Monitoramento Contínuo e Auditoria Contínua: Uma Perspectiva Prática

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Monitoramento Contínuo e Auditoria Contínua: Uma Perspectiva Prática"

Transcrição

1 Monitoramento Contínuo e Auditoria Contínua: Uma Perspectiva Prática

2 Perfil Caseware Fornecedor líder no setor de softwares para análise de dados, auditoria contínua e monitoramento contínuo. A Caseware Inc. é uma empresa com sede no Canadá e unidades nos EUA, América Latina, Europa e China Mais de 40 parceiros distribuidores que atendem 90 países com tradução para 16 idiomas 2 distribuidores no Brasil;

3 GTAGs - Guias de Prática Guias de Auditoria de Tecnologia em questões relacionadas à gestão de TI, controle e segurança GTAG 3: Continuous Auditing: Implications for Assurance, Monitoring and Risk Assessment GTAG 16: Data Analysis Technologies

4 Effectiveness of Controls Auditoria Periódicas Audit 1 Audit 2 Audit 3 Real Esperada Efectividad Time Source: Continuous Auditing From a Practical Perspective, Kevin Handscombe 4

5 Effectiveness of Controls Auditoria Contínua CA CA CA CA CA CA CA CA CA CA CA CA Real Esperada Efectividad Time Source: Continuous Auditing From a Practical Perspective, Kevin Handscombe 5

6 Terminologia Auditoria Contínua Monitoramento Contínuo Data Analytics

7 Auditoria Contínua Utiliza-se tecnologia da informação, para automatizar o trabalho convencional de auditoria tornando mais abrangente e tempestivo. Efetuamos testes de controles automaticamente em bases de dados contínuas, de forma a identificar exceções e anomalias, tendências e indicadores de riscos Auditoria contínua é uma das ferramentas da auditoria interna. Fonte: IIA / AICPA / CICA

8 Auditoria Contínua Tipo de auditoria que produz resultados simultaneamente ou em um pequeno período de tempo após a ocorrência de um evento relevante Fonte: Prof. Miklos Vasarhelyi (Rutgers University) A capacidade de realizar avaliações de controle e risco em tempo real, ou o mais próximo do tempo real quanto possível.. Fonte: IIA / AICPA / CICA

9 Monitoramento Contínuo 2009 COSO Guidance - effective controls systems must include monitoring.

10 Monitoramento Contínuo Fazer auditoria contínua como parte do processo de core business da organização Obter maior apoio (buy-in) da alta administração Demonstrar que Controles economizam dinheiro e podem ser utilizados como indicadores do negócio O gestor é o dono do controle e o monitoramento contínuo é uma ferramenta da administração

11 Monitoramento Contínuo É um processo da Administração para assegurar que os processos e controles de negócio estão operando de modo eficiente. A administração deve identificar pontos críticos de controle e implementar testes automatizados para monitorar estes controles de modo contínuo É responsabilidade da administração agir nas deficiências de controle e corrigir transações com defeitos

12 Data Analytics Análise de dados é definida como o processo de inspeção, limpeza, transformação, e modelagem de dados com o objetivo de encontrar a informação útil, sugerindo conclusões, e apoiando a tomada de decisão. Análise de dados é um processo analítico pelo qual insights são extraídos de dados eletrônicos internos ou externos da organização. Estes insights podem ser históricos, em tempo real ou preditivos.

13 Automação Fonte: Adaptado Elder Aquino (7º CONTECSI)

14 Ferramentas Alto Otimizado Execução contínua de auditoria automatizada e testes de monitoramento com foco no negócio. Ferramentas estatísticas e integradas Repetitivo Análises e testes automatizados e reusáveis, com softwares de auditoria em ambiente centralizado. Os resultados são para avaliação de risco em todo o processo de auditoria Baixo Ad hoc Análises de dados pontuais sobre certas auditorias. Uso de planilhas ou ferramentas em ambiente local ou desktop.

15 Arquitetura DATA ANALYTICS

16 Exemplo Risco: Faturas podem não ser válidas e / ou devidamente autorizada Atividade de controle: Conferencia de faturas para a entrada de mercadorias Método: parcialmente automatizado Tipo: Preventivo Freqüência: Recorrente Componente de COSO: Atividades de Controle

17 Risco, controle e Passos de auditoria Faturas podem não ser válidas e / ou devidamente autorizada Risco

18 Risco, controle e Passos de auditoria Faturas podem não ser válidas e / ou devidamente autorizada O funcionário de contas a pagar checa o formulario de entrada de mercadorias com a fatura no sistema e permite uma diferença máxima de 0,5%. Risco Controle

19 Risco, controle e Passos de auditoria Faturas podem não ser válidas e / ou devidamente autorizada Risco Para diferenças abaixo do limite uma prova de reconciliação manual e criada pelo funcionário de contas a pagar e aprovado e publicado pelo seu Supervisor para a conta de ajuste no sistema. Controle

20 Risco, controle e Passos de auditoria Faturas podem não ser válidas e / ou devidamente autorizada As diferenças acima do limite são colocados em espera e investigadas pelo gerente da área e o funcionário de contas a pagar Risco Controle

21 Risco, controle e Passos de auditoria Faturas podem não ser válidas e / ou devidamente autorizada O funcionário de contas a pagar checa o formulario de entrada de mercadorias com a fatura no sistema e permite uma diferença máxima de 0,5%. Risco Controle

22 Risco, controle e Passos de auditoria Faturas podem não ser válidas e / ou devidamente autorizada O funcionário de contas a pagar checa o formulario de entrada de mercadorias com a fatura no sistema e permite uma diferença máxima de 0,5%. Obter uma lista de todas as faturas para o período de teste selecionado. Risco Controle Passos

23 Risco, controle e Passos de auditoria Faturas podem não ser válidas e / ou devidamente autorizada O funcionário de contas a pagar checa o formulario de entrada de mercadorias com a fatura no sistema e permite uma diferença máxima de 0,5%. Obter o formulário de entrada de mercadorias e re-executar a reconciliação Risco Controle Passos

24 Risco, controle e Passos de auditoria Faturas podem não ser válidas e / ou devidamente autorizada O funcionário de contas a pagar checa o formulario de entrada de mercadorias com a fatura no sistema e permite uma diferença máxima de 0,5%. Verificar que uma folha de prova reconciliação manual é criada pelo funcionário de contas a pagar Risco Controle Passos

25 Risco, controle e Passos de auditoria Faturas podem não ser válidas e / ou devidamente autorizada O funcionário de contas a pagar checa o formulario de entrada de mercadorias com a fatura no sistema e permite uma diferença máxima de 0,5%. Verificar que a folha de prova da reconciliação manual é aprovada pelo Supervisor de contas a pagar Risco Controle Passos

26 Risco, controle e Passos de auditoria Faturas podem não ser válidas e / ou devidamente autorizada O funcionário de contas a pagar checa o formulario de entrada de mercadorias com a fatura no sistema e permite uma diferença máxima de 0,5%. Obter do sistema uma cópia impressa de todos ajustes e verificar a que a diferença foi postada pelo Supervisor Risco Controle Passos

27 Risco, controle e Passos de auditoria Faturas podem não ser válidas e / ou devidamente autorizada O funcionário de contas a pagar checa o formulario de entrada de mercadorias com a fatura no sistema e permite uma diferença máxima de 0,5%. Verificar que todas as diferenças que se enquadram acima do limite são investigados pela gerencia da área e o funcionário de contas a pagar Risco Controle Passos

28 O componente análise de dados Faturas podem não ser válidas e / ou devidamente autorizada O funcionário de contas a pagar checa o formulario de entrada de mercadorias com a fatura no sistema e permite uma diferença máxima de 0,5%. Extrai todas as novas faturas do sistema Compare entradas no sistema com Mercadorias Recebidas Risco Controle Passos

29

30 O componente análise de dados Faturas podem não ser válidas e / ou devidamente autorizada O funcionário de contas a pagar checa o formulario de entrada de mercadorias com a fatura no sistema e permite uma diferença máxima de 0,5%. Reconcilie as diferenças abaixo do limite para a conta de ajuste Atribui quaisquer exceções ao gerente da area envolvida. Risco Controle Passos

31

32 O componente de data analytics Faturas podem não ser válidas e / ou devidamente autorizada O funcionário de contas a pagar checa o formulario de entrada de mercadorias com a fatura no sistema e permite uma diferença máxima de 0,5%. Atribui qualquer variação acima do limite para o Gerente da Area. Risco Controle Passos

33

34

35

36 Propriedade dos testes automatizados Frequência: Diariamente Detecção: Qualquer não cumprimento acima e abaixo do limite Atribuição: Gerenciamento da area Prazo: Resolver no mesmo dia Evidência: Due diligence realizada para aquelas acima do limite e quaisquer outras exceções detectadas Valor: Certifique-se que a eficácia de controle é mantida em alto nível

37 Benefícios Independência Eficiência e eficácia Menos dependência da gestão Podem ser integrados nas operações Solução de TI compreensiva Colaboração

38 Desafios Mesmo com denominações diversas, o monitoramento contínuo controles está surgindo como um conjunto de recursos que proporciona retorno tangível e rápido. Condições macroeconômicas irão acelerar a adoção de soluções de Auditoria Contínua e Monitoramento Contínuo, com o aumento da regulação, orçamentos mais apertados, e staff reduzido, priorizando um foco sobre a eficiência.

39 Desafios Os gestores estão amadurecendo e permitindo que o negócio gerencie os controles com a supervisão da auditoria. Controles manuais ainda são um problema, mas são gerenciáveis se olharmos a partir da perspectiva dos processos de negócios. Cada vez mais, as empresas querem descobrir a origem dos controles manuais e automatizá-las.

40 Marcello Siqueira (11) (27) Vixteam Consultoria Ronny Miranda CaseWare RCM Inc.

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

IBM Cognos Financial Statement Reporting (FSR): Gerenciamento de fechamento financeiro integrado

IBM Cognos Financial Statement Reporting (FSR): Gerenciamento de fechamento financeiro integrado IBM Software Business Analytics Relatório IBM Cognos Financial Statement Reporting (FSR): Gerenciamento de fechamento financeiro integrado 2 IBM Cognos Financial Statement Reporting (FSR): Gerenciamento

Leia mais

Desafios na Implementação de uma Auditoria Contínua Efetiva

Desafios na Implementação de uma Auditoria Contínua Efetiva 21/06/13 Desafios na Implementação de uma Auditoria Contínua Efetiva Igor Estrada Gouvêa, CIA, CRMA Head de Auditoria Interna Qualicorp Soluções em Saúde Todas as informações fornecidas e opiniões emitidas

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

PARTE III Auditoria Conceitos Introdutórios

PARTE III Auditoria Conceitos Introdutórios FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Auditoria em Sistemas de Informação Prof. Fabio Costa

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

6 PASSOS PARA IMPLANTAR UMA AUDITORIA CONTÍNUA EFICIENTE EM SUA ORGANIZAÇÃO. Washington Lopes da Silva

6 PASSOS PARA IMPLANTAR UMA AUDITORIA CONTÍNUA EFICIENTE EM SUA ORGANIZAÇÃO. Washington Lopes da Silva 6 PASSOS PARA IMPLANTAR UMA AUDITORIA CONTÍNUA EFICIENTE EM SUA ORGANIZAÇÃO Washington Lopes da Silva Agenda Histórico da Auditoria Contínua A Evolução do Ambiente de TI nas Organizações A Evolução da

Leia mais

Resultados da Pesquisa

Resultados da Pesquisa Resultados da Pesquisa 1. Estratégia de Mensuração 01 As organizações devem ter uma estratégia de mensuração formal e garantir que a mesma esteja alinhada com os objetivos da empresa. Assim, as iniciativas

Leia mais

CobIT. Eduardo Mayer Fagundes. Um framework para a eficiência das organizações de Tecnologia da Informação e Telecomunicações

CobIT. Eduardo Mayer Fagundes. Um framework para a eficiência das organizações de Tecnologia da Informação e Telecomunicações CobIT Um framework para a eficiência das organizações de Tecnologia da Informação e Telecomunicações Eduardo Mayer Fagundes Copyright(c)2008 por Eduardo Mayer Fagundes 1 Agenda 1. Princípio de Gestão Empresarial

Leia mais

I Simpósio Mundial de Auditoria de Sistemas e Auditoria Contínua nua das Instituições Financeiras

I Simpósio Mundial de Auditoria de Sistemas e Auditoria Contínua nua das Instituições Financeiras I Simpósio Mundial de Auditoria de Sistemas e Auditoria Contínua nua das Instituições Financeiras Caso prático de Auditoria Contínua Objetivo da Apresentação Apresentar para discussão um caso de uso de

Leia mais

PROCEDIMENTO SISTÊMICO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO SISTÊMICO DA QUALIDADE 1. OBJETIVO Estabelecer, documentar, implementar, aprimorar e manter um, que assegure a conformidade com os requisitos da norma de referência. 2. CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTRO 2. CONTROLE DE DOCUMENTOS

Leia mais

por: Eliandro Alves, Elvio Filho, Julio Xavier e Sérgio Cordeiro Professor: Everton Rennê

por: Eliandro Alves, Elvio Filho, Julio Xavier e Sérgio Cordeiro Professor: Everton Rennê por: Eliandro Alves, Elvio Filho, Julio Xavier e Sérgio Cordeiro Professor: Everton Rennê ROTEIRO Histórico; Definição; Objetivos e/ou propósitos; Estrutura; Aplicação do modelo; Vantagens e desvantagens;

Leia mais

CobiT. MBA em Sistemas de Informação. Conteúdo. 1. Sumário Executivo. 2. Estrutura. 3. Objetivos de Controle. 4. Diretrizes de Gerenciamento

CobiT. MBA em Sistemas de Informação. Conteúdo. 1. Sumário Executivo. 2. Estrutura. 3. Objetivos de Controle. 4. Diretrizes de Gerenciamento MBA em Sistemas de Informação CobiT Conteúdo 1. Sumário Executivo 2. Estrutura 3. Objetivos de Controle 4. Diretrizes de Gerenciamento 5. Modelo de Maturidade 6. Guia de Certificação de TI 7. Implementação

Leia mais

Exame de Fundamentos da ITIL

Exame de Fundamentos da ITIL Exame de Fundamentos da ITIL Simulado A, versão 5.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Todas as respostas devem ser assinaladas na grade de respostas fornecida.

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura da Tecnologia da Informação A TI de antes (ou simplesmente informática ),

Leia mais

Indicadores para Auditoria Contínua

Indicadores para Auditoria Contínua Indicadores para Auditoria Contínua Ronaldo Fragoso Sócio. Deloitte. Agenda Objetivo da auditoria contínua Contexto e evolução da auditoria interna Tendências em auditoria contínua Implementação metodologia

Leia mais

CA Infrastructure Management Resolvendo os problemas mais complexos de TI

CA Infrastructure Management Resolvendo os problemas mais complexos de TI CA Infrastructure Management Resolvendo os problemas mais complexos de TI As empresas são confrontadas com iniciativas críticas de TI 1. Transformação das Atividades de TI Reestruturar e consolidar os

Leia mais

Compêndio de Projetos de Auditoria Contínua

Compêndio de Projetos de Auditoria Contínua Copyright 2009 ACL Services Ltd. 1 Technology for Business Assurance Compêndio de Projetos de Auditoria Contínua Luiz Ribeiro Gerente de Soluções Tech Supply Perrotti Partners Quem somos? Soluções Governança,

Leia mais

Unidade V GOVERNANÇA DE TI. Profa. Gislaine Stachissini

Unidade V GOVERNANÇA DE TI. Profa. Gislaine Stachissini Unidade V GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Control Objectives for Information and Related Technology - Cobit O CobiT é um guia para a gestão de TI recomendado pelo Information Systems Audit

Leia mais

Unidade V GOVERNANÇA DE TI

Unidade V GOVERNANÇA DE TI GOVERNANÇA DE TI Unidade V CONTROL OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY (COBIT) 1 O CobiT é um guia para a gestão de TI recomendado pelo Information Systems Audit and Control Foundation (ISACF)

Leia mais

David Vicentin (dvicentin@setecnet.com.br) Gerente de Lean Six Sigma

David Vicentin (dvicentin@setecnet.com.br) Gerente de Lean Six Sigma Carta do Leitor Por: David Vicentin (dvicentin@setecnet.com.br) Gerente de Lean Six Sigma Engenheiro de produção pela Escola Politécnica da USP e especialista em PNL pela SBPNL. Gerente da área de Lean

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA

DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA OBJETIVOS Desenvolvimento de metodologia e sistema de automação do monitoramento de riscos e controles organizacionais para: Minimização dos riscos regulatórios

Leia mais

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título)

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título) Aprovado ' Elaborado por Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS em 08/01/2015 Verificado por Neidiane Silva em 09/01/2015 Aprovado por Americo Venturini/BRA/VERITAS em 12/01/2015 ÁREA QHSE Tipo Procedimento Regional

Leia mais

1- Objetivo: Avaliar os conhecimentos adquiridos durante o auto treinamento de Governança de TI com as práticas da ITIL e Cobit.

1- Objetivo: Avaliar os conhecimentos adquiridos durante o auto treinamento de Governança de TI com as práticas da ITIL e Cobit. 1- Objetivo: Avaliar os conhecimentos adquiridos durante o auto treinamento de Governança de TI com as práticas da ITIL e Cobit. 2 Regras e Instruções: Antes de começar a fazer a avaliação leia as instruções

Leia mais

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle A FUNÇÃO CONTROLE O controle é a ultima função da administração a ser analisadas e diz respeito aos esforços exercidos para gerar e usar informações relativas a execução das atividades nas organizações

Leia mais

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Os papéis do executivo de RH Pessoas são os principais ativos de uma empresa e o executivo de Recursos Humanos (RH), como responsável por administrar

Leia mais

2015 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados. 1

2015 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados. 1 2015 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados. 1 2015 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados. 2 Agenda

Leia mais

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People.

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. O SoftExpert BPM Suite é uma suíte abrangente de módulos e componentes perfeitamente integrados, projetados para gerenciar todo o ciclo de

Leia mais

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People.

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. O SoftExpert BPM Suite é uma suíte abrangente de módulos e componentes perfeitamente integrados, projetados para gerenciar todo o ciclo de

Leia mais

Product Lifecycle Management [PLM] Comprometa-se com a inovação.

Product Lifecycle Management [PLM] Comprometa-se com a inovação. Product Lifecycle Management [PLM] Comprometa-se com a inovação. SoftExpert PLM Suite é uma solução que oferece os requisitos e as habilidades necessárias que as empresas precisam para gerenciar com êxito

Leia mais

Abordagem de Processo: conceitos e diretrizes para sua implementação

Abordagem de Processo: conceitos e diretrizes para sua implementação QP Informe Reservado Nº 70 Maio/2007 Abordagem de Processo: conceitos e diretrizes para sua implementação Tradução para o português especialmente preparada para os Associados ao QP. Este guindance paper

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

Control Self Assessment no processo de Gestão de Contrato de Terceiros

Control Self Assessment no processo de Gestão de Contrato de Terceiros 21 de junho de 2013 Control Self Assessment no processo de Gestão de Contrato de Terceiros Fernando Lage Sócio-Diretor KPMG Risk Advisory Services Definição A definição de Control Self Assessment (Auto

Leia mais

GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL

GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL A Sytel Reply foi comissionada por uma grande operadora global de Telecom para o fornecimento de um Service Assurance de qualidade.

Leia mais

SUPERVISÃO COOPERATIVA Acompanhamento Indireto, acompanhamento dos planos, auditoria e comunicação

SUPERVISÃO COOPERATIVA Acompanhamento Indireto, acompanhamento dos planos, auditoria e comunicação SUPERVISÃO COOPERATIVA Acompanhamento Indireto, acompanhamento dos planos, auditoria e comunicação 1 Acompanhamento Indireto Tratamento das informações Análise intrínseca, evolutiva e comparativa Processos

Leia mais

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING 1 ÍNDICE 03 04 06 07 09 Introdução Menos custos e mais controle Operação customizada à necessidade da empresa Atendimento: o grande diferencial Conclusão Quando

Leia mais

Detecção e investigação de ameaças avançadas. VISÃO GERAL

Detecção e investigação de ameaças avançadas. VISÃO GERAL Detecção e investigação de ameaças avançadas. VISÃO GERAL DESTAQUES Introdução ao RSA Security Analytics, que oferece: Monitoramento da segurança Investigação de incidente Geração de relatórios de conformidade

Leia mais

Chapter 3. Análise de Negócios e Visualização de Dados

Chapter 3. Análise de Negócios e Visualização de Dados Chapter 3 Análise de Negócios e Visualização de Dados Objetivos de Aprendizado Descrever a análise de negócios (BA) e sua importância par as organizações Listar e descrever brevemente os principais métodos

Leia mais

Por dentro do mercado de médio porte: Uma perspectiva para 2011

Por dentro do mercado de médio porte: Uma perspectiva para 2011 Janeiro 2011 Exclusivamente para empresas de médio porte Por dentro do mercado de médio porte: Uma perspectiva para 2011 Relatório para o Brasil Panorama global: Pesquisa com 2.112 líderes do mercado de

Leia mais

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 ISO 9001:2000 Esta norma considera de forma inovadora: problemas de compatibilidade com outras normas dificuldades de pequenas organizações tendências

Leia mais

Software de gerenciamento de trabalho

Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho GoalPost O software de gerenciamento de trabalho (LMS) GoalPost da Intelligrated fornece informações sob demanda para medir,

Leia mais

Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI. Prof. Fernando Rodrigues

Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI. Prof. Fernando Rodrigues Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI Prof. Fernando Rodrigues Quando se trabalha com projetos, é necessária a utilização de técnicas e ferramentas que nos auxiliem a estudálos, entendê-los e controlá-los.

Leia mais

SENAC GO. Gestão da Tecnologia da Informação. Tópicos especiais em administração. Professor Itair Pereira da Silva. Alunos: Eduardo Vaz

SENAC GO. Gestão da Tecnologia da Informação. Tópicos especiais em administração. Professor Itair Pereira da Silva. Alunos: Eduardo Vaz SENAC GO Gestão da Tecnologia da Informação Tópicos especiais em administração Professor Itair Pereira da Silva Alunos: Eduardo Vaz Jalles Gonçalves COBIT COBIT (CONTROL OBJETIVES FOR INFORMATION AND RELATED

Leia mais

InSight* Soluções no Gerenciamento do Conhecimento. Descrição e Uso. Boletim Técnico de Produto

InSight* Soluções no Gerenciamento do Conhecimento. Descrição e Uso. Boletim Técnico de Produto Boletim Técnico de Produto InSight* Soluções no Gerenciamento do Conhecimento As aplicações de água e processo geram ou afetam diretamente grandes quantidades de dados operacionais, que podem ser de natureza

Leia mais

Dominando o Processo de Compras e Pagamentos. Paulo Eduardo Mietto, Consultor Sênior de Soluções OpenText SAP Forum Brasil Março 2015

Dominando o Processo de Compras e Pagamentos. Paulo Eduardo Mietto, Consultor Sênior de Soluções OpenText SAP Forum Brasil Março 2015 Dominando o Processo de Compras e Pagamentos Paulo Eduardo Mietto, Consultor Sênior de Soluções OpenText SAP Forum Brasil Março 2015 Procure-to-pay: Otimizando suas operações fiscais e de contas a pagar

Leia mais

COBIT Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

COBIT Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com COBIT Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com Introdução Atualmente, é impossível imaginar uma empresa sem uma forte área de sistemas

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

Guia de Manutenção de Edificações

Guia de Manutenção de Edificações PROJETO DE PESQUISA TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO DE PESQUISA TÍTULO ENTIDADE Abraman Associação Brasileira de Manutenção COMITÊ DE ESTUDOS Comitê de Manutenção Centrada na Confiabilidade COORDENAÇÃO Eng.

Leia mais

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DO FUNBIO

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DO FUNBIO POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DO FUNBIO P-32 /2014 Área Responsável: Auditoria Interna OBJETIVO: Descrever a metodologia do FUNBIO à gestão de riscos, documentar os papéis e responsabilidades da

Leia mais

CARTILHA PARA O USO DA MARCA

CARTILHA PARA O USO DA MARCA Página 1 de 11 PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO Este procedimento é parte integrante do Sistema de Gestão da Qualidade da BRICS. Quando disponível em domínio público, está sujeito a alterações sem aviso

Leia mais

Risk & Permanent Control

Risk & Permanent Control RISCO OPERACIONAL INTRODUÇÃO Este documento formaliza a estrutura organizacional e as principais atividades da área de Permanent Control and Operational Risk, responsável pela detecção, monitoramento,

Leia mais

Etapa Descrição Atividades

Etapa Descrição Atividades 1 Introdução A auditoria e o monitoramento contínuo visam melhorar a eficiência das operações na empresa, identificando e avaliando riscos de maneira tempestiva e provendo rapidamente informações críticas

Leia mais

AUDITORIA DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS (Subestações de Alta e Extra Alta Tensão )

AUDITORIA DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS (Subestações de Alta e Extra Alta Tensão ) GMI/021 21 a 26 de Outubro de 2001 Campinas - São Paulo - Brasil GRUPO XII GESTÃO DA MANUTENÇÃO AUDITORIA DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS (Subestações de Alta e Extra Alta Tensão ) João Carlos Santos Schneider

Leia mais

CONTROLE INTERNO. Rossana Guerra, CIA, CRMA.

CONTROLE INTERNO. Rossana Guerra, CIA, CRMA. CONTROLE INTERNO Rossana Guerra, CIA, CRMA. Petrobras adota 66 medidas de controle interno após escândalo de corrupção. O Conselho de Administração da estatal aprovou a função de Diretor de Governança,

Leia mais

Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras

Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras Nilson de Lima Barboza, MBA Valdir Jorge Mompean, MS, MBA Malcolm McLelland, Ph.D. 23 June

Leia mais

Liderança em idéias, métodos e resultados em BPM no Brasil. Automação de Processos. Jones Madruga

Liderança em idéias, métodos e resultados em BPM no Brasil. Automação de Processos. Jones Madruga Liderança em idéias, métodos e resultados em BPM no Brasil Automação de Processos Jones Madruga Promover melhorias e inovações que efetivamente criam valor não é simples... Apresentação Ø Organização PRIVADA

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Princípios da Teoria de Sistemas 1 Grupos diferentes dentro de uma organização necessitam

Leia mais

Perceba todos os benefícios das informações de segurança e do gerenciamento de eventos para operações e conformidade.

Perceba todos os benefícios das informações de segurança e do gerenciamento de eventos para operações e conformidade. Soluções de gerenciamento de eventos e informações de segurança Para o suporte de seus objetivos de TI Perceba todos os benefícios das informações de segurança e do gerenciamento de eventos para operações

Leia mais

BPMs Alavanca para a excelência operacional de processos transacionais

BPMs Alavanca para a excelência operacional de processos transacionais BPMs Alavanca para a excelência operacional de processos transacionais ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO A Unimed Londrina; Objetivos do Projeto; Estratégia Adotada; Comunicação; Características da solução; Processos

Leia mais

Relatório da estrutura de gerenciamento de riscos do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob)

Relatório da estrutura de gerenciamento de riscos do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) 1/7 Relatório da estrutura de gerenciamento de riscos do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) Módulo I Apresentação 1. Com a finalidade de promover a harmonização, a integração e a racionalização

Leia mais

Documento de Visão. Sistema de Ponto Eletrônico A2MEPonto. Versão 1.0

Documento de Visão. Sistema de Ponto Eletrônico A2MEPonto. Versão 1.0 Documento de Visão Sistema de Ponto Eletrônico A2MEPonto Versão 1.0 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autor 23/10/2010 #1 Elaboração do documento. Eduardo Neto Versão 1.0 Documento de Visão A2ME

Leia mais

ISO 17025 Versão 2005

ISO 17025 Versão 2005 1º Fórum Regional de Química - ES ISO 17025 Versão 2005 Rev. 14 Samuel Vieira JUN/2010 1 Terminologia e Siglas ABNT NBR ISO 9000:2000 Sistemas de gestão da qualidade Fundamentos e Vocabulário ABNT NBR

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA COMPETÊNCIA DE TI ATRAVÉS DE UM ABRANGENTE PLANEJAMENTO DE CAPACIDADE E MODELAGEM DE CARGAS DE TRABALHO

UTILIZAÇÃO DA COMPETÊNCIA DE TI ATRAVÉS DE UM ABRANGENTE PLANEJAMENTO DE CAPACIDADE E MODELAGEM DE CARGAS DE TRABALHO S Y S T E M S ASG-PERFMAN 2020 UTILIZAÇÃO DA COMPETÊNCIA DE TI ATRAVÉS DE UM ABRANGENTE PLANEJAMENTO DE CAPACIDADE E MODELAGEM DE CARGAS DE TRABALHO ASG ASG-PERFMAN 2020: Visão Global A sua capacidade

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Disciplina: Administração de Suporte e Automação Gerenciamento de Suporte Professor: Fernando Zaidan Ago-2009 1 2 Contexto Área de TI lugar estratégico

Leia mais

Gestão de Indicadores

Gestão de Indicadores Gestão de Indicadores OTIMIZA O ATENDIMENTO ÀS NORMAS ISO, ONA, OHSAS, TS, AS, PBQP-h, ABNT, NR, ANVISA, entre outras, além de se adaptar aos requisitos internos da empresa. TREINAMENTO E SUPORTE ONLINE

Leia mais

25º. WCARS World Continuous Auditing and Reporting Symposium. Monitoramento Contínuo e Auditoria Contínua. Luís Pires

25º. WCARS World Continuous Auditing and Reporting Symposium. Monitoramento Contínuo e Auditoria Contínua. Luís Pires 25º. WCARS World Continuous Auditing and Reporting Symposium Monitoramento Contínuo e Auditoria Contínua Luís Pires 1 Agenda Monitoramento Contínuo Auditoria Contínua 2 NECESSIDADES DE NEGÓCIO 2008: Economia

Leia mais

Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras

Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras Malcolm McLelland, Ph.D. Nilson de Lima Barboza, MBA Valdir Jorge Mompean, MS, MBA 16 October

Leia mais

Desenvolvimento e utilização do Painel de Auditoria Contínua Agências pela Auditoria Interna do Banco do Brasil

Desenvolvimento e utilização do Painel de Auditoria Contínua Agências pela Auditoria Interna do Banco do Brasil PRÁTICA 1) TÍTULO Desenvolvimento e utilização do Painel de Auditoria Contínua Agências pela Auditoria Interna do Banco do Brasil 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA - limite de 8 (oito) páginas: A Auditoria Interna

Leia mais

Itaú BBA protege operações e transações financeiras com soluções CA Service Assurance

Itaú BBA protege operações e transações financeiras com soluções CA Service Assurance CUSTOMER SUCCESS STORY Itaú BBA protege operações e transações financeiras com soluções CA Service Assurance PERFIL DO CLIENTE Indústria: Serviços Financeiros Companhia: Itaú BBA Grupo Itaú Unibanco Empregados:

Leia mais

Como a nuvem mudará as operações de liberação de aplicativos

Como a nuvem mudará as operações de liberação de aplicativos DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA Junho de 2013 Como a nuvem mudará as operações de liberação de aplicativos Jacob Ukelson Entrega de aplicativos Sumário Resumo executivo 3 Seção 1: 4 Mudando o cenário de automação

Leia mais

Impresso em 27/08/2015 12:17:14 (Sem título)

Impresso em 27/08/2015 12:17:14 (Sem título) Aprovado ' Elaborado por Leonardo Camargo/BRA/VERITAS em 07/08/2013 Verificado por Sidney Santos em 09/12/2013 Aprovado por Sergio Suzuki/BRA/VERITAS em 09/12/2013 ÁREA LNS Tipo Instrução Administrativa

Leia mais

MODALIDADE Business Service Provider - BSP

MODALIDADE Business Service Provider - BSP MODALIDADE Business Service Provider - BSP Na solução BSP a empresa delega à ABGT SISTEMAS a execução da folha de pagamento e sub-processos, além da hospedagem e do gerenciamento da infra-estrutura e tecnologia

Leia mais

Pesquisa de Remuneração. Pesquisa de Remuneração Edição 2012

Pesquisa de Remuneração. Pesquisa de Remuneração Edição 2012 Pesquisa de Remuneração Edição 2012 Consultoria - Gestão de Capital Humano Pesquisa de Remuneração A Deloitte conta com importantes métodos e parâmetros para ajudá-lo a definir mais adequadamente as estratégias

Leia mais

Agenda. A Empresa História Visão Conceito dos produtos

Agenda. A Empresa História Visão Conceito dos produtos Agenda A Empresa História Visão Conceito dos produtos Produto Conceito Benefícios Vantagens: Criação Utilização Gestão Segurança Integração Mobilidade Clientes A empresa WF História Em 1998, uma ideia

Leia mais

ANEXO 10 TDR AUDITORES

ANEXO 10 TDR AUDITORES ANEXO 10 TDR AUDITORES PROJETO DE SUSTENTABILIDADE HÍDRICA DE PERNAMBUCO PSHPE (N. DO EMPRÉSTIMO) TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA PARA AUDITORIA DO XX ANO DO PROJETO DE

Leia mais

Número do Recibo:83500042

Número do Recibo:83500042 1 de 21 06/06/2012 18:25 Número do Recibo:83500042 Data de Preenchimento do Questionário: 06/06/2012. Comitête Gestor de Informática do Judiciário - Recibo de Preenchimento do Questionário: GOVERNANÇA

Leia mais

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC {aula #2} Parte 1 Governança de TI com melhores práticas COBIT, ITIL e BSC www.etcnologia.com.br Rildo F Santos rildo.santos@etecnologia.com.br twitter: @rildosan (11) 9123-5358 skype: rildo.f.santos (11)

Leia mais

Governança de TIC. CobiT 4.1

Governança de TIC. CobiT 4.1 Governança de TIC CobiT 4.1 Conceitos Governança: A expressão governar tem origem na expressão navegar... E o que quem navega faz? Ele faz um mapa, dá a direção, faz as regras de convivência. Tomáz de

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão. Profa. Jiani Cardoso Disciplina: Sistemas de Informação Aula de 13/set/2005

Sistemas de Apoio à Decisão. Profa. Jiani Cardoso Disciplina: Sistemas de Informação Aula de 13/set/2005 Sistemas de Apoio à Decisão Profa. Jiani Cardoso Disciplina: Sistemas de Informação Aula de 13/set/2005 Sistemas de Suporte Gerencial SIG (sistema de Informação Gerencial) SAD (Sistema de Apoio à Decisão)

Leia mais

Inteligência de Dados

Inteligência de Dados Inteligência de Dados Apoio Master Transformando Dados em Vantagem Competitiva Leonardo Couto Sócio e Diretor Comercial leo.couto@wiseminer.com +55 21 9 7295 1422 Big Data Bang e os desafios da gestão

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A expressão ISO 9000 (International Organization for Standardization) designa um grupo de normas técnicas que estabelecem

Leia mais

Preparação da Auditoria da Qualidade. Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT

Preparação da Auditoria da Qualidade. Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT Preparação da Auditoria da Qualidade Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT O que é auditoria? Processo sistemático, independente e documentado de se obter evidências e avaliálas objetivamente para determinar

Leia mais

O Módulo Risk Manager fornece workflow para tratamento dos riscos identificados nas avaliações e priorização das ações.

O Módulo Risk Manager fornece workflow para tratamento dos riscos identificados nas avaliações e priorização das ações. GRC - Governança, Riscos e Compliance já é uma realidade nas organizações. Sua adoção, no entanto, implica no desenvolvimento e na manutenção de um framework que viabilize a integração e colaboração entre

Leia mais

Contrato de Suporte End.: Telefones:

Contrato de Suporte End.: Telefones: Contrato de Suporte Contrato de Suporte Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter disponibilidade dos recursos

Leia mais

CPM Braxis Capgemini reduz custos em 18% com CA Business Service Insight

CPM Braxis Capgemini reduz custos em 18% com CA Business Service Insight CUSTOMER SUCCESS STORY CPM Braxis Capgemini reduz custos em 18% com CA Business Service Insight PERFIL DO CLIENTE Indústria: Serviços de TI Companhia: CPM Braxis Capgemini Empregados: 6500+ Faturamento:

Leia mais

Módulo 6. Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa do autor.

Módulo 6. Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa do autor. Módulo 6 Módulo 6 Desenvolvimento do projeto com foco no negócio BPM, Análise e desenvolvimento, Benefícios, Detalhamento da metodologia de modelagem do fluxo de trabalho EPMA. Todos os direitos de cópia

Leia mais

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation.

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. O SoftExpert PPM Suite é a solução mais robusta, funcional e fácil para priorizar, planejar, gerenciar e executar projetos, portfólios

Leia mais

Francisco Alexandre A. B. Paes Leme Gerente de Auditoria da Caixa Econômica Federal Coordenador da Subcomissão de Auditoria de TI da FEBRABAN

Francisco Alexandre A. B. Paes Leme Gerente de Auditoria da Caixa Econômica Federal Coordenador da Subcomissão de Auditoria de TI da FEBRABAN Auditoria Contínua: desafiando paradigmas da auditoria convencional. Francisco Alexandre A. B. Paes Leme Gerente de Auditoria da Caixa Econômica Federal Coordenador da Subcomissão de Auditoria de TI da

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

Modelo de Gestão por Processos da Anatel

Modelo de Gestão por Processos da Anatel Modelo de Gestão por Processos da Anatel 1º Evento de Intercâmbio em Planejamento & Gestão das Agências Reguladoras 03 de abril de 2009 Superintendência de Administração-Geral - SAD Gerência-Geral de Talentos

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial

Sistemas de Informação Empresarial Sistemas de Informação Empresarial Governança de Tecnologia da Informação parte 2 Fonte: Mônica C. Rodrigues Padrões e Gestão de TI ISO,COBIT, ITIL 3 International Organization for Standardization d -

Leia mais

Case APESC. Assessoria de Desenvolvimento Organizacional

Case APESC. Assessoria de Desenvolvimento Organizacional Case APESC Assessoria de Desenvolvimento Organizacional PROGRAMA Assessoria de Desenvolvimento Organizacional DO Gestão de Processos na APESC Metodologia Novo Olhar Benefícios e desafios Sistema de Gestão

Leia mais

ENCONTRA SENTIDO COMPLEXIDADE ANALISE CADA TRANSAÇÃO ATENDA AOS REQUISITOS PROFISSIONAIS AUMENTE A EFICIÊNCIA DA AUDITORIA MUDANÇA CONSTANTE PRESSÃO

ENCONTRA SENTIDO COMPLEXIDADE ANALISE CADA TRANSAÇÃO ATENDA AOS REQUISITOS PROFISSIONAIS AUMENTE A EFICIÊNCIA DA AUDITORIA MUDANÇA CONSTANTE PRESSÃO VERSION NINE AUMENTE A QUALIDADE CONFORMIDADE FAÇA MAIS COM MENOS RESPONSABILIDADE AUMENTE O DESEMPENHO DOS NEGÓCIOS ENCONTRE FRAUDESREDUZA RISCOS AGREGUE VALOR MUDANÇA CONSTANTE PRESSÃO ANALISE CADA TRANSAÇÃO

Leia mais

IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding

IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding Unindo a estratégia às operações com sucesso Visão Geral O Scorecarding oferece uma abordagem comprovada para comunicar a estratégia de negócios por toda a

Leia mais

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Especialização em Gerência de Projetos de Software Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br Qualidade de Software 2009 Instituto

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL

PROCEDIMENTO GERENCIAL PÁGINA: 1/10 1. OBJETIVO Descrever o procedimento para a execução de auditorias internas a intervalos planejados para determinar se o sistema de gestão da qualidade é eficaz e está em conformidade com:

Leia mais

A Biblioteca: Gerenciamento de Serviços de TI. Instrutor : Cláudio Magalhães E-mail: cacmagalhaes@io2.com.br

A Biblioteca: Gerenciamento de Serviços de TI. Instrutor : Cláudio Magalhães E-mail: cacmagalhaes@io2.com.br A Biblioteca: Gerenciamento de Serviços de TI Instrutor : Cláudio Magalhães E-mail: cacmagalhaes@io2.com.br 2 A Biblioteca ITIL: Information Technology Infrastructure Library v2 Fornece um conjunto amplo,

Leia mais