CRITÉRIOS DE AVALIACÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CRITÉRIOS DE AVALIACÃO"

Transcrição

1 CRITÉRIOS DE AVALIACÃO Educação Visual 5º Ano Educação Visual 6º Ano Educação Tecnológica 5º Ano Educação Tecnológica 6º Ano ANO ESCOLAR 2015 / 2016 Ano letivo de 2015 / 2016

2 INTRODUÇÃO Sendo a avaliação é um marco fundamental na prática do ensino/aprendizagem, consideramos que os critérios gerais e específicos devem ser estabelecidos no início de cada unidade de trabalho, para que o aluno possa participar corretamente na sua avaliação. O processo de ensino / aprendizagem deve ser avaliado conjuntamente pelo professor e aluno no plano formativo, tendo por base a observação contínua, identificando percursos favoráveis ou desfavoráveis, dando conta das oportunidades de desenvolvimento e expressão, examinando o desenvolvimento do trabalho efetivo e não apenas o resultado final desse trabalho. Os processos adotados pelo aluno na procura de formas expressivas de resposta ás propostas apresentadas pelo professor são tão importantes como o resultado final obtido. Os parâmetros específicos das disciplinas, as atitudes e valores são observados e avaliados com igual peso em todos os seus itens. A avaliação é contínua, feita com base no desenrolar dos trabalhos e em provas criadas exclusivamente para esse efeito

3 Educação Visual 5º Ano A disciplina de Educação Visual tem como objetivo no 5º Ano de escolaridade a aquisição das seguintes competências/metas: 1. Conhecer materiais riscadores e respetivos suportes físicos. 2. Dominar materiais básicos de desenho técnico. 3. Dominar a aquisição de conhecimento prático. 4. Compreender a geometria enquanto elemento de organização da forma. 5. Reconhecer a textura enquanto aspeto visual das superfícies. 6. Compreender a estrutura como suporte da forma. 7. Dominar a representação como instrumento de registo. 8. Conhecer diferentes tipologias de comunicação. 9. Distinguir códigos e suportes utilizados pela comunicação. 10. Dominar a comunicação como um processo de narrativa visual. 11. Aplicar as normas básicas de higiene e segurança no trabalho. Aspetos a serem considerados na avaliação: Pontualidade / assiduidade. Comportamento. Participação. Empenhamento. Criatividade. Respeito pela opinião dos outros. Colaboração no grupo de trabalho. Prestar ajuda aos colegas. Cooperar no trabalho. Cumprir as regras estabelecidas. Conhecer aspetos culturais relacionados com a realidade que o rodeia. Aplicar de forma adequada vocabulário específico. Conhecer diversificadas formas da linguagem visual. Apresentação dos trabalhos com rigor e limpeza. Ser cuidadoso com os instrumentos de trabalho. Trazer o material em todas as aulas. Organização do espaço de trabalho. Caderno diário organizado. Avaliação contínua: a avaliação dos alunos será efetuada no decorrer do ano letivo.

4 DOMÍNIOS DOMÍNIO SOCÍO / AFETIVO (Valores e Atitudes) -Ser / Saber Ser 30% CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ser responsável: - É assíduo, pontual, interessado e atento. -Respeita o seu trabalho e o dos outros. - Respeita o espaço, os materiais e o equipamento escolar. - É organizado, metódico e aplica as normas de higiene e segurança. Ser Sociável: - Participa nas aulas de forma organizada. - Respeita as opiniões dos outros. - Aceita as sugestões e coopera com os colegas na realização das tarefas. - Partilha os materiais, ferramentas / utensílios com os outros. - Colabora com os colegas na arrumação e limpeza do local de trabalho. Ser Autónomo: - Apresenta diferentes propostas de soluções. - Apresenta iniciativa na realização dos trabalhos. DOMÍNIO COGNITIVO (Aquisição de conhecimentos) -Saber Estar 30% Compreensão de formas, e técnicas: - Observa e compreende os elementos da linguagem visual (forma estrutura, textura, superfície e volume) e a relação entre as características dos materiais e as técnicas para a sua transformação. Conhecimento da geometria enquanto elemento de organização da forma: - Distingue e identifica no meio ambiente formas geométricas. Desenvolvimento da perceção: - Identifica, descreve, define, analisa, interpreta e avalia a obra de arte verbal e graficamente. - Apresenta diversas propostas de soluções demonstrando flexibilidade de pensamento e desenvolvimento crítico. Capacidade de executar projetos diversos e realizar construções: DOMÍNIO PSICOMOTOR (Aplicação de conhecimentos) -Saber Fazer 40% - Realiza o trabalho com rigor, escolhendo processos e meios adequados (desenho, pintura, escultura, cerâmica, tapeçaria, etc). - Constrói polígonos e divide segmentos de reta e circunferências em partes iguais. Capacidade de criar projetos de natureza diversa: - Comunica ideias e sentimentos expressivamente, utilizando os elementos da linguagem visual na descrição de formas visuais. Domínio progressivo das técnicas e procedimentos: - Utiliza alguns materiais (papeis, guaches, lápis, pastel de óleo e seco, guaches, aguarela, tinta da china, ) em diferentes suportes.

5 Instrumentos de avaliação -Ficha de avaliação diagnóstica - inicio do ano letivo; -Registos de observação direta - todas as aulas; -Grelhas de avaliação dos trabalhos práticos final de cada trabalho; -Fichas de auto avaliação - final dos períodos letivos. CRITÉRIOS DE ATRIBUIÇÃO DE NÍVEIS Menções qualitativas Percentagens Níveis Insuficiente menos Insuficiente 0% a 19% 20% a 49% 1 2 Suficiente 50% a 69% 3 Bom 70% a 89% 4 Muito Bom 90% a 100% 5 PARÂMETROS Nível 1 Não é assíduo nem pontual. Não demonstra interesse pelas atividades da aula. Não colabora nem demonstra atitudes de respeito, solidariedade e responsabilidade para com os outros. É pouco autónomo. Não identifica de forma clara a situação em estudo. Não utiliza a linguagem correta para cada forma de expressão.

6 Não domina as várias formas de expressão. Não utiliza conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Não demonstra ser criativo nem inovador na elaboração do projeto ou na aplicação das técnicas. Não revela hábitos de trabalho e organização. Nunca apresenta os materiais necessários. Não adquiriu os conhecimentos / competências elementares das unidades de trabalho. Nível 2 Nem sempre é assíduo e pontual. Nem sempre colabora e demonstra algumas atitudes de respeito, solidariedade e responsabilidade para com os outros. Evidencia algumas atitudes de autonomia. Nem sempre identifica de forma clara a situação em estudo. Nem sempre utiliza a linguagem correta para cada forma de expressão. Demonstra pouca criatividade e é pouco inovador na elaboração do projeto ou na aplicação das técnicas. Utiliza com dificuldades os conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Executa com dificuldades aquilo que projetou. Nem sempre identifica de forma clara a situação em estudo. Nem sempre revela hábitos de trabalho e organização. Não apresenta com regularidade os materiais necessários. Adquiriu poucos conhecimentos / competências elementares das unidades de trabalho.

7 Nível 3 É assíduo e pontual. Colabora e demonstra atitudes de respeito, solidariedade e responsabilidade para com os outros. Evidencia atitudes de autonomia. Demonstra algum interesse pelas atividades da aula. Identificar de forma clara a situação em estudo. Utilizar uma linguagem correta para cada forma de expressão. Domina várias formas de expressão. Utiliza alguns conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Domina várias formas de expressão. Identificar de forma clara a situação em estudo. Utilizar uma linguagem correta para cada forma de expressão. Domina várias formas de expressão. Utiliza alguns conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Executa aquilo que projetou. Revela alguma criatividade e inovação quer na elaboração do projeto quer na aplicação das técnicas. Manifesta hábitos de trabalho e organização. Apresenta com regularidade os materiais necessários. Adquiriu e aplicou alguns conhecimentos/competências elementares das unidades de trabalho. Nível 4 É assíduo e pontual. Participa nas atividades da aula de forma responsável, revelando alguma criatividade. Apresenta hábitos de trabalho e organização. Colabora e demonstra atitudes de respeito e solidariedade e responsabilidade para com os outros. É autónomo. Identifica claramente a situação em estudo. Utiliza claramente a linguagem correta para cada forma de expressão. Domina e aplica várias formas de expressão. Utiliza claramente conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Executa aquilo que projetou e aplica corretamente as técnicas escolhidas. É criativo e inovador na elaboração e na aplicação das técnicas. Aplica os conhecimentos a novas situações. Apresenta sempre os materiais necessários. Aplica com criatividade os conhecimentos adquiridos.

