SIMPROS Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR (SPICE) para Melhoria de Processos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos"

Transcrição

1 Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR (SPICE) para Melhoria de Processos Adilson Sérgio Nicoletti Blumenau, SC - setembro de 2001 Conteúdo Apresentação Senior Sistemas Experiência de utilização ISO/IEC TR Experiência de implantação ISO 9001:2000 São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-1

2 SENIOR SISTEMAS Fundada em Blumenau (SC) 200 colaboradores 80 consultores credenciados 70 distribuidores em todo o Brasil Cerca de 8000 cópias instaladas. SISTEMAS Software para Gestão Empresarial, Gestão de RH e Gestão em Turismo São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-2

3 : Programa 5S ESFORÇOS PARA MELHORIA Tentativa de Planejamento Estratégico Definição do Organograma Descrição de cargos. Definição de 1 profissional para melhoria de processos. Melhoria do processo Suporte ao Cliente Equipes Controle Qualidade (testes e documentação) 1998: Crescimento rápido da organização: 1991 = 6 colaboradores 1995 = 40 colaboradores 1997 = 75 colaboradores SITUAÇÃO 1998 = 120 colaboradores Novos sistemas em áreas diferentes: ERP, Turismo. Maior demanda por qualidade: Clientes em geral mais exigentes e novos Clientes de maior porte. Esforços não-integrados para melhoria de processos. Necessidade de organização interna: processos, estrutura adequada e gestão sistêmica. São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-3

4 Utilização do ISO/IEC TR (SPICE) Esta parte foi adaptada a partir do Artigo Experiência de Avaliação de Processos e Planejamento da Melhoria Utilizando a Futura Norma ISO/IEC (SPICE). Clênio Figueiredo Salviano et al, PROJETO CTI (ITI) / SENIOR Objetivos Construir um plano para melhoria do processo de software da SENIOR SISTEMAS Avaliar as práticas correntes da SENIOR em relação a um modelo de processo Capacitar pessoas da SENIOR em melhoria de processos de software Participar do SPICE Trials Phase 3. São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-4

5 PARTICIPANTES DO PROJETO Patrocinador (1) Conselho de Administração (7) Pessoas Representativas (20+) Equipe de Trabalho - ITI (2) / Senior (2) Colaboradores (todos) EXECUÇÃO DO PLANO DE MELHORIAS Abordagem CTI (ITI) para Melhoria de Processos de Software Contexto e Objetivos de Negócio da Organização Inicia Trabalho e Define Metas Institucionaliza a Melhoria Avalia Práticas Correntes Modelo de Processo (ISO/IEC 15504) Verifica Resultados e Aprende Planeja Ações de Melhoria Experiência e Resultados de Outras Organizações Fase 1 Fase /Março 13-20/Abril Implementa Ações de Melhoria Fase /Maio Fase 5 jun 2000 Fase 4 jul jun 2000 São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-5

6 RESULTADO DA FASE 1 Plano de Avaliação das instâncias de processo selecionadas FASE 1 - PROCESSOS SELECIONADOS Cliente - Fornecedor Aquisição Preparação Aquisição Seleção do Fornecedor Acompanhamento Fornecedor Aceitação pelo Cliente Fornecimento Elicitação de Requisitos Operação Uso Operacional Suporte ao Cliente Gerenciamento Gerenciamento de Projeto Gerenciamento da Qualidade Gerenciamento de Riscos Documentação Verificação Validação Auditoria Gerenciamento Suporte Gerência Configuração Garantia Qualidade Revisão Conjunta Resolução Problema Engenharia Desenvolvimento Análise Requisitos e Projeto Sistema Análise Requisitos de Software Projeto de Software Construção de Software Integração de Software Teste de Software Teste e Integração de Sistema Manutenção Software e Sistema Alinhamento Organizacional Melhoria Estabelecimento de Processo Avaliação de Processo Melhoria de Processo Gerenciamento RH Infra-estrutura Medição Reuso Organização São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-6

7 FASE 1 - PLANO DE AVALIAÇÃO 3 Níveis a serem avaliados Instância A Instância B Instância C Instância D Instância E Alinhamento Organizacional Estabelecimento Processos Instâncias e processos Gerenciamento de Projeto Garantia da Qualidade Suporte ao Cliente RESULTADO DA FASE 2 Perfil das instâncias de processo São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-7

8 Níveis avaliados 2 FASE 2 - PERFIL DAS INSTÂNCIAS Instância: D Gerenc. Projeto Garantia Qualidade Suporte ao Cliente Processos Não atingido Parcialmente atingido Largamente atingido Completamente atingido RESULTADO DA FASE 3 Plano de melhorias São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-8

9 FASE 3 - PLANO DE MELHORIAS Alinhamento Organizacional Estabelecer direcionadores (visão, missão, objetivos de negócio e política qualidade) Incentivar a cultura de gerenciamento Melhorar a comunicação institucional interna Responsável: Conselho de Administração Estabelecimento de Processos Capacitar grupo em estabelecimento e melhoria de processos Elaborar plano de trabalho do grupo Responsável: Grupo Melhoria de Processos FASE 3 - PLANO DE MELHORIAS Gerenciamento de Projeto Capacitar gerentes e líderes em gerenciamento de projeto Estabelecer um roteiro para gerenciamento de projeto Responsáveis: Gerentes de Sistemas e Analista de Processos Garantia da Qualidade Capacitar grupo em garantia da qualidade Planejar e realizar auditorias Elaborar plano de trabalho do grupo Responsável: Grupo Garantia da Qualidade Suporte ao Cliente Pesquisar a Satisfação dos Clientes Elaborar um plano de melhoria do suporte Responsáveis: Gerentes de Produto e Líderes Suporte São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-9

