Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores REALIZAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores REALIZAÇÃO"

Transcrição

1 Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores REALIZAÇÃO

2 OBJETIVO GERAL ESTABELECER E IMPLEMENTAR UM MODO INTEGRADO PARA O DESENVOLVIMENTO E QUALIFICAÇÃO DOS FORNECEDORES DAS PRINCIPAIS EMPRESAS INSTALADAS NO ESPÍRITO SANTO. OBJETIVOS ESPECÍFICOS INTEGRAR A AÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES; FAVORECER O RELACIONAMENTO ENTRE FORNECEDORES E COMPRADORES; MELHORIA DA QUALIDADE DE PRODUTOS E SERVIÇOS A PREÇOS COMPETITIVOS; POSSIBILITAR O INTERCÂMBIO DE INFORMAÇÕES ENTRE AS GRANDES EMPRESAS A RESPEITO DE FORNECEDORES; E DEFINIÇÃO DE REQUISITOS MÍNIMOS PARA A QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES.

3 A CRIAÇÃO DO PRODFOR Atuação isolada das empresas Convite da Aracruz ao IEL Desafio da Findes às empresas ACEITE Planejamento Lançamento em Lançamento em Projeto piloto 4 empresas metalmecânica, eletroeletrônica e serviços Evento de certificação empresas Programa Permanente EVOLUÇÃO DO PRODFOR Desenvolvimento Desenvolvimento Fornecedores Fornecedores Desenvolvimento Desenvolvimento Fornecedores Fornecedores Desenvolvimento Desenvolvimento Fornecedores Fornecedores 1 1 Desenvolvimento Desenvolvimento Fornecedores Fornecedores Desenvolvimento Desenvolvimento Fornecedores Fornecedores 3 3 Desenvolvimento Desenvolvimento Fornecedores Fornecedores 4 4 Desenvolvimento Desenvolvimento Fornecedores 5 Fornecedores 5

4 NÚMERO DE EMPRESAS QUADRO GERAL DE EMPRESAS PARTICIPANTES - CERTIFICAÇÃO Não Certificadas Certificadas Empresas Grupo fornecedores Indicadas Adesão Certificadas Desligadas Desistentes Tempor Total posteriormente Certifcadas Total BENEFÍCIOS EMPRESAS FORNECEDORES EMPRESAS MANTENEDORAS SISTEMA ÚNICO DE QUALIDADE ASSEGURADA- SGQF ; REDUÇÃO O ESFORÇO E CUSTO DE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DA QUALIDADE; REDUÇÃO DE ESFORÇOS E CUSTOS COM QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES; INTEGRAR O MODO E PROCESSO DE FORNECIMENTO MELHORIA DE SUA ORGANIZAÇÃO E CONDIÇÕES DE FORNECIMENTO; CLAREZA NOS CRITÉRIOS DO SISTEMA DA QUALIDADE; E INTERCÂMBIO ENTRE SUAS ÁREAS DE SUPRIMENTOS; DISPOR DE INFORMAÇÕES ATUALIZADAS E COMPLETAS SOBRE FORNECEDORES; E AMPLIAÇÃO DE SEU MERCADO DE ATUAÇÃO. MELHORIA DA QUALIDADE DE SERVIÇOS E ITENS FORNECIDOS.

5 ATORES ENVOLVIDOS EMPRESAS FORNECEDORAS Fornecedores Fornecedores de de bens bens e serviços serviços Sede Sede e gestão gestão no no Estado Estado Propósito maior: Criação de uma adequada relação de fornecimento EMPRESAS MANTENEDORAS Grandes Grandes empresas empresas com com significativo significativo potencial potencial de de compra compra INSTITUTO INSTITUTO EUVALDO EUVALDO LODI LODI IEL-ES IEL-ES FEDERAÇÃO FEDERAÇÃO DAS DAS INDÚSTRIAS INDÚSTRIAS DO DO ESP. ESP. SANTO SANTO FINDES FINDES PAPEL DAS EMPRESAS MANTENEDORAS COORDENAÇÃO GERAL; APROVAÇÃO FINAL E GESTÃO; INDICAÇÃO DOS FORNECEDORES; CUSTEIO DO PROGRAMA; E REALIZAÇÃO DAS AUDITORIAS.

6 PAPEL DOS FORNECEDORES ADESÃO E COMPROMETIMENTO; ORGANIZAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DO SGQF; CUSTEIO DA ORGANIZAÇÃO; ACEITAR AS REGRAS DO PRODFOR; E MANTER O SGQF. PAPEL DO IEL COORDENAÇÃO EXECUTIVA; SECRETARIA; CONSULTORIA AS FORNECEDORAS; APOIO E CONTROLE DE AUDITORIAS; APOIO METODOLÓGICO; E GESTÃO FINANCEIRA.

7 PAPEL DA FINDES APOIO POLÍTICO INSTITUCIONAL; INFRA-ESTRUTURA; E GESTÃO ESTRATÉGICA. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL COMITÊ ESTRATÉGICO COMITÊ EXECUTIVO COORDENAÇÃO EXECUTIVA GRUPO TÉCNICO SECRETARIA

8 ATIVIDADES E REGRAS DO PRODFOR MACRO FLUXO DE ATIVIDADES PLANO ANUAL INDICAÇÃO DE FORNECEDOR DESENVOLVIMENTO Diagnóstico empresarial Cursos Seminários Consultoria Avaliação Diagnóstico SGQ Preparação certificação QUALIFICAÇÃO Auditorias CERTIFICAÇÃO MANUTENÇÃO

9 ATIVIDADES PARA OS FORNECEDORES INDICAÇÃO E SELEÇÃO DE FORNECEDORES SEMINÁRIO DE APRESENTAÇÃO ACEITE DOS FORNECEDORES DIAGNÓSTICO DO FORNECEDOR PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO FORNECEDOR DESENVOLVIMENTO DOS FORNECEDORES AVALIAÇÃO DOS FORNECEDORES CERTIFICAÇÃO INDICAÇÃO DE FORNECEDORES DE RESPONSABILIDADE DAS EMPRESAS MANTENEDORAS; É POSSÍVEL HAVER CANDIDATURAS DE FORNECEDORES; COTA DE FORNECEDORES - OS CUSTOS RELACIONADOS AO PRODFOR SÃO BANCADOS PELAS EMPRESAS MANTENEDORAS; OUTROS FORNECEDORES ALÉM DA COTA - CUSTOS ASSUMIDOS PELA MANTENEDORA QUE FEZ A INDICAÇÃO; PARA FINS DE CERTIFICAÇÃO NÃO EXISTE DIFERENÇA ENTRE OS FORNECEDORES COTA E EXTRA COTA; E OS FORNECEDORES SÃO APROVADOS PELO COMITÊ EXECUTIVO.

10 SEMINÁRIO DE APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO DO PRODFOR E DAS ATIVIDADES DE DESENVOLVIMENTO DOS FORNECEDORES; ESCLARECIMENTO DE DÚVIDAS; COMPROMISSO DOS FORNECEDORES; E DEFINIÇÃO DOS FORNECEDORES. O ACEITE DOS FORNECEDORES O ACEITE DA PARTICIPAÇÃO: ASSINATURA DO TERMO DE ADESÃO ENTREGUE DENTRO DO PRAZO ESTABELECIDO; O FORNECEDOR INDICADO PASSA A SER DENOMINADO DE FORNECEDOR EM DESENVOLVIMENTO ; É ASSUMIDO O COMPROMISSO DE ORGANIZAR O SGQF ATÉ SETEMBRO DE 6; SERÁ SUBMETIDO A UMA AUDITORIA DE CERTIFICAÇÃO EM OUTUBRO OU NOVEMBRO DE 6; TAMBÉM ASSUME O COMPROMISSO DE MANTER O SGQF APÓS A CERTIFICAÇÃO.

11 DIAGNÓSTICO DO FORNECEDOR ATIVIDADE COMPULSÓRIA INDEPENDENTE DO NÍVEL DE ORGANIZAÇÃO DO FORNECEDOR; REALIZADO PELA EQUIPE DO IEL-ES; IDENTIFICA A SITUAÇÃO ATUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE E ORGANIZAÇÃO DO FORNECEDOR; E RELATÓRIO DOCUMENTADO. PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO REALIZADO PELO IEL-ES; APROVAÇÃO PELO COMITÊ EXECUTIVO DO PRODFOR; E DEFINE AS AÇÕES QUE O FORNECEDOR DEVE DESENVOLVER PARA SER QUALIFICADO.

12 DESENVOLVIMENTO DOS FORNECEDORES IMPLEMENTAÇÃO DAS AÇÕES DEFINIDAS NO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO; O IEL-ES É O ÓRGÃO OFICIAL DE DESENVOLVIMENTO DOS FORNECEDORES; OBJETIVA ORGANIZAR E IMPLANTAR O SGQF; O IEL-ES DESENVOLVEU UM MÉTODO COLETIVO PARA IMPLANTAÇÃO DO SGQF; O FORNECEDOR PODERÁ FAZER USO DE MÉTODOS PRÓPRIOS PARA DESENVOLVER O SEU SGQF: ELABORAÇÃO DE PLANO PELO FORNECEDOR; E É COMPULSÓRIA A VISITA MENSAL DE UM TÉCNICO DO IEL-ES. ACOMPANHAMENTO DO DESENVOLVIMENTO DOS FORNECEDORES REALIZAÇÃO DE ENCONTROS TÉCNICOS (JUNHO E AGOSTO); O OBJETIVO É PROMOVER UMA APROXIMAÇÃO COM AS EMPRESAS MANTENEDORAS E FAZER O ACOMPANHAMENTO DO DESENVOLVIMENTO DOS FORNECEDORES; PARTICIPAM 5 FORNECEDORES CONVIDADOS QUE TIVERAM A MELHOR MÉDIA NA AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO; E PRESENÇA OBRIGATÓRIA.

13 AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES Avaliação mensal dos fornecedores pela equipe técnica do IEL-ES; Relatório escrito sendo entregue uma cópia para a direção da empresa; Essa avaliação é analisada nas reuniões ordinárias do Comitê Executivo; Pontuação de a 1; Nota entre 7 e 1: desenvolvimento satisfatório; Nota menor de 7 até 5 pontos: desenvolvimento regular; Nota menor que 5: desenvolvimento insuficiente; e Nota menor que 5 por três meses - o fornecedor será desligado do programa e classificado como não qualificado. QUALIFICAÇÃO DOS FORNECEDORES Realização de auditoria de certificação do Prodfor; Realizadas em outubro ou novembro de 6 de acordo com um programa de auditoria; É realizada por auditores durante dias; Envolve as instalações do fornecedor e ainda as obras e serviços realizados nas empresas mantenedoras (caso existam); e O resultado é analisado pelo Grupo Técnico e aprovado pelo Comitê Executivo.

14 CERTIFICAÇÃO Decisão do Comitê Executivo baseado nos resultados das auditorias; O certificado tem validade anos; Auditorias de manutenção em 1 meses; Os custos de auditorias periódicas são bancados pelos fornecedores; e Caso o fornecedor qualificado obtenha a certificação pela norma ISO 91, o certificado do Prodfor é mantido, sendo abolida a realização de auditorias pelo Prodfor. EVENTO DE CERTIFICAÇÃO Evento a ser realizado em dezembro de 6; Participação da direção das empresas mantenedoras; Entrega dos certificados aos fornecedores qualificados; e Anúncio dos novos fornecedores.

15 DESENVOLVIMENTO E QUALIFICAÇÃO DOS FORNECEDORES DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES PREPARAR PREPARAR OS OS FORNECEDORES PARA PARA ATENDER ATENDER AOS AOS REQUISITOS REQUISITOS DO DO PRODFOR, PRODFOR, CAPACITANDO CAPACITANDO SUAS SUAS EQUIPES EQUIPES E PRESTANDO PRESTANDO CONSULTORIA CONSULTORIA PARA PARA SEREM SEREM QUALIFICADOS PELO PELO PRODFOR. PRODFOR.

16 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM FORNECIMENTO - SGQF REQUISITOS QUE O FORNECEDOR DEVE ATENDER, VISANDO ESTABELECER UM MODO DE DE ORGANIZAÇÃO QUE ASSEGURE A QUALIDADE DE DE SEUS PRODUTOS E SERVIÇOS, BUSCANDO A SATISFAÇÃO DE DE SEUS CLIENTES: EMPRESAS MANTENEDORAS SGQF 1 MESMO TEXTO DA NORMA ISO 91: ACRESCIDO DOS ITENS COMPLEMENTARES: MEIO AMBIENTE; E SEGURANÇA NO TRABALHO. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM FORNECIMENTO - SGQF DEFINIÇÃO DE POLÍTICA E OBJETIVOS DA QUALIDADE ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E DEFINIÇÃO DE RESPONSABILIDADES; DEFINIÇÃO E ORGANIZAÇÃO DOS PROCESSOS; DEFINIÇÃO DE MÉTODOS E PROCEDIMENTOS; CAPACITAÇÃO DOS COLABORADORES; RECURSOS NECESSÁRIOS PARA IMPLEMENTAR A GESTÃO DA QUALIDADE; AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO; E IMPLEMENTAR AÇÕES NECESSÁRIAS.

17 ESTRUTURA E DOCUMENTAÇÃO DO SGQF 1 MANUAL DA QUALIDADE PROCEDIMENTOS 3 INSTRUÇÕES 4 REGISTROS IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DA QUALIDADE ESTRUTURAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO SGQF DOCUMENTAÇÃO REVISÃO DISTRIBUIÇÃO ANÁLISE CRÍTICA SGQ TREINAMENTO CORREÇÃO AUDITORIA INTERNA DA QUALUDADE USO

18 REQUISITOS DO SGQF PARTE INICIAL 4 - INTRODUÇÃO --SISTEMA DE DE GESTÃO DA DA QUALIDADE 1 - OBJETIVO REQUISITOS --RESPONSABILIDADE GERAIS; E DA DA DIREÇÃO - REFERÊNCIA REQUISITOS 6 - COMPROMETIMENTO NORMATIVA DE DOCUMENTAÇÃO DA DIREÇÃO --GESTÃO DE DE RECURSOS 3 - TERMOS E FOCO DEFINIÇÕES -7 NO CLIENTE PROVISÃO --REALIZAÇÃO DE RECURSOS DE DE PRODUTO POLÍTICA - DA QUALIDADE 7.1 RECURSOS -8 HUMANOS PLANEJAMENTO --MEDIÇÃO, ANÁLISE DA REALIZAÇÃO E MELHORIA DO PLANEJAMENTO - INFRA-ESTRUTURA PRODUTO RESPONSABILIDADE, - 7. AMBIENTE - PROCESSOS REQUISITOS --MEIO MEIO AMBIENTE DE TRABALHO RELACIONADOS AUTORIDADE GERAIS E AO CLIENTE 8. - MEDIÇÃO E MONITORAMENTO COMUNICAÇÃO PROJETO 1 E DESENVOLVIMENTO CONTROLE 1 --SEGURANÇA DO DE PRODUTO DO TRABALHO NÃO CONFORME ANÁLISE AQUISIÇÃO CRÍTICA PELA DIREÇÃO ANÁLISE DE DADOS PRODUÇÃO E FORNECIMENTO DE SERVIÇOS MELHORIAS CONTROLE DE DISPOSITIVOS DE MEDIÇÃO E MONITORAMENTO AUDITORIAS CERTIFICAÇÃO ACOMPANHAMENTO PERIÓDICA EXTRAORDINÁRIA

19 RESULTADOS OBTIDOS AUDITORIAS REALIZADAS PELO PRODFOR NÚMERO DE AUDITORIAS ANO DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES DO PRODFOR

20 DESENVOLVIMENTO PARA FORNECEDORES DO PRODFOR DIAGNÓSTICO DA ORGANIZAÇÃO DO FORNECEDOR; CURSO SOBRE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE; 1 SEMINÁRIOS PARA APRESENTAÇÃO DOS ELEMENTOS DO SGQF; ASSISTÊNCIA ÀS EMPRESAS - VISITAS DE CONSULTORES; AUDITORIAS INTERNAS E ANÁLISE CRÍTICA ; DIAGNÓSTICOS DE VERIFICAÇÃO DO SGQF; AJUSTES NO SGQF; E PREPARATIVOS PARA CERTIFICAÇÃO. QUADRO DE SEMINÁRIOS DOS ITENS DO SGQF SEMINÁRIO S1 S S3 S4 S5 S6 S7 S8 S9 S1 DENOMINAÇÃO Organização do SGQF Documentação do SGQF Responsabilidade da Direção Gestão de Recursos Processos Relacionados a Clientes e Satisfação dos Clientes Projeto e Aquisição Controle e Fornecimento do Serviço Controle de Dispositivos de Medição e Monitoramento, Meio Ambiente e Segurança no Trabalho Medição de Processo, Produto Não Conforme e Análise de Dados Auditoria Interna da Qualidade e Melhorias

21 OBSERVAÇÕES IMPORTANTES RESPOSTA DOS FORNECEDORES AO PRODFOR: TERMO DE ADESÃO ASSINADO ATÉ ; E RESPOSTA DA PROPOSTA DE SERVIÇO DO IEL ATÉ ASSINATURA E ENTREGA DE UMA VIA. INÍCIO DAS ATIVIDADES SEMINÁRIO DE PLANEJAMENTO. CURSO DE GESTÃO DA QUALIDADE. SEMINÁRIO I: ORGANIZAÇÃO DO SGQF. SEMINÁRIO II: DOCUMENTAÇÃO DO SGQF. DIAGNÓSTICO: NOVEMBRO A DEZEMBRO.

22 PESQUISA DE RESULTADOS PRODFOR - A ORGANIZAÇÃO DA EMPRESA % Melhorou e muito 3% Melhorou 68% Continua a mesma coisa Piorou

23 O FATURAMENTO DA EMPRESA % 4% Melhorou e muito Melhorou 45% 51% Continua a mesma coisa Piorou APÓS O VENCIMENTO DA VALIDADE DO CERTIFICADO 6% 5% 4% 3% 47% 38% % 1% % 6% 9% Renovar o certificado, mesmo com o custo das auditorias Não renovar o certificado devido aos custos das auditorias Manter o certificado do Prodfor e obter o certificado ISO 9 Sair do Prodfor e obter o certificado ISO 9

24 PESQUISA DE RESULTADOS PRODFOR - 6 O motivo da sua participação no Prodfor foi: Motivo da participação no Prodfor % Convidado mantenedora Candidato Convidado outras mantenedoras Outro

25 A sua maior expectativa em participar do Prodfor na ocasião da sua adesão Expectativa em participar do Prodfor % Melhoria da organização Ampliação vendas Atender outras mantenedoras Certificado baixo custo O maior benefício que você obteve com a certificação foi: Maior benefício % Melhorar a organização Aumento faturamento Outros clientes Vendas outras mantenedoras

26 Com a sua certificação a organização da sua empresa Organização da empresa % Melhorou muito Melhorou Mes ma Piorou Com sua certificação o faturamento da sua empresa Faturamento da empresa % Melhorou muito Melhorou Mes mo Piorou

27 Com a sua certificação os custos da sua empresa Os custos da empresa % Aumentaram Reduziram Mes mo Reduziram muito Com a sua certificação o número de empresas compradoras do Prodfor atendidas por sua Número de empresas mantenedoras atendidas % Aumentou bastante Diminuiu Mes mo Aumentou

28 Após o vencimento da validade do seu certificado do Prodfor você pretende: Pretenções após vencimento % Renovar Não renovar - custo Manter e obter ISO Sair e obter ISO Não renovar - outros DIVULGAÇÃO

29 DIVULGAÇÃO VÍDEO INSTITUCIONAL; VÍDEO DOS EVENTOS DE CERTIFICAÇÃO; REVISTA DO PRODFOR; FOLDER; SITE (WWW.PRODFOR.COM.BR); E EVENTOS. REVISTA DO PRODFOR

30 PERSPECTIVAS FUTURAS Ampliação Ampliação do do nº nº de de fornecedores fornecedores Níveis Níveis de de Maturidade Maturidade Portal Portal de de informações informações Exigência Exigência de de certificação certificação CST Aracruz Samarco Certificação Certificação complementar complementar Ambiental Saúde e Segurança Responsabilidade Social Avaliação Avaliação do do desempenho desempenho TELEFONE

31

APRESENTAÇÃO INICIAL. Empresa: IMAGO Norma: ISO 9001:2008

APRESENTAÇÃO INICIAL. Empresa: IMAGO Norma: ISO 9001:2008 APRESENTAÇÃO INICIAL Empresa: IMAGO Norma: ISO 9001:2008 IMAGO Consultoria M.E Colaborou com a certificação de empresas em diversas áreas: Metalúrgica Têxtil Médica Educação Terceirização de mão de obra

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

livros indicados e / ou recomendados

livros indicados e / ou recomendados Material complementar. Não substitui os livros indicados e / ou recomendados Prof. Jorge Luiz - 203 Pág. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE - SGQ Sistema de Gestão da Qualidade SGQ é a estrutura a ser criada

Leia mais

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS SELO ABRAIDI Programa de BPADPS Reuniões: Julho a Agosto de 2010 Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Implantes PAUTA * OBJETIVOS * ASPECTOS FUNDAMENTAIS * HISTÓRICO * SITUAÇÃO ATUAL

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Adilson Sérgio Nicoletti Blumenau, SC - setembro de 2001 Conteúdo Apresentação

Leia mais

Estrutura da ISO DIS 9001/2015 ISO/TC 176/SC 2 Document N1224, July 2014

Estrutura da ISO DIS 9001/2015 ISO/TC 176/SC 2 Document N1224, July 2014 Prefácio Introdução 0.1 Generalidades 0.2 As normas ISO para gestão da qualidade 0.3 Abordagem de processo 0.4 Ciclo PDCA 0.5 Pensamento baseado em risco Estrutura da ISO DIS 9001/2015 0.6 Compatibilidade

Leia mais

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira NBR ISO 9001:2008 Sistema de Gestão da Qualidade Prof. Marcos Moreira História International Organization for Standardization fundada em 1947, em Genebra, e hoje presente em cerca de 157 países. Início

Leia mais

ISO 9001 2008 FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT. Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade.

ISO 9001 2008 FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT. Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade. FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade. ISO 9001 2008 Carolina Rothe Luiz Gustavo W. Krumenauer Paulo Emílio Paulo Saldanha Relação das principais normas da Série

Leia mais

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão A ISO 9001 em sua nova versão está quase pronta Histórico ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA As normas da série ISO 9000 foram emitidas pela primeira vez no

Leia mais

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Anexo A (informativo) Correspondência entre, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Tabela A.1 - Correspondência entre, ISO 14001:1996 e ISO 9001:1994 Seção Seção ISO 14001:1996 Seção ISO 9001:1994

Leia mais

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão 1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão ISO 9001:2015 Histórico da série 2 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão Histórico da série REVISÕES DA SÉRIE ISO 9000 2000 2008 2015 1994 1987 3 2009 CBG Centro Brasileiro

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente MMA. Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2)

Ministério do Meio Ambiente MMA. Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2) Ministério do Meio Ambiente MMA Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2) Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA Termo de Referência PNMA nº 02/2013 O presente

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

PROPOSTA DE ANÁLISE DIAGNÓSTICA E GESTÃO DO HOSPITAL MATERNIDADE SÃO CAMILO

PROPOSTA DE ANÁLISE DIAGNÓSTICA E GESTÃO DO HOSPITAL MATERNIDADE SÃO CAMILO 1 PROPOSTA DE ANÁLISE DIAGNÓSTICA E GESTÃO DO HOSPITAL MATERNIDADE SÃO CAMILO Proposta: 004/2013 Interessado: Fundação Hospitalar e Maternidade São Camilo Datada Emissão: 16/09/2013 Unidade Instituto Solidário:

Leia mais

Prof. Adilson Spim Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 1

Prof. Adilson Spim Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 1 Certificação NBR Requisitos A partir da versão 1994, a série ISO 9000 passou a ser conhecida como família ISO 9000 ; leva em conta duas situações, a contratual e não contratual; Para a situação não contratual

Leia mais

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 1 de 20 Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 2 de 20 Título Manual da Qualidade Folha: 3 de 20 Índice 1. Apresentação...

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

M A N U A L D A Q U A L I D A D E

M A N U A L D A Q U A L I D A D E M A N U A L D A Q U A L I D A D E 14ª Versão Última atualização: MANUAL DA QUALIDADE - Rev. Data Elaborado por Descrição da alteração 01 10/06/2012 Hélio Lipiani Versão Inicial 02 20/07/2010 Hélio Lipiani

Leia mais

Abertura do Evento Sr. Wanderley Sigali - Diretor Executivo Gristec

Abertura do Evento Sr. Wanderley Sigali - Diretor Executivo Gristec KEYASSOCIADOS 1 PROGRAMAÇÃO Abertura do Evento Sr. Wanderley Sigali - Diretor Executivo Gristec Apresentação Institucional KEYASSOCIADOS Sr. Francisco R. Ramires Gerente Comercial - KEY Apresentação NBR

Leia mais

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Videoconferência Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Data: 22 e 24 de março de 2011 Objetivo Difundir a experiência da Embrapa Meio Ambiente com o processo de obtenção da certificação

Leia mais

Relatório de Atividade Técnica

Relatório de Atividade Técnica GOIÁS (SEAC-GO) Rua dos Bombeiros, Qd. 248, Lt. 12, 14 e 15 Parque Amazônia-Goiânia-GO CEP: 74835-210 CNPJ: 02.552.768/0001-01 Telefone: (62) 3218-5946 / 3218-5330 Pessoa de Contato: Rousilene Correa de

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO 9001:2008 ERRATA 1 Publicada em 11.09.2009 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ERRATA 1 Esta Errata 1 da ABNT NBR ISO 9001:2008 foi elaborada no Comitê Brasileiro da

Leia mais

Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015

Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015 2015 Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015 Texto traduzido e adaptado por Fernando Fibe De Cicco, Coordenador de Novos Projetos do QSP. Outubro de 2015. Matrizes de correlação entre a ISO

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA 1/10 INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA... 2 ABRANGÊNCIA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 3 1. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE:... 4 - MANUAL DA QUALIDADE... 4 Escopo do SGQ e definição dos clientes... 4 Política

Leia mais

Nani de Castro. Sumário. Resumo de Qualificações... 2. Atuação no Mercado... 3. Formação Profissional... 5. Contatos... 6.

Nani de Castro. Sumário. Resumo de Qualificações... 2. Atuação no Mercado... 3. Formação Profissional... 5. Contatos... 6. Sumário Resumo de Qualificações... 2 Atuação no Mercado... 3 Formação Profissional... 5 Contatos... 6 Página 1 de 6 Resumo de Qualificações Consultora responsável pela organização e gestão da RHITSolution,

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 Está em andamento o processo de revisão da Norma ISO 9001: 2015, que ao ser concluído resultará na mudança mais significativa já efetuada. A chamada família ISO 9000

Leia mais

Seminário Em Busca da Excelência 2008

Seminário Em Busca da Excelência 2008 Seminário Em Busca da Excelência 2008 IEL/SC - Implementação de sistema de gestão com base nos fundamentos da excelência Natalino Uggioni Maio, 2008 1 IEL em Santa Catarina Integrante da FIESC Federação

Leia mais

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Apresentação A AGM está se estruturando nos princípios da Qualidade Total e nos requisitos da Norma NBR ISO 9001:2000, implantando em nossas operações o SGQ Sistema

Leia mais

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para:

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: PARTE 2 Sistema de Gestão da Qualidade SGQ Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: Possibilitar a melhoria de produtos/serviços Garantir a satisfação

Leia mais

ASSET 55. Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa?

ASSET 55. Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa? Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa? Conselho de Administração / Alta Direção Nós estamos extraindo o maior valor possível dos nossos

Leia mais

Universidade Paulista

Universidade Paulista Universidade Paulista Ciência da Computação Sistemas de Informação Gestão da Qualidade Principais pontos da NBR ISO/IEC 12207 - Tecnologia da Informação Processos de ciclo de vida de software Sergio Petersen

Leia mais

1º FÓRUM DE TROCA DE EXPERIÊNCIAS: METODOLOGIAS E PROCESSOS NO DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES LOCAIS

1º FÓRUM DE TROCA DE EXPERIÊNCIAS: METODOLOGIAS E PROCESSOS NO DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES LOCAIS 1º FÓRUM DE TROCA DE EXPERIÊNCIAS: METODOLOGIAS E PROCESSOS NO DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES LOCAIS Programação 14:00 Abertura FIEMG 14:10 PDQF FIEMG 14:30 Pró-valor FIEMG 14:50 Anglo American 15:10

Leia mais

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação?

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação? O que é a norma ISO? Em linhas gerais, a norma ISO é o conjunto de cinco normas internacionais que traz para a empresa orientação no desenvolvimento e implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

Metodologia de implementação e certificação ISO20.000. Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa

Metodologia de implementação e certificação ISO20.000. Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa de implementação e certificação ISO20.000 Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa Por que estas organizações implementaram a ISO20.000? Alinhamento do negócio e TI Redução da exposição

Leia mais

IEL no Brasil. Integrante do Sistema Indústria. Criado em 1969 (presente nas 27 UFs e DF) Foco: Gestão

IEL no Brasil. Integrante do Sistema Indústria. Criado em 1969 (presente nas 27 UFs e DF) Foco: Gestão IEL no Brasil Integrante do Sistema Indústria Criado em 1969 (presente nas 27 UFs e DF) Foco: Gestão O diálogo constante com o setor produtivo faz do IEL uma das instituições mais atuantes no aperfeiçoamento

Leia mais

Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil

Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil 9000 8000 8690 7000 6000 5000 4000 3000 4709 3948 2000 1000 29 4 0 Indústria Comércio e Serviços Agropecuária Código Nace Inválido TOTAL Fonte: Comitê

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10 SUMÁRIO: Apresentação da ACEP 2 Missão da Empresa 3 Escopo e Justificativas de Exclusão 4 Comprometimento da Direção 5 Política da Qualidade 7 Objetivos de Qualidade 7 Fluxo de Processos 8 Organograma

Leia mais

Desenvolvimento de Empresas de TI pela ISO 29.110

Desenvolvimento de Empresas de TI pela ISO 29.110 Desenvolvimento de Empresas de TI pela ISO 29.110 O QUE É ISO 29.110? O que é a ISO 29.110? É um programa para a melhoria dos processos das empresas de TI, levando em consideração; Análise dos requisitos

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

Especificações Militares - WW2 NATO - AQAP'S ANSI / ASQC-C1 CAN. Z 299.1, 2, 3 and 4 BS 5750 inícial 80 s

Especificações Militares - WW2 NATO - AQAP'S ANSI / ASQC-C1 CAN. Z 299.1, 2, 3 and 4 BS 5750 inícial 80 s Desenvolvimento para a sua empresa, de forma SIMPLES, rápida e eficiente. Quem somos Experiência e Simplicidade Simples Soluções 14 anos de experiência, simplicidade e resultados! ASimples Soluções esta

Leia mais

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho (ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001) Prof. Livre Docente Otávio J. Oliveira UNESP CONTEXTUALIZAÇÃO - Diluição

Leia mais

Processo de elaboração dos indicadores do Sistema de Gestão da Qualidade voltados para Sustentabilidade na Construção Civil

Processo de elaboração dos indicadores do Sistema de Gestão da Qualidade voltados para Sustentabilidade na Construção Civil Processo de elaboração dos indicadores do Sistema de Gestão da Qualidade voltados para Sustentabilidade na Construção Civil QUEILA RODRIGUES Universidade Federal do Pampa andressalhamby@hotmail.com MAURÍCIO

Leia mais

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC Uma estrutura de apoio à Inovação Eliza Coral, Dr. Eng., PMP Outubro, 2010 Diretrizes Organizacionais Missão Contribuir para o desenvolvimento sustentável

Leia mais

II. Contexto organizacional. III. Funções / Principais Resultados Esperados TERMO DE REFERÊNCIA

II. Contexto organizacional. III. Funções / Principais Resultados Esperados TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA Assistente de Programa I. Informação sobre o posto LOCAL: Brasília, DF, Brasil Prazo de candidatura: De 20.04 a 10.05.2015 Tipo de contrato: Service Contract -( SB3-3 ) Nível do Posto

Leia mais

Programa Mineiro da Qualidade e Produtividade. Instituto Qualidade Minas

Programa Mineiro da Qualidade e Produtividade. Instituto Qualidade Minas Programa Mineiro da Qualidade e Produtividade Instituto Qualidade Minas ROTEIRO Quem Somos Produtos e Serviços PGQE Quem Somos PMQP - Programa Mineiro da Qualidade e Produtividade 1998 MISSÃO: Contribuir

Leia mais

---- --- --- Consultoria e Assessoria

---- --- --- Consultoria e Assessoria 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE SGQ. 4.1. Requisitos Gerais. A Protec estabelece, documenta e implementa o SGQ de acordo com os requisitos da NBR ISO 9001:2008. Para implementar o SGQ foi realizado um

Leia mais

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 ISO 9001:2000 Esta norma considera de forma inovadora: problemas de compatibilidade com outras normas dificuldades de pequenas organizações tendências

Leia mais

Módulo 2. Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios

Módulo 2. Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios Módulo 2 Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios Norma NBR ISO 9001:2008 - Índice 0 - Introdução 1 - Escopo 2 - Referência Normativa 3 -

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial FOCOS DE ATUAÇÃO Tema 8. Expansão da base industrial Para crescer, a indústria capixaba tem um foco de atuação que pode lhe garantir um futuro promissor: fortalecer as micro, pequenas e médias indústrias,

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Direitos Reservados Monteiro Associados

APRESENTAÇÃO. Direitos Reservados Monteiro Associados APRESENTAÇÃO PROPÓSITO Fazer a DIFERENÇA no DESENVOLVIMENTO saudável e sustentável das PESSOAS e das ORGANIZAÇÕES. VISÃO VISÃO DA EMPRESA TERMOS NOTÓRIO RECONHECIMENTO DA NOSSA COMPETÊNCIA NA GESTÃO DAS

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Elaborado por: GT Especial do ABNT/CB-25 Grupo de Aperfeiçoamento do

Leia mais

ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO

ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO PLANEJAMENTO, SEGMENTAÇÃO E AÇÕES DE PROMOÇÃO CASO ABIHPEC EIXOS ESTRATÉGICOS DO PROJETO DE (Resultado do Workshop out 2008) Objetivos Relacionados: 11 - AUMENTAR A DECLARAÇÃO

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

Fortus Consultoria Contábil Case Qualidade. Gestão de Resultados Solução Independente de Setor e Tamanho

Fortus Consultoria Contábil Case Qualidade. Gestão de Resultados Solução Independente de Setor e Tamanho Fortus Consultoria Contábil Case Qualidade Gestão de Resultados Solução Independente de Setor e Tamanho A Motivação da Busca de Programas de Qualidade 34 Experiência com manuais sobre qualidade em indústria

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

Profa. Ghislaine Miranda Bonduelle

Profa. Ghislaine Miranda Bonduelle Profa. Ghislaine Miranda Bonduelle ISO DIS 9001:2015 PREVISÃO : SETEMBRO DE 2015 FASE: FINAL DRAFT TEMPO PARA ADEQUAÇÃO: 3 ANOS a contar da data da publicação PRINCIPAIS MUDANÇAS Manutenção do foco em

Leia mais

Treinamento ISO 9001:2008 e Selo de Qualificação ONA. Ubiara Marfinati Janeiro/2013

Treinamento ISO 9001:2008 e Selo de Qualificação ONA. Ubiara Marfinati Janeiro/2013 Treinamento ISO 9001:2008 e Selo de Qualificação ONA. Ubiara Marfinati Janeiro/2013 ISO 9001: 2008 Princípios Básicos 4.2 Controle de Documentos e Registros 5.2 Foco no Cliente 5.3 Política da Qualidade

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

CRIAÇÃO DA DISCIPLINA SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

CRIAÇÃO DA DISCIPLINA SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CRIAÇÃO DA DISCIPLINA SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Elias S. Assayag eassayag@internext.com.br Universidade do Amazonas, Departamento de Hidráulica e Saneamento da Faculdade

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS:

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS: AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS: Implantação do sistema de Avaliação de Desempenho com Foco em Competências no Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região Belém PA 2013 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

Leia mais

Enviado por sanson@tecpar.br. em 19/12/11. Recebido por

Enviado por sanson@tecpar.br. em 19/12/11. Recebido por Pedido nº.: Destinatário/ Addressee: PREFEITURA MUNICIPAL DE COLOMBO ((41) 3656-8161) Data/Date: 16 / 12 / 2011 Nome/Name: ISMAILIN SCHROTTER Fax N : Remetente/Sender: TECPAR CERTIFICAÇÃO Páginas/Pages:

Leia mais

DRAFT ISO 9001:2015. Fabio Alves 28/10/2013 CLIENT LOGO. DNV Business Assurance. All rights reserved.

DRAFT ISO 9001:2015. Fabio Alves 28/10/2013 CLIENT LOGO. DNV Business Assurance. All rights reserved. Fabio Alves CLIENT LOGO 26 anos de certificação ISO 9001 Primeira publicação para atender a Comunidade Comum Europeia Pequenas alterações principalmente em manutenção de equipamentos Alterações importantes,

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA 07/2015 PARA INSCRIÇÕES E SELEÇÃO CURSO DE ELABORAÇÃO DE INDICADORES DE DESEMPENHO INSTITUCIONAL

EDITAL DE ABERTURA 07/2015 PARA INSCRIÇÕES E SELEÇÃO CURSO DE ELABORAÇÃO DE INDICADORES DE DESEMPENHO INSTITUCIONAL EDITAL DE ABERTURA 07/2015 PARA INSCRIÇÕES E SELEÇÃO CURSO DE ELABORAÇÃO DE INDICADORES DE DESEMPENHO INSTITUCIONAL 1. DA REALIZAÇÃO A Escola de Governo (EG), através da Fundação para o Desenvolvimento

Leia mais

O QUE SUA EMPRESA PODE FAZER PARA SER MAIS COMPETITIVA?

O QUE SUA EMPRESA PODE FAZER PARA SER MAIS COMPETITIVA? O QUE SUA EMPRESA PODE FAZER PARA SER MAIS COMPETITIVA? O IEL O Instituto Euvaldo Lodi é uma entidade vinculada à CNI - Confederação Nacional da Indústria. Com 101 unidades em 26 estados e no Distrito

Leia mais

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Maio de 2003 CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Dia 12/05/2003 Certificação e homologação de produtos, serviços e empresas do setor aeroespacial,com enfoque na qualidade Dia 13/05/2003 ISO 9001:2000 Mapeamento

Leia mais

Webinário : Os vinte passos da implantação SGQ baseado na ISO 9001 Sistema de gestão qualidade implantado e certificado pela norma NBR ISO 9001:2008

Webinário : Os vinte passos da implantação SGQ baseado na ISO 9001 Sistema de gestão qualidade implantado e certificado pela norma NBR ISO 9001:2008 Sistema de gestão qualidade implantado e certificado pela norma NBR ISO 9001:2008 torna uma necessidade da empresa por: competitividade no mercado interno Competitividade no mercado externo Aumentar a

Leia mais

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Itajubá/MG Fevereiro de 2012 Plano Anual de 2 de 11 Revisão 01 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1 OBJETIVO GERAL... 4 2

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE E AMBIENTAL ISO 9001:2008 + ISO 14001:2004

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE E AMBIENTAL ISO 9001:2008 + ISO 14001:2004 ISO 91:28 + ISO 141:24 1. PROPÓSITO: Descrever o Sistema de Gestão da Qualidade e Ambiental (SGQA) da MONDIL MONTAGEM INDUSTRIAL, comprovando assim a sua plena adequação à norma NBR ISO 91:28 Sistemas

Leia mais

PERSPETIVA APCER. www.apcergroup.com. André Ramos Diretor de Marketing andre.ramos@apcer.pt

PERSPETIVA APCER. www.apcergroup.com. André Ramos Diretor de Marketing andre.ramos@apcer.pt PERSPETIVA APCER André Ramos Diretor de Marketing andre.ramos@apcer.pt Tópicos Perspetiva APCER Avaliação Preliminar ISO DIS 9001:2014 Transição ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 - disposições IAF e APCER

Leia mais

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços da Petrobras Plano Estratégico PETROBRAS Missão Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nos mercados nacional e internacional,

Leia mais

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Residência em Arquitetura de Software Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Desenvolvimento 2008.2 Faculdade de Computação

Leia mais

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas AGENDA Como Surgiu Situação Atual Variáveis Importantes Governança Conquistas Impacto na Região Linhas Estratégicas Rodrigo Fernandes Coordenador Executivo da COMTEC Como Surgiu A T.I. surgiu para prover

Leia mais

Soluções em Gestão de Qualidade, Produtividade e Certificações ABNT NRB ISO 9001 - INMETRO - ANVISA

Soluções em Gestão de Qualidade, Produtividade e Certificações ABNT NRB ISO 9001 - INMETRO - ANVISA Soluções em Gestão de Qualidade, Produtividade e Certificações ABNT NRB ISO 9001 - INMETRO - ANVISA Apresentação Empresa Nosso Negócio Desenvolver, Implementar e manter Soluções para a melhoria da Qualidade

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE Rev. Data. Modificações 01 14/09/2007 Manual Inicial 02 12/06/2009 Revisão Geral do Sistema de Gestão da Qualidade 03 22/10/2009 Inclusão de documento de referência no item 8. Satisfação de cliente, Alteração

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

Tutorial norma ISO 9001

Tutorial norma ISO 9001 Tutorial norma ISO 9001 Docente: Prof. Dr. José Carlos Marques Discentes-Grupo 3: Luciane F. I. Ramos Fonseca Ana Paula C. Vieira Lúcia Melim Ana Paula Neves Funchal, Maio de 2009 1. CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE

Leia mais

Política de Logística de Suprimento

Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento 5 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas Eletrobras, através da integração

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA CRM. Prof. Wilson Míccoli, MsC

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA CRM. Prof. Wilson Míccoli, MsC IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA CRM 1 Fase 1: Contextualização Fase 2: Revisão do Plano Estratégico da Organização Fase 3: Revisão do Portfólio de Produtos Fase 4: Definição da Visão e dos Objetivos do CRM Fase

Leia mais

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação.

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação. Curso Formação Efetiva de Analístas de Processos Curso Gerenciamento da Qualidade Curso Como implantar um sistema de Gestão de Qualidade ISO 9001 Formação Profissional em Auditoria de Qualidade 24 horas

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida profissionais

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

MEDIÇÃO DE DESEMPENHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

MEDIÇÃO DE DESEMPENHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL MEDIÇÃO DE DESEMPENHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL Eng. Dayana B. Costa MSc, Doutoranda e Pesquisadora do NORIE/UFRGS Conteúdo da Manhã Módulo 1 Medição de Desempenho Conceitos Básicos Experiência de Sistemas de

Leia mais

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL CURSO: GESTÃO AMBIENTAL OBJETIVOS DO CURSO Objetivos Gerais O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental tem por objetivo formar profissionais capazes de propor, planejar, gerenciar e executar ações

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais

ISO 9001:2015 Nova versão porque e quando?

ISO 9001:2015 Nova versão porque e quando? ISO 9001:2015 Nova versão porque e quando? A publicação prevista para Novembro de 2015 tem como propósito refletir as mudanças no ambiente em que a norma é usada e garantir que a mesma mantenha-se adequada

Leia mais

O PAPEL DO GESTOR COMO MULTIPLICADOR

O PAPEL DO GESTOR COMO MULTIPLICADOR Programa de Capacitação PAPEL D GESTR CM MULTIPLICADR Brasília 12 de maio de 2011 Graciela Hopstein ghopstein@yahoo.com.br Qual o conceito de multiplicador? Quais são as idéias associadas a esse conceito?

Leia mais

ISO Revisions. ISO Revisions. Revisões ISO. Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança

ISO Revisions. ISO Revisions. Revisões ISO. Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança Revisões ISO ISO Revisions Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança Processos vs procedimentos: o que isto significa? O conceito da gestão de processo

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS Sistema Eletrobrás Política de Logística de Suprimento do Sistema Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO 4 POLÍTICA DE Logística de Suprimento

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05 DE MARÇO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05 DE MARÇO DE 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05

Leia mais

MBA em Gestão de Proc. de Negócios, Qualidade e Certificações

MBA em Gestão de Proc. de Negócios, Qualidade e Certificações MBA em Gestão de Proc. de Negócios, Qualidade e Certificações Apresentação CAMPUS STIEP Inscrições em Breve Turma 14 --> *Alunos matriculados após o início das aulas poderão cursar as disciplinas já realizadas

Leia mais

Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais

Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais 1ª Conferência Brasileira sobre Arranjos Produtivos Locais Carlos Roberto Rocha Cavalcante Superintendente 2004 Histórico de Atuação do IEL 1969 -

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA Páginas: 1 de 13 APROVAÇÃO Este Manual de Gestão está aprovado e representa o Sistema de Gestão Integrada implementado na FOX Comércio de Aparas Ltda. Ricardo Militelli Diretor FOX Páginas: 2 de 13 1.

Leia mais

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Programa de Fortalecimento e Barro Alto -

Leia mais

Painel de Contribuição ASGE (Outubro/2015)

Painel de Contribuição ASGE (Outubro/2015) ASGE (Outubro/2015) Objetivo Estratégico / Iniciativa Estratégica/ Meta Estratégica 1. Alcançar 82% dos Projetos dentro do Prazo/ Aperfeiçoar a gestão de projetos 2. Implementar a Gestão de Riscos a) Criar

Leia mais