A IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA QUALIDADE TOTAL E A CERTIFICAÇÃO ISO 9000 NA AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DE BARRAGENS DA CESP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA QUALIDADE TOTAL E A CERTIFICAÇÃO ISO 9000 NA AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DE BARRAGENS DA CESP"

Transcrição

1 COMITÊ BRASILEIRO DE BARRAGENS XXVII SEMINÁRIO NACIONAL DE GRANDES BARRAGENS BELÉM PA, 03 A 07 DE JUNHO DE 2007 T101 A02 A IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA QUALIDADE TOTAL E A CERTIFICAÇÃO ISO 9000 NA AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DE BARRAGENS DA CESP Júlio César PÍNFARI Engenheiro Civl CESP Silvio Roberto Markowski SAMARA Engenheiro Civil CESP Edvaldo Fábio CARNEIRO Engenheiro Civil - CESP Wilerson Antonio CESTARI Engenheiro Civil CESP RESUMO A partir de meados da década de 90, a CESP Companhia Energética de São Paulo deu início a um processo de implantação de uma Gestão da Qualidade. Esta política levou diversas áreas a trabalharem para obter certificação de qualidade conforme o padrão ISO 9000:1994. Buscando a qualidade e eficácia em um dos temas cuja preocupação vem se intensificando ao longo dos anos, a área de Segurança de Barragens foi uma das pioneiras a passar pelo processo. Após as alterações sofridas pela norma, a área empenhou-se em manter seus serviços certificados na versão ISO 9001:2000. Este trabalho apresenta os benefícios trazidos com a implantação do programa de qualidade e a importância da certificação. ABSTRACT In the mid 1990's, Cesp Companhia Energética de São Paulo began a process to implement a Quality Management Program. This policy led several areas of the company to achieve quality certification in accordance with the ISO 9000:1994 standard. Looking for quality and effectiveness, Dam Safety, an area that grows in importance year by year, pioneered in achieving the certification. Soon after the new standard ISO 9001:2000 replaced the old 1994 version, the organization decided to make efforts toward maintaining the certification. This paper shows the benefits brought by the implementation of the Quality Management Program and the importance of the certification. XXVII Seminário Nacional de Grandes Barragens 1

2 1. INTRODUÇÃO A CESP Companhia Energética de São Paulo determinou que fosse implantado em todas as áreas um programa de qualidade total de forma a padronizar os serviços executados em toda empresa, buscando melhores condições de competitividade e produtividade. A CESP tem um corpo técnico próprio para avaliar e verificar as condições dos seus empreendimentos no que concerne a segurança estrutural das obras civis. Os empreendimentos da CESP que passam por essa avaliação são: - Usina Hidrelétrica Ilha Solteira - Usina Hidrelétrica Três Irmãos - Usina Hidrelétrica Eng. Souza Dias (Jupiá) - Usina Hidrelétrica Eng. Sérgio Motta (Porto Primavera) - Usina Hidrelétrica Jaguari - Usina Hidrelétrica Paraibuna - Barragem Paraitinga 2. ETAPAS DA IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA DE QUALIDADE TOTAL 2.1 PROGRAMA 5S O primeiro passo dado em relação a qualidade total foi a implantação do Programa 5S. Este programa surgiu no Japão onde os princípios básicos correspondem a cinco palavras-chave que começam com a letra S. O quadro a seguir apresenta o significado dos 5S de forma resumida [1]: Palavra japonesa Seiri Seiton Seisou Seiketsu Shitsuke Significado Senso de Utilização Senso de Ordenação Senso de Limpeza Senso de Saúde Senso de Autodisciplina Nesta fase deve-se considerar três dimensões: - mecânica relacionada ao ambiente físico; - intelectual relacionada aos processos; e - comportamental relacionada às atitudes. O Senso de Utilização visa basicamente manter no local de trabalho apenas os materiais, equipamentos e ferramentas necessários, reduzindo estoques, possibilitando rápida localização do que se necessita, evitando excesso de compras, redução de acidentes, aumento de produtividade e ganho de energia das pessoas. O Senso de Ordenação define um local único para cada objeto e padroniza nomes pelos quais serão identificados, facilitando a comunicação, permitindo um eficiente controle de estoque, evitando compras em duplicidade e elevando a produtividade. XXVII Seminário Nacional de Grandes Barragens 2

3 O Senso de Limpeza visa a conservação do local de trabalho, de máquinas, ferramentas e equipamentos, melhorando e satisfação das pessoas, promovendo a sua valorização, permitindo melhor conservação de máquinas, equipamentos e reduzindo acidentes. O Senso de Saúde promove um ambiente de trabalho favorável à saúde, e para que se atinja este estágio é necessário que os três sensos anteriores estejam incorporados e sejam praticados pelas pessoas. Este senso promove a satisfação das pessoas, melhora as relações humanas, reduz acidentes e melhora a imagem da empresa. O Senso de Autodisciplina treina a força mental, física e moral na busca da melhoria contínua, utilizando a criatividade, a força de vontade para alcançar qualidade de vida e buscar resultados empresariais. 2.2 GERENCIAMENTO DA ROTINA Gerenciamento da Rotina é definido como o conjunto de ações ordenadas na realização de um determinado trabalho utilizando os recursos da qualidade visando facilitar o dia a dia da realização de serviços, buscando sempre a satisfação dos clientes [2]. Gerenciamento da rotina é a aplicação das ferramentas da qualidade em processos visando manter ou melhorar o resultado de todo um trabalho. A qualidade é controlada através de 6 dimensões que são necessárias para que um serviço ou produto possa ser considerado como de boa qualidade. Essas dimensões são: qualidade intrínseca; qualidade de prazo/entrega; qualidade de segurança; qualidade de custo; qualidade de moral e qualidade de meio ambiente. As principais ferramentas da qualidade aplicáveis no gerenciamento da rotina são: - Fluxograma: Uma representação gráfica dos passos seguidos em um processo a fim de mostrar a sua seqüência. - Brainstorming (tempestade de idéias): Técnica usada para ajudar a criar o máximo de idéias possíveis num curto período de tempo. - Diagrama de causa e efeito: Também conhecido como Diagrama Espinha de Peixe, é uma representação gráfica que ajuda a identificar, explorar e mostrar as possíveis causas de uma situação ou problema específico. Se os resultados medidos não estão satisfatórios, ações devem ser tomadas de modo a corrigir e melhorar. Para se resolver problemas que impedem o alcance das metas de melhoria é utilizado o método PDCA. Este método é aplicado em três etapas principais que são: Plan = planejamento; Do = execução; Check = verificação e Action = Ações corretivas, sempre nessa ordem. Para definir as ações que levem a atingir as metas estabelecidas é utilizado um plano denominado 5W1H. Este plano define prazos e responsabilidades da seguinte forma: o que fazer (what); quem fará (who); quando (when); onde (where); por que (why) e como será feito (how). XXVII Seminário Nacional de Grandes Barragens 3

4 3. A IMPLEMENTAÇÃO DA NBR ISO 9000 Uma vez implementado o programa qualidade total o próximo passo foi buscar a certificação de qualidade em conformidade com a norma NBR ISO 9000:1994. Em 1999 foram certificadas apenas duas atividades da área de segurança de barragens, com a idéia de se ampliar gradativamente a abrangência da certificação. Nesta etapa foi certificado o escopo inspeção visual em estruturas civis de barragens que contemplava apenas as inspeções em superfície e subaquática. Esta versão da norma tinha como foco a prevenção de falhas de processo e/ou produto. Em 2004 ocorreu a migração para a nova versão da Norma - NBR ISO 9001:2000, com a ampliação do escopo do processo, abrangendo demais atividades exercidas pela área. A diferença mais significativa da nova versão é que esta tem como foco a satisfação do cliente [3]. A nova norma foi desenvolvida utilizando-se um conjunto de oito princípios de gestão da qualidade, desenvolvidos pela ISO International Organization for Standardization, que atuam como uma base de sustentação comum para normas relacionadas à gestão da qualidade. Os oito princípios são: - foco no cliente - liderança - o envolvimento das pessoas - abordagem por processos - abordagem por sistema de gestão - melhoria contínua - abordagem factual para a tomada de decisão - relações de parceria com fornecedores A família NBR ISO 9001:2000 é formada pela série de normas: - ISO Sistemas de Gestão da Qualidade - Fundamentos e Vocabulário - ISO Sistemas de Gestão da Qualidade - Requisitos - ISO Sistemas de Gestão da Qualidade - Diretrizes para melhorias no desempenho - ISO Diretrizes sobre auditoria de sistemas de gestão da qualidade e ambiental 4. A IMPORTÂNCIA E AS VANTAGENS DA CERTIFICAÇÃO A equipe de Segurança de Barragens da Divisão de Engenharia de Manutenção Civil e Segurança de Barragens OMC, está localizada parte na Unidade de Produção Ilha Solteira/Três Irmãos, na cidade de Ilha Solteira, no extremo oeste do Estado de São Paulo, e parte no escritório central da CESP em São Paulo - Capital, contando com equipes para serviços de campo, na especialidade de engenharia civil - segurança de barragens, topografia, mergulho e compilação de dados. XXVII Seminário Nacional de Grandes Barragens 4

5 Com mais de 35 anos de experiência a equipe de Segurança de Barragens possui funcionários altamente qualificados, formados por engenheiros e técnicos, além de expressivo acervo de equipamentos e relatórios técnicos. As atividades são realizadas em conformidade com a Política de Qualidade da Empresa, desmembradas nestas três grandes diretrizes: - Estimular a capacitação, participação e aprendizagem dos empregados; - Melhorar continuamente a eficácia dos sistemas de gestão; e - Atender os requisitos dos clientes e demais partes interessadas visando a sua satisfação. Os principais serviços realizados são: - atividades subaquáticas em usinas hidrelétricas; - atividades batimétricas; - atividades topográficas de barragens; - inspeções visuais em estruturas civis de barragens ( superfície e subaquática ); - análise e interpretação de medidas fornecidas por instrumentos de auscultação instalados nas barragens; - arquivo e armazenamento de medidas dos instrumentos; e - análise e avaliação da segurança de barragens. Na migração para a nova versão da norma houve uma mudança no escopo de forma que todos os serviços da área fossem abrangidos. O novo escopo passou a ser: Avaliação da Segurança de Barragens da CESP. Responsabilidade da Direção CLIENTE REQUISITOS Gestão de recursos Entrada Realização do produto Medição, análise e melhoria Saída CLIENTE SATISFAÇÃO MELHORIA CONTÍNUA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE FIGURA 1: Modelo de sistema de gestão baseado em processo Um dos pontos mais fortes da normatização é a exigência pela norma da implantação de procedimentos documentados. Dentro da filosofia de melhoria contínua e em atendimento às deliberações da alta direção a equipe buscou organizar seus procedimentos através de instruções. XXVII Seminário Nacional de Grandes Barragens 5

6 Os principais procedimentos elaborados e seguidos pela área são: - procedimento para realização de inspeção visual de superfície em estruturas civis de barragens; - procedimento para realização de inspeção visual subaquática com televisionamento; - procedimento para elaboração de relatório técnico de auscultação; - procedimento para elaboração de relatório técnico de avaliação de segurança de barragens; - procedimento para realização de mergulho em estruturas de barragens; - procedimento para calibração de instrumentos utilizados no monitoramento das barragens - procedimento para elaboração de informe mensal de segurança de barragens. Nestes procedimentos, são determinadas as instruções gerais para que se realize com eficiência e eficácia as tarefas estabelecidas. As instruções não tem objetivo de habilitar um profissional inexperiente a executar as tarefas; mas sim garantir que elas sejam executadas dentro dos padrões mínimos de qualidade. Nos procedimentos estão descritos com riqueza de detalhes: - os perfis desejados dos profissionais; - as atividades a serem desenvolvidas; - fluxogramas das atividades a serem executadas; - materiais necessários à realização das tarefas; - atividades críticas, que podem afetar o resultado final de um trabalho; - descrição de manuseio dos materiais e equipamentos; - resultados esperados. Os procedimentos objetivam evitar o retrabalho, para cada tarefa executada. Cada atividade crítica é avaliada e mensurada, tendo uma pontuação individual lançada em um software específico por onde é possível se acompanhar o andamento e resultados parciais dos trabalhos. Este acompanhamento tem a finalidade de detectar possíveis falhas e/ou oportunidades de melhorias pontualmente. O resultado final de um determinado trabalho pode ser considerado bom, porém determinados aspectos são sempre passíveis de melhorias, podendo ser facilmente identificados e corrigidos com a utilização desta técnica. 5. CONCLUSÕES Dentre as principais conclusões deste trabalho, que abordou a implantação do Sistema de Gestão da Qualidade SGQ na área de Segurança de Barragens da CESP, destacam se os seguintes: - Comprometimento e empenho de todos os funcionários envolvidos (leituristas, compiladores, técnicos e engenheiros) com o objetivo de manter a integridade XXVII Seminário Nacional de Grandes Barragens 6

7 estrutural das barragens da CESP, executando as atividades dentro dos prazos, com os menores custos possíveis; - Busca de melhorias contínuas nos processos de inspeção visual de superfície, inspeção subaquática em estruturas civis de barragens, levantamentos topográficos e batimétricos, leitura dos instrumentos de auscultação civil, análise do comportamento dos instrumentos e elaboração de relatórios técnicos, visando a satisfação dos clientes que são as Usinas Hidrelétricas da CESP; - Monitoramento dos trabalhos na busca de maior aproximação com os clientes, conduzindo a equipe a estar sempre pronta a trabalhar com o máximo empenho e dedicação; - Atendimento aos requisitos dos clientes, onde os relatórios são elaborados com alto nível de detalhamento de ocorrências, ilustrados com fotos e desenhos representativos, entregues em prazos requisitados; - Envolvimento da alta direção possibilitando melhorias nos equipamentos de informática principalmente em aquisição de imagens, impressão de fotos e desenhos. Todo o processo de melhoria é percebido no crescente índice de satisfação dos clientes. A certificação NBR ISO 9001:2000 garante a credibilidade dos serviços desenvolvidos, pois toda a área, seus processos, medições e acompanhamentos são auditados por especialistas da própria CESP e por uma empresa externa certificadora, num total de quatro auditorias por ano que podem manter ou suspender a certificação conforme os resultados observados. 6. AGRADECIMENTOS Os autores vem expressar seus agradecimentos à CESP Companhia Energética de São Paulo pela permissão na divulgação das informações contidas neste trabalho. 7. PALAVRAS-CHAVE Qualidade, certificação, segurança de barragens, ISO 9001: REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS [1] Programa 5 S Manual do Gerente CESP; [2] Manual do Gerenciamento da Rotina CESP; [3] Norma Brasileira NBR ISO 9001:2000 ABNT. XXVII Seminário Nacional de Grandes Barragens 7

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Gestão da Qualidade Aula 5 O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Objetivo: Compreender os requisitos para obtenção de Certificados no Sistema Brasileiro de Certificação

Leia mais

Ganhos de Gestão do Centro de Operação da CESP com a Certificação ISO 9001:2000

Ganhos de Gestão do Centro de Operação da CESP com a Certificação ISO 9001:2000 Ganhos de Gestão do Centro de Operação da CESP com a Certificação ISO 9001:2000 Autores: José Hélio Luppi Júnior CESP Castilho-SP. Fernando Peres de Moraes CESP Castilho-SP. Carlos Alberto Skilhan CESP-

Leia mais

INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO

INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO NBR ISO 9001:2008 INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO 8 Princípios para gestão da qualidade Foco no cliente Liderança Envolvimento das pessoas Abordagem de processos Abordagem sistêmica para a gestão Melhoria

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

Programa. 5S Housekeeping

Programa. 5S Housekeeping Programa 5S Housekeeping Verdadeiro sentido do 5S É a porta de entrada para qualquer Programa da Qualidade; É o ambiente da qualidade; A maior virtude do programa não é alcançada pela maioria das pessoas;

Leia mais

Segundo Maluche [1], a melhoria contínua é

Segundo Maluche [1], a melhoria contínua é Identificação de problemas em seu sistema da gestão A melhoria contínua deve ser vista como uma atividade constante que tem como objetivos aumentar o envolvimento de todos da equipe, o aperfeiçoamento

Leia mais

CONSULTORIA. Sistema de Gestão ISO 9001 - Lean Esquadrias

CONSULTORIA. Sistema de Gestão ISO 9001 - Lean Esquadrias CONSULTORIA Sistema de Gestão ISO 9001 - Lean Esquadrias PADRÃO DE QUALIDADE DESCRIÇÃO ISO 9001 Esse Modelo de Produto de Consultoria tem por objetivo definir e melhorar todos os processos da empresa,

Leia mais

5Ss: Aplicação em Bibliotecas e Centros de Informação

5Ss: Aplicação em Bibliotecas e Centros de Informação 5Ss: Aplicação em Bibliotecas e Centros de Informação Introdução Década de 50 Japão tenta se reerguer da derrota sofrida na Segunda Grande. Profissionais dos Estados Unidos vão ao Japão a ensinar como

Leia mais

Sensibilizando para Organização e Limpeza

Sensibilizando para Organização e Limpeza Sensibilizando para Organização e Limpeza Engº JULIO TADEU ALENCAR e-mail: jtalencar@sebraesp.com. @sebraesp.com.br Ver-03/04 Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo O QUE PODEMOS FAZER

Leia mais

Cirius Quality. A Consultoria que mais cresce no Brasil. Av. José Bonifácio Nº 1076 - Diadema-SP.

Cirius Quality. A Consultoria que mais cresce no Brasil. Av. José Bonifácio Nº 1076 - Diadema-SP. CQ Consultoria Cirius Quality e Treinamento 1º Edição Interpretação da NBR ISO 9001:2008 Cirius Quality Av. José Bonifácio Nº 1076 - Diadema-SP. CEP: 09980-150 i www.ciriusquality.com.br e contato@ciriusquality.com.br

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

A importância de se formar bons auditores de qualidade Oceano Zacharias

A importância de se formar bons auditores de qualidade Oceano Zacharias A importância de se formar bons auditores de qualidade Oceano Zacharias Auditar conforme a norma ISO 9001 requer, dos auditores, obter um bom entendimento do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) das empresas

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

8.4 Análise de Dados (ISO 9001/2000)

8.4 Análise de Dados (ISO 9001/2000) 179 8.4 Análise de Dados (ISO 9001/2000) Item Questão Atende OBS: S N N A 1 A empresa determina, coleta e analisa dados apropriados para assegurar a eficácia do sistema de gestão da qualidade e aplicação

Leia mais

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005):

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005): Surgimento da ISO 9000 Com o final do conflito, em 1946 representantes de 25 países reuniram-se em Londres e decidiram criar uma nova organização internacional, com o objetivo de "facilitar a coordenação

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

ISO 9000 para produção de SOFTWARE

ISO 9000 para produção de SOFTWARE ISO 9000 para produção de SOFTWARE A expressão ISO 9000 designa um grupo de normas técnicas que estabelecem um modelo de gestão da qualidade para organizações em geral, qualquer que seja o seu tipo ou

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira NBR ISO 9001:2008 Sistema de Gestão da Qualidade Prof. Marcos Moreira História International Organization for Standardization fundada em 1947, em Genebra, e hoje presente em cerca de 157 países. Início

Leia mais

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Maio de 2003 CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Dia 12/05/2003 Certificação e homologação de produtos, serviços e empresas do setor aeroespacial,com enfoque na qualidade Dia 13/05/2003 ISO 9001:2000 Mapeamento

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01 Sumário 1 Objetivo 2 Últimas Alterações 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão de qualidade 5 Responsabilidade da direção 6 Gestão de recursos 7 Realização do produto 8 Medição, análise e melhoria.

Leia mais

Manual da Gestão Integrada - M.G.I

Manual da Gestão Integrada - M.G.I Manual da Gestão Integrada - M.G.I Revisão 001 / Outubro de 2009 CBC - Consultoria e Planejamento Ambiental Ltda. Rua Felicíssimo Antonio Pereira, 21-37, CEP 17045-015 Bauru SP Fone: (14) 3313 6332 www.cbcambiental.com.br

Leia mais

Capítulo 4: ISO 9001 e ISO 90003

Capítulo 4: ISO 9001 e ISO 90003 Capítulo 4: ISO 9001 e ISO 90003 Capítulo 1: Introdução Capítulo 2: Conceitos Básicos Capítulo 3: Qualidade de Produto (ISO9126) Capítulo 4: ISO9001 e ISO90003 Capítulo 5: CMMI Capítulo 6: PSP Capítulo

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

Manual de Gestão da Qualidade MGQ Elaborado por: Representante da Direção (RD)

Manual de Gestão da Qualidade MGQ Elaborado por: Representante da Direção (RD) 1/22 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Emissão do documento baseado nos requisitos da ISO 9001:2008 Vendas Gestão de Contratos Service Demais envolvidos na análise e aprovação Área / Processo Responsável

Leia mais

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para:

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: PARTE 2 Sistema de Gestão da Qualidade SGQ Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: Possibilitar a melhoria de produtos/serviços Garantir a satisfação

Leia mais

Prof. Adilson Spim Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 1

Prof. Adilson Spim Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 1 Certificação NBR Requisitos A partir da versão 1994, a série ISO 9000 passou a ser conhecida como família ISO 9000 ; leva em conta duas situações, a contratual e não contratual; Para a situação não contratual

Leia mais

5W 1H Who? Where? Why? What? When? How? PADRONIZAÇÃO ISO 9000 COMO GARANTIR A QUALIDADE NO

5W 1H Who? Where? Why? What? When? How? PADRONIZAÇÃO ISO 9000 COMO GARANTIR A QUALIDADE NO Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Departamento Engenharia Mecânica ENG 039 Gestão da Qualidade PADRONIZAÇÃO ISO 9000 Apresentação: Pedro Henrique Pereira Muniz Rafael de Oliveira Hughes

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. ENG-1530 Administração e Finanças para Engenharia Professor: Luis Guilherme

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. ENG-1530 Administração e Finanças para Engenharia Professor: Luis Guilherme PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL ENG-1530 Administração e Finanças para Engenharia Professor: Luis Guilherme Gestão de Qualidade Alunos: Bruna Bastos Bruno Avelar Giacomini

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE Rev. Data. Modificações 01 14/09/2007 Manual Inicial 02 12/06/2009 Revisão Geral do Sistema de Gestão da Qualidade 03 22/10/2009 Inclusão de documento de referência no item 8. Satisfação de cliente, Alteração

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná.

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná. ELABORADO POR: Carlos Eduardo Matias Enns MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVADO POR: Edson Luis Schoen 28/1/5 1 de 11 1. FINALIDADE A Saint Blanc Metalmecânica Ltda visa estabelecer as diretrizes básicas

Leia mais

Uso Exclusivo em Treinamento

Uso Exclusivo em Treinamento Web Site: www.simplessolucoes.com.br ABNT NBR ISO 9001:2008 Uso Exclusivo em Treinamento SUMÁRIO 0. Introdução 2 0.1 Generalidades 2 0.2 Abordagem de processo 3 0.3 Relação com a norma NBR ISO 9004 5 0.4

Leia mais

Lista de Verificação / Checklist

Lista de Verificação / Checklist Lista de Verificação / Checklist Avaliação NC / PC / C Departamentos Padrões de Referência /// Referências do MQ //// Referências Subjetivas A B C D E Cláusula Padrão Conforme/ Não C. 4 Sistema de Gestão

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A expressão ISO 9000 (International Organization for Standardization) designa um grupo de normas técnicas que estabelecem

Leia mais

ISO 9000 ISO 9001:2008

ISO 9000 ISO 9001:2008 ISO 9001:2008 QUALIDADE II ISO 9000 A ISO 9000 - Qualidade é o nome genérico utilizado pela série de normas da família 9000 (ISO) que estabelece as diretrizes para implantação de Sistemas de Gestão da

Leia mais

Norma ISO 9001:2008. Gestão da Qualidade

Norma ISO 9001:2008. Gestão da Qualidade Norma ISO 9001:2008 Gestão da Qualidade Sistemas da Qualidade e Qualidade Ambiental ISO 9000 e ISO 14000 Prof. M. Sc. Helcio Suguiyama 1- Foco no cliente 2- Liderança 3- Envolvimento das Pessoas 4- Abordagem

Leia mais

Introdução à ISO 9001 ano 2008

Introdução à ISO 9001 ano 2008 Introdução à ISO 9001 ano 2008 1. A FAMÍLIA DE NORMAS ISO 9000 1.1 Histórico A primeira Norma de Garantia da Qualidade foi publicada em 1979 pela British Standards Institution (BSI) em três partes como

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SGA ISO 14.001:2004 O que é ISO? A ISO - International Organization for Standardization é uma organização sediada em Genebra, na Suíça. Foi fundada em 1946; A sigla ISO foi

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos DEZ 2000 NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680 Rio

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Qualidade de Software Prof. Sam da Silva Devincenzi sam.devincenzi@gmail.com ISO International Organization for Standardization Organização não governamental que elabora normas internacionais, que visam

Leia mais

Manual da Gestão Integrada - M.G.I Revisão 003 / Novembro de 2010

Manual da Gestão Integrada - M.G.I Revisão 003 / Novembro de 2010 Manual da Gestão Integrada - M.G.I Revisão 003 / Novembro de 2010 Analisado por: Aprovado por: Maxiliano Costa Xavier Representante da Direção Caio Cesar Passianoto Diretor Rua Felicíssimo Antônio Pereira,

Leia mais

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EPR 16 - SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EPR 16 - SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EPR 16 - SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2000 Prof. Dr. João Batista Turrioni Objetivo geral Introduzir e discutir a importância da adoção de um Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

Tradução livre do PMBOK 2000, V 1.0, disponibilizada através da Internet pelo PMI MG em abril de 2001

Tradução livre do PMBOK 2000, V 1.0, disponibilizada através da Internet pelo PMI MG em abril de 2001 Capítulo 8 Gerenciamento da Qualidade do Projeto O Gerenciamento da Qualidade do Projeto inclui os processos necessários para garantir que o projeto irá satisfazer as necessidades para as quais ele foi

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

FERRAMENTAS DA QUALIDADE NO GERENCIAMENTO DE PROCESSOS

FERRAMENTAS DA QUALIDADE NO GERENCIAMENTO DE PROCESSOS 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 FERRAMENTAS DA QUALIDADE NO GERENCIAMENTO DE PROCESSOS Priscila Pasti Barbosa 1, Sheila Luz 2, Fernando Cesar Penteado 3, Generoso De Angelis Neto 4, Carlos

Leia mais

Dificuldades no desenvolvimento de um sistema de gestão da qualidade em empresa metalúrgica de médio porte

Dificuldades no desenvolvimento de um sistema de gestão da qualidade em empresa metalúrgica de médio porte 1 Dificuldades no desenvolvimento de um sistema de gestão da qualidade em empresa metalúrgica de médio porte Resumo Anderson Kusmenkovsky¹ Fernanda Plovas² Pedro Paulo de Andrade Junior³ O presente artigo

Leia mais

X EDAO ENCONTRO PARA DEBATES DE ASSUNTOS DE OPERAÇÃO. Ganhos de Gestão do Centro de Operação da CESP com a Certificação ISO 9001:2000

X EDAO ENCONTRO PARA DEBATES DE ASSUNTOS DE OPERAÇÃO. Ganhos de Gestão do Centro de Operação da CESP com a Certificação ISO 9001:2000 X EDAO ENCONTRO PARA DEBATES DE ASSUNTOS DE OPERAÇÃO Ganhos de Gestão do Centro de Operação da CESP com a Certificação ISO 9001:2000 Autor 1- José Hélio Luppi Júnior Autor 2 Fernando P. de Moraes Autor

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Contexto SGQ SGQ Sistema de Gestão da Qualidade Sistema (Definição do dicionário Michaelis) 1- Conjunto de princípios

Leia mais

Ferramentas da Qualidade: Uma visão Aplicada a Laboratórios de Ensaios Químicos

Ferramentas da Qualidade: Uma visão Aplicada a Laboratórios de Ensaios Químicos Ferramentas da Qualidade: Uma visão Aplicada a Laboratórios de Ensaios Químicos Resumo Com a globalização da economia e a formação de blocos econômicos, têm surgido barreiras técnicas e comerciais para

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos DEZ 2000 NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos Sumário Prefácio 0 Introdução 1 Objetivo 2 Referência normativa 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão da qualidade 5 Responsabilidade

Leia mais

Produção Enxuta. Lean Manufacturing

Produção Enxuta. Lean Manufacturing Produção Enxuta Lean Manufacturing Produção Enxuta Principais ferramentas Ferramentas do STP 5S; SMED ; Gestão Visual; Poka-Yoke; TPM Kanban; Kaizen; VSM Casa do STP 5 Sensos Filosofia cujo objetivo é

Leia mais

Os processos. Auditorias internas. Requisitos ISO 9001 S1E1

Os processos. Auditorias internas. Requisitos ISO 9001 S1E1 Os processos Requisitos ISO 9001 s internas S1E1 Metodologia Esta capacitação em s Internas de Sistemas de Gestão da Qualidade prevê a construção do conhecimento por meio de exercícios teórico-práticos

Leia mais

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL 1 MODELOS DE GESTÃO MODELO Busca representar a realidade GESTÃO ACT CHECK PLAN DO PDCA 2 MODELOS DE GESTÃO

Leia mais

9001:2000 - EPS - UFSC)

9001:2000 - EPS - UFSC) Implantação de um sistema de gestão da qualidade conforme a norma ISO 9001:2000 numa pequena empresa de base tecnológica, estudo de caso: Solar Instrumentação, Monitoração e Controle Ltda. Gustavo Slongo

Leia mais

ISO 9000. Padronização de todos os processos que afectam o produto e consequentemente o cliente;

ISO 9000. Padronização de todos os processos que afectam o produto e consequentemente o cliente; ISO 9000 A série ISO 9000 é uma concentração de normas que formam um modelo de gestão da Qualidade para organizações que podem, se desejarem, certificar seus sistemas de gestão através de organismos de

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001. Sistemas de gestão da qualidade Requisitos. Quality management systems Requirements ' NORMA BRASILEIRA. Segunda edição 28.11.

ABNT NBR ISO 9001. Sistemas de gestão da qualidade Requisitos. Quality management systems Requirements ' NORMA BRASILEIRA. Segunda edição 28.11. ' NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO 9001 Segunda edição 28.11.2008 Válida a partir de 28.12.2008 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos Quality management systems Requirements Palavras-chave: Sistemas

Leia mais

DISCIPLINA: Controle de Qualidade na Indústria

DISCIPLINA: Controle de Qualidade na Indústria PPGE3M/UFRGS DISCIPLINA: Controle de Qualidade na Indústria Profa. Dra. Rejane Tubino rejane.tubino@ufrgs.br SATC 2013 Fone: 3308-9966 Programa da Disciplina Apresentação da disciplina Conceitos preliminares.

Leia mais

5S s Introdução a Engenharia de Produção Prof. Evandro Bittencourt

5S s Introdução a Engenharia de Produção Prof. Evandro Bittencourt 5S s Introdução a Engenharia de Produção Prof. Evandro Bittencourt Usado para solucionar os problemas comportamentais nas empresas, principalmente para formar uma cultura de combate ao desperdício, à desordem,

Leia mais

MBA em Administração e Qualidade

MBA em Administração e Qualidade MBA em Administração e Qualidade Sistemas ISO 9000 e Auditorias da Qualidade Aula 5 Prof. Wanderson Stael Paris Olá! Confira no vídeo a seguir alguns temas que serão abordados nesta aula. Bons estudos!

Leia mais

2 NBR ISO 10005:1997. 1 Objetivo. 3 Definições. 2 Referência normativa

2 NBR ISO 10005:1997. 1 Objetivo. 3 Definições. 2 Referência normativa 2 NBR ISO 10005:1997 1 Objetivo 1.1 Esta Norma fornece diretrizes para auxiliar os fornecedores na preparação, análise crítica, aprovação e revisão de planos da qualidade. Ela pode ser utilizada em duas

Leia mais

UBQ União Brasileira para Qualidade

UBQ União Brasileira para Qualidade UBQ União Brasileira para Qualidade Quem somos A UBQ é uma entidade civil, para fins não econômicos, que trabalha para difundir os conceitos e as práticas da Qualidade com o objetivo de ajudar as organizações

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas DEZ 2000 NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28 o. andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680 Rio

Leia mais

www.megacursos.com.br O QUE É ISO?

www.megacursos.com.br O QUE É ISO? 1 O QUE É ISO? ISO significa International Organization for Standardization (Organização Internacional de Normalização), seu objetivo é promover o desenvolvimento de normas, testes e certificação, com

Leia mais

Modelo da Série NBR ISO 9000

Modelo da Série NBR ISO 9000 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP CURSO DE ADMINISTAÇÃO Prof a : NAZARÉ DA SILVA DIAS FERRÃO GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL Modelo da Série NBR ISO 9000 Origem da Norma para Sistemas da Qualidade ISO

Leia mais

O R I G E N S JAPÃO DO PÓS-GUERRA KAORU ISHIKAWA. Treinamento

O R I G E N S JAPÃO DO PÓS-GUERRA KAORU ISHIKAWA. Treinamento O R I G E N S 1 9 5 0 JAPÃO DO PÓS-GUERRA KAORU ISHIKAWA O B J E T I V O S Preparar uma empresa, ou qualquer espaço físico para uma intervenção de melhoria no ambiente. OBJETIVOS ESPECÍFICOS ü Melhorar

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP ÁREA INDUSTRIAL. Disciplina: Gestão da Qualidade

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP ÁREA INDUSTRIAL. Disciplina: Gestão da Qualidade 1 de 13 Sumário 1 Normalização... 2 1.1 Normas... 2 1.2 Objetivos... 2 1.3 Benefícios de Normalização... 2 1.4 A Importância da Normalização Internacional... 3 1.5 Necessidades de Normalização Internacional...

Leia mais

GESTÃO E SISTEMA DE QUALIDADE MÓDULO IV

GESTÃO E SISTEMA DE QUALIDADE MÓDULO IV 2015.2 GESTÃO E SISTEMA DE QUALIDADE MÓDULO IV FICHA TÉCNICA DIREÇÃO DO INSTITUTO FORMAÇÃO Chiara Moura Claudio Borges SECRETARIA ACADÊMICA Daniela Luz COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DO NUPE (NÚCLEO DE PROJETOS

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE CONCEITOS E VOCABULÁRIO. Planejamento da Qualidade

GESTÃO DA QUALIDADE CONCEITOS E VOCABULÁRIO. Planejamento da Qualidade GESTÃO DA QUALIDADE CONCEITOS E VOCABULÁRIO 1 Conceitos e Vocabulário Afinal de contas, o que é qualidade? A ISO 9000:2000 define qualidade como: Grau no qual um conjunto de características inerentes atende

Leia mais

Introdução Visão Geral Processos de gerenciamento de qualidade. Entradas Ferramentas e Técnicas Saídas

Introdução Visão Geral Processos de gerenciamento de qualidade. Entradas Ferramentas e Técnicas Saídas Introdução Visão Geral Processos de gerenciamento de qualidade Entradas Ferramentas e Técnicas Saídas O que é qualidade? Qualidade é a adequação ao uso. É a conformidade às exigências. (ISO International

Leia mais

1.Maior produtividade pela redução da perda de tempo procurando por objetos. - Só ficam no ambiente os objetos necessários e ao alcance da mão;

1.Maior produtividade pela redução da perda de tempo procurando por objetos. - Só ficam no ambiente os objetos necessários e ao alcance da mão; Sistema 5 S's Conceito: O Método "5S" foi a base da implantação do Sistema de Qualidade Total nas empresas. Surgiu no Japão, nas décadas de 50 e 60, após a Segunda Guerra Mundial, quando o país vivia a

Leia mais

Um modelo para Certificação ISO 9001:2000 em PMEs

Um modelo para Certificação ISO 9001:2000 em PMEs Um modelo para Certificação ISO 9001:2000 em PMEs Raimundo S.N. Azevedo Arnaldo D. Belchior Universidade de Fortaleza, Mestrado em Informática Aplicada, Fortaleza-Ceará, Brasil, 60811-341 sales.mia@unifor.br,

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE ALESSANDRA TEDORO BARBARA LIMA GABRIELA SPOLAVORI LEANDRO MARTINIANO MARCUS LOURENÇO RICARDO

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE ALESSANDRA TEDORO BARBARA LIMA GABRIELA SPOLAVORI LEANDRO MARTINIANO MARCUS LOURENÇO RICARDO SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE ALESSANDRA TEDORO BARBARA LIMA GABRIELA SPOLAVORI LEANDRO MARTINIANO MARCUS LOURENÇO RICARDO HISTÓRICO 1990 Mudanças no Pais e no Setor da Construção Civil - Abertura do

Leia mais

FERRAMENTAS DA QUALIDADE. Prof. Dr. Renato Montini FATEC MC

FERRAMENTAS DA QUALIDADE. Prof. Dr. Renato Montini FATEC MC FERRAMENTAS DA QUALIDADE Prof. Dr. Renato Montini FATEC MC As ferramentas da qualidade têm os seguintes objetivos: Facilitar a visualização e o entendimento dos problemas; Sintetizar o conhecimento e as

Leia mais

Normas Série ISO 9000

Normas Série ISO 9000 Normas Série ISO 9000 Ana Lucia S. Barbosa/UFRRJ Adaptado de Tony Tanaka Conteúdo Conceitos principais A série ISO9000:2000 ISO9000:2000 Sumário Princípios de Gestão da Qualidade ISO9001 - Requisitos Modelo

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE Introdução

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE Introdução GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE Introdução Considerações iniciais Qualidade: Grau de perfeição, de precisão, de conformidade a um certo padrão. É conceito multidimensional, isto é, o cliente avalia a qualidade

Leia mais

O REFLEXO DA QUALIDADE PARA A PRODUTIVIDADE

O REFLEXO DA QUALIDADE PARA A PRODUTIVIDADE O REFLEXO DA QUALIDADE PARA A PRODUTIVIDADE Fernanda Aparecida de SOUZA 1 RGM: 079195 Juliana Regina de ALMEIDA 1 RGM: 079247 Mary Ellen dos Santos MOREIRA 1 RGM: 079248 Renato Francisco Saldanha SILVA

Leia mais

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Apresentação A AGM está se estruturando nos princípios da Qualidade Total e nos requisitos da Norma NBR ISO 9001:2000, implantando em nossas operações o SGQ Sistema

Leia mais

5S - 5 sensos da qualidade

5S - 5 sensos da qualidade 5S - 5 sensos da qualidade É um processo com cinco grandes passos que ajudam a organizar melhor trabalho. É um programa que busca tornar o dia a dia na empresa mais tranqüilo, através de : cuidados com

Leia mais

O programa 10S brasileiro, que ampliou e aperfeiçoou o programa 5S japonês, é uma proposta que

O programa 10S brasileiro, que ampliou e aperfeiçoou o programa 5S japonês, é uma proposta que Neste informativo, apresentamos um resumo do artigo "Programa 10S e a crise de imagem", escrito por José Ailton Baptista da Silva, membro da American Society for Quality, e publicado na edição de dezembro

Leia mais

FERRAMENTA DA QUALIDADE E PLANO DE TRABALHO

FERRAMENTA DA QUALIDADE E PLANO DE TRABALHO FERRAMENTA DA QUALIDADE E PLANO DE TRABALHO Construção Civil e Arquitetura Industria: Museus: Serviços: Saúde: Varejo: ENL Escola de Novos Líderes - 1.500 coordenadores Formação de Monitores - 1000 profissionais

Leia mais

HOUSEKEEPING A PARTIR DO 5S. Introdução. Para que serve?

