HORAS DECISIVAS PARA A APROVAÇÃO DO AUMENTO DOS SERVIDORES DA PDF. tiragem:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HORAS DECISIVAS PARA A APROVAÇÃO DO AUMENTO DOS SERVIDORES DA PDF. tiragem: 131.500"

Transcrição

1 ggggsgggcgsgsjg Gronch-JK em S. Paulo: "Um Lugar Maor Para a Amérca Latna Was Decsões Mundas" 3 (LEA NA COLUNA "BASTDORES NTERNACONAS", NA PAG. ) OUTRA ONDA DE FRO ATNGRA O RO! (LEA NA 5. PAG.) VOLÊNCA DOLOSA É CRME: NA VDA HORAS DECSVAS PARA A APROVAÇÃO DO AUMENTO DOS SERVDORES DA PDF (LEA NA PAG. 7) Radototo "LZ" TAYLOR (VÚVA ECRE) "CAS AMEAÇA SEPARAR DE" JÜBH?V: M /a hh b P.la *#: s f*.,m «?%8WX ÈmWmmmmWRmm RH * HH1 Hl? tf." *««cá«***wm*wm**á*àâ^^s BvMmH ^ê t W ^y* JK^:V^^B8t7jM B %"M*» Í*rP^PÊPsmPllr^^ ElPn Tfr *ab fl WL ^mmmw^^ * vfmp» ÜHfr Jl^)/^%>#!*smÊ H lll " Tll^V^** Jt! 8 PjBr K?y*r > *JFÊpyWmk^WMff.*- ""*--^y^ly ^W*W fp**v ^f^/ê^^s^r^^mj^ *l^mmm\ Hfl X r *;*(!a1íéflttébéééé&ba^d^^é^ra*>*m ^.Ü --»-.^ *t*?.^ " tó./wí-s -V..7771,1 campanha empreendda por ULTMA HORA contra o abuso do ôgo volento c desleal quc transformou o campeonato caroca numa guerra, já repercutu profundamente meos do socce.r" da cdade. O Dr. Hlton Goslng. o smpátco médco campeão ro mundo, fo dos prmeros a bater palmas- pela ncatva do nosso jornal. Na págna 10 desta edção, na seção esportes, nossos letores encontrarão as declarações do Dr. Goslng assm como a opnão dc. jurstas com- tmffmtj- MwLjè jacnto de Thormes yyy-fwrí. Socedade rm -mmm: -r:y - menaas O PRESDENTE E O HOTEL Hcí cnco meos qua estou em UL- TMA HORA. Há cnco mts*»* faço a. mcma pergunta: Por que o Govôrno náo compra ou aluga 1 uma caquo srva dofntvamente para rtopr-dor os vstantes lustres? Por otnão da vsta do Presdente Cravpro Lopes, e agora com o Presdente Gronch, vu*sc uma cosa vnrdodercmento surpreendente: o Sr. Juscelno Kubtschek e toda sua fomíla mudar-se com roupas e pnr- en-e para cedor lugar aos tutrrt vstantes. E agora chogou-so na túmulo de ver o famla presdr-ntnl obrgada a r para um ho- Hl. ; Sem pensar em adqurr um movol, o que resultara muto oneroso pnra o Estado, a enquanto Brasíla não vem, há duas soluções para esta stuação quase humlhante. A 9rnrma sera deslocar o Prefeto do Pulado Guanabara, o que, segundo :álculos já fotos, resultara num gato de 10 mlhões de cruzeros só. de reformas paro que aquúle Palaco fcasse em condções de hospednr alguém. A segunda solução sota alugar por dos anos uma dat poucas boas casas que anda exstem no Ro. De qualquer modo, A precso que t* dê uma solução, pos nem o Presdente nem os vstantes lu»- res podem ser mas hospedados num tmples hotet, por melhor que êle Jtja. O EXEMPLO DO MNSTRO O Mnstro das Relações Exterore da Urugua tnha resolvdo não comparecer à reunão da ONU, em Nova York. Ao saber, porém, que o Chnncelor Negrão de lma chefara o mssão braslera, decdu fazer o metmo. E assm város outros que estão percebendo a mportânca dêste momento extremamente pan-a-ncrcanna. Troto-se de um exemplo. (Outras notícas na págna 2 do TA8L6BE). écobraf Mn m -í ms f* petentes sabre o aspecto legal do assunto c dc antgos jogadores sôbre o lado moral da questão. Todos concordam num ponto com ULTMA HO- KA: convém combater ímpcdòsament.c o futebol brutal c excessvamente volento, po o gue. está cm jogo é a vda mesmo do esporte. Elzaòeth Ta/lor e o amgo ntmo dc seu falecdo esposo, o cantor Edde Fsler (a dreta). foramsurpreenddos tomando champanhe, numa "lotíc" de Nova York. Com a chegada do fotógrafo, ambos saíram por dferentes portas. Todava, foram surpreenddos momentos depos, guando entravam em um luxuoso automóvel cm companha de Eva Marc Sant. (à esquerda). Os encontros de. Lz e. Fshcr provocaram tôda uma sere de. eomeníàrosl O cantor c sua esposa, a atrz Debbc Reynolds, consderados "o casal deal dos Estados Undos", admtram ontem quc têm "certos problemas conjugas". (Radofoto UP) ANO V Ro dc Janero, 4.a-Fera, 10 dc Setembro de 1958 N Dreor-Responsável: PAULO SLVERA tragem: Fundador: Dretor-Supentendente: SAMUEL WANER L. F. BOCAYUVA CUNH JANGO: É PRECSO 0 APOO DA GREJA AS REVNDCAÇÕES DOS TRABHADORES ONDE ESTARÁ M^RtENE FESTA PARA 0 GENER No Frtn «lc Cnpucabaná, ontom, u tlcneral.fustnn Alves Bastos, rnnandanlc «a Artllarín de Cns tu r presdente (1 dretor do SAM. dr. Kaul de Mattos Das. afrma cm carta dntlda a êüle jornal que tomou odas as provdencas relaconadas com a recaptura de Marlene, a menor que matou n mardo. Mar- ene, a crmnosa, deve. estar nos lendo e sem duvda se comovera com o apelo que lhe fa/. sua "Vovó" Hercllla, vsta na foto acma, securando o retrato de casamento daquela cuja Hua açora emocona a «dade. Onde estará Marlene? a pergunta contnua sem resposta. «REPORTAGEM NA PAGNA 101 AUTORDADES "Desmantelaremos " ÍJBm\ \r -v? GOANAS: os Sodcatos do Crme" A tenchrosa hstóra das tocaas, dos hedondos crmes nsprados pelas paxões r rvaldades poltras no longínquo nteror de <uás, vem sendo con a ttu pelo repórter JOSE:.OO.A de ll,- TMA OKA. numa cãndente sérr dr reportagens (hoje publcamos na págna 10 a que se concentra na ação das autordades es- ^B sj Rr/. ^Übv taduas). tluando o atual Secretaro «le Segurança de Goás sr. Thalrs dos Hes tomou posse do cargo, encontrou a polca estadual mergulhada numa stuação dc descrédto em meo aos rumores de suhôrno e conluo eom us slcáros do "Sndcato do Crme" e seus mandantes. Mas secundo nlorma aquele repórter, as autorldades polcas, apoadas na ação %,. B * :?;- rymmmmmt&mmmvtb*. de numerosos auxlares (o deleclve Natáro Fundão,r dc branco, e o nvestgador Otaelo Gumarãrs Rbero, de chapéu, estão entre os mas destacados), resolveram enfrentar os matadores proflssonas e suas "gangs", para devolver a segurança e a ranqul. dade ao povo de Goás. dn Cluhc Mltar, fo homena- -grado pelo seu anversáro na* tajco. A fr.sta fn promovda por seus mços e enrmandados r a rla uompàrecçrám lndas jovens, vestdas de actr- «o «om as lnhas "saco" r. "rapéru", «nu- rra o «ue prrdnmlnava comu ndumentára das senhoras e lenhorllas prrscn tes. A (oto r um detalhe da alegre Testa de onlem à nole no Korle e nela aparecem o General.lustnn Alves Bastos e jovem qne o foram cumprment ar. (JKA NA 1AG. «).mú^m WÊmy ^mêêl -MM ^^k J^aSím M ü / Mm mm^jmm/ m ^mmmmvmmmv^ammw mm Conl.-arando uma ndcarão expressa do Mnstro da Vação. a Comssão Hlatelca n- 0 cumqdu dc planejar o selo comemoratvo do 5." anversáro da Petrobrás adotou uma de- á csão cujo sentdo absurdo demonstramos cm edtoral dc ontem, pos êsse selo omte, pre- 0 csamc.nt.c. a homenagem àquele quc fo o grande ponero da polítca naconalsta do petróleo p no Brasl. A propósto, ouvmos a opnão de dversas personaldades: dos cx- g presdentes do Conselho Naconal do Petróleo, o General Horta Barbosa c o engenhero % Plno Cantanhcdc, o Prof Roland Corbser. Dretor do SEB, (que aparecem nas fotos g áqmaj, o deputado Sérgo Magalhães e. o socólogo Guerrero Ramos. (Lea na pagna 6). p b^sí"""mm««^ GRONCH É "CDADÃO 0N0RÁR0" DE SÃO PAULO rfcst*m<^*3s&^{^tmyylyí lm^yp^^mmmtmmmmmmmmw^b>^^m^m -,u,",í, 1fflm^m*m mm^^mvmm^^v^^lnr * ^ ^MR*l H l-oal * KBBB^*3%alSfL^%-^(«BH * ^^^P m9m tffsw** f^^r^hb *^M^ t^yíbf** ^S^l ^F^mmW^^m^mmmmWmW^^mmmm "^MBmmWmÈmWÈFmm ^Emmtjf^Êmmt mp^mwês mwsèk, 4y?MÊÈ mwmmí Ímte*<^%Êmmm%s rtmí <""* -íl- * ^SB p í&x^^mk^tym^ -.!tr* * ^^MWmW^m^mWmMBmt^^^^^m^íWÊ^^ ^ "^ \- * " ^. *í- S \M -MmímmTmM wmtmk-ym^m^m^^^mlmr^mmk^ -tr^x ^+-y> ** ***&*. Z m mw^mwmfmy * *"%m^^sj^tobeíml:--* ts X 1 mmmmwmm&h^^^mwmwmm w* l l ^nl Pm^r m 1 Wr&tmm WrM WM ftltfl r mm? : w/mm-y-m r«ms. Wm VW^^e- mm -«. w*»^- COSTA LMA: DEFESA NTRANSGENTE DE TODOS OS NTERESSES DA CAFECULTURA Melhor Remuneração Aos Produtores e Fnancamento Assegurado Para Que a Lavoura Possa Trabalhar Com Maor Tranqllldadc (Lea na Pág. 9) GERENTES DAS CASAS BANCARAS CLAMAM POR UM POLCAMENTO MAS OSTENSVO! LmM Wm/éy ;;$$&h\\ m\m\ M mwír^êmm M O Sr. Carlos Soares dc Souza, gerente da agênca do Banco Boavsta S. A., em Bonsucesso. quando afrmava ontem, a nossa reportagem, quc devera ser tomada uma medda urgente de ordem polcal e geral, a fm dc mpedr novos assaltos. (Lea na 14." págna). ME» M^^ ^H l py1, t "91 R1PH Ml y^m mmmm%lè?z.-<^k - Jm W^r^ ^^^^^^mmmwjmv^^sm} ^^^rr**r"n^b ^r íéí? ázm& >^/ ^^n^h r.,y - ****TpyTf**********f T^ <ãm. WJ * WÊÍmm Wm <M mtlm m^mw* ÊÊÊf M Í>%l* mwmwr^mm hk ^R^ffr^^^^t^^^-r^wM ^1 wm WMSmm fsêtm^mm^^!* *< á^h ^1! HH «f^jh H HBk BKcfe:^*^-^ m ^P Fala de Partturas Adou Apresentação da Orquestra Na hora do ensao, ansedade gra: não npãrcclán as parturas par» os nstrumentos de corda. Só os nstrumentos de sopro podam tocar. A stuação lo enfrentada com lum humor pelos componentes da Orquestra Snfônca do Teatro Muncpal, nclusve o regente Kleazar de Carvalho (ao fundo),o pansta Jacques Klen (à dreta) e um músco, que se vêem na loto. Mas o rectal marcado para hoje leve «le ser adado para a próxma sexta-fera. (LEA NA PAGNA 71 Veneza, 1958: Loren, a Maor Sofa.oren recebeu no Festval Cnenaloerálco de Cnema, que acaba de se encerrar.em Veneza, a sua grande consagração: lo proclamada a maor ntérprete femnna do ano. Daqu por dante, a bela Sofa não apenas a atrlx "sexy", mas uma laureada que sc mpõe pelo seu trabalho artstco. Sôbre êsle e os demas prêmos de Veneza, lea reportagem na págna 4 dn Tablode. O entusasmo popular susctado pela vsta do Presdente Gronch devera ter ontem, ao quc tudo ndcava, o seu, ponto culmnante, com a. chegada do estadsta à captal dc São Paulo, terra para cua grandeza c progresso os mgrantes talanos contrbuíram cm tão grande escala. Mas a forte chuva que cau. nclusve acompanhada dc granzo, prejudcou o brlho da recepção. A grande festa progra-, mada para o Pacaembu. à tarde, fo cancelada. O j Presdente Gronch almoçou nos Campos Elsos c, à note, recebeu do Prefeto o ttulo de "Cdadão Honoráro de São Paulo". (Notcáro na 6." págna). TURFE SO TABLÓDE Atendendo a modfcações de ordem técnca, êste jornal, a partr de hoje, passará a apre* sentar amplo notcáro sõhre as atvdades turlslas no Tablódr, com entrevstas palptantes e os programas das carreras nn Hpodromo da Gávea. Êsle será, certamente, mafs um motvo de atração para o Tablode. vtoroso lan* çamenlo de ULTMA HORA quc vem oferecendo dâramen* le aos nossos letores farto matcral de letura e entretenmento afnado pelos mas destacados colunstas e repórteres da mprensa braslera. Na pá. tna 15 do Tablode quc acom* panha esta edção, os carrrrsas encontrarão atualsslma entrevsta com o trenador Krnan de Fretas (foto), que faz nteressantes consderações sô* hrc as possbldades do cava- o Rapapé no qunto páreo da reunão de amanhã. Antecpada a Aferção Dos Taxímetros: Táxs Mas Caros a Partr de Amanhã f DE GAULLE ACETARÁ CONVTE DE JK PARS, 10 (UP) Nos meos dplomátcos sc dlsse, esta note, que o Presdente do Conselho dc Mnstros, Charles De Gaulle, podera acetar um convte que lhe fê o Pros- X dente do Brasl, Juscelno Kubtschek para vstar essa nação sul-amercana. Todava, o Prmero- Mnstro provavelmente não tomará decsão alguma a respeto senão.depos do referendo consttuconal de 28 do corrente e das posterores eleções geras para a prmera legslatura da V Repúblca. Se acetar o convte. De Gaulle será o prmero Chefe dc Governo francês a vstar a Amérca Latna. AGRAVA-SE GREVE DOS MÉDCOS NA ARGENTNA BUENOS ARES, 10 (UP) Os medcos de hosptas, organzações admnstratvas, clnlcas, sndcatos, cooperatvas prvadas c colônas estrangeras decdram ontem, demtr-se de seus cargos a 15 do corrente, agravando assm a greve dos médcos profssonas em todo o pas, que já dura duas semanas. Os médcos recomendaram às autordades quc procedam à remoção dos enfermos que se encontram nos hosptas, pos, a partr do da 17 abandonarão totalmente seus postos sem atender squer os casos de nmorgênca, como estão faendo atualmente. AONDE NOS CONDUZRÁ A 0PERA0Ã0 PAN- AMERCANA? No momento cm (t(* st* conf«ttu. sob :«chrtu «o Mnstra das Kelacõcs Exterores, a dclcpa* ç.o braslera que partcpará da próxma assembléa geral das Na» ções Undas e da reunão nfor. mal dos Chanceleres das Repúbl. cas Amercanas, para debater a Operação Panamercana proposta pelo Presdente Juscelno Kuhs. chek. o jornalsta MEDEROS UMA apresenta, a parlr de hoje, em ULTMA HORA, uma sére de rcporlagens de cranle alualdade e oportundade. Nelas são examnadas as grnnlcs lnhas da nova polítca externa traçada pelo lrasl e as suas perspectvas dc aplcação prátca. (No pacna 3, a prmera reportagem du sére). Prordade Para a jj Construção Naval \ Falando a ULTMA HORA, o Deputado José Jofflv elas- s rca as defcêncas do nosso transporte marítmo como o problema número um da eco- noma naconal. Aprofundan- do-sc no assunto, o parlamcn» tar parabano chama a»ten- Ção para a urgênca qoe deve ser dada aos projetos que tra- tam da mplantação da ndús- tra naval nn pas. (Reportar gem na pácna 9). $ * !* s»s»»###j (LEA NA PAG. 13)

2 fw l^n r. PAGNA 2 =Ro de Jonero, Quarta-Fera, 10 de Setembro de 1958 ULTMA HOHA w. ãk m - r#»»«*#»»#«*»»«*»»##»###»»#»»*>#<-#»»##»<^#»#*>#a*f»##»*»#####»#»^ Revsta No h vnho qua embrague como a JornaíProblemaí 1QCTAVO MATAf vardadt. M. DE ASSS Z 1) RETRATO DE UM MOLUSCO ECONÔMCO (POLVO ELÉTRCO) Anda hoje dexamos os confrades de ndo; contnuamos com o relatóro da Comssão Especal de Energa Elétrca da Câmara Muncpal do Porto Alegre, do qual surge o retrato cm tntas puras do captal estrangero no campo ta eletrcdade. Êste retrato, cm que o djo captal aparece como e (vgoroso, domnador e cínco) poda ser exbdo (mas dona Nomar não dexa) no Museu de Arte Moderna. No Museu do São Paulo, o Chato manda barrá-lo na entrada do Brás. De modo que sòmente aqu, numa folha do povo, êle pode ser exposto, lvre* mente, sem chocar o seu realsmo moderno. Ontem traçamos o esqueleto do enorme molusco econômco (Electrt Bond and Share) com seus numerosos tentáculos. Hoje vamos tratar das formas báscas, dar plastcdade ao monstro. 2) O MODELO GAÚCHO EM POSE ESPEC Aqu, temos que tomar eomo modelo um dos tentáculos" do grande molusco. O relatóro nos ndca para sto a CEEG, ou seja, a Companha Energa Elétrca Ro Grandense... Uma veí que quem dta a fórmula de contabldade nas empresas do grupo Bond and Share é a Companha Auxlar de Empresas Elétrcas Brasleras, um tentáculo ó a magem de todos os outros! Os técncos verfcaram, por exemplo, quo os nvestmentos da CEERG eram da ordem de 352 mlhões e 544 ml cruzeros. Entretanto, dversas parcelas ncluídas como tal não podam, por le, ser acetas. Terrenos escrturados em desacordo eom a le... reajustamento cambal... ágos pagos na lqudação de notas promssóras... despesas váras ntangíves ou não ntangíves. Descontadas essas parcelas, o total dos nvestmentos fcou reduzdo a 291 mlhões e 413 ml cruzeros. Note-se que a Bond and Share, por ter ncorrdo em dêntca e ncorreta prátca, fo denuncada nos States pcla Federal Trado Comsson... Lá ela lesa o Fsco; aqu o povo é quem é lesado!... 3) A LUSTRE EBASCO ENTRA COM O SEU JOGO Até 1940, o molusco.amercano aga à vontade. Mas, cm 41, o lucro da ndústra dé eletrcdade no Brasl fo lmtado em 10%. Daí por dante, entrou a funconar a magnação de mr. Eugêno Gudn... A probção de lucros maores tera de ser fraudada, c claro., Aí surgu a EBASCO como seu jogo suhtl. De 1941 a 57, esta entdade conselleral suga de remuneração, por consultas prestadas, nada menos de Ct) mlhões e 733 ml cruzeros! E, nestes servços, não estão ncluídos trabalhos de engenhara, nem desenhos detalhados, nem planos, nem orçamentos, nem trabalhos correlatos, que consttuem uma categora de servços pcla qual (de acordo com cláusula contratual) a EBASCO terá dreto a honoráros especalmente ajustados, em cada caso!... Notaram, então, os pertos (e :sto não pode ser desprezado, como côr, num retrato de corpo ntero) que a remuneração da EBASCO, a qual já agora poderá ser chamada de famgerada, fo num crescendo, de 1941 parn 57, realmente espnntoso... Se em 41 ela receba 861 ml cruzeros, já em 48 papava 2 m- hões e 077 ml cruzeros! Se em 1954, a remuneração da famgerada alcançara 8 mlhões o 031 ml cruzeros, já em 1957 suba a 8 mlhões e 360 ml! E o que se pode chamar umn empresa sada, porque come bem!... Junte-se a sto, a remuneração que a E5ASCO recebe de cada um dos demas tentáculos do polvo e veemos que fantástco montante empalma, a título de bons conselhos, a lustre entdade presdda pelo espírto de escol de mr. Eugêno Gudn!... 4) O POVO NVESTE; A "BOND AND SHARE" PAPA... Acontece que, nas grandes cdades do Brasl, a Electrc Bond and Share ou seus tentáculos, atualmente, preferem, em vez de produzr, dstrbur a energa produzda pelas empresas cradas pelo Governo. Segundo os pertos, a explcação é smples... As empresas elétrcas do holdng da Bond and Shnre aumentam, dessa forma sngularmente a sua receta de energa vendda, sem qualquer parcela de nvestmento novo, porque êste quem o realza é o Poder públco; é, cm últma palavra, o povo braslero! E por sso, letor, que há nos jornas da sada esta campanha para l* mtnr a ação estatal no campo da energa elétrca à produção; n dstrbução fcará parn o trust... Mas sto é um novo captulo... são outros qunhentos!... 5) UMA ADVERTÊNCA DE WOODROW WLSON E o caso do lembrar aqu o que dza Wlson (Woodrow), quo fo presdente dos States à época da prmera guerra: "Tendes ouvdo falar de concessões, outorgadas a captalstas estrangeros na Amérca Latna. Jamas de concessões outorgadas a captalstas estrangeros nos Estados Undos". E que (falando assm aos amercanos) Wlson achava que as nações que fazem concessões estão expostas a que os captalstas estrangeros domnem em seus assuntos doméstcos... No caso da Electrc Bond and Share, vemos aí, na cúpula da EBASCO, mr. Eugêno Gudn a manobrar os seus dscfpulos amados, numa subtl, atva e pergosa ngerênca nos problemas fundamentas do Brasl!... jtâêéh O. M. TTANC] M^_mÊ9$9jvSs^en^a buscar hoje mesmo o rafeffffè-ff*seu, com estas facldades: ^\ Cf$ fc ü U j mensas Wr ou Cr$ 2.200, à vsta! \^M\m TTANC vale^^j^^^^^ 4 vezes o seu preço: e mas ancoro efe 17 rubs a famosa pontero centrol onf-magnêfco PRECSÃO a prova Dágua SU SSA JoaShera Caroca Rua do Rosáro, 147 perfnho dor "Mercado das Flores ntervenção Federal: Reagem os Polítcos Carocas A entrevsta concedda ontem a ULTMA HORA pelo Sona dor Joo Vlasbons (UDN, Mato Grosso), classfcando de eleto* rera a revolta manfestada por alguns polítcos carocas, contra a possbldade do Dstrto Federal fcar submetdo a ntervençso federal no período de sua transformação em Estado da Guanabara, provocou a medata reação daqueles que defendem tese contrára a do Mnstro Crlo Júnor. Desagrado "Quando mo manfeste sôbre as declarações do Mnstro da Justça dsse o deputado petebstn João Machado fz sentr, desde logo, quo a nter* venção no Dstrto Federal não sera recebda com agrado pelos polítcos, quo tanto lutaram pe* la autonoma da terra caroca". "Naquela ocasão, falávamos cm uma reunão realzada em uma sala do Monroe, onde náo sc podera supor que eu preten* desse fnzer propaganda eletoral. Por outro lado, elementos como os Senadores carocas Caado de Castro e Glberto Marnho, tam* bém não têm nocesç)ade de fa* zer nesse momento propaganda eletoral, uma vez que anda dspõem de quatro anos de manda* to. Na realdade, a déa da n* tervenção não podera ser bem recebda por motvos outros quo não o da propaganda eletoral c que não cabe, no momento enu* merar". Falta de Autordade Dz a segur o deputado do PTB que, não obstante, é pre* cso salentar que mutos daque les que protestam, agora, contra a déa da ntervenção não têm autordade para fazê-lo. "Quando dz no ano passado, apresente Câmara dos Deputados o projeto que pretenda regular a stuação jurídca do futuro Estado da 0 NAUFRÁGO MAS HORRÍVEL DA HSTÓRA No segundo dn restava apenas um barrl de vnho para 67 níufrngos. Depos: delíros, sede e fome torturante, com tubarões rcjnndo a carga mncnln dn janpada. A pavorosa catástrofe que Seleções de setembro narro felmente pnrn você. Além dsso, Seleções de setembro lhe oferece 2*. outros artgos de grande nteresse, bem como o resumo de um lvro notável: "O Lmur do Amanhã." Adqura, hoje mesmo, seu exemplar de Seleções de setembro. À venda em todas as bancos. Ü e=ms? * (SP Guanabara, de conhecmento do mesmo a város polítcos caro* cas e solcte a colaboração dês* ses polítcos unto ao Governe Federal e junto ao Congresso, a fm de consegur andamento para o projeto que, se fosse aprovado em tempo hábl, evtara que alguém pensasse em nter* venção no futuro Estado da Guanabara", Acrescenta que esses mesmos polítcos que agora protestam contra a ntervenção, jamas deram atenção ao problema que se aproxmava, com a fxação da data da mudança da Captal pa* ra Brasíla e conseqüente consttulção do Estado da Guanabara. Parcela de Culpa "Cabe-nos salenta a maor parcela de culpa na ten* tatva de ntervenção agora sugerda pelo Mnstro Crlo Jú* Quanto à afrmnção do Senador Vlasbons, afrma: Não tem razão o Senador udensta quando consdera consttuconal a ntervenção no Estado da Guanabara, nem quando alega o Ato Consttuconal das Dsposções Transtóros da Consttução, de vez que aquela dsposção já fo superada, tendo prevalecdo, apenns, em relação ao período em que se nstalava em nosso pns, a vgênca da atual Consttução." Anda mas: "No captulo relatvo à ntervenção nos Estados, não se encontra, absolutnmente nada que justfque uma ntervenção nesses térmos. A menos que se cre. aqu, em 19(10 una stuação capaz de se enquadrar no que estabelece a Consttução como stuação Justfcadora de ntervenç5o. Tanto sso é verdade, que fo o própro Senador Vlasboas quem falou na reunão do Senado em reforma consttuconal para resolver n stuação CASAMENTO Realza-se amanhã, nesta captal, o casamento do sr. Rcardo Emmanuel Degenszejn, dretor-técnco da Formplac, com a srta. Lola Yallouz. Após a cermôna relgosa, os novos receberão nos salões do Copacabana Palace. Ê Jurídca do Estado a ser crodo.» Sem Cabmento Es o que dz o Deputado Xaver de Araújo, do PL: "A mnha opnão a respeto da ncatva do Mnstro Crlo Júnor, é a de que ela nao tem cabmento nem oportundade, porque a provdênca a respeto da admnstração do futuro Estado da Guanabara, já poda ter vndo há muto tempo, sem nenhuma necesst* dado de ntervenção." Explca: "Basta que BC aprove o projeto em curso no Congresso da autora do Deputado João Machado, com os acréscmos e as alterações que o seu estudo aconselhar, pnra que o problema fque resolvdo." Salenta que nstalada a Assembléa Estadual ou transformada em Assembléa Estadual a Câmara de Vereadores poderá ela, no mesmo da da mudança da Captal, eleger um pelo Senador Vlasboas. Penso que a sua attude é dtada pelo zelo com que encaram os problemas da população caroca. Costumo julgar os outros por mm e assm faz o bom Julgudor, segundo o velho rfao/" Dscussão noportuna "Acho que toda essa dscussão em torno da possbldade de ntervenção no futuro Estado da Guanabara é profundamente noportuna" afrmou o Deputudo Sérgo Magalhães. E acrescentou: «Quando fòr envada a Mensagem Presdencal regulando a stuação do Dstrto Federal nesse rterregno. então o assunto será devdamente estudado. De qualquer modo, por enquanto, tudo está no terreno das hpóteses." E quanto As palavras do Scnador Vlnsboas: "Não tem razão o Senador udensta quando afrma que a reação é conseqüênca de nteresse eletoral, pos quem trouxe o assunto a debate, antes da elaboração de qualquer mensagem, fo justamente o Mnstro da Justça." mnw...a... f«...rffffff>f>>t.ftlj) ***** *?* Aonde Nos Conduz a Operação Pan-Amercana? MUDANÇA DE POLÍTCA EXTERNA: VELHO TEMA QUE GANHA NOVO ÍMPETO! 1* de Uma Sére de Reportagens de MEDEROS LMA Exe. de ULTMA HORA correntes de uma Nação em fase de desanval. vlmenfo, e bem que sujeta as restrções!» postas k sua expanso econômca. Se os acontecmentos em que sa vu.. volvdo e Vce-Presdente Nxon, por ocasíu de sua vsta a países da Amérca u>» *m _...:-.»_ ".", do Sul sar»,..,., mm - )*--«,-]» " «rr«com a qual o Pr» sldanta Kubtschek procurara sensblzar m Estados Undos em favor de um reexam* d. seu comportamento para com a Amérca La..! mos em que até aqu se tem pautado as rela* una, a veraaae que este era um tema d» \\ ções contnentas. Sob certos aspectos essa longa data presente em todos os debates d! ; era uma questão que a se encontrava na raz vda braslera. No fo por outra ratão ou» > da consclôncla naconal. Sem recuarmos mu* a oratóra pan-amercanlsta de velho estlo * bar to no tempo, podemos lembrar os pronunca* roço passou a ser substtuída por uma língua mentos fetos o ano passado pelo Sr. Macedo gem mas obetlva, mas coerente e sobretudo ; Soares, então Mnstro das Relações Exterlo* mas realsta. Assm é que um homem eon Quando e Presdente Juscelno Kublts* ; chak escreveu ao Presdente Esenhower sua! famosa carta, na qual lançava a déa da Opa*!; raço Pan-Amercana, multo possvelmente 41*! no estava seguro de tôdas as mplcações fu* turas de sua decsão, t que o teu gesto de* correu muto mas de um mpulso momento* neo, de uma sugestão ocasonal, que de uma a medtada resolução no sentdo de forçar por ;> vas dplomátcas uma reformulaço dos tôr* Governador Provsóro, que as- <! res, quando de sua vsta a Santago do Chle, servador, embora de Índole tradconalmente sumrá os encargos da adm- e o dscurso, concdentemente pronuncado lberal, na medda em que procurava se alus nlstração. sem qualquer neces-!; na mesma ocasão, pelo Sr. Oswaldo Aranha, tar ao mpacto sofrdo pelas profundas tram sldade de ntervenção, que sô na qualdade de chefe da delegação braslera formações mundas, podera dzer perante o se justfcara nos termos pre-! 1 Assembléa Geral da ONU. As exoressões Senado dò Chle: "J MScmuva vera aa w«w.»* wawwmww» --«..«*. «* *# vnuc. * naa não é - mas -- - *.-> «- - possível possvel -- que aue vstos pela Consttução.!; usadas por... ambos, em crcunstâncas dversas, os nossos países permaneçam adstrtos e amar Não atrbuo aos meus \\. jé demonstravam a exstênca de um pensa* rados a um tpo de economa rudmentar «u companheros que se manfes- ]! mento condutor no sentdo de uma mudança elta s flutuações dos preços de matéra-. taram contra a ntervenção de rumos na poltca externa braslera, mas prmas e 1 nstabldade dos produtos de bata tados atualzado e mas conforme s exgêncas de* no mercado nternaconal." Garanta o E3 ÇR -&*>: ml w S y^. \ fu rj1 M S ct ^^ mjbk?bmr\fl*n ^^mmwàm\ ^L ^ChHKEK^B \m\»**í^^mmmm^ ** ^T (Qxsegaw entg?wcpo> NOVO MUNDO 6 o Jorma ma* moderna de prevdênca: teus vaforet são reajustâves de acordo com at varações do dnhero, na base do saláro mínmo legal. 6 uma sólda aplcação de seu dnhero, pela qual responde a tradção das Organzações Novo Mundo. 0 6 um vnculo a mas enlre empregados e empregadores, aproxmando-ot do deal da eheja um por odos e odos por um. 0 6 uma pequena prestação a mas que, ajnal, anula as outras prestações, permtndo vver melhor e mas, porque V. vverá despreocupado. 6, na compra de móves a prazo, o melhor processo para legar à famíla um bem e não uma dívda. barato porque, sendo em sére, ojerece em Jorma Jacltada o máxmo de vantagens com o mínmo de dspndo. m, anda, o seguro em grupo, ntransferível sem seu consentmento. Não responde por dívda, ê sento de mpostos e não entra em nventáro. 0 e a garanta do Futuro, sem. sacrjuo do Presente. Nem Alados ncondconas Nem Caudatáros A essa advertênca quanto à necessdade de alenar a economa latno-amercana de sua arcaca estrutura, o Sr. Macedo Soares, com clareza rara entre dplomatas e chefes de Estado desta parte sul e central do Hemstéro, juntava as seguntes palavras, com as quas exprma um sentmento e uma tendênca generalzadas entre povos cosos de maor autonoma e de melhores nves de vda: "Não podemos ser alados ncondconus n e m caudatáros de nnguém. Não podemos acetar stuações nternadonas que nos vnculem, de manera permanente e rreverslvel. a colonalsmos e mperalsmos. Nossa formação jurídca não pode mpedr-nos de colher, com compreensão e esprto aberto,. as transformações que atualmente se operam nas estruturas mperas e nos encamnhamentos de povos para a vda autônoma e ndependente." (U. H. 3/2/57). Se em tese as dsposções brasleras encamnhavamse naqlele sentdo, tão bem defndo pelo velho e expermentado Chanceler Macedo Soares, não suceda o mesmo quanto à prátca e " a condução dreta dos assuntos externos. Entregue a uma dplomaca de um mo- do geral carregada de preconcetos, avessa por Índole a mudanças e transformações. confundndo quase sempre certas praxes tradconas com a necessdade de dnamzação e de atualzação, a polítca externa braslera contnuou a navegar num mar de escolhos. Enquanto a pressão econômca e a repercusão dos acontecmentos nternadonas forçavam, como contmam a forçar, uma formulação clara dos objetvos da polítca nterna braslera, no plano das relações nternaconas não aconteca o mesmo. A debldade e a ncoerênca de nossa poltca externa procurava justfcar-se pelo suposto ou real FUTURO sem sacrfcar o PRESENTE Os brasleros estão sc tornando cada da maores consumdores de tudo o que se produz, elevando assm o própro padrão de vda e enrquecendo o país. A casa braslera tem hoje todos os confortos modernos. Agora a famíla braslera terá também facltado o seu seguro em grupo, como a dos povos de alto padrão de vda! Essa módca prestação não sacrfca o presente c dá tranqüldade quanto ao futuro. É justamente sso o que nos faz vver alegres, confantes, jovas e despreocupados. Reúna seus companheros de trabalho e conserte com eles os planos para um Seguro em Grupo Novo Mundo. V. vverá melhor e por sso vverá mas! ya*tc&zcõ&f axljêk rjksl mbsêt AOS CORRETORES DE SEGUROS: Curso de Extensão Profssonal As Organzações Novo Mundo Seguros, ns tturam utn curso de extensão profssonal, aberto a todos os corretores que queram aperfeçoar sua técnca e seus métodos de trabalho.-todos os corretores estão convdados a nele se nscreverem, sem assumr conosco quasquer compromssos. Faca hoje mesmo sua nscrção. NOVO MHJVOO /^ovo Mundo tamaraly Mramar Seguros Banco Fnancal Novo Mundo Jlu«do Carmo, 65/71 - TeL; Ro de Janero temor ao comunsmo, am-» parada por uma propaganda { drgda e efcente, se bem que nem sempre de efetos postvos junto As massas populares. Mas de qualquer manera os resultados nega- } tlvos dessa polítca de n- \ bcões e de acomodações fa- \ ces produza seus efetos desastrosos sôbre a vda na- \ conal, cada vez mas ce- } pendente e nterlgada nns \ problemas e soluções de X âmbto mundal. \ s O Caso de Fernando \ Noronha Fo essa posção tímda; } em que a nefcênca e o temor eram chamados j dc \ prudênca, que derrotou, por j exemplo, o ponto de vstn j do Estado-Malor do Exór- * cto e do Conselho de Segu- j rança Naconal, quando se { dscutu a nstalação de ) bases de teleguados nonoamercanos na lha de Fer- nando Noronha. Em troca { das novas concessões de natureza mltar, através da qual o pas dava um novo passo à frente no sentdo de sua soldaredade para com o Ocdente, exgam aqueles j órgãos que os Estados Un- % dos, reconhecendo os novos <p. compromssos brasleros, se <l j. dspusessem a compensar os 5 rscos assumdos com éf- < cente ajuda econômca, *. destnada especalmente a \. desenvolver as regões do Ü. Nordeste. As resstêncas opostas pelo Departamento :; de Estado termnaram sobrepondo-se, através de uma declaração nócua, à pos- í :: ção que assumram os ór- s gãos responsáves pela se- gurança naconal. «Mas como a força ncon- \ trolável dos acontecmen- l tos hstórcos é muto maor í que a vontade de alguns e \ as resstêncas c ncom-í preensões das grandes po- j têncas, o Governo brasle- l ro esta sendo levado, pela { pressão nterna e externa, a rever a condução de sua j poltca nternaconal. As -, manfestações de desagrado í a Nxon devem ser conslde- radas no caso openas como * um fato epsódco, que, na < opnão de um comentars- ( ta norte-amercano, podera j ser contrabalançado como o j envo, por exemplo, da ban-» da de Fuzleros Navas da < Marnha dos Estados Un- { dos... Se dc alguma mane- ra os apupos drgdos con- l tra o jovem e esportvo v- < ce-presdnete norte-amer-! cano servram de oportuna j nspração ao gesto com o» qual o Presdente Kubts- «chek deseja ver repostas { em melhores termos as rc- í lações da Amérca Latna j,, com os Estados Undos, nem s, por sso devemos consderar, que a se encontram as ver- } ]; daderas razões que possam j jp no futuro justfcar o possl- s vel e desejado éxíto da,!; Operação Pan-Amercana...» ]p ^ +*^#^*^» ^^^^+«^»^»^*^^»^ P*#+»»*»^*###^. EDTORA Ultma Hora S/A RUA SOTERO DOS RES.62 Tel.: 34*8080 (Rede nterna) Fundador: SAMUEL WANER Dretor-Presdente: SÉRGO DE LMA E SLVA Dretor Vce-Presdente. OSCAR PEDROSO HORTA Dretor-Superntendente! L. F. BOCAYUVA CUNHA Drctor-Tcsourero: NORV LMA Uüímallow (RO) RtJA SOTERO DOS RES. «Tel.: 31-80M (Rede nltrnl Dretor-Rcsponsávcl PAULO SLVERA Publcdade: *. Rua Senador Danta. Tel.: {Rede nternjl swmtka (S. PAULO) AVENDA DA LUZ.»«(Antlfm Ar. Anh«oí»«>«<*) Tel.: 3Í-S151 (Rde nterna» SUCURS DE SANTOS Rua Vajconeeloa Tarare.» Tels.: t-1k 4M3J ASSNATURAS Braul R»mrtn)..a. CrJ 300.M - " asr

