ANEXO I. Quantidade Máxima: 1 Media Permanência: 5 Pontos: 275

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO I. Quantidade Máxima: 1 Media Permanência: 5 Pontos: 275"

Transcrição

1 ANEXO I PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS ONCOLÓGICOS INCLUÍDOS PROCEDIMENTOS SEQUENCIAIS EM ONCOLOGIA Descrição São atos cirúrgicos com vínculo de continuidade, interdependência e complementaridade, realizados em conjunto pela mesma equipe ou equipes distintas, aplicados a órgão único ou região anatômica única ou regiões contíguas, bilaterais ou não, devidos à mesma neoplasia, executados através de única ou várias vias de acesso e praticados sob o mesmo ato anestésico. Origem: Valor Hospitalar SP: 0,00 Valor Hospitalar SH: 0,00 Valor Hospitalar Total: 0,00, Não permite mudança de procedimento Regra condicionada Condiciona a Rejeição da AIH SUPRARRENALECTOMIA EM ONCOLOGIA Descrição Ressecção da suprarrenal por tumor primario maligno ou incerto se benigno ou maligno ou tumor metastatico. Admite procedimento sequencial. Origem: Valor Hospitalar SP: 580,92 Valor Hospitalar SH: 2.130,18 Valor Hospitalar Total: , 10 Quantidade Máxima: 2 Media Permanência: 6 Pontos: 450 CBO: , , , C740, C741, C749, C797, D NEFRECTOMIA PARCIAL EM ONCOLOGIA Ressecção parcial de rim por tumor maligno, por tumor incerto se benigno ou malino ou em caso de peça cirúrgica de angiolipoma. A linfadenectomia retroperitoneal como procedimento sequencial só e compativel com CID de tumor maligno. Origem: Valor Ambulatorial SA: 0 Valor Ambulatorial Total: 0 Valor Hospitalar SP: 567,98 Valor Hospitalar SH: , 30 Valor Hospitalar Total: 2.279,28 Pontos: 250 CBO: , , , C64, C65, C740, C741, C749, C797, D177, D410, D AMPUTACAO TOTAL AMPLIADA DE PENIS EM ONCOLOGIA Ressecção total do pênis com bolsa escrotal com ou sem orquiectomia por tumor maligno. Admite procedimento(s) sequencial(ais), sendo que os de retalho são excludentes entre si. Origem: Valor Hospitalar SP: 259,90 Valor Hospitalar SH: 831,17 Valor Hospitalar Total: 1.091,07 Masculino Media Permanência: 5 Pontos: 275

2 CBO: , , , C600, C601, C602, C608, C LINFADENECTOMIA RADICAL CERVICAL UNILATERAL EM ONCOLOGIA Esvaziamento unilateral profilatico ou terapeutico de cadeia(s) linfatica(s) cervical(is) mais veia jugular interna, músculo esternocleidomastoide e nervo do XI par craniano, em caso de tumor maligno da cabeça e pescoço (incluindo pele). Na peça cirúrgica os linfonodos podem ser livres de neoplasia maligna. Origem: , Valor Hospitalar SP: 477,77 Valor Hospitalar SH: 1.452,79 Valor Hospitalar Total: 1.930,56 Quantidade Máxima: 2 Pontos: 300 CBO: , , , , C LINFADENECTOMIA RADICAL MODIFICADA CERVICAL UNILATERAL EM ONCOLOGIA Esvaziamento unilateral profilatico ou terapeutico de cadeia (s) linfatica(s) cervical(is) com preservação ou da veia jugular interna ou músculo esternocleidomastoide ou nervo do XI par craniano, em caso de tumor maligno da cabeça e pescoço (incluindo pele). Na peça cirúrgica os linfonodos podem ser livres de neoplasia maligna. Origem: , Valor Hospitalar SP: 621,10 Valor Hospitalar SH: 1.888,63 Valor Hospitalar Total: 2.509,73 Quantidade Máxima: 2 Pontos: 300 CBO: , , , , C UNACON, UNACON com serviço de radioterapia, UNACON com serviço de hematologia, UNACON com serviço LINFADENECTOMIA CERVICAL SUPRAOMO-HIOIDEA UNILATERAL EM ONCOLOGIA Esvaziamento unilateral profilatico ou terapeutico de cadeia (s) linfatica(s) cervical(is) dos níveis I,II e III, em caso de tumor maligno da cabeça e pescoço (incluindo pele). Na peça cirúrgica os linfonodos podem ser livres de neoplasia maligna. Origem: Valor Hospitalar SP: 621,10 Valor Hospitalar SH: 1.888,63 Valor Hospitalar Total: 2.509,73 Quantidade Máxima: 2 Media Permanência: 2 Pontos: 300 CBO: , , , , C770 oncologia pediátrica, CACON, CACON com serviço de oncologia pediátrica, Hospital Geral com cirurgia oncológica LINFADENECTOMIA CERVICAL RECORRENCIAL UNILATERAL EM ONCOLOGIA Esvaziamento unilateral profilatico ou terapeutico de cadeia linfatica cervical do nível VI, em caso de tumor maligno da cabeça e pescoço. Na peça cirúrgica os linfonodos podem ser livres de neoplasia maligna. Origem:

3 Valor Hospitalar SP: 621,10 Valor Hospitalar SH: 1.888,63 Valor Hospitalar Total: 2.509,73 0 mês (es) Quantidade Máxima: 2 Media Permanência: 2 Pontos: 300 Tipo de Documento: Portaria CBO: , , , , C770 Valor Hospitalar SP: 892,95 Valor Hospitalar SH: 2.921,63 Valor Hospitalar Total: 3.814,58 Pontos: LINFADENECTOMIA MEDIASTINAL EM ONCOLOGIA Esvaziamento de cadeia(s) linfática(s) mediastinal(ais) em caso de tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno para fins de estadiamento ou terapeutico. Na peça cirúrgica os linfonodos podem ser livres de neoplasia maligna. 12 Ano (s) CBO: , , , , C LINFADENECTOMIA SUPRACLAVICULAR UNILATERAL EM ONCOLOGIA Esvaziamento unilateral terapeutico da cadeia linfatica supraclavicular em caso de tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno. Origem: , Valor Hospitalar SP: 455,03 Valor Hospitalar SH: 1.354,39 Valor Hospitalar Total: 1.809,42 Quantidade Máxima: 2 Pontos: 300 CBO: , , , , , C LINFADENECTOMIA AXILAR UNILATERAL EM ONCOLOGIA Esvaziamento unilateral profilatico ou terapeutico da cadeia linfatica axilar em caso de tumor maligno ou quando da mama também incerto se benigno ou maligno ou benigno. Na peça cirúrgica os linfonodos podem ser livres de neoplasia maligna. Origem: , Valor Hospitalar SP: 484,28 Valor Hospitalar SH: 1.453,53 Valor Hospitalar Total: 1.937,81 Quantidade Máxima: 2 Media Permanência: 2 Pontos: 300 CBO: , , , , C773, D486

4 LINFADENECTOMIA RETROPERITONIAL EM ONCOLOGIA Esvaziamento de cadeia(s) linfatica(s) retroperitoneal(ais) em caso de tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno do aparelho genital ou urinário ou digestivo ou partes moles, para fins de estadiamento ou terapeutico. Na peça cirúrgica os linfonodos podem ser livres de neoplasia maligna. Origem: , Valor Hospitalar SP: 1071,41 Valor Hospitalar SH: 3505,95 Valor Hospitalar Total: 4577,36 0 mês(es) Media Permanência: 5 Pontos: 300 CBO: , , , , , , C LINFADENECTOMIA INGUINAL UNILATERAL EM ONCOLOGIA Esvaziamento de cadeia linfática inguinal em caso de tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno para fins de estadiamento ou terapeutico. Na peça cirúrgica os linfonodos podem ser livres de neoplasia maligna. Origem: , , Valor Hospitalar SP: 477,69 Valor Hospitalar SH: 1331,36 Valor Hospitalar Total: 1809, Inclui valor da anestesia, Admite permanência a maior 006-CNRAC Quantidade Máxima: 2 Pontos: 300 CBO: , , , , C LINFADENECTOMIA INGUINO-ILIACA UNILATERAL EM ONCOLOGIA Esvaziamento de cadeia linfática inguinal e ilíaca em caso de tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno do aparelho genital ou urinário ou digestivo inferior ou pele, para fins de estadiamento ou terapeutico. Na peça cirúrgica os linfonodos podem ser livres de neoplasia maligna. Origem Valor Hospitalar SP: 999,42 Valor Hospitalar SH: 3.303,63 Valor Hospitalar Total: 4.303,05 Quantidade Máxima: 2 Media Permanência: 5 Pontos: 450 CBO: , , , , , C774, C775 Valor Ambulatorial SA: 0 Valor Ambulatorial Total: 0 Valor Hospitalar SP: 184,58 Valor Hospitalar SH: 543,29 Valor Hospitalar Total: 727,87 Quantidade Máxima: 2 Media Permanência: LINFADENECTOMIA SELETIVA GUIADA (LINFONODO SENTINELA) EM ONCOLOGIA Consiste da pesquisa de linfonodo de cadeia de drenagem em caso de melanoma maligno ou de câncer de mama, para fins de estadiamento ou terapêutico. Inclui a identificação do linfonodo por meio de corante ou substância radioativa com ressecção. O(s) linfonodo(s) examinado(s) pode(m) ser livre(s)s de neoplasia maligna. Admite como sequencial a linfadenectomia da respectiva cadeia linfática. A quantidade máxima de 2 só é admissível nos casos de melanoma para pesquisa de duas cadeias linfáticas relacionadas com uma mesma lesão tumoral primária. 0 mês (es)

5 Pontos: 300 CBO: , , , , , C430,C431, C432, C433, C434, C435, C436, C437, C500, C501, C502, C503, C504, C505, C RESSECCAO EM CUNHA DE LABIO E SUTURA EM ONCOLOGIA Resseccao em cunha e sutura primária para tratamento de tumor maligno de labio. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: Ambulatorial 03 - Hospital-Dia 02 - BPA (Individualizado) Valor Hospitalar SP: 198,96 Valor Hospitalar SH: 191,76 Valor Hospitalar Total: 390,72 Media Permanência: 1 Pontos: 50, 09- Leito Dia/Cirúrgico CBO: , , , , C000, C001, C002, C003, C004, C005, C006, C430, C RESSECCAO PARCIAL DE LABIO COM ENXERTO OU RETALHO EM ONCOLOGIA Resseccao parcial de labio para tratamento de tumor maligno seguida de enxerto ou retalho. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: Valor Hospitalar SP: 200,10 Valor Hospitalar SH: 591,39 Valor Hospitalar Total: 791, Inclui valor da anestesia, Admite permanência a maior, 006- CNRAC Media Permanência: 2 Pontos: 200 Tipo de Documento: Portaria CBO: , , , , C000, C001, C002, C003, C004, C005, C006, C008, C430, C RESSECCAO TOTAL DE LABIO E RECONSTRUCAO COM RETALHO MIOCUTANEO EM ONCOLOGIA Resseccao total de labio para tratamento de tumor maligno seguida de reconstrucao com retalho miocutaneo. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: Valor Hospitalar SP: 349,94 Valor Hospitalar SH: 1.353,79 Valor Hospitalar Total: 1.703,73 Pontos: 362 CBO: , , , , C008, C438,C RESSECCAO DE LESAO MALIGNA DE MUCOSA BUCAL EM ONCOLOGIA Resseccao total de lesao maligna de mucosa bucal com finalidade terapeutica. Admite procedimento(s) sequencial(ais). Os procedimentos de linfadenectomia cervical unilateral são excludentes entre si. Os procedimento de cirurgia plastica são excludentes entre si. Origem

6 Valor Hospitalar SP: 260, 11 Valor Hospitalar SH: 768,81 Valor Hospitalar Total: 1.028,92 Media Permanência: 2 Pontos: 240 CBO: , , , , C030, C031, C040, C041, C048, C051, C058, C060, C061, C062, C068, C090, C091, C098, C100, C101, C102, C103, C104, C108 oncologia pediátrica, CACON, CACON com serviço de oncologia pediátrica, Hospital Geral com cirurgia oncológica MAXILECTOMIA PARCIAL EM ONCOLOGIA Resseccao parcial do osso maxilar superior com ou sem ressecção de orbita homolateral com ou sem esvaziamento orbitario por tumor maligno. Admite como procedimento(s) sequencial(ais) linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si) e procedimento sequencial em cirurgia plastica (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: Valor Hospitalar SP: 841,70 Valor Hospitalar SH: 2.970,72 Valor Hospitalar Total: 3.812,42 Media Permanência: 7 Pontos: 450 Tipo de Documento: Portaria CBO: , , C030, C310, C MAXILECTOMIA TOTAL EM ONCOLOGIA Resseccao total de osso maxilar superior com ou sem ressecção de estruturas anatomicas inferiores, com ou sem esvaziamento orbitario por tumor maligno. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si) e procedimento seqüencial em cirurgia plastica (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: Valor Hospitalar SP: 1.094,20 Valor Hospitalar SH: 3.861,94 Valor Hospitalar Total: 4.956,14 Media Permanência: 7 Pontos: 450 CBO: , , C030, C310, C PELVIGLOSSOMANDIBULECTOMIA EM ONCOLOGIA Resseccao de assoalho bucal, lingua e mandibula por tumor maligno de cavidade bucal. Inclui traqueostomia. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si) e procedimento seqüencial em cirurgia plastica (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: Valor Hospitalar SP: 1.568,48 Valor Hospitalar SH: 5.816,30 Valor Hospitalar Total: 7.384,78 19 Ano(s) Media Permanência: 8 Pontos: Cirúrgico CBO: , , C040, C041, C048.

7 de PAROTIDECTOMIA TOTAL AMPLIADA EM ONCOLOGIA Resseccao total de parotida, ramo ascendente da mandíbula, mastoide e nervo facial no trajeto intraosseo por tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: Valor Hospitalar SP: 804,35 Valor Hospitalar SH: 2.982,72 Valor Hospitalar Total: 3.787,07 Media Permanência: 5 Pontos: 350 CBO: , , , C07, D FARINGECTOMIA PARCIAL EM ONCOLOGIA Ressecçao parcial de faringe por tumor maligno, com ou sem traqueostomia. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: Valor Hospitalar SP: 487,93 Valor Hospitalar SH: , 11 Valor Hospitalar Total: 2.269,04 Media Permanência: 5 Pontos: 200 Tipo de Documento: Portaria CBO: , , , , C100, C101, C102, C103, C104, C108, C110, C111, C112, C113, C118, C12, C130, C131, C132, C FARINGECTOMIA TOTAL EM ONCOLOGIA Ressecçao total de faringe por tumor maligno. Inclui traqueostomia. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si) e procedimento seqüencial em cirurgia plastica (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: Valor Hospitalar SP: 634,31 Valor Hospitalar SH: 2.315,45 Valor Hospitalar Total: 2.949,75 Media Permanência: 6 Pontos: 200 CBO: , , , , C100, C101, C102, C103, C104, C108, C110, C111, C112, C113, C118, C12, C130, C131, C132, C138. oncologia pediátrica, CACON, CACON com serviço de oncologia pediátrica, Hospital Geral com cirurgia oncológica RESSECCAO DE TUMOR DE RINOFARINGE EM ONCOLOGIA Ressecçao total de lesao maligna de rinofaringe com finalidade terapeutica. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: Valor Hospitalar SP: 540,75 Valor Hospitalar SH: 1.584,69 Valor Hospitalar Total: 2.125,44

8 Media Permanência: 5 Pontos: 200 CBO: , , , C110, C111, C112, C113, C EXENTERAÇÃO DE ÓRBITA EM ONCOLOGIA Exenteração de órbita por tumor maligno. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si) e procedimento seqüencial em cirurgia plastica (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: Valor Hospitalar SP: 223,08 Valor Hospitalar SH: 768,83 Valor Hospitalar Total: 991,91 Pontos: 450 CBO: , , , C318, C410, C433, C431, C438, C448, C498, C696, C LARINGECTOMIA PARCIAL EM ONCOLOGIA Resseccao parcial de laringe por tumor maligno, com ou sem traqueostomia, com finalidade terapeutica. A peça cirúrgica pode ser livre de neoplasia maligna. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: Valor Hospitalar SP: 728,05 Valor Hospitalar SH: 1.397,41 Valor Hospitalar Total: 2.125,46 19 Ano(s) Pontos: Cirúrgico CBO: , , C320, C321, C322. de LARINGECTOMIA TOTAL EM ONCOLOGIA Resseccao total de laringe por tumor maligno. Inclui traqueostomia. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: , Valor Hospitalar SP: 1.212,76 Valor Hospitalar SH: 4.605,92 Valor Hospitalar Total: 5.818,68 19 Ano(s) Media Permanência: 5 Pontos: Cirúrgico CBO: , , C320, C321, C322, C328, C329. de TIREOIDECTOMIA TOTAL EM ONCOLOGIA Resseccao total da tireoide (lobos e istmo) por tumor maligno com ou sem resseccao de paratireoide(s), com ou sem realização do reimplante de paratireóide. A peça cirúrgica pode ser livre de neoplasia maligna. Admite como procedimento sequencial um dos tipos de linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: ,

9 Valor Hospitalar SP: 609,91 Valor Hospitalar SH: 2226,39 Valor Hospitalar Total: 2836,30 Media Permanência: 2 Pontos: 514 CBO: , , , , C RESSECCAO DE TUMOR TIREOIDIANO POR VIA TRANSESTERNAL EM ONCOLOGIA Resseccao com esternotomia de tumor benigno, maligno ou incerto se benigno ou maligno com extensao para o mediastino superior. A peça cirurgica pode conter tumor benigno. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si). Origem Valor Hospitalar SP: 1.123,47 Valor Hospitalar SH: 3.063,17 Valor Hospitalar Total: 4.186,64 0 mês(es) Media Permanência: 8 Pontos: Cirúrgico; 07 - Pediátrico CBO: , , , , C73, D440 Valor Hospitalar SP: 441,93 Valor Hospitalar SH: 468,57 Valor Hospitalar Total: 910,50 Media Permanência: 2 Pontos: Cirúrgico CBO: , , C320, C321, C322, C328, C RECONSTRUÇÃO PARA FONAÇÂO EM ONCOLOGIA Procedimento para reconstrucao de estrutura para a implantacao de protese vocal apos laringectomia total. Pode ser procedimento sequencial, quando no mesmo ato anestesico da laringectomia total; ou isolado, quando posterior a laringectomia total previa, em outro ato anestesico. 19 Ano (s) de TRAQUEOSTOMIA TRANSTUMORAL EM ONCOLOGIA Traqueostomia transtumoral em caso de neoplasia maligna de laringe ou de tireoide. Valor Hospitalar SP: 441,93 Valor Hospitalar SH: 468,57 Valor Hospitalar Total: 910,50 19 Ano (s) Media Permanência: 3 Pontos: Cirúrgico CBO: , , C320, C321, C322, C323, C328, C329, C73 de MANDIBULECTOMIA PARCIAL EM ONCOLOGIA Resseccao parcial do osso maxilar inferior com ou sem resseccaão de outras estruturas anatomicas por tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno. Admite como procedimento sequencial a

10 linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos sao excludentes entre si) e procedimento seqüencial em cirurgia plastica (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: Valor Hospitalar SP: 941,09 Valor Hospitalar SH: 3.489,78 Valor Hospitalar Total: 4.430,87 Media Permanência: 7 Pontos: 450 CBO: , , C411, C795, M873, D MANDIBULECTOMIA TOTAL EM ONCOLOGIA Resseccao total de osso maxilar inferior com ou sem ressecção de outras estruturas anatômicas por tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno. Admite como procedimento sequencial a linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos sao excludentes entre si) e procedimento seqüencial em cirurgia plastica (os procedimentos são excludentes entre si). Origem: Valor Hospitalar SP: 1.254,79 Valor Hospitalar SH: 4.653,04 Valor Hospitalar Total: 5.907,83 Media Permanência: 7 Pontos: 450 CBO: , , C411, C795, M873, D165 Valor Hospitalar SP: 200,10 Valor Hospitalar SH: 591,39 Valor Hospitalar Total: 791,49 Media Permanência: 2 Pontos: 200 CBO: , , C432, C442 Valor Hospitalar SP: 441,93 Valor Hospitalar SH: 468,57 Valor Hospitalar Total: 910,50 Quantidade Máxima: 2 Media Permanência: 3 Pontos: Cirúrgico 07 - Pediatrico CBO: , , , RESSECÇÃO DE PAVILHÃO AURICULAR EM ONCOLOGIA Ressecção parcial ou total de pavilhão auricular por tumor maligno. Admite como procedimento sequencial a linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos sao excludentes entre si) e procedimento seqüencial em cirurgia plastica (os procedimentos são excludentes entre si) LIGADURA DE CARÓTIDA EM ONCOLOGIA Ligadura unilateral de carótida ou de ramo em caso de tumor maligno da cabeça e pescoço. Quantidade máxima de 2 somente em caso de ligadura bilateral de ramo. Os procedimentos seqüenciais são excludentes entre si

11 C000, C001, C002, C003, C004, C005, C006, C008, C009, C01, C020, C021, C022, C023, C024, C028, C029, C030, C031, C039, C040, C041, C048, C049, C050, C051, C052, C058, C059, C060, C061, C062, C068, C069, C07, C080, C081, C088, C089, C090, C091, C098, C099, C1.0, C101, C102, C103, C10.4, C10.8, C10.9, C11.0, C11.1, C11.2, C11.3, C11.8, C11.9, C12, C13.0, C13.1, C13.2, C13.8, C13.9, C140, C142, C148, C320, C321, C322, C323, C328, C329, C73 de oncologia pediátrica, UNACON exclusivo de oncologia pediatrica, CACON, CACON com serviço de oncologia pediátrica, Hospital Geral com cirurgia oncológica RESSECCAO DE TUMOR GLOMICO EM ONCOLOGIA Resseccao de tumor glomico. Admite procedimento(s) sequencial(ais). Valor Hospitalar SP: 441,93 Valor Hospitalar SH: 468,57 Valor Hospitalar Total: 910,50 Pontos: Cirúrgico 07 - Pediatrico CBO: , , , D447 de oncologia pediátrica, UNACON exclusivo de oncologia pediatrica, CACON, CACON com serviço de oncologia pediátrica, Hospital Geral com cirurgia oncológica BIOPSIAS MULTIPLAS INTRA-ABDOMINAIS EM ONCOLOGIA Procedimento com a finalidade de estabelecer a extensao de neoplasia maligna, quando de trata de lesoes intra-abdominais invasivas ou mal definidas (lesoes contiguas que acometem um mesmo orgao ou orgaos contiguos ou lesoes multiplas em um mesmo orgao ou em diferentes orgaos/estruturas). Excludente com a laparotomia para avaliação de tumor de ovário. Origem: Valor Hospitalar SP: 1.025,40 Valor Hospitalar SH: 3.526,40 Valor Hospitalar Total: 4.551,80 Media Permanência: 2 Pontos: 545 CBO: , , , , C155, C158, C160, C161, C162, C163, C164, C165, C166, C168, C180, C181, C182, C183, C184, C185, C186, C187, C188, C19, C20, C220, C221, C222, C223, C224, C227, C229, C23,C240, C241, C248, C249, C250, C251, C252, C253, C257, C258, C259, C260, C261, C262, C268, C269, C480, C481,C482,C494, C495, C540, C541, C542, C543, C548, C548, C549, C Serviço de Oncologia Oncologia cirúrgica GASTRECTOMIA PARCIAL EM ONCOLOGIA Ressecção parcial de estômago por tumor maligno. Admite procedimento(s) sequencial(ais). Em caso de linfadenectomia retroperitoneal (nível 12) inclui a colecistectomia. Os materiais compatíveis com este procedimento observam o tipo de víscera ressecada, não se multiplicando os grampeadores nos procedimentos sequenciais. O número máximo de cargas corresponde a gastrectomia associada a ressecção de outra víscera oca. Origem: Valor Hospitalar SP: 585,80 Valor Hospitalar SH: 2.209,62 Valor Hospitalar Total: 2.795,42 Media Permanência: 7 Pontos: 545 CBO: , , , C152, C162, C163, C164, C165, C166, C168, Serviço de Oncologia Oncologia cirúrgica METASTASECTOMIA HEPÁTICA EM ONCOLOGIA Ressecção em cunha de metástase(s) hepática(s). A peça cirúrgica pode não conter neoplasia maligna. Origem:

12 Valor Hospitalar SP: 432,81 Valor Hospitalar SH: 1.267,55 Valor Hospitalar Total: 1.700,36 Pontos: 150 CBO: , , , C COLECISTECTOMIA EM ONCOLOGIA Descrição Ressecção da vesícula biliar por tumor maligno associada a segmentectomia hepatica. Valor Hospitalar SP: 484,79 Valor Hospitalar SH: 871,96 Valor Hospitalar Total: 1.356,75 12 ano (s) Pontos: 150 CBO: , , , C23 Descrição Valor Hospitalar SP: 630,23 Valor Hospitalar SH: 1.133,55 Valor Hospitalar Total: 1.763,78 Pontos: 150 CBO: , , , C23, C RESSECCAO AMPLIADA DE VIA BILIAR EXTRA-HEPATICA EM ONCOLOGIA Ressecção da via biliar extra-hepática por tumor maligno de vesícula biliar ou colédoco associada a segmentectomia ou lobectomia hepatica e anastomose biliodigestiva. Admite procedimento sequencial. 12 ano (s) RESSECCAO DE TUMOR RETROPERITONIAL EM ONCOLOGIA Ressecção de tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno de retroperitônio. A peça cirúrgica pode ser livre de neoplasia maligna. Origem: Valor Hospitalar SP: 1.103,79 Valor Hospitalar SH: 3.949,80 Valor Hospitalar Total: 5.053,59 Media Permanência: 5 Pontos: 450 CBO: , , , C480, C786, D483 Origem: RESSECCAO ALARGADA DE TUMOR DE PARTES MOLES DE PAREDE ABDOMINAL EM ONCOLOGIA Ressecção de tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno de partes moles que acomete parede abdominal, associada à ressecção de viscera intra-abdominal. Admite procedimento sequencial. Os materiais compatíveis com este procedimento observam o tipo de víscera ressecada.

13 Valor Hospitalar SP: 1.434,93 Valor Hospitalar SH: 5.134,74 Valor Hospitalar Total: 6.569,67 Media Permanência: 8 Pontos: 450 CBO: , , , C494, D483, D485 oncologia pediátrica, CACON, CACON com serviço de oncologia pediátrica, Hospital Geral com cirurgia oncológica RESSECCAO ALARGADA DE TUMOR DE INTESTINO EM ONCOLOGIA Consiste na retirada de tumor maligno de intestino com a ressecção de viscera (s) oca(s) ou sólida(s) ou parede abdominal. Inclui linfadenectomia(s). Admite como procedimento (s) sequencial (ais) : ou ileostomia ou colostomia, retalho miocutaneo, metastasectomia hepática em oncologia. Os materiais compatíveis com este procedimento observam o tipo de víscera ressecada. Aos materiais compatíveis com este procedimento, somam-se o grampeador e carga em caso de metastasectomia hepática como procedimento sequencial e a tela inorganica de polipropileno em caso de retalho miocutaneo. Origem: Valor Hospitalar SP: 1.103,79 Valor Hospitalar SH: 3.949,80 Valor Hospitalar Total: 5.053,59 Media Permanência: 8 Pontos: 650 CBO: , , , , C170, C171, C172, C173, C178, C180 a C189, C19, C PROCTOCOLECTOMIA TOTAL EM ONCOLOGIA Ressecção total do intestino grosso e reto por tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno podendo ser preservado o canal anal. Inclui o reservatorio ileal. Admite procedimento(s) sequencial (ais). Aos materiais compatíveis com este procedimento, somam-se o grampeador e carga em caso de metastasectomia hepática como procedimento sequencial. Origem Valor Hospitalar SP: 1.301,08 Valor Hospitalar SH: 4.372,35 Valor Hospitalar Total: 5.673,43 Media Permanência: 8 Pontos: Cirúrgico 07- Pediátrico CBO: , , , C180, C181, C182, C183, C184, C185, C186, C187, C188, C189, C19, C20, D374, D EXENTERACAO PELVICA POSTERIOR EM ONCOLOGIA Ressecção de tumor maligno do reto e órgãos genitais internos, com ou sem preservação do ânus. Inclui cistectomia parcial, histerectomia total, anexectomia uni/bilateral, prostatovesiculectomia, enterectomia ou, em caso de amputação do ânus, colostomia ou ileostomia definitiva. A peça cirúrgica pode conter tumor incerto se benigno ou maligno ou ser livre de neoplasia maligna. Admite procedimento(s) sequencial(ais). A ileostomia é de proteção. Origem: Valor Hospitalar SP: 1.128,66 Valor Hospitalar SH: 4.136,36 Valor Hospitalar Total: 5.265,02 Media Permanência: 8 Pontos: 545

14 CBO: , , , C19,C20, C210, C211, C212, C EXENTERACAO PELVICA TOTAL EM ONCOLOGIA Ressecção de tumor maligno de localização pélvica, com retirada de orgaos genitais internos, cistectomia total com derivação simples e colostomia ou ileostomia. A peça cirúrgica pode conter tumor incerto se benigno ou maligno ou ser livre de neoplasia maligna. Admite procedimento(s) sequencial(ais). A ileostomia é de proteção. Origem: Valor Hospitalar SP: 1.467,26 Valor Hospitalar SH: 5.377,27 Valor Hospitalar Total: 6.844,53 0 mês (es) Media Permanência: 8 Pontos: 545 CBO: , , C19,C20, C210, C211, C212, C218,C475, C495,C530, C531, 538,C540,C541,C542,C543,C548,C56,C570,C571,C572,C573,C574,C578,C61,C670,C671,C672,C673,C674,C675,C676,C677,C HISTERECTOMIA COM OU SEM ANEXECTOMIA (UNI / BILATERAL) EM ONCOLOGIA Ressecção do útero com ou sem anexectomia unilateral ou bilateral por tumor maligno do colo, tuba ou corpo uterino ou carcinoma in situ do colo uterino. Origem: , Valor Hospitalar SP: 568,00 Valor Hospitalar SH: 1711, 24 Valor Hospitalar Total: 2279,24 Feminino Media Permanência: 2 Pontos: 300 CBO: , , , C530, C531, C538, C540, C541, C542, C543, C548, C55, C56, C570, C571, C572, C573, C574, C577, C578 D060, D061, D LAPAROTOMIA PARA AVALIAÇÃO DE TUMOR DE OVARIO EM ONCOLOGIA Laparotomia para avaliação da extensão (estadiamento) de tumor maligno de ovário, com biópsias peritoneais múltiplas, com ou sem omentectomia. A peça cirurgica pode ser de neopplasia de comportamento incerto se benigno ou maligno. Admite como procedimento(s) sequencial (ais). Excludente com o procedimento Biopsias multiplas intra-abdominais em oncologia. Origem: Valor Hospitalar SP: 1.025,40 Valor Hospitalar SH: 3.526,40 Valor Hospitalar Total: 4.551,80 Feminino 0 mês (s) Media Permanência: 5 Pontos: 545 CBO: , , , C56, C570, C RECONSTRUCAO C/ RETALHO OSTEOMIOCUTANEO EM ONCOLOGIA Reconstrução após ressecção extensa de tumor maligno primário ou por invasão direta de osso, pele e partes moles (em cabeça e pescoço, membros superiores ou membros inferiores), realizada através de um retalho composto de tecido ósseo, muscular e pele, contendo a vascularização e inervação. Excludente com qualquer outro procedimento de reconstrução. A peça cirúrgica pode ser livre de neoplasia maligna.

15 Valor Hospitalar SP: 1.253,07 Valor Hospitalar SH: , 68 Valor Hospitalar Total: 4.366,75 Pontos: 450 CBO: , , , , CID C01, C020, C021, C022, C023, C024, C028, C030, C031, C040, C041, C048, C049, C050, C051, C052, C058, C059, C060, C061, C062, C068, C069, C07, C081, C088, C090, C091, C098, C100, C101, C102, C103, C104, C108, C110, C111, C112, C113, C118, C12, C130, C131, C132, C138, C150, C310, C318, C319, C320, C321, C322, C328, C329, C410, C411, C418, C419, C431, C432, C433, C435, C438, C439, C441, C442, C443, C444, C446, C447, EXTIRPACAO MULTIPLA DE LESAO DA PELE OU TECIDO CELULAR SUBCUTANEO EM ONCOLOGIA Exerese de duas ou mais lesoes malignas de pele ou do tecido celular subcutaneo em uma ou em mais de uma partes do corpo com sutura primária, isto é, sem procedimentos reconstrutivo adcional. A peça cirurgica pode ser livre de neoplasia maligna. Origem Valor Hospitalar SP: 140,06 Valor Hospitalar SH: 425,80 Valor Hospitalar Total: 565,86 0 Media Permanência: 2 Pontos: Cirúrgico 07- Pediátrico CBO: , , , , C431, C432, C433, C434, C435, C436, C437, C438, C441, C442, C443, C444, C445, C446, C447, C448, C490, C491, C492, C493, C494, C495, C496, C498, C DESARTICULACAO INTERESCAPULO-TORACICA EM ONCOLOGIA Descrição Ressecção de todo o membro superior incluindo a escápula, com ou sem ressecção de clavícula, por tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno. Origem: , Valor Hospitalar SP: 1067,85 Valor Hospitalar SH: 2097,57 Valor Hospitalar Total: 3165,42 Media Permanência: 6 Pontos: 450 CBO: , , , C400, C408, C413, C418, C446, C491, C764, C795, D480, D481, D482, D Serviço de Oncologia Oncologia cirúrgica DESARTICULACAO ESCAPULO-TORACICA INTERNA EM ONCOLOGIA Descrição Ressecção parcial ou total de úmero com desarticulação escapulo-umeral incluindo a glenóide (Tikhoff-Linberg) por tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno. Admite procedimento sequencial. Origem: , Valor Hospitalar SP: 1.388,21 Valor Hospitalar SH: 2.726,84 Valor Hospitalar Total: , 05 Media Permanência: 6 Pontos: 450 CBO: , C400, C408, C413, C418, C446, C491, C764, C795, D480, D481, D482, D Serviço de Oncologia Oncologia cirúrgica

16 RESSECCAO DE TUMOR DE PARTES MOLES EM ONCOLOGIA Ressecção de partes moles por tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno. A compatibilidade da linfadenectomia superficial é de acordo com a topografia tumoral. Os procedimentos seqüenciais de plastica reconstrutora são excludentes entre si. Origem: , Valor Hospitalar SP: 1032,80 Valor Hospitalar SH: 2939,41 Valor Hospitalar Total: 3972,21 Pontos: 400 CBO: , , , C490, C491, C492, C493, C494, C495, C496, C498, C798, D481, D Serviço de Oncologia Oncologia cirúrgica SEGMENTECTOMIA PULMONAR EM ONCOLOGIA Resseccao de segmento pulmonar por tumor maligno. Origem: Valor Hospitalar SP: 674,97 Valor Hospitalar SH: 2.279,57 Valor Hospitalar Total: 2.954, Inclui valor da anestesia, CNRAC Media Permanência: 5 Pontos: 300 CBO: , , C341, C342, C343, C RESSECÇAO PULMONAR EM CUNHA EM ONCOLOGIA Resseccao pulmonar em cunha/nodulo por tumor maligno. Origem: Valor Hospitalar SP: 674,97 Valor Hospitalar SH: 2.051,61 Valor Hospitalar Total: 2.726, Inclui valor da anestesia, CNRAC Media Permanência: 3 Pontos: 300 CBO: , , C341, C342, C343, C TIMECTOMIA EM ONCOLOGIA Resseccao do timo por tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno. A peca cirurgica pode conter tumor benigno. Valor Hospitalar SP: 1.123,47 Valor Hospitalar SH: 3.063,17 Valor Hospitalar Total: 4.186,64 Pontos: 400 CBO: , , , ,

17 C37, D384 Media Permanência: 5 Valor Hospitalar SP: 199,92 Valor Hospitalar SH: 639,36 Valor Hospitalar Total: 839,28 ANEXO II PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS ONCOLÓGICOS ALTERADOS AMPUTACAO DE PENIS EM ONCOLOGIA Amputacão parcial ou total de pênis. Admite procedimento(s) sequencial(ais). CBO: , , , Valor Hospitalar SP: 894,87 Valor Hospitalar SH: 3.167,58 Valor Hospitalar Total: 4.062, CISTECTOMIA TOTAL E DERIVACAO EM 1 SÓ TEMPO EM ONCOLOGIA Ressecção completa da bexiga com ou sem ureteroenterostomia. Admite procedimento(s) sequencial(ais). C670, C671, C672, C673, C674, C675, C676, C677, C CISTECTOMIA TOTAL COM DERIVAÇÃO SIMPLES EM ONCOLOGIA Descrição Resseccão completa da bexiga com ou sem nefrostomia ou ureterostomia. Valor Hospitalar SP: 884,42 Valor Hospitalar SH: , 11 Valor Hospitalar Total: 4.007,53 0 mês(es) CISTOENTEROPLASTIA EM ONCOLOGIA Reconstrucao da bexiga com alça intestinal apos resseccao da bexiga por tumor primario ou invasao de tumor em orgao continuo ou contiguo (ovário, útero, colo, reto, vagina, próstata, uretra, vesiculas seminais ou intestino delgado. Valor Hospitalar SP: 898,91 Valor Hospitalar SH: 3.184,82 Valor Hospitalar Total: 4.083,73 C170, C171, C172,C173, C178, C180, C181, C182, C186, C187, C19, C20, C52, C531, C538, C540, C541, C542, C543, C548, C56, C61, C637, C670, C671, C672, C673, C674, C675, C676, C677, C678, C680 Valor Hospitalar SP: 436,91 Valor Hospitalar SH: 1.316, NEFRECTOMIA TOTAL EM ONCOLOGIA Ressecção total de rim por tumor maligno, por tumor incerto se benigno ou em caso de peça cirurgica de angiolipoma. Admite procedimento sequencial. Valor Hospitalar Total: 1.753,30 Valor Hospitalar SP: 567,98 Valor Hospitalar SH: , NEFROURETERECTOMIA TOTAL EM ONCOLOGIA Ressecção total de rim, ureter até a bexiga por tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno. A linfadenectomia retroperitoneal como procedimento sequencial só é compativel com o CID de tumor maligno. Valor Hospitalar Total: 2.279,28 Valor Hospitalar SP: 264,40 Valor Hospitalar SH: 588, ORQUIECTOMIA UNILATERAL EM ONCOLOGIA Resseccao total de testiculo por tumor maligno, secundario ou incerto se benigno ou maligno 03 - Hospital dia 09 - Leito-dia/cirurgico Valor Hospitalar Total: 852, PROSTATECTOMIA EM ONCOLOGIA Resseccao total ou parcial da prostata com ou sem outras estruturas pelvicas por tumor maligno. Valor Hospitalar SP: 1.193,22 Valor Hospitalar SH: 2.790,07 Valor Hospitalar Total: 3.983, UNACON, UNACON com serviço de radioterapia, UNACON com serviço de hematologia, UNACON com serviço de oncologia pediátrica, CACON, CACON com serviço de oncologia pediátrica, Hospital Geral com cirurgia oncológica PROSTATOVESICULECTOMIA RADICAL EM ONCOLOGIA Resseccao total da prostata, vesiculas seminais ou outras estruturas pelvicas por tumor maligno. Inclui a linfadenectomia pelvica. Valor Hospitalar SP: 949,95 Valor Hospitalar SH: 3.466,31 Valor Hospitalar Total: 4.416, UNACON, UNACON com serviço de radioterapia, UNACON com serviço de hematologia, UNACON com serviço de oncologia pediátrica, CACON, CACON com serviço de oncologia pediátrica, Hospital Geral com cirurgia oncológica Valor Hospitalar SP: 899,01 Valor Hospitalar SH: 3.381, RESSECCAO DE TUMORES MULTIPLOS E SIMULTANEOS DO TRATO URINARIO EM ONCOLOGIA Resseccao de tumores malignos multiplos e simultaneos localizados em mais de uma topografia do trato urinario superior e i n f e r i o r. Valor Hospitalar Total: 4.280, RESSECCAO ENDOSCOPICA DE TUMOR VESICAL EM ONCOLOGIA Resseccao de tumor unico ou múltiplo superficial da bexiga urinaria por meio endoscopico Hospital dia Valor Hospitalar SP: 210, 11 Valor Hospitalar SH: 830,31 Valor Hospitalar Total: 1.040,42

18 Quantidade Máxima: 2 Media Permanência: 5 Valor Hospitalar SP: 873,18 Valor Hospitalar SH: 2.976,86 Valor Hospitalar Total: 3.850,04 Quantidade Máxima: 2 Media Permanência: 5 Valor Hospitalar SP: 892,95 Valor Hospitalar SH: 3.057,98 Valor Hospitalar Total: 3.950,93 Valor Hospitalar SP: 454,84 Valor Hospitalar SH: 1.218,56 Valor Hospitalar Total: 1.673,40 Quantidade Máxima Leito-dia/cirurgico REIMPLANTE URETERAL EM ONCOLOGIA - URETEROCISTONEOSTOMIA Consiste no reimplante ureteral na bexiga em caso de invasão tumoral vesical primaria ou secundaria a tumor de orgao genital ou intestinal ou retroperitoneal. 0 mês(es) C66, C677, C791, D REIMPLANTE URETERAL EM ONCOLOGIA - URETEROENTEROSTOMIA Consiste no reimplante ureteral em segmento de alça intestinal em caso de invasão tumoral vesical primaria ou secundaria a tumor de orgao genital ou intestinal ou retroperitoneal. 0 mês(es) C66, C677,C791,D LINFADENECTOMIA PELVICA EM ONCOLOGIA Esvaziamento de cadeia(s) linfatica(s ) pelvica(s) em caso de tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno do aparelho genital ou urinário ou digestivo inferior ou partes moles pélvicas, para fins de estadiamento ou terapeutico. Na peça cirúrgica os linfonodos podem ser livres de neoplasia maligna. C775. Valor Hospitalar SP: 455,01 Valor Hospitalar SH: 1.041, PAROTIDECTOMIA PARCIAL EM ONCOLOGIA Resseccao do lobo superficial de parotida por tumor benigno, maligno ou incerto se benigno maligno. A peça cirurgica pode ser livre de neoplasia. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si) e em caso de invasão de pele admite procedimento sequencial de síntese (os procedimentos são excludentes entre si). Valor Hospitalar Total: 1.496,31 Valor Hospitalar SP: 200,10 Valor Hospitalar SH: 591,39 Valor Hospitalar Total: 791,49 Valor Hospitalar SP: 171,62 Valor Hospitalar SH: 591, RESSECÇÃO DE GLANDULA SALIVAR MENOR EM ONCOLOGIA Resseccao de glandula salivar menor para tratamento de tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si) RESSECÇÃO DE GLANDULA SUBLINGUAL EM ONCOLOGIA Resseccao de glandula sublingual para tratamento de tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno. A peça cirurgica pode ser de tumor benigno. Admite procedimento(s) sequencial(ais), sendo os procedimentos de linfadenectomia cervical unilateral excludentes entre si. Valor Hospitalar Total: 763,01 Valor Hospitalar SP: 223,10 Valor Hospitalar SH: 591, RESSECÇÃO DE GLANDULA SUBMANDIBULAR EM ONCOLOGIA Resseccao de glandula submandibular para tratamento de tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno. A peça cirurgica pode ser de tumor benigno. Admite procedimento(s) sequencial(ais), sendo os procedimentos de linfadenectomia cervical unilateral excludentes entre si. Valor Hospitalar Total: 814,49 Valor Hospitalar SP: 559,95 Valor Hospitalar SH: 517, GLOSSECTOMIA PARCIAL EM ONCOLOGIA Resseccao parcial de lingua por tumor maligno. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si). Valor Hospitalar Total: 1.077,15 Valor Hospitalar SP: 1.087,57 Valor Hospitalar SH: 2.949,84 Valor Hospitalar Total: 4.037, GLOSSECTOMIA TOTAL EM ONCOLOGIA Resseccao total de lingua por tumor maligno com traqueostomia. Admite procedimento(s) sequencial(ais). Os procedimentos de linfadenectomia cervical unilateral são excludentes entre si. Os procedimentos de cirurgia plastica são excludentes entre si. 19 Ano(s) Media Permanência: UNACON, UNACON com serviço de radioterapia, UNACON com serviço de hematologia, UNACON com serviço de oncologia pediátrica, CACON, CACON com serviço de oncologia pediátrica, Hospital Geral com cirurgia oncológica Valor Hospitalar SP: 649,76 Valor Hospitalar SH: 1.584,43 Valor Hospitalar Total: 2.234, PARATIREOIDECTOMIA TOTAL EM ONCOLOGIA Resseccao total de paratireoide(s) por tumor maligno. A peça cirúrgica pode ser livre de neoplasia maligna. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si). C750, D442.

19 PAROTIDECTOMIA TOTAL EM ONCOLOGIA Resseccao total de parotida por tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno. A peça cirurgica pode ser livre de neoplasia maligna. Admite como procedimento sequencial linfadenectomia cervical unilateral (os procedimentos são excludentes entre si). Em caso de invasão de pele, admite procedimento seqüencial de cirurgia plastica (os procedimentos são excludentes entre si). Valor Hospitalar SP: 540,42 Valor Hospitalar SH: 987,83 Valor Hospitalar Total: 1.528,25 CBO: , , , , C07, D UNACON, UNACON com serviço de radioterapia, UNACON com serviço de hematologia, UNACON com serviço oncologia pediátrica, CACON, CACON com serviço de oncologia pediátrica, Hospital Geral com cirurgia oncológica Valor Hospitalar SP: 325,12 Valor Hospitalar SH: 927,48 Valor Hospitalar Total: 1.252, ANASTOMOSE BILEO-DIGESTIVA EM ONCOLOGIA Derivação entre via biliar extra-hepática e intestino delgado para desvio do fluxo biliar em caso de tumor maligno irressecável com finalidade paliativa. C23, C240, C241, C248, C249, C250, C251,C253,C COLEDOCOSTOMIA C/ OU S/ COLECISTECTOMIA EM ONCOLOGIA Derivação externa do colédoco para desvio do fluxo biliar, com ou sem colecistectomia. Valor Hospitalar SP: 541,22 Valor Hospitalar SH: 1.482,31 Valor Hospitalar Total: 2.023, UNACON, UNACON com serviço de radioterapia, UNACON com serviço de hematologia, UNACON com serviço de oncologia pediátrica, UNACON exclusiva de oncologia pediátrica, CACON, CACON com serviço de oncologia pediátrica, Hospital Geral com cirurgia oncológica Valor Hospitalar SP: 1.220,48 Valor Hospitalar SH: 4.156,05 Valor Hospitalar Total: 5.376, ESOFAGOGASTRECTOMIA COM TORACOTOMIA EM ONCOLOGIA Consiste na retirada de todo o tubo esofageano torácico com abertura da cavidade torácica. Admite procedimento(s) sequencial(ais) Cirúrgico 07- Pediátrico CBO: , , , , Valor Hospitalar SP: 909,29 Valor Hospitalar SH: 3.228,98 Valor Hospitalar Total: 4.138, ESOFAGOCOLOPLASTIA OU ESOFAGOGASTROPLASTIA EM ONCOLOGIA Consiste na realização de anastomose do esôfago a um segmento de intestino grosso ou no estomago em caso de tumor maligno irressecável com finalidade paliativa. Admite procedimento sequencial. Media Permanência: Cirúrgico, 07- Pediátrico CBO: , , , , C151, C152, C153, C154, C155, C158, C160 Valor Hospitalar SP: 901,77 Valor Hospitalar SH: 3.196,97 Valor Hospitalar Total: 4.098, ESOFAGOGASTRECTOMIA SEM TORACOTOMIA EM ONCOLOGIA Consiste na retirada parcial ou total do esôfago e estomago por tumor maligno. Admite procedimento(s) sequencial(ais) O procedimento sequencial de reconstrução é compatível somente em caso de tumor maligno de esofago cervical. C151, C152, C153, C154, C155, C158, C160, C161. Valor Hospitalar SP: 732,25 Valor Hospitalar SH: 2.762,03 Valor Hospitalar Total: 3.494,28 Valor Hospitalar SP: 541,01 Valor Hospitalar SH: 1.584,43 Valor Hospitalar Total: 2.125,44 Quantidade Máxima: GASTRECTOMIA TOTAL EM ONCOLOGIA Ressecção total de estômago por tumor maligno. Admite como procedimento(s) sequencial(ais)em caso de linfadenectomia retroperitoneal (nível 12) inclui a colecistectomia. Os materiais compatíveis com este procedimento observam o tipo de víscera ressecada, não se multiplicando os grampeadores nos procedimentos sequenciais. O número máximo de cargas corresponde a gastrectomia associada a ressecção de outra víscera oca. C160, C161, C162, C163, C164, C165, C166, C HEPATECTOMIA PARCIAL EM ONCOLOGIA Ressecção de lobo ou segmento(s) hepático(s) por tumor maligno primário de fígado ou vias biliares intra-hepáticas ou metastático, desde que não metastasectomia em cunha. Inclui colecistectomia quando indicada. Admite como sequencial o próprio procedimento ou metastasectomia quando envolver lobos diferentes. C220, C221, C222, C223, C224, C227, C787. Valor Hospitalar SP: 853,47 Valor Hospitalar SH: 3.019,10 Valor Hospitalar Total: 3.872,57 Media Permanência: PANCREATECTOMIA PARCIAL EM ONCOLOGIA Ressecção parcial de pâncreas (corpo e/ou cauda) por tumor maligno com ou sem ressecção parcial de estômago ou intestino. Admite procedimento(s) sequencial(ais). Quando associado às ressecções de tubo digestivo, é compatível com 2 cargas de grampeador linear cortante. A peça operatória pode não conter neoplasia maligna. C251, C252, C253, C254, C257, C DUODENOPANCREATECTOMIA EM ONCOLOGIA Ressecção abrangendo duodeno e pâncreas com ou sem gastrectomia por tumor maligno. Admite procedimento(s) sequencial(ais).

20 Valor Hospitalar SP: 1.206,29 Valor Hospitalar SH: 4.300,74 Valor Hospitalar Total: 5.507,03 C170, C240, C241, C248, C250. Valor Hospitalar SP: 1.434,93 Valor Hospitalar SH: 5.134,74 Valor Hospitalar Total: 6.569,67 Media Permanência: RESSECCAO DE TUMOR RETROPERITONIAL C/ RESSECCAO DE ORGAOS CONTIGUOS EM ON- COLOGIA Consiste na retirada de tumor maligno ou incerto se benigno ou maligno do retroperitoneo mais a ressecção de viscera(s) oca(s) ou sólida(s). Os materiais compatíveis com este procedimento observam o tipo de víscera ressecada. CBO: , , , Valor Hospitalar SP: 1.215,75 Valor Hospitalar SH: 4.341, AMPUTACAO ABDOMINO-PERINEAL DE RETO EM ONCOLOGIA Ressecção de todo o reto, anus e parte do sigmóide com acesso combinado por laparotomia e via perineal por tumor maligno de reto, anus ou canal anal. Inclui colostomia. A peça cirúrgica pode ser livre de neoplasia maligna no reto. Admite procedimento(s) sequencial(ais). Aos materiais compatíveis com este procedimento somam-se o grampeador e carga em caso de metastasectomia hepática como procedimento sequencial. Valor Hospitalar Total: 5.556,76 Valor Hospitalar SP: 655,47 Valor Hospitalar SH: 1.316,30 Valor Hospitalar Total: 1.971, COLECTOMIA PARCIAL (HEMICOLECTOMIA) EM ONCOLOGIA Ressecao parcial de intestino grosso por tumor maligno. Inclui linfadenectomia. Admite como procedimento (s) sequencial(ais), sendo a colostomia ou ileostomia indicada em caso de anastomose de risco (quando indicado). Aos materiais compatíveis com este procedimento somam-se o grampeador e carga em caso de metastasectomia hepática como procedimento seqüencial. Media Permanência: 5 Valor Hospitalar SP: 1.170,26 Valor Hospitalar SH: 5.170,56 Valor Hospitalar Total: 6.340,82 Valor Hospitalar SP: 223,08 Valor Hospitalar SH: 768, COLECTOMIA TOTAL EM ONCOLOGIA Ressecao total do intestino grosso por tumor maligno. Inclui linfadenectomia e anastomose ileorretal. Admite procedimento(s) sequencial(ais). Aos materiais compatíveis com este procedimento, somam-se o grampeador e carga em caso de metastasectomia hepática como procedimento sequencial. C180, C181, C183, C184, C185, C186, C187, C EXCISAO LOCAL DE TUMOR DO RETO EM ONCOLOGIA Consiste na ressecção local de tumor do reto até 2 cm de diâmetro. Admite procedimento sequencial. Valor Hospitalar Total: 991,89 Valor Hospitalar SP: 1.170,86 Valor Hospitalar SH: 4.263, RETOSSIGMOIDECTOMIA ABDOMINAL EM ONCOLOGIA Consiste na retirada de todo o sigmoide e ressecção parcial ou total do reto em caso de tumor maligno do retossigmoide. Admite procedimento(s) sequencial(ais). Aos materiais compatíveis com este procedimento somam-se o grampeador e carga em caso de metastasectomia hepática como procedimento sequencial. A peça cirúrgica pode ser livre de neoplasia maligna no reto. Valor Hospitalar Total: 5.434,40 Valor Hospitalar SP: 454,86 Valor Hospitalar SH: 1.353,83 Valor Hospitalar Total: 1.808, AMPUTACAO CONICA DE COLO DE UTERO C/ COLPECTOMIA EM ONCOLOGIA Ressecção do colo uterino e de parte superior da vagina por carcinoma do colo uterino (in situ ou invasivo em estágio inicial). CBO: , , Valor Hospitalar SP: 405,23 Valor Hospitalar SH: 1.139, ANEXECTOMIA UNI / BILATERAL EM ONCOLOGIA Ressecção de um ou ambos os ovários com ou sem ressecção de uma ou ambas as tubas uterinas por tumor maligno primário, secundário ou de comportamento incerto se benigno ou maligno de ovário ou de tuba uterina. Valor Hospitalar Total: 1.545,10 Valor Hospitalar SP: 300,15 Valor Hospitalar SH: 768, COLPECTOMIA EM ONCOLOGIA Ressecção parcial ou total de vagina por tumor maligno. Admite procedimento(s) sequencial(ais). Valor Hospitalar Total: 1.068,94 Valor Hospitalar SP: 1.128,66 Valor Hospitalar SH: 4.136,36 Valor Hospitalar Total: 5.265,02 Media Permanência: 7 Valor Hospitalar SP: 1.164,93 Valor Hospitalar SH: 4.238,50 Valor Hospitalar Total: 5.403, HISTERECTOMIA C/ RESSECCAO DE ORGAOS CONTIGUOS EM ONCOLOGIA Ressecção do útero e anexo(s) mais apêndice cecal, parte de bexiga ou segmento intestinal por tumor maligno de órgão genital feminino. C538, C539, C548, C549, C55, C56, C570, C HISTERECTOMIA TOTAL AMPLIADA EM ONCOLOGIA Remoção do útero com ressecção dos anexos uterinos, terço superior de vagina, paramétrios e ligamentos com linfadenectomia pélvica e para-aórtica por tumor maligno. Media Permanência: 5

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL Nº 247, segunda-feira, 24 de dezembro de 202 ISSN 677-7042 49 450 MARILUZ 5.956,40 4720 NOVA OLIMPIA 8.44,64 4760 PA L M A S 407.839,20 4885 PEROBAL 7.639,28 4925 PINHAL DE SAO BENTO 278,88 4240 REALEZA

Leia mais

RESOLUÇÃO CNRM N.º 07, 05 de setembro de 2006 (*)

RESOLUÇÃO CNRM N.º 07, 05 de setembro de 2006 (*) RESOLUÇÃO CNRM N.º 07, 05 de setembro de 2006 (*) Dispõe sobre a duração do programa de Residência Médica de Cancerologia/Cirúrgica e seu conteúdo programático O Presidente da Comissão Nacional de Residência

Leia mais

PROTOCOLO DE RESERVAS CIRÚRGICAS

PROTOCOLO DE RESERVAS CIRÚRGICAS PROTOCOLO DE RESERVAS CIRÚRGICAS PROTOCOLO DE RESERVAS CIRÚRGICAS Protocolo de máxima utilização de sangue. Baseado no histórico transfusional de todos os procedimentos cirúrgicos realizados no HUWC de

Leia mais

Palato duro. Palato, SOE. Palato, lesão sobreposta do

Palato duro. Palato, SOE. Palato, lesão sobreposta do C00 C000 C001 C002 C003 C004 C005 C006 C008 C009 C01 C019 C02 C020 C021 C022 C023 C024 C028 C029 C03 C030 C031 C039 C04 C040 C041 C048 C049 C05 C050 C051 C052 C058 C059 C06 C060 C061 C062 C068 C069 C07

Leia mais

Procedimentos Novos no Rol em Consulta Pública - termos técnicos e traduções

Procedimentos Novos no Rol em Consulta Pública - termos técnicos e traduções Procedimentos Novos no Rol em Consulta Pública - termos técnicos e traduções 1 CONSULTA COM FISIOTERAPEUTA consulta realizada com fisioterapeuta para diagnosticar as alterações do desempenho funcional,

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA RESERVA CIRÚRGICA DE HEMOCOMPONENTES

ORIENTAÇÕES PARA RESERVA CIRÚRGICA DE HEMOCOMPONENTES ORIENTAÇÕES PARA RESERVA CIRÚRGICA DE HEMOCOMPONENTES O conhecimento e análise do consumo de hemocomponentes pelo paciente submetido à intervenção cirúrgica são de fundamental importância para que o Hemocentro

Leia mais

H Convencionados. Operados e vale cirurgia emitidos por grupo extracção a 30-09-2010. 11 de Fevereiro de 2011

H Convencionados. Operados e vale cirurgia emitidos por grupo extracção a 30-09-2010. 11 de Fevereiro de 2011 H Convencionados Operados e vale cirurgia emitidos por grupo extracção a 30-09-2010 7 11 de Fevereiro de 2011 Título Actividade cirúrgica dos Convencionados Versão V1 Autores Unidade Central de Gestão

Leia mais

Apudoma TABELAS DE PROCEDIMENTOS POR NEOPLASIA E LOCALIZAÇÃO. PROCED. DESCRIÇÃO QT CID At. Prof. Vr. TOTAL

Apudoma TABELAS DE PROCEDIMENTOS POR NEOPLASIA E LOCALIZAÇÃO. PROCED. DESCRIÇÃO QT CID At. Prof. Vr. TOTAL TABELAS DE PROCEDIMENTOS POR NEOPLASIA E LOCALIZAÇÃO Apudoma 0304020117 Quimioterapia paliativa de apudoma (doença loco-regional avançada, inoperável, metastática ou recidivada; alteração da função hepática;

Leia mais

PROCEDIMENTOS GERAIS PROCEDIMENTOS GERAIS SIM SIM PROCEDIMENTOS CLÍNICOS PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES

PROCEDIMENTOS GERAIS PROCEDIMENTOS GERAIS SIM SIM PROCEDIMENTOS CLÍNICOS PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES CONSULTA/SESSÃO COM PSICÓLOGO E/OU TERAPEUTA OCUPACIONAL (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) CONSULTA COM NUTRICIONISTA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) CONSULTA/SESSÃO COM TERAPEUTA OCUPACIONAL (COM DIRETRIZ DE

Leia mais

Tumor Desmoplásico de Pequenas Células Redondas: Relato de um caso.

Tumor Desmoplásico de Pequenas Células Redondas: Relato de um caso. Everton Pereira D. Lopes² Eduardo M Pracucho¹ Ricardo de Almeida Campos² Karla Thaiza Thomal¹ Celso Roberto Passeri¹ Renato Morato Zanatto¹ 1-Departamento de Cirurgia Oncológica Aparelho Digestivo Alto

Leia mais

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES.

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES. MAPA AUDITÓRIO ÓPERA DE ARAME (200 LUGARES) DOMINGO 02 DE AGOSTO DE 2015. 8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:00 8:15 TEMA LIVRE SELECIONADO. 8:15 8:30 TEMA LIVRE SELECIONADO.

Leia mais

Roteiro de aulas teórico-práticas

Roteiro de aulas teórico-práticas Roteiro de aulas teórico-práticas Sistema digestório O sistema digestório humano é formado por um longo tubo musculoso, ao qual estão associados órgãos e glândulas que participam da digestão. Apresenta

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE PALOTINA HOSPITAL VETERINÁRIO RELATÓRIO DE EXAME NECROSCÓPICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE PALOTINA HOSPITAL VETERINÁRIO RELATÓRIO DE EXAME NECROSCÓPICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE PALOTINA HOSPITAL VETERINÁRIO RELATÓRIO DE EXAME NECROSCÓPICO Identificação do animal Nome/número RG do HV Espécie: Raça: Idade: Sexo: Peso: Cor: Data e hora do

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CANCEROLOGIA 21. O melhor esquema terapêutico para pacientes com neoplasia maligna de bexiga, os quais são clinicamente inelegíveis para cirurgia radical, é: a) Ressecção

Leia mais

Gaudencio Barbosa R4 CCP HUWC Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço 02-2012

Gaudencio Barbosa R4 CCP HUWC Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço 02-2012 Gaudencio Barbosa R4 CCP HUWC Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço 02-2012 Abordagens combinadas envolvendo parotidectomia e ressecção do osso temporal as vezes são necessárias como parte de ressecções

Leia mais

13º - AUDHOSP ANO 2014

13º - AUDHOSP ANO 2014 13º - AUDHOSP ANO 2014 PROCEDIMENTOS MÚLTIPLOS Mais de um procedimento principal em uma mesma AIH. VANDERLEI SOARES MOYA OBRIGATÓRIO O LANÇAMENTO DE PELO MENOS DOIS PROCEDIMENTOS PRINCIPAIS DIFERENTES

Leia mais

TABELA DE HONORÁRIOS CIRÚRGICOS

TABELA DE HONORÁRIOS CIRÚRGICOS 1 TABELA DE HONORÁRIOS CIRÚRGICOS Relação adotada entre peso e porte dos pacientes (P, M, G, Gigante). COD. PROCEDIMENTO VALOR (R$) 1. CIRURGIA 1 Caudectomia terapêutica adulto pequeno 200,00 2 Caudectomia

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ANATOMIA HUMANA Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto Sistema responsável pelo processamento (transformações químicas) de nutrientes, para que possam

Leia mais

Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo:

Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo: Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo: Análise dos dados e indicadores de qualidade 1. Análise dos dados (jan ( janeiro eiro/2000 a setembro/201 /2015) Apresenta-se aqui uma visão global sobre a base

Leia mais

Aulas teórica s PROFESSOR DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL

Aulas teórica s PROFESSOR DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO PROFESSOR Aulas teórica s Amb. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL 13:15 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 24/7/2015 Abdome Agudo

Leia mais

ANATOMIA HUMANA I. Sistema Digestório. Prof. Me. Fabio Milioni. Função: - Preensão - Mastigação - Deglutição - Digestão - Absorção - Defecação

ANATOMIA HUMANA I. Sistema Digestório. Prof. Me. Fabio Milioni. Função: - Preensão - Mastigação - Deglutição - Digestão - Absorção - Defecação ANATOMIA HUMANA I Sistema Digestório Prof. Me. Fabio Milioni Função: - Preensão - Mastigação - Deglutição - Digestão - Absorção - Defecação Sistema Digestório 1 Órgãos Canal alimentar: - Cavidade oral

Leia mais

10101004 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA 10102000 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - VISITAS 10103007 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS -

10101004 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA 10102000 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - VISITAS 10103007 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - Código SUGRUPO 10101004 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA 10102000 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - VISITAS 10103007 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - RECÉM-NASCIDO 10104003 PROCEDIMENTOS

Leia mais

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Departamento de Cirurgia Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Departamento de Cirurgia Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Departamento de Cirurgia Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço D I R E T R I Z E S 2 0 07 Antonio Jose Gonçalves A Disciplina de Cirurgia de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015 DATA SALA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO PROFESSOR 6/2/2015 102. D 13:15-14:10 Tratamento

Leia mais

Infecções e inflamações do trato urinário, funçao sexual e reprodutiva Urologia Denny

Infecções e inflamações do trato urinário, funçao sexual e reprodutiva Urologia Denny DATA hora AULA PROGRAMADA Módulo PROFESSOR 25/10/2013 14:00-14:55 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 14:55-15:50 Abdome Agudo - perfurativo e vascular/hemorrágico Clínica

Leia mais

GABARITO DE CIRURGIA GERAL

GABARITO DE CIRURGIA GERAL GABARITO DE CIRURGIA GERAL QUESTÃO 1 Paciente com febre, tosse e escarro purulento bastante fétido, apresenta os exames abaixo. Qual é a conduta mais adequada? A. Antibioticoterapia e fisioterapia. B.

Leia mais

SISTEMA DIGESTÓRIO DEFINIÇÃO:

SISTEMA DIGESTÓRIO DEFINIÇÃO: SISTEMA DIGESTÓRIO DEFINIÇÃO: CONJUNTO DE ÓRGÃOS FORMANDO UM CANAL ALIMENTAR COM A FINALIDADE DE NUTRIÇÃO DO ORGANISMO. FUNÇÕES: Sistema Digestório INSERÇÃO MASTIGAÇÃO DEGLUTIÇÃO DIGESTÃO ABSORÇÃO EXCREÇÃO

Leia mais

Considerando a pauta das reuniões do Comitê Transfusional do HSPE, apresentamos o protocolo de Reserva Cirúrgica de Sangue aprovado.

Considerando a pauta das reuniões do Comitê Transfusional do HSPE, apresentamos o protocolo de Reserva Cirúrgica de Sangue aprovado. Considerando a pauta das reuniões do Comitê Transfusional do HSPE, apresentamos o protocolo de Reserva Cirúrgica de Sangue aprovado. O conhecimento e análise do consumo de hemocomponentes pelo paciente

Leia mais

Cirurgias do sistema urinário INDICAÇÕES. Traumatismos. Urolitíase. Neoplasias. Infecções do trato t urinário

Cirurgias do sistema urinário INDICAÇÕES. Traumatismos. Urolitíase. Neoplasias. Infecções do trato t urinário CIRURGIAS DO OSS SISTEMA URINÁRIO Prof. Dr. João Moreira da Costa Neto Departamento de Patologia e Clínicas Escola de Medicina Vetrinária -UFBA Cirurgias do sistema urinário INDICAÇÕES Traumatismos Urolitíase

Leia mais

1.1 Tratamento pré e pós-operatório 1. 1.1.1 Pré-operatório 1

1.1 Tratamento pré e pós-operatório 1. 1.1.1 Pré-operatório 1 1. Considerações iniciais 1.1 Tratamento pré e pós-operatório 1 1.1.1 Pré-operatório 1 No ambulatório/na internação 1 Esclarecimentos/perguntas de ordem legal 2 Anestesia 3 Exames laboratoriais e de imagem

Leia mais

Programação Preliminar do 41 Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, Coloproctologia e Transplantes de Órgãos do Aparelho Digestivo

Programação Preliminar do 41 Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, Coloproctologia e Transplantes de Órgãos do Aparelho Digestivo Programação Preliminar do 41 Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, Coloproctologia e Transplantes de Órgãos do Aparelho Digestivo Cirurgia do Esôfago Painel de perguntas e filmes cirúrgicos

Leia mais

25/11 - SEXTA-FEIRA. Sala/Horário SALA RITZ SALA CC1 SALA CC2

25/11 - SEXTA-FEIRA. Sala/Horário SALA RITZ SALA CC1 SALA CC2 I CONGRESSO SUL-SUDESTE DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA ONCOLÓGICA VI JORNADA DE ONCOLOGIA DO CEPON 25 e 26 de Novembro de 2016 Centro de Convenções - Majestic Palace Hotel - Florianópolis - SC PROGRAMAÇÃO

Leia mais

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JANEIRO./2015.02 Proced com finalidade diagnóstica 8.946.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JANEIRO./2015.02 Proced com finalidade diagnóstica 8.946.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS.02 Proced com finalidade diagnóstica 8.946.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia 33.02.01.01 biópsia do colo uterino 0.02.01.01 biópsia de fígado por punção

Leia mais

SISTEMA DIGESTÓRIO CONCEITO SISTEMA DIGESTÓRIO SISTEMA DIGESTÓRIO FUNÇÕES SISTEMA DIGESTÓRIO DIVISÃO

SISTEMA DIGESTÓRIO CONCEITO SISTEMA DIGESTÓRIO SISTEMA DIGESTÓRIO FUNÇÕES SISTEMA DIGESTÓRIO DIVISÃO SISTEMA DIGESTÓRIO Universidade Federal do Ceará Departamento de Morfologia Prof. Erivan Façanha SISTEMA DIGESTÓRIO CONCEITO Órgãos que no conjunto cumprem a função de tornar os alimentos solúveis, sofrendo

Leia mais

OBJETIVOS GERAIS OBJETIVOS ESPECÍFICOS

OBJETIVOS GERAIS OBJETIVOS ESPECÍFICOS OBJETIVOS GERAIS O Programa de Residência Médica opcional de Videolaparoscopia em Cirurgia do Aparelho Digestivo (PRMCAD) representa modalidade de ensino de Pós Graduação visando ao aperfeiçoamento ético,

Leia mais

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JULHO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 15.985.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JULHO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 15.985.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JULHO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 15.985.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia 107.02.01.01 biópsia de pele e partes moles 39.02.01.01 Biópsia

Leia mais

FARINGE. Rinofaringe. Orofaringe. Hipofaringe. Esôfago. Laringe. Traquéia

FARINGE. Rinofaringe. Orofaringe. Hipofaringe. Esôfago. Laringe. Traquéia OROFARINGE Os tumores de cabeça e de pescoço totalizam 4,5% dos casos de diagnósticos de câncer. Uma importante fração dos tumores malignos da região da cabeça e pescoço se localiza primeiramente na orofaringe.

Leia mais

Departamento de Diagnóstico por Imagem do I.C.A.V.C. TOMOGRAFIA EM ONCOLOGIA

Departamento de Diagnóstico por Imagem do I.C.A.V.C. TOMOGRAFIA EM ONCOLOGIA TOMOGRAFIA EM ONCOLOGIA Tomografia: diagnóstico stico, estadiamento, acompanhamento, prevenção e pesquisa clínica nica; Objetivo da aula; TC Helicoidal X Multi slice Limitações do método. *Ajustes das

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO Curso: Biomedicina (17) Ano: 2013 Semestre: 2 Período: 2 Disciplina: Anatomia Humana (Human Anatomy) Carga Horária Total: 90 Teórica: 60 Atividade Prática: 30 Prática Pedagógica: 0 Aulas Compl. Tutorial:

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA O CANDIDATO:

INSTRUÇÕES PARA O CANDIDATO: INSTRUÇÕES PARA O CANDIDATO: 1) Esta prova é composta por 20 (vinte) questões de múltipla escolha, cada uma valendo 0,5 (meio) ponto. 2) Cada questão apresenta apenas uma resposta correta. Questões rasuradas

Leia mais

CODIFICAÇÃO DE TUMORES E CLASSIFICAÇÕES UTILIZADAS EM REGISTROS DE CÂNCER

CODIFICAÇÃO DE TUMORES E CLASSIFICAÇÕES UTILIZADAS EM REGISTROS DE CÂNCER CODIFICAÇÃO DE TUMORES E CLASSIFICAÇÕES UTILIZADAS EM REGISTROS DE CÂNCER CLASSIFICAÇÕES PADRONIZADAS UTILIZADAS EM REGISTROS DE CÂNCER CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE DOENÇAS - 10ª Revisão (CID-10) CLASSIFICAÇÃO

Leia mais

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS FEVEREIRO./2015.02 Proced com finalidade diagnóstica 10.814.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS FEVEREIRO./2015.02 Proced com finalidade diagnóstica 10.814.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS.02 Proced com finalidade diagnóstica 10.814.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia 43.02.01.01 biópsia do colo uterino 1.02.01.01 biópsia de fígado por punção

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA O CANDIDATO:

INSTRUÇÕES PARA O CANDIDATO: INSTRUÇÕES PARA O CANDIDATO: 1) Esta prova é composta por 20 (vinte) questões de múltipla escolha, cada uma valendo 0,5 (meio) ponto. 2) Cada questão apresenta apenas uma resposta correta. Questões rasuradas

Leia mais

Capítulo 20 (ex-capítulo 2) PROCEDIMENTOS

Capítulo 20 (ex-capítulo 2) PROCEDIMENTOS 2.1. VOLUME 3 da CID-9-MC Capítulo 20 (ex-capítulo 2) PROCEDIMENTOS O Volume 3 da CID-9-MC está dividido em Lista Tabular e Índice Alfabético. Os capítulos da Lista Tabular encontram-se organizados por

Leia mais

Neoplasia Maligna Dos Dois Tercos Anteriores Da Lingua Parte Nao Especificada

Neoplasia Maligna Dos Dois Tercos Anteriores Da Lingua Parte Nao Especificada SÅo Paulo, 20 de setembro de 2011 Protocolo: 0115/2011 Informo que a partir de 20/09/2011 alguns protocolos de atendimento da especialidade Cirurgia PlÑstica do Hospital das ClÖnicas foram desativados,

Leia mais

GABINETE DO MINISTRO PORTARIA N X.XXX, DE XX DE XXXXXXX DE 30.06.2014

GABINETE DO MINISTRO PORTARIA N X.XXX, DE XX DE XXXXXXX DE 30.06.2014 GABINETE DO MINISTRO PORTARIA N X.XXX, DE XX DE XXXXXXX DE 30.06.2014 Cria a Linha de Cuidados da Cirurgia da Criança e atualiza, por exclusão, inclusão e alteração, procedimentos cirúrgicos pediátricos

Leia mais

Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo TRATAMENTO CIRÚRGICO DAS METÁSTASES HEPÁTICAS Carcinoma Metastático do Fígado METÁSTASES HEPÁTICAS Neoplasia primeira

Leia mais

#$%& ' % +,+*- %*1.!%2 )% /), '+2 # $%$&# '#( $)*+ 1/23

#$%& ' % +,+*- %*1.!%2 )% /), '+2 # $%$&# '#( $)*+ 1/23 ! " #$%& ' ()#%%*#% % +,+*- +%.%%. -+/+ 0)/+ &.%% %*1.!%2 )% /), /+ 3 )%3%* % +*)% %'+&* '+2 #%3*% 3%* *%%%!%*&*. '/+%,%/+#. 4 3 # $%$&# '#( $)*+ 1/23 56 7,###' # #-#. / 0,#, #. 1,2# 3,###,, #.0, # # 45.

Leia mais

HM Cardoso Fontes Serviço o de Cirurgia Geral Sessão Clínica

HM Cardoso Fontes Serviço o de Cirurgia Geral Sessão Clínica HM Cardoso Fontes Serviço o de Cirurgia Geral Sessão Clínica 22/07/04 Anastomoses Bilio-digestivas Intra-hep hepáticas em Tumores da Convergência Diego Teixeira Alves Rangel Tratamento Paliativo em 10

Leia mais

CÂNCER DE CAVIDADE ORAL

CÂNCER DE CAVIDADE ORAL T1 e T2 (andar inferior) Ressecção tumor primário com sutura primária, enxerto ou retalho** N0 N1, N2a-b e N3 N2c EC seletivo I, II, III (SOH) EC radical*** EC radical bilateral*** ipsilateral ou bilateral

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CANCEROLOGIA 21. Na imunohistoquímica, qual(is) dos marcadores tumorais abaixo, em um paciente com carcinoma metastático de sítio primário desconhecido, sugere primário

Leia mais

Classificação dos Sítios Anatômicos (Revisão AJC-UICC 2002)

Classificação dos Sítios Anatômicos (Revisão AJC-UICC 2002) Classificação dos Sítios Anatômicos (Revisão AJC-UICC 2002) 1. Supraglote a. Epiglote suprahióidea (inclui ponta da epiglote, superfícies lingual e laríngea) b. Prega ariepiglótica, face laríngea c. Aritenóide

Leia mais

www.saudedireta.com.br

www.saudedireta.com.br C00-D48 CAPÍTULO II : Neoplasmas (Tumores) C00.0 Lábio superior externo C00.1 Lábio inferior externo C00.2 Lábio externo, não especificado C00.3 Lábio superior, face interna C00.4 Lábio inferior, face

Leia mais

REGISTO ONCOLÓGICO REGIONAL REGIÃO CENTRO. PORTARIA Nº. 35/88 de 16 de Janeiro.

REGISTO ONCOLÓGICO REGIONAL REGIÃO CENTRO. PORTARIA Nº. 35/88 de 16 de Janeiro. REGISTO ONCOLÓGICO REGIONAL REGIÃO CENTRO PORTARIA Nº. 35/88 de 16 de Janeiro. ANO DE 2009 REGISTO ONCOLÓGICO REGIONAL REGIÃO CENTRO endereço: www.croc.min-saude.pt email: ror@ipocoimbra.min-saude.pt RESPONSÁVEIS

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE CARCINOMA DA BEXIGA INVASIVO E METASTÁTICO

ORIENTAÇÕES SOBRE CARCINOMA DA BEXIGA INVASIVO E METASTÁTICO ORIENTAÇÕES SOBRE CARCINOMA DA BEXIGA INVASIVO E METASTÁTICO (Texto actualizado em Março de 2008) A. Stenzl (Presidente), N.C. Cowan, M. De Santis, G. Jakse, M. Kuczyk, A.S. Merseburger, M.J. Ribal, A.

Leia mais

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto Introdução É realizada a avaliação de um grupo de pacientes com relação a sua doença. E através dele

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ALCIDES CARNEIRO DIA - 20/12/2009 CARGO: CIRURGIÃO ONCOLÓGICO C O N C U R S O P Ú B L I C O - H U A C / 2 0 0 9 Comissão de

Leia mais

TUMORES DE GLÂNDULAS SALIVARES

TUMORES DE GLÂNDULAS SALIVARES Dr. Marcio R. Studart da Fonseca Cirurgia de Cabeça e Pescoço-HUWC/UFC Sistema Salivar 3 pares de Glândulas Salivares Maiores Parótidas Submandibulares Sublinguais Centenas de Glândulas Salivares Menores

Leia mais

TRATAMENTO DO CÂNCER DE BOCA Conduta CCP UNIFESP/EPM

TRATAMENTO DO CÂNCER DE BOCA Conduta CCP UNIFESP/EPM MARCELLO DEBONI TRATAMENTO DO CÂNCER DE BOCA Conduta CCP UNIFESP/EPM Reunião do Departamento de ORL e CCP Disciplina de Cirurgia de Cabeça a e Pescoço UNIFESP-EPM EPM Prof. Dr. Marcio Abrahão Prof. Dr.

Leia mais

LISTA DE CIRURGIAS DATA PRE AGENDAMENTO ESPECIALIDADE Nº CODIGO PROCEDIMENTO SAME DN MUNICÍPIO

LISTA DE CIRURGIAS DATA PRE AGENDAMENTO ESPECIALIDADE Nº CODIGO PROCEDIMENTO SAME DN MUNICÍPIO CIRURGIA CABECA E PESCOCO 1 402010043 TIREOIDECTOMIA TOTAL 23/12/11 180863 06/11/50 MAUA CIRURGIA CABECA E PESCOCO 2 402010043 TIREOIDECTOMIA TOTAL 26/12/11 203470 08/03/45 SANTO ANDRE CIRURGIA CABECA

Leia mais

COMENTÁRIOS SOBRE A CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE DOENÇAS PARA ONCOLOGIA SEGUNDA EDIÇÃO (CID-O/2)

COMENTÁRIOS SOBRE A CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE DOENÇAS PARA ONCOLOGIA SEGUNDA EDIÇÃO (CID-O/2) Anexo COMENTÁRIOS SOBRE A CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE DOENÇAS PARA ONCOLOGIA SEGUNDA EDIÇÃO (CID-O/2) Os Registros Hospitalares de Câncer utilizam para codificar os tumores (topografia e histologia),

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.945, DE 27 DE AGOSTO DE 2009

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.945, DE 27 DE AGOSTO DE 2009 Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.945, DE 27 DE AGOSTO DE 2009 Altera, atualiza, e recompõe a Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses/Próteses e Materiais Especiais do SUS.

Leia mais

TOMOGRAFIA DE PESCOÇO

TOMOGRAFIA DE PESCOÇO TOMOGRAFIA DE PESCOÇO INTRODUÇÃO O exame de pescoço por TC é realizado com o paciente decúbito dorsal, com a cabeça voltada para gantry, imagens axiais contínuas com espessura de corte de 5mm e 5mm de

Leia mais

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS SETEMBRO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 16.443.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS SETEMBRO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 16.443.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS SETEMBRO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 16.443.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia 66.02.01.01 biópsia do colo uterino 4.02.01.01 Biópsia de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO Curso: Nutrição (04) Ano: 2013 Semestre: 1 Período: 1 Disciplina: Anatomia Humana (Human Anatomy) Carga Horária Total: 90 Teórica: 60 Atividade Prática: 30 Prática Pedagógica: 0 Aulas Compl. Tutorial:

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO Abdome

ROTEIRO DE ESTUDO Abdome ROTEIRO DE ESTUDO Abdome ARTÉRIAS O suprimento arterial do abdome é todo proveniente da aorta, que torna-se aorta abdominal após passar pelo hiato aórtico do diafragma ao nível de T12, e termina dividindose

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIATORÁCICA PROCEDIMENTOS E HONORÁRIOS

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIATORÁCICA PROCEDIMENTOS E HONORÁRIOS SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIATORÁCICA PROCEDIMENTOS E HONORÁRIOS ATIVIDADES CLÍNICAS Consulta em consultório 178,48 Acompanhamento enfermaria - diária 178,48 Acompanhamento UTI - diária 178,48 Consulta

Leia mais

Atualizado em Março/2014.

Atualizado em Março/2014. ANEXO I PROCEDIMENTOS QUE DEVEM SER REGISTRADOS EM BPA INDIVIDUALIZADO DE ACORDO COM A PORTARIA Nº 380, DE 12 DE AGOSTO DE 2010 Atualizado em Março/2014. CÓDIGO NOME 0201010062 BIOPSIA DE BEXIGA 0201010216

Leia mais

UNIMED COSTA DO SOL. Nº Cód.Tab Cód.UCS DESCRIÇÃO vlr tx video

UNIMED COSTA DO SOL. Nº Cód.Tab Cód.UCS DESCRIÇÃO vlr tx video UNIMED COSTA DO SOL Nº Cód.Tab Cód.UCS DESCRIÇÃO vlr tx video 1 31005454 88010001 ABSCESSO HEPÁTICO - DRENAGEM CIRÚRGICA POR 163,24 2 30735033 88010002 ACROMIOPLASTIA 194,35 3 30205271 88010003 ADENOIDECTOMIA

Leia mais

Aula magna: GLOSSECTOMIA

Aula magna: GLOSSECTOMIA Aula magna: GLOSSECTOMIA R3 ORL HAC Mariele B. Lovato INTRODUÇÃO A língua é um órgão predominantemente muscular localizado na cavidade oral, extremamente especializado, responsável pelas mastigação, deglutição,

Leia mais

Sistema reprodutor masculino

Sistema reprodutor masculino Sistema reprodutor masculino O sistema reprodutor masculino é composto por: Testículos Vias espermáticas Glândulas anexas Pênis Saco escrotal Assim como o pênis está localizado externamente ao corpo,

Leia mais

PECOGI A.C.Camargo Cancer Center PROGRAMA 2014

PECOGI A.C.Camargo Cancer Center PROGRAMA 2014 PECOGI A.C.Camargo Cancer Center PROGRAMA 2014 21/08 QUINTA-FEIRA 7:50 8:00 Abertura 8:00 9:30 Mesa Redonda: CEC de Esôfago 8:00 8:15 Ferramentas de estadiamento na neoplasia esofágica. É possível individualizar

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER II JORNADA DE TÉCNICOS DE ENFERMAGEM DO INCA Práticas do Técnico de Enfermagem no Atendimento ao Paciente Oncológico Tratamento Cirúrgico - Ginecologia Téc. de Enfermagem Juliana

Leia mais

CIRURGIA CITORREDUTORA E NO TRATAMENTO DA CARCINOMATOSE PERITONEAL. Ademar Lopes

CIRURGIA CITORREDUTORA E NO TRATAMENTO DA CARCINOMATOSE PERITONEAL. Ademar Lopes CIRURGIA CITORREDUTORA E QUIMIOTERAPIA INTRAPERITONEAL HIPERTÉRMICA NO TRATAMENTO DA CARCINOMATOSE PERITONEAL Ademar Lopes CÂNCER COLORRETAL SOB mediana em doença avançada versus tratamento sistêmico Meyerhardt

Leia mais

Estadiamento dos cancros ginecológicos: FIGO 2009

Estadiamento dos cancros ginecológicos: FIGO 2009 A Estadiamento dos cancros ginecológicos: FGO 2009 Sofia Raposo e Carlos Freire de Oliveira O estadiamento dos cancros é preconizado com o intuito de permitir uma comparação válida dos resultados entre

Leia mais

Página 1 de 23 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 420, DE 25 DE AGOSTO DE 2010 O Secretário de Atenção

Leia mais

REGISTO ONCOLÓGICO REGIONAL REGIÃO CENTRO. PORTARIA Nº. 35/88 de 16 de Janeiro.

REGISTO ONCOLÓGICO REGIONAL REGIÃO CENTRO. PORTARIA Nº. 35/88 de 16 de Janeiro. Edição revista REGISTO ONCOLÓGICO REGIONAL REGIÃO CENTRO PORTARIA Nº. 35/88 de 16 de Janeiro. ANO DE 2008 REGISTO ONCOLÓGICO REGIONAL REGIÃO CENTRO (*) tempo parcial endereço: www.croc.min-saude.pt email:

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR Acerca dos tumores benignos que ocorrem na cavidade nasal, julgue os seguintes itens. 41 A maioria dos papilomas invertidos surge da parede lateral da cavidade nasal, sendo comum um envolvimento secundário

Leia mais

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186 Câncer de Pulmão Todos os tipos de câncer podem se desenvolver em nossas células, as unidades básicas da vida. E para entender o câncer, precisamos saber como as células normais tornam-se cancerosas. O

Leia mais

DIAGNÓSTICO MÉDICO DADOS EPIDEMIOLÓGICOS FATORES DE RISCO FATORES DE RISCO 01/05/2015

DIAGNÓSTICO MÉDICO DADOS EPIDEMIOLÓGICOS FATORES DE RISCO FATORES DE RISCO 01/05/2015 01/05/2015 CÂNCER UTERINO É o câncer que se forma no colo do útero. Nessa parte, há células que podem CÂNCER CERVICAL se modificar produzindo um câncer. Em geral, é um câncer de crescimento lento, e pode

Leia mais

da Junção Esofagogástrica

da Junção Esofagogástrica HM Cardoso Fontes Serviço o de Cirurgia Geral Sessão Clínica 15/04/04 Carcinoma da Junção Esofagogástrica strica Diego Teixeira Alves Rangel Casos do Serviço (2001 2004) Nome Idade Diagnóstico Acesso Cirurgia

Leia mais

CARCINOMA DO OVÁRIO EM MULHER JOVEM QUANDO CONSERVAR?

CARCINOMA DO OVÁRIO EM MULHER JOVEM QUANDO CONSERVAR? CARCINOMA DO OVÁRIO EM MULHER JOVEM QUANDO CONSERVAR? JP Coutinho Borges, A Santos, A Carvalho, J Mesquita, A Almeida, P Pinheiro Serviço de Ginecologia e Obstetrícia ULSAM Viana do Castelo OBJETIVO Apresentação

Leia mais

02 DE AGOSTO DE 2015 (DOMINGO)

02 DE AGOSTO DE 2015 (DOMINGO) 02 DE AGOSTO DE 2015 (DOMINGO) Horário Programação 8:00: 08:30 Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. Procedimentos Robóticos em Cirurgia abdominal 8:45-9:00 Cirurgia Robótica das afecções do

Leia mais

Apoio e realização: II Congresso Brasileiro de Ginecologia Oncológica AGINON 2015 I Jornada Latino-Americana de Ginecologia Oncológica - LASGO

Apoio e realização: II Congresso Brasileiro de Ginecologia Oncológica AGINON 2015 I Jornada Latino-Americana de Ginecologia Oncológica - LASGO Apoio e realização: II Congresso Brasileiro de Ginecologia Oncológica AGINON 2015 I Jornada Latino-Americana de Ginecologia Oncológica - LASGO Local: Minas Centro, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Leia mais

DATA hora SALA AULA PROGRAMADA Módulo PROFESSOR

DATA hora SALA AULA PROGRAMADA Módulo PROFESSOR DATA hora SALA AULA PROGRAMADA Módulo PROFESSOR 14:00-14:55 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 14:55-15:50 Abdome Agudo - perfurativo e vascular/hemorrágico Clínica

Leia mais

ADENDO MODIFICADOR DO EDITAL N.º 13/2015-IEP/HCB

ADENDO MODIFICADOR DO EDITAL N.º 13/2015-IEP/HCB ADENDO MODIFICADOR DO EDITAL N.º 13/2015-IEP/HCB Por este instrumento o Conselho de Pós-Graduação (CPG) do Programa de Pós-Graduação em Oncologia do Hospital de Câncer de Barretos Fundação Pio XII, torna

Leia mais

ANATOMIA TOPOGRÁFICA DA CABEÇA E PESCOÇO (FCB00089)

ANATOMIA TOPOGRÁFICA DA CABEÇA E PESCOÇO (FCB00089) ANATOMIA TOPOGRÁFICA DA CABEÇA E PESCOÇO (FCB00089) Músculos e Trígonos do Pescoço Platisma Lâmina de músculo fina e larga, situada no tecido subcutâneo do pescoço. Recobre a face anterolateral do pescoço.

Leia mais

Protocolo abdome. Profº Cláudio Souza

Protocolo abdome. Profº Cláudio Souza Protocolo abdome Profº Cláudio Souza Abdome Quando falamos em abdome dentro da tomografia computadorizada por uma questão de radioproteção e também financeira o exame é dividido em, abdome superior e inferior

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA DIGESTÓRIO. DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais)

Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA DIGESTÓRIO. DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais) Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA DIGESTÓRIO DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais) 1ª edição janeiro/2007 SISTEMA DIGESTÓRIO SUMÁRIO Sobre a Bio Aulas... 03 Sistema Digestório... 04 Boca... 05 Características

Leia mais

Tabela de Procedimentos. 1 de 65

Tabela de Procedimentos. 1 de 65 31000002 Cirurgia múltipla - - - - 0 0 0 99 N 31001017 Nefropexia 351,81 155,98 37,24 545,03 293 4 0 99 S 31001025 Tratamento cirúrgico de fistulas ureterais 331,42 145,25 31,02 507,69 274 5 0 99 S 31001033

Leia mais

Aula 4: Sistema digestório

Aula 4: Sistema digestório Aula 4: Sistema digestório Sistema digestório As proteínas, lípideos e a maioria dos carboidratos contidos nos alimentos são formados por moléculas grandes demais para passar pela membrana plasmática e

Leia mais

TERMINOLOGIA CIRÚRGICA. Prefixos da terminologia cirúrgica e seus significados

TERMINOLOGIA CIRÚRGICA. Prefixos da terminologia cirúrgica e seus significados TERMINOLOGIA CIRÚRGICA Essa terminologia é formada por prefixos, que designam a parte do corpo relacionada à cirurgia, e por sufixos, que indicam o ato cirúrgico referente. Prefixos da terminologia cirúrgica

Leia mais

ACADEMIA NACIONAL DE MEDICINA

ACADEMIA NACIONAL DE MEDICINA ACADEMIA NACIONAL DE MEDICINA PESQUISA DE LINFONODO SENTINELA NA CIRURGIA DO CÂNCER GÁSTRICO PRECOCE Guilherme Pinto Bravo Neto, TCBC-RJ Prof. Adjunto Departamentoamento de Cirurgia FM UFRJ Coordenador

Leia mais

203 A. 16:30-17:20 Trauma cervical Clinica Cirúrgica Raphael 17:20-18:10 Queimaduras Clínica Cirúrgica Raphael

203 A. 16:30-17:20 Trauma cervical Clinica Cirúrgica Raphael 17:20-18:10 Queimaduras Clínica Cirúrgica Raphael CRONOGRAMA INTERNATO DE CIRURGIA 1º 2013 9º PERÍODO DATA/LOCAL HORÁRIO AULA PROGRAMADA Módulo PROFESSOR 24/5/2013 11:00-11:50 Lesões corporais Medicina Legal Andressa 11:50-12:40 Lesões corporais Medicina

Leia mais

TUMORES NA CRIANÇA COM MANIFESTAÇÕES ATÍPICAS

TUMORES NA CRIANÇA COM MANIFESTAÇÕES ATÍPICAS TUMORES NA CRIANÇA COM MANIFESTAÇÕES ATÍPICAS RESUMO Os autores apresentam uma série de casos de tumores na criança em que apresentaram uma manifestação atípica tais como, crescimento volumoso, porém sem

Leia mais

Câncer de próstata. O que você deve saber. Marco A. Fortes HNMD

Câncer de próstata. O que você deve saber. Marco A. Fortes HNMD Câncer de próstata O que você deve saber Marco A. Fortes HNMD Incidência do câncer em homens no Brasil em 1999 Localização Homens % Pele 19500 15,0 Pulmão 14800 11,6 Próstata 14500 11,4 Estômago 13600

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO EMBRIOLOGIA E ANATOMIA DO SISTEMA DIGESTÓRIO

ESTUDO DIRIGIDO EMBRIOLOGIA E ANATOMIA DO SISTEMA DIGESTÓRIO DISCIPLINA: SISTEMA GASTROINTESTINAL Área do conhecimento: Anatomia Professora: Jákina Guimarães Vieira ESTUDO DIRIGIDO EMBRIOLOGIA E ANATOMIA DO SISTEMA DIGESTÓRIO 1. Qual (is) o (s) folheto (s) embrionário

Leia mais

RLN (regional lymphnode linfonodo regional) 53-74%(tamanho não esta alterado). Pacientes com Mandubulectomia e Maxilectomia o MST é acima de um ano.

RLN (regional lymphnode linfonodo regional) 53-74%(tamanho não esta alterado). Pacientes com Mandubulectomia e Maxilectomia o MST é acima de um ano. Cirur.: Cirugia RLN:Regional Lynphonode/ Limfonodo regional Neoplasias Orais MST: Mean survive time/tempo médio de sobrevivência Leonel Rocha, DVM, MV DentalPet@gmail.com Melanoma maligno É o tumor oral

Leia mais

Apostila de Anatomia e Fisiologia humana Sistema Digestório-Prof. Raphael Garcia. Sistema Digestório

Apostila de Anatomia e Fisiologia humana Sistema Digestório-Prof. Raphael Garcia. Sistema Digestório Introdução Apostila de Anatomia e Fisiologia humana Sistema Digestório-Prof. Raphael Garcia Sistema Digestório O sistema digestório se resume em um longo tubo muscular que tem início nos lábios e termina

Leia mais