fonte de Recursos (valor) Tipo de Garantia FGTS 49,6% Alienação Fiduciária 94,6% Outros 0,1% Outros 0,2% SBPE/CAIXA 50,3% Hipoteca 5,2% De 36 a 45 anos 29, De 46 a 55 anos 17,6% De 56 a 65 anos 7,6% Mulheres 36% Homens 64% Até 35 anos 43,6% Acima 65 anos 2,3% Faixa Etária Carteira Ativa Gênero 29 Fonte: CAIXA/SUHAM Posição: 31/07/

30 Contratações Comparativo CAIXA x Mercado - SBPE Valor 10 SBPE - CAIXA X MERCADO Valor Aplicado ,3% 68,9% 42,8% 50,8% 60,7% 46,3% ,7% 31,1% 57,2% 49,2% 39,3% 53,7% Não Incluido CONSTRUCARD CAIXA AG. FINANCEIROS SBPE - CAIXA X MERCADO Valor Aplicado - R$ Milhões JUN/07 DEZ/07 JUN/08 DEZ/08 JUN/09 DEZ/09 JUN/10 DEZ/10 JUN/11 DEZ/11 JUN/12 JUL/12 não incluído CONSTRUCARD CAIXA Mercado 30 30

31 85,0 80,0 75,0 70,0 valores (em R$ bilhões) 65,0 60,0 55,0 50,0 45,0 40,0 35,0 30, ,0 20, ,0 Contratações - SBPE SBPE - Contratações Acumuladas em 12 Meses Jan.08 Jul Mar Mai Set Nov Jan.09 Mar Mai Jul Set Nov Jan.10 Mar Mai Jul Set Nov Jan.11 Mar Mai Jul Set Nov Jul Mai Mar Jan.12 Unidades Mil Valores R$ Bilhões Fonte: ABECIP Posição: 31/07/2012 mil unidades

32 Saneamento Diretoria de Habitação Teotonio Costa Rezende 32 32

33 Infraestrutura e Saneamento: Investimentos de longo prazo a serem contratados em 2012 SETOR CONTRATADO JAN a JUN Valor em R$ milhares JUL AGO SET OUT NOV DEZ 2012 ENERGIA NAVAL RODOVIÁRIO SAN/PAV/HAB/COPA/CPAC (1) TOTAL Operação que viabilizaráa construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, R$ 7 Bilhões. Contratações do Fundo da Marinha Mercante A linha SAN/PAV/HAB/COPA/CPAC contempla também o saneamento setor privado. 33

34 Fontes de Financiamento de Longo Prazo 34

35 Fontes de Financiamento de Longo Prazo Financiamento dos Investimentos Mercados de Capitais Ações Compensatórias FGTS (CAIXA) BNDES Organismos Internacionais de Crédito Mercado de Capitais Debêntures Debêntures de Infraestrutura FIDC FIP FII CRI Recursos do Orçamento Geral da União e de Orçamentos Estaduais/Municipais ( recursos não onerosos). 35

36 Contratações e Desembolsos do FGTS 2002 a 2012 Agente Financeiro CAIXA - Saneamento Valores em R$ Milhões CONTRATAÇÃO DESEMBOLSO Fonte: SIAPF 03/09/2012 (Valores em R$ Milhões) 36

37 Contratação do FGTS 2002/2012 Agente Financeiro CAIXA - Por Modalidade - Total Financiado: R$ ,09 Milhões PLANO SANEAMENTO BASICO R$ 1,88 0,01% PLN PROJ PESQUISA R$ 143,88 0,73% SANEAMENTO INTEGRADO R$ 691,07 3,51% Valores em R$ Milhões RESÍDUOS SÓLIDOS R$ 116,53 0,59% AGUA R$ 5.517,80 28,02% ESGOTO R$ 8.635,43 43,85% DESENV. INSTITUCIONAL R$ 759,06 3,85% DRENAGEM R$ 3.829,43 19,44% AGUA DRENAGEM DESENV. INSTITUCIONAL ESGOTO PLANO SANEAMENTO BASICO PLN PROJ PESQUISA SANEAMENTO INTEGRADO RESÍDUOS SÓLIDOS 37

38 Desempenho PAC (2007/2012) Agente Financeiro CAIXA R$ 14,7 bilhões R$ 4,9 bilhões CONTRATAÇÃO DESEMBOLSO 38

39 Investimentos do PAC 2 Saneamento (2011 / 2014) MODALIDADE FINANCIAMENTO (Em R$ Bilhões) ORÇAMENTO GERAL DA UNIÃO (Em R$ Bilhões) TOTAL (Em R$ Bilhões) ÁGUA 7,4 5,6 13,0 ESGOTO 9,6 10,4 20,0 DRENAGEM 5,0 5,0 10,0 RESÍDUOS SÓLIDOS 0,5 1,0 1,5 ELABORAÇÃO DE PROJETOS 0,3 0,3 0,6 TOTAL 22,8 22,3 45,1 OBS: a) R$ 5 bilhões em financiamento via setor privado. b) R$ 4 bilhões em recursos do OGU para água e esgoto em pequenos municípios 39

40 40

Esgotamento do Funding Tradicional?

Esgotamento do Funding Tradicional? Esgotamento do Funding Tradicional? Novos instrumentos vão vigorar no curto prazo? Gueitiro Matsuo Genso 12ª Conferência Internacional da LARES São Paulo 19 a 21 de setembro, 2012 Agenda Relevância no

Leia mais

crédito imobiliário perspectivas para 2015

crédito imobiliário perspectivas para 2015 crédito imobiliário perspectivas para 2015 29 ago 14 José Urbano Duarte Vice-Presidente o mercado imobiliário e seu conjunto de fatores Mercado de crédito imobiliário e o déficit habitacional Intenção/desejo

Leia mais

Enic crédito imobiliário Fortaleza, 04 OUT 13 Teotônio Costa Rezende Diretor

Enic crédito imobiliário Fortaleza, 04 OUT 13 Teotônio Costa Rezende Diretor Enic crédito imobiliário Fortaleza, 04 OUT 13 Teotônio Costa Rezende 1 Diretor Elevação do valor de imóvel limite do SFH limites do SBPE as garantias de crédito Foco central: imobiliário assegurar no Brasil

Leia mais

Perspectivas do Crédito Imobiliário no Brasil. Octavio de Lazari Junior Presidente - ABECIP

Perspectivas do Crédito Imobiliário no Brasil. Octavio de Lazari Junior Presidente - ABECIP Perspectivas do Crédito Imobiliário no Brasil Octavio de Lazari Junior Presidente - ABECIP São Paulo 5 de dezembro de 2012 Fiabci Brasil - Perspectivas 2013 Agenda 1 - Brasil: Ambiente Macroeconômico 2

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

Vivemos o mais longo ciclo de crédito da história recente

Vivemos o mais longo ciclo de crédito da história recente 1 set/91 set/92 set/93 set/94 set/95 set/96 set/97 set/98 set/99 set/00 set/01 set/02 set/03 set/04 set/05 set/06 set/07 set/08 set/09 set/10 set/11 set/12 Vivemos o mais longo ciclo de crédito da história

Leia mais

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Junho de 2010 Wilson R. Levorato Diretor Geral Brasil e a crise internacional: porque nos saímos tão bem? Onde estamos? Cenário

Leia mais

CRÉDITO IMOBILIÁRIO NO BRASIL Crescimento Sustentável. ESTRATÉGIA DO BRADESCO Posicionamento/Estratégia

CRÉDITO IMOBILIÁRIO NO BRASIL Crescimento Sustentável. ESTRATÉGIA DO BRADESCO Posicionamento/Estratégia CRÉDITO IMOBILIÁRIO NO BRASIL Crescimento Sustentável ESTRATÉGIA DO BRADESCO Posicionamento/Estratégia 1 DE 28 1 Crédito Imobiliário no Brasil Crescimento contínuo e sustentável nos últimos anos, aumento

Leia mais

Diretor Executivo da ABECIP

Diretor Executivo da ABECIP Fontes de Recursos para o Financiamento i Imobiliário Filipe F. Pontual Diretor Executivo da ABECIP 83º ENIC São Paulo, 11 de Agosto de 2011 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS ENTIDADES DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO E

Leia mais

Capacidade de superar grandes metas: efetividade

Capacidade de superar grandes metas: efetividade São Paulo 11 AGO 11 Números recentes Capacidade de superar grandes metas: efetividade No MCMV 1 Foram recepcionados projetos para contratação de mais de 1.200.000 mil unidades habitacionais Foram contratados

Leia mais

Seminário Espaços Urbanos Seguros

Seminário Espaços Urbanos Seguros Seminário Espaços Urbanos Seguros A atuação da CAIXA e seu impacto no desenvolvimento de cidades sustentáveis Vice-Presidência de Governo Superintendência Nac de Ass Técnica e Desenv Sustentável Jean R.

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

Sustentabilidade do Crédito Imobiliário Algumas contribuições do Governo Federal e da CAIXA

Sustentabilidade do Crédito Imobiliário Algumas contribuições do Governo Federal e da CAIXA 2 a Conferência Internacional de Crédito Imobiliário Sustentabilidade do Crédito Imobiliário Algumas contribuições do Governo Federal e da CAIXA Fortaleza, Março/2010 Modelo Stop and Go EVOLUÇÃO DE FINANCIAMENTOS

Leia mais

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015 Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Mercado Imobiliário Brasileiro - VGL 2011-7% 2012 13% 2013 R$ 85,6 bilhões R$ 79,7 bilhões R$ 90,4 bilhões

Leia mais

A Economia Global e as Perspectivas para o Agronegócio Brasileiro

A Economia Global e as Perspectivas para o Agronegócio Brasileiro A Economia Global e as Perspectivas para o Agronegócio Brasileiro Henrique de Campos Meirelles Julho de 20 1 pico = 100 Valor de Mercado das Bolsas Mundiais pico 100 Atual 80 Japão 60 40 crise 1929 20

Leia mais

Construção civil: desempenho e perspectivas 10/02/2015

Construção civil: desempenho e perspectivas 10/02/2015 Construção civil: desempenho e perspectivas 10/02/2015 Emprego com Carteira Evolução Recente Fonte: MTE, SindusCon-SP/FGV Emprego com Carteira Segmento Dez 2014 / Dez 2013 Dez 2014 / Nov 2014 dessaz. Acumulado

Leia mais

Crédito Imobiliário 2010

Crédito Imobiliário 2010 Crédito Imobiliário 2010 1 Contratação 2 Crédito à Moradia R$ bilhões 77,8 53,6% de evolução do saldo 57,2% a mais em contratações 49,5 22,0 23,6 14,1 6,4 8,8 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Contratações

Leia mais

O Sistema de Financiamento Habitacional no Brasil: Potencial para atender o déficit e a demanda

O Sistema de Financiamento Habitacional no Brasil: Potencial para atender o déficit e a demanda O Sistema de Financiamento Habitacional no Brasil: Potencial para atender o déficit e a demanda Claudia Magalhães Eloy Rio de Janeiro, setembro de 2015 IUHF, UNIAPRAVI Financiamento Habitacional no Brasil

Leia mais

Evolução Mensal da Carteira de Investimentos

Evolução Mensal da Carteira de Investimentos Evolução Mensal da Carteira de Investimentos (R$ Mil) 1.050.000 Período: Jan/08 - Ago/14 1.000.000 950.000 900.000 850.000 800.000 750.000 700.000 650.000 600.000 550.000 fev/08 abr/08 jun/08 ago/08 out/08

Leia mais

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 2001 2010 A DÉCADA DA RETOMADA CELSO PETRUCCI Diretor Executivo Economista chefe do Secovi SP Versão 1005133-20100617 CPE CPE - ACCB/CCMA/JJA/MAB/RSO - ACCB/JJA/MAB/RSO 1/37

Leia mais

habitacional. Claudia Magalhães Eloy São Paulo, 14 de outubrode 2014 IBAPE-SP

habitacional. Claudia Magalhães Eloy São Paulo, 14 de outubrode 2014 IBAPE-SP O potencial do SFH para o financiamento habitacional. Claudia Magalhães Eloy São Paulo, 14 de outubrode 2014 IBAPE-SP Introdução: SFH completou 5 décadas em 2014 Suas duas fontes, juntas, somam R$832,1

Leia mais

ANUÁRIO UQBAR SECURITIZAÇÃO E FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO 2016. uqbar publicações

ANUÁRIO UQBAR SECURITIZAÇÃO E FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO 2016. uqbar publicações ANUÁRIO UQBAR SECURITIZAÇÃO E FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO 2016 Caro leitor, Ao iniciarmos 2016, nos vemos em mar revolto. Porém, se perseverarmos, mais cedo ou mais tarde acalmam-se as águas e surge um vento

Leia mais

OU DEFENDEMOS OU PERDEMOS

OU DEFENDEMOS OU PERDEMOS OU DEFENDEMOS OU PERDEMOS Criação: Lei 5.107/66 - Atual Lei 8.036/90-50 ANOS EM 2016 Objetivo: Constituir um pecúlio para o trabalhador quando de sua aposentadoria ou por ocasião da rescisão do contrato

Leia mais

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+ CALENDÁRIO, 2015 7 A JAN. 0 QUARTA -1-0.0018 7022.5 3750.3 1 QUINTA 0 +0.0009 7023.5 3751.3 2 SEXTA 1 +0.0037 7024.5 3752.3 3 SÁBADO 2 +0.0064 7025.5 3753.3 4 DOMINGO 3 +0.0091 7026.5 3754.3 5 SEGUNDA

Leia mais

O Sistema de Financiamento Habitacional no Brasil: Potencial para atender o déficit e a demanda

O Sistema de Financiamento Habitacional no Brasil: Potencial para atender o déficit e a demanda O Sistema de Financiamento Habitacional no Brasil: Potencial para atender o déficit e a demanda Claudia Magalhães Eloy Rio de Janeiro, setembro de 2015 IUHF, UNIAPRAVI Financiamento Habitacional no Brasil

Leia mais

Infraestrutura logística: condições de financiamento e incentivos à participação do mercado de capitais

Infraestrutura logística: condições de financiamento e incentivos à participação do mercado de capitais Infraestrutura logística: condições de financiamento e incentivos à participação do mercado de capitais Cleverson Aroeira Chefe de Departamento de Transportes e Logística (DELOG) Área de Infraestrutura

Leia mais

Seminário Crédito Imobiliário Visão do regulador e o mercado externo Banco Central do Brasil (BCB)

Seminário Crédito Imobiliário Visão do regulador e o mercado externo Banco Central do Brasil (BCB) Seminário Crédito Imobiliário Visão do regulador e o mercado externo Banco Central do Brasil (BCB) São Paulo, 20 de março de 2014 Agenda 1. Panorama do Segmento 2. Particularidades do Mercado Brasileiro

Leia mais

CRÉDITO Á IMOBILI RIO BB

CRÉDITO Á IMOBILI RIO BB CRÉDITO IMOBILIÁRIO BB Histórico i Mar/2008 Res. 3.549 CMN possibilita ao BB a captar poupança na modalidade SBPE Saldo da Carteira: R$ 384 mil Set/2008 Carteira da Bescri (R$ 63 milhões) é incorporada

Leia mais

DIRETRIZES URBANAS PARA O DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL

DIRETRIZES URBANAS PARA O DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL DIRETRIZES URBANAS PARA O DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL SUMAC/PECOC CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Vice-Presidência de Governo 21/12/2009 Superintendência de Assistência Técnica e Desenvolvimento Sustentável Introdução

Leia mais

Trajetória do Mercado Imobiliário e Cenários Futuros. Octavio de Lazari Junior Presidente - Abecip

Trajetória do Mercado Imobiliário e Cenários Futuros. Octavio de Lazari Junior Presidente - Abecip Trajetória do Mercado Imobiliário e Cenários Futuros Octavio de Lazari Junior Presidente - Abecip Índice 1. Evolução do Crédito Imobiliário 2. Novo Governo 3. Crédito Imobiliário: Jan Jul.2015 4. Condições

Leia mais

Coletiva de Imprensa. Balanço de 2015 Expectativas para 2016. Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente. São Paulo 26 de Janeiro de 2016

Coletiva de Imprensa. Balanço de 2015 Expectativas para 2016. Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente. São Paulo 26 de Janeiro de 2016 Coletiva de Imprensa Balanço de 2015 Expectativas para 2016 Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente São Paulo 26 de Janeiro de 2016 Índice 1 2 3 4 5 6 Condições Macroeconômicas Consumidor Construção

Leia mais

Soluções para a construção da casa própria. Soluções para clientes de todas as faixas de renda

Soluções para a construção da casa própria. Soluções para clientes de todas as faixas de renda Soluções para aquisição da casa própria Soluções para a construção da casa própria Soluções para a reforma ou ampliação da casa própria Soluções para clientes de todas as faixas de renda Redução de juros

Leia mais

1º Seminário de Saneamento Básico da FIESP

1º Seminário de Saneamento Básico da FIESP 1º Seminário de Saneamento Básico da FIESP Painel III Investimentos em infraestrutura de saneamento básico O papel do setor privado Rogério de Paula Tavares Superintendente Nacional de Saneamento e Infraestrutura

Leia mais

Construção Civil, Habitação e Programa Minha Casa Minha Vida

Construção Civil, Habitação e Programa Minha Casa Minha Vida Construção Civil, Habitação e Programa Minha Casa Minha Vida Ministro Paulo Bernardo Brasília - DF, outubro de 2009 Sumário 1. Situação recente do setor da construção civil 2. Medidas já adotadas pelo

Leia mais

Superintendência de Seguros Privados Ministério da Fazenda DECON/GEEST

Superintendência de Seguros Privados Ministério da Fazenda DECON/GEEST BOLETIM ESTATÍSTICO DOS MERCADOS SUPERVISIONADOS Julho de 2007 Mercado Brasileiro de Seguros Mercado Brasileiro de Previdência Privada Aberta Mercado Brasileiro de Capitalização Mercado Brasileiro de Seguros

Leia mais

Crédito Imobiliário Tendências e Perspectivas. Rio de Janeiro Setembro 2014

Crédito Imobiliário Tendências e Perspectivas. Rio de Janeiro Setembro 2014 Crédito Imobiliário Tendências e Perspectivas Rio de Janeiro Setembro 2014 pauta 1. O mercado imobiliário desafios e oportunidades 2. Como romper com a eterna dependência do Crédito Direcionado? 3. Novas

Leia mais

Política Social no Brasil e seus Efeitos sobre a Pobreza e a Desigualdade

Política Social no Brasil e seus Efeitos sobre a Pobreza e a Desigualdade CIDOB AECID EL BRASIL DESPUES DE LULA. Éxitos y desafíos en la reducción de la pobreza y el liderazgo regional Política Social no Brasil e seus Efeitos sobre a Pobreza e a Desigualdade Lena LAVINAS Instituto

Leia mais

Instrumentos de Financiamento Imobiliário no Brasil Jorge Sant Anna

Instrumentos de Financiamento Imobiliário no Brasil Jorge Sant Anna Instrumentos de Financiamento Imobiliário no Brasil Jorge Sant Anna 1 Março /2010 Evolução do Financiamento Imobiliário 1964 Base Legal Sistema Financeiro de Habitação Lei 4.328 /64 Lei 5.170/66 1997 Base

Leia mais

Brazilian Finance & Real Estate

Brazilian Finance & Real Estate Jul-10 Brazilian Finance & Real Estate A Brazilian Finance & Real Estate, referência no mercado financeiro imobiliário brasileiro, é uma holding formada pelas empresas Brazilian Mortgages, Brazilian Securities,

Leia mais

RENDA VARIÁVEL. Novembro / 2011

RENDA VARIÁVEL. Novembro / 2011 Novembro / 2011 Acreditamos no Investimento em Renda Variável O mercado americano é um exemplo de consistentes e elevados retornos no longo prazo 2 A Bolsa Brasileira também Apresenta Sólidos Resultados

Leia mais

Celso Petrucci Economista pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado FECAP Iniciou as atividades em crédito imobiliário em 1976, na Diretoria

Celso Petrucci Economista pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado FECAP Iniciou as atividades em crédito imobiliário em 1976, na Diretoria Celso Petrucci Economista pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado FECAP Iniciou as atividades em crédito imobiliário em 1976, na Diretoria de Programas Habitacionais da Nossa Caixa/Nosso Banco;

Leia mais

Carta ao Leitor ANUÁRIO 2009 - SECURITIZAÇÃO E FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO

Carta ao Leitor ANUÁRIO 2009 - SECURITIZAÇÃO E FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO ANUÁRIO 2009 - SECURITIZAÇÃO E FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO Carta ao Leitor É com grande satisfação que apresentamos ao mercado a segunda edição do Anuário Uqbar Securitização e Financiamento Imobiliário.