10 RESULTADO DA FASE 4 Implementação do Plano de melhorias e decisão pela implantação da ISO 9001 FASE 4 - RESULTADOS DO PLANO Alinhamento Organizacional Estabelecidos a visão, missão, objetivos de negócio e política qualidade. Definido papel do Conselho de Administração e obtido apoio ao plano. Melhoria da tomada e comunicação de decisões na alta direção. Gerenciamento de Projeto Estabelecido um roteiro para gerenciamento de projeto. Implantação do roteiro em projetos pilotos. Introdução de conceitos de gerenciamento na rotina das equipes. São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-10

11 PROBLEMAS NA IMPLEMENTAÇÃO Suporte ao Cliente Resistência à realização da Pesquisa de Satisfação de Clientes. Garantia da Qualidade Grupo formado com 12 pessoas inexperientes em garantia da qualidade. Inexperiência organizacional com requisitos, projetos e planos. Estabelecimento de Processos Grupo formado com 12 pessoas desconhecedoras da abordagem por processos. Inexperiência organizacional com processos e ciclo de vida. JUSTIFICATIVAS PARA ISO 9001 Dificuldades organizacionais para estabelecer processos e garantir a qualidade. Necessidade de criar uma estrutura permanente para suportar a definição, estabelecimento, controle e melhoria contínua de processos. Comprometimento das áreas não abrangidas pelo plano de melhorias. Experiência do mercado com a família ISO Maior apelo comercial facilitando a aprovação do projeto. São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-11

12 PRINCÍPIOS DE GESTÃO DA QUALIDADE 8 Fornecedores 1 Foco no Cliente 2 Liderança Decisão 7 baseada em fatos Princípios de Gestão da Qualidade 3 Envolvimento de pessoas Melhoria 6 Contínua Abordagem 4 de Processo Gestão Sistêmica 5 Baseado na NBR ISO 9000:2000. SÉRIE NBR ISO 9000: NBR ISO 9000:2000: Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário - NBR ISO 9001:2000: Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos - NBR ISO 9004:2000: Sistemas de Gestão da Qualidade Diretrizes para Melhoria de Desempenho São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-12

13 MODELO SGQ BASEADO EM PROCESSO Melhoria contínua do Sistema de Gestão da Qualidade Responsabilidade da direção CLIENTE CLIENTE Gestão de Recursos Medição, análise e melhoria Satisfação Requisitos Entrada Realização do Produto Produto Saída Legenda: Atividades que agregam valor Fluxo de informação Baseado na NBR ISO 9001:2000. SGQ = Sistema de Gestão da Qualidade PROJETO IMPLANTAÇÃO ISO 9001 Duração: Fev/2000 a Mar/2001. Objetivos: Definir processos e determinar procedimentos para sua implementação, medição e melhoria Implantar e certificar um Sistema de Gestão da Qualidade em conformidade com NBR ISO 9001:2000 Realizar Pesquisa de Satisfação de Clientes Desenvolver ferramentas necessárias para suportar o SGQ e a Pesquisa de Satisfação. São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-13

14 CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO FASE DATA/PERÍODO PREVISTO DATA/PERÍODO REALIZADO 1 Diagnóstico inicial 07/02/ /02/ Sensibilização dos colaboradores 16 a 29/02/ a 18/02/ Levantar necessidades de normas 01/03 a 30/11/ /03 a 30/09/ Implantar as normas internas 03/04 a 30/11/ /04 a 20/12/ Formar auditores internos 03 a 05/07/ a 05/07/ Implantar auditorias internas 01/09 a 31/10/ a 31/10/ Corrigir não-conformidades 01/09 a 30/11/ /11 a 31/01/ Auditoria externa pela consultoria 30/11 a 20/12/ a 07/12/ Pré-auditoria Organismo Certificador 10 a 31/01/ a 09/02/ Auditoria Organismo Certificador 15 a 28/02/ a 29/03/2001 CONSULTORIA DE IMPLANTAÇÃO FASE DETALHAMENTO Horas previstas Horas realizadas 1 Diagnóstico Inicial Auditoria Interna 8 9,5 2 Sensibilização Palestras Levantar necessidades Plano de normalização Implantar as normas Elaboração das normas internas ,5 5 Formar auditores internos Curso interno Implantar auditorias Realizar auditorias internas Corrigir não-conformidades Causas e correções Total de Horas: Auditorias Externas - 57 Total de Horas: 412 São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-14

