CURRICULO LOCAL DO DISTRITO DE MONTEPUEZ MANUAL DE APOIO E FICHA DE TRABALHO DO ALUNO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURRICULO LOCAL DO DISTRITO DE MONTEPUEZ MANUAL DE APOIO E FICHA DE TRABALHO DO ALUNO"

Transcrição

1 CURRICULO LOCAL DO DISTRITO DE MONTEPUEZ I MANUAL DE APOIO E FICHA DE TRABALHO DO ALUNO 1

2 CURRICULO LOCAL DO DISTRITO DE MONTEPUEZ MANUAL DE APOIO E FICHA DE TRABALHO DO ALUNO III CICLO ÍNDICE TEMÁTICO CONTEÚDO PÁGINAS 6ª Classe 4 Disciplina: Língua Portuguesa 4 Tema 1: Meio ambiente local 4 Tema 2: Higiene e saneamento do meio ambiente local 4 Disciplina: Matemática 5 Tema 1: Meio ambiente local 5 Tema 2: Actividades económicas da comunidade 6 Disciplina: Ciencias Naturais 7 Tema 1: Meio ambiente local 7 Tema 2: Actividades económicas da comunidade 8 Disciplina: Ciencias Sociais 9 Tema 1: Meio ambiente local 9 Disciplina: Educação Visual 9 Tema 1: Meio ambiente local 9 Tema 2: Higiene e saneamento do meio ambiente local 10 Tema 3: Actividades económicas da comunidade 10 Disciplina: Oficios 11 Tema1: Meio ambiente local 11 Tema 2: Higiene e saneamento do meio ambiente local 11 Tema 3: Actividades económicas da comunidade 12 Disciplina: Educação Moral e Cívica 14 Tema 1: Meio ambiente local 14 Tema 2: Actividades económicas da comunidade 14 Disciplina: Educação Musical 15 Tema : Meio ambiente local 15 Tema 2: Actividades económicas da comunidade 15 7ª Classe 16 Disciplina: Língua Portuguesa 16 Tema 1: Meio ambiente local 16 2

3 Tema 2: Recursos minerais da comunidade e leis que regulam a sua exploração 16 Tema 3: Calamidades naturais da conunidade 17 Disciplina: Matemática 18 Tema 1: Recursos minerais da comunidade 18 Tema 2: Calamidades naturais mais frequentes na comunidade 19 Tema 3: Higiene e saneamento do meio ambiente local 19 Tema 4: Actividades económicas da comunidade 19 Disciplina: Ciencias Naturais 20 Tema 1: Meio ambiente local Tema 2: Higiene e saneamento do meio ambiente local 20 Tema 3: Actividades económicas da comunidade 20 Disciplina: Ciencias Sociais 22 Tema 1: Recursos minerais da comunidade e sua utilidade 22 Disciplina: Educação Visual 23 Tema 1: Meio ambiente local 23 Tema 2: Recursos minerais da comunidade 23 Tema 3: Calamidades naturais mais frequentes na comunidade 24 Tema 4: Actividades económicas da comunidade 25 Disciplina: Oficios 26 Tema 1: Meio ambiente local 26 Tema 2: Calamidades naturais mais frequentes na comunidade 27 Tema 3: Actividades económicas da comunidade 27 Disciplina: Educação Moral e Cívica 28 Tema 1: Meio ambiente local 28 Tema 2: Higiene e saneamento do meio ambiente local 28 Disciplina: Educação Musical 29 Tema1: Meio ambiente local 29 Tema 2: Higiene e saneamento do meio ambiente local 24 3

4 DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA 6ª CLASSE TEMA 1: MEIO AMBIENTE LOCAL FICHA 1: PRINCIPAIS ESPÉCIES DE PLANTAS, ANIMAIS, RIOS E LAGOS DA COMUNIDADE As principais espécies de plantas, animais, rios e lagos da comunidade são: Plantas mangueira, embondeiros, cajueiros, Bananeiras, etc. Animais - elefantes, macacos, gazelas, coelhos, leopardos, etc. Descreve a imagem colocando os adjectivos no grau superlativo absoluto sintético e absoluto analítico. TEMA 2: HIGIENE E SANEAMENTO DO MEIO AMBIENTE LOCAL FICHA 1: PRINCIPAIS FORMAS DE HIGIENE E SANEAMENTO DO MEIO AMBIENTE LOCAL As principais formas de higiene e saneamento do meio ambiente local são: latrinas, aterros sanitários, eliminação de charcos, etc. Constrói frases no modo imperativo a partir da imagem, dando instruções para as medidas de higiene e saneamento do meio ambiente local. 4

5 6ª CLASSE DISCIPLINA DE MATEMÁTICA TEMA 1: MEIO AMBIENTE LOCAL FICHA1: PRINCIPAIS ESPÊCIES DAS PLANTAS, ANIMAIS, RIOS E LAGOS DA COMUNIDADE As principais espécies das plantas, animais, rios e lagos da comunidade são: plantas mangueira, embondeiros, cajueiros, Bananeiras e outras, etc. Animais - elefantes, macacos, gazelas, coelhos, leopardos, etc. Os alunos dão exemplos de rios e lagos da comunidade. Problemas 1 Um toro de umbila mede 5,3 metros de cumprimento. O Paulo cortou 2,8 m para fazer porta da sua casa. Quantos metros ainda ficaram do toro? Problemas 2 Um carpinteiro consegui 10 tábuas de madeira e o outro conseguiu 15 tábuas. Quantas tábuas de madeira conseguiram os dois carpinteiros. Problema 3 Um criador possui 50 cabeças de gado bovino. Destas vendeu 10%. Quantas cabeças ainda restam? Problema 4 Num curral existem 120 cabritos. Destes 40 são fêmeas. Qual é a percentagem dos machos? Problema 5 A lagoa mais próxima da nossa escola dista a 500 metros. Representa a distância no mapa usando a escala de 1:

6 Problema 6 O percurso do rio Montepuez é representado no mapa com 5 centímetros. Qual e o percurso real do rio Montepuez, sabendo que no mapa usou-se a escola de 1:5000 TEMA 2: ACTIVIDADES ECONÓMICAS DA COMUNIDADE FICHA 1: PRINCIPAIS ACTICVIDADES ECONÓMICAS DA COMUNIDADE As Principais actividades económicas da comunidade são: Carpintaria, agricultura, artesanato, comércio, etc. Representa um conjunto de produtos para cada actividade económica ilustrada na imagem. FICHA 2: PRINCIPAIS OBJECTOS ARTESANAIS DA COMUNIDADE Os principais objectos artesanais da comunidade são: cestos, esteiras, chapéus, peneiras, brincos, etc. Problema 1 Um brinco triangular de rubi mede 0,2mm de lado e 0,4mm de altura. a) Calcula o perímetro do brinco. Calcula a área do brinco. 6

7 6ª CLASSE DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS TEM 1: MEIO AMBIENTE LOCAL FICHA1: PRINCIPAIS ESPÊCIES DAS PLANTAS, ANIMAIS, RIOS E LAGOS DA COMUNIDADE As principais espécies das plantas, animais, rios e lagos da comunidade são: plantas mangueira, embondeiros, cajueiros, Bananeiras e outras, etc. Animais - elefantes, macacos, gazelas, coelhos, leopardos, etc. Os alunos dão exemplos de rios e lagos da comunidade. Preenche a tabela: PLANTAS UTILIDADE FORMAS DE PRESERVACAO Actividade 2 Preenche a tabela: ANIMAIS UTILIDADE FORMAS DE PRESERVAÇÃO Actividade 3 Faz o esquema em sol com as medidas de conservação da água. 7

8 TEMA 2: ACTIVIDADES ECONÓMICAS DA COMUNIDADE FICHA 1: PRINCIPAIS CULTURAS DE SUBSISTÊNCIA E DE RENDIMENTO DA COMUNIDADE As principais culturas de subsistência e de rendimento da comunidade são: Subsistência milho, mapira, feijão, mandioca, etc. Rendimento algodão, gergelim, castanha de caju, etc. Elabora dois esquemas em sol: um com as culturas de subsistência e o outro com as culturas de rendimento. FICHA 2: PRINCIPAIS ESPÉCIES DE ANIMAIS DOMÉSTICOS DA COMUNIDADE Os principais animais domésticos da comunidade são: cabritos, porcos, coelhos, patos, galinhas, etc. Elabora um esquema em sol com os animais domésticos da comunidade. 8

9 6ª CLASSE CIÊNCIAS SOCIAIS TEMA: MEIO AMBIENTE FICHA1. RECURSOS NATURAIS DA COMUNIDADE Os principais recursos naturais da comunidade são: plantas, animais, hídricos, minerais, etc. Elabora dois esquemas em sol, um para plantas e o outro para os animais. Actividade 2 Menciona a importância dos rios e lagos para a sua comunidade. 6ª CLASSE EDUCAÇÃO VISUAL TEMA 1: MEIO AMBIENTE LOCAL FICHA 1: RECURSOS NATURAIS DA COMUNIDADE Os principais recursos naturais da comunidade são: plantas, animais, minerais, hídricos, etc. Faz um desenho ilustrando um dos recursos naturais ilustrados na imagem. 9

10 FICHA 2: PRINCIPAIS ESPÉCIES DE ANIMAIS DA COMUNIDADE As principais espécies de animais da comunidade são: macacos, leões, aves, etc. Desenha e pinte um dos animais da imagem. TEMA 2: HIGIENE E SANEAMENTO FICHA 1: PRINCIPAIS FORMAS DE HIGIENE E SANEAMENTO DO MEIO AMBIENTE LOCAL As principais formas de higiene e saneamento do meio ambiente local são: latrina e aterro sanitário, eliminação de charcos etc. Desenha e pinte uma das figuras da imagem. TEMA 3: ACTIVIDADES ECONÓMICAS DA COMUNIDADE FICHA 1: PRINCIPAIS ACTIVIDADES ECONÓMICAS DA COMUNIDADE As principais actividades económicas da comunidade são: pesca, agricultura, extracção de sal, extracção de cal, etc. 10

11 Faz uma estampagem e uma impressão usando figuras, desenhos, imagens, fotografias que ilustram as actividades económicas da comunidade. FICHA 2: PRINCIPAIS ANIMAIS DOMÉSTICOS DA COMUNIDADE Os principais animais domésticos da comunidade são: cabritos, porcos, coelhos, patos, galinhas, etc. Faz uma estampagem e uma impressão usando figuras, desenhos, imagens, fotografias que ilustram os animais domésticos da comunidade. 6ª CLASSE OFÍCIOS TEMA 1: MEIO AMBIENTE LOCAL FICHA 1: PRINCIPAIS ESPÉCIES DAS PLANTAS DA COMUNIDADE As principais espécies de plantas da comunidade são: mangueira, embondeiros, cajueiros, Bananeiras, etc. Faz e traz amanhã brinquedos de madeira (maletas, bancos, cofres, camas, mesas, etc). 11

12 FICHA 2: PRINCIPAIS ESPECIES DE ANIMAIS DA COMUNIDADE As principais espécies de animais da comunidade são: coelho, macacos, leões, aves, etc. Faz brinquedos dos instrumentos usados no cuidado de animais da comunidade (catanas, enxadas, facas, machado, pá, gaiolas, etc.). TEMA 2: HIGIENE E SANEAMENTO FICHA1: PRINCIPAIS FORMAS DE HIGIENE E SANEAMENTO DO MEIO AMBIENTE LOCAL Os principais materiais de higiene e saneamento do meio ambiente local são: vassouras, ancinhos, latas de lixo, etc. Faz materiais de limpeza no recinto escolar. TEMA 3: ACTIVIDADES ECONÓMICAS FICHA 1: PRINCIPAIS CULTURAS DE SUBSISTÊNCIA E DE RENDIMNETO DA COMUNIDADE 12

13 As principais culturas de subsistência e de rendimento da comunidade são: Subsistência milho, mapira, feijão, mandioca, etc. Rendimento algodão, gergelim, castanha de caju, etc. Faz uma colecção de culturas de subsistência e de rendimento da comunidade. FICHA 2: PRINCIPAIS ESPÉCIES DE ANIMAIS DOMÉSTICOS DA COMUNIDADE Os principais animais domésticos da comunidade são: cabritos, porcos, coelhos, patos, galinhas, etc. Faz uma colecção de materiais usados na construção de locais onde vivem os animais domésticos da comunidade. FICHA3: PRINCIPAIS OBJECTOS ARTESANAIS DA COMUNIDADE Os objectos artesanais da comunidade são: cestos, esteiras, chapéus, peneiras, brincos, etc. Faz uma colecção de objectos artesanais da comunidade. 13

14 6ª CLASSE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA TEMA 1: MEIO AMBIENTE DA COMUNIDADE FICHA 1: PRINCIPAIS ESPÉCIES DE ANIMAIS DE COMUNIDADE As principais espécies de animais da comunidade são: coelho, macacos, leões, aves, etc. Fala sobre a importância dos animais da comunidade. TEMA 2: ACTIVIDADES ECONÓMICAS DA COMUNIDADE FICHA 1: PRINCIPAIS ESPÉCIES DE ANIMAIS DOMÉSTICOS DA COMUNIDADE As principais espécies de animais domésticos da comunidade são: cabritos, porcos, coelhos, patos, galinhas, etc. Actividade1 Fala sobre as vantagens e desvantagens de criação animais na comunidade. 14

15 6ª CLASSE EDUCAÇÃO MUSICAL TEMA 1: MEIO AMBIENTE DA COMUNIDADE FICHA 1: PRINCIPAIS ESPÉCIES DE ANIMAIS DE COMUNIDADE As principais espécies de animais da comunidade são: elefantes, macacos, gazelas, coelhos, leopardos, etc. Participa num jogo de identificação de vozes de animais da comunidade. TEMA 2: ACTIVIDADES ECONÓMICAS DA COMUNIDADE FICHA 1: PRINCIPAIS OBJECTOS ARTESANAIS DA COMUNIDADE Os principais objectos artesanais da comunidade são: cestos, esteiras, chapéus, peneiras, brincos, etc. Participa num jogo em que imita diferentes sons produzidos por objectos artesanais da comunidade. 15

16 7ª CLASSE DISCIPLINA DE LINGUA PORTUGUESA TEMA 1: MEIO AMBIENTE LOCAL FICHA 1: PRINCIPAIS RECURSOS NATURAIS DA COMUNIDADE Os principais recursos naturais da comunidade são: plantas, animais, minerais, hídricos, etc. A partir da imagem constrói frases no tempo presente e imperfeito do conjuntivo. TEMA 2: RECURSOS MINERAIS E LEIS QUE REGULAM A EXPLORAÇÃO DOS RECURSOS FICHA 1: PRINCIPAIS RECURSOS NATURAIS E LEIS QUE REGULAM A SUA EXPLORAÇÃO As principais leis que regulam a exploração de recursos naturais da comunidade são: A Lei de Terras, Lei de Florestas e Fauna Bravia, etc. Elabora um texto normativo que regula a exploração de um dos recursos naturais da comunidade. 16

17 TEMA 3: CALAMIDADES NATURAIS FICHA1: CALAMIDADES NATURAIS MAIS FREQUENTES NA COMUNIDADE E SUAS CONSEQUÊNCIAS As calamidades naturais mais frequentes na comunidade e suas consequências são: Calamidades ciclones, secas, inundações, vendavais, etc. Consequências - fome, doenças, mortes, destruições de casas, machambas, etc. Constrói uma frase sobre As calamidades naturais mais frequentes na comunidade e suas consequências com as seguintes classes de palavras: nomes, verbos, adjectivos e advérbios. FICHA2: MEDIDAS DE MITIGAÇÃO DAS CONSEQUÊNCIAS NEFASTAS DAS CALAMIDADES NATURAIS MAIS FREQUENTES NA COMUNIDADE As medidas de mitigação das consequências nefastas das calamidades naturais mais frequentes na comunidade são: Fixação de residências e machambas nas zonas altas em caso das inundações; Cultivo de produtos resistentes a seca, em caso de secas; plantação de árvores nos arredores das residências, em caso de vendavais, etc. Constrói uma frase sobre as medidas de mitigação das consequências nefastas das calamidades naturais mais frequentes na comunidade com os advérbios de lugar e tempo. 17

18 7ª CLASSE DISCIPLINA DE MATEMATICA TEMA 1: RECURSOS MINERAIS DA COMUNIDADE FICHA 1: PRINCIPAIS RECURSOS MINERAIS DA COMUNIDADE Os principais recursos minerais da comunidade são: mármore, grafite, ouro, rubi, etc. Problema 1 Um garimpeiro extraiu em dois dias consecutivos 20 gramas de rubi. Quantos gramas de rubi o garimpeiro extrairá em 6 dias? Problema 2 Um garimpeiro consegue 6 anéis em 2 gramas de rubi. Quantos anéis o garimpeiro conseguirá em 3 gramas de rubi? TEMA 2: CALAMIDADES NATURAIS MAIS FREQUENTES NA COMUNIDADE FICHA 1: MEDIDAS DE MITIGAÇÃO DAS CONSEQUÊNCIAS NEFASTAS DAS CALAMIDADES NATURAIS MAIS FREQUENTES NA COMUNIDADE As medidas de mitigação das consequências nefastas das calamidades naturais são: Fixação de residências e machambas nas zonas altas em caso das inundações; Cultivo de produtos resistentes a secas, em caso de secas; plantação de árvores nos arredores das residências, em caso de vendavais, etc. Problema 1 As cheias do ano passado destruíram 5 Hectares de milho, afectando 500 Toneladas de produção. Quantas toneladas de produção afectariam se destruíssem 15 Hectares? a). Aponta duas medidas para minimizar a situação dos afectados. 18

19 TEMA 3: HIGIENE E SANEAMENTO FICHA 1: PRINCIPAIS FORMAS DE HIGIENE E SANEAMENTO As principais formas de higiene e saneamento do meio ambiente local são: latrinas, aterro sanitário, eliminação de charcos, etc. Problema 1 A Nossa aldeia tem 1600 habitantes. Dos quais 500 possuem latrinas, 1000 possuem aterros sanitários e 100 fumegam as suas casas. Calcula a percentagem dos habitantes que possuem latrinas, aterros sanitários e os que fumegam as suas casas. TEMA 4: ACTIVIDADES ECONÓMICAS DA COMUNIDADE FICHA 1: PRINCIPAIS CULTURAS DE SUBSISTÊNCIA E DE RENDIMENTO DA COMUNIDADE As principais culturas de subsistência e de rendimento da comunidade são: Subsistência milho, mapira, feijão, mandioca, etc. Rendimento algodão, gergelim, castanha de caju, etc. Problema 1 Um camponês semeou o milho numa machamba rectangular de 1000 metros de comprimento e 500 metros de largura. Calcula a área da machamba. Problema 2 Uma associação de camponeses abriu uma machamba de algodão com 5000 metros de lado. Calcula a área da machamba. 19

20 7ª CLASSE DISCIPLINA DE CIENCIAS NATURAIS TEMA 1: MEIO AMBIENTE LOCAL FICHA 1: PRINCIPAIS RECURSOS MINERAIS DA COMUNIDADE Os principais recursos minerais da comunidade são: mármore, grafite, ouro, rubi, etc. Identifica na imagem os recursos minerais da comunidade usados para fins industriais. TEMA 2: HIGIENE E SANEAMENTO DO MEIO AMBIENTE LOCAL FICHA 1: PRINCIPAIS FORMAS DE HIGIENE E SANEAMENTO DO MEIO AMBIENTE DA COMUNIDADE As formas de higiene e saneamento do meio ambiente local são: latrinas, aterros sanitários, eliminação dos charcos, etc. a). Identifica as medidas de higiene colectiva que ilustra a imagem. b). Quais são as outras medidas de higiene e saneamento do meio ambiente da comunidade. 20

21 TEMA 3: ACTIVIDADES ECONÓMICAS DA COMUNIDADE FICHA1: PRINCIPAIS ACTIVIDADES ECONÓMICAS DA COMUNIDADE As principais actividades económicas da comunidade são: carpintaria, agricultura, comércio, artesanato, etc. Preenche a tabela abaixo: ACTIVIDADES ECONOMICAS PRODUTOS OBTIDOS 21

22 7ª CLASSE DISCIPLINA DE CIENCIAS SOCIAIS TEMA 1: RECURSOS MINERAIS DA COMUNIDADE E SUA UTILIDADE FICHA 1: PRINCIPAIS RECURSOS MINERAIS DA COMUNIDADE E SUA UTILIDADE Os principais recursos minerais da comunidade são: mármore, grafite, ouro, rubi, etc. Elabora o mapa do distrito localizando as principais zonas onde ocorrem os recursos minerais. Actividade 2 Menciona as formas que são usadas pela comunidade para explorar os recursos minerais da comunidade. Actividade 3 Quais são as formas sustentáveis de exploração dos recursos minerais da comunidade. 22

23 7ª CLASSE DISCIPLINA DE EDUCACAO VISUAL TEMA 1: MEIO AMBIENTE LOCAL FICHA 1: PRINCIPAIS ESPÉCIES DE PLANTAS DA COMUNIDADE As principais espécies das plantas da comunidade são: mangueira, embondeiros, cajueiros, Bananeiras, etc. Desenha uma das plantas da imagem. TEMA 2: RECURSOS MINERAIS DA COMUNIDADE FICHA 1: FORMAS SUSTENTÁVEIS DE EXPLORAÇÃO DOS RECURSOS MINERAIS DA COMUNIDADE As Principais formas de exploração dos recursos minerais da comunidade são: associativismo, mecanização da exploração mineira, exploração legal e controlada, etc. Faz um cartaz sobre uma das formas de exploração dos recursos minerais da comunidade ilustradas na imagem. 23

24 TEMA 3: CALAMIDADES NATURAIS DA COMUNIDADE FICHA 1: CALAMIDADES NATURAIS MAIS FREQUENTES NA COMUNIDADE As calamidades naturais mais frequentes na comunidade são: ciclones, secas, inundações, vendaval, etc. Faz um cartaz sobre uma das situações de calamidades naturais da comunidade. FICHA 2: CONSEQUÊNCIAS NEFASTAS DAS CALAMIDADES NATURAIS MAIS FREQUENTES NA COMUNIDADE As consequências das calamidades naturais mais frequentes na comunidade são: fome, doenças, mortes, destruições de casas, machambas, etc. Faz uma estampagem e uma impressão usando figuras, desenhos, imagens, fotografias que ilustram as consequências nefastas das calamidades naturais da comunidade. FICHA 3: MEDIDAS DE MITIGAÇÃO DAS CONSEQUÊNCIAS NEFASTAS DAS CALAMIDADES NATURAIS MAIS FREQUENTES NA COMUNIDADE As medidas de mitigação das consequências nefastas das calamidades naturais mais frequentes na comunidade são: Fixação de residências e machambas nas zonas altas em caso das 24

25 inundações; Cultivo de produtos resistentes a secas, em caso de secas; plantação de árvores nos arredores das residências, em caso de vendavais, etc. Faz uma estampagem e uma impressão usando figuras, desenhos, imagens, fotografias que ilustram as medidas de mitigação dos efeitos das calamidades naturais da comunidade. TEMA 4: ACTIVIDADES ECONÓMICAS DA COMUNIDADE FICHA: PRINCIPAIS OBJECTOS ARTESANAIS DA COMUINIDADE Os principais objectos artesanais da comunidade são: cestos, esteiras, chapéus, peneiras, brincos, etc. Faz recortes, picotagem, dobragem e colagem usando figuras, desenhos, imagens, fotografias que ilustram diferentes objectos artesanais. 25

26 7ª CLASSE DISCIPLINA DE OFICIOS TEMA 1: MEIO AMBIENTE LOCAL FICHA 1: RECURSOS NATURAIS DA COMUNIDADE Os principais recursos naturais da comunidade são: plantas, animais, minerais, rios, lagos, etc. Faz brinquedos de barro usando o processo de moldagem. FICHA 1: PRINCIPAIS RECURSOS MINERAIS E A SUA UTILIDADE Os principais recursos minerais da comunidade são: mármore, grafite, ouro, rubi, etc. Faz a colecção dos objectos metálicos produzidos com principais recursos minerais da comunidade. FICHA 2: FORMAS SUSTENTÁVEIS DE EXPLORAÇÃO DE RECURSOS MINERAIS DA COMUNIDADE 26

27 As principais formas sustentáveis de exploração dos recursos minerais da comunidade são: associativismo, mecanização da exploração mineira, exploração legal e controlada, etc. : Faz a colecção dos materiais usados na exploração dos recursos minerais da comunidade. TEMA 2: CALAMIDADES NATURAIS FICHA 1: CALAMIDADES NATURAIS MAIS FRENQUENTES NA COMUNIDADE As principais calamidades naturais mais frequentes na comunidade são: ciclones, secas, inundações, vendaval, etc. Faz a colecção de objectos que representam diferentes tipos de calamidades naturais da comunidade. TEMA 3: ACTIVIDADES ECONÓMICAS DA COMUNIDADE FICHA 1: PRINCIPAIS ACTIVIDADES ECONÓMICAS DA COMUNIDADE As principais actividades económicas da comunidade são: carpintaria, agricultura, comércio, etc. Faz a colecção de vários produtos resultantes de várias actividades económicas da comunidade. 27

28 7ª CLASSE DISCIPLINA DE EDUCACAO MORAL E CIVICA TEMA 1: MEIO AMBIENTE DA COMUNIDADE FICHA 1: PRINCIPAIS ESPÉCIES DE PLANTAS DA COMUNIDADE As principais espécies de plantas da comunidade são: mangueira, embondeiros, cajueiros, Bananeiras, etc. Fala sobre a importância dos jardins e parques da comunidade. FICHA 2: PRINCIPAIS LEIS QUE REGULAM A EXPLORAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS DA COMUNIDADE As principais leis que regulam a exploração de s recursos naturais da comunidade são: Lei da Terra e Lei de Florestas e Fauna Bravia, etc. Emite a tua opinião sobre as principais leis que regulam a exploração dos recursos naturais da comunidade. TEMA 2: HIGIENE E SANEAMENTO DO MEIO AMBIENTE LOCAL FICHA 1: PRINCIPAIS FORMAS DE HIGIENE E SANEAMENTO DO MEIO AMBIENTE LOCAL 28

29 As formas de higiene e saneamento do meio ambiente local são: latrinas, aterros sanitários, eliminação de charcos, etc. Fala sobre as razões das medidas de higiene e saneamento do meio ambiente local. 7ª CLASSE DISCIPLINA DE EDUCACAO MUSICAL TEMA 2: MEIO AMBIENTE DA COMUNIDADE FICHA 1: PRINCIPAIS ESPÉCIES DE PLANTAS DA COMUNIDADE As principais espécies de plantas da comunidade são: mangueiras, embondeiros, cajueiros, bananeira, etc. Inventa uma canção sobre as plantas da comunidade. TEMA 2: HIGIENE E SANEAMENTO DO MEIO AMBIENTE LOCAL FICHA1: PRINCIPAIS FORMAS DE HIGIENE E SANEAMENTO DO MEIO AMBIENTE LOCAL As principais formas de higiene e saneamento do meio ambiente local são: latrinas, aterros sanitários, eliminação de charcos, etc. Inventa canções sobre a higiene e saneamento do meio ambiente local. 29

MANUAL DO PROFESSOR CURRICULO LOCAL DO DISTRITO DE ANCUABE

MANUAL DO PROFESSOR CURRICULO LOCAL DO DISTRITO DE ANCUABE CURRICULO LOCAL DO DISTRITO DE ANCUABE MANUAL DO PROFESSOR Este Manual de Apoio ao Professor visa garantir a formação de cidadãos capazes de contribuir para a melhoria da vida, a vida da sua família, da

Leia mais

CURRICULO LOCAL DO DISTRITO DE ANCUABE

CURRICULO LOCAL DO DISTRITO DE ANCUABE CURRICULO LOCAL DO DISTRITO DE ANCUABE MANUAL DE APOIO E FICHA DE TRABALHO DO ALUNO CURRICULO LOCAL DO DISTRITO DE A 1 ÍNDICE TEMÁTICO CONTEÚDO PÁGINAS 3ª Classe 3 Disciplina: Língua Portuguesa 3 Tema

Leia mais

Produçaõ de peixes. Adaptado de: "Better Farming Series 27 - FreshWater Fish Farming: How to Begin" (FAO, 1979)

Produçaõ de peixes. Adaptado de: Better Farming Series 27 - FreshWater Fish Farming: How to Begin (FAO, 1979) Produçaõ de peixes Adaptado de: "Better Farming Series 27 - FreshWater Fish Farming: How to Begin" (FAO, 1979) Onde pôr seu tanque de peixes 1. Você tem que escolher um lugar bom para sua tanque. 2. Lembra

Leia mais

MODULO 1: INQUÉRITO AO NIVEL DO AGREGADO FAMILIAR

MODULO 1: INQUÉRITO AO NIVEL DO AGREGADO FAMILIAR As informações do inquérito são rigorosamente confidenciais (Decreto 12/82 de 22 de Julho de 1982) DIST ALD AF REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Ministério de Agricultura e Desenvolvimento Rural Departamento de

Leia mais

Capitulo 3 Horta Orgânica

Capitulo 3 Horta Orgânica ASSOCIAÇÃO SOCIOAMBIENTALISTA SOMOS UBATUBA Conteúdo Pedagógico Capitulo 3 Horta Orgânica Organização Parceria Convênio Horta Orgânica Introdução Esta etapa é composta por atividades ligadas pelas relações

Leia mais

Plano Anual Curricular Estudo do Meio - 1º Ciclo -

Plano Anual Curricular Estudo do Meio - 1º Ciclo - Plano Anual Curricular Estudo do Meio - 1º Ciclo - Estudo do Meio 1º Ano 1º Período 2º Período 3º Período À descoberta de si mesmo - A sua identificação Conhecer a sua identificação Conhecer o seu nome

Leia mais

CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Agrupamento de Vale de Ovil Escola Básica e Secundária do Vale de Ovil Código 345702 CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO A avaliação é qualitativa e contínua com o objectivo de reconhecer

Leia mais

Colégio Visconde de Porto Seguro

Colégio Visconde de Porto Seguro Colégio Visconde de Porto Seguro Unidade I 2011 AULA 1 Ensino Fundamental e Ensino Médio Atividade de Recuperação Contínua Nome do (a) Aluno (a): Atividade de Recuperação Contínua de Ciências Nível I Classe:

Leia mais

I. INFORMAÇÕES GERAIS Município: Distrito: Localidade:

I. INFORMAÇÕES GERAIS Município: Distrito: Localidade: I. INFORMAÇÕES GERAIS Município: Distrito: Localidade: Data do Relatório: (dd:mm:aa) Entrevistador (a) N O. QUEST.: II. CARACTERÍTICAS DOS MORADORES DO DOMICÍLIO Nome do chefe da família: SEXO: 1. M 2.

Leia mais

1. Encontra o local onde se deve construir uma clínica médica de modo a ficar à mesma distância das três localidades.

1. Encontra o local onde se deve construir uma clínica médica de modo a ficar à mesma distância das três localidades. 1. Encontra o local onde se deve construir uma clínica médica de modo a ficar à mesma distância das três localidades. Braga Porto 2. Onde está a casa do Joaquim se esta dista exatamente 3 km da casa da

Leia mais

Cada instituição tem que obrigatoriamente apresentar as facturas das respectivas despesas no âmbito do projecto candidatado.

Cada instituição tem que obrigatoriamente apresentar as facturas das respectivas despesas no âmbito do projecto candidatado. Programa de Educação Ambiental Círculo Mágico 2007/2008 O programa Círculo Mágico, ano lectivo 2007/2008, seguirá a seguinte metodologia: Abordará, no âmbito do apoio aos projectos candidatados pelas escolas,

Leia mais

O MOVIMENTO GAIA BROCHURA NO 8 COMO: CULTIVAR SEU PRÓPRIO FERTILIZANTE E TAMBÉM ADQUIRIR FORRAGEM PARA ANIMAIS E LENHA. www.gaia-movement.

O MOVIMENTO GAIA BROCHURA NO 8 COMO: CULTIVAR SEU PRÓPRIO FERTILIZANTE E TAMBÉM ADQUIRIR FORRAGEM PARA ANIMAIS E LENHA. www.gaia-movement. O MOVIMENTO GAIA BROCHURA NO 8 Depois da colheita os galhos cortados são usados para cobrir a terra. Isto protege contra erosão, guarda a humidade e melhora a terra com matéria orgânica, assim que segura

Leia mais

o quantos queres da emoções

o quantos queres da emoções Brincadeiras de Brincar o quantos queres da emoções Recuperando um jogo tradicional da infância, o Quantos Queres das Emoções da Chão d andar, foi concebido como um jogo para os pais e os filhos atendendo

Leia mais

Meio Ambiente PROJETOS CULTURAIS. 4 0 a O - fu dame tal. Cuidar da vida também é coisa de criança. Justificativa

Meio Ambiente PROJETOS CULTURAIS. 4 0 a O - fu dame tal. Cuidar da vida também é coisa de criança. Justificativa Meio Ambiente 4 0 a O - fu dame tal Cuidar da vida também é coisa de criança Justificativa PROJETOS CULTURAIS Na idade escolar, as crianças estão conhecendo o mundo (Freire, 1992), sentindo, observando,

Leia mais

TÍTULO: Plano de Aula O NOSSO AMBIENTE: CONSERVANDO O AMBIENTE ESCOLAR. Ensino Fundamental / Anos Iniciais. 3º ano.

TÍTULO: Plano de Aula O NOSSO AMBIENTE: CONSERVANDO O AMBIENTE ESCOLAR. Ensino Fundamental / Anos Iniciais. 3º ano. Org.: Claudio André - 1 TÍTULO: O NOSSO AMBIENTE: CONSERVANDO O AMBIENTE ESCOLAR Nível de Ensino: Ensino Fundamental / Anos Iniciais Ano/Semestre de Estudo 3º ano Componente Curricular: Ciências Naturais

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

Planificação Anual 3º ano

Planificação Anual 3º ano ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DA GRACIOSA Planificação Anual 3º ano Expressões e Cidadania Página1 Desenho de expressão livre Desenhar no chão do recreio; Desenhar no quadro da sala; Planificação Anual de

Leia mais

Projeto - Conhecendo os animais

Projeto - Conhecendo os animais Projeto - Conhecendo os animais Tema: Seres Vivos Público alvo: Educação Infantil / Crianças de 4 a 5 anos Área de conhecimento: Natureza e Sociedade Duração: Cinco semanas Justificativa: Este projeto

Leia mais

GUIA DA VISITA DO CAMPO

GUIA DA VISITA DO CAMPO Workshop de Avaliação, Manejo Ambiental e Reg. 216 Janeiro 15-19, 2007 Luanda, ANGOLA GUIA DA VISITA DO CAMPO Índices A. Descrição da Visita do Campo B. Matriz do Impacto C. Mapa D. Descrição do Projeto

Leia mais

Unidade Portugal. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã. AVALIAÇÃO DO GRUPO X 4 o BIMESTRE. Borboletas Urbanas

Unidade Portugal. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã. AVALIAÇÃO DO GRUPO X 4 o BIMESTRE. Borboletas Urbanas Unidade Portugal Ribeirão Preto, de de 2011. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã AVALIAÇÃO DO GRUPO X 4 o BIMESTRE Eixo temático - Natureza amiga Disciplina/Valor Português 3,0 Matemática 3,0 Hist/Geo 3,0 Ciências

Leia mais

A Imagem do Nosso Canto.

A Imagem do Nosso Canto. A Imagem do Nosso Canto. Esta Cartilha foi desenvolvida dentro do Projeto Canto que Canto, pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo durante o 2º Semestre de 2002 pela Profª e Regente Coral SUSANA ROSA.

Leia mais

Marilia Leite Conceição

Marilia Leite Conceição Marilia Leite Conceição Introdução Presença dos conhecimentos sobre natureza e sociedade na Educação Infantil: idéias e práticas correntes A criança, a natureza e a sociedade Objetivos Crianças de zero

Leia mais

1. Acções de sensibilização

1. Acções de sensibilização PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL / 2013-2014 As atividades propostas compreendem diferentes momentos de reflexão, discussão e ação, dirigindo-se a toda a comunidade educativa que contempla diferentes níveis

Leia mais

Conhecer, sentir e viver a Floresta

Conhecer, sentir e viver a Floresta Projeto de Sensibilização e Educação da População Escolar Conhecer, sentir e viver a Floresta 2011-12 Floresta, Fonte de Vida Guia das Atividades - - Dia de S. Martinho, Castanhas e Castanheiros - Dia

Leia mais

Pré-Projeto de Educação Ambiental

Pré-Projeto de Educação Ambiental Pré-Projeto de Educação Ambiental Vamos Descobrir e Valorizar o Alvão Ano 2014/15 Centro de Informação e Interpretação Lugar do Barrio 4880-164 Mondim de Basto Telefone: 255 381 2009 ou 255 389 250 1 Descobrir

Leia mais

AVALIAÇÃO RÁPIDA ESTRATÉGICA (ARE) PARA CRIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

AVALIAÇÃO RÁPIDA ESTRATÉGICA (ARE) PARA CRIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO AVALIAÇÃO RÁPIDA ESTRATÉGICA (ARE) PARA CRIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Informações do Processo: Nome do Interessado: Nº do Processo: Data / de 20 Município: Localidade: Vistoria: Data: / / 20 Técnicos

Leia mais

Maternal 3 anos Educação Infantil

Maternal 3 anos Educação Infantil Maternal 3 anos Educação Infantil Eixo temático: Tema: Joca e suas aventuras As crianças, nesta fase, caracterizam-se pelo movimento e pela ação. Agem ativamente em seu entorno, acompanhando seus movimentos

Leia mais

Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e

Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e 1 Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e muito atuais. Em primeiro lugar, gostaríamos de dizer

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL II OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE CIÊNCIAS 3º ANO Professor Vitor

PLANO DE TRABALHO DOCENTE CIÊNCIAS 3º ANO Professor Vitor PLANO DE TRABALHO DOCENTE CIÊNCIAS 3º ANO Professor Vitor CELESTE: PRODUÇÃO DO UNIVERSO 1. Componentes básicos do Universo matéria e energia: - Matéria e energia dos astros luminosos e iluminados; - Sol:

Leia mais

Cumprimento das actividades definidas no Plano Curricular Anual

Cumprimento das actividades definidas no Plano Curricular Anual Cumprimento das actividades definidas no Plano Curricular Anual Áreas de Conteúdo Actividades planificadas e realizadas Actividades planificadas e não realizadas Actividades não planificadas e realizadas

Leia mais

Prova bimestral. história. 4 o Bimestre 3 o ano. 1. Leia o texto e responda.

Prova bimestral. história. 4 o Bimestre 3 o ano. 1. Leia o texto e responda. Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 4 o Bimestre 3 o ano história 1. Leia o texto e responda. As evidências mais antigas da amizade entre

Leia mais

Caderno de actividades

Caderno de actividades Caderno de actividades Para responderes correctamente às perguntas que se seguem, talvez queiras ler o livro Era uma Vez uma Casa, à venda no Sítio do Livro, e também visitar o sítio infanto-juvenil www.barry4kids.net.

Leia mais

Prova de Aferição de Matemática

Prova de Aferição de Matemática PROVA DE AFERIÇÃO DO ENSINO BÁSICO 2008 A PREENCHER PELO ALUNO Rubrica do Professor Aplicador Nome A PREENCHER PELO AGRUPAMENTO Número convencional do Aluno Número convencional do Aluno A PREENCHER PELA

Leia mais

Bingo das atitudes sustentáveis

Bingo das atitudes sustentáveis de educação ambie s e d a ntal id Ativ Bingo das atitudes sustentáveis 4º a no do tal n e Ensino Fundam Autora: Alessandra M. Cavichia Atanazio Atividades de educação ambiental Bingo das Atitudes Sustentáveis

Leia mais

GUIÃO TÉCNICO PARA O PROFESSOR

GUIÃO TÉCNICO PARA O PROFESSOR GUIO TÉCNICO PARA O PROFESSOR ZOO VIRTUAL Nome: Zoo Virtual Editora: Porto Editora Ano: 1995 Área de utilização: Estudo do Meio; Conhecimento do Mundo; Língua Portuguesa Público alvo: 4 a 9 anos Descrição

Leia mais

Projeto - Desvendando o meio ambiente

Projeto - Desvendando o meio ambiente Projeto - Desvendando o meio ambiente http://pixabay.com/pt/bola-sobrebal%c3%a3o-folhas-jornal-108651/ Público alvo: Educação Infantil Área: Natureza e Sociedade Duração: 8 semanas Justificativa: Tendo

Leia mais

PROGRAMAÇÃO AGENDA AMBIENTAL INTEGRADA SEMANA DO MEIO AMBIENTE 2013 DDZI DATA HORÁRIO AÇÃO PROPONTE ATIVIDADES OBSERVAÇÕES CMEI ELIAKIN RUFINO

PROGRAMAÇÃO AGENDA AMBIENTAL INTEGRADA SEMANA DO MEIO AMBIENTE 2013 DDZI DATA HORÁRIO AÇÃO PROPONTE ATIVIDADES OBSERVAÇÕES CMEI ELIAKIN RUFINO PROGRAMAÇÃO AGENDA AMBIENTAL INTEGRADA SEMANA DO MEIO AMBIENTE 2013 DDZI DATA HORÁRIO AÇÃO PROPONTE ATIVIDADES OBSERVAÇÕES 03/06/2013 (SEGUNDA- FEIRA) 8:00h Eu e o ambiente em que vivo Horario escolar

Leia mais

O que é saneamento básico?

O que é saneamento básico? O que é saneamento básico? Primeiramente, começaremos entendendo o real significado de saneamento. A palavra saneamento deriva do verbo sanear, que significa higienizar, limpar e tornar habitável. Portanto,

Leia mais

Nosso Território: Ecossistemas

Nosso Território: Ecossistemas Nosso Território: Ecossistemas - O Brasil no Mundo - Divisão Territorial - Relevo e Clima - Fauna e Flora - Ecossistemas - Recursos Minerais Um ecossistema é um conjunto de regiões com características

Leia mais

Nos estúdios encontram-se um entrevistador (da rádio ou da televisão) e um representante do Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural

Nos estúdios encontram-se um entrevistador (da rádio ou da televisão) e um representante do Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural Guião de Programa de Rádio e Televisão Tema: Redução de Emissões de Desmatamento e Degradação Florestal (REDD+) Nos estúdios encontram-se um entrevistador (da rádio ou da televisão) e um representante

Leia mais

Sete Lagoas e o resgate da cidadania. Prefeitura ativa. Cidade viva.

Sete Lagoas e o resgate da cidadania. Prefeitura ativa. Cidade viva. Sete Lagoas e o resgate da cidadania Prefeitura ativa. Cidade viva. APRESENTAÇÃO A Prefeitura Municipal de Sete Lagoas, Minas Gerais, está desenvolvendo uma ação abrangente de resgate da cidadania, que

Leia mais

Análise de Vulnerabilidade 2004: Processo e o Ponto de Situação

Análise de Vulnerabilidade 2004: Processo e o Ponto de Situação Análise de Vulnerabilidade 2004: Processo e o Ponto de Situação Maputo, Junho de 2004 Mapa das regiões de AV 2004 41 distritos vulneráveis á insegurança alimentar devido aos efeitos combinados de seca

Leia mais

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual / Critérios de avaliação. Disciplina: Estudo do Meio 2.º ano 2015/2016

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual / Critérios de avaliação. Disciplina: Estudo do Meio 2.º ano 2015/2016 DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110 Planificação Anual / Critérios de avaliação Disciplina: Estudo do Meio 2.º ano 2015/2016 Domínio (Unidade/ tema) Subdomínio/Conteúdos Metas de Aprendizagem Estratégias/

Leia mais

Área de Formação Pessoal e Social

Área de Formação Pessoal e Social Área de Formação Pessoal e Social Identidade/ Auto-estima Independência/ Autonomia Convivência democrática/ Cidadania Brincar com o outro (s); Ouvir os outros; Saber identificar-se a si e o outro; Esperar

Leia mais

TÍTULO: Plano de Aula VIDA DE BICHO. Ensino Fundamental / Anos Iniciais. 4º ano. Ciências. Vida e Ambiente 2 aulas (50 min cada) Educação Presencial

TÍTULO: Plano de Aula VIDA DE BICHO. Ensino Fundamental / Anos Iniciais. 4º ano. Ciências. Vida e Ambiente 2 aulas (50 min cada) Educação Presencial Org.: Claudio André - 1 TÍTULO: VIDA DE BICHO Nível de Ensino: Ano/Semestre de estudo Componente Curricular: Tema: Duração da Aula: Modalidade de Ensino: Ensino Fundamental / Anos Iniciais 4º ano Ciências

Leia mais

Método PHAST TABELA DE CONTEUDOS METODOLOGIA PHAST... 2

Método PHAST TABELA DE CONTEUDOS METODOLOGIA PHAST... 2 Método PHAST TABELA DE CONTEUDOS METODOLOGIA PHAST... 2 Fases do método PHAST... 3 1. Técnica: Historias Comunitárias... 4 2. Técnica: Enfermeira Felicidade... 5 3. Técnica: Mapeamento comunitário... 6

Leia mais

PLANEJAMENTO DO TRIMESTRE EDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL III

PLANEJAMENTO DO TRIMESTRE EDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL III 1ª ETAPA COMPONENTE CURRICULAR - BRINCAR Objetos e Significados na brincadeira Participar das brincadeiras exploradas. Utilizar os brinquedos de maneira cuidadosa. Participar de jogos com ou sem a intervenção

Leia mais

OS CUIDADOS COM A ÁGUA NA ESCOLA FUNDAMENTAL PROFESSOR ADAILTON COELHO COSTA

OS CUIDADOS COM A ÁGUA NA ESCOLA FUNDAMENTAL PROFESSOR ADAILTON COELHO COSTA OS CUIDADOS COM A ÁGUA NA ESCOLA FUNDAMENTAL PROFESSOR ADAILTON COELHO COSTA Dantas 1, Mayara; Gomes 1, Márcia; Silva 1, Juliene; Silva 1, Jaciele; 1 Discente do Curso de Bacharelado em Ecologia; 2 Professora

Leia mais

VISÃO GERAL DOS CONTEÚDOS 3ª CLASSE 4ª CLASSE 5ª CLASSE

VISÃO GERAL DOS CONTEÚDOS 3ª CLASSE 4ª CLASSE 5ª CLASSE VISÃO GERAL DOS CONTEÚDOS 19 Família : - a minha história A família: - tipos de família - membros da família e suas funções - regras de convivência na família - a minha infância A família do meu amigo,

Leia mais

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida SETEMBRO Regresso à escola/adaptação Facilitar a adaptação/readaptação ao jardim de infância Negociar e elaborar a lista de regras de convivência Diálogo sobre

Leia mais

RELATÓRIO REDE DE SUSTENTABILIDADE - APC

RELATÓRIO REDE DE SUSTENTABILIDADE - APC APC - MOÇAMBIQUE ASSOCIAÇĂO PROJETO CIDADĂO Fazendo Jesus Conhecido Através da Convivência e Serviço RELATÓRIO REDE DE SUSTENTABILIDADE - APC Introdução A Rede de Sustentabilidade é uma equipe multi setorial

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI PREFEITURA MUNICIPAL DE LONTRAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI DESPERTANDO AÇÕES SUSTENTÁVEIS LONTRAS 2013 1.TEMA A preservação

Leia mais

PORTUGUÊS 2 o BIMESTRE

PORTUGUÊS 2 o BIMESTRE AVALIAÇÃO DE CONTEÚDO DO GRUPO VI Unidade Portugal Série: 4 o ano (3 a série) Período: MANHÃ Data: 29/6/2011 PORTUGUÊS 2 o BIMESTRE Nome: Turma: Valor da prova: 3,5 Nota: Eixo temático Proteção ao meio

Leia mais

FORMULÁRIOS PARA AUTORIZAÇÃO DE RECUPERAÇÃO OU RESTAURAÇÃO DE ÁREAS PROTEGIDAS COM SUPRESSÃO DE ESPÉCIES EXÓTICAS

FORMULÁRIOS PARA AUTORIZAÇÃO DE RECUPERAÇÃO OU RESTAURAÇÃO DE ÁREAS PROTEGIDAS COM SUPRESSÃO DE ESPÉCIES EXÓTICAS CONDIÇÃO OBRIGATÓRIA EXECUÇÃO DE PROJETO DE RECUPERAÇÃO DAS ÁREAS CONSIDERADAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE ATINGIDAS COM PLANTIOS E MANUTENÇÃO DE ÁRVORES NATIVAS DA REGIÃO E/OU CONDUÇÃO DA REGENERAÇÃO NATURAL,

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES Disciplina: Linguagem. Períodos: Infantil 4 1º, 2º, 3º. Conteúdo

DIRETRIZES CURRICULARES Disciplina: Linguagem. Períodos: Infantil 4 1º, 2º, 3º. Conteúdo Linguagem Letras do alfabeto Nome próprio, nome da escola, histórias Nome das profissões, histórias, músicas Histórias, nome das plantas Histórias em quadrinho, brincadeiras, nome dos brinquedos Nome dos

Leia mais

Carimbos pedagógicos. Índice Alfabético. Carimbos em Tamanho Real. www.jottplay.com.br. Embalados em caixa de papelão. 3,0x3,0cm. 3,0x6,0cm 4,0x4,0cm

Carimbos pedagógicos. Índice Alfabético. Carimbos em Tamanho Real. www.jottplay.com.br. Embalados em caixa de papelão. 3,0x3,0cm. 3,0x6,0cm 4,0x4,0cm Embalados em caixa de papelão medidas: 29x17x3cm Índice Alfabético ABC Ilustrado 45 Alfabeto em Inglês 48 Alfabeto em Libras 43 Alfabeto Ilustrado 45 Alfabeto Maiúsculo (letra de forma) 46 Alfabeto Maiúsculo

Leia mais

METAS CURRICULARES CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ANO DE ESCOLARIDADE: 4.ºANO ANO LETIVO: 2015/2016

METAS CURRICULARES CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ANO DE ESCOLARIDADE: 4.ºANO ANO LETIVO: 2015/2016 METAS CURRICULARES CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ANO DE ESCOLARIDADE: 4.ºANO ANO LETIVO: 2015/2016 Português Oralidade Escutar para aprender e construir conhecimentos. Utilizar técnicas para registar e reter

Leia mais

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio Roteiro da atividade: Jogo da Sobrevivência Como jogar 1. Cada jogador iniciará o jogo com uma população de sessenta quatis na primeira geração e, portanto, marcará na folha-região 60 indivíduos no eixo

Leia mais

Programa de Educação Bilingue - II Ciclo 3ª Classe CONTEÚDOS

Programa de Educação Bilingue - II Ciclo 3ª Classe CONTEÚDOS Programa de L1-3ª Classe Família Compreender mensagens e textos orais; Distinguir a pronúncia padrão da não Respeitar as diferentes formas de expressão dos seus companheiros; Expressar-se de forma clara

Leia mais

PROJECTOS DE CIÊNCIAS FÍSICAS E NATURAIS 8º Ano 3º Período

PROJECTOS DE CIÊNCIAS FÍSICAS E NATURAIS 8º Ano 3º Período PROJECTOS DE CIÊNCIAS FÍSICAS E NATURAIS 8º Ano 3º Período Tema: Gestão Sustentável dos Recursos A Água > PROJECTOS DE CIÊNCIAS FÍSICAS E NATURAIS > ORIENTAÇÕES PARA OS PROJECTOS DE CFN > CRITÉRIOS DE

Leia mais

PROGRAMA ENSINO BÁSICO

PROGRAMA ENSINO BÁSICO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INDE INSTITUTO NACIONAL DO DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DO H Rodavlas Arutnevaob Progiiciclo Prefaguiaindice. p65-pc-pp15 ENSINO BÁSICO 2 o Ciclo

Leia mais

Plano de Monitoramento dos Impactos Sociais do Projeto de Carbono no Corredor de Biodiversidade Emas-Taquari

Plano de Monitoramento dos Impactos Sociais do Projeto de Carbono no Corredor de Biodiversidade Emas-Taquari Plano de Monitoramento dos Impactos Sociais do Projeto de Carbono no Corredor de Biodiversidade Emas-Taquari Monitoramento dos Impactos à Comunidade Plano de monitoramento dos impactos sociais Os impactos

Leia mais

Jimboê. Geografia. Avaliação. Projeto. 4 o ano. 1 o bimestre

Jimboê. Geografia. Avaliação. Projeto. 4 o ano. 1 o bimestre Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao primeiro bimestre escolar ou à Unidade 1 do Livro do Aluno. Projeto Jimboê Geografia 4 o ano Avaliação 1 o bimestre 1 Avaliação Geografia NOME: ESCOLA:

Leia mais

GRUPOS NIVEL SUBNÍVEL INSTRUÇÃO RESPOSTA

GRUPOS NIVEL SUBNÍVEL INSTRUÇÃO RESPOSTA JOGO 1 NIVEL 1 Exemplos de instruções e respostas que podem ser utilizadas nos oito contextos. CONTEXTUALIZAÇÃO DESENVOLVER A COMPREENSÃO SEMÂNTICA AUMENTO DO VOCABULÁRIO VISUAL IDENTIFICAÇÃO DE ELEMENTOS

Leia mais

Concurso Planear Estarreja (orientações para a implementação)

Concurso Planear Estarreja (orientações para a implementação) (orientações para a implementação) Escolas Programa de Regeneração Urbana da Cidade de Estarreja Fases do Fase 1. Diagnóstico Fase 2. Estratégia e Plano de Ação 2 Exercícios para preparação de diagnóstico

Leia mais

Unidade Portugal. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã. AVALIAÇÃO SUBSTITUTIVA DE CONTEÚDO DO GRUPO X 4 o BIMESTRE. Jardim Botânico de SP: santuário natural

Unidade Portugal. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã. AVALIAÇÃO SUBSTITUTIVA DE CONTEÚDO DO GRUPO X 4 o BIMESTRE. Jardim Botânico de SP: santuário natural Unidade Portugal Ribeirão Preto, de de 2011. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã AVALIAÇÃO SUBSTITUTIVA DE CONTEÚDO DO GRUPO X 4 o BIMESTRE Eixo temático - Natureza amiga Disciplina/Valor Português 3,0 Matemática

Leia mais

Meio Ambiente PROJETOS CULTURAIS. 3 0 a O - fu dame tal. Cuidar da vida também é coisa de criança. Justificativa

Meio Ambiente PROJETOS CULTURAIS. 3 0 a O - fu dame tal. Cuidar da vida também é coisa de criança. Justificativa Meio mbiente 3 0 a O - fu dame tal Cuidar da vida também é coisa de criança Justificativa PROJETOS CULTURS Na idade escolar, as crianças estão conhecendo o mundo (Freire, 1992), sentindo, observando, identificando-se

Leia mais

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE CIÊNCIAS NATURAIS. Aluno (a): 6 ano Turma:

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE CIÊNCIAS NATURAIS. Aluno (a): 6 ano Turma: Escola Estadual AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE CIÊNCIAS NATURAIS Professor (a) : Data: / /2012 Aluno (a): 6 ano Turma: 1 - Todos os seres vivos e a parte não-viva de um ambiente (água, minerais do solo, gases

Leia mais

ANEXO MODELO DE DIAGNÓSTICO

ANEXO MODELO DE DIAGNÓSTICO ANEXO MODELO DE DIAGNÓSTICO OBJETIVO DO DIAGNÓSTICO: Este modelo de diagnóstico contém alguns itens que poderão ser complementados com outras informações e tem o objetivo de possibilitar ao município a

Leia mais

MOVIMENTO DA ESCOLA MODERNA

MOVIMENTO DA ESCOLA MODERNA MOVIMENTO DA ESCOLA MODERNA Projecto Democrático de Autoformação Cooperada de Docentes Origem e Evolução Proposta de Educação Cívica de António Sérgio Município Escolar em Évora (1963/64) (Sérgio Niza)

Leia mais

Prova de Aferição de Matemática

Prova de Aferição de Matemática PROVA DE AFERIÇÃO DO ENSINO BÁSICO A PREENCHER PELO ALUNO Nome A PREENCHER PELO AGRUPAMENTO Número convencional do Aluno Número convencional do Aluno A PREENCHER PELA U.A. Número convencional do Agrupamento

Leia mais

BOAS PRÁTICAS. Fonte: Manual Boas Práticas Agrícolas para a Agricultura Familiar http://rlc.fao.org/es/agricultura/bpa

BOAS PRÁTICAS. Fonte: Manual Boas Práticas Agrícolas para a Agricultura Familiar http://rlc.fao.org/es/agricultura/bpa BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS Fonte: Manual Boas Práticas Agrícolas para a Agricultura Familiar http://rlc.fao.org/es/agricultura/bpa O QUE SÃO AS BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS (BPA)? Os consumidores estão cada vez

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA MATEMÁTICA ALFA Título do Perímetro e área em situações reais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA MATEMÁTICA ALFA Título do Perímetro e área em situações reais SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA MATEMÁTICA ALFA Título do Perímetro e área em situações reais Podcast Área Matemática Segmento Ensino Fundamental Programa de Alfabetização de Jovens e Adultos Duração 6min32seg

Leia mais

Ribeirão Preto, de de 2011. AVALIAÇÃO DO CONTEÚDO DO GRUPO I 1 o BIMESTRE. Lixo e desperdício: tudo se transforma

Ribeirão Preto, de de 2011. AVALIAÇÃO DO CONTEÚDO DO GRUPO I 1 o BIMESTRE. Lixo e desperdício: tudo se transforma Unidade Portugal Ribeirão Preto, de de 2011. Nome: 3 o ano (2 a série) AVALIAÇÃO DO CONTEÚDO DO GRUPO I 1 o BIMESTRE Eixo temático Preservar para ter Disciplina/Valor Português 4,0 Matemática 4,0 Hist./Geog.

Leia mais

Termo de Referência para Elaboração do Plano de Manejo Florestal Sustentável

Termo de Referência para Elaboração do Plano de Manejo Florestal Sustentável Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Termo de Referência para Elaboração do Plano Avenida Nascimento de Castro, 2127 Lagoa Nova Natal RN

Leia mais

Centro Educacional Linus Pauling

Centro Educacional Linus Pauling Centro Educacional Linus Pauling Projeto 2º SEmestre 2012 APRESENTAÇÃO Faz-se necessário entender que o equilíbrio da natureza é essencial para a vida na terra, e que atualmente a preocupação com a degradação

Leia mais

1 Nº 1 - Fevereiro de 2011

1 Nº 1 - Fevereiro de 2011 O Senhor Buriti, guardião do PLANETA para proteger a cidade fez cinco anéis mágicos a partir do arco íris com os poderes do vento, água, terra, fogo e amor. A união dos cinco poderes fazem surgir o capitão

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO Escola Básica e Secundária À Beira Douro- Medas

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO Escola Básica e Secundária À Beira Douro- Medas AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO Escola Básica e Secundária À Beira Douro- Medas Departamento de Línguas Estrangeiras - Inglês - 3º Ciclo - 7º Ano Planificação Anual 2010 / 2011 1º Período - Aulas

Leia mais

CATÁLOGO DE MATERIAL DIDÁCTICO DESIGNAÇÃO CASA DA QUINTA EM MADEIRA. DESIGNAÇÃO ANIMAIS FLORESTA C/5 (animal maior, c/22,2 cm)

CATÁLOGO DE MATERIAL DIDÁCTICO DESIGNAÇÃO CASA DA QUINTA EM MADEIRA. DESIGNAÇÃO ANIMAIS FLORESTA C/5 (animal maior, c/22,2 cm) 2212.99.0219 CASA DA QUINTA EM MADEIRA De grandes dimensões, MDF de 12mm com base em faia natural envernizada de 60x23mm. Composta por 4 peças: 1 corpo principal, 1 cavalariça, 1 camponês e 1 camponesa.

Leia mais

Análise de risco identifica e avalia provaveis danos e perdas sobre uma unidade social. Analisa as ameaças e vulnerabilidades

Análise de risco identifica e avalia provaveis danos e perdas sobre uma unidade social. Analisa as ameaças e vulnerabilidades Análise de risco identifica e avalia provaveis danos e perdas sobre uma unidade social. Analisa as ameaças e vulnerabilidades AMEACA VULNERABILIDADE RISCO calamidade A V Risco mao manejado Capacidade contencao(cc)

Leia mais

Instalações para Bovinos de Corte. Profa. Dra. Letícia Ane Sizuki Nociti

Instalações para Bovinos de Corte. Profa. Dra. Letícia Ane Sizuki Nociti Instalações para Bovinos de Corte Profa. Dra. Letícia Ane Sizuki Nociti Aspectos gerais As instalações adequadas facilitam o bom manejo do rebanho, devendo ser bem planejadas, projetadas e construídas,

Leia mais

Projeto de Voluntariado para a Cooperação: MUITO MAIS MUNDO. Plano de acção para o Município de Santa Cruz, Santiago, Cabo Verde.

Projeto de Voluntariado para a Cooperação: MUITO MAIS MUNDO. Plano de acção para o Município de Santa Cruz, Santiago, Cabo Verde. Projeto de Voluntariado para a Cooperação: MUITO MAIS MUNDO Plano de acção para o Município de Santa Cruz, Santiago, Cabo Verde Versão concisa Coordenadores: Dr. José Mendes Alves, Câmara Municipal de

Leia mais

Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241

Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241 NRE: Ivaiporã Nome do Professor: Nilson Marques de Oliveira Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241 Escola: Escola Estadual Vicente Machado Ensino

Leia mais

Estudos da Natureza na Educação Infantil

Estudos da Natureza na Educação Infantil Estudos da Natureza na Educação Infantil Referenciais Curriculares Nacionais da Educação Infantil (RCNEI) parte 3 Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2015

Leia mais

1. Leia a reportagem e observe o mapa a seguir. Troca de figurinhas da Copa é mania entre crianças e adultos no Recife

1. Leia a reportagem e observe o mapa a seguir. Troca de figurinhas da Copa é mania entre crianças e adultos no Recife 3ºano 1.3 HISTÓRIA & GEOGRAFIA 2º período 11 de junho de 2014 Cuide da organização da sua avaliação, escreva de forma legível, fique atento à ortografia e elabore respostas claras. Tudo isso será considerado

Leia mais

ECOSSISTEMAS HUMANOS CLASSES GERAIS

ECOSSISTEMAS HUMANOS CLASSES GERAIS ECOSSISTEMAS HUMANOS CLASSES GERAIS CLASSIFICAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS HUMANOS Classe 1 - ECOSSISTEMA NATURAL MADURO ( Floresta Amazônica ); Classe 2 - ECOSSISTEMA NATURAL CONTROLADO (SNUC); Classe 3 - ECOSSISTEMA

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL GRUPO 3 PROGRAMAÇÃO DE CONTEÚDOS 2º. VOLUME. Programação de conteúdos/conhecimentos privilegiados

EDUCAÇÃO INFANTIL GRUPO 3 PROGRAMAÇÃO DE CONTEÚDOS 2º. VOLUME. Programação de conteúdos/conhecimentos privilegiados EDUCAÇÃO INFANTIL GRUPO 3 PROGRAMAÇÃO DE CONTEÚDOS 2º. VOLUME Programação de conteúdos/conhecimentos privilegiados Unidade 4 O mundo secreto das tocas e dos ninhos Unidade 5 Luz, sombra e ação! Unidade

Leia mais

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Estudo do Meio 1.º ano 2015/2016

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Estudo do Meio 1.º ano 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110 Planificação Anual /Critérios de avaliação Disciplina: Estudo do Meio 1.º ano 2015/2016 Domínio (Unidade / Tema) Subdomínio

Leia mais

Retratos: Guia para @s professor@s

Retratos: Guia para @s professor@s Retratos: Guia para @s professor@s Nivel: 10 a 12 anos Fauna Duraçao: de 5 a 7 sessões Áreas: Estudo do meio, Língua portuguesa (1º ciclo). Ciências, Língua portuguesa (2º ciclo). Descriçao: O grupo selecciona

Leia mais

Escola Secundária de Valongo PROFESSORAS: DINORA MOURA ISABEL MACHADO PIMENTA

Escola Secundária de Valongo PROFESSORAS: DINORA MOURA ISABEL MACHADO PIMENTA Escola Secundária de Valongo PROFESSORAS: DINORA MOURA ISABEL MACHADO PIMENTA 1º PERÍODO TEMAS / CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS O ALUNO DEVERÁ SER CAPAZ DE: BLOCOS (90 min) ALGUMAS SUGESTÕES DE EXPERIÊNCIAS

Leia mais

COMPOSTAGEM. Produção de adubo a partir de resíduos orgânicos

COMPOSTAGEM. Produção de adubo a partir de resíduos orgânicos COMPOSTAGEM Produção de adubo a partir de resíduos orgânicos Produzir adubo na propriedade rural é uma prática fácil porque a matéria prima a ser usada éobtida de resíduos orgânicos como o lixo doméstico

Leia mais

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo)

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) Duração: 5 Sessões (45 minutos) Público-Alvo: 6 a 7 anos (1º Ano) Descrição: O programa A Família é constituído por uma série de cinco actividades. Identifica o

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL 1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR REGISTO DE OBSERVAÇÃO / AVALIAÇÃO Nome Data de Nascimento / / Jardim de Infância de Educadora de Infância AVALIAÇÃO

Leia mais

EXPRESSÃO E EDUCAÇÃO PLÁSTICA

EXPRESSÃO E EDUCAÇÃO PLÁSTICA EXPRESSÃO E EDUCAÇÃO PLÁSTICA PRINCÍPIOS ORIENTADORES A manipulação e experiência com os materiais, com as formas e com as cores permite que, a partir de descobertas sensoriais, as crianças desenvolvam

Leia mais

Todas as atividades que seu(sua) filho(a) realiza na escola, em todas as áreas de conhecimento, estão relacionadas aos objetivos de aprendizagem.

Todas as atividades que seu(sua) filho(a) realiza na escola, em todas as áreas de conhecimento, estão relacionadas aos objetivos de aprendizagem. Brasília, 24 de fevereiro de 2014. Senhores Pais e/ou Responsáveis, Neste documento, listamos os conteúdos e objetivos referentes às aprendizagens pretendidas para os alunos do Maternal II, durante o 1º

Leia mais

Testes de Diagnóstico

Testes de Diagnóstico INOVAÇÃO E TECNOLOGIA NA FORMAÇÃO AGRÍCOLA agrinov.ajap.pt Coordenação Técnica: Associação dos Jovens Agricultores de Portugal Coordenação Científica: Miguel de Castro Neto Instituto Superior de Estatística

Leia mais

Apresentação do projeto:

Apresentação do projeto: Apresentação do projeto: Este projeto tem o intuito do conhecimento global do ser humano: conhecendo seu corpo, ampliando conceitos de higiene e saúde, descobrindo que o indivíduo está presente em todas

Leia mais

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Estudo do Meio 1.º ano 2014/2015

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Estudo do Meio 1.º ano 2014/2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110 Planificação Anual /Critérios de avaliação Disciplina: Estudo do Meio 1.º ano 2014/2015 Domínio (Unidade / Tema) Subdomínio

Leia mais

PRESERVAÇÃO AMBIENTAL: EDUCANDO E APRENDENDO COM A NATUREZA

PRESERVAÇÃO AMBIENTAL: EDUCANDO E APRENDENDO COM A NATUREZA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL: EDUCANDO E APRENDENDO COM A NATUREZA Soraya Carvalho Pereira Rocha (Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal/Universidade Aberta do Brasil Universidade de Brasília) Kátia

Leia mais