Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1 Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo e para a prospecção de novos Adicionalmente, devem estar implantados processos que permitam avaliar os benefícios, para a incubadora e para a região, dos mecanismos de sensibilização existentes. Prática Nome Sensibilização»»»» Objetivo: Ampliar a quantidade, qualidade e diversidade das propostas apresentadas à incubadora.»»»» Sinopse: Estratégia e programa para sensibilização em empreendedorismo e inovação (considerando: temporalidade, localidade, setor, política, parceiros), com eventos que tratem de temas relacionados ao processo de geração de ideias, planejamento e desenvolvimento de empreendimentos em setores específicos. Trata da apresentação dos primeiros passos para empreender.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a difusão do empreendedorismo e da inovação, explicitando o meio utilizado para a sensibilização (palestra, visita, site), além do público-alvo e a periodicidade para cada um dos meios escolhidos. Registros, na forma de texto, gráficos, tabelas, imagens, fotos, vídeos, que demonstrem claramente a realização de ações de sensibilização. O conjunto destes registros devem explicitar os resultados obtidos com cada um dos meios utilizados para sensibilização, incluindo o número e perfil das pessoas sensibilizadas, o local, a data, o profissional responsável e o conteúdo apresentado.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza a sensibilização deve incluir a necessidade de se elaborar um Plano Anual de Sensibilização, contendo as ações para a promoção do empreendedorismo e da inovação. Devem existir registros que comprovem a existência do planejamento anual dos meios de sensibilização e as ações realizadas. Os registros elaborados para esta prática devem explicitar o número e perfil das pessoas sensibilizadas, o local, a data, o profissional responsável e o conteúdo apresentado tanto para o que foi planejado quanto para o que foi realizado.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a difusão do empreendedorismo e da inovação precisa definir indicadores que demonstrem a efetividade das ações de sensibilização para a incubadora. A equipe de gestão da incubadora deve gerar registros que comprovem os resultados dos indicadores decorrentes das ações de sensibilização realizadas.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a difusão do empreendedorismo e da inovação deve incluir a necessidade da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de revisão crítica da prática-chave Sensibilização. A incubadora deve comprovar a existência de registros (texto, gráficos, tabelas, imagens, fotos, vídeos) sobre os resultados das reuniões de avaliação crítica das ações de sensibilização. A incubadora deve comprovar a existência de um Plano de Ação, que tome como base os indicadores propostos para aprimorar a efetividade das ações de sensibilização.»»»» Exemplos: Palestras realizadas semestralmente nos cursos de graduação das instituições da região. Vídeo sobre empreendedorismo e inovação disponível no site da incubadora. Visita de potenciais empreendedores à incubadora.»»»» Dicas: É importante que a incubadora padronize os conteúdos utilizados para sensibilização (apresentação, texto, vídeo), de forma a garantir que a mensagem desejada será repassada. A diversificação do público-alvo é importante para ampliar a qualidade das propostas recebidas. Utilizar os próprios incubados como sensibilizadores é uma estratégia que traz bons resultados. É importante manter um acompanhamento sobre o canal de comunicação por meio do qual os empreendedores passaram a conhecer a incubadora (site, palestra, visita etc.). Isso ajuda a equipe da incubadora a otimizar os recursos, investindo mais naqueles canais que trazem melhores resultados Prospecção»»»» Objetivo: Mapear as oportunidades de novos negócios na região e ampliar a quantidade, qualidade e diversidade das propostas de empreendimentos, geradas a partir da ação proativa da incubadora.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir um processo sistematizado de prospecção de oportunidades de empreendimentos em setores específicos.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora prospecta novas oportunidades para geração de empreendimentos inovadores. A incubadora deve comprovar a existência de um Banco de Oportunidades que contenha propostas de oportunidades para geração de novos

2 Página 2 de 19»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora prospecta novas oportunidades para geração de empreendimentos inovadores deve incluir a exigência de criação do Plano Anual de Prospecção. A incubadora deve manter registros, na forma de texto, gráficos, tabelas, imagens, fotos, vídeos, que demonstrem claramente a realização de ações de prospecção realizadas pela incubadora. O conjunto destes registros deve comprovar as ações propostas no Plano Anual de Prospecção, os resultados obtidos com as ações de prospecção e o efeito sobre o Banco de Oportunidades. O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora prospecta novas oportunidades para geração de empreendimentos inovadores deve incluir a exigência de criação e monitoramento de indicadores que demonstrem os resultados e as melhorias da prática-chave Prospecção. A incubadora deve gerar e organizar registros (texto, gráficos, tabelas, imagens, fotos, vídeos,) que demonstrem a realização das ações propostas no Plano Anual de Prospecção, os resultados obtidos, os resultados dos indicadores e o efeito sobre o Banco de Oportunidades.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora prospecta novas oportunidades para geração de empreendimentos inovadores deve incluir a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica dos resultados e melhorias da prática-chave Prospecção. A incubadora deve manter registros sobre os resultados da reunião de avaliação crítica das ações de prospecção.»»»» Exemplos: Workshop com empresas ou associações empresariais para identificar principais gargalos tecnológicos, os quais podem ser transformados em empreendimentos bem sucedidos. Canal de comunicação com empresas já constituídas (telefone, etc.), de forma a permitir a apresentação de problemas, os quais podem ser transformados em negócios. Reuniões com grupos de pesquisa para identificar ideias inovadoras ou áreas com potencial para desenvolvimento na região. Concurso (ou prêmio) de ideias de negócios inovadores. Banco de oportunidades alimentado por empresários, pesquisadores e empreendedores.»»»» Dicas: É importante buscar oportunidades nos setores relevantes para a economia da região, bem como naqueles que possuem grande potencial para desenvolvimento. A realização de eventos que integrem as empresas, o governo e os pesquisadores pode amplificar o número de ideias geradas. A facilidade de acesso do potencial empreendedor ao Banco de Oportunidades é um dos fatores críticos de sucesso desta prática. As próprias empresas incubadas podem ser fontes de ideias de negócios, de forma a ampliar a atuação no mercado ou criar novos nichos de atuação Qualificação de Potenciais Empreendedores»»»» Objetivo: Aprimorar os conhecimentos e a capacidade dos empreendedores para a concepção de empreendimentos com alto potencial de sucesso.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir um processo de qualificação do empreendedor quando da criação de um novo empreendimento e antes de sua entrada na incubadora. Isso inclui palestras, cursos e base de conhecimento que abordem os diferentes aspectos do processo de empreender. Além disso, a incubadora deve oferecer apoio à geração e teste de ideias, orientando o empreendedor na seleção da oportunidade de negócio.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora qualifica os potenciais empreendedores para apresentação de propostas de empreendimentos inovadores. A incubadora deve manter registros dos eventos de qualificação, demonstrando o tipo de ação, o número de pessoas beneficiadas, a data, o local e o conteúdo trabalhado. A incubadora deve comprovar que realizou pelo menos um curso para potenciais empreendedores que tenha abordado os aspectos relacionados à geração e desenvolvimento de um negócio inovador.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora qualifica os potenciais empreendedores para apresentação de propostas de empreendimentos inovadores deve incluir a exigência de elaboração do Plano Anual de Qualificação de Potenciais Empreendedores. A incubadora deve comprovar a existência do Plano Anual de Qualificação dos Potenciais Empreendedores. A incubadora deve gerar, periodicamente, registros, na forma de texto, gráficos, tabelas, imagens, fotos, vídeos, que demonstrem claramente os resultados das ações de qualificação realizadas. O conjunto destes registros deve comprovar a realização das ações de qualificação propostas pelo Plano Anual de Qualificação dos Potenciais Empreendedores.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora qualifica os potenciais empreendedores para apresentação de propostas de empreendimentos inovadores deve incluir a exigência de criação e monitoramento de indicadores que demonstrem os resultados e as melhorias da prática-chave Qualificação de Potenciais Empreendedores. A incubadora deve gerar, periodicamente, registros, na forma de texto, gráficos, tabelas, imagens, fotos, vídeos, que apresentem as ações propostas no Plano Anual de Qualificação dos Potenciais Empreendedores, os resultados obtidos com as ações de qualificação e os resultados dos indicadores.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora qualifica os potenciais empreendedores para apresentação de propostas de empreendimentos inovadores deve incluir a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica da prática-chave Qualificação de Potenciais Empreendedores, tomando como base o resultado dos indicadores. A incubadora deve manter registros sobre os resultados da reunião de avaliação crítica das ações de qualificação dos potenciais empreendedores.»»»» Exemplos: Curso de Plano de Negócios, de forma a qualificar os interessados em participar do processo de seleção da incubadora. Curso sobre o processo de geração de Orientação para geração e avaliação de ideias de negócios.

3 Página 3 de 19»»»» Dicas: A incubadora pode lançar mão de cursos e palestras disponibilizados pelos parceiros. É importante criar indicadores que demonstrem a efetividade da qualificação. É importante avaliar os efeitos da qualificação sobre a qualidade das propostas apresentadas no processo de seleção realizado pela incubadora. 1.2 Seleção Envolve a sistematização de procedimentos formalizados para selecionar os empreendimentos que receberão o apoio da incubadora. Prática Nome Recepção de Propostas»»»» Objetivo: Garantir a inclusão, por parte dos empreendedores, das informações necessárias à avaliação da proposta de empreendimento.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir procedimentos formalizados para que os empreendedores possam apresentar suas propostas de»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando as fases, os formulários e as ferramentas para recepção de propostas. A incubadora deve manter registros de todas as propostas encaminhadas.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando as fases, as ferramentas e os formulários para recepção de propostas inclui um Modelo de Plano de Negócios. O Modelo de Plano de Negócios" deve incluir informações relacionadas às cinco dimensões de desenvolvimento de um empreendimento: empreendedor, tecnologia, finanças, comercial e gestão. Registros dos Planos de Negócios apresentados, conforme o padrão estabelecido.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando as fases, ferramentas e os formulários para submissão de propostas deve incluir a criação e o monitoramento de indicadores de desempenho da prática-chave Recepção de Propostas. Registros, na forma de texto, gráficos, tabelas, imagens, fotos, vídeos, que demonstrem a existência e utilização de indicadores de desempenho da prática-chave Recepção de Propostas.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando as fases, as ferramentas e os formulários para submissão de propostas deve incluir a realização, no mínimo uma vez por ano, de revisão crítica da prática-chave Recepção de Propostas. A incubadora deve manter registros sobre os resultados da reunião de avaliação crítica da prática-chave Recepção de Propostas.»»»» Exemplos: Apostila impressa contendo as informações que devem ser apresentadas pelos empreendedores. Disponibilizar, no site da incubadora, orientações para submissão de propostas. Disponibilizar, no site da incubadora, modelo de Plano de Negócios.»»»» Dicas: A incubadora pode utilizar modelos de Planos de Negócios desenvolvidos por parceiros ou outras instituições. É interessante a disponibilização de exemplos de Planos de Negócios, disponíveis na literatura, na área de atuação da incubadora, como forma de facilitar o processo de sua elaboração por parte dos empreendedores Avaliação»»»» Objetivo: Garantir que sejam selecionados empreendimentos inovadores com maior probabilidade de sucesso.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir uma sistemática profissional e rigorosa de avaliação de propostas de empreendimentos para incubação, utilizando profissionais experientes e altamente qualificados e que possam avaliar os empreendimentos a partir de diferentes pontos de vista: perfil empreendedor, tecnologia, capital, mercado e gestão.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza a avaliação das propostas submetidas, incluindo a descrição dos critérios utilizados e dos profissionais envolvidos. A incubadora deve comprovar, por meio de registros, na forma de texto, gráficos, tabelas, imagens, fotos, vídeos, que seleciona os empreendimentos utilizando informações relacionadas ao empreendedor, tecnologia, finanças, mercado e gestão. A incubadora deve manter registros das avaliações realizadas, indicando o desempenho dos empreendimentos em cada um dos critérios utilizados.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza a avaliação das propostas submetidas deve incluir a necessidade da presença de avaliadores externos à incubadora. A incubadora deve comprovar a participação de especialistas externos à incubadora em cada uma das avaliações.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza a avaliação das propostas submetidas deve incluir a criação e o monitoramento de indicadores de desempenho da prática-chave Avaliação. Registros, na forma de texto, gráficos, tabelas, imagens, fotos, vídeos, que demonstrem os resultados obtidos em cada indicador utilizado.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza a avaliação das propostas submetidas deve incluir a exigência de realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de revisão crítica para análise dos resultados e melhorias da prática-chave Avaliação. A incubadora deve manter registros, na forma de texto, gráficos, tabelas, imagens, fotos, vídeos, sobre os resultados da reunião de revisão crítica da prática-chave Avaliação.»»»» Exemplos: Abertura de edital para encaminhamento de propostas de Realização de banca de avaliação das propostas. Realização de entrevista com os proponentes, de forma a avaliar o perfil empreendedor e a sintonia da equipe.

4 Página 4 de 19»»»» Dicas: A incubadora deve utilizar profissionais dos parceiros para participarem do processo de seleção. Isso amplia o foco de visão sobre os empreendimentos e estreita os laços com os parceiros. É importante realizar uma palestra para os avaliadores, com o objetivo de mostrar as expectativas da incubadora e uniformizar os conhecimentos sobre as fases do processo de seleção e sobre os critérios utilizados em cada fase e os profissionais envolvidos em cada fase. O gerente da incubadora deve acompanhar todo o processo de seleção, garantindo o bom andamento do processo, mesmo que o mesmo não tenha participação como avaliador. É importante avaliar, continuamente, se a qualidade dos empreendimentos selecionados está em sintonia com as expectativas da equipe de gestão da incubadora e dos parceiros. É muito importante que os critérios utilizados para seleção dos empreendimentos estejam em sintonia com a missão, a visão e os objetivos da incubadora. Quando a incubadora não utiliza editais para selecionar empreendimentos, é importante manter um amplo programa de divulgação da incubadora, garantindo que os interessados compreendam que podem enviar propostas a qualquer momento Contratação»»»» Objetivo: Estabelecer condições e garantir transparência no relacionamento entre as partes (empreendedores e incubadora).»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir um conjunto de procedimentos e documentos que estabeleçam as condições e garantam a transparência com relação aos direitos e deveres da incubadora e dos empreendimentos/empreendedores, prestação de serviços, aspectos comerciais, acesso a informações dentre outros.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza a formalização jurídica do relacionamento com a empresa incubada. A incubadora deve demonstrar que todos os empreendimentos incubados possuem contratos assinados com a incubadora ou sua entidade gestora.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza a formalização jurídica do relacionamento com a empresa incubada deve incluir um modelo padrão de contrato. A incubadora deve comprovar a existência e utilização de um modelo padrão de contrato com os incubados.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza a formalização jurídica do relacionamento com a empresa incubada deve incluir a criação e o monitoramento de indicadores que permitam avaliar os resultados e as melhorias da prática-chave Contratação. Registros que demonstrem o resultado dos indicadores de desempenho.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza a formalização jurídica do relacionamento com a empresa incubada deve incluir a exigência de realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para avaliação da prática-chave Contratação. A incubadora deve manter registros sobre os resultados da reunião de avaliação crítica da prática-chave Contratação. Os registros contendo o resultado da reunião de avaliação crítica devem explicitar as ações a serem implementadas para melhorar a qualidade da prática-chave Contratação, fornecendo maior segurança jurídica para a incubadora e os incubados.»»»» Exemplos: Modelo de contrato de incubação. Acesso ao regimento interno da incubadora. Reconhecimento das instalações da incubadora.»»»» Dicas: É importante estabelecer cláusulas que garantam à incubadora o direito de utilizar as marcas e nomes das empresas em sua própria divulgação. A entrada do novo empreendimento é uma boa oportunidade para ampliar a interação entre os incubados, com a equipe de gestão e com os parceiros. Assim, deve ser prevista a apresentação dos novos empreendedores à equipe de gestão, aos parceiros e aos incubados. 1.3 Planejamento Envolve processos sistemáticos e formais para a elaboração do planejamento do negócio com relação aos eixos: empreendedor, tecnologia, mercado, capital e gestão. Prática Nome Plano de Desenvolvimento do Empreendedor»»»» Objetivo: Garantir que os empreendedores incluam o desenvolvimento pessoal como um dos eixos do desenvolvimento do negócio.»»»» Sinopse: A incubadora deve ter uma sistemática de apoio ao planejamento de carreira do empreendedor, fazendo com que estabeleçam estratégias, metas e ações de desenvolvimento, de modo a alcançar suas aspirações profissionais e pessoais.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração do Plano de Desenvolvimento do Empreendedor. A incubadora deve comprovar o apoio oferecido aos empreendedores na elaboração do Plano de Desenvolvimento do Empreendedor. Registros contendo os Planos de Desenvolvimento do Empreendedor, que deve incluir as estratégias, metas e ações de desenvolvimento do empreendedor para o curto, médio e longo prazo.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração do Plano de Desenvolvimento do Empreendedor deve incluir um modelo de plano que facilite a elaboração por parte dos empreendedores. Planos de Desenvolvimento Pessoal dos empreendedores de acordo com o modelo estabelecido.

5 Página 5 de 19»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano de Desenvolvimento do Empreendedor deve incluir a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar os resultados e as melhorias da prática-chave Plano de Desenvolvimento do Empreendedor. Registros contendo os resultados de cada indicador proposto.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano de Desenvolvimento do Empreendedor deve incluir a exigência de realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para avaliação dos resultados e melhorias da prática-chave Plano de Desenvolvimento do Empreendedor. A incubadora deve comprovar a existência de relatório dos resultados das reuniões de avaliação crítica da práticachave Plano de Desenvolvimento do Empreendedor.»»»» Exemplos: Utilização de profissionais da área de comportamento para orientar os empreendedores na elaboração de seus respectivos Planos de Desenvolvimento do Empreendedor. Realização de atividades paralelas, como teatro, para o desenvolvimento de perfil empreendedor/inovador.»»»» Dicas: A incubadora pode utilizar profissionais dos parceiros para auxiliar os empreendedores na elaboração do Plano de Desenvolvimento do Empreendedor. O gerente da incubadora tem papel importante na orientação dos empreendedores para elaboração do Plano de Desenvolvimento do Empreendedor. Essa prática envolve a sistematização de um apoio informal oferecido para o desenvolvimento pessoal dos empreendedores pelos gerentes das incubadoras. É importante que a incubadora verifique a compatibilidade do Plano de Desenvolvimento do Empreendedor com os demais planos elaborados (tecnológico, financeiro, de mercado e de gestão) Plano Tecnológico»»»» Objetivo: Garantir que seja desenvolvido o Plano Tecnológico (tecnologia, produto, serviço) de cada empreendimento.»»»» Sinopse: A incubadora deve ter uma sistemática de orientar os empreendimentos na elaboração de seus respectivos Planos Tecnológicos, os quais contém a solução (tecnologia, produto, serviço) a ser entregue aos clientes.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração do planejamento da evolução da solução (tecnologia, produto, serviço) a ser entregue aos clientes. A incubadora deve comprovar o apoio oferecido aos empreendedores na elaboração do Plano Tecnológico. Planos Tecnológicos dos empreendimentos, que devem incluir as estratégias, metas e ações de desenvolvimento da proposta de valor oferecida aos clientes, tendo como horizonte o curto, médio e longo prazo.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano Tecnológico deve incluir um modelo de plano que facilite a elaboração por parte dos empreendedores. Comprovação de que os Planos Tecnológicos dos empreendimentos seguem o modelo estabelecido.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano Tecnológico deve incluir a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar a prática-chave Plano Tecnológico. Documento contendo os resultados de cada indicador proposto.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano Tecnológico deve incluir a exigência de realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica da prática-chave Plano Tecnológico. A incubadora deve comprovar a existência de registros da realização das reuniões de avaliação crítica da práticachave Plano Tecnológico. implementadas para melhorar a qualidade do apoio oferecido pela incubadora na elaboração do Plano Tecnológico.»»»» Exemplos: Orientação de especialistas na elaboração do planejamento da evolução da solução (tecnologia, produto, serviço) oferecida aos clientes. Orientação de especialistas para geração e desenvolvimento de inovações pelos empreendimentos incubados.»»»» Dicas: A incubadora pode utilizar profissionais dos parceiros para auxiliar os empreendedores na elaboração do Plano Tecnológico. Este plano deve fazer parte do Plano de Negócios. É importante que a incubadora verifique a compatibilidade do Plano Tecnológico com os demais planos elaborados (do empreendedor, financeiro, comercial e de gestão) Plano de Capital»»»» Objetivo: Garantir que seja desenvolvido o planejamento econômico e financeiro do empreendimento, de forma a garantir a sustentabilidade da incubadora.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir uma sistemática para orientar os empreendedores na elaboração do planejamento econômico e financeiro do empreendimento, visando identificar as metas, demandas de capital e estratégias de alavancagem do negócio.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano de Capital. A incubadora deve comprovar o apoio oferecido aos empreendedores na elaboração do Plano de Capital. Plano de Capital dos empreendimentos, que deve incluir as estratégias, metas e ações de desenvolvimento financeiro e de alavancagem do empreendimento para o curto, médio e longo prazo.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano de Capital deve incluir um modelo de plano que facilite a elaboração por parte dos empreendedores. Planos de Capital dos empreendimentos, de acordo com o modelo estabelecido.

6 Página 6 de 19»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano de Capital deve incluir a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar os resultados e as melhorias da prática-chave Plano de Capital. Registros que demonstrem os resultados de cada indicador proposto. O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano de Capital deve incluir a exigência de realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para avaliação dos resultados e das melhorias da prática-chave Plano de Capital. A incubadora deve comprovar a existência de relatório dos resultados das reuniões de avaliação crítica do apoio à elaboração dos Planos de Capital. implementadas para melhorar a qualidade do apoio oferecido pela incubadora na elaboração do Plano de Capital dos»»»» Exemplos: Orientação de especialistas no planejamento financeiro dos»»»» Dicas: A incubadora pode utilizar profissionais dos parceiros para auxiliar os empreendedores na elaboração do Plano de Capital. Este plano deve fazer parte do Plano de Negócios. É importante que a equipe da incubadora estimule e apoie os empreendedores a identificarem as fontes de recursos (com ou sem retorno) que podem ser acessados pela empresa. A equipe da incubadora deve avaliar criticamente o Plano de Capital das empresas, pois, muitas vezes, os empreendedores são muito otimistas e os valores podem ficar fora da realidade. É importante que a incubadora verifique a compatibilidade do Plano de Capital com os demais planos elaborados (do empreendedor, tecnológico, de mercado e de gestão) Plano de Mercado»»»» Objetivo: Garantir que seja desenvolvido o planejamento do mercado do empreendimento.»»»» Sinopse: A incubadora deve ter uma sistemática de elaboração do Plano de Mercado do empreendimento, englobando metas e estratégias que possibilitem a identificação de oportunidades que possam gerar bons resultados para o empreendimento, contemplando análise ou pesquisa de mercado e estratégias de marketing.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano de Mercado, incluindo a exigência de contemplar o mercado-alvo, análise da concorrência, tamanho da equipe de vendas, preços e condições, além da estimativa de volume de vendas e estratégia de vendas. A incubadora deve comprovar o apoio oferecido aos empreendedores na elaboração do Plano de Mercado. Planos de Mercado dos empreendedores, que deve incluir as estratégias, metas e ações comerciais e de mercado do empreendimento para o curto, médio e longo prazo.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano de Mercado deve incluir um modelo de plano que facilite a elaboração por parte dos empreendedores. Planos de Mercado dos empreendedores de acordo com o modelo estabelecido.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano de Mercado deve incluir a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar a efetividade do apoio oferecido pela incubadora. Registros que demonstrem os resultados de cada indicador proposto.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano de Mercado deve incluir a exigência de realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para avaliação dos resultados e das melhorias da prática-chave Plano de Mercado. A incubadora deve comprovar a existência de registros dos resultados das reuniões de avaliação crítica da práticachave Plano de Mercado.»»»» Exemplos: Orientação de especialistas no planejamento de mercado do empreendimento.»»»» Dicas: A incubadora pode utilizar profissionais dos parceiros para auxiliar os empreendedores na elaboração do Plano de Mercado. Este plano deve fazer parte do Plano de Negócios. É importante que a equipe da incubadora estimule e apoie os empreendedores no detalhamento das estratégias de comercialização a serem utilizadas. É importante que a incubadora verifique a compatibilidade do Plano de Mercado com os demais planos elaborados (do empreendedor, tecnológico, financeiro e de gestão) Plano de Gestão»»»» Objetivo: Garantir que seja elaborado o planejamento da gestão do empreendimento, contendo metas, métodos e procedimentos claros e objetivos sobre a utilização de ferramentas e métodos que estejam adequados ao crescimento desejado para a empresa.»»»» Sinopse: A incubadora deve ter uma sistemática de elaboração de um Plano de Gestão detalhado, com metas, métodos e procedimentos claros e objetivos sobre a instalação e o crescimento da empresa.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seus Planos de Gestão. A incubadora deve comprovar o apoio oferecido aos empreendedores na elaboração do Plano de Gestão. Planos de Gestão, que deve incluir as estratégias, metas e ações de desenvolvimento de gestão do empreendimento para o curto, médio e longo prazo.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano de Gestão deve incluir um modelo de plano que facilite a elaboração por parte dos empreendedores. Planos de Gestão dos empreendedores de acordo com o modelo estabelecido.

7 Página 7 de 19»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano de Gestão deve incluir a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar os resultados e melhorias da prática-chave Plano de Gestão. Registros que apresentem os resultados de cada indicador proposto. O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora apoia os incubados na elaboração de seu Plano de Gestão deve incluir a exigência de realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para avaliação dos resultados e melhorias da prática-chave Plano de Gestão. A incubadora deve comprovar a existência de relatório dos resultados das reuniões de avaliação crítica do apoio à elaboração dos Planos de Gestão.»»»» Exemplos: Orientação de especialista na elaboração do Plano de Gestão do empreendimento.»»»» Dicas: A incubadora pode utilizar profissionais dos parceiros para auxiliar os empreendedores na elaboração do Plano de Gestão. O gerente da incubadora deve monitorar a evolução do Plano de Gestão dos empreendimentos incubados. Este plano deve fazer parte do Plano de Negócios. É importante avaliar se os empreendedores estão utilizando ferramentas e métodos modernos de gestão, evitando a informalidade. A equipe da incubadora deve avaliar se os métodos e ferramentas a serem utilizados pelas empresas estão em sintonia com a complexidade do negócio. É importante que a incubadora verifique a compatibilidade do Plano de Gestão com os demais planos elaborados (empreendedor, tecnológico, financeiro e de mercado). É importante que a incubadora oriente os empreendedores sobre as questões relacionadas à participação de cada sócio no empreendimento (questões societárias). 1.4 Qualificação Envolve a implantação de um processo sistemático para a qualificação dos empreendedores nos eixos: qualificação pessoal, tecnologia, mercado, capital e gestão. Prática Nome Qualificação do Empreendedor»»»» Objetivo: Promover o desenvolvimento pessoal dos empreendedores.»»»» Sinopse: A incubadora deve ter uma sistemática de qualificação focada no indivíduo, visando o desenvolvimento do empreendedor como cidadão, nos aspectos comportamentais e habilidades empreendedoras.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a capacitação em desenvolvimento das competências e habilidades dos empreendedores e do perfil empreendedor. Registros que comprovam a realização dos cursos e que descrevem os professores responsáveis, a data de realização, o local e o conteúdo trabalhado.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a capacitação em desenvolvimento de competências e habilidades dos empreendedores e o perfil empreendedor inclui a exigência da elaboração do Plano Anual de Qualificação do Empreendedor. A incubadora deve demonstrar a existência do Plano Anual de Qualificação do Empreendedor, onde é definido um cronograma dos cursos para o desenvolvimento pessoal dos empreendedores.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a capacitação em desenvolvimento de competências e habilidades dos empreendedores e o perfil empreendedor inclui a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam monitorar os resultados e as melhorias da práticachave Qualificação do Empreendedor. Registros que demonstram os resultados de cada indicador proposto.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza a capacitação em desenvolvimento de competências e habilidades dos empreendedores e o perfil empreendedor inclui a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para avaliação dos resultados da prática-chave Qualificação do Empreendedor, tomando como base os indicadores criados. A incubadora deve manter registros sobre os resultados da reunião de avaliação crítica da prática-chave Qualificação do Empreendedor. Plano de ação para melhorar a qualidade da qualificação dos empreendedores.»»»» Exemplos: Cursos que promovam o desenvolvimento/aprimoramento do perfil empreendedor. Cursos que desenvolvam competências e habilidades dos empreendedores (oratória, criatividade etc.).

8 Página 8 de 19»»»» Dicas: Os cursos de desenvolvimento pessoal a serem oferecidos devem levar em consideração o perfil dos empreendedores. Assim, nem todos os empreendedores precisam participar de todos os cursos oferecidos. A incubadora deve planejar, anualmente, pelo menos um curso com foco em desenvolvimento de competências e habilidades dos empreendedores (empreendedorismo, marketing pessoal, oratória, dentre outros). A definição dos cursos a serem realizados deve levar em conta os resultados do Plano Anual de Desenvolvimento Pessoal feito pelo empreendedor e do Sistema de Acompanhamento, Orientação e Avaliação realizado pela incubadora. É importante fazer avaliação dos professores envolvidos nos treinamentos. Deve-se avaliar a adequação da estrutura física e do material didático utilizados. É importante avaliar se os conteúdos apresentados durante os cursos estão sendo praticados pelos incubados no contexto de seus A incubadora pode fazer parcerias para oferecer os cursos relacionados ao desenvolvimento pessoal dos empreendedores. O gerente da incubadora tem papel importante na orientação dos empreendedores para elaboração do Plano de Desenvolvimento do Empreendedor Qualificação Tecnológica»»»» Objetivo: Promover a qualificação dos empreendedores e colaboradores para melhoria da solução (tecnologia, produto, serviço) oferecida aos clientes.»»»» Sinopse: A incubadora deve ter uma sistemática que contemple um conjunto de cursos que tratem de assuntos que promovam a melhoria da proposta de valor oferecida aos clientes.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a capacitação tecnológica e de inovação dos Registros que comprovem os cursos oferecidos, os professores responsáveis, a data, o local e o conteúdo trabalhado.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a capacitação tecnológica dos empreendimentos inclui a exigência da elaboração de um Plano Anual de Qualificação Tecnológica. A incubadora deve comprovar a existência de um Plano de Qualificação Tecnológica, onde é definido o cronograma dos cursos relacionados à solução (tecnologia, produto, serviço) oferecida aos clientes.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a capacitação tecnológica dos empreendimentos inclui a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar os resultados e as melhorias da prática-chave Qualificação Tecnológica. Registros que demonstrem os resultados de cada indicador proposto.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a capacitação tecnológica dos empreendimentos inclui a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para avaliação dos resultados e melhorias da prática-chave Qualificação Tecnológica. A incubadora deve comprovar a existência de registros dos resultados das reuniões de avaliação crítica da práticachave Qualificação Tecnológica. implementadas para melhorar a qualificação tecnológica.»»»» Exemplos: Cursos na área de desenvolvimento de produto. Cursos na área de inovação. Cursos sobre tendências tecnológicas.»»»» Dicas: Os cursos de tecnologia e inovação a serem oferecidos devem levar em consideração o estágio de evolução dos Assim, nem todos os empreendimentos participarão de todos os cursos oferecidos. A incubadora deve planejar, anualmente, pelo menos um curso nas áreas de tecnologia e inovação. A definição dos cursos a serem realizados nas áreas de tecnologia e inovação deve ser feita a partir do Sistema de Acompanhamento, Orientação e Avaliação. É importante fazer avaliação dos professores envolvidos nos treinamentos, levando em consideração, pelo menos, a didática, o conhecimento, a metodologia adotada e o apoio oferecido ao aprendizado dos alunos. Deve-se avaliar a adequação da estrutura física e do material didático utilizados. É importante avaliar se os conteúdos apresentados durante os cursos estão sendo efetivamente aplicados pelos incubados, no contexto de seus A incubadora pode fazer parcerias para oferecer os cursos relacionados ao desenvolvimento tecnológico e de inovação dos Qualificação Financeira»»»» Objetivo: Promover a qualificação dos empreendedores e colaboradores na área financeira e de acesso a capital.»»»» Sinopse: A incubadora deve ter uma sistemática de desenvolvimento empresarial, envolvendo aspectos de gestão de recursos financeiros, relacionamento com investidores, análise de riscos dentre outros. A incubadora deve organizar uma agenda formal de qualificação dos empreendedores, considerando os aspectos relacionados ao capital.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a qualificação financeira dos Registros que demonstrem os cursos oferecidos, os professores responsáveis, a data, o local e o conteúdo trabalhado.

9 Página 9 de 19»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a qualificação financeira dos empreendimentos inclui a exigência da elaboração de um Plano Anual de Qualificação Financeira. A incubadora comprova a existência do Plano Anual de Qualificação Financeira, onde é definido o cronograma anual dos cursos relacionados à gestão financeira dos O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a qualificação financeira dos empreendimentos inclui a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar os resultados e as melhorias da prática-chave Qualificação Financeira.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a qualificação financeira dos empreendimentos inclui a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para avaliação dos resultados e das melhorias da prática-chave Qualificação Financeira. A incubadora deve comprovar a existência de relatório dos resultados das reuniões de avaliação crítica da práticachave Qualificação Financeira. A incubadora deve manter registros sobre os resultados da reunião de avaliação crítica, com explicitação das ações a serem implementadas para melhorar a prática-chave Qualificação Financeira.»»»» Exemplos: Curso sobre gestão financeira. Curso sobre demonstrativos contábeis. Curso sobre indicadores econômicos e financeiros.»»»» Dicas: Os cursos da área financeira e de capital a serem oferecidos devem levar em consideração o estágio de evolução dos Assim, nem todos os empreendimentos participarão de todos os cursos oferecidos. A incubadora deve planejar, anualmente, pelo menos um curso na área financeira e de capital. A definição dos cursos da área financeira e de capital a serem realizados deve levar em consideração os resultados do Processo-chave Monitoramento. É importante fazer avaliação dos professores envolvidos nos treinamentos. Deve-se avaliar a adequação da estrutura física e do material didático utilizados. É importante avaliar se os conteúdos apresentados durante os cursos estão sendo efetivamente aplicados pelos incubados, no contexto de seus A incubadora pode fazer parcerias para oferecer os cursos relacionados ao desenvolvimento financeiro do empreendimento Qualificação em Mercado»»»» Objetivo: Promover a qualificação dos empreendedores e colaboradores nas áreas de marketing e comercialização.»»»» Sinopse: A incubadora deve ter uma sistemática de desenvolvimento empresarial, visando a realização de cursos com foco em práticas e ferramentas para gerenciar o setor comercial, incluindo, pelo menos, tópicos sobre organizar e motivar equipe de vendas, estratégias de marketing, estratégias de vendas. A incubadora deve organizar uma agenda formal de qualificação dos empreendedores, considerando os aspectos relacionados ao mercado.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a qualificação em mercado dos Registros explicitando os cursos oferecidos, os professores responsáveis, a data, o local e o conteúdo trabalhado.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a qualificação em mercado dos empreendimentos inclui a exigência da elaboração do Plano Anual de Qualificação em Mercado. A incubadora comprova a existência do Plano Anual de Qualificação em Mercado, onde é definido o cronograma dos cursos relacionados ao desenvolvimento dos aspectos de gestão do setor comercial e de marketing.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a qualificação em mercado dos empreendimentos inclui a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar os resultados e as melhorias da prática-chave Qualificação em Mercado.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a qualificação em mercado dos empreendimentos inclui a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para avaliação dos resultados e melhorias da prática-chave Qualificação em Mercado. A incubadora deve comprovar a existência de relatório dos resultados das reuniões de avaliação crítica da práticachave Qualificação em Mercado. implementadas para melhorar a qualificação em mercado.»»»» Exemplos: Curso sobre estratégias de comercialização e marketing. Curso sobre plano de marketing.

10 Página 10 de 19»»»» Dicas: Os cursos da área comercial a serem oferecidos devem levar em consideração o estágio de evolução dos Assim, nem todos os empreendimentos participarão de todos os cursos oferecidos. A incubadora deve planejar, anualmente, pelo menos um curso na área de mercado. A definição dos cursos da área de mercado a serem realizados deve ser feita levando em consideração os resultados do Processo-chave Monitoramento. É importante fazer avaliação dos professores envolvidos nos treinamentos. Deve-se avaliar a adequação da estrutura física e do material didático utilizados. É importante avaliar se os conteúdos apresentados durante os cursos estão sendo efetivamente aplicados pelos incubados, no contexto de seus A incubadora pode fazer parcerias para oferecer os cursos relacionados ao desenvolvimento comercial dos Qualificação de Gestão»»»» Objetivo: Promover a qualificação dos empreendedores e colaboradores na área de gestão de»»»» Sinopse: A incubadora deve ter uma sistemática de desenvolvimento empresarial, visando a evolução das competências gerenciais para a administração dos processos e funções críticas do empreendimento. A incubadora deve ter uma agenda formal de qualificação dos empreendedores, considerando os aspectos comportamentais e habilidades empreendedoras.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a qualificação em gestão dos Registros que demonstram os cursos oferecidos, os profissionais responsáveis, a data, o local e o conteúdo trabalhado.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a qualificação de gestão dos empreendimentos inclui a exigência da elaboração do Plano Anual de Qualificação em Gestão. A incubadora comprova a existência do Plano Anual de Qualificação em Gestão, onde é definido o cronograma dos cursos relacionados ao desenvolvimento das competências gerenciais para a administração dos processos e funções críticas de gestão do empreendimento.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a qualificação em gestão dos empreendimentos inclui a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar os resultados e as melhorias da prática-chave Qualificação em Gestão. Registros que demonstram os resultados de cada indicador proposto.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora promove a qualificação em gestão dos empreendimentos inclui a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica dos resultados da prática-chave-chave Qualificação em Gestão. A incubadora deve comprovar a existência de registros dos resultados das reuniões de avaliação crítica da práticachave Qualificação em Gestão. A incubadora deve manter registros sobre os resultados da reunião de avaliação crítica explicitando as ações a serem implementadas para melhorar a qualidade da prática-chave Qualificação em Gestão.»»»» Exemplos: Curso sobre planejamento estratégico. Curso sobre gestão de mudanças. Curso sobre gestão de recursos humanos.»»»» Dicas: Os cursos da área de gestão a serem oferecidos devem levar em consideração o estágio de evolução dos Assim, nem todos os empreendimentos participarão de todos os cursos oferecidos. A incubadora deve planejar, anualmente, pelo menos um curso na área de gestão de A definição dos cursos a serem realizados deve ser feita tomando como base os resultados do processochave Monitoramento. É importante fazer avaliação dos professores envolvidos nos treinamentos. Deve-se avaliar a adequação da estrutura física e do material didático utilizados. É importante avaliar se os conteúdos apresentados durante os cursos estão sendo efetivamente aplicados pelos incubados, no contexto de seus A incubadora pode fazer parcerias para oferecer os cursos relacionados ao desenvolvimento da gestão do empreendimento. 1.5 Assessoria/Consultoria Envolve a implantação de um processo sistemático de assessorias/consultorias especializadas, focadas em resolver as dificuldades encontradas pelos incubados nos eixos de desenvolvimento do negócio: desenvolvimento pessoal, tecnologia, mercado, capital e gestão. Prática Nome Assessoria/Consultoria ao Empreendedor»»»» Objetivo: Promover o desenvolvimento pessoal dos empreendedores.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir uma sistemática de assessoria/consultoria ao empreendedor, focando o desenvolvimento pessoal e do perfil empreendedor.

11 Página 11 de 19»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza a assessoria/consultoria aos empreendedores. A incubadora deve comprovar a existência de um portfólio de empresas e profissionais que podem oferecer assessorias/consultorias para o desenvolvimento pessoal do empreendedor. Registros que apresentam as assessorias/consultorias realizadas, explicitando o foco específico da consultoria, a metodologia adotada e o valor agregado aos empreendedores. O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessoria/consultoria para os empreendimentos deve incluir a exigência da elaboração do Plano Anual de Assessoria/Consultoria ao Empreendedor. Plano contendo as assessorias/consultorias a serem oferecidas anualmente aos incubados. Registros que apresentam as assessorias/consultorias realizadas, explicitando o objetivo da consultoria, os profissionais responsáveis pelo trabalho, a data, o local e os resultados obtidos.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessoria/consultoria aos empreendimentos inclui a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar os resultados e as melhorias da prática-chave Assessoria/Consultoria ao Empreendedor.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessoria/consultoria aos empreendimentos inclui a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para análise dos resultados e das melhorias da prática-chave Assessoria/Consultoria ao Empreendedor. A incubadora deve comprovar a existência de registros dos resultados das reuniões de avaliação crítica da práticachave Assessoria/Consultoria ao Empreendedor. implementadas para melhorar a qualidade da assessoria/consultoria para o desenvolvimento pessoal do empreendedor.»»»» Exemplos: Consultoria para o desenvolvimento pessoal do empreendedor (coaching, mentoring etc.).»»»» Dicas: As assessorias/consultorias para o desenvolvimento pessoal oferecidas devem levar em consideração as especificidades de cada empreendedor. Assim, as assessorias/consultorias são personalizadas, abordando problemas específicos dos empreendedores. A incubadora deve planejar, anualmente, assessorias/consultorias para o desenvolvimento pessoal dos empreendedores. A definição das assessorias/consultorias para o desenvolvimento pessoal a serem realizadas deve ser planejada a partir dos resultados do Sistema de Acompanhamento, Orientação e Avaliação. É importante fazer avaliação dos assessores/consultores Assessoria/Consultoria Tecnológica»»»» Objetivo: Promover a melhoria da qualidade da solução (tecnologia, produto, serviço) oferecida pelos empreendimentos apoiados aos seus clientes.»»»» Sinopse: A incubadora deve sistematizar um conjunto de assessorias/consultorias que orientem os empreendedores na elaboração da solução (tecnologia, produto, serviço) a ser oferecida aos clientes.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza as assessorias/consultorias tecnológica aos A incubadora deve comprovar a existência de um portfólio de empresas e profissionais que podem oferecer assessorias/consultorias para o desenvolvimento tecnológico e inovação. Registros que apresentam as assessorias/consultorias realizadas, explicitando o foco específico da consultoria, a metodologia adotada e o valor agregado para a empresa incubada.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessoria/consultoria para os empreendimentos deve incluir a exigência da elaboração do Plano Anual de Assessoria/Consultoria Tecnológica. Plano contendo as assessorias/consultorias a serem oferecidas anualmente ao incubados. Registros que apresentam as assessorias/consultorias tecnológicas realizadas, explicitando o foco específico da consultoria, a metodologia adotada e o valor agregado para a empresa incubada.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessoria/consultoria tecnológicas aos empreendimentos inclui a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar os resultados e as melhorias da prática-chave Assessoria/Consultoria Tecnológica.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessoria/consultoria tecnológica aos empreendimentos inclui a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para análise dos resultados e melhorias da prática-chave Assessoria/Consultoria Tecnológica. A incubadora deve comprovar a existência de registros que apresentam os resultados das reuniões de avaliação crítica da prática-chave Assessoria/Consultoria Tecnológica. implementadas para melhorar a qualidade da prática-chave Assessoria/Consultoria Tecnológica.»»»» Exemplos: Consultoria em inovação para os Consultoria tecnológica específica. Consultoria para inovação em processos.

12 Página 12 de 19»»»» Dicas: As assessorias/consultorias nas áreas de tecnologia e inovação a serem oferecidas devem levar em consideração a situação específica de cada empreendimento. Assim, as assessorias/consultorias são personalizadas, abordando um problema específico de um dado empreendimento. É importante que a equipe de gestão da incubadora tenha claro o seu conceito de inovação. A incubadora deve planejar, anualmente, assessorias/consultorias nas áreas de tecnologia, inovação ou desenvolvimento de produto. A definição das assessorias/consultorias nas áreas de tecnologia e inovação a serem realizadas deve ser feita com base nos resultados do processo-chave Monitoramento. É importante fazer avaliação dos assessores/consultores Assessoria/Consultoria Financeira»»»» Objetivo: Garantir o sucesso financeiro dos»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir uma sistemática de desenvolvimento empresarial, envolvendo aspectos de gestão de recursos, relacionamento com investidores, análise de riscos etc. Deve organizar uma agenda formal de assessoria/consultoria aos empreendedores, considerando os aspectos relacionados ao capital.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza as assessorias/consultorias financeira aos A incubadora deve comprovar a existência de um portfólio de empresas e profissionais que podem oferecer assessorias/consultorias financeiras. Registros que apresentam as assessorias/consultorias realizadas, explicitando o foco específico da consultoria, a metodologia adotada e o valor agregado para a empresa incubada.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza as assessorias/consultorias financeira para os empreendimentos deve incluir a exigência da elaboração do Plano Anual de Assessoria/Consultoria Financeira. Plano contendo as assessorias/consultorias a serem oferecidas anualmente aos incubados. Registros que apresentam as assessorias/consultorias financeiras realizadas, explicitando o foco específico da consultoria, o profissional responsável, a metodologia adotada e o valor agregado para a empresa incubada.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessorias/consultorias financeira aos empreendimentos inclui a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar os resultados e as melhorias da prática-chave Assessoria/Consultoria Financeira.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessorias/consultorias financeira aos empreendimentos inclui a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para análise dos resultados e melhorias da prática-chave Assessoria/Consultoria Financeira. A incubadora deve comprovar a existência de registros dos resultados das reuniões de avaliação crítica da práticachave Assessoria/Consultoria Financeira. implementadas para melhorar a qualidade da assessoria/consultoria financeira.»»»» Exemplos: Consultoria em gestão financeira. Consultoria na implantação de indicadores financeiros e econômicos nos»»»» Dicas: As assessorias/consultorias na área financeira e de capital a serem oferecidas devem levar em consideração a situação específica de cada empreendimento. Assim, as assessorias/consultorias são personalizadas, abordando os problemas e as oportunidades de um dado empreendimento. A incubadora deve planejar, anualmente, assessorias/consultorias na área financeira e de capital. A definição das assessorias/consultorias na área financeira e de capital a serem realizadas deve ser feita a partir dos resultados do processo-chave Monitoramento. É importante fazer avaliação dos assessores/consultores Assessoria/Consultoria em Mercado»»»» Objetivo: Promover a ampliação do mercado de atuação das empresas incubadas.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir uma sistemática de desenvolvimento empresarial, visando à realização de assessorias/consultorias com foco em práticas e ferramentas para gerenciar o setor comercial, incluindo, pelo menos, tópicos sobre organizar e motivar equipe de vendas, estratégias de marketing, estratégias de vendas.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessoria/consultoria em mercado aos A incubadora deve comprovar a existência de um portfólio de empresas e profissionais que podem oferecer assessorias/consultorias de mercado. Registros que apresentam as assessorias/consultorias realizadas, explicitando o foco específico da consultoria, a metodologia adotada e o valor agregado para a empresa incubada.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessoria/consultoria de mercado para os empreendimentos deve incluir a exigência da elaboração do Plano Anual de Assessoria/Consultoria em Mercado. Plano contendo as assessorias/consultorias a serem oferecidas anualmente aos incubados. Registros que apresentam as assessorias/consultorias de mercado realizadas, explicitando o foco específico da consultoria, a metodologia adotada e o valor agregado para a empresa incubada.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessoria/consultoria de mercado aos empreendimentos inclui a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar os resultados e as melhorias da prática-chave Assessoria/Consultoria em Mercado.

13 Página 13 de 19»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessoria/consultoria de mercado aos empreendimentos inclui a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica dos resultados e melhorias da prática-chave Assessoria/Consultoria em Mercado. A incubadora deve comprovar a existência de registros dos resultados das reuniões de avaliação crítica da práticachave Assessoria/Consultoria em Mercado. implementadas para melhorar a qualidade da assessoria/consultoria de mercado. Consultoria para orientação sobre estratégias de comercialização. Consultoria para ampliação de mercado.»»»» Dicas: As assessorias/consultorias na área comercial e de marketing a serem oferecidas devem levar em consideração a situação específica de cada empreendimento. Assim, as assessorias/consultorias são personalizadas, abordando problemas e oportunidades de um dado empreendimento. A incubadora deve planejar, anualmente, assessorias/consultorias na área comercial e de marketing. A definição das assessorias/consultorias na área comercial e de marketing a serem realizadas deve ser feita com base nos resultados do processo-chave Monitoramento. É importante fazer avaliação dos assessores/consultores Assessoria/Consultoria em Gestão»»»» Objetivo: Garantir o uso das modernas técnicas de gestão, como forma de ampliar a probabilidade de sucesso dos»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir uma sistemática de desenvolvimento empresarial, visando o desenvolvimento das competências gerenciais para a administração dos processos e funções críticas do empreendimento. Deve existir uma agenda formal de assessorias/consultorias aos empreendedores, considerando os aspectos de gestão.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessorias/consultorias em gestão aos A incubadora deve comprovar a existência de um portfólio de empresas e profissionais que podem oferecer assessorias/consultorias em gestão. Registros que apresentam as assessorias/consultorias realizadas, explicitando o foco específico da consultoria, a metodologia adotada e o valor agregado para a empresa incubada.»»»» Prática Definida: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessorias/consultorias em gestão aos A incubadora deve comprovar a existência de um portfólio de empresas e profissionais que podem oferecer assessorias/consultorias em gestão. Registros que apresentam as assessorias/consultorias realizadas, explicitando o foco específico da consultoria, a metodologia adotada e o valor agregado para a empresa incubada.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessorias/consultorias em gestão aos empreendimentos inclui a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permita avaliar os resultados e as melhorias da prática-chave Assessoria/Consultoria em Gestão.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza assessorias/consultorias em gestão aos empreendimentos inclui a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para análise dos resultados e das melhorias da prática-chave Assessoria/Consultoria em Gestão. A incubadora deve comprovar a existência de registros que apresentam os resultados das reuniões de avaliação crítica da prática-chave Assessoria/Consultoria em Gestão. implementadas para melhorar a qualidade da assessoria/consultoria em gestão.»»»» Exemplos: Consultoria em gestão de recursos humanos. Consultoria em modelo de negócios.»»»» Dicas: As assessorias/consultorias de gestão a serem oferecidas devem levar em consideração a situação específica de cada empreendimento. Assim, as assessorias/consultorias são personalizadas, abordando um problema específico de um dado empreendimento. A incubadora deve planejar, anualmente, assessorias/consultorias de gestão aos empreendimentos incubados. A definição das assessorias/consultorias de gestão a serem realizadas deve ser feita com base nos resultados do processo-chave Monitoramento. É importante fazer avaliação dos assessores/consultores. 1.6 Monitoramento Envolve a manutenção de um processo sistemático e documentado de:. Monitoramento e orientação do desempenho dos empreendimentos incubados nos cinco eixos de desenvolvimento do negócio: empreendedores, produto, recursos, mercado e gestão.. Definição do momento em que o empreendimento está preparado para a graduação. Prática Nome Monitoramento do Empreendedor»»»» Objetivo: Avaliar e promover o desenvolvimento pessoal dos empreendedores, de forma a verificar se o empreendimento atingiu a maturidade para graduação.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir uma sistemática de monitoramento que permita acompanhar o desenvolvimento do empreendedor, em seus aspectos econômicos e sociais (desenvolvimento do cidadão).

14 Página 14 de 19»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o desenvolvimento pessoal do empreendedor, com o objetivo de verificar se o empreendimento atingiu a maturidade para graduação. A incubadora deve comprovar a utilização de instrumento de avaliação do desenvolvimento pessoal do empreendedor para identificar o atingimento da maturidade para graduação do empreendimento. Registros que apresentam o resultado do monitoramento do desenvolvimento pessoal do empreendedor. O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o desenvolvimento pessoal do empreendedor inclui a exigência da utilização de um instrumento padronizado de avaliação do desenvolvimento pessoal do empreendedor. A incubadora deve comprovar a existência de um modelo de instrumento de avaliação do desenvolvimento pessoal do empreendedor. Registros que apresentam o resultado do monitoramento do desenvolvimento pessoal do empreendedor.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o desenvolvimento pessoal do empreendedor inclui a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar os resultados e melhorias da prática-chave Monitoramento do Empreendedor. Documento contendo os resultados de cada indicador proposto. Registros que apresentam as ações de acompanhamento, orientação e avaliação do desenvolvimento pessoal do empreendedor, contendo, no mínimo, um plano de ação para reduzir as dificuldades e aproveitar as oportunidades.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o desenvolvimento pessoal do empreendedor inclui a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para análise dos resultados e melhorias da prática-chave Monitoramento do Empreendedor. A incubadora deve comprovar a existência de registros que apresentam os resultados das reuniões de avaliação crítica do monitoramento dos resultados e melhorias da prática-chave Monitoramento do Empreendedor. A incubadora deve manter registros sobre os resultados da reunião de avaliação crítica, explicitando o resultado da reunião de avaliação crítica, incluindo as ações a serem implementadas para melhorar a qualidade do monitoramento do empreendedor.»»»» Exemplos: Instrumento de avaliação para monitorar o desenvolvimento pessoal do empreendedor.»»»» Dicas: É importante criar indicadores que permitam o monitoramento do desenvolvimento do perfil dos empreendedores. O monitoramento com relação ao desenvolvimento pessoal do empreendedor pode ser feito à distância, mas é muito importante que sejam planejadas e realizadas reuniões presenciais para discussão das dificuldades e oportunidades. O momento de avaliação dos empreendimentos pode ser utilizado para avaliar a percepção dos empreendedores quanto aos serviços prestados pela incubadora. A equipe de gestão da incubadora deve utilizar os resultados do monitoramento dos empreendimentos como subsídio para planejar os cursos, assessorias, consultorias e eventos a serem oferecidos aos incubados para seu desenvolvimento pessoal, além da decisão de continuar ou encerrar o processo de incubação Monitoramento da Tecnologia»»»» Objetivo: Avaliar e promover o desenvolvimento da solução (tecnologia, produto, serviço) oferecida ao cliente, de forma a verificar se empreendimento atingiu a maturidade para graduação.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir uma sistemática de orientação, monitoramento e avaliação que permita acompanhar o desenvolvimento e a evolução da solução (tecnologia, produto, serviço) oferecida aos clientes.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o desenvolvimento da solução oferecida aos clientes, de forma a verificar se o empreendimento atingiu a maturidade para graduação. A incubadora deve comprovar a utilização de instrumento de avaliação do desenvolvimento da solução oferecida aos clientes. Registros que apresentam o resultado do monitoramento do desenvolvimento da solução oferecida aos clientes.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o desenvolvimento da solução oferecida aos clientes inclui a exigência da utilização de um modelo padronizado de instrumento de avaliação do desenvolvimento da solução oferecida ao cliente. A incubadora deve comprovar a existência de instrumento padronizado para monitoramento do desenvolvimento da solução oferecida ao cliente, de forma a verificar se o empreendimento atingiu a maturidade para graduação. Registros que apresentam o resultado do monitoramento do desenvolvimento da solução oferecida ao cliente.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o desenvolvimento da solução oferecida aos clientes inclui a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar os resultados e melhorias da prática-chave Monitoramento da Tecnologia. Registros que apresentam as ações de acompanhamento, orientação e avaliação do desenvolvimento da solução oferecida aos clientes, contendo, no mínimo, um plano de ação para reduzir as dificuldades e aproveitar as oportunidades.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o desenvolvimento da solução oferecida aos clientes inclui a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para avaliação dos resultados e das melhorias da prática-chave Monitoramento da Tecnologia. A incubadora deve comprovar a existência de registros que apresentam os resultados das reuniões de avaliação crítica para avaliar os resultados e melhorias da prática-chave Monitoramento da Tecnologia.»»»» Exemplos: Instrumento para monitorar o desenvolvimento da solução oferecida aos clientes, de forma a verificar se o empreendimento atingiu a maturidade para graduação.

15 Página 15 de 19»»»» Dicas: É importante criar indicadores para avaliar a evolução da solução oferecida ao cliente, de forma a verificar se empreendimento atingiu a maturidade para graduação. O acompanhamento, orientação e avaliação da solução oferecida aos clientes podem ser feitos à distância, mas é muito importante que sejam planejadas e realizadas reuniões presenciais para discussão das dificuldades e oportunidades. O momento de avaliação dos empreendimentos pode ser utilizado para avaliar a percepção dos empreendedores quanto aos serviços prestados pela incubadora. A equipe de gestão da incubadora deve utilizar os resultados do monitoramento dos empreendimentos como subsídio para planejar os cursos, assessorias, consultorias e eventos na área de tecnologia e inovação a serem oferecidos aos incubados Monitoramento Financeiro»»»» Objetivo: Avaliar a evolução financeira e de capital dos empreendimentos, de forma a verificar se empreendimento atingiu a maturidade para graduação.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir uma sistemática de monitoramento que permita acompanhar a evolução financeira e de capital dos empreendimentos incubados.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora a saúde financeira dos empreendimentos, de forma a verificar se eles atingiram a maturidade para graduação. A incubadora deve comprovar a utilização de instrumento padrão de avaliação para monitorar a saúde financeira dos Registros que apresentam o resultado do monitoramento da saúde financeira dos»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora a saúde financeira dos empreendimentos inclui a exigência da utilização de um modelo de instrumento padronizado de avaliação. A incubadora deve comprovar a utilização de instrumento de padronizado de avaliação, contendo estratégias, indicadores e metas da saúde financeira dos Registros que apresentam o resultado do monitoramento da saúde financeira dos»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora a saúde financeira dos empreendimentos inclui a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar os resultados e melhorias da prática-chave Monitoramento Financeiro. Registros que apresentam as ações de acompanhamento, orientação e avaliação da saúde financeira dos empreendimentos, contendo, no mínimo, um plano de ação para reduzir as dificuldades e aproveitar as oportunidades.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora a saúde financeira dos empreendimentos inclui a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para avaliação dos resultados da prática-chave Monitoramento Financeiro. A incubadora deve comprovar a existência de registros que apresentam os resultados das reuniões de avaliação crítica da saúde financeira dos»»»» Exemplos: Instrumento para monitorar a saúde financeira dos empreendimentos, de forma a verificar se eles atingiram a maturidade para graduação.»»»» Dicas: É importante criar indicadores para avaliar a evolução financeira e de capital dos empreendimentos e seus produtos e serviços. O monitoramento financeiro e de capital pode ser feito a distância, mas é muito importante que sejam planejadas reuniões presenciais para discussão das dificuldades e oportunidades. O momento de avaliação dos empreendimentos em termos financeiros e de capital pode ser utilizado para avaliar a percepção dos empreendedores quanto aos serviços prestados pela incubadora. A equipe de gestão da incubadora deve utilizar os resultados do monitoramento financeiro e de capital dos empreendimentos como subsídio para planejar os cursos, assessorias, consultorias e eventos a serem oferecidos aos incubados Monitoramento do Mercado»»»» Objetivo: Avaliar a evolução das empresas incubadas em termos de mercado e identificar a maturidade para graduação.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir uma sistemática de monitoramento que permita acompanhar a evolução do desenvolvimento de marketing e comercial dos empreendimentos incubados.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o desenvolvimento de mercado dos empreendimentos, de forma a verificar se eles atingiram a maturidade para graduação. A incubadora deve comprovar a utilização de instrumento de avaliação para monitorar o desenvolvimento de mercado do empreendimento. Registros que apresentam o resultado do monitoramento do desenvolvimento de mercado do empreendimento.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o desenvolvimento de mercado do empreendimento inclui a exigência da utilização de um modelo de instrumento padronizado de avaliação. A incubadora deve comprovar a utilização de instrumento padronizado de avaliação da evolução de mercado do empreendimento.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o desenvolvimento de mercado do empreendimento inclui a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar a efetividade da prática-chave Monitoramento de Mercado. Registros que apresentam as ações de acompanhamento, orientação e avaliação do desenvolvimento de mercado do empreendimento, contendo, no mínimo, um plano de ação para reduzir as dificuldades e aproveitar as oportunidades.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o desenvolvimento de mercado do empreendimento inclui a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para avaliação dos resultados da prática-chave Monitoramento do Mercado. A incubadora deve comprovar a existência de registros que apresentam os resultados das reuniões de avaliação crítica do monitoramento do desenvolvimento de mercado do empreendimento.

16 Página 16 de 19»»»» Exemplos: Instrumento de avaliação para monitorar o desenvolvimento comercial dos empreendimentos, de forma a verificar se eles atingiram a maturidade para graduação.»»»» Dicas: É importante criar indicadores para avaliar a evolução em termos de marketing e comercial dos empreendimentos e seus produtos e serviços. O acompanhamento, orientação e avaliação de marketing e comercial pode ser feito a distância, mas é muito importante que sejam planejadas reuniões presenciais para discussão das dificuldades e oportunidades O momento de avaliação da área de marketing e comercial dos empreendimentos pode ser utilizado para avaliar a percepção dos empreendedores quanto aos serviços prestados pela incubadora. A equipe de gestão da incubadora deve utilizar os resultados do monitoramento dos empreendimentos em termos de marketing e comercial como subsídio para planejar os cursos, assessorias, consultorias e eventos a serem oferecidos aos incubados Monitoramento da Gestão»»»» Objetivo: Garantir o uso das modernas técnicas de gestão, como forma de ampliar a probabilidade de sucesso dos empreendimentos, e identificar a maturidade para graduação.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir uma sistemática de monitoramento que permita acompanhar, por meio de indicadores, a evolução da gestão dos empreendimentos incubados.»»»» Prática Inicial: Existência de procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o grau de evolução da gestão dos empreendimentos, com o objetivo de verificar se eles atingiram a maturidade para graduação. A incubadora deve comprovar a utilização de instrumento padronizado de avalição para monitorar o desenvolvimento de gestão do empreendimento, de forma a verificar se eles atingiram a maturidade para graduação. Registros que apresentam o resultado do monitoramento do desenvolvimento em gestão do empreendimento.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o desenvolvimento de gestão do empreendimento inclui a exigência da utilização de um modelo de instrumento de avaliação detalhado. A incubadora deve comprovar a utilização de instrumento de avaliação detalhado. Registros que apresentam o resultado da avaliação do desenvolvimento em gestão do empreendimento.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o desenvolvimento de gestão do empreendimento inclui a exigência da criação e monitoramento de um conjunto de indicadores que permitam avaliar os resultados e melhorias da prática-chave Monitoramento da Gestão. Registros que apresentam as ações de acompanhamento, orientação e avaliação do desenvolvimento de gestão do empreendimento, contendo, no mínimo, um plano de ação para reduzir as dificuldades e aproveitar as oportunidades.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora monitora o desenvolvimento de gestão do empreendimento inclui a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica para avaliação dos resultados da prática-chave Monitoramento da Gestão. A incubadora deve comprovar a existência de relatório dos resultados das reuniões de avaliação crítica do monitoramento do desenvolvimento de gestão do empreendimento. implementadas para melhorar a qualidade do monitoramento de gestão.»»»» Exemplos: Instrumento para monitorar o desenvolvimento da gestão do empreendimento, de forma a verificar se o empreendimento atingiu a maturidade para graduação.»»»» Dicas: É importante criar indicadores para avaliar a evolução em termos de gestão dos empreendimentos, de forma a verificar se eles atingiram a maturidade para graduação. O acompanhamento, orientação e avaliação da gestão dos empreendimentos pode ser feito a distância, mas é muito importante que sejam planejadas reuniões presenciais para discussão das dificuldades e oportunidades. O momento de avaliação da gestão dos empreendimentos pode ser utilizado para avaliar a percepção dos empreendedores quanto aos serviços prestados pela incubadora. A equipe de gestão da incubadora deve utilizar os resultados do acompanhamento, orientação e avaliação da gestão dos empreendimentos como subsídio para planejar os cursos, assessorias, consultorias e eventos a serem oferecidos aos incubados. 1.7 Graduação e Relacionamento com Graduadas Envolve um processo sistemático e documentado para a mudança de status de Empresa Incubada para Empresa Graduada. Nessa transição a incubadora acompanha a evolução da empresa fora do ambiente da incubadora, mantendo vínculo com a graduada. Prática Nome Graduação»»»» Objetivo: Garantir que o processo de saída da empresa seja bem sucedido.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir procedimentos formalizados para realizar a transição da empresa incubada para Graduada.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora faz a mudança de status de Empresa Incubada para Empresa Graduada. Registros que demonstram que as graduações das empresas seguem os procedimentos.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora faz a mudança de status de Empresa Incubada para Empresa Graduada inclui a exigência da elaboração do Plano Anual de Graduações. Registros que demonstrem a existência e utilização do Plano Anual de Graduações.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora faz a mudança de status de Empresa Incubada para Empresa Graduada inclui a exigência da criação de um conjunto de indicadores que permitam avaliar a efetividade da prática-chave Graduação.

17 Página 17 de 19»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora faz a mudança de status de Empresa Incubada para Empresa Graduada inclui a exigência de realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica da prática-chave Graduação. A incubadora deve comprovar a existência de relatório dos resultados das reuniões de avaliação crítica da prática-chave Graduação.»»»» Exemplos: Realização de evento de graduação. Documentos jurídicos que regulamentem a graduação. Reuniões de monitoramento da graduação.»»»» Dicas: Os graduados podem ser excelentes tutores das empresas incubadas. A incubadora deve manter atualizado um checklist para graduação (escolha de espaço físico, ajuste no fluxo de caixa, atualização de site etc.). O gestor deve assumir um papel de animador da rede de graduadas Relacionamento com Graduadas»»»» Objetivo: Garantir que a incubadora mantenha vínculo com as empresas graduadas, monitorando a evolução e prestando serviços de valor agregado.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir procedimentos formalizados para manter o vínculo com as empresas graduadas, monitorando seu desenvolvimento e oferecendo serviços de valor agregado.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora faz o acompanhamento da evolução do desenvolvimento das empresas graduadas. Registros da evolução do desenvolvimento das empresas graduadas.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora faz o acompanhamento da evolução do desenvolvimento das empresas graduadas deve incluir a exigência de disponibilização de portfólio de serviços de valor agregado para atender as necessidades das graduadas. Registros que demonstrem a existência e realização de serviços de valor agregado para atender as necessidades das graduadas.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora faz o acompanhamento da evolução do desenvolvimento das empresas graduadas inclui a exigência da criação de um conjunto de indicadores que permitam avaliar a efetividade da prática-chave Relacionamento com as Graduadas.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora faz o acompanhamento da evolução do desenvolvimento das empresas graduadas inclui a exigência de realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de avaliação crítica da prática-chave Relacionamento com as Graduadas. A incubadora deve comprovar a existência de relatório dos resultados das reuniões de avaliação crítica da práticachave Relacionamento com as Graduadas.»»»» Exemplos: Elaboração de documentos jurídicos que regulamentem o relacionamento com as graduadas. Apresentação no site da incubadora dos resultados dos relacionamentos com as graduadas (projetos conjuntos, serviços prestados dentre outros). Portfólio de produtos e serviços para as graduadas.»»»» Dicas: Os empreendedores das empresas graduadas podem ser excelentes tutores das empresas incubadas. Manter agenda de contatos com as graduadas. Manter o site com informações atualizadas sobre e para as graduadas. 1.8 Gerenciamento Básico Envolve a manutenção de uma estrutura mínima em termos gerenciais, físicos e tecnológicos que permita a geração sistemática de empreendimentos inovadores de sucesso. Prática Nome Modelo Institucional»»»» Objetivo: Garantir o funcionamento efetivo da incubadora e a possibilidade de realizar parcerias.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir documentos que comprovem a sua existência formal e o seu relacionamento (autonomia, orçamento, relatórios) com a mantenedora e os parceiros, de forma a viabilizar a gestão e os relacionamentos interinstitucionais.»»»» Prática Inicial: Estatuto Social, caso a incubadora tenha CNPJ próprio. Regimento interno. A incubadora deve comprovar a dedicação mínima de 20 horas por semana do gerente da incubadora. Documento comprovando a existência da incubadora e sua vinculação com a entidade gestora (caso a incubadora não tenha CNPJ próprio). Plano de Negócios atualizado.»»»» Prática Definida: Comprovação da existência de uma equipe com dedicação exclusiva para a incubadora de empresas. Convênios com instituições parceiras para cessão de especialistas para apoio ao processo de incubação.»»»» Prática Estabelecida: A incubadora possui um conjunto de indicadores que permitam avaliar a efetividade da prática-chave Modelo Institucional.»»»» Prática Sistematizada: A incubadora realiza, no mínimo uma vez por ano, reunião de avaliação crítica da prática-chave Modelo Institucional. A incubadora deve comprovar a existência de relatório dos resultados das reuniões de avaliação crítica da práticachave Modelo Institucional.

18 Página 18 de 19»»»» Exemplos: Formalização da incubadora como um programa da Instituição mantenedora. Contratação de gerente para a incubadora. Criação de uma pessoa jurídica independente para a gestão da incubadora. Plano de Negócios da incubadora. A incubadora deve estar estruturada de forma a poder receber e utilizar recursos de terceiros. É importante a existência de parceiros que possam contribuir para a operação da incubadora Os incubados devem conhecer a documentação da incubadora (estatuto, regimento interno etc.). A incubadora pode estabelecer convênios com outras instituições de forma a ampliar a estrutura e os serviços oferecidos Gestão Financeira e Sustentabilidade»»»» Objetivo: Garantir a saúde financeira da incubadora.»»»» Sinopse: A incubadora deve ter um processo sistematizado e documentado para a sua efetiva gestão financeira, incluindo fluxo de caixa, contas a pagar e a receber, indicadores econômico-financeiros e um plano de sustentabilidade.»»»» Prática Inicial: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza sua gestão financeira. Fluxo de caixa da incubadora, com controle entre o previsto e o realizado.»»»» Prática Definida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza sua gestão financeira deve incluir a exigência da elaboração do Plano de Sustentabilidade. Plano de Sustentabilidade, explicitando fontes de receita da incubadora.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza sua gestão financeira deve incluir a exigência da criação e monitoramento de indicadores que possibilitem avaliar os resultados da prática-chave Gestão Financeira e Sustentabilidade. Registros que demonstrem a existência e utilização dos indicadores para avaliação dos resultados e melhorias da prática-chave Gestão Financeira e Sustentabilidade.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza sua gestão financeira deve incluir a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de revisão crítica da prática-chave Gestão Financeira e Sustentabilidade. A incubadora deve comprovar a existência de registros que apresentam os resultados das reuniões de avaliação crítica da Gestão Financeira e Sustentabilidade.»»»» Exemplos: Elaboração de fluxo de caixa. Controle de contas a pagar e a receber. Criação de indicadores econômico-financeiros para monitorar o desempenho da incubadora.»»»» Dicas: É importante controlar a dependência da incubadora com relação aos parceiros A incubadora precisa ter um controle sobre as receitas e despesas tanto financeiras quanto econômicas Infraestrutura Física e Tecnológica»»»» Objetivo: Garantir a disponibilização de uma estrutura física e tecnológica adequada ao desenvolvimento dos»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir um sistema formalizado de gestão da infraestrutura física e tecnológica que seja compatível com as necessidades dos empreendimentos apoiados. É essencial que a incubadora comprove a existência de espaços para os empreendimentos, espaços de uso comum, espaço para atendimento e estrutura tecnológica.»»»» Prática Inicial: Documento contendo descrição da infraestrutura física e tecnológica da incubadora, com apresentação de cada espaço e equipamentos existentes e respectivo uso. Documento descrevendo os espaços individuais ou compartilhados de cada empresa. Documento contendo os procedimentos e regras para uso da infraestrutura física e tecnológica por parte dos incubados.»»»» Prática Definida: A incubadora deve comprovar a existência do Plano Anual de Gestão da Infraestrutura Física e Tecnológica. Comprovação da existência e atualização do Plano Anual de Gestão da Infraestrutura Física e Tecnológica.»»»» Prática Estabelecida: Procedimento explicitando os indicadores que a incubadora utiliza para avaliar a prática-chave Infraestrutura Física e Tecnológica. Registros que apresentam os valores dos indicadores de avaliação da prática-chave Infraestrutura Física e Tecnológica.»»»» Prática Sistematizada: Procedimento explicitando de que forma (como) a incubadora realiza a gestão de sua infraestrutura física e tecnológica, incluindo a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de revisão crítica da práticachave Infraestrutura Física e Tecnológica. A incubadora deve comprovar a existência de registros que apresentam os resultados das reuniões de avaliação crítica da prática-chave Infraestrutura Física e Tecnológica. Relatório contendo o resultado da reunião de avaliação crítica, incluindo as ações a serem implementadas para melhorar a prática-chave Infraestrutura Física e Tecnológica.»»»» Exemplos: Espaço para incubação de Salas de reunião. Auditório. Equipamento multimídia para apresentação. Equipamentos para empréstimo.

19 Página 19 de 19»»»» Dicas: É importante a existência de um espaço onde as empresas possam receber seus clientes. É importante planejar uma área de convivência entre os incubados (café, cozinha dentre outros). É importante que a incubadora crie uma agenda de eventos para interação entre os incubados (café da manhã, palestras de empresários dentre outros) Apoio à Gestão»»»» Objetivo: Garantir a existência de serviços de apoio de qualidade, incluindo vigilância, limpeza, manutenção.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir um conjunto de serviços de apoio que dê sustentação à equipe de gestão, o que inclui: vigilância, limpeza e manutenção.»»»» Prática Inicial: A incubadora deve comprovar a existência dos serviços de limpeza, vigilância, recepção e secretaria.»»»» Prática Definida: Procedimento descrevendo de que forma (como) a incubadora realiza a avaliação de seus fornecedores. Relatórios técnicos que apresentem as avaliações realizadas com os fornecedores da incubadora. Documento descrevendo os tipos de serviços de apoio existentes. Manter controle sobre a utilização dos serviços de apoio pelas empresas incubadas.»»»» Prática Estabelecida: O procedimento descrevendo de que forma (como) a incubadora realiza a avaliação de seus fornecedores deve incluir a exigência de criação de indicadores que permitam aprimorar a prática-chave Apoio à Gestão. Relatório técnico com os valores dos indicadores de avaliação dos serviços de apoio.»»»» Prática Sistematizada: O procedimento descrevendo de que forma (como) a incubadora realiza a avaliação de seus fornecedores deve incluir a exigência da realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de revisão crítica para avaliar os resultados e evolução da prática Apoio à Gestão. A incubadora deve comprovar a existência de relatório dos resultados das reuniões de avaliação crítica da prática Apoio à Gestão. Relatório contendo o resultado da reunião de avaliação crítica, incluindo as ações a serem implementadas para melhorar os serviços de apoio e o sistema de avaliação de fornecedores.»»»» Exemplos: Serviço de limpeza dos espaços comuns. Serviço de limpeza das salas dos incubados. Serviço de segurança.»»»» Dicas: É importante a existência de um controle de acesso, de forma a rastrear todas as pessoas que visitam ou trabalham na incubadora. É importante criar um sistema de qualificação de fornecedores, de forma a melhorar a qualidade do serviço prestado aos incubados Comunicação e Marketing»»»» Objetivo: Garantir a divulgação da incubadora e das empresas incubadas e graduadas junto à comunidade.»»»» Sinopse: A incubadora deve possuir um plano de ação que utiliza ferramentas de comunicação, marketing, assessoria de imprensa e relações públicas, de forma a fortalecer a sua imagem e visibilidade.»»»» Prática Inicial: A incubadora deve comprovar que possui material de comunicação impresso: cartão, folder, cartaz dentre outros. A incubadora deve comprovar que possui um site ou portal para divulgação de seus serviços e resultados.»»»» Prática Definida: A incubadora deve comprovar a existência de um assessor de imprensa que auxilia na divulgação das ações da incubadora. A incubadora deve comprovar que elabora periodicamente releases sobre suas principais ações e resultados.»»»» Prática Estabelecida: A incubadora deve comprovar a existência de um conjunto de indicadores que permitem avaliar a qualidade das estratégias e ações para divulgação da incubadora. Registros que apresentam os valores dos indicadores de avaliação das estratégias e ações para divulgação da incubadora.»»»» Prática Sistematizada: A incubadora deve comprovar a realização, no mínimo uma vez por ano, de reunião de revisão crítica de seu Sistema de Comunicação e Marketing. A incubadora deve comprovar a existência de registros que apresentam os resultados das reuniões de avaliação crítica de seu Sistema de Comunicação e Marketing. implementadas para melhorar o Sistema de Comunicação e Marketing.»»»» Exemplos: Material de comunicação impresso. Portal web. Assessoria de Imprensa. Relações Públicas.»»»» Dicas: A assessoria de imprensa pode ser compartilhada com outras incubadoras ou com parceiros. O Portal Web deve permitir a interação do visitante com a incubadora e não ser apenas um folder eletrônico Modelo Cerne Macropus - Stratus Web

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Engajamento com Partes Interessadas

Engajamento com Partes Interessadas Instituto Votorantim Engajamento com Partes Interessadas Eixo temático Comunidade e Sociedade Principal objetivo da prática Apoiar o desenvolvimento de uma estratégia de relacionamento com as partes interessadas,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 2015

TERMO DE REFERÊNCIA 2015 TERMO DE REFERÊNCIA 2015 Realização: ANPROTEC Associação Nacional das Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores Francilene Procópio Garcia Presidente Jorge Luis Nicolas Audy Vice-Presidente Francisco

Leia mais

MODELO PLANO DE NEGÓCIO

MODELO PLANO DE NEGÓCIO MODELO PLANO DE NEGÓCIO Resumo dos Tópicos 1 EMPREENDEDOR... 3 1.1. O EMPREENDIMENTO... 3 1.2. OS EMPREENDEDORES... 3 2 GESTÃO... 4 2.1. DESCRIÇÃO DO NEGÓCIO... 4 2.3. PLANO DE OPERAÇÕES... 4 2.4. NECESSIDADE

Leia mais

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que ANEXO II Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui registro em base de patentes brasileira. Também serão considerados caráter inovador para este Edital os registros de patente de domínio público

Leia mais

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Itajubá/MG Fevereiro de 2012 Plano Anual de 2 de 11 Revisão 01 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1 OBJETIVO GERAL... 4 2

Leia mais

CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO

CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO Contexto e objetivos CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO O desenvolvimento do plano de negócios, como sistematização das idéias

Leia mais

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica Edital 1/2014 Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica A (PoloSul.org) torna pública a presente chamada e convida os interessados para apresentar propostas de incubação

Leia mais

Empreendedorismo. Tópico 4 Plano de Negócios: Visão Geral

Empreendedorismo. Tópico 4 Plano de Negócios: Visão Geral Empreendedorismo Tópico 4 Plano de Negócios: Visão Geral Conteúdo 1. Objetivos do Encontro... 3 2. Introdução... 3 3. Planejar. Por quê?... 3 4. O Plano é produto do empreendedor... 4 5. Estrutura do Plano

Leia mais

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA EDITAL 04/2009 IDÉIA FLUXO CONTÍNUO INCUBADORA MULTI-SETORIAL DE BASE TECNOLÓGICA E INOVAÇÃO Novembro de 2009. PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS

Leia mais

INC.EM.T.IVA Católica

INC.EM.T.IVA Católica INC.EM.T.IVA Católica Incubadora de Empresas Tocantinenses Inovadoras da Católica do Tocantins Processo de Seleção de Novos Empreendimentos CHAMADA PÚBLICA 001/2015 Palmas, Setembro de 2015. A Faculdade

Leia mais

CARGOS E FUNÇÕES APEAM

CARGOS E FUNÇÕES APEAM CARGOS E FUNÇÕES APEAM 1. PRESIDÊNCIA A Presidência possui por finalidades a representação oficial e legal da associação, coordenação e integração da Diretoria Executiva, e o acompanhamento, avaliação,

Leia mais

EDITAL - INCUBADORA BASE-MISTA CEET VASCO COUTINHO PROGRAMA DE PRÉ-INCUBAÇÃO DE EMPRESAS

EDITAL - INCUBADORA BASE-MISTA CEET VASCO COUTINHO PROGRAMA DE PRÉ-INCUBAÇÃO DE EMPRESAS EDITAL - INCUBADORA BASE-MISTA CEET VASCO COUTINHO PROGRAMA DE PRÉ-INCUBAÇÃO DE EMPRESAS O CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TÉCNICA VASCO COUTINHO convida pessoas físicas ou jurídicas a apresentarem propostas

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Informação e Documentação Disciplina: Planejamento e Gestão

Leia mais

Prêmio Nacional de Inovação. Caderno de Avaliação. Categoria. Gestão da Inovação

Prêmio Nacional de Inovação. Caderno de Avaliação. Categoria. Gestão da Inovação Prêmio Nacional de Inovação 2013 Caderno de Avaliação Categoria Gestão da Inovação Método: Esta dimensão visa facilitar o entendimento de como podem ser utilizados sistemas, métodos e ferramentas voltados

Leia mais

Plano de Ação e Programa de Formação de Recursos Humanos para PD&I

Plano de Ação e Programa de Formação de Recursos Humanos para PD&I Plano de Ação e Programa de Formação de Recursos Humanos para PD&I 1. Plano de Ação A seguir apresenta-se uma estrutura geral de Plano de Ação a ser adotado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Proposta para Formataça o de Franquia

Proposta para Formataça o de Franquia Proposta para Formataça o de Franquia 1- O sistema de franchising para o seu negócio Quando falamos de franchising, não estamos falando de algum modismo e, sim, de um sistema de negócios que veio para

Leia mais

PROGRAMA DE INOVAÇÃO NA CRIAÇÃO DE VALOR (ICV)

PROGRAMA DE INOVAÇÃO NA CRIAÇÃO DE VALOR (ICV) PROGRAMA DE INOVAÇÃO NA CRIAÇÃO DE VALOR (ICV) Termo de Referência para contratação de Gestor de Projetos Pleno 14 de Agosto de 2015 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE GESTOR DE PROJETOS PLENO O presente

Leia mais

ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação

ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação A Dinâmica da Terra é uma empresa onde o maior patrimônio é representado pelo seu capital intelectual. Campo de atuação: Elaboração de estudos,

Leia mais

INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAL 01/ 2011 - SEBRAE

INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAL 01/ 2011 - SEBRAE INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAL 01/ 2011 - SEBRAE Anexo I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO Modalidade Tipo 1 Aplicação do modelo CERNE 1 Brasília, 2011 Código da Proposta: (Uso do Sebrae): 1. DADOS

Leia mais

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes 1 SÉRIE DESENVOLVIMENTO HUMANO FORMAÇÃO DE LÍDER EMPREENDEDOR Propiciar aos participantes condições de vivenciarem um encontro com

Leia mais

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT Quadro de Servidores SITUAÇÃO 2008 2009 Abril 2010 CARGOS EFETIVOS (*) 429 752 860 Analista Administrativo 16 40 41 Especialista em Regulação 98 156 169

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

estão de Pessoas e Inovação

estão de Pessoas e Inovação estão de Pessoas e Inovação Luiz Ildebrando Pierry Secretário Executivo Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Prosperidade e Qualidade de vida são nossos principais objetivos Qualidade de Vida (dicas)

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE EMPREENDEDORISMO DE IMPACTO EDITAL 2015 LIBRIA

PROCESSO DE SELEÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE EMPREENDEDORISMO DE IMPACTO EDITAL 2015 LIBRIA 1) - APRESENTAÇÃO PROCESSO DE SELEÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE EMPREENDEDORISMO DE IMPACTO EDITAL 2015 LIBRIA A Aceleradora Libria torna pública a abertura das inscrições para seleção de projetos

Leia mais

Programa FAPESP. Pesquisa Inovativa EM. Pequenas Empresas

Programa FAPESP. Pesquisa Inovativa EM. Pequenas Empresas Programa FAPESP Pesquisa Inovativa EM Pequenas Empresas Foto CAPA: LÉO ramos Objetivos Criado em 1997, o Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) apoia a execução de pesquisa científica

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO Indicadores e Diagnóstico para a Inovação Primeiro passo para implantar um sistema de gestão nas empresas é fazer um diagnóstico da organização; Diagnóstico mapa n-dimensional

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 1/9 Sumário 1. Introdução... 3 2. Objetivo... 3 3. Princípios... 4 4. Diretrizes... 4 4.1. Estrutura de Governança... 4 4.2. Relação com as partes interessadas...

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS APRESENTAÇÃO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS Breve histórico da instituição seguido de diagnóstico e indicadores sobre a temática abrangida pelo projeto, especialmente dados que permitam análise da

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO

TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO 1. IDENTIFICAÇÃO DO TERMO DE REFERÊNCIA 1.1 UGP Nº 002/ 2012. 2. IDENTIFICAÇÃO DO CONTRATANTE 2.1 Contratante A Secretaria de Desenvolvimento

Leia mais

Prêmio Inovação UP 2012 Manual de Preenchimento do Formulário

Prêmio Inovação UP 2012 Manual de Preenchimento do Formulário ORIENTAÇÕES GERAIS Considerando que projeto deverá ser executado de agosto de 2012 a janeiro de 2013, avaliar a viabilidade de execução e finalização no prazo. Para preencher o formulário, observar as

Leia mais

Fundo, Fórum e Projetos Sociais e Ambientais apoiados pelo Sapiens Parque

Fundo, Fórum e Projetos Sociais e Ambientais apoiados pelo Sapiens Parque Fundo, Fórum e Projetos Sociais e Ambientais apoiados pelo Sapiens Parque 1. Introdução O Sapiens Parque é um Parque de Inovação que visa implantar no Norte da Ilha de Santa Catarina / Florianópolis um

Leia mais

Como o CERNE foi construído?

Como o CERNE foi construído? Por que CERNE? O movimento brasileiro de incubadoras vem crescendo a uma taxa expressiva nos últimos dez anos, alcançando uma média superior a 25% ao ano. Atualmente, as incubadoras brasileiras apóiam

Leia mais

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para:

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: PARTE 2 Sistema de Gestão da Qualidade SGQ Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: Possibilitar a melhoria de produtos/serviços Garantir a satisfação

Leia mais

Sugestões e críticas podem ser encaminhadas para o email: nape@ufv.br CONSIDERAÇÕES INICIAIS:

Sugestões e críticas podem ser encaminhadas para o email: nape@ufv.br CONSIDERAÇÕES INICIAIS: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA ORIENTAÇÕES GERAIS PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Neste ano o processo seletivo será realizado por meio de um sistema

Leia mais

Padrão de Gestão e Transparência do Terceiro Setor

Padrão de Gestão e Transparência do Terceiro Setor O que é o Padrão de Gestão e Transparência O Padrão de Gestão e Transparência (PGT) é um conjunto de práticas e ações recomendadas para as organizações sem fins lucrativos brasileiras organizadas na forma

Leia mais

Administração de CPD Chief Information Office

Administração de CPD Chief Information Office Administração de CPD Chief Information Office Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Objetivos Apresentar os principais conceitos e elementos relacionados ao profissional de

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

Rafael Vargas Presidente da SBEP.RO Gestor de Projetos Sociais do Instituto Ágora Secretário do Terceiro Setor da UGT.RO

Rafael Vargas Presidente da SBEP.RO Gestor de Projetos Sociais do Instituto Ágora Secretário do Terceiro Setor da UGT.RO Abril/2014 Porto Velho/Rondônia Rafael Vargas Presidente da SBEP.RO Gestor de Projetos Sociais do Instituto Ágora Secretário do Terceiro Setor da UGT.RO Terceiro Setor É uma terminologia sociológica que

Leia mais

Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo

Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo Avaliação desenvolvida por Mónica Galiano e Kenn Allen, publicado originalmente no livro The Big Tent: Corporate Volunteering in the Global Age. Texto

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS Introdução Independentemente do nível de experiência da proponente na elaboração de projetos, o Instituto Cooperforte empresta apoio, orientação e subsídios às Instituições

Leia mais

SESI. Empreendedorismo Social. Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações?

SESI. Empreendedorismo Social. Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações? SESI Empreendedorismo Social Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações? REGULAMENTO SESI Empreendedorismo Social A inovação social é o ponto de partida para um novo modelo que atende

Leia mais

O presente edital regulamenta o processo de recrutamento, seleção e ingresso de projetos empresariais na Incubadora de Empresas INDETEC/UFSJ.

O presente edital regulamenta o processo de recrutamento, seleção e ingresso de projetos empresariais na Incubadora de Empresas INDETEC/UFSJ. EDITAL DE CONCURSO DE IDEIAS INOVADORAS Nº 01/2010. PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DA UFSJ DE SÃO JOÃO DEL REI (INDETEC) O presente edital regulamenta o processo de recrutamento,

Leia mais

GUIA PARA O GT RECURSOS FINANCEIROS

GUIA PARA O GT RECURSOS FINANCEIROS GUIA PARA O GT RECURSOS FINANCEIROS Um projeto é um empreendimento planejado que consiste num conjunto de atividades integradas e coordenadas, com o fim de alcançar objetivos específicos dentro dos limites

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1 o. O Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia - NITTEC é um Órgão Executivo

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS Sistema Eletrobrás Política de Logística de Suprimento do Sistema Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO 4 POLÍTICA DE Logística de Suprimento

Leia mais

NÚCLEO SESI DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

NÚCLEO SESI DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NÚCLEO SESI DE RESPONSABILIDADE SOCIAL Mapa Estratégico da Indústria (2007-2015) 2015) Objetivo Criar a cultura da Responsabilidade Social nas Empresas, incorporando as suas políticas às estratégias corporativas,

Leia mais

INCUBADORA RINETEC. Regulamento da Chamada para ingresso de idéias inovadoras na incubadora RINETEC. Edital 001 2014

INCUBADORA RINETEC. Regulamento da Chamada para ingresso de idéias inovadoras na incubadora RINETEC. Edital 001 2014 INCUBADORA RINETEC Regulamento da Chamada para ingresso de idéias inovadoras na incubadora RINETEC Edital 001 2014 1. APRESENTAÇÃO 1.1 Este edital estabelece formas, condições e critérios para que a Associação

Leia mais

A Ser Humano Consultoria

A Ser Humano Consultoria A Ser Humano Consultoria é uma empresa especializada na gestão estratégica de pessoas. Utilizando programas de assessoramento individual, baseados na avaliação e desenvolvimento de suas competências, buscamos

Leia mais

INCUBADORA DE EMPRESAS

INCUBADORA DE EMPRESAS INCUBADORA DE EMPRESAS INCUBADORA DE EMPRESAS BARÃO DE MAUÁ - IEBM TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE CONSULTORIA DE GESTÃO DE NEGÓCIOS. Contatos Domingos Sávio de Carvalho (Gerente Operacional do Projeto)

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional CONSULTOR SÊNIOR Número e Título do Projeto: BRA/09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo

Leia mais

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr.

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr. A Chave para o Sucesso Empresarial José Renato Sátiro Santiago Jr. Capítulo 1 O Novo Cenário Corporativo O cenário organizacional, sem dúvida alguma, sofreu muitas alterações nos últimos anos. Estas mudanças

Leia mais

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob;

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob; 1. Esta Política institucional de gestão de pessoas: Política institucional de gestão de pessoas a) é elaborada por proposta da área de Gestão de Pessoas da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob

Leia mais

SEBRAEtec Diferenciação

SEBRAEtec Diferenciação SEBRAEtec Diferenciação REGULAMENTO Investir em inovação tecnológica é fundamental para a competitividade das micro e pequenas empresas gaúchas. 2 2014 Mais recursos para as MPEs representam mais desenvolvimento

Leia mais

Política de Logística de Suprimento

Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento 5 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas Eletrobras, através da integração

Leia mais

FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Programa de Inovação Tecnologica FIESP CIESP - SENAI Sede Fiesp 2013 Chave para a competitividade das empresas e o desenvolvimento do país Determinante para o aumento

Leia mais

No Brasil, a Shell contratou a ONG Dialog para desenvolver e operar o Programa, que possui três objetivos principais:

No Brasil, a Shell contratou a ONG Dialog para desenvolver e operar o Programa, que possui três objetivos principais: PROJETO DA SHELL BRASIL LTDA: INICIATIVA JOVEM Apresentação O IniciativaJovem é um programa de empreendedorismo que oferece suporte e estrutura para que jovens empreendedores de 18 a 30 anos desenvolvam

Leia mais

NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA SERVIÇOS TÉCNICOS ESPECIALIZADOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DOS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NOS INSTITUTOS QUE OPERAM NO ÂMBITO DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CONTRATO 189-01/2012 RELATÓRIO 1 30.09.2012

Leia mais

SÍNTESE DO PLANO DE TRABALHO

SÍNTESE DO PLANO DE TRABALHO SÍNTESE DO PLANO DE TRABALHO Titulo do Projeto: CENTRO DE INOVAÇÃO & DIFUSÃO TECNOLÓGICA Convênio: SCIT 24/2013 Processo: 413-2500/13-5 Modalidade: Edital [02/2013 ] Situação: Em consolidação APRESENTAÇÃO

Leia mais

Manual de Elaboração do Plano Gerencial dos Programas do PPA 2004-2007

Manual de Elaboração do Plano Gerencial dos Programas do PPA 2004-2007 Manual de Elaboração do Plano Gerencial dos Programas do PPA 2004-2007 Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos Ministério do Planejamento Manual de Elaboração do Plano Gerencial dos Programas

Leia mais

Prepare-se para uma viagem em

Prepare-se para uma viagem em Prepare-se para uma viagem em que você poderá:. conhecer diversas culturas e perspectivas,. desenvolver novas competências,. participar de uma organização estadual,. obter uma rede de contatos diferenciada,

Leia mais

Inovação, ação inovadora e financiamento à inovação. IEL/ES junho de 2009 INOVA FINDES

Inovação, ação inovadora e financiamento à inovação. IEL/ES junho de 2009 INOVA FINDES Inovação, ação inovadora e financiamento à inovação IEL/ES junho de 2009 INOVA FINDES Inovação introdução de novidade ou aperfeiçoamento no ambiente produtivo ou social que resulte em novos produtos, processos

Leia mais

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO 1.1 POLíTICA AMBIENTAL 1.1 - Política Ambiental - Como está estabelecida e documentada a política e os objetivos e metas ambientais dentro da organização? - A política é apropriada à natureza e impactos

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE ASSESSORIA E CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO, ELABORAÇÃO DE PROJETOS E PLANO DE NEGÓCIOS. Contatos Valter Fernandes (Gerente do Projeto)

Leia mais

RELATÓRIO DE ANÁLISE. Edital Nº 04/2012 PROGRAMA RS TECNÓPOLE DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA E DE INDÚSTRIA CRIATIVA APRESENTAÇÃO

RELATÓRIO DE ANÁLISE. Edital Nº 04/2012 PROGRAMA RS TECNÓPOLE DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA E DE INDÚSTRIA CRIATIVA APRESENTAÇÃO RELATÓRIO DE ANÁLISE Edital Nº 04/2012 PROGRAMA RS TECNÓPOLE DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA E DE INDÚSTRIA CRIATIVA Gestor do Projeto Carlos Oberdan Rolim COREDE APRESENTAÇÃO Conselho Regional

Leia mais

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS.

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. DIPLOMA CONFERIDO: TECNÓLOGO DE

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE GERÊNCIA DE CONTROLE DE TESOURARIA ANÁLISE DE RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG Belo Horizonte 01 de Julho de 2008 1 SUMÁRIO 1. Introdução...02

Leia mais

e) visa estabelecer diretrizes aplicáveis ao posicionamento estratégico de comunicação e marketing das entidades integrantes do Sicoob.

e) visa estabelecer diretrizes aplicáveis ao posicionamento estratégico de comunicação e marketing das entidades integrantes do Sicoob. 1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing: Política Institucional de Comunicação e Marketing a) é elaborada por proposta da área de Comunicação e Marketing da Confederação Nacional das

Leia mais

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos Disseminar a cultura empreendedora e inovadora em Santa Maria Ações de disseminação da Cultura Empreendedora Ações de trabalho conjunto entre Universidades e Comunidade Divulgação do trabalho pelo CEI

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROJETOS COMUNITÁRIOS

ELABORAÇÃO DE PROJETOS COMUNITÁRIOS ELABORAÇÃO DE PROJETOS COMUNITÁRIOS 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 R O T E I R O P A R A E L A B O R A Ç Ã O D E P R O J E T O PROJETO SOCIAL 1. IDENTIFICAÇÃO Nome do Projeto: Instituição

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350

POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 462, de 10/09/2012. VIGÊNCIA: 10/09/2012 POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350 1/6 ÍNDICE

Leia mais

Projeto Empreendedores Cívicos

Projeto Empreendedores Cívicos Projeto Empreendedores Cívicos I. Conceito Empreendedores Cívicos são agentes de inovação social que fomentam e promovem transformações positivas em benefício da coletividade rumo a um Brasil Sustentável.

Leia mais

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE CULTURA - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS"

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE CULTURA - A SANTA MARIA QUE QUEREMOS Elaborar o projeto do Plano Municipal de Projeto do Plano Projeto realizado Cultura com ampla participação dos setores da sociedade Conferência Municipal de Cultura Conferência realizada PLANILHA DE OBJETIVOS

Leia mais

Projeto de Apoio a Inserção Internacional de. São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009

Projeto de Apoio a Inserção Internacional de. São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009 Projeto de Apoio a Inserção Internacional de MPE s Brasileiras Calçadistas do APL de São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009 Identificar OBJETIVOS DA AÇÃO e solucionar gargalos na gestão das empresas, principalmente

Leia mais

EDITAL E REGULAMENTO DE CHAMADA PÚBLICA ITFETEP

EDITAL E REGULAMENTO DE CHAMADA PÚBLICA ITFETEP SUMÁRIO OBJETIVO... 2 1. DAS PROPOSTAS... 2 2. PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÃO, PARTICIPAÇÃO E SELEÇÃO DE PROPOSTAS E PROJETOS... 4 3. CRITÉRIOS PARA SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS E PROJETOS... 4 4. DA CLASSIFICAÇÃO...

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico A decisão pela realização do Planejamento Estratégico no HC surgiu da Administração, que entendeu como urgente formalizar o planejamento institucional. Coordenado pela Superintendência

Leia mais

Bota pra Fazer: Negócios de Alto Impacto.

Bota pra Fazer: Negócios de Alto Impacto. Bota pra Fazer: Negócios de Alto Impacto. Instituto Educacional BM&FBOVESPA e Endeavor: Negócios de Alto Impacto. Com reconhecida experiência, o Instituto Educacional BM&FBOVESPA, a Escola de Negócios

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Conteúdo

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Conteúdo Conteúdo O Instituto Ethos Organização sem fins lucrativos fundada em 1998 por um grupo de empresários, que tem a missão de mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios de forma socialmente

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

ANÁLISE DAS PROPOSTAS APRESENTADAS NO PLANO DE GESTÃO E AVANÇOS REALIZADOS

ANÁLISE DAS PROPOSTAS APRESENTADAS NO PLANO DE GESTÃO E AVANÇOS REALIZADOS RELATÓRIO DE GESTÃO DA DIRETORIA DA FANUT REFERENTE AO PERÍODO DE 2011-2012: Estruturando a Faculdade de Nutrição como Unidade Acadêmica no âmbito da UNIFAL-MG DIRETORIA: Profa. Cristina Garcia Lopes Diretora

Leia mais

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM)

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) A extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula, amplia, desenvolve e reforça o ensino e a pesquisa,

Leia mais

COMO VENCER ESSES DESAFIOS?

COMO VENCER ESSES DESAFIOS? ONDE ESTÃO NOSSOS RECURSOS HUMANOS PARA INOVAÇÃO Apenas 30% dos pesquisadores estão na iniciativa privada Alocação dos Pesquisadores por setor - 2009 e 2010 (%) 100% 0% Empresas Governo Academia Setor

Leia mais

Pequenas e Médias Empresas no Chile. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios

Pequenas e Médias Empresas no Chile. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios Pequenas e Médias Empresas no Chile Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios A Lei nº 20.416 estabelece regras especiais para as Empresas de Menor Tamanho (EMT).

Leia mais

Reunião de Abertura do Monitoramento 2015. Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO

Reunião de Abertura do Monitoramento 2015. Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO Reunião de Abertura do Monitoramento 2015 Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO Roteiro da Apresentação 1. Contextualização; 2. Monitoramento; 3. Processo de monitoramento;

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 2/11 Sumário 1. Conceito... 3 2. Objetivo... 3 3. Áreas de aplicação... 3 4. Diretrizes... 4 4.1 Princípios... 4 4.2 Estratégia de e Responsabilidade

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Startup Garagem Um programa de modelagem de negócios. RAIAR Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS

Startup Garagem Um programa de modelagem de negócios. RAIAR Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS Startup Garagem Um programa de modelagem de negócios RAIAR e Inovação da PUCRS TECNOPUC Parque Científico e Tecnológico da PUCRS Porto Alegre, abril de 2015 1. Apresentação da Incubadora Raiar A e Inovação

Leia mais

COMO TORNAR-SE UM FRANQUEADOR

COMO TORNAR-SE UM FRANQUEADOR COMO TORNAR-SE UM FRANQUEADOR O que é Franquia? Objetivo Esclarecer dúvidas, opiniões e conceitos existentes no mercado sobre o sistema de franquias. Público-Alvo Empresários de pequeno, médio e grande

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 1 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL METALMECANICO GRANDE ABC

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL METALMECANICO GRANDE ABC ARRANJO PRODUTIVO LOCAL METALMECANICO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2010 SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA GESTÃO FINANCEIRA EM CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA. Contatos Luiz Augusto Gonçalves de

Leia mais

OIT DESENVOLVIMENTO DE EMPRESA SOCIAL: UMA LISTA DE FERRAMENTAS E RECURSOS

OIT DESENVOLVIMENTO DE EMPRESA SOCIAL: UMA LISTA DE FERRAMENTAS E RECURSOS OIT DESENVOLVIMENTO DE EMPRESA SOCIAL: UMA LISTA DE FERRAMENTAS E RECURSOS FERRAMENTA A QUEM É DESTINADA? O QUE É O QUE FAZ OBJETIVOS Guia de finanças para as empresas sociais na África do Sul Guia Jurídico

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: Professora Nair Luccas Ribeiro Código: 156 Município: Teodoro Sampaio Eixo Tecnológico: Gestão de Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Administração

Leia mais

TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas

TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas NORMA INTERNA TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas NÚMERO VERSÃO DATA DA PUBLICAÇÃO SINOPSE Dispõe sobre

Leia mais

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto TÍTULO DO PROJETO: Fortalecimento da capacidade institucional com vistas a melhoria dos processos de monitoramento e avaliação dos programas de fomento voltados para a Educação Básica e para o Ensino Superior

Leia mais