15 CUSTOS DA IMPLANTAÇÃO Consultoria e Organismo Certificador Acompanhamento: R$ ,00 Auditorias Internas: R$ 4.130,00 Pré-auditoria (4 dias): R$ 6.300,00 Auditoria (3 dias): R$ 7.800,00 Total: R$ ,00 NOTAS: - Custos com serviços, não incluindo viagens e equipe interna. EQUIPE INTERNA DE COORDENAÇÃO Profissional Líder Projeto Analista de Processos Analista da Qualidade Assistente A Assistente B Total: Horas dedicadas h h 896 h h 800 h h São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-15

16 RESPONSABILIDADES EQUIPE INTERNA Líder Projeto: - gerenciamento do projeto - relatórios à Diretoria - interpretação da norma - estabelecimento dos processos de Suporte ao Cliente e Desenvolvimento de Sistemas. Analista de Processos: - estabelecimento dos processos de Desenvolvimento de Sistemas, Implantação de Sistemas e Comercialização. RESPONSABILIDADES EQUIPE INTERNA Analista da Qualidade: - estabelecimento e manutenção do SGQ - estabelecimento do processo Treinamento a Clientes. Assistente A: - construção e manutenção de ferramentas de apoio ao SGQ. Assistente B: - execução da pesquisa de satisfação de Clientes - publicação dos indicadores. São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-16

17 DEFINIÇÃO DE PROCESSOS Processos da ISO/IEC TR (Partes 2 e 5) mais utilizados pela Senior: Processos da categoria Engenharia Processo Aceitação pelo Cliente Processo Fornecimento Processo Definição de Requisitos Processo Uso Operacional Processo Suporte ao Cliente Processo Gerenciamento de Projetos Processo Estabelecimento de Processos. DEFINIÇÃO DE PROCESSOS Processos da NBR ISO/IEC mais utilizados pela Senior: Processo de Fornecimento Processo de Desenvolvimento Processo de Manutenção Processo de Gerência São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-17

18 AUDITORIAS INTERNAS 1a. Auditoria interna: 23 a 25/10/2000 versão ações corretivas e 5 ações preventivas Maiores problemas: Produto fornecido pelo cliente Identificação e rastreabilidade Controle de processo Registros da qualidade 14 não-conformidades no Suporte ao Cliente AUDITORIAS INTERNAS 2a. Auditoria interna: 04 a 07/12/2000 versão 2000 (FDIS) 34 ações corretivas e 8 ações preventivas Maiores problemas: Produção e fornecimento de serviço Medição e monitoramento Melhorias 22 não-conformidades na Assessoria Qualidade São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-18

19 RESULTADOS OBTIDOS PROCESSOS ESTABELECIDOS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PESQUISA SATISFAÇÃO CLIENTES PROCESSOS CERTIFICADOS Comercialização Desenvolvimento e Manutenção Instalação e Implantação Treinamento a Clientes Suporte São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-19

20 INDICADORES DO SGQ Desenvolvimento de Sistemas: Erros detectados internamente Erros detectados no mercado Erros por programador Prazo médio execução de tarefas (erros e customizações) Tarefas realizadas x tarefas pendentes. Suporte ao Cliente: Tempo para resposta ao Cliente na solução de erros Prazo para entrega da solução de tarefas ao Cliente. INDICADORES DO SGQ Implantação de Sistemas: Eficácia da estimativa de horas para implantação Avaliação do consultor de implantação pelo Cliente Avaliação da eficácia da implantação pelo Cliente. Treinamento de Clientes: Avaliação do ambiente pelo Cliente Avaliação do instrutor pelo Cliente Avaliação do conteúdo pelo Cliente. São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-20

21 CERTIFICAÇÃO NBR ISO 9001:2000 Validade: abril 2001 à março COMPROMETIMENTO ALTA DIREÇÃO Conselho da Qualidade (16 integrantes): 3 Diretores (Produtos, Tecnologia e Comercial). Gerentes de Sistemas Líderes de Suporte ao Cliente Líderes das demais áreas administrativas. Reuniões de Implantação e Análise Crítica do SGQ. São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-21

22 Análise Crítica do SGQ: Cumprimento do prazo Conselho Presença na Reunião. INDICADORES DO SGQ Eficácia do SGQ: Quantidade Ações para Melhoria Aprovadas % Ações Preventivas Implantadas e Eficazes % Ações Corretivas Implantadas e Eficazes Não-conformidades em Auditorias Internas x Externas % Implantação Planos de Ação para Objetivos da Qualidade % Atingimento dos Objetivos da Qualidade. PESQUISA SATISFAÇÃO DOS CLIENTES 838 questionários enviados via . Retorno de 130 questionários (27%). Análise de resultados e definição de ações. Sistemas Serviços São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-22

23 AVALIAÇÃO E MELHORIA DE PROCESSOS Continuidade no uso de normas pela Senior para avaliação e melhoria de processos: NBR ISO/IEC como Modelo de Processos de Software. ISO/IEC TR para Avaliação e Melhoria de Processos de Software. Obrigado!!! Adilson Sérgio Nicoletti - São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 P5-23

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão A ISO 9001 em sua nova versão está quase pronta Histórico ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA As normas da série ISO 9000 foram emitidas pela primeira vez no

Leia mais

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS SELO ABRAIDI Programa de BPADPS Reuniões: Julho a Agosto de 2010 Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Implantes PAUTA * OBJETIVOS * ASPECTOS FUNDAMENTAIS * HISTÓRICO * SITUAÇÃO ATUAL