Leia mais

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016 Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado do Paraná Safra 2016/2017 Mar/16 0,6048 0,6048 0,6048 66,04 73,77 Abr 0,6232 0,6232 0,5927 64,72 72,29 Mai 0,5585 0,5878 0,5868

Leia mais

OU DEFENDEMOS OU PERDEMOS

OU DEFENDEMOS OU PERDEMOS OU DEFENDEMOS OU PERDEMOS Criação: Lei 5.107/66 - Atual Lei 8.036/90-50 ANOS EM 2016 Objetivo: Constituir um pecúlio para o trabalhador quando de sua aposentadoria ou por ocasião da rescisão do contrato

Leia mais

Ativos de Base Imobiliária O Mercado de Capitais como fonte de recursos e alternativa de investimento. Maio 2015

Ativos de Base Imobiliária O Mercado de Capitais como fonte de recursos e alternativa de investimento. Maio 2015 Ativos de Base Imobiliária O Mercado de Capitais como fonte de recursos e alternativa de investimento. 1 Maio 2015 Seção 1 Panorama do Mercado Imobiliário Seção 2 Produtos Financeiros i de Base Imobiliária

Leia mais

Panorama do Mercado de Crédito

Panorama do Mercado de Crédito Panorama do Mercado de Crédito FEBRABAN Dezembro de 2011 Rubens Sardenberg Economista-chefe ÍNDICE I. Evolução do Crédito II. Pessoa Física III. Pessoa Jurídica IV. Inadimplência V. Spread VI. Projeções

Leia mais

CAPTAÇÃO RECURSOS ART DNF SPT - GCB

CAPTAÇÃO RECURSOS ART DNF SPT - GCB CAPTAÇÃO 1 DE RECURSOS ART Abril/2008 DNF SPT - GCB Captação de Recursos 2 Conceitos, Modalidades e Destinações Conceitos 3 Captar no jargão financeiro significa coletar, arrecadar, granjear recursos;

Leia mais

Série 108 Relatório de Acompanhamento do CRI 31-jan-15

Série 108 Relatório de Acompanhamento do CRI 31-jan-15 31-jan-15 a - Saldo atual dos CRI Seniors (37.502.102,11) c - Saldo devedor total da carteira, encargos e valores a processar 37.502.133,30 f - Excedente / (Falta) 1.034,16 28-fev-15 a - Saldo atual dos

Leia mais

Bolha Imobiliaria ou Novo Patamar de Preços? Claudio Bernardes

Bolha Imobiliaria ou Novo Patamar de Preços? Claudio Bernardes Bolha Imobiliaria ou Novo Patamar de Preços? Claudio Bernardes BOLHA IMOBILIÁRIA Aumento de preços dirigidos NÃO por fundamentos econômicos, mas por mera expectativa de aumento futuro de preços INDÍCIOS

Leia mais

Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança. Coletiva de Imprensa. Resultados 2011

Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança. Coletiva de Imprensa. Resultados 2011 Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança Coletiva de Imprensa Resultados 2011 26 de Janeiro de 2012 ABECIP ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS ENTIDADES DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO E POUPANÇA

Leia mais

1. Objetivo e Descrição do fundo

1. Objetivo e Descrição do fundo FATOR VERITÀ FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ: 11.664.201/0001-00 Administrado pelo Banco Fator S.A. CNPJ: 33.644.196/0001-06 RELATÓRIO SEMESTRAL 1º. SEM. 2013 1. Objetivo e Descrição do fundo

Leia mais

Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade. Mesa 2: AGENTES PÚBLICOS, NORMATIVOS E DIREÇÃO DO TRABALHO SOCIAL

Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade. Mesa 2: AGENTES PÚBLICOS, NORMATIVOS E DIREÇÃO DO TRABALHO SOCIAL Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade Mesa 2: AGENTES PÚBLICOS, NORMATIVOS E DIREÇÃO DO TRABALHO SOCIAL Elzira Leão Trabalho Social/DHAB/DUAP/SNH Ministério

Leia mais

Boletim Mensal. Novembro/ 2.014

Boletim Mensal. Novembro/ 2.014 Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Boletim Mensal Novembro/ 2.014 Acumulado janeiro a novembro/2014 N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim Anual 2.013

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim Anual 2.013 Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Boletim Anual 2.013 N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e,

Leia mais

Soluções de Financiamento e Investimento para Projetos Imobiliários Residenciais

Soluções de Financiamento e Investimento para Projetos Imobiliários Residenciais Soluções de Financiamento e Investimento para Projetos Imobiliários Residenciais I. A Conjuntura Econômica II. III. Soluções Imobiliárias Residenciais Atuação RB Capital no Setor Imobiliário 2 Conjuntura

Leia mais

Banco do Brasil - AGO 26/04/2012. Propostas da Administração e Demais Documentos para Informação aos Acionistas

Banco do Brasil - AGO 26/04/2012. Propostas da Administração e Demais Documentos para Informação aos Acionistas Banco do Brasil - AGO 26/04/2012 Propostas da Administração e Demais Documentos para Informação aos Acionistas Assembleia Geral Ordinária - Comentários da Administração (CVM 481, Art. 9º, item III) Obs.:

Leia mais

Rumo a um Novo Ciclo de Desenvolvimento

Rumo a um Novo Ciclo de Desenvolvimento Rumo a um Novo Ciclo de Desenvolvimento Guido Mantega Presidente do BNDES Setembro 2005 A economia brasileira reúne condições excepcionais para impulsionar um novo Ciclo de Desenvolvimento Quais são as

Leia mais

Empréstimos de Outras Instituições Financeiras Monetárias a Particulares e Sociedades não Financeiras (a)

Empréstimos de Outras Instituições Financeiras Monetárias a Particulares e Sociedades não Financeiras (a) Empréstimos de Outras Instituições Financeiras Monetárias a Particulares e (a) Peso (b) 10 6 euros Variações homólogas (%) Dif. (p.p.) Tendência (x100) (c) Média Mensal (%) (d) 2014 2015 dez/15 jan/16

Leia mais

O Problema Habitacional no Brasil: Déficit, Financiamento e Perspectivas

O Problema Habitacional no Brasil: Déficit, Financiamento e Perspectivas TEXTO PARA DISCUSSÃO N O 410 O Problema Habitacional no Brasil: Déficit, Financiamento e Perspectivas José Romeu de Vasconcelos José Oswaldo Cândido Júnior ABRIL DE 1996 TEXTO PARA DISCUSSÃO N O 410 O

Leia mais

Code-P0. Copa 2014. Situação das ações do Governo Brasileiro. Brasília, 2 de junho de 2011

Code-P0. Copa 2014. Situação das ações do Governo Brasileiro. Brasília, 2 de junho de 2011 Code-P0 Copa 2014 Situação das ações do Governo Brasileiro Brasília, 2 de junho de 2011 Code-P1 O que o Brasil quer com a Copa do Mundo FIFA Mobilizar o país Promover o país no mundo Constituir arenas

Leia mais

A construção civil no cenário nacional

A construção civil no cenário nacional A construção civil no cenário nacional Índice 1- Potencial do Setor da Construção Civil População Demanda Financiamento e taxa de juros Crescimento econômico 2- Setor de Construção Civil na bolsa de valores

Leia mais

Brazilian Finance & Real Estate

Brazilian Finance & Real Estate Brazilian Finance & Real Estate Financiamento do Mercado Imobiliário - Visão do Investidor Letra de Crédito Imobiliário - LCI Estrutura do CRI e sua robustez Características do mercado Brasileiro em relação

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FIC DE FI REFERENCIADO DI CNPJ 19.312.112/0001-06 DEZEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FIC DE FI REFERENCIADO DI CNPJ 19.312.112/0001-06 DEZEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli FIC de FI Referenciado DI. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo, disponíveis

Leia mais

200 180 Indice (abr/2004=100) 160 140 120 100 80 dez/97 jun/98 dez/98 jun/99 dez/99 jun/00 dez/00 jun/01 dez/01 jun/02 dez/02 jun/03 dez/03 jun/04 dez/04 jun/05 dez/05 jun/06 dez/06 jun/07 dez/07 Faturamento

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA ABRIL

RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA ABRIL 2015 RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA ABRIL Expectativas de Mercado BACEN (15/05/2015) Pág. 2 maio de 2015 CARTEIRA DE INVESTIMENTO ATIVOS % MARÇO ABRIL DISTRIBUIÇÃO POR INSTITUIÇÃO FINANCEIRA

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN BC: Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional sobem 0,1% em maio de 2016, acumulando alta de 2,0% em 12 meses O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados

Leia mais

CONSIC/FIESP. Alteração limite valor do imóvel para enquadramento no SFH Sistema Financeiro da Habitação

CONSIC/FIESP. Alteração limite valor do imóvel para enquadramento no SFH Sistema Financeiro da Habitação CONSIC/FIESP Alteração limite valor do imóvel para enquadramento no SFH Sistema Financeiro da Habitação Teotônio Costa Rezende Diretor de Habitação 08.10.2013 1 Elevação do valor de imóvel limite do SFH

Leia mais

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12 JANEIRO 2,8451 2,7133 2,4903 2,3303 2,1669 1,9859 1,7813 1,6288 1,4527 1,3148 1,1940 1,0684 FEVEREIRO 2,8351 2,6895 2,4758 2,3201 2,1544 1,9676 1,7705 1,6166 1,4412 1,3048 1,1840 1,0584 MARÇO 2,8251 2,6562

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM Maio/2014 1. Extrato Sintético das Aplicações FUNDOS RENDA FIXA SALDO 30.04.14 APLICAÇÃO

Leia mais

Filipe F. Pontual Diretor Executivo - ABECIP

Filipe F. Pontual Diretor Executivo - ABECIP Filipe F. Pontual Diretor Executivo - ABECIP Fortaleza CE, Brasil 4 de outubro de 2013 Pauta Descolamento recente: Renda X Preço dos Imóveis Uma Breve História o Pré estabilização o Pós estabilização Crédito

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA MARÇO

RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA MARÇO 2015 RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA MARÇO Expectativas de Mercado BACEN (17/04/2015) Pág. 2 abril de 2015 CARTEIRA DE INVESTIMENTO ATIVOS % FEVEREIRO MARÇO DISTRIBUIÇÃO POR INSTITUIÇÃO FINANCEIRA

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário - FII

Fundos de Investimento Imobiliário - FII CONCEITO: Instrumento na forma de condomínio fechado, portanto não admitem resgate (saída a qualquer momento), para aplicação em empreendimentos imobiliários: Ativos imobiliários: propriedade direta de

Leia mais

Seminário Soluções de Financiamento para Projetos Imobiliários Evolução dos Produtos de Securitização Imobiliária

Seminário Soluções de Financiamento para Projetos Imobiliários Evolução dos Produtos de Securitização Imobiliária Seminário Soluções de Financiamento para Projetos Imobiliários Evolução dos Produtos de Securitização Imobiliária Flavia Mouta São Paulo, 27 de março de 2012 Declaração obrigatória As opiniões e conclusões

Leia mais

Goiânia Março/2013. Teotonio Costa Rezende Diretor Execu4vo Diretoria Execu4va de Habitação

Goiânia Março/2013. Teotonio Costa Rezende Diretor Execu4vo Diretoria Execu4va de Habitação 1 Goiânia Março/2013 Teotonio Costa Rezende Diretor Execu4vo Diretoria Execu4va de Habitação ü A CAIXA em números ü Inovações ü Produtos PJ A CAIXA EM NÚMEROS Crédito Imobiliário e Market Share CAIXA 250

Leia mais

SUFUG Superintendência Nacional do FGTS CAIXA Agente Operador do FGTS

SUFUG Superintendência Nacional do FGTS CAIXA Agente Operador do FGTS SUFUG Superintendência Nacional do FGTS CAIXA Agente Operador do FGTS FGTS Criação e Gestão O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS, criado pela Lei nº 5.107, de 13 de setembro de 1966, atualmente

Leia mais

Caixa reduz juros em até 21% para crédito imobiliário

Caixa reduz juros em até 21% para crédito imobiliário Caixa reduz juros em até 21% para crédito imobiliário Em mais uma investida do governo Dilma Rousseff para reduzir os juros cobrados pelos bancos no país, a Caixa Econômica Federal diminuiu em até 21%

Leia mais

Tendências importantes para o spread e inadimplência

Tendências importantes para o spread e inadimplência Tendências importantes para o spread e inadimplência A inadimplência confirma mínima histórica em 3,0% e o spread bancário volta a se elevar, alcançando 13,1%. Os dois movimentos são os principais destaques

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Sigla CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Ind Nº 9/215 Técnicos Resp Equipe CGPM

Leia mais

MERCADO IMOBILIÁRIO BRASILEIRO: DEMANDA E ALTERNATIVAS DE INVESTIMENTOS

MERCADO IMOBILIÁRIO BRASILEIRO: DEMANDA E ALTERNATIVAS DE INVESTIMENTOS 1 MERCADO IMOBILIÁRIO BRASILEIRO: DEMANDA E ALTERNATIVAS DE INVESTIMENTOS Roberto Ferreira Mendes, formado em administração financeira, MBA em Investimentos pela FIPE, mestrando do curso de Mestrado Profissional

Leia mais

TABELA DE SALÁRIO MÍNIMO REGIONAL (REVISADA A DE SC)

TABELA DE SALÁRIO MÍNIMO REGIONAL (REVISADA A DE SC) TABELA DE SALÁRIO MÍNIMO REGIONAL (REVISADA A DE SC) REAJUSTAMENTO, ATUALIZAÇÃO E REVISÃO DOS BENEFÍCIOS DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL FORMAS DE REAJUSTAMENTO/ACUMULAÇÃO DE BENEFÍCIO 1 - BENEFÍCIOS

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Administração Financeira MÓDULO 4: BANCOS MÚLTIPLOS Os bancos múltiplos são instituições financeiras privadas ou públicas que realizam as operações ativas, passivas e acessórias das diversas instituições

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Área de Insumos Básicos Seminário sobre Petróleo e Gás APIMEC RIO Agosto/2012 BNDES Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral

Leia mais

Osvaldo Correa Fonseca Diretor Geral da ABECI P Rio de Janeiro, 16/ 5/ 2007

Osvaldo Correa Fonseca Diretor Geral da ABECI P Rio de Janeiro, 16/ 5/ 2007 Osvaldo Correa Fonseca Diretor Geral da ABECI P Rio de Janeiro, 16/ 5/ 2007 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS ENTIDADES DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO E POUPANÇA Av. Brigadeiro Faria Lima 1.485 13º Andar São Paulo CEP

Leia mais

ABINEE TEC 2011 3º ENITEE Encontro Nacional de Inovação Tecnológica da Indústria Elétrica e Eletrônica Fomento à Inovação Subvenção, Apoio

ABINEE TEC 2011 3º ENITEE Encontro Nacional de Inovação Tecnológica da Indústria Elétrica e Eletrônica Fomento à Inovação Subvenção, Apoio ABINEE TEC 2011 3º ENITEE Encontro Nacional de Inovação Tecnológica da Indústria Elétrica e Eletrônica Fomento à Inovação Subvenção, Apoio Tecnológico Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P A B R I L, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S São Paulo, 27 de maio de 2016 Crédito imobiliário alcança R$ 3,5 bilhões em abril

Leia mais

RECALL SMITHS LISTA DOS PRODUTOS ENVOLVIDOS, IMPORTADOS AO BRASIL PELA CIRÚRGICA FERNANDES, COM INFORMAÇÕES SOBRE PRODUTOS VENDIDOS E EM ESTOQUE

RECALL SMITHS LISTA DOS PRODUTOS ENVOLVIDOS, IMPORTADOS AO BRASIL PELA CIRÚRGICA FERNANDES, COM INFORMAÇÕES SOBRE PRODUTOS VENDIDOS E EM ESTOQUE DOCUMENTO 2 LISTA DOS PRODUTOS ENVOLVIDOS, IMPORTADOS AO BRASIL PELA CIRÚRGICA FERNANDES, COM INFORMAÇÕES SOBRE PRODUTOS VENDIDOS E EM ESTOQUE 100.105.025 644425 10 10 fev/05 fev/10 9660 10/10/2005 13/10/2005

Leia mais

A presente Instituição aderiu ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento. CARACTERÍSTICAS HG Verde Fundo de Investimento Multimercado FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Outubro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem ser

Leia mais

15ª Conferência Internacional da Lares Crédito Imobiliário e Funding no Brasil Filipe F. Pontual Diretor Executivo ABECIP São Paulo 24 de Setembro de 2015 Financiamento Imobiliário SBPE Acumulado no ano

Leia mais

(com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009

(com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009 Relatório Febraban - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009 Em Abril de 2009, operações de crédito atingiram

Leia mais

II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1

II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1 II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1 Desde março do ano passado, a partir da reversão das expectativas inflacionárias e do início da retomada do crescimento econômico, os juros

Leia mais

Empréstimos de Outras Instituições Financeiras Monetárias a Particulares e Sociedades não Financeiras (a)

Empréstimos de Outras Instituições Financeiras Monetárias a Particulares e Sociedades não Financeiras (a) Peso (b) Variações homólogas (%) Tendência (x100) (c) Média Mensal (%) (d) 10 6 euros Var. 2013 2014 abr-15 mai-15 T9 T6 T3 M9 M6 M3 % Dif. (p.p.) t-1 Empréstimos - -7.9-6.9-6.5-6.7 0.13 3 5-0.6-0.2-0.2

Leia mais

10 Anos de Transmissão das Reuniões APIMEC pela Internet

10 Anos de Transmissão das Reuniões APIMEC pela Internet Esta apresentação pode conter informações sobre eventos futuros. Tais informações não seriam apenas fatos históricos, mas refletiriam os desejos e as expectativas da direção da companhia. As palavras "antecipa",

Leia mais

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010 Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL Outubro de 2010 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas

Leia mais

Lançamento do Plano Safra 2012/2013 Banco do Brasil

Lançamento do Plano Safra 2012/2013 Banco do Brasil Lançamento do Plano Safra 2012/2013 Banco do Brasil Plano Safra 2011/2012 Volume de crédito rural desembolsado R$ 2.965,9 bilhões CRESCIMENTO de 59,8% Plano Safra 2011/2012 Comparativo: Safras 2010/2011

Leia mais

Sumário. Destaques 3. Análise Econômico-Financeira 6. Grandes Números 6 Desempenho 7. - Principais Itens do Resultado 7

Sumário. Destaques 3. Análise Econômico-Financeira 6. Grandes Números 6 Desempenho 7. - Principais Itens do Resultado 7 3º Trimestre 2009 P R E S S R E L E A S E 2009 Sumário Destaques 3 Análise Econômico-Financeira 6 Grandes Números 6 Desempenho 7 - Principais Itens do Resultado 7 - Resultado da Intermediação Financeira

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Audiência Pública na Comissão de Desenvolvimento Urbano Operações de Repasse com Recursos do OGU Restos a Pagar 2007 a 2009 Brasília/DF, 14 de junho de 2011 Transferências do Orçamento

Leia mais

Letra de Crédito Imobiliário LCI. Estrutura do CRI e sua robustez. Americano. Características do mercado Brasileiro em relação ao

Letra de Crédito Imobiliário LCI. Estrutura do CRI e sua robustez. Americano. Características do mercado Brasileiro em relação ao razilian Finance & Real Estate Financiamento do Mercado Imobiliário - Visão do Investidor Letra de Crédito Imobiliário LCI Estrutura do CRI e sua robustez Características do mercado Brasileiro em relação

Leia mais

Relatório Mensal. Rio Bravo Crédito Imobiliário I - FII

Relatório Mensal. Rio Bravo Crédito Imobiliário I - FII Relatório Mensal Rio Bravo Crédito Imobiliário I - FII Março 2016 Rio Bravo Crédito Imobiliário I Fundo de Investimento Imobiliário FII O fundo Rio Bravo Crédito Imobiliário I FII iniciou suas atividades

Leia mais