Lista Função - Ita Carlos Peixoto

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Lista Função - Ita Carlos Peixoto"

Transcrição

1 Lista Função - Ita Carlos Peixoto. (Ita 07) Sejam X e Y dois conjuntos finitos com X Y e X Y. Considere as seguintes afirmações: I. Existe uma bijeção f : X Y. II. Existe uma função injetora g: Y X. III. O número de funções injetoras f : X Y é igual ao número de funções sobrejetoras g: Y X. É (são) verdadeira(s) a) nenhuma delas. b) apenas I. c) apenas III. d) apenas I e II. e) todas.. (Ita 03) Considere funções f, g, f g:. Das afirmações: I. Se f e g são injetoras, f g é injetora; II. Se f e g são sobrejetoras, f III. Se f e g não são injetoras, f IV. Se f e g não são sobrejetoras, f é (são) verdadeira(s) a) nenhuma. b) apenas I e II. c) apenas I e III. d) apenas III e IV. e) todas. g é sobrejetora; g não é injetora; g não é sobrejetora, 3. (Ita 00) Analise se a função determine a função inversa f. f : x x 3 3, f(x) é bijetora e, em caso afirmativo, 4. (Ita 00) Sejam f, g: R R tais que f é par e g é impar. Das seguintes afirmações: I. f. g e impar, II. f o g e par, III. g o f e impar, é (são) verdadeira(s) a) apenas I. b) apenas II. c) apenas III. d) apenas I e II. e) todas. 7/06/07 0:4 pag.

2 5. (Ita 008) Um subconjunto D de IR tal que a função f: D IR, definida por f(x) = ln (x - x + ) é injetora, é dado por a) IR b) (-, ] c) [0, /] d) (0, ) e) [/, ) 6. (Ita 008) Seja f(x) = ln (x + x + ), x IR. Determine as funções h, g : IR IR tais que f(x) = g(x) + h(x), x IR, sendo h uma função par e g uma função ímpar. 7. (Ita 006) Seja f : 0, definida por x, 0 x f(x), x, x Seja g :, dada por f x, x 0 g(x), f x, 0 x com f definida acima. Justificando a resposta, determine se g é par, ímpar ou nem par nem ímpar. 8. (Ita 005) Considere os conjuntos S = {0,, 4, 6}, T = {, 3, 5} e U = {0,} e as afirmações: I - {0} S e S U. II - {} (S - U) e S T U = {0, }. III - Existe uma função f: S T injetiva. IV - Nenhuma função g: T S é sobrejetiva. Então, é(são) verdadeira(s) a) apenas I. b) apenas IV. c) apenas I e IV. d) apenas II e III. e) apenas III e IV. 9. (Ita 005) Seja D = R - {} e f : D D uma função dada por f(x) = (x + )/(x - ). Considere as afirmações: I - f é injetiva e sobrejetiva. II - f é injetiva, mas não sobrejetiva. III - f(x) + f(/x) = 0, para todo x D, x 0. IV - f(x). f(-x) =, para todo x D. Então, são verdadeiras a) apenas I e III. b) apenas I e IV. c) apenas II e III. 7/06/07 0:4 pag.

3 d) apenas I, III e IV. e) apenas II, III e IV. 0. (Ita 004) Sejam as funções f e g definidas em IR por f(x) = x + áx e g(x)= - (x + âx), em que á e â são números reais. Considere que estas funções são tais que Então, a soma de todos os valores de x para os quais (f o g) (x) = 0 é igual a a) 0 b) c) 4 d) 6 e) 8. (Ita 003) Mostre que toda função f: IR / {0} IR, satisfazendo f(xy) = f(x) + f(y) em todo seu domínio, é par.. (Ita 00) Sejam a, b, c reais não-nulos e distintos, c > 0. Sendo par a função dada por f(x) = (ax + b)/(x + c), -c < x < c, então f(x), para -c < x < c, é constante e igual a a) a + b. b) a + c. c) c. d) b. e) a. 3. (Ita 000) Sejam f, g: IR IR definidas por f(x)=x 3 e g(x)=0 a sendo a=3cos5x. Podemos afirmar que a) f é injetora e par e g é ímpar. b) g é sobrejetora e (g o f) é par. c) f é bijetora e (g o f) é ímpar. d) g é par e (g o f) é ímpar. e) f é ímpar e (g o f) é par. 4. (Ita 000) Considere f:ir IR definida por f(x)=sen3x-cos[(x-ð)/]. Sobre f podemos afirmar que:. a) é uma função par. b) é uma função ímpar e periódica de período fundamental 4ð. c) é uma função ímpar e periódica de período fundamental 4ð/3. d) é uma função periódica de período fundamental ð. e) não é par, não é ímpar e não é periódica. 7/06/07 0:4 pag.3

4 5. (Ita 999) Sejam f, g, h: IR IR funções tais que a função composta h o g o f:ir IR é a função identidade. Considere as afirmações: I - A função h é sobrejetora. II - Se x 0 IR é tal que f(x 0 ) = 0, então f(x) 0, para todo x IR com x x 0. III - A equação h(x) = 0 tem solução em IR. Então: a) Apenas a afirmação (I) é verdadeira. b) Apenas a afirmação (II) é verdadeira. c) Apenas a afirmação (III) é verdadeira. d) Todas as afirmações são verdadeiras. e) Todas as afirmações são falsas. 6. (Ita 999) Considere as funções f e g definidas por f(x)=x-(/x), para x 0 e g(x)=x/(x+), para x -. O conjunto de todas as soluções da inequação (g o f) (x) < g(x) é: a) [, + [ b) ]-, -[ c) [-, -[ d) ]-, [ e) ]-, -[ ], + [ 7. (Ita 998) Seja f: IR IR a função definida por f(x) = -3a x, onde a é um número real, 0 < a <. Sobre as afirmações: (I) f(x+y) = f(x) f(y), para todo x, y, IR. (II) f é bijetora. (III) f é crescente e f ( ] 0, + [ ) = ] -3,0 [. Podemos concluir que: a) Todas as afirmações são falsas. b) Todas as afirmações são verdadeiras. c) Apenas as afirmações (I) e (III) são verdadeiras. d) Apenas a afirmação (II) é verdadeira. e) Apenas a afirmação (III) é verdadeira. 8. (Ita 998) Sejam as funções f: IR IR e g: A IR IR, tais que f(x) = x - 9 e (fog) (x) = x - 6, em seus respectivos domínios. Então, o domínio A da função g é: a) [ - 3, + [ b) IR c) [ - 5, + [ d) ] -, - [ [ 3, + [ e) ] -, 6 [ 9. (Ita 998) Seja f: IR IR a função definida por f(x) = sen x - cos x. Então: a) f é ímpar e periódica de período ð. b) f é par e periódica de período ð/. c) f não é par nem ímpar e é periódica de período ð. d) f não é par e é periódica de período ð/4. e) f não é ímpar e não é periódica. 7/06/07 0:4 pag.4

5 0. (Ita 997) Se Q e I representam, respectivamente, o conjunto dos números racionais e o conjunto dos números irracionais, considere as funções f, g: IR IR definidas por f(x) = 0, se x Q, se x I g(x) =, se x Q 0, se x I Seja J a imagem da função composta f o g: IR IR. Podemos afirmar que a) J = IR b) J = Q c) J = {0} d) J = {} e) J = {0, }. (Ita 997) Sejam f, g : IR IR funções tais que g(x) = - x e f(x) + f( - x) = (x - ) 3, para todo x IR. Então f[g(x)] é igual a a) (x - ) 3 b) ( - x) 3 c) x 3 d) x e) - x. (Ita 996) Seja f: IR IR definida por f(x) = 3x 3, x 0 x 4x 3, x 0 Então: a) f é bijetora e (f o f)( ) = f - (). 3 b) f é bijetora e (f o f)( ) = f - (99). 3 c) f é sobrejetora, mas não é injetora. d) f é injetora, mas não é sobrejetora. e) f é bijetora e (f o f)( ) = f - (3) (Ita 996) Considere as funções reais f e g definidas por f(x) = (+x)/( - x ), x IR - {-,} e g(x) = x/( + x), x IR - {-/}. 7/06/07 0:4 pag.5

6 O maior subconjunto de IR onde pode ser definida a composta fog, tal que (fog)(x) < 0, é: a) ] -, -/[ ]-/3, -/4[ b) ] -, -[ ]-/3, -/4[ c) ] -, -[ ]-/, [ d) ], [ e) ]-/, -/3[ 4. (Ita 995) Seja a função f: R R definida por: onde a > 0 é uma constante. Considere K = {y R; f(y) = 0}. Qual o valor de a, sabendo-se que f(ð/) K? a) ð/4 b) ð/ c) ð d) ð / e) ð 7/06/07 0:4 pag.6

7 Gabarito: Resposta da questão : [A] Considerando os conjuntos X e Y, que satisfazem as condições do enunciado (conjuntos finitos com X Y e X Y), pode-se analisar as afirmações: [I] FALSO. Não existe bijeção f : X Y. [II] FALSO. Não existe função injetora g: Y X. [III] FALSO. O número de funções injetoras f : X Y não é igual ao número de funções sobrejetoras g: Y X. Resposta da questão : [A] Considerando f(x) = x e g(x) = x, temos: (f+g)(x) = 0 que não é injetora e nem sobrejetora, portanto I e II são falsas. Considerando, agora, f(x) = x e g(x) = x + x (não injetoras e não sobrejetoras), temos: (f+g)(x) = x, que é bijetora, logo as afirmações II e IV são falsas. Portanto, as afirmações acima são todas falsas. Resposta da questão 3: Vamos considerar f(x) f(y) x x y y x x xy y y xy x y xy (3 3 ) 3 (3 3 ) 3 (3 3 ) ( 3 ) 0 Então x y x y x y, logo f(x) é injetora. x x 3 3 x x f(x) k k (3 ) k 3 x x x k k (3 ) k k k Como x 3 k k sempre existirá um x para qualquer k. Logo f(x) é sobrejetora. Como f(x) é injetora e sobrejetora, concluímos que f(x) é bijetora. Calculando a inversa x x x x log (x x ) f (x) log (x x ). Resposta da questão 4: [D] I. f(-x).g(-x) = - f(x).g(x) (função ímpar) II.f(g(-x)) = f(-g(x)) = f(g(x)) ( função par) III.g(f(-x)) = g(f(x)) ( função par) Apenas I e II estão corretas. Resposta da questão 5: [C] 7/06/07 0:4 pag.7

8 Resposta da questão 6: h(x) = (/) ln (x 4 + x + ) e g(x) = (/) ln [(x + x + )/(x - x + )] Resposta da questão 7: x, 0 x f(x) x, x x, x 0 f x x, 0 x Temos que: f x, se x 0 g(x) f x, se 0 x x, se x 0 g(x) x, se 0 x Como g(x) g( x), x,, então g é par. Resposta da questão 8: [B] Resposta da questão 9: [A] Resposta da questão 0: [D] Resposta da questão : ) x = z e y = z f(z ) = f(z) + f(z) f(z ) = f(z) ) x = - z e y = - z f(z ) = f(- z) + f(- z) f(z ) = f(-z) Logo, f(z ) = f(z) = f(-z), z IR / {0} f(-z) = f(z), z IR / {0} f é par, z IR / {0} Resposta da questão : [E] Resposta da questão 3: [E] Resposta da questão 4: [B] Resposta da questão 5: [D] 7/06/07 0:4 pag.8

9 Resposta da questão 6: [E] Resposta da questão 7: [E] Resposta da questão 8: [A] Resposta da questão 9: [C] Resposta da questão 0: [C] Resposta da questão : [C] Resposta da questão : [B] Resposta da questão 3: [A] Resposta da questão 4: [D] 7/06/07 0:4 pag.9

10 Resumo das questões selecionadas nesta atividade Data de elaboração: 6/06/07 às 6:48 Nome do arquivo: lista função ita Legenda: Q/Prova = número da questão na prova Q/DB = número da questão no banco de dados do SuperPro Q/prova Q/DB Grau/Dif. Matéria Fonte Tipo Elevada... Matemática... Ita/07... Múltipla escolha Elevada... Matemática... Ita/03... Múltipla escolha Elevada... Matemática... Ita/00... Analítica Média... Matemática... Ita/00... Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Analítica Não definida.. Matemática... Ita/ Analítica Não definida.. Matemática... Ita/ Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Analítica Não definida.. Matemática... Ita/00... Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Múltipla escolha Média... Matemática... Ita/ Múltipla escolha Não definida.. Matemática... Ita/ Múltipla escolha 7/06/07 0:4 pag.0

11 7/06/07 0:4 pag.

Exercícios de Matemática Funções Função Composta

Exercícios de Matemática Funções Função Composta Exercícios de Matemática Funções Função Composta TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO (Ufba) Na(s) questão(ões) a seguir escreva nos parênteses a soma dos itens corretos. 1. Considerando-se as funções f(x) = x

Leia mais

Representação no Plano Cartesiano INTRODUÇÃO A FUNÇÃO

Representação no Plano Cartesiano INTRODUÇÃO A FUNÇÃO INTRODUÇÃO A FUNÇÃO Def: Dado dois conjuntos que tenham uma relação, chama-se função quando todo elemento do primeiro tiver associado um único elemento do segundo conjunto. Ou seja, f é função de A em

Leia mais

Matemática. Professor Adriano Diniz 26/02/2013. Aluno (a): EXERCÍCIOS PROPOSTOS

Matemática. Professor Adriano Diniz 26/02/2013. Aluno (a): EXERCÍCIOS PROPOSTOS Matemática Professor Adriano Diniz 0 Aluno (a): 6/0/01 EXERCÍCIOS PROPOSTOS 01. (MACKENZIE) Se, na figura abaixo, temos o esboço do gráfico da função y = f(x), o gráfico que melhor representa y = f(x 1)

Leia mais

Função. Definição formal: Considere dois conjuntos: o conjunto X com elementos x e o conjunto Y com elementos y. Isto é:

Função. Definição formal: Considere dois conjuntos: o conjunto X com elementos x e o conjunto Y com elementos y. Isto é: Função Toda vez que temos dois conjuntos e algum tipo de associação entre eles, que faça corresponder a todo elemento do primeiro conjunto um único elemento do segundo, ocorre uma função. Definição formal:

Leia mais

Uma função f de domínio A e contradomínio B é usualmente indicada por f : A B (leia: f de A em B).

Uma função f de domínio A e contradomínio B é usualmente indicada por f : A B (leia: f de A em B). Instituto de Ciências Exatas - Departamento de Matemática Cálculo I Profª Maria Julieta Ventura Carvalho de Araujo Capítulo : Funções.- Definições Sejam A e B dois conjuntos não vazios. Uma função f de

Leia mais

Notas de aulas. André Arbex Hallack

Notas de aulas. André Arbex Hallack Cálculo I Notas de aulas André Arbex Hallack Julho/007 Índice 0 Preliminares 0. Números reais.................................... 0. Relação de ordem em IR.............................. 3 0.3 Valor absoluto....................................

Leia mais

Interbits SuperPro Web

Interbits SuperPro Web . (Pucrj 015) Sejam as funções f(x) = x 6x e g(x) = x 1. O produto dos valores inteiros de x que satisfazem a desigualdade f(x) < g(x) é: a) 8 b) 1 c) 60 d) 7 e) 10 4. (Acafe 014) O vazamento ocorrido

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UFRPE Matemática Discreta Licenciatura em Computação Respostas - 3ª Lista de Exercícios

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UFRPE Matemática Discreta Licenciatura em Computação Respostas - 3ª Lista de Exercícios 1.Represente, graficamente, a relação Relações e Funções Represente, graficamente, a relação S = {( x, y) RxR / 2x + 3y 6 0}. 2.São dados A={1,2,3,4} e B={x, y, z}. Seja R a seguinte relação de A para

Leia mais

Sociedade Brasileira de Matemática Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional. n=1

Sociedade Brasileira de Matemática Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional. n=1 Sociedade Brasileira de Matemática Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional MA Números e Funções Reais Avaliação - GABARITO 3 de abril de 203. Determine se as afirmações a seguir são verdadeiras

Leia mais

FUNÇÃO COMO CONJUNTO R 1. (*)= ou, seja, * possui duas imagens. b) não é uma função de A em B, pois não satisfaz a segunda condição da

FUNÇÃO COMO CONJUNTO R 1. (*)= ou, seja, * possui duas imagens. b) não é uma função de A em B, pois não satisfaz a segunda condição da FUNÇÃO COMO CONJUNTO Definição 4.4 Seja f uma relação de A em B, dizemos que f é uma função de A em B se as duas condições a seguir forem satisfeitas: i) D(f) = A, ou seja, o domínio de f é o conjunto

Leia mais

Só Matemática O seu portal matemático http://www.somatematica.com.br FUNÇÕES

Só Matemática O seu portal matemático http://www.somatematica.com.br FUNÇÕES FUNÇÕES O conceito de função é um dos mais importantes em toda a matemática. O conceito básico de função é o seguinte: toda vez que temos dois conjuntos e algum tipo de associação entre eles, que faça

Leia mais

2.1A Dê o domínio e esboce o grá co de cada uma das funções abaixo. (a) f (x) = 3x (b) g (x) = x (c) h (x) = x + 1 (d) f (x) = 1 3 x + 5 1

2.1A Dê o domínio e esboce o grá co de cada uma das funções abaixo. (a) f (x) = 3x (b) g (x) = x (c) h (x) = x + 1 (d) f (x) = 1 3 x + 5 1 2.1 Domínio e Imagem 2.1A Dê o domínio e esboce o grá co de cada uma das funções abaixo. (a) f (x) = 3x (b) g (x) = x (c) h (x) = (d) f (x) = 1 3 x + 5 1 3 (e) g (x) 2x (f) g (x) = jj 8 8 < x, se x 2

Leia mais

REVISÃO DE. Vamos em Frente. O sucesso nos espera.

REVISÃO DE. Vamos em Frente. O sucesso nos espera. REVISÃO DE Esta Lista de Revisão reúne questões de vestibulares de todo o país. Sobre os assuntos dados no º Semestre. As questões foram selecionadas e classificadas cuidadosamente por assunto, com o objetivo

Leia mais

Obs.: São cartesianos ortogonais os sistemas de coordenadas

Obs.: São cartesianos ortogonais os sistemas de coordenadas MATEMÁTICA NOTAÇÕES : conjunto dos números complexos : conjunto dos números racionais : conjunto dos números reais : conjunto dos números inteiros = {0,,, 3,...} * = {,, 3,...} Ø: conjunto vazio A\B =

Leia mais

1. Dê o domínio e esboce o grá co de cada uma das funções abaixo. (a) f (x) = 3x (b) g (x) = x (c) h (x) = x + 1 (d) f (x) = 1 3 x + 5 1.

1. Dê o domínio e esboce o grá co de cada uma das funções abaixo. (a) f (x) = 3x (b) g (x) = x (c) h (x) = x + 1 (d) f (x) = 1 3 x + 5 1. 2.1 Domínio e Imagem EXERCÍCIOS & COMPLEMENTOS 1.1 1. Dê o domínio e esboce o grá co de cada uma das funções abaixo. (a) f (x) = 3x (b) g (x) = x (c) h (x) = x + 1 (d) f (x) = 1 3 x + 5 1 3 (e) g (x) 2x

Leia mais

Aula 17 Continuidade Uniforme

Aula 17 Continuidade Uniforme Continuidade Uniforme Aula 17 Continuidade Uniforme MÓDULO 2 - AULA 17 Metas da aula: Discutir o conceito de função uniformemente contínua, estabelecer o Teorema da Continuidade Uniforme e o Teorema da

Leia mais

Prova de Matemática: 13/12/12 PROVA ITA

Prova de Matemática: 13/12/12 PROVA ITA Prova de Matemática: // PROVA ITA matemática Gabarito ITA Prova de Matemática: // matemática : conjunto dos números naturais : conjunto dos números inteiros : conjunto dos números reais M m x n ( ): conjunto

Leia mais

Capítulo 2 Generalidades sobre Funções Reais de Variável Real. Carlos J. Luz Departamento de Matemática Escola Superior de Tecnologia de Setúbal

Capítulo 2 Generalidades sobre Funções Reais de Variável Real. Carlos J. Luz Departamento de Matemática Escola Superior de Tecnologia de Setúbal Capítulo Generalidades sobre Funções Reais de Variável Real Carlos J. Luz Departamento de Matemática Escola Superior de Tecnologia de Setúbal Ano Lectivo 7/8 Índice Generalidades sobre Funções. Definiçãodefunção....

Leia mais

ESPAÇOS QUOCIENTES DANIEL SMANIA. [x] := {y X t.q. x y}.

ESPAÇOS QUOCIENTES DANIEL SMANIA. [x] := {y X t.q. x y}. ESPAÇOS QUOCIENTES DANIEL SMANIA 1. Relações de equivalência Seja uma relação de equivalência sobre um conjunto X, isto é, uma rel ção binária que satisfaz as seguintes propriedades i. (Prop. Reflexiva.)

Leia mais

A Matemática no Vestibular do ITA. Material Complementar: Prova 2014. c 2014, Sergio Lima Netto sergioln@smt.ufrj.br

A Matemática no Vestibular do ITA. Material Complementar: Prova 2014. c 2014, Sergio Lima Netto sergioln@smt.ufrj.br A Matemática no Vestibular do ITA Material Complementar: Prova 01 c 01, Sergio Lima Netto sergioln@smtufrjbr 11 Vestibular 01 Questão 01: Das afirmações: I Se x, y R Q, com y x, então x + y R Q; II Se

Leia mais

POLINÔMIOS. x 2x 5x 6 por x 1 x 2. 10 seja x x 3

POLINÔMIOS. x 2x 5x 6 por x 1 x 2. 10 seja x x 3 POLINÔMIOS 1. (Ueg 01) A divisão do polinômio a) x b) x + c) x 6 d) x + 6 x x 5x 6 por x 1 x é igual a:. (Espcex (Aman) 01) Os polinômios A(x) e B(x) são tais que A x B x x x x 1. Sabendo-se que 1 é raiz

Leia mais

Funções com o Winplot

Funções com o Winplot UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - RS GRUPO PET MATEMÁTICA DA UFSM Funções com o Winplot Antonio Carlos Lyrio Bidel Luana Kuister Xavier Rodrigo Guerch Rosin Vagner Weide Rodrigues 2013 Conteúdo 1 Introdução

Leia mais

ITA - 2005 3º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

ITA - 2005 3º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR ITA - 2005 3º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Matemática Questão 01 Considere os conjuntos S = {0,2,4,6}, T = {1,3,5} e U = {0,1} e as afirmações: I. {0} S e S U. II. {2} S\U e S T U={0,1}.

Leia mais

Questão 01. Questão 02

Questão 01. Questão 02 PROVA DE MATEMÁTICA - TURMAS DO 3 O ANO DO ENSINO MÉDIO COLÉGIO ANCHIETA-BA - MARÇO DE 011. ELABORAÇÃO: PROFESSORES OCTAMAR MARQUES E ADRIANO CARIBÉ. PROFESSORA MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA Questão 01 Sabendo

Leia mais

ITA - 2003 3º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

ITA - 2003 3º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR ITA - 2003 3º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Matemática Questão 01 Seja z. Das seguintes afirmações independentes: argumento de ω. é (são) verdadeira(s) A) todas. C) apenas II e III.

Leia mais

2.2 Subespaços Vetoriais

2.2 Subespaços Vetoriais 32 CAPÍTULO 2. ESPAÇOS VETORIAIS 2.2 Subespaços Vetoriais Sejam V um espaço vetorial sobre R e W um subconjunto de V. Dizemos que W é um subespaço (vetorial) de V se as seguintes condições são satisfeitas:

Leia mais

O Teorema da Função Inversa e da Função Implícita

O Teorema da Função Inversa e da Função Implícita Universidade Estadual de Maringá - Departamento de Matemática Cálculo Diferencial e Integral: um KIT de Sobrevivência c Publicação eletrônica do KIT http://www.dma.uem.br/kit O Teorema da Função Inversa

Leia mais

Preliminar c 2015 Vinicius C. L. GUIA DE CÁLCULO. Vinicius Cifú Lopes. Versão Preliminar

Preliminar c 2015 Vinicius C. L. GUIA DE CÁLCULO. Vinicius Cifú Lopes. Versão Preliminar GUIA DE CÁLCULO Vinicius Cifú Lopes Versão Preliminar i Sumário Leia-me! I Bases 1 1 Funções em Perspectiva 3 1.1 Primeiros exemplos........................ 3 1.2 Nomenclatura e propriedades..................

Leia mais

www.calculo.sobralmatematica.org sis. op. Debian/Gnu/Linux

www.calculo.sobralmatematica.org sis. op. Debian/Gnu/Linux Calculo I Gabarito da lista 9 Aplicações da derivada tarcisio@member.ams.org T. Praciano-Pereira Dep. de Computação Univ. Estadual Vale do Acaraú 3 de novembro de 9 página da disciplina Documento produzido

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VESTIBULAR 2010 1 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia.

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VESTIBULAR 2010 1 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. PROVA DE MATEMÁTICA DA UFBA VESTIBULAR 010 1 a Fase Profa Maria Antônia Gouveia QUESTÃO 01 Sobre números reais, é correto afirmar: (01) Se m é um número inteiro divisível por e n é um número inteiro divisível

Leia mais

1 Propriedades das Funções Contínuas 2

1 Propriedades das Funções Contínuas 2 Propriedades das Funções Contínuas Prof. Doherty Andrade 2005 Sumário 1 Propriedades das Funções Contínuas 2 2 Continuidade 2 3 Propriedades 3 4 Continuidade Uniforme 9 5 Exercício 10 1 1 PROPRIEDADES

Leia mais

NOTAS DE AULA CONJUNTOS, FUNÇÕES E RELAÇÕES

NOTAS DE AULA CONJUNTOS, FUNÇÕES E RELAÇÕES NOTAS DE AULA CONJUNTOS, FUNÇÕES E RELAÇÕES CAPÍTULO I NOÇÕES BÁSICA DE CONJUNTOS 1. Conjuntos O conceito de conjunto aparece em todos os ramos da matemática. Intuitivamente, um conjunto é qualquer coleção

Leia mais

1_4. Página 1. Matérias > Matemática > Conjuntos Numéricos

1_4. Página 1. Matérias > Matemática > Conjuntos Numéricos 1_4 Página 1 Matérias > Matemática > Conjuntos Numéricos Conjuntos Numéricos Números Naturais N = {0; 1; 2; 3;...} (Números naturais) N* = {1; 2; 3;...} (Números naturais excluindo o zero) Números Inteiros

Leia mais

02. No intervalo [0, 1], a variação de f é maior que a variação de h.

02. No intervalo [0, 1], a variação de f é maior que a variação de h. LISTA DE EXERCÍCIOS FUNÇÕES: CONCEITOS INICIAIS PROFESSOR: Claudio Saldan CONTATO: saldanmat@gmailcom 0 - (UEPG PR) Sobre o gráfico abaio, que representa uma função = f() definida em R, assinale o que

Leia mais

Inequação do Primeiro Grau

Inequação do Primeiro Grau Inequação do Primeiro Grau 1. (Unicamp 015) Seja a um número real positivo e considere as funções afins f(x) ax 3a e g(x) 9 x, definidas para todo número real x. a) Encontre o número de soluções inteiras

Leia mais

Resumo com exercícios resolvidos do assunto: Funções de duas ou mais variáveis.

Resumo com exercícios resolvidos do assunto: Funções de duas ou mais variáveis. www.engenhariafacil.weebly.com Resumo com exercícios resolvidos do assunto: (I) (II) (III) Funções de duas ou mais variáveis; Limites; Continuidade. (I) Funções de duas ou mais variáveis. No Cálculo I

Leia mais

Regras de Derivação. Ana Matos DMAT

Regras de Derivação. Ana Matos DMAT Regras de Derivação Ana Matos DMAT Regras de Derivação. Nota prévia importante Estasfolhassurgempelofactode,nosúltimosanos,tertidoalgunsalunosem Análise Matemática I que nunca tinham dado qualquer noção

Leia mais

SIMULADO. Matemática 2 (PUC-RS) 1 (Unimontes-MG)

SIMULADO. Matemática 2 (PUC-RS) 1 (Unimontes-MG) (Unimontes-MG) (PUC-RS) Quando um relógio está marcando horas e minutos, o menor ângulo formado pelos seus ponteiros é de: Considere o relógio localizado na entrada do MCT. a) º0 b) º0 c) 7º d) º Considerando

Leia mais

PARTE 3. 3.1 Funções Reais de Várias Variáveis Reais

PARTE 3. 3.1 Funções Reais de Várias Variáveis Reais PARTE 3 FUNÇÕES REAIS DE VÁRIAS VARIÁVEIS REAIS 3. Funções Reais de Várias Variáveis Reais Vamos agora tratar do segundo caso particular de funções vetoriais de várias variáveis reais, F : Dom(F) R n R

Leia mais

Exercícios de Matemática Equações de Segundo Grau

Exercícios de Matemática Equações de Segundo Grau Exercícios de Matemática Equações de Segundo Grau 2. (Ita 2001) O conjunto de todos os valores de m para os quais a função TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO (Ufba 96) Na(s) questão(ões) a seguir escreva nos

Leia mais

94 (8,97%) 69 (6,58%) 104 (9,92%) 101 (9,64%) 22 (2,10%) 36 (3,44%) 115 (10,97%) 77 (7,35%) 39 (3,72%) 78 (7,44%) 103 (9,83%)

94 (8,97%) 69 (6,58%) 104 (9,92%) 101 (9,64%) 22 (2,10%) 36 (3,44%) 115 (10,97%) 77 (7,35%) 39 (3,72%) 78 (7,44%) 103 (9,83%) Distribuição das 1.048 Questões do I T A 94 (8,97%) 104 (9,92%) 69 (6,58%) Equações Irracionais 09 (0,86%) Equações Exponenciais 23 (2, 101 (9,64%) Geo. Espacial Geo. Analítica Funções Conjuntos 31 (2,96%)

Leia mais

2) Se z = (2 + i).(1 + i).i, então a) 3 i b) 1 3i c) 3 i d) 3 + i e) 3 + i. ,será dado por: quando x = i é:

2) Se z = (2 + i).(1 + i).i, então a) 3 i b) 1 3i c) 3 i d) 3 + i e) 3 + i. ,será dado por: quando x = i é: Aluno(a) Nº. Ano: º do Ensino Médio Exercícios para a Recuperação de MATEMÁTICA - Professores: Escossi e Luciano NÚMEROS COMPLEXOS 1) Calculando-se corretamente as raízes da função f(x) = x + 4x + 5, encontram-se

Leia mais

PROGRESSÕES 1. PROGRESSÃO ARITMÉTICA

PROGRESSÕES 1. PROGRESSÃO ARITMÉTICA PROGRESSÕES 1. PROGRESSÃO ARITMÉTICA Vamos considerar as seqüências numéricas a) (, 4, 6, 8, 10, 1). Veja que a partir do º termo a diferença entre cada termo e o seu antecessor, é constante: a - a 1 =

Leia mais

N, 1 i m, tal que f m é f e cada f i satisfaz uma das condições abaixo:

N, 1 i m, tal que f m é f e cada f i satisfaz uma das condições abaixo: 1. Funções recursivas A Teoria da Recursão é uma formalização da noção intuitiva de computável (e de algoritmo ). Faremos uma breve introdução ao assunto, ressaltando apenas o necessário para os assuntos

Leia mais

Processamento e Análise de Imagens (MC940) Análise de Imagens (MO445)

Processamento e Análise de Imagens (MC940) Análise de Imagens (MO445) Processamento e Análise de Imagens (MC940) Análise de Imagens (MO445) Prof. Hélio Pedrini Instituto de Computação UNICAMP 2º Semestre de 2014 Roteiro 1 Registro de Imagens Transformadas Geométricas Transformações

Leia mais

Soluções abreviadas de alguns exercícios

Soluções abreviadas de alguns exercícios Tópicos de cálculo para funções de várias variáveis Soluções abreviadas de alguns exercícios Instituto Superior de Agronomia - 2 - Capítulo Tópicos de cálculo diferencial. Domínio, curva de nível e gráfico.

Leia mais

Curso Wellington Matemática Trigonometria Lei dos Senos e Cossenos Prof Hilton Franco

Curso Wellington Matemática Trigonometria Lei dos Senos e Cossenos Prof Hilton Franco 1. A figura a seguir apresenta o delta do rio Jacuí, situado na região metropolitana de Porto Alegre. Nele se encontra o parque estadual Delta do Jacuí, importante parque de preservação ambiental. Sua

Leia mais

Capítulo 2. Álgebra e imagens binárias. 2.1 Subconjuntos versus funções binárias

Capítulo 2. Álgebra e imagens binárias. 2.1 Subconjuntos versus funções binárias Capítulo 2 Álgebra e imagens binárias Em Análise de Imagens, os objetos mais simples que manipulamos são as imagens binárias. Estas imagens são representadas matematicamente por subconjuntos ou, de maneira

Leia mais

A Classificação das Formas Binárias aplicada em Máquinas de Catástrofes

A Classificação das Formas Binárias aplicada em Máquinas de Catástrofes Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Instituto de Geociências e Ciências Exatas Campus de Rio Claro A Classificação das Formas Binárias aplicada em Máquinas de Catástrofes Alessandra

Leia mais

Cálculo Diferencial e Integral III - EAD. Professor Paulo Cupertino de Lima

Cálculo Diferencial e Integral III - EAD. Professor Paulo Cupertino de Lima Cálculo Diferencial e Integral III - EAD Professor Paulo Cupertino de Lima Sumário Sumário i 0.1 Apresentação do livro............................. v 1 Revisão: retas, planos, superfícies cilíndricas

Leia mais

Quem conta um conto aumenta vários pontos

Quem conta um conto aumenta vários pontos Quem conta um conto aumenta vários pontos Carlos Shine 1 Princípio aditivo e multiplicativo O modo matemático mais eficaz de se modelar problemas de contagem é utilizar conjuntos, de modo que todo problema

Leia mais

Universidade Estadual Paulista FCT Campus de Presidente Prudente Departamento de Cartografia Introdução ao uso do aplicativo Gnuplot

Universidade Estadual Paulista FCT Campus de Presidente Prudente Departamento de Cartografia Introdução ao uso do aplicativo Gnuplot Universidade Estadual Paulista FCT Campus de Presidente Prudente Departamento de Cartografia Introdução ao uso do aplicativo Gnuplot Autor: Prof. Mauricio Galo Presidente Prudente 2003 Introdução ao uso

Leia mais

ENSINO DA FUNÇÃO AFIM

ENSINO DA FUNÇÃO AFIM Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (PROPEP) Programa de Pós-Graduação em Ensino das Ciências Mestrado Profissional em Ensino das Ciências na Educação Básica ENSINO DA FUNÇÃO AFIM Apostila Autores

Leia mais

ÁLGEBRA LINEAR ISBN 978-85-915683-0-7

ÁLGEBRA LINEAR ISBN 978-85-915683-0-7 . ÁLGEBRA LINEAR ISBN 978-85-915683-0-7 ROBERTO DE MARIA NUNES MENDES Professor do Departamento de Matemática e Estatística e do Programa de Pós-graduação em Engenharia Elétrica da PUCMINAS Belo Horizonte

Leia mais

Fundamentos de Matemática

Fundamentos de Matemática Universidade Federal do Piauí Campus Ministro Reis Velloso Departamento de Matemática Fundamentos de Matemática por Cleyton Natanael Lopes de Carvalho Cunha Parnaiba, de 20 Sumário 1 Teoria Elementar dos

Leia mais

Um Exemplo de Topologia Não Metrizável

Um Exemplo de Topologia Não Metrizável Universidade Federal de São Carlos Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Departamento de Matemática Um Exemplo de Topologia Não Metrizável Autor: Tamyris Marconi Orientadora: Profa. Dra. Cláudia Buttarello

Leia mais

Universidade Estadual de Santa Cruz. Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas. Especialização em Matemática. Disciplina: Estruturas Algébricas

Universidade Estadual de Santa Cruz. Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas. Especialização em Matemática. Disciplina: Estruturas Algébricas 1 Universidade Estadual de Santa Cruz Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas Especialização em Matemática Disciplina: Estruturas Algébricas Profs.: Elisangela S. Farias e Sérgio Motta Operações

Leia mais

Exp e Log. Roberto Imbuzeiro Oliveira. 21 de Fevereiro de 2014. 1 O que vamos ver 1. 2 Fatos preliminares sobre espaços métricos 2

Exp e Log. Roberto Imbuzeiro Oliveira. 21 de Fevereiro de 2014. 1 O que vamos ver 1. 2 Fatos preliminares sobre espaços métricos 2 Funções contínuas, equações diferenciais ordinárias, Exp e Log Roberto Imbuzeiro Oliveira 21 de Fevereiro de 214 Conteúdo 1 O que vamos ver 1 2 Fatos preliminares sobre espaços métricos 2 3 Existência

Leia mais

n! (n r)!r! P(A B) P(A B) = P(A)+P(B) P(A B) P(A/B) = 1 q, 0 < q < 1

n! (n r)!r! P(A B) P(A B) = P(A)+P(B) P(A B) P(A/B) = 1 q, 0 < q < 1 FORMULÁRIO DE MATEMÁTICA Análise Combinatória P n = n! = 1 n A n,r = Probabilidade P(A) = n! (n r)! número de resultados favoráveis a A número de resultados possíveis Progressões aritméticas a n = a 1

Leia mais

Cálculo I -A- Humberto José Bortolossi. Parte 1 Versão 0.9. [Folha 1] Departamento de Matemática Aplicada Universidade Federal Fluminense

Cálculo I -A- Humberto José Bortolossi. Parte 1 Versão 0.9. [Folha 1] Departamento de Matemática Aplicada Universidade Federal Fluminense [Folha 1] Cálculo I -A- Humberto José Bortolossi Departamento de Matemática Aplicada Universidade Federal Fluminense Parte 1 Versão 0.9 Parte 1 Cálculo I -A- 1 Conteúdo do curso [Folha 2] Apresentação

Leia mais

Definição. A expressão M(x,y) dx + N(x,y)dy é chamada de diferencial exata se existe uma função f(x,y) tal que f x (x,y)=m(x,y) e f y (x,y)=n(x,y).

Definição. A expressão M(x,y) dx + N(x,y)dy é chamada de diferencial exata se existe uma função f(x,y) tal que f x (x,y)=m(x,y) e f y (x,y)=n(x,y). PUCRS FACULDADE DE ATEÁTICA EQUAÇÕES DIFERENCIAIS PROF. LUIZ EDUARDO OURIQUE EQUAÇÔES EXATAS E FATOR INTEGRANTE Definição. A diferencial de uma função de duas variáveis f(x,) é definida por df = f x (x,)dx

Leia mais

Números, Relações e Criptografia

Números, Relações e Criptografia Universidade Federal da Paraíba Centro de Ciências Exatas e da Natureza Departamento de Matemática Números, Relações e Criptografia AntôniodeAndradeeSilva A minha esposa Rosângela. Prefácio A idéia de

Leia mais

1.1 Domínios e Regiões

1.1 Domínios e Regiões 1.1 Domínios e Regiões 1.1A Esboce o conjunto R do plano R 2 dada abaixo e determine sua fronteira. Classi que R em: aberto, fechado, itado, compacto, ou conexo. (a) R = (x; y) 2 R 2 ; jxj 1; 0 y (b) R

Leia mais

PREFÁCIO BOM TRABALHO!

PREFÁCIO BOM TRABALHO! PREFÁCIO Este volume corresponde ao primeiro livro virtual lançado pelo Sistema de Ensino Interativo SEI. O livro trata de lógica, teoria dos conjuntos, relação, produto cartesiano, funções reais, função

Leia mais

NOTAÇÕES. +... + a n. , sendo n inteiro não negativo k =1. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares.

NOTAÇÕES. +... + a n. , sendo n inteiro não negativo k =1. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares. MATEMÁTICA NOTAÇÕES : conjunto dos números reais : conjunto dos números complexos i: unidade imaginária, i = z: módulo do número z Re(z): parte real do número z Im(z): parte imaginária do número z det

Leia mais

Álgebra Linear I Solução da 5ª Lista de Exercícios

Álgebra Linear I Solução da 5ª Lista de Exercícios FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS Centro de Ciências e Tecnologia Curso de Graduação em Engenharia de Produção Curso de Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária

Leia mais

NOÇÕES DE ÁLGEBRA LINEAR

NOÇÕES DE ÁLGEBRA LINEAR ESPAÇO VETORIAL REAL NOÇÕES DE ÁLGEBRA LINEAR ESPAÇOS VETORIAIS Seja um conjunto V φ no qual estão definidas duas operações: adição e multiplicação por escalar, tais que u, v V, u+v V e α R, u V, αu V

Leia mais

A Matemática no Vestibular do IME

A Matemática no Vestibular do IME Matemática no Vestibular do IME c 00, Sergio Lima Netto sergioln@lpsufrjbr Versão 7 gosto de 00 presentação origem deste material remonta a 984/985, quando fiz o vestibular do IME sem a preparação adequada

Leia mais

ENCONTRO RPM-UNIVERSIDADE DE MATO GROSSO DO SUL Roteiro de aulas do mini-curso: A Escavadeira de Cantor Novembro de 2013 Mário Jorge Dias Carneiro

ENCONTRO RPM-UNIVERSIDADE DE MATO GROSSO DO SUL Roteiro de aulas do mini-curso: A Escavadeira de Cantor Novembro de 2013 Mário Jorge Dias Carneiro ENCONTRO RPM-UNIVERSIDADE DE MATO GROSSO DO SUL Roteiro de aulas do mini-curso: A Escavadeira de Cantor Novembro de 203 Mário Jorge Dias Carneiro Introdução O que é um número real? A resposta formal e

Leia mais

1 C. Logo, A B = {c} e P(A B) = {Ø, {c}}

1 C. Logo, A B = {c} e P(A B) = {Ø, {c}} MATEMÁTICA NOTAÇÕES = {,,,,...} : conjunto dos números reais : conjunto dos números compleos [a, b] = { ; a b} (a, + ) = ]a, + [ = { ; a < < + } A\B = { A; B} A C : complementar do conjunto A i: unidade

Leia mais

Francisco Ramos. 100 Problemas Resolvidos de Matemática

Francisco Ramos. 100 Problemas Resolvidos de Matemática Francisco Ramos 100 Problemas Resolvidos de Matemática SUMÁRIO Questões de vestibulares... 1 Matrizes e Determinantes... 25 Geometria Plana e Espacial... 39 Aritmética... 61 QUESTÕES DE VESTIBULARES

Leia mais

Cálculo numérico. ln 1 = 0. Representação numérica. Exemplo. Exemplos. Professor Walter Cunha. ln 1. I s

Cálculo numérico. ln 1 = 0. Representação numérica. Exemplo. Exemplos. Professor Walter Cunha. ln 1. I s Representação numérica Cálculo numérico Professor Walter Cunha Um conjunto de ferramentas ou métodos usados para se obter a solução de problemas matemáticos de forma aproximada. Esses métodos se aplicam

Leia mais

Fundamentos de Matemática Trigonometria Funções trigonométricas Prof. Carlos Bezerra

Fundamentos de Matemática Trigonometria Funções trigonométricas Prof. Carlos Bezerra TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES. (Unb 2000) Volume de ar em um ciclo respiratório 2. O volume total de ar, em litros, contido nos dois pulmões de um adulto em condições físicas normais e em repouso pode

Leia mais

α rad, assinale a alternativa falsa.

α rad, assinale a alternativa falsa. Nome: ºANO / CURSO TURMA: DATA: 0 / 09 / 0 Professor: Paulo (G - ifce 0) Considere um relógio analógico de doze horas O ângulo obtuso formado entre os ponteiros que indicam a hora e o minuto, quando o

Leia mais

Exercícios de Matemática Trigonometria Funções Trigonométricas

Exercícios de Matemática Trigonometria Funções Trigonométricas Exercícios de Matemática Trigonometria Funções Trigonométricas 2. TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES. (Unb) Volume de ar em um ciclo respiratório O volume total de ar, em litros, contido nos dois pulmões

Leia mais

Seqüências, Limite e Continuidade

Seqüências, Limite e Continuidade Módulo Seqüências, Limite e Continuidade A partir deste momento, passaremos a estudar seqüência, ites e continuidade de uma função real. Leia com atenção, caso tenha dúvidas busque indicadas e também junto

Leia mais

SMA - 306 - Álgebra II Teoria de Anéis - Notas de Aulas

SMA - 306 - Álgebra II Teoria de Anéis - Notas de Aulas SMA - 306 - Álgebra II Teoria de Anéis - Notas de Aulas Professora Ires Dias - Segundo Semestre de 2001 1 Definição e Exemplos Definição 1 Um conjunto não vazio R, juntamente com duas operações binárias

Leia mais

Funções e Aplicações. Ministrado por Bruno Tenório da S Lopes Coordenado por Profa Dra Edna Maura Zuffi

Funções e Aplicações. Ministrado por Bruno Tenório da S Lopes Coordenado por Profa Dra Edna Maura Zuffi Funções e Aplicações Ministrado por Bruno Tenório da S Lopes Coordenado por Profa Dra Edna Maura Zuffi Maio de 2011 Índice 1 - Conjuntos Numéricos... 4 Intervalos... 5 Intervalos finitos... 5 Intervalos

Leia mais

ANÁLISE MATEMÁTICA II

ANÁLISE MATEMÁTICA II ANÁLISE MATEMÁTICA II Acetatos de Ana Matos Noções Básicas de Funções em R n Topologia DMAT Noções Básicas sobre funções em n Introdução Vamos generalizar os conceitos de limite, continuidade e diferenciabilidade,

Leia mais

1. Sendo (x+2, 2y-4) = (8x, 3y-10), determine o valor de x e de y. 2. Dado A x B = { (1,0); (1,1); (1,2) } determine os conjuntos A e B. 3. (Fuvest) Sejam A=(1, 2) e B=(3, 2) dois pontos do plano cartesiano.

Leia mais

Lições de Análise Matemática 2. Maria do Carmo Coimbra Departamento de Engenharia Civil Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

Lições de Análise Matemática 2. Maria do Carmo Coimbra Departamento de Engenharia Civil Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Maria do Carmo Coimbra Departamento de Engenharia Civil Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Julho de 008 Conteúdo Prefácio vii 1 Breves Noções de Topologia em R n 1 Funções Diferenciáveis

Leia mais

DÉCIMA SEGUNDA LISTA DE EXERCÍCIOS Cálculo III MATEMÁTICA DCET UESC Humberto José Bortolossi http://www.arbelos.kit.net.

DÉCIMA SEGUNDA LISTA DE EXERCÍCIOS Cálculo III MATEMÁTICA DCET UESC Humberto José Bortolossi http://www.arbelos.kit.net. DÉCIMA SEGUNDA LISTA DE EXERCÍCIOS Cálculo III MATEMÁTICA DCET UESC Humberto José Bortolossi http://www.arbelos.kit.net A regra da cadeia (Entregar os exercícios [16] e [18] até o dia 06/08/2003) [01]

Leia mais

REVISÃO 1ª FASE UFU Vestibular 2012/2 Exercícios para a Semana de 08 a 22 de julho 2012 MATEMÁTICA prof. HAWLEY RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES

REVISÃO 1ª FASE UFU Vestibular 2012/2 Exercícios para a Semana de 08 a 22 de julho 2012 MATEMÁTICA prof. HAWLEY RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES REVISÃO ª FASE UFU Vestibular 0/ Exercícios para a Semana de 08 a de julho 0 MATEMÁTICA prof HAWLEY RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES QUESTÃO Sendo p o valor da parcela caso a geladeira seja paga em n parcelas, do

Leia mais

Cálculo Diferencial e Integral II

Cálculo Diferencial e Integral II Cálculo Diferencial e Integral II Claudio Aguinaldo Buzzi Departamento de Matemática UNESP - Campus de São José do Rio Preto Índice 1 Superfícies especiais 4 1.1 Planos........................................

Leia mais

M A T E M Á T I C A DIRETRIZES GERAIS

M A T E M Á T I C A DIRETRIZES GERAIS M A T E M Á T I C A DIRETRIZES GERAIS O conteúdo programático de Matemática dos processos seletivos da UFU tem como objetivo identificar a habilidade do estudante em resolver problemas, fazer conexões

Leia mais

9xy yx9 = (9 100+x 10+y) (y 100+x 10+9) = (8 y) 100+9 10+(y+1)

9xy yx9 = (9 100+x 10+y) (y 100+x 10+9) = (8 y) 100+9 10+(y+1) Gabarito da Prova do Nível II Primeira Questão: ANULADA- Com três algarismos distintos, formamos três números: O primeiro número é obtido ordenando-se os algarismos em ordem decrescente, da esquerda para

Leia mais

Se entregar em papel, por favor, prenda esta folha de rosto na sua solução desta lista, deixando-a em branco. Ela será usada na

Se entregar em papel, por favor, prenda esta folha de rosto na sua solução desta lista, deixando-a em branco. Ela será usada na Cálculo Multivariado Lista numero integração múltipla tarcisio.praciano@gmail.com T. Praciano-Pereira Dep. de Computação alun@: de março de 13 Univ. Estadual Vale do Aca Documento escrito com L A TEX -

Leia mais

1 B 1 Dado z = ( 1 + 3 i), então z n é igual a

1 B 1 Dado z = ( 1 + 3 i), então z n é igual a MATEMÁTICA NOTAÇÕES : conjunto dos números naturais : conjunto dos números inteiros : conjunto dos números racionais : conjunto dos números reais : conjunto dos números complexos i: unidade imaginária:

Leia mais

Lista de Férias Prof. Guto

Lista de Férias Prof. Guto Lista de Férias Prof. Guto. (Ufg 0) Para estimular um estudante a se familiarizar com os números atômicos de alguns elementos químicos, um professor cobriu as teclas numéricas de uma calculadora com os

Leia mais

ÁLGEBRA. Isidorio Rodrigues Queiroz. Rio de Janeiro / 2009 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO

ÁLGEBRA. Isidorio Rodrigues Queiroz. Rio de Janeiro / 2009 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO VICE-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO E CORPO DISCENTE COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA ÁLGEBRA Conteudista Isidorio Rodrigues Queiroz Rio de Janeiro / 2009 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À UNIVERSIDADE

Leia mais

Exercícios de Números Complexos com Gabarito

Exercícios de Números Complexos com Gabarito Exercícios de Números Complexos com Gabarito ) (UNIFESP-007) Quatro números complexos representam, no plano complexo, vértices de um paralelogramo. Três dos números são z = i, z = e z = + ( 5 )i. O quarto

Leia mais

3º Trimestre TRABALHO DE MATEMÁTICA - 2012 Ensino Fundamental 9º ano classe: A-B-C Profs. Marcelo/Fernando Nome:, nº Data de entrega: 09/ 11/12

3º Trimestre TRABALHO DE MATEMÁTICA - 2012 Ensino Fundamental 9º ano classe: A-B-C Profs. Marcelo/Fernando Nome:, nº Data de entrega: 09/ 11/12 3º Trimestre TRABALHO DE MATEMÁTICA - 2012 Ensino Fundamental 9º ano classe: A-B-C Profs. Marcelo/Fernando Nome:, nº Data de entrega: 09/ 11/12 NOTA:. Nota: Toda resolução deve ser feita no seu devido

Leia mais

Introdução à Álgebra Max-Plus III Colóquio de Matemática da Região Sul

Introdução à Álgebra Max-Plus III Colóquio de Matemática da Região Sul A. T. Baraviera e Flávia M. Branco Introdução à Álgebra Max-Plus III Colóquio de Matemática da Região Sul Florianópolis, SC 2014 A. T. Baraviera e Flávia M. Branco Introdução à Álgebra Max-Plus III Colóquio

Leia mais

Matemática Exercícios sobre Funções AFA/EFOMM

Matemática Exercícios sobre Funções AFA/EFOMM Matemática Exercícios sobre Funções AFA/EFOMM p 8 01 - A fórmula N dá o valor aproximado do 4 número do calçado (N) em função do comprimento (p), em centímetros, do pé de qualquer pessoa. De acordo com

Leia mais

Projeto CONDIGITAL Mergulhando na Função Guia do Professor

Projeto CONDIGITAL Mergulhando na Função Guia do Professor Projeto CONDIGITAL Mergulhando na Função Guia do Professor Página 1 de 5 Caro(a) professor(a) Guia do Professor A utilização de jogos digitais como objetos de aprendizagem tem sido difundida atualmente

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFPE. VESTIBULAR 2013 2 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia.

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFPE. VESTIBULAR 2013 2 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. PROVA DE MATEMÁTICA DA UFPE VESTIBULAR 0 a Fase Profa. Maria Antônia Gouveia. 0. A ilustração a seguir é de um cubo com aresta medindo 6cm. A, B, C e D são os vértices indicados do cubo, E é o centro da

Leia mais

a = 6 m + = a + 6 3 3a + m = 18 3 a m 3a 2m = 0 = 2 3 = 18 a = 6 m = 36 3a 2m = 0 a = 24 m = 36

a = 6 m + = a + 6 3 3a + m = 18 3 a m 3a 2m = 0 = 2 3 = 18 a = 6 m = 36 3a 2m = 0 a = 24 m = 36 MATEMÁTICA Se Amélia der R$ 3,00 a Lúcia, então ambas ficarão com a mesma quantia. Se Maria der um terço do que tem a Lúcia, então esta ficará com R$ 6,00 a mais do que Amélia. Se Amélia perder a metade

Leia mais

José Álvaro Tadeu Ferreira

José Álvaro Tadeu Ferreira UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Instituto de Ciências Exatas e Biológicas Departamento de Computação José Álvaro Tadeu Ferreira Cálculo Numérico Notas de aulas Resolução de Equações Não Lineares Ouro

Leia mais

MAT 2352 - Cálculo Diferencial e Integral II - 2 semestre de 2012 Registro das aulas e exercícios sugeridos - Atualizado 13.11.

MAT 2352 - Cálculo Diferencial e Integral II - 2 semestre de 2012 Registro das aulas e exercícios sugeridos - Atualizado 13.11. MT 2352 - Cálculo Diferencial e Integral II - 2 semestre de 2012 Registro das aulas e exercícios sugeridos - tualizado 13.11.2012 1. Segunda-feira, 30 de julho de 2012 presentação do curso. www.ime.usp.br/

Leia mais

(c) f(x, y) = x 2 + y 2. (3) Faça a correspondência entre a função dada e seu o gráfico. Justifique sua resposta.

(c) f(x, y) = x 2 + y 2. (3) Faça a correspondência entre a função dada e seu o gráfico. Justifique sua resposta. UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA Quarta Lista de Exercícios de Cálculo II - MTM13 Prof. Júlio César do Espírito Santo (com colaboraçao

Leia mais