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Maio de 2003 CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Dia 12/05/2003 Certificação e homologação de produtos, serviços e empresas do setor aeroespacial,com enfoque na qualidade Dia 13/05/2003 ISO 9001:2000 Mapeamento

Leia mais

Abertura do Evento Sr. Wanderley Sigali - Diretor Executivo Gristec

Abertura do Evento Sr. Wanderley Sigali - Diretor Executivo Gristec KEYASSOCIADOS 1 PROGRAMAÇÃO Abertura do Evento Sr. Wanderley Sigali - Diretor Executivo Gristec Apresentação Institucional KEYASSOCIADOS Sr. Francisco R. Ramires Gerente Comercial - KEY Apresentação NBR

Leia mais

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Videoconferência Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Data: 22 e 24 de março de 2011 Objetivo Difundir a experiência da Embrapa Meio Ambiente com o processo de obtenção da certificação

Leia mais

Webinário : Os vinte passos da implantação SGQ baseado na ISO 9001 Sistema de gestão qualidade implantado e certificado pela norma NBR ISO 9001:2008

Webinário : Os vinte passos da implantação SGQ baseado na ISO 9001 Sistema de gestão qualidade implantado e certificado pela norma NBR ISO 9001:2008 Sistema de gestão qualidade implantado e certificado pela norma NBR ISO 9001:2008 torna uma necessidade da empresa por: competitividade no mercado interno Competitividade no mercado externo Aumentar a

Leia mais

Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015

Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015 2015 Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015 Texto traduzido e adaptado por Fernando Fibe De Cicco, Coordenador de Novos Projetos do QSP. Outubro de 2015. Matrizes de correlação entre a ISO

Leia mais

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 1 de 20 Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 2 de 20 Título Manual da Qualidade Folha: 3 de 20 Índice 1. Apresentação...

Leia mais

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Especialização em Gerência de Projetos de Software Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br Qualidade de Software 2009 Instituto

Leia mais

ISO 9001:2015 Nova versão porque e quando?

ISO 9001:2015 Nova versão porque e quando? ISO 9001:2015 Nova versão porque e quando? A publicação prevista para Novembro de 2015 tem como propósito refletir as mudanças no ambiente em que a norma é usada e garantir que a mesma mantenha-se adequada

Leia mais

O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001

O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001 O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001 Carolina Nogueira Gestora de Cliente carolina.nogueira@apcer.pt Tópicos Enquadramento do Processo de Revisão Principais Alterações Pensamento Baseado em Risco Informação

Leia mais

O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001

O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001 O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001 Ana Francisco Gestora de Cliente Tópicos Enquadramento do Processo de Revisão Principais Alterações Pensamento Baseado em Risco Informação Documentada Princípios da Qualidade

Leia mais

Plano de Aula - Sistema de Gestão da Qualidade - cód. 5325. 56 Horas/Aula

Plano de Aula - Sistema de Gestão da Qualidade - cód. 5325. 56 Horas/Aula Plano de Aula - Sistema de Gestão da - cód. 5325 Aula 1 Capítulo 1 - Conceitos e Fundamentos da Aula 2 1 - Aula 3 1 - Aula 4 1 - Aula 5 Capítulo 2 - Ferramentas da Aula 6 2 - Ferramentas da Aula 7 2 -

Leia mais

ISO 9001 2008 FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT. Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade.

ISO 9001 2008 FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT. Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade. FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade. ISO 9001 2008 Carolina Rothe Luiz Gustavo W. Krumenauer Paulo Emílio Paulo Saldanha Relação das principais normas da Série

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte II Agenda sumária dos Processos em suas categorias e níveis de maturidade

Leia mais

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para:

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: PARTE 2 Sistema de Gestão da Qualidade SGQ Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: Possibilitar a melhoria de produtos/serviços Garantir a satisfação

Leia mais

Metodologia de implementação e certificação ISO20.000. Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa

Metodologia de implementação e certificação ISO20.000. Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa de implementação e certificação ISO20.000 Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa Por que estas organizações implementaram a ISO20.000? Alinhamento do negócio e TI Redução da exposição

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10 SUMÁRIO: Apresentação da ACEP 2 Missão da Empresa 3 Escopo e Justificativas de Exclusão 4 Comprometimento da Direção 5 Política da Qualidade 7 Objetivos de Qualidade 7 Fluxo de Processos 8 Organograma

Leia mais

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Anexo A (informativo) Correspondência entre, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Tabela A.1 - Correspondência entre, ISO 14001:1996 e ISO 9001:1994 Seção Seção ISO 14001:1996 Seção ISO 9001:1994

Leia mais

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL 1 MODELOS DE GESTÃO MODELO Busca representar a realidade GESTÃO ACT CHECK PLAN DO PDCA 2 MODELOS DE GESTÃO

Leia mais

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira NBR ISO 9001:2008 Sistema de Gestão da Qualidade Prof. Marcos Moreira História International Organization for Standardization fundada em 1947, em Genebra, e hoje presente em cerca de 157 países. Início

Leia mais

O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001

O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001 O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001 Andreia Martins Gestora de Cliente andreia.martins@apcer.pt Tópicos Enquadramento do Processo de Revisão Principais Alterações Pensamento Baseado em Risco Informação Documentada