8 Nível 5 É assíduo e pontual. Coopera com os outros e sabe trabalhar em grupo. Participa nas atividades da aula de forma responsável, revelando criatividade. É autónomo. Identifica claramente a situação em estudo. Utiliza claramente a linguagem correta para cada forma de expressão. Domina e aplica várias formas de expressão. Apresenta hábitos de trabalho e organização. Apresenta com regularidade os materiais necessários. Executa facilmente aquilo que projetou e aplica corretamente as técnicas escolhidas. È muito criativo e inovador na elaboração e na aplicação das técnicas. Aplica facilmente os conhecimentos a novas situações. Aplica com muita criatividade os conhecimentos adquiridos.

9 Educação Visual 6º Ano A disciplina de Educação Visual tem como objetivo no 6 Anoº de escolaridade a aquisição das seguintes competências/metas: 1. Compreender características e qualidades da cor. 2. Reconhecer a simbologia e o significado da cor. 3. Dominar procedimentos sistemáticos e metodológicos. 4. Conhecer as interações dos objetos no espaço. 5. Representar elementos físicos num espaço. 6. Dominar a representação bidimensional. 7. Compreender o conceito de património. 8. Reconhecer o papel e a influência do património na Sociedade. 9. Reconhecer o papel do discurso no âmbito de trajetórias históricas. 10. Reconhecer princípios básicos da criação de um discurso. 11. Desenvolver a capacidade de avaliação crítica na criação de um discurso. 12. Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um objeto. Aspetos a serem considerados na avaliação: Pontualidade / assiduidade. Comportamento. Participação. Empenhamento. Criatividade. Respeito pela opinião dos outros. Colaboração no grupo de trabalho. Prestar ajuda aos colegas. Cooperar no trabalho. Cumprir as regras estabelecidas. Conhecer aspetos culturais relacionados com a realidade que o rodeia. Aplicar de forma adequada vocabulário específico. Conhecer diversificadas formas da linguagem visual. Apresentação dos trabalhos com rigor e limpeza. Ser cuidadoso com os instrumentos de trabalho. Trazer o material em todas as aulas. Organização do espaço de trabalho. Caderno diário organizado. Avaliação contínua: a avaliação dos alunos será efetuada no decorrer do ano letivo.

10 DOMÍNIOS DOMÍNIO SOCÍO / AFECTIVO (Valores e Atitudes) -Ser / Saber Ser 30% DOMÍNIO COGNITIVO (Aquisição de conhecimentos) -Saber Estar 30% CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ser responsável: - É assíduo, pontual, interessado e atento. -Respeita o seu trabalho e o dos outros. - Respeita o espaço, os materiais e o equipamento escolar. - É organizado, metódico e aplica as normas de higiene e segurança. Ser Sociável: - Participa nas aulas de forma organizada. - Respeita as opiniões dos outros. - Aceita as sugestões e coopera com os colegas na realização das tarefas. - Partilha os materiais, ferramentas / utensílios com os outros. - Colabora com os colegas na arrumação e limpeza do local de trabalho. Ser Autónomo: - Apresenta diferentes propostas de soluções. - Apresenta iniciativa na realização dos trabalhos. Compreensão de formas, cores e técnicas: - Observa e compreende os elementos da linguagem visual (forma estrutura, luz/cor, textura, ) e a relação entre as características dos materiais e as técnicas para a sua transformação. Conhecimento das interações dos objetos no espaço: - Distingue, identifica e representa objetos isolados no espaço posição absoluta da reta no espaço e posição relativa de duas retas no espaço. Desenvolvimento da perceção: - Identifica, descreve, define, analisa, interpreta e avalia a obra de arte verbal e graficamente. - Apresenta diversas propostas de soluções demonstrando flexibilidade de pensamento e desenvolvimento crítico. Capacidade de criar e executar projetos de natureza diversa: DOMÍNIO PSICOMOTOR (Aplicação de conhecimentos) -Saber Fazer 40% - Comunica ideias e sentimentos expressivamente, utilizando os elementos da linguagem visual na descrição de formas visuais (Bi - tridimensionais),dominando a representação bidimensional. - Realiza o trabalho com rigor, escolhendo processos e meios adequados. Domínio progressivo das técnicas e procedimentos: - Utiliza alguns materiais ( guaches, lápis, pastel de óleo e seco, guache, aguarela e tinta da china, ) em diferentes suportes. e executa trabalhos aplicando características, qualidades e simbologia da cor. Representa elementos Físicos num espaço: Executa graficamente e verbalmente as relações existentes entre um objeto e as respetivas representações ( escalas, mapas e alçados).

11 Instrumentos de avaliação -Ficha de avaliação diagnóstica - inicio do ano letivo; -Registos de observação direta - todas as aulas; -Grelhas de avaliação dos trabalhos práticos final de cada trabalho; -Fichas de auto avaliação - final dos períodos letivos. CRITÉRIOS DE ATRIBUIÇÃO DE NÍVEIS Menções qualitativas Percentagens Níveis Insuficiente menos Insuficiente 0% a 19% 20% a 49% 1 2 Suficiente 50% a 69% 3 Bom 70% a 89% 4 Muito Bom 90% a 100% 5 PARÂMETROS Nível 1 Não é assíduo nem pontual. Não demonstra interesse pelas atividades da aula. Não colabora nem demonstra atitudes de respeito, solidariedade e responsabilidade para com os outros. É pouco autónomo. Não identifica de forma clara a situação em estudo. Não utiliza a linguagem correta para cada forma de expressão. Não domina as várias formas de expressão. Não utiliza conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Não demonstra ser criativo nem inovador na elaboração do projeto ou na aplicação

12 das técnicas. Não revela hábitos de trabalho e organização. Nunca apresenta os materiais necessários. Não adquiriu os conhecimentos / competências elementares das unidades de trabalho. Nível 2 Nem sempre é assíduo e pontual. Nem sempre colabora e demonstra algumas atitudes de respeito, solidariedade e responsabilidade para com os outros. Evidencia algumas atitudes de autonomia. Nem sempre identifica de forma clara a situação em estudo. Nem sempre utiliza a linguagem correta para cada forma de expressão. Demonstra pouca criatividade e é pouco inovador na elaboração do projeto ou na aplicação das técnicas. Utiliza com dificuldades os conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Executa com dificuldades aquilo que projetou. Nem sempre identifica de forma clara a situação em estudo. Nem sempre revela hábitos de trabalho e organização. Não apresenta com regularidade os materiais necessários. Adquiriu poucos conhecimentos / competências elementares das unidades de trabalho.

13 Nível 3 É assíduo e pontual. Colabora e demonstra atitudes de respeito, solidariedade e responsabilidade para com os outros. Evidencia atitudes de autonomia. Demonstra algum interesse pelas atividades da aula. Identificar de forma clara a situação em estudo. Utilizar uma linguagem correta para cada forma de expressão. Domina várias formas de expressão. Utiliza alguns conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Domina várias formas de expressão. Identificar de forma clara a situação em estudo. Utilizar uma linguagem correta para cada forma de expressão. Domina várias formas de expressão. Utiliza alguns conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Executa aquilo que projetou. Revela alguma criatividade e inovação quer na elaboração do projeto quer na aplicação das técnicas. Manifesta hábitos de trabalho e organização. Apresenta com regularidade os materiais necessários. Adquiriu e aplicou alguns conhecimentos/competências elementares das unidades de trabalho. Nível 4 É assíduo e pontual. Participa nas atividades da aula de forma responsável, revelando alguma criatividade. Apresenta hábitos de trabalho e organização. Colabora e demonstra atitudes de respeito e solidariedade e responsabilidade para com os outros. É autónomo. Identifica claramente a situação em estudo. Utiliza claramente a linguagem correta para cada forma de expressão. Domina e aplica várias formas de expressão. Utiliza claramente conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Executa aquilo que projetou e aplica corretamente as técnicas escolhidas. É criativo e inovador na elaboração e na aplicação das técnicas. Aplica os conhecimentos a novas situações. Apresenta sempre os materiais necessários. Aplica com criatividade os conhecimentos adquiridos.

14 Nível 5 É assíduo e pontual. Coopera com os outros e sabe trabalhar em grupo. Participa nas atividades da aula de forma responsável, revelando criatividade. É autónomo. Identifica claramente a situação em estudo. Utiliza claramente a linguagem correta para cada forma de expressão. Domina e aplica várias formas de expressão. Apresenta hábitos de trabalho e organização. Apresenta com regularidade os materiais necessários. Executa facilmente aquilo que projetou e aplica corretamente as técnicas escolhidas. È muito criativo e inovador na elaboração e na aplicação das técnicas. Aplica facilmente os conhecimentos a novas situações. Aplica com muita criatividade os conhecimentos adquiridos.

15 Educação Tecnológica 5º Ano A disciplina de Educação Tecnológica tem como objetivo no 5ºAno de escolaridade a aquisição das seguintes competências/metas: 1. Reconhecer o papel da tecnologia. 2. Discriminar a relevância do objeto técnico. 3. Dominar a aquisição do conhecimento técnico. 4. Reconhecer tipos de grandeza e respetivos instrumentos de medição. 5. Discriminar a conveniência de medidas rigorosas na execução de trabalhos. 6. Dominar a representação como instrumento de exposição rigorosa. 7. Aplicar princípios da comunicação tecnológica. 8. Desenvolver princípios da comunicação tecnológica. 9. Dominar a comunicação como um processo de organização de factos. 10. Distinguir as principais fontes de energia. 11. Compreender processos de produção e de transformação de energia. 12. Dominar procedimentos de análise e sistematização. Aspectos a serem considerados na avaliação: Pontualidade / assiduidade. Comportamento. Participação. Empenhamento. Criatividade. Respeito pela opinião dos outros. Colaboração no grupo de trabalho. Prestar ajuda aos colegas. Cooperar no trabalho. Cumprir as regras estabelecidas. Aplicar de forma adequada vocabulário específico. Identificar as principais fontes de energia ( renováveis e não renováveis) Reconhecer, analisar e classificar diversos processos de transformação de energia. Apresentação dos trabalhos com rigor e limpeza. Ser cuidadoso com os instrumentos de trabalho. Trazer o material em todas as aulas. Organização do espaço de trabalho. Caderno diário organizado. Avaliação contínua: a avaliação dos alunos será efetuada no decorrer do ano letivo.

16 DOMÍNIOS DOMÍNIO SOCÍO / AFECTIVO (Valores e Atitudes) -Ser / Saber Ser 30% DOMÍNIO COGNITIVO (Aquisição de conhecimentos) -Saber Estar 30% CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ser responsável: - É assíduo, pontual, interessado e atento. -Respeita o seu trabalho e o dos outros. - Respeita o espaço, os materiais e o equipamento escolar. - É organizado, metódico e aplica as normas de higiene e segurança. Ser Sociável: - Participa nas aulas de forma organizada. - Respeita as opiniões dos outros. - Aceita as sugestões e coopera com os colegas na realização das tarefas. - Partilha os materiais, ferramentas / utensílios com os outros. - Colabora com os colegas na arrumação e limpeza do local de trabalho. Ser Autónomo: - Apresenta diferentes propostas de soluções. - Apresenta iniciativa na realização dos trabalhos. Compreensão o papel da tecnologia e domina a aquisição do conhecimento técnico: - Identifica, distingue relaciona e interpreta objetos técnicos, sendo capaz de decompor e compreender a função das suas partes. Reconhecer tipos de grandeza e respetivos instrumentos de medição: - Interpreta, representa e desenvolve ações orientadas para o registo de informação de modo racional, valorizando a importância das medições rigorosas. Distingue, compreende e explora processos de produção e transformação de energia: Identifica, enumera e reconhece diversos recursos naturais aplicados à produção de energia, distinguindo diferentes fontes de energia ( renováveis e não renováveis. - Apresenta diversas propostas de soluções demonstrando flexibilidade de pensamento e desenvolvimento crítico. DOMÍNIO PSICOMOTOR (Aplicação de conhecimentos) -Saber Fazer Capacidade de criar, executar e desenvolver projetos de natureza diversa: - Apresenta e defende ideias de forma racional. - Realiza o trabalho com rigor, escolhendo processos e meios adequados. - Domina progressivamente técnicas e procedimentos. - Produz esquemas gráficos/técnicos, utilizando sistemas discursivos, codificações e simbologias técnicas. 40%

17 Instrumentos de avaliação -Ficha de avaliação diagnóstica - inicio do ano letivo; -Registos de observação direta - todas as aulas; -Grelhas de avaliação dos trabalhos práticos final de cada trabalho; -Fichas de auto avaliação - final dos períodos letivos. CRITÉRIOS DE ATRIBUIÇÃO DE NÍVEIS Menções qualitativas Percentagens Níveis Insuficiente menos Insuficiente 0% a 19% 20% a 49% 1 2 Suficiente 50% a 69% 3 Bom 70% a 89% 4 Muito Bom 90% a 100% 5 PARÂMETROS Nível 1 Não é assíduo nem pontual. Não demonstra interesse pelas atividades da aula. Não colabora nem demonstra atitudes de respeito, solidariedade e responsabilidade para com os outros. É pouco autónomo. Não identifica de forma clara a situação em estudo. Não utiliza a linguagem correta para cada forma de expressão. Não domina as várias formas de expressão. Não utiliza conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto.

18 Não demonstra ser criativo nem inovador na elaboração do projeto ou na aplicação das técnicas. Não revela hábitos de trabalho e organização. Nunca apresenta os materiais necessários. Não adquiriu os conhecimentos / competências elementares das unidades de trabalho. Nível 2 Nem sempre é assíduo e pontual. Nem sempre colabora e demonstra algumas atitudes de respeito, solidariedade e responsabilidade para com os outros. Evidencia algumas atitudes de autonomia. Nem sempre identifica de forma clara a situação em estudo. Nem sempre utiliza a linguagem correta para cada forma de expressão. Demonstra pouca criatividade e é pouco inovador na elaboração do projeto ou na aplicação das técnicas. Utiliza com dificuldades os conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Executa com dificuldades aquilo que projetou. Nem sempre identifica de forma clara a situação em estudo. Nem sempre revela hábitos de trabalho e organização. Não apresenta com regularidade os materiais necessários. Adquiriu poucos conhecimentos / competências elementares das unidades de trabalho.

19 Nível 3 É assíduo e pontual. Colabora e demonstra atitudes de respeito, solidariedade e responsabilidade para com os outros. Evidencia atitudes de autonomia. Demonstra algum interesse pelas atividades da aula. Identificar de forma clara a situação em estudo. Utilizar uma linguagem correta para cada forma de expressão. Domina várias formas de expressão. Utiliza alguns conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Domina várias formas de expressão. Identificar de forma clara a situação em estudo. Utilizar uma linguagem correta para cada forma de expressão. Domina várias formas de expressão. Utiliza alguns conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Executa aquilo que projetou. Revela alguma criatividade e inovação quer na elaboração do projeto quer na aplicação das técnicas. Manifesta hábitos de trabalho e organização. Apresenta com regularidade os materiais necessários. Adquiriu e aplicou alguns conhecimentos/competências elementares das unidades de trabalho. Nível 4 É assíduo e pontual. Participa nas atividades da aula de forma responsável, revelando alguma criatividade. Apresenta hábitos de trabalho e organização. Colabora e demonstra atitudes de respeito e solidariedade e responsabilidade para com os outros. É autónomo. Identifica claramente a situação em estudo. Utiliza claramente a linguagem correta para cada forma de expressão. Domina e aplica várias formas de expressão. Utiliza claramente conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Executa aquilo que projetou e aplica corretamente as técnicas escolhidas. É criativo e inovador na elaboração e na aplicação das técnicas. Aplica os conhecimentos a novas situações. Apresenta sempre os materiais necessários. Aplica com criatividade os conhecimentos adquiridos.

20 Nível 5 É assíduo e pontual. Coopera com os outros e sabe trabalhar em grupo. Participa nas atividades da aula de forma responsável, revelando criatividade. É autónomo. Identifica claramente a situação em estudo. Utiliza claramente a linguagem correta para cada forma de expressão. Domina e aplica várias formas de expressão. Apresenta hábitos de trabalho e organização. Apresenta com regularidade os materiais necessários. Executa facilmente aquilo que projetou e aplica corretamente as técnicas escolhidas. È muito criativo e inovador na elaboração e na aplicação das técnicas. Aplica facilmente os conhecimentos a novas situações. Aplica com muita criatividade os conhecimentos adquiridos.

21 Educação Tecnológica 6º Ano A disciplina de Educação Tecnológica tem como objetivo no 6º Ano de escolaridade a aquisição das seguintes competências/metas: 1. Conhecer a origem e propriedade dos materiais. 2. Reconhecer processos de transformação das principais matérias- primas. 3. Distinguir alterações no meio ambiente determinados pela ação humana. 4. Dominar procedimentos sistemáticos e metodológicos. 5. Conhecer diversos tipos de movimento. 6. Reconhecer operadores mecânicos de transmissão e de transformação de movimento. 7. Dominar a representação esquemática como registo de informação. 8. Distinguir a linguagem de processos de utilização, de fabrico, e de construção. 9. Conhecer processos técnicos de fabrico e de construção. 10. Dominar a comunicação orientada para a demonstração. 11. Conhecer tipos de estrutura. 12. Explorar estruturas no âmbito da forma e função. Aspetos a serem considerados na avaliação: Pontualidade / assiduidade. Comportamento. Participação. Empenhamento. Criatividade. Respeito pela opinião dos outros. Colaboração no grupo de trabalho. Prestar ajuda aos colegas. Cooperar no trabalho. Cumprir as regras estabelecidas. Aplicar de forma adequada vocabulário específico. Avaliar o impacto ambiental causados pela ação humana. Reciclar e empregar materiais contribuindo para a preservação do ambiente. Conhecer e explorar estruturas relacionando forma/função. Apresentação dos trabalhos com rigor e limpeza. Ser cuidadoso com os instrumentos de trabalho. Trazer o material em todas as aulas. Organização do espaço de trabalho. Caderno diário organizado. Avaliação contínua: a avaliação dos alunos será efetuada no decorrer do ano letivo.

22 DOMÍNIOS DOMÍNIO SOCÍO / AFECTIVO (Valores e Atitudes) -Ser / Saber Ser 30% DOMÍNIO COGNITIVO (Aquisição de conhecimentos) -Saber Estar 30% CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ser responsável: - É assíduo, pontual, interessado e atento. -Respeita o seu trabalho e o dos outros. - Respeita o espaço, os materiais e o equipamento escolar. - É organizado, metódico e aplica as normas de higiene e segurança. Ser Sociável: - Participa nas aulas de forma organizada. - Respeita as opiniões dos outros. - Aceita as sugestões e coopera com os colegas na realização das tarefas. - Partilha os materiais, ferramentas / utensílios com os outros. - Colabora com os colegas na arrumação e limpeza do local de trabalho. Ser Autónomo: - Apresenta diferentes propostas de soluções. - Apresenta iniciativa na realização dos trabalhos. Conhecer a origem e propriedades dos materiais: - Identifica, distingue, avalia e enumera diferentes tipos de materiais e suas características e propriedades. Reconhecer processos técnicos de fabrico e de construção: - Citar, identificar, distinguir e relacionar ferramentas relativas a diferentes tarefas. Conhecer e explorar diferentes tipos de estruturas no âmbito da forma e função: -Compreende o conceito de estrutura ( forma, função, módulo). - Identifica diferentes tipos de estruturas e reconhece a sua função. Capacidade de criar, executar e desenvolver projetos de natureza diversa: DOMÍNIO PSICOMOTOR (Aplicação de conhecimentos) -Saber Fazer - Apresenta e defende ideias de forma racional. - Realiza o trabalho com rigor, escolhendo processos e meios adequados. - Domina progressivamente técnicas e procedimentos. - Constrói estruturas recorrendo a diferentes materiais. 40% Instrumentos de avaliação -Ficha de avaliação diagnóstica - inicio do ano letivo; -Registos de observação direta - todas as aulas; -Grelhas de avaliação dos trabalhos práticos final de cada trabalho; -Fichas de auto avaliação - final dos períodos letivos.

23 CRITÉRIOS DE ATRIBUIÇÃO DE NÍVEIS Menções qualitativas Percentagens Níveis Insuficiente menos Insuficiente 0% a 19% 20% a 49% 1 2 Suficiente 50% a 69% 3 Bom 70% a 89% 4 Muito Bom 90% a 100% 5 PARÂMETROS Nível 1 Não é assíduo nem pontual. Não demonstra interesse pelas atividades da aula. Não colabora nem demonstra atitudes de respeito, solidariedade e responsabilidade para com os outros. É pouco autónomo. Não identifica de forma clara a situação em estudo. Não utiliza a linguagem correta para cada forma de expressão. Não domina as várias formas de expressão. Não utiliza conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Não demonstra ser criativo nem inovador na elaboração do projeto ou na aplicação das técnicas. Não revela hábitos de trabalho e organização. Nunca apresenta os materiais necessários.

24 Não adquiriu os conhecimentos / competências elementares das unidades de trabalho. Nível 2 Nem sempre é assíduo e pontual. Nem sempre colabora e demonstra algumas atitudes de respeito, solidariedade e responsabilidade para com os outros. Evidencia algumas atitudes de autonomia. Nem sempre identifica de forma clara a situação em estudo. Nem sempre utiliza a linguagem correta para cada forma de expressão. Demonstra pouca criatividade e é pouco inovador na elaboração do projeto ou na aplicação das técnicas. Utiliza com dificuldades os conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Executa com dificuldades aquilo que projetou. Nem sempre identifica de forma clara a situação em estudo. Nem sempre revela hábitos de trabalho e organização. Não apresenta com regularidade os materiais necessários. Adquiriu poucos conhecimentos / competências elementares das unidades de trabalho.

25 Nível 3 É assíduo e pontual. Colabora e demonstra atitudes de respeito, solidariedade e responsabilidade para com os outros. Evidencia atitudes de autonomia. Demonstra algum interesse pelas atividades da aula. Identificar de forma clara a situação em estudo. Utilizar uma linguagem correta para cada forma de expressão. Domina várias formas de expressão. Utiliza alguns conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Domina várias formas de expressão. Identificar de forma clara a situação em estudo. Utilizar uma linguagem correta para cada forma de expressão. Domina várias formas de expressão. Utiliza alguns conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Executa aquilo que projetou. Revela alguma criatividade e inovação quer na elaboração do projeto quer na aplicação das técnicas. Manifesta hábitos de trabalho e organização. Apresenta com regularidade os materiais necessários. Adquiriu e aplicou alguns conhecimentos/competências elementares das unidades de trabalho. Nível 4 É assíduo e pontual. Participa nas atividades da aula de forma responsável, revelando alguma criatividade. Apresenta hábitos de trabalho e organização. Colabora e demonstra atitudes de respeito e solidariedade e responsabilidade para com os outros. É autónomo. Identifica claramente a situação em estudo. Utiliza claramente a linguagem correta para cada forma de expressão. Domina e aplica várias formas de expressão. Utiliza claramente conhecimentos adquiridos na elaboração do projeto. Executa aquilo que projetou e aplica corretamente as técnicas escolhidas. É criativo e inovador na elaboração e na aplicação das técnicas. Aplica os conhecimentos a novas situações. Apresenta sempre os materiais necessários. Aplica com criatividade os conhecimentos adquiridos.

26 Nível 5 É assíduo e pontual. Coopera com os outros e sabe trabalhar em grupo. Participa nas atividades da aula de forma responsável, revelando criatividade. É autónomo. Identifica claramente a situação em estudo. Utiliza claramente a linguagem correta para cada forma de expressão. Domina e aplica várias formas de expressão. Apresenta hábitos de trabalho e organização. Apresenta com regularidade os materiais necessários. Executa facilmente aquilo que projetou e aplica corretamente as técnicas escolhidas. È muito criativo e inovador na elaboração e na aplicação das técnicas. Aplica facilmente os conhecimentos a novas situações. Aplica com muita criatividade os conhecimentos adquiridos.

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação Critérios de Avaliação 1.º Ciclo do Ensino Básico CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO Critérios de Avaliação, 1º Ciclo - Ano Letivo 2014-15 Página 1 de 10 1. Domínios de avaliação: AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N.º

Leia mais

ESCOLA BÁSICA SANTA CLARA. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - Educação Visual (5ºAno) 2015-2016

ESCOLA BÁSICA SANTA CLARA. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - Educação Visual (5ºAno) 2015-2016 1 1 Não conhece os materiais riscadores e respetivos suportes físicos. Não domina os materiais básicos de desenho técnico. Não domina a aquisição de conhecimento prático. Não compreende a geometria enquanto

Leia mais

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES ESCOLA BÁSICA LUÍS DE STTAU MONTEIRO - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE LOURES AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES DOMÍNIOS / CRITÉRIOS 2º Ciclo DISCIPLINA COGNITIVO / OPERATIVO E INSTRUMENTAL CONHECIMENTOS

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSO VOCACIONAL 3º CICLO AMGE - Auxiliar de Manutenção e Gestão de Espaços CRITÉRIOS DE Ano Lectivo 2014/15 Coordenador do Curso: José Pedro Moutinho Critérios de Avaliação (14-15) VOCACIONAL C AMGE -

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL 2015/16. (Pré-escolar ao 12º ano de escolaridade)

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL 2015/16. (Pré-escolar ao 12º ano de escolaridade) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL 2015/16 (Pré-escolar ao 12º ano de escolaridade) Os alunos com Necessidades Educativas Especiais, de caráter permanente, a beneficiar de Medidas

Leia mais

PLANO DE ORGANIZAÇÃO DO ENSINO APRENDIZAGEM. EDUCAÇÃO VISUAL - 7º Ano

PLANO DE ORGANIZAÇÃO DO ENSINO APRENDIZAGEM. EDUCAÇÃO VISUAL - 7º Ano Ano Lectivo 2011/2012 Covilhã PLANO DE ORGANIZAÇÃO DO ENSINO APRENDIZAGEM - A definir em função das características das Turmas e dos interesses dos alunos. COMUNICAÇÃO TEMÁTICOS CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Agrupamento de Escolas Serra da Gardunha - Fundão Ano Lectivo 2010/2011 Ensino Básico A avaliação escolar tem como finalidade essencial informar o aluno, o encarregado de educação e o próprio professor,

Leia mais

Grupo de Educação Especial

Grupo de Educação Especial Grupo de Educação Especial Critérios Gerais de Avaliação 2015/2016 De acordo com o Despacho normativo n.º 24-A/2012, artigo 8.º (ponto 10): 10 A informação resultante da avaliação sumativa dos alunos do

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO VISUAL (14) Abril de 2015

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO VISUAL (14) Abril de 2015 Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços Região Algarve Agrupamento de Escolas Manuel Teixeira Gomes - Cód.145464 ESCOLA EB 2.3 PROFESSOR JOSÉ BUÍSEL INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA. Critérios específicos de avaliação História

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA. Critérios específicos de avaliação História Critérios específicos de avaliação História Ponto 1 : Informações gerais Os elementos de avaliação serão classificados de forma qualitativa, de acordo com a terminologia que a seguir se indica. A classificação

Leia mais

Agrupamento de Escolas Eugénio de Castro Escola Básica de Eugénio de Castro Planificação Anual

Agrupamento de Escolas Eugénio de Castro Escola Básica de Eugénio de Castro Planificação Anual Ano Letivo 2015/16 Educação tecnológica- 2º Ciclo 5º Ano Metas Curriculares/de.Identificar o conceito de tecnologia e diferenciá-lo da noção de técnica.. Distinguir contextos históricos de evolução da

Leia mais

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas Departamento Curricular/Ciclo: 1º Ciclo Disciplina: Expressões Artísticas e Físico-Motora Ano de escolaridade: 4º ano Ano letivo: 2015/2016 Perfil do aluno à saída do 1º ciclo: Participar na vida sala

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR AGOSTINHO DA SILVA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO GRUPO DISCIPLINAR/CICLO: LÍNGUA PORTUGUESA/CEF 3º CICLO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR AGOSTINHO DA SILVA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO GRUPO DISCIPLINAR/CICLO: LÍNGUA PORTUGUESA/CEF 3º CICLO DOMÍNIO DOMÍNIO COGNITIVO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR AGOSTINHO DA SILVA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO GRUPO DISCIPLINAR/CICLO: LÍNGUA PORTUGUESA/CEF 3º CICLO DOMÍNIOS / INDICADORES DE DOMÍNIO INSTRUMENTOS

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º Ciclo 2015/16

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º Ciclo 2015/16 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º Ciclo 2015/16 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º CICLO Quadro de síntese 3º Ciclo Domínios da Avaliação 0 Saber 70% Português 0 Saber Fazer 20% "0 Ser / Saber Ser" " O Saber 75% Inglês

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

ANO LETIVO 2013/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2013/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico Os conhecimentos e capacidades a adquirir e a desenvolver pelos alunos de cada nível e de cada ciclo de ensino têm como referência os programas

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR. Áreas Critérios de avaliação Instrumentos de avaliação

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR. Áreas Critérios de avaliação Instrumentos de avaliação EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Áreas Critérios de avaliação Instrumentos de avaliação Área de Formação Pessoal e social Revelar autonomia na higiene e alimentação. Demonstrar controlo de emoções, reações e atitudes.

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º CICLO ANO LETIVO 2014 / 2015 1 1. EXPLICITAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Conhecimentos e Capacidades O peso dos Conhecimentos e Capacidades na avaliação do aluno é de 80% que,

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE CONSERVATÓRIO REGIONAL DE GAIA Ano Letivo 2013 2014 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE Regulamento Artigo 1.º Âmbito 1. O presente Regulamento de Avaliação de Desempenho aplica-se a todos os docentes com

Leia mais

DESCRITORES. Executa as ações coletivas do ataque e da defesa. Realiza dentro da zona saudável os testes do fitnessgram

DESCRITORES. Executa as ações coletivas do ataque e da defesa. Realiza dentro da zona saudável os testes do fitnessgram Aquisição de conhecimentos e desenvolvimento de capacidades e competências de nível psicomotor Atividades físicas CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARCELINO MESQUITA DO CARTAXO

Leia mais

Práticas de avaliação nas escolas: a fuga de si.

Práticas de avaliação nas escolas: a fuga de si. Práticas de avaliação nas escolas: a fuga de si. Anabela Costa Neves acn.anabela@gmail.com Inquietações em torno de 1. Critérios de avaliação 2. Testes 3. Funções da avaliação 4. Autoavaliação 5. Avaliação

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRANDELA DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR A N O L E T I V O 2 0 1 4 / 1 5

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRANDELA DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR A N O L E T I V O 2 0 1 4 / 1 5 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRANDELA DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR A N O L E T I V O 2 0 1 4 / 1 5 Introdução A avaliação é um elemento integrante e regulador da prática educativa em

Leia mais

Critérios de avaliação da disciplina de Educação Tecnológica 2º Ciclo. Metas/Domínios Ano Parâmetros de Avaliação

Critérios de avaliação da disciplina de Educação Tecnológica 2º Ciclo. Metas/Domínios Ano Parâmetros de Avaliação Sócio-Afetivo Interesse e empenho Comportamento (respeito e sociabilidade) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA E. B. 2,3 PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS Ano Letivo de 2012/2013 Critérios de avaliação

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Substrutura de EDUCAÇÃO FÍSICA- 2ºciclo Desempenho Motor: desempenho técnico-tático evidenciado nas Unidades Didáticas selecionadas para cada período, progressão na aprendizagem; autonomia; estratégia

Leia mais

COMPETÊNCIAS. Reconhecer a importância das artes visuais como valor cultural indispensável ao desenvolvimento do ser humano.

COMPETÊNCIAS. Reconhecer a importância das artes visuais como valor cultural indispensável ao desenvolvimento do ser humano. COMPETÊNCIAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS Ao longo do ensino básico as competências que o aluno deve adquirir em Artes Visuais articulam-se em três eixos estruturantes fruição - contemplação, produção criação,

Leia mais

EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas

EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 3ºCICLO DO ENSINO BÁSICO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 7.ºANO EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Os Conteúdos Programáticos estão enunciados

Leia mais

CRITÉRIOS e INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO Departamento das expressões - 3º ciclo - ano lectivo 2015-16. Domínios Parâmetros Instrumentos % Peso

CRITÉRIOS e INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO Departamento das expressões - 3º ciclo - ano lectivo 2015-16. Domínios Parâmetros Instrumentos % Peso CRITÉRIOS e INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO Departamento das expressões - 3º ciclo - ano lectivo 2015-16 Domínios Parâmetros Instrumentos % Peso Conhecimentos AQUISIÇÃO DE CONHECIMENTOS Percepção e Compreensão

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO VISUAL 8.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO VISUAL 8.º ANO DE EDUCAÇÃO VISUAL 8.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno é capaz de: analisar o fenómeno de decomposição da cor; interpretar e distinguir contributos de teóricos da luz-cor; identificar

Leia mais

Escola Secundária António Damásio

Escola Secundária António Damásio Escola Secundária António Damásio Critérios de Avaliação 3º Ciclo e Secundário Ano Letivo 2011-2012 Grupo de Recrutamento 620 Educação Física INTRODUÇÃO A avaliação é um processo contínuo e sistemático

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MÉRTOLA ESCOLA EB 2,3/ES S. SEBASTIÃO DE MÉRTOLA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MÉRTOLA ESCOLA EB 2,3/ES S. SEBASTIÃO DE MÉRTOLA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA 2º Ciclo do Ensino Básico Exercícios práticos 50% fitnessgram * Sabe aplicar os s às situações práticas ou oralidade actividades (5%) * Interesse, participação e empenho Higiene pessoal (5%) * Higiene

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES Ano Letivo 2014 2015. DISCIPLINA : Educação Visual -2º ciclo

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES Ano Letivo 2014 2015. DISCIPLINA : Educação Visual -2º ciclo DISCIPLINA : Educação Visual -2º ciclo INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO % -Produzir trabalhos explorando temas, ideias e situações -Conhecer noções de volume, espaço e estrutura -Conhecer os principais meios

Leia mais

DEPARTAMENTO DO 1.º CICLO/PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. 1.º Ciclo do Ensino Básico

DEPARTAMENTO DO 1.º CICLO/PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. 1.º Ciclo do Ensino Básico DEPARTAMENTO DO 1.º CICLO/PRÉ-ESCOLAR Ano letivo 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º Ciclo do Ensino Básico CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º Ciclo do Ensino Básico ANO LETIVO 2015/2016 Constituem objeto de

Leia mais

Governo dos Açores Escola Básica e Secundária de Velas PLANIFICAÇÃO DA ÁREA CURRICULAR DE: EDUCAÇÃO VISUAL E TECNOLÓGICA

Governo dos Açores Escola Básica e Secundária de Velas PLANIFICAÇÃO DA ÁREA CURRICULAR DE: EDUCAÇÃO VISUAL E TECNOLÓGICA PLANIFICAÇÃO DA ÁREA CURRICULAR DE: EDUCAÇÃO VISUAL E TECNOLÓGICA 2º ciclo Ano letivo: 2015/2016 COMPETÊNCIAS - CHAVE Competência em Línguas Competência Matemática Competência Científica e Tecnológica

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico AGRUPAMENTO de ESCOLAS JOSÉ CARDOSO PIRES CÓDIGO 170719 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico PARÂMETROS GERAIS 1. MODALIDADES DA AVALIAÇÃO 1.1 Avaliação diagnóstica 1.2 Avaliação formativa 1.3 Avaliação

Leia mais

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio. Critérios de Avaliação Educação Musical 2º ciclo Ano letivo 20015 2016

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio. Critérios de Avaliação Educação Musical 2º ciclo Ano letivo 20015 2016 Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Critérios de Avaliação Educação Musical 2º ciclo Ano letivo 20015 2016 -Saber/saber fazer- Ponderação: 85% 5º Ano de escolaridade - Interpretação: Cantar,

Leia mais

Agrupamento de Escolas Oliveira Júnior Cód. 152900 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO

Agrupamento de Escolas Oliveira Júnior Cód. 152900 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2015/2016 Sendo a avaliação um «processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 6ºANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 6ºANO PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 6ºANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno è capaz de: Identificar a influência da textura ou da dimensão na perceção da cor. Distinguir diferenças entre cor

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 2 DE BEJA Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Grupo 550 Informática Ano Lectivo 2015/16 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO A avaliação é uma componente essencial do processo

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS INFANTE D. HENRIQUE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS INFANTE D. HENRIQUE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS INFANTE D. HENRIQUE 2015-2016 Índice Enquadramento 3 Referentes 4 Princípios orientadores 5 Intervenientes 5 Modalidades de 6 Atividades, Parâmetros e Descritores de 8 Conselho de

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS Cód. 161007 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MEALHADA DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO CENTRO Ano lectivo 2010-2011 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS A avaliação das crianças e dos alunos (de diagnóstico,

Leia mais

Educação Visual - Cód. 14

Educação Visual - Cód. 14 Agrupamento Vertical de Escolas de Abação Escola EB 2,3 Abação Informação n.º 1 ---------------------------------------------------- Data: 12 de maio de 2014 ----------------------------------------------------

Leia mais

AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR PRINCÍPIOS Caráter holístico e contextualizado do processo de desenvolvimento e aprendizagem da criança; Coerência entre os processos de avaliação e os princípios subjacentes

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Critérios Gerais de Avaliação Agrupamento de Escolas de Sátão 2015-2016 Introdução A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento de Línguas Grupos: 220; 300; 320; 330; 350 ESCOLA BÁSICA DO 2º CICLO DE PINHEL Critérios de Avaliação de Língua Portuguesa- 2º Ciclo O R A L I D A D E Componente Cognitiva

Leia mais

ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Artigo 1.º Âmbito 1 - O presente regulamento de avaliação de desempenho aplica-se a todos os docentes que se encontrem integrados na carreira. 2 - A avaliação

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2014/2015. Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos do Estreito de Câmara de Lobos

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2014/2015. Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos do Estreito de Câmara de Lobos Escola Básica dos 2º e s do Estreito de Câmara de Lobos N.º do Código do Estabelecimento de Ensino 3102-202 N.º de Telefone: 291945614/15 Fax: 291947271 Grupos Disciplinares Áreas Curriculares Disciplinares

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CAROLINA MICHAËLIS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CAROLINA MICHAËLIS Conhecimentos e Competências Saber, Saber Fazer Atitudes e Comportamentos Saber Estar 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico Ano Letivo 2013/2014 Os professores dos grupos disciplinares de línguas estrangeiras

Leia mais

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES ESCOLA BÁSICA LUÍS DE STTAU MONTEIRO - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE LOURES AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES DOMÍNIOS / CRITÉRIOS 3º Ciclo DISCIPLINA COGNITIVO / OPERATIVO E INSTRUMENTAL CONHECIMENTOS

Leia mais

Critérios de Avaliação Departamento de Línguas. 2015/2016 Agrupamento de Escolas de Miraflores

Critérios de Avaliação Departamento de Línguas. 2015/2016 Agrupamento de Escolas de Miraflores Critérios de Avaliação Departamento de Línguas 2015/2016 Agrupamento de Escolas de Miraflores Aprovado em reunião de Conselho Pedagógico a 10 de Setembro de 2015 Cálculo da classificação interna a atribuir

Leia mais

Planificação. Alexandra Baldaque

Planificação. Alexandra Baldaque Planificação Alexandra Baldaque Sumário Modelos de planificação Razões para planificar Fases da planificação Períodos de planificação Instrumentos de planificação Planificação A planificação passa pela

Leia mais

Quadros de Valor e de Excelência. C e n t r o d e E s t u d o s d e F á t i m a. Regulamento dos Quadros de Valor e de Excelência

Quadros de Valor e de Excelência. C e n t r o d e E s t u d o s d e F á t i m a. Regulamento dos Quadros de Valor e de Excelência Quadros de Valor e de Excelência C e n t r o d e E s t u d o s d e F á t i m a Regulamento dos Quadros de Valor e de Excelência Centro de Estudos de Fátima Regulamento dos Quadros de Valor e de Excelência

Leia mais

Normas e Critérios Gerais de Avaliação. Cursos Profissionais

Normas e Critérios Gerais de Avaliação. Cursos Profissionais Normas e Critérios Gerais de Avaliação Cursos Profissionais O formador deve orientar toda a sua atividade didática no sentido de promover o sucesso educativo do formando através de planificações contextualizadas,

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO EANES LOBATO Critérios de Avaliação Educação Pré Escolar Departamento Educação Pré Escolar Ano letivo 2013/2014 A avaliação do processo permite reconhecer a pertinência e sentido

Leia mais

Critérios de Avaliação da Disciplina de Inglês 3º ciclo L.E.I 2015/2016

Critérios de Avaliação da Disciplina de Inglês 3º ciclo L.E.I 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CICLO DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO EB 2, 3 INFANTE D. FERNANDO EB1/JI MANUEL CABANAS Critérios de Avaliação da Disciplina de

Leia mais

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE SANTO ONOFRE LÍNGUA FRANCESA - 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COMPETÊNCIAS GERAIS

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE SANTO ONOFRE LÍNGUA FRANCESA - 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COMPETÊNCIAS GERAIS ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE SANTO ONOFRE LÍNGUA FRANCESA - 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COMPETÊNCIAS GERAIS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS VALOR AVALIAÇÃO 1. Durante o período de aprendizagem o aluno deverá

Leia mais

2014 / 2015. Agrupamento de Escolas de Pegões, Canha e Santo Isidro

2014 / 2015. Agrupamento de Escolas de Pegões, Canha e Santo Isidro 2014 / 2015 O projecto Metas de Aprendizagem insere-se na Estratégia Global de Desenvolvimento do Currículo Nacional que visa assegurar uma educação de qualidade e melhores resultados escolares nos diferentes

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO CURSO PROFISSIONAL DE ANIMADOR SOCIOCULTURAL 2015/2016 Aprovados em Conselho Pedagógico de 14 de outubro de 2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO CURSO PROFISSIONAL DE ANIMADOR SOCIOCULTURAL

Leia mais

AE Lousada. aelousada.net CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIO GERAIS DE AVALIAÇÃO

AE Lousada. aelousada.net CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIO GERAIS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE LOUSADA CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Escola Básica de Boavista Escola Secundária de Lousada Escola Básica Lousada Centro -Silvares Escola Básica de Boim Escola Básica de Cristelos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALANDROAL Ano letivo 2014/15 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALANDROAL Ano letivo 2014/15 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALANDROAL Ano letivo 2014/15 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento Curricular de Matemática e Ciências Experimentais Área /Disciplina de Ciências Experimentais 2º e 3º Ciclo Indicadores/Parâmetros

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE. Critérios de Avaliação de Português Ensino Secundário Cursos Científico-Humanísticos

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE. Critérios de Avaliação de Português Ensino Secundário Cursos Científico-Humanísticos AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE Escola Secundária da Portela Escola EB,3 Gaspar Correia Escola EB1 Catela Gomes Escola EB1/JI Quinta da Alegria Escola EB1/JI Portela Critérios de Avaliação

Leia mais

DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS. 1.º Período: ATIVIDADES DESPORTIVAS

DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS. 1.º Período: ATIVIDADES DESPORTIVAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 5.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO Metas Intermédias Atividades Desportivas O aluno cumpre o nível introdutório de quatro matérias diferentes: Um nível introdutório na categoria

Leia mais

1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação

1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação 1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação PORTUGUÊS Domínios em Domínios/Competências Fatores de ponderação Instrumentos de Domínio Cognitivo Compreensão oral 20% Registos e grelhas de observação

Leia mais

Colégio de Lamego. Educação Musical. Critérios de Avaliação - 2º e 3º Ciclos. Rui S. Ribeiro

Colégio de Lamego. Educação Musical. Critérios de Avaliação - 2º e 3º Ciclos. Rui S. Ribeiro Colégio de Lamego Critérios de Avaliação - 2º e 3º Ciclos Rui S. Ribeiro 2014-2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO A música «enriquece o ser humano pelo poder do som e do ritmo, pelas virtudes próprias da melodia

Leia mais

Deve ainda ser tido em consideração o Despacho Normativo n.º 6-A/2015, de 5 de março.

Deve ainda ser tido em consideração o Despacho Normativo n.º 6-A/2015, de 5 de março. Informação - Prova de Equivalência à Frequência Expressões Artísticas 23 Prova 2014.2015 1.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência

Leia mais

AERT - ESCOLA EB 2,3 DE RIO TINTO. Ano Letivo de 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE HISTÓRIA -3ºCICLO

AERT - ESCOLA EB 2,3 DE RIO TINTO. Ano Letivo de 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE HISTÓRIA -3ºCICLO AERT - ESCOLA EB 2,3 DE RIO TINTO Ano Letivo de 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE HISTÓRIA -3ºCICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Os critérios definidos pelas docentes da disciplina de História

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA E. B. 2,3 PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS ESCOLA E. B. 2,3 DE PORTO ALTO 2013-2014

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA E. B. 2,3 PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS ESCOLA E. B. 2,3 DE PORTO ALTO 2013-2014 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013-2014 D E P A R T A M E N TO DAS L Í N G U A S PORTUGUÊS 2º CICLO Português Saber Fazer 2º Ciclo Testes 50% Leitura 9% Oralidade: Compreensão 12% Expressão Trabalhos escritos

Leia mais

Departamento da Educação Pré-Escolar/1.º Ciclo. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Pré-Escolar

Departamento da Educação Pré-Escolar/1.º Ciclo. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Pré-Escolar MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA BÁRBARA Departamento Pré-Escolar/1º Ciclo 151 956 Departamento da Educação Pré-Escolar/1.º Ciclo CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Pré-Escolar Área

Leia mais

PRÉ-ESCOLAR. critérios de avaliação 2015/2016

PRÉ-ESCOLAR. critérios de avaliação 2015/2016 PRÉ-ESCOLAR critérios de avaliação 2015/2016 Aprovado em Conselho Pedagógico a 1 de Setembro de 2015 Índice I. Introdução / Enquadramento Normativo. 2 II. Finalidades.. 3 III. Princípios. 4 IV. Processo

Leia mais

RELATÓRIO. Oficina de Formação

RELATÓRIO. Oficina de Formação RELATÓRIO Oficina de Formação Exploração e construção de situações de aprendizagem da matemática com programação em Scratch no pré escolar e no 1º ciclo do ensino básico Formadores: Miguel Figueiredo e

Leia mais

Avaliação da Aprendizagem

Avaliação da Aprendizagem Avaliação da Aprendizagem A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos adquiridos e capacidades desenvolvidas pelo aluno. A avaliação

Leia mais

Criar é arte, desenhar faz parte

Criar é arte, desenhar faz parte Criar é arte, desenhar faz parte E.E. Adelaide Maria de Barros Sala 5 Sessão 1 Professor(es) Apresentador(es): Paula Peres dos Santos Cruz Realização: Foco Desenhos gráficos, técnicas diferenciadas, desenvolvimento

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNÃO DE MAGALHÃES CHAVES. CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PARA OS 1.º, 2.º e 3.º CICLOS DO ENSINO BÁSICO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNÃO DE MAGALHÃES CHAVES. CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PARA OS 1.º, 2.º e 3.º CICLOS DO ENSINO BÁSICO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNÃO DE MAGALHÃES CHAVES CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PARA OS 1.º, 2.º e 3.º CICLOS DO ENSINO BÁSICO ANO LETIVO 2015/2016 ÍNDICE I INTRODUÇÃO... 3 II ENQUADRAMENTO DA AVALIAÇÃO...

Leia mais

I - CRITÉRIOS E INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO

I - CRITÉRIOS E INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO I - CRITÉRIOS E INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO Componentes a Avaliar 1. Domínio Psicomotor 2. Domínio Cognitivo 3. Domínio Sócio-Afetivo 1- REGIME GERAL DE FREQUÊNCIA Alíneas % % % Execução e aplicação dos

Leia mais

DISCIPLINA: Psicologia B CÓDIGO DA PROVA: 340. CICLO: Secundário ANO DE ESCOLARIDADE: 12º

DISCIPLINA: Psicologia B CÓDIGO DA PROVA: 340. CICLO: Secundário ANO DE ESCOLARIDADE: 12º DISCIPLINA: Psicologia B CÓDIGO DA PROVA: 340 CICLO: Secundário ANO DE ESCOLARIDADE: 12º 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de equivalência à frequência

Leia mais

Critérios de Avaliação. Departamento Educação Pré-Escolar

Critérios de Avaliação. Departamento Educação Pré-Escolar Critérios de Avaliação Departamento Educação Pré-Escolar 2015/2016 Critérios de Avaliação As principais diretrizes normativas referentes à avaliação na Educação Pré-Escolar estão consagradas no Despacho

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR 2015/2016

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR 2015/2016 Critérios de Avaliação da Educação Pré-Escolar Página 1 Introdução O princípio consensualmente partilhado de que a avaliação é um elemento integrante e regulador

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação DGEstE Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços Região Centro Agrupamento de Escolas Figueira Mar Critérios de Avaliação 1º Ciclo Ano Letivo 14/ Terminologia a utilizar na classificação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDROUÇOS. Planificação de Português

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDROUÇOS. Planificação de Português AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDROUÇOS Escola Básica 2/3 de Pedrouços Planificação de Português 7. 7ºano de escolaridade Ano letivo 2012/2013 Expressão oral Compreensão oral 1. o Período (+-64 aulas ) ))))))))646464+66666646

Leia mais

ENSINO ESPECIAL PLANO PEDAGÓGICO

ENSINO ESPECIAL PLANO PEDAGÓGICO INTRODUÇÃO O nosso Projeto de classes de Ensino Especial com Educadoras, Professores e Técnicos especializados para crianças com NEES, é um projecto de integração dessas crianças no dia-a-dia da comunidade

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros 2º ciclo PCA - 6º ano Planificação Anual 2013-2014 MATEMÁTICA METAS CURRICULARES

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Critérios Gerais de Avaliação Educação Pré-Escolar 2014/15 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR A avaliação é um elemento integrante e regulador da prática educativa em cada nível de educação e

Leia mais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais Prova de Exame Nacional de Matemática Aplicada às Ciências Sociais Prova 835 2013 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Para: Direção-Geral da Educação Inspeção-Geral da Educação e Ciência Direções Regionais

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA Departamento do 1ºCiclo PLANO DE TURMA Ano Turma Plano de Turma 1º Ciclo Ano Letivo 20 /20 Índice Introdução 1. Caracterização da turma 1.1. Caracterização dos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AFONSO DE ALBUQUERQUE 2014/2015. Regulamento dos Quadros de Valor, de Mérito e de Excelência

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AFONSO DE ALBUQUERQUE 2014/2015. Regulamento dos Quadros de Valor, de Mérito e de Excelência AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AFONSO DE ALBUQUERQUE 2014/2015 Regulamento dos Quadros de Valor, de Mérito e de Excelência Introdução Os Quadros de Valor, de Mérito e de Excelência dos Ensinos Básico e Secundário

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO MUSICAL 5.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO MUSICAL 5.º ANO DE EDUCAÇÃO MUSICAL 5.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO Perfil do aluno no final do 5.º Ano O aluno canta a solo e em grupo, com intencionalidade expressiva, canções em diferentes tonalidades

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES MAGALHÃES 1º CICLO. Critérios de Avaliação. 1º Ano

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES MAGALHÃES 1º CICLO. Critérios de Avaliação. 1º Ano AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES MAGALHÃES 1º CICLO Critérios de Avaliação 1º Ano Disciplina: PORTUGUÊS Domínio Parâmetros de Avaliação Instrumentos de avaliação Ponderação Oralidade Assimilar e expressar

Leia mais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais Dezembro de 2013

Matemática Aplicada às Ciências Sociais Dezembro de 2013 Informação-EXAME FINAL NACIONAL Matemática Aplicada às Ciências Sociais Dezembro de 2013 Prova 835 2014 11.º Ano de Escolaridade O presente documento divulga informação relativa à prova de exame final

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Eugénio de Castro Ano letivo 2014/2015

Agrupamento de Escolas de Eugénio de Castro Ano letivo 2014/2015 Português Agrupamento de Escolas de Eugénio de Castro Ano letivo 2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º ANO DE ESCOLARIDADE 3º Período ÁREAS ELEMENTOS A AVALIAR Lê com Relata acontecimentos; Retém informações

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. Departamento de Expressões Educação Especial

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. Departamento de Expressões Educação Especial CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento de Expressões Educação Especial INTRODUÇÃO A Educação Especial, através dos Docentes de Educação Especial (DEE), intervêm na realidade escolar, realizando ações diversificadas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA. DGESTE - Direção de Serviços da Região Centro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. CORREIA MATEUS LEIRIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA. DGESTE - Direção de Serviços da Região Centro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. CORREIA MATEUS LEIRIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DGESTE - Direção de Serviços da Região Centro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. CORREIA MATEUS LEIRIA CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ALUNOS ANO LETIVO 2015/2016 ÍNDICE 1. NOTA

Leia mais

COLÉGIO DE LAMEGO (70%-89%) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ESPECÍFICA Do 1º Ciclo

COLÉGIO DE LAMEGO (70%-89%) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ESPECÍFICA Do 1º Ciclo COLÉGIO DE LAMEGO (70%-89%) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ESPECÍFICA Do 1º Ciclo 2014/2015 Avaliar é um conceito que se utiliza com frequência na sociedade actual. Ao fazer-se uma avaliação queremos apreciar

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS 2015-2016 1 INTRODUÇÃO No início do ano letivo, compete ao conselho pedagógico do agrupamento definir os critérios de avaliação para cada ciclo e

Leia mais

COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER

COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS GRUPO DE DOCÊNCIA 330 INGLÊS E ALEMÃO 2008/2009 Na aprendizagem de uma língua é fundamental dar ênfase ao desenvolvimento equilibrado das capacidades Ouvir-Falar-Ler-Escrever e

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO VISUAL - 6.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO VISUAL - 6.º ANO DE EDUCAÇÃO VISUAL - 6.º ANO Ano Letivo 2014/2015 PERFIL DO ALUNO O aluno deve ser capaz de: -Distinguir entre cor e pigmento (síntese aditiva e subtrativa) -Identificar cores primárias e secundarias,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA BÁSICA PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS ESCOLA BÁSICA DE PORTO ALTO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA BÁSICA PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS ESCOLA BÁSICA DE PORTO ALTO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA BÁSICA PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS ESCOLA BÁSICA DE PORTO ALTO Prova Extraordinária de Avaliação Físico-Química 3º Ciclo - 7.º Ano de Escolaridade Despacho

Leia mais

Departamento das Educação Pré-escolar

Departamento das Educação Pré-escolar Departamento das Educação Pré-escolar A melhoria da qualidade das aprendizagens, a avaliação implica, no quadro da relação entre o jardim-de-infância, a família e a escola, uma construção partilhada que

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA 11ª, 12ª e 13ª classes Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Ficha Técnica TÍTULO: Programa de Metodologia do Ensino de Educação

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LECTIVO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LECTIVO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LECTIVO 2008/2009 A avaliação é um processo regulador das aprendizagens, orientador do percurso escolar e certifica as aquisições realizadas pelos/as alunos/as. Na avaliação

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL GESTÃO DE TEMPOS. CURSO: Curso Profissional de Secretariado 10º ano. DISCIPLINA: Tecnologias da Informação e Comunicação

PLANIFICAÇÃO ANUAL GESTÃO DE TEMPOS. CURSO: Curso Profissional de Secretariado 10º ano. DISCIPLINA: Tecnologias da Informação e Comunicação PLANIFICAÇÃO ANUAL CURSO: Curso Profissional de Secretariado 0º ano DISCIPLINA: Tecnologias da Informação e Comunicação ANO LETIVO: 205/206 GESTÃO DE TEMPOS º Período Apresentação Desenvolvimento Programático

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º CICLO ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENTRONCAMENTO (401640) Ano Letivo 2011-2012 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º CICLO Índice Introdução... 3 Língua Portuguesa... 3 Inglês I... 3 Francês II... 3 Espanhol... 3 Matemática...

Leia mais

Projeto Educativo de Escola

Projeto Educativo de Escola Projeto Educativo de Escola Professor 2012-2016 Índice 1. Identificação 02 2. Introdução 03 3. Princípios... 04 4. Valores.. 06 5. Objetivos Metas Estratégias... 07 6. Avaliação 11 7. Bibliografia 12 8.

Leia mais