3 , ULTMA HORA :Ro de Janero, Quarta-Fera, 10 de Setembro de 1958 PÁGNA 3,*******************************+********> VA MORAM JOSÉ AUGUSTO \ ENERGA ATÔMCA PARA BRASÍLA: PROPOSTA NGLESA EM ESTUDO o Presdente Juscelno Kubtschek está vvamente n- Mdo em levar para Brasíla a Central Elétrca Nuclear nnsla nela Mlbhcll Egèerng Ltd.. dc Londres, assun-! o uíl á tratamos anterormente. O nteresse do Pres- n p la Repúblca vem do fato dc terem os amercanos,! venceram a concorrênca para a nstalação dc uma cen-!" hdrelétrca que abastecesse a nova Captal,, nforma- f? nue "ão será possível cntrcfíá-la dentro do prazo estpu-, " 0 me. dexara o Governo r, a NOVACAP cm má s- uà,ín nos não havera força c luz para a nauguração of- l-d Brasíla, como Captal do Brasl. Em vsta dsso, levando em conta ns vantagens negáves j... apresentaram os ngleses e anda ao fato dc scr possível! «tr cm pleno funconamento a Central Elétrca Nuclear jp.,r0 sulala, do prazo estpulado, a proposta será medatamente. } a fm de que, uma vez aprovada, tenham níco ü«obras de nstalação do realor atômco de Kw. Os trabalhos da hdrelétrca serão, também, tocados e, _ml vez pronta a usna, a Central Nuclear sera transfer Aa para a Amazôna, onde não exste possbldade dc sc aprovetar a energa hdráulca. O Cel..lanar! Nunes é um 2 los entusastas da déa, pos acredta que será, assm, rc- X solvdo o problema da eletrcdade no Amazonas. Os, repre- X sentantes da Mtchcll deverão entrar cm contato com o Sr. } srael Pnhero por êsles das. ROUBADA A RESDÊNCA DO DR. OLNTO FONSECA % conversava no avalado em cerca cl: com X X Enquanto? apartamento do banquero ml cruzeros c todas as jóas_ X X jlo Pnto, que resde no de sua flha Andréa, no va- > * ncsno edfeo, n. resdênca lor de duzentos ml cruze- j 4 do Sr. Olnto Fonseca, conhecdo " polítco mnero Em conseqüênca ros. s mu».»»- depos atuul dretor da Caxa Eco- que os ladrões entraram na nómca Federal, o vstada casa... o Sr. Olnto man- pelos ladrões que roubaram dou colocar as trancas, c não um antro relóuo de parede, há hoje uma só porta ou ja nela quo não tenha uma tranca ou um trnco, que são BEATRZ COSTA fechados e fscalzados relgosámcnte, na hora cas vs- ESCREVE AS tas dáras ao seu prmo Júlo Pnto. MEMÓRAS A veterana atrz Beatr/. Costa está escreveu- MARA MARTNS: do suas memóras que scrão publcadas brevemen- EM 15 DAS LVROS le pela Edtora Cvlzaçío Braslera, com o tlulo ao colo"., to é o lvro da escultora O bcst-seller- do momen- "Pega-mc que era o nome de un Mara Martns, quo vendeu famoso quadro duma rcvsta em que Beatrz traplares, o que demonstra o em 15 das dos ml exembrlhava ao lado do popular Oscarto. tou o lançamento da -Ása grande nteresse que desper- A atrz va contar no Maor o Planeta Chna". lvro dc memóras as suas Mara Martns, que segunda-fera próxma estará en aventuras c desventuras no mundo do teatro e da Salvador, Baha, autografando para os fãs e admra- coméda humana. Já tem város capítulos prontos e dores, está escrevendo a segunda parte da obra, que contnua trabalhando ràpdamente na revsão dos versa sóbre a Índa. A escültorá pretende ter o lvro orgnas, que serão entragues anda êste ano ao preparado para mostrar ao edtor. Prender" Neruh, q u a n d o ^^^^^^^^^J éste ver ao Brasl. PEDANDO COM GOSTO > Não se trata, é claro, do velho flme cnematográfco l mercano que tanto sucesso fêz na época e que se chamava * _ "Pedalando com gosto". Trata-se do Embaxador do Brasl cm Lsboa, Sr. Álvaro Lns, que tem, com seu ultmo "hobby Z nredleto andar de velocípede pelos corredores de nossa Em-» 1-nxada em Portugal, vestndo calções. Pessoa que vem de jj Portugal, e que esteve em nessa Embaxada,, conta tal fato, l que afnal, não dexa de ser curoso. X Í VADARES: NAO SERE CANDDATO... { X Após a recepção no Pa- láco tamarat. amgos do Senador Benedto Vaada- X res nsstram em levá-lo, ; de carro, até em caba. O } que o Senador acetou e no *5 automóvol am ses pessoas. s Acontece que todo» mora- X vam ou no Blamengo on J Leme *, por sso crou-se X um caso» nnguém quera X stllar antes do polítco m- X nero, que resde no Posto 6, CAPTAS NGLESES e todos desejavam acompa- X nhá-lo ate em casa. Mas, X o própro Senador resolveu * o problema, calmamente, dzendo*.? Se vocês querem me bajular porque pensam que vou ser canddato ao Govér- 110 Mnero, estão perdendo tempo... Não sere... O desapontamento fo gcral, mas, mesmo assm, todos foram até opòslo 6... l Está de novo no Ro, o mlonáro nglês Myron Wdett, í nue representa, para toda a Amérca Latna, a Mtchel En- 5 cneerng de Londres, além de números outros grandes ca- X ptas europeus. O Sr. Wdett tem mantdo contatos com o X Sr. Francs Rcketts, que também se encontra no Ro, e os? dos captalstas ngleses têm vajado constantemente para ) Sáo Paulo. Entre os negócos que o Sr. Wdett quer fazer 110 Ro, está o grande hotel de tursmo, cujas propostas con trotas apresentará ao Prefeto Sá Frere Alvm.» RESSTÊNCA PROBDA X O escrtor Govann Passe- Passer é dstngudo com um X r, que acaba de conqustar alto prêmo lteráro na tála. X o "Prêmo Vareggo" na tá-? la (v. "na Hora H", de ontem), fo há cerca de dos anos dretor cultural da "Casa dltála" nesta captal. Vu- MLONÁROS se, entretanto, subtamente Os paulstas que mas. afastado do cargo, como res- têm gasto dnhero para X ponsável por um Boletm da se elegerem deputadas íederas são: Emílo Carlos. "Casa" X onde saram artgos de talanos c brasleros a Cunha Bueno. Maa Leo. X propósto do 12. anversáro Máro Ben. Horáco Láfer, Braslo Machado, j da vtóra da Resstênca ta- < lana. O fato causou estra- Herbert Levy e Carmelo dagostnho. São todos X nheza na época, e convém banqueros e ndustras poderosos c têm a eleção que seja lembrado agora, jus- tamente quando nos vsta o assegurada. X Presdente Gronch e quando X X NSCELANEA \X Seré sabatnado, hoje, na Comssão de Dplomaca do X Senado, o Professor Bolívar de Fretas, canddato a Emba- J> xador do Brasl no Líbano. -*c O Senador Glberto Marnho \ tem sdo muto procurado por causa do projeto de le da l X Câmara que regula o dreto de autor, do qual é relator > 110 Senado. Êsse projeto vem despertando controvérsa en-» tre escrtores, jornalstas, autores teatras, compostores, etc,» pea soma de nteresse que envolve. ««j nr. oebo n-eveuu,, í cujo mandato de Prefeto de Belo Horzonte termna a 31 S ls. ;,-..*..-w. **~ U..J. n n» :**n*4-n r. T?<mh 1 r mn 7 á w^ jncnu, m (juvuauu JJU1U rcaucuc uu *v--^"*--**"-*«x-*--..- a Presdênca do BGE. Entretanto, o Sr. Celso Azevedo nao» X me ora em exbção nesta captal, "lha Sangrenta", que $ dr conter propaganda contra o povo japonês. je Uma carta ; s do letor de Belo Horzonte, que se qualfca como "modesto,j X palhaço" de profssão, declara-se "maguado" em face da J; j donomnação de "camnhão dos palhaços" dada ao veculo ;. 5 de propaganda de certos lderes udenstas no D. F.. Dz que é ;, uma njustça com a gente de crco. # O nome certo do "scholar",j grego-norte amercano que ora se encontra nesta J; captal, depos de haver vstado São Paulo (e ao qual fze- ;. mos alusão, ontem), é Kmon Frar. Trata-se de um grande * especalsta em poesa, que abandonou sua cátedra unverstára nos Estados Undos para passar quatro anos e meo dedcados à tradução, em versos hexàmetros brancos, da "Odsséa", do escrtor grego Kazantsaks, recentemente falecdo.,; O últmo toque na revsão da tradução fo dado aqu, no Jj Ro. * O Sr. Alberto Deodato (UDN), fo nomeado pelo Jp Presdente da Repúblca, membro do Conselho Fscal da. NOVACAP. * m TREMOS O CHAPÉU... Roje, ao Sr. Renato Costa Uma. Presdente do nsttu- o Braslero do Café, *ua«pela» oportunas declarações confrmara jue a dsposção do Governo de levar avante» poltca de valorzação do "osso prncpal produto, assegurando ao mesmo tempo «nteresses dos cafecultores. Wyfò^ ****** *»t*****»***m*r»»************************r * AS declarações ncsvas do Mnstro da Fa**cnda con tra a polítca de guerra de preços veram tranqülllar a opnão públca braslera. Em verdade todos aqueles que estão exclusvamente nteressa* dos no progresso do Pas, ou seja, na manutenção de um rtmo acelerado do dcsenvolvlmento econômco, jamas po- A derlam acetar o rsco dc uma luta de mercados de resultados, na melhor das hpóteses, mprevsíves. At declarações do M* nstro dexaram a sensação de que um pergo fd afastado, de que uma etapa fo alcançada. No entanto, nó uma etapa. Falta anda muta cosa. Na verdade apenas o por fo evltado. O problema do café está exgndo outras defnções. Duas attudes, uma externa outra nterna e ambas de grandes re* percussões. A prmera, de defesa de preços de colocação do produto, a segunda, do dlspêndlo governamental em cruzelros. A defesa dos preços é a medda acertada, e o Sr, Lucas Lopes, se não tnha antes essa convcção, como dzem alguns, agora a tem depos que assumu a pasta da Fazenda. Mas, nnguém pode entender a defesa dos preços de café sem attude concomtante de tentar o aumento do consumo, a posslbldade de maores vendas. Também é ndspensável um sstema de regularzação da produção que vse entre outras cosas, uma dscrmnação técnca sobre o planto tendo em vsta as njuneões presentes e futuras do mercado nterna* conal, sendo lógco portanto, uma nova forma de fnancamento. * * * FasudomomnTO AV-,.,.-.Vl.V. UM PLANO COMPLETO PARA Mnstro, além das declarações ncsvas contra a hpótese 0 da guerra de. preços, também está ntroduzndo modfca* ções no sstema de fnancamento e de compras aos produtores. Essas modfcações são no sentdo de dar maor objetvo econômco aos nancamentos e de dosar cudadosamente as compras governamentas. Nada mas lógco, pos, a segur ndlscrmlnadamente, fnancando pelo nvel mas alto e sem que funcone o crtéro de prordade de tpos ou de produtvdade das áreas cultvadas, estará prejudcando o sentdo econômco da cultura cafeera e nào haverá recursos sufcentes no Tesouro Naconal para atender à produção. A rgor a economa cafeera, no que concerne à produção, tem sdo orentada exclusvamente, ou quase, por um espírto fnancero. POLÍTCA CAFEERA O atual Mnstro da Fazem da está pos dedcando grande atenção ao problema nterno. Também está tentando crar um sstema mas razoável pa* ra as compras do Governo, parte fundamental, na polítca de defesa dos preços. Mas, por sso, como o seu antecessor o Sr. José Mara Alkmm, á sentu o peso da reação ao seu programa. Já se anunca mesmo outra "marcha da produção". Sentu gualmente que no setor externo as pressões dos nteresses baxstas que, por desejarem maores remunerações em cruzeros, ou por outras razões, se opõem volentamente à polítca dos acordos com outros países em defesa dos preços do produto. * * * a CONTECE que o problema do café náo é fácl nem smples. Outros Mnstros, uns para o lado da defesa ou ssstentação dos preços, outros pelo lado do lberalsmo, não conseguram levar avante sua polítca, As forças contráras a esta ou aquela, exstentes dentro do própro Governo, se opunham c neutralzavam uma parte fundamental da sua execução, é que o café exge algo mas que uma smples defesa de preços c uma revsão dos fnancamentos e das compras do Governo. Exge uma poltca completa que dè confança à Nação e com sso, força ao Governo para executá-la. O Mnstro Lucas Lopes assumu a pasta sob a desconfança dos elementos desenvolventstas e naconalstas que são favoráves à defesa dos preços. Manfestou-se depos contra a guerra de preços e teve a coragem de começar a mexer no fnancamento. Ganhou alguns pontos no conceto geral. Mas, nem os naconalstas e desenvolventstas, nem nnguém supõe que defesa de preços é sufcente. Nem que exsta polítca de exportação sem propósltos concretos de desejos de exportar. Por exemplo: nnguém pode levar a séro tal polítca com a exclusão de mas de um blhão de consumdores potencas dos pases socalstas. A defesa dos preços não só é a melhor poltca como é a únca. Tanto é assm que o atual Mnstro da Fazenda, lberalsta até ontem hoje aceta essa solução. Mas, o problema é grande demas para ser soluconado com vaclaçòes, omtndo, aqu e al, meddas fundamentas por fraquea, para satsfazer êste bu aquele setor. Só uma poltca cem P maísculo será capaz de defender os preços do café e elevar as quantdades exportadas, elmnando pouco a pouco os estoques acumulados e, em conseqüênca, assegurando o desenvolvmento econômco. Prêmos, Eletores e Canddatos Rfados... Nestes dramátcos das quo tratos á bola na busca desespentda da -chave" mágca da governador, vce. deputados, comícos dc seus canddatos n antecedem o pleto de outubro, é natural que se verfque un moblzação popular. Até aí, vá prefeto e vereadores. Tráta-so verdadero auge, na luta pelo lá. de cartões numerados, dstrbudos a granel, aos mlhares. voto, na luta pelo eletor, na Ultrapassa, entretanto, todas luta pelo ouvnte nos comícos. as expectatvas, a "genal" que daram a cada "entusasta" o dreto a entrar no sor- As seções de propaganda de todos os partdos polítcos dão Ro, para consegur número nos teo de duas máqunas dc cos- salda do P.S.D. do Estado do tura, novnhas cm tolha, oíerecdas pelo Sr. Getúlo Moura. Assm, todo o cvsmo, todo n entusasmo polítco, todos.os deas democrátcos, que levaram o eletor a, tas reunões polítcas, fcaram reduzdos As mesqunhas proporções cl: um jogo de azar como outro Confederação Espírta Umbandsta Recomenda seu AMBULATÓRO e CONSULTÓRO MEDCO Clnca Oeral ADULTOS E CRANÇAS Crurga Geral MÉDCOS ESPÍRTAS ATENDEM A TODOS QUE NECESS- TAM DE CUDADOS PARA TRATAMENTO DE SADDE Dreção do DR. MARQUES RBERO Daramente, das 14 às 18 horas nformações à tarde, após as 14 horas: RUA FRE CANECA, ANDAR ESQUNA DA RUA RACHUELO PEDMOS DVULGAR ESTA COMUNCAÇÃO **-***************************************************»****t convenêncas do Pas contnuam esquecdas e abando- j AS nadas. O que estamos presencando, da parte dos que j> recentemente substtuíram os que lá estavam, é a preocupaj ção de crar uma atmosfera de acomodação geral, sendo que Jj para sso, fceu estabelecdo que nenhuma questão de ordem Jl nternaconal seja, com convcção, levantada ou debatda, em-. bora esta paz* tamaratensc cause séros transternos às ne-? X cessdades grtantes do Brasl. Tudo é um arranjo entre com-?? padres, e até mesmo a ressurreção do pan-amercansmo não j X terá outra conseqüênca senão a do efeto da publcdade pes- Jj í soa organzada seb os moldes da correspondênca de um \> X consultóro sentmental em que o supremo conselhero é <! X Washngton. Não há nenhuma preocupação em colocar o nosso Jj s País dentro da realdade do mundo atual. Enquanto outras J X nações adotam provdêncas objetvas, como a da artcula- J X ção exata, nomeando para as suas embaxadas representan- X tes X de valor, de acordo com a mportânca poltca dos pos-! s tos no estrangero, o tamarat gua-se pelo crtéro do pres- J X tígo que possu o funconáro junto ao padrnho de nfluên-? X ca lgado ao governo. Todos os postos de mérto captal para 4 qualquer (e nnguém melhor a J polítca exteror do Brasl estão ocupados por entregus- J que c Sr. Getúlo Moura pura tas dplomados, apátcos cu mentalmente ncapazes. A culpa > dzer se é verdade ou não c). do tamarat, neste ponto, deve ser dvdda com o Senado, Nesse andar, nnguém se que, surpreendera que fossem oferec- J por razões de trocas de favores, aprova por unanm- 2 dade, qualquer nome envado pelo Catete, desde que o voto se transforme num emprego, ou em uma facldade ao dos amanhã luxuosos automòves como prêmo quo sa- bc-se lá! sera sorteado e \ equparado ao valor de um vo- { lo. É o fm. E anda mas: X acaba-se por não sc saber X quem cu o que. na realdade. 6 $ que será rfado: se o prêmo. J o eletor ou o canddato... > BANCO RE BRsSLOUO S.A. Motrz Rua São José, 46 a 48 Tel (Rede) Redação de Cr$ ,oo no pjreço mm fl m da Burroughs TENKEY & f0wmmmmmmíwm-í^mè * %. \,T-p \». ç»» E» ^-Mlk, m, ** \ * -.^-A., % KsMm%í ^J \***~*\ Wm *J!t$L L^dmnamwmW8!ÊÊÈ%!^^ ^^^^WpSjfflPHl^HWPKPr^fyl.", 4\J-\à*,> Áwí.Lu,,--.,«é-v!?p,< ><, v s <, >,t B ^M ftàm tâdèlm&bá&íw íf ^ * ^.-«êtêêmmjs. j&l «í"*^ Es realmente uma notca sensaconal. A famosa máquna de somar Ten-Key, da Burroughs, está sendo agora produzda em nosso país. sso, smplesmente sso, possblla uma fabulosa redução em seu preço, um abatmento quase ncrível de Cr$ ,00! São mas de 40% a menos! Faça déa, Cr$ ,00! Uma economa assm eqüvale, por exemplo, ao preço de uma excelente máquna de PRODUZDA NO BRASL, A (MARAVLHOSA MÁQUNA DE 0 QUE NÃO MUDOU NO TAMARAT se tem falado pela mprensa, assm como da trbuna do Congresso, sobre a necessdade do Brasl co- MUTO locar sua polítca exteror numa lnha afrmatva, na qual os grandes nteresses naconas tenham uma decdda defesa aos seus dretos, eclocando o Pas cm sua ndscutível posção no panorama nternaconal. Recentemente modfcaram a dreção do tamaratl. Mudaram apenas o nome dos homens ]! e, quando muto, traram funconáros dc um departamento! para outro. Em essênca, tudo fcou como no século passa-! do. Houve uma certa agtação nestes últmos meses no ce- J; rmonlal, e sso tem a sua explcação: o número de festas aumentando, o dnamsmo festero tem de estar na propor-! ção do farto programa de alegras decoratvas e superfcas.! Fora dessa exctante atvdade, tudo permanece no mesmo ; rtmo do esprto de reboque naugurado no passado dstan- <! te. Os homens ntelgentes do tamarat, os que sabem c sen- Jj tem um pouco mas além da pasagem do lago, estes, com ]> rarssmas exceções utlzam os seus recursos ntelectuas a J favor dos seus nteresses prvados, trando o máxmo das eportundades. O que não dexa de ser uma prova de n-. telgêncla para a vda, mas não exclu a desonestdade do J ndvíduo em relação aos deveres e obrgações não cumpr das, quando nomeados para o trato dos problemas brasleros. t senador que dá a sua aprovação ao gnorante ou ao entre- X gusta. É uma vergonha êsse entrosamento de nteresses pr vados que redundam em prejuízo para o Pas! Que traba lho efcente pode fazer o tamarat se o seu agente no exte- X ror é um débl mental ou se luta contra o exercíco de uma J poltca favorável ao Brasl? Alguns desses nrssos represen- JJ tanes no estrangero são conscentemente entregulstas, ou- *> tres só têm no crâno vadades e ambções das mas melan- «eólcas. São estes tão bem manejados, c prestam tão bons ser- 2 vços ao adversáro quanto os venddos declarados. O tamo- > rat gra numa trama de medíocres nteresses pessoas e de t concessões mpatrótcas ao estrangero. O Mnstéro do Ex- $ teror nào entra na cogtação de dar ao Brasl a posção exa- > ta que o nosso País reclama por dreto e por defesa? própra. > 4 GORA mesmo deparamos com a Embaxada de Buenos Al-» res entregue a uma das lumnosas medkcrdades con- * X decoradas, já gundadas à função do Embaxador! Ora, no * J. momento o nosso representante naquele pas deva scr um JJ s ndvíduo de ala envergadura ntelectual, um funconáro de» > grande acudade poltca e de uma rãpca sensbldade pa- í J ra acompanhar a sutleza d:s acontecmentos que têm cor- j respondèncla com j os problemas brasleros. O Brasl prec- J sa de um Embaxador e náo >. ** * # mt*-m**?mt^m*-*r-m**9-m**fm^*t*tm9^m9^mrm+«*mtm9+ * de um bombo transparente, \ que terá a únca função de í ocupar o lugar para que ou- Jl tros manobrem tranqülamen-? te contra as exatas nforma- * ções, a fm de favorecer os $ nteresses de grupes econôm- j cos empenhados em fazer ^ uma polítca exteror preju- " TEN-KEY SOMAR ELÉTRCA) PODE AGORA OFERECER-LHE ESTA VANTAGEM QUASE NCRÍVEL Teclado reduzdo Mas fácl de operar Compacta, apenas 7 qulos Operação elétrca, slencosa Totas postvos e negatvos até 11 algarsmos Você enconlra o TEN-KEY em quolro lndas cores: Azul Celeste, Verde Mar, Coral Capr c Âmbar Crs escrever, portátl! Assm, quem não pode ter agora a sua Ten-Key? E a mesma Ten-Key de extraordnára precsão, de alta qualdade, de esmerado acabamento, a mesma Ten-Key que excede longe á sua melhor expectatva. Com esta redução de Cr$ ,00 vocc não pode nda a aqusção da sua Burroughs Ten-Key. fe m tm :m tm \ A) é m*j \ % Na» loja*, uma Ten-Key (orna o servço mas efcente, contrbundo também para o bom gosto da decoração. Junto 00 "Caxa"* tornando mas rápdo e fácl o servço, mm favor dos clentes do estobctecrmnta. Também mm armazéns, para efcênca, precsão a rapdez no controlo de contas a crédto. Qur roughs TEN-KEY Máquna de Somar CA. BURROUGHS DO BRASL. NC. Ro do Janowos Rua Vsconde da nhaúmo, ?.<> and.-tel São Paulo: Largo do Passandu, 51. Sobreloo-Tol.- 37* Pôro Ataflro» Roa Pnto Bandotro, 534. Telu Salvador: Avenda Estados Undos, 3 - V> andar. fábrca oa Som»* Amaro Est àm São Paul» O OftAUV dcal ao povo braslero. s Apro- vedr-se-üo aa gnorânca a na- ^ da à flexbldade do represenj tante nosso na Argentna, pa- X ra encamnhar as questões X com as deturpações exgdas í à falsfcação dos fatos que» poderão, dessa manera, me- $ lhor nfluencar a opnão pú- $ blca do Brasl, quanto ã alta * "sabedora" e às "vantagens" s da entrega do petróleo aos * frustes. Em vez de medfca- X rem realmente a estrutura anj tquada e scvl da nossa pos ltca exteror, o que fazem X é porá-la, col:cando em,pos- ) tos c dreções mportantes, J homens que só poderão pela s sua medocrdade ou sua vo- { lúpa entregusta, ncentvar a X trste polítca de rebeque, n- J } teramente deoendente da von-! s tade de Washngton, o que J { quer dzer, da poltca dos J J monopólos nternaconas. sto J» c modfcar? É dar sangue no- s vo aos entendmentos de go- j X vêrno para gcvêrno? sto é * na verdade, ocalzar um j método de venrer, pela falta ^ de conscênca de uns ou pela ncapacdade de outros, o que Jj pertence á coletvdade bras- s lera, e anda na mão de gru- X pos nescrupulosos alados ao J adversáro. Afnal, tudo que J ensna o nsttuto Ro Bran-» co aos futuros dplomatas, tem J alguma lgação com a polt- J ca exteror do Brasl, ou ser-» ve de mas um enfete sem X objetvdade? Não há no mo- mento cosa tão parecda com j Jj a superada UDN, cemo os no-» > vos rumos da poltca nter- s naccnal do tamarat. Tudo J j sào rendas, perfumes, pavanas c curvaturas ao rtmo de múj sca dc câmara. «, Anúncos em ULTMA HORA R. Senador Dantas 7-A Tel.: Em^^SmmmEM ^g^ 11 t permanente dc jóas de fnogôslo- VEN DAS /V PONTO FRO F*f=lAZ.C~* waâ Uruguaana, 140 Senador Dantas, 24-A Av. Copacabana, 749-A (Ed Mtlr» Co w - «Svíll pf f

4 ;! PÁGNA 4 :Ro de Janero, Quarta-Fera, 10 de Setembro de 1958: ULTMA HORV 7 a O MUNDO B8*$ja$^Sa ; yy-;. ; : CHAMOUN NOS E.U.A. O Presdente do Líbano. Sr. Camllle Chamoun, cujo man. dato termna em 24 do cor-!; rente, mandou provdencar \< passaporte para s e para a-! guns membros dc sua fam-! la. Realmente, ntrlucm uo ;; Presdente Camllc Chamoun j o ntento dc passar alguns s meses do féras, quando de- ; xar o poder, nos F.stados Un- j; dos. Devdo às perturbações,» ; presdente há város meses! no sa dc sua resdênca. AMOR E NEBLNA Brgtte Bardot sau, ontem, a passeo de ate com seu novo, num ambente de mstéro dgno de um flmo ;! de esponagem. A loura estro-,\ r, fue normalmente não foge aos fotógrafos e reporte-. res, sau de sua vla numa * colna antes das 7 horas da manha, em companha do ;; gutarrsta Sacha Dste; e, ;! em melo à neblna, os dos, tomaram um bote que os le- \\ fou uo ate de um amgo, an- ; corado perto da praa. Às 8 horas, o e partu URÂNO PARA CUBA Os Estados Undos concor- j d»rum, ontem, em alugar a ; Cuba 100 culos dc urâno pa-! ra um reator dc força mo-!; trz. O comssão dc Energa > Atômca, Harold Vancc, dssc que o reator que Cuba sc $ propse construr "poderá vr a ser o prmero na Amérca ; Latna para a produção dc força motrz". GREVE NA GUATEMA * Ao prmero mnuto do ontem, se ncou a paralsação dus atvdades da Companha Agrícola du Guatemala, substdtra da "Unted Frul Company". A greve é a culmnação de uma dsputa entre a empresa e os cnco ml trabalhadores, que estão a seu servço e pedem aumento de saláros e pagamentos adconas. "THOR" CHEGOU 0 Chegou à Grã-Bretanha o prmero foguete norte-amercano "capaz dc levar uma carga nuclear no própro coração da URSS": traa-se do projétl ntermedáro "Thor", de 21 metros de comprmento e Um, dc alcance. Soube-se, também, que ro concluída antes do prazo a prmera base lançador» de foguetes norte-amercanos na Grã-Bretanha. TERRORSMO NA FRANÇA Váras são us meddas já E S C PELADA PELA "GANG" Em Lynn, Massachusset. (EUA), uma jovem dc 17 anos, Rose Mare Gcmma, fo agredda e. esculpclada por uma "gang" dc mulheres casadas transvadas. Após três das de nternamento no hosptal, Rose exbu melancòlcamente. para os fotógrafos, (Foto UP). PAZ EM FORMOSA SERA 0 PREÇO PARA ADMSSÃO DA CHNA NA ONU WASHNGTON, 10 (UP) O Secretáro de Estado John Foster Dulles declarou, ontem, em sua entrevsta á mprensa, que, na sua opnão, não huverá guerra pelas lhas de Quemoy se os Estados Undos mantverem frme sua polítca. Ao mesmo tempo, revelou que os Estados Undos envaram, A Chna Popular, uma nota em que lhe comuncam que estão dspostos a rencar as conversações dplomátcas, com vstas, a resolver os ltígos atuas. Dulles dsse que seu pos está pronto a rencar as conversoções entre embaxadores, em Varsóva, u qualquer momento fxado por Pequm. O Secrutáro de Estado acrescentou que, se a Chna renuncar ao emprego da força, na regão dc Formosa, sso poderá ter o quo qualfcou de conseqüêncas, embora ns consderasse favoráves. Tas "conseqüêncas favoráves", segundo se conjcttrou, seram, antes de mas nada. um amortecmento na oposção dos EUA à ndmlssão da Chna Popular na ONU. MOSCOU, 10 (FP) As Nova Advertênca de Chou-En-La Conra as "Provocações" Dos EUA TÓQUO, 10 (UP) Chou-En-La, Prmero-Mnstro da Chna Popular, declarou mas uma vez, à note passada, que seu pas tem "lodo o dreto" a tomar Formosa, podendo faze-lo quando quser o pelos meos que escolher. Falando em uma recepção realzada em Pequm para comasmorar o décmo anversáro da Coréa do Norte, Chou expressou: "O povo chnês tem todo o dreto de lbertar seu própro terrtóro por todos os meos adequados o no momento aproprado. Não tolerará ntervenção estrangora alguma." Chou amplou sua advertênca da note de sábado contra as "provocações" dos Estados Undos na tensa regão do estreto do Formosa, para nclur a Coréa, declarando "se que a claquc de Sytgmá Rhee c seus amos, os mperalstas dos Estados Undos, ousarem cometer uma nova provocação contra a Rcpúblca Democrátca da Coréa (do Norte), terão um fm anda mas desastroso e gnomnoso". HONG-KONG, 10 (FP) Segundo a Rádo de Pequm, mas de sessenta mlhões de chneses partcparam, em todo o país, das manfestações contra "as provocações dos mperlalstas norte-amercanos" no Estreto de Formosa. Acrescenta a emssora que os manfestantes atngrão faclmente o número de cera mlhões nus próxmas 48 horas, em uma população total de 600 mlhões de habtantes. tomadas ou a serem adota- ;> das proxmamente, para en- a! WASHNGTON, 10 (UP frentar o novo surto de ter- :, O Partdo Democrata proclarorsmo argelno na França., lllou jublosnmentc, ontem, que entre elas as seguntes: Os <! sua espetacular vtóra eletoaltos funconáros de polca!; ral. no Eslado do Ma ne, traem cdades da provínca on- dconalmente republcano, è de não exstam grande co- ] um ndco de que a nação remundades argelnas, serão f pudará o Presdente Elsenho- transferdos temporàrnmente para Purs ou outras cdades onde o problema argelno se apresente agudo; os ofcas e subófcas do Exércto poderão andar armados para defender-se de possíves ataques dos argelnos; e é possível que os estvadores argelnos, exstentes em grande número na França, sejam probdos de trabalhar nos, prncpas portos do pas.! NOVA EXPERÊNCAS \ A Comssão Federal dc Energa Atômca anque anun-. cou que a fase fnal da sé- ; re de experêncas nucleares j de 1Í58 no deserto do Neva- < Comssão de Armstíco de Pan Mun Jom. >< REDUÇÕES DE PESSO Por ntermédo do Dretor 1; do Orçamento Federal, o Pre-? sdente Esenhower fez um apelo a todos os servços da admnstração amercana, pnra que realzem, êste ano, reduções de pessoal, pelo menos de Z/«. As reduções peddas pelo Presdente atngem a perto de funconáros, c representaram uma eoonoma orçamentára do 950 mlhões dc dólares. LVRO PORNOGRÁFCO Pela prmera vez nu Unão Sovétca fo lançado um apèlo, ontem, "Gazeta pela Lterára", pnra que se queme uma edção completa de exemplares. Trata-se de um romance publcado pela ed tora da socedade de cooperação voluntára com o Exércto, a Avação e frota "Dossaf", nttulado "C.C.C. 41 Notas de um agente de hformações". Èsse lvro, que contém numerosos pormenores pornográfcos, apresenta no entanto, na capa, uma nofensva handernha branca com a nscrção "Para a bbloteca do escolar". Drgndo-se" aos chefes de famla, "Gazeta Lterára" convdaos a correrem às lvraras para comprar o maor número possvel de exemplares do ctado lvro, a fm de quemalos medatamente. BOMBARDEROS A JACTO CHOCAM EM PLENO VÔO SPOKANE. Washngton. 10 (FP) Dos bombarderos ggantes a jacto do tpo "B-52" coldram ontem à note, em pleno vôo, acma da base mltar de Farchld. Notca-se que pereceram no acdente onze dos qunze homens da trpulação dos dos bombarderos. Os dos aparelhos lançaramse um contra o outro a alguns qulômetros da psta de vôo» de Farchld. lncendando-st medatamente. Os destroços J dos bombarderos dspersa-? ram-se em superfíce superor? um qulômetro. 2 f»mmmmmmmmmm++++m+++»*r»»t+* manobras conj mtos dos fòrças armadas norte-amercanas e naconalstas chnesas, que se ncaram no estreto de Formosn, são segudas com a maor atenção em Moscou onde sc acentua, em especal, o pergo que comporta, no pcrlodo de tensão atual, um deslocamento de forças navas nesta parte do mundo, depos da decsão do governo de Pequm de elevar para doze mlhas suas águas terrltorals. Recorda-se por outro lado, que nenhuma "dembnstruçfto de força" tendo em vsta "ntlmdar o povo chnês podera modfcar sua resolução dc "lbortar Formosa e as lhas costerns quo fazem parte ntegrante de seu terltóro" e que se trata, pura a republca popular chnesa de um assunto de ordem estrtamente nterna. PROGRAMA DE LONDRES PARA ARGENTNA E BRASL LONDRES, 10 (FP) O presdente do Banco de Londres e Amérca do Síl, Sr George Bolton, anuncou a emssão de novns ações de uma lbra, emssáo que permtrá fnancar seu programa de reequpamento, prncpalmente na Argentna e Brasl. EMPOLGADO COM A URSS 0 FNANCSTA ANQUE MOSCOU, 10 (F.P.) *- "O Sr. Kruschev quer snceramente que não so regstre umn guerrn entre n Unão Sovétca e os Estados Undos e esse dese- Jo expressa a opnão do governo e do povo sovlétco", es o que declarou o fnancsta norte-amercano Cyrus Eaton, no "Sovctskaya Rossa". Declarou Cyrus Eaton, gualmente antes de dexar n URSS, manter a profunda convcção de que "o povo sovétco 6 um grande povo que tem em sun frente um futuro maravlhoso". Afrmou que no regressar aos Estados Undos fara tudo o que estvesse em seu alcance pnra que os homens de negócos e sndcalstas norte-amercanos fzessem vagens à Unão Sovétca. Cyrus Eaton expressou novamente o desejo de um encontro entre o Presdente Esenhower e o Sr. Nkta Kruschev. ^^fcsyjjjs«fôj^a«j M^ mm n ft* MÊm $ÈÊ&ÊmmmÊ& *fmè ^K ^F ^^^^ÉÉÍ Í Hnk, -Um m : %. ^ÊÊ WÊk. * \\ ^^^^^B.j^h ***&**. %.MmWWWlty^jÈlQ. JmW mmt^ ^MMM H JfMü. * mm* Ú&mmmmmmm&mk m^l^mt^k M-W MWmU ** W. 7 - *m Ymmy ^^ÊÊ!m*mFtmmmM\m\ ^V r^^l H «*) afskj»..- s^ MWMaí mm mmt mm ^ÊLmWy. Es "Sb> flph >Srt«^l bs^**3h^; ^^mêê t^b^m^^m^mm mm VTORA DOS DEMOCRATAS Edmund. S. Muskc, recebe um bejo de sua espôta por motvo de sua espetacular vtóra nas eleções realzadas no Estado do Mone, EUA, A eleção de Muskc consttu fato sem precedentes na hstóra do Estado, cjue sempre esteve representado por republcanos no Senado da Repúblca. (Radofoto UP). Argentna: Cede Frondz à Pressão da Aeronáutca BUENOS ARES, 10 (FP) O Governo Frondz anulou o decreto que promova o regresso à atva do Comodoro Júlo César Krause, ex-mnstro da Aeronáutca do govèrno provsóro, cuja volta à vda mltar provocou uma crse aguda no seo da Aeronáutca mltar. Anda segundo os círculos bem nformados, o secretáro de Estado da Aeronáutca, Comodoro Roberto Huertn, abandonará SÉRA DERROTA ELETOR 00 PARTDO DE ESENHOWER wer e o Partdo Republcano, nas eleções geras de 4 de novembro próxmo. Paul M. Butler. presdente do Comtê Naconal Democrata, declarou que a esmagadora vtóra do partdo, nclundo o trunfo qua converteu o Governador Edmund E. Muske no prmero senador democrata eleto no Malne, pelo voto dreto do povo, é prova de que o eletorado naconal está decddo a voltar os costas ao Presdente Esenhower e sua admnstração republcana, nas eleções de novembro. O resultado de ontem acrescentou Butler. demonstra que o eletorado está "farto de r í derva, farto da ndecsão e ansoso de ter uma dreção frme", e que os republlcanos não conseguram convencer o povo de que "a desocupação é prosperdade, que a corrupção é honestdade, que r à garra é dreção, que a rebelão no Levante e no estreto de Formosa é paz". Moorc - McCormack anunca. G8S NYOS E LUXUOSOS TRANSATLÂNTCOS asxowísígj&^ví.<^-ay^fr.v>^^^^^>jlafr\;fj&^^c3$^yaa^ N"" -, ""**"t*ag^v 7^^^^^^mm^^w^^^mmmmWm^S^^vV^^y^.- TWwí^^^fc ^ÊOBBÊ-^-^-^-^-^-^-^-^-^-^-^-^-^-^-^-^-^-^-^-^-m do correnle, pela explosão de j uma arma atômca, suspensa j v^*.jy-.7.^^27ljg3mkew WmmB&y a um balão..>^^". > ft "-T-;-1 Ü! -^^" "(L v--.;^ty&y :y&--~:.*í. ^ «EsffS^Bw. ^^^Gw^íZ&^KÊ OFERTA DE AUXÍLO. ar^-^wící»** * ^a&l ^*V-.\--..-.^\yy--yy.-s?y&v.Jf..y.y,yf& ^Mm^-,-\.y..y.yr.-:-yJ ^.-^VH >^^^h^^^ Pja^--a. <\ymm-??> V,*ufc "- ^^^... y^^^l ^tmmmm^wb.- ^^**Íj í "? *- $ Jt -WyTy Jf. ;.?.;. fm^lm A Coréa do Norte desejara oferecer à Coréa do Sul Zs--. v.>v^^-..^á^êms-cfmu^lm^êu^l^lm mfr..;v^>- < -^y^^^sykty*--=. ^^-a^1- - -^**ss^ -,AJ^^*mcwn&.3ws&y._f.. auxílos destnados "aos k^--^v.-^-" -í*^""^ <%-s""í^^^^o6ü>í s*s*^..-;"- ^^^^-y^st^^^^-^ht^ ^^y^^^^^mfm^lmm^^at-s T-ar ^^ desempregados e aos órfãos". *-^-^^^^H a^^^l^^^^^^ "^j-r^y.-yfy^yy**, ^f^ôtoc-w^****^ fe-.l...-.\-.-^klll- ^^-t^.* h^í^*** - - " -mm -".-y\/f^mmm mm* ^khhí Essa proposta ío feta ontem, rí ^^ íí >* njífltb» **^**ír>í5*,o*a» wat*"8h\ ^^^h mm~m*swmmm&&>y-x-y77^^mm no transcurso de reunão da altr;víífãví^^;^"- "^-í-**. : >- :-^x-»:--:-^^^-;>.>oò E^WRa^v^^^^^^DÉÉÉK^. --y^^^^-w+í-;.~ vws ^^^^V^kv^vu^^^B^^&t!»f-... \%>_ -^^-^^^B^^^l &;"-.-^ ^^wyíí.<.y-r$veã\y<s<,.,>.;-x- "-^^^^Sv^v^V^^^^VaHB^bk.r *.^MMJf- \;\.. ^fc,,/ ^^t-vt.ur^^h.v-.. a^bcsn^krjhfaaí^ú?^-.^*;-;r^^^h^^h r..-r^a^" ^ c. ^.,. **" *,^^^^SSmfÊt/mmmm^... ^^M^^^W^fcat^^Z^íTTT^T^^a^a^M^.. ^^_ íbv^hr l" *^1t^^rJt^tLm* ^ W^tf&m SJS BRASL." vagem naugural, em setembro SS ARGENTNA. prmera vagem, em dezembro * Escalas: Buenos Ares, Montcvdco, Santos, Ro de Janero, Baha, Tndad, Barbados, Nova York. Um estlo de vda a bordo nlcramente novo! Duas rápdas c maraylhosas estações de repouso no mar, num ambente deal para sua sonhada vagem aos Estados Undos. magne-se você num destes extraordnáros navos, decorados com mpressorante bom-gústo e fantasa, cm cures que refletem a natureza, com predomnânca de sol c mar. Magníf-. cos vtras, vda ao ar lvre, dstrações "country-club" de e ar condconado, de controle pessoal, em cada camarote! O.s dos navos têm somente prmera classe, c todos os camarotes dão para Procure hoje mmuno mu oganf* c/e ^_M o mar. Tudo fo prevsto para assegurar aos passageros c suas famílas o máxmo conforto. Dscreta e perfeta assstênca pessoal, a mas fna coznha nternaconal. Da e note,- varados passatempos anmam a vagem. Há, naturalmente, servços relgosos. Comoddade c assstênca cspecal para cranças clc tenra dade. Em sua vsta aos Estados Undos, faça compras sem preocupação de espaço, pos não falta lugar a para o que adqurr. bordo Aprovete esta grande oportundade, c ofereça a s e à sua famíla um presente nesquecível. vagens ou escreva para: MOOREMcCORMACK (NAVEGAÇÃO) S. A. v o sn Escrtóros no Ro dc Janero, Belém, Recfe, Baha, Santos, São Paulo. 2 ns suas funções e todos os ofcas demtdos,# reassumrão seus postos. Tensão BUENOS ARES, 10 (UPD A crse rrompda na avacã-v mltar parece contnuar loje, segundo ndca a notca ae que numerosos ofcas solctaram baxa ou se acham presos. Ontem à note, o secretóro da Aeronáutca, Conodoro Roberto Huertu, publleou extensa declaração dzendo que \já agora, fo coberta a totaldade dos comandos e chefas, a fm de não nterromper por mas tempo o desenvolvmento normal das atvdades da Força Aérea Argentna." Acresceutou que a stuação fora domnada nteramnete á melanote de quarta-fera, embora admtndo que tvera de substtur comandos devdo á resstênca despertada pela desgnação de Krause; e revêlou que quatorze altas patentes acham-se detdas à dsposção do Conselho Supremo das Forças Armadas, "para esclarecer responsabldades-. Acrescentou Huerta que nove desses detdos olctaram reforma, e que mas outros oto chefes mltares fzeram o mesmo. Posterormente, soube-se que numersoos avadores mltares havam peddo seu "afastamento do vôo", o que sgnfca que a partr dessa data dexam de ser avadores, para passar a desempenhar funções geras dentro do corpo de comando. Segundo nformantes lgados aos ofcas que tomaram attude, estes consderam o Secretáro Huerta responsável pela stuação. nforma-se anda que todos os ofcas superores do curso da Escola de Comando, e dò Estado-Maor solctaram baxa do mesmo, bem cemo lcença. Absoluta Lberdade BUENOS ARES, 10 (UP) O mnstro do nteror nterno da Defesa, Sr. Alfredo Vltolo, em entrevsta coletva, referu-se a város acontecmentos que provocaram tensão em Buenos Ares, tas como as manfestações estudants, os confltos sndcas e os acontecmentos na avação mltar, dzendo que devem Ber consderados "com ampltude e sem excessos que contrlbuan para aumentar a ntolerânca exstente e herdada." Acresoentou que "o govèrno sabe que há grupos nteressados em crar determnados estados de anarqua ou desordem descontrolada, com o objetvo fnal de provocar uma crse no regme nsttu- Olonal, á margem da expressão popular refletda nas urnas." Apesar de tudo sso, acrescentou, o governo manterá um regme de absoluta lberdade. M--.htt\\\.\*.m. ^ MMtMMMKMr nternaconas DECLARAÇÃO CONJUNTA HOJE, EM SAO PAUO f,8crá assnada hoje,.m 80 l; Paulo, a Declaração Conjunta, ftalq-braslelra, * ao fm da v. sta do Presdente Gronehl Ao que soubemos, a Dec* ruçso, em seu tem mal» m. portante, dará o apoo da tála h tese da maor nsr. cpação da Amerca Latna nos assuntos mundas, embo-,; ra nao faça menção espeeff. ; ca à Operação Pan-AmerUa. ] na. Será reconhecda a f. d cessdade de um» "dnamu-!; çao" das relações entre pa. scs acdentas, no sentdo dc dar-lhes maor "poder cru. dor", segundo a expresuln!; aceta pelo Sr. Foster Dullfs para ndcar a necessdade dc conclar os nteresses das grandes potêncas eom a luta ; pelo desenvolvmento ccolô- ] mco dos pases mas pobres.; do Ocdente, bem como a np.! cessdade de melhor planeja. mento da poltca ocdental em relação à par mundal. A Declaração fará, também uma menção ao trabalho da mgração talana em São Paulo, baseando-se no exempo de sua obra para projetar! uma ntensfcação das rela- ; ções entre Brasl e tála, ;> Não será feta, contudo, rete. rènca alguma aos objetvos!; econômcos específcos das > conversaçoes realzadas entre a as autordades dos dos pa,!; scs, durante a vsta do Presdente Gronch. Sabe-se que, pelas funções lmtadas ao acance do Presdente, na ta- Ha, o Sr. Gronch não pode ;; assnar documentos que m. pllquem em responsabldades medatas para c poder cxc. BUENOS ARES, 10 (UP) - O novo embaxador do \ jffí^;v. 7."ntAa Brasl nesta captal, A. Bou- <"sl F»»»» \\ ltreau Fragoso, que chegou! ontem a Buenos Ares, apre-!; FORMOSA sentará suas credencas ao Presdente Frondz hoje, em; uma cermôna a realzar-se! (UP) A marnha de guerra desmentu, ontem, que a mssão naval norteamercana que vstará o Ro de Janero esta semana tratará do empréstmo de submarnos ou destrôres dos Estados Undos ao Brasl. Um porta-voz da marnha declarou: "A mssão não rá no Brasl para dscutr o empréstno de pequenas embarcações, mas sm para conversar sôbre o adestramento e assuntos técncos relatvos nos navos". rrímtua COMPLCA A REUNÃO NA ONU Círculos competentes dn tn- na Casa do Governo, * marat confrmam que a le.! legação braslera à rcunüo hanccleres amercanos, EUA NÃO EMPRESTARÃO ova York, comparecerá j!! ao conelave cam o esprto de SUBMARNOS AO BRASL cumprr estrtamente o urn. WASHNGTON, 10!; jeto ncal do Mnstro do,\. ; teror mexcano, qual «cn o de "aprovetar-sc z concdu. ca de estarem reundos os 21 \\ chanceleres amercanos, durante a Assembléa Geral da ONU, para contatos desten-! ddos a nformas entre eles",!; A nformação toma relevo fa- ;!,, ce à nquetação mostrada pelos meos dplomátcos des.!; Captal, em conseqüênca dos \< movmentos orgnados pelo! Departamento de Estado nor-!; te-amerleano, tendentes a ; transformar en reunão for- mal o encontro de Nova York, ; com o objetvo de fazer votar ; por ela uma declaração pol-! tca sôbre a stuação mundal. Observa-se, nesse sentdo qna "QUER GRÃ-BRETANHA LANÇAR l!:rs5rfftls«"encampação ds Operação SATÉLTE «QUE VHA A PENA» Amercana" jjse pelos Estados LONDRES, 10 (UP) A Grã-Bretanha está consderou do o lançamento de um satélte depos do êxto do dsparo de sou projétl nuto-propulsado "Black Knght". domngo passado, segundo dsse, ontem; o Mnstro de Abastecmento, Aubrey Jones. Jones declarou que estava sendo consderado o valor de um programa de satélltes, Dsse Jones que não va a necessdade de se segurem os passos dos lançamentos dc satéltes sovétcos e. norteamercanos. Se a nglaterra Recessão anque Faz a tála Procurar o Mercado Braslero ROMA, 10 (FP) A vsta do Presdente remover os obstáculos á unfo pn-amercona Glovann Gronch ao Brasl cotnua e conter a desvalorzação do cruzero e acresocupar lugar de destaque na mprensa ta- centa: "A amzade e a compreensão de que lana, que lhe consagra longas correspondeu- a tála deu provas nesses das dfíces, concas nas quas salenta a cordaldade do trburao para aprofundar mas as relações acolhmento que as autordades e o povo braslero e sobretudo, as coletvdades talanas Por sua vez, o "Glornole dtálla" regls- polítcas e econômcas entro os dos países". tém reservado ao Chefe do Estado talano. Consderando os aspectos econômcos das tra os boatos segundo os quas o Presdente relações talo-brasleras, " aorno", de Mllão, escreve que, contraramente ao que pen. çâo de uma nsttução nterumercauv para Kubtsehek va sugerr a Washngton a cra- sam certos círculos econômcos, a "recessão s fnanças, vsando a escolha dos meos de norte-amercana anda não termnou. Nessa desenvolver a afluênca dos captas prvados stuação acrescenta é natural que se procure encontrar novos escoadouros para a nossa produçfo. Por sso é que a vagem do Sr. Gronch representa um dos momentos mas felzes da tála de após guerra". Undo Pan-Amercano O jornal declara que o Presdente do Brasl, Sr. Juscelno Kubtsehek, consegurá Undos, denota» desejo norentrar no programa de saté.l- \ tc-nmercnná de forcar aquetes acrescentou lançará * a transformação. Á notca um que "valha a pena". Sabe- p, faa j,. Uma nota do lleparse que o mnstro quera dzer,,; tamento de Estado às chancom sso, que o satélte brltà- ] cela r as latno-amercanas, nco será maor e mós com- "covoeonclo-as" ] para uma plcado que o dos norte-amer- ;! reunão cm Nova York, nos canos,! das 23 o 24, o que não cor- O "Block Knght, de 11 me- J responde à realdade, nem potros dc comprmento e equpa- í deru corresponder, posto nue do com um rádo do ação po-, apenas ao Conselho da OEA tencal de ABO qulômetros, fo!; compete convdar para renconstruído a um custo "mn-!; nfles desse nvel. A nota remo" segundo Jones do ; cebda pelo tamarat, nesse a 5 mlhões de lbras estérl- :! partcular, apenas expressa a ; satsfação do Departamento ;; de Estado pela onortndnde na Amérca do Sul, a establzação dos preços dos produtos-base sul-amercanos, "Num tal quadro dz o jornal a vsta do Presdente Gronct ao Brasl poderá ter uma sgnfcação que va multo além das questões medatas e que ultrapassa, mesmo, as relações entre a tála e o pas amgo".! estmulada pelo Méxco, das "reunões nformas". ; Certos meos acredtam, p contudo, que a engrenagem : fo posta de tal forma en;! movmento que não sn poderá ; evtar uma Deeluração Conjunta. A cartada jogada pe-! los Estados Undos ua que» ; tão de Formosa agora lor- < nada mas séra pela possb-! ldade aborta por Foster Dul,! les de levar-se a dscussão lo ; caso n Assemblét da ONU,, fará com que W&Nhnxton exerça grande pressão nesse ; sentdo. ym*rm+m++m*mmmm+**m*mm+****" CFRRARÃO FERAS CONTRA DE GAULLE PARS (UP) Os lderfs ío esquerda, opostores ao govérno. anuncaram, ontem, que cerrarão fleras detrás do ex-prmero Mnstro Perre Mendes France e lutarto com todas as suas forças rontra o regme de "homem forte" do Oeneral Charles oe Gaulle. PEÇAS AVULSAS Aprovete o facílmo GRED-NUNES <?/:-w«:í l^?r l 1 V^J< «^flí-ííeí^kr^sssjp^" ^.^r&asrw-^slj^at^xv»,»,«.* ^f!ílí^p& \ V>^~" ^-K&^Js^-mZ^^W^^M^roítQot*»âtts o t«o 9c%.r»9MM c*t Nt 109 fsllorã Mt 1*4 MrOK* Vl«tllHl? O Nl *? ^^^^mm^^^ ^^^^^^^^ N. 101 Bofá Vcnwa Crt.^MM^^^^^^^^^^^^^Mmm. ^^ -^^^^^^^^--^^^ N? 1CS Mesa quadrada Cr> ^m /% C /t, ^-^^^^ >*^fargtm N 10í Mesa Chnês» ^r\ ^a^^*"* * fl ^^^ r^^m C» _^mw N 101 Sofá Jomus CrJ ~^^^Mmmmmm~mm»*^^ ^^mm^^^^^^m^^^^ Nf 0S Poltrona Pars V» N? 106 Poltrona Vuleapuma Cr» RUA CAROCA AV. COPACABANA RíSSS^JS^/.::."^." ^ TAPETES CORTNAS PASSADERAS REFLETORES Nf 109 Poltrona Cansuru *:rs , , , ,03 S , , ,00

5 ULTMA HORA = Ro de Janero. Quarta-Fera, 10 de Setembro de 1958 PAGNA 5 GUANDU VA PARAR: ABASTECMENTO DE ÁGUA SERÁ NOVAMENTE AGRAVADO. <t_ defntvamente «senta abastecmento de água no perodo da realzação do Congresdas pela seca. Entretanto, abastecmento das zonas atng- Departamento de Águas, que, a paralsação do Guandu pa- o rlretor do DA. confn cm assm tentará. retrada do tampão que so Eucarstlco. Todava, justfcar a desorganlzação e a falta de planeja- com a ".«retendo os 200 mlhões de nova dstrbução que as do lqudo nos chuvas tenham melhorado a vazão dos reservatóros, o que ev- atvdades daquele setor da Mumento [Tos de água que faltam nas subúrbos, depos que vêm marcando as de concluída T.ras da Zona Norte. Essa parta de Guandu, entendeu o tara um colapso no abastecmento com Wr3íJl nlclpaldade. Embora reconhecendo de h multo estava nas dretor do DA ser desnecessáro rcsões «o dretor a retrada da carga do Depar- aquele reforço, resolvendo que o problema exste e retêlo através do referdo tampão da adutora do Guandu..mento de Águas, mas tal proque a água não chega às torneras apesar do anuncado refôr- _.rf«oara evtar um descala-. colocado sôbre a adutora. D. A. Explcará o Fracasso " Valor no abastecmento. A retrada do tampão, que O Sr. Ataulfo Coutnho, segundo anunca o ço de 180 mlhões de ltros que Aaora, com as chuvas que estão normalzará a dstrbução de correram através do Túnel dos gabnete do cando- acredta o Sr. Ataulfo água na Zona Norte, a qual anda se ressente da falta do l- do Túnel-canal dos Macacos Prefeto, va explcar o fracassa Macacos, o Sr. Ataulfo C:utnho Coutnho nue os manancas volcertamente omtrá em sua nota e os S. ao normal para poder exe- qudo, como vem acontecendo defetos na dstrbução de as razões água. pelas quas não nncontrou a solução para o angus-...lar anuela medda. no Grajaú, Tjuca, Andara! e Uma nota ofcal está sendo redlglda pelo própro ttular do tlante problema.,u0, "0 mlhões de ltros for_m ncados na segunda aduto- Meer c Engenho de Dentro, v- grande parte dos subúrbos do r de Lajes para reforçar, o rá, por outro lado, agravar o MELHORA SAR PARA VNTE ML SAPATEROS Decde-se amanh o aumento de 20 ml trabalhadores das fábrcas de calcados. Provavelmente a assembléa patronal aro- rá a marração geral de 20%, sem mínmo e sem teto. Pelo menos é èste o p*nto dé vsta da dretora do Sndcato da ndústra do Calçado, segundo revelou à reportagem de ULT- MA HORA o Sr. Plíno Alves, presdente do Sndcato dos Sspatelros. Vgênca à Partr de 1. de Outubro por outro lado. está pratcamente assentada a vgênca do aumento a partr de _. de outubro. Os empregadores queram.uc o aumento passasse a ser pago 60 das após a assnatura dò acordo. Mas a dretora do Sndcato dos Sapateros apresenlm argumentos que levaram os empregadores a admtr, em prncpo, que a vgênca se ncasse no da 1 do próxmo mès. Operáros Acetam _ Os operáros acetam o aumento de 20%, adantou-nos ;r plno Alves. Poderemos assnar, portanto, acordo com os ndustras, desde que eles aprovem, amanhã, os 20% para tòda a categora. Alás, posso assegurar que o set:r patronal não se opõe a essa percen-1 tagem". Novas Eleções Dos Comercáros Vos elas lã, 16 e 17 do corj-ento serão realzadas novas eleções no Sndcato dos Comercáros para a escolha dos seus futuros drgentes. í_ a se- «mula convocação, uma vez que na prmera.áo ío alcançado o "quorum" legal. As duas chapas que concorrem ao pleto, lderadas pelos Srs. Jame da Slva Corrêa e Waldemar Gunaãcs, estão desenvolvendo o máxmo de esforço para que compareça o máxmo de assocados ás urnas. Aumento Para Motorstas Motorstas e ajudantes das emprosas de transporte de carga reúnem-se hoje, à note, na sede do Sndcato dos Rodováros. para aprovar uma tabela de aumenlo. Essa tabela será apresentada aos patrõe, para o nco das demarehes relatvas ao reajustamento salaral; Bancáros na Expectatva Os bancáros estão na expec- (atva por causa do aumento salarl. Ontem, à note, esteve reunda a dretora do órgão da classe a fm de se nterar da attude dos banqueros sôbre a majoração dc 35rM As comssoes sndcas serão convocadas para opnar sobre os rumos da campanha. Outra Onda de Fro Atngrá o Ro! "Dentro dc poucas horas seremos atngdos por outra massa fra vnda do sul" afrmou ontem a ULTMA HORA, o Coronel Maldonado, dretor do Servço de Meteorologa. "Contudo prósseguu a temperatura no Ro de Janero não calrá multo, devendo a mnma chegar a uns 10 graus". Esclarecmentos Retfcando que as "freules ras" seram orundas (o centro contnental, como mutos supunham, o Coronel Maldonado eselareceu: A onda dc fro que ora atnge o Dstrto Kedcral, assm como a outra que dentro de mas alsumas horas chefará, é pro- \emente do pólo Sul. Os Estados de São Paulo e Paraná não foram alcançados Pda geada. Entretanto nas partes altas do Ro Grande do Sul, no Sul de -Santa Catarna e Mato Grosso, sua presença se faz notar. A temperaturá naquela regão baxou muto, mas até o momeno nâo há nenhum dado ; respeto. As chuvas que se precptam em todo o tto- >*al sul e leste do Brasl sao efetos causados pela corrente fra. Tempestades Chuvas de Granzo E prossegue o dretor do Servço de Meteorologa: Não estamos lvres ede chuvas de granzo e até mesmo de tempestades. Atravessamos um (te período anomalas e um rápdo "esframento das massas atmosfércas pode provocar grandes quedas de -"Su«, devdo o acúmulo de v»por, cuja causa únca é o calor renante, embora contradtóro, em pleno nverno. Fro no Verão Devdo ao aparecmento de manchas solares, Poderemos sentr -o fro muntenso em pleno vc- > ou. mesmo, sofrer eeltos os de temperatura vadíssma ele- durante " o hvercomo aconteceu «ns em do mês "ornem, passado, fe- a* quc fo causado explosões pesolares". ara conclur, afrmou o -oronel Maldonado: _ _, *ào se «*m pode prever absoluta» certeza turaçào qual dos ondas efetos das de fro CUe «legando estãg do sul, assm co n,ao se pode deduzr -e cau,,- chegará mente precptaou vrá "«aumenta!- esradatvamente à med oue formos " nos afastand" nverno". Aumento de Saláro: Protestam os Professores Partculares! Contnua sem solução o mpasse surgdo, como decorreuca da campanha encetada pelos professores partculares, em favor de uma melhora salaral. Km reunão do Sndcato da classe, realzada entre os das 2 a t do mês em curso, foram aprovadas duas moções, que refletem muto bem a stuação vexatóra a que chegaram os profssonas do magstéro secundáro. Uma moção protesta contra decsão recente do Trbunal Superor do Trabalho, ao apreca- o dssído coletvo susctado pelos estabelecmentos de ensno e confrmada na aprecação dos embarques de nuldádé è nfrngentes dc julgado. A outra moção protesta contra a attude do Mnstéro da Educação e Cultura, que dexou de provdencar o pagamento da suplementaçào dos saláros a que tém dreto os professôres partculares. Os manfestantes apelam, afnal, para a nossa mas alta Corte de Justça, no sentdo de revogar a decsão do Trbunal Superor du Trabalho. V o manequm aceta qualquer tecdo...mas VOCÊ que tem cabeça, exja o melhor TECDOS f aa^\-flfl) r^^kf l (Sl 1 _r A^ éwè [ à venda nas boas casas do ramo, ^s^s_. J. com esta marca na ourelo CA. LANFlCO TO DA BOAVSTA uma ndústra LEVY G ASPA R AN RO DE JANERO RSDE ^*8 -_#*»- *. lr_s_ \ nm aa fl " \ JURHf * V \ plu UMH H n lhlll _l*e f C 1 wêc V" " llll» UlV _PP -*-*** m*:\. * 1 mwmm&&* x f - «K#%m H^HH B jbm. P. r -** 9 mmwr- BP^?;-*: " < W,_RWwfHr_T?WfVl_rV»_ Vtr&lmkW^ 11^%&%d H_f ^***;> "^áíp1^ *mm, 11 M$fm lmlíkkm)0m <, m&^(. *. -< M *mmmw^w^^^^^^^mu mw^m WÊ^f^^^^^f. ^MW^^^W^^M^Mmmílí? e pp^ l^ m á B_^í^^^^^^^^- t llhí MW _ *> lc; g^^e^^ll^g -^^^MPg^^l^l^Í^^^É_É_^L L JL3LJÊÍÍJÊL #0m JU l mmftmj^tmmúú(l RELÓGO "BEN-Orgnal modelo! A últma novdade em relógo çle mesa Corda para 8 das. Meo carrlhão. Bate horas e meas-horas. Grande varedade de mostradores em cores modernas. Com certlcado de garanta e seguro. RELÓGO DE MÓVEL - Corda para 8 das. Meo carrlhão. Bate horas e meas-horas. Em lnda caxa de mbuía clara ou escuro. Com certlcado de garanta e seguro. 350,O mensas 580, mamas mensas J O RELÓGO CARRLHÃO - Corda para 8 das. Bate hora de 15 em 15 mnulos. Som melodoso. Caxa em madera de le, dversas tonaldades. Com certfcado de garanta e seguro. CARRLHÃO COLON Corda para 8 das. Bate horas de _,_.. O _!!_._ O em 15 mnutos. latn melodoso. Caxa em madera de le, dversas tonaldades. Com certfcado de garanta e seguro. CUCO Máquna resstente de precsão. Bate horas e meas-horas. Janela c/ passarnho. Caxa em madera clara ou escura. Com certfcado de garanta e seguro. RELÓGO OE COPA Em madera esmaltada, nas cores: creme, verde, azul ou branco. Corda para 8 das. Com certfcado de garanta e seguro. ^k^ãra^^mwjs%ks MASSON * > Rua Sete de Setembro, , mensas 275, mensas 215, mensas sx<<f.e sem compromsso de compra? Realmente, só a Casa Masson lhe oferece estas vantagens. magne!...< você agora pode ter durante 8 das em sua casa sem compromsso de compra o relógo que falta em seu lar. Pode assegurar-se de seu bom funconamento e verfcar se o modelo que mas lhe agradou combna com o estlo de seus móves e satsfaz à sua famíla. A oportundade é únca! Aprovete para adqurr o seu relógo por bom preço e com as facldades da grande Venda Masson de Relógos para o Lar. Você não dá entrada.- e só começa a pagar no mês que vem! \\ e mas ÍOO modelos dferentes em maderas de le * 1 }! -ma, mm & llátt Você não dá entrada f Você só começa a pagar no mês que vem! Você marca os das de pagamento! Você recebe a famosa garanta Masson! LOOK

6 T PAGNA 6 sro de Janero, Quarta-Fera, 10 de Setembro de 1958 JANGO: E PRECOSO 0 APOO DA GREJA ÀS REVNDCAÇÕES DOS TRABHADORES SAO PAULO, 10 (ULTMA HOKA) Quando o "Beelchcraft" pousou no Campo dc Marte já não tnha côr. Salrn do Ro recém-pntado mas a pn» tura não resstra no mpacto dn tremenda chuva de pedra, em melo no temporal quo durante três horas jogou para todos os lados o avão que conduza o Vce-Presdente da Repúblca, num dramátco vôo cego, em busca dc um campo dc aterrssagem,.lango cumprmentou sorrdente o ofcal que o recebeu c um membro da pequena comtva confessou ao repórter: Agora, acredto cm mlagre! Hava; porém, um programa a cumprr. K Jango seguu parn Santos, onde, embora não pudesse atender ao rotero pré-estabelecdo, vstou dos sndca» tos, levando parn os trabalhadores da orla marítma sua palavra dc lderança. Quem ouvsse, debatendo, problemas sndcas, prometendo o novo saláro-mlnmo até o fm do ano, falando calmo o tranqülo n lnguagem que os trabalhadores do País ntero sc habtuaram a ouvr, no momento cm quc estão em jogo suas revndcações, não havera de perceber que o Vce-Presdente da Repúblca atravessara um dos momentos mas dra» málcos de sua vda. Unão de Todos, em Defesa Das Revndcações Comuns Esta entrevsta fo conseguda durante a rápda passagem de.lango por São Paulo, quando voltava dc Santos o se preparava para segur rumo a R» berão Preto. Fo uma conversa nformal, no de» correr da qual o presdente naconal do PTB reafrmou pontos tle vsta quo tem defenddo com frmeza, traçando as dretrzes que se mpôs, como herdero polítco dc Getúlo Vargas: Nunca abdque de déas e prncípos que tém norteado nvaravelmente mnha vda polítca declara. "O quc defendo hoje acentua - já defenda quando ocupe o Mnstéro do Trabalho. E só tenho motvos de satsfação, quando vejo que revndcações àquele tempo por mm defenddas, ou foram consagradas através de les já votadas pelo Congresso, ou são hoje geralmente acetas e até apregoadas e defenddas por mutos daqueles que, então, mo combatam. Jango prossegue: Não há dúvda de que tomos evoluído. O Pas, suas eltes, seus homens públcos. O drama do trabalhador é, hoje compreenddo por todos e sso se deve a uma ntegração cada vez mas acentuada dos homens que produzem na vda polítca da Nação. O trabalhador está conqustando o lugar que lhe cabe, a posção que lhe é devda. Não pode e não será mas tratado como um margnal: tem que ser ouvdo e há de ser ouvdo nas grandes decsões que afetam o destno do País. Esta conversa tem lugar num apartamento da Rua São Lus. Outras pessoas dela partcpam, o debate sc generalza. Fala-se, por exemplo, da mportánca que representa para a conqusta dns revn» dcações do.s trabalhadores o apoo de membros da greja, ctando-se o recente pronuncamento do Bspo de Santo André e as reunões promovdas pelos frades domncanos. Jango observa: O apoo da greja às revndcações dos traba» lhadores adqure, neste momento, uma mportânca fundamental. Pronuncamentos eomo éste, de Dom Marcos, de Santo André, debates do tpo dos que foram promovdos pelos cultos padres domncanos, ao lado dc declarações dc outras emnentes fguras do Clero, vêm demonstrnr que os problemns dos trabalhadores não nteressam apenas a uma mnora, mas atngem, pela sua ampltude, ns camadas mns numerosas do nosso povo, que buscam, na relgão, apoo c orentação. O Problema do Café Estamos em São Paulo c São Paulo é café. O repórter nterpela Jango, pedndo sua opnão a respeto do problema quc, no momento, galvanza poderosos setores do Governo c da opnão públca. O Vce-Presdente responde: Sou favorável a uma polítca do amparo ao produtor, sem prejuízo dn manutenção dos preços no mercado externo. O café, como sustcntáculo da nossa economa, não pode fugr ao controlo do Govêrno, nem dexar de contrbur para o desenvolvmento do Pas, em benefíco do enrquecmento fácl de alguns. Ao lado dsso, porém, cumpre não esquecer que precsnmos, fundamentalmente, expandr ns áreas de consumo, quor conqustando novos mercados, para essa urgênca que não pode ser mas adada, quer utlzando os excedentes para amplação do mercado nterno, através dc preços mas baxos c de café dc melhor qualdade, proporconando, assm, ao povo e aos trabalhadores maor consumo. E como sc lhe perguntasse se o PTB nterferra na ndcação do novo presdente do BC, o Sr. João Goulart respondeu: Renato Costa Lma é um companhero dgno, profundo conhecedor do assunto. Estamos certos de que, na Presdênca do BC, dando cumprmento a uma polítca que atenda aos nteresses naconas, prestará servço nestmável, contrbundo, decsvamente, para uma solução quo ponha um termo às explorações demagógcas que se tenta fazer cm torno do problema. Petrobrás: Patrmnôo do Povo Volta-se a falar nas vagens do Vce-Presdente do Brasl e, partcularmente, de sua últma excursão ao Norte e Nordeste. Alguém lembra recente pronuncamento do General Lott em São Paulo, segundo o qual, para se modfcar a le da Petrobrás sera necessáro modfcar a mentaldade do povo braslero. Jango acentua: E esta modfcação, nnguém tenha dúvda, não será conseguda. O naconalsmo é. hoje, um modo de ser da maora do povo braslero. Nesta mnha vagem ao Norte e Nordeste tve oporlundade de observar sso: até em lugares que a evlzação mal alcança, o sentmento naconalsta, o apoo à polítca do petróleo são prncípos e normas profundamente arragadas na mentaldade do povo. A Petrobrás, hoje, não é apenas uma empresa estatal ca c, sobretudo, um patrmôno de que o povo braslero não abrrá mão en nenhuma hpótese. Jango recebe un telefonema. É de Fernando Nóbrega, Mnstro do Trabalho, que anunca haver despachado favoravelmente o reconhecmento do Sndcato dos Trabalhadores na ndústra de Escovas e Pncés de Sáo Paulo. Uma boa notca comenta. Os trabalhadores encontraram no camnho do sndcato o rumo certo e seguro para a defesa do suas revndcações. Um novo sndcato c uma nova trnchera, essa luta pacfca que nnguém mas poderá deter. E dá outra notca: Alás, quando sa do Ro, camnhava, também, para o reconhecmento o processo do Sndcato Ru» ra de Bragança Paulsta, quo a Polca, segundo fu nformado, tentou mpedr de funconar. Vtóra de Ademar Já agora se fala em polítca. E Jango manfesta convcção nn vtóra de Adhemar: Estou certo dsse de que vencerá em São Paulo o canddato que estamos apoando. O Sr. Adhemar de Barros aglutna cm torno dc sua conddatara, as forças mas progressstas do Estado, os que enxergam, no pleto que se ferrá em outubro, uma oportundade do reafrmação dos prncípos e deas pelos quas se vem batendo o PTB nvàravclmcntc. O Estado mas progresssta da Federação haverá de dar o exemplo, votando por essa reafrmação. Saláro Mínmo e Le de Prevdênca O telefone toca e c um lder sndcal que localzou Jango e quer uma palavra sua sôbre o saláromínmo de emergênca. O Vce-Presdente atende-o, conversa famlarmente e autorza-o a dzer: O novo saláro-mínmo vrá até o fm do ano, como me fo promeldo pelo Presdente e nos termos que anunce, quando estvo aqu, há um més. E, depos, para o repórter: Todos os estudos estão senndo acelerados, o Presdente está realmente empenhado em dar aos trabalhadores o saláro que o nível do custo do vda mpõe. E como falássemos no projeto de Le Orgânca, ora em tramtação no Senado: nfelzmente, não creo que possa ser votado antes dns eleções, como era nosso desejo. NSo há número sufcente para votação, pos os senadores, mesmo os que não estão dsputando a reeleção, vêm sondo solctados pela polítca estadual. Táo logo, porém, hoja número sufcente, o projeto será encamnhado não só êle como a Le de Greve, cm cuja aprovação faço o maor empenho. Seguro de Acdentes O avão já está em forma, Jango prepara-se para rencar a vagem. Va a Rberão Preto c outras cdades, partcpar de comícos, em favor da cand» datura Adhemar. Uma últma declaração dz respeto à transformação em monopólo estatal dos seguros de acdentes: Não exstem dos camnhos a segur dsse Jango o seguro de acdentes deve ser, sem dúv» da alguma, monopólo do Estado. Não se pode admtr que as companhas de seguros captalzem esses lucros fabulosos, que precsam o devem reverter em benefíco dos trabalhadores. Nossa posção, nesse assunto, é nequívoca c o parecer do representante do PTB na Comssão de Justça, Senador Lourval Fontes, será o rotero da luta que travaremos para que se transforme em le essa justa aspração dos trabalhadores. ULTMA HOHA.B^U!..! lll PPP*»* >^P*^S1 P*" ^ **^B k "^hptkí*. r^slr ^m -JM màmám ^ P K lfl 1 mmmm MM^m mmmzr^^ê mr^m sc mm m^ * \ m R!.1» BÜH^t-.! mmwmw^ ~ÈSk _-.# $ H Bf-wH HkÉÉ Bb wí_b9 _ 7 m$m R m \\Wm^^^^m^m^kW^mk\m{^L\W \\\W. -*.ot 3Sífl6*-, vsêsm A BÉ;;:^^^B^?H ^ w lm ^<&> ^V^BPí_^B HÊP*ffÉÍvsP yí% 7 \fl P^ííBbÍííM m m$>: <\ l- 13 lll =í Slva Regna, de 16 anos, ntegrante da comssso"de Halo-brasleros que fo dc RberBo prt to, reo-ssentando a provínca talana dc Baslcata, beja o Presdente Gronch. A dreta a Sra. Carla Gronch recebe um presente da Sra. Rcardo Fontana.. Festa e Chuva de Granzo na Chegada de Gronch a S. Paulo SAO PAULO, 10 (ULTMA HORA) O povo paulsta séntu-sé frustrado, ontem, quando, em vrtude do temporal que desabou sôbre a cdade, com ntensa precptação de granzo, fo obrgado a buscar abrgos de emergênca e abandonar a recepção festva ao Presdente Gronch, preparada durante mas de uma semana. Após a chegada do Presdente da tála ao aeroporto d.e Congonhas, às 12 horas, e quan- Nos Campos Elsos do jã no carro aberto, o Sr. Oovann Gronch o o Governador paulsta, ern dado níco a cortejo, desabou o temporal, obrgnndo o {\»t tre vstante a transferr-se para um auto te clado. Era o ím da recepção. Enquanto comtva presdencal, em dezenas de carro" rasgava as ruas de São Paulo, com destno ao Paláco dos Campos Elsos, mlhares d_ paulstas abrgavam-se, praguejando contra o tempo, que não estava no programa. Eram 13,15 horns qutudo o Presdente Govann Gronch chegou no Paláco dos Campos Elsos. No saguão, suu espòsn, D. Carla Gronch fo homenngeodn pela Cruz Vermelha Braslera, na qualdade üe presdente da Cruz Vermelha tallana. e pelo nsttuto Muscal "José Mauríco*, que lhe ofertaram rnmalhetes de fores. Após um cafeznho, quo o presdente consderou "realmente delcoso*, os vstantes recolheram-se aos seus aposentos. descendo às 14 horas para um nlnóço ntmo. As 19 hoas. os Campeões do Mundo Orlando, Castlho. Beln, Ore- /^W WWm\ " * "^ \SF &f^wêèê2êbm^è V* Y -^- -» v1" 1$? " ^^^j^^^ywmmml^^^^r J, f m W-& Mara Antônía Pantaleão, prma de vanr Gomes, falando à nossa reportagem em São Paulo. VEO AO RO DSPOSTA A MATAR 0 EX-NOVO! Anda é desconhecdo o paradero da jovem que embarcou armada de São Paulo para matar seu ex-novo, nesta Captal. A políca paulsta já tomou provdêncas para evtar a censu» mação da tragéda prevamente arqutetada, tendo para tal av» sado os seus colegas carocas, que mantêm s:b vglânca a casa do homem que está sendo ameaçado, bem como o restante da famíla dele. OPNÃO UNÂNME: NNGUÉM MAS DO QUE VARGAS SMBOLZA A PETROBRÁS! Para assnalar o qunto anversáro da le que crou a Petrobrás, a 3 de outubro próxmo, fo decddo pelo Mnstro da Vação atendendo a um memoral do mas de uma centena de destacadas personaldades da vda públca do Pas, mandar m» prmr pelo Departamento de Correos e Telégrafos, um selo comemoratvo. Entretanto, para surpresa geral conforme regstramos em nosso "Flash do Momento", de ontem o selo mandado fazer pela Comssão de Flatelstas, especalmente nomeada para tal fm, desobedeceu às determnações do Mnstro Lúco Mera. ludda, Não se Conformou Aprovetando suas féras, no ano passado, José Juarez Pnto (Rua Joaqum Méer, 51, apto. 201), embarcou para a cdade de* Barrnha (Rberão Preto, SP), onde se hospedou na ca» sa de uma famíla amga. Lá, conheceu a jovem vanr Gomes da Slva (soltera, 17 anos), com a qual manteve demorado "flrt". Os das foram passando e cada vez mas aumentada a paxão que a moça nutra por José Juarez. O romance fo o» mando vulto, até que a famíla da jovem, percebendo que o namorado não se defna, est» pulou um prazo para que êle marcasse a data do casamento, sob pena de ter que se sepa» rar de vanr. Julgavam todos que José Juarez fôsse um ho» mem lvre, que legalmente pu» desse unr-se à bela pequeno. O mês de outubro, que fora es» colhd!» para o peddo ofcal, passou sem que houvesse qual» quer pronuncamento por parte do rapaz, apesar da promessa feta por êle ao embarcar pa» ra esta Captal. vanr sofrera, mas tarde, outra decepção ao constatar que seus sonhos ja» mas poderam te concretzar, porque José Juarez já era novo. O rmão de vanr, Eudl Gomes da Slva, que para cá hava embarcado, a fm de es» tudar, em companha de José, fo o encarregado de dar a na» tíca à sua rmã. Mandou-lhe um telegrama, contando toda a verdade. vanr, a prncpo, não qus acredtar. Mas, quan» do cau na realdade, prometeu vngar-se. "Vou Matá-lo, Banddo!" Sem que seus famlares des» confassem, vanr envou amea» çadora carta a José, prometendo matá-lo na prmera oportu» ndade. A mssva fo recebda pela própra esposa do D. Juan, o qual respondeu à jovem d» zendo que ela devera conformar-se com a stuação, pos, quando êle a conheceu, já es» tava novo e com a data do casamento marcada. vanr, po» rém, não se conformou e tornou a redgr novo blhete, des» ta feta para dzer que vra ao Ro, custasse o que custasse, pa» ra fazer José reparar o mal que lhe causara. Vda Complcada José, conforme fcou apurado, quando soube das ameaças que lhe foram endereçadas, por vanr, contou 1 esposa quc entre êle e a moça nada acontecera demas. sto, porém, segun» do consta, e está sendo devdamente apurado, foge nteramente à verdade. Tanto assm que êle casou-se obrgado, após ter nfelctado uma ngênua colegal. Conforme o rmão de vanr revelou a nossa reportagem, fo êle própro quem se encarregou de desludr sua rmã, depos que soube que José Juarez fugra com a namorada (caroca) para Petrópols. Lá, a famíla da moça, cujo pa é alto funconáro do Mnstéro do Trabalho, fo encontrar o casal, obrgando, para reparar o mal que hava sdo feto, que os dos se casassem. "Eu Não Vou Casar, Não!" Fo, anda. Eudír quem revêlou ao repórter que José lhe hava prometdo casar-se com sua rmã: Quando fale-lhe sobre o sofrmento da pobre vanl, èle dsse: "NSo precsa se assustar. rapaz, pos eu vou controlar mnha stuação aqu no Ro r voltare para Barreros, a ím de me casar com sua rmã!"*, razão porque acredte que assm acontecera! Famíla em Sobressalto A mãe de José Juarez. D. sabel.(resdente ã Rua Au- E em vez da únca homenagem pessoal cabível no caso. que sera a Getúlo Vargas, uma outra efíge aparece em seu lugar. Ora, acontece que Vargas não somente fo o sgnatáro da le que crou a Petrobrás, como tombém o grande ponero e permanente defensor da polítca naconalsta de exploração do nesso petróleo. Sejam quas forem os outros mértos de quem é destacado no solo comemoratvo o falecdo escrtor Montero Lobato não há a menor dúvda de que, como personaldade ndvldual, somente Getúlo Vargas podera encarnar tudo aqulo que a Petrobrás representa. Assm, teve a melhor acolhda a sugestão de que se procedesse a um reexame da decsão tomada pela Comssão Flutélco, no sentdo de render uma justa homenagem à fgura e t cbra de Getúlo Vargas, como estadsta que lançou os alcerces da pólítca petrolífera hoje transformada em realdade com a exstênca da Petrobrás. A segur publcamos alguns depomentos que comprovam a má repercusão dessa "homenagem ílatélca que escamotea, precsamente, o papel daquele que mas se destocou na lderança da polítca naconalsta do petróleo, chegando a pagar com a vda a frmeza de sua ação e de suas convcções. "A Homenagem Cabe à Getúlo" Nnguém de bom senso pode negar que homenagem como essa cabe a Getúlo Vargas, a quem sc deve a cração da Petrobrás. Da porque a sua efíge, no selo comemoratvo do 5. anversáro de fundação da referda empresa, devera ser colocada por elementar dever de Justça es o que nos declarou, ontem, o General Horta Barbosa, logo npõs tomar conhecmento do crtéro adotado pela Comssão de Flatelstas. fcou a própra vda pura fazer vtorosa a tese de que o petróleo é nosso". Dretor do SEB Na ocasão cm que se comemora o 5. anversáro da fundação da Petrobrás, nada me parece mas justo do que se render uma homenagem ao Presdente Getúlo Vargas, colocando a sua efíge no selo, que será lançado no próxmo da 3 de outubro. A êle o povo braslero deve êsse grande em- O deputado Sérgo Maga- hães. realçou a obra dc Vargas c, também, crtcou a gnorânca ou má fé da ComssSo Flatélca. "Lobato Não Era Favorável ao Monopólo Estatal" A opnão do Deputado Serglo Magalhães fo taxatva: "Quem acompanhou a. atuação de Montero Lobato, no que respeta á questão do petróleo, sabe, perfetamente, que êle jamas defendeu o monopólo estatal. Pelo contráro. lutou contra o chama*. do Códgo de Mnas, que naclonalznva as rquezas do nosso subsolo. Por aue então se pretende colocar sua ofge, o náo a do Presdente Vargas, em um selo quc comemora a cração da Petrobrás? E um absurdo o que se pretende fazer, merecendo, sem dúvda, um novo exame da matéra, para que não se pratque uma njustça contra p memóra daquele quc sacr- O socólogo Guerrero Ramos partcpa da opnüo unânvtc: Getúlo Vargas fo o verdadero crador da polítca naconalsta. preendmento que c a solução naconalsta para o problema do petróleo dsse o Dr. Rolanl Corbser, dretor do SEB a ULTMA HORA. Justa Escolha Acho que sera absolutamente justo fosse escolhdo o Presdente Vargas para o selo comemoratvo dsse-nos ncalmente o socólogo Guerrero Ramos. Ê certo aduzu que êste selo comemoratvo ra reforçar na memóra do povo o seu débto àquele grande estadsta. Acho, anda, que sera ostenslvamente ndcada a preíerênca pela fgura do Presdente Vargas, O Sr. Guerrero Ramos observou, em seguda, que "não conhece os membros que ntegram a Comssão de Flatelstas." - Provavelmente, acrescentouú eles preferram ndcar a máscara de Montero Lobato por escrúpulo polítco» Crador da Petrobrás Por sua vez, o Sr. Plíno Cantanhede, ex-presdente do Conselho Naconal do Petróleo durante o govêrno do saudoso Presdente,declarou-nos: Fo Getúlo Vargas quem tomou a ncatva da legslação naconalsta do petróleo do BrasU, em 1938, e fo êle anda quem, em 1954, tornou realdade a cração da petrobrás. Ao^rar aquela empresa estatal -_* nevrescentou o ex- Presdente crou, assm, dc fato, o verdadero nstrumento de expansão das atvdades dc petróleo no país. Não há, a. meu ver, concluu nenhum outro nome que merecesse a homenagem de fgurar no selo comemoratvo do 5. anversáro da Petrobrás. co, Glmar, Pepe, Dno, o massagsfa Máro Amérco, o tecnco Feola, o dr. Trgo e o torcedor n? 1, Crstano Lacorte, foram condecorados cem medalhas de ouro pelo Presdente da tála, tendo S. Exa. na ocasão, afrmando que o Brasl de fato revelou-se o portador dos melhores jogadores e da melhor técnca futebolístca. Dsse, anda, que o esporte ô um elemento dc suma mportônca para a aproxmação dos povos. A Federação Paulsta de Futebol féz entrega ao Presdente de um cartão de ouro com nscrções alusvas à vsta. "Gronch! Gronch!" Após a entrega das medalhas, uma ggantesca comssão dc ítalo-trasleros, msturando o talano com o português, grltava nos jardns do Paláco: "Gronch! Gronch!" Atendendo ao apelo para que compare- cesse, o Presdente surgu na sacada, sendo delrantemente aplauddo pela massa, enquanto a banda da Força Públca executava os Hnos Naconas talano e braslero. Um dos ntegrantes da comssão saudou o Presdente em nome do govêrno muncpal. Uma outra comssão, composta por vnte moços de Rberão Preto, chefadas pelo subconsul daquela cdade, e tôdus vestdas à caráter saudaram o Sr. Govann Gronch e sua esposa, num salão do Paláco. A menna snva Regna Del Santo, de lf anos. representando a provlnca talana de Baslcata, cntre lágrmas bejou o Presdên" te cuja emoção era flagrante. Presentes A coletvdade talann d* Sao Paulo presenteou a Sr» v Gronch, com números jóa. de grande valor, oferecendo anda, dos cheques no valor de dos mlhões de lras 4 Cruz Vermelha talana. Tnmbém à flha do Presdente Gronch fo oferecda uma pu. sera de ouro, contendo tódas ns pedras precosas do Brasl, Jâno Condecorado SAO PAULO. 10 (ULTMA HORA) - As horas ae ontem, o Presdente da Ftppublca talana condecorou o Governador do Estado com a Ordem da Gron-Cruz do M«- rto da Repúblca talana, ao mesmo tempo em que ofereceu ao Chefe do Executvo estadual uma jarra e uma bandeja de prata, salentando que cm ura trabalho orgnal flore.t.í>1 Essas oferendas, aduzu, eram uma mensagem do povo tallnno ao povo do Brasl. Hoje, ãs 12,45 horas, no Pa» láco Mauá, o Presdente Jus* celno Kubtschek e o Presdente Govann Gronch assnarão, em solendade a quo estarão presentçs representantes da agrcultura, do comérco e da ndústra, uma declaraçã" conjunta "Brasll-tálla":, 0 Presdente Juscelno Kubtschek regressará ao Ro hoje mesmo. NO ARMAZÉM 13: FOGO A BORDO DO "NCONFDENTE" kl nr wm wlm WmW < * tvff% Wãm rn^m. r!ptn 3e f-.jpw WÊ.V ^LW MMmkém, jt t %w TT* HPP *«fc :«T«l fél_. >mb***súl v:ww *fe W RÍ tfkl, m m ml ímmmmm, mu. v ê Ê^m Bí^^sl. *. ^H$:.. > *. m<wtmmm^-mmèí J^*^l ^ ^^^^ambl^^b^ m WÊmt W 4Í,<í r! H r l_ft?.$l_m MNSTRO DA DEFESA DO URUGUA; OPERAÇÃO PAN-AMERCANA É COMUNHÃO DE NTERESSES Sou francamente favorável à Operação Pan»Amerlcana, sugerda pelo Presdente Juscelno Kubtschek e posso afrmar que o meu pas é tradconalmente a favor da comunhão de nteresses entre os poves latno-amercanos dsse ontem o Sr. Raul Gaudn, mnstro da Defesa Naconal do Urugua, em en» trevlsta coletva à mprensa, realzada na sede da Embaxada Uruguaa, declarando a certa altura: - Estcu empolgado com o fato de haver sdo condecorado pelas Forças Armadas do Brasl, dstnção que sabere honrar como cdadão. Grata Recordação Referndo-se ao desfle mlgusto Pnto. 4ã>. tão logo sou- be do fato. drgu-se à casa do flho part avsa-lo, pos van) não tardara a chegar para levar a cabo tudo o que hava prometdo. D. sabel sofreu grande abalo, tendo sdo aco- metda de forte crse nervosa. Políca Está Vglante Avsada que fo pelos seus, colegas paulsta, a pocta ca- roca. através da Delegaca d^> Vglânca, destacou um ele- j mento exclusvamente* para guardar a porta do apartamen- to 201 do edfíco 51 da Rua Joaqum Méer. onde resde José Juarez. NSTOU-SE, ONTEM, A SEGUNDA SEMANA DE ECONOMA DOMÉSTCA Crca de cento cnqüenta professores e especalstas compareceram, ontem, à solen» dade dev nstalação da Segunda Semana da Economa Doméstca do Dstrto Federal e Es» tado do Ro, patrocnada pelo Mnstéro da Agrcultura (SA) e pelo Escrtóro Técnco de Agrcultura Brasll-Etados Undos. Funconou como coordenadora do conda» ve a Sra. Ecllda Cesconetto, encarregada do Setor de Economa Doméstca do SA, tendo a sessão naugural sdo presdda pela Sra. Mnstro Mãrlo Meneghett. Saudada a Sra. Máro Meneghett ncando a solendade, a Sra. Eclda Cesconetto saudou a Sra. Scyla Meneghett, sa» entando seu nteresse pelos problemas humanos da agrcultura e pelo levantamento do nvel de vda das populações ruras. Afrmou a coordenadora quc o apoo pessoal da Sra. Máro.Meneghett em prol da economa doméstea será um estímulo para quantos se empenbam em levar avante programa tão mportante para o futuro da famíla braslera, termnando por agradecer o apoo das auto»- rdades, da mprensa, do rádo c da televsão ao bom êxto do eonclave. Planejamento Assocado à Prátca Agradecendo a homenagem de que era al» vo, uscu da palavra a Sra. Scyla Meneghett, qüe frsou: A vda de hoje, com a agtação resul» tante da luta que todos enfrentamos para ven» cer as dfculdades que surgem a cada mo» mento, à nossa frente, exge que nâo só os homens esteam melhor preparados para sso, como prncpalmente as mulheres, que têm a seu cargo a dreção e a orentação do lar como fonte nesgotável de pa, harmona e felcdade. Após salentar que nâo podemos esperar pelas meddas, mas devemos entrar logo na sua execução quando possvel, afrmou a oradora que, no setor da economa doméstca, o que todos devemos fazer, mas do que em qualquer outro ramo, é agr com planejamento assocado à prátca, para que a teora seja completada pela realzação. tar a que assstu no da 7 de setembro, o Sr. Raul Gaudn frsou: Levo para mnha pátra a rec:rdação mas grata do essetáculo cívco que tve a oportu» ndade de presencar ao lado das mas altas autordades bra» slleras e do emnente Chefe do Govêrno talano, Sr. Govann Gronch qua ora vsta esta gran» de nação amga. Os soldados que desflaram naquela manhã, smb:llzam muto bem a ordem e a dscplna renante no seo das Forças Armadas do Brasl. Emoclonel-me ao ver os ex-combatentes da últma guerra, mar» chando frmes, em contnênca à Bandera braslera, fles sou» beram honrar o nome do Bra» sl, lutando pela lberdade em terras de além-mar. Ao vê-los. recorde-me dos ex-combatentes franceses que v desflar um da pelas ruas de Pars. Coesão Das Forças Armadas Dscorrendo sôbre a organza. Cão das Forças Armadas do Uru* gua. das quas é mnstro e. vl, assm se expressou o Sr. Raul Gaudn: Para o meu país, o Mnstéro Mltar únco, é vantajoso j não só do ponto de vsta eco» nômco como porque, na pra» tca. náo exstem quasquer dvergêncns ou anmosdade en» re os componentes das d-zorsas armas, consttuídas de 14 ml homens, nclusve, as forças auxlares. Dreto de Aslo Contnuamos respetando sem restrções o dreto de as» lo a rpltares que se envolvom em revoluções nos seus pases declarou o Mnstro da De» fesa do Urugua, acrescentando a segur: Somos um povo reconhecdamente demscrátlco e não fu» gremos nunca às normas da nossa poltea e aos exemplos que recebemos de nossos ante» passados. Café/ Mate e Rebanhos O Sr. Raul Gaudn, ao termnar sua entrevsta, elogou o café braslero, observando que os uruguaos se acostumaram ao paladar do mate e do café brasleros, produtos que hoje são ndspensáves em todos os lares. Deu conhecmento de enten» dmentos que se processam entre os Mnstéros da Agrcultura do Brasl e do Urugua no sentdo de uma reunão para regulamentar e determnar as áreas de cração de gado, atendendo às crcunstâncas de adaptação das raças conforme as re» gões, para maor desenvolvmento dos rebanhos. Os países do contnente têm necessdade de acordos co» muns para ncremento da produção concluu o Sr. Raul Gaudn. FOGO NO FRGORÍFCO ncalmente a fuma;» e onsts que sc desprendam da câmara snstrada, mpedram a pronta açflo dos bomberos. Na foto, quando os soldados do fogo, após aplcarem os evaustores, entravam no porío do "nconfdente. Cerca das horas de ontem, un ncêndo rrompeu a bordo do navo carguero nconfdente", do Lúlde Braslero, que se encontrara atracado no Armazém M- nguardundo carga e que no próxmo sábado segura com destno a Belém do Pará. Um curto-crcuto tera sdo n causa do fogo que lavrou por toda uma dns nmírns frgorífcas, tendo os bombrlros lutado quase que tr«horas segudas para consegur debelar as chamas que n»109 cavam devorar a embarcação- a Ser Carregado Três turmas de estvadores nprestavam-se pnra nlclar:0 carregamento de otoçentw toneladas de gêneros nlmen* tlcos. destnados oo norle oo pas. quando, por volta das l horas, grossos rolos de H msça começaram a sar oa <»* mara snstrada. Retrado o tampão prncpal do fnb0" co. constataram os llml, os que o compartmento cn contrava-sc tomado pelas t s mus. medatamente compa receram ao local os soldad-s do fogo do Posto do 1;0 O"1 pamento. Cas do Porto. < utlzando-se de máscaras contra-gnses e outros petre chos. nvadram a câmara» fm de debelar o fogo. APf» de se encontrar compe», mente vazo o compart menw ncendado, não ío íacu Pg os bomberos extngur o.m* Devdo á grande formação o gases no seu nteror, «w» beros. mundos de mascara^ aparelhos de oxgêno succh vãmente se revesavam no «duo servço, relonente tm houve vtmas a la ",làj em três horas de luw» "JJ mas hava pergo ú0 m. propogar-se às outras drt-» tptlf-tts

7 V*l JS*?T> - r Wfv;*W*WfX%T ftw* \ ULTMA HORA Ro de Janero, Quarta-Fera. 10 de Setembro de 1958 PAGNA 7 70 ML FUNCONÁROS DE OLHOS VOLTADOS PARA A CÂMARA MUNCP Horas Decsvas Para a Aprovação do Aumento Dos Servdores da PDF tsm.-a»o Frederco Trota, que concede um aumento de 30 naraô funconalsmo da Prefef Prefetura, esta vvendo teut ns*» «% " f, n Muncpal o) é aprovado em regme J«lslvos na Câmara fm»«l íy,* anda esta semana, ou sua aprovação fcará * >- - para urg*j«. rgêncla. < de outubro, quando dfclmente "" podera receber a de;»«ão dos vereadores. voreadores,,celde Sr. Frederco Trota contnuasse, ontem, resto, embora o Sr, er assnaturas para o peddo de ur* em *»u trabalho de reeolh únca fórmula vável de aprovar o aumento antes das nc-* O». obosçáo *-«de alguns -»- *- representantes - da Maora, que se eleções» a *p^\çreyèr o requermento, ameaça a tramtação do fmdônro: Aumento medatamente r nttdo a posçüo assumda nas últmas horas pelos dr* f Ha poderosa Colgação das Assocações Muncpas, em fa* / VorovaçSo mcdaía do aumento poderá anda nflur entre vor LnHoes c obrgá-los a acetar a urgênca c a votação do pç vort*»""* * Trotq. projeto FTA DE PARTTURAS ADOU APRESENTAÇÃO DA ORQUESTRA Porque no arquvo da Orquestra Snfônca Braslera não exsta as partturas referentes,01 nstrumentos de sopro, do concerto em ré,,* (opus 15), para pano e orquestra, de johannes Brahms, a dreção do Teatro Munlclpa vu-se obrgada transferr, para próx. ma sexta-fera, o rectal que o pansta Jacques Ensaos Sem Parttura Durante toda a manhã de ontem, os múscos que deveram se apresentar no rectal de Jac* ques Klen, ensaaram Mozart Snfona n. 41, e concerto em lámaor), sem os nstrumentos de sopro. Procurando apurar as causas dessa rregulardade, a reportagem de ULTMA HORA ouvu, na manhã de ontem, o Senhor Máro Mello de Fara, Hy mwê&$$êèfê& Hp^ y \ _m mm^^^êm^r^^m^ím^mf^m^^^m^^sssm Mm. Mm mmffèmêê$wêè$ff m\\ J_\ A ausàncta d» uma parttura do concerto dc Johannes Brahms (para pano e orquestra, opus 15, em ré menor). colocou em polvorosa a lrrçâo do Teatro Muncpal, que se vu obrgada a trans- crr o rectal do pansta.1 arques Klen (marcado para lojr), para a próxma sextarra. Na foto, o pansta fgura csníraz do espetáculo dc depos de amanhã quando msaava. funconáro do arquvo do Teatro Muncpal, que nfermou que as partturas de Brahms (concerto em ré-menor, opus 15), não eram de propredade do Muncpal, e sm da OSB que por seu turno não possuía as partes dos ntrumentos de sô- "Daí pro. acrescentou a razão pela qual dreção do Teatro Muncpal se vu forçada a transferr o espetáculo para depos de amanhã". São Paulo Fornece as Partturas O pansta Jacques Klen, f- Por sua voz, a Assocação Perera Passos, que representa o funconalsmo de menor nvel de vencmentos na Prefetura n* cou, ontem, um persstente trabalho do cabala Junto aos verea dores, prncpalmente entre aqueles que contam com eletorado dos servdores muncpas. "Acredtamos que os funconáros da Prefetura não sc decepconarão com os vereadores. O aumento, nas bases propostas pelo Vereador Frederco Trota, sntetza uma justa revndcação prncpalmente se consderarmos os nves sempre crescentes do custo de vda" declarou a ULTMA HORA o Sr. Alzro Angone. Presdente do Centro Perera Passos. Outro líder do funconalsmo, o Sr. Francsco Slbert Sobr* nho, assm falou a ULTMA HORA: "Contamos apenas com alguns das para aprovarmos o aumento. Se contnuarmos de braços cruzados, é evdente, nada conseguremos, mas sc fzermos sentr aos vereadores a justça de nossa revndcação é bem provável que- possamos consegu-a antes de 3 de outubro."! Fata»Quorum» Klen a dar, hoe, sob a regênca do maestro Eleazar de Carvalho. A transferênca do espetáculo, anda que motlvada nvoluntaramente, ocasonou város pro* blemas aos múscos da Orquestra Snfônca do Teatro Muncpal que já tnham assentados, para os das subsequentes, dversos compromssos para atuar fora do Dstrto Federal, sendo obrgados, em vsta do acontecdo, a adá-los. m^mmmmmms& Dor de GARGANTA, TOSSE? gura central do concerto da próxma sexta-fera, temendo nova transferênca, telefonou para alguns amgos em São Paulo, pedndo as partturas que faltavam, sendo medatamente atenddo. Em conseqüênca, os ensaos de ontem, conforme dssemos, foram fetos sem os nstrümentos de sopro, sendo os múscos dspensados antes do térmno dos exercícos. Sére de Concertos Da apresentação que devera ser feta hoje, partcpara o Maestro Eleazar de Carvalho além do pansta Jacques Klen, como solsta, naugurando uma sére de concertos que terá prós* segumento da 16, com o vollnlsta patríco Aírton Pnto. Para ultmar qs preparatvos que faltam para o rectal de sextafera, a Orquestra Snfônca do Teatro Muncpal voltou, hoje pela manhã, a ensaar, desta feta já com os nstrumentos de sopro. e que e ÍVO! Esta pastlha suavza, num nstante, qualquer rrtação da garganta.. destró os germens por smples contado... ajuda a prevenr o pergo da nfecção O segredo das Pastlhas Vck é Celamum o penetrante e poderoso antsséptco. Expermente /^ este remédo hoje! O que ameaça rápda tra* mtação do projeto Frederco Treta é, sem dúvda, a dlflculda* de encontrada pelos lderes da batalha pró aumento em compor o plenáro do Legslatvo da cl* dade. Anda ontem «penas 14 verea* dores responderam à chamada, dez mnutos apó* a abertura da sessão, que cau, afnal por falta de número. Todava, os reterados peddos telefôncos dos funconáros o drgdos aos vereadores no sen* tdo de que compareçam à Cnmara, poderão alterar as perspectlvas negatvas de aprovação do aumento. ENGENHEROS VÃO APRENDER COMO PAVMENTAR ESTRADAS Uma turma, consttuída de 30 engenheros, do D.N.E.R.. da Petrobrás, da Assocação Rodovára do Brasl, da Dretora de Vas e Transportes do Mnstéro da Guerra e do Mnstéro da Aeronáutca, assstlu, ontem, a nula naugural do curso de "Técncos de Utlzação dc Materas Betuntnosos em Pavmentos Rodováros", que o nsttuto de Pesqusas Rodováras, órgão do Conselho Nnconal de Pesqulsns. acaba de nsttur. O engenhero Edmundo Regs Bttencourt, Dretor-Geral do Departamento Naconal de Estradas de Rodagem, proferu a alocução naugural. «SJKSMàatssss^^ S^^SS^SÍSSSS ç,o^0slss/mas 1 1 rí tste é o meu cgarro! Um bom cgarro - feto de (A/ fumos suaves e de excelente qualdade. Vm cgarro que tenho prazer cm fumar e oferecer aos meus amgos. Mas, para mm é mas do que (\ apenas um bom cgarro companhero amgo de tôdas í,j as horas... freqüentemente algo que me nspra e me ajuda a pensar melhor. CA. DE CGARROS SOUZA CRUZ V HQHHh N ^y JAá&_0ss Ê_Kr%2&ÊSsS \ ms 5x ^ÍS \^ ls_j M Um LüZW CGARROS un. *» 5#?-*baparelho elétrco para massagens jlp! Fr:^p^^mo" yjbx (para uso doméstco) 1 Dá ao seu corpo: beleza, vtaldade e saúde! ^^m _m llllllllllpí fr yr ^Êm _^ juhk^: ^^ ^^ _m -». m HMt /M^ ^m ^m W"- mmwmm *J >5^» Wrl mzl P w^. ^r m 1 1 WÈf Ul,ns,a,e V-,ambém em *uo easa "s,a,on,e concen,rada d* ener9 l 1 ;:BB Custa muto menos que a aplcação d«massagens manuas. Corrge a slhueta rv/v^ Revgora os músculos V^-C^mMMMMMM^ r**^^; Reduz Atva S M a gordura excessva ^ m v y- «<- «- *- $$JÊ$ÊmÊ; * V ^ode ser,n$,aa no banhero ou _,C,^mwumm^à^^^^^Ê em qualquer canto da casa. Ocupa y Í^V^ m^ê^, %?\^ rr^h o espoço exo/o de vm azulejo. s- 1-\!^,-! ^frí- " Funcona com 50 e 60 cc,os - B^^árf" >W " tvnoo NSTAlÂçB GRÁTS S ^»S DC ENTRADA e 10 x 980, ou 9.800, à vsta O CAMZERO 5 lojas do Ro Amgo para serv-lo ASSEMBLÉA Rua da Assembléa, 28*38 MEER Rua Dat da Cruz, 74 POSTO NTERÓ Av. Copacabana, 1253 Roa da Conceção, 42 POSTO 5 Rua Xaver da Slvera, 29 êm0*

8 ] PÁGNA 8 :Ro de Janero. Quarta-Fera, 10 de Setembro de 1958: ^TMA HOH4 LDER DA MAORA: TRANQÜLDADE NOS DAS QLE PRECEDEM AO PLETO A fm do prevenr explorações dos grupos oposconstas, que sc têm valdo da dspersão dos polítcos e parlamentares por todos os Estados, para lançar a confusão sobre a stuação poltca c econômca do País o líder da Maora, Deputado Armando Fnlcão, prestou declarações à mprensa, nas quas, ao lado da defesa do Governo, renova a confança em melhores das, dentro em breve. Dsse o líder: "O recesso forçado ltnpelas crcunstâncas eleoras à últma sessão legsla- Íposto tva de cada legslatura, é nevtavel e é nconvenente. E nevtável porque, com a aproxmação das eleções, os membros do Parlamento se deslocam para os Estados, onde a ação de presença, com vstas a reeleção, é de fato mportante. E nconvenente, porque na prátca, paralsa o trabalho de um dos Poderes da Repúblca, em época que devera ser de funconamento regular e normal. Há mutas les de relêvante nteresse públco aguardando o ndamento. Por exempo, entre outras, cto de memóra: a do mposto de Renda, a que regula o recolhmento compulsóro de depóstos bancáros, a de dretrzes e bases da educação, a do ensno médco, a do servço agropecuáro do Exércto, a de aposentadora dos aerováros, a do emprego de tempo ntegral nos trabalhos de pesqusas clentí- Xlcas, a de promoções no Exér- Vto, etc. A própra votação do Orça- fento fca perturbada. Há duas soluções: uma não defnda, que é a de esperar o térmno do pleto eletoral. Outra que sera completa e deal, a da mudança da época das eleções para data que se enquaarasse no perodo de recesso normal do Parlamento. Acredto que será aproprado tratar deste mportante assunto na legslatura que vrá". Stuação Econômca A respeto da presente stuação econômca, assm se pronuncou o lder da Maora: "Pode-se admtr que a stuação económlcc-fnancelra não seja côr-de-rosa. Mas as causas do problema são remotas e pratcamente nenhuma delas pode ser debtada ao atual governo. Êste, o que tem feto, é empreender un ggantesco esforço, em todos os. setores da vda naconal, objetvando suavsar as dfculdades do presente e construr em profunddade para o futuro. O pessmsmo que se procura espalhar contnuou o Depu tado Armando Falcão tem nspração e fnaldade poltca subalterna. E flho, anda, da frustração eletoral de Os obstáculos exstentes são superáves e não causam medo ao governo. Os alarmstas não consegurão gerar pânco agum. Com lucdez, snrert- " e frmeza, o governo contnuará cumprndo o seu dever e o povo, que vê claro, não se dexará ludr". Stuação Polítca Abordou, a segur, o entrevstado, a stuação poltca atual: "A stuação poltca é de sagfàü sapato A MÁQUNA DE SOMAR m X MULTPLQUE 0 RENDMENTO DMNUA AS DESPEZAS ÇjCM/téF) MANU ^mmm\mw!^ímmm\**- ^. /A m^^^^êm\r^\z^v^w^^^^fmmmmmm\m^b CUSTA CERCA DA METADE DE UA V. MÁQUNA ELÉTRCA PAGA EM PARCELAS A COMBNAR REPRESENTANT MÁQUNAS rwwk aoo» ^pm^y..j^ MV^lM ^p^^j ^ "l "l ^^ l -l Rua Vse. d* nhaúma, Tel , , Ro ds Janero MPORTADORA S. A. COMÉRCO E NDÚSTRA calma e tranqüldade. Nem parece que estamos a menos de Um mês de eleções geras. sto é fruto, prncpalmente, da attude do Presdente da Repúblca, que adotou uma lnha de equdstânca e mparcaldade. Penso que os atuas adversaros de Juscelno terão, mas tarde, saudades dele. O próxmo pleto va provar que a democraca já pode funconar no Brasl sem abalos, desde que o governo, cônsco de suas responsabldades, não nterfra nos embates do processo eletoral" fnalzou o Deputado Armando Falcão. Comssão Especal Para nvestgar O Senado da Repúblca va crar uma Comssão Especal de nove membros, destnada a examnar cm profunddade as possbldades de exportação do pas. A medda, consubstancada em requermento ontem encamnhado à Mesa, destaca o café e o cacau entre os produtos cujo comérco com o exteror será aprecado pelos senadores. E esta, talvez, a prmera ncatva, do gênero, na Câmara Alta, em contraste com a Câmara dos Deputados, onde Co- mssões semelhantes tâm procurado penetrar na vda ntma de numerosos problemas naconas. A oportundade da Comlsso do Senado esta l vsta, es que os debates tomaram conta da polítca fnancera do país, na qual o capítulo da exportação é o que mas vem apaxonando, nas suas dversas mplcações dc ordem cambal, credtca c até burocrátca. Esta oportundade, todava, não é tudo. Resta ver, até que ponto, sobrará capacdade aos senadores para o devdo exame da matéra e respectvas sugestões a serem recomendadas ao Poder Executvo. Hoje, a Eleção A eleção dos membros que ntegrarão a Comssão do Senado está marcada para hoje. Falando-nos a respeto do novo órgão, dssenos o Senador Lma Texera, autor do requermento: "Propus a cração dessa comssão especal no Senado porque como representante de um Estado produtor de matéra prma dc exportação não podera fcar alheo às possbldades de ncrementar e estmular as exportações dos produtos brasleros que nesta hora contam felzmente com attudes decsvas do sr. Juscelno Kubtschek c do mnstro da Fazenda. Essa comssão terá por fnaldade promover o estudo da stuação agrícola naconal e sugerr ao governo meddas efcentes que possam carrear o.s melhores esforços no aumento de dvsas para o Brasl". Ordem do Da da Câmara: 110 Projetos Enquanto os deputados se entregam dc corpo e alma à fana da pesca eletoral, os servços Admnstratvos das Comssões Técncas vão fazendo baxar á Mesa para quando for possfvél haver votação uma caudal de proposções que já entumescem a Ordem do Da. Da Le Orçamentára já contam nada menos de 18 proposções (anexos e subanexos) trados pela Comssão de Orçamento. Em regme de prordade, se enflleram 42 projetos de vara ordem. Com tramtação ordnára outras 24 se seguem na fase tle votação, além de mas 26 em curso ordnáro, enchendo um folheto de 16 págnas à espera do retorno dos deputados... Nesta época de apertura fnancera, é nteressante percorrer o elenco de projetos que autorzam despesas as mas estapafúrdas. A federação unverstára paulsta de esportes quer 10 mlhões; o conselho naconal de des- p, :: :: p. p portos pede também gual quanta; o.s pronotores do campeonato mundal de basquete femlnno tentam 8 mlhões; o Senador Chatcaubrand, além de senção alfandegára para a p******* Rádo Tup, vem buscar 10 mlhões para a -^. ;- "...». ^.; :. ;;.»-- * - ^My p --"jaap^..,/-p^p^ ÚM NOVO SENTDO DE CONFORTO NA ^9k t*sp^***awt-v y\--\^r*-s^v^^^^mmm^ jfl^nbaãttntfwk&. &., >.,. S^- é v^^, SS " t* * *"W -- " ^ ^SSS^^KMau^MWÊÊU^Ê^MammMLmmL: :» & W»»^-»!*»^^^:^..:SV. ** «rf W: <«? w* rfes?." í**"^""^ S%h - M*tmM **~--...-B-.- <ar*w*3ss4sípsírs#/ íííí*-**;».;;.^ -.. ^r"-^*,. jf -..< \: v*- * Wt * *.*. VflH lí» <**%?- <»-< -s^ *^. *>aér à, * k>j^^ra^&^hs&. t áhír ^mmmememw\5^t\~-j^^^t^f^f _< MW $ Bf *^%. H mmmt hm^mwêe^mm...^ <m m?>&-*%*-- y*. * J nmmmmêm K9)-*C.S ^^!;-^^^ atrtly^lll^hf R^^R.pf :.rjsssammmmzaf > ^ \ M -fl Hv -» Mm uw^m^^êm Ktlm^fl W ^k M *%mmmmmmmm\ mmm M *Ék fl mm mémmtfwsm W é9m Wjê MÊfàwmm m-^ MJ : n RUl " JM AW Àmkm ^S jl & W»^y. mwm Emf Am fl RO -PORTO EGRE DARAMENTE PEOS NOVOS CONVAR DA CRUZERO Agora, em menos tempo, V. va a Porto Alegre pelo novo vôo da Cruzero do Sul. VÔO DRETO-SEM ESCAS. E a vagem é anda mas rápda pelo prazer que o cerca em todos os momentos: o tradconal conforto Cruzero do Sul. Na Rota Sul chegue mas depressa. Prefra sempre o VÔO DRETO da Cruzero do Sul. SERVÇOS AÉREOS CRUZERO DO SUL S\C* Saída do Ro: 18 hrs. Saída do P. Alegro: hrs. A Sucessão Baana Chegando ao Ro ontem, (e evtando contados com a mprensa), o Deputado Olvera Brto, segundo notícas de correspondentes na Baha, veo tratar da retrada da canddatura do sr. Pedrera de Fretas. no Senado Exportações Materndade Popular que a subscrção públca não <t conseguu ultmar em Fortaleza (sem falar nas subvenções até que o Teatro do Gur, numa das * suas emssoras). Os admradores do famoso Pa- ; dro Cícero tentam fazer um flme com a sua >! vda de apostolado cangacero... e pedem 3!; mlhões. Os congressstas, os centenáros dc cdades e vlas, as pensões vtalícas o outros capítulos \\ de facldade engrossam a corrente de sangras do Tesouro. Resta saber se o plenáro, \< após as eleções, depos de assstr "dc vlsu" A a mséra do nteror, consentrá nesse facll-! táro condensado na Ordem do Da. ;; Desastres de Avação, Compra de Votos e Ensno Secundáro 1 Na sessão de ontem do Senado o Sr-!! Lma Texera relembrou um dscurso que ;; pronuncara há mas de um mês em que <> ---- r«al_ chamava a atenção do Mnstro daaeronáu <! tca para a precaredade dos campos de avação no Brasl, alguns deles em péssmas con- p dções. Naquele tempo, o Senador baano alnhara exemplos de város desastres provocados por más condções nos campos, assm como pela falta de radar e outros nstrumentos ndspensáves à navegação aérea. Referu-se então ao desastre em que pereceram o Senador Nereu Ramos e outros lustres homens públcos. Num curto lapso de tempo, assnalou, estamos a lamentar outro desastre, êste agora na cdade parabana de Campna Grande. O Sr. Paulo Abreu, suplente do Senador Auro Moura Andrade ocupou a trbuna para comentar novamente a stuação fnancera do país, dzendo que o esbanjamento de dnhero nas campanhas polítcas é uma afronta ao povo, vtma da nflação. Ctou partcularmente a stuação de São Paulo e termnou dzendo que antes que íôsse tarde demas lançava um apelo para que se fzesse logo a reforma da le eletoral,* "obsoleta, noperante e nadequada, nestes trstes tempos do poder do dnhero e da corrupção". Falando sóbre o projeto da reforma do ensno secundáro, o Senador Glberto Marnho voltou a defender o ponto-de-vsta, já j! vtoroso na Comssão de Educação do Sena-! co, mantendo no currículo do ensno médo, \; como matéras obrgatóras, os domas íran- ; cés e nglês. ;! Lembrou que o projeto quando veo da! Câmara estabeleca a opção entre uma e outra. Salentou anda o representante caroca reconhecer como excessvos o número e a extensão das dscplnas, mas "não poda concordar com que a almejada redução se efetvasse com o sacrfíco dc uma das mas caras tradções do nosso ensno de grau médo, que é a compulsoredade da aprendzagem das línguas francesa e nglesa". Dsse por fm que a smplfcação através da supressão de uma das duas caderas atentara contra os nteresses culturas do povo braslero e que não sera possível optar "entre o francês nsubsttuível e o nglês ndspensável". Supremo Fulmnou Negocata do Governo de Café Flho! Julgando ontem um escandaloso caso, verfcado ao tempo em que era Presdente da Repúblca o Sr. João Café Flho, o Supremo Trbunal Federal declarou legal o ato do então Presdente, que restabelecera (contra conselhos de todos os órgãos técncos e Jurídcos estatas) a concessão (cassada dos anos antes) a uma frma de ndoneldade comprovada para explorar uma rca mna de calcáros no Estado do Paraná. Segundo os autos do processo, em junho de 1945, o então Presdente Vargas concedera à Ca. Cmento Portland Paraná autorlzação para explorar lavra de calcáro e mnéros assocados, no Dstrto de Ro Branco Muncípo de Cerro Azul Es. tado do Paraná. Em 1952, como fcasse comprovado que a r.ompanhla benefcára não se apar hara adequadamente para a exploração concedda, o Presdente Vargas, após ouvdos todos os órgãos tenleos e jurídlcos, baxou um decreto revogando expressamente aquela concessão. A esta altura, a Ca, de Clmento Portland Ro Branco, sabedora da revogação da concessão, entrou na concorrênca pela mesma, consegundo, em março de 1954 o dreto de exporar nquelas fértes mnas de calcáro. Estava a nova concessonára na posse e exploração regular da lavra, quando íol surpreendda com o, publcação de outro decreto éste assnado pelo Presdente Café Flho tornando sem efeto a concessão que lhe fora assegurada. Ao mesmo tempo em que lhe trava a concessão, o Presdente Café Flho declarava lnsublslstentes os dplomas, legas que havam declarado a caducdade da autorzação à Ca. Cmento Portland Paraná. Fo êste escandaloso restabelecmento de uma concessão já revogada que os Mnstros do Supremo Trbunal Federal fumnaram ontem, segundo o voto do Mnstro Ary Franco, relator do processo. "QUORUM": NÃO HOUVE MÉDCOS VÀ0 VOTAR EM 2.a CONVOCAÇÃO As eleções para renovação da Dretora do Sndcato de Médcos do Ro de Janero, em prmera convocação, acaba de ser encerrada. Sucedeu, porém, que a únca chapa nscrta, apesar de ter recebdo o expressvo sufrágo de cerca de 800 votos, não conseguu atlngr o "quorum de votos. que a le exge no caso. Por esta razão haverá uma segtnda convocação, prevsta para os das 15, , 18, 19 e 20 do corrente mê. Acrescentam as nformações que houve uma reunão nformal do PSD baano, segundafera a note, quando fo sugorf*a a retrada da canddatura Pnòr-jra de Fretas, que não tem tdo receptvdade popular. O sr. Olvera Brto, atual presdente do partdo naquele Estado, tera sdo ncumbdo de dar conhecnento à dreção naconal do PSD e do PTB da dsposção dos pessedstas baanos. Lete Neto: "O PSD Não rá às Urnas" O Deputado Lelt* Neto, (PSD, Sergpe) nformou à mprensa que o PSD sergpano não comparecerá at urnas em 3 de outubro, cato no sejam envadas tropa» federas para garantr as eleções no Estado. O deputado pessedsta dltse que o clma de volênca, terror e fraude, mantdo pelo govêrno udensta do sr. Leandro Mace e denuncado pela ULTMA HORA, está se acentuando da a da. O Deputado Armando Rollem. berg, do PR sergpano, velo tam* bém de Aracaju, para solctar da dreção naconal do seu par* tdo provdêncas dêntcas un> to s autordades federas no quo se relacona com a presença de tropas em Sergpe. mpugnações no TRE Sòmento hoje a Secretara do Trbunal Regonal Eletoral ds. trburú aos relatores para darem parecer, os processos rcíerentes à mpugnação do regstro de város canddatos do Dstr. to Federal, às eleções de 3 de outubro. As mpugnações, em sua maor parte, foram formuladas pelo secretáro da Cruzada Braslera Ant-Comunsta, sr. Joat, sue Vera Fernande gação de W* que os candlr»?a * vnculados^o extnto Pêt0Sl As mpugnações São ps seguntes, et «m tos cu o regstro fol?lí,3 do pelo sr. F«n. Z "B*» Câmara Federal: AntônoSf Mendonça (Alança); Fernandes off de Melo, Le. u " e Benedto C.rquelr. (» ra a Câmara Munlclp,."ffà Magarlnos Torres, AntâíuW Felx Cardoso e Luí Mota VU.N Lma (PTB). U,M Apoo Dos Estudantes Udenstat à Canddatura Roberto Slvera Numa declaração de prncípos lançada ontem, o Dur,.» mento Estudantl da UDN flumnense hpotecou o seu r-r apoo à canddatura Roberto Slvera ao Governo do Ro, Estartn í por consderá-la a únca de base emnentemente nacon, e popular. Essa resolução fo tomada após a reunão realza,?! note de ontem e a declaração fo assnada por Sérgo Costa ^ Carlos da Slva, Antôno Carlos Torres, Francsco LomGlnn Onéso Pava, lderes daquele setor udensta. Com o ano» Departamento Estudantl da UDN flumnense e ta Frente ra v cdade Flumnense ao nome de Roberto Slvera, ca reduto da 0 rt dssdênca lacerdsta no Estado do Ro m RHÜSppSTE * VEJA COMO ê EOM ÍSTE NEGÓCO FOGÃO RHEEM-MASTER Você ga»ha no preço c leva mas porque Rhccm-Master 6 conforto moderno. Totalmente dcsmontável; dscos refletores dc calor (consumo 10% menor); janela dc vdro à prova dc calor; forno amplo, 7 cms. mas alto, com pateleras ajustáves; para gás de rua c engarrafado. ASSADERA RHEEM GRll nteramente GRÁTS para os seus churrascos ou qualquer tpo de assado sem gordura. Rhecm Grll, acompanhando Rhccm-Master, completa a sua coznha c... veja que vantagens: Não requer eletrcdade; assa por gual, sem quemar ou precsar vrar os almentos; adapta-se a uma das boca» de qualquer fogão. Não há quem não* a deseje! VEJA ESTA OFERTA NAS SEGUNTES CASAS: O N B l U CASA LUZES LTDA. 1ELPO LTDA. CÁSSO MUNZ S.A. (M. VENÇA) MOLLCA & CA. LTDA. L E X O DA M É R C A (VOLTA REDONDA) MESBLA S.A. PAULO LMA SUDELBTRO (FRBURGO E TEREZOPOLS) CASAS CHAA CHENFERBER MARCOVAN (M. VENÇA) JORGE T. ABDLA & CA LTDA. EB! Fabrcantes: Rheem Metalúrgca S.A Caxa Postal, Ro de Janero

9 \ ULTMA HORA =Ro de Janero, Quarta-Fera. 10 de Setembro de 1958 PAGNA 9 COSTA LMA: DEFESA NTRANSGENTE DE TODOS OS NTERESSES DA CAFECULTURA. os companheros cafecultores sabem,.. estou na nabalável resolução de proporílonhr melhores preços ao café no nteror e S«- ntensfcar a sua comercalzação, pos te- hn a convcção do que, no momento, sâo essas «nrovdêncas mas urgentemente necessáras declarou ontem o novo presdente do BC, Sr. Renato Costa Lma. _ Com tal objetvo prosseguu fomm tomadas algumas delberações: íol fxa- Jn n nreço de CrS 1.60(^00 por saca tpo 8 para «. 30B da quota excedente da saíra atual. «Le preço representa um acréscmo de... rs por saca em relação à resolução an-..ror que o fxava em CrS Além dsso, e medda proporconará a melhora substan- Amparo Fnancero à Dsse, adante, o Sr. Costa ca na qualdade dos cafés da quota de exportação, com reflexos favoráves nas cotações e na facldade de colocação dessa quota; e se decdu a compra, pelo governo, dos cafés remanescentes da safra passada, a CrS 2.500,00 por saca, lvre de despesas. A medda tem o objetvo de descongestlonar o mercado nterno, com repercussão nos preços do nteror, o que é agora a nossa prncpal e constante preocupação. É uma provdênca de efeto seguro em favor da movmentação à safra, porque proporconará o resgate de vultosos compromssos bancáros, orgnados do flnancamento daqueles remanescentes, reabrndo crédtos aue passarão a ser utlzados nos negócos da safra atual. cafecultura. Seus efetos favoráves serão sentdos rápdatrada. Julgo, entretanto, m- des da stuação por mm enconmente no nteror. Contnuo A resolução do Sr. Mn*- na prescndívcl a compreonsão e a ra da Faenda, de adqurr a» frme dsposção de defender colaboração de todos, em beneflco da melhor solução ;obras de eafe que» verfca- com todas as forças * a cafecultura, não obstante as dfculda- tvdade de um m em 30 de junho do ano problema próxmo, de outro lado, assegurou que nteressa à cole- braslera.. cooperação da r6de bancára Fnancamento da Safra Cafecra orlvada no amparo fnancero ao oroduto. «este partcular, tem Conferenclaram demoradamente o Presdente do Banco do S Exa. recebdo numerosas ma- Brasl, Sr. Sebastão Paes de Almeda, e o Presdente do nsttuto Braslero do Café, Sr. Renato da Costa Lma, e examna- -festações de apoo. Tanto eom relação ao pagamento do exeedente da safra atual, como à estabelecerem, em perfeta coordenação, meddas para asseguram detdamente os aspectos da stuação cafeera com o fto de aulslçáo do remaneteente da rar a cafecultura o mas amplo apoo do fnancamento daquele Estabelecmento de Crédto no nteror, em consonânca!n.vrlor, está o.b.c tomando com as ultmas odas as provdenca para que resoluções tomadas pela Autarqua na dlnamzaçao os seus servços se da saíra. processem rápd* e efcentemente, em perfeta conjugação com o Banco do Café Conferênca Mundal na embaxada braslera naquela captal, presdda pelo do B-*asl. Notícas de Pars nformam Sr. Luís Toledo Pza Sobrnho, representante do Estado Defesa da Cafecultura que a posção do Brasl com Coneluu o Presdente do BC: relação ao café fcou claramente defnda, ontem, ns nlstrátlva do nsttuto Bras- de São Paulo na Junta Adm- As meddas anuncadas demonstram o nteresse e o empenho do Governo em atender feera, após uma entrevsta Por outro lado, em Bogotá, vésperas da Conferênca Calero do Café. o Sr. Andrés Urbe Capuzano,.r,rrrrrfr**r****+*,++*++*++*+*++*****»+*+*»»*mm**m*+*****m*, mmnm^mnns^ \ rocos _ NOVA NSTRUÇÃO DA SUMOC TERANDO CRTÉRO ADOTADO NAS PROMESSAS DE VENDA DE CÂMBO Regulamentando a devolução aos lctantes das sobreta- \* xns relatvas aos certfcados PVC (promessa de venda d<* Ratfcou o Brasl câmbo) não utlzados, a Superntendênca da Moeda e do ;.j Credto baxou, ontem, a nstrução que tomou o número 163. ;; O Sr. Urbe declarou que o } Segundo ésse documento, os PVC somente serão devol- j! Governo do Brasl ratfcou } vdos lndo o prazo de 3eS0 das, a contar -da data do respec-!! seu apoo à poltca dos pacl tvo recolhmento. A nstrução presente altera, parcalmente,!; tos mundas, e que a nque a de n? 129, ao passo que cancela a de n? 138, anterores. Ela ]> tude dos últmos das não so stabelece, fnalmente, com referênca à nstrução 129, no! justfca, jã que a controvêr- * tem 5., "ocorrendo que, a hpótese prevsta no tem 3., náo! haverá emssão de PVC, processando-se a resttução das \\ mportâncas: depostadas lndo o prazo de 360 das corrdos. PROBLEMAS DA BORRACHA: LUCAS LOPES CONVOCOU REUNÃO PARA HOJE Reúnem-se hoje, convocados pelo Mnstro da Fazenda, os representantes da ndústra do artefatos de borracha, repre- sentantòs da Cartera de Cãm- ho. o Presdente do Conselho e» dc Poltca Aduanera, o Pre- sdente do Banco de Crédto da Amazôna e a assessora técnca do Sr. Lucas Lopes, para dscutr as necessdades da ndústra naconal dêsse produto. O assunto cm pauta será o crtéro das mportações, que vnham sendo fetas pelo câmblo dc custo o qual não é prevsto, em le, para o produto. O sstema vnha sendo empre-. gado à vsta de uma antga > nstrução da SUMOC sôbre a matéra. Deverão também ser examnadas as necessdades dc mportação, estmadas em mas 6,5 mlhões de dólares, que foram solctados pelo Sndcato da ndústra de Artefatos dc Borracha, com parecer favorável da Comssão Exocutva da Defesa da Borracha. DROPS ECONÔMCOS sf: Os estoques vsíves de café nos armazéns lcencados de Nova York, nas docas de Nova York e Nova Orleans e sôbre água, no da 4 últmo, elevavam-se a sacas. Cumpre assnalar que na mesma data do ano passado esses estoques montavam a sacas. Por outro lado, aa entradas desde o da l. do corrente já estavam em sacas, até aquele da, ao passo que, na véspera, ou seja, da 3, os estoques nos armazéns certfcados para entrega na Bolsa eram os seguntes: Santos sacas; Paraná nada; Colômba 836 sacas e Méxco 250 sacas. sfc O bagaço de cana de açúcar é matéra-prma para um número relatvamente grande de fábrcas de papel em dversos pontos do país, especalmente no sul. No Brasl, além das ndústras exstentes que trabalham com esse subproduto, outras mutas podem ser nstaladas. Já cm 1957, a produção naconal de cana dc açúcar atngu a toneladas, dl.-l.utdu pelos seguntes Estados: São Paulo ; Pernambuco ; Mnas Geras ; Ro de Janero ; Alagoas ; Baha e Paraíba toneladas. e representante da Federação de Cafeeros em Nova orque, ncou uma sére de conferèncas com o Presdente Alberto Llerns Camargo, com o mnstro da Fazenda e autordades lgadas à ndústra do café para nformá-los sóbre n stuação que observou no Brasl, durante a sua vsta. sla com o mnstro da Fazenda. Sr. Lucas Lopes, 6 um nssunto nterno que e-stá em vas de solução. Otmsmo No EE. UU. As autordades amercanas manfestaram, ontem, otmsmo com respeto às possblldades de êxto da Conferênca dos prncpas produtores de café da Amérca Latna, hoje, em Pars, ncrcdltando-se aue na Conferênca Burglrá um acordo enfeero mundal. Segundo se afrma em Pars, o acordo nclura cláusulas a reter 40% da sua colheta, a Colômba 15% e todos os outros países 5% das snens e 10% do excedente dessa quantdade. En Nova orque, consderase que a resstênca dos produtores brasleros de enfó ao programa do governo do Presdente Juscelno Kubtschek para resolver o problema dos excedentes é um problema polítco, não se acredtando, por outro lado, que os produtores brasleros queram de fato lançar todo o excedente da produção no merendo, promovendo um "dumplng". em que o Brasl se obrgara Café: Grupo de Trabalho Para Smplfcar as Exportações Fo crado ontem um subgrupo lgado ao Grupo de Trabalho Para Fomento das Exportações, destnado a estudar a smplícação do processo de venda de café ao exteror. O subgrupo está consttuído por representantes do BC, das Alfãn degas do Ro, São Paulo, Vtóra, do Servço de Economa Rura, do Mnstéro da Fazenda e da Cartera de Comérco Ex teror, bem como de representantes das classes produtoras. Por outro lado, na reunão de ontem, do Foexp. fo aprovada a smplfcação das guas de exportação para todos os produtos. Planeja-se, outrossm, a cração de subgrupos para mate, pnho, cacau e outros produtos brasleros exportáves. Semnáro de ndústra Almentíca Entre os das 22 e rente, será realzado, no Hotel Qutandlnha, sob o patrocíno do Conselho Coordenador do Abastecmento e da Confedernção Naconal da ndustra, o l Semnáro Braslero Sõ- GAÚCHOS AFRMAM QUE PODEM EXPORTAR MAS PORTO EGRE, 10 (ULTMA HORA) Vsando o ncremento dus exportações gaúchas, o governador do Estado reunu-se. ontem, com produtores de todo o Estado, na Assocação Comercal. PRORDADE PARA A Durante os debates, afrmou-se que, removdos alguns obstáculos, como a fnlta do crédto e a sua complexdade, o mecansmo exportador do Ro Grande do Sul, pode perfeltamente concorrer ao mercado externo com seus produtos. O Deputado José Jofflly, em entrevsta concedda ontem à éste jornal, alás por um lapso apresentada como sendo um seu dscurso no Congresso, abordou um dos problemas chaves da economa naconal e dos mas atuas. Referu-se à mportânca da construção naval e à urgênca de sua nstalação em nosso pas. Classfcou o atrnzo em que nos encontranos no tocante no transporte marítmo, como o problema número um da economa naconal, sso porque os fretes pagos pela nação a armadores estrangeros sc elevam a, fantástca cfra dc um mlhão dc dólares por da. Essa é uma dns razões, uma das prncpas alás, dns dfculdades do nosso balanço de pagamentos e, como bem salenta o vce-lder da maora, essa evasão ro esforço produtvo dos brasleros é uma das 26 do cor-- bre ndústra de Almentos. O certame, que tem por objetv) prncpal a fetura de um levantamento das condções das ndústras de almentação exstentes no país, vsando o seu reapnrelhamento. tem ura tenáro que abrange desde a formaçâo de técncos ate a raconazação da produtvdade. COMANDANTE DAS CARABAS VSTOU OS PARAQUEDSTAS O General Rldgely Gatler, o Comandante-em-Chcfe dns forças norte-amercanas nus Carabas que ora nos vsta, esteve, ontem, no Núcleo de Dvsão Aeroterrcstre, onde, em companha dos Generas Jalr Dantas Rbero, João Batsta Rangel, Elas Amercano Frere e W. Verneck, teve oportundade de assstr demonstrações de técncas de combates ueroterrestres. CONSTRUÇÃO NAV razões da nflação e da alta constante do custo de vda. Em outra parte da sua entrevsta, chama a atenção para a precaredade da nossa navegação de cabotagem, que, contrarando precetos consttuconas, que determnam a exclusvdade da bandera naconal, vem sendo atendda também por navos estrangeros. Por tudo sso, o Deputado José Joffly recomenda urgênca pura os projetos cm ancumento de mplanlação no pos do uma ndústra de construção naval, lembrando ncluslvc quo outros de menor mportânca já foram equaconados o encamnhados pelo Governo, enquanto aqueles quo vram soluconnr ao mesmo tempo problemas dc balanço de pagamentos, e da nflação, contnuam sem o equaconamento adequado. nstala-se Hoje o Tercero Congresso de Veternára BELO HORZONTE. 10 (ULTMA HORA) nstula-se. hoje, nesta captal, o Congresso Naconal dc Estudantes de Veternára, estando a sessão solene marcada para ás 18 horas, no snlão nobre da Faculdade de Flosofa da Unversdade de Mnos Geras. Todos os veternáros e o povo em geral foram convdados, sendo patrono do contnve, o Governador do Eslado. O Congresso termnará A * FORAVANTE G. seus trabalhos dn 15. no LABRUNA próxmo (MSSA DE SÉTMO DA) A famla de Floravante C. Labruna agradece at manfestações de pesar pelo jeu falecmento e convda parentes e amgos para a mssa que manda celebrar amanhã, da 11, qunta-fera, a horas, na Matrlr de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro Praça Edmundo Rego Graaú. Antecpadamente agradece. W*A Jê% Festval de Lngerel \*J \da sua CASA Mm/ wbmwj 11 H B ^^"^^. a^^k ^^^^^^r dou- *Í KL P^>«S r^d^y^j Sbuen de cetm y r_to«^^^f^* 1 chese". pesponlo ercu- _ L,a""- _r **S^í^?rtk m olço» ajustáves. LW^WÊÊ \lllllk\v* í <_Í ^_P >< *S_ eóca. sanfona na» per- ev^mj»»^-»**^ \. ^Ofà»\!*» \ ^ tlh naí mu" res5"*n»"""- / > / 11 ^tf^jbív^. - P^*C V^N WÈÈ 11 t * estampado, lllll m! enfete de WBm vfh Hll í f? ", f"? ílllll {«. renóa no pajo. corte B \ mmwh % " ^^K^^m^m^W/^^^^^^W Combnação de jersey l$m * - í5 B_ v^ í ocetato, c/aplcações * J&Ehl J í ffl^p. /^J de jersey furadnho no ^^jrf _< * Jfl-^Ev. / _X/ busto e barro. Tam. f\ vwv 4j "7~~1"rl / > V»W*_\ "e^^^^^^^^^^^e»^^ ^^^^^^^^^^^^M^^M 1 _r ^4v/_Í- H_Nm 1 / A _k^*y^sj Anáguo de algodão / / V*ra! engomada, bem roda- // mêêm \ Tom d" wm Cr$^ Cnto lgo em tecdo odamaseado, corte anotômco. Tam. de 42 a 50. ers 59,50 ófawhtfà? Combnação "Bemberg". c/aplcações de de renda na barra e no busto. Todas as cores, Tam. 42 a S0. TUDO EM MODAS NUMA GERA DE CrJ 59, Av. Passos, 5ó à Buenos Ares, 218 Para que pagar mas, se na sua CASA MARA Você compra por mulo menos m M W*^^--^ ü w/ã/ê _ éé*!$ Éjm ; -* Ü-bp Ué pw rv\^ v ^115>!^^ r ^L -: o w u ^!v\axf ^ \\7v!r/\_ ^^^^^fe^-^^^^^*^^ _ Dos complementos ndspensáves no stu lar... \ mmwê&^^~~~ *~.a ^H^/^^^^^^^^^^M,^^b^ enceradera e asprador RE y^~" s. ^^Í^^^v mmmmmmammmmmmmm^ ^^«^«m^^^^^m^ -.. proporconam servços de real utldade / (57% /* \ /^fcg^vv *? «_ C! m ^Smm\Wm \ Tmo!" RE. r- ASPRADOR "RE" ^N^ /flss^^*^ ^^^WjT-3-tel1.»^J_J ^W A/\ \ ^*rm5ww? 1 sstcnte às toretos Modelo ^^:M ultra-leve, com 8 utlss- ^-5^ // flhpví-l l ^8 p ^ómmõoernce,or *O rmf ENCERADERA "RE" Raspa, lustra e dá polmento rápdo, poupando tempo e trabalho. Dspensa lubrfcação. mensas t/*»\ m^s) ^r*m^á~ _ÍO «MmW MM Wà W l-o \\ f//(fj,^-, ÍV^\ Amm^mLM=Z r(m^... mm mm-.m.-mww fã WM W - mmfc \ < ^/\w77n l>\ mm fã m mm^m/t/mêm. Produz ar quente para secagem rápda dos cabelos. vymm ^^Í^Sí/^ W m\\m WammmWWÊmW r<m/ Acessóros p/esporgr lqudos e secar roupas. ^/// U Elmna o pó das almofadas Pm^ Wy** v&w&jwê nteror do seu carre fce^^fe^^^s^a^l^&ttèjj

10 1 mr.- wmr. rpágna 10 :Ro de Janero, Quarta-Fera, 10 de Setembro de 1958= ULTMA HORA SEARS Dstrbu Bolsas de Estudo <M l> ^^mmmêêê ll m fs MméÊk jr-lmmm^k f^^-rlr """""--? l«k fm m» j EJH Na foto. o Sr. Donald Buntng, Dretor-Presdente da Sears, Roebuck Co., cumprmentando o Dr. Pedro Calmou, Magnfco Hetor, após o seu brlhante dscurso. A exemplo do que vem acon-1 tecendo em outros pases, (Ha-, va, Alaska, etc.) a Sears vem! oferecendo bolsas de estudo a estudantes brasleros, tanto do Ro como de São Paulo, e de ou- j trás Unversdades brasleras. Oto rapazes e moças alunos de dferentes Faculdades da Un- versdade do Brasl, acabam de ser contemplados com estas bôlsas que somam um total de CrS ,00, dvddo por um período de cnco anos, além de mas CrS ,00, com a fnaldade de comprar lvros para as bblotecas unverstáras. Para faer a entrega das lmportâncas, relatvas ao presente perodo, a dretora da Sears Roebuck Co. reunu num alegre DEPÓSTOS POPUOTES até Cr$ ;; ,00 almoço no 8. andar de sua sede na Praa de Botafogo, os alunos agracados, os membros do Comltê de Bolsas, representantes da mprensa, bem como, especlalmente convdados, o Professor R. Munz de Aragão, Professor Carlos Chagas, Dona Zaíra Cardm e o Dr. Pedro Calmon, Magnífco Retor da Unversda de, que recebeu das mãos do Sr. Donald L. Buntng, dretor-pres dente da Sears, dos cheques no valor total de CrS ,00. Város dscursos foram proferdos, sendo de destacar os do Sr. Donald Buntng oferecendo as bôlsas e o Dr. Pedro Calmon, agradecendo em nome dos estudan tes benefcados. Agênca ESTÁCO RUA HADDOCK LOBO, 7-B w0 ponera das jêntu mtrapolílnas BANCO BOAVSTA S. A, Uma completa organzação bancára Expedente : de 9,30 às 17,30 hs. Curso de Hgene da Almentação e da Nutrção Abertas nscrções a Partr de 7 de Outubro no SAPS Estão abertas na Dretora dos Cursos do SAPS, à Praça da Bandera, 96, 4. andar, as nscrções para o Curso Pós- Graduação, organzado pelo Professor Jorge Bandera de Mello, catedrátco da Faculdade de Cêncas Médcas da U. D. F., e destnado a médcos nternstas, médcos santarstas, médcos nutrólogos, nutrconstas, bromatologstas, qumcos, farmacêutcos, enfermeras e assstentes socas. O eurso constará de ses aulas medatamente segudas de semnáro, para dscussão e debate. Terá nco a 7 de outubro. Os nteressados poderão nscrever-se, daramente, das 14 às 16 horas, exceto aos sábados. Será fornecdo um certfcado a odos os alunos que obtverem dos terços de freqüênca. Não haverá exames. Venha Receber Gráts um Terreno (A Título de Propaganda) J<CT ^^ As 100 prmeras pessoas que apresentarem esto anúnco, mundo de qualquer documento de dentdade cujo número fnal corresponda com um dos números acma, receberão gráts o "TÍTULO DE PROPREDADE QUTADO" de um ótmo terreno próxmo à Nova Captal Federal (Brasíla). A» despesas de cartóro correrão por conta do contemplado. COMPAREÇA HOJE PARA EXAMNAR A DOCUMENTAÇÃO BRASÍLA TERRTOR S/A Rua 7 de Setembro, Bs/304 Tels.: e S í T WÈ m Soceté Générale de Transports Martmes Ro para Santos, Montevdéu Buenos Ares PROVENCE 11 de setembro BRETAGNE 9 dc outubro PROVENCE 30 de outubro BRETAGNE 27 de novembro PROVENCE 18 de dezembro Ro para Baha, Dakar, Barcelona, Marselha e Gênova PROVENCE 23 de setembro BRETAGNE 21 de outubro PROVENCE 11 de novembro BRETAGNE 9 de dezembro PROVENCE 30 de dezembro Passagens de l»xo, prmera classe, etc. Vendemos passagens de chamada de tfldas as classes, da França, tála, Espanha, srael e Sra. Agentes Geras: COMPANHA COMERC E MARÍTMA S. A J Av. Ro Branco, n. 4-B Tels.: e *-*-*"*&//** Outras Marlenes Fugrão: Desorganzação do SAM Facltou a Evasão da Bela Assassna! A hstóra de Marlene Smões- a menna dos olhos lndos e menna de Jacarepaguá, de descendênca talana, descobru logo vox de crança, comove a cdade. E a velha hstóra da moça nos prmeros das de caada que o seu ovem mardo, Antôno suburbana que sonha com um casamento rco, com um príncpe Sebastão Vana podera lhe dar muto pouco, quase nada do encantado de "Cadllac" que lhe dé tudo, nclusve multo amor e que lhe prometera durante os belos tempos do novado. O apartamento de luxo, por exemplo, no qual Marlene passeara seus ao fnal, desludda, ca na trste realdade. A maora das jovens que passa pela aventura (ou desventura) conforma-se e com o saudáves 17 anos, transformou-se em um humlde chalé da Estrada do Tmdlba. Os dvertmentos eram curtos, o mardo raramente tempo transforma-se em uma dona de casa comum, ncapaz de matar a barata que nvade sua coznha. Outras, porém, e graças a acompanhava. Marlene começou ontão a descobrr o mundo na a Deus consttuem uma Ínfma maora, não resstem ao mpacto companha de motorstas de ônbus e táxs que fazem ponto no brutal que é a descoberta de que seu eleto é um homem como Largo da Taquara, em Jacarepaguá. O amor pelo mardo fo morrendo, morrendo e por fm, quem morreu fo o própro mardo, qualquer outro e o por, como no caso de Marlene, pobre, tendo de seu apenas os dos braços com que trabalhar todo o da A fuzlado eom a arma de um dos mutos amantes da esposa. SAM POLCADO Soldados da Polca Mltar, na foto. patrulham muros e corredores do nsttuto Coração de. Mara, tentando evtar novas fugas. Marlene abru um pergoso precedente. c meddas enérgcas dcverco ser tomadas para gue 7no ocorra uma fuga cm massa. O que aconteceu em seguda, todo mundo subo. Mnrlene o presen tou-se Polca, dlzendo que hava assassnado o companhero devdo a seu mau gêno e íol encamnhada (para recuperação!!!) no SAM. Ótmo Comportamento Dona Ormy Slvu. atual dlrétorn do nsttuto Coração ds Mara, onde-se encontrava lnternuda Mnrlene, e de onde escapullu. rocambõlescaménte. na tardo de 4?-fera últma, conta-nos: E nacredtável como aquela pequena conseguu nos enganar. Proceda dretnho. audavu nos servços du casa e ganhou nossa confança ao ponto dn permtrmos que tvesse ela tarefas de responsabldade. Recusou-se u fugr em companha de outras alunas e por sso fo até espancada. Tudo faza crer que Marlene daqu sara após haver sdo julgada apta pnra rede. Puro engano, meus senhores! A cratura, quarta-fera que passou, por volta das 16 loras, pulou um muro e ganhou a lberdade. Procedeu com tanta astúcu que nnguém percebeu quando ela escapu- lu. Até hoje estamos mautando sóbre o assunto". A desr.rçâo ca fuga de Marlene, telta pela senhora Orny Slva, faz com que perguntemos, onde andara Marlene? trnjuva ea apenas o unforme do n-, ternato. sem dnhero e ate o presente momento não procurou qualquer um de seus parentes. Fuga Arqutetada, Declara o Curador Não se compreende como uma cratura como Marlene Smões, cuja fotografa fo estampada cn todos os jornas, contnue desaparecda verdadelro ponto msteroso perddo Goás Assombroso: Matadouro de Homens Onde se Compra a Morte de Qualquer um (V) Autordades Goanas Desmantelaremos os GOÂNA, 9 A nfndade de crmes que sc pratcou por todo o Eslado de Goás, nos últmos anos, fêz com que drgentes polítcos da oposção, durante largo tempo, abrssem ôgo cerrado contra as autordades governamentas, tal era o clma densegurança a que a "população estava exposta. Enquanto essa nucatva parta de elementos hosts ao Governo, este enfrentava a questão, atrbuhdò-a a mera ntrga partdára. lá pouco tempo, entretanto, lderes polítcos que formam ao lado da stuação drgram um "ultmalum" ao Sr..losé Ludovco de Almeda: "Ou acaba com o cangaço ou a sua carrera polítca terá fm ao térmno dêsse quatrêno." Era o goano que prncpava a acordar para o crescmento da nova captal, paa a sua maturdade polítca c sentr que não mas era possvel tolerar uma stuação njustfcável sob odos os seus aspectos. O Governo, com sso, veo aperceber-se ca realdade e não vaclou em atacar o problema, doesse a quem doesse. K err mao do corrente ano, substtuu o Secretáro de Segurança Públca, colocando à testa da mportante pasta de Estado o Sr. Thales dos Hes, homem dotado de punho dc forro, que está procurando acabar, em marcha acelerada, com o bandtsmo, com o mortcíno, com a mpundade, enfm, que vnha cando uma trste fama ao Estado do centro braslero. Antes, tudo vva entregue à rresponsabldade total, ao crme ofcalzado. mpéro do Suborno Veja-se, por exemplo, quem era o antecessor do Secretáro Thales dos Res, num perfl traçado por um nvestgador de Polca, que falou ao repórtor em presença de outras autordades, que não o desmentram nem o reprovaram: Um da sa pnra prender um falsáro, autor de vultoso golpe aqu em Goâna, que vva mpune, aplcando -contos", falsfcando cédulas, furtando, roubando, assaltando. Encontre-o no centro da cdade e o prend. Surpreso, não ttubeou em oferecer-me dnhero. E muto dnhero: "Toma, leva e faz de conta que não me vu." Eram 100 ml cruzeros, em notas legtmas, por mm examnadas." Fazendo blague", dsse o nvestgador: "Sent-me tentado. Doeume todo o corpo, fque um tanto confuso. Mas acorde a tempo e segure o vagabundo, levando-o à presença do Sr. fracy José Gomes, então SecrétárÒ da Segurança. Entregun o ladrão, o dnhero bom e o falso encontrado cm seu poder. Retre-me, como era de meu dever, paru aguardar o momento de depor no auto de prsão em flagrante, na qualdade de condutor do crmnoso. Qual não fo a mnha surpresa quando, no da segunte, no mesmo local em que o prend, encontre o arápo que, drgndo-se a mm, zombou: -Tal, otáro, você não qus o dnhero, eu de a outro. Estou aqu, "soltnho da slva". sso é para você largar de ser bobo." -E mas: no mesmo da. cs jornas publcaram uma foto do secretáro com as mãos cheas de notas de ml. Eu f g u c queto, evdentemente...- Não ocorrera o mesmo com relação aos homcídos? Não teram os banddos, os pstoleros dnhero sufcente para sufocar uma possvel persegução"? Dnhero,- como já se contou nas outras reportagens, eles tnham em abundânca. Audáca de Mandante O Secretáro Thales dos Res e o Captão Eduardo N.oves Barbosa, falando à repor? tagem com relação ao processo em que se apurará a responsubl dade dos mandantes de homcídos, dsse que não poderão obedecer ao sstema de Ultmação. sto porque no prazo que se há de conceder nos ntmados para apresentação. poderão ocorrer fatos seríssmos. O mandante, sem duvda alguma, procurará elmnar a autordade que o ntnrou, cercar-se de capangas e dar motvo a verdadera chacna. Portanto, todos oa que foram referdos pelos ntegrantes do -Sndcato do Crme" como os mandantes, serão presos sem mas outra formaldade e somente serão postos cm lberdade caso provem a falsdade das acusações que sôbre eles recaem. Do contráro, só terão lberdade quando saldarem suas contas com a Justça. Para sso. adotou-se a cautela de. cm todas as fases do nquérto polcal serem, acompanhatas pnr um representante do Mnstéro Publco. Por a se verfca até que ponto va a audáca dos mandantes. Caso sso não bastasse. havera, em favor das autordades da Secretara da Segurança Publca, fatos que antecederam a prsão de Uras Maxmnano. Êste. dexando sua resdênca, fo â cdade, tratar de negócos, no momento exato em que a Políca o procurava pura prender. O nvestgador Otaclo Gumarães Rbero, acompanhado de outro polcal que drga a vatura, fo o desgnado para efetuar a prsão de Urlas Bernardlno de Souza, conhecdo por Uras Maxmnano, mandante do assassnato de Arão Antôno Gabrel. Provado êsse fato no decorrer do nterrogatóro a que João Santana fo submetdo, o Captão Eduardo Neves Barbosa não teve dúvdas em mandar prendê-lo. Aqueles polcas, nclalmente, dlrlgram-se à res!*- dênca do velho. Nesse tempo, curto espaço, a notca chegou ao conhecmento de seus famllares que, depressa, procuraram defender a lberdade do septuagenáro crmnoso. Como "Douglas" agr? Um possante logo decolou, levando a bordo peões pstoleros, e procurou locallzar a va por que os polcas passaram em dreção a casa de Uras. Os nvestgadores logo foram nformados de que êle, Uras, fora à Secretara de Segurança tratar de negócos. medatamente voltaram, vsando prendê-lo lá mesmo, no nteror daquela repartção polca. Com sso, os pstoleros que se encentravam a bordo do avão, não tveram oportundade de alcançar, pelas ruas de Golãna, os agentes que seram avo do terrível fuzlamento que premedtaram. Urlas fo preso à porta do Paláco da Polca e a stuação tomsu cutro rumo. Está preso, já eom prsão preventva devdamente decretada, negando tudo, dzendo que é pessoa de bem. Terrorsmo em Burt Alegre Burt Alegre 6 uma das cdades próxmas à captal goana. O governo arrecada de npostes, al, a mportânca de 40 mlhões por ano. Esse fato servc para demonstrar que não se trata de uma smples cdadeznha. Pos é nessa cdade que, há cerca de doze anos. segundo pessoas dôneas, não exste Juz, promotor ou delegado do Polca. Todos os que são dcsgnados para ter exercíco al ou morrem varados por balas ou são forçados a fugr. Sòmcnte agora é que o secretáro Thales dos Res conseguu pôr as cosas cm ordem, fazer prevalecer a le. Reforçou um destacamento e desgnou um delegado, ofcal da Polca Mltar, que dsse não temer a morte no exercíco de suas funções. A atuação. com sso, eslá tomando outro rumo. Restam outras cdades a screm polcadas. Nelas também o terrorsmo mpera. Mas a Polca. agora com uma admnstração responsável, rá stuá-las no bom conceto dc toda a gente goana, acabando com os pstoleros, com os mandantes, com os scáros, com a ndústra do crme, enfm. "O Bandtsmo Cessará" A reportagem, ao despedrsc do Secretáro Thales dos Res. ouvu dele as expressoes sóbre o crme organzado no Estado a cuja admnstração pertence. Suas mpressoes. cm lnhas geras, corroboraram as recolhdas pelo repórter. Era de terror a stuação. M a s. assegurou-nos aquela autordade que acabará. de qualquer forma, com o bandtsmo renante. E so o faz porque encontrou, para a formação do seu quadro de auxlares. homens como o Captão Eduardo Neves Barbosp. como o assstente técnco Natnro Fundão Jr., como Acetaram o Desafo: Sndcatos do Crme" (Últma de Uma Sére de Reportagens de José Loola e Ru Costa Exclusvos de ULTMA HORA) os nvestgadores pertencentes â Delegaca Geral de Vglánca e Capturas. Não posso pagar a esses rapazes o qun eles têm-, dado â Polca goana, ao povo de Goás, a não ser solctando ao Sr. que agradeça, de públco. essa colaboração.- Que manfeste tle públco o meu recorhecmnèto pelo enorme benefíco que vêm trazendo A Admnstração Públca, ao Governo do Estado, banndo do meo dos homens de bem os facínoras, os empreteros da morte, a ndustra do crme, que debelaremos em pouco tempo, graças ao Captão Eduardo, ao detectve Fundão, ao nvestgador Otaclo e a tantas outras autordades. Uma "ndustra da morte" já fo desmantelada, Outros Sndcatos" exstem por a. sabemos nós. Mas hão de "falr" também, pura a tranqüldade dc todos.* Ao que a reportagem pôde apurar, não era somente o Sndcato- de que João Santnnn era presdente que vnha agndo em todo o Estado. Outros há. A fnnlla Mateucc. ao que sn nforma, fo anquladn por outra "organzação". Na Câmara Muncpal, vereadores fazem dscursos advertndo o Governo para a ÔNBUS DERRAPOU E FÊZ 6 VÍTMAS Cerca das 18 horas dc ontem, quando trafegava pela Rua Gomes Carnero, cm Copacabana, o ônbus da Unha Jacaré-lpanema, chapa , derrapou, subndo a calçada e ferndo Qutéra Mara da Conceção, vúva, Rua Soares Cabral, ndo posterormente chocar-se com um poste. Cnco de seus passageros também sofreram alguns fermentos eves, sendo medcados no Mguel Couto. O 12. DP regstrou a ocorrênca. MATOU-SE SEM EXPLCAR PORQUE O Comssáro Serafm Braga, dc servço no 17. Dstrto recebeu, por volta das 18 horas, comuncação de que um homem se hava matado, na rcsdénca coletva da Rua Desemhargador sdro, 126, quarto 23. ndo ao local, a autordade dentfcou o morto como sendo Francsco Horáco de Olvera, soltero, dc 5- anos, não consegundo descobrr as razões do seu sucído. Acusado de haver desvado quatro mlhões de cruzeros da frma L. Fgueredo & Ca. Ltda. quando exerca as funções de conferente na referda frma, encontra-se deldo no Depósto dc Presos da Delegaca de Vglânca, na Centra dc Polca, o ndvíduo José Lete. Havendo sdo processado por quexa apresentada ao delegado do 8." Dstrto Polcal, por drgentes da fr- exstênca de outros grupos que se mantêm à custa de assasslnos, de trucdamentos. Mas. ntmdados, não ndcam os nomes dos facínoras. Jornas não lhe denuncam a atvdade, também, por nao se sentrem seguros, conforme declarou a.ultma HORA um redator do Jornal de Notcas." Es o que fo, o que é e o que será Goás daqu a mas algum tempo. Houve o tempo do mortcíno mpune, protegdo e mandado. Agora, prncpa o desmantelo das gangs". Num futuro não remoto. a tranqüldade será a característca de todos os que manfestarem o seu pensamento. que verberarem o procedmento ncorreto dc autordades c poltcos. A gente goana, humlde n ordera, profundamente humana, rá sentr que sn pode vver nm clma dfernntn. onde um homcdo sí.-rá motvo de surpresa, de espanto, de revolta, dn condenação. Não contará vvendo numa terra cm que a matança humana dexavu dn consttur fato nxcepconal. Os saques às fazendas acabarão, para que rene a ordem, mpere a Le. haja respeto à pessoa humana. no Ro de Janero declara- ngressar no selo da socedanos o Dr. Eudoro Magalhães, Curador de Menores, prossegundo tudo ndca por outra lado. que houve um plano multo bem elaborado para que a menna consegusse se evndlv sem levantar suspetas. Alguém auxlou-a, não tenham duvdas1. Entende-se m" Curador está com a ra»h qunndo afrmo que MnreT. sa Senhora, dvulgando dessa u menor, tff» se refere ü d-sobr rnçfto do M.M. Juz dc res de Meno que so tomou conhec" mento do foto através do nj" P HP \í lü ^ \ m_;:. --^^B-a-^HP^: *^^B.HL9 ^ ^B m.. :1^H^H^&>**"<* lb B^^M ^1 l «arl - -* M í -m W&Ê Br mwà jhh.hsmlf«wr<ajy ^"" ^B^^Kk JL /^ ld/j0^^^/yjr,-h^bgsl,/.:.;.:.- ^Ê_m. Mmm /Tf 1! M :. K/ BlírJf Jr! m- * mm) J&^.Tj^ámmW ymwèèmk, m mmmm^^b-yymmmmy sh^ BELEZA EXUBERANTE Tranqüla, como aparece na loto, na época do crme, Marlene. a loura üxorcda dsse apenas: "mate meu mardo porque èle cru cruel pura mm". fugu contando com a ajuda de alguém. É certo que já tera aparecdo, caso não estvesse sob a proteção de alguém. Porêm. Marlene è un caso especa. para o qual convergem todas as atenções. O mesmo, todava, nao ocorre com as outrás 2ü menores que lograram escapulr do nsttuto Coração de Mara que agora esta sob a vglânca da Polca Mltar, representada por dos soldados que percorrem os muros do n- RONDA DAS RUAS HOJE, PROSSEGUMENTO DO SUMÁRO DE CULPA DOS MATADORES DE AÍDA Prossegurá hoje, às 12 horas, no Trbunal do Júr, perante o Juz Astéro Machado de Melo, o sumáro de culpa de Ronaldo Gulherme de Souza Castro. Antôno João de Souza e Manoel Antôno da Costa, cúmplces do menor Casso Murlo Ferrera da Slva, no doloroso epsódo que redundou na morte da jovem estudante Ada Cúr. Serão ouvdos hoje Luís Beethoven Cabral de Leme, van Prado, Suel Weyath, Coronel Henrque de Castro Neves c Nelson Cúr, arrolados como testemunhas de acusação pelo Mnstéro Públco. Na audênca dc hoje náo comparecerá Casso Murlo que já tendo prestado seu depomento na qualdade de testemunha, está dspensado no processo de Ronaldo e demas, contnuando, no entretanto, a responder aos autos em curso no Juzado de Menores, de natureza sglosa, em vrtude de sua pouca dade. SUCDOU-SE SEM DEXAR RAZÕES Gulhermna Morera Monquè, braslera, casada, 37 anos, resdente em Rcardo dc Albuquerque, ngeru ontem uma mstura de água com formcda, vndo a falecer, antes mes- APROPROU-SE DE 4 MLHÕES DA COMPANHA DE NAVEGAÇÃO ma em questão, José Lete teve a sua prsão preventva decretada, por despacho dado ao processo polo Juz José Monjardm Flho, em fns da semana passada. Na próxma qunta-fera, o acusado deverá scr ouvdo no níco do sumaro dc culpa, ncurso que está no artgo 168, do Códgo Penal, que dz respeto a "apropração ndébta". BANDERA HOJE EM JUÍZO Com a presença do ex-tenente Alberto Jorge Franco Bandera, realza-se hoje, às 13 horas, pelo Juz Mauro de Araújo Braga da 22." Vara Crmnal, a nqurção dos jornalstas Nelson Rsarde, Alberto Cordero e Nelson Smão, arrolados como testemunhas em Justfcação judcal provocada pelo advogado do antgo mltar, no sentdo de ser tentada a revsão crmnal do famoso "Crme do Sacopã". Os ctados jornalstas, em sucessvas reportagens, dsseram saber que o verdadero assassno do bancáro Afráno Arséno de Lemos fo um ndvíduo de nome Juventno de Barros, o qual tera agdo a mando de alguém. O Juz Mauro de Araújo pedrá aos jornalstas provas sôbre a procedênca da acusação e razões sufcentes para a revsão desejada por Bandera. Bandera, como se sabe, já cumpru 6 dos qunze anos a que fo condenado. MENNO CAU DO 3. ANDAR: NTERNADO EM ESTADO GRAVE Quando brncava no seu quarto, o menno Rogéro, de apenas 3 anos de dade, flho de Renato Tavela, resdente a Rua Déco Vlares. 301, apto. 301, subu no parapeto da janela e cau. ndo projetar-se na área nterna do edfíco cm que mora. medatamente fo transportado para o Hosptal Mguel Couto, "onde fcou nternado em estado grave, com fratura do crâno. mo que pudesse ser socorrda. Não dexou nenhum blhete e seus famlares não sabem as razões pela qual ca desertou da vda. O 25. DP regstrou o fato. BELA E JOVEM SUCDOU-SE Com apenas vnte anos de dade, mas trstemente marcada por problemas íntmos, matou-se na manhã dc ontem, "Lmousne em frente à garagem Caroca", no mnngue em Caxas, a jovem Andralna Evalat, ngerndo forte dose de formcída. Nossa reportagem conseguu apurar que a jovem sucda, cerca de ses meses atrás, abandonara a resdênca de seus pas, na Avenda Edmundo Lns, 28 apto. 804, no Ro, para r vver martalmente, em Caxas, com um ndvíduo anda não dentfcado, que há um mês a abandonara. Desesperada por não poder voltar pa-, ra a resdênca de seus famlares, a jovem pôs termo à vda. As autordades da Delegaca de Caxas, regstraram a ocorrênca e fzeram remover o corpo para o necrotéro muncpal. "LOURA" FO A ÚLTMA A SABER DA HSTÓRA Sebastão, não se sabe dc què, durante muto tempo fo o "gostosão" da favela dc Parada de Lucas. As mulatas, as branqunhas e as pé-de-moleque vvam assm, atrás dêle. Até que um da Mara dc Lourdes Souza, mas conhecda como "Loura", monopolzou seus carnhos. E tudo corrcra maravlhosamente bem, não fôsse a tendênca que Tão tem para Harun-Al-Rachd. Ludbrando a marcação da "Loura". Tão, mulato alto e vstoso, andou tendo uns negócos com outras pequenas da Favela. Com Cleonce Santago, por exemplo, um broto de 17 anos, Tão crou uma "amarração" de dar nveja. E tudo sem que a "Loura" "morasse nos lances". Ontem, porém, "Loura" soube do "cacho" e, armando-se de uma tesoura, furou sua jovem rval. A vtma fo conduzda para o Hosptal Pedro Ernesto, onde fcou nternada e Sebastão, o tal, deu no pé. Que êle não é besta dc contnuar com a "Loura", a da tesoura. ternato, temerosos de qun outrás garotas resolvam segur o exemplo de Marlene. SAM em Xeque Não restam dúvdas de que a fuga da jovem mntadora do mardo rnflete bnm a desorganzaçao qut é o SAM, desorganzaçáo essa sempre apontada pela mprensa. O dretor da nsttução, na carta quo publlcamos abaxo, cuda de cselarecer que tão logo ocorreu u fuga tomou as provdêncas que o caso requera: Es o que dz: Sr. Dretor de ULTMA HORA: Sob o ttulo, "MAR- LENE. DE 17 ANOS. FUGU DO SAM APENAS PARA SE DVERTR", o jornal de Vostlcáro dos jornas. Acredto que Sua Excelênca náo tenha tomado, anda clènca da comuncação que lhe fo endereçada pelo ofco n? , de. 5 do corrente, não obstante tê-la recebdo, na mesma data, os servços daquele Juzado, conforme recbo exstente no protocolo da Seção dc Connmcações c Arquvo desta repartção. Êste servço não sn descuro de suas obrgações, tanto quo já no da 4, pelo ofco m solctou á Delegaca de Menores a recaptura da evadda. Certo dn qun Vossa Senhora dará a está dvulgação que a le hn garante, subscrevo-me, atencosamente Ass. Raul de Mattos Das". Apesar das provdêncas tomndas pnla dreção do sam podemos afrmar que nada fo feto no sentdo dn scr desço- bej-to o paradero daquela que n uma crmnosa, "uma crntn rã qun poderá voltar a matar, como nos afrmou a senhora Ondna Vana, mãe do rapaz por na assassnado na Estrada Graja-Jncarcpaguá. na úc 17 de junho ultmo. TREM COLHEU 0 MENOR note Quando atravessava a passagem dc nível da estação da Pavuna, ontem, a menor Jandrá, dc 10 anos, resdente à Rua Caplão Gouvea, 291, fo colhda pelo trem UX-13. Conduzda para o Hosptal Carlos Çlágas, Jardra fcou nternada em eslado gravíssmo, apresentando amputação traumatca do pé esquerdo e esmagamento do braço dreto. SUCDOU-SE NA MESMA GREJA ONDE SE CASOU Com um tro na têmpora dreta, sucdou-se ontem. no nteror da greja de N. S. do Lourdes. na Rua JK de Setembro, o sargento retermado da Marnha. José Augusto Squera, dn 53 anos. casado, resdente na mesma Rua, 327. apt Ao que sn apurou, José era portador de um mal ncurável. razão pnla qual. há muto tempo falava rm sucído Sua esposa. Elza Abrantes Squera, falando à reportagonj nm soluços, lembrou que naquele mesmo templo relgoso os dos so casaram. há 16 anos. O corpo fo rémovdo para o ML e o íato regstrado no 18. DP. "BLTZ" NA "MARPOSAS", LEOPOLDNA: PUNGUSTAS E MACONHEROS PRESOS! A fm de extngur completamente á vagabundagem que mperava cm toda extensão da Estrada de Ferro Leopoldlna, o Dretor da Dvsão dc Polcamento daquela ferrova. Moacr Gomes da Slva, ordenou ao Assstente do Posto Polcal. Álvaro Gomes da Slva, que na madrugada de boje. flzesse uma "bltz". Assm, uma turma de polcas, composta dos guardas cvs ferrováros, Rafael. 49. Magalhães, 20 c Salm, 89, chefada pelo fscal Edgar Ferrera, sau em campo. Em menos de 2 horas dc servço, os polcas conseguram deter os seguntes desocupados. pungustas. maconncros c :"marposas": Valdnea do.s Santos; Aríete Afonso: Jorge Rodrgues; Walter Aguar (pungusta»: Agenor Barros (ladrãou Ernan \ ^ Domngues; Argeu Antôno W Slva; Máro Rodrgues dc "lvera (assaltantes) c Lus.varques de Olvera, maconhero, sendo encontrado em seu poder uma boa quantdade cw "erva da morte". Êste fo autuado no 15. D. P. e trancafado no xadrez. O.s demas encamnhados à Delegaca dc y- glánca, a fm de serem.aven; guadas as suas atvdades e as mulheres à Delegaca dc Costumes.

11 >-> > y; mm) m \ m \ ULTMA HORA Ro de Jonero, Quarta-Fera, 10 de Setembro de 1958= PÁGNA 11 FEA DEMAS Pj Depos do jantar, houve o cafeznho. Edgard vra-se para Rubens: _ Vem comgo comprar cgarros, lá na esquna. salrnm, depos de tomar café. A mulher de Rubens, Na- < fcou trando a mesa. E, na calçada, Edgard trava o braçode amgo: Não vou compra- cgarros. Já tenho. O que eu quera era falar contgo. _ Comgo? ^*Vão camnhando e Edgard abre o coração: _ Escuta: eu vou te pedr um favor de mão pra flho rncula Não desfetea tua mulher na mnha frente. Não humlha, carambolas! E chato prá mm! Rubens parece nfto entender:- "Mas que fo que eu fz? Eu não fz nada! Esse c meu jeto! O outro perde a pacôncflt Vocô trata sua esposa a pontapés. Nnguém tem êsse dreto! ff um ser humano, gual a vpcê, que dabo! Vocô deve se controlar. E eu te peço: na mnha frente, nfto! Por um momento, Rubens nfto sabe o que dzer. Coca a cabeça c, por fm, tem a explosão: Não se se a trato mal ou bem. O fato é que eln me rrta, compreendeu? Sempre tve ogerza por mulher fea. E Naná ó um bucho. Ou não é? Ê, sm. Um bucho. E vocô nâo sabe nem da metade. Edgard põe-lhe a mão em cma do ombro: Vou te falar seramente. Bucho ou não, eu nno toleo que maltratem uma mulher na mnha frente. Estamos entenddos? Vamos voltar. A MULHER FEA Da esquna até à easa. Rubens anda extranhou: "Você é gozado, Sempre dsse que o bucho não deva exstr, que o bucho deva morrer. Não to entendo!" E o outro: _ "A mulher fea também tom alma, também tem coração! E vamos ser humanos!" Paraam, porque estavam chegando. Mas quando Edgar vu, outra vez, a esposa do amgo, não pôde evlar uma sensação extremamente lesagradável. Naná era, realmente, fea, muto fea ou, como dznm, "fea como a necessdade". O nteressante o. que, durante o namoro, o novado o as prmeras 48 horas do casamcnlo, Rubens não enxernara sso. No tercero da dn lua de mel, entra, sbtnmente, na realdade. Apertou a DESCONHECDA A Permanecem, anda, desçonhecdns as causas que motvaram o acdente com o avão, tpo CA-lü. -Cntalna", nas mutns próxmas ao muncípo de São Paulo Oltvcnsa, no Estndo do Amazonas. O Comandante da 1? Zona Aírea. sedada em Manaus, envlou ao Gabnete do Mnstro, nformações a respeto do desnstre nóreo, declarando que o nvão conduza dos trpulantes c um passagero, além de um carregamento, composto de duas caxas dc champanha peruaua, uma caxa de mantmentos e dos tambores de gasolna. Entretanto, não fo pòsslvel dentfcar a naconaldade e u orgem dos ocupantes do aparelho. DENTRO DO PRESÍDO: GENV "CGANNHO" TENTOU ASSASSNAR Ontem, a tarde, no nteror do Presdo do Dstrto Federal. Sebastão Sampao, vulgo "C «annho**, depos de mas uma desntelgênca com o seu companhero de cela, Genlvnl Barbíst de Sousa, recebeu um fernento penetrante no tórax, com um estoque mprovsado du haste de ferro da cama. Sebastão fo medcodo no H.S.A. c posterormente removdo para o Hosptal Pedro Ernesto, onde fcou nternado em estado gravíssmo. Genvul fo conduzdo n Delegaca do 14? Dstrto Polcal, sendo autuado em flagrante e novamente recolhdo ao cubículo onde cometeu o crme. " cabeça entro ns mãos, perguntando, de s para s: "Mas eu estava cego, meu Deus?" A partr do então, passou a tratar mal a mulher: E, agora, observando Naná, a sua carnha de preá, concluía: "E* um horror!" E era. Mas, justamente por sso, estava cada vez menos dsposto a perdoar n brutaldade do amgo. Rubens tnha razão quando dssera que o amgo só acetava a mulher bonta. Com uma aparênca pessoal expléndda, atlétco e moreno como os havaanos de fta de cnema, Edgard era vsto, por tôda a parte, com pequenas lndas. Batam-lhe nas coslas: "Tens sorte!" fle responda, smplesmente: "Tenho gosto!" Mas era um bom homem, que se comova fáclmente. Volta da rua com o dono da caso e, do repente, o Rubens podo à mulher: Traz um copo de ágünl Gcludnh. Naná levutn-so o vn lá dentro. Domorn-so um pouco. Nn snln, o mnrldn explode: Sn ou não sa ésse copo do água? Veo a rcspqstn rrtada, também: Calma, cratura! E o outro, furoso: Calma, umn ova! E vô sc não me responde, compreendeu? A mulher aparece com o copo de água: Você, hoje, acordou com seus azetes! O mardo pulou: - "Dexa de ser estúpda!" E fo por a, além. Edgard, estarrecdo, não saba sc deva ou não ntervr. Rubens não parou mas: Sua sso! Sua aqulo! E olha que eu te meto a mão na cara! A outra que, mal ou bem, a respondendo, embora com cosa: ou só nso to doxo «lc pena! Vocô é fea o so eu a abandonasse, você no cncontrara nenhum trouxa como eu! Desesperado, Edgard tonta segurar o amgo: Não faça sso! Cnlmn! Mns ela fora humlhada na carne c na alma. Ao ouvl-o dzor que nnguém a querera, jamas, ergueu o rosto. Pola prmera vez, enfrentou aquele homem que a desfellava, desde a lua de mel: Não se esqueça que eu sou moça! c repeta, esgançnndo a voz: anda sou moça! Então, tôda n fúra de Rubens se fundu numa gargnlhada volenta e cruel; apontava a mulher: Moça, tu? Escuta, sua burra: tu não és nem moça, nem velha! fs um bucho e o bucho não tem dade! Nnguém te quer! Nnguém! E, súbto, ouve-se a voz de Edgard: Alguém a quer, sm! menos volênca, atrou-se em O mardo vra-se espantado: cma de uma cadera. Mergulhou o rosto nas duas mãos c E o amgo: Quem? chorava de uma manera sevagem. Rubens contnua: A prncpo, não entendeu: Eu! E fca sabendo do uma Que pada c essa? E o outro: Eu qus dzer apenas o segunte: que se você não quer sua mulher, eu a quero! Rubens não so mexeu, quando o outro passou por êle. Sem um gesto, sem uma palavra, vu quando Edgard nclnouse, apanhou entre as mãos o rosto daquela mulher tão fea e lão só e sorveu-lhe a bflea num bejo selvagem. Quando acabou, Edgard dsse, baxo, para Naná: Desculpe. Rubens vra-se para um e oulro: Mas que é sso? Edgard encarou-o: Muto quetnho ou lhe parto a cara! Rubens recua, páldo. E, então, depos de nclnar *, cabeca dante de Naná, Edgard encamnha-se para a porta. A menna corre atrás dele: Obrgada! obrgada! E, depos quo éle partu, Naná volta. Tnha na boca a doçura de um prmero bejo dc amor. A felcdade quase a embelezou. Nos Prmeros Das de Outubro, Estréa da "Dvna Coméda" cm 3 Atos, "OS SETE GAT- NHOS", de NELSON RODRGUES, no TEATRO CARLOS GOMfcS. Grande Elenco, Sob a Dreção de Wlly Keller. ORGEM DO AVÃO QUE CAU NO AMAZONAS! O únco passagero do avão, Walter Alfred Young Blood, teve fratura de uma das pernas e fo conduzdo ao mutllcpo de Solmões, 6endo, posterormente, transportado para «captal amazonense. Snbesc, agora, os nomes dos dos trpulantes, que vajavam no "Cntalna, são eles: Courtney Ketl e Mac Donald Hohn, respectvamente, ploto e coploto, que deverão ser levados para a 1! Zona Aérea, onde fo mandado nstaurar nquérto. Lotes Resdencas a Partr de CrS ,00 10% de entrada e o restante cm 100 meses, sem juroí AVENDA JOÃO RBERO, 587 Rua* abertas, água, esgotos, etc. Condução: Ônbus 280, 281, 241, 242, etc. Ver na Rua LUÍS GURGEL, 320 Vendas exclusvas dos Planejadores, Promotores e ncorporadores XaY SAN-REMO Ltda. Dreção geral de: MARA NÊS RODRGUES AVENDA CURCHL, 94 Sala 304 TELEFONE: MÊÊmÊPK m^lr*êg r^ s mmmwmj<^mít^- ^k r A 1 ^ y^^^mms*y/^*^ mmmm^rd /^S^P«^ AMEAÇAM PARSAR O PORTO DE RECFE RECFE, 10 (ULTJMA HORA) Todos os órgãos dns classes produtoras estveram reundos muna assembléa conjunta destnada a pletear a federálzação do porto desta captal e nedatas provdêncas do governo no sentdo dc rcaparellar suns nstalações. Sem o atendmento dessas PREÇOS QUE DEXARÃO SAUDADES!!! 0 Departamento de Louças Acompanha a Grande e Tradconal Venda da UNZENA DAS! l revndcações, afrmaram os representantes dos produtores que us empresas dc navegar ção dexarão de escalar era Recfe, causando graves prejuízos uo Estado e á Unão. Por outro lado, a Adnlnstração co Porto nformará A Assembléa Estadual porque os servços de curgtv e desctr gu sao demnsados morosos. OFERTA ESPEC wú&pwçátr CaAoca PNTOS DE DA OVOS DE NCUBAÇA FRANGAS-MAR REOUNHOS PE RUZNHOS TO* DASASRAÇA Ukf Despachamos para quatoúér parle do Brasl SC-RO S. A. Andídas, 9ÍA- esq. Mal. Florano !-M*/ > tf/ "y- V/ ". â,m s v4 m ^m/k.. J-mtt^M Pv A Cl AÍf ^LmmmmWm. ^ r % áj&^^ mãmmmmm. " v-v*\\ - - VY&, -M 1 ã È. >"- f<. M[ # H CÔCS- L. **-j - O) :apa B1UG1TE double-lace /. *í.v y Syy.yylf wmco d >rc- m. Ê, $ % "&\ NL to. Royal d Rose "Belworf" ^, *\ azucpxo-p* cração fí m tróleo Orgnal modôlo de lnhas El *- V cf Coral- \ amplas, em superor % Trqucsacf Area gorgurão Double-Foce, com mpermeoblcode garantda. vale 1.350, --st,,- W \ 1 oro \ \! Como Oferta especlol: Compre agora...e economze 370. ÓtP CAROCA Largo da Caroca esq. G. Das Tudo Bom AM SAS o:crvze*r Tudo Barato V ms4 V\ 1 Depto. Prop. «A Exposcüo.^A^, APARELHO DE CHÁ Pratos de granlto "Trgo" fundo e raso, de 14 cruzeros cada um por apenas 9.00 :"Í M íl,*; ;Í ** so 0H *^ Vât ** -5PJ3 ***aaf*^b Jm^Ammmmm M - mm t ^ mm^\mm^/^m* Aparelhe de Jantar com 22 peças em gránlto de dlverot padrões. De Cr 540,00 por 485,00 Aparelho de Café em porcelana Ram com 9 peças, de CrS 408,00 por 375,00..parelho de Chá com 10 peças em "Renner" porcelana floreada. De CrÇ 1.300,00 por F. famíla nter».»doro fs» lennçl* de fref«!or lmpeza que Klvnos Bxa na bôc«l 4Ú Kolymos â ^ CBEME DENT A Anúncos em ULTMA HORA R- Senador Dantas 7-A Tel.: Lnda letera com capacdade para 1 ltro, resstente ao calor. De CrS 98,00 por Ferro elétrco marca "Tup" De CrS 210,00 por r Plão dc Mprrnr madera para amassar tempero. De CrS 25,00 pur 16,00 Pasta para lmpeza de utensílos. De CrS 28,00 P"-r 23,00 Faça uma vsta aos demas Departamentos, onde haverá sempre uma boa oferta VENDAS A PRAZO EM SVAVES PRESTAÇÕES MENSAS.l-*,sj dc esternhas para mesa com A peças. De CrS 42,00 por 37 QQ MtS.» dc latas para mnntmrntos cnm 5 pecas. De Cr$ 200,00 pur /^W Cupos dc vdro uso em ca* x*s dc dúza. De CrS."tt.n por utensln M W pura coznha u com ;.1.- < ; peç :.!... r [CRUZEtR A MAOR CAMSARA DO RO RUA DA ASSEMBLÉA, 50, 54 a 60 e RÜA DA QUTANDA, 15 e 17 (CASA DA ESQUNA)

12 A mm./ -.-,. : -.,. >;,, r r V m m ívt < ã 1 5 PAGNA 12 =Ro de Janero, Quarta-Fera, 10 de Setembro do 1958 CURSOS SENAC-SAPS DE HOTELARA para APERFEÇOAMENTO DE GARÇONS E COZNHEROS nas funções de TURSMO E HOSPTDADE Em convêno com a Federação Naconal de Empregados no Comérco Ho* tclero e Smlares. Dando dreto a certfcado de aprovetamento vsando à habltação profssonal. MATÉRAS: Português aulas/semana Matemátca 2 " Vocabuláro Hotelero (nglês e Francês) ". " 2 Relações Humanas 1 " Garçons (teora e prátca) 8 " ou Coznheros (teora e prátca) 8 " PROFESSORES: Nutrólogos do SAPS, Técncos da Federação Naconal dos Empregados no Comérco Hotelero e Smlares, e Professores do SENAC Regonal do Dstrto Federal. Duração: Dos períodos letvos de 4 meses cada um. Abertas até 15-Set. para o Matrículas: prmero curso, que se estenderá até 30-Jun*959. níco das Aulas: 22-SETEjytBRO SENAC REGON 00 DSTRTO FEDER Para matrícula e outros nformes: E 1 ESCOLA CENTR J. M. DO VLE CARVHO à Rua Sta. Luza, andar Das 8 às 22 horas.?.?r^.t*!:to ^, At^mW.m^yAmmrxírr.rr DE LaÍVRADOR A GENER (TERRA, MAR E AR) O Exércto Braslero é a nsttução /o já tnha um objetvo: ser um da, mesmo que dstante, ofcal. Fo cabo, sargen- que melhor reflete o funconamento do regmo democrátco no país. Nas suas fleras estlo ntegrados ofcas, sargentos e A luta era árdua mas a força dc vontato, formando o alcerce de sua cultura. praças das mas varadas orgens e de de de vencer superava tudo. A enxada e o prncípos relgosos também dferentes. O arado contnuavam nas suas recordações. esprto de casta, que predomna anda em Os das longos, dc sol a sol, certos passados no países, nunca encontrou guarda nas cultvo da terra, nao estavam muto forças dstantes, de terra. Branco, preto, pobre, rco, braslero puro ou descendente de estrangeros, todos são soldados com os mesmos dormdas, Fnalmente, depes.de mutas notes mal dretos passadas debruçado sôbre os lvros, chegou a e deveres. Ontem, grande oportundade confrmando que fo essa verdade, ouvmos do General Leòndas Amaro, dretor- que estudara matemátca com o Sargento aprovetada: o Sargento Leòndas Amaro, geral de ntendênca, na homenagem que Ruy Santago, hoje um brlhante Coronel, lhe fo prestada pelos seus auxlares, mltares e cvs, pelo transcurso de sua data de sau ofcal entre os melhores classf- ngressou na Escola de ntendênca, de on- nalnlíca, uma revelação que engrandece o cados. prestgoso chefe mltar e honra o própro Sua carrera de então para cá fo toda Exércto: aos 7 anos de dade o destno roubou-lhe o pa. Embora crança sentu nos fm de sua longa vda mltar, ocupa o mas pautada de sucessos. Atualmente, quase no ombros a responsabldade de ajudar na alto cargo do Servço de ntendênca. manutenção da famíla. E fo arrastar a Os dscursos de saudação fetos pelos General Ravedutt, Coronel Camerno, sarge,- enxada e drgr o nrado no amanho da terra fértl, a fm de colher 0 sustento to Adrce própro e funconáro Thompson, exaltando as qualdades do General Leòndas Ama- e dos seus rmãos menores. Mas tarde, anda muto jovem, ngressou no Exércto ro, tocaram-lhe fundo para melhor poder auxlar na alma de soldado de a famíla. orgem Tnha humlde, mas soldado honrado, apenas o curso soldado prmáro, feto à exemplar. note, com enorme sacrfíco. E como soldado, nas horas,,.9, Genwal Leòndas Amaro, que daaul felctamos, em que seus companheros é um exemplo vvo do espírto procuravam democrátco dvertr-se, êle apegava-se do ExércH aos lvros, de C-^-t-s domnado pela vontnde e Osóro. Êle mostrou «.ue ndõmta lutar também de vencer. e snonmo de vencer. Ao ncar os estudos do nível secunda- BATSTA DE PAULA MSCELANEA Está em festa a Dvsão Acroterrcslre, com o nascmento entusasmado, amgos e colegas. Cearense do que ama mas prmorénto do Tenente do que tudo a sua tradconal Paulo César Paquet, que receberá o nome de Paulo Re- undade, o sargento Wlson é nato. Parabéns. ""> chefe de famla numerosa e O Coronel Clóvs de Andrade, quo gente do "Plantão", fo dos pa dedcado. Amgo ntrans- fo durante muto tempo olca de Gabnete do General dera de nossa canddatura, prmeros a desfraldar a ban- Lott, mas se encontrava na pensando apenas nos nteresses naconas. Ao Wlson, o COFAP drgndo o Departamento dc Abastecmento, pedu demssão do cargo. Fêz tla 7 de setembro, no 3. B nosso abraço. *** Ocorreu no muto bem, pos a COFAP lfluda sempre. *?*, da PM, um fato com certa Está festejando hoje o seu anversáro xar de merecer a atenção do gravdade que não pode de- natalíco o sargento Wlson comando geral. A cosa tem Mendonça Maa, do RES, que relação com o pavlhão naconal. *** Surgram algumas será homenageado pelos seus cé* ;V*-"*??*t *" ""y.jy.jwhm.un.» *» m-y.,kv,.w*^*.v%**m,\*qm>.>>y»«w- ja 9f%* 11 lll! l!r.í.~; m> - ;; v-; n "ryyymyyyyysm!*-5, - *,_,t,.*» (?$jk í?$ ym:*yy myrrmrréú rum ;Í:;;:;;!WrSr:f«lfr;; ":-.-: yyrr:yyyy...-,...;. -ry-^-ry-rr-r.; yy.yvy:: y.?ymy:-.; -s ;:-, rrrr;myãmryyyy..yíryy:r-.yyyy,rrryí yyy,y:y.ryyí.r?;:.r.-r-.._.,.;:.:;.,-r.í.:..:...-r; : r.;,-..,:^rrly-my-rryrmmyyr^myrmyrmyyry.yyyryyhy.; -rm mmrm m mrrry mrmyr rm mmmm ymtêmmrpmmymyyrmyymmr-y f" :. : y* rxyyyy-y»r.;. : >»-> rs*:.;,:: - - r-r rr..r. -. \ ;»lt ml r (? : -(W-r ^HÉPa^B^^Blg flm8ps3mhffllfftl nacas-.-sa-asmaí A.JBaMWtg^M^. *.^waa.^rrn^8r<^b8^n^*^^ * ^»l. ^_ faflm aap^cwb 8HtKSÍ:>:: S^^mÊmmmÃmLmmWS^mr : - "".^WMBÉMflHlBBBBffS^ - f-:.. M^^^B^gft&CT^^-l^W!^*"*p*"»«8B*Bh nméft-tfléjjm.a. * < js*wmwr >%? * *& "> ***- >V *** ^^,^:^Bg^?J^^-í^í^^^g^y*^*^^ wjnfft^my r n éím r f PW(BJrfMy*r^^^6>Í^^» íjjt. <fc xmxmxa&x ^*v«b " * WÊÈÊÊSfflMm MUÍ r~rnn - >ffll»«>fm^< VMr.íJY». á&^*.9- «> èk <> -> *j>***3caxkmswbkmmb& W^rywBBtí ^T ^? T *^ *B!3s^B?aÍdT*lyTBB*^?»!»rS **:. hm m\j tt*mwmèémmmmvfàm\mmwtfmm^^ ttffws " te^am ^^r^hw>^3*bc-* "~TB^tHWW^M^ jlfl^^ác^ríllwímf- j^^^ f"" peébí?lln J^mmmÊ ^L m... j^ üm ^mt. j-mfw- \ SHHffr ^^.me8í~mm$mwmm>*tmw?^^ ^^^JB^T^Í^^^^^lrMfF^P^^^ ^íy*sr^p^*1^h^p^^^>,*": ^^^rm^m: - z:^^u^íff^^^ ^S8a Bfe^M*rfÍWE^Í^M^!rW^Í^^ ;>,. r^s^^^^^mm^^m^íw^^^m^^^^-^y^y^mfmj ^m&w$&* *V&^ BTllMtlPS^^ 0 Super Convar da Real... ê ÉM ([ue voce paga a prazo Reallur que põe ao seu alcance "tôdas as partes do mundo" lhe oferece "dentro de casa" pela sua Real, além do melhor servço domestço de avação, o mas amgo sstema de crédto de vagens. Leve mas dnhero, comprando a crédlo a sua passagem. Pague apenas a ncal e dexe o resto para depos do prazer. Reallur é o amgo que confa em você. Sua assnatura é o seu crédto e depende somente de você. Av. Ro Bronco, 277-G Tel Desenvolvendo cavalos de força o Super Convar da Real torna mas curta a sua vagem, mas lgera e mas efcente na solução dos seus negócos, levando-o a 450 kms. horáros de super rapdez c dando-lhe a bordo o super servço dc conforto Real já famoso. T^EnLTUB. o amgo que confa em você Av. Atlântco, 1936-Tels dtlas, da nossa canddatura a deputado federal, com a legenda do Partdo Socal Democrátco, quando somos flados ao Partdo Trabalhsta Braslero. Solctamos ao.s amgos e companheros que as nutlzem. pos o voto com tas cédulas será nulo. ""> O Captão Dutra, ajudante de ordens do General Leòndas Amaro, está estudando socologa, embora já seja na prátca um grande socólogo. *"* O Subtenente Mguel, do RE, cncontrou o cartão de dentdade do sargento Aluyso Rodrgues de Carvalho, que será resttudo na Rua Aurélo Vaporto, 15-A, cm Marechal Hermes. **" Nosso comnanhero Falho está lendo, dàramcnte, no programa "Notícas Polcas", do nosso amgo Newton Gumarães, das 9,30 às 10 horas, o comentáro que publcamor nesta seção. *"* Fo naugurada hoje. às 11,30 loras no Hosptal da PM à Rua Estáco de Sá, uma nova efermara pnra os subtenentes e sargentos da Corporação. ** Fo nomeado Secretáro- Geral do Mnstéro da Marnha o Almrante de Esquadra Gerson de Macedo Soares. * O Mnstro Texera Lott nomeou o Coronel André Fer* nandes, chefe da Dvsão de Relações Públcas de seu Gabnete, para representar o Exércto na organzação do programa da "S emana da Asa". ;?.* A Escola de Motomecanzação fo ontem vstada por dretores de rádo, jornas, televsão e outras autordades, de acordo com o programa de vstas organzado pelo General Oscar Rosa, Dretor do DAE do Realengo. ** O General Oromar Osóro, por ntermédo do Servço dc Relações Públcas da PM, programou uma conferênca, com flmes, sôbre o tema "Medena Atômca" O átomo na Paz e na Guerra Noções de Prmeros Socorros aos Acdentados". A conferênca será proferda pelo 1." Tenente médco Dr. Hermíno M. Macedo, no Audtóro da AB, à 15 de corrente. ** Assumu ontem, suas novas funçõe. de Dretor-Geral da Fábrca do Realengo o Coronel Engenhero Edgard Alvares Lopes, que procede da EMFA.?* Anversarou, ontem, o 3." sargente dt-üact Sebastão de Araújo Montero. Parabéns. * O Mnstro Corrêa de Mclo, pôs 1 dsposção da Secretara Geral do Conselho de Segurança Naconal, o 1. sargento Carlos Rbero Flho. **"* O Tenente Lessa. da ESE é consderado * a maor autordade nas Forças Armadas em fotonformação. No curso avançado que fêz nos Estados Undos conqustou uma das melhores classfcações. Hoje êle transmte eom maestra os seus conhecmentos a ofcas e sargentos alunos, anualmente. MARACANÃ ULTMA HORA DESTAQUES Temos denuncado, aqu, lamentando embor.. traredades pratcadas pelo dretor do Parque Cenír/J! ** tomecanmçao, contra funconáros ndefesos, mílla ch.f. í que precsam do modesto Mo emprego par. vv? A f, íí Cm,\ *l estí ul,r»p""da "o Brasl, ma centfcados alguní com a evolução, chbvpoe«temam em llares submeter ao regme de tacão, seu. no certos de que assm do a eytt.l*wl> perfeção da arte de drgr ou de com.hd.?&, te o regme que mpera no Corpo de ^ Bomberos recomenda, tamh*m 1, o seu comandante, que anda reeentementvt P* em Portugal, sentndo de perto os grlhões da 3 í cas do Corpo tadu?l de Bomberos, â pela própra função penham, bem como os sargentos qúe* 2..01, e praças, são estm.h... *? população. Merecem um tratamento dgno, como T-f^*M* também como cdadãos. Mesmo quando não passamt!«* de soldaredade ao comandante, que deve ser um a«?«rm* pontàneo e nãr sob coação. 9 5t0 «O Superor Trbunal Eletoral, em sua resolução, * de setembro de decdu que o sargento não es tá n w.5 do dreto de canddatar-se a cargos eletvos. Em São t r fo ndcado o nome do Sargento Benedto Rodrgues rn n? vera, como canddato à Câmara Federal pelo PST c nn d raná canddatou-se também a deputado federal o Saroonín a thur Mranda Ramos, pelo PDC. Que eles tenham o aoo?«cço dos colegas c do povo, são os nossos votos. Foram nomeados pelo Mnstro Texera Lott nara, mandar o Grupamento de Leste da Artlhara de c«.*. a la. RM, 3.<> R Rec Mec, 3.» R A 75 Cav, 2.» GAC e 6» Sa Dorso, respectvamente, A os Coronés Benedto de Squera Rodrgues Lu Mala, Osmar Mendes Paxão Cortes, João Sar».. to e Carlos Felcano da Mota Albuquerque. n" O Mnstro Corrêa dc Melo drgu ao Dretor Geral de ntendênca, o segunte avso: "Em solução à consulta to Dretor do Parque de Aeronáutca de São Paulo, declaro V. Exa. que, de acordo com a alínea "a" do art. 92 do CVVM as praças fazem jus à almentação por conta do Estado. Na mpossbldade do fornecmento da almentação em espéce, dcve ser fornecda em dnhero medante o dcsarranclamcnto e o conseqüente pagamento da etapa, de acordo com o art. 99 do CVVM. Os desarranchados. porém, não devem exceder do 10r;, do efetvo, entretanto, nos casos de féras, gala, noje, trãns* sto, nstalação e lcença especal podem ser as praças desar* ránchadas sem a restrção do dspostvo acma". ESCOLHDAS AS FNSTAS DO CONCURSO «M/55 SECRETÁRA, Em sua prmera reunão, realzada na sala do Conselho da AB. o Júr que ndcará t prmera -Mss Secretáru" braslera, a ser eleta no próxmo dn 30. escolheu as qunze concorrêntes que se submeterão ás provas flas de clnsfcação. julgando os trabalhos apresentados. As outras provas serão de fraquejo socal e cultura geral e se realzarão na segunda qunzena do corrente mès. Sete das fnalstas são do Ro re Jnnelro. duas de Nteró, duas de São Paulo uma dc Recfe, una de tapetnnga. uma de Belo Horzonte e uma de Recfe São elas: Emla Branco Faro. Sylva Rbero Povoas vone Pnto do Canho, Helen Ruth Matews, Neuza Vouzella Menezes. Beatrz Meyer Ferrera, Marza Estevão da Slva, Marlene Áválà Magalhães, Lvsete Góes Teles. Vnldomlra Nunes Ploto. Mara Elzu Sonres. Myrthes Rocha Donato, Lus Bagon. Elvra Bueno de Pádn e Dana Eytma de Olvera. BANCO DO POVO S. A. A MAOR ORGANZAÇÃO BANCÁRA 00 NOROESTE 00 PAÍS TAXAS MÍNMAS HORÁRO para Cobrauças e Ordens de Pagamento Das útes - de 9 s 17:31 bens sêbre as Praças do Nordeste Braslero Sábados - de 9 ás 11 :M horas MATRZ - RECFE FL: RUA DA CANDELÁRA, 4 AGÊNCA: AV. COPACABANA, 581-F FLA EM SÃO PAULO: AV. PRANGA, 1228 TEL Colchões e TRAVESSEROS VfeSpuntf O (Espuma de Látex) MÁXMO DE CONFORTO Não deforma, é levíssmo e Vendem-e a espuma de látex o* últmos apar* tamantos para entrega dentro mpede o aparecmento de sulcos e rebaxamentos da cabeça aos pés. Vulcaspuma apre- de 30 das. Apartamentos com sala, 2 quartos, coznha, banhere, rea de servço e dependên- não esquenta nem esfra, seja no verão ou no senta sempre a mesma consstênca unforme cas de empregada. Preços» nverno. partr de Cr$ ,00, com grande fnancamento em 5 anos. Edfco com acabamento de 1.* qualdade, em local onde não Dstrbudores falta água e de fácl condução. Grande terraço panorâmco, com "play-ground", salão de festas e jogos. Antena coletva de televsão e rádo. Ne prédo será nstalada uma grande agênca do Banco Português do Brasl. flf * URUGUAANA g 1 Ver ne local, à Rua São Francsco Xaver n. 416, Edl* ce Mara Ccorgna dretamente cem o propretáro e ncor-! }ü *. ANDRADAS 8 perador AMÉRCO COMES VE* LOSO, ou pelo telefone Dr. José de Albuquerque Membro crlvo da Socedade de Sexologa de Pars DOENÇAS SEXUAS DO HO MEM. Rna Rosáro Das n âs 18 horas. AGONA DB ASMA Ataques de rm e bronqute ar- Mmam aua saúde e enfraquecem o coraço. Mandoco domna rápdamenle as crses, r-gularízando a respração e garantndo um ao**.o tranqülo desde o prmero d:a. Compre Mandado anda ho?. Nossa aranta * sua maor proteção. S ** " ARMANDO SAlt$ 11 tf**<«* m<v AV*rASSOS 1 <J11 Am ^ÉfflH % GUANABARA COMÉRCO DE PLÁSTCOS,E BORRACHA LTDA. Ruo Armando Sales de Olvera, 7 - Fone: (Começo na Av. Pres. Vargas, 737, entre Uruguoana e Av. Passol FL: RUA CARDOSO DE MORAS, 108-A Bonsucesso - Próxmo à Praça das Nações m\

13 ]. dantes e partculares nte- ra a realzação destas fest-> ressudos no assunto, prosseguem as comemorações da Edfíco da Pesca, stuado? vldades fo o audtóro do Semana de Economa na Praça XV, 4." andar. Doméstca do Dstrto Federal c Estado do Ro. És- "SSTEMA BANCÁRO DO te ano, anda por nctva do Escrtóro Técnco ce Na próxma sexta-eru, da DSTRTO FEDER" X * Agrcultura. contando po 12, às 1(5.30 horas, o Sr. José, rém em acordo com o Scr- Nunes Gumarães fará um?!; vço de nformação Agrco- estudo do sstema bancáro * * ln, do Mnstéro du Agr do Dstrto Federal, traçando,; cultura, a comssão organ- a evolução hstórca e as ra* Ktdora preparou uma vasta zões geográfcas de concentra- í - dos mesmos na captal? ; programação compreendeu- çao. do pas, Essa conferênca faz, do conferêncas, palestras, purte do cclo de estudo geo- J; semnáros, projeções de fl- gráfco da cdade do Ro de ;. t \ fa... Janero, que a Assocação dos., mes e uma vsta á fabrca * aeúgrnf0) Brasleros está JLTMA HORA Ro de Janero. Quarta-Fera, 10 de Setembro de 1958 =» PAGNA 13 NOVAS LNHAS DE ÔNBUS OU LOTAÇÕES SO ATRAVÉS DE CONCORRÊNCA PUBLCA...n do novos Unhas do ônbus, mcrônbus e auto* A concossbç < Zom dn cld(ldu s6 seré permtda depos l«óc;s, ÍÜ concorrênca públca, a fm do sor escolhda a om» L reallmün*w > t)0nefjcos o segurança possa oferocor uo úblc-o. Essa concor[ rênca, segundo apurou a reportagem no Departa» ÍNÉMAE TABELAMENTO DE CARNE [MANHÃ NO PLENÁRO DA COFAP! *-*" «w " - menlo do Concessões da Prefetura, será supervsonada pela Co mssão de Transportes Coletvos, recentemente nstalada, o vsa, justamente, evlar "agregados" que se apoderam dessas eonees* soes, entrgaulo-as a empresas que possam manter um número corto de veículos nas lnhas e horáro prcestabclocldo para ev* tar rregulardades que redundam em prejuízo dos passageros. Cassação de Lnhas Na prmera reunão da Comssão de Transportes Coletvos, marcada para amanhã, às 16 horas, voltará a ser debatdo o caso As acusações que pesam sôbre os concessonáros dessas» nhas são as de quc mantém cm tráfego, reduzdo número de veículos, adulteraram documentos públcos e contraram o tlne» rárlo fxado pelo Departamento de Concessões. Rgorosa Fscalzação A 1U..».«HA»U ln...l..,1.. / _ «...« w*1.t _»_ Ac nrucrnoc rtnn nncm cnhra nc f-anrnccntl.í r CHS HntCAt. _fe-e a..b. ^^ Apurou, anda a reportagem que a Comssão, nas próxmas 48 horas, ncará rgorosa fscalzação cm todas as empresas de transportes còlotlvos (ônbus, mcrónlbüs e lotações) levando cm conta, nclusve, o grande número de reclamaçõos populares quo são encamnhadas ao Departamento de Concessões contra váras lnhas desses coletvos. da cassação da lcença de empresas de ônbus envolvdas no "nquérto das placas". Nessa reunão a Comssão poderá dec» assunto da maor m Quanto dr sôbre a cassação dessas lcenças, suprmndo sete lnhas des» 1-W-****** P4nl!rdeverÍÍo..«««nctt constar r du crtác ""dos mas, trabalhos dr-»»- nutn «balhos ULTMA HORA j drt COFAP «m do plena* publcou na sua eu.çuu ex-prefeto Negrão de Lma, em deembro do ano passado. ses coletvos. Alás, essa medda á hava sdo determnada pelo Dscplnar b Transporto t rofap na sua reunão fera uma entrevsta do Coronel Frederco Mndellô, pres- composta de agregados, sendo que cnco delas operam na Zona A maora das empresas envolvdas no rumoroso processo é tml o tabelamento da M m Sfo PR" o e o rea- dente do órglo controlador dos Norte e duas na Zcna Sul da cdade. As lnhas atngdas são; SgSgSo> PW*» do cl- preços, fxando seu ponto de "Urea-Leblon", crcular, da empresa "DA4m Ltda."; "Cattlo»04«vsta do que 6 necessáro um vea", da "Charles Fussman"; "Ueopoldlna.Leblon", da Vação Camplnelra; Guanabara-Leblon", da Vação Vla Realenso; "1* (A ô do conhecmento reajustamento "Paláco dos preços dos m o a COAP bundenmc ngressos "Uslna-Leblon", para que seja posslvel melhorar ns condções de rs", da Vação Copa Lns Ltda,; da Auto Lotação Ceumar Ltda.; "Lns-Praça Pa- Ühu*a camo desde os frlfrtos, sto c, no atacado, conforto dos cnemas carocas, Moderna. "Cascadura» e Lapa", da Vação ldo cm 18 cruzaros o qm- dotando-os Tdantero, 33 cruzeros o de melhores nsta- nçaes. Os preços seram condlelonados à qualdade do es- do rwcro comum e aa ulo ^ o qulo do Uwelro gklíowno..o a fo tabelado n 54 cruzeros contra petáculo oferecdo aos espectadores. Por outro lado, fo lembrado quo os alugués de fl- CONCURSO OE MAQUET lè ío a carne de lt (lagarto, mes eram pagos, no exteror, ísss»! coxo-mole; coxào du- com 80 por cento da quanta. patnho) em 49 cruzeros em dólar especal e 30 por cen 0 (le com osso (blstecu), em to me dólar lvre. A partr de CAMPEÕES) ABA 0 cruzeros*. janero deste ano acabou-se a o tabelamento, porem. esta vantagem do dólar especal e «néndetdo ta aprovuçao da o A escolha da máqüòlo que represente o futuro monumento categorcamente. "O tlsta pode recuar" afrmou aluguel OFAP fl»"* deverá examnar tem de ser pago com Pcdrosa Condena que é nor» aos Campeões do Mundo a ser mal prosseguu é que nós Crtéro QuestKa do preço do bo em o dólar ao preço do da. A alta ergudo em frente ao Estádo dn trabalhemos de acordo com o to. a%m vsta do preço dos frlorlílcos depender do preço do rlcano, que ò o espetacular do dnhero amo- Maracanã, deu margem a una ma. dando, nclusve, Um outro escultor José Pedrosa. que partcpou do júr, uma sats» o nas nvernadas. Provávellélte o problema da carne no que vale convulsão de quexas e pronun- facão a quem encomendou a cumentos para veementes das duas obra, sem em declarações prestadas á nos. as tansaçoes que, entretanto sso om causa, crou ] facções agora empenhadas numa represente sa nenhuma concessão. reportagem, jogou mas um Ho também será debatdo na um problema que está desa- "batalha" bem curaotorístea do KHCO dc "lenha na foguera" No caso do Monumento aos Cam. caslfo. fando solução. una praxe que vem so mpondo Seu peões, devdo ao gênero do mo» pronuncamento cm torno entre nõs, trtda vez quo é \wttudo um concurso que luto- do assunto tão controvertdo, numento, era nevtável uma contém afrmações que tanto reforçam as suspetas dos quexo- aproxmação dos padrões açadâmcos, como decorrênca da cr» TOlfrOPWOKa ressa a dotermlnados setores da arte, a exemplo deste organza* cunstãncla sos, como traduzem uma condenação à onda de protestos que especal de ser a do pelo SESC ç do qual partlcl» obra destnada à aprecação da param quatrp escultores, A elos susctaram. "Como membro gr., curosdade públca. Deva, por» ta do segundo colocado (Rem* do to Mgues) e do "Men* tanto, ser reconhecda, dentfl» júr dsse-nos Pcdrosa prêmo cada por qualquer lego em es» posso confrmar que hava, de ção Honrosa" fato, a (De Fgueredo) cultura, dal ter fugdo um preocupação de atrbur pou» orgnou, naturalmente, a prnt. co aos obletlvos normas da es» o prêmo a Bruno Gorg, únco nome famoso entre os cultura moderna". con- (UttMtafttta "COM A LGHT Recebemos carta do letor Serafm dc Lma, que re» cam» o segunte: "! ncompreensível o descaso da "Lght" aos mo. radores das ruas compreenddas entre o trecho da esquna da Kua Perera Nunes com a túa Durão de mesquta, c desla com a Kua Urugua. Conseqüentemente, peço-lhe dvulgar o segunte: Como bem V. Sa. sabe, no perímetro ctado não ha ponto ncal de qualquer condução, sendo os moradores de todas as ruas al stuadas, obrgadas s. esperar os bondes 70 (Andara-Leopoldo) e 62 (Malvno Hes), Acontece, porém, que tas bondes, prncpalmente das 17 às 31 horas, são tão raros, que até parecem mragem. Os passagero» que ae deslocam do centro da cdade para aquele perímetro, no aluddo horáro, têm que cs» perar por esses bondes, às vezes, até mas de 1 hora, mesmo quando não há acdentes ou desvos de. trânsto, Convém salentar, que partndo do centro da cdade nas horas de maor movmento, centenas dc passageros que vajam para aquele setor da Kua larão de Mesquta, saltam em frente ao Colégo Mltar, onde fcam à cs» pera dos bondes 70 ou 62, uma vez que al não conseguem outra condução no ctado horáro. A "üght", que tantos recursos possu, bem podera aumentar (não aa passagens), mas a quantdade dc hon. des Andara-Leopoldo e Malvno Res (70 «62), prncpal» mrnto vsando atender nos moradores daquelas adjaeencas, esquecdos pela referda empresa. Quem permanece no ponto de bondes em frente ao Colégo Mltar, verfca que há sufcente quantdade de bondes 71, 74, 75, 76, 82, 83 e!)!>, quc no menconado ho» rárlo (17 ás 21 horas), quando c bastante ntenso o mo» vmento de passageros, crculam de manera satsfatóra. Contrastando com tal regulardade, quando os 70 é 62 aparecem, vêm tão cheos que mutos homens não conse saem embarcar por absoluta falta de lugares em pé, n. clusve nos estrbus. K aa senhoras c senhortas?... Km face do exposto, a nsatsfação dos prejudcados é mulo grande, pos todo* os das ouço reclamações dos mas exaltados, que vsvelmente aborrecdos, comentam o assunto oom ndgnação, Sou lego no assunto, todava, acho quc tal stuação podrrla ser amenzada, consderando-se que há mutos bondes crculando da Praça 15 para a E.F.C.H, e p a Traça da tandera. sendo que esses últmos, normalmenle vazos, uo aluddo horáro, entre u gare 1), Pedro 11 e o ponto fnal da seção. Creo que sc a "Lght" transfersse al» guns bondes ou alteras» se o percurso dos que crculam até a Praça da tandera, fazendo, os r até a Praça Malvno Hes, por oxempfu. muto contrbura para suavzar u stuação daqueles moradores que ja regressam cansados do trabalho c permanccem em város pontos sujetos às ntempéres mutas vezes mas de 1 hora como tem acontecdo oom éste quc lhe escreve, Além do mas, am» bém servra par» cor» rlr esta lamentável lacuna nos servços da empresa, na maora dos casos crtcados, com ntera justça". Mas Uma, Major... "Que Perfume!" Moradores à Rua Ernesto de Souza, no Andara, pedem um guarda, porque motorstas cabeça de bagre", nfto rospetam o "contra-mão" exstente naquela rua! "Vamos Prestar Contas!" O Sr. Daro João Barro Júnor, do-proprletárlo do aparlamento n.» 407 bloco B do t-dlfífo sdoro, ã Rua André tavalcante, 1«, no centro, faa um apelo ao sndco deste «o prée seus prepostos, no sen- >no de ur convocada uma J reu>ao, o mas breve possvel, para que seja apresentado o Daenoete do exereeo de 1057, conforme determna a "Documento em Nosso Poder" le. Temos em nosso poder, uma cartera da FAB, pertencente * Francsco da Slva Morera. o nteressado poderá procuraa nesta seção, daramente, das 12 ãs 18 horas, "Anúnco Gráts" "Pulga" de toda ebpece e tamanho, poderá ser encontrada no Clae Plrajã, em panema. Em apenas alguns nutos, m- sua "cojeçáo" estará Uma letora nos contou o t segunte: Os trocadnrcs do $ ônbus Unha n. 12 Praça _>- General Osóro-ístradn de Ferro, na maora, andam multo sujos! S fõssc apenas sso. não faza mal. Acontece que fca um "perfume" dentro do carro multo "agradavel". Essa não,,, "Mosqutos ntelgentes!" P Moradores do barro de São. Crstóvão pedem a P.D.F. o! "obséquo" de mandar um! "mata-mosquto" mas a mlu- * do neste barro, sto é, de "ano em ano", Contam o segunte; Os mosqutos, esses! "danadnhos", parece que sa- completa! "Taca Major Recebemos carta de um letor que nos conta o segunte: bem a hora que a gente va ua 3, aa 16,<0 horas, f» s- detar, e pronto: começa a nos nal P»ra o táx n , pcar, obrgando com sso que 1ue nem deu "pelota". Pro- todos abandonem as "camas"!! _ eure Um guarda que, muto Um conselho: Coloquem uma ; > aencoso, obrgou ao táx nú- "taboleta" com os seguntes mer *-79-l3, "Mosquto a me conduzr dzeres. amgo. Na» «gar \ desejado. No meo Rua Pnto Teles, em Jacaré- J camnho, \ o motorsta ds- paguá, tem "valas" do tama- 1 l"^! * * P dla WBOlr por- nho de um "bonde" em ótmo U!m* 1, um «ervço a fa- estado para vocês Observajão Quem não souber ler, } :._ >reando-me. Tara a saltar. Major!" pergunte ao companhero-.. m****f *********** ************ ta reação do prmero classfca, do Bruno (lorgl que atr» buu tal nlnde do nsatsfação de seus competdores a um entado dc mágoa ntlsfarçável, tão comum em crcunstâncas lèn. tcas. Do tal modo su tornou tumultuado o ambento nos meos artístcos, que a Escnln Naconal de Belas Artes rusolveu patrocnar uma exposção com as maquotos apresentadas!; no concurso, a fm do quo o públco tvesso oportundado tom bém de externar sua preferêe ca. Ontem mesmo a mostra fnl naugurada, quando mas agta dos se encontravam os Anmas de quantos tveram partcpação atva no.s trabalhos quo rüstllram na decsão da comssão jul. gadora escolhda pelo SESC. Bruno Gorg: "Não Recue!" O escultor Bruno Gorg, a quem seus competdores atrl< buem uma proteção especal do júr, fo novamente ouvdo pela reportagem de ULTMA HORA, desta vez para se ocupar do uma frase que êle tera pronuncado a respeto de sua tão comentada maquete. A ser verdade tal declaração ctada pelo crtco de arte Texera Lete êle te» ra confessado que êsse trabalho representava um recuo de de anos em sua obra. "Nenhum ar» "~ "^ftvfâv&w A Comssão dc Transportes Coletvos tratará, anda do se» gunte: a) estudar os problemas relatvos ao transporte em to» dos os seus a_pect:s e propor as respectvas soluções à adm» nstração muncpal; b) julgar em grau de recurso sôbre nterferêncla de lnhas, fxação de frota, estabelecmento de preços do passagens, horáros e outros assuntos relatvos a caracterstlcas de operação dc transporte coletvo; e c) dlsclplnação geral e medata dos servços de bonde, ônbus, mcrõnbus e autolotações. Alunos da FNBA, e.rumlutm atentamente, cs detalhes da rhaquète ol.ssf/.oaa am prhnelr.) lugar. \JtJ uh!lül!h Ü PERFL OMENTO AOS 0 DAS ARTES! correntes. Opus-mo a êsse crt o, por entender que os novos merecam, também, umu oportu» ndade. Alás, essa norma vem sando seguda em todos os ou tros concursos desse gênero razão, alás, pela qual já desst de me nscrever em qualquer um que apareça. Assm como, em escultura, a preocupação é premar Bruno Gorg, em concurso de pntura, querem sempre laurear o Dl Cavalcant, pouco mportando a qualdade das obras". ndagado sòbrc o mérto das obras apresentadas no concur» so do SESC, afrmou José Pedrosa: A mnha opnão é que nenhuma delas prestava. De todas, n melhor mesmo era a do Bruno. Apesar de o tema não ofe» récer margem a muta cração, todas elas tnham característcas prmáras e acadêmcas de mas. Mas, a verdade é que a expe* rênca me dexou prevendo: se já náo me canddatava a esses prêmos, muto menos tomare parte em outro júr. Acho, en. tretanto, que os canddatos derrotados não têm razão de reclamar como vêm fazendo: se sabam, como eu, qual o crtéro que deva prevalecer, por quc, Mas Caros à Partr de Amanhã! A partr do zero hora de (.manhã, o caroca estun pagando mas caro pelas corrdas dc taxs, pos entrará, naquela hora. em vgor, a nova tabela de preços aprovado pela Comssão encarregada de efetuar os estudos sóbre o aumento solctado pelos motorlstas. Na mesma ocasão, terão nco, nas proxlmldudes do Estádo Muncpal do Maracanã, os trabalhos de vstora c aferção dos taxmetros, que serão adaptados paru cumprr u nova tabela. A propósto, o Sndcato dos Condutores Autônomos de Veículos Rodováros, através de seu secretáro Sr. Normallno Santana, nformou, ontem, a ULTMA HORA que, dentro do plano dc trabalho estabelecdo pelo Servço de Trânsto, scráo examnados, daramente, cerca de 400 taxs, a partr de amanhã, devendo os trabalhos terem nco ãs 0 horns da manhã, prolongando-se oté* ás 17 horas, exceto aos sábados, quando ser&o aferldos cerca de 200 táxs, funclonando a turma encarregada do servço, das 6 ás 12 loros. A Vstora Exgênca Durante a aferção do carro, será verfcado, pelo relojoero a cargo do Servço de Trânsto, entre outras cosas, se o tax está com o selo de segurança do taxlmctro htacto, se as lanternas estuo funconando bem. se a cor da placa confere com a cxlglda por le, e outras paruculardades da mesma natureza. Sem que hnja perfeta ordem no corro, nao obterá seu condutor u necessára autorzação part contnuar trafegando, nem será afcrldo nos novos preços. Também será negada sterlçao ao motorsta que náo cumprr a exgênca do Servço clc Trânsto, sto 6. de pagar n taxa de expedente. Tal trbuto, consttul-sc em uma estamplha clc 20 cruzeros e em outra dc educaçáo. Sem os selos, náo serão nferldos os taxs. Das de Aferção Os exames terão nco a zero hoír de umnla. prolongando-se ndefndamente até. serem nferldos todos os táxs. Assm, tmanlu serão examnados e nferdos os taxs de números tlnas clc pacu 5 e 0. Conseqüentemente, na qulnta-folru serão exrmnados os de fnal 7 o «: na sexta, os ce,) e 0; no sábado. todo e qualquer carro: na segunda, os de 1 e 2. e na terça, os de 3 e 4. Durante a aferção dos taxmètros, os carros que anda não tverem sdo submetdos a exame poderão cobrar de seus passageros a taxa dc W~c sóbre a mportânca regstrada pelo taxmetro. até que se regularze a stuação, sto é. sejam aferdos todos os carros do Dstrto Federal. O servço de vstora e aferção, marcado anterormente para o da 15. fo assm antecpndo para amanhã, em vrtude de entrar nesta data em vgor a nova tabela de preços dos servços de taxs. f****************!**********»**********************-*******) FESTA NO BARRO DA URCA A Socedade dos Amgos da Urca, ntegrando-se cada ; então se nscreveram?" vez mas com as asprações e realdade de seu barro, esta., O escultor José Pcdrosa csclareceu, an /. que é amgo part- ;: no momento, empenhada em prestar fda u sua rolaboraçao,;! na realzação dos "festejos" comemoratvos da data máxma ;> clar de U uno Gorg e não tem,!; da localdade, sto é, o da de sua "Padroera" Nossa Senhora., pnr consegunte, o objetvo de!! do Brasl..., atng-lo com essas revelações, Precsamente neste ano. merece, a referda data. aten-,; sqnão de aclarar a mente de! rão especal para os moradores du Urca, vsto como no pró- <. mutos colegas a respeto desses!; xmo ano será comemorado o "Jubleu de Prata da Paro-., assuntos. Acrescentou, também, \\ qua", crada em setembro dc* 1934, o cue vale dzer, o Jub-,; que, ao vor consumada a vtóra,, leu do própro barro.,, de Bruno, não so opôs a que Por sso. a Socedade dos Amgos da Urca, em colaoo- «. fôsse acusada, rn ata, a una»! ração com a greja, estabeleceu celebrar esta efemérde, a mldade de votação. * começar deste ano com a abertura do ano Jublar de se- u lembro corrente a setembro de 1959, encerrando com os ENBA Não te Pronunca!; festejos "jublures". ; Em vsta feta ptla reporta» Gomo solendade de abertura do ano jublar. esta pro-,, gem à exposção da* maquetes,! gramada pora o próxmo domngo, da 14, às 19 horas, a ;; na Escola Nacona de Belas Artes,! >.,,.,»,.>...,.»!...»» -r»! do barro, na Avenda Portugal, sendo alcante, o Umo e ; celebração da Santa Mssa, no pórtco da greja Paroqual ;, procuramos recolher a op* não dos membros do Dretóro \ Revmo. Monsenhor Solano Dantas de Menezes, fundador ; Acadêmco os patrocnadores " ;; e prmero Pároco da Urca. da mostra, que preferram, no Para esta solendade, estão sendo esperados represen- j, entanto, manter uma posção de e tantes dos dversos barros da Zona Sul, especalmente das Z neutraldade, dexando o julgamento a cargo das pessoas cre» entdades relgosas sedadas nas grejas mas próxmas. doncladas para tal, COMPARATVO DO NOVO * 1 j VBEK.ON TVS ANTGOS "short- * l) 21 polegadas Teto panorâmca Cne.cópo Mm^m^m^m^M neck" de menor profunddade Som h-f mull-dreconal ^^^H Vsão grande-ongular de 110 Móvel consolete de luxo m m\ com pés removíves Lumnosdade extra sem dslorsão B B Chasss blndado de longo alcance Totalmente equpado WM com tubos amercanos, condensadores a óleo e soquetes Hj VK H de porcelana! E tfl \ SEMANA DE ECONOMA DOMÉSTCA DO DSTRTO FEDER E ESTADO DO RO Com a presença de técn- Dstrto Federal e Estudo do cos em economa e agrcul- Ro ncada no da 8 de setura, professores, represen- tenbro, encerrar-se-ã sábatantes de frmas comercas do próxmo, da 13. O local!! de artgos doméstcos, estu- escolhdo pela comssão pa-; de Rezende. A 11." Semana realzando no Audtóro do de Economa Doméstca do Mnstéro da Fazenda. AMPLAÇÃO DO QUADRO DE PROFESSORAS PRMARAS Dentro de alguns das o Prefeto SA Frere Alvm deverá remeter mensagem Câmara dos Vereadores solctando a amplação do quadro de professoras prmáras. Ontem mesmo o Prefeto envou ao Secretáro de Educação e Cultura a elo» boração de um trabalho para servr de base à sua mensagem, vsando atender às necessdades das escolas públcas do Ds» trto Federal. "VADUTO NEGRÃO" SERVE AO VEREADOR SOMÃO l Os canddatos à vereança, de quase todos os partdos carocas, deverão dur entrada no Trbunal Regonal Eletoral a um protesto contra o que consderam "favorecmento eletoral do Departamento de Rodagem no Vereador Salomão Flho." Argumentam os cânddatos, em sua maor parte de Madurera, que a Prefctura, através do DER. transferu a nauguração do vaduto construído naquele subürblo, exatamente pura as CENTRO DE ESTUDOS PERERA FLHO O Centro de Estudo "Prof, Perera Flho", do Conjunto Sanatoral de Curcca cpnvda os seus assocados e membros para a sessão ord» nára a realzar-se no próx» mo da 10 de setembro, às 0 ; horas, com o segunte temo^ ; ro: letura e dscussão da reunão anteror; expedente; conferênca do Dr. Cláudo ; de Souza Lete, sôbre a Al- vésperas de 3 de outubro, eom o obetvo de proteger eletoralmente o Sr. Saomão Flho, que se proclama tutor da obra a ser batzada com o nome de -Vaduto Negrão de Lma".? Os canddatos anexarão { no seu protesto a págna do Dáro Muncpal" que au-? torzou a transferênca da solendade, do da 21 para o z do 28 de setembro. O va- > duto de Madurera se en-? contra concluído já há um -> més, mas anda não fo 2 naugurado para que o Sr. > Salomão Flho dele se bene- > íce poucos das antes das \ eleções, tnl o teor da re-! clamação dos canddatos. > HOMENAGEADO \ O PRESDENTE DO \ CLUBE MLTAR { Tropas do Forte do Leme! perflaram-se, ontem, em frente $ à resdênca do General Just- J no Alves Bastas, numa home» % * nagem ao lustre mltar que anversarava ontem. A Aven- j V calose e Acdose Respratóras aspectos clíncos. da Atlântca vveu desta ma- * nera horas de vbração pos \ VCE-PRESDENTE o públco fo contagado pela extraordnára e orgnal lo» * mmmwmmmêêêêmmmmmkmelêp^mmmmmmmt^j^nmmbffb^^a MBWBBSS B31 NTERNACON DA menagem.? CÂMARA JÚNOR SOS : AJUDA í Chegará ao Ro, no próx- : mo da 11. qunta-fera, o Vee-Presdente da Cftmara Ju- QUEM PRECSA \ SOS, Servço de Obras So-» Ám ^B 1 ^l *********^^^3Jc44>AjaB3 m WÊ \ nor nternaconal, Sr. Fran- cas, atendeu durante os me-» csco Benavente. que deverá ses de junho e julho p.p.. mas * V4ÜVU»*.»!_»>» de casos, dspendendo J desembarcar no aeroporto J s Santos Dumont às 14 horas. cerca de meo mlhão de cruj J O Sr. Benavente concederá zeros em obras de beneme-» uma entrevsta coletva á ms prensa falada e escrta na a nternação de parturentes rênca. compreendendo desde J pk BS9DB MBA tarde do mesmo da. às 17 horas, na A.B... ros aos necesstados. BMTf-nrr-wnmw^ *> até o fornecmento de vestuá-»

14 A wt* mfs/.bu",* Ml / 1 >. 7 T PAGNA 14 SstlRo de Janero, Quarta-Fera, 10 de Setembro de feçás^*^ Cp"1-5 Kp*^ E» um verdadero "show" bom-goslo.. e de conforto... pre$os tentadores... a 1 ==== ==^^ ULTMA HORA < Gerentes Das Casas Bancáras Clamam Por um Mas Polcamento Ostensvo! Enquanto as autordades polcas afrmam que o ass-. agênca de Bonsucesso do Banco do Comerco e ndúsfrl em vas de ser totalmente esclarecdo, os funconáros do h"" assaltado, em declarações prestadas à nossa reportagem dl contráro, adantando que das fotografas apresentadas para"" nhecmento, "* apenas uma pareca com um dos assaltantes PP_2 pee»gj^ mw*s\ ~>v / das \a Novo conforto.. nova beleza.. urn mundo de sugestões colordas em poltronas-cama e móves funconas de alta classe es o que DRAGO lhe oferece, para Você renovar o seu r nesta Prmavera! Aprovete esta grande venda e compro açora muto mas qualdade, a um preço na mente barato e com as lacldades que só DRAGO oferece ê ecm Exclusvo! Somente as pollronas-cama DRAGO possuem D.AGO-LKK, o revoluconáro dspostvo aulomátco que proporcona 11 tnclnayõcs de.cntcs no encosto para sua maor comoddade. / / \ "N Polfrona-cama "DRAGO-COLOMBO"* Modelo funconal, para ambentes modernos, com muto maor aprovetamento de espaço. nteramente forrada, serve como poltrona.. eaae-longue... e canal MlWl^^g ü P^ 115 *J W&&**. _5»5 wêêg p WWÊ!>Tu!_r»VÍ Poltrona-cama "DRAGO-STAR"* Estlo gracoso, d e fno gosto Harmonzase com o mas requntado ambente. Braços estofados e nteramente tapeçada. Pode ser usada também como chase-longue. *ÍT _ Desde mensas ou 4.060, á vsla Lojas.Jft*TwwttSL_ ^_;-_^^M«.?. w$èêêmwmè ÇraTl^V*".-?*^* e*_t í - - yl../^-mhésl *A-Í\) WíMüÊm gmmém llplííf lím^^^v^^fff fm Poltrona-cama "DRAGO -NOVELTY"- Modelo prátco ao gosto dos que preferem mobláro moderno. Braços de madera envernzada, em desenho orgnal wtbbjè - 1 lltfwt Ww t^m ft*, /f^hh^ P * JM_. VV * ecffl^_sebr!reffl^ ^^ SjtrWtk flhpfal SP"[ MmmmWm «( [WbJ&mmmA m*9k WÊ Bm Ê^LJm^rf^mã^m^mL^Ê^^mmmWmW MB -ÍÍ ÍÈBJ_W K--íS5!Mffí ;1vm V^ fl ^kj mmm^t*fímj \W. m*~_«íí mwmwfrj^é ^«*^C!»^*^^Sj,^^J ^* ^^á^^^*- B\^*- HtíMj m: _?<-!rrmz_^^^>» ^.- ^^le^^^^- ^^bo^-jmj^b \"^^^^-* k»«3 lf B í 5 _»«m_p^ >í_^ >8 P*<f Pe*W^W^A *> 7V_K ^n h L H f r» n T PMEma ww f WTríH^^Wjflwr^?míWmWW^^ - ^ v^fcè^r-mnwps^^ E 7.:-a -^~t «,*\v WWÊÊÊÊmmWÊ^mWmW -d jyoh ^Xl -. m **-yp,^--^j^_^ewí8!bw_fcy J7. js^m-kww/êsf^^mj MÊ «rt/ cvv\-,x^mk^lj^"*^-^^^r y^~r~^m^^m\^wp3êmy _LNl l «p3_. ;. V v \W- ~^ bymx \x--^f^^ttrb Htfy * L l^^a í. ^**4 PWB^ç-^l^»lx>C_^ ^^^^^k^^^fcjk^^e^^^byr^-w^vsk^ V1V Desde*. W #MM ou2-990 ^n Desde usas mensas ou 3.090, â vsta Poltrona-cama "DRAGO-ELEGÂNCA"* ^«f Desde mensas ou 4.590, à vsta * Para formar grupo, exste um modelo de sofá-cama dêntco a coda uma destas poltronas..m^^í^^ fmwmmím sm -.**!m-m"r*>*mh.mle»j m mm*bk í-5::.!m m* -» " m m _5B B ES! _*.:-::_ p.í:-_ leo J»«_«>»e_aw,S4*B^El Kjíj»». EJrSD. f;_ eeee.eee»eee-eeba >._.SS2H _^.*>-3 lmmm.mmmsm.rtss of- ~ S"WS*,,e**«-e»eM*S5B Bl j_,_.»..e«ee», SSJn Rjí:j KSÍS í*:?í ^&SÍ>Sâ Í " ^Sfc**^^#u (_l ASM22S2_í "l"-»»l ubfh_íe<r_«c. SS S_S Í2 " S.Sl_ãfflP»Lx»«í«. _ *?_! 8»S ^* ^.s" **^^^l<^^^^>í!ms ÍSí í^í&í â_r j m "T?»-«~-^*SÍ *5^1_a_Í!el_^ e. :. ;.-ívr_t. Tí: S SÍ_fftB P^ _5_íí e :S*í^ sühp ü Sk^Sb ;_fí íl_r«_{ l #. í_sl %a N ^è*» ãfp Ü Poltrona-cama "DRAGO-AUGUSTUS"* Peça de alta classe, com braços revestdos de madera de le envernzada, para maor beleza e proteção. Convdatva e confortávcl, com braços acolchoados de crna anmal com espuma dc látex. Modelo altamente decoratvo. l - ^ 3 Desde 1 /1Q 1 mensas ou 5.490, à vsta Desmentndo o delegado Trócol, o gerente do Banco assa. tado, Sr. Joaqum Alves Cabral dz que, das fotos apresent.adas para reconhecmento dos assaltantes, apenas uma tem alguma semelhança om um dos ladrões. "sso não justjíc a eufora do delegado"... acrescentou. Estaca Zero O gerente daquela cas. bancára. Sr. Joaqum Alves Cabral, dsse à reportagem que, pelas notcas que lhe têm chegado ao conhecmento, o caso contnua na estaca zero. "Meus empregados não chegaram a reconhecer nnguém pelas fotografas que lh.es foram mostradas, apesar de toda a eufora ca polca.*- Os funconáros do Banco, unanmemente. adantaram que estão decepconados com a attude do delegado Trocou, do 20. DP, que -*vve ammcando o reconhecmento dos banddos, sem ter base para tal." Trócol Dz Que Reconheceu Entrementcs, o delegado Geraldo Trocou, apesar das declaraçócs dos funconáros do Banco do Comérco, contnua afrmando que o caso eslá resolvdo. "Estou satsfetíssmo com o rendmento apresentado durante as dlgêncas que vmos realzando. Meus comandados têm trabalhado sem descanso. Como recompensa, no entanto, já temos o caso desvendado. Os assalta.- tes já foram reconhecdos, mas mantere seus nomes em sglo, até suas prsões. Essas prsões, alás, são esperudas para qualquer momento. Bancáros Querem Polcamento Por outro lado, gerentes c bancáros da Leopoldna estão se movmentando, no sentdo de consegur um polcamento mas ostensvo e mas efetvo na sua zona de trabalho. O Sr. Carlos Soares de Souza, gerente da agenca do Banco Boavsta S/A, cm Bonsucesso, dsse-nos que -devera ser tomada uma medda urgente de ordem polcal e geral, jtngnclo a todos os estabelecmentos bancáros da zona da Leopoldna, a fm de mpedr que os -gangsters* voltem a agr e espalhar o pânco em todos os bancos.* Referndo-se ao assalto de Bonsucesso, adantou o Sr. Soares dc Souza: "Momentos após o assato, fu abordado pelos patrúlheros de uma RP, que procuravam saber onde era o banco assaltado, pos tnham eomo ponto base a Avenda Brasl e desconhecam a sua localzação. Leve-os ao estabeleemento de crédto assatado e lá encontre seus funeonáros nervosos. Se a vatura estvesse parada nn Praça das Nações. provàvelndí. te, os assaltantes nâo ag. ram.* Movmento Conjunto Desde o assalto do Banco Terrtoral de Olara, os gerentes bancáros da Lcopoldlna formaram uma comssão, a fm de ntensfcar um movmerto em prol de um polcamento ma.s ostensvo para o.s bancos. Est.a comssão, chegou a r, nclusve, ao ^abne- O Sr. Manoel Barros. gercnu do Banco dc Crédto Pessoal. agenca da Penha, é nutro dos que clamam por um polc.amenlo mas efetvo e pstensvo na Zona da L-opoldna. te do Chefe de Polca, com quem conferencou e dc quem recebeu promessas de quo tfram um futa» polcaen mas completo. Alguns bancos anda estão lutando, por outro lado, pa» que seja ofcalzada uma!»* taru. permtndo que ffpossuam uma mlíca nt-rn com a fnaldade dc polda? o nteror dos bancos, a exew po do que já exste no Bar.- co do Brasl e na Caxa Económca. p^^t* ^ÉBt^ãB af^v4^! P^ P --;^ H,^- -. _ m^mmw^mmmmwwê^tw^^- **. "^TP»^ Wm *W fí\ \4^*- V <J(k k^!_plbr n // / -tó -vt* * \\ Poltrona-cama " DRAGO CENTENÁRO " Utlssma combnação de poltrona, cama e chase-longue muna só peça. Possu.anda espaçosa gaveta. Bra- ços em madera de le, envernzados. Desde mensas ou 4.590, à vsta Noo perca c 2.a»_ fera (22,30) h. o "GRANDE TEATRO" pela TV-TUP (Canal 6), oferta de DRAGO. RO DE JANERO CENTRO - RUA SETE DE SETEMBRO, 164 RUA SETE DE SETEMBRO, 209 CATETE RUA DO CATETE, 141-A COPACABANA - AV. PRNCESA SABEL, 72 TJUCA PRAÇA SAENZ PENA, 65 MÉER RUA SLVA RABELO, 21-A, D e E CASCADURA AV. ERN. CARDOSO, 52-J, B et. F. G BNFCA AVENDA SUBURBANA, 672 MADURERA RUA CARVHO DE SOUSA, 257 RAMOS RUA URANOS, A NTERÓ AVENDA ERNAN AMAR PEXOTO, 96 *Afcerfa daramente ofé 70 /toras da note Agora também: * PANEMA - Rua Vsconde de Prajá, 273-B. c_..ffffltft-r vende há daramente até 10 h. qualdade m^\ anos! da nole). " ::. ^H Sar_hB& 9 H WÊt - *~-"^^B l_ff» l! mmmm*m*-^^^^^ê^^w?* * KÒS! mmm^^wê ll^&;:*!%x : m.y.y."*.. O repórter dc ULTMA HOHA reconsttu com o «"*", um dos unconáros do banco, o assalto de que.01 w ^ Banco do Comerco : ndústra de Mnas Geras, a ^ forem tomadas meddas urgentes pela Poltcta, assam* êssc voltarão a acontecer. Concurso Para Contador do Trbunal * Contas: nscrções Encerram-se no Da J - da classe O. 3 dajjcwjjjk Encerra-se. no próxmo da da classe M e 4 da cl. lõ. o prazo de nscrção para {f,. o concurso de contador do Trbunal de Comas, destnado ao As nscrções so podem ser tas no posto nstalado» dar...,a^-0r, térreo rr. do Mnstéro M^^eM» o» preenchmento dc doze cargos zenda. devendo as "011^;... da carrera, recentemente crada. que assm se dstrbuem: 2 obedecer a "! " cação.

15 ; ; do ; mundo. Não sabam eles que a nossa querda rmã, a Argen- tna, se apresentava com a ípua por seleção naconal. Os alemães venceram, no atletsmo, no corpo-a-corpo e caíram ante o malabarsmo francês, que os arrasou e deu fm ao futebol! de músculos. E venceríamos a Alemanha no fnal? E a ; Pergunta derrotsta que me fzeram e anda hoje o fazem? ; Venceríamos sm. A França nâo venceu? E nós não vencemos!; a França? Mas, sto é lógca, Dr. Paulo e futebol não tem!; ógca... Não, não é nada dsso. A França derrotou a Ale- : manha porque soube mprovsar, porque hava malíca. Per- Sunto, sem modésta: Quem são os res do mprovso e da malíca? Então... Analsamos assm: Méxco, Argentna, Áustra, Paragua p r^msmm^ * f* ^wmr.^?wm!!rtx 1 WrW^? -».-.-»,r,p,.tí7,.v;-p«fí)«y;,!-"rpí«/ ULTMA HORA =Ro de Janero, Quarta-Fera, 10 de Setembro de PAGNA 15 Sábado, à Note, no Maracanã: Bangu x Flumnense; Domngo: Vasco x Flamengo ~~»««""~jfcfo Quer j)ar ao Seu Vasco o Máxmo: Uma Exclusvdade ULTMA HORA 0 DÁRO SECRETO DE PAULO MACHADO.DE CARVHO, CAPÍTULO V: AUTÓPSA DA COPA DO MUNDO "GOSTO W DE DERROTAR O (De RONDO BOSCOL. Fotoa de DEMÓCRTO BEZERRA) [ESMO sendo novato Éclo não tetnt a mna em qua tau cluba enfrentara o Flamengo. Está calmo t exerctando com muta precsão seus "tros de longo alcance", sempre supervsonado por Gradm, que em últma análse descobrlu-o para o futebol e! projetou-o no Vasco. Eco que acaba de reformar seu compro> ; msso com a Cruz-de-Malta sente-se agora em perfeto estado ps...! eológlco para render o que dele se pode esperar. São suas pr- (REVELADO A CARLOS LMA} r»* "Multo palavras: embora eu seja novo no clube, por ela,nl "w * w,nlw" «"/; já tenho grar(ce afeção. Snceramente eu torca para que meu que passou, passou! As vezes lembramo-nos do certos fa-.! tosse resolvdo. Eu náo quera dexar o Vasco. U tos apenas para testar as possbldades de nossa memóra. ; Produto do Garmpero Gradm Mas. quando se escreve um Dáro Secreto, págnas que tra-- o apareceu mesmo, com algum destaque, no Flumnense, (uzem as nossas opnões, somente nossas, o jeto mesmo e ; quant0 Gradm por lá andava, drgndo os juvens. Fêz fé com fazer força no crâno e, naturalmente, apertar a cabeça para! a pnta do jogador e lançou-o medatamente. Éclo chegou a jogar Lv-w lembrar-se das cosas, dos fatos e dos homens. Nesses! na mea, posterormente encontrou á posção onde está perfetapoder e-*1" «oontamentos aue -«or-! mente ntegrado, a atual. Éco chegou a ser campeão de aspra*; nossos rabscos, nos apontamentos que mostramos, agora, a tes o juvcns pclo Flumnense e dexou as Laranjeras por quêsvocês, já falamos de muta cosa. Dssemos, e sto e o quo ; lão de (os ml cl.uzeros: acontece, que não seguríamos rotero ou obedeceríamos ra-:; Mas fo melhor assm. Nada tenho contra o Flumnense zôcs cronológcas. Não o fzemos c mão o faremos. Hoje va- 1 mas sent-me melhor no Vasco, ntegre-me mas ao ambehte. oms falar dc todo mundo. Falar bem? Falar mal? Apenas fa-! "Se Fernando Der Sopa nr. Dzem, os meus amgos de Rádo, que há um dto no m- j Eu Chuto de lá Mesmo... crofone, mulo mportante: FEM M OU FEM BEM, l Quando vmos Êclo atrnn jf\s FEM DE MM PELO AMOR DE DEUS... Podemos en- ;: do com freqüênca em gol, dc caxar esse "slogan" dos radalstas cm mutas seleções que 1; "on8a dstânca, perguntamos a uma chave estveram na Europa, equpes que lá se apresentaram apenas p^raípreendef o Flamengo. porque era a vez de assm o fazerem e, afnal de contas, não X écj0 explcou: cumprram a mssão porque as suas forças foram as mas fra- t. "Bem, eu sempre bat forte cas possíves, seus **ecursos eram nulos e as suas possblda-! mv bola, e ultmamente estou des jamas exstram. Da. encontrando o alvo de longe. Naturalmente que nossa equ- 5 Começaremos analsando as! pc não poderá contar com meus equpes que partcparam da zar uma equpe. Nâo dgo um., chutes, pos não sou ntucmplano, como o nosso, mas um,; tt> mns se ou encontrar mt Taça do Mundo. Dremos, com maores detalhes, aqulo que pouco de respeto entre os d- ; brecha para mandar a brasa, vmos, aqueles quadros que rgertes e jogadores, numa ; < j^ (ss0 eu mando mesmo, nâo nossos olhos tveram o prazer compreensão mas franca e ;, custa nada tentar um tro do (ou desprazer) de verem, em mas sada. Nâo houve sto.,; longe". Gotemburgo e em Estocolmo. Os erros foram de prncípo, 4., No restante, baseados no que o meo o fraco e o fm fo ; Gosto de Vencer!cmos"e no que ouvmos, tam- trágco. Os ovos podres atra-!0 Flamengo bem remos analsar. Não te- dos em Esseyza, Buenos Ares,,; (p? verdade mos nteresse em dtar cátedra, dzem bem da^volta do puj- ÊcWprossegue - eu gosto vencer o Flamengo, porque a palavra que nâo Framente 2 furemos a cosa e se mutos \ (QUE LA ESTVERAM, PORí QUE QUEM NAO ESTEVE LA NAO PODE FAR OU \ JULGAR dscordarem, que ] me escrevam e então re con- \ frontar o seu, com o meu pon- to de vsta e o ponto de vsta de renomados cronstas, cujas assnaturas rasgam as págnas de mlhões de revstas de cartaz mundal. Em todo caso, gêno é gêno, e poderá haver alguns, dando sopa,- por êste nosso querdo e campeão Brasl. Méxco Não se esperava muta cosa dos astecas. Há uma equpe no Méxco, cujo nome nâo me recordo, e que possu todo o quadro formado por jogadores argentnos, bolvanos, paraguaos e de outros pases. Os mexcanos nada fzeram, & não ser empatar com a Hungrla que não fo a sombra de Os mexcanos têm o estlo espanhol. Começam a peleja com uma flama mpressonante. Dão tudo naquele prncípo de jogo, procuram anqular o adversáro, se bem que o seu "tran" de Jogo não seja nada mas que uma desabalada carrera atrás da bola, sem uma planlfcação capaz de bltolar as atvdades dos própros ntegrantes Salvouse Carbajal, o grande Carbajal, golero de nomeada e que, por sua classe, chega a destoar dentro do quadro mexcano. Faltam Jogadores de valor no Méxco e, desta forma, a equpe asteca tornou-se presa fácl para os seus adversados. Argentna blco- Culpa de quem? Dos Jogadores? Dos drgentes? Não, da própra época do futebol. Nâo era a vez da Argentna, a não ser a ocasão de um escândalo e de um desastre e estes, nfelzmente, ocorreram. Futebol é futebo... Áustra No compasso da Valsa 1: lã satsfetos. Será uma bataggantes. Nós estare- lha Venense, os austríacos de perderam os jogos. Contra o p.::*,., p-vp- - > ;. - <>" Brasl fzeram uma exbção., ;, <y;>. que podera ter evtado os 3x0. Nossa seleção jogou mal. Talvez a estréa, sem a acllmatação devda, anda com o peso da responsabldade a forçar os ombros daqueles que debutavam no certame, tudo sto nfluencou contra a apresentação do ^»»M My 1 Brasl. Mesmo assm os austrncos não tveram uma v- /P*^J :: são capaz de surpreendernos e talvez não nos permtssem a conqusta do cêtro máxmo. Por que? Ora porque jogam retardados, complcam as jogadas, tentam fazer "goals" como se tvessem desenhado antes, ou dentro de uma tátca que, na teora, deve ser excelente mns que nada ren- de na prátca. Não possuem ;. jogo de prmera. Não sc.1 modernzam, a exceção de! Buzek, comandante de ata- ; que, que tem "pnta. de * braslero. No mas, dentro do compasso dn velha Vnsn. os austríacos tveram em Uddevala, em Borns e de lá voltaram para Vena, apesar da grande torcda que sau da captal austrlaca para ncentvar a sua seleção e deve ter regressado meo decepconada. Fo uma grande decepção. Paragua Alás, nós não estranhávamos o assunto, pos soubemos e Que podemos dzer dos mutos brasleros assstram a nossos "hermanos" do Paragutü? Jogaram aqu no jogos dos portenhos e me dsseram: NAO TÊM VGOR E Brasl. Foram rápdos, na JOGAM PARADO. Na Europa sto houve, realmente. Téc- mutas stuações. Houve Europa, velozes mesmo, em nlcos, sempre foram. Não possulam preparo físco, da poudtóras quanto a aclmata- desculpas dns mas contraco asprarem a uma stuação prvlegada. O grande captão Ncstor Rossl, pelo peso dos anos, resolveu parar Seu Jóko náo convenceu e a sele- Ção platna não andou. Os argentnos magnaram que apenas "passe" o controle de bola e o ção. Fzeram o que puderam. Futebol meo caboclo, os paraguaos caíram dc 7x3 ante a França num da de luto para o "nno" Mngegeyer. golero guaran. Não representaram a pujnça do futebol paraguao, ou se o fzeram, na estréa da Taça Jules Rmet. foram domnados pelo nervossmo o renderam muto pouco. vtóra contra éle é sempre! valorzadn. Náo gosto de jogo!; mole, prefro os clásscos equ- lbrados. E você acha que o Vasco!;pode vencer o Flamengo? \< Se não acontecerem sur- ;! prêsns, tvo comuns em futep bo, creo que os que compare- ; cerem no Maracanã sarão dc msmmdm\ mmm*á*m*t*emmw- "» \WmJ& " "WE BfejSíí "Gasto dc derrotar o Famengo. confessou Êco. Porque nfo me agrada jogo na moleza. Com os rubronegros, a batalha é sempre movmentada c nteressante". mos lutando pela afrmação de uma stuação realmente nvcjável. Se passarmos pelo Flnmengo sem perdermos pontos estaremos com tudo, por sso entraremos dspostos. Ê o que posso prometer. E você sabe se Wlson Morera atuará contra o Mengo? Pnrecc que sm. Pelo menos fcou tudo assentado. Será muto melhor que assm aconteça. Não é bom mexer num quadro que está ndo certo. "Ser Campeão Anda é um Sonho" «Talvez porque eu anda seja muto novo, o fato é que anda consdero sonho (já que outros só pensam cm ser campeões do mundo) conqustar o ttulo da cdade. E vamos ser objetvos. Ser o campeão da Captal do Pas cumpeão do mundo, é. de certa forma, ser campeão do mundo...". Pouco depos Êclo peda lcença parn voltar nos exerccos. Estava chutando muto bem. O veterano Bnrbosn "se vrava- no gol pnra deter ns bombas do garoto. Já de longe lançamos a pergunta: -Quer dzer que contra Fernando va chover "amexas"? Sm, numa batalha é sempre bom dar uns tros de longa dstânca, mns sso não t- cosa fácl. Fernando é um bom golero e a defesa flamenga sabe o que faz. Náo dufo muta sopn. Mas é bom repetr. se aparecer n brecha mando a brnsn". Éco chutava volentamente outra vez. Está em forma o garoto do Vasco., "Pretendo Corresponder Plenamente" "Meu desejo é corresponder ao esforço que o Vasco féz acredtando cm mm. Quando fale com meus dretores explquel-lhes que peda aquela quanta para que eu desembaruçasse certos problemas pessoas e então pudesse dedcarme nteramente ao Vasco da Gana. Tenho famíla no nteror para quem mando uma pehuso, modésta á parte sou um bom flho. O dnhero estava fcando curto. Tudo sso expus uos meus presdente e vce-presdente. Eles compreèhdernm perfetamente e ncetaram a mnha proposta. Agora quero fazer tudo para corresponder para dar ao Vasco o máxmo. Lutaremos por êsse ttulo como lutaremos por nós própros. Alas e Êco encerra a entrevsta a nossa grande arma tem sdo a smplcldade e a boa camaradagem. No Vasco somos onze rmãos. Um por todos, todos por um". ATÉ DEZ ML CRUZEROS A PORTUGUESA PAGA A DMAS Até dez ml cruzeros, os drgenes da Portuguesa estão dsposlos a despender mensalmente pelo atacante Dmas, caso êste acabassem com uma aprove, realmente, nos trenamentos a que será submetdo no peleja. Grande engano. Não tveram velocdade. O modo clube. de atuar dos argentnos fo Embora o ordcnndo-teto da decepconante e acredtamos Para futuro, se classfcados, agremação lusa seja de cnco que muta cosa terá de fkzer a AFA se quser organl- mos. excepconas) o ex-atacante do não serão fracos, garant- ml cruzeros (sete ml cm casos Amérca poderá receber multo Alemanha mas, "por fora", como contrbução de alguns assocados. Poderemos Dante das fracas atuações do ^ responder como fo a Alemanha, como se estvéssemos sstema ofensvo nas últmas partdas, desejam todos a medata anda a alsar os bancos da Escola Prmara: A Alemanha fo forte e penetrante. Dava duro na bola. Atra- * contratação de reforços, já que,!; vessava o campo com uma jesolução quasse guerrera. Velo- ]\ ncando tão bem o certame ol cdade j; em demasa. Os germâncos entraram em forma muto mas cedo do que devam e, por éste motvo, pensaram que tnham atngdo ao máxmo. Seu preparo físco fo algo de ; notável se bem que os músculos, em mutas ocasões, tves- ; sem atrapalhado os movmentos de racocíno. Quando der- : rotaram a Argentna por 3x1, se consderaram campeões e Alamenha. Foram os "lves pensadores do futebol", além de Brasl, França e Suéca, grandes "Vedettes". Teremos anda Cortna a de Ferro e o mpéro Brtânco. Também eles, de bstur na mão, dssecaremos, pouco a pouco. Por hoje, ; s "lvres pensadores" foram autopsados, dentro do que ; v*mos, lemos e ouvmos...! Amanhã: NA QUETUDE SUECA, ROMPEU-SE A CORTNA DE FERRO ca, o conjunto tem a obrgação de manter o mesmo nível de produção, cm toda a temporada. "A derrota contra o Vasco não nos féz desanmar. Prelendemos entrar em campo para o "match" com o São Crstóvão, de cabeça erguda, já que conslderamos o.s "alvos" nossos mas dlííces adversáros df> temdorada" dsse a ULTMA HOKA, o presdente Manoel DAgona Gonçalves. E conclundo: "Necesstamos nos dlstancar o máxmo possível dn quadro de Fguera de Melo. Vamos lutar para sso". Bjffl^^**ftft ***< v*^jtft^tâ?*mwm9±m%mmrm^t SHBB^^tBBJBfBttlflMMÉMKSWttsfWflft *W^ a\mm *\ee* 5 S Ncstor Ross não pode mas agüentar o rtmo de jogo de um "Mundal", e a Seleçâo-da Argentna jo a por decepção do arande certame na Suéca. 4 *af+m+4t*m* m+^^ FLAMENGO..." Éco é. sem dlvda, uma das maores ultmas revelações do futebol caroca. Promete muto é já c um valor certo, alás... -LUM ^mt&j: f"-\mmm\\*% Th^"--^ mwwsm Gradm já conheceu Eco juvenl no Flumnense. Por cjucstõo de. dos ml cruzeros, o excelente médo dexou as Laranjeras c fo para São Januáro. - NOVDADE EM TODO O BRASL - uma cração TA para o»####^#######»########t»###»#»####»»##-##^#####^^s»#^#^»*s»#^ p, t*^» *»-»»-M-»-*»»«*»*»»«- *»»«««^M^ 1 ^ ; mmmmwmmwmmmwmulmnlssljlms W) M mm^m^^^ê^^m > ^mmmmmm^êm^l^^mm^kmmmmà^mmm^km^mm^d^àmm^mmmmmmmmmmmmmj., "TAÇA DO MUNDO" E PROFSSONSMO Há quem dga que campeão do mundo não deve dexu!; o pas. Questão dc sentmento, naturalmente. Mns, em sa ; conscênca, nnguém pode mpedr nem crtcar um proíls-., sonal que tenha recebdo proposta excepconal. Além do { mas, é dfícl querer que um campeão do mundo tenh sentmento e amor pelo nosso futebol, quundo não houve. ; por parte da CBD, reconhecmento ao valor do título con >, qustado: 100 ml cruzeros não é "bcho" para um título mundal. Nenhum deles Rrltn, apenas porque recea ser acusado de mercenáro. Mns todos estão com vontade d«* ganhar dnhero no estrangero. nsn VOLTOU, AFN No ano passado, s luvens do Amérca ram dos melhores da cdade, como Osn do Amparo de técnco, êste ano, um dretor rubro tomou conta da equpe e dza: para drgr tmes, não precsa entender de futebol. Conclusão: o tme cau multo. Os drgentes rubros vram tudo e tomaram uma decsão luntamente com Yustrch. Voltou a equpe aos cudados de Osnl do Amparo. O dscpnado» competente profssova dar um leto no tme. A medda fo acertada. CAMPEÕES DO MUNDO COM CHRSTANO... Cresce cadn vez mas, na Rua Mguel Lemos, a campanha peln canddatura dc Ohrstano Lacorte a vereador. Anda ontí-m, contou-me Gegé, que campeões do mundo estão com o jovem advogado representante ca juventude sada dn Zona Sul. Orlando, Bcln. Dd. Nlton Santos, Dr. Hlton Goslng, Dr. Máro Trgo, apoam <> smpátco e m- telgente repaz, torcedor campeão do mundo. Ate cartn dc Pele, Dno e Zto, Chrstaho recebeu. Os três paulstas lamontam não votarem no Ro. A canddatura va ndo muto bem. EDSON CUSTACARO PARA 0 VASCO... Estve ontem eom um adepto ;j; do Palmeras, elemento bem lgado com as cosas do clube e que vu a notíca de que o Vasco comprara o passe de Edson para su-. bstltur Belln (se fôr venddo jj mesmo). Falou-me o palmelrense Adllo: "Posso garantr que para o! Vasco, o passe de Edson custará muto caro. Quando vendemos Mazola e queríamos Vavá, os vascanos acharam graça numa proposta de 7 mlhões. Agora, che- ( gou nossa vez de rr também. Be- Un deverá ser bem venddo, como fo Mazzola. Natunl- < mente que o Vasco não rá propor menos de 10 mlhões, por Edson..."» "MODFCADA" A LE DE MPEDMENTO... Hélo Vera vem fazendo força para equlbrar e padro-» nzar arbtragens. Drge o Departamento e tem seus "sc- X eretns". Precsa também colocar professores de regra, o» que é multo mportante. Wlson Lopes de Sousa, por exem- v!; po. anda "reformando" a le de mpedmento. Marcou "off- «. sde" no jogo de asprantes Botafogo x Amérca, num lance» em que um jogador estava no seu própro campo, lvre e í desarmado. Arstoclo Rocha, o "bandernha", nem sequpr j ) acenou a bandera. Conhece a regra. Wlson Lopes de Sousn, ; < como árbtro de prmera cutegora, cometeu o mas nfantl J dos erros. ZEZÉ PODERÁ FCAR.., O Canto do Ro concordou em conceder lcença a Zezé Morera para r acompanhar Wlson até a Espanha. rá ver os negócos do flho, com o "Espanhol", tme de Rcardo Zamora. Mas, a fonte de nformação que tve acrescentou lllla *^ que o competente técnco nterolense podera fcar pela pennsula bérca. Tudo é que;.- ^^^^-ÍV-* *;* ^ ^:".í tão de confrmação, com o tempo. Sendo um técnco famoso e que já drgu (e ganhou títulos) cem a seleção braslera, Zezé Morera estara ndo no camnho certo.. Poltrona de Balanço Gratóra Magazne Mesbla!! Balança e gra em qualquer dreção, proporconando conforto ngualável! Móvel de lnhas moderníssmos, forrado em tecdo com padronagens de gronde efeto decoratvo. Molejo e revestmento com espumo de borracha. Pés de marfm, braços estofados. Exposção e vendas no 5. pavmento MAGAZNE J JíJmTa m m!lm j/jà / /7 ^^*^\ p. \ >!! Jí

16 " Éco Confessa: "Gosto de Derrotar o Flamengo T Copollo to a baxa" regstrada 710 jugo, passado contra o Madurera c. agora, 1: um sero problema para Fletas Solcl escalar o quadro que dará combate ao lder do certame. RESPONSABLDADE DO nforma Dr. Paulo São Thago Sôbre o "Clássco Dos Mlhões": "Presença de Mlton Copollo é Mas Não mpossível **A, presença de Mlton Copollo 110 "clássco* dc domngo, contra o grande Vnsco dà Gama, c um tanto duvdosa, mas não chega a ser mpossível", declarou-nos. ontem, o Doutor Paulo São Thago, adan- BOTAFOGO EM BUÇNOS ARES tando que o zaguero não partcpará do coletvo desta tarde e só amanhã poderá dar uma palavra defntva sóbre sua partcpação no jogo. Mlton Copollo sofreu uma dstensão muscular dc Três Campeões do Mundo Defendem Hoje o Prestígo do Brasl Contra Rver Plate BUENOS ARES, J (Especal vara ULTMA HURAl - Joga o Botafogo, hoje, umn partda amstosa, mas de.munde responsabldade. Com tés campeões do mundo, o mas trèí ogadoros de elevada categora técnca, os campeões da cdade, além do ttulo que ostentam, são dgnos representantes do futebol braslero. O Rver Plate. por seu lado, (tom város ntegrantes do seleconado argentno que falhou j na Copa do Mundo, procurará reabltar o futebol dc sua - terra com um sucesso sóbre c quadro representante do pas campeão mundal. Estarão o.s alvnegros, 110 encontro do hoje, com os pafnos reforçados com a presença de Paulnho. O centroavante, pundo pelo TJD, dará maor agressvdade ao ataque, cdnstluldorse numa esperança forte, a conduta do quadro. Ross cederá o posto 110 comandante ttular, que fará teste do condções técncas, uma vez que seu reaparecmento neste campeonato caroca, está prevsto para o últmo jògc do turno, frente 1.0 Vasco. João Saldanha fêz mportante reunão, ontem, no hotel, com o.s jogadoes. Una palestra séra e rgorosa, sôbre procedmento de dversos elementos e rendmento do conjunto. Numa preleção enérgca, sempre em termos elevados, o dretor-técnco alvnegro exgrá, tanto 110 amstoso de hoje como nos futuros compromssos do campeonato caroca, maor dose de responsabldade, maor empenho, para que se entre num frme camnho de ampla reabltação, O quadro alvnegro, para hoje; será o segunte: Ernan; Cuca c Domco; Parnpolnj Servlo e Nlton.Santos, Garrncha; Paulnho, Dd, Edson e Quarentnha. +++*> * >+4hà*++++m Em Campos Sales : DR. ÊN0 JORGE "SÓ ANMADO: TEMOS AGORA DOS HOMENS "ESTERO"! NO Felzmente as cosas começam a correr bem pa- < ra o Amérca, declarou à X reportagem d-. ULTMA J HORA, o médco do jr- X mo rubro, Dr. Êno Jorgo, J sôbre o nsano trabalho que seu departamento teve com os problemas das contusões. E, muto anmado, observou: No "estalero" mesmo, X só temos llton e Valença, J pos Nclslnlo já vem tre- J..._, nando desembaraçadamen- X. / te t, se o técnco quser,?«, r 7,. poderá voltar a qualquer mr. momento. ey.yü yn-v Calazans então não é mas problema? Felzmente não. Êle esteve ausente contra o Botafogo porque hava passado a semana ntera c:m febre. O mal, entre- tant;, não fo de longa du- * ração. Alás, Calazans tre- s nou com bastante afnco X no ndvdual dc ontem, > pcla manhã. Coletvo Hoje à Torde E o.s trenamentos pnra o jogo contra o Bonsucesso? Novdade mesmo só o coletvo de hoje, quc será à tarde. Mas sto não clega.1 ser grande mudaca cm nossos trabalhos, pos cm semanas anterores, contra outros tmes, lemos realzado "matclcs-treno" às 15 horas. ^mw^^^rmèr ^^ ^t*^*^*whbbmém»mí^»^^*^b^^^^^^^bf wpte**^3 ^^L%^m mmml M^B ^^^^^^^^H ^ÊtW 1 ff < M WmWmmm»P /s Garrncha e Dd jogarõo hoje contra o Rver Plate, mas /*. Zagalo, embora tendo acompanhado a delegação, esta fora dc cogtações. Wlson Morera Dfclmente Jogará Contra o Flamengo: Ataque.Que Gradm Espera Lançar Domngo: Joãoznho, Sabará, Almr, Rubens e Pnga BRHN Wm - - *LÁ Jkw RH!,, y.ym^*mmw :; 1* Àlmr mnere contnua sob cudados médcos c sua presença, dogo, contra o Flamengo, anda é bastante duvdosa.. Antes de começar o trenamento de ontem, pela manhã, Beln transmtu ao técnco crüz-maltno, o recado de Wlson Morera: Dga no "seu" Gradm que eu não vou poder comparecer hoje ao clube, pos precso defnr, de uma vez por todas, o caso de mnha transferênca para o futebol espanhol. Em vsta dsso, o.s responsáves pela equpe vascana resòverar dar o prazo ce dos das para o jogador resolver seu problema. Cato não se defna neste tempo, será, então, convoeado para os trenamentos, devendo, desta manera, enfrcnta* o Flamengo, no próxmo domngo. Muto embora não quera. confrmar, a verdade é que Gradm não espera contar mesmo cem Wlson Morera para o próxmo compromsso. Sabará deverá trenar então na mea e Almr no comando (se tver condções) aparecendo pela ponta o novato Joãoznho. que tem brlhado entre cs asprantes. Há também a possbldade dc ser mantdo Delem 110 ataque cnzmaltno (entrando Almr pelo comando). Tudo fcara defntvamente resolvdo nas próxmas horas, quando Gradm terá qu«optar por esta ou aquela solução^ já, quc Wlson Morera nao deverá mas se concentrar. Zamora Parte Hoje Parte hoje para a Espanha o emssáro Zamora dzendo que obteve êxto no que tange a contratação de Wlson Morera para o futebol da Terra de Ccrvantes. Wlson (depos de tentar vender por dos mlhões seu passe ao JORGE VERA AMENZA O RGOR DA CONCENTRAÇÃO: Vasco) decdu fnalmente. Dzem nclusve que Zcze Morera será também contratado para a Kspanha. Até agora sabemos apenas que o trenador da Copa dc 5-1 pcdu (e obteve) lcença no seu clube, o Canto do Ro, para embarcar com sc» flho (daqu há dez das) a fm dc alojá-lo juntamente com sua esposa quc fcará morando com Wlson. Entretanto há quem dga quc Zezé Morera lambem é pretenddo pelo futebol espanhol. A confrmar-se a notca que estava crculando. Zezé Morera, a exemplo tle Marrm Francsco ngressara num clube (ncógnto) espnnhol. Zamora prometeu nclusvc esclarecer o assunto desde que resolvesse prmero o do "garoto" Morera, posterlormente trataram do caso. Zezé, muto embora náo confrme também não nega que gostnrla dc atuar na Espanha eomo trenador. O que é certo: vajará com seu flho Wlson Morera, e para tal. como já dssemos, tèm permssão do Canto do Ro. prmero grau na coxa drclt* * está submetendo-se a um tratamento ntensvo, una vez que deseja, ardentemente, partcpar da "batalha". O prazo que nos separa da partda frente ao lder do Campeonato. dz Paulo São Thago. nfelznerte, é muto curto. Entretanto, quando um jogador, como Mlton Copollo, se cuda, há muta esperança. Amanhã, vou examnalo novamente e espero darlhe alta para partcpar do "apronto* de sexta-fera. Br-íá e Joel Estão Bem Também o pontero Babá não poderá trenar coletvamente esta tarde, sendo poupado Pelo Departamento Médco. Paulo Sáo Thago dz-nos, porém, que Babá estará a postes contra o Vasco: "O pontero fo vtma dc uma pequena dstensão muscular, maa já está curado. Só não trenará hoje por mera precaução c retornará, certamente, frente aos cruz-maltnos. Quanto a Joel está, absolutamente, curado, não causando a mcnor apreensão.* Solch Quer a Força Máxma do Flamengo Contra o Vasco Eletas Solch faz nlera questão dc lançar a força máxma do Faíuengo contra o Vasco da Gama, já que consdera ésse "-clássco* de domngo como a cartada decsva as asprações do clube rubronegro ao ttulo. "As contusões estão persegundo o tme do Flamengo desde quc chegou da Europa"". dz Solch rum rasgo de cesabafo. Pnr sso, não estão agradando á torcda. c muto menos a mn, as atuações pouco regularcs do tme do Flamengo. Mas, ó precso consderar as contusões dos jogadores sempre ás voltas com o Dcpartamento Médco. "Já magnou prossegue se o Famengo fcar prvado, no domngo, de Mlton Copollo? Tenho o Sérgo em grande forma, mas eu quero, c nesse sentdo já fz ver aos Doutores Paulo São Thago e Carles Madera, Copollo no tme." Realmente, éle está jogando muta bola, não bom Fletas? "Sm. Mlton é um bom jogador." E. quando Pavão chegar? Será que não sobrárá um lugnrznho pnra o Mlton Copollo? Solch encerrou o bate-papo mmado: -- -Calma, meu rapaz. Vamos devagar..." Seram Fechados os Túnes do Maracanã Podemos dvulgar com segurança quc exste um estudo 110 sentdo d- serem techndos os túnes do Maracanã, tão logo sejam ncadas as partdas do campeonato. Os técncos passaram a ter seus lugares marcados nas caderas catvas, cu quanto médcos o massagstas passaram paa os poços quc fcam junto ao fosso quc separa o gramado das geras. VrÁíáSse dc uma mrüda dc nr* senca c qur os própros «llrlrcnles já verfcaram ser necessára. Como sc sabe, os técncos não potlrm «ltr nstruções durante u au- Os Trcolores Terão Cnema e Teatro, Semanalmente "Fque satsfeto com a produção do quadro contra o Bonsucesso. Não resta dúvda que alguns elementos, anda sem a necessára experênca, nào chegaram a exbr um padrão deal mas creo, snceramente, que vamos melhorar cem por cento" na manhã de ontem, declarou o trenador Jorge Vera aos jogadores durante a conversa que com eles manleve. antes do prmero treno da semana. F, depos de agradecer a odos a boa-vontade. acentuando oue "se não fôsse o espírto de colaboração «lc todos a vtóra não sera conqustada", o "coacl" trcolor drgu a palavra ao "comandante" Valdo. anversarante «lo da. E. cm nome dos elementos do plante, ofereceu-lhe uma camsa esporte. Dourado Lopes que não almenta mutas esperanças quanto ao seu aprovetamento na note do sábado. "Dfícl, doutor?" Encolheu os ombros e dsse: "Tenho mnhas dúvdas... Em todo caso!..." "Prncpalmente com ésle tempo chuvoso..." "Se fôsse num jogo ams toso, anda bem. Se êle não se sentsse em condções podera sar e entrar outro. Mas, num "match" de responsabldade, a stuação muda de fgura". E arrematando: "Não podemos arrscar. O negóco tem de ser cem por cento perfeto". Castlho Não Trenou Nada de 800 Ml res detalhes, explcou à rcportagem: Tendo de r a Sáo Paulo, a fm de receber as homenagens dos banderantes aos campeões mundas, o arquero Enquanto sso, o médo Nlo era submetdo aos prmeros exames médcos. Atenda 800 ml cruzeros e mas um "Que conversa é esla de Castlho não tomou parte no ensao ndvdual de ontem. a um e a outro para as fotos já com a camsa trcolor: paz? Eu não se de nada dsso, Referndo-se ao sstema de concentração, nformou-nos "passe" Compareceu ao clube, conversou com o trenador Jorge Vera, bateu papo com os companheros e logo depos se retrou. jogador pelo do ra- "Afnal dc contas, não não! O Madurera estpulou a Jorge Vera:. mude tanto!... Já era trcôlor... mlhão de cruzeros. sso é o csam de dversões antes dos jogos. Assm, ao nvés de f- transferênca na base de um "Vamos ver se consegumos mudar. Os jogadores pre- Alton Machado, que não o que cu se..." carmos sem fazer nada dentro do hotel, remos a cnema, dexou um só nstante, procurando atcnlê-lo nos mono- Máro, explcou-nos o médco Sôbre a stuação do "mea" teatro, no que fôr possível. Nada de pensar nos próxmos compromssos". datm-nlo «us prrls lruml.se, lortanto, nteramente desnecessà. ra suas presenças naquele local. Os técncos fcaram nos vestáros e teram lhcnlale mesmo nas lôcns dos túnes até o momento «los dos quadros penetrarem no gramado, Km seguda sr drgram aos seus postos nas caderas ca- Uvas, enquanto que ns m«"«lcos c o.s massagstas passaram para os seus lunares onde permanecem, por ocasso dos -torneos nícos e dos jogos amstosos, os reservas. Os túnes seram fechados pcrnanecendo aberto apenas o central ondc fcam as autordades da Adem, Sabemos quc esta medda, cnlo* ra das mas moralzadoras e sm* p-lcas, ra encontrar obstáculos por parte prncpalmente daqueles quc só desejam ser dretores para rem ao ucl do Maracanã, mas, por oulro lado. podemos asspgurar quc város drgentes de clubes suo favoráves c sc baleram. nclusve, para qüe nãu racasse a sugestão partda dc quem deseja realmcnle moralar c colocar um paradero naqulo que semanalmente presencamos, cam trstea, durante os jogos do campeonato, ou seja os entreveros en* tre o batalhão que fca stuado na boca dos túnes e os vnte e dos "plavers" e mas os juzes. A medda só poderá tracr benefícos an futebol metropoltano c aqueles que nvestrem contra a mesmo são justamente os vadosos r os mal ntenconados que não, desejam, dr nenhuma íorma. per* tnanecerem dstante das objetvas dos repórteres fotográfcos ou das câmaras das televsões* FUTEBOL NÃO É JT (Lea Reportagem «,, Ronaldo Boscol na Pág. \$\. GUERRA Médcos, Jurstas, Antgos Astros Batem Palmas Pela Campanha de ULTMA HORA Já repercutu profundamente nos meos do futebol caroca a campanha encetada por ULTMA HORA para tentar pôr um termo ao abuso da volênca c da brutaldade nos nossos campos de jogo. E, espontaneamente, numerosos foram os desportstas que nos manfestaram sua soldaredade e sua satsfação para o movmento do qual tomamos a ncatva e que todos o.s verdaderos amgos do futebol deverão acompanhar c prestgar. "O Dr. Hlton Goslng: Futebol Caroca Vrou Guerra..." peões do mundo atuando sempre com maínl fca esportvdade, ao nvés dc ser respeta. do.s, são os mas vsados e caçados mpedosa. mente. Mas não são apenas eles os atngdas* Basta ((ue um quadro conquste uma vtóra sensaconal e nos jogos seguntes, terá város elementos contunddos, porque constllulrá o alvo dos jogadores rutals e desleas. "Mas, por unu» vez, o remédo nà0 CS(j comgo. Está com certos maus drgentes que deveram mostrar aos seus jogadores a uon. venênca da volênca, ao passo que, mutas vezes, são os prmeros a exctá-los, consde. rando os jogos de campeonato não como parle de uma competção entre desportstas exer- O Dr. Hlton Goslng, nosso smpátco mcdco campeão do mundo, fo o prmero a bater palmas para nossa campanha, antes de talhas dc vda ou de morte. O Dretor do fecendo uma mesma profssão, porém, como ba- embarcar para Buenos Ares onde ra juntarsc à delegação botafoguensc: tervr para lembrar aos nossos juzes que náo partamento dc Árbtros devera também n- É com o mas sncero pesar que estou é táo dfícl fazer a dferença entre jogo volento e jogo vrl, entro entusasmo e bruta, observando que nosso futebol esta vrando guerra realmente, 110 sentdo exato, da palavra. Quando nosso campeonato se dsputava o campeonato voltasse a desenrolar-se nor. ldade. Jlavera pouca cosa a fazer para quc em três turnos, tínhamos mas defcêncas fscas nos nossos plantes decorrendo do dos- de guerra mpedosa. ULTMA HOKA está malmente c não tvesse mas esta fsonoma gaste provocado pelo calor do que de contusões. Hoje, é muto dferente. Temos que trapanha necessára contra o jogo desleal c bru- portanto, dc parabéns por encabeçar esta camtar de contusões sóbre contusões, algumas tal." muto graves e que poderam ter sdo evtadas jogando com outro esprto. meos mas efcentes para acabar com a onda Mas consultamos também jurstas sóbre os "Nossos jogadores que se sagraram cam- de volênca. Abrahm Tebet: "Atuar Faculdade Naconal de Dreto. ncou dzendo que o as- para o elemento subjetvo: pundo, porquanto nélc- se de. em Flagrante" O Dr. Abrahm Tebet, advogado e membro do Conselho dos 110 mundo ntero. Revêsunto é um dos mas dscut- dolo ou culpa e a ação olcn- Técnco de futebol da C.B.D. lando-se profundo conhecedor do problema, dvdu sua respondeu á pergunta de ULTÍMA HORA: resposta em duas partes dstntas: "Desde que haja a nten- O Dr. Hlton Goslng, que remos aqu prestando assjsènaa a Zagalo, severamente, contunddo em clássco recente, condena o jogo brutal c bate palmas pela campanha de ULTMA OKA. ção dolosa, ou culposa, de ferr o adversáro, o culpado pode c deve ser pundo por le. O jogador expulso de campo pelo juz, durante uma partda, por motvo de ugrestto, podera dar margem 11 que a autordade polcal dc servço 110 campo o autuasse em flagrante. Alas, não é novdade em nosso meo esportvo proces- 1 sar-sc um jogador por ésse motvo c lembro-me dc quu em Sáo Paulo, por ocasão de um jogo entre as seleções caroca e paulsta, pela decsão co ttulo braslero, um dos elementos da seleção do Ro fo processado por agressão (quebrara a perna de um adversáro) c. condenado. Formou-se contra éle o processo por ter sdo caracterzada n agressão dolosa.* Frsou anda o ar. Tebet que somente o rgor na observánca da le contrburá para a contenção de certos espetáculos deploráves. Jurstas: Questão Dscplnar e Penal Professor Hermes Lma. Catedrátco da Faculdade Naconal de Dreto, pergunturnos: - "É crme um jogador causar fermentos em outro, no campo c durante a partda, desde que seja a lalta caracterzada como dolosa?* Esclareceu o professor Hermes Lma: -De um modo geral as agressões em campo estão sujetas á sanção dscplmr do juz da partda. Mas desde que fque provada a ntenção de ferr, de maltratar o adversáro, o jogador poderá ser enquadrado nos dspostvos do Códgo Penal e sofrer assm as penaldades da le, que por sua vez também possblta a Em prmero lugar eselareceu -- é precso determnar sc a agressão fora realzada fora do jogo, ou melhor, quando o mesmo estvesse paralsado ou mesmo so desenvolvendo en outro setor do campo. Em qualquer destes casos, é evdente quo o autor da agressão pode sem mas nada ser processado pcló crme dc lesão corporal. A segunda questão, slo é, a do fermento causado ro transcurso clc una peleja esportva, tem sdo objeto de numerosos estudos entre jurlstas que versaram a matera. tas como Ceech, Grspgn, Vsco, Sadulll e outros. Para 11 corrente do postvsmo jurídco que sô vô na le o únco dado postlvo sobre o qual possa erguer-se a elaboração ra doutrna 110 exemplo de lesão corporal produzda em competção esportva, como o utebol, box, o fato deve ser sva da ntegrdade fsca. Quanto a mm, flo-me a chamada Escola Técnco Jurdca, colocando-me dentro da corrente dos ndetermnstas. e tenho que a le nào é o únco dreto, mas sua forma mas ou menos pertota. No caso de lesões produzdas nos embates esportvos. seu autor não comete crme e a seu prol mllan os costumes que emprestam lctude ao esporte e aos férnentos que têm lugar nas pundas." Conclundo, o Professor Stenvenson ctou as palavras do emnente jursta nglês Stalydrass: "A lesão desportva, não é deltuosa quando pratcada dentro das regras do jogo. anda que em sua produção partcpe um tanto de excesso orundo do entusasmo com- que se tcnba conduzdo o respectvo autor.* Pedmos também opnões a antgos grandes jogadores. "Jogador Bom Não é Volento" Artga;, velho defensor do Flamengo, beampcão enroes que defendeu a camsa rubrpregra durante mas d dez anos. opnou a respet do jogo volento da fonna sc gunte: "Jogador tèchcamettepe feto não usa jogo volento Volênca é uma decorreu ze, ca da falta de técnca c aa da mas. Em esporte, não s pode admtr brutaldade d espéce alguma. Bom joga dor e bom esportsta não es t roptan adversáro, nesm que a dsputa seja. "de vd ou de morte- como se costu ma dzer. Ao meu ver. o juzes são os grandes respon sáves por tudo sso. Alen da técnca dos jogadores, precso que haja a persona ldade do árbtro, para qu uma partda de futebol sej bonta de fato. Falta (le per sonaldade do juz poderá enpana* o brlho de um partda. No ardor da luta mutas vezes os jogadora abusam de sua vrl dudí chegando ás raas da volèv ca. Compete ao juz. zela por evtar sso. chtunnndo ; atenção dos mas afotos punndo aqueles que são verdaderumente desleas. Concluu, declarando: "Para mm. futebol troux mas trstezas do quc ale grrs, mas sou anda un apaxonado do esporte e co mo esportsta sncero conbu to qualquer tpo de jogo v. lento, mas admro o jóg duro". Há uma dferença»! A Competênca do Juz, Elemento Essencal Ouvmos também o veterano Jarbas que durante muto! anos jogou pelo Flamengo, sendo hoje funconáro (o CR* c que nos dsse: "Náo acredto que volênca numa partda dc lutebo seja cosa premedtada. Jogue durante mutos nno «chegue à conclusão que cada jogador, nos noventa mautos de partda, leva muto a séro o velho dtado popular "Não quera para os outros aqulo que náo desejas para s. Jogador que joga volentamente está sujeto a encontra* pela frente a mesma cosa. Lealdade c calma são fatores tmportantes durante uma partda. No entanto, penso que tutw está nas mãos do juz. Êle é a únca autordade dentro ao campo e a éle compete cobr o jogo volento. Termnou dzendo: "Juz mand* e não pede. Lembro-me quc ha mutos anos, o Moraes do Flumnense entrou volentamente soore mm... c antes que eu tomasse qualquer attude, o Ma Vana quc era o juz, me dsse: "Jarbas, sc voe1 ^rv""v. sal expulso de campo..." Esta deve ser a attude do l 1 juz..." "O Juz é Quc Sabe" O grande desportsta Carlto Rocha falou pouco, mas afrmou:. "Futebol é jogo em que náo se pede lcença. A oraero ^Pfr!!?"!^.^ -5üe??"5í" c procurar a bola onde ela estver. Se o jogador entrar com me do agreddo, sempre res- volênca, o juz deve mandar parar o jogo e punr a petando-se as característcas Êle e que sabe se 0 jóeo fol Volento ou não fo. De mmm dolosa ou culposa." pa,.tc sou absolutamente contra qualquer volênca, mas nao O Professor Oscar Steven culpo o jogador que entrar "duro" na bola. Com bons juson, também Catedrátco da zes, não pode haver brutaldade sem o merec o castgo. UBRAJARA FA DO BANGU COM ENTUSASMO: "JOGADORES DE CARTAZ NÃO ADAS! U 0 QUE NTERESSA Ê O ESPÍRTO DE LVTA" "Prefermos ml vezes enfrentar as grandes equpes do que ter que lutar com adversáros sem muta expressão. Além dsso, o Bangu costuma jogar Dem em "clásscos". Estão bem vvas na nossa lembrança, as vtonas conqustadas sóbre o Flamengo e o Botafogo" declarou-nos o presdente do Bangu, referndo-se ao encontro da note de sábado, dante do Flumnense. Os "proletáros" ensaaram, na note de ontem. Hoje, voltarão à cancha, desta feta em Moça Bonta; para prátca de conjunto, estando marcado para amanhã, novo en sao coletvo. Não hâ oroblemas de ordem médca a refolver. "O qtudro está pronto para uma bela exbção. Faemós com que nossos torcederes tornem a vbrar de entusasmo com "t.an:". o E náo será dfícl..." "Não temos medo. Se o conju^ tar con.o lutou contra alvnegros c u,cc:. gros. não há dúvda de que podernw ^ qustar um bom resultado" c=ta não do arquero Ubrajara. y "Não adanta termos ou não J0 res de cartaz". Prosseguu o ^"esptótí Acma de tudo, o que ganha jogo é o e de*c de luta, a boa-vontade de todos cão. Quando um elemento se ds-poc. ^ dar c companhero que se encontra stuação, todos lucram com a attuoe E fnalzando: V O Flumnense que se cude. P^sf qb pre demos <:orte neste jogo. A nao - (t. eles estejam dspostos a correr basta» tro das quatro lnhas, não passara." r proletáros sem perder pontos, nao.

17 PREFETÜRÁWÂSfOU BLHÕES E AGRAVOU O 0 CRME y.y7-" : í-: T-. DÂAGUA,"y, " -. 0 R* < naa cdade Ae grande* w peqoeao* mstéro*: dee t*«*l na notcáro poheal m oe«p«1 daramente, mas erâtam oa outro». Oa outro* «oa «capam ao* regstro»; posa*. Como o mumfo te falta da fos. Haverá, por acaso, co*a a* gama ma* msterosa qne es»a talta de â.gaa? O* números, e wbretudo as cfra*, tornam a novela da água, entre todas, a mas msterosa. A cdade não poda compreender, por exemplo, como nm» adutora que custou 400 mlhões do crueros. como Rberão das "- JM. tenha os seus tubos sob os efetos da "stress corroson", sto í, sujetos ao» rompmentos cada vez mas constantes. E o místér* cresce quando se sabe que depos de Rberão das Lajes, a Prefetura gastou 1 blhão e trezentos e setenta e três mlhões de ernzelros - Cr? »00.000,00: - na adutora de Guandu. K mas»nn» quando se sabe que ontros 181 mílhões de cruzeros foram empregado* no túnel-canal, no célebre túnel quo devaesa o macço da Tjuca em drecüo à Zona Sul, mas que nfellzmente não conduz os 200 mlhões de H- " tros prometdos pela Prefetura par» a lqudação da falta de água em tapacabana. Enfm, o engma e perfeto: «nhrtro houve para os tubos, as «««elevatóras, a renovação da rede ae dstrbução, os reservatóros, ete- Mas, e a áeua? A ííua não apareceu. Ou melhor, desapareceu. Sumu daquelas tomeras que anos atrás eram o orgulho oa Zona Norte. Veja, letor, as fotos. Veja a crme em tõd» a su» «tensão. Veja o pavor da pobre lavadera. obngada a trabalhar em plena rua, num reslstre de ízua, e temerosa das conseqüênca* do flagrante fotográfco. >eja JÜ"nce do problema da falta de água. em toda a cdade. "medte E, sobretudo, o letor aôbre tão caótca stuação. Medte eom a certeaa de que também poder* cantrtbur para a apuração do_ crme d» água, on melhor, para a" lqndaçã» da falta de água. Três de outubro se aproxma e com as eleções a, prestação de contas. O repúdo para oa qne nada fzeram, para os qne, senda omfof, foram conventes com o crme. E o apoo para aquêles que ba. talharam em favor do povo, on têm condções para tão dfícl combate! " "JZl *&ZZ&0%&. a (--.-m^±_, M^m^-^Mm s» M» S\ rty * TABLODE F^fe Ano V - Ro, N ahjâgl^* *\- \ fl mmmmwwsè** \m m ^sãfe^^ ss r~ receb um amgo, velho ONTEM e bom amgo, cujas vstas são mas ou menos anuas, tempo bastante para haver algum assunto novo a conversar. Êste ano que nos separou ío um ano propíco a assuntos. Excluímos dêlcs o campeonato mundal de íutebol, que já está um bocado chato, mas o resto ío palptante. E no m da note, quando pensava que já nada havera para comentar, o velho companhero, que írequenta conferfncas, relatou-ma uma que assstu no Rotary Club, pronuncada por um competente pslquàtra de São Paulo, Dr. Pacheco a Slva. Acredtava o centsta, baseando-se em comprovadssmas experêncas o observações, que a ncdênca cada vez maor de neuroses se verfcava sobretudo eutre os drgentes de empresas NEUROSES, ETC. e grandes repartções, o que não dexava de ser uma das maores ameaças que parava sôbre a clvlzação moderna, tão amante de empresas e grandes repartções. Dos prmeros snas da exaustão nervosa eram a lnsôna, a ansedade, a emotvdade fácl, a extrema sensbldade aos ruídos, a exaltação provocada por causas nsgnfcantes, as crses de depressão e pessmsmo. E nenhum remédo para tas males hava, nformava o psquatra, que a hgene mental, pos que ela ensna a entreter a establdade emoconal, a conservar a serendade nos momentos dfíces da vda, a encarar com otmsmo o futuro, a entreter a fé na ação e a adotar uma sã flosofa na forma de vver. Quando o meu amgo termnou a explanação, pergunte-lhe se a conferênca não tvera um ttulo. Teve, respondeu. Chamavase: "A saúde mental dos drgentes". Eu a de uma boa gargalhada. E me lembre... bera, não vou dzer aqu de quem é que eu me lembre. Todo mundo sabe. & Z^Lm wlmmwf- ^K MMmmm^mm^,.<*jr^mw^ *.^^H <^H«> Mmm WmwJtm* ~Jm\ m^*- ^^mr^mmwê..au - wflm a^fcja S^^^*" lymu 9 -S-M m\^àwj4mm. fl flí^s. *^* ^^^ff^^hfl^^^^üé^h^^-t ^«k* ^B &m fs^hl^^^^kfã6 Pode Ser Vendda Separadamentemw &3^&*ã&Í&z.à~MÍTl&***&**s awww» «S :-í"--\ ^^w^,^- j^^án:^^ - -.l-màlêèê&êrí-::*.<-: ".. r..^ y:,^ú^^},^y7s üas^e^y--^jm^êmwêtf^êmmw ""u -"»,. --->. ím»w» -:TfL^s^^^SB^^TO^íSSáÍMfflJ?^*"

18 VACS1NA. 2 Cr Ro de Janero, fjuarta-t-era. lü de Setembro de 1958 ULTMA HORA * Tablode pf Socedade & Adjacêncas * WR l ^?_fc. ^ >** y.--;/7y. t?:. : >, \/m :;..*.,. "*}F^ * "^mr : :""" ".-.--^-^^ü-ll^^l... -W1.».... -_---_--_- --_ _-.^^ atenção: Algumas scnhoras consderadas <e o sào PRESTEM realmente) elegantes, estão pa.v RESENHA DOS ÚLTMOS ACONTECMENTOS SOCAS sando a usar em certos aconteclmentos, modelos que datam de 2, D* E qunta-fera 28 do agosto a domngo 7 de Mara Cecíla Fontes c no domngo, a mas elegante, era a Senhora Adelade de Castro. ras Elznha Morera Salles e Can- 3 ou 4 anos atrás. Assm, as Senho- setembro, a socedade caroca movmentou-se numa sére de acontecmentos dos mas clefantes, motvados pela vsta não ofcal) do ban- bontos (eram dademas no duro) foram os das tlíos vestdos e dando uma lção Entre os dademas quc crcularam os mas dnha Slvera, repetndo seus anquero espanhol e Senhora Arburua e pela vsta (ofcal) do Presdente da tála c Senhora Casacas c fraques estveram em crculação nos > precso estar sempre de roupa Senhoras Vera Lete Garca c Helosa Amado. de que para ser elegante não 6 Govann Gronch. Passando em revsta todos êstes acontecmentos, chegamos ás seguntes con- os usou com mas freqüênca e de manera m- acontecmentos ofcas e a fgura masculna que nova. clusões: A reunso mas exclusva fo o "souper" pecáve fo o Senhor Raul de Vcenz. oferecldo pelo Senhor c Senhora Walther Morera Ermelndo.Matarazzo c Otaclo Gualberto de Ol- A marães (que, segundo multa As mas bontas jóas foram as das Senhoras bonta Senhorta Noelza Gu- Salles, (casaca), em homenagem aos Arburua. Na vera. gente, usará o ttulo de "Mss Elegante" ató o fm do ano) esta con- véspera o Embaxador da Espanha c Senhora Sunner havam oferecdo um jantar ao Chanceler Ne- Mayrnk Vega. No setor re elettànca mo convdando para um Jantar, da 13, A beleza mas notada fo a da Senhora Tony grão de l.ma, os Sufner proporconaram aos seus junto dos acontecmentos) foram tantas as senhoras que se destacaram, que se torna dfcl aponvte, mas nfelzmente nesta data no Country Club. Agradeço o con- convdados o únco concerto da temporada. O acontecmento mas freqüentado fo a reeepção oferecda pelo Presdente e Senhora Cron- Naturalmente o Presdente Gronch fo a ftar somente uma ou duas. já tenho outro jantar marcado. ch. ao Presdente c Senhora.luseelno Kubts» gura mas fotografada, segudo pelo Presdente chek, cerca de 4 ml pessoas presentes. Kubtschek. pela Senhora Gronch. pela Senhora Campeonato Braslero dc Um únco "cocktal" fo assnalado, o oferecldo pelo Senhor e Senhora Oscar Vana, aos Chanceler Negrão dc Lma e o.s Embaxadores da tado em São Paulo, causou sensa- Kubtschek. o Vce-Presdente.loão Goulart e o PELO Golfe Amador, que fo dspu- Arburua. tála. Mas, na receoção do tamarat. o Senador çâo a partda dsputada pela representante caroca, Senhora O embaxador mas notado fol_ o de Cuba, Aleneastro Gumarães fo assedado pela maora l recém-chegado ao Brasl c que esteve em quase do.s fotógrafos. Além de ser fgura de projeção Betty Osward e a paulsta, Senho*..lF4!_._*_»..-_» ,.,.»-. K.m.n. t v rn. T T1,...._-1.-, K.- _ *-,_,.. t*rm Tnrmtn». todos os acontecmentos, sendo apresentado à socedade caroca e tentando conqustá-la com sua mamente fotogênco. ram empatadas e no desempate nos meos poltcos, trata-se de um homem extre- ra Teresnha Camargo. Termna» boa fama de homem nternaconal. A bebda que atngu maor consumo fo o venceu a Senhora Osward. O campeonato femnno fo levantado As senhoras que mas freqüentaram foram a "whsky"; muto embora a champanha tenha sdo Prncesa Dona Fátma (Don.loão ausentou-se por como sempre) a bebda ofcal e a únca provada pelo Presdente c a Senhora Gronch, nos apenas 17 anos. pela Senhorta Carola Zappa, de alguns das, pos esteve na Argentna), a Senhora Svonne l.opes e.losefna Achcar. város brndes que lhe foram levantados. Dos almoços elegantes, o oferecdo pela Em» A Senhora Carla Gronch acendeu um cgarro após cada cafeznho. O Presdente Gronch náo festejar as Bodas de Pra- baxa rz ra tála o o oferecdo pela Senhora Walther Morera Salles. ambos para a Senhora açotou os charutos quc lhe eram oferecdos. PARA ta do casal Olmpo Matarazzo, Govann Gronch. Na resdênca dos Morera Salles estveram reundas.16 senhoras. Nesta reunão dencados pelo tamarat, para comparecer aos d- O número exato de jornalstas que foram cre- as senhoras preferram usar "talleurs". Na Embaxada da tála a mas elegante era a Senhora 349 (trezentos e quarenta e versos acontecmentos ofcas, fo exatamente nove)..*+++************************************************ ****************************»********** V^^^S»*^#^S»^e^^#S»^^^»^<»^^»<S***S#^#»»#* confrmn-sc a NFELZMENTE mnha nota de prmera pa» pna de ontem, sôbre o desapareclmento de objetos no Pnláco das Laranjeras, por ocaslo da recepção do Presdente Gronch. No entanto, apôs um levantamento mas cudadoso, verfcou-se que os estragos eram menores do que à prmera vsta se supunha, Em todo raso, nandes ou pequenos, graves ou leves, a verdade è que esses acontecmentos lamentáves, exstram. tüt Olgl Cflssnl fou QUANDO Clolly Knkerbocker) este- Ve no Brasl no ano passado, para a Conferênca do Café, falou-se multo de suns atvdades, mas nnguém conseguu precsar exatamente qual era o verdadero motvo de sua presença em tal conferênca. Agora nosso nformar o vocês que Gg Cassn rsta dstrbundo a propaganda do café nos Estados Undos, e para tanto passará a receber a quanta de dólares anuas. ou sejam (ao câmbo de 150 cruzeros) a quanta de doze mllhôes de cruzeros. Nada mal. ^e*"^ "^yb _H B*.^ k^ k_*._h x*- ü W [ 1 ok " - jdfc*^^jbp^-e*^k*-*^^b Pt Am mw -y r>%7 -«-3J _L^!* ^Rí ^fe^^s^^^^^^^bm^sèí!íéé K1É Sm -^rs^-j^^^^s^^s^ Barf^w Béu.. ^^ ^Mm^R^^eèr^^^^Êm^^m v9 >* w*í»ís_h é. ^SÜÉSf _ r "** j H.nn$l f-7*m m*mww^^m^ê mmw$.:* * r" ^9ry^ÊSMWm^^^^ m^mmm^^^mb^^ms» tkp -m^w^m mwêmmmmm*m.-\ J^^^P^P^WP * ^^ P^* ^ ^Ê\ m* js >b^ \ mwlmm^sk^^s^msbmmmw^m ^mw mm:.?j_fl H^«B ^-^(fe^-^ss» mwmmt^m mams^k^ê & - K?Vv\:-yKB^Tv^<j..H..KS%v»^ l m^*&%jmm w3m<^mww Wmmm^tW * "PM 1honneur de la Délígn- *-«tlon des Etats Afrcans ntíépendants, lambassadeur dc o Republque Árabe Unle. prle de lu falrc 1honneur de venlr pour * JVo Paláco das Laranjeras, vemos durante o banquete. Senhora Mnstro Francsco Mello c o Chanceler Negrão cocktnls clez lu le 12 septembre de 19 \ 21 heures. de Lma. r passaram a saber, que no Ro, tre as de melhor gosto, sóbra e além das belezas naturas, os vstantes tém dreto a banhos dá- Exste uma outra casa em Copa- elegante está a vtrna d Carna. Senhor Jorge Gunle transferu o "cocktal" 0 que devera oferecer ontem, para a próx- da segunte manera: de um lado ros. cabana que preparou sua vtrna ma terça-fera. o retrato do Presdente Gronch, r notíca surpreende: Masa de outro o do Presdente Kubtschek. fazendo fundo a sombra do UMA Matarazzo está freqüentando maora dos jornas norte-amercanos publcou uma nota no lerero do Copa. Neuza é a sua com assdudade o salão de cabe- Crsto Redentor e entre os dos A "coffeuse". retratos, trazendo no bco ftas da 31 dc agosto, anuncando Comentam as más que nas cores dos dos pases a pomba da paz. Qual sera a ntenção o Presdente Juscelno Kubteschek hava naugurado um novo de seu novo contrato é de que do dono ou do decorador da loja, línguas que uma das exgêncas reservatóro, que termnara com ela se apresente sempre penteada. se sabe, a ao magnar tal vtrna... Como a falta de água no Ro. A nota "pomba da paz" crada des" *» a manúcas explcando que por Pcasso é um símbolo unversal um tanto suspeto, por ter s- o novo reservatóro tnha capacdade para fornecer o dobro de Barão Max Stuckard está tratando da decoração dos avões do adotado pelos comunstas. água necessára ao consumo da 0 população caroca. da Varg. Êle é, além de "publcrclatons", o decorador da compa- jovem esportsta de 18 Muto embora a notíca não seja verdadera, pos não fo um nha. UMA anos de dade, na Dnamarca, reservatóro e sm o "Túnel dos obteve as seeuntes classfcações Macacos" naugurado e segundo em competções esportvas: corrda de 60 metros, 9.8 segundos; estou vendo o "caso da água" não [UTAS das vtrnas da cdade tenha sdo soluconado, a notca Ml foram enfetadas em horacnagem ao Presdente Gronch. En- marcha de 8 qulômetros, 1 salto de dstânca, 2.11 metros; deve ter anmado os turstas, que hora, 1 mnutos e 21 segundos; gnástca, 75 pontos. Com essas marcas, a jovem esportsta ganhou a medalha dnamarquesa de esportes, em bronze. Na ocasão afrmou que contnuará partcpando de competções esportvas para ganhar as medalhas de prata e ouro. A esportsta em questão é a Prncesa Maríareth, herdera do trono da Dnamarca. seus flhos farão celebrar no pró» xmo da 23 uma Mssa em Ação de Graças. No mesmo da e na mesma hora acontecerá o casamento do jovem Olímpo Matarazzo Flho, com a Senhorta Lela Alcde. r Flávo Cavalcant, O produtor volta ã atvdade preparando um programa de televsão sôbre a note caroca, que será, brevemente, lançado na TV-Tup. Explca Flávo que não tratará só do que va pelas buates e bares, mas de todos o.s acontecmentos que se desenrolam e se desenrolarem durante a note. 0 SENHOR Zacaras do Rêeo pense ter tantos amgos. Mal dexe a Casa Canadá, receb mas de dez propostas. Acabe acetando duas. Dvdo o meu tempo em dos setores: negócos mobláros e relações públcas da Casa Jacques Hím". O Notcáro Aeronáutco Retfca. E eu Também resumo do Notcáro Aeronáutco (complado e NO edtado semanalmente pelo Gua Aeronáutco) que tem como dretor o senhor Ruy Costa Barros, transcreveu uma nota por mm publcada na prmera págna de UL- TMA HORA, trazendo pequenas retfcações sôbre o que notce. Destas retfcações, estranho sóbre tudo, esta que dz: "A PAA anda não anuncou de postvo nenhum servço a Jato para o Brasl". Em prmero lugar eu não dsse que a PAA já estava fazendo servço a jato para o Brasl e sm que ela está trabalhando no sentdo de ncar êste servço o mas breve possível- Em segundo lugar, devo partcpar que esta notíca sôbre a PAA, me fo ornecda pelo própro boletm da Companha, que falava também que a BOAC estava na corrda pela prmaza, nos servços a jato, para o Brasl. Quanto à notca que de sôbre o fato de o governo braslera não estar dsposto a r*ermtr que outras companhas voassem a jato. antes da Varg. o Resumo Notcáro Aeronáutco lmtou-se a transerever mnha nota. sem retícá-la. Muto obrgado COLUNA DE y-z^^^mm mmãméèm^m^4^msmmm (Na ausênca de Walagora em ter Wnchel fé- ras, esta coluna está cargo de Lee Mortmer). Coquetel Nupcal Harvey Rosen va" abdcar do título de "bombero, quc conqustou como S e cretáro do D e p a namento de 1 n cêndos, para dedcar-se é x clusvamenta ao seu Kss Room do El Borracho. Rosen n- Moborow ventou o coquetel-"party" mas extraordnáro de que já se ouvu falar. Os convdados serão lmtados a solteros avalados en não menos de um mlhão. Al serão apresentados à espéce do pequenas com quem mlonáro» gostam de casar-se. A mão, haverá sacerdotes de város cultos, um médco para fazer te» tes de sangue e um juz do Supremo Trbunal para autorzar os casamentos, e se não acredtarem nsso, fazem mal, pol Harvey Rosen é um sujeto qu«pode realzar o mpossível.... O Que Dzem e Desdzem George DeWtt passa suas notes pratcando um "hobby" dot mas agradáves contando â modelo Brgtte Rohland a re» peto de todos os corações qu» partu na Europa... Quando Wynne Mller, a beldade do Co» lorado que representa Dasy Mae em "Ll Abner", tomou o avão para Las Vegas. a semana passada, a fm de ngressar no "show" do Rvera Hotel, fo escoltada ao aeroporto por um agente da FB. Quando tcrmlnar a temporada, cm junho, êle va escoltá-la ató o altar... Merle Oberon e o seu mardo mlonáro, Bruno Pada. corvtnuam a negar rumores que afrmam estar o casal Paglaí em vésperas de rompmento..»: Pouco Dsso, Menos Daqulo Esquecdo pelas notcas sôbre o 10. anversáro da Repúblca da Corêía, o Dr. Y. C. Yang, o embaxador coreano em Washngton e um dos que mas trabalham para manter lvre o seu país... O novo tem (de publcdade?) a respeto de Brgtte Bardot é o pansta Claude Bollng... Jaeke Kannon, o comedante, dz que Hollywood é um lugar em que os mennos não fogem dc casa se não depos de casados... j B. Bardot Lojas no Maracanã Vendem-se magnífcas lojas com sub-solo, no Edfíco Mara Georgna, à Rua São Francsco Xaver, 486. No prédo será nstalada uma grande agênca do Banco Português do Brasl. Tratar no local com o propretáro e neorporador - AMÉRCO GOMES VELOSO. Aumente suas vendas anuncando em ULTMA HORA ^^L^v^lX^íf.íuíjtl.; ««asbgs >^-.v^^v;h^-:^.

19 ^^--^m^m^ykj*- ; rjssz?zse^gm$g *.. *..--.; *^^^-**^^-**^ -BE W3^S^M^^0 Wêêm m rm*myr WlpSm mésfé AS MAS BELAS MULHERES DA SOCEDADE NTERNACON (QUNTO DE UMA SÉRE DE ARTGOS ESPECAS) FRASE mortal de Bernard Shaw: A "E uma pena que a juventude seja desperdçada nos jovens", não se aplca ao caso da jovem décma Duquesa de Rua tand. <! Nascda Francês Sweeny há justamente 20 anos... sua educação é nteramente brtânca, mas ela é meo amercana... seu pa é um fnancsta amercano, o banquero Charles Sweeny. c sua mãe 6 a atual Duquesa : de Argyll, beldade famosa do nternatonal Set e uma das mulheres mas bem vestdas da socedade... o to de Francês é o campeão de golfe Bob Sweeny, o que faz,, de Pamcla Curran sua ta por afndade. j Pamela passou a nfânca-;; na nglaterra... seus pas ;; se dvorcaram em ;> trabalhou por algum tempo ; como modelo, para dstra- ;> r-se, mas era mas conhec- ; da como a Debutante do ;! Ano e a jovem mas glamo- ;! rosa da temporada de 1957 jl jl sua cúts de porcela- * ;1 na e o brlho dos grandes <1 olhos azus fzeram logo dela j a favorta do cenáro socal j de Mayfar. jl E* pequena e femnna, j com curvas... reluzentes ca-!; belos escuros... sob um ex- > teror tranqülo há um dver- ;; tdo senso de humor... ês- \>!! ses atrbutos, mas sua repu- ;; tação de ntelgênca, espír- j; to e talento para dançar lhe ;j valeram desde o prncípo ; hordas dc admradores. ]!,, Em prncípos deste ano,., rumores de que o Duque de Rutland (38 anos) entrara!; nos "swcepstaks" para sua!;.; ; mão motvaram desment- ]; dos medatos de sua mãe e!; ; parentes amercanos...!; ; Francês e o Duque vaja- 1; vam então juntos pelo Or- ente Médo, mas contnua- ; rara a negar que tvessem jl ntenções matrmonas... ;> j em março, fo anuncado o!; novado... em mao, Fran- j1 ces casou-se com o Duque!j. numa das cermônas nupj!! cas mas elegantes destes j! últmos tempos.!l.- À cermôna eomparece- ; j; ram apenas qunze membros! de ambas as famílas, mas ; medatamente após, a recep-!; ção no Clardge ncluu 400 jl dos nomes mas conhecdos!; 1 do nternatonal Set jl A flor da recepção fo a!; nova, parecendo realmente j! uma duquesa no seu vestdo ; ; rosa de Artnell... o casal < jl ; passou a lua-de-mel na tála ; e agora vve em Rutlandsh- j!! r», nglaterra, no Castelo ; j Beaver, o lar ancestral dos j! Rutlands. ; A Duquesa de Rutland é!! agora a mas jovem aqus- > co da arstocraca nglesa ; dt reha guarda... e parece nteramente adaptada ao ; sm aobn papel KWW***w*»»*»*w»www««« A ÉXTWbíílHÁRA HSTÓRA DÓS CONQUSTADORES DO AHTARTÇ0>vOÇOqMHtrDE^tDU^ÊLO^SOüDÃO^ A Mancha Negra no Horzonte Era a Bandera Fncada Por Amundsen, o Prmero Sêr Humano Que Psou o Pólo Sul Esmagados Pela Decepção os Homens de Scott Tornam-se Espectadores da Própra Tragéda (CAPÍTULO XXV) p ÍWPrSÍ A 4 de janero de 1912, é para a morte e ao mesmo tempo para a glóra, que Mountevans vê partr Scott e seus companheros. "O reboque à mão, embora lento, é seguro. Afnal de contas, será uma bela cosa vencer o planalto por êste meo." Assm pensava Bowers; sto escrevera à Sra. Scott. Todos pensavam assm. E, no entanto, que cosa terrível pedr a homens martrzados pelo fro e pela fome um trabalho de anmas de carga! No nstante cm que Amundsen voltava para Framhen puxado por seus cães, Scott e seus companheros puxavam eles própros os seus trenós.,,-, "Luta., terrível!" exclama Scott. Estamos a 118 qulômetros do Pólo Durante sete das, poderemos desenvolver semelhante esforço? O terreno dabólco cede de repente sob seus passos. Cada um luta num pastoso slênco. E precso contornar os sastrug e puxar, puxar anda, os braços paralsados, os ombros machucados, a cabeça constantemente curvada para o chão, de tal modo que Scott tem de pedr a Bowers que suba ãs suas costas a lm de ndcar-lhe o rumo. Ao meo-da, quando o sol aparece, é o mas das vezes Bowers o encarregado de verfcar os graus. Quanto? pergunta Scott a 15 de janero Algo como um sorrso lumna os traços do explorador. Está certo de atngr sua meta pos que apenas 43 qulômetros o separam dela e êle tem bastantes vveres. Mas sua alegra não é completa. Tem sempre nervosos movmentos de cabeça para o oeste, olhares que sondam a bruma, a apreensão de ouvr os latdos dos cães, dos cães de Amundsen. Agr como se êle não estvesse lá... tnha dto Scott. Mas agora o Pólo acha-se a duas etapas somente e éle não consegue afastar a magem do norue- Amundsen... O telegrama que êle recebera em Melbourne, Scott compreende-lhe agora toda a sgnfcação. Eo parto sol... E tnha chegado. Antes deles. A Glóra de Ser o Prmero Crspados, os ngleses contempam a bandera e a neve psada, pesadelo do qual, nfelzmente, não despertarão. A marcha recomeça, lentamente, os ombros machucados, os músculos duros, o fro traspassando os corpos qual espadas, e a decepção aflgndo a alma com um ferda pela qual va esca- De ROBERT DE LA CROX Gunde Prêmo Ha Aca- - dèma Francesa Copyrght EUROPRESS Fxclus- guês, do obstnado, do pacente, do terrível norueguês que, talvez, já esteja a sua dantera. Comandante! Fo Bowers quem grtou. A prncípo Scott não responde, mergulhado em ssu esforço de puxar o trenó. Comandante! Dessa vez Scott ergue a cabeça. Pára. Pareceu-me, lá ao longe... uma manea negra... Scott olha e dá de ombros. E uma vaga de neve. Prósslgamos. Prosseguem. Mas agora a agona toma uma forma precsa. Lança-se um olhar no ntervalo dos esforços. Bem era frente, dstngüem cora efeto uma mancha negra. A Mancha Negra Uma vaga de neve? A medda que se aproxmam, parece pouco provável Um túmulo talvez. Mas ergudo por quem? É* a prmera vez que homens sobem tão alto no Sul, pos que Scott, Wlson, Oates, Evans e Bowers são. realmente, os prmeros, nso é? E precso que eles o sejam. O Pólo Sul pretencelhes. Pagaram-no com sua cènca e cora seu labor quase desumano. Sm, é deles, bem deles. Escreveram a maor epopéa da Antártca, bateram no coração da velha Terra ncógnta. Estão agora vngando o desespero de Cook ante as portas cerradas da gelera, os mortos do "Bélgca", o naufrágo de Nordenskjold, o prmero fracasso de Scott, o de Shacklelon, de todos aqueles que lutaram para que um punhado de homens conheçam um da a embrlaguez de vencer o Pólo. Não é nem uma vaga de neve nem um túmulo, dz Scott. Será então apenas uma mragem, uma sombra sôbre o gelo, porque não é possível que seja outra cosa... Concedem-se anda alguns mlnutos de lusão, como se não compreendessem anda que era realmente o receo de terem sdo preceddos, que era esta apreensão que à frente deles tomava corpo. Mas pouco a pouco aquela mancha negra torna-se terrvelmente nítda: uma bandera amarrada ao varal de um trenó, uma bandera sombra que assnala o luto de suas espera» «as a. sflbre a neve, marea d* pata* da dm d* "sku". «dade de ULTMA HORA par-se não a coragem e a energa, mas a razão para lutar anda, para sobrevver. Estamos a 17 de janero. O Pólo al está, a alguns qulômetros. Acolhe-os com um tempo pavoroso: fro de menos trnta graus, vento forte de pe. Na note precedente ao seu trunfo, Amundsen permanecera acordado por uma nfantl alegrla. Scott e seus companheros também não dormem, mas para eles, a nsônla é sofrda sob o- golpe de uma atroz decepção. Receam o da segunte, pos sabem que hão de encontrar amda provas de sua derrota. Com efeto, desde a partda uma sombra partda a estrada está assnalada por "carns (montfculos ou túmulos), trlhas fetas pelos trenós, vestígos que lhes avvam a decepção, arrancando a Scott êste grto, cansado pela monotona do planalto: Deus*meu, que horrível país! Como é desanmador haver penado tanto para aqu chegar e nso ser recompensado pela glóra de ser o prmero. Percorrem êsse "horrível país", modfcam a marcha para estarem seguros de reconhecer bem o lugar geográfco do pólo, permtem-se um coposo repasto a fm de celebrar o acontecmento, mas só encontram nas guaras um gosto amargo acrescdo anda por estar agora Scott persegudo pela déa da luta desesperada que o aguarda, a luta pelo regresso e que êle antevê em seu íntmo e que poderá ser uma derrota. ; Duas Cartas A 18 de janero, multplcamse as observações, retfca-se a stuação do Pólo e Bowers percebe uma barraca cudadosamente fechada. Cercam-na. Amundsen, sempre Amundsen... Curvando-se al penetra Scott O nteror está em perfeta ordem: roupas, nstrumentos de navegação e, num canto, duas manchás brancas. São duas cartas. Scott segura-as e constata, estupefato, que uma delas lhe é drígda! E a segunda mensagem que lhe enva seu rval, êsse homem que êle nunca vu e cuja calgrafa aparece agora a sua frente: "Caro Captão Scott. Ser certamente prmero vstante a vr «v depos d*»óe. Quera asar WÊ ^^^^^m^^^^^^^^^ê < Os homens de Scott. anmados de uma vontade férrea mas com a saúde mnada pelo fro. peta fome e pelo cansaço.^ vveram momentos de angústa que só fndaram com a morte. Cápsulas de ópo ajudaram-nos a suavzar os horrores da agona no nferno Branco. Esta expedção fo mas felz. Mas jã estávamos na época do avão t do rádo. nformar ao re da Noruega que nós vencemos. Atngmos o Pólo a 16 de dezembro de 1911". Relê a carta. Estava então com um mês de atraso, um mês de atraso sôbre Amundsen e, o que era agora mas grave, sôbre a estação que já preparava seus furações de neve e suas crués ondas de fro. Scott resolve apressar-se. Susplrando, coloca por sua vez um blhete na tenda, menconando sua passagem. Se êle desaparecesse, se não encontrassem sua mensagem, saber-se-a pelo menos que também vencera. Mas quando ousaram outros homens tentar anda marchar para o Pólo? Faz erguer um pequeno monumento prmtvo e al coloca a Unão Jack. Os cnco homens pousam para a fotografa rtual, uma fotografa trágca que revelará rostos trstes, abatdos pelo sofrmento e a má sorte. Salvo talvez Scott: éle empertga-se sob os olhares da Hstóra que estarão de futuro postos em sua pessoa; grtam seus traços a fadga, o desânmo, a agona, a loucura. Não têm força para esboçar um sorrso. Parecera ser já os espectadores da própra tragéda, da própra morte. Perde-se Scott no Labrnto de Gelo E* da mas alta mportânca avançarmos depressa. 168 qulômetros mas dstantes, a uma lattude de 87. Está bem atento em segur felmente os traços do trajeto de da, muta vez confunddos pela tempestade. Mas não é êste o sen únco culdado. O fro debltou muto dos de seus companheros: Evans e Oates. Camnhando, observa-os, arrastando as pernas geladas. Uns e outros emagreceram muto, mas Evans é o que mas o nqueta. Acha-se meo prostrado, fala pouco ou. se fala, é para pronuncar palavras desanmadas. Em breve avstaremos o fm do planalto dz-lhes Scott. A 23 de janero avstam uma bandera vermelha, a do prmero depósto. Cnco das mas tarde. é o depósto 87 que atngem. Uma semana depos, es enfm os montes Darwln e Buckley domnando a gelera Beardmore oue os conduzrá sôbre a Barrera. Wlson recolhe ao passar amstrás de carvão e de plantas fõsses. Retorna o otmsmo, mas, a 11 de feverero, devdo à má vsbldade, Scott perde-se e durante doze horas é realzada a busca num labrnto de gelo. Por vezes os cnco homens estacm, desamparados. Segur à dreta ou à esquerda? Avançam, bestam, recuanv retfcam o rumo e por fm encontram o camrho certo mas estão exaustos, rrtados pelo nútl atraso e bem resolvdos e evtar semelbp.r^os Esta frase, Scott a repete enquanto após três das de calma dmnuem anda. Por que? Ra- erros, tanto mas que as fô s relatva o vento enche o céu de ções mal compreenddas e «^al turblhões de neve. Prmero objetlvo: um depósto de vveres a ca sorte? Por certo as três cau- calculadas? Moral abatdo? Peu- 83 qulômetros, depos um outro. sas reundas. Morte Nas Geleras Evans contnua a ser o mas atngdo. O excesso de sofrmento parece arrunar-lhe o juízo. Durante uma camnhada, uma queda deve ter-lhe causado um traumatsmo na cabeça, dz o Doutor Wlson a Scott. O desgraçado arrasta-se e somente nas paradas junta-se aos seus companheros angustados que vem avançar o vulto hestante, na soldão trágca. A 17 de feverero, Scott, Bowers, Oates e Wlson param a fm de preparar o almoço. E Evans? Camnha atrás, muto dstancado. Crntam que chegue para a refeção. Jã beberam os últmos goles de um chá páldo e Evans não apareceu. Os homens nterrogam o horzonte e descobrem, a uma mlha, uma slhueta negra. Vou até lá, dz Scott. Deslsa rapdamente sôbre seus "sks" e se acha frente a Evens, móvel na neve, de joelhos, sem luvas, o olhar perddo. Não se o que tve, creo que desmae, murmura êle. Amparam-no. Dá alguns passos, torna a car. Que Oates fque ao seu lado ordena Scott Vamos buscar o trenó para conduz-lo. Quando retornam, Evans está desacordado. Na barraca, não recu-pera os sentdos. Não mas recuperará os sentdos. Morre à mea-note e mea. A Segur: ANTÁRTDA TÚMULO DE SCOTT: MAGNÍFl- CO MAUSOLÉU COM OUE NEM MFSMO UM; FARÃO SONHARA ; ". :, - jfej te J ÍlZ r-*.~r... " - aaí-í- * -.-." - -

20 j l j! m«b "Lanc" r * * * ++++*< CÈím ROTERO -..a Ll.r.c Das Madchcn Aus Dem Urwald. Flme saldo dos estúdos alemãs c dstrbuídos por uma companha do baso francesa ((frança Flmes). Trata-se dc uma hstóra desenrolada na Áfrca, com una "Deusa Branca" fazendo trepdar o coração de exploradores brancos. A dreção é de Eduard Von Borsody. A "deusa branca" é Marlon Mchel. Tudo fo rocado em cores. Nos cnemas Pathé, Caruso, Rcamar (novo cncn. naugurado na Avenda Copacabana, Posto 2), São José, Paralodos, Mauá, Alfa. Horáros: de 2 cm dante. No cnema Pathé a prmera sessão tem nco ao meo-da. "lha Sangrenta" The Camp On Btood stand. Flme na lnha das películas de pavor. A hstóra é desenrolada na Malaa, nos tempos da ocupação japonesa. Cenas fortes e brutas, fetas com o objetvo de emoconar as pateas. A dreção é dc Va Gucst, c o elenco nternaconal (contando com Carl Mohncr, André Morell, Edward Underdown e a bela atrz Anne Rdlcr. Nos cnemas Odeon, Alaska, Trajá, Mramar, Guanabara, Florano, Amerca c Colseu. Horáros: 2; 3,40; 7; 8,40 e 10,20 horas. "Tôdas as Mulheres São Mnhas" lo Pacclo. Uma sátra talana, drgda por Corgo Banch. A hstóra trata sôbre soros e hormônos (o ttulo cm português já nos dexa antever o que seja o flme...). Walter Char, Aldo Fabrz, Peppno De Flppo e Doran Gray estão no elenco. Nos cnemas Presdente, Aztecn, Art.Paláeo, Rvol, Rvlcra, Eskyo Tjuca, KSkyc MOcr, Rosaro. Horáros: 2, 4, 6, 8 e 10 horas. "Garras da Corrupção" Flme que fxa a corrupção em uma cdade amerlcana. Com um ar dc semdocumentáro, com base em fatos reas. No elenco estão Keth Andes, Maggle Hayes, Gene Evans e Lynn Bar. Nos cnemas mpéro, panema, Avenda, Madurera, Odeon (Nt.) e Capto- Uo (Pet.). Horáros: 2; 3,40; 5,20; 7; 7,40 e 10,20. "Bom Da Trsteza" % ^W"^ W. Cha r Bonjour, Trlstesse. Produção amercana (dreção e produção de Otto Premnger) baseada no romance (famoso) de Françose Sagan. Com Davd Nven, Deborah Kcrr e Jean Seberg. Nos cnemas Rex, Sâo.ulz, Caroca, Leblon e Ran. Horáros: 2, 4, 6, 8 e 10 horas. "As Sete Colnas dc Roma" Seven Hlls of Rome. Flme dc Maro Lanza; que canta c pensa nterpretar, rodado na tála, sob a dreçso de Roy Rowland. Renato Rasccl e Marsa Alaso estão no elenco. Nos cnemas Metro Passeo, Copacabana e Tjuca, c Pax, Paláco Hgenópols e São Bento (Nt). Horáros: 2, 4, 6, 8, e 10 horas. No Palaco Hgenópols: 3, 5, 7, e 9 horas. Xo Metro Passeo a prmera sessão tem nco ao meo da. "Vdas Sem Destno" Flme francês, com Françose Arnould e Jean Gabn. E uma hstóra de amor, com todos os ngretlcntes e todo o realsmo francos. Nos cnemas Vtóra, Copacabana, Botafogo, Bonsucesso. Abolção, Bclnur, Jardm. Horáros: 2, 4, 6, 8 e 10 horas. "Conte Cnco e Morra" Count Flve and Dle. Hstóra dc esponagem, com "suspensc" c crmes. Jeffrey Huntcr e Ngel Patrk são as prncpas fguras do elenco. Nos cnemas Paláco, Rox, Madrd, mperator. Horáros: , 8 e 10 horas, No cnema Paláco a prmera sessão tem nco ao meo da. "O Corsáro da Mea Lua" fwy»,» >» " "; *"."^"^ J. Derek Flme de avenl uras, rodado na tála, com um elenco comandado pelo norte-amercano John Derek e pcla lndíssma talana Ganna Mara Canale. E um flme de aventuras, em Cnemascope e Ferranacolor. Lutas, com cspadaehns mostrando sua destreza. Nos cnemas Plaza, Astóra, Olnda. Colonal, Popular, Mascote. Horáros: 2; 3,40; 5,20; 7; 8,40; e 10,20. No cnema Plaza a prmera sessão tem níco as 10 da manhã. ; VENEZA 1958; FLME JAPONÊS FO 0 MELHOR, E MELHORES FORAM SOPHA LOREN E EC GUENESS assm termna mas E um Festval Cnematográfco de Veneza, a mas antga manfestação cnematográfca. Anualmente, de agosto (25) a setembro (7). o Ldo de Veneza se transforma na captal mundal do cnema. Além das apresentações cnematográfcas, que são a própra essênca do Festval, o acontecmento sorve como um verdadero desfle de astros e "estréas" e homens dc cnema rm geral. Sopha Loren, até então consderada mesmo na tála como uma -estrêla" que baseou a sua fama no jex-appcl". recebeu a consagração máxma de sua vda ao Ranhar a Taça Volp destnada A melhor nterpretação femnna no - me amercano (Sopha 6 uma -estrela nternaconal) -The Black Orchd" (A orquídea negra). drgda por Martn Rtt. Enquanto o excelente ator nglês Alec Guness. que recebeu o últmo -Oscar- pela sua notável nterpretação no flme de Davd Lean "A ponte sobre o ro Kwa\ V..M.j-VHWgSSS~m\ s&s^y.-y: NOTAS E COMENTAROSDE, LU2 PO D EÁRROSc TAT Dt MO*>f5!ft#rf, rrí-jfrv/.. : r.y-sx-y n r. Êste ano Veneza brlhou, outra vez. E, na conces-.são geral dos prêmos, o "Leão de Ouro", prêmo máxmo, coube ao flme "Muhomatsu japonês no somo". do dretor Hrosh magak. Mas uma vez os japoèses, concorrentes seríssmos de todos os festvas, nos últmos nnos. levam a melhor. Um prêmo especal do júr fo conceddo a dos jovens dretores: o talano Fancesco Ros. através do flme "La Sfda" (O desafo) e o francês Lous Malle, através do lme "Los Amantes" (Os amantes). ganhou a Taça Volp Prêmo Pasnett. conceddo pelo Sndcato ta- destnada à melhor nterpretaçío masculna lano dos Jornalstas, a pelo sou trabalho cm um flme estrangero, ao The torsos Mouth"\ do flme alemão -Ftosemare". de Rols Thele. nglês Ronald Ncame. A marrom dos laürés Prêmo da Federação ofcas do Festval de talana dos Cne Clubes, Veneza, foram conceddos os prêmos seguncano. apresentado fora a um flme norte-anertos: da competção, na seção Prêmo da FPRESC «nlormatl va": fweddngs and Babes" (Federação nternaconal (Ca- da mprensa Cnematográfca), ao flme tcheco -Ulc Juna" (Armadlha de Lobos), de Jr Wess. Prêmo San Gorgo (destnado a um flme tratando de problemas socas e moras), ao fllme talano -La Jda". mmmmm ÉBÉm j &mm y&r m^y-^k $ Ã& 4k mwsfâmrw& &&LmmWkWmmm^mmWÊ^rk$r SM mmrjpbwê BS& > > r - ^m KPè-4 Mh&y.mWmt ^Ê^mT^^h^kWmBÊf ry^r. ^SB, ^aa&t^ - -r-^m-- * ^ Pt-V - ;* T - ^Hm BB. JÍ_0Qv:j &&:-.-r-.--sfc..* -> *yàr?hr AmmSm^mWmm m^l\ f^^<_&^m_fr:. «*" HlÍ " ÁmSmÊ Br ^^^^Àá^s^-T!^ ÀWXmrMAmmWmV-,.\*-y^^>*fej^AjML í mêèmm&a* Af^-mm & RHÜM/í" y -MMmWk: l wèêêmmãêmèêmw samentos e Cranças), de Morrs Engel. Prêmo da Crtca para a seção nformatva Smultrontallet" (O fm da Vagem), de ngmar Berman (Suéca), e -Weddngs and Babes"" (USA). ^g ^ mm^." r-y " h 2 f tm. l BuPP*^ %, m\^*^ -:J^ Mr uâr - &jsttm. mmm _? ~-. \* t& m mmmrm V-#^ % wm *À ^S& Mm\ "mt^ K fll Wf mfwêmw l K^^^ $f-_ ^^fcr.._mtm\ V#l A. vwk 1 f-v m\,» -\m m,t_m& Ws ^mw yy^m ^ ^ÊKTm^r jl -. ** " efês Jl BC GU1SESS. O notável ator nçlês fo o melhor na recente Mostra de Veneza. ^^^^rr^^^^^^^^^m&**ã^&z^õ&3 m ~-* ~ ^^yj^sfj.^?^^**^^^^^^r-?**_^s fsem&& s& Maurce Chevaler em Plena Atvdade Dos Flmes Para Lex Barker na Europa Lana Turner Emprestou Seu Famoso Suéter 7^_mÈF$G*kMmm mwêw- Maurce Chevaler está n^as ocupado do que nunca cm sua longa carrera. Agora va É ^m\wèmwmím mm!*?, 4 HOLL\"WOOD 1 p tomar parte ao lado de Luclle Bal, no grande show _wmw?tmt±màm3^ m^yy:- Ú Deslu, em 3 de outubro. Depos, tomará o avão pap ra Pars, onde va flmar "Can Can" para a 20th Con- Ú tury Fox e "The Blessn--;" para a Metro. <tt SOPHA LOREN. -Vu m flme norte-amercano venceu na própra tála um grande prêmo de nterpretação. COTAÇÃO D0*"DJA "LHA (The Camp on SANGRENTA" Blood sand) AÇÃO se passa nos últmos das da guerra no Pacfco. num campo de prsoneros na Malaa. Os A prsoneros são sortdos há ngleses, australanos, canadenses, chneses e, pnr últmo um amercano, todos eles padecendo sob a absurda crueldade de ofcas japoneses. Há cabeças decepadas, corpos modos a metraíhadcra, afogamentos, volamehtos e o mas, tudo com a ntenção muto óbva de arrepar os cabelos do espectador. Mas acontece, que o que fêz os cabelos arrenarem hã treze anos. hoje não produz o mesmo efeto. E depos, nesta íase em çue se procura esquecer ódos c rancores e estabelecer uma espéce de harmona entre os povos, por que êste flme, nstgando o ódo aos japonênes? E com que autordade pode algum membro dos Alados falar em crueldade npõnca, depcs de Hrojhma? Tudo sso tema o flme desagradável, penoso, constrangedor. Além dsso, com uma dreção que não se pode dzer que seja rum, mas que certamente é médocre, pouco sobra para o públco. Os atores (há pelo menos uns dez sósas de Peter Townsend) tampouco convencem. Um flme que melhor sera nunca ter sdo produzdo. Cotação: FRACO. PS TEVE Cochran e->tá tendo dfculdade em esquecer Sabrna, a beldade brtânca da TV londrna. E cs- P tá querendo contratá-la para estrelarem juntos numa hstóra de "gangstes" enttula- 0 da "The Mobster". O título, porém, f^5v ""< Ú terá que ser mudado para evtar 0 confusão com outro flme de ", % Cochran, Mobster". Ouv dzer í que Sabrna eslá dsposta a dzer "sm", p tr.nto às propostas dc traba- ^ lho como de casamento de Cochran. EX Barker. que estava pronto para voltar a Hollywood, quan- #.,. do.._ fracassou seu flme com Gna É Lollobrsda. va permanecer em p Roma. para tomar parte em duas "Ltar" p produções: e "Captam F- L. Barker p re", esta últma baseada na novela 0 de Lous Stenvenson. Permanecendo na Europa. Lex 0 pode fazer uma boa economa no seu mpónto de r^ renda. p 0 ««AUREEN Stapleton não poderá permanecer em Hollywood, gozando de féras como pretenda, P depos de termnar "Mss Lonelyhearts" para Dore r p Schary. Va começar a ensaar em 1. de outubro a g r^ nova peça de Sam Behrman, "The Warm Wnd and s ^ the Cold", a estrear na próxma temporada da Broap % dway. 5É % p /"kuanto a Schary* va dexar um pouco de lado sua Qlcompanha cnematográfca ndependente para es- «crever uma peça sôbre a sua famla. (.ANDO perguntaram a Mare McDonald qual era seu papel em "Gesha Boy" com Jerry Lews, em P Ú oue ela nterpreta uma estrela de cnema, explcou: "Represento Mare McDonald". 1 ANA Turner emprestou à Jovem Sandra Dee (16 j ll y..nos) o famoso suéter que usou quando começou a r^ sua carrera cnematográfca na mesma dade, em "They p Wont Forgef. Sandra faz o papel da flha de p ^ Lana em "mtação da Vda". Mas será que o suéter p Ú assentará tão bem em Sandra eomo assentou em Lana? íá msmm..\;-y ^my^^-yy^rjsf^^ mã^"

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES O Danel Slvera pedu para eu resolver mas questões do concurso da CEF. Vou usar como base a numeração do caderno foxtrot Vamos lá: 9) Se, ao descontar uma promssóra com valor de face de R$ 5.000,00, seu

Leia mais

Aplicando o método de mínimos quadrados ordinários, você encontrou o seguinte resultado: 1,2

Aplicando o método de mínimos quadrados ordinários, você encontrou o seguinte resultado: 1,2 Econometra - Lsta 3 - Regressão Lnear Múltpla Professores: Hedbert Lopes, Prscla Rbero e Sérgo Martns Montores: Gustavo Amarante e João Marcos Nusdeo QUESTÃO 1. Você trabalha na consultora Fazemos Qualquer

Leia mais

Oportunidades e desafios no mundo do aquecimento o setor tem crescido a cada ano, é verdade, mas continuar nesse ritmo

Oportunidades e desafios no mundo do aquecimento o setor tem crescido a cada ano, é verdade, mas continuar nesse ritmo -. -. - - - -- - -. ~- -- MERCADO -- -=-- - - -=-=-= - ---=- =-= - ~ Oportundades e desafos no mundo do aquecmento o setor tem crescdo a cada ano, é verdade, mas contnuar nesse rtmo requer a superação

Leia mais

Software. Guia do professor. Como comprar sua moto. Secretaria de Educação a Distância. Ministério da Ciência e Tecnologia. Ministério da Educação

Software. Guia do professor. Como comprar sua moto. Secretaria de Educação a Distância. Ministério da Ciência e Tecnologia. Ministério da Educação números e funções Gua do professor Software Como comprar sua moto Objetvos da undade 1. Aplcar o conceto de juros compostos; 2. Introduzr o conceto de empréstmo sob juros; 3. Mostrar aplcações de progressão

Leia mais

3. Take over: Termo do inglês que significa Adquirir. O termo indica a aquisição de uma companhia por outra mediante a assunção do controle acionário.

3. Take over: Termo do inglês que significa Adquirir. O termo indica a aquisição de uma companhia por outra mediante a assunção do controle acionário. 1. Tabela Prce: Tabela utlzada para a amortzação de dívda. As prestações calculadas dela têm um valor constante por todo o período de pagamento da dívda. 2. Tag along: Termo do nglês que sgnfca precfcar

Leia mais

Das ideias ao sucesso

Das ideias ao sucesso www.pwc.pt Das deas ao sucesso PwC Startup Portugal 1 mllon fund project Busness Plan FY 2014/2015 Crou recentemente uma empresa com forte capacdade de crescmento? Tem espírto empreendedor com deas novadoras?

Leia mais

Introdução e Organização de Dados Estatísticos

Introdução e Organização de Dados Estatísticos II INTRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE DADOS ESTATÍSTICOS 2.1 Defnção de Estatístca Uma coleção de métodos para planejar expermentos, obter dados e organzá-los, resum-los, analsá-los, nterpretá-los e deles extrar

Leia mais

Organização da Aula. Gestão de Obras Públicas. Aula 2. Projeto de Gestão de Obras Públicas Municipais. Contextualização

Organização da Aula. Gestão de Obras Públicas. Aula 2. Projeto de Gestão de Obras Públicas Municipais. Contextualização Gestão de Obras Públcas Aula 2 Profa. Elsamara Godoy Montalvão Organzação da Aula Tópcos que serão abordados na aula Admnstração e Gestão Muncpal Problemas Admnstração e Gestão Muncpal Gestão do Conhecmento

Leia mais

Regressão e Correlação Linear

Regressão e Correlação Linear Probabldade e Estatístca I Antono Roque Aula 5 Regressão e Correlação Lnear Até o momento, vmos técncas estatístcas em que se estuda uma varável de cada vez, estabelecendo-se sua dstrbução de freqüêncas,

Leia mais

Hansard OnLine. Guia Unit Fund Centre

Hansard OnLine. Guia Unit Fund Centre Hansard OnLne Gua Unt Fund Centre Índce Págna Introdução ao Unt Fund Centre (UFC) 3 Usando fltros do fundo 4-5 Trabalhando com os resultados do fltro 6 Trabalhando com os resultados do fltro Preços 7 Trabalhando

Leia mais

TEORIA DE ERROS * ERRO é a diferença entre um valor obtido ao se medir uma grandeza e o valor real ou correto da mesma.

TEORIA DE ERROS * ERRO é a diferença entre um valor obtido ao se medir uma grandeza e o valor real ou correto da mesma. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE FÍSICA AV. FERNANDO FERRARI, 514 - GOIABEIRAS 29075-910 VITÓRIA - ES PROF. ANDERSON COSER GAUDIO FONE: 4009.7820 FAX: 4009.2823

Leia mais

! Superlntenrlencia Reg.onaJ do Ma:toGro$So. Qualificação e Reinserção Profissional dos Resgatados do Trabalho Escravo elou em AÇÃO INTEGRADA

! Superlntenrlencia Reg.onaJ do Ma:toGro$So. Qualificação e Reinserção Profissional dos Resgatados do Trabalho Escravo elou em AÇÃO INTEGRADA ",, 1," ;,,," 1, C?5lMnstérO Públco do "':'1"') Trabalho PRT 23,! Superlntenrlenca RegonaJ do Ma:toGro$So!! (', ' \_ \ '1 j t t' 1 PROJETO: Qualfcação e Renserção Profssonal dos Resgatados do Trabalho

Leia mais

REGULAMENTO GERAL (Modalidades 1, 2, 3 e 4)

REGULAMENTO GERAL (Modalidades 1, 2, 3 e 4) REGULAMENTO GERAL (Modaldades 1, 2, 3 e 4) 1. PARTICIPAÇÃO 1.1 Podem concorrer ao 11º Prêmo FIEB de Desempenho Socoambental da Indústra Baana empresas do setor ndustral nas categoras MICRO E PEQUENO, MÉDIO

Leia mais

Objetivos da aula. Essa aula objetiva fornecer algumas ferramentas descritivas úteis para

Objetivos da aula. Essa aula objetiva fornecer algumas ferramentas descritivas úteis para Objetvos da aula Essa aula objetva fornecer algumas ferramentas descrtvas útes para escolha de uma forma funconal adequada. Por exemplo, qual sera a forma funconal adequada para estudar a relação entre

Leia mais

Hoje não tem vitamina, o liquidificador quebrou!

Hoje não tem vitamina, o liquidificador quebrou! A U A UL LA Hoje não tem vtamna, o lqudfcador quebrou! Essa fo a notíca dramátca dada por Crstana no café da manhã, lgeramente amenzada pela promessa de uma breve solução. - Seu pa dsse que arruma à note!

Leia mais

Indice. Capa...pág. 1. Indice...pád. 2. Notas Introdutórias (por Carlos Carvalho)...pág. 3 e 4. Projecto LaciOS (por Fernando Couto)...pág.

Indice. Capa...pág. 1. Indice...pád. 2. Notas Introdutórias (por Carlos Carvalho)...pág. 3 e 4. Projecto LaciOS (por Fernando Couto)...pág. P r me r ae d ç ã o J a n e r od e2 0 1 4 No t í c a s d omu n d ol n u xn al í n g u ap o r t u g u e s a Indce Capa...pág. 1 Indce...pád. 2 Notas Introdutóras (por Carlos Carvalho)...pág. 3 e 4 Projecto

Leia mais

Nota Técnica Médias do ENEM 2009 por Escola

Nota Técnica Médias do ENEM 2009 por Escola Nota Técnca Médas do ENEM 2009 por Escola Crado em 1998, o Exame Naconal do Ensno Médo (ENEM) tem o objetvo de avalar o desempenho do estudante ao fm da escolardade básca. O Exame destna-se aos alunos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3259 RESOLVEU:

RESOLUÇÃO Nº 3259 RESOLVEU: Resolução nº 3259, de 28 de janero de 2005. RESOLUÇÃO Nº 3259 Altera o dreconamento de recursos captados em depóstos de poupança pelas entdades ntegrantes do Sstema Braslero de Poupança e Empréstmo (SBPE).

Leia mais

d o m i c i l i a r, d o m i c i l i o m i c i l i s o b r e s o b r e s o b r e a d

d o m i c i l i a r, d o m i c i l i o m i c i l i s o b r e s o b r e s o b r e a d s t a d o m c l a r, s o b r e c s t a d o m c l a r, s o b r e c s t a d o m c l a r, s o b r e c Marcos hstórcos: 1993 1996 2004 Objetvo da Pastoral da Pessoa Idosa A Pastoral da Pessoa Idosa tem por

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO MÉTODO DE TAGUCHI NA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE PROJETOS. Uma equação simplificada para se determinar o lucro de uma empresa é:

UTILIZAÇÃO DO MÉTODO DE TAGUCHI NA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE PROJETOS. Uma equação simplificada para se determinar o lucro de uma empresa é: UTILIZAÇÃO DO MÉTODO DE TAGUCHI A REDUÇÃO DOS CUSTOS DE PROJETOS Ademr José Petenate Departamento de Estatístca - Mestrado em Qualdade Unversdade Estadual de Campnas Brasl 1. Introdução Qualdade é hoje

Leia mais

Y X Baixo Alto Total Baixo 1 (0,025) 7 (0,175) 8 (0,20) Alto 19 (0,475) 13 (0,325) 32 (0,80) Total 20 (0,50) 20 (0,50) 40 (1,00)

Y X Baixo Alto Total Baixo 1 (0,025) 7 (0,175) 8 (0,20) Alto 19 (0,475) 13 (0,325) 32 (0,80) Total 20 (0,50) 20 (0,50) 40 (1,00) Bussab&Morettn Estatístca Básca Capítulo 4 Problema. (b) Grau de Instrução Procedênca º grau º grau Superor Total Interor 3 (,83) 7 (,94) (,) (,33) Captal 4 (,) (,39) (,) (,3) Outra (,39) (,7) (,) 3 (,3)

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

PROJEÇÕES POPULACIONAIS PARA OS MUNICÍPIOS E DISTRITOS DO CEARÁ

PROJEÇÕES POPULACIONAIS PARA OS MUNICÍPIOS E DISTRITOS DO CEARÁ GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E GESTÃO - SEPLAG INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ - IPECE NOTA TÉCNICA Nº 29 PROJEÇÕES POPULACIONAIS PARA OS MUNICÍPIOS E DISTRITOS

Leia mais

Análise Econômica da Aplicação de Motores de Alto Rendimento

Análise Econômica da Aplicação de Motores de Alto Rendimento Análse Econômca da Aplcação de Motores de Alto Rendmento 1. Introdução Nesta apostla são abordados os prncpas aspectos relaconados com a análse econômca da aplcação de motores de alto rendmento. Incalmente

Leia mais

NORMAS DE SELEÇÃO AO DOUTORADO

NORMAS DE SELEÇÃO AO DOUTORADO 1. INSCRIÇÕES PARA SELEÇÃO 1.1. Para a Área de Irrgação e Drenagem Poderão nscrever-se canddatos formados em Engenhara Agrícola, Agronoma, Meteorologa e demas Engenharas, ou em outras áreas afns a crtéro

Leia mais

NOTA II TABELAS E GRÁFICOS

NOTA II TABELAS E GRÁFICOS Depto de Físca/UFMG Laboratóro de Fundamentos de Físca NOTA II TABELAS E GRÁFICOS II.1 - TABELAS A manera mas adequada na apresentação de uma sére de meddas de um certo epermento é através de tabelas.

Leia mais

Controle de Ponto Eletrônico. Belo Horizonte

Controle de Ponto Eletrônico. Belo Horizonte Controle de Ponto Eletrônco da Câmara Muncpal de Belo Horzonte Instrutor: André Mafa Latn DIVPES agosto de 2010 Objetvo Informar sobre o preenchmento da folha de frequênca; Facltar o trabalho das chefas;

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO Nº 488, DE 29 DE AGOSTO DE 2002

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO Nº 488, DE 29 DE AGOSTO DE 2002 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO Nº 488, DE 29 DE AGOSTO DE 2002 Regulamenta o estabelecdo na Resolução CNPE n 7, de 21 de agosto de 2002, aprovada pela Presdênca da Repúblca em 22

Leia mais

CAMARÁ MUNICIPAL DE FORTALEZA

CAMARÁ MUNICIPAL DE FORTALEZA PROJETQ DE DECRETO LEGISLATIVO /2015. "Concede o título de cdadãl de Fortaleza ao artsta plástco Ramundo Pnhero Pedrosa, conhecdo como Bruno Pedrosa". A CAMARÁ MUNICIPAL DE FORTALEZA DECRETA: Art. 1 -

Leia mais

A Matemática Financeira nos Financiamentos Habitacionais

A Matemática Financeira nos Financiamentos Habitacionais 2013: Trabalho de Conclusão de Curso do Mestrado Profssonal em Matemátca - PROFMAT Unversdade Federal de São João del-re - UFSJ Socedade Braslera de Matemátca - SBM A Matemátca Fnancera nos Fnancamentos

Leia mais

Câmara Municipal d.~rio Claro

Câmara Municipal d.~rio Claro Câmara Muncpal d.~ro Claro Estado d e 5ão Pau o ~ ORDEM DO DA N 45/2014 Sessão Ordnára - 24J11/2014 1-2 8 Dscussão da PROPOSTA DE EMENDA À LE ORGÂNCA N 04/2014 - PREFETO MUNCPAL - Altera o artgo 139 da

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CCSA - Centro de Ciências Sociais e Aplicadas Curso de Economia

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CCSA - Centro de Ciências Sociais e Aplicadas Curso de Economia CCSA - Centro de Cêncas Socas e Aplcadas Curso de Economa ECONOMIA REGIONAL E URBANA Prof. ladmr Fernandes Macel LISTA DE ESTUDO. Explque a lógca da teora da base econômca. A déa que sustenta a teora da

Leia mais

Audiência Pública Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática Câmara dos Deputados

Audiência Pública Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática Câmara dos Deputados Audênca Públca Comssão de Cênca e Tecnologa, Comuncação e Informátca Câmara dos Deputados Superntendente de Servços Prvados Brasíla, 11 de julho de 2007 AGENDA 1 2 3 4 DEFINIÇÕES DA LGT REGULAMENTAÇÃO

Leia mais

Professor Mauricio Lutz CORRELAÇÃO

Professor Mauricio Lutz CORRELAÇÃO Professor Maurco Lutz 1 CORRELAÇÃO Em mutas stuações, torna-se nteressante e útl estabelecer uma relação entre duas ou mas varáves. A matemátca estabelece város tpos de relações entre varáves, por eemplo,

Leia mais

CQ110 : Princípios de FQ

CQ110 : Princípios de FQ CQ110 : Prncípos de FQ CQ 110 Prncípos de Físco Químca Curso: Farmáca Prof. Dr. Marco Vdott mvdott@ufpr.br Potencal químco, m potencal químco CQ110 : Prncípos de FQ Propredades termodnâmcas das soluções

Leia mais

Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Cálculo do Conceito Preliminar de Cursos de Graduação

Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Cálculo do Conceito Preliminar de Cursos de Graduação Mnstéro da Educação Insttuto Naconal de Estudos e Pesqusas Educaconas Aníso Texera Cálculo do Conceto Prelmnar de Cursos de Graduação Nota Técnca Nesta nota técnca são descrtos os procedmentos utlzados

Leia mais

www.halten.com.br 21-3095-6006

www.halten.com.br 21-3095-6006 NÍVEL: BÁSCO www.halten.com.br 21-3095-6006 ASSUNTO:CUROSDADES SOBRE RAOS E PROTEÇÃO O QUE É O RAO? O RAO É UM FENÔMENO DA NATUREZA, ALEATÓRO E MPREVSÍVEL. É COMO SE FOSSE UM CURTO CRCUÍTO ENTRE A NUVEM

Leia mais

TERMO DE CONTRATO N 001/2014 - CMM

TERMO DE CONTRATO N 001/2014 - CMM \1erra do guaraná" TERMO DE CONTRATO N 001/2014 - CMM CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ACESSO A INTERNET VIA SATÉLITE ATRAVÉS DE LINK DEDICADO, QUE ENTRE SI FAZEM A CÂMRA MUNICIPAL DE MAUÉS E A EMPRESA C H M

Leia mais

Elaboração: Fevereiro/2008

Elaboração: Fevereiro/2008 Elaboração: Feverero/2008 Últma atualzação: 19/02/2008 E ste Caderno de Fórmulas tem por objetvo esclarecer aos usuáros a metodologa de cálculo e os crtéros de precsão utlzados na atualzação das Letras

Leia mais

.- >. , '. expedidos por estabelecimentos estrangeiros de ensino superior no âmbito I desta Universidade e;

.- >. , '. expedidos por estabelecimentos estrangeiros de ensino superior no âmbito I desta Universidade e; , UNVERS Fundaçso nsttu(da RESOLUÇÃO NO.^&. >., '. nsttu normas para revaldação a) 7. c),) de dplomas de graduação t

Leia mais

O migrante de retorno na Região Norte do Brasil: Uma aplicação de Regressão Logística Multinomial

O migrante de retorno na Região Norte do Brasil: Uma aplicação de Regressão Logística Multinomial O mgrante de retorno na Regão Norte do Brasl: Uma aplcação de Regressão Logístca Multnomal 1. Introdução Olavo da Gama Santos 1 Marnalva Cardoso Macel 2 Obede Rodrgues Cardoso 3 Por mgrante de retorno,

Leia mais

Sistemas Robóticos. Sumário. Introdução. Introdução. Navegação. Introdução Onde estou? Para onde vou? Como vou lá chegar?

Sistemas Robóticos. Sumário. Introdução. Introdução. Navegação. Introdução Onde estou? Para onde vou? Como vou lá chegar? Sumáro Sstemas Robótcos Navegação Introdução Onde estou? Para onde vou? Como vou lá chegar? Carlos Carreto Curso de Engenhara Informátca Ano lectvo 2003/2004 Escola Superor de Tecnologa e Gestão da Guarda

Leia mais

1 a Lei de Kirchhoff ou Lei dos Nós: Num nó, a soma das intensidades de correntes que chegam é igual à soma das intensidades de correntes que saem.

1 a Lei de Kirchhoff ou Lei dos Nós: Num nó, a soma das intensidades de correntes que chegam é igual à soma das intensidades de correntes que saem. Les de Krchhoff Até aqu você aprendeu técncas para resolver crcutos não muto complexos. Bascamente todos os métodos foram baseados na 1 a Le de Ohm. Agora você va aprender as Les de Krchhoff. As Les de

Leia mais

Equipas Educativas Para uma nova organização da escola. João Formosinho Joaquim Machado

Equipas Educativas Para uma nova organização da escola. João Formosinho Joaquim Machado Equpas Educatvas Para uma nova organzação da escola João Formosnho Joaqum Machado TRANSFORMAÇÕES NA ESCOLA BÁSICA TRANSFORMAÇÕES NA ESCOLA BÁSICA A expansão escolar e a mplementação das polítcas de nclusão

Leia mais

Despacho Econômico de. Sistemas Termoelétricos e. Hidrotérmicos

Despacho Econômico de. Sistemas Termoelétricos e. Hidrotérmicos Despacho Econômco de Sstemas Termoelétrcos e Hdrotérmcos Apresentação Introdução Despacho econômco de sstemas termoelétrcos Despacho econômco de sstemas hdrotérmcos Despacho do sstema braslero Conclusões

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 00 ODELOS ATEÁTICOS E CONSUO DE ENERGIA ELÉTRICA Clece de Cássa Franco Cdade Centro Unverstáro Francscano klleyce@hotmal.com Leandra Anversa Foreze Centro Unverstáro Francscano

Leia mais

ANEXO II METODOLOGIA E CÁLCULO DO FATOR X

ANEXO II METODOLOGIA E CÁLCULO DO FATOR X ANEXO II Nota Técnca nº 256/2009-SRE/ANEEL Brasíla, 29 de julho de 2009 METODOLOGIA E ÁLULO DO FATOR X ANEXO II Nota Técnca n o 256/2009 SRE/ANEEL Em 29 de julho de 2009. Processo nº 48500.004295/2006-48

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 32/2014/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da Universidade Federal de Sergipe, no uso de suas atribuições legais,

RESOLUÇÃO Nº 32/2014/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da Universidade Federal de Sergipe, no uso de suas atribuições legais, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 32/2014/CONEPE Aprova as Normas Geras do Processo Seletvo para

Leia mais

Processos participativos na estratégia para a redução da pobreza

Processos participativos na estratégia para a redução da pobreza Processos partcpatvos na estratéga para a redução da pobreza Conteúdo J. Edgerton, K. McClean, C. Robb, P. Shah e S. Tkare Resumo 1. Introdução 1.1 Defnções 1.2 Que são abordagens partcpatvas? 1.3 Fundamento

Leia mais

Associação de resistores em série

Associação de resistores em série Assocação de resstores em sére Fg.... Na Fg.. está representada uma assocação de resstores. Chamemos de I, B, C e D. as correntes que, num mesmo nstante, passam, respectvamente pelos pontos A, B, C e D.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA - CONFEA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA - CONFEA Protocolo 428712010 12/11/2010 17:09 SERVÇO PÚBLCO FEDERAL CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARA, ARQUTETURA E AGRONOMA - CONFEA REUNÃO EXTRAORDNÁRA DA COORDENADORA DE CÂMARAS ESPECALZADAS DE ENGENHARA NDUSTRAL

Leia mais

Curso de especialização em Finanças e Economia Disciplina: Incerteza e Risco Prof: Sabino da Silva Porto Júnior Sabino@ppge.ufrgs.

Curso de especialização em Finanças e Economia Disciplina: Incerteza e Risco Prof: Sabino da Silva Porto Júnior Sabino@ppge.ufrgs. Incerteza: o básco Curso de especalzação em Fnanças e Economa Dscplna: Incerteza e Rsco Prof: Sabno da Slva Porto Júnor Sabno@ppge.ufrgs.br Introdução Até agora: conseqüêncas das escolhas dos consumdores

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UnilesteMG

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UnilesteMG 1 CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UnlesteMG Dscplna: Introdução à Intelgênca Artfcal Professor: Luz Carlos Fgueredo GUIA DE LABORATÓRIO LF. 01 Assunto: Lógca Fuzzy Objetvo: Apresentar o

Leia mais

Boletim Informativo Eletrónico da EAPN Portugal abril 2011_2

Boletim Informativo Eletrónico da EAPN Portugal abril 2011_2 Boletm Informatvo Eletrónco da EAPN Portugal abrl 2011_2 E U R O P A A proposta de resolução aprovada pelo Parlamento Europeu, no da 09 de março, refere que a Unão Europea deve ntroduzr normas vnculatvas

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DA PRODUTIVIDADE SETORIAL DO TRABALHO ENTRE OS ESTADOS BRASILEIROS: DECOMPOSIÇÕES USANDO O MÉTODO ESTRUTURAL- DIFERENCIAL,

ANÁLISE COMPARATIVA DA PRODUTIVIDADE SETORIAL DO TRABALHO ENTRE OS ESTADOS BRASILEIROS: DECOMPOSIÇÕES USANDO O MÉTODO ESTRUTURAL- DIFERENCIAL, ANÁLISE COMPARATIVA DA PRODUTIVIDADE SETORIAL DO TRABALHO ENTRE OS ESTADOS BRASILEIROS: DECOMPOSIÇÕES USANDO O MÉTODO ESTRUTURAL- DIFERENCIAL, 1980/2000 2 1. INTRODUÇÃO 2 2. METODOLOGIA 3 3. ANÁLISE COMPARATIVA

Leia mais

Está na hora de criar normas para a sustentabilidade...

Está na hora de criar normas para a sustentabilidade... Está na hora de crar normas para a sustentabldade... E mostrar ao mercado quão ecológcos são os seus produtos. Apresentamos a UL Meo Ambente, uma nova fonte de valdação ndependente para alegações ecológcas,

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS CICLOS DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE DA FCT- UNL. Normas Regulamentares PREÂMBULO

REGULAMENTO GERAL DOS CICLOS DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE DA FCT- UNL. Normas Regulamentares PREÂMBULO REGULAMENTO GERAL DOS CICLOS DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE DA FCT- UNL Normas Regulamentares PREÂMBULO O regulamento geral dos cclos de estudos conducentes ao grau de Mestre da FCT-UNL organza,

Leia mais

Eletricidade 3. Campo Elétrico 8. Energia Potencial Elétrica 10. Elementos de Um Circuito Elétrico 15. Elementos de Um Circuito Elétrico 20

Eletricidade 3. Campo Elétrico 8. Energia Potencial Elétrica 10. Elementos de Um Circuito Elétrico 15. Elementos de Um Circuito Elétrico 20 1 3º Undade Capítulo XI Eletrcdade 3 Capítulo XII Campo Elétrco 8 Capítulo XIII Energa Potencal Elétrca 10 Capítulo XIV Elementos de Um Crcuto Elétrco 15 Capítulo XV Elementos de Um Crcuto Elétrco 20 Questões

Leia mais

JUROS: CONCEITOS E APLICAÇÕES. (moreirafrmat@hotmail.com) RESUMO

JUROS: CONCEITOS E APLICAÇÕES. (moreirafrmat@hotmail.com) RESUMO JUROS: CONCEITOS E APLICAÇÕES Fernando Rcardo Morera 1, Esdras Texera Costa 2, Rodrgo Couto Santos 3, Wendy Carnello Ferrera 4, Chrstan Das Cabacnha 5 1 Professor Mestre do Curso de Matemátca da Unversdade

Leia mais

7.4 Precificação dos Serviços de Transmissão em Ambiente Desregulamentado

7.4 Precificação dos Serviços de Transmissão em Ambiente Desregulamentado 64 Capítulo 7: Introdução ao Estudo de Mercados de Energa Elétrca 7.4 Precfcação dos Servços de Transmssão em Ambente Desregulamentado A re-estruturação da ndústra de energa elétrca que ocorreu nos últmos

Leia mais

As tabelas resumem as informações obtidas da amostra ou da população. Essas tabelas podem ser construídas sem ou com perda de informações.

As tabelas resumem as informações obtidas da amostra ou da população. Essas tabelas podem ser construídas sem ou com perda de informações. 1. TABELA DE DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIA As tabelas resumem as normações obtdas da amostra ou da população. Essas tabelas podem ser construídas sem ou com perda de normações. As tabelas sem perda de normação

Leia mais

TRABALHADORES COM DEFICIÊNCIAS EM LINHAS DE PRODUÇÃO: MODELOS, RESULTADOS E DISCUSSÕES 1

TRABALHADORES COM DEFICIÊNCIAS EM LINHAS DE PRODUÇÃO: MODELOS, RESULTADOS E DISCUSSÕES 1 XIV ELAVIO El Fuerte Snaloa Méxco 9-14 de agosto de 2009 TRABALHADORES COM DEFICIÊNCIAS EM LINHAS DE PRODUÇÃO: MODELOS RESULTADOS E DISCUSSÕES 1 Mayron César de O. Morera Lana Mara R. Santos Alysson M.

Leia mais

NOTIFICAÇÃO JUDICIAL. ÁLVARO V1LLAÇA. \ZE\T.DO advogados associados EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA

NOTIFICAÇÃO JUDICIAL. ÁLVARO V1LLAÇA. \ZE\T.DO advogados associados EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA ÁLVARO V1LLAÇA. \ZE\T.DO advogados assocados EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA JUDICIAL DA COMARCA DE IBIUNA. TAYNÁ COMERCIAL LTDA.. com sede na Rua Padre José Garzott, n 296, CEP 04806-000,

Leia mais

Filipa Vacondeus. Não sou chefe. Sou uma dona de casa que aprendeu com o tempo

Filipa Vacondeus. Não sou chefe. Sou uma dona de casa que aprendeu com o tempo Entrevsta Pág: 34 Área: 24,78 x 33,59 cm² Corte: 1 de 5 Flpa Vacondeus. Não sou chefe. Sou uma dona de casa que aprendeu com o tempo A senhora que faz dos restos pratos maravlhosos tem um novo lvro que

Leia mais

GST0045 MATEMÁTICA FINANCEIRA

GST0045 MATEMÁTICA FINANCEIRA GST0045 MATEMÁTICA FINANCEIRA Concetos Báscos e Smbologa HP-12C Prof. Antono Sérgo A. do Nascmento asergo@lve.estaco.br GST0045 Matemátca Fnancera 2 Valor do dnhero no tempo q O dnhero cresce no tempo

Leia mais

O MODELO IS/LM: PEQUENA ECONOMIA ABERTA COM MOEDA PRÓPRIA

O MODELO IS/LM: PEQUENA ECONOMIA ABERTA COM MOEDA PRÓPRIA O MODELO IS/LM: PEQUENA ECONOMIA ABERTA COM MOEDA PRÓPRIA Vtor Manuel Carvalho 1G202 Macroeconoma I Ano lectvo 2008/09 Uma pequena economa aberta é uma economa para a qual o mercado externo, tanto a nível

Leia mais

ACÓRDÃO. Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete Des. JORGE RIBEIRO NÓBREGA

ACÓRDÃO. Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete Des. JORGE RIBEIRO NÓBREGA 1 Poder Judcáro Trbunal de Justça da Paraíba Gabnete Des. JORGE RIBEIRO NÓBREGA ACÓRDÃO EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N. 888.200.2005.019.401-41001 Orundo da 7a Vara da Fazenda Públca da Comarca da Captal RELATOR

Leia mais

Estatística stica Descritiva

Estatística stica Descritiva AULA1-AULA5 AULA5 Estatístca stca Descrtva Prof. Vctor Hugo Lachos Davla oo que é a estatístca? Para mutos, a estatístca não passa de conjuntos de tabelas de dados numércos. Os estatístcos são pessoas

Leia mais

ESPELHOS E LENTES ESPELHOS PLANOS

ESPELHOS E LENTES ESPELHOS PLANOS ESPELHOS E LENTES 1 Embora para os povos prmtvos os espelhos tvessem propredades mágcas, orgem de lendas e crendces que estão presentes até hoje, para a físca são apenas superfíces poldas que produzem

Leia mais

O novo mi gou hoje as su Realizou-sc, hoje, a cerimónia da entrega das credenciais do novo ministro da Romania cm Lisboa, sr. Lucicn " REPUBLICA "

O novo mi gou hoje as su Realizou-sc, hoje, a cerimónia da entrega das credenciais do novo ministro da Romania cm Lisboa, sr. Lucicn  REPUBLICA " REPUBLCA " 18 Ma 1938 O novo m gou hoje as su Realzou-sc, hoje, a cermóna da entrega das credencas do novo mnstro da Romana cm Lsboa, sr. Luccn Blaga. Aquele dplomata chegou ás 15 horas ao Paláco de

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Escolha do Consumidor sob condições de Risco e de Incerteza

Escolha do Consumidor sob condições de Risco e de Incerteza 9/04/06 Escolha do Consumdor sob condções de Rsco e de Incerteza (Capítulo 7 Snyder/Ncholson e Capítulo Varan) Turma do Prof. Déco Kadota Dstnção entre Rsco e Incerteza Na lteratura econômca, a prmera

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

Ciências Física e química

Ciências Física e química Dretos Exclusvos para o autor: rof. Gl Renato Rbero Gonçalves CMB- Colégo Mltar de Brasíla Reservados todos os dretos. É probda a duplcação ou reprodução desta aula, com ou sem modfcações (plágo) no todo

Leia mais

AT.'YJOAOES DA CNEN NA AREA DE INSTRUMENTAÇÃO c CONTROLE. Hilton A, de f-felld. 1. - Generalidades sobre o Projeto de Instrumentação e Controle

AT.'YJOAOES DA CNEN NA AREA DE INSTRUMENTAÇÃO c CONTROLE. Hilton A, de f-felld. 1. - Generalidades sobre o Projeto de Instrumentação e Controle AT.'YJOAOES DA CNEN NA AREA DE INSTRUMENTAÇÃO c CONTROLE Hlton A, de f-felld 1. - Generaldades sobre o Projeto de Instrumentação e Controle A area de Instrumentação é Controle ê de vtal mportânca para.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA ANEXO l TERMO DE REFERÊNCIA (Ofíco n. 077/2013-GDJAFS) PISO LAMINADO - CARPETE DE MADEIRA 1. DOOBJETO O presente Termo tem por objetvo a aqusção e nstalação de pso lamnado do tpo carpete de madera numa

Leia mais

I. Introdução. inatividade. 1 Dividiremos a categoria dos jovens em dois segmentos: os jovens que estão em busca do primeiro emprego, e os jovens que

I. Introdução. inatividade. 1 Dividiremos a categoria dos jovens em dois segmentos: os jovens que estão em busca do primeiro emprego, e os jovens que DESEMPREGO DE JOVENS NO BRASIL I. Introdução O desemprego é vsto por mutos como um grave problema socal que vem afetando tanto economas desenvolvdas como em desenvolvmento. Podemos dzer que os índces de

Leia mais

3ª AULA: ESTATÍSTICA DESCRITIVA Medidas Numéricas

3ª AULA: ESTATÍSTICA DESCRITIVA Medidas Numéricas PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EGEHARIA DE TRASPORTES E GESTÃO TERRITORIAL PPGTG DEPARTAMETO DE EGEHARIA CIVIL ECV DISCIPLIA: TGT41006 FUDAMETOS DE ESTATÍSTICA 3ª AULA: ESTATÍSTICA DESCRITIVA Meddas umércas

Leia mais

Prof. Benjamin Cesar. Onde a(n, i) é o fator de valor atual de uma série de pagamentos. M: montante da renda na data do último depósito.

Prof. Benjamin Cesar. Onde a(n, i) é o fator de valor atual de uma série de pagamentos. M: montante da renda na data do último depósito. Matemátca Fnancera Rendas Certas Prof. Benjamn Cesar Sére de Pagamentos Unforme e Peródca. Rendas Certas Anudades. É uma sequênca de n pagamentos de mesmo valor P, espaçados de um mesmo ntervalo de tempo

Leia mais

1 Princípios da entropia e da energia

1 Princípios da entropia e da energia 1 Prncípos da entropa e da energa Das dscussões anterores vmos como o conceto de entropa fo dervado do conceto de temperatura. E esta últma uma conseqüênca da le zero da termodnâmca. Dentro da nossa descrção

Leia mais

Exercícios de Física. Prof. Panosso. Fontes de campo magnético

Exercícios de Física. Prof. Panosso. Fontes de campo magnético 1) A fgura mostra um prego de ferro envolto por um fo fno de cobre esmaltado, enrolado mutas vezes ao seu redor. O conjunto pode ser consderado um eletroímã quando as extremdades do fo são conectadas aos

Leia mais

Eletricidade 3 Questões do ENEM. 8. Campo Elétrico 11 Questões do ENEM 13. Energia Potencial Elétrica 15 Questões do ENEM 20

Eletricidade 3 Questões do ENEM. 8. Campo Elétrico 11 Questões do ENEM 13. Energia Potencial Elétrica 15 Questões do ENEM 20 1 4º Undade Capítulo XIII Eletrcdade 3 Questões do ENEM. 8 Capítulo XIV Campo Elétrco 11 Questões do ENEM 13 Capítulo XV Energa Potencal Elétrca 15 Questões do ENEM 20 Capítulo XVI Elementos de Um Crcuto

Leia mais

CAPÍTULO 1 Exercícios Propostos

CAPÍTULO 1 Exercícios Propostos CAPÍTULO 1 Exercícos Propostos Atenção: Na resolução dos exercícos consderar, salvo menção em contráro, ano comercal de das. 1. Qual é a taxa anual de juros smples obtda em uma aplcação de $1.0 que produz,

Leia mais

Termodinâmica e Termoquímica

Termodinâmica e Termoquímica Termodnâmca e Termoquímca Introdução A cênca que trata da energa e suas transformações é conhecda como termodnâmca. A termodnâmca fo a mola mestra para a revolução ndustral, portanto o estudo e compreensão

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. 1 Segundo Menezes-Filho (2001), brasileiros com ensino fundamental completo ganham, em média, três vezes

1 INTRODUÇÃO. 1 Segundo Menezes-Filho (2001), brasileiros com ensino fundamental completo ganham, em média, três vezes A amplação da jornada escolar melhora o desempenho acadêmco dos estudantes? Uma avalação do programa Escola de Tempo Integral da rede públca do Estado de São Paulo 1 INTRODUÇÃO O acesso à educação é uma

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI UFPI APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO I Prof. Wllam Morán UFPI PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA II: Prof. Wllam Morán 2 Problema 1: O gráfco PERT fo preparado no níco de um

Leia mais

CAPÍTULO VI Introdução ao Método de Elementos Finitos (MEF)

CAPÍTULO VI Introdução ao Método de Elementos Finitos (MEF) PMR 40 - Mecânca Computaconal CAPÍTULO VI Introdução ao Método de Elementos Fntos (MEF). Formulação Teórca - MEF em uma dmensão Consderemos a equação abao que representa a dstrbução de temperatura na barra

Leia mais

Universidade Estadual de Ponta Grossa/Departamento de Economia/Ponta Grossa, PR. Palavras-chave: CAPM, Otimização de carteiras, ações.

Universidade Estadual de Ponta Grossa/Departamento de Economia/Ponta Grossa, PR. Palavras-chave: CAPM, Otimização de carteiras, ações. A CONSTRUÇÃO DE CARTEIRAS EFICIENTES POR INTERMÉDIO DO CAPM NO MERCADO ACIONÁRIO BRASILEIRO: UM ESTUDO DE CASO PARA O PERÍODO 006-010 Rodrgo Augusto Vera (PROVIC/UEPG), Emerson Martns Hlgemberg (Orentador),

Leia mais

Energia de deformação na flexão

Energia de deformação na flexão - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL METALÚRGICA DE VOLTA REDONDA PROFESSORA: SALETE SOUZA DE OLIVEIRA BUFFONI DISCIPLINA: RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS Energa de deformação na

Leia mais

PROBLEMAS SOBRE PONTOS Davi Máximo (UFC) e Samuel Feitosa (UFC)

PROBLEMAS SOBRE PONTOS Davi Máximo (UFC) e Samuel Feitosa (UFC) PROBLEMS SOBRE PONTOS Dav Máxmo (UFC) e Samuel Fetosa (UFC) Nível vançado Dstrbur pontos num plano ou num espaço é uma tarefa que pode ser realzada de forma muto arbtrára Por sso, problemas sobre pontos

Leia mais

Sinais Luminosos 2- CONCEITOS BÁSICOS PARA DIMENSIONAMENTO DE SINAIS LUMINOSOS.

Sinais Luminosos 2- CONCEITOS BÁSICOS PARA DIMENSIONAMENTO DE SINAIS LUMINOSOS. Snas Lumnosos 1-Os prmeros snas lumnosos Os snas lumnosos em cruzamentos surgem pela prmera vez em Londres (Westmnster), no ano de 1868, com um comando manual e com os semáforos a funconarem a gás. Só

Leia mais

l. k. ESTADO DA PARAIBA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO

l. k. ESTADO DA PARAIBA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO -- --- r "' f344 l k = 2= r ; : / " IF9 AI!q : * ' "8 JIMMAI "'I 4 S rt t'' : ESTADO DA PARAIBA _ - : n'" PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA f' GAB DES MANOEL SOARES MONTEIRO ft!: :! ACÓRDÃO "I!':: ::

Leia mais

AELEIÇÃO DE DILMA ROUSSEFF, 63 anos, mulher, ex-guerrilheira, pertencente

AELEIÇÃO DE DILMA ROUSSEFF, 63 anos, mulher, ex-guerrilheira, pertencente O Acontecmento de Dlma: A Eleção da Prmera Mulher Presdente no Brasl Gustavo Plzar Jornalsta AELEIÇÃO DE DILMA ROUSSEFF, 63 anos, mulher, ex-guerrlhera, pertencente ao Partdo dos Trabalhadores (PT), eleta

Leia mais

Camila Spinassé INTRODUÇÃO À MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA ALUNOS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Camila Spinassé INTRODUÇÃO À MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA ALUNOS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Camla Spnassé INTRODUÇÃO À MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA ALUNOS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Vtóra Agosto de 2013 Camla Spnassé INTRODUÇÃO À MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA ALUNOS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Leia mais

Líderes são como árvores

Líderes são como árvores U M Líderes são como árvores Uma vez as árvores resolveram procurar um re para elas. Então dsseram à olvera: Seja o nosso re. E a olvera respondeu: Para overnar vocês, eu tera de parar de dar o meu azete,

Leia mais

Aula 7: Circuitos. Curso de Física Geral III F-328 1º semestre, 2014

Aula 7: Circuitos. Curso de Física Geral III F-328 1º semestre, 2014 Aula 7: Crcutos Curso de Físca Geral III F-38 º semestre, 04 Ponto essencal Para resolver um crcuto de corrente contínua, é precso entender se as cargas estão ganhando ou perdendo energa potencal elétrca

Leia mais

ESTATÍSTICA MULTIVARIADA 2º SEMESTRE 2010 / 11. EXERCÍCIOS PRÁTICOS - CADERNO 1 Revisões de Estatística

ESTATÍSTICA MULTIVARIADA 2º SEMESTRE 2010 / 11. EXERCÍCIOS PRÁTICOS - CADERNO 1 Revisões de Estatística ESTATÍSTICA MULTIVARIADA º SEMESTRE 010 / 11 EXERCÍCIOS PRÁTICOS - CADERNO 1 Revsões de Estatístca -0-11 1.1 1.1. (Varáves aleatóras: função de densdade e de dstrbução; Méda e Varânca enquanto expectatvas

Leia mais

ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIARIO GABINETE DO DÊS SAULO HENRIQUES DE SA E BENEVIDES

ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIARIO GABINETE DO DÊS SAULO HENRIQUES DE SA E BENEVIDES I I... 4.4W. npub (,. ~Ne 10 ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIARIO GABINETE DO DÊS SAULO HENRIQUES DE SA E BENEVIDES ACORDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO N 001 2007 034803-0/001 RELATOR Des Saulo Henrques de Sá

Leia mais

MACROECONOMIA I LEC 201

MACROECONOMIA I LEC 201 ACROECONOIA I LEC 20 3.2. odelo IS-L Outubro 2007, sandras@fep.up.pt nesdrum@fep.up.pt 3.2. odelo IS-L odelo Keynesano smples (KS): equlíbro macroeconómco equlíbro no mercado de bens e servços (BS). odelo

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais