PORTARIA P N. 422, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PORTARIA P N. 422, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014."

Transcrição

1 PORTARIA P N. 422, DE 10 DE DEZEMBRO DE Revisa o Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI para o período e dá outras providências. O Presidente do TRE-RS, no uso de suas atribuições regimentais, e considerando o disposto no art. 2º da Resolução TRE-RS n. 240/2013, RESOLVE: Art. 1º Revisar o Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI do TRE-RS, que passa a vigorar conforme consta no Anexo I da presente Portaria. Art. 2º As metas constantes deste plano serão objeto de projetos a cargo da Secretaria de Tecnologia da Informação () e inscritos no respectivo Escritório Setorial de Projetos. Parágrafo único. O Comitê poderá determinar à a execução de outros projetos decorrentes de demandas não previstas no PDTI, desde que não comprometam as metas aqui estabelecidas. Art. 3º As contratações necessárias à implementação das metas e projetos decorrentes deste plano constarão do Plano Anual de Contratações, conforme previsto na IN 39/14. Art. 4º A Secretaria de Tecnologia da Informação encaminhará ao Comitê relatório semestral de desempenho em relação às metas estabelecidas no PDTI. 1º De posse do relatório, o Comitê elaborará um parecer crítico, sugerindo ações corretivas e, excepcionalmente, a repactuação de metas. 2º O relatório e o parecer serão encaminhados à apreciação da Presidência do TRE- Assinado digitalmente conforme Lei /2006 Em: 10/12/ :11 Por: MARCO AURELIO HEINZ Original em: CHAVE: 9a73ca95a TRE-RS

2 RS. Art. 5º O PDTI será revisado anualmente, ou a qualquer tempo, no decorrer do exercício, caso haja superveniência de fato que justifique a urgência de ajustes. Art. 6 º Fica revogada a Portaria P n. 388/2013. Art. 7º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. PRESIDENTE

3 ANEO I APRESENTAÇÃO Conforme previsto na Resolução TRE 240/2013, que institui o Plano Estratégico de Tecnologia da Informação, este Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI estabelece as metas de Tecnologia da Informação do TRE para os próximos anos. O quadro Alinhamento do PDTI demonstra que, além das metas diretamente relacionadas ao, este plano incorpora demandas originadas no Plano Estratégico Institucional do TRE-RS PEI e dos Fatores Críticos de Sucesso, identificados no documento de diagnóstico, elaborado pela Secretaria de Tecnologia da Informação do TRE-RS e apresentado ao Comitê. Algumas metas constantes no Plano Estratégico do Judiciário (/CNJ) foram incorporadas ao PDTI por serem consideradas relevantes, induzindo a adoção de boas práticas pelo TRE-RS, ainda que vigore o entendimento de que não exista obrigatoriedade de atender tais estipulações daquele Conselho. Dessa forma, o PDTI centraliza todas as necessidades estratégicas, simplificando a gestão dos esforços para sua implementação por parte da e seu controle por parte do Comitê e Presidência do TRE. O plano foi dividido em temas, agrupando os objetivos de gestão e uso corporativo, que representam objetivos de alto nível a serem atingidos para que a visão que o TRE tem sobre cada dimensão do planejamento possa ser alcançada. Tais objetivos desdobram-se nas metas que serão efetivamente gerenciadas ao longo da execução do PDTI, cujos indicadores são descritos em quadro próprio. A relação de metas não é exaustiva, pois é reservado ao Comitê o estabelecimento de novos objetivos, desde que não comprometam o disposto neste PDTI. Assim, serve o presente plano de balizador para os principais investimentos, especialmente aqueles de longo prazo, ficando preservada a capacidade de reação da TI do TRE, por meio dos processos de governança, às demandas que não puderem ser identificadas no momento da elaboração do Plano Diretor. Será por meio dessa

4 fixação complementar de metas que o Comitê exercerá sua função de priorizar e selecionar os sistemas de informação a serem desenvolvidos no TRE. O PDTI tem caráter permanente, mas considera seguidas revisões, focadas nos exercícios imediatamente seguintes. Assim, embora estejam quantificados alvos até 2018, demonstrando a evolução esperada de alguns itens ao longo de toda a vigência do, o foco está nos próximos dois exercícios, visando, nesta edição, guiar a execução orçamentária de 2015 e a proposta orçamentária de Para prover a permanente atualização e respeitar a tradição de alternância da Presidência do TRE, fazem-se necessárias revisões anuais, que detalharão metas para os demais exercícios, sempre com foco em dois anos, detalhando objetivos deste plano ou incluindo novos objetivos que atendam necessidades emergentes.

5 METAS DO PDTI 1. Gerenciamento de Serviços Nº 1.1 de TI Qualificar a prestação de serviços. criar canal permanente de comunicação com os usuários automatizar a gestão de desktops Meta 80% CNJ I - 1.1a- Índice de satisfação dos usuários com equipamentos 80% CNJ I - 1.1b- Índice de satisfação dos usuários com sistemas 80% CNJ I - 1.1c- Índice de satisfação dos usuários com o atendimento do Help Desk 30% 80% 100% CNJ I - 1.1d- Percentual de desktops gerenciados por sistema centralizado 1.2 Aprimorar o atendimento de incidentes. implantar o Help Desk na mapear processos de incidentes implantar processos para medição e controle de efetividade e tempo de atendimento treinar pessoal para atendimento elaborar o catálogo de serviços elaborar a base de conhecimento definir Nível de Acordo de Serviços 70% CNJ 100% CNJ 70% I - 1.2a- Percentual de incidentes com atendimento iniciado em até 15 minutos I - 1.2b- Percentual dos serviços atendidos pelo Help Desk I - 1.2c- Percentual de incidentes solucionados conforme Níveis de Acordo dos Serviços (NAS) estabelecidos

6 Nº 1.3 de TI Implementar os processos de ITIL no TRE-RS. definir os gerentes para cada processo de ITIL implementação de cada processo de ITIL capacitar os servidores para o gerenciamento dos processos Meta I 1.3a- Maturidade do processo de gestão de catálogo I - 1.3b- Maturidade do processo de gestão de acesso I 1.3c- Maturidade do processo de gerenciamento de incidentes I - 1.3d- Maturidade do processo de gestão de eventos I 1.3e- Maturidade do processo de gerenciamento de problemas I - 1.3f- Maturidade do processo de gerenciamento da configuração I - 1.3g- Maturidade do processo de gerenciamento de mudanças I - 1.3h- Maturidade do processo de gerenciamento de liberação e implantação I - 1.3i- Maturidade do processo de gestão de disponibilidade I - 1.3j- Maturidade de gestão de capacidade I - 1.3l- Maturidade do processo de cumprimento de requisição I - 1.3m- Maturidade do processo de gestão de fornecedores I - 1.3n- Maturidade do processo de gestão de continuidade de serviços I - 1.3o- Maturidade do processo de gestão de nível de serviço Comitê

7 Nº de TI Meta I - 1.3p- Número de processos ITIL modelados 2. Capacitação Nº 2.1 Promover a inovação. proporcionar a participação em eventos de atualização e desenvolvimento profissional dos servidores da TI definir e priorizar os cursos de capacitação necessários para a implementação dos novos projetos e aprimoramento dos atuais serviços Metas I - 2.1a- Número de horas de participação em eventos de atualização e desenvolvimento profissional I - 2.1b- Número de servidores da que participaram em eventos de atualização e desenvolvimento profissional

8 3. Gerenciamento de Projetos Nº Metas Consolidar o gerenciamento de projetos. OK I - 3.1a- EP formalizado DG 3.1 formalizar o Escritório de Projetos da aprimorar a gestão de projetos da 70% 60% 60% 70% 70% I - 3.1b- Percentual de projetos executados dentro do escopo, tempo e custo definidos 4. Infraestrutura Nº 4.1 Aumentar a disponibilidade da infraestrutura. definir junto ao Comitê os serviços essenciais para monitoramento e garantia de disponibilidade monitorar a disponibilidade dos serviços mantidos pelo TRE-RS Metas 99% 99,5% 99,6% 99% 99,5% 99,6% PEI 90% 95% CNJ I - 4.1a- Percentual de disponibilidade de serviços mantidos pelo TRE-RS (conjunto definido pelo Comitê ) I - 4.1b- Percentual de disponibilidade de serviços essenciais (definidos pelo PEI) I - 4.1c- Percentual de cumprimento do NAS de disponibilidade dos sistemas

9 Nº Metas Ampliar a segurança e a capacidade da infraestrutura do TRE-RS. OK FCS I 4.2a- Implantação de redundância da storage principal 4.2 implantação de um segundo datacenter contratar e implantar a redundância da storage principal contratar e implantar o backbone secundário instalar a infraestrutura de rede no novo prédio 95% 100% OK OK FCS FCS CNJ FCS I / 4.2b- Implantação de um segundo datacenter I - 4.2c- Percentual das zonas com conexão de pelo menos 2Mbps I - 4.2d- Rede do TRE preparada para conexão de dispositivos móveis à rede interna Atualizar o sistema operacional do parque computacional. 30% 100% FCS I 4.3b- Percentual de máquinas da Secretaria do TRE com o Windows 7 instalado 4.3 aquisição e instalação do Windows 7 100% FCS I - 4.3c- Percentual de zonas eleitorais e CAEs com todas as máquinas migradas para o Windows 7 5. Processo de Aquisição Nº 5.1 Aprimorar o processo de aquisições e gerenciamento de contratos. Metas 100% CNJ I - 5.1a- Percentual de contratos de aquisição segundo processo de planejamento aderente à Resolução 182/2013 do CNJ

10 Nº implementar processo de planejamento de aquisições aderente à Resolução 182/2013 do CNJ implementar a medição sobre o processo de gestão de contratos promover a aderência aos Níveis Mínimos de Serviço NMS por parte dos contratados Metas OK TCU OK TCU I - 5.1c- Norma própria publicada para aquisições no TRE-RS I - 5.1d- Norma própria publicada para gestão de contratos no TRE-RS DG DG Nº 6. Comunicação Interna Ampliar e qualificar os canais virtuais de comunicação interna do TRE-RS. Metas 85% PEI I - 6.1a- Índice de satisfação dos usuários com os canais virtuais de comunicação interna do TRE 6.1 desenvolver a nova versão do sistema Crono criar o estúdio de gravação e transmissão multimídia OK OK PEI PEI I - 6.1b- Estúdio de gravação e transmissão multimídia criado I - 6.1c- Nova versão do sistema Crono implantada

11 7. Soluções para a estratégia do TRE Nº Prazo / Meta 7.1. Ampliar e qualificar a transmissão remota dos Boletins de Urnas no dia da eleição. implementação de novos pontos de transmissão 90% PEI I - 7.1a- Percentual de transmissão remota do BU de seções cujo tempo médio de recebimento de Bus superou 3h nas 02 últimas eleições 7.3 Adequar a estrutura das zonas eleitorais para a biometria. instalação de kits biométricos 100% FCS PEI I - 7.3a- Percentual de zonas eleitorais biométricas com 02 notebooks I - 7.3b- Número de zonas eleitorais e CAEs com kit biométrico instalado 7.4 Implementar ferramenta de Business Intelligence (BI) contratação de sistema de BI 2 4 FCS I - 7.4a- Número de aplicações de BI implementadas 8. Governança Nº 8.1 Aprimorar continuamente a governança. Prazo / Meta OK I - 8.1a- Macroprocesso de governança formalizado Comitê

12 Nº Prazo / Meta formalizar o macroprocesso de governança OK I - 8.1b- Política de Gestão de riscos relacionados aos objetivos de gestão e uso corporativo formalizada Comitê elaborar a política de gestão de riscos formalizar o processo de desenvolvimento de software aprovar processo de governança orçamentária aprovar plano de contratações aprovar processo de governança de demandas elaborar o catálogo de serviços estabelecer acordos de níveis de serviços 100% I - 8.1c- Percentual de Sistemas de informação do TRE-RS com gestores formalmente designados I - 8.1d- Maturidade do Processo de desenvolvimento de software I 8.1e- Maturidade do Processo de Governança Orçamentária Comitê Comitê I - 8.1f- Maturidade do Processo de Governança de Contratações Comitê I - 8.1g- Maturidade do Processo de Governança de Demandas Comitê 0,56 0,64 0,67 0,68 0,70 I 8.1h - igovti Comitê

13 Nº Prazo / Meta Promover as iniciativas necessárias para o atingimento das metas do PDTI. 8.2 monitorar o desenvolvimento dos projetos e ações do PDTI 85% I - 8.2a- Percentual de Atendimento das metas do PDTI 8.3 Promover o funcionamento efetivo do Comitê. monitorar o funcionamento do Comitê 05 I - 8.3a- Número de reuniões ordinárias anuais do Comitê Comitê

14 ALINHAMENTO DO PDTI OBJETIVOS ESTRATÉGICOS INICIATIVAS Primar pela satisfação do cliente C -CNJ 2. Garantir a disponibilidade dos sistemas C essenciais ao Judiciário 3. Buscar a Excelência na Gestão C 4. Promover a Segurança da Informação - TRE-RS 5. Garantir a infraestrutura C apropriada às atividades judiciais e administrativas 6. Gerenciar serviços, conforme boas práticas da ITIL 7. Aumentar a disponibilidade da infraestrutura 8. Promover a cultura da Inovação 9. Consolidar o gerenciamento de Projetos 10. Aperfeiçoar a Governança TRE-RS - PEI 11. Garantir a infraestrutura apropriada às atividades institucionais 12. Aprimorar a comunicação interna 13. Garantir a agilidade nos trâmites judiciais e administrativos

15 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS INICIATIVAS Aprimorar o processo eleitoral 15 Prestar serviços de excelência FATOR CRÍTICO DE SUCESSO DO DIAGNÓCO 16. Adequar as estruturas dos cartórios às necessidades da biometria considerando o JEP 17. Implementar um macroprocesso de governança de TI, com efetiva participação do Comitê 18. Ampliar a possibilidade de transmissão de resultados da Eleição 19. Implantar o Processo Judicial Eletrônico 20. Promover a melhoria contínua das ferramentas internas de comunicação 21. Viabilizar a gravação e transmissão de eventos 22. Implantar um Help Desk com adoção formal de processos de gestão de incidentes e problemas 23. Implantar uma estrutura de armazenamento de dados mais tolerante a falhas 24. Implantar um segundo datacenter 25. Implementar um novo backbone secundário 26. Consolidar o gerenciamento de projetos na 27. Formalizar o processo de desenvolvimento de software

16 PORTIFÓLIO DE INDICADORES Nº Indicador Descrição Fórmula de Cálculo I - 1.1a I - 1.1b I - 1.1c I - 1.1d I - 1.2a I - 1.2b I - 1.2c I - 1.3a I - 1.3b Índice de satisfação dos usuários com equipamentos Índice de satisfação dos usuários com sistemas Índice de satisfação dos usuários com o atendimento do Help Desk Percentual de desktops gerenciados por sistema centralizado Percentual de incidentes com atendimento iniciado em até 15 minutos Percentual dos serviços atendidos pelo Help Desk Percentual de incidentes solucionados conforme Níveis de Acordo dos Serviços (NAS) estabelecidos Maturidade do processo de gestão de catálogo Maturidade do processo de gestão de acesso Mensurar, anualmente, via instrumento de pesquisa junto aos usuários, os seus níveis de satisfação com os equipamentos disponibilizados pela. Mensurar, anualmente, via instrumento de pesquisa junto aos usuários, os seus níveis de satisfação com os sistemas disponibilizados pela. Mensurar, semestralmente, via instrumento de pesquisa junto aos usuários do serviço, os níveis de satisfação com o atendimento do Help Desk. Mensurar, anualmente, o grau de automatização do gerenciamento de desktops tendo em vista o aperfeiçoamento do controle e distribuição dos equipamentos. Mensurar, mensalmente, a evolução do índice de atendimento inicial de chamados / incidentes que estão dentro da meta de tempo estabelecida. Mensurar, mensalmente, a evolução do nº de atendimentos do Help Desk em relação ao total de atendimentos realizados pela. Mensurar, mensalmente, a evolução da conformidade dos incidentes solucionados de acordo com os Níveis de Acordo de Serviços estabelecidos. Mensurar, anualmente, o nível de maturidade na implantação das práticas existentes nos modelos de referência da ITIL em cada um dos processos, Nº de usuários muito satisfeitos ou satisfeitos / nº de usuários avaliados 100 Nº de usuários muito satisfeitos ou satisfeitos / nº de usuários avaliados 100 Nº de usuários muito satisfeitos ou satisfeitos / nº de usuários avaliados 100 Nº de desktops inseridos no sistema de gerenciamento / nº de desktops total 100 Nº de atendimentos iniciados em até 15 minutos / nº de atendimentos de incidentes totais 100 Nº de atendimentos realizados via Help Desk / nº total de atendimentos 100 Nº de incidentes solucionados conforme o NAS / nº total de incidentes 100 Índice de Maturidade: 0) Incompleto. O processo não é implementado ou falha em atingir seu propósito.

17 Nº Indicador Descrição Fórmula de Cálculo I - 1.3c I - 1.3d I - 1.3e I - 1.3f I - 1.3g I - 1.3h I - 1.3i I - 1.3j I - 1.3l I - 1.3m I - 1.3n I - 1.3o Maturidade do processo de gerenciamento de incidentes Maturidade do processo de gestão de eventos Maturidade do processo de gerenciamento de problemas Maturidade do processo de gerenciamento da configuração Maturidade do processo de gerenciamento de mudanças Maturidade do processo de gerenciamento de liberação e implantação Maturidade do processo de gestão de disponibilidade Maturidade de gestão de capacidade Maturidade do processo de cumprimento de requisição Maturidade do processo de gestão de fornecedores Maturidade do processo de gestão de continuidade de serviços Maturidade do processo de gestão de nível de serviço bem como a sua evolução durante o período estabelecido pelo PDTI. I 1.3p Número de processos ITIL modelados Contabilizar o número de processos ITIL, listados no PDTI entre o item 1.3a e 1.3o, com processo mapeado I - 2.1a Número de horas de participação em eventos de atualização e desenvolvimento profissional Mensurar, anualmente, o cumprimento da meta estabelecida em horas de participação dos servidores da em eventos de atualização profissional 1) Inicial. O processo é caracterizado como sendo imprevisível e ocasionalmente caótico. Poucas etapas são definidas e o sucesso depende de esforços individuais e, muitas vezes, heróicos. 2) Gerenciado. O processo atinge seu propósito conforme esperado. 3) Definido. Há um padrão formalmente definido e cumprido para o processo. 4) Quantitativamente Gerenciado. Métricas detalhadas dos processos são coletadas e monitoradas. 5) Em otimização. A melhoria contínua do processo é estabelecida por meio de sua avaliação quantitativa, e da implantação planejada e controlada de tecnologias e idéias inovadoras. Fonte: Nº total de processos ITIL com mapeamento publicado Nº total de horas dos eventos de atualização profissional em que servidores da participaram. I - 2.1b Número de servidores da que Mensurar, anualmente, o cumprimento da meta Nº total de servidores da que participaram em eventos

18 Nº Indicador Descrição Fórmula de Cálculo I - 3.1a participaram em eventos de atualização e desenvolvimento profissional EP formalizado estabelecida na quantidade de servidores que participaram em eventos de atualização profissional Formalização do EP, conforme definido na criação do Escritório de Projetos Corporativo de atualização profissional. Verificação do cumprimento do rito de formalização I - 3.1b I - 4.1a I - 4.1b I - 4.1c I - 4.2a I - 4.2b I - 4.2c Percentual de projetos executados dentro do escopo, tempo e custo definidos Percentual de disponibilidade de serviços mantidos pelo TRE-RS (conjunto definido pelo Comitê ) Percentual de disponibilidade de serviços essenciais (definidos pelo PEI) Percentual de cumprimento do NAS (Níveis de Acordo de Serviços) de disponibilidade dos sistemas Implantação de redundância da storage principal Implantação de um segundo datacenter Mensurar, anualmente, a evolução da qualidade e precisão dos planejamentos desenvolvidos nos projetos executados pela. Considera sempre o último plano de projeto aprovado, mesmo que tenha sido revisado ao longo da execução. O novo plano só não é considerado ser for produzido após a data prevista para a conclusão do projeto no último plano considerado. Mensurar, mensalmente, o cumprimento da meta estabelecida de disponibilidade dos serviços mantidos pelo TRE-RS definidos pelo Comitê. Mensurar, mensalmente, o cumprimento da meta estabelecida de disponibilidade dos serviços definidos pelo PEI. Mensurar, mensalmente, o cumprimento da meta estabelecida pelo NAS de disponibilidade dos sistemas. Adquirir, instalar e configurar dispositivo de storage que trabalhe de forma redundante com a storage principal, fazendo com que a falha de um dos equipamentos não gere indisponibilidade, tampouco perda, de dados. Criar ambiente composto por racks, climatização, alimentação e proteção física para armazenar equipamentos de rede capazes de permitir o armazenamento redundante de dados em local diverso do datacenter principal e a ativação dos principais serviços no caso de falha grave no site principal. Nº de projetos executados dentro do escopo, tempo e custo / nº total de projetos 100 Tempo em horas de disponibilidade dos serviços / (24h 30) 100 Tempo em horas de disponibilidade dos serviços / (24h 30) 100 Tempo de disponibilidade dos sistemas / tempo de disponibilidade estabelecido no NAS 100 Redundância da Storage implantada Segundo Datacenter implantado com controle de acesso, alimentação e refrigeração adequados. Percentual das zonas com conexão de pelo Mensurar o cumprimento da meta de 2Mbps de conexão Nº de Fóruns Eleitorais com 2Mbps / 142 Fóruns

19 Nº Indicador Descrição Fórmula de Cálculo I - 4.2d I - 4.3b I - 4.3c I - 5.1a I - 5.1c I - 5.1d I - 6.1a I - 6.1b I - 6.1c I - 7.1a menos 2Mbps com a Internet nas Zonas Eleitorais. Eleitorais do Interior 100 Rede do TRE preparada para conexão de dispositivos móveis à rede interna Percentual de máquinas das Secretarias do TRE com o Windows 7 instalado Percentual de zonas eleitorais com todas as máquinas migradas para o Windows 7 Percentual de contratos de aquisição segundo processo de planejamento aderente à Resolução 182/2013 do CNJ Norma própria publicada para aquisições no TRE-RS Norma própria publicada para gestão de contratos no TRE-RS Índice de satisfação dos usuários com os canais virtuais de comunicação interna do TRE Estúdio de gravação e transmissão multimídia criado Nova versão do sistema Crono implantada Percentual de transmissão remota do BU de seções cujo tempo médio de recebimento superou 3h nas 02 últimas eleições Mensurar o cumprimento da meta estabelecida de preparação da infraestrutura de rede do TRE-RS para implantação dos serviços de conexão de dispositivos móveis à rede interna. Mensurar, mensalmente, a evolução do nº de máquinas das Secretarias com o Windows 7 instalado. Mensurar, mensalmente, a evolução do nº de zonas eleitorais com todas as máquinas migradas para o Windows 7. Mensurar, anualmente, a evolução do nível de aderência à Resolução 182 dos contratos do TRE-RS. Mensurar o cumprimento da meta estabelecida de publicação da Norma do TRE-RS para aquisições. Mensurar o cumprimento da meta estabelecida de publicação da Norma do TRE-RS para gestão de contratos. Mensurar, anualmente, o nível de satisfação dos usuários do TRE-RS com os canais virtuais de comunicação interna do TRE-RS disponibilizados pela. Mensurar o cumprimento da meta de criação e instalação do estúdio multimídia. Mensurar o cumprimento da meta de implantação da nova versão do Crono. Mensurar a redução do tempo de transmissão remota do BU em locais de difícil acesso cujo o tempo de recebimento superou 3h nas duas últimas eleições. Infraestrutura de rede do TRE-RS instalada e adequada. Nº de máquinas das secretarias do TRE-RS com windows 7 instalados / nº total de máquinas das secretarias do TRE- RS 100 Nº de zonas eleitorais com windows 7 instalados em todas as máquinas / 173 zonas 100 Nº de contratações aderentes à Res. 182 / nº total de contratos 100 Norma para aquisições do TRE-RS publicada. Norma para gestão de contratos do TRE-RS publicada. Nº de usuários muito satisfeitos ou satisfeitos / nº total de usuários 100 Estúdio de gravação e transmissão multimídia criado e instalado Nova versão do sistema Crono implantada Nº de pontos de transmissão em seções instalados para seções com tempo médico de recebimento de Bus com 3h nas duas últimas eleições / Nº total de seções com tempo médico de recebimento de BUs com 3h nas duas últimas eleições 100

20 Nº Indicador Descrição Fórmula de Cálculo I - 7.3a I - 7.3b I 7.4a I - 8.1a I - 8.1b I - 8.1c I - 8.1d I - 8.1e I - 8.1f Percentual de zonas eleitorais biométricas com 02 notebooks Número de zonas eleitorais com kit biométrico instalado Número de aplicações de BI implementadas Macroprocesso de governança formalizado Política de Gestão de riscos relacionados aos objetivos de gestão e uso corporativo formalizada Percentual de Sistemas de informação do TRE-RS com gestores formalmente designados Maturidade do Processo de desenvolvimento de software Maturidade do Processo de Governança Orçamentária Maturidade do Processo de Governança de Contratações Acompanhar o cumprimento da meta estabelecida de disponibilização de 02 notebooks para cada Zona Eleitoral Biométrica. Acompanhar o cumprimento da meta estabelecida de Kits biométricos instalados nas Zonas Eleitorais. Contabiliza o número total de aplicações baseadas em BI implementadas no TRE. Considera-se aplicação um conjunto de elementos de pesquisa baseados em um conjunto de dados correspondente a determinado processo de trabalho do TRE. A contabilização é anual e considera todas as aplicações em uso, inclusive as implementadas em exercícios anteriores. Verificar o cumprimento da meta estabelecida quanto a formalização do macroprocesso de governança com vistas a garantir a sua continuidade. Verificar o cumprimento da meta estabelecida de aprovação e formalização da Política de Gestão de Riscos pelo Comitê Mensurar, mensalmente, a evolução da designação formal de gestores dos sistemas de informação do TRE- RS. Mensurar, anualmente, o nível de maturidade na implantação das práticas existentes nos modelos de referência de desenvolvimento de softwares, processo de governança orçamentária, governança de contratações e demandas, bem como sua evolução durante o período. Nº de zonas eleitorais biométricas com 02 notebooks/nº de zonas biométricas 100 Nº de zonas eleitorais com os Kits biométricos instalados Nº de aplicações de BI implementadas Resolução de formalização do macroprocesso de governança aprovada Resolução da formalização da política de gestão de riscos e uso corporativo aprovada Nº de sistemas de informação com gestores formalmente designados / nº total de sistemas de informação 100 Índice de Maturidade: 0) Incompleto. O processo não é implementado ou falha em atingir seu propósito. 1) Inicial. O processo é caracterizado como sendo imprevisível e ocasionalmente caótico. Poucas etapas são definidas e o sucesso depende de esforços individuais e, muitas vezes, heróicos. 2) Gerenciado. O processo atinge seu propósito conforme esperado. 3) Definido. Há um padrão formalmente definido e

21 Nº Indicador Descrição Fórmula de Cálculo I - 8.1g I 8.1h I - 8.2a I - 8.3a I - 9.1a Maturidade do Processo de Governança de Demandas IgovTI Percentual de Atendimento das metas do PDTI Número de reuniões ordinárias anuais do Comitê Análise e avaliação de riscos dos principais processos do TRE-RS Indicador de maturidade de governança baseado no questionário do TCU Acompanhar, anualmente, a evolução do cumprimento das metas estabelecidas pelo PDTI e a efetividade do Plano. Acompanhar o funcionamento efetivo do Comitê, segundo a meta mínima de reuniões estabelecida. Acompanhar a evolução do trabalho de mapeamento, análise e avaliação dos riscos dos principais processos do TRE-RS cumprido para o processo. 4) Quantitativamente Gerenciado. Métricas detalhadas dos processos são coletadas e monitoradas. 5) Em otimização. A melhoria contínua do processo é estabelecida por meio de sua avaliação quantitativa, e da implantação planejada e controlada de tecnologias e idéias inovadoras. Fonte: planilha de cálculo derivada do questionário 2012 submetido pelo TCU a entes da Administração Pública Federal. O indicador acompanhará alterações eventualmente feitas pelo TCU no questionário ou método de cálculo. A planilha está disponível em LS Metas do PDTI atendidas / Total de metas do PDTI 100 Número de reuniões ordinárias anuais do Comitê Análise e avaliação dos riscos realizada.

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03 PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03 RELATÓRIO TÉCNICO CONCLUSIVO

Leia mais

PLANO DE TRABALHO RESOLUÇÃO Nº 90 DE 2009 DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA

PLANO DE TRABALHO RESOLUÇÃO Nº 90 DE 2009 DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA PLANO DE TRABALHO RESOLUÇÃO Nº 90 DE 2009 DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA Estrutura: 1. Método de elaboração deste Plano de Trabalho e do respectivo Cronograma. 2. Cronograma. 3. Detalhamento das atividades

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 16/07/2014 11:10:14 Endereço IP: 200.139.16.10 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS PAINEL DE ES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS 2014 SOCIEDADE: Prestar serviços de excelência 1 Índice de respostas a contatos dirigidos à Ouvidoria Mede o percentual de contatos dirigidos à Ouvidoria que receberam

Leia mais

2ª RAE 2013 ANÁLISE DA ESTRATÉGIA DE TI

2ª RAE 2013 ANÁLISE DA ESTRATÉGIA DE TI 2ª RAE 2013 A tecnologia da informação é o coração da administração pública, podendo fazê-la parar ou avançar (Ministro Augusto Shermann Cavalcanti, TCU) Agenda Revisão da 1ª RAE Medição Desempenho TI

Leia mais

ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E METAS

ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E METAS ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E S 31 MATRIZ DE INDICADORES e S Indicador 1 - Visão Visão: Ser reconhecido como um dos 10 Regionais mais céleres e eficientes na prestação jurisdicional, sendo considerado

Leia mais

PORTARIA CADE Nº 88, DE 12 DE ABRIL DE 2016.

PORTARIA CADE Nº 88, DE 12 DE ABRIL DE 2016. Boletim de Serviço Eletrônico em 13/04/2016 Ministério da Justiça MJ Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE SEPN 515 Conjunto D, Lote 4 Ed. Carlos Taurisano, 1º andar Bairro Asa Norte, Brasília/DF,

Leia mais

CÓPIA MINISTÉRIO DA FAZENDA Conselho Administrativo de Recursos Fiscais

CÓPIA MINISTÉRIO DA FAZENDA Conselho Administrativo de Recursos Fiscais Fl. 2 MINISTÉRIO DA FAZENDA Conselho Administrativo de Recursos Fiscais PORTARIA CARF Nº 64, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2015. Dispõe sobre a Política de Gestão de Riscos do Conselho Administrativo de Recursos

Leia mais

Portaria nº 111, de 23 de janeiro de 2014.

Portaria nº 111, de 23 de janeiro de 2014. PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO Portaria nº 111, de 23 de janeiro de 2014. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO, no uso de suas atribuições

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 20/05/2016 17:15:31 Endereço IP: 201.76.165.227

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 18/05/2016 16:38:00 Endereço IP: 200.198.193.162

Leia mais

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS PAINEL DE ES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS 2014 SOCIEDADE: Prestar serviços de excelência 1 Índice de respostas a contatos dirigidos à Ouvidoria Mede o percentual de contatos dirigidos à Ouvidoria que receberam

Leia mais

CETI Comitê Executivo de Tecnologia da Informação

CETI Comitê Executivo de Tecnologia da Informação CETI Comitê Executivo de Tecnologia da Informação CETI Comitê Executivo de Tecnologia da Informação O que é um comitê de TI? Porque devemos ter? O comitê do MinC Atribuições Composição Agenda Ratificação

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO INTEGRADA DO MINISTÉRIO DA FAZENDA - PMIMF MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA ATORES DA REDE DE INOVAÇÃO 2 O MODELO CONTEMPLA: Premissas e diretrizes de implementação Modelo

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO DG/DSCI N. 1, DE 09 DE JANEIRO DE 2015

ORDEM DE SERVIÇO DG/DSCI N. 1, DE 09 DE JANEIRO DE 2015 TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO ORDEM DE SERVIÇO DG/DSCI N. 1, DE 09 DE JANEIRO DE 2015 Institui os Processos de Trabalho de Tecnologia da Informação (PTTI) nas rotinas atinentes às Diretorias

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC

Planejamento Estratégico de TIC Planejamento Estratégico de TIC Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe 2015 a 2020 Versão 1.0 Índice 1. Apresentação 2. Organograma da SETECI 3. Planejamento Estratégico do TJSE 4. Mapa Estratégico do

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2783 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO DE SELEÇÃO - EDITAL Nº

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2783 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO DE SELEÇÃO - EDITAL Nº Impresso por: ANGELO LUIS MEDEIROS MORAIS Data da impressão: 21/11/2013-18:05:16 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2783 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO

Leia mais

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE Questionamento a alta direção: 1. Quais os objetivos e metas da organização? 2. quais os principais Produtos e/ou serviços da organização? 3. Qual o escopo da certificação? 4. qual é a Visão e Missão?

Leia mais

A ESTRATÉGIA DO TRT-3ª REGIÃO

A ESTRATÉGIA DO TRT-3ª REGIÃO A ESTRATÉGIA DO TRT-3ª REGIÃO Plano Plurianual 2010-2014 Considerando o caráter dinâmico do processo de planejamento estratégico, o monitoramento e as revisões periódicas vêm auxiliar a Administração,

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO - PGR

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO - PGR POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO - PGR DATASUS Maio 2013 Arquivo: Política de Gestão de Riscos Modelo: DOC-PGR Pág.: 1/12 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO...3 1.1. Justificativa...3 1.2. Objetivo...3 1.3. Aplicabilidade...4

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 11/06/2014 13:47:32 Endereço IP: 200.253.113.2 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

P4-MPS.BR - Prova de Conhecimento do Processo de Aquisição do MPS.BR

P4-MPS.BR - Prova de Conhecimento do Processo de Aquisição do MPS.BR Data: 6 de Dezembro de 2011 Horário: 13:00 às 17:00 horas (hora de Brasília) Nome: e-mail: Nota: INSTRUÇÕES Você deve responder a todas as questões. O total máximo de pontos da prova é de 100 pontos (100%),

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

CobiT. MBA em Sistemas de Informação. Conteúdo. 1. Sumário Executivo. 2. Estrutura. 3. Objetivos de Controle. 4. Diretrizes de Gerenciamento

CobiT. MBA em Sistemas de Informação. Conteúdo. 1. Sumário Executivo. 2. Estrutura. 3. Objetivos de Controle. 4. Diretrizes de Gerenciamento MBA em Sistemas de Informação CobiT Conteúdo 1. Sumário Executivo 2. Estrutura 3. Objetivos de Controle 4. Diretrizes de Gerenciamento 5. Modelo de Maturidade 6. Guia de Certificação de TI 7. Implementação

Leia mais

PORTARIA Nº 992, DE 8 DE SETEMBRO DE 2004

PORTARIA Nº 992, DE 8 DE SETEMBRO DE 2004 PORTARIA Nº 992, DE 8 DE SETEMBRO DE 2004 O Ministro da Previdência Social, no uso de sua competência estabelecida no art. 87 da Constituição Federal e considerando o disposto no art. 23 da Lei nº 8.159,

Leia mais

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Dezembro/2010 2 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Missão: Prover soluções efetivas de tecnologia

Leia mais

DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CAPÍTULO I DA DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E SEUS FINS

DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CAPÍTULO I DA DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E SEUS FINS DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CAPÍTULO I DA DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E SEUS FINS Art. 1º A Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação da Universidade Federal

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE AUDITORIA APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO 3 II OBJETO

Leia mais

POLÍTICA DE CONTINUIDADE DE NEGÓCIOS

POLÍTICA DE CONTINUIDADE DE NEGÓCIOS Classificação das Informações 5/5/2015 Confidencial [ ] Uso Interno [ X ] Uso Público ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIA... 3 4 CONCEITOS... 3 5 DIRETRIZES... 4 6 RESPONSABILIDADES...

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E DAS COMUNICAÇÕES

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E DAS COMUNICAÇÕES MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E DAS COMUNICAÇÕES PRINCÍPIOS E DIRETRIZES JUNHO, 2013. Sumário 1. POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DE SEGURANÇA DA

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais, PORTARIA TRT/GP/DGCA Nº 51/2016 Define a Política de Gerenciamento de Incidentes de Segurança da Informação do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 24/05/2016 12:51:35 Endereço IP: 187.4.152.90 Designação

Leia mais

Gestão e estratégia de TI Conhecimento do negócio aliado à excelência em serviços de tecnologia

Gestão e estratégia de TI Conhecimento do negócio aliado à excelência em serviços de tecnologia Gestão e estratégia de TI Conhecimento do negócio aliado à excelência em serviços de tecnologia Desafios a serem superados Nos últimos anos, executivos de Tecnologia de Informação (TI) esforçaram-se em

Leia mais

6. Resultados obtidos

6. Resultados obtidos 6. Resultados obtidos 6.1 O Balanced corecard final Utilizando a metodologia descrita no capítulo 5, foi desenvolvido o Balanced corecard da Calçados yrabel Ltda. Para facilitar o entendimento deste trabalho,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES DESENHO DE SERVIÇO Este estágio do ciclo de vida tem como foco o desenho e a criação de serviços de TI cujo propósito será realizar a estratégia concebida anteriormente. Através do uso das práticas, processos

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

PORTARIA Nº 2.050, DE 22 DE ABRIL DE 2016.

PORTARIA Nº 2.050, DE 22 DE ABRIL DE 2016. PORTARIA Nº 2.050, DE 22 DE ABRIL DE 2016. Inclui o Anexo 10 da Portaria nº 4.772/2008, a qual institui a Política de Segurança da Informação no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região. A

Leia mais

Avaliação dos Resultados do Planejamento de TI anterior

Avaliação dos Resultados do Planejamento de TI anterior Avaliação dos Resultados do Planejamento de TI anterior O PDTI 2014 / 2015 contém um conjunto de necessidades, que se desdobram em metas e ações. As necessidades elencadas naquele documento foram agrupadas

Leia mais

ATO Nº 31/2014. CONSIDERANDO a implementação do sistema eletrônico de gestão integrada da área administrativa, denominado sistema E-mpac,

ATO Nº 31/2014. CONSIDERANDO a implementação do sistema eletrônico de gestão integrada da área administrativa, denominado sistema E-mpac, ATO Nº 31/2014 Dispõe sobre a gestão de processos no âmbito do Ministério Público do Estado do Acre ACRE, no uso de suas atribuições legais, O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CONSIDERANDO a execução

Leia mais

Conceitos Básicos de Rede. Um manual para empresas com até 75 computadores

Conceitos Básicos de Rede. Um manual para empresas com até 75 computadores Conceitos Básicos de Rede Um manual para empresas com até 75 computadores 1 Conceitos Básicos de Rede Conceitos Básicos de Rede... 1 A Função de Uma Rede... 1 Introdução às Redes... 2 Mais Conceitos Básicos

Leia mais

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO ADMINISTRATIVO E TECNOLÓGICO CONSELHO DIRETOR

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO ADMINISTRATIVO E TECNOLÓGICO CONSELHO DIRETOR PROGRAMA DESENVOLVIMENTO ADMINISTRATIVO E TECNOLÓGICO CONSELHO DIRETOR TERMO DE ABERTURA Preparado por: Cláudio França de Araújo Gestor do Programa CD Aprovado por: Ricardo Antônio de Arruda Veiga Representante

Leia mais

192 É objetivo da política da informação assegurar a interoperabilidade entre os sistemas de segurança da informação.

192 É objetivo da política da informação assegurar a interoperabilidade entre os sistemas de segurança da informação. Bateria Licitações e Contratos Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com/blog http://twitter.com/timasters http://br.groups.yahoo.com/group/timasters/ CESPE/TCU2007 A necessidade de implementação de

Leia mais

D E S P A C H O. Alinhamento Estratégico:

D E S P A C H O. Alinhamento Estratégico: D E S P A C H O Em atendimento ao solicitado às fls. 30 do referido processo, encaminhamos abaixo, as razões comprobatórias de vantajosidade da contratação pretendida. Alinhamento Estratégico: O elevado

Leia mais

Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência

Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência Introdução O panorama que se descortina para os próximos anos revela um quadro de grandes desafios para as empresas. Fatores como novas exigências dos

Leia mais

Universidade Federal de Santa Maria Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares Hospital Universitário de Santa Maria

Universidade Federal de Santa Maria Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares Hospital Universitário de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares Hospital Universitário de Santa Maria Relatório de Atividades UNIDADE DE PATRIMÔNIO 2015 1 COLEGIADO EXECUTIVO EBSERH/HUSM

Leia mais

PORTARIA Nº 234, DE 30 DE JULHO DE 2015.

PORTARIA Nº 234, DE 30 DE JULHO DE 2015. PORTARIA Nº 234, DE 30 DE JULHO DE 2015. Define a Política de Segurança da Informação do Instituto de Previdência Social do Município de Betim. O Diretor-Executivo do Instituto de Previdência Social do

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 4, 19 de maio de 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 4, 19 de maio de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 4, 19 de maio de 2008. Dispõe sobre o processo de contratação de serviços de Tecnologia da Informação pela Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional. O SECRETÁRIO

Leia mais

Departamento de Dermatologia da Universidade Federal de São Paulo Núcleo detecnologia da Informação (NUTI)

Departamento de Dermatologia da Universidade Federal de São Paulo Núcleo detecnologia da Informação (NUTI) Departamento de Dermatologia da Universidade Federal de São Paulo Núcleo detecnologia da Informação (NUTI) Coordenador: Paulo Celso Budri Freire Aprovada pelo Conselho do Departamento de Dermatologia da

Leia mais

1. LICENCIAMENTO 2. SUPORTE TÉCNICO

1. LICENCIAMENTO 2. SUPORTE TÉCNICO 1. LICENCIAMENTO 1.1. Todos os componentes da solução devem estar licenciados em nome da CONTRATANTE pelo período de 36 (trinta e seis) meses; 1.2. A solução deve prover suporte técnico 8 (oito) horas

Leia mais

Ato da Mesa Nº 47, DE 16 DE JULHO DE 2012

Ato da Mesa Nº 47, DE 16 DE JULHO DE 2012 Ato da Mesa Nº 47, DE 16 DE JULHO DE 2012 Institui a Política de Segurança da Informação da Câmara dos Deputados e dá outras providências. A MESA DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, no uso de suas atribuições regimentais,

Leia mais

Considerando a necessidade de promover o efetivo acompanhamento dos contratos de materiais e serviços no âmbito da Administração Pública Estadual;

Considerando a necessidade de promover o efetivo acompanhamento dos contratos de materiais e serviços no âmbito da Administração Pública Estadual; INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 02/SEA - de 25/03/2013 Orienta quanto à utilização do Módulo de Gerenciamento de Contratos do Sistema Integrado de Planejamento e Gestão Fiscal do Estado de Santa Catarina SIGEF

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Comitê Gestor do SIBRATEC. Resolução Comitê Gestor SIBRATEC nº 003, de 9 de abril de 2008.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Comitê Gestor do SIBRATEC. Resolução Comitê Gestor SIBRATEC nº 003, de 9 de abril de 2008. MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Comitê Gestor do SIBRATEC Resolução Comitê Gestor SIBRATEC nº 003, de 9 de abril de 2008. Aprova o Regulamento do Sistema Brasileiro de Tecnologia. O Presidente do Comitê

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL PAPÉIS E RESPONSABILIDADES

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL PAPÉIS E RESPONSABILIDADES ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL O Conglomerado Prudencial Safra SAFRA, de acordo com as melhores práticas de mercado e integral atendimento à regulamentação, implementou a sua Estrutura

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TRIÊNIO /2015 DSI/CGU-PR Publicação - Internet 1 Sumário 1. RESULTADOS

Leia mais

CLEUSA REGINA HALFEN Presidente do TRT da 4ª Região/RS

CLEUSA REGINA HALFEN Presidente do TRT da 4ª Região/RS 1624/2014 Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região 2 A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições, e considerando o que consta no PA nº 0008096-80.2014.5.04.0000,

Leia mais

ATO Nº 233/2013. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 233/2013. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 233/2013 Institui a Política de Gerenciamento de Serviços de Tecnologia da Informação (TI) no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 4.799, DE 4 DE AGOSTO DE 2003. Dispõe sobre a comunicação de governo do Poder Executivo Federal e dá outras providências.

Leia mais

Plano de Segurança da Informação

Plano de Segurança da Informação Faculdade de Tecnologia Plano de Segurança da Informação Alunos: Anderson Mota, André Luiz Misael Bezerra Rodrigo Damasceno. GTI 5 Noturno Governança de tecnologia da informação Prof. Marcelo Faustino

Leia mais

Dispõe sobre a Gestão de Riscos e o Sistema de Controles Internos do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região.

Dispõe sobre a Gestão de Riscos e o Sistema de Controles Internos do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região. RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 087/2015 Dispõe sobre a Gestão de Riscos e o Sistema de Controles Internos do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região. CERTIFICO que o Tribunal Regional do Trabalho da 18ª

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO

Leia mais

Boas práticas, vedações e orientações para contratação de serviços de desenvolvimento e manutenção de software (Fábrica de Software)

Boas práticas, vedações e orientações para contratação de serviços de desenvolvimento e manutenção de software (Fábrica de Software) MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Tecnologia da Informação Departamento de Infraestrutura e Serviços de Tecnologia da Informação Departamento de Governança e Sistemas de Informação

Leia mais

VISÃO Ser reconhecido, junto à Instituição, pela qualidade de seus serviços e soluções de TIC - 1 -

VISÃO Ser reconhecido, junto à Instituição, pela qualidade de seus serviços e soluções de TIC - 1 - RECURSOS E PESSOAS PROCESSOS INTERNOS RESULTADOS / SOCIEDADE ANEXO I ( a que se refere o 1º do art. 1º da Resolução nº 732, de 14 de agosto de 2013) MISSÃO Prover soluções tecnológicas efetivas para que

Leia mais

CAPÍTULO 25 COERÊNCIA REGULATÓRIA

CAPÍTULO 25 COERÊNCIA REGULATÓRIA CAPÍTULO 25 COERÊNCIA REGULATÓRIA Artigo 25.1: Definições Para efeito deste Capítulo: medida regulatória coberta significa a medida regulatória determinada por cada Parte a ser objeto deste Capítulo nos

Leia mais

Outsourcing de TI Field Service

Outsourcing de TI Field Service Outsourcing de TI Field Service Metodologia de Solução As soluções ofertadas pela IT2B são desenvolvidas em compliance com as melhores práticas e metodologias de mercado, visando sempre o sucesso da operação

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais, PORTARIA TRT/GP/DGCA Nº 583/2011 Institui o Comitê Técnico Temático de Configuração e Ativos de Serviço - ctconf. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições

Leia mais

Marcelo Narvaes Fiadeiro Subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração

Marcelo Narvaes Fiadeiro Subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração Marta Suplicy Ministra da Cultura Ana Cristina Wanzeler Secretária-Executiva Marcelo Narvaes Fiadeiro Subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração Paulo Cesar Kluge Coordenador-Geral de Tecnologia

Leia mais

NOÇÕES DE GESTÃO PÚBLICA

NOÇÕES DE GESTÃO PÚBLICA WELTOM A. DE CARVALHO NOÇÕES DE GESTÃO PÚBLICA TEORIA 140 Questões Gabaritadas da FCC por Tópicos (2013 2004) A apostila abrange o conteúdo programático cobrado em alguns concursos púbicos, organizados

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL 1. INTRODUÇÃO: O Banco Pottencial, considera a gestão de riscos como um instrumento essencial para maximização da eficiência no uso do capital e para escolha

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 27/05/2016 11:27:56 Endereço IP: 200.139.21.10 Designação

Leia mais

<&0?24}66n& t.yyac 09itzca!& Xeatôpa>

<&0?24}66n& t.yyac 09itzca!& Xeatôpa> Poder Judiciário INSTRUÇÃO NORMATIVA 6 4 DE 7 DE ABRIL DE 2015 Dispõe sobre projetos institucionais no âmbito do Conselho Nacional de Justiça. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Proposição de Projeto

Proposição de Projeto Anexo II da Resolução Nº 06/CEG, de 10 de dezembro de 2014 Proposição de Projeto Programa de Modernização Integrada do Ministério da Fazenda - PMIMF Elaboração do Plano Diretor Inicial de Ocupação do Espaço

Leia mais

Política Gestão de Configuração e Mudança

Política Gestão de Configuração e Mudança Política Gestão de Configuração Histórico de Alteração Data Versão Descrição Autor 20/08/2011 1 Versão Inicial Danilo Costa Versão 1 Pág. 2 de 7 Índice 1. POLÍTICA 4 1.1 Aplicabilidade 4 2. CONCEITUAÇÃO

Leia mais

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL 1 SUMÁRIO DIAGNÓSTICO GERAL...3 1. PREMISSAS...3 2. CHECKLIST...4 3. ITENS NÃO PREVISTOS NO MODELO DE REFERÊNCIA...11 4. GLOSSÁRIO...13 2 DIAGNÓSTICO GERAL Este diagnóstico é

Leia mais

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, Institui a Política de Gerenciamento de Serviços de TI no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª. Região. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições

Leia mais

ITIL v3 - Operação de Serviço - Parte 1

ITIL v3 - Operação de Serviço - Parte 1 ITIL v3 - Operação de Serviço - Parte 1 É na Operação de Serviço que se coordena e realiza as atividades e processos necessários para fornecer e gerenciar serviços em níveis acordados com o usuário e clientes

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2013/2018

PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2013/2018 1 PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2013/2018 1. Introdução A Secretaria de Tecnologias da Informação e da Comunicação (STI) foi criada a partir da Resolução do Conselho Diretor n.º 44, de

Leia mais

3ª RAE 2013 ANÁLISE DA ESTRATÉGIA DE TI

3ª RAE 2013 ANÁLISE DA ESTRATÉGIA DE TI 3ª RAE 2013 A tecnologia da informação é o coração da administração pública, podendo fazê-la parar ou avançar (Ministro Augusto Shermann Cavalcanti, TCU) Agenda Revisão da 2ª RAE Medição Desempenho TI

Leia mais

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO PORTARIA Nº 1.242, DE 15 DE MAIO DE 2015

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO PORTARIA Nº 1.242, DE 15 DE MAIO DE 2015 CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO PORTARIA Nº 1.242, DE 15 DE MAIO DE 2015 Regulamenta a experiência-piloto do Programa de Gestão que permite o teletrabalho no âmbito da Controladoria-Geral da União. O MINISTRO

Leia mais

Dúvidas Freqüentes IMPLANTAÇÃO. 1- Como aderir à proposta AMQ?

Dúvidas Freqüentes IMPLANTAÇÃO. 1- Como aderir à proposta AMQ? Dúvidas Freqüentes IMPLANTAÇÃO 1- Como aderir à proposta AMQ? A adesão é realizada através do preenchimento e envio do Formulário de Cadastramento Municipal no site do projeto. O gestor municipal da saúde

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1. O Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia - NITTEC é um Órgão Executivo

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais, PORTARIA TRT/GP/DGCA Nº 293/2012 Define a Política de Gestão de Continuidade de Negócio do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região - PGCN-TRT24. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO DE PROVIDÊNCIAS INICIAIS Março/2014 V 1.1 REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO

Leia mais

Comitês do Banco BMG. Comitês Existentes

Comitês do Banco BMG. Comitês Existentes Comitês do Banco BMG Introdução Os Comitês representam coletivamente os interesses do Banco BMG, nos diversos segmentos de sua organização. É política do Banco BMG, manter o controle permanente de seus

Leia mais

PROPOSTA DE REGIMENTO INTERNO PARA O COMITÊ GESTOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (CTI)

PROPOSTA DE REGIMENTO INTERNO PARA O COMITÊ GESTOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (CTI) PROPOSTA DE REGIMENTO INTERNO PARA O COMITÊ GESTOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (CTI) Abril/2013 CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA Art. 1º. O Comitê de Tecnologia da Informação CTI do Instituto Federal

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO RESPONSÁVEL E DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE INVESTIMENTO RESPONSÁVEL E DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL SUL AMÉRICA INVESTIMENTOS DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A POLÍTICA DE INVESTIMENTO RESPONSÁVEL E DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Índice: 1 OBJETIVO 2 2 CONCEITOS E DEFINIÇÕES 2 3

Leia mais

A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Norma de NBC T 12 para NBC TI 01.

A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Norma de NBC T 12 para NBC TI 01. A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Norma de NBC T 12 para NBC TI 01. RESOLUÇÃO CFC Nº 986/03 Aprova a NBC TI 01 Da Auditoria Interna. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE,

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

SEFAZ-PE DESENVOLVE NOVO PROCESSO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E FORTALECE OS PLANOS DA TI. Case de Sucesso

SEFAZ-PE DESENVOLVE NOVO PROCESSO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E FORTALECE OS PLANOS DA TI. Case de Sucesso SEFAZ-PE DESENVOLVE NOVO PROCESSO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E FORTALECE OS PLANOS DA TI PERFIL SEFAZ-PE Criada em 21 de setembro de 1891, pela Lei nº 6 sancionada pelo então Governador, o Desembargador José

Leia mais

Síntese do Projeto Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação PUC Minas/São Gabriel

Síntese do Projeto Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação PUC Minas/São Gabriel PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Instituto de Informática Síntese do Projeto Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação PUC Minas/São Gabriel Belo Horizonte - MG Outubro/2007 Síntese

Leia mais

Código: MAP-DILOG-005 Versão: 00 Data de Emissão: 01/12/2013

Código: MAP-DILOG-005 Versão: 00 Data de Emissão: 01/12/2013 Código: MAP-DILOG-005 Versão: 00 Data de Emissão: 01/12/2013 Elaborado por: Gerência de Instalações Aprovado por: Diretoria de Logística 1 OBJETIVO Estabelecer os critérios e os procedimentos para o planejamento,

Leia mais

Governança de TI com foco no PDTI Caso UFSC

Governança de TI com foco no PDTI Caso UFSC 2015 1 Governança de TI com foco no PDTI Caso UFSC Edison Tadeu Lopes Melo edison.melo@ufsc.br UFSC Agenda 2 A UFSC em números PDTI 2013/2015 O que é o PDTI Referencial Estratégico e Diretrizes Diagnóstico

Leia mais

1. Serviços SAP Business Transformation and Plan Os serviços SAP Business Transformation and Plan atualmente incluem:

1. Serviços SAP Business Transformation and Plan Os serviços SAP Business Transformation and Plan atualmente incluem: Descrição de Serviços Serviços Business Transformation and Plan O SAP Business Transformation and Plan é um serviço de consultoria e prototipagem para promover a inovação e transformação da Licenciada

Leia mais

PERGUNTA: [...] 1. Entendemos que a abrangência do trabalho deve considerar os seguintes órgãos do MEC:

PERGUNTA: [...] 1. Entendemos que a abrangência do trabalho deve considerar os seguintes órgãos do MEC: ESCLARECIMENTO II AOS INTERESSADOS. Brasília, 24 de outubro de 2008. REFERÊNCIA: PREGÃO 45/2008 Proc. nº: 23000.011534/2008-22 ASSUNTO: Respostas aos Questionamentos. Prezados Senhores interessados, Em

Leia mais

O Banco Central do Brasil em 29/06/2006 editou a Resolução 3380, com vista a implementação da Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional.

O Banco Central do Brasil em 29/06/2006 editou a Resolução 3380, com vista a implementação da Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional. 1 POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL 1.1 Introdução O Banco Central do Brasil em 29/06/2006 editou a Resolução 3380, com vista a implementação da Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional.

Leia mais

Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto: mps Br melhoria de processo do software Brasileiro

Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto: mps Br melhoria de processo do software Brasileiro Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Realidade das Empresas Brasileiras ISO/IEC 12207 ISO/IEC 15504 CMMI Softex Governo Universidades Modelo de Referência para

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO

Leia mais

Gledson Pompeu 1. Cenário de TI nas organizações. ITIL IT Infrastructure Library. A solução, segundo o ITIL

Gledson Pompeu 1. Cenário de TI nas organizações. ITIL IT Infrastructure Library. A solução, segundo o ITIL Cenário de TI nas organizações Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Referência: An Introductory Overview of ITIL v2 Livros ITIL v2 Aumento da dependência da TI para alcance

Leia mais