ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PROFª. DRA. VALQUÍRIA DA SILVA STAFOCHER PROFº MS. ANTÔNIO FERNANDO GOMES ALVES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PROFª. DRA. VALQUÍRIA DA SILVA STAFOCHER PROFº MS. ANTÔNIO FERNANDO GOMES ALVES"

Transcrição

1 PROGRAMA DE REVISÃO INTENSIVA EM ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PROFª. DRA. VALQUÍRIA DA SILVA STAFOCHER PROFº MS. ANTÔNIO FERNANDO GOMES ALVES

2 Nova Economia e o cenário da vantagem competitiva das organizações: o fator humano Nova Economia ou Economia Informacional Contexto atual é a Nova Economia = Economia Cognitiva Economia Informacional baseado na lucratividade e a competitividade; Relação hoje nas organizações seguem o sentido da inovação remetendo em expandir a mente humana dos funcionários; A Economia da Informação ou Nova Economia é o processo de globalização das empresas num mercado altamente competitivo; Porque Global? Por que os seus componentes(recursos) existem em escala global (capital, trabalho, matéria-prima, informação, tecnologia, etc...); Economia informacional ligada aos atributos como o cultural e o institucional-social; Mudanças nas organizações O surgimento da economia informacional caracteriza-se pela nova lógica organizacional relacionado como o processo de transformação tecnológica na sociedade; Pontos da mudança na relação produtiva das organizações: a) organização da produção e os mercados globais; b) transformações organizacionais interagiram com a difusão tecnológica no mundo do trabalho; c) a incerteza da produção lidando com a flexibilidade em produção; d) modelo de produção enxuto, eliminando tarefas e camadas administrativas. Transição da produção em massa para a produção flexível; As grandes corporações concentraram capital e o nível de emprego se mantém.

3 Mudanças nos trabalhadores As organizações vivem uma transição do capitalismo industrial para o capitalismo informacional; O processo produtivo reduz o trabalhador ao operário do processo e passa para outro complemento, um subsistema no qual o trabalho é contínuo; Quais vantagens desse trabalhador para a organização? a) Polivalência; b) mobilidade é maior que as tradicionais; c) não está preso ao território da empresa; d) fácil substituição; Emerge o Capitalismo imaterial ou capital da inteligência, baseando-se no conhecimento e informação. Sociedade da Internet Ativo Intensivo de Conhecimento Relacionamento Virtualização da Economia Fonte: Curso de Gestão Estratégia dos Ativos Intangíveis Organizacionais O que são recursos? O que são recursos? São bens(tangíveis e intangíveis) capazes de elevar ou aumentar a produtividade e lucratividade da organização(empresa); Está ligado diretamente a estrutura da organização para processos produtivos; Atualmente quais recursos são considerados essenciais? Fator Humano.

4 Vantagem Competitiva Coloca a organização em posição de destaque perante outras concorrentes; Recursos adquiridos no mercado são poucos eficazes como fonte de vantagem competitiva por serem facilmente comercializáveis; Os recursos desenvolvidos dentro da organização são menos passíveis de comercialização e por isso, torna-se estratégico, portanto o (conhecimento da pessoa); O tempo é a chave, empresas líderes gerenciam o tempo para produção e desenvolvimento de novos produtos. Fontes de Vantagem Competitiva Barney(1980) desenvolve que essa FVC está baseada nos valores dos recursos( Resource Based View RBV); Entende que a organização possui recursos tangíveis e intangíveis. A vantagem reside nos recursos que não são passíveis de imitação, garantindo a fonte dessa vantagem.assim, considera o recurso intangível como FVC sustentável. As características dos recursos Rara Difícil de ser percebida Fonte Vantagem Competitiva Durável Difícil de Imitação

5 Quando um produto ou serviço torna-se uma vantagem competitiva para a organização? 1. Quando torna-se valioso permite a empresa explorar as oportunidades; 2. Quando torna-se raro função da sua posição no mercado perante aos concorrentes; 3. Quando é difícil de imitar não é possível a completa reprodução; 4. Não são passíveis de substituição ou imitação(não possuem equivalentes). Ativos estratégicos em Recursos Humanos Quando essas características estão alinhadas, constituem ativos estratégicos. Os ativos estratégicos são compostos pelo capital organizacional; mas o que é isso? Capital Organizacional é composto pelo capital humano e social, sendo que o Capital humano compreende capacidades, conhecimentos, habilidades, criatividades, inteligência e experiências de cada um(a).

6 Como desenvolvê-los? Boa comunicação; Níveis diferenciados de conhecimento; Trabalho em equipe para conversão e criação do conhecimento organizacional; RH estratégico(sentar-se na mesa diretora). Vantagem Competitiva PRODUTOS E SERVIÇOS COMPETÊNCIAS e APRENDIZAGEM PROCESSOS VALORES, CULTURA e CONHECIMENTO FORNECEDORES E CLIENTES Proteção contra Imitação A vantagem reside no desenvolvimento das Competências As organizações necessitam de pessoas qualificadas e competentes, assim existem competências; Entendemos que... Competência é um conjunto de Conhecimentos, Habilidades e Atitudes (CHA) que justificam um alto desempenho, fundamentados na inteligência e na personalidade das pessoas.

7 onhecimentos abilidades titudes Aplicação do Estoque de Repertórios Individuais e Organizacionais Características dos trabalhadores nas organizações do século XXI 1. pessoa pró-ativa nas atividades; 2. ir além das atividades prescritas, 3. compreender e dominar novas situações, 4. responsável e reconhecido na organização; 5. saber agir, 6. mobilizar recursos, 7. integrar saberes múltiplos e complexos, 8. saber aprender, 9. saber se engajar, 10. assumir responsabilidades e ter visão estratégica) 11. entre outras. Ciclo da Criação do Conhecimento Orientam COMPETÊNCIAS HUMANAS (conhecimento) Subsidiam DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAIS DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL Retroalimentação

8 Knowledge Unlocker Plus Fonte: Prof.Baroni Fonte: Custo Variável Custo fixo Ex.: BlackBerry Custo fixo = matéria prima Custo variável = capital intelectual através de Pesquisa + Conhecimento Esse processo é possível quando? Há conhecimento inserido nas ações e portanto, nas atividades humanas. O que é conhecimento?

9 Em sua essência, a administração do conhecimento preocupa-se com a identificação dos conhecimentos valiosos existentes na empresa para que possam ser catalogados e divulgados de forma continua e eficaz visando o uso pela companhia. O desenvolvimento do tipo de memória corporativa que advém do resultado dessas atividades está relacionado com a capacidade que a empresa tem de adaptar e modificar o conhecimento e o seu uso em formas compatíveis com um ambiente em constante modificação, Hitt, Ireland & Hoskisson (2002). Estratégias e políticas declaradas de gestão do conhecimento, portais corporativos, lições aprendidas e melhores práticas, reconhecimento e premiação, taxonomia e ontologia como facilitadores da gestão de conteúdo, repositórios de documentos e bibliotecas corporativas virtuais ou físicas, educação corporativa e e-learning, rede de especialistas, centros de inovação, comunidades de conhecimento, técnicas de coaching e mentoring, entre outras iniciativas podem ser consideradas práticas atuais adotadas pelas empresas e ligadas à gestão do conhecimento. Competências e Aprendizagem na Gestão do Conhecimento Fundamenta-se na tese da mudança do paradigma da qualificação Antes - Qualificação Competências Atual - Competência Relacionava-se com o preparo para um determinado posto de trabalho / formação para trabalho prescritivo Relaciona-se com a formação para situações polivalentes. Trabalho nãoprescritivo e sim exigido.

10 Mudanças no Espaço Organizacional Necessidades da Organização em desenvolver vantagem competitiva Requer comportamentos diferenciados nas organizações Competências Individuais e Coletivas Noção de Qualificação evolui para Competência Relativa estabilidade da atividade econômica Concorrência localizada Predomínio: indústria (padrões) Emprego formal e forte base sindical Trabalho: cargos definidos/ tarefas prescritas Foco no processo Baixa aprendizagem Crescente instabilidade da atividade econômica Intensificação da concorrência Predomínio: serviços (eventos) Relações de trabalho informais e crise dos sindicatos Trabalho: metas/ responsabilidd/multifuncionalidd Foco nos resultados Alta aprendizagem (Ruas, 2005) COMPETÊNCIA INPUTS OUTPUTS Conhecimentos Habilidades Adicionar de Valor Atitudes A utilização pelas empresas ADICIONAR VALOR $ Níveis de Complexidade de Atribuições e Responsabilidades Níveis de Valores adicionados Escala de valores Competências Individuais (Níveis) ESPAÇO OCUPACIONAL Necessidades da Organização ESPAÇO Competências ORGANIZACIONAL Individuais e Coletivas Níveis de Agregação de Valor

11 Emergência da Noção Surge como uma forma de repensar: - As interações entre pessoas (seus saberes e capacidades) e as organizações (suas demandas e processos relacionais) - O papel e a performance do trabalho nas organizações -A vantagem competitiva das organizações na visão econômica baseada em recursos Desenvolvimento das competências nas empresas Mercado Estratégia Desenvolvida Cultura Organizacional Estratégia Competências Organizacionais Competência Organizacional Competência Individual Competências Individuais Patrimônio de Conhecimento que confere vantagens competitivas à Organização Capacidade da pessoa de agregar valor ao patrimônio de conhecimentos da organização Competências Essenciais Anos 90 Prahalad Inglaterra /Hamel Core Competences Relaciona-se aos elementos Visão, Missão e Intenção Estratégica, na obtenção da vantagem competitiva Conjunto de habilidades e tecnologias que resultam por aportar um diferencial fundamental para a competitividade da empresa (Ruas)

12 Competências Individuais McClelland Americana Paper- Testing for Competence rather than Intelligence Competência : é uma característica subjacente a uma pessoa que é casualmente relacionada com desempenho superior na realização de uma tarefa ou em determinada situação. Diferenciava competência de aptidões ( talento natural da pessoa), de habilidades ( demonstração de um talento particular na prática) de conhecimentos (o que as pessoas precisam saber para desempenhar uma tarefa ) 1980 Boyatzis Competência : é um conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes (conjunto de capacidades humanas) que justificam um alto desempenho. - os melhores desempenhos estão fundamentados na inteligência e personalidade das pessoas. - Competência = estoque de recursos que o indivíduo detém. Competências Individuais I - Americana 1993 Spencer & Spencer Intenção Ação Resultado Características Pessoais Comportamento Desempenho no Trabalho Motivos - pensamentos ou desejos que causam a ação Traços de personalidade Auto-conceito - atitudes, valores, auto-imagem Conhecimentos - informação que uma pessoa tem sobre um conteúdo ou área específica Habilidades capacidade para desempenhar determinada tarefa - física ou mental Competências Individuais Anos 90 II- Européia Zarifian,2001 Emergência da noção de competências Mutações no conteúdo do trabalho (passagem da era industrial): 3 pontos essenciais Evento 1- O imprevisto, inesperado, que perturba o sucesso da atividade produtiva. Acaso. 2- O imprevisto não parte do acaso e sim dos novos problemas colocados pelo ambiente - as atividades de inovação. Comunicação Construir um entendimento recíproco e bases de compromisso que serão a garantia do sucesso das ações desenvolvidas em conjunto. Serviço Trabalhar é gerar um serviço: uma modificação no estado ou nas condições de atividade de outro humano ou de clientes e usuários.

13 Competências Individuais II- Européia (Fleury e Fleury, 2001) LE BORTEF 1995 Competência É um saber agir responsável e que é reconhecido pelos outros. Implica saber como mobilizar, integrar e transferir os conhecimentos, recursos e habilidades, num contexto profissional determinado. Situa competências em 3 eixos: - pessoa (sua biografia, socialização) - formação educacional - experiência profissional II- Européia Saber agir Saber mobilizar recursos Saber comunicar Saber aprender Saber engajar-se e comprometer-se Saber assumir responsabilidades Ter visão estratégica Competências para o Profissional Saber o que e por que faz. Saber julgar, escolher, decidir. Criar sinergia e mobilizar recursos e competências Compreender, trabalhar, transmitir informações, conhecimentos. Trabalhar o conhecimento e a experiência, rever modelos mentais; saber desenvolver-se Saber empreender, assumir riscos. Comprometer-se. Ser responsável, assumindo os riscos e conseqüências de suas ações e sendo por isso reconhecido. Conhecer e entender o negócio da organização, o seu ambiente, identificando oportunidades e alternativas (Fonte:Fleury e Fleury, 2001) Competências Individuais III Integradora Fleury & Fleury 2001 Competência É um saber agir responsável e reconhecido que implica mobilizar, integrar, transferir conhecimentos, recursos, habilidades, que agreguem valor econômico à organização e valor social ao indivíduo.

14 III Integradora Ruas 2001 Desempenho Conhecimentos Avaliação Habilidades Atitudes COMPETÊNCIA Entrega Complexidade Espaço ocupacional Recursos Indivíduo Condições Competências da Liderança O que Desempenho Resultados Fatos concretos resultados da ação: a atingir objetivos, cumprir prazos, realizar tarefas dentro das especificações e com a qualidade estabelecida + Comportamentos Conhecimentos Habilidades Atitudes aplicados para atingir os resultados Como Observável vel e Mensurável

15 CONHECIMENTO = Informações sobre o que fazer, como fazer. HABILIDADE = Capacidade de aplicar o conhecimento no trabalho ATITUDES = Conjunto de ações / reações do indivíduo duo perante ao meio social. Técnicas / Funcionais Pessoais Gerenciais Competências Cargo Valores Culturais Negócios Atrair Desenvolver Seleção Estágio Recrutamento Interno Treinamentos Transferências Orientação e Feedback Liderança Reconhecer Avaliação Mérito Promoções Competências da Liderança

16 PADRONIZAÇÃO Compromisso com as Pessoas FRUTOS RESULTADOS FOLHAS FERRAMENTAS TOTAL ENTUSIASMO DO CLIENTE SEGURANÇA QUALIDADE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS CAPACIDADE DE RESPOSTA CUSTO TRAB.QUALIDADE(SISTEMAS) TPM, KANBAN, PDCA, 5 PASSOS,ETC GALHOS MÉTODOS TRONCO PESSOAS FEITO COM QUALIDADE MENOR TEMPO DE EXECUÇÃO MELHORIA CONTÍNUA COMPROMETIMENTO TIME DE TRABALHO RAÍZES CULTURA E VALORES CONFIANÇA RESPEITO MÚTUO ESPÍRITO DE TIME AUTO-ESTIMA/EMPATIA/AFETIVIDADE INTEGRIDADE, INOVAÇÃO Responsabilidade do LíderL Desenvolver pessoas com integridade Integridade Fazer o que tem que ser feito quando não há ninguém por perto.

17 O DESEMPENHO é responsabilidade do empregado. Mas, no final... A LIDERANÇA é responsável por direcionar o desempenho dentro da organização. Aprendizagem individual e aprendizagem organizacional: perspectivas na gestão do conhecimento Aprendizagem pressupõe mudanças comportamentais no indivíduo; Destaque para o enfoque behaviorista (comportamento) e cognitivista ( modelos mentais); A interação pressupõe adquirir, apreender, aplicar, perceber e compreender.

18 APRENDIZAGEM Teorias Behaviorista (condicionamento) A aprendizagem é defendida pelas suas conseqüências comportamentais e enfatizam as condições ambientais como forças propulsoras da Aprendizagem; Aprendizagem é a conexão entre o estímulo e a resposta. Teoria Cognitivista A aprendizagem é um processo de relação do sujeito com o mundo exterior e no que tem conseqüências no plano da organização interna do conhecimento (organização cognitiva); É o processo de organização de informações e integração do material pela estrutura cognitiva. AMBIENTE Dinâmica Do Ambiente De Negócios Transformações nas organizações Cultura da da Mudança Papel do gestor amplia- se, torna-se mais complexo e dinâmico Gestão Gestão das das Empresas Empresas (Novas (Novas Estratégias) Estratégias) Cinco Cinco vetores vetores de de Mudança Mudança a na na Gestão Gestão das das Empresas: Empresas: Mudança Mudança no no Perfil Perfil dos dos Gestores Gestores Implicam Implicam em em expansão expansão e/ou e/ou redimensionamento redimensionamento de de Competências. Competências. Para Para desenvolver desenvolver competências competências o gestor gestor precisa precisa mudar mudar sua sua forma forma de de pensar pensar e atuar atuar (agir) (agir) Mudar Mudar e Compartilhar Compartilhar Modelos Modelos Mentais Mentais Identificar Identificar sua sua forma forma de de aprender aprender e e maximizar maximizar o ciclo ciclo de de aprendizagem aprendizagem na na ação aação RELAÇÃO ENTRE MUDANÇA A E APRENDIZAGEM Mudanças as visando atingir novas performances ou ou novos resultados implicam em em mudanças as na na maneira de de pensar, de de ver ver e de de agir, tanto das das pessoas, como no no próprio prio ambiente organizacional; Assim, essas mudanças as assumem a forma de de desenvolvimento de de competências; São São mudanças as que que não não podem ser ser feitas somente de de fora fora para dentro, mas mas exigem de de dentro para fora. Mudanças as geram Aprendizagem.

19 Gestão Estratégica Orientação para o cliente Gestão de de Processos Papel Papel do do gestor gestor amplia-se, amplia-se, torna-se torna-se mais mais complexo complexo e e dinâmico dinâmico Medição e Informações Clima Organizacional PRINCIPAIS VETORES DE DE MUDANÇA A NA NA GESTÃO DAS DAS EMPRESAS O que são Aprendizagem Organizacional e Organização que Aprende AO = Multidimensional e complexo baseado na capacidade da organização desenvolver a aprendizagem; AO = baseado na aprendizagem particular(individual) para a busca do coletivo(ciclos simples, duplo ou triplo); A aprendizagem requer mudanças como componente sine-qua-non das organizações. Os enfoques da AO 1. Socialização da AI; 2. Processo-Sistema; 3. Cultura; 4. Gestão do Conhecimento 5. Inovação Todos articulados pela mudança comportamental.

20 1. Socialização da Aprendizagem Individual Desenvolvido principalmente no campo da psicologia a partir dos estudos dos sujeitos; Esse tipo de enfoque acontece quando há interação entre os indivíduos na organização, comunicação, procedimentos de trabalho, sistemas ou espaço para a articulação entre capital estrutural, capital intelectual e humano. 2. Processo-Sistema O ambiente organizacional é pautado pela informação e para isso a AO deve primar-se pela capacidade de saber aplicar, codificar, resignificar e modificar a informação transformando-a em conhecimento organizacional. 3. Cultura Apresentada como mecanismo de construção de significados pautada nos valores; É socialmente construído, portanto, redes de relacionamentos.

21 4. Gestão do Conhecimento Os indivíduos contribuem para a construção do conhecimento organizacional; Na relação inter-pessoal é construído o core business da organização; Os diferentes tipos de conhecimento articulados(tácito e explícito) produzem mudanças comportamentais gerando resultados. 5. Inovação A intensificação da competitividade do mercado requer mudanças endógenas nas organizações; Processos e produtos tecnológicamente melhores e diferenciados = customização; Inovar para construir ou construir para inovar? Gestão do conhecimento: conceitos, estruturas e perspectivas

22 Qual a origem da Gestão do Conhecimento? Consultoria Terra Fórum Conceituando... Gestão do conhecimento significa organizar as principais políticas, processos e aprendizado organizacional para geração, disseminação, compartilhamento e uso dos conhecimentos estratégicos para gerar resultados e vantagem competitiva ao ambiente interno e externo. Objetivos Adaptado J. C. Terra

23 Duas faces da moeda: inteligência competitiva e gestão do conhecimento Adaptado J. C. Terra Congruência entre GC e IC 1. A GC Gestão do Conhecimento é uma perspectiva interna voltada para as informações e conhecimentos gerados nos processos de aprendizagem organizacional; 2. A IC Inteligência Corporativa é voltada para a perspectiva externa na interpretação e acompanhamento da informação gerada pelos clientes, fornecedores, concorrência e parceiros. Inteligências Múltiplas Howard Gardner expõe que a nossa inteligência é resultado de vários processadores mentais responsável pelas habilidades diversificadas. As mais requisitadas neste século pelas empresas são: inteligência intrapessoal e interpessoal.

24 Modelo básico de comunicação interpessoal Elementos intangíveis componentes da GC Adaptado Marco T. Zanini Organização competitiva Desempenho da gestão na organização Desempenho da equipe e liderança a partir da aplicação do conhecimento organizacional Desenvolvimento intra e inter pessoal

25 Conversão dos tipos do conhecimento: a espiral e o seu papel no processo inovativo das organizações. Cenário atual A passagem para a Sociedade do Conhecimento elevou o paradoxo, de algo a ser eliminado e evitado, para algo a ser aceito e cultivado. As contradições, as inconsistências, os dilemas, as dualidades, as polaridades, as dicotomias e as oposições não são alheios ao conhecimento, pois o conhecimento em si é formado por dois componentes dicotômicos e aparentemente opostos isto é, o conhecimento explícito e o conhecimento tácito. 1. Conhecimento Explícito 1. O conhecimento explícito pode ser expresso em palavras, números ou sons,e compartilhado na forma de dados, fórmulas científicas, recursos visuais, fitas de áudio, especificações de produtos ou manuais. O conhecimento explícito pode ser rapidamente transmitido aos indivíduos, formal e sistematicamente.

26 2. Conhecimento Tácito 2.O conhecimento tácito, por outro lado, não é facilmente visível e explicável.pelo contrário, é altamente pessoal e difícil de formalizar, tornando-se de comunicação e compartilhamento dificultoso. As intuições e os palpites subjetivos estão sob a rubrica do conhecimento tácito. O conhecimento tácito está profundamente enraizado nas ações e na experiência corporal do indivíduo, assim como nos ideais, valores ou emoções que ele incorpora. Conhecimento: Tácito x Explícito (Michael Polanyi - Personal Knowledge - The Tacit Dimension- 1957) Ambiente externo e educaçãointerno c o m p e cultura t ê n c i a s explícito tácito

27 Modos de conversão a) Socialização trocas de conhecimentos tácitos entre os indivíduos b) Externalização utilização da linguagem formal como mediadora do processo de conhecimento c) Combinação sistematização de conceitos d) Internalização incorporação do conhecimento pelo sujeito de modo aplicativo Conhecim ento tácito / explícito: dinâm icas de aprendizagem explícito disciplinas combinação/articulação explícito explícito educação c o m p internalização/incorporaçãoe cultura t externalização/emergência tácito ê n c i socialização/partilha a s tácito tácito Criação e Dialética do Conhecimento As empresas bem-sucedidas não estão apenas enfrentando o paradoxo, mas tirando vantagem dele Taylor Herbert Simon Processamento da informação Conhecimento tácito técnica cognitiva Paradoxal explícito

28 Conhecimento e Dialética Movimento dialético tese antítese tese síntese Raciocínio dialético : tese A + Antítese B = nova realidade C Adaptado Nonaka e takeuchi Formação do Conhecimento Dialético na Organização SINTESE DE TACITO / EXPLICITO ESPIRAL DO SECI ORGANIZAÇÃO CONHECIMENTO TACITO CONHECIMENTO EXPLICITO Terminologia da dialética : Sintese de A (tacito) + B (explicito) = C (novo conhecimento) Adaptado Nonaka e takeuchi DUALISMO / SEPARAÇÃO CARTESIANA MENTE CORPO TENTATIVA E ERRO CONHECIMENTO APRENDER FAZENDO INTERAÇÃO DINAMICA, CONTINUA E SIMULTANEA SINTESE (C) DO CORPO (A) E DA MENTE (B) SINTESE DE INDIVÍDUO / ORGANIZAÇÃO ORGANIZAÇÃO INDIVIDUO AMPLIFICADOR DO CONHECIMENTO - ESTIMULO - APOIO - CRIE CRIADOR DO CONHECIMENTO SINTESE DE CORPO / MENTE DIALOGO DISCUSSÃO EXPERIÊNCIAS CONFLITOS / DISCORDÂNCIAS

29 Podemos saber mais do que podemos dizer ( POLANYI, 1966). Obrigado e sucesso para todos! Prof. Antônio Fernando Gomes Alves

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO Profa. Leonor Cordeiro Brandão Relembrando Vimos alguns conceitos importantes: O que são dados; O que é informação; Quando uma informação se transforma em conhecimento;

Leia mais

Introdução. Gestão do Conhecimento GC

Introdução. Gestão do Conhecimento GC Introdução A tecnologia da informação tem um aspecto muito peculiar quanto aos seus resultados, uma vez que a simples disponibilização dos recursos computacionais (banco de dados, sistemas de ERP, CRM,

Leia mais

O papel do bibliotecário na Gestão do Conhecimento. Profª Dr a Valéria Martin Valls Abril de 2008

O papel do bibliotecário na Gestão do Conhecimento. Profª Dr a Valéria Martin Valls Abril de 2008 O papel do bibliotecário na Gestão do Conhecimento Profª Dr a Valéria Martin Valls Abril de 2008 Apresentação Doutora e Mestre em Ciências da Comunicação / Bibliotecária (ECA/USP); Docente do curso de

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Módulo 07 Gestão de Conhecimento

Módulo 07 Gestão de Conhecimento Módulo 07 Gestão de Conhecimento Por ser uma disciplina considerada nova dentro do campo da administração, a gestão de conhecimento ainda hoje tem várias definições e percepções, como mostro a seguir:

Leia mais

A importância da Educação para competitividade da Indústria

A importância da Educação para competitividade da Indústria A importância da Educação para competitividade da Indústria Educação para o trabalho não tem sido tradicionalmente colocado na pauta da sociedade brasileira, mas hoje é essencial; Ênfase no Direito à Educação

Leia mais

www.jrsantiago.com.br

www.jrsantiago.com.br www.jrsantiago.com.br Gestão do Conhecimento em Projetos José Renato Santiago Cenário Corporativo Muitas empresas gastam parte significativa de seu tempo no planejamento e desenvolvimento de atividades,

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Ensino Superior no Século XXI: Mudanças, Desafios e Competências. José Roberto Gomes da Silva

Ensino Superior no Século XXI: Mudanças, Desafios e Competências. José Roberto Gomes da Silva Ensino Superior no Século XXI: Mudanças, Desafios e Competências José Roberto Gomes da Silva Os desafios de gestão das IES Maior Complexidade Mudanças na sociedade Competitividade Novo papel Nova identidade

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas

Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas Evolução PMC têm atuação diferenciada na gestão de pessoas e clima organizacional, gerando na equipe mais agilidade para a mudança e maior capacidade

Leia mais

Apresentação. Gestão de Pessoas por Competências

Apresentação. Gestão de Pessoas por Competências Apresentação Gestão de Pessoas por Competências POR QUE GESTÃO POR COMPETÊNCIAS? Empresas e Organizações Gestão das Finanças Gestão de Marketing Gestão de Produção Gestão de Distribuição Gestão de Controle

Leia mais

Plenária II O Profissional Arquivista e a Gestão do Conhecimento: demandas contemporâneas nas organizações.

Plenária II O Profissional Arquivista e a Gestão do Conhecimento: demandas contemporâneas nas organizações. Plenária II O Profissional Arquivista e a Gestão do Conhecimento: demandas contemporâneas nas organizações. Profa. Dra. Maria do Rocio F. Teixeira Salvador, 2013 Conhecimento Organizacional 2 A Produção

Leia mais

COMPETÊNCIAS PARA A EMPREGABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES

COMPETÊNCIAS PARA A EMPREGABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES t COMPETÊNCIAS PARA A EMPREGABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES Joaquim Domingos Maciel Faculdade Sumaré joaquim.mackim@gmail.com RESUMO: Este artigo pretende alertar estudantes e profissionais para a compreensão

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Prof a Lillian Alvares Fóruns Comunidades de Prática Mapeamento do Conhecimento Portal Intranet Extranet Banco de Competências Memória Organizacional

Leia mais

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 Rosely Vieira Consultora Organizacional Mestranda em Adm. Pública Presidente do FECJUS Educação

Leia mais

Gestão do Conhecimento: Uma Visão Geral Para Business Intelligence

Gestão do Conhecimento: Uma Visão Geral Para Business Intelligence Gestão do Conhecimento: Uma Visão Geral Para Business Intelligence Banco de Dados para BI: José Roberto Escodeiro 10/10/2011 1. Linha do Tempo 2. Era do Conhecimento Índice 3. Ativos Tangíveis e intangíveis

Leia mais

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS Ensinar para administrar. Administrar para ensinar. E crescermos juntos! www.chiavenato.com GESTÃO E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS Para Onde Estamos Indo? Idalberto Chiavenato Algumas empresas são movidas

Leia mais

Organização da Aula. Gestão de Recursos Humanos. Aula 2. Liderança X Gerenciamento. Contextualização. Empreendedor Conflitos.

Organização da Aula. Gestão de Recursos Humanos. Aula 2. Liderança X Gerenciamento. Contextualização. Empreendedor Conflitos. Gestão de Recursos Humanos Aula 2 Profa. Me. Ana Carolina Bustamante Organização da Aula Liderança Competências gerenciais Formação de equipes Empreendedor Liderança X Gerenciamento Conceito e estilos

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

Aula 09 - Remuneração por competências: uma alavanca para o capital intelectual

Aula 09 - Remuneração por competências: uma alavanca para o capital intelectual Aula 09 - Remuneração por competências: uma alavanca para o capital intelectual Objetivos da aula: Estudar a remuneração por habilidades; Sistematizar habilidades e contrato de desenvolvimento contínuo.

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS

FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS ROGERIO LEME rogerio@lemeconsultoria.com.br /rogeriolemeoficial PUBLICAÇÕES ALGUNS DOS NOSSOS CLIENTES SETOR PÚBLICO SERVIÇOS

Leia mais

Os territórios e suas abordagens de desenvolvimento regional / local. Cleonice Alexandre Le Bourlegat

Os territórios e suas abordagens de desenvolvimento regional / local. Cleonice Alexandre Le Bourlegat Os territórios e suas abordagens de desenvolvimento regional / local Cleonice Alexandre Le Bourlegat Complexidade sistêmica e globalização dos lugares A globalidade (conectividade em rede) do planeta e

Leia mais

Práticas de Apoio à Gestão

Práticas de Apoio à Gestão Práticas de Apoio à Gestão Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Organizações de Aprendizagem Learning Organization Conceitos Organizações de Aprendizagem

Leia mais

Evolução da Disciplina. Modelo de Gestão CONTEXTUALIZAÇÃO. As Funções Gerenciais e as Mudanças. As Funções Gerenciais

Evolução da Disciplina. Modelo de Gestão CONTEXTUALIZAÇÃO. As Funções Gerenciais e as Mudanças. As Funções Gerenciais Evolução da Disciplina Modelos de Gestão Aula 1: Principais Modelos das Teorias da Administração Aula 2: Origem, Evolução, Classificação e Tipologia das Organizações Aula 3: Termos comuns às Organizações;

Leia mais

TÍTULO: CAPITAL INTELECTUAL E GESTÃO DO CONHECIMENTO: OS DESAFIOS DOS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS DIANTE DOS NOVOS CONTEXTOS DE GERENCIAMENTO

TÍTULO: CAPITAL INTELECTUAL E GESTÃO DO CONHECIMENTO: OS DESAFIOS DOS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS DIANTE DOS NOVOS CONTEXTOS DE GERENCIAMENTO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: CAPITAL INTELECTUAL E GESTÃO DO CONHECIMENTO: OS DESAFIOS DOS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS DIANTE

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS Prof.ª Giselle Reis Brandão IEC - PUC Minas ALGUNS CONCEITOS IMPORTANTES: ADM. DE RECURSOS HUMANOS: As pessoas vistas como recursos, no sentido de instrumentos, meios para

Leia mais

Gestão de TI. Aula 9 - Prof. Bruno Moreno 27/06/2011

Gestão de TI. Aula 9 - Prof. Bruno Moreno 27/06/2011 Gestão de TI Aula 9 - Prof. Bruno Moreno 27/06/2011 Aula passada... CRM BI - Introdução Sistemas Interorganizacionais 17:08 2 Aula de hoje... Gestão do Conhecimento 17:08 3 85% dos ativos de conhecimento

Leia mais

Como m a n a d n am a m a s a m i m n i h n a h s a Competências?

Como m a n a d n am a m a s a m i m n i h n a h s a Competências? Como andam as minhas Competências? R&S Por que? O sucesso das organizações modernas está diretamente ligado à inteligência que elas detêm TALENTOS Detectar, atrair, reter e desenvolver talentos são funções

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

FUNÇÕES MOTORAS (Produtos e Serviços)

FUNÇÕES MOTORAS (Produtos e Serviços) FUNÇÕES MOTORAS (Produtos e Serviços) 1. MÉTODO MENTOR - Modelagem Estratégica Totalmente Orientada para Resultados Figura 1: Método MENTOR da Intellectum. Fonte: autor, 2007 O método MENTOR (vide o texto

Leia mais

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO Autoria: Elaine Emar Ribeiro César Fonte: Critérios Compromisso com a Excelência e Rumo à Excelência

Leia mais

www.dehterakm.com beatriz@dehtearkm.com

www.dehterakm.com beatriz@dehtearkm.com www.dehterakm.com beatriz@dehtearkm.com Quem somos? A BEATRIZ DEHTEAR KM apresenta a seus clientes uma proposta totalmente inovadora para implementar a Gestão do Conhecimento Organizacional. Nosso objetivo

Leia mais

Como atrair e reter talentos

Como atrair e reter talentos Como atrair e reter talentos na Panificação PORQUE A DISCUSSÃO DE TALENTOS É IMPORTANTE PARA ORGANIZAÇÕES COMPETITIVAS? Em toda a história do mundo empresarial, nunca houve tanta preocupação e cuidados

Leia mais

EXECUTIVE GESTÃO ESTRATÉGICA. www.executivebc.com.br. 071 3341-4243 cursos@executivebc.com.br

EXECUTIVE GESTÃO ESTRATÉGICA. www.executivebc.com.br. 071 3341-4243 cursos@executivebc.com.br EXECUTIVE GESTÃO ESTRATÉGICA www.executivebc.com.br 071 3341-4243 cursos@executivebc.com.br GESTÃO ESTRATÉGICA O presente documento apresenta o modelo de implantação do sistema de gestão estratégica da

Leia mais

Gestão do Conhecimento

Gestão do Conhecimento Gestão do Conhecimento Universidade de Brasília Faculdade d de Ciência i da Informação Prof a Lillian Alvares ESPIRAL DO CONHECIMENTO: NONAKA E TAKEUCHI, 1997 Obra referencial cujos objetivos são: Construir

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS Cesar Aparecido Silva 1 Patrícia Santos Fonseca 1 Samira Gama Silva 2 RESUMO O presente artigo trata da importância do capital

Leia mais

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO COMO FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA. Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO COMO FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA. Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO COMO FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br PUBLICAÇÕES Solicitar slides: eventos@lemeconsultoria.com.br Contato: rogerio@lemeconsultoria.com.br

Leia mais

Seleção e Dinâmicas de Grupo. Aula 2: Seleção Por Competências. Professora Sonia Regina Campos

Seleção e Dinâmicas de Grupo. Aula 2: Seleção Por Competências. Professora Sonia Regina Campos Seleção e Dinâmicas de Grupo Aula 2: Seleção Por Competências Professora Sonia Regina Campos Seleção por Competências Seleção por Competências A Gestão de Pessoas passou por uma alteração de paradigmas.

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL

ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL RESOLUÇÃO SEPLAG no. xx/xxxx Disciplina o funcionamento das Comunidades de Prática CoPs no âmbito do Poder Executivo Estadual, vinculadas

Leia mais

O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial

O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial Sumário executivo À medida que as organizações competem e crescem em uma economia global dinâmica, um novo conjunto de pontos cruciais

Leia mais

CULTURA ORGANIZACIONAL. Prof. Gilberto Shinyashiki FEA-RP USP

CULTURA ORGANIZACIONAL. Prof. Gilberto Shinyashiki FEA-RP USP CULTURA ORGANIZACIONAL Prof. Gilberto Shinyashiki FEA-RP USP Cultura é uma característica única de qualquer organização Apesar de difícil definição, compreende-la pode ajudar a: Predizer como a organização

Leia mais

A Dimensão RH e sua Otimização no Relacionamento das Condições de Trabalho na Câmara Municipal de Cascais Ana Maria Canas

A Dimensão RH e sua Otimização no Relacionamento das Condições de Trabalho na Câmara Municipal de Cascais Ana Maria Canas A Dimensão RH e sua Otimização no Relacionamento das Condições de Trabalho na Câmara Municipal de Cascais Ana Maria Canas 20 de Março de 2015 Auditório da Casa das Histórias da Paula Rego GESTÃO DE RECURSOS

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Gestão de pessoas por competência. Roniberto Morato do Amaral

Gestão de pessoas por competência. Roniberto Morato do Amaral Gestão de pessoas por competência Roniberto Morato do Amaral Objetivo: curso Abordagem das competências Gestão de pessoas Iniciativas Aprendizagem Mapeamento de competências Objetivo: seu! Qual é o seu

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

DESENVOLVIMENTO 2014 TEMA: CAPACITAÇÃO COMPARTILHADA: O CLIENTE EM FOCO: DESENVOLVENDO EQUIPES COM ALTA PERFORMANCE EM ATENDIMENTO

DESENVOLVIMENTO 2014 TEMA: CAPACITAÇÃO COMPARTILHADA: O CLIENTE EM FOCO: DESENVOLVENDO EQUIPES COM ALTA PERFORMANCE EM ATENDIMENTO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO ADMINISTRATIVA INTEGRADA A TECNOLOGIA UnC INTRODUÇÃO A UnC interage com um mundo organizacional competitivo, inclusive com sua própria estrutura administrativa e geográfica que

Leia mais

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr.

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr. A Chave para o Sucesso Empresarial José Renato Sátiro Santiago Jr. Capítulo 1 O Novo Cenário Corporativo O cenário organizacional, sem dúvida alguma, sofreu muitas alterações nos últimos anos. Estas mudanças

Leia mais

Exercícios sobre Competindo com a Tecnologia da Informação

Exercícios sobre Competindo com a Tecnologia da Informação Exercícios sobre Competindo com a Tecnologia da Informação Exercício 1: Leia o texto abaixo e identifique o seguinte: 2 frases com ações estratégicas (dê o nome de cada ação) 2 frases com características

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO

GESTÃO DO CONHECIMENTO GESTÃO DO CONHECIMENTO OconceitodeGestãodoConhecimentosurgiunoinício da década de 90 e, segundo SVEIBY (1998, p. 3), a Gestão do Conhecimento não é mais uma moda de eficiência operacional. Faz parte da

Leia mais

As Comunidades de Prática (CoPs) ao Serviço da Organização

As Comunidades de Prática (CoPs) ao Serviço da Organização Sandra Paula da Silva Maia Pacheco de Oliveira Gestão de Pequenas e Médias Empresas As Comunidades de Prática (CoPs) ao Serviço da Organização - O Caso Siemens AG - Orientador Professor Doutor Luís Manuel

Leia mais

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec Capital Intelectual O Grande Desafio das Organizações José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago Novatec 1 Tudo começa com o conhecimento A gestão do conhecimento é um assunto multidisciplinar

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL DA EMPRESA: PROTEÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO

CAPITAL INTELECTUAL DA EMPRESA: PROTEÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO CAPITAL INTELECTUAL DA EMPRESA: PROTEÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO Resende, J.M.; Nascimento Filho, W.G.; Costa S.R.R. INEAGRO/UFRuralRJ INTRODUÇÃO O patrimônio de uma empresa é formado por ativos tangíveis

Leia mais

Anderson Yanzer Núcleo SBGC ULBRA Canoas

Anderson Yanzer Núcleo SBGC ULBRA Canoas Anderson Yanzer Núcleo SBGC ULBRA Canoas Hirotaka Takeuchi: professor e reitor da Universidade de Hitotsubashi. Já lecionou em Harvard. Ikujiro Nonaka: professor na Universidade de Hitotsubashi. Autor

Leia mais

Prof Elly Astrid Vedam

Prof Elly Astrid Vedam Prof Elly Astrid Vedam Despertar e saber lidar com os mecanismos de liderança e se preparar para a gestão de pequenos e médios negócios; Identificar conflitos no ambiente de seu negócio, calculando e avaliando

Leia mais

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide A Nova América na vida das pessoas 8 Cultural Empresarial Missão Do valor do campo ao campo de valor

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Universidade Federal do Ceará Faculdade de Economia, Administração, Atuária, Contabilidade e Secretariado Curso de Administração de Empresas GESTÃO POR COMPETÊNCIAS MAURICIO FREITAS DANILO FREITAS Disciplina

Leia mais

MBA em Administração e Gestão do Conhecimento

MBA em Administração e Gestão do Conhecimento MBA em Administração e Gestão do Conhecimento Gestão do Conhecimento Aula 3 Profa. Me. Ana Carolina Bustamante Olá! Bem-vindos à nossa terceira aula. Antes de mais nada, assista ao vídeo a seguir e conheça

Leia mais

Algumas Instituições. World Bank. Gartner Group. Knowledge Transfer International APQC OCDE IPEA

Algumas Instituições. World Bank. Gartner Group. Knowledge Transfer International APQC OCDE IPEA Principais Autores Michael Polanyi Karl M. Wiig Henry Mitzenberg Betty Ann Mackintosh Gordon Petrash Ikujiro Nonaka Hirotaka Takeuchi J. Bair E. Stear J. Hibbard Verna Allee Ross Dawson Tom Davenport Larry

Leia mais

Toyota Way. FDEABrandão. (Fonte de Força Competitiva da Toyota) Antes de você dizer que não consegue fazer alguma coisa, experimente!

Toyota Way. FDEABrandão. (Fonte de Força Competitiva da Toyota) Antes de você dizer que não consegue fazer alguma coisa, experimente! (Fonte de Força Competitiva da Toyota) Antes de você dizer que não consegue fazer alguma coisa, experimente! Sakichi Toyoda - Fundador do grupo TOYOTA. (Fonte de Força Competitiva da Toyota) O é um Ideal,

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

Aula 10. Delegação X Empowerment

Aula 10. Delegação X Empowerment Aula 10 Delegação X Empowerment Profa. Ms. Daniela Cartoni daniela.cartoni@veris.edu.br DELEGAÇÃO X EMPOWERMENT Delegar significa orientar o colaborador para que execute uma determinada atividade no lugar

Leia mais

PLANO DE CARREIRA. Rosangela Ferreira Leal Fernandes *

PLANO DE CARREIRA. Rosangela Ferreira Leal Fernandes * PLANO DE CARREIRA Rosangela Ferreira Leal Fernandes * As mudanças no cenário político, econômico, social e ambiental das últimas décadas vêm exigindo uma mudança de postura das organizações e dos profissionais

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS. Aula 12

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS. Aula 12 FACULDADE CAMÕES PORTARIA 4.059 PROGRAMA DE ADAPTAÇÃO DE DISCIPLINAS AO AMBIENTE ON-LINE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL DOCENTE: ANTONIO SIEMSEN MUNHOZ, MSC. ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: FEVEREIRO DE 2007. Gestão

Leia mais

VANTAGEM ESTRATÉGICA. Assunto: Administração do Conhecimento

VANTAGEM ESTRATÉGICA. Assunto: Administração do Conhecimento 1 VANTAGEM ESTRATÉGICA Assunto: Administração do Conhecimento Objetivos do capítulo: 1. Explicar como os sistemas de administração do conhecimento podem ajudar na iniciativa de construir uma empresa geradora

Leia mais

1 SEPAGE Seminário i Paulista de Gestão em Enfermagem. Liderança Coaching e Desenvolvimento de Pessoas

1 SEPAGE Seminário i Paulista de Gestão em Enfermagem. Liderança Coaching e Desenvolvimento de Pessoas 1 SEPAGE Seminário i Paulista de Gestão em Enfermagem Liderança Coaching e Desenvolvimento de Pessoas Maria Lúcia Alves Pereira Cardoso GEPAG UNIFESP abril / 2009 CONTEXTO Características do Trabalho no

Leia mais

2o. Congresso de Gestão do Ministério Público

2o. Congresso de Gestão do Ministério Público 2o. Congresso de Gestão do Ministério Público Gestão de Pessoas por Competências Prof. Joel Dutra Currículo Prof. Dr. Joel Souza Dutra Diretor Geral do Departamento de Recursos Humanos da Universidade

Leia mais

EXECUTIVE EDUCAÇÃO EXECUTIVA NOSSA ABORDAGEM. www.executivebc.com.br

EXECUTIVE EDUCAÇÃO EXECUTIVA NOSSA ABORDAGEM. www.executivebc.com.br EXECUTIVE EDUCAÇÃO EXECUTIVA NOSSA ABORDAGEM www.executivebc.com.br NOSSA ABORDAGEM Nós da Executive acreditamos que necessidades específicas de educação devam ser atendidas por soluções específicas. Desse

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

ACTION LEARNING. O que é Action Learning? FUN D A MEN T OS D O

ACTION LEARNING. O que é Action Learning? FUN D A MEN T OS D O C L E O W O L F F O que é Action Learning? Um processo que envolve um pequeno grupo/equipe refletindo e trabalhando em problemas reais, agindo e aprendendo enquanto atuam. FUN D A MEN T OS D O ACTION LEARNING

Leia mais

A importância dos. RECURSOS HUMANOS na empresa moderna

A importância dos. RECURSOS HUMANOS na empresa moderna A importância dos RECURSOS HUMANOS na empresa moderna Organizações: cenário atual Empresas vêm passando por impactos revolucionários: Dimensão globalizada Aumento da competitividade Mudanças constantes

Leia mais

Gestão do Conhecimento

Gestão do Conhecimento e do Capital Intelectual Anhanguera Educacional Unidade FACNET Curso: MBA em Gestão de Pessoas Disciplina: Aula 01 08/02/2014 Professor: Rodrigo Porto Agenda 1º encontro 08/02/2014 Parte 1 Curso e Apresentações

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO NA INDÚSTRIA QUÍMICA

GESTÃO DO CONHECIMENTO NA INDÚSTRIA QUÍMICA GESTÃO DO CONHECIMENTO NA INDÚSTRIA QUÍMICA Maria de Fátima Soares Ribeiro Monografia apresentada para a conclusão do Curso de Gestão Empresarial para a Indústria Química GETIQ pela Escola de Química da

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Situando o uso da mídia em contextos educacionais

Situando o uso da mídia em contextos educacionais Situando o uso da mídia em contextos educacionais Maria Cecília Martinsi Dentre os pressupostos educacionais relevantes para a época atual, considera-se que as múltiplas dimensões do ser humano - intelectual,

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

LIDERANÇA & GESTÃO DE PESSOAS 12 DESAFIOS, 3 FERRAMENTAS E UMA DECISÃO

LIDERANÇA & GESTÃO DE PESSOAS 12 DESAFIOS, 3 FERRAMENTAS E UMA DECISÃO LIDERANÇA & GESTÃO DE PESSOAS 12 DESAFIOS, 3 FERRAMENTAS E UMA DECISÃO INTRODUÇÃO O setor de RH deve ser extinto. Ram Charan em artigo na Harvard Business Review Você concorda? OBJETIVOS DESTE WORKSHOP

Leia mais

TÓPICOS ESPECIAIS EM GESTÃO DE RH. Prof. Felipe Kovags Aula 02 (20-09-2011)

TÓPICOS ESPECIAIS EM GESTÃO DE RH. Prof. Felipe Kovags Aula 02 (20-09-2011) TÓPICOS ESPECIAIS EM GESTÃO DE RH Prof. Felipe Kovags Aula 02 (20-09-2011) 1 ERA DOS TALENTOS SEGUNDO PETER DRUCKER, O PAI DA ADMINISTRAÇÃO MODERNA, ESTAMOS NO INÍCIO DA ERA DOS TALENTOS. FORÇA FÍSICA,

Leia mais

3 Análise para a definição da estratégia

3 Análise para a definição da estratégia 3 Análise para a definição da estratégia O presente capítulo aborda os aspectos relacionados à transação sob dois prismas, sendo o primeiro o Transaction Cost Theory (TCT), no qual o foco é a análise dos

Leia mais

Gestão do Conhecimento. Capitulo 11

Gestão do Conhecimento. Capitulo 11 Gestão do Conhecimento Capitulo 11 Gestão do Conhecimento Objetivos da aula Gestão de Conhecimento Sistemas de Gestão de Conhecimento Por que hoje as empresas necessitam de programas de gestão do conhecimento

Leia mais

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues.

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Ao longo da historia da Administração, desde seus primórdios, a partir dos trabalhos de Taylor e Fayol, muito se pensou em termos

Leia mais

O que é ser um RH estratégico

O que é ser um RH estratégico O que é ser um RH estratégico O RH é estratégico quando percebido como essencial nas decisões estratégicas para a empresa. Enquanto a área de tecnologia das empresas concentra seus investimentos em sistemas

Leia mais

Poder, Cultura e Mudanças nas Organizações. Prof.ª Dr.ª Rosa Maria Fischer Prof.ª Titular FEA/USP

Poder, Cultura e Mudanças nas Organizações. Prof.ª Dr.ª Rosa Maria Fischer Prof.ª Titular FEA/USP Poder, Cultura e Mudanças nas Organizações Prof.ª Dr.ª Rosa Maria Fischer Prof.ª Titular FEA/USP Conceito de Cultura Conjunto de pressupostos básicos que um grupo inventou descobriu ou desenvolveu ao aprender

Leia mais

GEGIES. DESAFIOS E REFLEXÕES Sobre o Administrador e a Administração. Antonio VICO Mañas

GEGIES. DESAFIOS E REFLEXÕES Sobre o Administrador e a Administração. Antonio VICO Mañas GEGIES DESAFIOS E REFLEXÕES Sobre o Administrador e a Administração Antonio VICO Mañas Prever Coordenar ou Dirigir Organizar Controlar Prever Coordenar ou Dirigir Organizar Controlar Moral Satisfação Motivação

Leia mais

3. Processos, o que é isto? Encontramos vários conceitos de processos, conforme observarmos abaixo:

3. Processos, o que é isto? Encontramos vários conceitos de processos, conforme observarmos abaixo: Perguntas e respostas sobre gestão por processos 1. Gestão por processos, por que usar? Num mundo globalizado com mercado extremamente competitivo, onde o cliente se encontra cada vez mais exigente e conhecedor

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

FIB- Faculdades Integradas de Bauru DISCIPLINA: FUNDAMENTOS E EVOLUÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO MODERNA. Profº MS. Carlos Henrique Carobino

FIB- Faculdades Integradas de Bauru DISCIPLINA: FUNDAMENTOS E EVOLUÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO MODERNA. Profº MS. Carlos Henrique Carobino FIB- Faculdades Integradas de Bauru DISCIPLINA: FUNDAMENTOS E EVOLUÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO MODERNA Profº MS. Carlos Henrique Carobino E-mail: carobino@bol.com.br 1 Pressões Externas MEGATENDÊNCIAS Competição

Leia mais

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES Desde 1999 NOSSA MISSÃO AÇÕES DE TREINAMENTO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES MISSÃO Inspirar nossos clientes para a expansão de ideias e formação de relacionamentos saudáveis e duradouros no ambiente

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Pessoas tem por objetivo o fornecimento de instrumental que possibilite

Leia mais

RESUMO DE CONCLUSÃO DE CURSO

RESUMO DE CONCLUSÃO DE CURSO RESUMO DE CONCLUSÃO DE CURSO CONCEITO Empreendedorismo é o estudo voltado para o desenvolvimento de competências e habilidades relacionadas à criação de um projeto (técnico, científico, empresarial). Tem

Leia mais

Disciplinas Liderança Organizacional Inteligência de Execução Produtividade em Gestão

Disciplinas Liderança Organizacional Inteligência de Execução Produtividade em Gestão Disciplinas Liderança Organizacional O processo de formação e desenvolvimento de líderes. Experiências com aprendizagem ativa focalizando os conceitos e fundamentos da liderança. Liderança compartilhada.

Leia mais

Sistemas de Informações

Sistemas de Informações Tópicos da aula GESTÃO DA INFORMAÇÃO GESTÃO DO CONHECIMENTO CAPITAL INTELECTUAL TOMADA DE DECISÃO ENGENHARIA DA INFORMAÇÃO Sistemas de Informações Ondas de transformação da humanidade Revolução Agrícola

Leia mais

Qual o principal Desafio das Empresas

Qual o principal Desafio das Empresas Gestão por Competências Caminho para a Sustentabilidade Empresarial Qual o principal Desafio das Empresas Lucratividade sustentável! Capacidade de negociar simultaneamente os 5 (cinco)recursos, indispensáveis

Leia mais