Leia mais

Avaliação de Riscos Aplicada à Qualidade em Desenvolvimento de Software

Avaliação de Riscos Aplicada à Qualidade em Desenvolvimento de Software Rafael Espinha, Msc rafael.espinha@primeup.com.br +55 21 9470-9289 Maiores informações: http://www.primeup.com.br riskmanager@primeup.com.br +55 21 2512-6005 Avaliação de Riscos Aplicada à Qualidade em

Leia mais

Política Organizacional para Desenvolvimento de Software no CTIC

Política Organizacional para Desenvolvimento de Software no CTIC Política Organizacional para Desenvolvimento de Software no CTIC O CTIC/UFPA Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação da Universidade Federal do Pará define neste documento sua Política Organizacional

Leia mais

ASSET 55. Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa?

ASSET 55. Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa? Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa? Conselho de Administração / Alta Direção Nós estamos extraindo o maior valor possível dos nossos

Leia mais

livros indicados e / ou recomendados

livros indicados e / ou recomendados Material complementar. Não substitui os livros indicados e / ou recomendados Prof. Jorge Luiz - 203 Pág. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE - SGQ Sistema de Gestão da Qualidade SGQ é a estrutura a ser criada

Leia mais

Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil

Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil 9000 8000 8690 7000 6000 5000 4000 3000 4709 3948 2000 1000 29 4 0 Indústria Comércio e Serviços Agropecuária Código Nace Inválido TOTAL Fonte: Comitê

Leia mais

Nani de Castro. Sumário. Resumo de Qualificações... 2. Atuação no Mercado... 3. Formação Profissional... 5. Contatos... 6.

Nani de Castro. Sumário. Resumo de Qualificações... 2. Atuação no Mercado... 3. Formação Profissional... 5. Contatos... 6. Sumário Resumo de Qualificações... 2 Atuação no Mercado... 3 Formação Profissional... 5 Contatos... 6 Página 1 de 6 Resumo de Qualificações Consultora responsável pela organização e gestão da RHITSolution,

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

Estrutura da ISO DIS 9001/2015 ISO/TC 176/SC 2 Document N1224, July 2014

Estrutura da ISO DIS 9001/2015 ISO/TC 176/SC 2 Document N1224, July 2014 Prefácio Introdução 0.1 Generalidades 0.2 As normas ISO para gestão da qualidade 0.3 Abordagem de processo 0.4 Ciclo PDCA 0.5 Pensamento baseado em risco Estrutura da ISO DIS 9001/2015 0.6 Compatibilidade

Leia mais

Processo de Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Processo de Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade 3 Processo de Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade Não existe um jeito único de se implementar um sistema da qualidade ISO 9001: 2000. No entanto, independentemente da maneira escolhida,

Leia mais

ISO 9001:2015. www.apcergroup.com. Rui Oliveira APCER

ISO 9001:2015. www.apcergroup.com. Rui Oliveira APCER ISO 9001:2015 Rui Oliveira APCER Agenda Enquadramento do Processo de Revisão Principais Mudanças Pensamento Baseado em Risco Informação Documentada Princípios da Qualidade Próximos Passos Cronograma para

Leia mais

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho (ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001) Prof. Livre Docente Otávio J. Oliveira UNESP CONTEXTUALIZAÇÃO - Diluição

Leia mais

Fortus Consultoria Contábil Case Qualidade. Gestão de Resultados Solução Independente de Setor e Tamanho

Fortus Consultoria Contábil Case Qualidade. Gestão de Resultados Solução Independente de Setor e Tamanho Fortus Consultoria Contábil Case Qualidade Gestão de Resultados Solução Independente de Setor e Tamanho A Motivação da Busca de Programas de Qualidade 34 Experiência com manuais sobre qualidade em indústria

Leia mais

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão 1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão ISO 9001:2015 Histórico da série 2 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão Histórico da série REVISÕES DA SÉRIE ISO 9000 2000 2008 2015 1994 1987 3 2009 CBG Centro Brasileiro

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

APRESENTAÇÃO INICIAL. Empresa: IMAGO Norma: ISO 9001:2008

APRESENTAÇÃO INICIAL. Empresa: IMAGO Norma: ISO 9001:2008 APRESENTAÇÃO INICIAL Empresa: IMAGO Norma: ISO 9001:2008 IMAGO Consultoria M.E Colaborou com a certificação de empresas em diversas áreas: Metalúrgica Têxtil Médica Educação Terceirização de mão de obra

Leia mais

Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores REALIZAÇÃO

Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores REALIZAÇÃO Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores REALIZAÇÃO OBJETIVO GERAL ESTABELECER E IMPLEMENTAR UM MODO INTEGRADO PARA O DESENVOLVIMENTO E QUALIFICAÇÃO DOS FORNECEDORES DAS PRINCIPAIS

Leia mais

Pacote Microsoft Partner;Waldemar Nogueira;Microsoft Office 2007[2 licença(s)];impressora A3[1 und]

Pacote Microsoft Partner;Waldemar Nogueira;Microsoft Office 2007[2 licença(s)];impressora A3[1 und] 0 Implantação do CMMI-DEV L2 509,13 dias 01/Fev/10 08/Fev/12 1 1 Iniciação 187 dias 01/Fev/10 01/Nov/10 2 1.1 Formar e institucionalizar SEPG 187 dias 01/Fev/10 01/Nov/10 3 1.1.1 Treinamento 2 dias 01/Fev/10

Leia mais

1º passo 2º passo 3º passo

1º passo 2º passo 3º passo 1º passo 2º passo 3º passo Planejamento Estratégico: Missão e Visão Aplicação do Programa 5S Elaboração do Mapa de Processos 4º passo 5º passo Definição da Política da Qualidade e Escopo Grupos de Trabalho

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps)

Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto mps Br: Modelo de Referência para Melhoria de Processo de Software CMMI SPICE SCAMPI MODELO PARA MELHORIA DO PROCESSO DE SOFTWARE

Leia mais

Relatório de Atividade Técnica

Relatório de Atividade Técnica GOIÁS (SEAC-GO) Rua dos Bombeiros, Qd. 248, Lt. 12, 14 e 15 Parque Amazônia-Goiânia-GO CEP: 74835-210 CNPJ: 02.552.768/0001-01 Telefone: (62) 3218-5946 / 3218-5330 Pessoa de Contato: Rousilene Correa de

Leia mais

Aplicação da ISO/IEC TR 15504 na Melhoria do Processo de Desenvolvimento de Software de uma Pequena Empresa

Aplicação da ISO/IEC TR 15504 na Melhoria do Processo de Desenvolvimento de Software de uma Pequena Empresa Aplicação da ISO/IEC TR 15504 na Melhoria do Processo de Desenvolvimento de Software de uma Pequena Empresa Odair J. da Silva(1), Carlos A. Borges(1), Clenio F. Salviano(2), Adalberto N. Crespo(2) e Ana

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO 9001:2008 ERRATA 1 Publicada em 11.09.2009 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ERRATA 1 Esta Errata 1 da ABNT NBR ISO 9001:2008 foi elaborada no Comitê Brasileiro da

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 ISO 9001:2000 Esta norma considera de forma inovadora: problemas de compatibilidade com outras normas dificuldades de pequenas organizações tendências

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos INTERPRETAÇÃO ISO 9001:2008 GESTÃO DE QUALIDADE O que é ISO? ISO = palavra grega que significa Igualdade CAPÍTULO: Preâmbulo ISO 9001:2008 0.1 - Generalidades: foi esclarecido que a conformidade com requisitos

Leia mais

Bom-dia a todos! Prof. Oceano Zacharias. www.quality.eng.br 1

Bom-dia a todos! Prof. Oceano Zacharias. www.quality.eng.br 1 Bom-dia a todos! Prof. Oceano Zacharias www.quality.eng.br 1 1 ISO 9001 Sistema de Gestão da Qualidade RUMO À RECERTIFICAÇÃO Módulo 0 www.quality.eng.br 2 2 Oceano Zacharias Físico, Matemático e Engenheiro

Leia mais

Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto: mps Br melhoria de processo do software Brasileiro

Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto: mps Br melhoria de processo do software Brasileiro Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Realidade das Empresas Brasileiras ISO/IEC 12207 ISO/IEC 15504 CMMI Softex Governo Universidades Modelo de Referência para

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão 00-fevereiro de 2014 1/11 SUMÁRIO 1. POLÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO... 3 2. OBJETIVOS DO SISTEMA DE GESTÃO... 3 3. ORGANIZAÇÃO... 4 4. HISTÓRICO... 6 5.

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Normas de qualidade de software - introdução Encontra-se no site da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) as seguintes definições: Normalização

Leia mais

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação?

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação? O que é a norma ISO? Em linhas gerais, a norma ISO é o conjunto de cinco normas internacionais que traz para a empresa orientação no desenvolvimento e implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV Certificação ISO/IEC 27001 SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação A Experiência da DATAPREV DATAPREV Quem somos? Empresa pública vinculada ao Ministério da Previdência Social, com personalidade

Leia mais

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Apresentação A AGM está se estruturando nos princípios da Qualidade Total e nos requisitos da Norma NBR ISO 9001:2000, implantando em nossas operações o SGQ Sistema

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

ANEXO I. Ref.: Convite nº. 002/2011 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I. Ref.: Convite nº. 002/2011 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO I Ref.: ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1. OBJETO DE CONTRATAÇÃO A presente especificação tem por objeto a contratação de empresa Especializada para Consultoria para implantação da NBR ISO 10.002 com base

Leia mais

M A N U A L D A Q U A L I D A D E

M A N U A L D A Q U A L I D A D E M A N U A L D A Q U A L I D A D E 14ª Versão Última atualização: MANUAL DA QUALIDADE - Rev. Data Elaborado por Descrição da alteração 01 10/06/2012 Hélio Lipiani Versão Inicial 02 20/07/2010 Hélio Lipiani

Leia mais

A Disciplina Gerência de Projetos

A Disciplina Gerência de Projetos A Disciplina Gerência de Projetos Atividades, Artefatos e Responsabilidades hermano@cin.ufpe.br Objetivos Apresentar atividades da disciplina Gerência de Projetos Discutir os artefatos e responsáveis envolvidos