HOUSEKEEPING A PARTIR DO 5S. Introdução. Para que serve? HOUSEKEEPING A PARTIR DO 5S Introdução Basicamente consiste na determinação de organizar o local de trabalho, mantêlo arrumado e em ordem, limpo, mantendo as condições padronizadas e a disciplina necessárias

Leia mais

NORMAS SÉRIE ISO 14000

NORMAS SÉRIE ISO 14000 NORMAS SÉRIE ISO 14000 O que é a ISO? Organização Internacional para Padronização História e Filosofia da ISO A ISO foi fundada em 1947, tem sede em Genebra (Suíça) e é uma federação mundial de organismos

Leia mais

Analista de Sistemas S. J. Rio Preto SP 2009

Analista de Sistemas S. J. Rio Preto SP 2009 O que é o Programa 5Ss? O Programa 5Ss é uma filosofia de trabalho que busca promover a disciplina na empresa através de consciência e responsabilidade de todos, de forma a tornar o ambiente de trabalho

Leia mais

A APLICAÇÃO DA FILOSOFIA KAIZEN NA GESTÃO DE ESTOQUES

A APLICAÇÃO DA FILOSOFIA KAIZEN NA GESTÃO DE ESTOQUES A APLICAÇÃO DA FILOSOFIA KAIZEN NA GESTÃO DE ESTOQUES Thiago Augusto Santos Faria thiago.faria@embraer.com.br Mauricio Carlos do Prado Serpa mauricio.serpa@eleb.net Newton Yamada newyamada@bol.com.br Tema:

Leia mais

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Adilson Sérgio Nicoletti Blumenau, SC - setembro de 2001 Conteúdo Apresentação

Leia mais

Departamento de Engenharia. ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção

Departamento de Engenharia. ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso de Graduação em Engenharia de Produção ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles.

Leia mais

- Revisão das normas ISO 9000 para o ano 2000 -

- Revisão das normas ISO 9000 para o ano 2000 - Seu parceiro na certificação - Revisão das normas ISO 9000 para o ano 2000 - DQS do Brasil 2002/06/12 Razões para a revisão (1) Razões formais: Protocolo da ISO (análise critica a cada 5 anos) ISO TC 176:

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL. Modelo da Série NBR ISO 9000

GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL. Modelo da Série NBR ISO 9000 GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL Modelo da Série NBR ISO 9000 Modelo da Série NBR ISO 9000 A Garantia da Qualidade requer uma ação coordenada de todo sistema produtivo da empresa, do fornecedor de insumos de

Leia mais

QUALIDADE: NÃO MAIS UM DIFERENCIAL, E SIM UMA SOBREVIVÊNCIA PARA AS INSTITUIÇÕES

QUALIDADE: NÃO MAIS UM DIFERENCIAL, E SIM UMA SOBREVIVÊNCIA PARA AS INSTITUIÇÕES UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CENTRO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MBA EM GESTÃO DA QUALIDADE ELISANGELA ELIAS FERNANDES QUALIDADE: NÃO MAIS UM DIFERENCIAL, E SIM UMA SOBREVIVÊNCIA PARA

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA 1/10 INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA... 2 ABRANGÊNCIA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 3 1. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE:... 4 - MANUAL DA QUALIDADE... 4 Escopo do SGQ e definição dos clientes... 4 Política

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos SET/2000 PROJETO NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680

Leia mais

Utilização do diagrama de causa-efeito na criação de uma lista de verificação básica para auditorias de processos produtivos

Utilização do diagrama de causa-efeito na criação de uma lista de verificação básica para auditorias de processos produtivos 1 Utilização do diagrama de causa-efeito na criação de uma lista de verificação básica para auditorias de processos produtivos Eng. Valdir Furlan Junior (UNITAU) valdirfurlanjr@gmail.com Álvaro Azevedo

Leia mais

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS E DO CONTROLE DA QUALIDADE E PROCESSO

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS E DO CONTROLE DA QUALIDADE E PROCESSO 1 ANÁLISE DAS FERRAMENTAS E DO CONTROLE DA QUALIDADE E PROCESSO Solange de Fátima Machado 1 Renato Francisco Saldanha Silva 2 Valdecil de Souza 3 Resumo No presente estudo foi abordada a análise das ferramentas

Leia mais

AVALIAÇÃO DO IMPACTO DA CERTIFICAÇÃO ISO9001:2000 NO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL

AVALIAÇÃO DO IMPACTO DA CERTIFICAÇÃO ISO9001:2000 NO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL AVALIAÇÃO DO IMPACTO DA CERTIFICAÇÃO ISO9001:2000 NO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL Patricia Agnes Pereira da Silva (UNIFEI) paty_agnes@yahoo.com.br Paulo Henrique Paulista (UNIFEI) paulohpeca@yahoo.com.br

Leia mais

Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento

Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento Web Site: www.simplessolucoes.com.br N786-1 ISO CD 9001 Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento N786-1 ISO CD 9001 para treinamento - Rev0 SUMÁRIO Página Introdução 4 0.1 Generalidades 4 0.2 Abordagem

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais