Francisco Alexandre A. B. Paes Leme Gerente de Auditoria da Caixa Econômica Federal Coordenador da Subcomissão de Auditoria de TI da FEBRABAN

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Francisco Alexandre A. B. Paes Leme Gerente de Auditoria da Caixa Econômica Federal Coordenador da Subcomissão de Auditoria de TI da FEBRABAN"

Transcrição

1 Auditoria Contínua: desafiando paradigmas da auditoria convencional. Francisco Alexandre A. B. Paes Leme Gerente de Auditoria da Caixa Econômica Federal Coordenador da Subcomissão de Auditoria de TI da FEBRABAN

2 Tópicos Evolução das Atividades do Auditor Interno Uso da Tecnologia da Informação Paradigmas Auditoria Convencional e Contínua Requisitos e Premissas para Auditoria Contínua Aplicação da Auditoria Contínua Modelo de Auditoria Contínua

3 Tópicos Evolução das Atividades do Auditor Interno Uso da Tecnologia da Informação Paradigmas Auditoria Convencional e Contínua Requisitos e Premissas para Auditoria Contínua Aplicação da Auditoria Contínua Modelo de Auditoria Contínua

4 Inspetor; Auditor em 1994 Papel de Trabalho de 7 ou 14 colunas; Relatório datilografado (copias com carbono); Providencias/recomendações/prazos em ferramenta de auxílio ao follow up (200 caracteres); Informava início da auditoria por TELEX; Uma linha de telefone na unidade auditada; Informações chegavam pelo malote, desatualizadas; Normativos (na mala do carro); Mais foco na conformidade; Auditoria Convencional.

5 Auditor/Consultor; Auditor em 2012 Trabalho de Auditoria efetuado em sistema (SIAUD); Relatório Eletrônico (assinatura digital); Follow up apoiado pelo SIAUD (senha/log); Diversos canais de comunicação remotos ( , audio e videoconferência, smart phone, mídias sociais etc); Informações atualizadas (online real-time); Normativos disponíveis em sistema próprio; Mais foco em processo; Auditoria Contínua

6

7 Tópicos Evolução das Atividades do Auditor Interno Uso da Tecnologia da Informação Paradigmas Auditoria Convencional e Contínua Requisitos e Premissas para Auditoria Contínua Aplicação da Auditoria Contínua Modelo de Auditoria Contínua

8 TI Cresce no Setor Financeiro Brasileiro (Fonte: 20ª. Edição Pesquisa CIAB2012 FEBRABAN)

9 (Fonte: 20ª.Edição Pesquisa CIAB2012 FEBRABAN) Quantidade de ATM no Brasil salta de 124 mil para mais de 182 mil nos últimos 10 anos

10 (Fonte: 20ª.Edição Pesquisa CIAB2012 FEBRABAN) Valores para TI nos bancos brasileiros saltou de R $12 bi para R $18 bi nos últimos cinco anos

11 Despesas e Investimentos Globais em TI no Setor Bancário em 2011 (milhões de US$) (Fonte: 20ª.Edição Pesquisa CIAB2012 FEBRABAN)

12 Processamento Ativos 109,3 mil mips Colaboradores da TI Sistemas Storage 102 mil estações 1,6 Pb discos 589 sistemas 2,9 mil empregados 10,7 mil notebooks 6 silos robóticos corporativos 3,2 mil roteadores fábricas software 10,8 mil switches prestadores/fornecedores e CPM Braxis Pontos de Atendimento 2,4 mil Agências 11 mil Lotéricas Agência Barco 1,5 mil Terminais Compartilhados BB Presença em 24,8 mil ATM todos os municípios 9,5 mil Banco 24 Horas 25,2 mil Correspondentes Posição: FEV/2012

13 Tópicos Evolução das Atividades do Auditor Interno Uso da Tecnologia da Informação Paradigmas Auditoria Convencional e Contínua Requisitos e Premissas para Auditoria Contínua Aplicação da Auditoria Contínua Modelo de Auditoria Contínua

14 Paradigmas de Auditoria para evidenciar constatações e sustentar recomendações Auditoria Convencional avalia amostra de operações realizadas em um determinado período, normalmente requerendo deslocamento de auditor para efetuar exames. Auditoria Contínua avalia à distância, com agilidade, todo o universo de operações realizadas até o momento, tratando bases de dados de sistemas, conforme parâmetros pré-definidos.

15 INFORMAÇÃO Uso intensivo da tecnologia Auditoria Contínua é a eletronização dos processos de aferição à la Auditoria. (Professor Miklos Vasarhelyi) SIGNIFICADO Técnicas e procedimentos de auditoria

16 Tópicos Evolução das Atividades do Auditor Interno Uso da Tecnologia da Informação Paradigmas Auditoria Convencional e Contínua Requisitos e Premissas para Auditoria Contínua Aplicação da Auditoria Contínua Modelo de Auditoria Contínua

17 Requisitos/Premissas para Auditoria Contínua Atividade auditada suportada por TI; Auditoria Contínua é metodologia de trabalho; Complementar Auditoria Convencional ou vice-versa, se necessário); Ampliar abrangência da auditoria na avaliação de controle; Segurança (Auditoria custodia bases de dados); Calibragem apropriada do teste; Diferenciar-se de monitoração contínua; Objeto auditado de baixa complexidade operacional e que necessite de nenhuma ou pouca análise documental; GTAG-3 (Guia Global de Auditoria de Tecnologia do IIA, volume 3, Auditoria Contínua: Implicações para o Controle, Gestão e Avaliação de Riscos, ano 2005)

18 Auditoria Contínua Monitoração 3 2 1

19 Tópicos Evolução das Atividades do Auditor Interno Uso da Tecnologia da Informação Paradigmas Auditoria Convencional e Contínua Requisitos e Premissas para Auditoria Contínua Aplicação da Auditoria Contínua Modelo de Auditoria Contínua

20 Exemplo de Aplicação da Auditoria Contínua FGTS motivo de saque/utilização; Saques em contas s/movimentação há + de 2 anos; Batimento de carteira de títulos (sistema financeiro X extrato centrais de custódia CETIP/CBLC); Controle de Acesso Lógico (Ambiente IBM); Estornos/lançamentos manuais em despesas; Fraudes eletrônicas;

21 - Convencional - Contínua Exemplo de Aplicação Programa de Auditoria em Créditos Comerciais - Teste PJ Teste PJ Teste PA Teste PF Teste PA

22 Alguns Benefícios da Auditoria Contínua Reduzir tempo de avaliações que migrarem para Auditoria Contínua Ampliar a abrangência dos testes de auditoria Ampliar visão do processo auditado com o viés da TI que o suporta Reduzir custos, em especial com deslocamentos Reduzir perdas decorrentes de fraudes (proximidade com eventos)

23 Tópicos Evolução das Atividades do Auditor Interno Uso da Tecnologia da Informação Paradigmas Auditoria Convencional e Contínua Requisitos e Premissas para Auditoria Contínua Aplicação da Auditoria Contínua Modelo de Auditoria Contínua

24 Sistemas Corporativos Integração com Correio Eletrônico Estratégico Auditor MZ Desenvolve testes Tático Auditor Trata dados e disponibiliza testes Sistema da Auditoria Operacional Auditor Analisar Fluxograma Auditoria Contínua Unidade Auditada Responder Unidade Superior Acompanha respostas

25 Estratégico Auditor MZ Apóia desenvolvimento de testes e a interação c/ti Estratégico Célula Aud. Continua MZ Propor Agenda ou Plano de Ação Homologar e Acompanhar Unidade Auditada Unidade Superior Célula Auditoria Tático-Operacional Trata dados e disponibiliza testes Realizar auditoria Auditores Sistema da Auditoria Analisar indícios Auditoria Contínua - Conhece processo - Desenvolve testes -Consolida e Reporta Auditoria Convencional Gestor de Negócio/TI Sistemas Corporativos Unidade Auditada Unidade Superior Responder Notificação Acompanhar respostas

26 Proposta de Aplicação de Business Inteligence (BI) Bases Corporativas Ferramenta de Extração Bases Funcionais Ferramenta de BI Análise da Informação Extrair Transformar Carregar FERRAMENTA DE BI SIMPLIFICADO AMBIENTE CORPORATIVO E CENTRALIZADO AMBIENTE BI SIMPLIFICADO RSNTI AMBIENTE ESCRITÓRIO

27 dos BI para Auditoria Contínua Mapear Bancos de Dados Extração de dados Repositório de Dados SISTEMA 1 Auditoria Interna SISTEMA 2 SISTEMA 3 Software BI SISTEMA 4 Software ETL Repositório de Auditoria SISTEMA 5 SISTEMA 7 SISTEMA 6 SISTEMA 8 Tratamento de Dados

28 Tópicos Evolução das Atividades do Auditor Interno Uso da Tecnologia da Informação Paradigmas Auditoria Convencional e Contínua Requisitos e Premissas para Auditoria Contínua Aplicação da Auditoria Contínua Modelo de Auditoria Contínua

29 Busque informação; não faça suposições. Faça uma inspeção completa da empresa e baseie suas decisões em dados, não em suposições É duro, mas justo. (Steve Jobs)

30 Obrigado! Francisco Alexandre A B Paes Leme Gerente de Auditoria da Caixa Econômica Federal Coordenador da Subcomissão de Auditoria de TI da FEBRABAN 33º. COMBRAI Gramado/RS 23 de outubro de 2012

Projeto e-caixa NOVA ARQUITETURA DE TELECOMUNICAÇÕES DA CAIXA CENÁRIOS, DESAFIOS, RESULTADOS

Projeto e-caixa NOVA ARQUITETURA DE TELECOMUNICAÇÕES DA CAIXA CENÁRIOS, DESAFIOS, RESULTADOS Projeto e-caixa NOVA ARQUITETURA DE TELECOMUNICAÇÕES DA CAIXA CENÁRIOS, DESAFIOS, RESULTADOS 80,2Milhões de Clientes 154 Anos Mil Empregados 100,0 Tamanho R$ 1,08 trilhão Ativos Administrados R$ 968 bilhões

Leia mais

TI CAIXA VP Tecnologia da Informação Modelo de Maturidade na Gestão da Informação Estudo de Caso

TI CAIXA VP Tecnologia da Informação Modelo de Maturidade na Gestão da Informação Estudo de Caso TI CAIXA VP Tecnologia da Informação Modelo de Maturidade na Gestão da Informação Estudo de Caso Ivanilto Pires de Sousa Gilson Lopes Costa 11/2015 Visão de Futuro CAIXA 2022 Estar entre os três maiores

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

Módulo 07 Gestão de Conhecimento

Módulo 07 Gestão de Conhecimento Módulo 07 Gestão de Conhecimento Por ser uma disciplina considerada nova dentro do campo da administração, a gestão de conhecimento ainda hoje tem várias definições e percepções, como mostro a seguir:

Leia mais

Integrando Metodologias de Auditoria

Integrando Metodologias de Auditoria 24/09/2013 Integrando Metodologias de Auditoria Alexander Alves Pires Gerente de Auditoria Banco do Brasil S.A. AGENDA: Histórico de Atuação Papel Institucional Premissas Metodológicas Auditoria Integrada

Leia mais

Desenvolvimento e utilização do Painel de Auditoria Contínua Agências pela Auditoria Interna do Banco do Brasil

Desenvolvimento e utilização do Painel de Auditoria Contínua Agências pela Auditoria Interna do Banco do Brasil PRÁTICA 1) TÍTULO Desenvolvimento e utilização do Painel de Auditoria Contínua Agências pela Auditoria Interna do Banco do Brasil 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA - limite de 8 (oito) páginas: A Auditoria Interna

Leia mais

ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS

ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS SUMÁRIO 1. Objetivo... 2 2. Abrangência... 2 3. Documentos Complementares... 2 4. Definições/Siglas... 2 5. Descrição dos Procedimentos... 3 5.1 Identificação da Necessidade... 3 5.1.1 Estrutura da Documentação

Leia mais

VITEC TECNOLOGIA INFORMAÇÃO

VITEC TECNOLOGIA INFORMAÇÃO VITEC TECNOLOGIA TECNOLOGIA INFORMAÇÃO DA TI Integrada aos Negócios da Caixa Negócios CAIXA Equipe Qualificada Contratação de Serviços Ativos de TI TI Integrada aos Negócios da Caixa Negócios CAIXA Equipe

Leia mais

Tendências em Novas Tecnologias 17 de julho de 2014. Painel: Dimensões da difusão tecnológica no setor bancário

Tendências em Novas Tecnologias 17 de julho de 2014. Painel: Dimensões da difusão tecnológica no setor bancário Tendências em Novas Tecnologias 17 de julho de 2014 Painel: Dimensões da difusão tecnológica no setor bancário Inovações Tecnológicas interagem com: internacionalização do sistema; competitividade e produtividade;

Leia mais

AUDITORIA DE PROCESSOS BASEADA EM RISCOS. Diorgens Miguel Meira

AUDITORIA DE PROCESSOS BASEADA EM RISCOS. Diorgens Miguel Meira AUDITORIA DE PROCESSOS BASEADA EM RISCOS Diorgens Miguel Meira AGENDA 1 2 3 4 5 O BANCO DO NORDESTE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO BNB AUDITORIA NO BANCO DO NORDESTE SELEÇÃO DE PROCESSOS CRÍTICOS AUDITORIA

Leia mais

Paulo Theophilo Diretor Mkt

Paulo Theophilo Diretor Mkt Paulo Theophilo Diretor Mkt Agenda 1. Simpress 10 anos! 2. Estudo de casos 3. Perguntas e Esclarecimentos Agenda 1. Simpress 10 anos! 2. Estudo de casos 3. Perguntas e Esclarecimentos Simpress 10 anos

Leia mais

I Simpósio Mundial de Auditoria de Sistemas e Auditoria Contínua nua das Instituições Financeiras

I Simpósio Mundial de Auditoria de Sistemas e Auditoria Contínua nua das Instituições Financeiras I Simpósio Mundial de Auditoria de Sistemas e Auditoria Contínua nua das Instituições Financeiras Caso prático de Auditoria Contínua Objetivo da Apresentação Apresentar para discussão um caso de uso de

Leia mais

Desafios na Implementação de uma Auditoria Contínua Efetiva

Desafios na Implementação de uma Auditoria Contínua Efetiva 21/06/13 Desafios na Implementação de uma Auditoria Contínua Efetiva Igor Estrada Gouvêa, CIA, CRMA Head de Auditoria Interna Qualicorp Soluções em Saúde Todas as informações fornecidas e opiniões emitidas

Leia mais

PMBOK e Cobit - Uma Experiência na Reformulação de Sistemas em Angola Marcelo Etcheverry Torres,PMP,Cobit)

PMBOK e Cobit - Uma Experiência na Reformulação de Sistemas em Angola Marcelo Etcheverry Torres,PMP,Cobit) PMBOK e Cobit - Uma Experiência na Reformulação de Sistemas em Angola Marcelo Etcheverry Torres,PMP,Cobit) Agenda A palestra Angola Cliente O projeto Usando o PMBOK Usando o Cobit Lições Aprendidas Conclusão

Leia mais

Monitoramento Contínuo e Auditoria Contínua: Uma Perspectiva Prática

Monitoramento Contínuo e Auditoria Contínua: Uma Perspectiva Prática Monitoramento Contínuo e Auditoria Contínua: Uma Perspectiva Prática Perfil Caseware Fornecedor líder no setor de softwares para análise de dados, auditoria contínua e monitoramento contínuo. A Caseware

Leia mais

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR NOV/2011 1 Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas de Governança de Auditoria Interna de TI...

Leia mais

DDA Safra Débito Direto Autorizado. Mais segurança, agilidade e comodidade para seu dia a dia.

DDA Safra Débito Direto Autorizado. Mais segurança, agilidade e comodidade para seu dia a dia. Débito Direto Autorizado Mais segurança, agilidade e comodidade para seu dia a dia. Informações Gerais Fluxos Cadastramento do Eletrônico Processo de Apresentação Eletrônica DDA Modelo de Autorização Vantagens

Leia mais

PORTARIA P N. 422, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA P N. 422, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA P N. 422, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014. Revisa o Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI para o período 2013-2018 e dá outras providências. O Presidente do TRE-RS, no uso de suas atribuições

Leia mais

Os impactos da Auditoria Contínua no trabalho do Auditor

Os impactos da Auditoria Contínua no trabalho do Auditor 12/04/2013 Os impactos da Auditoria Contínua no trabalho do Auditor Hélio Takashi Ito Chefe da Auditoria Interna CPFL Energia Agenda 1. O Grupo CPFL Energia 2. Estrutura e Subordinação da Auditoria 3.

Leia mais

Thalita Moraes PPGI Novembro 2007

Thalita Moraes PPGI Novembro 2007 Thalita Moraes PPGI Novembro 2007 A capacidade dos portais corporativos em capturar, organizar e compartilhar informação e conhecimento explícito é interessante especialmente para empresas intensivas

Leia mais

Contrato de Suporte End.: Telefones:

Contrato de Suporte End.: Telefones: Contrato de Suporte Contrato de Suporte Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter disponibilidade dos recursos

Leia mais

Dados Abertos, Transparência e Acesso à Informação Brasília, dezembro 2013

Dados Abertos, Transparência e Acesso à Informação Brasília, dezembro 2013 Dados Abertos, Transparência e Acesso à Informação Brasília, dezembro 2013 II Seminário sobre a Lei de Acesso à Informação e Encontro sobre Credenciamento e Segurança da Informação CONTEXTO G2C Brasil

Leia mais

Bancarização no Brasil

Bancarização no Brasil Bancarização no Brasil 18 de setembro de 2009 1 Bancarização Mensagem inicial O índice de bancarização no Brasil ainda é muito baixo, com grande potencial a ser explorado Felaban (Federação Latino-Americana

Leia mais

Tecnologia e Segurança da Informação no trabalho de auditoria

Tecnologia e Segurança da Informação no trabalho de auditoria Tecnologia e Segurança da Informação no trabalho de auditoria Cesar Morales CIA, CISA, CCSA Diretor de Auditoria de TI e Projetos Especiais Walmart Tópicos Processos de Auditoria e a tecnologia Pesquisa

Leia mais

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network)

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) 1. Objeto: 1.1. Contratação de uma Solução de rede de comunicação local (LAN) para interligar diferentes localidades físicas e os segmentos de

Leia mais

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil O futuro é (deveria ser) o sucesso Como estar preparado? O que você NÃO verá nesta apresentação Voltar

Leia mais

Arquitetura Corporativa

Arquitetura Corporativa Arquitetura Corporativa Desafio em desenvolver Arquitetura de TIC PÚBLICO versão: 1 Abril / 2011 Gestor: Tecnologia da Informação e Telecomunicações Agenda 1. Um Pouco da Petrobras 2. Complexidade 3. Alinhamento

Leia mais

Mobile Banking: o banco sempre presente. Angelo R. Fernandes CIAB São Paulo SP 23 de junho de 2006

Mobile Banking: o banco sempre presente. Angelo R. Fernandes CIAB São Paulo SP 23 de junho de 2006 Mobile Banking: o banco sempre presente Angelo R. Fernandes CIAB São Paulo SP 23 de junho de 2006 Por que desenvolver um conjunto de soluções de mobilidade? Tempo escasso x agenda complexa Precisa ser

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

PORTARIA TC Nº 437, 23 DE SETEMBRO DE 2015

PORTARIA TC Nº 437, 23 DE SETEMBRO DE 2015 PORTARIA TC Nº 437, 23 DE SETEMBRO DE 2015 Disciplina os procedimentos para gestão de incidentes de segurança da informação e institui a equipe de tratamento e resposta a incidentes em redes computacionais

Leia mais

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA 1 APRESENTAÇÃO Este conjunto de diretrizes foi elaborado para orientar a aquisição de equipamentos

Leia mais

Agenda ! GRUPO SABEMI. ! Contexto Geral de Processos e TI na SABEMI. ! Case: Processo de Atendimento dos Canais de Venda. ! Resultados da Automação

Agenda ! GRUPO SABEMI. ! Contexto Geral de Processos e TI na SABEMI. ! Case: Processo de Atendimento dos Canais de Venda. ! Resultados da Automação Agenda! GRUPO SABEMI! Contexto Geral de Processos e TI na SABEMI! Case: Processo de Atendimento dos Canais de Venda! Resultados da Automação Grupo SABEMI Vídeo Institucional Contexto Geral de Processos

Leia mais

Business Intelligence

Business Intelligence 1/ 24 Business Intelligence Felipe Ferreira 1 Nossa empresa Jornal O Globo Jornais Populares Parcerias Grupo Folha Grupo Estado 2 1 Fundada em 1925 3100 funcionários 2 Parques Gráficos e SP Globo: 220

Leia mais

EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA

EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA Palestra Teletrabalho Modelo de Trabalho Home Office Modernização da área de Vendas EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA 1º Movimento 1999/2000 2º Movimento 2001/2002 3º Movimento 2005-2007

Leia mais

Manual de Normas e Procedimentos Referência AP Data de emissão JANEIRO/2013

Manual de Normas e Procedimentos Referência AP Data de emissão JANEIRO/2013 1 I- : 1. Objetivo: O propósito desse manual é estabelecer princípios básicos que representam a prática da Auditoria Interna da Viva Rio e da Viva Comunidade tanto a de processos quanto a anti-fraudes,

Leia mais

Sistema de Declaração Pessoal de Saúde Descritivo

Sistema de Declaração Pessoal de Saúde Descritivo Sistema de Declaração Pessoal de Saúde Descritivo Comp Line A empresa Criada em 1996, tem por filosofia associar tecnologia, parceria e transparência, através da disponibilização de painéis de controle,

Leia mais

sentinela A plataforma completa para segurança corporativa LINHA Interceptação Monitoração Gravação Relatórios Gestão Tarifação

sentinela A plataforma completa para segurança corporativa LINHA Interceptação Monitoração Gravação Relatórios Gestão Tarifação LINHA sentinela Interceptação Monitoração Gravação Relatórios LINHA sentinela Gestão Tarifação A plataforma completa para segurança corporativa O Sentinela é uma plataforma de segurança voltada para telefonia

Leia mais

Seminário Internacional: Regulación y Supervisión de Cooperativas de Ahorro Y Crédito em América Latina y el Caribe

Seminário Internacional: Regulación y Supervisión de Cooperativas de Ahorro Y Crédito em América Latina y el Caribe Seminário Internacional: Regulación y Supervisión de Cooperativas de Ahorro Y Crédito em América Latina y el Caribe Auditoria das cooperativas de crédito no Brasil case Cnac Os desafios da auditoria cooperativa

Leia mais

Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do País.

Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do País. 1 CIAB 2011 A Tecnologia Além da Web Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do País. Agenda 2 O Setor Bancário em

Leia mais

Gerenciamento da Integração (PMBoK 5ª ed.)

Gerenciamento da Integração (PMBoK 5ª ed.) Gerenciamento da Integração (PMBoK 5ª ed.) O PMBoK diz que: O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos e as atividades necessárias para identificar, definir, combinar, unificar e coordenar

Leia mais

Apresentar benchmarks considerando: Como os auditores internos avaliam suas competências atuais Quais competências necessitam de aprimoramento Como

Apresentar benchmarks considerando: Como os auditores internos avaliam suas competências atuais Quais competências necessitam de aprimoramento Como 1ª Pesquisa Protiviti/Audibra sobre as Tendências da Auditoria Interna no Brasil Junho, 2010 Objetivo da Pesquisa Apresentar benchmarks considerando: Como os auditores internos avaliam suas competências

Leia mais

Payments the Next Frontier SWIFT Business Forum Brazil 2015. Christina Hutchinson, SWIFT Leandro Vilain, FEBRABAN

Payments the Next Frontier SWIFT Business Forum Brazil 2015. Christina Hutchinson, SWIFT Leandro Vilain, FEBRABAN Payments the Next Frontier SWIFT Business Forum Brazil 2015 Christina Hutchinson, SWIFT Leandro Vilain, FEBRABAN 1 July 2015 Meios de Pagamento no Brasil Uma Visão Prática Jul 15 2 O mercado bancário no

Leia mais

Auditoria Eletrônica Contínua. Itaú-Unibanco Holding S.A. USP / Maio 2015

Auditoria Eletrônica Contínua. Itaú-Unibanco Holding S.A. USP / Maio 2015 Auditoria Eletrônica Contínua Itaú-Unibanco Holding S.A USP / Maio 2015 Agenda Conceitos e timeline Framework (como nos estruturamos) Volumetrias (Auditoria Eletrônica Contínua) Desafios Painel de Indicadores

Leia mais

Business Intelligence para Computação TítuloForense. Tiago Schettini Batista

Business Intelligence para Computação TítuloForense. Tiago Schettini Batista Business Intelligence para Computação TítuloForense Tiago Schettini Batista Agenda Empresa; Crescimento de Dados; Business Intelligence; Exemplos (CGU, B2T) A empresa Empresa fundada em 2003 especializada

Leia mais

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA.

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. Raquel Engeroff Neusa Cristina Schnorenberger Novo Hamburgo RS Vídeo Institucional Estratégia Visão Missão Ser uma das 5 maiores empresas de software de gestão empresarial

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

invgate Service Desk

invgate Service Desk invgate Service Desk 02 Informação Geral. 03 Funcionalidades. 06 Beneficiação. Índice. 02 Informação Geral. Revolucione seu departamento de IT Administrar seu departamento de IT é fácil Atualmente, os

Leia mais

Service Desk. IT Management Software. Certified Partner

Service Desk. IT Management Software. Certified Partner Certified Partner Você não está precisando melhorar a qualidade do suporte técnico de sua empresa, reduzir radicalmente o tempo de resposta e gerir com as melhores práticas os processos de serviço? Atualmente,

Leia mais

O futuro da produtividade

O futuro da produtividade O futuro da produtividade Ambiente cada vez mais exigente CONSUMO DO PRODUTO 11% de profissionais da informação visitam sites de rede social para o trabalho FORÇA DE TRABALHO MULTIGERAÇÃO 4milhões de jovens

Leia mais

Tópico: Plano e Estratégia. Controle interno e risco de auditoria

Tópico: Plano e Estratégia. Controle interno e risco de auditoria Tópico: Plano e Estratégia. Controle interno e risco de auditoria i Professor Marcelo Aragão Trabalhos de outros auditores ou especialistas Complexidade das transações Volume das transações Áreas importantes

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

RECEITA FEDERAL DO BRASIL GANHA AGILIDADE E EFICIÊNCIA AO IMPLANTAR O PROJETO COMUNICAÇÃO UNIFICADA NA RBF. Case de Sucesso.

RECEITA FEDERAL DO BRASIL GANHA AGILIDADE E EFICIÊNCIA AO IMPLANTAR O PROJETO COMUNICAÇÃO UNIFICADA NA RBF. Case de Sucesso. outubro/2012 Case de Sucesso RECEITA FEDERAL DO BRASIL GANHA AGILIDADE E EFICIÊNCIA AO IMPLANTAR O PROJETO COMUNICAÇÃO UNIFICADA NA RBF Para publicar um case no Portal IT4CIO, entre em contato pelo e-mail

Leia mais

A rede de dados mais confiável do país. Proposta de Parceria para. Certificado Digital

A rede de dados mais confiável do país. Proposta de Parceria para. Certificado Digital A rede de dados mais confiável do país. Proposta de Parceria para Certificado Digital 1. Objetivo Esta proposta tem por objetivo realizar a emissão e validação do Certificado Digital da Serasa Experian.

Leia mais

PP001/00 ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS

PP001/00 ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS SUMÁRIO 1. Objetivo... 2 2. Abrangência... 2 3. Documentos Complementares... 2 4. Definições/Siglas... 2 5. Descrição dos Procedimentos... 2 5.1 Identificação da Necessidade... 3 5.1.1 Estrutura da Documentação

Leia mais

NORMA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA

NORMA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA Data: 17 de dezembro de 2009 Pág. 1 de 13 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. INTRODUÇÃO 3 2. FINALIDADE 3 3. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3 4. PADRONIZAÇÃO DOS RECURSOS DE T.I. 4 5. AQUISIÇÃO

Leia mais

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA Coordenação-Geral de Administração e Tecnologia da Informação Coordenação

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS Asia Shipping Transportes Internacionais Ltda. como cópia não controlada P á g i n a 1 7 ÍNDICE NR TÓPICO PÁG. 1 Introdução & Política 2 Objetivo 3 Responsabilidade

Leia mais

PLANO DE CAPACITAÇÃO DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANO DE CAPACITAÇÃO DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANO DE CAPACITAÇÃO DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO COMITÊ GESTOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (CGTI) JULHO/2012 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email:

Leia mais

DOCUMENTO OPERACIONAL PROCESSO: CAPTAÇÃO E RELACIONAMENTO COM CLIENTES CORPORATIVOS. SETOR RESPONSÁVEL: COMERCIAL

DOCUMENTO OPERACIONAL PROCESSO: CAPTAÇÃO E RELACIONAMENTO COM CLIENTES CORPORATIVOS. SETOR RESPONSÁVEL: COMERCIAL S CORPORATIVOS. PÁGINA: 1 de 8 1.0 - OBJETIVO: Identificar clientes potenciais e efetuar a captação destes clientes, realizando análise do perfil e requisitos de atendimento a fim de oferecer serviços

Leia mais

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Nome da iniciativa inovadora: FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Painel de BI (Inteligência nos negócios) para publicação dos dados associados ao controle estadual Responsável pela Iniciativa

Leia mais

Unimed Norte Capixaba. "Menos Burocracia Mais Produtividade"

Unimed Norte Capixaba. Menos Burocracia Mais Produtividade Unimed Norte Capixaba "Menos Burocracia Mais Produtividade" Sobre Nós! Unimed Norte Capixaba, fundada em 09 de maio de 1990 no município de Linhares no Norte do Estado do Espírito Santo. Conta com 279

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Processo de Desenvolvimento de Software Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas do Documento de Processo de Desenvolvimento de Software... 04

Leia mais

Este documento foi classificado pelo Bradesco Dia & Noite e o acesso está autorizado, exclusivamente, a colaboradores da Organização Bradesco.

Este documento foi classificado pelo Bradesco Dia & Noite e o acesso está autorizado, exclusivamente, a colaboradores da Organização Bradesco. Este documento foi classificado pelo Bradesco Dia & Noite e o acesso está autorizado, exclusivamente, a colaboradores da Organização Bradesco. Fatores que contribuem para conectar os Clientes na Era Digital

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

A importância da. nas Organizações de Saúde

A importância da. nas Organizações de Saúde A importância da Gestão por Informações nas Organizações de Saúde Jorge Antônio Pinheiro Machado Filho Consultor de Negócios www.bmpro.com.br jorge@bmpro.com.br 1. Situação nas Empresas 2. A Importância

Leia mais

Outsourcing de TI Field Service

Outsourcing de TI Field Service Outsourcing de TI Field Service Metodologia de Solução As soluções ofertadas pela IT2B são desenvolvidas em compliance com as melhores práticas e metodologias de mercado, visando sempre o sucesso da operação

Leia mais

Gerenciamento de Dados e Informação Fernando Castor

Gerenciamento de Dados e Informação Fernando Castor Gerenciamento de Dados e Informação Fernando Castor Slides elaborados por: Fernando Fonseca & Ana Carolina Salgado 1 Introdução Sistema de Informação (SI) Coleção de atividades que regulam o compartilhamento

Leia mais

Desafios da convergência em um mundo totalmente IP. Sidney Longo

Desafios da convergência em um mundo totalmente IP. Sidney Longo Desafios da convergência em um mundo totalmente IP Sidney Longo 13 de abril de 2011 Agenda O CPqD Cenário Roadmap Tecnológico Tendências Tecnológicas Computação em Nuvem Mobilidade e Redes Sociais Multiplos

Leia mais

Ações promocionais do CORRESPONDENTE nas universidades no período de matrículas e volta às aulas - 2010

Ações promocionais do CORRESPONDENTE nas universidades no período de matrículas e volta às aulas - 2010 Ações promocionais do CORRESPONDENTE nas universidades no período de matrículas e volta às aulas - 2010 Contexto: No cenário atual, é grande o desafio das empresas prestadoras de serviços em apresentar

Leia mais

ECM Gerenciamento de Conteúdo Corporativo

ECM Gerenciamento de Conteúdo Corporativo ECM Gerenciamento de Conteúdo Corporativo Jambu Tecnologia Consultoria e Engenharia Ltda www.jambu.com.br - (91) 3224-5440 Responsável Comercial: Marcelo Rocha de Sá - (91) 8882-0319 Soluções abertas em

Leia mais

Cards Brasil 2006 Segurança, Autenticação e Certificação nos Meios Digitais. Abril de 2006 Gustavo E. Prellwitz Diretor de Banking América do Sul

Cards Brasil 2006 Segurança, Autenticação e Certificação nos Meios Digitais. Abril de 2006 Gustavo E. Prellwitz Diretor de Banking América do Sul Cards Brasil 2006 Segurança, Autenticação e Certificação nos Meios Digitais Abril de 2006 Gustavo E. Prellwitz Diretor de Banking América do Sul Agenda 2 Segurança Digital: O Ambiente Mundial e do Brasil

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

XXV Convenção Nacional da ANFIP. Maceió - AL

XXV Convenção Nacional da ANFIP. Maceió - AL XXV Convenção Nacional da ANFIP Maceió - AL 1 Tributação Comércio Exterior Fiscalização Arrecadação Gestão Corporativa 2 Tributação Principais causas de litigiosidade Legislação extensa, complexa, não

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

QUALITY ASSURANCE. Com a Auditoria Interna da Telefônica Vivo se Estruturou para Obter a Certificação Internacional do IIA

QUALITY ASSURANCE. Com a Auditoria Interna da Telefônica Vivo se Estruturou para Obter a Certificação Internacional do IIA QUALITY ASSURANCE Com a Auditoria Interna da Telefônica Vivo se Estruturou para Obter a Certificação Internacional do IIA Viviane Souza Miranda CCSA Diretora de Auditoria Interna Telefônica Vivo Índice

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Revisão do Plano Estratégico 2013/2014 PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 2014 Página 1 de 16 Sumário 1 Apresentação... 3 2 Objetivos... 4 3 Público-Alvo

Leia mais

Case: BI disponível no Smartphone. Empresa : Indiana Seguros S/A. CIO : Reinaldo D Errico.

Case: BI disponível no Smartphone. Empresa : Indiana Seguros S/A. CIO : Reinaldo D Errico. Case: BI disponível no Smartphone. Empresa : Indiana Seguros S/A. CIO : Reinaldo D Errico. Institucional 1943 Década de 90 Nacionalização Internacionalização Institucional COMPOSIÇÃO ACIONÁRIA: 60% FAMÍLIA

Leia mais

ANEXO II - Especificações Técnicas

ANEXO II - Especificações Técnicas ANEXO II - Especificações Técnicas Índice 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DO ESCOPO... 24 1.1 OBJETIVO DESTE DOCUMENTO... 24 1.2 CARACTERÍSTICAS DAS SOLUÇÕES SAGER E SAAT... 24 1.3 COMPONENTES DO PROJETO PARA O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Registros contábeis e fiscais

Registros contábeis e fiscais Registros contábeis e fiscais Sistemas integrados e coordenados (IN SRF nº 68/95). Relatórios gerenciais. SISTEMAS CONTÁBEIS INFORMATIZADOS 161 159 Exigências e obrigatoriedade Obrigações econômico-fiscais

Leia mais

AGENDA. Quem Somos Nós? Experiência e Planejamento. Basis + IBM = Suíte Farma. Material Promocional. Outras Indicações. Conclusão

AGENDA. Quem Somos Nós? Experiência e Planejamento. Basis + IBM = Suíte Farma. Material Promocional. Outras Indicações. Conclusão 20 de dezembro de 2011 AGENDA β β β β β β Quem Somos Nós? Experiência e Planejamento Basis + IBM = Suíte Farma Material Promocional Outras Indicações Conclusão QUEM SOMOS NÓS? Linhas de Negócio Clientes

Leia mais

PMO DE SUCESSO PRECISA TER FOCO! Uma proposta de modelo para Escritórios de Projetos

PMO DE SUCESSO PRECISA TER FOCO! Uma proposta de modelo para Escritórios de Projetos PMO DE SUCESSO PRECISA TER FOCO! Uma proposta de modelo para Escritórios de Projetos por Mario Trentim em http://blog.mundopm.com.br/2013/01/21/pmo-de-sucesso-precisa-terfoco/ Caro amigo leitor, que tal

Leia mais

Maturidade da Impressão e Gestão Documental nas Organizações Nacionais

Maturidade da Impressão e Gestão Documental nas Organizações Nacionais Maturidade da Impressão e Gestão Documental nas Organizações Nacionais 1. Tendências na impressão e gestão documental 2. Modelo de maturidade da impressão e gestão documental 3. Q&A 2 Uma nova plataforma

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

Diretoria de Informática

Diretoria de Informática Diretoria de Informática Estratégia Geral de Tecnologias de Informação para 2013-2015 EGTI 2013-2015 Introdução: Este documento indica quais são os objetivos estratégicos da área de TI do IBGE que subsidiam

Leia mais

Governança de TI CAIXA

Governança de TI CAIXA Governança de TI CAIXA Diretoria Executiva Tecnologia da Informação OUT/2014 Agenda 1 A TI da CAIXA em Números 2 Objetivos Empresariais 3 PDTI Plano Diretor de TI 4 Estrutura Organizacional 5 Governança

Leia mais

DECLARAÇÃO DE POSICIONAMENTO DO IIA: O PAPEL DA AUDITORIA INTERNA

DECLARAÇÃO DE POSICIONAMENTO DO IIA: O PAPEL DA AUDITORIA INTERNA Permissão obtida junto ao proprietário dos direitos autorais, The Institute of Internal Auditors, 247 Maitland Avenue, Altamonte Springs, Florida 32701-4201, USA, para publicar esta tradução, a qual reflete

Leia mais

Sistema de Business Intelligence - BI. Coordenadoria de Gestão Estratégica Grupo de Monitoramento e Avaliação São Paulo, 12 de Maio de 2015

Sistema de Business Intelligence - BI. Coordenadoria de Gestão Estratégica Grupo de Monitoramento e Avaliação São Paulo, 12 de Maio de 2015 Sistema de Business Intelligence - BI Coordenadoria de Gestão Estratégica Grupo de Monitoramento e Avaliação São Paulo, 12 de Maio de 2015 Atividade central: Gerenciamento e organização do processo de

Leia mais

Maior Tranqüilidade - Todos esses benefícios, protegendo seus bens materiais e as pessoas que por ali circulam.

Maior Tranqüilidade - Todos esses benefícios, protegendo seus bens materiais e as pessoas que por ali circulam. 1 - APRESENTAÇÃO Este descritivo tem como objetivo, apresentar o Sistema de Identificação de Visitantes enfocando suas funcionalidades e condições técnicas necessárias de implantação. Vantagens do Sistema

Leia mais

FRAUDES EM CONTABILIDADE

FRAUDES EM CONTABILIDADE AUDITORIA COM ENFOQUE EM FRAUDES. AUDITORIA COM ENFOQUE EM FRAUDES Prof. Cláudio Marcelo R Cordeiro 1 O Auditor não tem responsabilidade profissional por detecção de fraudes A administração e o público

Leia mais

Informatização dos processos no Setor de Medicina do Trabalho gera resultados positivos para a Teksid do Brasil

Informatização dos processos no Setor de Medicina do Trabalho gera resultados positivos para a Teksid do Brasil Informatização dos processos no Setor de Medicina do Trabalho gera resultados positivos para a Teksid do Brasil Perfil O Grupo Teksid é o maior em fundição de autopeças do mundo, com capacidade produtiva

Leia mais

Fone: 55 11 2384-7736 - www.wissenconsulting.com.br - atendimento@wissenconsulting.com.br

Fone: 55 11 2384-7736 - www.wissenconsulting.com.br - atendimento@wissenconsulting.com.br Nosso método de trabalho foi criado para atender VOCÊ A WISSEN CONSULTING têm como compromisso ajudá-lo a alcançar o sucesso na implementação de ferramentas de gestão e colaboração para que você possa

Leia mais

APRESENTAÇÃO COMERCIAL. www.docpix.net

APRESENTAÇÃO COMERCIAL. www.docpix.net APRESENTAÇÃO COMERCIAL www.docpix.net QUEM SOMOS Somos uma agência digital full service, especializada em desenvolvimento web, de softwares e marketing online. A Docpix existe desde 2010 e foi criada com

Leia mais

Tecnologia e Praticidade ao Seu Alcance

Tecnologia e Praticidade ao Seu Alcance Tecnologia e Praticidade ao Seu Alcance PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO Mais de 21.000 Pontos de vendas ativos Frente de loja com gerenciamento local ou via web Homologação Fiscal em todo o Brasil

Leia mais

FELICIDADE NO TRABALHO Significado e propósito para as pessoas

FELICIDADE NO TRABALHO Significado e propósito para as pessoas FELICIDADE NO TRABALHO Significado e propósito para as pessoas SERASA EXPERIAN A Serasa Experian é resultado da união do maior bureau de crédito do mundo fora dos Estados Unidos e da maior empresa de informações

Leia mais

Sistema de Gestão de Telecomunicações - Corporativo

Sistema de Gestão de Telecomunicações - Corporativo Sistema de Gestão de Telecomunicações - Corporativo O que é SGTC? O SGTC - Sistema de Gestão de Telecomunicações > Software 100% próprio, desenvolvido pela equipe da TeleGestão que possibilita o gerenciamento

Leia mais

Convergência de Aplicações de Meios de Pagamento e Certificação Digital. Fernando Guerreiro de Lemos, Presidente do Banrisul S.A.

Convergência de Aplicações de Meios de Pagamento e Certificação Digital. Fernando Guerreiro de Lemos, Presidente do Banrisul S.A. Convergência de Aplicações de Meios de Pagamento e Certificação Digital Fernando Guerreiro de Lemos, Presidente do Banrisul S.A. Visão Geral da Apresentação Sobre o Banrisul A visão do Banrisul em relação

Leia mais

Linha BNDES Exim Automático

Linha BNDES Exim Automático Linha BNDES Exim Automático Ajudando sua empresa a exportar mais através da rede de bancos credenciados do BNDES no exterior Como incrementar as exportações da minha empresa oferecendo mais prazo de pagamento

Leia mais

INTELIGÊNCIA COMPETITIVA. Transformando dados em decisões estratégicas

INTELIGÊNCIA COMPETITIVA. Transformando dados em decisões estratégicas INTELIGÊNCIA COMPETITIVA Transformando dados em decisões estratégicas Primeiramente, qual a diferença? DADOS INFORMAÇÃO CONHECIMENTO CONHECIMENTO Conjunto de informações analisadas INFORMAÇÃO Conjunto

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Mudanças das organizações e os SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução n A mudança nos sistemas de informação das organizações é, ou deve ser, considerada

Leia mais