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Projetos Advancedit

Metodologia de Gerenciamento de Projetos Advancedit Metodologia de Gerenciamento de Projetos Advancedit Compromisso Modificando Métodos Roberto Petry roberto.petry@advancedit.com.br Diretor de Tecnologia da AdvancedIT S/A Sponsor do Projeto Rumo ao CMM

Leia mais

Módulo 2. Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios

Módulo 2. Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios Módulo 2 Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios Norma NBR ISO 9001:2008 - Índice 0 - Introdução 1 - Escopo 2 - Referência Normativa 3 -

Leia mais

FACULDADE SENAC GOIÂNIA

FACULDADE SENAC GOIÂNIA FACULDADE SENAC GOIÂNIA NORMA ISO 12.207 Curso: GTI Matéria: Auditoria e Qualidade de Software Professor: Elias Ferreira Acadêmico: Luan Bueno Almeida Goiânia, 2015 CERTIFICAÇÃO PARA O MERCADO BRASILEIRO

Leia mais

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 Está em andamento o processo de revisão da Norma ISO 9001: 2015, que ao ser concluído resultará na mudança mais significativa já efetuada. A chamada família ISO 9000

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A expressão ISO 9000 (International Organization for Standardization) designa um grupo de normas técnicas que estabelecem

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Direitos Reservados Monteiro Associados

APRESENTAÇÃO. Direitos Reservados Monteiro Associados APRESENTAÇÃO PROPÓSITO Fazer a DIFERENÇA no DESENVOLVIMENTO saudável e sustentável das PESSOAS e das ORGANIZAÇÕES. VISÃO VISÃO DA EMPRESA TERMOS NOTÓRIO RECONHECIMENTO DA NOSSA COMPETÊNCIA NA GESTÃO DAS

Leia mais

CONSULTORIA. Sistema de Gestão ISO 9001 - Lean Esquadrias

CONSULTORIA. Sistema de Gestão ISO 9001 - Lean Esquadrias CONSULTORIA Sistema de Gestão ISO 9001 - Lean Esquadrias PADRÃO DE QUALIDADE DESCRIÇÃO ISO 9001 Esse Modelo de Produto de Consultoria tem por objetivo definir e melhorar todos os processos da empresa,

Leia mais

Programa de Excelência Contábil Apresentação SESCON Rio de Janeiro

Programa de Excelência Contábil Apresentação SESCON Rio de Janeiro Apresentação SESCON Rio de Janeiro A Destra e o SESCON Rio de Janeiro apresentam o Programa de Excelência Contábil (PEC) com o objetivo de capacitar e certificar as empresas de contabilidade do Rio de

Leia mais

Normas Série ISO 9000

Normas Série ISO 9000 Normas Série ISO 9000 Ana Lucia S. Barbosa/UFRRJ Adaptado de Tony Tanaka Conteúdo Conceitos principais A série ISO9000:2000 ISO9000:2000 Sumário Princípios de Gestão da Qualidade ISO9001 - Requisitos Modelo

Leia mais

Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços

Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços Guia Fundamental para Gestão de Qualidade em Serviços Objetivo Capacitar os participantes a interpretarem os requisitos da Norma ISO 9001:2008, relacionados aos

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Desenvolvendo o Plano de Gerenciamento do Projeto. Coletando Requisitos. Declarando

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

ISO IEC. Normas Regionais MERCOSUL CEN COPANT. Normas Nacionais ABNT, BSI, AFNOR, DIN, JISE. Normas internas das empresas

ISO IEC. Normas Regionais MERCOSUL CEN COPANT. Normas Nacionais ABNT, BSI, AFNOR, DIN, JISE. Normas internas das empresas Aula 03 : Norma NBR ISO 9001 Ghislaine Miranda Bonduelle NORMALIZAÇÃO DA QUALIDADE ISO IEC Internacional Normas Regionais MERCOSUL CEN COPANT Regional Normas Nacionais ABNT, BSI, AFNOR, DIN, JISE Nacional

Leia mais

C A T Á L O G O D E T R E I N A M E N T O S

C A T Á L O G O D E T R E I N A M E N T O S C A T Á L O G O D E T R E I N A M E N T O S 200 D I F E R E N C I A D O S Sistema de Gestão Unificado - Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Ocupacional.. Baseado no padrão C&Z4003 que reúne os

Leia mais

Mapeamento entre os requisitos da ISO 9001:2008 e da ISO FDIS 9001:2015 Guia de Mapeamento

Mapeamento entre os requisitos da ISO 9001:2008 e da ISO FDIS 9001:2015 Guia de Mapeamento ISO Revisions New and Revised Mapeamento entre os requisitos da ISO 9001:2008 e da ISO FDIS 9001:2015 Guia de Mapeamento Introdução Este documento faz uma comparação entre a ISO 9001:2008 e o ISO 9001:2015

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL. Modelo da Série NBR ISO 9000

GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL. Modelo da Série NBR ISO 9000 GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL Modelo da Série NBR ISO 9000 Modelo da Série NBR ISO 9000 A Garantia da Qualidade requer uma ação coordenada de todo sistema produtivo da empresa, do fornecedor de insumos de

Leia mais

Aula 08 Organizando a Segurança da Informação. Prof. Leonardo Lemes Fagundes

Aula 08 Organizando a Segurança da Informação. Prof. Leonardo Lemes Fagundes Aula 08 Organizando a Segurança da Informação Prof. Leonardo Lemes Fagundes A estratégia sem tática é o caminho mais lento para a vitória. Tática sem estratégia é o ruído antes da derrota. A Arte da Guerra

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico A decisão pela realização do Planejamento Estratégico no HC surgiu da Administração, que entendeu como urgente formalizar o planejamento institucional. Coordenado pela Superintendência

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-002 Revisão 03

Leia mais

CAERN. Descrição de Perfis

CAERN. Descrição de Perfis Nível: Superior Reporte: Coordenador Sumário Participar do planejamento e desenvolvimento das políticas e práticas de Recursos Humanos da empresa. Desenvolver atividades técnicas de avaliação comportamental

Leia mais

O Programa de Medição e Análise em uma pequena empresa de TI

O Programa de Medição e Análise em uma pequena empresa de TI O Programa de Medição e Análise em uma pequena empresa de TI Estudo de Caso da Mirante Informática Ltda Sumário 1. A Mirante & O Programa de Qualidade CMMI-N2 3. Medição e Análise da Estratégia Organizacional

Leia mais

Marcel Menezes Fortes II CONGRESSO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM SERGIPE

Marcel Menezes Fortes II CONGRESSO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM SERGIPE Marcel Menezes Fortes II CONGRESSO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM SERGIPE 1 Agradecimentos e reflexões iniciais 2 Normas e Sistema de Gestão Integrado 3 Modelo de Excelência na Gestão 4 Interfaces

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

XX RAPAL DI 11 Presentado por Brasil Punto agenda 12a SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NA ESTAÇÃO ANTÁRTICA COMANDANTE FERRAZ SGA/EACF

XX RAPAL DI 11 Presentado por Brasil Punto agenda 12a SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NA ESTAÇÃO ANTÁRTICA COMANDANTE FERRAZ SGA/EACF XX RAPAL DI 11 Presentado por Brasil Punto agenda 12a SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NA ESTAÇÃO ANTÁRTICA COMANDANTE FERRAZ SGA/EACF Sistema de Gestão Ambiental na Estação Antártica Comandante Ferraz SGA/EACF

Leia mais

Governança de TI UNICAMP 13/10/2014. Edson Roberto Gaseta

Governança de TI UNICAMP 13/10/2014. Edson Roberto Gaseta Governança de TI UNICAMP 13/10/2014 Edson Roberto Gaseta Fundação CPqD Instituição brasileira focada em inovação Experiência em projetos de TI e de negócios Desenvolvimento de tecnologia nacional Modelo

Leia mais

Portfólio de Serviços. Gestão de Serviços de TI. www.etecnologia.com.br Treinamento e Consultoria

Portfólio de Serviços. Gestão de Serviços de TI. www.etecnologia.com.br Treinamento e Consultoria 1 Melhores Práticas para Resumo Executivo: A Tecnologia da Informação (TI ) deve ter como missão contribuir com as áreas de negócio através da entrega de valor dos serviços de TI. Versão 7.0 Marcço 2011

Leia mais

Com esta apresentação em primeira mão, o QSP acentua o seu pioneirismo, como tradicionalmente tem ocorrido em seus mais de 20 anos de existência!

Com esta apresentação em primeira mão, o QSP acentua o seu pioneirismo, como tradicionalmente tem ocorrido em seus mais de 20 anos de existência! Apresentamos com exclusividade para os nossos leitores a estrutura da recém-publicada ISO/DIS 9001:2015, de maio de 2014, que é a versão quase final da nova ISO 9001, a norma internacional mais adotada

Leia mais

Soluções em Gestão de Qualidade, Produtividade e Certificações ABNT NRB ISO 9001 - INMETRO - ANVISA

Soluções em Gestão de Qualidade, Produtividade e Certificações ABNT NRB ISO 9001 - INMETRO - ANVISA Soluções em Gestão de Qualidade, Produtividade e Certificações ABNT NRB ISO 9001 - INMETRO - ANVISA Apresentação Empresa Nosso Negócio Desenvolver, Implementar e manter Soluções para a melhoria da Qualidade

Leia mais

SUMÁRIO. Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX.

SUMÁRIO. Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX. Procedimento de Gestão OGX PG.SMS.017 Denominação: Análise Crítica SUMÁRIO Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX. ÍNDICE

Leia mais

CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Norma se aplica no âmbito da Administração Pública Federal, direta e indireta.

CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Norma se aplica no âmbito da Administração Pública Federal, direta e indireta. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações METODOLOGIA DE GESTÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES ORIGEM Departamento de

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA 1/10 INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA... 2 ABRANGÊNCIA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 3 1. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE:... 4 - MANUAL DA QUALIDADE... 4 Escopo do SGQ e definição dos clientes... 4 Política

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão e Gerenciamento de Processos

Sistemas Integrados de Gestão e Gerenciamento de Processos Sistemas Integrados de Gestão e Gerenciamento de Processos Augusto Mainieri Irene Szyszka 14/09/2004 Lucem Sistemas Integrados de Gestão - Direitos Reservados 1 Sistemas Integrados de Gestão Irene Szyszka

Leia mais