Apresentação Institucional Janeiro de 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apresentação Institucional Janeiro de 2011"

Transcrição

1 Apresentação Institucional Janeiro de 2011

2 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas da direção da MRV Engenharia ( MRV ou Companhia ). As palavras "antecipa", "acredita", "espera", "prevê", "pretende", "planeja", "estima", "projeta", "objetiva" e similares são declarações prospectivas. Embora acreditemos que essas declarações prospectivas se baseiem em pressupostos razoáveis, essas declarações estão sujeitas a vários riscos e incertezas, e são feitas levando em conta as informações às quais a MRV Engenharia atualmente tem acesso. A MRV Engenharia não se obriga a atualizar esta apresentação mediante novas informações e/ou acontecimentos futuros. A MRV Engenharia não se responsabiliza por operações ou decisões de investimento tomadas com base nas informações contidas nesta apresentação. Esta apresentação não constitui uma oferta, ou convite, ou solicitação para compra de ações ou qualquer outro ativo mobiliário da Companhia. Nem esta apresentação ou qualquer informação aqui contida deve servir de base para qualquer contrato ou compromisso. Os dados de mercado e informações sobre dados competitivos, incluindo projeções de mercado, utilizados nesta apresentação foram obtidos através de pesquisas internas, externas, documentos públicos e dados de mercado. Apesar de não termos nenhuma razão para acreditar que estes dados não sejam confiáveis, a MRV não efetuou procedimentos independentes visando verificar dados competitivos, participação de mercado, tamanho do mercado, crescimento da indústria e do mercado ou qualquer outro dado fornecido por terceiros ou publicações. A MRV não fornece qualquer representação quanto à estes dados estarem corretos. O EBITDA, de acordo com o Oficio Circular CVM 1/2007, pode ser definido como lucros antes das receitas (despesas) financeiras líquidas, imposto de renda e contribuição social, depreciação e amortização e resultados não operacionais. O EBITDA é utilizado como uma medida de desempenho pela administração da Companhia e não é uma medida adotada pelas Práticas Contábeis Brasileiras ou Americanas, não representa o fluxo de caixa para os períodos apresentados e não deve ser considerado como um substituto para o lucro líquido, como indicador do desempenho operacional da MRV ou como substituto para o fluxo de caixa, nem tampouco como indicador de liquidez. A administração da MRV acredita que o EBITDA é uma medida prática para aferir seu desempenho operacional e permitir uma comparação com outras companhias do mesmo segmento. Entretanto, ressalta-se que o EBITDA não é uma medida estabelecida de acordo com os Princípios Contábeis Brasileiros (Legislação Societária ou BR GAAP) ou Princípios Contábeis Norte- Americanos (US GAAP) e pode ser definido e calculado de maneira diversa por outras companhias. 2

3 Estrutura Acionária O freefloatrepresenta mais de 63% do capital total Novo Mercado, o mais alto nível de Governança Corporativa Rubens Menin T. de Souza 31,7% BM&FBovespa Novo Mercado: MRVE3 ADR OTCQX : MRVNY Free Float 63,1% Executivos e Membros do Conselho 5,2% ações ordinárias 3

4 O momento da economia brasileira é muito positivo EUA Espanha Chile México Brasil Crédito Imobiliário Participação do Crédito Imobiliário no PIB (%) 100,0 60,0 15,0 11,0 2,9 4,3% 2,7% 1,3% 1,1% 4,5% Crescimento PIB Real (% a.a) Boletim Focus Out/2010 5,6% 5,7% 4,0% 3,2% Salário Real 4,9% 7,5% 5,7% 5,1% 3,9% -0,2% 7,6% 4,5% * 2011* 6,2% 5,3% Faixas de renda Aumento da demanda futura em função do crescimento econômico (milhões de pessoas) E D C A/B 1,5% Fonte : Valor Econômico, Dez/ * 2011* Fonte : Revisa Exame 28/07/2010 Crescimento independente de programa de Governo 4

5 Perspectivas da Economia Brasileira - População por Faixa Etária Idade Idade Idade Homens População Mulheres 0 Homens Populaçao Mulheres 0 Homens População Mulheres 121 milhões 174 milhões 209 milhões Faixa Etária % # mm Faixa Etária % # mm Faixa Etária % # mm Fonte: IBGE Nota: Estimativas incertas e sujeitas a mudanças. Legenda Força de Trabalho 5

6 Minha Casa, Minha Vida ( MCMV ) Unidades (mil) financiadas pelo FGTS + SPBE (Poupança) Taxas de Juros e de Inflação SBPE FGTS 30% 25% 20% 15% TR 12M IPCA 12M SELIC 12M INCC 12M % % 0% dez-02 mai-03 out-03 mar-04 ago-04 jan-05 jun-05 nov-05 abr-06 set-06 fev-07 jul-07 dez-07 mai-08 out-08 mar-09 ago-09 jan-10 jun-10 nov Relação SELIC x TR: SELIC +100bp, TR +30bp(aproximadamente). INCCnãoestáatreladoaoSELIC,massegueoritmodaconstruçãocivil. Crescimento da oferta de crédito Queda nas Taxas de Juros EXPECTATIVA DE 1,2 MILHÃO POR ANO DE NOVAS RESIDÊNCIAS NO PAÍS EM 10 ANOS 6

7 Impacto da Política Monetária mais rígida no Crédito Imobiliário Assumptions: ValordaUnidade:R$100mil Percentual Empréstimo: 80% Empréstimo: R$ 80k Comprometimento da renda: 30% Taxa Real = Taxa de Juros de 8,16% + Correção Monetária de TR. Taxa de Juros Real (% a.a) Parcelas Mensais (R$)* Taxa de Taxa Prazo de empréstimo (anos) Juros TR Real ,16% 0,00% 8,16% ,16% 0,50% 8,70% ,16% 1,00% 9,24% ,16% 1,50% 9,78% ,16% 2,00% 10,32% *13ª parcela TR aumentando Pouco efeito nas parcelas Nota : TR = Taxa de Referência = Taxa de Depósito Bancário(CDB/RDB) das 30 maiores instituições financeiras do Brasil x Redutor. A TR modifica o saldo devedor e dessa maneira modifica as parcelas mensais. Relação SELIC x TR : SELIC +100bp, TR +30bp (aproximadamente). 7

8 Minha Casa, Minha Vida ( MCMV ) Liderança no Programa do Governo e bom relacionamento com a Caixa # de unidades (mil) financiadas pela Em análise Assinado Set/09 30 Out/09 31 Dez/09 26 Fev/10 13 Abr/10 2 Jun/10 6 Set/10 29 Out/10 Maior eficiência e produtividade da CEF Maior sucesso Status 29 Out-2010 Em análise (unidades) % Assinado (unidades) % SM SM % (VGV R$milhões) R$ R$ % Fonte : Caixa e MRV * Dados referentes somente ao Programa MCMV 8

9 Nossos Produtos

10 Grande Diversificação Geográfica Presença Marcante -Presente em 14 estados e no Distrito Federal -85 cidades atendidas pela Companhia 10

11 Vendas e Marketing Canal de Vendas Loja Virtual 30% Imobiliárias Parceiras 49% Lojas Próprias 21% Site maisvisitadodo setor (Fonte: Google trends for websites) 1,6 milhõesde visitaspormês, em média. * Data base : 3T10 11

12 Vendas e Marketing Pesquisa e Análise de Mercado Estratégia voltada para o cliente Demografia, Renda, Expectativas, etc. -Aquisição de Novos Terrenos -Desenvolvimento do Produto -Estratégia de Vendas 12

13 Grande Diversificação Geográfica alguns projetos 13

14 O sucesso no Setor Imobiliário depende do Foco no Processo Qualidade na prospecção de terrenos -7 diretores com em média 15 anos de experiência Eficiência do Canal corretores próprios -33% VSO -30% de vendas pela internet Qualidade do crédito: Pré-seleção Construção -# de Funcionários: engenheiros canteiros - Gerência experiente Escala e Margens -Padronização: 150 fornecedores = ~90% do custo -Controle de custos no canteiro 455 profissionais dedicados Caixa aqui correspondente bancário CSC MRV (Centro de Serviços Compartilhados) Melhor G&Ado setor Sistemas de TI (SAP, MRV Obras) Dívida Liq. / EBITDA (1) : 0,71x Dívida Liq. / Patrimônio Liq. (2) : 20,1% Ciclo curto Nota: (1) Dívida Líquida de set/10 e EBITDA 9M10 anualizado. (2) Patrimônio Líquido de set/10. 14

15 Foco em baixa renda crescimento com qualidade Tamanho médio dos projetos do Land Bank 6 a 10 SM 17% SBPE 3% 0 a 3 SM 2% Despesas SG&Amais baixas do setor 3T10 (% vendas contratadas) 8,2% 3 a 6 SM 78% Lançamentos no 3T10 por Renda Familiar (em R$) jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 Compras 2010 Tamanho médio dos projetos lançados ,3% 9,3% 12,2% 12,3% 19,0% 4T09 1T10 2T10 3T10 9M09 9M10 Foco de atuação Aumento dos projetos Disciplina financeira A MRV é a construtora mais preparada para atender à demanda de baixa renda 15

16 Melhores margens do setor Margem EBITDA x Preço Médio de Venda (3T10) 35% 30% MargemEBITDA (%) 25% 20% MRV RODOBENS GAFISA PDG DIRECIONAL INPAR ROSSI TECNISA TRISUL CYRELA 15% 10% Preço Médio de Venda (R$mil) Tamanho da Bolha: Vendas Contratadas do período Fonte: Relatórios das Companhias e Resultados Trimestrais EZTEC EVEN CCDI : preço de venda fora do nosso foco (+R$ ) BROOKFIELD: Não divulga os dados em questão 16

17 Contínua disciplina financeira e foco em ciclo de caixa Cash Burn(R$ milhões) MRV CYRELA GAFISA PDG CashBurnpor Tri (R$ milhões) ROSSI BROOKFIELD 26, , M10 19,4 10,0 8,0 6,0 Vendas Contratadas/ Cash burn MRV CYRELA GAFISA PDG ROSSI 100,6 123,8 133,3 89,8 75,9 108,6 0,1 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 MRV Engenharia Efeito Processo CEF MRV LOG 4,0 BROOKFIELD 2,0 0, M10 Observação: -Cash burn dapdg influenciadopelaincorporaçãodaagre no 2T10. - Cash Burn da Brookfield influenciado positivamente pela securitização e vendas de projeto por R$200 milhões no 3T10. 17

18 Endividamento sobre controle Dívida Líquida (R$ milhões) (em R$ milhões) Encargos Saldo Devedor set/ set/ Debêntures - 1ª emissão 1ª série CDI + 1,5% a.a. 280,9 2ª série IPCA + 10,8% a.a. 32,7 Debêntures - 2ª emissão CDI + 3,7% a.a. 60,8 Debêntures - 3ª emissão CDI + 1,6% a.a. 526,6 Financiamento à construção TR + 8% a 12% a.a. 460,6 Capital de Giro - CDI CDI + 1,02% a 2,18% a.a. 229,7 Outros 6,2 Gastos com emissão de debêntures (5,6) 1.591,8 Cronograma de pagamento da dívida (R$ milhões) set/10 dez/09 dez/08 Dívida líquida / patrimônio líquido 20,1% 3,0% 18,0% Dívida líquida / EBITDA (anualizado) 0,7 0,2 1,0 310,1 180,1 268,2 99,5 113,4 357,9 4,7 257,8 Empréstimo - Financiamento Debênture 12 meses 13 a 24 meses 25 a 36 meses 37 meses em diante 18

19 Retornos superiores à média do mercado Retorno sobre patrimônio líquido (ROE) 9M10 (1) 24,6% 16,8% 16,0% 14,9% 13,9% 11,5% MRV CYRELA PDG ROSSI BROOKFIELD GAFISA Nota: (1) ROE anualizado patrimônio líquido médio dez/09 set/10 19

20 Crescimento & Perspectivas Crescimento Consistente: MRV 40mil atingido! Aquisição de Land Bank (unidades anualizado) Projetos Lançados (unidades anualizado) Crédito Imobiliário (unidades anualizado) T09 3T10 3T09 3T10 3T09 3T10 Vendas (unidades anualizado) Unidades Construídas (unidades anualizado) Crédito Imobiliário - Repasses (unidades anualizado) T09 3T10 3T09 3T10 Setembro/2009 3Q09 Setembro/2010 3Q10 20

21 MRV 70mil no segmento de baixa renda Crescimento com Qualidade 21

22 Equipe diferenciada e eficiência operacional Equipe diferenciada e investimentos em infra-estrutura Nova Estrutura Organizacional - Abrindo espaço para talentos Sede embelo Horizonte - Menor custo - Melhor atração de talentos Nossa Equipe BI - Inteligência do Negócio ECM - Gestão de Conteúdo Meritocracia - Novo plano de opções de ações Talentos engenheiros e 585 trainees Operacional Escala & Diluição de custos DNA de construção Empreendimentos Unidades por empreendimento Gestão operacional Equipe de Engenharia Estagiários Pre- IPO¹ Atual² Var ,5x ,0x ,2x ,7x ,3x Tend. Portal - Colaboração CRM Relacionamento # empregados em construção ,5x ERP SAP ECC 6.0 MRV Obras RM - Gestão de RH Microsoft Dynamics Microsoft Sharepoint Administrativo S, G & A TI Equipe cred. imobiliário ,7x ERP SAP-CRM-HRsystem Planning ,4x - - BPM ECM GED Cognos (Planejamento) SAP - BO (Cubo) Microsoft (Relatórios) Notas: (1) Em 31 de Dezembro, 2006 (2) Em 30 de Novembro, 2010 (estagiários 23/12) 22

23 Gerenciamento de Relacionamento com Cliente: prioridade ao atendimento pessoal Estratégias de Relacionamento com Clientes Atendimento receptivo com eficiência acima de 95%. Estratégia direcionada para auto-atendimentos: boleto e extrato online; agendamento de visita à obra; Alteração de dados cadastrais; solicitação de manutenção; acessos/dia em média. Gestão de redes-sociais para relacionamento com cliente (Blog, Twitter, Facebook, Chats, Orkut). Interação com diversas áreas da companhia buscando melhorias de processos e ganhos de eficiência.

24 Gerenciamento de Relacionamento com Cliente: prioridade ao atendimento pessoal

25 Web site Reclame Aqui Índices MRV x Concorrentes Avaliação Geral ROSSI TENDA GAFISA CYRELA GOLDFARB MRV Nota do Consumidor Escalade 1 a 10 3,57 2,14 2,64 2,96 0,95 1,20 ROSSI Nota: Dados referentes ao período entre 01/12/2009 a 30/11/2010 Dados não disponíveis para PDG TENDA (GAFISA) GAFISA GOLDFARB (PDG) MRV CYRELA

26 Ações MRV: Volume negociado de R$ 73 milhões / dia Com a Oferta, a MRV consolidou sua posição como uma das maiores companhias do setor imobiliário no Brasil, tanto em termos de market cap, quanto liquidez Market Cap Média de Negociação Diária na BM&FBovespa 1 (R$ MM, e % do Capital Total) R$ 11,0 (R$ MM, e % do Free Float) R$ 104 R$ 8,6 R$ 7,3 R$ 73 R$ 71 R$ 66 R$ 4,9 R$ 3,6 R$ 36 99,2% 67,4% 63,1% 98,8% 62,5% PDG Cyrela MRV Gafisa Rossi Fonte: Empresas, CMA em 22 de dezembro de ,0% 1,6% 1,2% 1,4% 1,6% PDG MRV Cyrela Gafisa Rossi 1 4T10 até 22/12/

27 Indicadores Financeiros e Operacionais 27

28 Desenvolvimento Imobiliário Banco de Terrenos Landbank(R$ milhões) 8.991, , , , ,0 Distribuição do Landbankpor fonte de Financiamento ao Cliente 30/09/10 FGTS 96% SBPE 4% dez/08 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 % permuta / landbanktotal em set/10 % custo terreno / VGV em set/10 Distribuição geográfica do Land Bank 49% 26% Swap 43% Custo 9% 25% Capitals Regiões Metropolitanas Interior 28

29 Eficiência no Desenvolvimento Imobiliário Giro rápido do banco de terrenos Ciclo operacional menor do que a média da indústria Idade dos terrenos lançados (em número de projetos) 30% 10% 48% 0% 23% 7% 60% 52% 70% 1T10 2T10 3T10 Até 12 meses Entre 13 e 18 meses Acima de 19 meses 29

30 VGV (%MRV - R$ milhões) Lançamentos 3T10 Por faixa de renda CAGR 97,2% Lançamentos (R$ milhões) ,5% a 6 SM 78% 6 a 10 SM 17% SBPE 3% 0 a 3 SM 2% 0 a 3 SM 3 a 6 SM 6 a 10 SM SBPE Nota: Salário Mínimo (SM) de R$ 465,00 para mesma base do MCMV Lançamentos 3T10 Por fonte de financiamento M09 9M10 SBPE 17% FGTS 83% 30

31 Vendas Contratadas (%MRV - R$ milhões) CAGR 139,2% Vendas Contratadas (R$ milhões) ,8% Vendas Contratadas 3T10 Por faixa de renda 6 a 10 SM 24% SBPE 20% 3 a 6 SM 55% 0 a 3 SM 1% 0 a 3 SM 3 a 6 SM 6 a 10 SM SBPE Vendas Contratadas 3T10 Por fonte de financiamento SBPE 29% M09 9M10 FGTS 71% 31

32 Produção Unidades Produzidas* Unidades por canteiro de obras ,8% ,1% T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 9M09 9M10 dez/07 dez/08 dez/09 jun/10 set/10 Banco de Terrenos set/10 *Unidades Produzidas = m² produzido / tamanho médio da unidade 32

33 Maior parceira da CEF e Minha Casa Minha Vida ( MCMV ) Liderança no Programa do Governo e bom relacionamento com a Caixa Unidades contratadas Repasses CEF (em unidades) Unidades Contratadas Acumulado no Ano Repasses Acumulado T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 33

34 Resultados financeiros consistentes Receita líquida (em R$ milhões) Lucro bruto (em R$ milhões) e Margem Bruta (%) 127,3% CAGR ,8% ,3% 126,7% 94,0% 741,3 CAGR 36,6% 37,9% 577,8 35,1% 34,4% 34,4% ,6 382,8 140,3 399,6 49,6 146, M09 9M10 EBITDA (em R$ milhões) e Margem EBITDA (%) M09 9M10 Lucro líquido (em R$ milhões) e Margem Líquida (%) 168,5% CAGR 114,4% 26,8% 24,5% 441,3 25,5% 19,3% 272,6 283,8 16,2% 608,4 28,2% 12,1% 173,3% CAGR 21,8% 20,8% 231,0 347,4 21,1% 113,9% 482,4 20,3% 22,4% 225,5 22,8 76, M09 9M10 17,0 87, M09 9M10 34

35 Guidance Guidance 2010 Anterior Revisado Vendas Contratadas (%MRV) - R$ milhões ~ ~ Margem EBITDA* 25% ~ 28% 26% ~ 29% * considerando as mesmas práticas contábeis vigentes em

36 Contatos Leonardo Corrêa Diretor Executivo de Finanças Mônica Simão Diretora Executiva de Relações com Investidores Felipe Gonçalves Gestor Executivo de Relações com Investidores Tel.: (+55 31) Esta apresentação também está disponível em nosso website: 36

37 Anexos 37

38 História 1º Correspondente Negocial CEF Equity Follow-On 3ª Emissão de Debêntures Ago-10 Produtividade e Programa de Redução de Custos Bancos Retomam Financiamento Imobiliário Emissão de ADRs nível1 - MRVNY Jun-09 Jul-09 Fev-10 Dez-09 Retomada MRVLOG Fundação da MRV Início da Diversificação Geográfica 2004 IPO ª Emissão de Debêntures Mar-09 Abr-09 Minha Casa, Minha Vida OTCQX Implementação do SAP Legislação Alienação Fiduciária Private Equity Implementação do Microsoft CRM 2ª Emissão de Debêntures Início do Relacionamento MRV- CEF Cultura de Parcerias Constituição da MRV LOG 38

39 Nova Estrutura Organizacional Diretor Presidente Rubens Menin Diretor Executivo Regional Rafael Souza Diretor Executivo Regional Eduardo Fisher Diretora Executiva de Administração e CSC Júnia Galvão Diretor Executivo de Finanças Leonardo Corrêa Diretor Executivo de Relações Institucionais Marcos Cabaleiro Diretor Executivo de Produção Homero Paiva Diretor Executivo de Desenvolvimento Imobiliário Hudson Gonçalves Diretora Executiva de Relações com Investidores Mônica Simão Diretora Executiva Jurídica Maria Fernanda Souza Diretor Executivo Comercial Eduardo Barretto Diretor Executivo de Crédito Imobiliário José Adib 39

40 Base Acionária MRV Acionistas por país Free float 10% 15% 6% 5% América (ex-usa/brasil) Brasil USA 3% Europa (ex-uk/lx) 3% Luxemburgo UK 42% 16% Asia & Oceania (ex-japão) Japão Fonte: MRV (base 30 de novembro de 2010) 40

41 DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS (R$ mil) em R$ mil 3T10 3T09 Var. 3T10 x 3T09 9M10 9M09 Var. 9M10 x 9M09 RECEITA DE INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA ,8% ,2% Impostos incidentes sobre vendas (37.744) (16.984) 122,2% ( ) (61.212) 63,7% RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA ,8% ,8% CUSTO DOS IMÓVEIS VENDIDOS ( ) ( ) 97,3% ( ) ( ) 93,8% LUCRO BRUTO ,2% ,6% Margem Bruta 35,6% 36,1% -0,5 p.p. 34,4% 34,4% 0,0 p.p. RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS Despesas comerciais (40.335) (25.606) 57,5% ( ) (73.406) 50,2% Despesas gerais e administrativas (40.708) (27.177) 49,8% ( ) (70.338) 52,5% Outras receitas operacionais, líquidas (2.119) ,2% (1.793) ,6% LUCRO OPERACIONAL ANTES DO RESULTADO FINANCEIRO ,6% ,4% RESULTADO FINANCEIRO Despesas financeiras (7.230) (5.964) 21,2% (19.759) (16.503) 19,7% Receitas financeiras ,9% ,3% Receitas financeiras provenientes dos clientes por ,1% incorporação de imóveis 322,8% LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL ,2% ,3% IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL (26.017) (16.324) 59,4% (74.495) (27.469) 171,2% Acionista não controlador (22.433) (6.925) 223,9% (39.424) (17.687) 122,9% LUCRO LÍQUIDO DO PERÍODO ,6% ,9% Margem liquida 24,5% 22,8% 1,7 p.p. 22,4% 20,3% 2,1 p.p. EBITDA Lucro antes dos impostos ,2% ,3% Depreciações ,7% ,2% Resultado Financeiro (34.093) (13.237) 157,6% (74.317) (21.380) 247,6% Custo Financeiro - CPV ,9% ,9% EBITDA ,6% ,4% Margem EBITDA 30,6% 27,9% 2,7 p.p. 28,2% 25,5% 2,7 p.p. 41

42 BALANÇO PATRIMONIAL (R$ mil) ATIVO 30/09/ /06/2010 Var. % CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa ,2% Titulos e valores mobiliários ,1% Clientes por incorporação de imóveis ,5% Clientes por prestação de serviços ,2% Clientes por locação ,2% Imóveis a comercializar ,8% Outros ativos ,9% Total do ativo circulante ,7% NÃO CIRCULANTE Realizável a longo prazo: Títulos e valores mobiliários de longo prazo ,7% Clientes por incorporação de imóveis ,5% Imóveis a comercializar ,8% Créditos com empresas ligadas ,9% Despesas comerciais a apropriar ,7% Impostos diferidos ativos ,6% Depósitos judiciais e outros ,0% Total do realizável a longo prazo ,6% Investimentos: Imobilizado: ,1% Intangível: Ágio na aquisição de investimentos Outros intangíveis ,5% Total do ativo não circulante ,1% TOTAL DO ATIVO ,7% 42

43 BALANÇO PATRIMONIAL (R$ mil) (continuação) PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO 30/09/ /06/2010 Var. % PASSIVO CIRCULANTE Fornecedores ,9% Empréstimos, financiamentos e debêntures ,3% Salários, encargos sociais e benefícios ,2% Impostos e contribuições a recolher ,4% Contas a pagar por aquisição de terrenos ,0% Adiantamentos de clientes ,7% Provisão para manutenção de imóveis ,0% Dividendos propostos Impostos diferidos passivos ,0% Outras contas a pagar ,9% Total do passivo circulante ,8% PASSIVO NÃO CIRCULANTE Empréstimos, financiamentos e debêntures ,8% Contas a pagar por aquisição de terrenos ,5% Adiantamentos de clientes ,0% Provisão para manutenção de imóveis ,9% Provisão para contingências ,0% Impostos diferidos passivos ,4% Deságio na aquisição de investimentos Total do passivo não circulante ,2% ACIONISTAS NÃO CONTROLADORES ,16% PATRIMÔNIO LÍQUIDO ,2% TOTAL DO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO ,7% 43

44 FLUXO DE CAIXA (R$ mil) Consolidado (R$ mil) 3T10 3T09 Var. 3T10 x 3T09 9M10 9M09 Var. 9M10 x 9M09 FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Lucro líquido do exercício ,6% ,9% Ajustes para reconciliar o lucro líquido do exercício com o caixa aplicado nas atividades operacionais: ,4% ,6% Redução (aumento) nos ativos operacionais: ( ) ( ) 200,4% ( ) ( ) 136,4% Aumento (redução) nos passivos operacionais: ,9% ,9% Caixa líquido aplicado nas atividades operacionais (14.795) ,0% ( ) ( ) 31,0% FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO Redução em títulos e valores mobiliários (2.286) (233) 881,1% (55.651) ,1% Aumento de créditos com empresas ligadas (5.976) -366,3% (10.610) -401,4% Adição em investimentos ,0% ,0% Aquisição de ativo imobilizado e intangível (78.639) (3.409) 2206,8% ( ) (16.820) 635,9% Recebimento pela venda de ativo imobilizado ,3% ,0% Caixa líquido aplicado nas atividades de investimento (64.967) (3.474) 1770,1% ( ) (20.927) 601,9% FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO Recebimentos líquidos pela emissão de ações ,0% ,9% Ações em tesouraria ,0% Recebimentos líquidos de empréstimos e financiamentos ,6% ,7% Aumento de obrigações com empresas ligadas - (9) -100,0% - (11) -100,0% Recebimento por debêntures (50.954) Aumento dos acionistas não controladores (702) -1217,0% ,1% Dividendos pagos - (51.322) -100,0% (82.513) (51.322) 60,8% Caixa líquido gerado pelas atividades de financiamento ,6% ,7% AUMENTO (REDUÇÃO) LÍQUIDO(A) DO SALDO DE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA ,3% ,5% Caixa e equivalentes de caixa no início do período ,9% ,8% Caixa e equivalentes de caixa no fim do período ,9% ,9% 44

45 Processo Construtivo MRV Baseado em Alvenaria Estrutural 31 anos de Know Howneste segmento. Menor custo / m2 Melhor controle orçamentário Maior velocidade e facilidade de construção Maior produtividade por operário Atende os padrões alto e baixo Alta durabilidade e baixa manutenção Preços competitivos e melhores margens 45

46 Processo Construtivo MRV Fundação Estrutura - Alvenaria e Lage Gesso Cintamento Acabamento Pintura Limpeza 46

47 Parâmetros Fluxo de Caixa Modelo MRV % VGV Trimestre Modelo MRV (líquido de Impostos) 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º Indicadores Operacionais Curva de Construção 4% 28% 32% 26% 10% Curva de Vendas 25% 25% 15% 15% 15% 5% Fluxo de Caixa Financiamento Bancário / PE Recebimento 100% 1% 2% 3% 4% 5% 5% 13% 40% 27% Entrada de Financiamento PE 43% 9% 14% 12% 8% Amortização de Financiamento PE 43% 7% 22% 14% Desembolso para Terreno 9% 3% 3% 3% Desembolso para Pré-Produto 2% 1% 1% Desembolso para Obra 51% 11% 16% 15% 9% Desembolso para Registros Finais 1% 1% Resultado 37% -4% -3% -3% -1% 1% 2% 1% 2% 2% 3% 6% 18% 13% Fluxo de Caixa CEF Recebimento 100% 1% 5% 10% 27% 35% 17% 5% Desembolso para Terreno 9% 3% 3% 3% Desembolso para Pré-Produto 2% 1% 1% Desembolso para Obra 51% 11% 16% 15% 9% Desembolso para Registros Finais 1% 1% Resultado 37% -4% -3% -3% -1% 1% -6% -6% 12% 25% 17% 5% (*) Não inclui despesas financeiras (*) Projeto MRV: da compra do terreno até o último pagamento 47

48 Parâmetros de Fluxo de Caixa Projeto típico da MRV 50% Fluxo de Caixa Acumulado em % do VGV 40% 30% 20% 10% 0% -10% -20% Financiamento Bancário CEF (Crédito Associativo) -30% 1º T 2º T 3º T 4º T 5º T 6º T 7º T 8º T 9º T 10º T 11º T 12º T 13º T 14º T 15º T 16º T 17º T Comprade Terreno Lançamento Inícioda Construção Fimda Construção Últimas Aprovações 48

49 Lançamentos e Vendas Contratadas: Crédito Associativo Evolução dos Lançamentos por tipo de financiamento (R$) Evolução das Vendas Contratadas por tipo de financiamento (R$) 22% 6% 4% 5% 2% 5% 5% 14% 9% 7% 7% 7% 15% 9% 12% 15% 6% 5% 6% 9% 13% 72% 57% 78% 94% 96% 95% 98% 95% 95% 69% 79% 83% 77% 82% 86% 81% 28% 17% 34% M10 4T09 1T10 2T10 3T M10 4T09 1T10 2T10 3T10 Crédito Associativo (CEF) Financ. Bancário Crédito Associativo (CEF) Financ. Bancário MRV / Pagto durante a obra 49

50 Vendas Contratadas (%MRV) Vendas Contratadas por período de lançamento Período de Vendas Contratadas %MRV (em %) Lançamento T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 3T10 21% 2T10 26% 35% 1T10 11% 27% 8% 4T09 35% 38% 20% 9% 3T09 23% 21% 11% 6% 5% 2T09 26% 27% 8% 5% 3% 3% 1T09 20% 14% 5% 2% 5% 3% 2% 4T08 4% 23% 17% 8% 6% 5% 3% 3% 3T08 8% 17% 11% 8% 7% 5% 2% 3% 2T08 21% 14% 16% 12% 9% 6% 4% 3% 1T08 24% 11% 8% 9% 7% 6% 4% 4% Antes de % 43% 16% 8% 9% 6% 7% 3% 4% Total 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Vendas sobre Oferta 39% 40% 34% 33% 37% 33% 24% 26% 22% 15% 22% Vendas sobre Oferta= Vendas / (Estoque Inicial + Lançamentos) 1T08 2T08 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 50

51 SFH (Sistema Financeiro de Habitação) Empregadores FGTS R$ 235 bilhões (dez/09) CEF Infrastructure Recursos FGTS (CEF) De 4% a 8,16% +TR Mutuários Unidades até R$ Depósitos de Poupança nos Bancos R$ 363 bilhões (out 10) 65% 20% 15% Crédito Imobiliário Reservas Legais Recursos Livres SFH 80% 20% Fora do SFH Recursos SBPE Empréstimos a taxas de mercado De 8,5% a 12% +TR A partir de 12%+TR Mutuários Mutuários Unidades de R$ a R$ Unidades a partir de R$ Outros Recursos A partir de 12%+TR Mutuários 51

52 Minha Casa, Minha Vida ATÉ 3 SALÁRIOS MÍNIMOS Subsídio integral com isenção do seguro Isenção dos custos cartoriais Prestação: mínimo R$50,00 e até 10% da renda, por 10 anos DE 3 A 6 SALÁRIOS MÍNIMOS Comprometimento de até 30% da renda para pagamento da prestação Fundo garantidor (até 36 prestações garantidas) e redução de seguro Redução de 90% nos custos cartoriais para registro de imóveis DE 6 A 10 SALÁRIOS MÍNIMOS Redução de seguro e acesso ao Fundo Garantidor (até 24 prestações garantidas) Redução de 80% dos custos cartoriais para registro de imóveis Recursos do Programa Governamental: R$ 34 bilhões 52

53 Minha Casa, Minha Vida Apartamento de R$ em São Paulo O valor das prestações caíram substancialmente ex. 49% devido ao subsídio do governo, redução das taxas de juros e do seguro mensal. Regiões O Governo Federal paga até R$ 23 mil na entrada do imóvel, de acordo com a região e faixa de renda do trabalhador. # salários mínimos Regiões Metropolitanas de SP, RJ, DF R$ 900,00 Subsídio Redução das Taxas de Juros Redução do Seguro Mensal Cidades com mais de 100 mil hab, capitais e Regiões Metropolitanas Cidades de 50 mil a 100 mil habitantes Parcela Mensal (pré-plano) R$ 461,32 Sudsídio Taxas de Juros Seguro Mensal Parcela Mensal (pós-plano) Financiamento em 240 meses Antes: Salário de R$3.000 Depois: Salário de R$1.540 Subsídio de R$

Apresentação Institucional Junho de 2010

Apresentação Institucional Junho de 2010 Apresentação Institucional Junho de 2010 Estrutura Acionária O free float representa mais de 59% do capital total Novo Mercado, o mais alto nível de Governança Corporativa Free Float 59,1% Rubens Menin

Leia mais

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010 Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL Outubro de 2010 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas

Leia mais

Apresentação Institucional Novembro de 2010

Apresentação Institucional Novembro de 2010 Apresentação Institucional Novembro de 2010 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas da direção

Leia mais

Morgan Stanley Brazil Real Estate Corporate Access Day 4 de fevereiro de 2011

Morgan Stanley Brazil Real Estate Corporate Access Day 4 de fevereiro de 2011 Morgan Stanley Brazil Real Estate Corporate Access Day 4 de fevereiro de 2011 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as

Leia mais

APIMEC MG 27 de Novembro de 2014

APIMEC MG 27 de Novembro de 2014 APIMEC MG 27 de Novembro de 2014 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas da direção da MRV Engenharia

Leia mais

Apresentação Institucional. Setembro de 2008

Apresentação Institucional. Setembro de 2008 Apresentação Institucional Setembro de 2008 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas da direção

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de

Leia mais

Helbor Empreendimentos

Helbor Empreendimentos Helbor Empreendimentos Aviso Legal Esta apresentação pode conter certas afirmações que expressam expectativas, crenças e previsões da administração da Helbor sobre eventos ou resultados futuros. Tais afirmações

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Rio de Janeiro, 10 de março de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (Bovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de intermediação

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

Resultados 2T10. Villa Flora Segmento Econômico

Resultados 2T10. Villa Flora Segmento Econômico Resultados 2T10 Villa Flora Segmento Econômico 1 Resultados 2T10 Aviso Importante Nós fazemos declarações sobre eventos futuros que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base

Leia mais

Apresentação Institucional Janeiro 2015

Apresentação Institucional Janeiro 2015 Apresentação Institucional Janeiro 2015 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas da direção da

Leia mais

Abertura e Destaques 4T09 e 2009

Abertura e Destaques 4T09 e 2009 25 de Março de 2010 Abertura e Destaques 4T09 e 2009 Comentário de Abertura CEO Ricardo Valadares Gontijo Breve Histórico IPO Mercado em 2009: Programa Minha Casa, Minha Vida Estratégia Crescimento da

Leia mais

MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 1T12

MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 1T12 MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 1T12 Recorde de repasses: 8.833 clientes no 1T12, 58% superior ao 1T11 Receita líquida atinge R$ 1.007 milhões no 1T12, 26% superior ao 1T11 Belo Horizonte, 14 de maio de 2012

Leia mais

Teleconferência de Resultados. Data: 13 de março de 2008 Data: 13 de março de 2008

Teleconferência de Resultados. Data: 13 de março de 2008 Data: 13 de março de 2008 MRV ANUNCIA RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE E DO ANO DE 2007 RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA ATINGE R$128,9 MILHÕES NO 4T07 E R$384,1 MILHÕES NO ANO, UM CRESCIMENTO DE 173,8 % SOBRE O ANO ANTERIOR MARGEM BRUTA

Leia mais

Apresentação Institucional Março 2015

Apresentação Institucional Março 2015 Apresentação Institucional Março 2015 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas da direção da MRV

Leia mais

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 1 I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 2 Crédito ainda em Expansão, mas Desacelerando 30,7% Crescimento do Crédito 15,1% 20,6% 18,8% 16,4% 14,7% 11,7% 2008

Leia mais

Apresentação dos resultados do 4T09 & 2009. Março/2010

Apresentação dos resultados do 4T09 & 2009. Março/2010 Apresentação dos resultados do & Março/2010 Destaques & DESTAQUES OPERACIONAIS DO E VENDAS CONTRATADAS LÍQUIDAS ATINGIRAM R$753 MILHÕES NO E R$2,67 BILHÕES EM, REPRESENTANDO UM CRESCIMENTO DE 47% EM RELAÇÃO

Leia mais

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2011 - DIRECIONAL ENGENHARIA SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2011 - DIRECIONAL ENGENHARIA SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Apresentação dos resultados do 2T09 & 1S09. Agosto/2009

Apresentação dos resultados do 2T09 & 1S09. Agosto/2009 Apresentação dos resultados do 2T09 & 1S09 Agosto/2009 Destaques 2T09 & 1S09 DESTAQUES OPERACIONAIS 2T09 VENDAS CONTRATADAS LÍQUIDAS PRO RATA PDG REALTY DE R$710 MILHÕES, REPRESENTANDO UM CRESCIMENTO DE

Leia mais

Resultados do 1T09. Teleconferência de Resultados. Lançamentos de 2008

Resultados do 1T09. Teleconferência de Resultados. Lançamentos de 2008 Resultados do 1T09 Teleconferência de Resultados Lançamentos de 2008 Felice (Nova Lima-MG) Beach Park Wellness Resort (Aquiraz-CE) ViVer Zona Sul (Porto Alegre-RS) Viver São J. Pinhais (São J. Pinhais-PR)

Leia mais

Resultados do 1T06 Teleconferência

Resultados do 1T06 Teleconferência Resultados do 1T06 Teleconferência 0 Considerações Iniciais AVISO - INFORMAÇÕES E PROJEÇÕES O material exibido é uma apresentação de informações gerais de antecedentes da Rossi Residencial S.A. na data

Leia mais

RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14

RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14 RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14 Contate RI: Adolpho Lindenberg Filho Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Telefone: +55 (11) 3041-2700 ri@lindenberg.com.br www.grupoldi.com.br/relacao DIVULGAÇÃO

Leia mais

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015 Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Mercado Imobiliário Brasileiro - VGL 2011-7% 2012 13% 2013 R$ 85,6 bilhões R$ 79,7 bilhões R$ 90,4 bilhões

Leia mais

Resultados 2T13 e 1S13

Resultados 2T13 e 1S13 Resultados 2T13 e 1S13 Relações com Investidores RSID3: R$ 2,87 por ação OTC: RSRZY Total de ações: 428.473.420 Valor de mercado: R$ 1,3 bilhão Teleconferência 15 de Agosto de 2013 Em Português com Tradução

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Av. Paulista -SP Eco s Natureza Clube- SP UP Residence Macaé (RJ) Porto Pinheiros- SP Terraço Empresarial Jd Sul - SP Set Cabral -Curitiba Connect Campos de Goytacazes(RJ) In

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

Brookfield Incorporações S.A. Resultados do 4T11 14 de março de 2012

Brookfield Incorporações S.A. Resultados do 4T11 14 de março de 2012 Brookfield Incorporações S.A. Resultados do 4T11 14 de março de 2012 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações sobre o futuro que estão sujeitas a riscos e incertezas. Estas são apenas projeções

Leia mais

MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 3T14

MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 3T14 MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 3T14 Forte crescimento de 8,3% no lucro por ação comparado ao Crescimento da margem bruta para 28,2% no 3T14 Robusta Geração de Caixa de R$ 136 milhões trazendo a dívida líquida/pl

Leia mais

Reunião Pública APIMEC. Novembro/2013

Reunião Pública APIMEC. Novembro/2013 Reunião Pública APIMEC Novembro/2013 Composição Acionária 3T13* Conselho e Diretoria 22,6% Free Float 77,4% Itaú Unibanco Squadra ADRs Bovespa 19,6% 17,6% 8,7% 31,5% *Data base: 30/09/2013 2 Modelo de

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 Resultados 1T15 www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float,

Leia mais

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p.

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. No 1T15, a receita líquida totalizou R$ 5,388 bilhões, estável em relação ao 1T14 excluindo-se

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 Divulgação de Resultados 3T09 DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 - VENDAS CONTRATADAS DE R$242,7 MILHÕES NO 3T09, COM VSO 45% - - EBITDA DE R$35,0 MILHÕES, COM 31,1% DE MARGEM EBITDA

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

Rossi Residencial S/A Reunião Apimec SP 23 de novembro de 2005. Praça Capital - Campinas

Rossi Residencial S/A Reunião Apimec SP 23 de novembro de 2005. Praça Capital - Campinas Rossi Residencial S/A Reunião Apimec SP 23 de novembro de 2005 Praça Capital - Campinas 1 Setor imobiliário Oportunidade de investimento Fator de Risco Crédito Renda Tendência Crescimento da oferta Crescimento

Leia mais

Wave Rio de Janeiro - RJ Lançado emsetembro/2011. Apresentação Institucional Novembro 2011

Wave Rio de Janeiro - RJ Lançado emsetembro/2011. Apresentação Institucional Novembro 2011 Wave Rio de Janeiro - RJ Lançado emsetembro/2011 Apresentação Institucional Novembro 2011 Agenda Cyrela em resumo Setor Imobiliário Brasileiro Atividades recentes da Cyrela Indicadores Operacional e Financeiro

Leia mais

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11)

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11) QUALICORP REGISTRA CRESCIMENTO DO TRIMESTRE NO NÚMERO DE BENEFICIÁRIOS DE 18,5%, RECEITA LÍQUIDA DE 43,9%, EBITDA AJUSTADO DE 36,6% EM RELAÇÃO AO 2T10 1 São Paulo, 12 de agosto de 2011. A QUALICORP S.A.

Leia mais

Discussão dos Resultados 1T10. 07 de Maio de 2010

Discussão dos Resultados 1T10. 07 de Maio de 2010 Discussão dos Resultados 1T10 07 de Maio de 2010 0 Aviso Esta apresentação poderá conter certas projeções e tendências que não são resultados financeiros realizados, nem informação histórica. Estas projeções

Leia mais

MRV DAY Novembro de 2010

MRV DAY Novembro de 2010 MRV DAY Novembro de 2010 Agenda Horário Assunto Participantes 08.30-09.00 Registro 09.00 09.30 Boas Vindas Rubens Menin T. de Souza(Diretor Presidente) 09.30 10.00 Desenvolvimento Imobiliário Hudson Gonçalves

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

Apresentação dos Resultados de 2T07. 15 de agosto de 2007

Apresentação dos Resultados de 2T07. 15 de agosto de 2007 Apresentação dos Resultados de 2T07 15 de agosto de 2007 1 Equipe da Cyrela Brazil Realty Diretor Presidente Elie Horn Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Luis Largman Diretor de Controle

Leia mais

Apresentação de Resultados do 3º trimestre de 2011. Novembro, 2011

Apresentação de Resultados do 3º trimestre de 2011. Novembro, 2011 Apresentação de Resultados do 3º trimestre de 2011 Novembro, 2011 2 Destaques & Eventos Recentes PDG é eleita melhor empresa da América Latina no Institutional Investor Awards 2011; Extensão do contrato

Leia mais

Release de Resultados 4T06

Release de Resultados 4T06 Release de Resultados 4T06 Em 2006, Lançamentos aumentaram 118% e Vendas Contratadas subiram 69% O EBITDA Ajustado subiu 66% e o Lucro Líquido Ajustado aumentou 35% em 2006 Rio de Janeiro, 14 de Março

Leia mais

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 1 Fundamentos macroeconômicos sólidos e medidas anti-crise 2 % a.a. Inflação na meta 8 6 metas cumpridas

Leia mais

Reunião Pública APIMEC-SP

Reunião Pública APIMEC-SP Reunião Pública APIMEC-SP 15 de Dezembro de 2009 Agenda Quem somos Estratégia Segmentos de Mercado O nosso maior projeto Situação Econômico-Financeira Perspectivas Sustentabilidade Reunião Pública APIMEC-SP

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

Apresentação dos Resultados 2T06

Apresentação dos Resultados 2T06 Apresentação dos Resultados 2T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

QUEM SOMOS Brasil Brokers

QUEM SOMOS Brasil Brokers QUEM SOMOS Um dos maiores e mais completos grupos de venda de imóveis do país. Assim é a Brasil Brokers. Formado por 25 imobiliárias líderes em 12 estados, o grupo conta com mais de 14 mil corretores associados

Leia mais

Setor de Incorporadoras no Brasil. Junho, 2012

Setor de Incorporadoras no Brasil. Junho, 2012 Setor de Incorporadoras no Brasil Junho, 2012 Agenda Mercado Imobiliário Brasileiro - 2011 Desempenho das Incorporadoras Listadas Fundamentos do Setor 2 Mercado Imobiliário Brasileiro - 2011 VGV Lançado

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

Release de Resultados - 4T11 2011

Release de Resultados - 4T11 2011 Release de Resultados - 4T11 2011 Cyrela gera caixa operacional de R$ 130 milhões (1) no 4T11 São Paulo, 26 de março de 2012 - A Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações ( CBR ou Companhia

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS

FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS NOTA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Curso: Administração de Empresas Turma: Disciplina: Administração Financeira Professor : Maxwell Lucena / Aluno(a): Maxwe R.A.: Assinatura: Data: / / 1ª. Questão

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

Apresentação Institucional Março 2014

Apresentação Institucional Março 2014 Apresentação Institucional Março 2014 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas da direção da MRV

Leia mais

Resultados 1T09. Relações com Investidores

Resultados 1T09. Relações com Investidores Resultados 1T09 Relações com Investidores Teleconferência sobre os resultados do 1T09 Aviso Importante Nós fazemos declarações sobre eventos futuros que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações

Leia mais

Direcional Engenharia S.A.

Direcional Engenharia S.A. 1 Direcional Engenharia S.A. Relatório da Administração Exercício encerrado em 31 / 12 / 2007 Para a Direcional Engenharia S.A., o ano de 2007 foi marcado por recordes e fortes mudanças: registramos marcas

Leia mais

Julho/2010. Diretoria de Empréstimos e Financiamentos

Julho/2010. Diretoria de Empréstimos e Financiamentos Crédito Imobiliário Julho/2010 Agenda 1. Números do Mercado e BB 2. Aquisição PF - SFH 3. Financiamento à Produção PJ 4. Programa Minha Casa, Minha Vida - PMCMV 5. Atuação Estratégica Mercado Atacado 2

Leia mais

Apresentação dos Resultados do 2T13

Apresentação dos Resultados do 2T13 Apresentação dos Resultados do 2T13 09 de agosto de 2013 Considerações Iniciais Esta apresentação pode conter certas declarações que expressam expectativas, crenças e previsões da administração sobre eventos

Leia mais

LOJAS AMERICANAS Comentário de Desempenho 2º Trimestre de 2005

LOJAS AMERICANAS Comentário de Desempenho 2º Trimestre de 2005 LOJAS AMERICANAS Comentário de Desempenho 2º Trimestre de 25 Rio de Janeiro, 15 de agosto de 25 Lojas Americanas S.A. (BOVESPA: LAME3-ON;LAME4-PN), apresenta os resultados consolidados do 2 º trimestre

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Apresentação de Resultados do 2º trimestre de 2011. Agosto, 2011

Apresentação de Resultados do 2º trimestre de 2011. Agosto, 2011 Apresentação de Resultados do 2º trimestre de 2011 Agosto, 2011 2 Destaques Operacionais DESTAQUES OPERACIONAIS DO 2T11 & 1S11 2T11 LANÇAMENTOS PRO RATA PDG ALCANÇARAM R$2,05 BILHÕES NO 2T11, REPRESENTANDO

Leia mais

Apresentação 4T11 & 2011. Abril, 2012

Apresentação 4T11 & 2011. Abril, 2012 Apresentação Resultados 4T11 & 2011 Abril, 2012 Destaques & Eventos Recentes Balanço do ano de 2011 Processo de integração da Agre: SAP; Revisão orçamentária; Processo contábil de combinação de negócios

Leia mais

AQUISIÇÃO DA DEVELOPER Maio 2008

AQUISIÇÃO DA DEVELOPER Maio 2008 AQUISIÇÃO DA DEVELOPER Maio 2008 Aviso Esta apresentação foi preparada com o propósito exclusivo de informar sobre os objetivos e estrutura da transação realizada entre JHSF Participações S.A. ("JHSF")

Leia mais

Apresentação Institucional Junho de 2012

Apresentação Institucional Junho de 2012 Apresentação Institucional Junho de 2012 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas da direção da

Leia mais

Apresentação Investidores

Apresentação Investidores Apresentação Investidores Abril de 2011 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia, e envolve riscos

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12 São Paulo, 15 de agosto de 2012 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje os resultados do segundo

Leia mais

PDG Realty ingressa no mercado imobiliário argentino, adquirindo

PDG Realty ingressa no mercado imobiliário argentino, adquirindo PDG Realty ingressa no mercado imobiliário argentino, adquirindo participação i na TGLT Relações com Investidores: Michel Wurman Diretor Vice-Presidente Financeiro e de RI João Mallet Gerente Financeiro

Leia mais

MRV DAY Agosto de 2010

MRV DAY Agosto de 2010 MRV DAY Agosto de 2010 Agenda Horário Assunto Participantes 08.30-09.00 Registro 09.00 09.30 Boas Vindas Rubens Menin T. de Souza(Diretor Presidente) 09.30 10.00 Desenvolvimento Imobiliário Hudson Gonçalves

Leia mais

O Mercado de Investimentos Imobiliários e o Cenário Sócio-Econômico Nacional

O Mercado de Investimentos Imobiliários e o Cenário Sócio-Econômico Nacional O Mercado de Investimentos Imobiliários e o Cenário Sócio-Econômico Nacional JOÃO PAULO MATOS Presidente Fiabci Rio, 1º Vice-Presidente da ADEMI e Presidente do Grupo de Trabalho Estatutário da ADEMI Segurança

Leia mais

Corporativa. Setembro 10

Corporativa. Setembro 10 Apresentação Corporativa Villa Flora Segmento Econômico Setembro 10 Aviso Importante Aviso Importante O material que se segue é uma apresentação de informações gerais da Rossi Residencial S.A. ( Rossi"

Leia mais

RESULTADOS BRASIL BROKERS. 3º Trimestre 2008

RESULTADOS BRASIL BROKERS. 3º Trimestre 2008 RESULTADOS BRASIL BROKERS 3º Trimestre 2008 2008 Brasil 2008 Brokers Brasil Brokers Todos os Direitos Todos os Reservados Direitos Reservados Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido

Leia mais

Earnings Release. Relação com Investidores. Destaques do 2T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 2T11

Earnings Release. Relação com Investidores. Destaques do 2T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 2T11 Relação com Investidores Luis Eduardo Fischman Diretor de Relações com Investidores (55 21) 3433-5060 ri@brinsurance.com.br Teleconferência de Resultados 2T11 Terça-Feira, 16 de agosto de 2011 Português

Leia mais

Brookfield Incorporações S.A. Apresentação Institucional 2011

Brookfield Incorporações S.A. Apresentação Institucional 2011 Brookfield Incorporações S.A. Apresentação Institucional 2011 Aviso Importante Este documento contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

Resultados do 2T09. Teleconferência de Resultados

Resultados do 2T09. Teleconferência de Resultados Resultados do 2T09 Teleconferência de Resultados Destaques do 2T09 2 Destaques do 2T09 em linha com a estratégia geral da Companhia Nossas conquistas do 2T09 são refletidas nos resultados da Companhia

Leia mais

Resultados 3T10 e 9M10. 12/11/2010 > Relações com Investidores

Resultados 3T10 e 9M10. 12/11/2010 > Relações com Investidores Resultados 3T10 e 9M10 12/11/2010 > Relações com Investidores 1 Aviso Importante Nós fazemos declarações sobre eventos futuros que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base e

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Agenda Dinâmica do Setor Imobiliário Estrutura Societária Modelo de Negócio Diferenciado Diversificação Geográfica e de Mercado Histórico de Resultado Operacional Futuros Projetos

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 54 RELATÓRIO ANUAL GERDAU 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 GERDAU S.A. e empresas controladas BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

Leia mais

Anhanguera reporta crescimento de 139,1% na Receita Líquida e de 103,0% no EBITDA Ajustado no ano de 2008. 03 de abril de 2009 03 de abril de 2009

Anhanguera reporta crescimento de 139,1% na Receita Líquida e de 103,0% no EBITDA Ajustado no ano de 2008. 03 de abril de 2009 03 de abril de 2009 Anhanguera reporta crescimento de 139,1% na Receita Líquida e de 103,0% no EBITDA Ajustado no ano de 2008 www.unianhanguera.edu.br 4T08 Ricardo Scavazza Vice Presidente Operacional e Relações com Investidores

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

Earnings Release 1T15

Earnings Release 1T15 Santo André, 05 de maio de 2015: A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), maior operadora de turismo das Américas, informa aos seus acionistas e demais participantes do mercado

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Apresentação Corporativa

Apresentação Corporativa Apresentação Corporativa Apresentador Marco Antonio Mattar Vice Presidente, CFO e DRI - Sócio da Incosul desde 1987 - CFO e COO da Incosul por 18 anos - Membro do Conselho da Paramount Lansul Disclaimer:

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE DE 2013 (4T13 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE DE 2013 (4T13 ) LOJAS RENNER S.A. LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação brasileira. Negociada

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T14 e 2014. São Paulo, 12 de fevereiro de 2015

Teleconferência de Resultados 4T14 e 2014. São Paulo, 12 de fevereiro de 2015 Teleconferência de Resultados 4T14 e 2014 São Paulo, 12 de fevereiro de 2015 Ressalva sobre declarações futuras Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos

Leia mais

Apresentação dos resultados do 3T09 & 9M09. Novembro/2009

Apresentação dos resultados do 3T09 & 9M09. Novembro/2009 Apresentação dos resultados do & 9M09 Novembro/2009 Destaques & 9M09 DESTAQUES OPERACIONAIS VENDAS CONTRATADAS LÍQUIDAS PRO RATA PDG REALTY DE R$788 MILHÕES, REPRESENTANDO UM CRESCIMENTO DE 76% EM RELAÇÃO

Leia mais

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda 19/02/2010 CETIP S.A BALCÃO ORGANIZADO DE ATIVOS E DERIVATIVOS A Companhia A CETIP S.A. - Balcão Organizado de Ativos e Derivativos ( Companhia ou CETIP ) opera o maior Mercado Organizado para Ativos de

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais